Você está na página 1de 51

Desafios Educacionais

para a Docência Superior

Núcleo Comum
Ementa
• Apresentar, por meio de um percurso histórico, as características constitutivas da
profissão docente, com vistas a explicitação da identidade profissional em atenção às
necessidades contemporâneas, numa perspectiva reflexiva. Nesse âmbito, deve-se
compreender os desafios presentes no exercício profissional voltados à diversidade
de gêneros e no cômputo da inclusão social dos PNEs, bem como promover uma
análise crítica e discussão do fenômeno educativo, considerando as relações entre
educação e sociedade a partir de uma reflexão teórica, enfocando os desafios
educacionais contemporâneas, na instrumentalização do aluno à compreensão de
sua formação prática como educador e para o enfrentamento teórico-prático das
principais questões relativas à educação brasileira, numa perspectiva crítica e
transformadora.
• MÓDULO 1 Sumário
A Universidade e a Sociedade do Conhecimento
• MÓDULO 2
Docência no Ensino Superior
• MÓDULO 3
Acesso, expansão e equidade na Educação Superior
• MÓDULO 4
Novos desafios para o Ensino Superior: exigências à docência universitária
• MÓDULO 5
Programas de formação de professor
• MÓDULO 6
• Desafios da Sociedade e do Conhecimento
Módulo I
A Universidade e a Sociedade do Conhecimento

• No presente módulo, abordaremos a relação entre


a universidade e a sociedade do conhecimento.
Para tanto, no primeiro momento estudaremos a
função que a universidade tem para a construção
do conhecimento, bem como as mudanças pelas
quais a universidade passou ao longo do tempo;
em seguida, trataremos do conhecimento nas três
dimensões específicas da instituição acadêmica: no
ensino; na pesquisa e na extensão.
✓Na sequência, discutiremos as contribuições das
diretrizes da UNESCO para a produção do
conhecimento visando à promoção social. Por fim,
debateremos a importância do termo técnico-científico
para definir a relação entre universidade e sociedade
do conhecimento.

✓O conhecimento passou por um progresso ao longo do


tempo e adquiriu importância central na sociedade
contemporânea.

✓Essa evolução foi acompanhada de perto pela


universidade que se incumbiu do trabalho de criar,
transformar e disseminar o próprio conhecimento.
✓No que diz respeito à educação superior é preciso
estabelecer uma série de fundamentos que
permitam o acesso dos alunos a esse patamar de
ensino, relacionando-o sempre com a sociedade do
conhecimento.

✓O primeiro fundamento refere-se ao objetivo que


se espera com o ensino superior que para além de
formar pessoas responsáveis e altamente
qualificadas, deve se ater às necessidades da
sociedade que está inserido.
✓Outro fundamento importante para a educação
superior está no estabelecimento do vínculo com os
demais níveis de educação, especialmente a educação
secundária, pois a educação superior não tem uma
finalidade em si mesma, ela depende do aprendizado
adquirido anteriormente para se firmar.

✓Além disso, a universidade não deve fazer distinção


entre os formandos da educação secundária, tendo em
vista que todo indivíduo, sem discriminação, pode ter
acesso à educação superior. Para aprofundar mais a
análise da inserção da universidade no domínio da
“sociedade do conhecimento” é preciso compreender
as relações internas e externas da universidade (como a
divisão de sua estrutura em pesquisa, ensino e
extensão), bem como as mudanças que essas relações
sofreram ao longo de sua existência no século XI.
✓O conhecimento é imprescindível na sociedade
contemporânea.

✓Cabe a universidade o papel de criar, transformar e


disseminar o conhecimento.

✓A universidade deve se adequar as necessidades da


sociedade preparando o estudante para o mercado
de trabalho.
✓O vínculo entre universidade e educação
secundária deve ser estimulado.

✓A universidade passou por diversas fases desde sua


criação, mas a busca pelo conhecimento científico e
autônomo sempre esteve presente.

✓O conhecimento produzido na educação superior


depende da sociedade, e ao mesmo tempo, impõe
sobre ela o progresso.
✓A relação do conhecimento nas três dimensões da
instituição acadêmica: ensino; pesquisa e extensão.

