Você está na página 1de 246

A FÓRMULA DA ARQUITETURA

EM CONTAINERS

VERSÃO PRESENCIAL
FLORIPA – MAIO/19
QUEM SOU EU?
COMO VIM PARAR AQUI?
APRESENTAÇÃO DO CURSO
COMO VOU ME BENEFICIAR?
PROGRAMAÇÃO
DIA 01 - 15/03 DIA 02 - 16/03

13:00 Welcome Coffee 13:00 Welcome Coffee


13:15 Apresentações 13:15 Fundação
13:30 Apresentacao do curso - como vai se beneficiar 13:30 Fundação
13:45 Historia da arquitetura modular e em container 13:45 Serralheria
14:00 Arquitetura como produto 14:00 Serralheria
14:15 Apresentação da arquitetura em container 14:15 Serralheria
14:30 Vantagens/desvantagens 14:30 Pintura
14:45 Principais objeções 14:45 Pintura
15:00 Mercado 15:00 Pintura
15:15 Custo e Financiamentos possiveis 15:15 Instalações - Terreno
15:30 Passo a Passo - Terreno 15:30 Instalações -
EXPO CONTAINER CITY

EXPO CONTAINER CITY


15:45 Projeto - Contratacão de um arquiteto 15:45 Instalações -
16:00 Coffee Break 16:00 Coffee Break
16:15 Coffee Break 16:15 Coffee Break
16:30 PN ou Briefing 16:30 Isolamento e acabamento
16:45 Projeto 16:45 Isolamento e acabamento
17:00 Projeto 17:00 Isolamento e acabamento
17:15 Projeto 17:15 Esquadrias
17:30 Projeto 17:30 Esquadrias
17:45 Aprovacão e documentação 17:45 Telhado e Impermeabilizacao
18:00 Planejamento - Orçamento e cronograma 18:00 Telhado e Impermeabilizacao
18:15 Planejamento - Orçamento e cronograma 18:15 Manutenção
18:30 Coffee Break 18:30 Manutenção
18:45 Coffee Break 18:45 Coffee Break
19:00 Modelos de containers 19:00 Estudo de caso 1
19:15 Modelos de containers 19:15 Estudo de caso 2
19:30 Cuidados na seleção 19:30 Estudo de caso 2
19:45 Documentação - Nacionalização e laudo de descontaminação 19:45 Estudo de caso 2
20:00 Transporte dos containers 20:00 FECHAMENTO
HISTÓRIA DA ARQUITETURA
MODULAR E EM CONTAINERS
ARQUITETURA COMO PRODUTO

ARQUITETURA MODULAR PODE SER DEFINIDA


COMO UM SISTEMA COMPOSTO DE
COMPONENTES SEPARADOS QUE PODEM SER
JUSTAPOSTOS E/OU ACOPLADOS. NELA É
POSSÍVEL SUBSTITUIR OU ADICIONAR
MÓDULOS SEM AFETAR O RESTO DO SISTEMA.
ARQUITETURA MODULAR

JAPÃO – ANOS 60 - Kisho Kurokawa

“METABOLISTAS”
arquitetura mutável que pudesse ser montada e desmontada
conforme a necessidade e vontade do usuário
NAKAGIN CAPSULE TOWER
NAKAGIN CAPSULE TOWER
CRIAÇÃO DOS CONTAINERS
ANOS 50 POR
MALCOLM MACLEAN
ARQUITETURA EM CONTAINERS

→ INGLATERRA - FINAL DOS ANOS 90


UTILIZAÇÃO DE CONTAINERS E
VAGÕES DE TRENS ABANDONADOS PERTO DE
DOCAS E ESTAÇÕES DE TREM

→ BRASIL: ANOS 2000


TEMPOHOUSING – AMSTERDÃ/HOLANDA
TEMPOHOUSING – AMSTERDÃ/HOLANDA
MONTAGEM
TEMPOHOUSING – AMSTERDÃ/HOLANDA
TEMPOHOUSING – AMSTERDÃ/HOLANDA
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
Container House (2017) – Projeto: C3 UP - realtor.com
ME:OU (2015) – Projeto AB Design Studio – Foto: Jim Bartsch
La Aduana Shipping Container Apartments–Leon/Mexico
VANTAGENS DA ARQUITETURA EM CONTAINER

• OBRA MAIS LIMPA, SECA E RÁPIDA(ATÉ 1/3 DO TEMPO)


