Você está na página 1de 16

ESCOLA ESTADUAL VERÍSSIMO TEIXEIRA COSTA

AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA/ 1º BIMESTRE


PROFESSORA: LUCIANA RENATA DIAS
ALUNO (A): ____________________________________________________________________________________DATA: ___/___/___
6º ANO / TURMA: ELIETE VALOR: 10,0 pontos NOTA:________
Texto 1

BONS EXERCÍCIOS PARA ERRAR E ACERTAR

Uma escola vai levar seus 885 alunos a uma excursão. Para isso, alugará ônibus em que cabem 50 pessoas. Quantos ônibus
serão necessários?

Cálculos e respostas de Lígia:

885
50 50
385 17
350
35

Resto: 35. Serão necessários 17 ônibus.

Cálculos e respostas de Carol:

885 50
850 17
35

Resto: 35. Serão necessários 18 ônibus.


Revista NOVA ESCOLA, mar. 2004, p. 41

1. Considerando o enunciado do problema e as respostas dadas pode-se afirmar que a resposta CORRETA é a de:

a) Lígia, pois além de ter acertado o cálculo, deu uma resposta coerente com o resultado obtido.
b) Carol, pois acertou o cálculo e se lembrou de que seria preciso mais um ônibus para levar os 35 restantes.
c) Ambas as alunas, pois, mesmo usando estratégias diferentes no cálculo, chegaram a um mesmo valor.
d) Lígia, pois é a única que apresenta, no cálculo feito, uma justificativa para a resposta do problema.

Texto 2

Quem vai salvar a vida

(...) No dia seguinte era sábado, e meu pai pegou o Trovão, nosso cachorro, e já ia saindo com ele pra passear.
Eu então perguntei:
– Ô, pai, que tal levar um saquinho para pegar a sujeira do Trovão?
– Pegar a sujeira? – ele perguntou.
– Então, pai, não se pode deixar sujeira no meio da rua...
– Ora, ora – meu pai respondeu –, a rua é pra isso mesmo!
– Pai, que absurdo! A rua é de todos! É como se você levasse seu cachorro pra sujar a casa dos outros. Você não vê
que a gente pisa nessa sujeira e traz pra casa? Não vê que tem crianças pequenas que andam na rua e sujam os pés?
Meu pai me olhou torto, torto.
E foi embora.
Mas, quando ele voltou, eu vi que ele tinha um saquinho, que ele atirou no lixo (...).

Ruth Rocha. Quem vai salvar a vida? São Paulo, FTD, 2009.

2. A parte do texto que nos indica que o narrador é um filho ou filha é

(A) “A rua é de todos!” (B) “Ora, ora(...), a rua é (C) “(...) não se pode (D) “Meu pai me olhou
para isso mesmo!” deixar a sujeira no meio torto, torto.”
da rua...”

3. Lendo o trecho “Mas, quando ele voltou, eu vi que ele tinha um saquinho, que ele atirou no lixo (...)”, pode-se concluir que o
pai:

(A) resolveu comprar (B) desistiu de passear (C) recolheu a sujeira de (D) pisou no lixo
sacos de lixo. com o cão. seu cachorro. encontrado na rua.
4. O texto é constituído por vários travessões. Eles foram usados porque o texto é

(A) um poema. (B) uma receita. (C) um anúncio. (D) um diálogo.


Texto 3
Pressa

Só tenho tempo pras manchetes


no metrô
E o que acontece na novela
Alguém me conta no corredor
Escolho os filmes que eu não
vejo
no elevador
Pelas estrelas que eu encontro
na crítica do leitor
Eu tenho pressa e tanta coisa me interessa
Mas nada tanto assim
Eu me concentro em apostilas
coisa tão normal
Leio os roteiros de viagem
enquanto rola o comercial
Conheço quase o mundo inteiro
por cartão-postal
Eu sei de quase tudo um pouco
e quase tudo mal
Eu tenho pressa e tanta coisa me interessa
mas nada tanto assim
Bruno & Leoni Fortunato. Greatest Hits’80. WEA.
5. Identifica-se uma linguagem menos monitorada em