✓A “Declaração Mundial sobre Educação Superior:


Vida e Ação” da UNESCO, em 1998, estabeleceu
metas para a diminuição da desigualdade no acesso
à universidade.

✓Mudança de paradigma: a Universidade no século


XX estreita a relação com a sociedade e passa a
produzir conhecimento voltado para as
necessidades da mesma.
✓O saber acadêmico voltado para a ciência sem
aplicabilidade praticamente inexiste na sociedade.

✓O objetivo de um experimento científico é


condição para a existência da sociedade do
conhecimento.

✓O termo conhecimento técnico-científico trata


desse conhecimento utilitário, compreendendo que
o estudo científico é produzido para ser utilizado
como ferramenta no meio social.
✓A autonomia da universidade é transformada pelo
conceito de sociedade do conhecimento.

✓A dependência entre universidade e sociedade do


conhecimento gera significativa redução do tempo
para a pesquisa.
Módulo II
DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR
• CONCEITUANDO DOCÊNCIA ...
• O termo “docência” pode ser apresentado comumente nos dicionários
como: ação de ensinar; exercício do magistério ou simplesmente como
qualidade do profissional que ministra aulas. Entretanto, essas definições do
senso comum e/ou de algumas concepções teóricas podem provocar certo
desmerecimento ou desvalorização da profissão docência, visto que é
considerada por certas ciências como uma atividade humana que promove
o desenvolvimento social, profissional individual e coletivo
➢ ATIVIDADE COMPLEXA

➢ MEDIADA

➢ RELACONAL E INTERACIONAL

➢ CONFLITUOSA
ESCOLA = ESPAÇO DE FORÇAS ANTAGÔNICAS
• FORMAÇÃO PEDAGÓGICA FRENTE À PROFISSÃO DOCENTE ...

✓ FORMAÇÃO ESPECÍFICA PEDAGÓGICA ENQUANTO DIMENSÃO


IMPRESCINDÍVEL À PROFISSÃO ;

✓ AO CONSIDERAR A DIMENSÃO HUMANA DA DOCÊNCIA É PRECISO LEVAR


EM CONTA A SUA DIMENSÃO HISTÓRICA E SOCIAL;

✓ FORMAÇÃO DA IDENTIDADE DOCENTE


FORMAÇÃO PEDAGÓGICA FRENTE À PROFISSÃO DOCENTE ...
IDENTIDADE DOCENTE

A IDADE DA VOCAÇÃO:
• PEDAGOGIA BASEAVA-SE NA RELIGIÃO.
SEC. XVI AO SÉC. XVII.

A IDADE DO OFÍCIO: • ASCENSÃO DO ESTADO, A PROFISSÃO DOCENTE


A PARTIR DO SÉC. XIX. PASSA A INTEGRAR A ESTRUTURA DO ESTADO.

A IDADE DA PROFISSÃO: • DEFINIÇÃO DE PROFISSÃO: CONHECIMENTO


CIENTÍFICO, FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA,
SEGUNDA METADE DO PROFISSÃO RECONHECIDA (DEFESA DOS DIREITOS
SÉC. XX. PÚBLICOS), ÉTICA PROFISSIONAL.
• DESAFIOS PARA DOCÊNCIA DO SÉC XXI – PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO
✓ OFERECER EDUCAÇÃO BÁSICA DE QUALIDADE PARA TODOS. PARA O PNE ESTA AÇÃO ESTÁ
NAS MÃOS DAS IES, VISTO QUE A ESSAS INSTITUIÇÕES COMPETEM PRIMORDIALMENTE À
FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO;

✓ FORMAR OS QUADROS PROFISSIONAIS, CIENTÍFICOS E CULTURAIS DE NÍVEL SUPERIOR,


OU SEJA, A PRODUÇÃO DE PESQUISA E INOVAÇÃO, A BUSCA DE SOLUÇÃO PARA OS
PROBLEMAS ATUAIS COM O OBJETIVO DE PROJETAR A SOCIEDADE PARA UM FUTURO
MELHOR;

✓ INCLUIR NAS DIRETRIZES CURRICULARES DOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE DOCENTE


TEMAS RELACIONADOS ÀS QUESTÕES DE GÊNERO, EDUCAÇÃO SEXUAL, ÉTICA (JUSTIÇA,
DIÁLOGO, RESPEITO MÚTUO, SOLIDARIEDADE E TOLERÂNCIA, PLURALIDADE CULTURAL,
MEIO AMBIENTE, SAÚDE E TEMAS LOCAIS);