• MENOR DESPERDÍCIO DE MATERIAIS E RESÍDUOS GERADOS
• PRATICIDADE, VERSATILIDADE E FLEXIBILIDADE
• MENOS RECURSOS NATURAIS UTILIZADOS(AREIA, CIMENTO, BRITA, TIJOLOS,
AGUA, ETC...)
• SISTEMA CONSTRUTIVO SUSTENTÁVEL - USO DE MATERIAIS RECICLADOS E
RECICLÁVEIS
• MÓDULOS PRÉ FABRICADOS (AMBIENTE CONTROLADO)
• MENOR DOR DE CABEÇA - EMPRESAS ESPECIALIZADAS
• MAIOR PREVISIBILIDADE ORCAMENTÁRIA
• RETORNO DO INVESTIMENTO MAIS RÁPIDO
• MOBILIDADE
• FUNDAÇÕES MAIS RAPIDAS E BARATAS (MENOR INTERVENCÃO NO TERRENO)
• ARQUITETURA CONCEITUAL (MÍDIA EXPONTANEA)
• ESTRUTURA ALTOPORTANTE DO CONTAINER(BALANÇOS E SOBREPOSIÇÃO)
DESVANTAGENS
• DIFICULDADE DE ENCONTRAR CONTAINERS EM BOM ESTADO
• DIMENSÃO TRANSVERSAL PEQUENA PARA DETERMINADOS USOS
• OBRIGATORIEDADE DE ACESSO A CAMINHÕES, MUNKS E
GUINDASTES AO TERRENO
• ALGUMAS PREFEITURAS NÃO PERMITEM A CONSTRUÇÃO EM
CONTAINER
• INCOMPATIBILIDADE DO CODIGO DE OBRAS DE DETERMINADAS
PREFEITURAS COM AS DIMENSÕES DO CONTAINER
• CUIDADOS ESPECIAIS QUANTO AO CONFORTO TERMO-ACUSTICO
• POUCAS LINHAS DE FINANCIAMENTO
• ESCASSEZ DE BOAS EMPRESAS ESPECIALIZADAS NO MERCADO
OBRA SUJA, DESPERDÍCIOS, ATRASOS,
ESTOUROS NO ORÇAMENTO...
PRINCIPAIS OBJEÇÕES

1. Não esquenta?
2. É mais barato?
3. E quanto à durabilidade?
4. No caso de um raio atingir o container, por ser uma caixa metálica,
existe algum risco?
5. E se o container transportou material tóxico ou radioativo?
6. O material do container Reefer é inflamável?
7. Não vou me sentir oprimido dentro de um container em um espaço
tão pequeno?
8. Como é feito o transporte e instalação?
9. É seguro contra roubos?
10. Qual a estrutura necessária que eu preciso disponibilizar em meu
terreno para receber o container?
11. Que tipo de terreno pode receber uma Casa-Container?
ANÁLISE DE MERCADO

• POUCOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS QUALIFICADOS NO MERCADO


• TENDÊNCIA DA ARQUITETURA MUNDIAL
• REGIÕES PORTUÁRIAS COM MAIOR DISPONIBILIDADE DE CAIXAS
• LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SOLUÇÕES – FEIRAS, EVENTOS E MERCADO
IMOBILIÁRIO
• CONTAINERS FOODPARKS
• HABITAÇÕES PARA ESTUDANTES E ALUGUEL POR TEMPORADA
MERCADO
1- ARQUITETO, DESIGNER DE INTERIORES
2- ARQUITETO DESPACHANTE PARA ESTUDO DE VIABILIDADE CONSTRUTIVA
3- ATUAR COMO ESTAGIÁRIO, DESENHISTA E RENDER
4- ENGENHEIRO, GESTOR/EXECUTOR DO PROJETO
5- SERRALHEIRO, CARPINTEIRO, MARCENEIRO, GESSEIRO(DRYWALL), ELETRICISTA, ENCANADOR,
ACABAMENTISTA, VIDRACEIRO, PAISAGISTA, PINTOR, PEDREIRO, EMPREITEIRO, CONSTRUTOR
6- EMPRESA DE TRANSFORMAÇÃO DE CONTAINERS: VENDA DE CONTAINERS, MÓDULOS PADRÃO,
PERSONALIZADOS, LICITAÇÕES, LOCAÇÃO PARA OBRAS, FEIRAS, EVENTOS, BANHEIROS,
ESCRITÓRIOS...
7- CONSULTOR DA ÁREA
8- ÁREA COMERCIAL COMO VENDEDOR REPRESENTANDO ARQUITETOS E/OU EMPRESAS
EXECUTORAS
9- COMERCIALIZAÇÃO DE CONTAINERS
10- TRANSPORTE E LOGÍSTICA DE CONTAINERS
11- PROMOVENDO CURSOS, EVENTOS E FEIRAS NA ÁREA (MOSTRA CONTAINER, EXPO
CONTAINER CITY)
12- FOTÓGRAFO
13- AFILIADOS, MARKETING DIGITAL PARA PROFISSIONAIS/EMPRESAS DA ÁREA
14 BLOGGER, VLOGGER, HOW TO DO IT, INSPIRATIONS
15- EMPREENDEDOR/INVESTIDOR: FOOD PARKS, STREET MALLS, OPEN MALLS,
FRANQUIAS, IMÓVEIS PARA RENDA
FINANCIAMENTOS DISPONÍVEIS

ALGUMAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO E FINANCEIRAS


CUSTOS

• PADRAO DE ACABAMENTO BÁSICO R$ 1.500,00/M2

• PADRAO DE ACABAMENTO MÉDIO R$ 2.000,00/M2

• PADRAO DE ACABAMENTO ALTO R$ 2.500,00/M2 OU MAIS

* NAO INCLUÍDO TRANSPORTE E LOGÍSTICA


PASSO A PASSO

ETAPAS PROJETUAIS E CONSTRUTIVAS


DA ARQUITEURA EM CONTAINERS
ANÁLISE DO TERRENO

VERIFICAR VIABILIDADE CONSTRUTIVA


DO TERRENO QUANTO AO
ZONEAMENTO
DOCUMENTO DE VIABILIDADE DO TERRENO
ANÁLISE DO TERRENO

AVALIAR ACESSOS
LEVANTAR POSSÍVEIS OBSTÁCULOS
ÁREA DE MANOBRA
LEVANTAR POSSÍVEIS OBSTÁCULOS
PROJETO

CONTRATAÇÃO DE UM ARQUITETO
VANTAGENS DA CONTRATAÇÃO DE UM
ARQUITETO COM EXPERIÊNCIA EM
CONTAINERS

• MENOR CUSTO DE EXECUÇÃO


• MENOR RISCO DE IMCOMPATIBILIDADE PROJETUAL
• MENOR RETRABALHO
• MENOR DOR DE CABEÇA NA EXECUÇÃO
• MAIOR CELERIDADE DE EXECUÇÃO
• MENOR RISCO DE TER UMA EDIFICAÇÃO “ALEIJADA”
ESTUDO DE CASO

ANTI-EXEMPLO
PROGRAMA DE NECESSIDADES
OU
BRIEFING
IMPLANTAÇÃO E VOLUMETRIA
POSSIBILIDADE DE IMPLANTAÇÃO
POSSIBILIDADE DE IMPLANTAÇÃO
POSSIBILIDADE DE IMPLANTAÇÃO
IMPLANTAÇÃO CONTAINERS CRIANDO PÉ DIREITO DUPLO
ANTI EXEMPLO – O QUE NÃO FAZER
PROJETOS ECOEFICIENTES

PRODUZIR MAIS COM MENOS RECURSOS,


RESÍDUOS E RISCOS
VENTO PREDOMINANTE

VENTILAÇÃO CRUZADA E ORIENTAÇÃO SOLAR


CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
VENTILAÇÃO CRUZADA
VENTILAÇÃO CRUZADA
CHAMINÉ TÉRMICA
BRISES, BEIRAIS E PERSIANAS
PELÍCULAR SOLAR LOW-E
TELHADO VERDE/LAJE JARDIM
CAPTAÇÃO, TRATAMENTO E REUSO DE
ÁGUAS CINZAS E DE CHUVA
ENERGIA FOTOVOLTÁICA
AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA
MATERIAIS RECICLADOS E RECICLÁVEIS
ESPELHOS D'ÁGUA
FACHADAS VENTILADAS
APROVAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO

• PROJETO LEGAL COM REGISTRO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA (RRT);


• DOCUMENTO DE VIABILIDADE OU INFORMAÇÃO BÁSICA DO TERRENO;
• ESCRITURA OU MATRÍCULA DO TERRENO NO REGISTRO DE IMÓVEIS;
• ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA (ART) DE EXECUÇÃO DA OBRA;
• LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO OU TOPOGRÁFICO DO TERRENO;
• DOCUMENTO DE POSSE DO TERRENO(REGISTRO, ESCRITURA, MATRÍCULA,
CONTRATO DE COMPRA E VENDA OU ALUGUEL DO TERRENO);
• CPF OU CNPJ DO PROPRIETÁRIO;
• INSCRIÇÃO IMOBILIÁRIA;
• GUIAS PAGAS;
• IPTU.
PLANEJAMENTO

