Você está na página 1de 92

GUIA DO OPERADOR

DERIV TAMAN FC
DERIV CARGA 2 ANALISAR
CO2 31 Hg
m
m Sp02 % ECG x1.5 72
17RR 100 ELÉCTR. TAMAN
3 CHOQUE
SELEC
SUSPENDER
ENERGIA
ALARME

ECG
REGISTADOR
MONITOR 1 DESFIB
CO2
DESLIG

ESTIMUL
CORRENTE RITMO DO
Parâm Onda 2 Nr ID Alarmes 12 Deriv ESTIMUL ESTIMUL
4:1
mA ppm

MARCA
RESUMO
CARREGADOR DE CÓD
LIG

SOLTAR

Setembro 2010 9650-0200-18 Rev. L


Está indicada na parede da frente uma data de edição ou de versão revista deste manual.
Se tiverem decorrido mais de três anos desde esta data, contacte a ZOLL Medical Corporation para determinar se
são necessárias mais actualizações às informações do produto.
ZOLL, M Series, CPR-D•padz, stat•padz, RescueNet, Real CPR Help são marcas comerciais da ZOLL Medical
Corporation. 12SL e Catalyst MUSE são marcas comerciais da GE Medical Systems.
Copyright © 2010 da ZOLL Medical Corporation. Todos os direitos reservados.
Índice
SECÇÃO 1 INFORMAÇÃO GERAL ------------------------------------------------------------------------------------ 1-1
Descrição do Produto -------------------------------------------------------------------------------------------- 1-1
Como utilizar este manual -------------------------------------------------------------------------------------- 1-2
Actualizações de manuais -------------------------------------------------------------------------------------- 1-2
Desempacotamento ----------------------------------------------------------------------------------------------- 1-2
Acessórios opcionais ---------------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-2

Simbolos usados no equipamento--------------------------------------------------------------------------- 1-3


Função do Desfibrilhador --------------------------------------------------------------------------------------- 1-4
Uso pretendido - Operação manual ---------------------------------------------------------------------------------------- 1-4
Uso pretendido - Operação semi-automática (AED) ------------------------------------------------------------------- 1-4
Uso pretendido - Monitorização de RCP ---------------------------------------------------------------------------------- 1-4
Contra-indicações da operação semi-automática----------------------------------------------------------------------- 1-4
Complicações com o desfibrilhador----------------------------------------------------------------------------------------- 1-4
Energia de saída do desfibrilhador ----------------------------------------------------------------------------------------- 1-4
Marcapasso externo (só nas versões com estimulador) --------------------------------------------- 1-5
Uso pretendido - Marcapasso ------------------------------------------------------------------------------------------------ 1-5
Complicações com o Marcapasso ------------------------------------------------------------------------------------------ 1-5
Estimulação de pacientes pediátricos -------------------------------------------------------------------------------------- 1-6
Monitor ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-6
Função de registo ------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-6
Opção entre placas ou eléctrodos --------------------------------------------------------------------------- 1-6
Baterias --------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-7
Carregador de baterias interno-------------------------------------------------------------------------------- 1-7
Carregador de baterias externo ------------------------------------------------------------------------------- 1-7
Diagnósticos -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-7
Considerações de segurança ---------------------------------------------------------------------------------- 1-8
AVISOS ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-8
ATENÇÃO ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-10
Reiniciar o funcionamento do aparelho ------------------------------------------------------------------- 1-11
Regulamentos da FDA ------------------------------------------------------------------------------------------ 1-11
Requisitos de rastreio -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-11
Notificação de eventos adversos ------------------------------------------------------------------------------------------ 1-11
Garantia (só nos E.U.A.) ---------------------------------------------------------------------------------------- 1-11
Licença de software---------------------------------------------------------------------------------------------- 1-12
Assistência técnica ---------------------------------------------------------------------------------------------- 1-12
Clientes nos E.U.A. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-12

iii
GUIA DO OPERADOR

Clientes de outros países --------------------------------------------------------------------------------------------------- 1-12


Informação relativa às formas de onda do desfibrilhador ------------------------------------------- 1-13
Precisão do algoritmo de análise do ECG --------------------------------------------------------------- 1-14
Resultados do desempenho clínico -------------------------------------------------------------------------------------- 1-14

SECÇÃO 2 COMANDOS E INDICADORES DE OPERAÇÃO --------------------------------------------------- 2-1


Marcas de Código ------------------------------------------------------------------------------------------------- 2-4
Relatório Resumido ----------------------------------------------------------------------------------------------- 2-5
Formatos de Relatório Resumido ------------------------------------------------------------------------------------------- 2-5
Formato de Desfibrilhação ---------------------------------------------------------------------------------------------------- 2-6
Formato do Estimulador (só na versão com estimulador) ------------------------------------------------------------ 2-6
Formato com o alarme da Frequência Cardíaca activado ------------------------------------------------------------ 2-7
Alarme FV activado ------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 2-7
Formato do Registador Ligado ----------------------------------------------------------------------------------------------- 2-7
Formato ANALISAR ------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 2-7
Modo Manual Iniciado ---------------------------------------------------------------------------------------------------------- 2-7
Impressão de um Relatório ------------------------------------------------------------------------------------- 2-8
Impressão de parte de um relatório ------------------------------------------------------------------------- 2-8
Adição do nome e do nº de id do paciente a um relatório ------------------------------------------- 2-9
Impressão de um registo de incidentes -------------------------------------------------------------------- 2-9
Como apagar os Relatórios Resumidos da memória ------------------------------------------------- 2-10
SECÇÃO 3 DESFIBRILHAÇÃO MANUAL --------------------------------------------------------------------------- 3-1
Procedimento de Desfibrilhação de Urgência com Placas ------------------------------------------- 3-1
Procedimento de Desfibrilhação de Urgência com Eléctrodos Almofadados Polivalentes MFE --- 3-4
Desfibrilhação com o peito aberto com pegas e eléctrodos internos ---------------------------- 3-6
Localização e diagnóstico de avarias ----------------------------------------------------------------------- 3-6
SECÇÃO 4 DESFIBRILHAÇÃO COM FUNÇÃO DE CONSULTA ---------------------------------------------- 4-1
Desfibrilhação com Função de Consulta ------------------------------------------------------------------ 4-1
Mensagens da Função de Consulta ------------------------------------------------------------------------- 4-3
Mensagens de Aviso---------------------------------------------------------------------------------------------- 4-3
Localização e diagnóstico de avarias ----------------------------------------------------------------------- 4-4
SECÇÃO 5 OPERAÇÃO DO DESFIBRILHADOR EXTERNO AUTOMATIZADO (AED) ---------------- 5-1
Introdução------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 5-1
Operação Semi-automática ------------------------------------------------------------------------------------- 5-1
Mensagens de Operação ------------------------------------------------------------------------------------------------------ 5-3
Modo de Operação Manual do Desfibrilhador Externo Automatizado --------------------------- 5-5
Comandos de Voz do AED ---------------------------------------------------------------------------------------------------- 5-6
Localização e diagnóstico de avarias ---------------------------------------------------------------------- 5-6

iv
ÍNDICE

SECÇÃO 6 CARDIOVERSÃO SINCRONIZADA -------------------------------------------------------------------- 6-1


Informações Gerais ----------------------------------------------------------------------------------------------- 6-1
Cardioversão Sincronizada ------------------------------------------------------------------------------------- 6-1
Localização e diagnóstico de avarias ---------------------------------------------------------------------- 6-3
SECÇÃO 7 ASSISTÊNCIA DE RCP ------------------------------------------------------------------------------------ 7-1
Prepare o paciente e prenda o conector CPRD-to-MFC ----------------------------------------------- 7-1
Mostrador de assistência de RCP ---------------------------------------------------------------------------- 7-1
Indicador de compressões de RCP -------------------------------------------------------------------------- 7-2
Mostrador do tempo de inactividade da RCP------------------------------------------------------------- 7-2
Metrónomo da RCP ----------------------------------------------------------------------------------------------- 7-2
SECÇÃO 8 ESTIMULAÇÃO TEMPORÁRIA NÃO INVASIVA (SÓ NA VERSÃO COM ESTIMULADOR) -8-1
Estimulação Temporária Não Invasiva---------------------------------------------------------------------- 8-1
Aplicações de Estimulação Especiais ---------------------------------------------------------------------- 8-3
Estimulação em prontidão ----------------------------------------------------------------------------------------------------- 8-4
Estimulação assíncrona ------------------------------------------------------------------------------------------------------- 8-4
Estimulação em pacientes pediátricos ------------------------------------------------------------------------------------- 8-4
Localização e diagnóstico de avarias -------------------------------------------------------------------------------------- 8-4