(A) “Leio os roteiros de viagem enquanto rola o comercial.” (v. 14-15)


(B) “Conheço quase o mundo inteiro por cartão postal!” (v. 16-17)
(C) “Eu sei de quase tudo um pouco e quase tudo mal.” (v. 18-19)
(D) “Eu tenho pressa e tanta coisa me interessa mas nada tanto assim.” (v. 20-21)

6. Analise a propaganda abaixo para responder as questões.


Texto 4

O texto acima é:

(A) uma história em (B) um texto de (C) um anúncio (D) uma anedota.
quadrinhos. instruções. publicitário.

7. O que significa a expressão “Jogue limpo” na propaganda acima?


(A) Brincar no meio (B) Desrespeitar o meio (C) Preservar o meio (D) Identificar os sete
ambiente. ambiente. ambiente. erros da propaganda.

8. Na figura debaixo, a expressão do sol indica que:

(A) jogaram lixo na praia. (B) o mar não tem (C) as pessoas não (D) o vento está forte
ondas. chegaram.

9. A propaganda trata do tema:

(A) Educação. (B) Turismo. (C) Lazer.


(D) Meio ambiente.
10. Na frase, "Jogue limpo com o meio ambiente." o ponto final é usado para:

(A) expressar emoção. (B) enumerar situações. (C) finalizar uma ideia. (D) indicar dúvida.
Texto 5

CHOPIS CENTIS

Eu “di” um beijo nela Esse tal Chopis Centis


E chamei pra passear. é muito legalzinho.
A gente fomos no shopping Pra levar a namorada
Pra “mode” a gente lanchar. e dar uns “rolezinho”,

Comi uns bicho estranho, Quando eu estou no trabalho,


com um tal de gergelim. Não vejo a hora
Até que “tava” gostoso, de descer dos andaime.
mas eu prefiro aipim.
Pra pegar um cinema,
Quanta gente, ver Schwarzneger
Quanta alegria, E também o Van Damme.
A minha felicidade
é um crediário
nas Casas Bahia.

(Dinho e Júlio Rasec, encarte CD Mamonas Assassinas, 1995.)

11. No terceiro verso, (1ª COLUNA) temos uma construção que está em desacordo com a norma culta. Identifique-a e
reescreva-a em língua culta.
_____________________________________________________________________________________________________

12. No 4º verso da 4ª estrofe, é empregada uma gíria: “uns rolezinho”. Imagine o sentido dessa expressão, a partir do contexto.

_____________________________________________________________________________________________________
13. A linguagem empregada no texto 5 está adequada à situação comunicativa? Justifique sua resposta.

_____________________________________________________________________________________________________

14. Pode-se considerar que o texto atingiu o objetivo de comunicar o que pretendia? Comente.

_____________________________________________________________________________________________________

15. Quanto à entonação/ expressividade, identifique o tipo de frase para cada item abaixo:

a) Traga-me um café.
b) Você viu meu secador de cabelo?
c) Mas que dia quente!
d) O pássaro viu-se com as asas presas à árvore

16. Agora, dentre os itens acima, reescreva a única frase nominal, no espaço abaixo, e explique por que tal frase é nominal.

_____________________________________________________________________________________________________

Texto 6

17. Com base na leitura da tirinha e nos conhecimentos adquiridos em sala de aula, construa um parágrafo bem organizado
respondendo à seguinte pergunta: “Existe um uso da língua que seja melhor ou pior?” (Responda no verso da prova)

ESCOLA ESTADUAL VERÍSSIMO TEIXEIRA COSTA


AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA/ 1º BIMESTRE
PROFESSORA: LUCIANA RENATA DIAS
ALUNO (A): ____________________________________________________________________________________DATA: ___/___/___
8º ANO / TURMA: AURENI VALOR: 10,0 pontos NOTA:________
Texto 1
1. Leia a letra de uma embolada:

