Você está na página 1de 16

Prof. Roberto Borges França (Dr. Eng.

ESTRUTURAS DE AÇO
Introdução
VANTAGENS

•Alta capacidade de resistência à


tração, compressão e flexão
•Mais leve que o concreto
•Maior precisão nas dimensões e
propriedades do material
•Material homogêneo
•Montagem rápida e mecanizada
•Desmontagem e reutilização
•Reforço ou substituição de peças
•Resistência ao choque e vibrações
•Reaproveitamento de material
DESVANTAGENS

•Suscetibilidade à corrosão, necessita


tratamento superficial
•Necessidade de manutenção
•Limitações devido ao transporte
•Necessidade de mão de obra e
equipamentos especializados
•Limitação no fornecimento
de perfis
Produtos de aço para uso estrutural

BARRAS

CHAPAS
PERFIS DE CHAPAS DOBRADAS
PERFIS LAMINADOS
PERFIS SOLDADOS

Perfil CVS Perfil VS


Perfil CS
(Coluna Viga Soldada) (Viga Soldada)
(Coluna Soldada)
d/bf≈1,5 d/bf≈2
d/bf≈1
Entidades normativas para o projeto e cálculo de
estruturas de metálicas

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas

AISC – American Institute of Steel Construction


ANSI – American National Standards Institute
ASTM – American Society for Teesting and Materials

DIN – Deutsch Industrie Normen

AFNOR – Association Française de Normalisation


Normas técnicas

NB 14 – NBR 8800 – Projeto e execução de estruturas de aço de


edifícios

NBR 8681 – NB 862 – Ações e segurança nas estruturas


NBR 6120 – NB5 – Cargas de cálculo de estruturas de edifícios
NBR 6123 – NB 599- Forças devidas ao vento em edificações
NBR 14323 – Dimensionamento de Estruturas de aço de
edifícios em situação de incêncio
DIAGRAMA TENSÃO X DEFORMAÇÃO DE AÇOS DÚCTEIS
Características do aço coberto pela NBR 8800:

-Resistência ao escoamento
fy≤ 450 Mpa

-Relação entre as resistência à ruptura e ao escoamento


não inferior a 1,18

fu/fy≥ 1,18
-Peso específico ⇒γa = 77 kN/m3

-Módulo de elasticidade longitudinal ⇒ E = 205.000MPa


-
-Coeficiente de Poisson ⇒ νa = 0,3

-Módulo de elasticidade transversal ⇒ G ≈ 78.850MPa


-
- Coeficiente de dilatação térmica linear ⇒ β = 12 x 10-6/ºC
Propriedades dos aços estruturais

Ductibilidade: capacidade de se deformar sob a ação de cargas


Fragilidade: o oposto da ductibilidade. O material rompe sem
apresentar deformações (baixas temperaturas, choque, estado
triplo de tensões)
Resiliência: capacidade de absorver energia mecânica quando no
regime elástico
Tenacidade: capacidade de absorver energia mecânica com
deformações elásticas e plásticas
Dureza: resistência ao risco e abrasão
Fadiga: devido a carregamentos repetitivos pode haver ruptura em
tensões inferiores àquelas correspondentes a esforços estáticos
Corrosão: reação do aço com elementos presentes no ambiente
Tipos de Aço
MR-250 (ASTM A-36)
fy= 250 MPa (escoamento)
fu = 400 MPa (ruptura) aço estrutural comum
% máxC = 0,26%

AR-350 (ASTM A-572 Gr50)


fy= 350/345 MPa (escoamento)
fu = 450 MPa (ruptura) aço de alta resistência
% máxC = 0,23% mecânica e baixa liga
% máxMn= 1,35%

AR-350 COR(ASTM A-588 / COR-500)


fy= 350/345 MPa (escoamento)
fu = 450 MPa (ruptura)
% máxC = 0,17%
% máxMn= 1,20% aço de alta resistência mecânica, baixa liga,
% máxNi= 0,40% e elevada resistência à corrosão atmosférica
Si, Cr, Mo, Cu, V, Nb...
Estados Limites

Estados Limites Últimos -ELU:

Correspondem à ruína parcial ou total da estrutura

Estados Limites de Serviço (ou de utilização):

A estrutura não se presta mais à finalidade para a


qual foi projetada. Grandes deslocamentos,
vibrações e deformações permanentes.
Regra Básica de Dimensionamento

Item 4.6.3.2 da NBR-8800:2008

Sd <= Rd

Sd: Solicitação de Cálculo.


Rd: Resistência de Cálculo.
Referências

NBR 8800:2008 –Projeto de Estrutura de Aço e de Estrutura


Mista de Aço e Concreto de Edifícios

PFEIL, Walter, PFEIL, Michèle, Estruturas de aço:


Dimensionamento prático. 8aed., Ed. LTC, 2009

PINHEIRO, Antonio Carlos F B, Estruturas metálicas: Cálculo,


detalhes, exercícios e projetos. 2ª. Ed. Blucher, 2012

CHAMBERLAIN,Z.; FICANHA, R.; FABEANE,R., Projeto e cálculo


de Estruturas de aço, Rio de Janeiro, Elsevier Editora Ltda, 2013.

ANDRADE, S; VELLASCO, P; Comportamento e projeto de


estruturas de aço, Rio de Janeiro, Elsevier Editora Ltda, 2016.