SECÇÃO 9 MONITORIZAÇÃO DO ECG ----------------------------------------------------------------------------- 9-1


Introdução------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 9-1
Preparativos --------------------------------------------------------------------------------------------------------- 9-1
Colocação dos eléctrodos ----------------------------------------------------------------------------------------------------- 9-1
Fixe os eléctrodos de monitorização --------------------------------------------------------------------------------------- 9-1
Localização e diagnóstico de avarias ----------------------------------------------------------------------- 9-2
Regule os comandos --------------------------------------------------------------------------------------------- 9-2
Cristas de Marcapassos implantados ----------------------------------------------------------------------- 9-2
Alarmes --------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 9-2
Regulação dos alarmes -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 9-2
Função de Alarme --------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 9-3
Limites dos alarmes ------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 9-3
Activar / Desactivar os alarmes ---------------------------------------------------------------------------------------------- 9-4
Smart Alarms --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 9-4
Operação do registador ----------------------------------------------------------------------------------------- 9-4
Largura de Banda de Diagnóstico------------------------------------------------------------------------------------------- 9-4
Monitorização com cinco (5) derivações--------------------------------------------------------------------9-4
Impressão simultânea com 3 derivações--------------------------------------------------------------------------------- 9-4
Mudança de um cabo de cinco (5) derivações para um cabo de três (3) derivações na monitorização de ECGs ---- 9-4
Tendências dos sinais vitais ----------------------------------------------------------------------------------- 9-5
Visualizar dados de tendência dos sinais vitais no écran ------------------------------------------------------------ 9-5
Imprimir um relatório de tendência de sinais vitais --------------------------------------------------------------------- 9-6
Operação de tendência TANI ------------------------------------------------------------------------------------------------ 9-6
Apagar registos de tendência de sinais vitais ---------------------------------------------------------------------------- 9-6

v
GUIA DO OPERADOR

SECÇÃO 10 MANUTENÇÃO GERAL ----------------------------------------------------------------------------------10-1


Ensaio periódico -------------------------------------------------------------------------------------------------- 10-1
Inspecção ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 10-1
Limpeza -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 10-1
Limpeza da cabeça de impressão do registador ---------------------------------------------------------------------- 10-1
Ensaio do desfibrilhador semi-automático --------------------------------------------------------------- 10-2
1. Verificação da sequência de activação ---------------------------------------------------------------------------- 10-2
2. Ensaio do desfibrilhador ------------------------------------------------------------------------------------------------ 10-2
3. Verificação do registador (caso aplicável) ------------------------------------------------------------------------- 10-2
Ensaio do desfibrilhador manual ---------------------------------------------------------------------------- 10-2
1. Verificação da sequência de activacão ---------------------------------------------------------------------------- 10-2
2. Energia administrada e botões de choque ------------------------------------------------------------------------ 10-3
3. Ensaio de fornecimento de energia (com as placas e os eléctrodos MFE)------------------------------- 10-3
4. Operação do estimulador (só na versão com estimulador) --------------------------------------------------- 10-3
5. Verificação do registador ----------------------------------------------------------------------------------------------- 10-4
Substituição do papel------------------------------------------------------------------------------------------------------ 10-4
Regulação da hora e da data ---------------------------------------------------------------------------------- 10-4
Método manual ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 10-4
Método automático ------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 10-5
Lista de Conferência do Operador para Sistemas M Series (Manuais)-------------------------- 10-6
Lista de Conferência do Operador para Sistemas M Series (Semi-Automáticos) ----------- 10-7
SECÇÃO 11 GESTÃO DAS BATERIAS -------------------------------------------------------------------------------11-1
Cuidados com as baterias ------------------------------------------------------------------------------------- 11-1
Expectativa de vida útil das baterias ------------------------------------------------------------------------------------- 11-1
Mensagem de bateria fraca ------------------------------------------------------------------------------------------------- 11-1
Substituição do conjunto da bateria -------------------------------------------------------------------------------------- 11-1
Carregamento e teste dos conjuntos de baterias -------------------------------------------------------------------- 11-2
Obtenção do melhor rendimento dos conjuntos de baterias -------------------------------------- 11-2
APÊNDICE A ESPECIFICAÇÕES ----------------------------------------------------------------------------------------- A-1
Generalidades ------------------------------------------------------------------------------------------------------ A-1
Marcapasso (só a versão com estimulador) -------------------------------------------------------------- A-1
Monitorização de ECGs ------------------------------------------------------------------------------------------ A-2
Monitorização de RCP ------------------------------------------------------------------------------------------- A-3
Visor ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- A-3
Registador ----------------------------------------------------------------------------------------------------------- A-3
Placa PCMCIA ------------------------------------------------------------------------------------------------------- A-3
Conjuntos de baterias -------------------------------------------------------------------------------------------- A-4
Guia e declaração do fabricante – emissões electromagnéticas ---------------------------------- A-5

vi
ÍNDICE

Declaração de imunidade electromagnética (DIE) ----------------------------------------------------- A-6


DIE para funções de suporte de vida ----------------------------------------------------------------------- A-7
Distâncias de separação recomendadas de equipamentos de RF para as funções de
suporte de vida do M Series ----------------------------------------------------------------------------------- A-8
DIE para funções sem suporte de vida -------------------------------------------------------------------- A-9
Distâncias de separação recomendadas de equipamentos de RF para as funções sem
suporte de vida do M Series --------------------------------------------------------------------------------- A-10
APÊNDICE B GUIAS DE LOCALIZAÇÃO E DIAGNÓSTICO DE AVARIAS ----------------------------------- B-1
Generalidades ------------------------------------------------------------------------------------------------------ B-1
Monitor ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- B-1
Registador ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ B-2
Estimulador (só para a versão com estimulador) ---------------------------------------------------------------------- B-3
Desfibrilhador -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- B-4
Carregador para Corrente Alternada--------------------------------------------------------------------------------------B-6

APÊNDICE C CAPACIDADE DE ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS MÉDICOS ----------------------------- C-1


Placa de dados PCMCIA ---------------------------------------------------------------------------------------- C-1
Instalação da placa de dados PCMCIA --------------------------------------------------------------------- C-1
Eliminação de uma placa de memória ---------------------------------------------------------------------- C-1
Mensagens de aviso ---------------------------------------------------------------------------------------------- C-2
Transferência de dados para um PC com um leitor de cartões PCMCIA ------------------------ C-2
Transferência de dados para um PC via ligação série ------------------------------------------------- C-2
Localização e diagnóstico de avarias ----------------------------------------------------------------------- C-4
Mensagens exibidas ---------------------------------------------------------------------------------------------- C-4

vii
GUIA DO OPERADOR

viii
SECÇÃO 1
INFORMAÇÃO GERAL
OBS.: O seu sistema M Series pode ou não possuir todas as características referidas neste manual, dependendo
da respectiva configuração.
Descrição do Produto
Os sistemas M Series® da ZOLL® combinam um desfibrilhador, um monitor de ECG, capacidade avançada de monitoriz-
ação e um sistema de estimulação transcutânea não invasiva (Noninvasive Transcutaneous Pacing (NTP)) com capacid-
ade de comunicações, registo e impressão de dados num único instrumento de peso leve. O aparelho foi concebido para
todas as situações de reanimação, e a sua forma pequena e compacta e peso leve tornam-no ideal para acompanhar
pacientes durante o seu transporte. O equipamento é alimentado tanto por linhas de alimentação de corrente alternada ou
contínua como por um conjunto de bateria de fácil substituição, que é rapidamente recarregado no aparelho quando ligado
às linhas de alimentação de corrente alternada. Além disso, as baterias do aparelho podem ser recarregadas e testadas
com sistemas PowerCharger da ZOLL, próprios para unidades de baterias ZOLL standard permutáveis.
O produto destina-se a ser utilizado em hospitais e também no ambiente mais acidentado dos serviços de urgência
médica. Os seus acabamentos resistentes contribuem para a sua durabilidade nas aplicações hospitalares. O aparelho é
um desfibrilhador externo automatizado versátil, com capacidade de operação manual, que pode ser configurado para
operar nos modos manual, de consulta ou semi-automático. As versões semi-automáticas do aparelho dispõem de um
painel dianteiro distinto com uma única posição “LIG” (LIGADO). Os aparelhos de tipo hospitalar convencionais, que
podem ser configurados para operação manual, de consulta ou semi-automática, dispõem de uma interface do operador
ZOLL padronizada. Quando na configuração manual, o aparelho opera como um desfibrilhador convencional em que as
cargas e as descargas são inteiramente controladas pelo operador. Nos modos de consulta e semi-automático, algumas
das características do aparelho são automatizadas, e é utilizado um sofisticado algoritmo de detecção para identificar a
fibrilhação ventricular e determinar se a aplicação de choques do desfibrilhador é apropriada. Os aparelhos podem ser
configurados para carregar, analisar, recarregar e dar instruções ao operador automaticamente para activar o botão
“PREMIR CHOQUE”, em função dos protocolos locais. O aparelho é comutado do modo semi-automático para o modo
manual para técnicas avançadas de apoio à função cardíaca (Advanced Cardiac Life Support (ACLS)) premindo-se a tecla
programável apropriada no painel dianteiro.
O M Series auxilia os prestadores de cuidados durante a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) avaliando o ritmo e a
profundidade das compressões torácicas e transmitindo informações ao ressuscitador. O Real CPR Help™ requer a
utilização dos eléctrodos CPR-D•padz e do conector CPRD-to-MFC. O Real CPR Help encontra-se disponível na unidade
M Series com a versão de software 38.90 ou superior.
A informação relativa à operação do aparelho, aos ECGs do paciente e às outras formas de onda fisiológicas são exibidas
num écran(electroluminescente) de 14,4 cm diagonais (5,66 polegadas) qual fornece grande contraste e visibilidade em
praticamente todas as condições de iluminação. As mensagens de operação e de aviso são exibidas no monitor e o
aparelho pode ser configurado com avisos orais para alertar o utilizador quanto ao seu estado. Testes de auto-diagnóstico
são realizados quanto o aparelho é ligado e realizam-se testes periódicos durante a sua operação.
Estão incluídos neste aparelho um sofisticado sistema de recolha de dados, um sistema interno de elaboração de
relatórios resumidos que funciona com uma impressora e placas PCMCIA. Uma placa PCMCIA pode ser instalada no
aparelho para registar ECGs e praticamente todos os dados relativos ao aparelho quando este é ligado. Além disso,
podem ser registados dados de voz relacionados com qualquer incidente que ocorra na proximidade deste aparelho. Os
dados armazenados na placa PCMCIA podem ser analisados e arquivados num computador pessoal devidamente
equipado, com software RescueNet®.
Um registador de gráficos de anotação em tiras pode ser incluído, para fornecer documentação imediata; podem também
ser utilizadas funções do sistema de relatórios resumidos, para a informação acerca dos cuidados e do tratamento do
paciente durante a utilização do aparelho.
Alguns aparelhos M Series destinam-se a ser utilizados no modo semi-automático por socorristas e técnicos de urgência
médica com certificação de uma entidade governamental federal, estadual ou local. Alguns aparelhos M Series destinam-
se a ser utilizados no modo manual por pessoal com certificação de uma autoridade federal, estadual ou local competente
para prestar cuidados de apoio às funções vitais.
Alguns aparelhos M Series destinam-se a ser utilizados para cuidados médicos de emergência antes da chegada ao
hospital do paciente, dentro e fora de recintos, inclusive em veículos de primeiros socorros, veículos de bombeiros,
ambulâncias de tipo básico e avançadas, bem como por pessoal especializado na utilização dos sistemas sustentação
básica da vida (Basic Life Support (BLS)) e (ACLS) em hospitais, sob controlo dos respectivos protocolos.