✓ VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO. ATENÇÃO ESPECIAL DEVERÁ SER DADA


À FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA, EM ESPECIAL DOS PROFESSORES. FAZ PARTE
DESSA VALORIZAÇÃO A GARANTIA DAS CONDIÇÕES ADEQUADAS DE TRABALHO, ENTRE
ELAS O TEMPO PARA ESTUDO E PREPARAÇÃO DAS AULAS, SALÁRIO DIGNO, COM PISO
SALARIAL E CARREIRA DE MAGISTÉRIO.
• AO ANALISARMOS O TRABALHO DOCENTE PRECISAMOS
NOS DAR CONTA QUE ELE É CONSTITUÍDO POR VÁRIOS
ELEMENTOS. DENTRE ELES ESTÃO O TRABALHO PRESCRITO, O
REALIZADO E O “REAL DA ATIVIDADE DOCENTE”. ESTE
ÚLTIMO, POR SUA VEZ, REFERE-SE A TUDO QUE O PROFESSOR
REALIZA PARA CUMPRIR SUA ATIVIDADE DOCENTE, MAS
TAMBÉM AO QUE ELE É IMPEDIDO DE FAZER POR CAUSA DOS
IMPEDIMENTOS (INTERNOS E EXTERNOS)...
ALGUMAS QUALIDADES DE UM BOM PROFESSOR

✓ SER UM BOM PROFESSOR É TER A PREOCUPAÇÃO EM APROXIMAR TEORIA E


PRÁTICA;

✓ POSSUIR COMPETENCIA TECNICA ATRELADA A SUA ÁREA DE ATUAÇÃO;

✓ BOM PROFESSOR É AQUELE QUE SABE ENSINAR, QUE SABE FAZER APRENDER”,
QUE SE UTILIZA DE VARIADAS ESTRATÉGIAS A PARTIR DO CONHECIMENTO
COTIDIANO DO ALUNO PARA ENSINAR UM NOVO CONHECIMENTO;

✓ COMPREENDER QUE O CONHECIMENTO É CRIADO E RECRIADO PELO ALUNO E


PELO PROFESSOR, REJEITANDO UMA PERSPECTIVA MECANICISTA DE
TRANSMISSÃO DO CONHECIMENTO (PRONTO E ACABADO). ASSIM O
CONHECIMENTO É RESULTADO DE UMA CONSTRUÇÃO CONJUNTA ENTRE
PROFESSOR E ALUNOS.
Módulo III - ACESSO, EXPANSÃO E EQUIDADE NA EDUCAÇÃO
SUPERIOR
Dentre as questões voltadas ao processo de expansão do acesso ao ensino
superior, destacam-se o processo de “globalização e a sociedade do
conhecimento e da informação”. Estes elementos podem servir de ferramentas
para impulsionar o acesso ao ensino superior, pois contribuem para o
desenvolvimento do país, exponenciando as novas tecnologias de informação e
comunicação (TIC), revelando assim, uma verdadeira evolução política, social,
econômica e cultural (Neves et al. 2007).
✓ SOCIEDADE
✓ GLOBALIZAÇÃO
✓ CONHECIMENTO
✓ INFORMAÇÃO
• Frente às necessidades e emergências do mundo
contemporâneo, mais especificamente, em relação à
sociedade brasileira, podemos destacar a importância do
processo de democratização do acesso ao ensino superior, o
qual deve se dar pelos processos de extensão e equidade.