ORÇAMENTO E CRONOGRAMA
PLANILHA DE CUSTOS (CASA BRISE)
PLANILHA ORÇAMENTARIA CASA CONTAINER 60M2 A. INTERNA + 20M2 VARANDA ORÇAMENTO CRONOGRAMA
MÊS 01 MÊS 02
MATERIAL E MÃO DE OBRA
ITEM DESCRIÇÃO % R$ % R$
Total
1. SERVIÇOS INICIAIS R$2.000,00 100% R$2.000,00
2. PROJETO ARQUITETONICO R$10.000,00 100% R$10.000,00
3. FUNDAÇÃO R$5.000,00 100% R$5.000,00
4. CONTAINER E LOGISTICA R$22.000,00 100% R$22.000,00
5. FORROS, PAREDES E DRYWALL R$15.000,00 50% R$7.500,00 50% R$7.500,00
6. ESQUADRIAS R$18.000,00 50% R$9.000,00 50% R$9.000,00
7. SERRALHERIA R$12.000,00 100% R$12.000,00
8. IMPERMEABILIZAÇÃO R$2.000,00 100% R$2.000,00
9. REVESTIMETO DE PAREDES AREAS MOLHADAS R$2.000,00 100% R$2.000,00
10. REVESTIMETO DE PISOS R$5.000,00 100% R$5.000,00
11. PINTURA R$10.000,00 50% R$5.000,00 50% R$5.000,00
12. HIDROSSANITÁRIO R$5.000,00 50% R$2.500,00 50% R$2.500,00
13. ELETRICA R$5.000,00 50% R$2.500,00 25% R$2.500,00
14. CLIMATIZAÇÃO(INFRA AR CONDICIONADO) R$1.000,00 100% R$1.000,00
15. SERVIÇOS COMPLEMENTARES R$1.000,00 R$1.000,00
16. LIMPEZA DA OBRA R$1.000,00 100% R$1.000,00
17. ADMINISTRAÇÃO DE EXECUCAO R$10.000,00 50% R$5.000,00 50% R$5.000,00
18. IMPOSTOS R$-
19. COMISSAO R$-
MADEIRAMENTO(VARANDAS, ESCADAS, BRISES, PERGOLADO, CERCA DE FECHAMENTO E
20. DECKS) R$25.000,00 50% R$10.000,00 50% R$15.000,00
21. BANCADAS (COZINHA E BANHEIROS) R$2.000,00 100% R$2.000,00
ORCAMENTO JAN FEV

R$ 153.000,00 R$ 95.500,00 R$ 57.500,00


ITENS NAO CONSIDERADOS ÁREA CONSTRUÍDA 80M2*
1TRANSPORTE E LOGISTICA R$1.912,50
* INCLUI ÁREA INTERNA + AREA
2LUMINÁRIAS VARANDAS
3MOBILIÁRIO
4DECORAÇÃO
5APARELHOS DE AR CONDICIONADO
6BOX BANHOS
7MARCENARIA FIXA
SELEÇÃO, LOGISTICA E TRANSPORTE

MODELOS DE CONTAINER
MODELOS DE CONTAINERS
CONTAINER DRY 20'
CONTAINER REEFER 20'
ESTRUTURA DO CONTAINER
ESTRUTURA DO CONTAINER
DIMENSIONAMENTO DOS CONTAINERS
CUIDADOS NA SELEÇÃO DOS CONTAINERS
CUIDADOS NA SELEÇÃO DOS CONTAINERS
AMASSAMENTO E CORROSÃO ESTRUTURAL NO TETO
CUIDADOS NA SELEÇÃO DOS CONTAINERS
AMASSAMENTOS ESTRUTURAIS
NACIONALIZAÇÃO DO CONTAINER
NACIONALIZAÇÃO DOS CONTAINERS

NACIONALIZAR UM CONTAINER, É BASICAMENTE TORNÁ-LO UM PRODUTO QUE


ANTES ERA IMPORTADO, EM UM PRODUTO NACIONAL, PARA QUE VOCÊ CONSIGA
UTILIZÁ-LO DE ACORDO COM O EXIGIDO NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA. ESTE
PROCESSO DE NACIONALIZAÇÃO É FEITO ATRAVÉS DO RADAR (RECEITA FEDERAL), E
COSTUMA SER FEITO ATRAVÉS DE DESPACHANTES ADUANEIROS.
A NACIONALIZAÇÃO INICIA-SE PELO DOCUMENTO DE TRANSPORTE QUE É O BILL OF
LADING (CONHECIMENTO DE EMBARQUE) QUE DARÁ ORIGEM À LICENÇA DE
IMPORTAÇÃO (LI) E O DOCUMENTO DE IMPORTAÇÃO, OU SEJA, O CONTAINER ESTARÁ
APTO A SER TRANSPORTADO DENTRO DO TERRITÓRIO NACIONAL. NESTE DOCUMENTO
CONSTA A CSC (CONTAINER SAFETY CONVENTION) PLACA COM A IDENTIDADE DO
CONTAINER. O RESPONSÁVEL PELA CONFERÊNCIA DA CSC É A BUREAU INTERNATIONAL
DES CONTAINERS – BIC, QUE NO BRASIL É A CÂMARA BRASILEIRA DE CONTAINERS,
TRANSPORTE FERROVIÁRIO E MULTIMODAL (CBC).
PLACA CSC
(Container Safety Convention)
PLACA CSC

(Container Safety Convention)