1-1
GUIA DO OPERADOR

Como utilizar este Manual


O Guia do Operador dos aparelhos M Series fornece as informações de que os operadores necessitam para utilizar e
manter os aparelhos M Series de maneira segura e eficaz. É importante que todas as pessoas que utilizem este aparelho
leiam e compreendam todas as informações contidas no mesmo.
Este manual está organizado para os operadores do aparelho, nos modos manual, de consulta e semi-automático. Se o
aparelho só for utilizado no modo manual ou no modo de consulta, não é necessário ler a Secção 5. Se só for utilizado no
modo semi-automático, não é necessário ler as Secções 3, 4 ou 6.
Por favor, leia atentamente a secção sobre precauções e avisos de segurança.
Os procedimentos para a verificação diária e os cuidados a dispensar ao aparelho encontram-se na secção sobre a
Manutenção.
Este manual está complementado com inserções manuais relativas a opções disponíveis no sistema M Series. Estas
inserções contêm outros avisos, precauções e informações relacionadas com segurança.

Actualizações de manuais
A ZOLL Medical Corporation fornece Actualizações para os Manuais para informar os seus clientes a respeito de altera-
ções relativas ao aparelho e ao seu uso. As actualizações são automaticamente enviadas pelo correio para cada compra-
dor registado de um M Series. Todos os utilizadores devem rever cuidadosamente cada actualização relativa ao manual,
para compreenderem o seu significado, e depois devem arquivá-la na sua secção apropriada, dentro deste manual, para
consulta posterior.

Desempacotamento
Inspeccione cuidadosamente cada caixa, para verificar se apresenta danos. Se a caixa de expedição ou o material de
acondicionamento estiverem danificados, devem ser guardados até que o conteúdo tenha sido conferido, para verificar se
está completo, e se a integridade mecânica e eléctrica do instrumento foi verificada. Se o conteúdo estiver incompleto, se
houver danos mecânicos, ou se o instrumento não passar no seu auto-teste eléctrico, os clientes localizados nos E.U.A.
devem telefonar para a ZOLL Medical Corporation (1-800-348-9011). Os clientes localizados no estrangeiro devem
contactar o representante autorizado ZOLL mais próximo. Se a caixa de expedição estiver danificada, é necessário
notificar também a empresa transportadora.
Acessórios
Obs: Os termos “eléctrodos almofadados multifunção (MFE) ZOLL” e “eléctrodos MFE” são usados
indiferenciadamente neste manual.
 Manual de Assistência
 Asas e conjunto de cabo de desfibrilhador interno*
 Eléctrodos de desfibrilhador interno: diâmetros de 7,6; 6,8; 5,1; 4,0 e 2,5 cm*
 Eléctrodos almofadados multifunção para estimulação/desfibrilhação, para adultos (12 pares/caixa)
 Eléctrodos almofadados multifunção para estimulação/desfibrilhação, pediátricos (6 pares/caixa)
 Eléctrodos stat•padz® multifunção para estimulação/desfibrilhação, para adultos
 Conjunto de (Multi-function Cable) cabo multifunções para uso com eléctrodos almofadados multifunção (MFE) para
estimulação/desfibrilhação*
 CPR-D•padz ®
 Conector CPRD-to-MFC
 Base PowerCharger 4x4
 Base PowerCharger1x1
 Simulador de ECGs
 Manual do Programa de Gestão de Baterias
 Conjuntos de baterias para substituição*
 Smart Batteries (Baterias inteligentes)
 Cabo de ECG para ligação ao paciente de 3 derivações e cabo de ECG para ligação ao paciente de 5 derivações,
padrão AAMI
 Cabo de ECG para ligação ao paciente de 3 derivações e cabo de ECG para ligação ao paciente de 5 derivações,
padrão ICE
 Estojo de transporte
* Estes acessórios são considerados componentes relevantes para a segurança
1-2
INFORMAÇÃO GERAL

Símbolos usados no equipamento


Qualquer ou todos os símbolos seguintes poderão ser utilizados neste manual ou neste equipamento:

Conexão ao paciente Tipo B.

Conexão ao paciente Tipo BF.

Conexão ao paciente Tipo CF.

Conexão ao paciente Tipo BF com protecção para desfibrilhação.

Conexão ao paciente Tipo CF com protecção para desfibrilhação.

ATENÇÃO Consultar o manual para informações suplementares.

Ligação ao fusível

Terminal de massa de protecção (Ligação equipotencial).

PERIGO Presença de alta voltagem.

Corrente alternada.

1-3
GUIA DO OPERADOR

Função do Desfibrilhador Uso pretendido - Monitorização de RCP


Os sistemas M Series contêm um desfibrilhador de A função de monitorização de RCP fornece informações a
corrente contínua capaz de libertar até 360 joules de nível visual e sonoro concebidas para orientar o
energia. Este pode ser utilizado em modo sincronizado ressuscitador no sentido de efectuar compressões
para realizar cardioversões sincronizadas, utilizando a torácicas ao ritmo AHA/ERC recomendado de 100
onda R do ECG do paciente, como referência crono- compressões por minuto. As instruções visuais sugerem
métrica. O aparelho utiliza placas ou eléctrodos MFE uma intensidade de compressão de 3,8 cm a 5,0 cm para
descartáveis, com gel pré-aplicado, para desfibrilhação. pacientes adultos.
A função de monitorização de RCP não foi concebida para
Uso pretendido - Operação manual
ser utilizada em pacientes com idade inferior a 8 anos.
A utilização dos sistemas M Series no modo manual para
desfibrilhação é indicada para vítimas de paragem Contra-indicações da operação semi-automática
cardíaca, nos casos em que se verifique uma falta evidente A função de análise do ritmo cardíaco pode não identificar
de circulação, indicada por: com segurança a fibrilhação ventricular na presença de um
marcapasso implantável. A inspecção de electrocardio-
 Inconsciência
gramas e de sinais clínicos de paragem cardiopulmonar
 Falta de respiração deverão constituir a base para qualquer tratamento de
 Ausência de pulsação. pacientes com marcapassos implantáveis.
A função de análise do ritmo cardíaco não deve ser
Este produto deve ser utilizado exclusivamente por pessoal
utilizada enquanto o paciente estiver a ser movimentado
médico qualificado para a conversão da desfibrilhação numa maca ou numa ambulância ou em qualquer outro
ventricular e da taquicardia ventricular rápida em ritmo meio de transporte. O paciente deverá permanecer imóvel
sinusal ou outros ritmos cardíacos capazes de produzir durante a análise do ECG. Não toque no paciente durante
hemodinamicamente batidas cardíacas significativas. a análise. Interrompa todos os movimentos com a maca ou
o veículo antes de analisar o ECG. Se o aparelho for
Uso pretendido - Operação semi-automática(AED) utilizado num veículo de urgência médica, deve-se parar o
veículo antes de activar a função de análise.
Os sistemas M Series destinam-se a ser utilizados por
pessoal de cuidados médicos de emergência que tenham Não utilizar a função de operação semi-automática em
concluído um curso de formação e possuam certificações pacientes com menos de 8 anos de idade.
de habilitação requeridas para utilização de um
desfibrilhador nos casos em que o operador do aparelho
Complicações com o desfibrilhador
controla a libertação de choques ao paciente. A desfibrilhação ou cardioversão incorrectas de um
paciente (por ex., sem arritmia maligna) pode precipitar a
Foram concebidos especificamente para serem utilizados
fibrilhação ventricular, uma assistolia ou outras arritmias
nos processos de desfibrilhação de intervenção imediata, perigosas.
em que a administração de um choque de desfibrilhador
A desfibrilhação efectuada sem a aplicação correcta de
durante a reanimação com RCP, o transporte e os
eléctrodos almofadados ou de gel electrolítico nas placas
cuidados definitivos é incorporada num protocolo de
pode ser ineficaz e causar queimaduras, particularmente
cuidados do paciente medicamente aprovado.
quando sejam necessários choques repetidos. Ocorrem
A utilização dos sistemas M Series deverá ser prescrita com frequência eritemas ou hiperemia da pele sob as
por um médico ou por um consultor clínico de uma equipa placas ou os eléctrodos MFE; este efeito é, normalmente,
de atendimento de urgência. mais evidente ao longo do perímetro da placa ou do
eléctrodo. A vermelhidão, normalmente, diminui no
O uso do aparelho no modo semi-automático para
decorrer das 72 horas seguintes.
desfibrilhação é indicado para vítimas de paragem
cardíaca nos casos em que se verifique uma falta evidente Energia de saída do desfibrilhador
de circulação, indicada por:
O aparelho M Series liberta até 360 joules para uma
 Inconsciência.
impedância de 50 ohm. A energia libertada através da
 Falta de respiração. parede torácica depende da impedância transtorácica do
 Ausência de pulsação. paciente. Uma quantidade adequada de gel electrolítico
deverá ser aplicada às placas e uma força de 10-12
As especificações relativas à análise do ritmo do ECG são quilogramas deverá ser aplicada a cada placa, a fim de
fornecidas no final desta secção. atenuar essa impedância. Se forem utilizados eléctrodos
MFE, verificar se os mesmos estão aplicados
correctamente. (Consultar as instruções contidas na
embalagem dos eléctrodos multifunção).