Oi, lá vinha pelo rio uma pedra boiando


Em riba dessa pedra 3 navegador
Um deles era cego nada enxergando
O outro não tinha braço pois o trem cortou
Mas deles o sem vergonha era o terceiro
Pois estava nuzinho como Deus criou
E eis que adiante o cego num berreiro
Olhando para o fundo um tostão gritou
Então ouvindo aquilo o tal que era aleijado
Passando a mão no fundo o níquel apanhou
E o tal que estava nu tendo o tostão tomado
Mais do que ligeirinho no bolso guardou!
http://tabui.blogspot.com/2006_05_01_archive.html

As emboladas fazem parte do nosso folclore e geralmente não trazem o nome autor.
a) O texto acima apresenta várias incoerências. Cite pelo menos três.

b) É possível desfazer as incoerências do texto? Justifique a sua resposta.

2. Leia os versos:
Texto 2
" Meu sertão continua ao deus-dará
Mas se existe Jesus no firmamento
Cá na terra isto tem que se acabar”.
(Gilberto Gil)

a) Que tipo de relação é estabelecida pela conjunção mas?______________________________________________________

b) Que outra conjunção poderia ocupar o lugar de mas sem alterar o sentido do texto?________________________________

3. .
3. Complete as frases com os advérbios adequados a cada circunstância indicada nos parênteses.

Texto 3
Ritos de Casamento
Entre os índios Bororó é quase sempre a moça quem toma a iniciativa de declarar ao jovem escolhido o seu desejo de se
casar com ele. Para isso, prepara-lhe uma refeição e, acompanhada pela mãe, leva-a à cabana onde mora o rapaz, por volta
do meio-dia. A mãe da moça é quem lhe entrega o alimento, dizendo: "Meu genro, vim com minha filha que deseja viver
contigo, porque te quer bem". Em geral o rapaz não responde imediatamente. Continua a fazer o trabalho, como se nada
tivesse acontecido. Após a moça e sua mãe se retirarem, o jovem toma a decisão: se quer casar com ela, saboreia o alimento
oferecido; se não quer casar, não o come (...)

Você observou como o encontro entre esses índios é diferente? Ainda bem que em nossa época não é assim. O que vale são
as emoções. Você não acha?

4. Observe que nesse trecho aparecem vários pronomes retos e oblíquos. Agora identifique a que palavras do texto os
pronomes sublinhados estão se referindo.

a) ele (linha 2) refere-se ao………………………………………………………………………………………….


b) lhe (linha 2) refere-se ao………………………………………………………………………………………….
c) a (linha 2) refere-se à ……………………………………………………………………………………………..
d) contigo (linha 4) refere-se ao ……………………………………………………………………………………
e) ela (linha 5) refere-se à ………………………………………………………………………………………….

5. Leia os textos a seguir e depois responda.

Texto 4

Sem-proteção
Jovens enfrentam mal a acne, mostra pesquisa

Transtorno presente na vida da grande maioria dos adolescentes e jovens, a acne ainda gera muita confusão entre eles,
principalmente no que diz respeito ao melhor modo de se livrar dela. É o que mostra uma pesquisa realizada pelo projeto
Companheiros Unidos contra a Acne (Cucas), uma parceria do laboratório Roche e da Sociedade Brasileira de Dermatologia
(SBD): Foram entrevistados 9273 estudantes, entre 11 e 19 anos, em colégios particulares de São Paulo, Rio de Janeiro,
Minas Gerais, Pernambuco, Paraíba, Pará, Paraná, Alagoas, Ceará e Sergipe, dentre os quais 7623 (82%) disseram ter
espinhas. O levantamento evidenciou que 64% desses entrevistados nunca foram ao médico em busca de tratamento para
espinhas. "Apesar de não ser uma doença grave, a acne compromete a aparência e pode gerar muitas dificuldades ligadas à
autoestima e à sociabilidade", diz o dermatologista Samuel Henrique Mandelbaum, presidente da SBD de São Paulo. Outros
43% dos entrevistados disseram ter comprado produtos para a acne sem consultar o dermatologista - as pomadas,
automedicação mais frequente, além de não resolverem o problema, podem agravá-lo, já que possuem componentes oleosos
que entopem os poros. (...)
Fernanda Colavitti
Texto 5

Perda de Tempo

Os métodos mais usados por adolescentes e jovens brasileiros não resolvem os problemas mais sérios de acne.