LAUDO DE HABITABILIDADE
SINAIS DE CARGAS TÓXICAS (INFECTANTE E RADIOATIVA)
MARCA DE CONTAMINAÇÃO NO CONTAINER
MARCAS DE ADESIVOS
QUE INDICAM QUE O
CONTAINER
JÁ TRANSPORTOU ALGUM
TIPO DE CARGA TÓXICA
TRANSPORTE DOS CONTAINERS
CARRETA CARREGADA COM CONTAINER DRY HC 40'
GUINDASTE ERGUENDO UM CONTAINER REEFER DE 40’
GUINDASTE ERGUENDO UM CONTAINER DRY DE 40’ COM REFORÇOS
ESTRUTURAIS DE CONTRAVENTAMENTO À ESQUERDA E À DIREITA
UM MÓDULO DE 20'
CAMINHÃO MUNK ERGUENDO UM CONTAINER DRY DE 20’
EMPILHADEIRA ERGUENDO CONTAINER DRY DE 40'
CAMINHÃO PLATAFORMA – MUITO COMUM NOS EUA
FUNDAÇÃO E INFRAESTRUTURA
NO TERRENO
RADIER
SAPATAS
SAPATAS
SAPATAS COM SUPERESTRUTURA METÁLICA
OUTROS MODELOS DE SAPATAS
ESTABILIZAÇÃO DO CONTAINER
NA FUNDAÇÃO
SOLDA DO CONTAINER NA FUNDAÇÃO
SIDE TWISTLOCK, TWISTLOCK, TWISTLOCK PLATE
UTILIZACÃO DOS TWISTLOCKS
SERRALHERIA
SERRALHERIA NO TERRENO E EM AMBIENTE CONTROLADO
TIPOS DE CORTE – LIXADEIRA DE CORTE
TIPOS DE CORTE – MÁQUINA DE CORTE A PLASMA
REFORÇOS ESTRUTURAIS PARA ABERTURA DE GRANDES VAOS
REFORÇOS ESTRUTURAIS PARA ABERTURA DE GRANDES VAOS(VIGA NO TOPO),
BARRAS VERTICAIS DE REFORÇO PARA TRANSPORTE E CONTRAVENTAMENTO
PARA PREVISÃO DE BALANÇO
REFORÇOS ESTRUTURAIS PARA ABERTURA DE GRANDES VAOS
REFORÇOS ESTRUTURAIS - PAINEIS LATERAIS E TETO
ANTI EXEMPLO – O QUE NÃO FAZER
REESTRUTURAÇÃO DO CONTAINER PARA
DIVISÃO EM DUAS OU MAIS PARTES(ESQ)
REQUADROS – TUBULAR À ESQUERDA E SEM REQUADRO À DIREIRA
REQUADROS – CHAPA DOBRADA
REQUADROS – TUBULAR
REQUADROS – CHAPA LISA
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS – USO DE CHAPAS SOLDADAS E APARAFUSADAS
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS –
USO DE TWISTLOCKS
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS – USO
DE TWISTLOCKS COM CHAPAS DE AÇO
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS –
USO DE BARRA DE CANTONEIRA METÁLICA
SOLDADA NO TETO DOS DOIS MÓDULOS E
REVESTIDA COM MANTA
IMPERMEABILIZANTE DE ALUMÍNIO + PU
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS – DETALHE DOS PILARES DE REFORÇO
PARA TRANSPORTE DOS CONTAINERS. ANTES DO TRANSPORTE E DEPOIS
DA INSTALAÇÃO PRONTA
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS – DETALHE DE UM PROJETO QUE UTILIZOU
02 4CONTAINERS DRY HC DE 40’. MÓDULOS COM SERRALHERIA PRONTA
COM REFORÇO ESTRUTURAL E PÉ DIREITO DUPLO.
TRANSPORTE DE 02 MÓDULOS SEMI PRONTOS QUE SERÃO ACOPLADOS
TRANSPORTE DE 02 MÓDULOS SEMI
PRONTOS QUE SERÃO ACOPLADOS
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS – DETALHE DA ESTRUTURA DE LIGAÇÃO ENTRE
OS 02 CONTAINERS FEITA EM MADEIRA. PODERIA SER METÁLICA TAMBÉM
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS – DETALHE DA ESTRUTURA METÁLICA DE LIGAÇÃO
ENTRE OS 02 CONTAINERS
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS – DETALHE DA ESTRUTURA METÁLICA
DA CLARABÓIA
ACOPLAMENTO DE CONTAINERS
DETALHE DA ACOPLAGEM DE 04 CONTAINERS COM UTILIZAÇÃO
DE BARRAS METÁLICAS ATIRANTADAS EM FOMA DE X
SERRALHERIA – SOLDAGEM DAS BARRAS DE FIXAÇÃO DOS MONTANTES DO DRYWALL
PINTURA
PINTURA – Container sendo lavado
(Imagem do curso A FORMULA DA ARQUITETURA EM CONTAINERS – versão online)
PINTURA – Container sendo lixadom com lixadeira elétrica
(Imagem do curso A FORMULA DA ARQUITETURA EM CONTAINERS – versão online)
PINTURA – Container sendo jateado com esferas metalicas
(Imagem do curso A FORMULA DA ARQUITETURA EM CONTAINERS – versão online)
Container sendo jateado com esferas
metálicas
PINTURA – Desamassamento e aplicação de massa
plástica nos pontos danificados
PINTURA – Exemplo de aplicação de primer anticorrosivo em toda a superfície
do container, incluindo internamente
(Imagem do curso A FORMULA DA ARQUITETURA EM CONTAINERS – versão online)
PINTURA – Exemplo de pintura com utilização de pistola de ar comprimido
(Imagem do curso A FORMULA DA ARQUITETURA EM CONTAINERS – versão online)
1