1-4
INFORMAÇÃO GERAL

Marcapasso externo O estimulo não invasivo tem sido utilizado para reanimação
(só nas versões com estimulador) em casos de imobilização cardíaca, imobilização por
reflexo vagal, imobilização provocada por medicamentos
A estimulação transcutânea não invasiva (Noninvasive (devida ao uso de procainamida, quinidina, digitalis,
Transcutaneous Pacing (NTP)) é uma técnica estabelecida bloqueadores-b, verapamil, etc.) e paragem circulatória
e comprovada. Esta terapia é aplicada com facilidade e inesperada (devida a anestesia, cirurgia, angiografia e
rapidez, tanto nos casos de urgência como naqueles sem outros procedimentos terapêuticos ou de diagnóstico).
urgência em que seja indicada a estimulação cardíaca Também tem sido utilizado para a aceleração temporária
temporária. da bradicardia na doença Stokes-Adams e no síndroma de
seios doentes. É mais seguro, de maior confiança e mais
Alguns sistemas M Series contêm um marcapasso de tipo
rapidamente aplicado num caso de urgência do que os
a pedidoo pcional que consiste num gerador de impulsos e
eléctrodos endocardíacos ou outros eléctrodos
num circuito de sensores de ECG. A corrente de saída do
temporários.
marcapasso é continuamente variável, de 0 a 140 MA, e a
frequência é continuamente variável, de 30 a 180 impulsos Como recursos de prontidão quando é esperada uma
por minuto (ppm/ipm). ocorrência de paragem cardíaca ou bradicardia:
Os impulsos de saída do estimulador são libertados para o A estimulação não invasiva pode ser útil como recurso de
coração através de eléctrodos MFE ZOLL, especialmente prontidão quando se espere uma paragem cardíaca ou
concebidos para serem colocados no lado posterior e o uma bradicardia sintomática, devidas a infarto agudo do
precórdio. miocárdio, toxicidade medicamentosa, anestesia ou
cirurgia. É também útil como tratamento temporário em
As características dos impulsos de saída, aliadas à forma
pacientes que esperem um implante de marcapasso ou a
dos eléctrodos e à sua colocação, minimizam a
introdução de uma terapia transvenosa. Na estimulação de
estimulação dos nervos cutâneos e as correntes limiares
prontidão, a estimulação não invasiva pode proporcionar
de estimulação cardíaca, além de reduzir o desconforto
uma alternativa à terapia transvenosa, que evita os riscos
causado pela contracção do músculo esquelético.
de deslocamento, infecção, hemorragia, embolização,
O desenho original dos sistemas M Series permite a visão perfuração, flebite e estimulação mecânica ou eléctrica da
e uma interpretação claras do electrocardiograma (ECG) taquicardia ou da fibrilhação ventriculares associadas à
no mostrador, sem descentramento ou distorção durante a estimulação endocardíaca.
estimulação com um aparelho externo.
Supressão da taquicardia:
Uma operação correcta do aparelho, além de uma
O aumento do ritmo cardíaco em resposta ao estímulo
colocação correcta dos eléctrodos, é de importância crítica
externo muitas vezes suprime a actividade ectópica
para a obtenção de resultados ideais. Cada operador
ventricular e poderá evitar a taquicardia.
deverá ficar inteiramente familiarizado com estas
instruções de operação.
Complicações com o marcapasso
Uso pretendido—Marcapasso A fibrilhação ventricular não responde a estimulação e
requer uma desfibrilhação imediata. A disritmia do paciente
Este equipamento pode ser utilizado para estimulação
deverá, portanto, ser determinada imediatamente, de modo
temporária por aparelho externo em pacientes, conscientes
que seja empregue uma terapia apropriada. Se o paciente
ou inconscientes, como alternativa à estimulação
estiver a ser submetido a fibrilhação ventricular e a
endocardíaca.
desfibrilhação for bem sucedida, mas for seguida de uma
Este dispositivo não deverá ser ligado a eléctrodos de paragem cardíaca (assistolia), deverá ser utilizado o
marcapassos internos. marcapasso.
As finalidades da estimulação cardíaca incluem: As taquicardias ventricular ou supraventricular podem ser
interrompidas com estimulação, mas, numa emergência ou
Reanimação em casos de imobilização ou bradicardia
durante um colapso circulatório, a cardioversão
de qualquer etiologia.
sincronizada é mais rápida e mais certa. (Ver secção
"Cardioversão Sincronizada").

1-5
GUIA DO OPERADOR

Pode ocorrer uma dissociação electromecânica a seguir a Monitor


uma paragem cardíaca prolongada ou em casos de
O ECG do paciente é monitorizado ligando-se o paciente
estados de doença com depressão miocardíaca. O
ao sistema através de um cabo de 3 ou 5 derivações, de
estimulo cardíaco poderá, então produzir respostas de
eléctrodos MFE, ou de placas. Durante quatro segundos
ECG sem contracções mecânicas eficazes e serão
são apresentados no mostrador os dados do ECG
necessários outros tratamentos.
juntamente com a seguinte informação:
A estimulação poderá evocar respostas repetitivas não  frequência cardíaca média, derivada da medição dos
pretendidas, taquicardia ou fibrilhação na presença de uma intervalos de R a R
hipoxia, isquemia miocárdica, toxicidade cardíaca devida a
 selecção das derivações I, II, III, aVR, aVL, aVF, V
medicamentos, desequilíbrio electrolítico ou outras
(com cabo para ECG), PAS EXT ou ELÉCTRODOS
doenças cardíacas.
 Tamanho do ECG – 0,5; 1; 1,5; 2, 3 cm/mV
A estimulação por qualquer método tende a inibir a
 potência saída do marcapasso em miliàmperes (versão
ritmicidade intrínseca. A cessação abrupta da estimulação,
com estimulador cardíaco apenas)
particularmente a frequências rápidas, pode causar uma
imobilização ventricular, devendo, por isso, ser evitada.  a taxa de estímulos de marcapasso em impulsos por
minuto (versões com estimulação cardíaca apenas)
A estimulação temporária não invasiva pode causar
 potência de saída do desfibrilhador em joules
desconforto de intensidade variável que, ocasionalmente,
pode ser agudo e ditar a interrupção do seu uso em  outros comandos operacionais, mensagens e códigos
pacientes conscientes. de diagnóstico