• Junto a eles estão fatores que contribuem para a


“revalorização do conhecimento”, tais como: o processo de
globalização; a sociedade do conhecimento e da
informação e, principalmente o papel da educação, pois
reflete no desenvolvimento humano, social, cultural e
político.
• A EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR: EQUIDADE COMO

RELEVÂNCIA SOCIAL

• POLÍTICAS PÚBLICAS AFIRMATIVAS E DE INCLUSÃO SOCIAL NO


PROCESSO DE EXPANSÃO AO ENSINO SUPERIOR
➢ Retomada do crescimento do número de IES públicas, de modo a aumentar a oferta de vagas
públicas através da criação de novas universidades;

➢ Consolidação daquelas que estavam em processo de instalação;

➢ Ampliação dos campos já existentes;

➢ Ampliação do programa de crédito educativo (Fundo de Financiamento ao estudante de Ensino


Superior - FIES); Destaca-se especialmente, o Programa Universidade para Todos (PROUNI);

➢ Implantação de políticas afirmativas, com a reversa de cotas para estudantes negros e um sistema
especial de reserva de vagas para alunos egressos de escolas públicas;
O processo de expansão do acesso ao ensino superior se deu de forma gradativa e
com a intervenção de políticas públicas, tais como medidas afirmativas e de
inclusão social para que houvesse a universalização da educação superior. No
entanto, tais medidas não conseguiram garantir a chamada “educação de
qualidade” como também a equidade nesse nível de ensino.

✓ ACESSO

✓ PERMANÊNCIA

✓ QUALIDADE
• ACESSO E EQUIDADE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

• O termo “equidade” em seu sentido mais amplo significa igualdade


para todos.

• No contexto educacional diz respeito ao direito que os alunos têm em


poder ter acesso aos vários níveis de ensino, independente de suas
condições sociais, etnias, crenças e outras condições que podem causar
a exclusão desses educandos no contexto educacional
• ACESSO E EQUIDADE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR
• O significado de equidade na educação brasileira não pode ser confundido com o número
excedente de matrículas que crescem a cada ano nas universidades e IES, pois se sabe que
existe uma facilidade muito grande ao acesso no ensino superior pela “indústria da educação”

• Mesmo com políticas públicas governamentais que tentam facilitar o acesso de alunos de classe
menos privilegiada no ensino superior para diminuir a desigualdade social enfrentada por esses
ingressantes, não é possível garantir a permanência desses alunos e nem mesmo à desejada
educação de qualidade superior
Módulo IV - NOVOS DESAFIOS PARA O ENSINO SUPERIOR:
EXIGÊNCIAS DA DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA

• BREVE
RETROSPECTIVA HISTÓRICA
✓DÉCADA DE 60 – Transformações sociais,
políticas e culturais

✓DÉCADA DE 70 – Interesses econômicos


exigiam qualificação profissional

✓DÉCADA DE 80 – Mudanças sociais, novas


demandas tecnológicas
PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO- PNE 2014-2024
METAS E ESTRATÉGIAS
✓AUMENTAR A MATRÍCULA NO ENSINO SUPERIOR PARA
50 % (CINQUENTA POR CENTO) E QUE OS JOVENS DE 18
(DEZOITO) E 24 (VINTE E QUATRO) ANOS TENHAM A
GARANTIA DE 40 % (QUARENTA POR CENTO) DA
OFERTA NO SETOR PÚBLICO.

✓ EXPANDIR A QUANTIDADE DE MESTRES E DOUTORES


NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR- IES PRIVADAS
E PÚBLICAS EM 75 % (SETENTA E CINCO POR CENTO) E
DENTRO DESSA SOMATÓRIA TER NO MÍNIMO 35 %
(TRINTA E CINCO POR CENTO) DE DOCENTES
DOUTORES.
PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO- PNE 2014-2024
METAS E ESTRATÉGIAS

✓GARANTIR A FORMAÇÃO NA MODALIDADE DE ENSINO DE


PÓS-GRADUAÇÃO, 50 % (CINQUENTA POR CENTO) DOS
DOCENTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA ATÉ 2024, ÚLTIMO ANO
DO PLANO DECENAL (2014 A 2024). E SIMULTANEAMENTE
GARANTIR FORMAÇÃO CONTINUADA A TODOS OS
PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO.