23% lavam o rosto várias vezes ao dia.


21% usam pomadas e cremes convencionais.
5% fazem limpeza de pele.
3% usam hidratante.
2% evitam simplesmente tocar no local.
2% usam sabonete neutro.
(COLAVITTI, Fernanda – Revista Veja Outubro / 2001 – p. 138.)
5. Comparando os dois textos, percebe-se que eles são

(A) semelhantes. (B) divergentes. (C) contrários. (D) complementares


Texto 6

6. Observe que na tira há vários elementos de coesão. Localize uma conjunção, uma preposição e um adverbio. Classifique a
conjunção quanto ao tipo de relação estabelecida.

a) Conjunção:
b) Preposição:
c) Advérbio:

7. Destaque as conjunções coordenativas nas frases seguintes e associe-as a um destes valores semânticos:
*adição *conclusão * alternância ou exclusão * oposição * explicação

a) Seu João não entendeu minha proposta, entretanto fez um gesto afirmativo.

___________________________________________________________________________
b) Pegue-me, por favor, o pó de café, pois a água já está fervendo.

___________________________________________________________________________
c) O homem saiu apressado do bar e desapareceu na escuridão.

___________________________________________________________________________
d) Meu filho está se preparando para este concurso há meses, portanto deverá ser bem sucedido nos exames.

___________________________________________________________________________
e) Não me telefone após o almoço, porque não estarei em casa nesse horário.

___________________________________________________________________________
f) Quer queira, quer não queira, você não deve nos acompanhar nesta viagem.

___________________________________________________________________________
g) Vamos embora que já é tarde.

___________________________________________________________________________
h) Filho, este mês a conta da farmácia estourou nosso orçamento; não tenho, por isso, condição de emprestar-lhe um centavo.

____________________________________________________________________________

Texto 7

PANDORA (mitologia grega)

Num tempo distante, os homens dominaram a dádiva do fogo, graças a Prometeu, tornando melhor a vida na Terra.
Mas diante daquela afronta, a ira de Zeus não teve limites, e ele resolve então punir os homens. Ordenou a Hefesto
que moldasse uma mulher de barro, tão linda quanto uma verdadeira deusa, que lhe desse voz e movimento e que seus
olhos inspirassem um encanto divino.
A deusa Atena teceu-lhe uma belíssima roupa, as três Graças a cobriram com joias e as Horas a coroaram com uma
tiara de perfumadas flores brancas. Por isso a jovem recebeu o nome de Pandora, que em grego significa “todas as
dádivas”.
No dia seguinte, Zeus deu instruções secretas a seu filho Hermes que, obedecendo às ordens do pai, ensinou
Pandora a contar suaves mentiras. Com isso, a mulher de barro passou a ter uma personalidade dissimulada e perigosa.
Feito isso, Zeus ordenou a Hermes que entregasse a mulher de presente a Epimeteu, irmão de Prometeu, um homem
ingênuo e lento de raciocínio.
Ao ver Pandora, Epimeteu esqueceu-se que Prometeu lhe havia recomendado muitas vezes para não aceitar
presentes de Zeus; e aceitou-a de braços abertos.
Certo dia, Pandora viu uma ânfora muito bem lacrada, e assim que se aproximou dela, Epimeteu alertou-a para se
afastar, pois Prometeu lhe recomendara que jamais a abrisse, caso contrário, os espíritos do mal recairiam sobre eles.
Mas, apesar daquelas palavras, a curiosidade da mulher de barro aumentava; não mais resistindo, esperou que o
marido saísse de casa e correu para abrir o jarro proibido.
Mal ergueu a tampa, Pandora deu um grito de pavor e do interior da ânfora saíram monstros horríveis: o Mal, a Fome,
o Ódio, a Doença, a Vingança, a Loucura e muitos outros espíritos maléficos...
Quando voltou a lacrar a jarra, conseguiu prender ali um único espírito, a Esperança.
Assim, então, tudo aconteceu exatamente conforme Zeus havia planejado. Usou a curiosidade e a mentira de
Pandora para espalhar o mal sobre o mundo, tornando os homens duros de coração e cruéis, castigando Prometeu e toda
a humanidade.