Do mesmo modo, a contracção inevitável dos músculos A largura de banda da monitorização ou do diagnóstico dos
esqueléticos pode ser problemática em pacientes muito ECG é seleccionável.
doentes e poderá limitar a continuação do uso a um
pequeno número de horas. Ocorrem frequentemente Função de registo
eritemas ou hiperemias da pele por baixo dos eléctrodos
Um registador de tiras documenta eventos. O registador de
MFE, e este efeito é normalmente, mais potente ao longo
tiras opera, normalmente, em modo retardado (6
do perímetro do eléctrodo. Esta vermelhidão deverá
segundos) para garantir a captação de informação crítica
diminuir substancialmente num período de 72 horas.
do ECG. O registador pode ser activado manualmente
Tem sido referidas queimaduras em áreas da pele sob premindo-se o botão REGISTADOR. É activado
o eléctrodo anterior ao aplicar a estimulação cardíaca automaticamente sempre que seja libertado um CHOQUE
em adultos com fluxos de sangue para a pele do desfibrilhador, quando ocorre um alarme da frequência
severamente limitados. A estimulação prolongada cardíaca ou a função de análise da frequência cardíaca é
deverá ser evitada nesses casos, aconselhando-se a activada. O registador de tiras pode também ser
inspecção periódica da pele. configurado para não imprimir durante esses eventos.
Têm sido referidos casos de inibição passageira da
respiração espontânea em pacientes inconscientes com Opção entre placas ou eléctrodos
aparelhos anteriormente disponíveis quando o eléctrodo
Os aparelhos M Series fazem a desfibrilhação, a
anterior foi colocado demasiado baixo no abdómen.
cardioversão e a monitorização de ECG com a ajuda de
Este aparelho não deve ser ligado a eléctrodos de placas de desfibrilhação ou de eléctrodos almofadados
marcapasso internos. multifunção (MFE) da ZOLL.
Estimulação de pacientes pediátricos A versão com estimulador do aparelho M Series também
A estimulação cardíaca pode ser efectuada em pacientes faz a estimulação através dos eléctrodos MFE da ZOLL.
pediátricos com um peso de 15 kg (33 libras) ou menos, Os comandos SELEC ENERGIA, CARGA e CHOQUE
com os eléctrodos pediátricos MFE especiais da ZOLL. A estão localizados nas placas e no painel dianteiro. Com os
estimulação prolongada (por mais de 30 minutos), eléctrodos MFE deverão utilizar-se os comandos do painel
particularmente em neonatos, pode causar queimaduras. É dianteiro do aparelho. Para alternar entre as placas e os
recomendada a inspecção periódica da pele subjacente. eléctrodos MFE, desligue o cabo multifunções da placa do
ápice e ligue os eléctrodos MFE ao cabo multifunções.

1-6
INFORMAÇÃO GERAL

A função de consulta não pode ser activada, a não ser que Se o seu aparelho M Series não funcionar conforme o
os eléctrodos MFE estejam anexados ao cabo esperado, consulte a secção de localização e diagnóstico
multifunções e sejam utilizados como derivações de de avarias do carregador CA na página B-6.
monitorização do ECG.

Obs.: Os eléctrodos MFE, os eléctrodos MFE Carregador de baterias externo


pediátricos, os stat•padz, e os eléctrodos ECG A carga das baterias feita com carregador externo e a
(não o cabo ECG) são descartáveis e para usar avaliação da capacidade do carregador são efectuadas
uma única vez. pelo ZOLL Base PowerCharger4x4. Podem ser carregados e
testados automaticamente até 4 conjuntos de baterias. Ver
Baterias o guia do operador apropriado para o carregador de
baterias ZOLL e o Programa de Controlo de Baterias
O aparelho M Series utiliza conjuntos de baterias de (Battery Management Program) para obter informações
chumbo-ácido seladas facilmente substituíveis que, mais pormenorizadas sobre as especificações, utilização e
quando novas e carregadas, proporcionam pelo menos 2,5 controlo dos conjuntos de bateria ZOLL.
horas de monitorização. A utilização do desfibrilhador, do
registador de gráficos de tiras e do marcapasso reduzirá
este tempo. Diagnósticos
Quando aparecer uma mensagem de “BATERIA FRACA” Um computador contido dentro do aparelho executa testes
no mostrador e o aparelho emitir um bip duas vezes de de auto-diagnóstico sempre que o aparelho for ligado
seguida, conjuntamente com a mensagem indicada, a inicialmente e periodicamente durante a sua operação.
bateria deverá ser substituída e recarregada. Durante a sua operação, uma mensagem “Função* FALHA
XX” será exibida se for detectada uma falha. Se isso
ocorrer, desligue o aparelho e depois volte a ligá-lo e
Carregador de baterias interno
verifique de novo o seu funcionamento. Se a mensagem
A carga das baterias pode ser efectuada dentro do continuar a ser exibida, contacte pessoal de assistência
aparelho, por meio de uma linha de alimentação de autorizado.
corrente alternada, de um circuito de entrada de corrente
*Função: pode incluir Registador, Ritmo, Desfib, etc.
contínua opcional, ou através de um carregador de
baterias externo.

Se o aparelho M Series estiver ligado a uma linha de


alimentação de corrente alternada ou a um dispositivo de
alimentação de corrente contínua, os indicadores de
CARREGADOR LIG funcionarão da seguinte maneira:

A luz indicadora amarelo-alaranjada de CARREGADOR


LIG ficará continuamente acesa sempre que o aparelho
esteja desligado, com a bateria a carregar, ou sempre que
esteja ligado com uma bateria instalada.

A luz indicadora verde de CARREGADOR LIG ficará


continuamente acesa sempre que o aparelho esteja
desligado e a bateria instalada tenha sido plenamente
carregada até à sua capacidade máxima actual.

As luzes indicadoras verde e amarelo-alaranjada de


CARREGADOR LIG acender-se-ão alternadamente
quando não houver nenhuma bateria instalada no aparelho
ou se tiver sido detectada uma avaria no carregamento da
bateria.
Quando o aparelho não estiver ligado a uma tomada de
corrente alternada, as luzes indicadoras de
CARREGADOR LIG permanecerão apagadas.

1-7
GUIA DO OPERADOR

Considerações de segurança ou
 Mude a energia do desfibrilhador selecionada
Os sistemas M Series são aparelhos de alta energia,
capazes de libertar até 360 joules. Para desactivar Como função de segurança, o aparelho carregado é
completamente o aparelho, é necessário regular o BOTÃO automaticamente desarmado se for deixado inactivo
SELECTOR para a posição DESLIG. durante mais de 60 segundos(15 segundos nas versões
AED).
Para desarmar um desfibrilhador carregado:
Obs.: Os termos “Eléctrodos Almofadados Multifunção
 Mude o BOTÃO SELECTOR para MONITOR, DESLIG ou ZOLL (MFE)” e “Eléctrodos MFE” são utilizados
ESTIMUL(só nas versões equipadas com estimulador) indiferencia-damente ao longo deste manual.

AVISOS
Advertências Gerais • As unidades M Series equipadas com a opção
 A lei federal (E.U.A.) restringe a utilização deste Bluetooth® incluem um transmissor de RF que transmite
aparelho, permitindo-o apenas a médicos ou por ordem com 0 dBm de potência na banda ISM de 2,4 GHz.
médica.  Não operar o aparelho sem uma bateria. Manter sempre
 O uso de eléctrodos externos de estimulação/ um conjunto de baterias sobressalentes totalmente
desfibrilhação ou de aparelhos adaptadores de fontes carregado com o aparelho.
distintas da ZOLL não é recomendado. A ZOLL não faz  A utilização regular de conjuntos de baterias parcialmente
nenhuma afirmação nem dá nenhuma garantia no que carregadas sem que estas tenham sido totalmente
diz respeito ao desempenho ou eficácia dos seus carregadas no intervalo das utilizações, poderá resultar
produtos quando esses sejam utilizados conjuntamen-te na redução permanente da capacidade do conjunto e no
com eléctrodos de estimulação/desfibrilhação ou com seu enfraquecimento prematuro.
aparelhos adapta-dores de outras fontes. As falhas do
aparelho atribuíveis ao emprego de eléctrodos de  Testar as baterias regularmente. As baterias que não
estimulação/desfibrilhação ou a adaptadores não passem o teste ZOLL de capacidade poderão deixar de
fabricados pela ZOLL, podem invalidar a garantia da funcionar inesperadamente sem qualquer aviso.
ZOLL.  Substituir a bateria por uma bateria totalmente carregada
 A operação correcta do aparelho, assim como a imediatamente após aparecerem as mensagens
colocação correcta do eléctrodo, é de importância crítica "BATERIA FRACA" ou "SUBSTITUIR BATERIA".
para a obtenção dos melhores resultados. Os  A desfibrilhação de urgência deverá ser executada
operadores devem estar bem familiarizados com a apenas por pessoal devidamente treinado e habilitado
operaçao correcta do aparelho. que esteja familiarizado com a operação do equipamento.
 Não utilizar o aparelho no modo semi-automático Uma formação especializada, tal como cursos com
quando o paciente estiver a movimentar-se. O paciente obtenção de certificado Advanced Cardiac Life Support
deve ficar imobilizado durante a análise do ECG. Não (ACLS) ou Basic Life Support (BLS) deverão ser
tocar no paciente durante a análise. Cessar toda a determinados pelo médico que faz a prescrição.
movimentação de transporte em maca ou veículo antes  A cardioversão sincronizada deverá ser efectuada
de fazer uma análise do ECG. Se o aparelho estiver a apenas por pessoal treinado e habilitado com o curso de
ser utilizado num veículo de urgência médica, parar
Advanced Cardiac Life Support (ACLS) e que esteja
completamente o veículo antes de utilizálo em modo
familiarizado com a operação do equipamento. A arritmia
semi-automático.
cardíaca deverá ser determinada com precisão antes de
 Coloque o paciente numa superfície firme antes de se tentar a desfibrilhação.
realizar a RCP.  Antes de efectuar uma cardioversão sincronizada,
 O aparelho está protegido contra interferências de verificar se a qualidade do sinal de ECG é boa e se as
emissões de frequência rádio típicas de rádios de duas marcas de sincronização são mostradas por cima de
vias e telemóveis (digitais e analógicos) utilizados em cada representação do complexo QRS.
operações de serviços de urgência/ segurança pública.  Estas instruções de operação descrevem as funções e a
Os utilizadores deverão avaliar o desempenho do operação correcta do sistema M Series. Não se destinam
aparelho no seu ambiente típico de utilização para a substituir um curso de formação formal. Os operadores
analisar a possibilidade de interferência de frequência devem realizar cursos formais ministrados por uma
rádio de fontes de alta potência. A interferência de
entidade competente antes de utilizarem o aparelho para
radiofrequência pode ser observada sob a forma de
cuidados de pacientes.
alternâncias na linha de base do monitor, de
compressão do traço e de espigas passageiras no
mostrador.