✓ NO PERÍODO DE 2 (DOIS) ANOS PROMOVER O PLANO DE


CARREIRA DOS DOCENTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA E
SUPERIOR PÚBLICA EM TODAS AS MODALIDADES DE
ENSINO.
Módulo V - PROGRAMAS DE FORMAÇÃO
DE PROFESSOR
CONTEXTO HISTÓRICO

• SAVIANI (2009, P. 148) AO CONCLUIR SEU BREVE HISTÓRICO SOBRE AS


MUDANÇAS OCORRIDAS NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DOCENTE NO BRASIL
NOS ÚLTIMOS SÉCULOS, APONTA QUE ESSAS MUDANÇAS REVELAM UM
QUADRO DE DESCONTINUIDADE, MESMO SEM RUPTURAS. QUANTO À
QUESTÃO PEDAGÓGICA QUE NÃO TINHA UM PAPEL EFETIVO NO INÍCIO DOS
CURSOS DE FORMAÇÃO NO BRASIL, AOS POUCOS FOI GANHANDO ESPAÇO
ATÉ ASSEGURAR UMA POSIÇÃO CENTRAL NOS ENSAIOS DE REFORMAS DA
DÉCADA DE 1930. NO ENTANTO, SEGUNDO O AUTOR (2009), ATÉ HOJE, NÃO
SE ENCONTROU UM ENCAMINHAMENTO SATISFATÓRIO.
ASPECTOS TEÓRICOS
• Neste contexto, surgiram dois modelos contrapostos de formação de
professores

➢ Modelo dos conteúdos culturais-cognitivos: a formação do professor


se esgota na cultura geral e no domínio específico dos conteúdos da
área de conhecimento correspondente à disciplina que irá lecionar.

➢ Modelo pedagógico-didático: contrapondo-se ao modelo anterior,


considera que a formação do professor só se completa com o efetivo
preparo pedagógico-didático.
➢ Dentre todas as questões sobre a formação docente, discutidas por Saviani (2009), estão
as que se referem aos problemas das condições de trabalho do professor, as quais
envolvem a carreia docente, incluindo as questões de salário e de jornada.

➢ As condições precárias de trabalho não apenas neutralizam a ação dos professores, como
ainda, dificultam a boa formação, pois operam como um fator que desestimula a procura
pelos cursos de formação docente e à dedicação aos estudos. Tanto para garantir uma
formação consistente como para assegurar condições adequadas de trabalho. Assim, é
preciso estar pronto para os grandes desafios encontrados em uma sociedade classificada
como “sociedade do conhecimento”, marcada por políticas públicas predominantes que
se pautam na redução de custos, cortes de investimentos e por um discurso generalizante
que não valoriza a educação como máxima prioridade (SAVIANI, 2009).
PROGRAMA NACIONAL DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA
PROFESSORES

✓ FORMAÇÃO NO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA : curso presencial de


dois anos para os professores alfabetizadores. Este curso é voltado à melhoria da qualidade do
ensino no ciclo de alfabetização.

✓ PROINFANTIL: curso em nível médio, à distância, na modalidade Normal. Destinado a


professores de educação infantil, que atuam em creches e pré-escolas das redes públicas e da
rede privada, sem fins lucrativos, que não possuem a formação específica para o magistério.

✓ PARFOR (Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica): induz e fomenta a


oferta para a educação superior, gratuita e de qualidade, para professores em exercício na rede
pública de educação básica. O objetivo é oferecer a estes profissionais da educação a formação
exigida pela LDB que contribui para a melhoria da qualidade da educação básica no Brasil.
✓ PROINFO INTEGRADO : é um programa de formação voltado para o uso
didático-pedagógico das Tecnologias da Informação e Comunicação.

✓ E- PROINFO: é um ambiente virtual colaborativo de aprendizagem que


permite a concepção, administração e desenvolvimento de diversos
tipos de ações, como cursos à distância, complemento a cursos
presenciais, projetos de pesquisa, projetos colaborativos e diversas
outras formas de apoio à distância e ao processo ensino-aprendizagem.

✓ PRÓ - LETRAMENTO: é um programa de formação continuada de


professores para a melhoria da qualidade de aprendizagem da
leitura/escrita e matemática nos anos/séries iniciais do ensino
fundamental.

✓ GESTAR II : o Programa Gestão da Aprendizagem Escolar oferece


formação continuada em língua portuguesa e matemática aos
professores dos anos finais (do sexto ao nono ano) do ensino
fundamental em exercício nas escolas públicas. O programa inclui
discussões sobre questões prático-teóricas e busca contribuir para o
aperfeiçoamento da autonomia do professor em sala de aula.
MÓDULO VI: Desafios da Sociedade e do
Conhecimento
✓ No sexto módulo “Desafios da Sociedade e do
Conhecimento”, discutiremos sobre os desafios da
sociedade e do conhecimento.

