Você está na página 1de 29

Universidade Eduardo Mondlane

Faculdade de Engenharia – DEEL


Licenciatura em Engenharia Eletrónica – 3º ano -Diurno
Eletrónica Analógica II

Osciladores Sinusoidais LC

Docente:
Eng.º Adélio Francisco Tembe, MSc.
Bibliografia

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 2


Osciladores Sinusoidais

Devem possuir um dispositivo ativo (transistor, amplificador


operacional) capaz de proporcionar ganho (amplificar);

Devem possuir uma malha responsável pela estabilidade em


frequência;

Devem possuir um sistema de controle de amplitude.

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 3


Quais as Condições para existência de
oscilação??

Realimentação positiva: o sinal de realimentação deve


1
voltar em fase com o sinal de entrada.
No início o ganho de voltagem global do circuito deve ser maior
2 do que 1: o ganho do amplificador deve ser suficiente para
superar as perdas associadas com qualquer rede de
realimentação seletiva em relação à frequência.
frequência.

constante:: Depois de se
A amplitude das oscilações deve ser constante
3 atingir o nível desejado de saída das oscilações o ganho global do
circuito deve ser reduzido a unidade.

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 4


Tipos de osciladores

Deslocamento de Fase
Baixa Frequência (RC)
Até 1 MHz Ponte de Wien

Duplo -T

Alta Frequência e Colpitts


Tipos de
Frequência Variável (LC) Hartley
Osciladores
De 1MHz a 500Mhz Outros (Clapp, ...)
Colpitts
Alta Frequência e Hartley
Frequência Fixa (a cristal)
Pierce
Outros (Clapp, ...)
MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 5
Condições de Oscilação e de estabilidade de
frequência e amplitude

Critério de Barkhausen
Critério de Nyquist
Critério do Diagrama das Raízes de Evans
Critério do Determinante Nulo

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 6


Oscilação em osciladores

Amplificador – α – circuito de amplificação de sinais, ativo, formado por


transistores e/ou amplificadores operacionais.

Rede de realimentação – β – circuito de realimentação, normalmente com


elementos passivos (resistores, capacitores e indutores).

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 7


Funcionalidade

A principal função de um oscilador é a de transformar energia


contínua em energia alternada sem necessitar de qualquer excitação
exterior.
O espectro do seu sinal de saída deve conter apenas a frequência
fundamental, para a qual o circuito foi dimensionado.

Ao ligar a fonte de alimentação do oscilador, apenas a frequência


fundamental, presente no ruído de entrada, é amplificada originando
o início das oscilações e o seu crescimento até atingirem o limite
imposto pelo circuito devido à sua não linearidade.

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 8


Oscilador LC
Este tipo de oscilador é baseado no princípio de funcionamento da
seguinte malha de impedâncias:

Z1
vr = vo
Z1 + Z 3

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 9


Oscilador LC

Basicamente as impedâncias são substituídas por indutores e


capacitores:

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 10


Oscilador Colpitts

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 11


Oscilador Colpitts - Frequência

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 12


Oscilador Colpitts - Ganho

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 13


Oscilador Colpitts Com BJT

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 14


Oscilador Colpitts Com BJT

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 15


Oscilador Colpitts Com BJT

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 16


Oscilador Clapp com AmpOp

É uma versão melhorada do


oscilador Colpitts com o
objetivo principal de manter
a estabilidade da frequência
de ressonância, assim que
esta não sofra muita
influencia dos outros
elementos do circuito tal
como as capacitâncias
parasitas.

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 17


Oscilador Clapp com AmpOp

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 18


Oscilador Clapp com AmpOp

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 19


Oscilador Clapp com BJT

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 20


Oscilador Clapp com BJT

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 21


Oscilador Hartley

É baseado no mesmo
princípio do oscilador de
Colpitts, porém fazendo a
troca de capacitores por
indutores e vice-versa.

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 22


Oscilador Hartley

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 23


Oscilador Hartley

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 24


Oscilador Hartley com BJT

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 25


Oscilador Hartley com BJT

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 26


Oscilador Armstrong

É baseado no mesmo
princípio de indutores
e capacitores, porém
os indutores são parte
de um transformador.

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 27


Oscilador Armstrong

M é indutância mútua entre os enrolamentos acoplados e k é o fator


de acoplamento.

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 28


Oscilador Armstrong

MSc. Eng.º Adélio Francisco Tembe 29