1-8
INFORMAÇÃO GERAL

AVISOS (continuação)  Na desfibrilhação com utilização de placas, utilizar apenas


 Não desmontar o aparelho. Há perigo de choque. gel electrolítico de alta condutividade especificado pelo
Comunicar todos os problemas a um serviço de fabricante para tal utilização.
assistência técnica autorizado.  Para evitar o risco de choque eléctrico, não deixar
 Seguir todas as instruções de manutenção recomendadas. acumular gel electrolítico nas mãos ou nas asas das
Se ocorrer um problema, obter assistência técnica placas.
imediatamente. Não utilizar o aparelho antes dele ter sido  Para evitar o risco de choque eléctrico, não tocar na área
inspeccionado por pessoal competente. dos eléctrodos MFE a que foi aplicado gel durante a
 Não utilizar o sinal de saída de ECG do aparelho como um estimulação.
impulso sincronizado para outro desfibrilhador ou  Ao fazer a desfibrilhação com placas, usar os dedos
cardioversor. polegares para operar os botões de CHOQUE a fim de
 O sinal de saída de ECG é retardado em até 25 mS. Este evitar algum choque provocado inadvertidamente.
retardamento deverá ser considerado quando o sinal de Nenhuma secção da mão do operador deve ficar próximo
saída do ECG for utilizado como sinal de entrada para das chapas das placas.
outros aparelhos que requeiram uma sincronização de  Usar apenas os polegares para apertar os botões de
ondas R. CHOQUE. Caso contrário, poderão ser apertados
 O M Series pode não funcionar de acordo com as inadvertidamente os botões SELEC ENERGIA, o que
especificações quando após estar armazenado a uma levará o desfibrilhador a desarmar-se.
temperatura-limite mínima ou máxima de armazenamento  Não descarregar o desfibrilhador, excepto quando
for posto imediatamente em operação. indicado nas instruções. Não descarregar o desfibrilhador
 Evite utilizar o M Series próximo a ou empilhado sobre se os eléctrodos MFE não estiverem devidamente
outros equipamentos. Se for inevitável, verifique se o colocadas no paciente.
M Series funciona normalmente nesta configuração antes  Verificar sempre se o equipamento funciona correctamente
do uso clínico. e está nas devidas condições, antes de utilizá-lo.
 O M Series deve ser instalado e colocado em  Desligar todo o equipamento electromédico que não esteja
funcionamento em conformidade com as informações de protegido contra desfibrilhação do paciente, antes da
compatibilidade electromagnética (EMC) presentes no desfibrilhação.
anexo A deste manual.  A utilização de equipamento ACESSÓRIO que não
 A utilização de acessórios, transdutores e cabos que não respeite os requisitos de segurança equivalentes deste
aqueles especificados neste manual e respectivos equipamento poderá implicar um nível reduzido de
componentes manuais opcionais do M Series pode segurança do sistema resultante. As considerações
resultar no aumento de emissões ou diminuição da relativamente à escolha incluirá:
imunidade do M Series. • Utilização do acessório nas PROXIMIDADES DO
Segurança do operador PACIENTE
 Não utilizar o sistema M Series na presença de uma • Provas de que a certificação de segurança do ACESSÓR-
atmosfera carregada de oxigénio, de anestésicos IO foi efectuada de acordo com as normas harmonizadas
inflamáveis ou de outros agentes inflamáveis (tais como a IEC(EN) 60601-1 e/ou IEC(EN) 60601-1-1 adequadas.
gasolina). A utilização deste instrumento próximo a um local
de derrame de gasolina poderá causar uma explosão. Segurança do Paciente

 Não utilizar o instrumento na proximidade ou dentro de  Os níveis de energia de desfibrilhação em pacientes


poças de água. A segurança do aparelho pode ser neonatos ou pediátricos deverão ser regulados com base
comprometida se este ficar molhado. nos protocolos clínicos específicos da instalação
hospitalar.
 Não descarregar com placas ou com eléctrodos MFE em
curto-circuito ou ao ar livre.  Não utilize a função AED em doentes com idade inferior a
8 anos.*
 Avisar todas as pessoas que assistam ao paciente para
se MANTEREM AFASTADAS antes da descarga do  O aparelho detecta apenas sinais eléctricos de ECG. Não
desfibrilhador. detecta um impulso (i.e., perfusão circulatória efectiva).
Verificar sempre o pulso e o ritmo cardíaco através de um.
 Não tocar no leito, no paciente ou em qualquer exame físico do paciente. Nunca assumir que uma
equipamento ligado ao paciente durante a desfibrilhação. indicação de ritmo cardíaco não zero significa que o
Poderá ocorrer um choque intenso. Não permitir que áreas paciente esteja com pulso.
expostas do corpo do paciente toquem em objectos de
metal, tais como a armação da cama, visto daí poderem
resultar vias de corrente de desfibrilhação não desejadas.

* AHA Guidelines 2000 for Cardiopulmonary Resuscitation and Emergency Cardiovascular Care, I-64, 2000.

1-9
GUIA DO OPERADOR

AVISOS (continuação)  A presença de cabelos ou pele suados ou húmidos pode


 Utilizar apenas eléctrodos de ECG de qualidade. Os inibir o acoplamento (contacto), o que pode originar um
eléctrodos de ECG destinam-se apenas à obtenção do arco voltaico e à possibilidade de queimaduras da pele.
ritmo. Não tentar desfibrilhar ou fazer estimulação Apare o excesso de pêlos e seque a humidade
cardíaca através de eléctrodos de ECG. envolvente, nas áreas onde o eléctrodo deve ser
colocado.
 A função de análise do ritmo ECG não avisa o operador
de uma assistolia do paciente, visto este não ser um  Os eléctrodos MFE deverão ser substituídas a cada 8
ritmo tratável por choque. horas de estimulação cardíaca contínua (duas horas para
eléctrodos Radiolucent statpadz) para assegurar o
 Não usar eléctrodos de ECG ou eléctrodos de MFE se o máximo de benefício para o paciente.
gel estiver seco, separado, dilacerado ou dividido do
invólucro; se o fizer, o paciente pode sofrer queimaduras.  A fim de evitar queimaduras electrocirúrgicas nos locais
Uma má aderência e/ou a presença de ar sob os de monitorização, assegure-se de que a ligação do
eléctrodos MFE podem originar um arco voltaico e circuito de retorno electrocirúrgico está feita
provocar queimaduras na pele. correctamente, de modo a que as vias de retorno da
corrente não possam ocorrer.
 Os marcapassos implantados poderão levar o medidor
de frequência cardíaca a contar o ritmo de marcapasso  Uma estimulação cardíaca prolongada (por mais de 30
durante incidentes de paragem cardíaca ou de outras minutos), particularmente em neonatos ou adultos com
arritmias. Os pacientes que usem um marcapasso um fluxo sanguíneo severamente restringido poderá
deverão ser cuidadosamente observados. Verificar o causar queimaduras. É recomendada a inspecção
pulso do paciente; não basear-se inteiramente nos periódica da pele subjacente.
medidores de frequência cardíaca. Um circuito de  Verifique os níveis de fuga da corrente antes de usar. As
detecção dedicado de um marcapasso poderá não fugas da corrente poderão ser excessivas se estiverem
detectar todas as linhas de espiga de marcapasso ligados ao paciente mais do que um monitor ou outra peça
implantados. A ficha médica e os resultados de um de equipamento.
exame físico são importantes para a determinação da
presença de um marcapasso implantado.

ATENÇÃO
• Não instalar a bateria no aparelho quando este estiver estado armazenado por mais de 90 dias. Poderão ocorrer
danos.
• O intervalo entre a exibição da mensagem "BATERIA FRACA" e a desligação do aparelho poderá ser de menos de
um minuto quando as baterias começam a ficar gastas.
• O sistema M Series é normalmente enviado com uma bateria PD 4410, mas pode, opcionalmente, utilizar a bateria
XL, depois de ser configurado de forma adequada. A configuração incorrecta da unidade para funcionar com a bateria
XL quando a bateria PD 4410 estiver instalada reduzirá significativamente o número de choques do desfibrilhador que
podem ser libertados entre a exibição da mensagem de aviso “BATERIA FRACA” e a desligação do sistema M Series.
(Consulte o guia de configuração do M Series, P/N 9650-0201-01, para obter detalhes completos relativamente a
como configurar correctamente o tipo de bateria seleccionado.)
• Não esterilizar o aparelho.
• Não esterilize o conector CPRD-to-MFC.
• Não mergulhar nenhuma peça do aparelho em água.
• Não utilizar álcool nem cetonas (MEK, acetona etc.) no aparelho.
• Evitar utilizar agentes abrasivos (por ex., toalhas de papel) na janela do écran.
• A fiabilidade da ligação à terra SÓ pode ser assegurada quando o equipamento estiver ligado a uma tomada
equivalente marcada “HOSPITALAR” ou “QUALIDADE HOSPITALAR”. Se a integridade da ligação à terra do fio
eléctrico ou do receptáculo de corrente alternada for duvidável, operar só com bateria.
• Usar apenas cabos de ECG (nomeadamente, cabos que possuam resistores internos limitadores da corrente)
especificados ou fornecidos pela ZOLL Medical Corporation para proteger o aparelho M Series contra danos durante
a desfibrilhação, para informação precisa sobre o ECG, e para protecção contra ruídos e outras interferências.