✓ Para tanto, no primeiro momento estudamos a diferença


entre o conceito de informação e conhecimento; em
seguida, tratamos dos aspectos de composição da
sociedade do conhecimento e da importância do sistema
educacional para a produção do conhecimento enquanto
matéria-prima produtiva.

✓ Para concluir, abordamos a formação docente na sociedade


do conhecimento, bem como o desenvolvimento da
criatividade e do pensamento crítico.
✓A informação é a matéria-prima responsável pela
composição do conhecimento, assim a produção de
conhecimento se dá essencialmente pela produção de
informação. E a informação se mostra como uma
interpretação mais fidedigna possível de um algum
fato.

✓A internet democratizou a Sociedade da Informação,


que posteriormente passou a se chamar Sociedade do
Conhecimento. Esta sociedade caracteriza-se como
produtora e distribuidora de conhecimento a todo o
momento.
• Os desafios da sociedade do conhecimento e das novas
tecnologias:

✓ A informação é matéria-prima, ou seja, tecnologia para agir sobre a


informação, e não apenas informação para agir sobre a tecnologia.

✓ A penetrabilidade dos efeitos das novas tecnologias.

✓ A lógica de redes em qualquer sistema ou conjunto de relações, usando


essas novas tecnologias da informação.

✓ A flexibilidade.

✓ A crescente convergência de tecnologias.


✓Para a utilização da informática na prática docente é
necessário não confundir o controle e o entendimento
dos conceitos com sua manipulação.

✓A atual conjuntura leva o professor a deparar-se com


um cenário de múltiplas faces que aproxima variados
campos de saberes e também se caracteriza pela
velocidade de mudança e construção de
conhecimento. Devido à abrangência ilimitada das
novas tecnologias é preciso que o professor esteja
sempre em constante atualização e aperfeiçoamento
profissional.
A inclusão de práticas tecnológicas ao exercício da
docência se mostra fundamental, pois é partir da
vivência do cotidiano e do conhecimento de
ambiente que se constrói a prática docente, os
saberes que afloram da experiência são validados
por esta. Os conhecimentos emergidos a partir da
experiência podem se incorporar a esta e tornarem-
se hábito e habilidades. Através dessas novas
habilidades que o docente pode avaliar o
conhecimento que se constrói, se são pertinentes à
realidade experenciada.
✓A oportunidade de criar conhecimento resulta numa
atitude democrática e de transformação social no
intuito de gerar a possibilidade de visibilidade recebida
pelos produtores de conteúdo.
✓O conhecimento passa por uma mudança do modelo
de produção em que a qualidade é mais valorizada em
relação à quantidade produzida (sistema de produção
industrial).
✓Na sociedade do conhecimento, a formação
profissional depende de uma mudança no sistema
educacional.
✓Ao nos referirmos a democratização do conhecimento
não podemos deixar de abranger a dimensão
ideológica a ela inerente, isso porque, qualquer que
seja a tecnologia adotada para a produção e a
divulgação de informação e de conhecimento.

✓Nessa perspectiva, as tecnologias da informação e da


comunicação promoveriam o acesso ilimitado aos
recursos e a diferentes linguagens que emanam com as
tecnologias.

✓Por essa razão, é necessário um novo perfil de


professor que saiba atuar criticamente com tecnologias
e compreenda as mudanças que o uso delas imprime
em sua prática pedagógica.
✓Os novos métodos e tecnologias incidem
diretamente sobre a formação do corpo docente.
Os professores precisam ter domínio sobre as
variadas ferramentas tecnológicas no meio
educacional.

✓A produção do conhecimento está cada vez mais


atrelada à tecnologia. Neste cenário, o professor
torna-se um insaciável consumidor de
conhecimento.
✓A ação do docente se dá por meio de análises e
argumentações, suas ações são reflexivas e
atreladas ao contexto, observando as dificuldades
presentes e agindo como um ator reflexivo-
argumentativo.

✓A formação de professores deve passar pela


reflexão sobre a própria prática docente, o
estabelecimento de uma nova cultura tecnológica
e a gestão dos processos de aprendizagem.