PANDORA: mitologia grega. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br> Acesso em: 06 mar. 2007.

8. Por meio da leitura do texto, é possível inferir algumas características psicológicas dos personagens apresentados. Dentre
as alternativas a seguir, qual não caracteriza adequadamente o personagem ao qual se refere?

a) Hermes: obediente.
b) Epimeteu: ingênuo.
c) Prometeu: orgulhoso.
d) Pandora: curiosa.

9. Zeus idealizou Pandora para realizar seu plano de vingança. Para que tudo saísse conforme planejado, delegou diferentes
funções a seus subordinados. Relacione cada personagem à atividade realizada:

a) Hefesto (d ) Ensinou Pandora a contar suaves mentiras.


b) Atena (b ) Teceu para Pandora uma belíssima roupa.
c) Horas (a ) Moldou uma mulher de barro, tão linda quanto uma verdadeira deusa.
d) Hermes (c ) Coroaram Pandora com uma belíssima tiara de perfumadas flores brancas.

10. Releia o parágrafo a seguinte:

Mas diante daquela afronta, a ira de Zeus não teve limites, e ele resolve então punir os homens. Ordenou a Hefesto
que moldasse uma mulher de barro, tão linda quanto uma verdadeira deusa, que lhe desse voz e movimento e que seus
olhos inspirassem um encanto divino.

No texto acima, há uma comparação. Assinale, dentre as alternativas a seguir, a expressão que indica essa comparação:

a) “e ele resolve então punir os homens”;


b) “tão linda quanto uma verdadeira deusa”;
c) “ordenou a Hefesto que moldasse uma mulher de barro”;
d) “seus olhos inspirassem um encanto divino”.

11. Releia o trecho a seguir:

Mal ergueu a tampa, Pandora deu um grito de pavor e do interior da ânfora saíram monstros horríveis: o Mal, a Fome,
o Ódio, a Doença, a Vingança, a Loucura e muitos outros espíritos maléficos...

A expressão “Mal” no início do trecho poderia ser substituída, sem alterar o sentido do texto, por:

a) assim que; b) portanto; c) desde que; d) certa vez.

12. Considere a sentença abaixo:

Marcos enfrentou congestionamento no trânsito e perdeu o início da reunião.


As duas orações do período estão unidas pela conjunção “e”, que, nesse caso, além de indicar ideia de adição, também indica
ideia de:

a) condição
b) oposição
c) consequência
d) adversidade
e) união
13 “Não me aguardem, porque não poderei chegar a tempo.” Neste período a conjunção em destaque estabelece uma relação
de:

a) adição
b) oposição
c) alternância
d) explicação
e) conclusão

QUESTÃO EXTRA PARA OS ALUNOS QUE FICAREM DE RECUPERAÇÃO.

Tendo em vista as características principais de NARRATIVA MÍTICA, as discussões e as leituras feitas em sala, escolha uma
história mítica de sua preferência e produza um resumo interessante que desperte a curiosidade do leitor. Para isso, planeje a
sua escrita decidindo primeiro sobre o que vai escrever e organize as suas ideias.

A seguir, há elementos de coesão que devem ser usados para relacionar os diferentes momentos da narrativa. Empregue-os
em seu resumo conforme considerar adequado.