1-10
INFORMAÇÃO GERAL

Reiniciar o funcionamento do aparelho Notificação de eventos adversos


Determinados eventos requerem que o funcionamento Como provedora de cuidados de saúde, a sua instituição
do sistema M Series seja reiniciado depois de o poderá ter responsabilidades nos termos da SMDA pela
aparelho ter estado desligado ou ficado inoperante. comunicação à ZOLL e possivelmente à FDA da ocorrência
de certos eventos.
Um exemplo é quando a bateria fica descarregada e o
aparelho se desliga. O interruptor de selecção deverá Esses eventos, descritos em 21 CFR Part 803, incluem morte
estar sempre ligado para a posição de desligado e lesões graves ou doenças causadas pelo aparelho. Em
(DESLIG) antes de se retirar a bateria. O interruptor de qualquer caso, e ao abrigo do Programa da Garantia da
selecção pode então ser ligado para o aparelho Qualidade, a ZOLL deverá ser notificada de quaisquer falhas
continuar a funcionar depois de se introduzir a nova ou avarias de um aparelho. Esta informação é necessária
bateria. Esta sequência é necessária para reiniciar o para garantir que a ZOLL forneça produtos da mais alta
funcionamento do aparelho, e pode também ser utilizada qualidade.
para apagar alguma das mensagens “X FALHA XX”,
caso o aparelho tenha que ser utilizado imediatamente.
Garantia (só nos E.U.A.)
(a) ZOLL Medical Corporation garante ao adquirente do
Notar que algumas configurações (como por exemplo,
equipamento original que a partir da data da instalação ou
configurações de alarme, selecção de derivações trinta (30) dias após a data da expedição das instalações da
tamanho do ECG) poderão ter que ser restabelecidas ZOLL Medical Corporation, o que ocorrer primeiro, o
dos seus valores por defeito quando for recomeçado equipamento (com exclusão dos acessórios e eléctrodos)
funcionamento do aparelho. estará livre de defeitos de material e de fabrico sob
condições e assistência normais por um período de um (1)
Regulamentos da FDA ano. Durante este período, a ZOLL Medical Corporation, sem
Requisitos de rastreio qualquer encargo para o cliente, reparará ou substituirá (por
opção única da ZOLL Medial Corporation) qualquer peça do
A Lei Federal (E.U.A.) (21 CFR 821) exige o rastreio dos equipamento que a ZOLL Medical Corporation tenha
desfibrilhadores. O proprietário deste aparelho tem a considerado ser defeituosa quanto ao material ou ao fabrico.
responsabilidade nos termos desta lei de notificar a Se a inspecção da ZOLL Medical Corporation não detectar
ZOLL Medical Corporation, caso o mesmo não tenha nenhum defeito no material ou no fabrico, aplicar-se-ão as
sido recebido, se tenha perdido, tenha sido furtado ou taxas de serviço normais da ZOLL Medical Corporation.
destruído; ou tenha sido doado, revendido ou de (b) A ZOLL Medical Corporation não será responsável por
qualquer forma distribuído a uma organização diferente. nenhum defeito do equipamento, falha do equipamento em
executar qualquer função ou qualquer outra falta de
Se ocorrer qualquer dos eventos descritos acima, queira conformidade do equipamento causada ou atribuída a (i)
contactar a ZOLL Medical Corporation por escrito, qualquer modificação do equipamento pelo cliente, a menos
enviando a seguinte informação: que tal modificação seja feita com a aprovação prévia escrita
da ZOLL Medical Corporation (ii) a utilização do equipamento
1. Organização originadora - Nome da companhia, com qualquer equipamento afim ou complementar (iii)
endereço, nome para contacto, número do instalação ou ligação de fios eléctricos do equipamento que
contacto telefónico não seja de acordo com as instruções da ZOLL Medical
2. Número de Peça (Referência)/ Número de Modelo Corporation. (c) Esta garantia não cobre artigos sujeitos a
e Número de Série desgaste e fadiga normais durante o uso, inclusive, sem no
entanto se limitar a lâmpadas, fusíveis, baterias, cabos de
3. Destino do aparelho (recebido, perdido, furtado,
ligação ao paciente e acessórios. (d) A garantia acima
distribuído a outra organização)
constitui o recurso legal exclusivo do cliente e a
4. Nova localização e/ou organização (se diferente responsabilidade legal exclusiva da ZOLL Medical
da no. 1) - Nome da companhia, endereço, Corporation por qualquer violação de qualquer garantia
número do contacto telefónico relacionada com o equipamento ao abrigo da mesma. (e)
5. Data em que a mudança teve lugar Limitação de responsabilidade: a ZOLL Medical Corporation
não será, em nenhuma eventualidade responsável perante o
6. Outras informações ou comentários
adquirente, nem tal adquirente poderá recuperar, por
Queira remeter as suas informações para: prejuízos especiais, imprevistos ou indirectos resultantes de
qualquer violação da garantia, qualquer falha da finalidade
ZOLL Medical Corporation essencial ou nos termos de qualquer teoria jurídica, incluindo
Attn: Tracking Coordinator sem no entanto se limitar a perda de lucros, perda de
269 Mill Road economias, tempo de inactividade, conceito do comerciante
Chelmsford, MA 01824-4105 E.U.A. na praça, da danificação ou substituição de equipamento e
Fax: (978) 421-0010 bens, mesmo se a ZOLL Medical Corporation tiver sido
Tel: (978) 421-9655 avisada da possibilidade de tais danos.

1-11
GUIA DO OPERADOR

A GARANTIA CONTIDA NO PRESENTE É EXCLUSIVA Assistência técnica


E A ZOLL MEDICAL CORPORATION RENUNCIA
EXPRESSAMENTE A TODAS AS OUTRAS O aparelho não requer uma calibração ou ajustamentos
GARANTIAS QUER ESCRITAS, ORAIS, IMPLÍCITAS periódicos. Contudo, deverão ser realizados testes periódicos
OU LEGAIS INCLUINDO, MAS SEM NO ENTANTO SE do aparelho por pessoal técnico devidamente treinado para
LIMITAR A QUALQUER GARANTIA DE verificar a sua operação (ver secção Manutenção Geral).
COMERCIABILIDADE OU APTIDÃO PARA Clientes nos E.U.A.
DETERMINADA FINALIDADE.
Caso o aparelho necessite de assistência técnica deverá ser
Para informações suplementares, queira contactar a devolvido, na sua embalagem original, para:
ZOLL Medical Corporation através do telefone 1-800-
348-9011 (E.U.A.) (no Massachusetts: 1-978 421-9655). ZOLL Medical Corporation
Os clientes de outros países devem contactar o centro 269 Mill Road,
de assistência técnica autorizado mais próximo da ZOLL Chelmsford, Massachusetts 01824-4105,
Medical Corporation Attn: Technical Service Department

São facultados instrumentos em regime de empréstimo para


Licença de software serem utilizados enquanto o aparelho estiver a ser reparado.
Leia este Manual do Operador e o contrato de cessão Para solicitar equipamento em empréstimo contactar o
atentamente antes de operar o sistema M Series. Serviço de Assistência Técnica da ZOLL através do número
1-800-348-9011 (no Massachusetts: 1-978 421-9655).
O software incorporado no sistema M Series é protegido
Convém ter os seguintes elementos à mão para acelerar o
pelas leis de direitos autorais e pelas leis internacionais
de direitos autorais, bem como por outras leis e tratados serviço:
relativos à propriedade intelectual. Ao receber e ao  Número de série do aparelho
utilizar este sistema, o adquirente expressa a sua
concordância em aceitar os seguintes termos e  Descrição do problema
condições:
 Departamento onde o equipamento está a ser utilizado
1. Concessão da Licença. Em compensação do
pagamento da taxa de cessão de software que faz  Fitas de ECG de amostra documentando o problema
parte do preço pago por este produto, a ZOLL (caso existam)
Medical Corporation concede ao adquirente uma  Uma Ordem de Compra que permita rastrear o
licença não exclusiva, sem o direito de autorização a
equipamento em empréstimo
terceiros, para utilizar o software do sistema apenas
sob a forma de código de objecto. Clientes de outros países
2. Propriedade do software/firmware: Os direit- Caso o aparelho necessite de assistência técnica, devolvê-lo,
os, a propriedade e todos os direitos e interesses no na sua embalagem original, para o centro de assistência
software do sistema e todas as cópias do mesmo técnica autorizado mais próximo da ZOLL Medical
cabem sempre de direito ao fabricante, e às
Corporation.
entidades que receberam autorização da ZOLL
Medical Corporation e não passam para o
adquirente.
3. Cessão de direitos: O adquirente concorda em
não ceder, sublicenciar ou de qualquer outra forma
transferir ou partilhar os seus direitos nos termos da
licença sem a autorização expressa escrita da ZOLL
Medical Corporation.
4. Restrições de uso: Como adquirente, poderá
fisicamente transferir os produtos de uma localidade
para outra, desde que o software/firmware não
sejam copiados. O adquirente não pode divulgar,
publicar, emitir, ou distribuir cópias de
software/firmware a outros. O adquirente não poderá
modificar, adaptar, traduzir, retromontar,
descompilar, compilar em combinação, desmontar
ou criar produtos derivados com base no software/
firmware.