2
PINTURA – 1) Exemplo de pintura com utilização de pistola de
ar comprimido

2) Exemplo de container pintado com tinta epóxi antitérmica de


nanotecnologia no teto do container
1. Esmalte sintético, primer e acabamento:
• Custo médio R$ 1.200,00 (material)
• Durabilidade: 2 anos

2. Primer PU e acabamento PU:


• Custo médio R$ 2.500,00 (material)
• Durabilidade: 4 a 5 anos

3. Primer Epoxi e acabamento PU(Poliuretano);


• Custo médio R$ 2.500,00 (material)
• Durabilidade: 4 a 5 anos

4. Primer Epoxi e acabamento Epoxi Térmico c/ nanotecnologia;


• Custo médio R$ 4.000,00 (material)
• Durabilidade: 10 anos

* Valores base para aplicacao em 01 container DRY de 40'


• Isolante térmico eficaz com propriedade refletiva;
• Reduz até 90% dos raios solares, por barreira e reflexão;
• Minimiza o calor interno das edificações reduzindo em até 35% a temperatura
do ambiente;
• Reduz até 50% da temperatura da superfície;
• Reduz ruído de impacto de chuva sobre a superfície;
• Controle de condensação;
• Reparo de rachaduras e pequenas imperfeições na superfície;
• Aderência a diversos superfícies;
• Alta flexibilidade e memória elástica;
• Resistência ao fogo, granizo e efeitos da poluição;
• Alta impermeabilidade;
• Anti corrosão, bactérias e fungos;
• Garantia de 5 anos;
• Atóxico;
• Sem cheiro;
• Certificação LEED, SRI = 99

PINTURA – BENEFÍCIOS DA TINTA TÉRMICA COM NANOTECNOLOGIA


PINTURA – Exemplo de container pintado com tinta epóxi
INSTALAÇÕES ELÉTRICA E HIDROSANITÁRIO
TERRENO
HIDROSANITÁRIA– Exemplo de sistema de fossa séptica
HIDROSANITÁRIA – Modelo de fossa com biodigestor da marca Tecnipar
ELÉTRICA – Exemplo de tomadas do sistema plug&play
INSTALAÇÕES ELÉTRICA E HIDROSANITÁRIA

MÓDULO
ELÉTRICA –Estruturação do Drywall que irá receber o sistema
elétrico e hidráulico interno
ELÉTRICA – Quadro de distribuição
ELÉTRICA – Conduites elétricos(mangueiras corrugadas)passadas
internamente na estrutura do drywall
ELÉTRICA – Exemplos de sistemas internos e externos/aparentes
HIDROSANITÁRIO – Parede hidráulica, passada internamente pelo drywall
HIDROSANITÁRIO –Exemplos de sistemas internos(convencional e PEX)
e externos/aparentes
HIDROSANITÁRIO E INFRA DE AR CONDICIONADO
ISOLAMENTO/REVESTIMENTO
TERMOACÚSTICO
08 DIRETRIZES DE PROJETO PARA UM
BOM CONFORTO TÉRMICO EM CONTAINERS

1. ISOLAMENTO TÉRMICO APROPRIADO;


2. VENTILAÇÃO CRUZADA;
3. ORIENTAÇÃO SOLAR;
4. COBERTURA;
5. PROTEÇÃO DAS ABERTURAS CONTRA INCIDÊNCIA DE RAIOS SOLARES NO
INTERIOR DO MÓDULO;
6. PELÍCULA LOW-E;
7. TINTA TÉRMICA COM NANOTECNOLOGIA;
8. FACHADA VENTILADA;
ISOLAMENTO TERMOACÚSTICO – Detalhe da estrutura do container reefer,
que já vem originalmente isolada termicamente
PODE TER ATÉ 08 CAMADAS