- PARA A SITUAÇÃO INICIAL: HÁ MUITO TEMPO.../ ERA UMA VEZ.../ HÁ MUITOS E MUITOS ANOS.../OUTRORA...
- PARA O CONFLITO: UM DIA.../ MAS UM DIA.../ ENTRETANTO, CERTA VEZ.../ PORÉM, UM DIA...
- PARA O CLÍMAX: ENTÃO.../ NAQUELE MOMENTO...
- PARA O DESFECHO: ASSIM.../ FINALMENTE...

MÃOS À OBRA!

João Carlos vivia em uma pequena casa construída no alto de uma colina, cuja frente dava para leste. Desde o pé da colina se
espalhava em todas as direções, até o horizonte, uma planície coberta de areia. Na noite em que completava trinta anos, João,
sentado nos degraus da escada colocada à frente de sua casa, olhava o sol poente e observava como a sua sombra ia
diminuindo no caminho coberto de grama. De repente, viu um cavalo que descia para sua casa. As árvores e as folhagens não
o permitiam ver distintamente; entretanto observou que o cavalo era manco. Ao olhar de mais perto verificou que o visitante era
seu filho Guilherme, que a vinte anos tinha partido para alistar-se no exército, e, em todo esse tempo, não havia dado sinal de
vida. Guilherme, ao ver seu pai, desmontou imediatamente, correu até ele, lançando-se nos seus braços e começando a
chorar” (KOCH & TRAVAGLIA, 2003).

1.O texto acima é coerente, ou seja, tem sentido?

2.Quais são os problemas que você encontrou no texto? Enumere esses problemas e justifique-os.

”João Carlos vivia em uma pequena casa construída no alto de uma colina, cuja frente dava para leste. Desde o pé da colina
se espalhava em todas as direções, até o horizonte, uma planície coberta de areia. Na noite em que completava trinta
anos, João, sentado nos degraus da escada colocada à frente de sua casa, olhava o sol poente(1) e observava como a
sua sombra ia diminuindo no caminho coberto de grama (2). De repente, viu um cavalo que descia para sua casa(3). As
árvores e as folhagens (2) não opermitiam ver distintamente entretanto observou que o cavalo era manco (4). Ao olhar de
mais perto(5) verificou que o visitante era seu filho Guilherme, que a vinte anos (6) tinha partido para alistar-se no exército,
e, em todo esse tempo, não havia dado sinal de vida. Guilherme, ao ver seu pai, desmontou imediatamente, correu até ele
lançando-se nos seus braços e começando a chorar.”

(1).Se a casa de João dava de frente para o leste, o sol se punha às suas costa, ou seja, à oeste. E se já era noite, o sol já se
pôs.

(2) João morava numa colina árida, diante de um cenário desértico, o caminho de grama, as arvores e as folhagens contrariam
o que foi dito anteriormente

(3)A casa de João ficava no alto da colina, para chegar a ela era preciso subir, e não descer.

(4) Se João não conseguia ver distintamente, como percebeu que o cavalo era manco?

(5) Se João estava sentado nos degraus da escada de sua casa, como pode olhar mais de perto?

(6) Se João completava 30 anos, não poderia ter um filho que partira há 20 anos. .
Respostas

 Resposta Questão 1
Alternativa “c”. Além de indicar ideia de adição, a conjunção “e” também apresenta a ideia de consequência, já que: Marcos chegou
atrasado, por issoperdeu o início da reunião.
voltar a questão

 Resposta Questão 2
Alternativa “b”. A conjunção em destaque é uma conjunção concessiva, pois introduz uma ideia de contradição ou de concessão.
voltar a questão

 Resposta Questão 3
Alternativa “d”.
voltar a questão

 Resposta Questão 4
Alternativa “e”.
voltar a questão

 Resposta Questão 5
Alternativa “c”. A conjunção “mas”, no contexto do quadrinho de Quino, é classificada como conjunção adversativa, pois acentua a oposição
entre duas ideias, pois, embora a preguiça seja a mãe de todos os vícios, por ser uma mãe, é preciso respeitá-la.
ESCOLA ESTADUAL VERÍSSIMO TEIXEIRA COSTA
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA/ 1º BIMESTRE
PROFESSORA: LUCIANA RENATA DIAS
ALUNO (A): ____________________________________________________________________________________DATA: ___/___/___
7º ANO / TURMA: LUZIA VALOR: 10,0 pontos NOTA:________

1- Leia o poema de Elias José e responda o que se pede:


Texto 1
A poesia
Tem tudo a ver
Com tuas dores e alegrias,
Com as cores, as formas, os cheiros,
Os sabores e a música
Do mundo.