1. REVESTIMENTO EXTERNO
2. CONTAINER COM PINTURA TÉRMICA
3. MEMBRANA TÉRMICA
4. MEMBRANA HIDRÓFUGA
5. ESTRUTURA DRYWALL
6. MANTA TERMOACÚSTICA
7. PLACA DE REFORÇO
8. PLACA DE FECHAMENTO INTERNO
ISOLAMENTO TERMOACÚSTICO – DETALHE MANTA TÉRMICA
ISOLAMENTO TERMOACÚSTICO – Exemplo de estruturação do drywall,
que receberá a manta termoacústica
ISOLAMENTO TERMOACÚSTICO – Isolamento com lã de vidro
ISOLAMENTO TERMOACÚSTICO – Isolamento com lã de vidro
ISOLAMENTO TERMOACÚSTICO – Isolamento com placa de pet
ISOLAMENTO TERMOACÚSTICO – Isolamento com lã de rocha
EXEMPLO DE INSIDE CONTAINERS
ACABAMENTOS E REVESTIMENTOS
• chapa ST (Standard) - uso geral;
• Chapa RU (Resistente à umidade) - área
molhadas;
• Chapa RF (Resistente ao fogo) - utilizadas
em saídas de emergência e área
enclausuradas. Possui material retardante
de chamas.
• Chapa para áreas externas - Chapas
cimenticias - utilizadas para áreas externas
• Chapa Flexível - para fazer superfícies
curvas;
• Chapa perfurada - para absorção acústica;
PLACAS DE ACABAMENTO – GESSO ACARTONADO • Chapa de alta dureza;
PLACAS DE ACABAMENTO – GESSO ACARTONADO
(Imagem do curso A FORMULA DA ARQUITETURA EM CONTAINERS – versão online)
PLACAS DE ACABAMENTO – GESSO ACARTONADO – ANTES E DEPOIS
Projeto de loja com dois containers Dry de 40' que utilizou gesso acartonado
em seu acabamento. As imagens mostram o antes e depois de transportado
e finalizado.
PLACAS DE ACABAMENTO – GESSO ACARTONADO RU – ANTES E DEPOIS
PLACAS DE ACABAMENTO – GESSO ACARTONADO –
Exemplo de reforço no drywall com OSB para instalação
de prateleiras, bancadas, moveis, etc...
• OSB Multiuso - ideal para construção civil,
embalagens, moveis e decorações;
• OSB Home - vem com sela TECO TESTED em
uma de suas faces e tinta verde nas bordas
que indicam resistência à umidade;
• OSB lixado - pronto para o uso e com
acabamento mais fino;
• OSB Home M&F - painel que possui sistema
de encaixe tipo macho e fêmea, sendo ideal
para estrutura pisos e aceita qualquer tipo
de revestimento.
• OSB Tapume - painel com características e
PLACAS DE ACABAMENTO – OSB – dimensões(1,22 x 2,20m) ideias para
tapumes.
PLACAS DE ACABAMENTO – OSB –
PLACAS DE ACABAMENTO – COMPENSADO NAVAL –
PLACAS DE ACABAMENTO – PVC –
PLACAS DE ACABAMENTO – MDF/MDP –
PLACAS DE ACABAMENTO – CIMENTÍCIAS –
PLACAS DE ACABAMENTO – CIMENTÍCIAS –
PLACAS DE ACABAMENTO – MADEIRA –
REVESTIMENTO ÁREAS MOLHADAS –
Esquema ideal de impermeabilização do piso de áreas molhadas
REVESTIMENTO ÁREAS MOLHADAS –
Exemplo de base de chuveiro em fibra de vidro
REVESTIMENTO ÁREAS MOLHADAS –
Exemplo de banheiro revestido com porcelanato
na parede e concreto polido no piso
REVESTIMENTO PISOS – ORIGINAL DO CONTAINER
Exemplo de piso original do container DRY lixado e envernizado
REVESTIMENTO PISOS –Exemplo da grelha metálica original do container REEFER
(Imagem do curso A FORMULA DA ARQUITETURA EM CONTAINERS – versão online)
REVESTIMENTO PISOS –
Exemplo de um contaner REEFER com o piso concretado
(Imagem do curso A FORMULA DA ARQUITETURA EM CONTAINERS – versão online)
REVESTIMENTO PISOS – VINÍLICO
REVESTIMENTO PISOS – LAMINADO
REVESTIMENTO PISOS – LAMINADO
REVESTIMENTO PISOS – PORCELANATO
REVESTIMENTO PISOS – CONCRETO POLIDO COM
JUNTAS DE DILATAÇÃO
REVESTIMENTO PISOS – EPÓXI
ESQUADRIAS
ESQUADRIAS - PVC
ESQUADRIAS - PVC
ESQUADRIAS - ALUMÍNIO
ESQUADRIAS - ALUMÍNIO
ESQUADRIAS – VIDRO TEMPERADO
ESQUADRIAS – MADEIRA
TELHADO E IMPERMEABILIZAÇÃO
COBERTURA PLANA DO PROPRIO CONTAINER –
APLICAÇÃO MANTA ASFALTICA IMPERMEABILIZANTE
COBERTURA PLANA DO PROPRIO CONTAINER –
APLICAÇÃO MANTA ALUMINIZADA IMPERMEABILIZANTE
COBERTURA PLANA DO PROPRIO CONTAINER –
APLICAÇÃO TINTA EPOXI TÉRMICA COM NANOTECNOLOGIA
TELHADO COM TELHA SANDUICHE –
ESTRUTURA METALICA PLATIBANDA E
FECHAMENTO EM PLACA CIMENTÍCIA
TELHADO COM TELHA SANDUICHE –
PLATIBANDA PLACA CIMENTÍCIA
TELHADO COM TELHA SANDUICHE –
ESTRUTURA
TELHADO COM TELHA SANDUICHE –
ESTRUTURA PRONTA
TELHADO COM TELHA SANDUICHE EMBUTIDO EM PLATIBANDA
TELHADO ESTRUTURA METÁLICA 01 ÁGUA E TELHA SANDUICHE
TELHADO ESTRUTURA METÁLICA 01 ÁGUA E TELHA SANDUICHE
TELHADO SUSPENS0
TELHADO SUSPENS0 –
a) Camada impermeabilizante: para
proteger o teto das infiltrações,
normalmente feita com mantas sin-
téticas;