A poesia
Tem tudo a ver
Com o sorriso da criança,
O diálogo dos namorados,
As lágrimas diante da morte,
Os olhos pedindo pão.

A poesia
Tem tudo a ver
Com a plumagem,
O vôo e o canto do pássaro,
A veloz acrobacia dos peixes,
As cores todas do arco-íris
O ritmo dos rios e cachoeiras,
O brilho da lua, do sol e das estrelas,
A explosão em verde, em flores e frutos.
A poesia
- é só abrir os olhos e ver -
Tem tudo a ver
Com tudo.

a) Por que o autor diz que “poesia tem tudo a ver com tudo”?

b) Retomando tudo que aprendemos sobre poemas, explique a(s) diferença(s) entre POEMA e POESIA.

Texto 2
2- Observe que as palavras "Assim" e "vem" estão de cabeça para baixo. O que isso sugere?

_____________________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________________
Texto 3

3- O que torna o texto acima engraçado é que

a) a aluna é uma b) a aluna faz uma c) a professora dá um d) a professora fala


formiga. pechincha. castigo. “XIS” e “CÊ AGÁ”.

Texto 4
Televisão

Televisão é uma caixa de imagens que fazem barulho.


Quando os adultos não querem ser incomodados, mandam as crianças ir assistir à televisão.
O que eu gosto mais na televisão são os desenhos animados de bichos.
Bicho imitando gente é muito mais engraçado do que gente imitando gente, como nas telenovelas.
Não gosto muito de programas infantis com gente fingindo de criança.
Em vez de ficar olhando essa gente brincar de mentira, prefiro ir brincar de verdade com meus amigos e amigas.
Também os doces que aparecem anunciados na televisão não têm gosto de coisa alguma porque ninguém pode
comer uma imagem.
Já os doces que minha mãe faz e que eu como todo dia, esses sim, são gostosos.
Conclusão: a vida fora da televisão é melhor do que dentro dela.
PAES, J. P. Televisão. In: Vejam como eu sei escrever. 1. ed. São Paulo, Ática, 2001. p. 26- 27.

4- O trecho em que se percebe que o narrador é uma criança é:

a) “Bicho imitando gente é muito mais engraçado do que gente imitando gente, como nas telenovelas.”
b) “Em vez de ficar olhando essa gente brincar de mentira, prefiro ir brincar de verdade...”
c) “Quando os adultos não querem ser incomodados, mandam as crianças ir assistir à televisão.”
d) “Também os doces que aparecem anunciados na televisão não têm gosto de coisa alguma...”

Texto 5 Feias, sujas e imbatíveis


(Fragmento)

As baratas estão na Terra há mais de 200 milhões de anos, sobrevivem tanto no deserto como nos pólos e podem
ficar até 30 dias sem comer. Vai encarar?
Férias, sol e praia são alguns dos bons motivos para comemorar a chegada do verão e achar que essa é a melhor
estação do ano. E realmente seria, se não fosse por um único detalhe: as baratas. Assim como nós, elas também ficam bem
animadas com o calor. Aproveitam a aceleração de seus processos bioquímicos para se reproduzirem mais rápido e, claro,
para passearem livremente por todos os cômodos de nossas casas.
Nessa época do ano, as chances de dar de cara com a visitante indesejada, ao acordar durante a noite para beber
água ou ir ao banheiro, são três vezes maiores.
Revista Galileu. Rio de Janeiro: Globo, Nº 151, Fev. 2004, p.26.