b) Camada drenante: para drenar e


filtrar a água, pode ser feita de argila
expandida e mantas dre- nantes de
poliestireno ou de brita e seixo, que
me- nos indicadas por causa do peso;

c) Camada filtrante: para reter


partículas, é feita com um geotêxtil;

d) Membrana de proteção contra


raízes: para con- trolar o crescimento
da vegetação em profundida- de;

e) Solo e vegetação.

TELHADO VERDE – ESQUEMA DA ESTRUTURA


TELHADO VERDE – DETALHE DO APOIO DA ESTRUTURA
TELHADO VERDE – ESTRUTURA
TELHADO VERDE – ESTRUTURA
TELHADO VERDE – ESTRUTURA
MANUTENÇÃO
• EVITAR CONTATO PERMANENTE DO CONTAINER COM SURPRFÍCIES
MOLHADAS COMO O SOLO;
• FIQUE ATENTO AO POSSÍVEL ACUMULO DE AGUA NO TETO;
• SEMPRE FICAR ATENTO A QUALQUER SINAL DE CORROSÃO;
• EVITE FAZER FUROS NO CONTAINER, POIS TORNA-SE UM POTENCIAL
PONTO DE CORROSÃO E INFILTRAÇÃO;
• MANTENHA A PINTURA SEMPRE EM DIA;
MANUTENÇÃO – VERIFICAR POSSIVEIS ACÚMULOS DE ÁGUA
NO TETO DO CONTAINER
ESTUDO DE CASO 01

CASA BRISE
2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
CASA BRISE – FLORIANÓPOLIS/SC - 2016
ESTUDO DE CASO 02

OPEN MALL
2018
IMPLANTAÇÃO GERAL

OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR


IMPLANTAÇÃO

OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR


SETORIZAÇÃO

SETOR 01
ESPORTES E
BEM ESTAR
LEGENDA
PAVIMENTO TÉRREO

SETOR 02
MERCADO E
GASTRONOMIA

SETOR 01
LOJAS, SALAS E
COWORKING

OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR


12
11 15
16
10 14
9
LEGENDA
PAVIMENTO TÉRREO 13 8 17
1- LOJAS/SERVIÇOS
2- CIRCULAÇÃO 6 18
3- LOJAS/SERVIÇOS
4- LOJAS/SERVIÇOS 7
5- CAFÉS/RESTAURANTES 5
6- CIRCULAÇÃO
7- CAFÉS/RESTAURANTES
8- MERCADO GOURMET
9- ACADEMIA 4
10- LOJAS/SERVIÇOS ESPORTES
11- GUARDERIA 19
12- PRAÇA SOMBREADA 1 2
13- ACESSO EXCLUSIVO EMBRAQUE/DESEMBRAQUE
14- ESPLANADA PARA EVENTOS 3 20
15- EQUIPAMENTOS ESPORTIVOS
16- QUADRAS TENNIS/BEACH TENNIS 21
17- PARQUINHO CRIANÇAS 22
18- ACESSO PARA PRAIA
19- ESTACIONAMENTO
20- CARGA/DESCARGA
21- ACESSO ESTACIONAMENTO
22- RUA DE ACESSO ESTACIONAMENTO

OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR


11

10
9 12

8
6
7
5
LEGENDA
PRIMEIRO PAVIMENTO 4
1- COWORKING
2- SALA SUSPENSA 1 2
3- SALAS
4- SALAS 3
5- SALAS
6- CIRCULAÇÃO SUSPENSA
7- TERRAÇO CAFES/RESTAURANTES
8- MERCADO GOURMET
9- ACADEMIA
10- TERRAÇO/PALCO PARA SHOWS E APRESENTACOES
11- SALAS TERAPIAS + TERRAÇO
12- ACADEMIA - SALA SUSPENSA

OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR


OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR
OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR
OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR
OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR
OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR
OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR
OPEN MALL – ESTUDO PRELIMINAR

Você também pode gostar