5- No trecho “Vai encarar?”, o ponto de interrogação tem o efeito de

a) desafiar. b) apresentar. c) avisar. d) questionar.

6- Leia a tira abaixo para responder às questões


Texto 7

Ziraldo
a) O que o menino quis dizer com a expressão “vamos soltar os bichos!”?

b) Como a professora interpretou a fala do menino?

Leia este texto para responder às questões de 7 a 14.

Texto 8

URGENTE!
Uma
gota
de
orvalho
caiu hoje, às 8h, do dedo anular
direito, do Cristo Redentor, no
Rio de Janeiro
Seus restos
não foram
encontrados
A Polícia
não acre-
dita em
acidente
Suspei-
to: o
vento

Os meteoro-
logistas, os poetas e
os passarinhos choram in-
consoláveis. Testemunha
presenciou a queda: “Horrível!
Ela se evaporou na metade do caminho!”

CAPARELLI, Sérgio. Tigres no quintal. Porto Alegre: Kuarup, 1995.


7- Que texto é esse? a) uma notícia. b) um anúncio. c) um poema. d) uma reportagem.

8- A forma de colocar as palavras no papel lembra a imagem

a) de uma cruz; b) de passarinhos; c) de uma gota de orvalho; d) do Cristo Redentor.

9- Qual a intenção do autor ao criar esse texto?

a) Mexer com os sentimentos do leitor, representando de forma poética e visual, um fato que não seria matéria de uma notícia.
b) Denunciar a incapacidade dos policiais diante de um crime.
c) Informar ao leitor um fato de utilidade pública.
d) Desenhar um ponto turístico do Rio de Janeiro.

10- Pela forma que o poeta escolheu para expressar suas ideias, é possível afirmar que, nesse texto, ele finge, simula, ser:

a) um policial; b) um turista; c) uma testemunha; d) um jornalista, um


repórter.

11- Assinale a sequência de ideias apresentadas na primeira estrofe do texto.

a) Primeiro, o autor diz o que aconteceu; depois, quando aconteceu; em seguida, onde aconteceu; ao final, ele diz por
que aconteceu.
b) Primeiro, o autor diz quando aconteceu; depois, o que aconteceu; em seguida, por que aconteceu; ao final, ele diz
onde aconteceu.
c) Primeiro, o autor diz o que aconteceu; depois, por que aconteceu; em seguida, onde aconteceu; ao final, ele diz
quando aconteceu.
d) Não há sequência de ideias no texto.

12- Quem é o suspeito de ter provocado a queda da gota de orvalho?

a) O Cristo Redentor. b) Os poetas. c) O vento. d) Os pichadores.

13- Releia estes versos:

consoláveis. Testemunha
presenciou a queda: “Horrível!
Ela se evaporou na metade do caminho!”

A quem se refere a palavra ela no último verso?

a) À testemunha. b) À polícia. c) À gota de orvalho. d) À noite.

14- Releia estes versos:

Os meteoro-
logistas, os poetas e
os passarinhos choram in-
consoláveis. Testemunha

Assinale a alternativa incorreta:

a) Nesses versos, a palavra inconsoláveis é o adjetivo que caracteriza meteorologistas, poetas e passarinhos.
b) O antônimo da palavra inconsolável é inconformado.
c) Na palavra inconsoláveis, in- é um prefixo que significa “não”.
d) A palavra inconsolável significa não consolável, sem alívio, sem conforto, inconformado.

16- Escolha um poema da sua coletânea, transcreva-o no espaço abaixo e responda:


a) Há quantos versos e quantas estrofes?
____________________________________________________________________
b) Transcreva um par de rimas. ____________________________________________________________________________
c) Explique por que trata-se de um texto literário.
_____________________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________________________
d) Sublinhe, no poema, um trecho onde encontramos linguagem figurada.
e) Ao lado da poma, faça uma ilustração que corresponda à linguagem figurada que você identificou.
f) Crie uma frase que apresente linguagem figurada. ___________________________________________________________