1-12
INFORMAÇÃO GERAL

Informação relativa às formas de onda do desfibrilhador


Informações gerais
As seguinte formas de onda de desfibrilhação são produzidas quando o aparelho é descarregado em cargas
de 25, 50 e 100 ohm à máxima energia. Cada divisão vertical principal equivale a 1000 volts; cada divisão
horizontal principal equivale a 2 milissegundos..

Descarga em carga de 25 ohm

Descarga em carga de 50 ohm

Descarga em carga de 100 ohm

1-13
GUIA DO OPERADOR

Precisão do algoritmo de análise do ECG


A sensibilidade, a especificidade, a taxa positiva falsa e predicabilidade positiva são expressões da exactidão de
um sistema de análise ECG em comparação com os cálculos feitos por médicos ou especialistas. Os dados
específicos dos cálculos estão detalhados abaixo. Os dados indicados mostram a exactidão do algoritmo testado
por investigadores independentes.

O algoritmo:
 Divide o ritmo ECG em três segmentos de 3 segundos.
 Filtra e mede ruídos, artefactos e a divulgação da linha de base.
 Mede o conteúdo da linha de base (ondulamento na frequência correcta - análise do domínio da frequência)
do sinal.
 Mede a taxa, a largura e a variabilidade do complexo QRS.
 Mede a amplitude e a regularidade temporal ('auto-correlação') dos picos e das depressões entre ondas.
 Determina se dois em cada 3 dos segmentos de 3 segundos são tratáveis por choque e, então, exibe a
mensagem "DAR CHOQUE".
A sequência de algoritmos leva aproximadamente 9 segundos.

Resultados do desempenho clínico

Aplicações: Nº de análises Nº de pacientes


316 194

Ritmos tratáveis por choque

Sensibilidade geral 95,7%


Predicabilidade positiva 100,0%

Ritmos não tratáveis por choque

Especificidade geral 100%


Taxa positiva falsa 0%

Sensibilidade = Nº de decisões de "choque correcto" pelo algoritmo


Nº total dos ritmos para os quais é clinicamente aconselhado um choque

Especificidade = Nº de decisões de "choque não correcto" pelo algoritmo


Nº total de ritmos para os quais não é clinicamente aconselhado nenhum choque

Taxa positiva-falsa = Nº de decisões de "choque incorrecto " pelo algoritmo


Nº total de ritmos para os quais não é clinicamente aconselhável nenhum choque

Predicabilidade positiva = Nº de decisões de "choque correcto " pelo algoritmo


Nº total de ritmos para os quais é aconselhado um choque pelo aparelho

1-14
SECÇÃO 2
COMANDOS E INDICADORES DE OPERAÇÃO

1. BOTÃO SELECTOR 4. CHOQUE


O botão selector permite fazer a selecção dos O botão CHOQUE fica iluminado quando o
seguintes modos: DESLIG, MONITOR, DESFIB e desfibrilhador está carregado e pronto. Prima o
ESTIMUL (só na versão com estimulador cardíaco). botão para descarregar o desfibrilhador.
2. BOTÕES SELEC ENERGIA DO DESFIBRILHADOR O botão CHOQUE só está activo quando utiliza
Dois conjuntos de botões com setas para cima e eléctrodos almofadados multifunção (MFE), placas
para baixo controlam a regulação do nível da externas em autoclave ou placas internas de
energia do desfibrilhador; um dos conjuntos está desfibrilhação sem um botão de descarga. O botão
situado no painel dianteiro e o outro está localizado CHOQUE não está operacional quando existem
na placa do esterno. placas externas ligadas ao aparelho.
Prima e mantenha premido o botão com a seta Cada placa externa tem um botão CHOQUE
apropriada, para cima (mais) ▲ ou para baixo localizado junto à extremidade dianteira da asa.
(menos) ▼, até que o nível de energia desejado seja Para descarregar o desfibrilhador, prima
indicado no ecrãn. simultaneamente ambos os botões e mantenha-os
premidos.
3. CARREGAR O DESFIBRILHADOR
Ao premir-se o botão de carregar no painel dianteiro,
ou o da asa da placa do ápice, se estiverem a ser
utilizadas as placas, o desfibrilhador é carregado
com o nível de energia seleccionado.

2-1
GUIA DO OPERADOR

5. ANALISAR O aparelho pode ser regulado para a largura de


banda de diagnóstico (0,05-150 Hz) premindo-se o
O botão ANALISAR inicia a análise do ECG para
botão REGISTADOR.
identificar ritmos de choque.
A largura de banda de diagnóstico será mantida
6. TECLAS PROGRAMÁVEIS enquanto o botão REGISTADOR estiver premido. O
Cinco botões sem rótulos de identificação aparelho volta à largura de banda de monitorização
localizados directamente abaixo do écran permitem normal quando o botão REGISTADOR for solto.
o comando das diferentes funções, consoante o
modo de operação do aparelho. As legendas de 11. ALTURA DO SOM DO APITO (ECG)
identificação das teclas programáveis são exibidas Este botão faz com que um menu instantâneo
na parte de baixo do écran, imediatamente por cima apareça no écran, juntamente com os botões
de cada tecla programável, para indicar a sua programáveis para ajustar a altura do som. Este
função. botão permite um ajustamento manual do tom do
7. DERIVAÇÃO (DERIV) apito QRS desde a altura máxima até uma
frequência inaudível. (A altura do som do alarme da
O botão DERIV determina a selecção da fonte do
frequência cardíaca e do toque indicador de carga
ECG. Quando se prime sequencialmente este botão
pronta não são ajustáveis). Prima este botão para
são seleccionados os sinais de ECG provenientes
apresentar um menu de ajuste do volume através de
de cada uma das seguintes derivações - "I", "II", "III",
teclas programáveis.
“aVR, aVF, aVL, PAS EXT" (placas do desfibrilha-
dor), ou "ELÉCTRODOS" (eléctrodos almofadados 12. AJUSTE DA LUMINOSIDADE/ CONTRASTE
multifunção – MFE) para exibição. A derivação
Este botão faz com que um menu instantâneo
“ELÉCTRODOS” ou “PAS EXT” é automaticamente
apareça no écran, juntamente com as teclas
seleccionada quando o aparelho é ligado no modo
programáveis, para ajustar a luminosidade do écran
DESFIB ou MONITOR e os eléctrodos MFE ou as
(o contraste do écran de cristais líquidos).
placas estão ligadas ao cabo multifunções.
A derivação II é seleccionada automaticamente 13. CARREGADOR LIGADO (CARREGADOR LIG)
quando a unidade M Series é ligada no modo Quando o aparelho M Series estiver ligado a uma
ESTIMUL (só na versão com estimulador). A tomada de corrente alternada, as luzes indicadoras
monitorização através dos eléctrodos (MFE) ou das de CARREGADOR LIG funcionarão da seguinte
placas não pode ser utilizada no modo ESTIMUL. maneira:
A luz indicadora amarelo-alaranjada de
8. TAMANHO (TAMAN)
CARREGADOR LIG ficará continuamente acesa
O botão TAMANHO permite alterar o tamanho em sempre que o aparelho esteja DESLIGADO, com a
que o sinal do ECG é apresentado. As opções de bateria a carregar, ou sempre que esteja LIGADO
tamanho, indicadas do lado direito, ao centro, na com uma bateria instalada.
parte superior do ecrã, são 0,5; 1; 1,5; 2 e 3 cm/mV. A luz indicadora verde de CARREGADOR LIG ficará
9. SUSPENDER ALARME continuamente acesa sempre que o aparelho esteja
desligado e a bateria instalada tenha sido
O botão SUSPENDER ALARME é utilizado para plenamente carregada até à sua capacidade máxima
activar, desactivar e suspender o som de todas as actual.
funções de alarme. Um símbolo com a forma de um
As luzes indicadoras verde e amarelo-alaranjada de
sino (  ) aparece no centro do topo do écran
CARREGADOR LIG acender-se-ão alternadamente
quando o alarme está activado. Quando os alarmes
quando não houver nenhuma bateria instalada no
estão desactivados quer sonora quer permanente-
aparelho ou se tiver sido detectada uma avaria no
mente, aparece um "X" em frente do símbolo do sino
carregamento da bateria.
( ). Quando os alarmes estão activados, e ocorre
uma situação de alarme, soa um toque audível e o Quando o aparelho não estiver ligado a uma tomada
símbolo do sino pisca. Para evitar uma possível de corrente alternada, as luzes indicadoras de
confusão com o tom indicativo de que o CARREGADOR LIG permanecerão apagadas.
desfibrilhador está carregado, o toque de alarme da 14. BANDEJA DO PAPEL
frequência cardíaca soa com uma frequência
diferente quando o selector está regulado para Mantém o suprimento de papel para o registador.
DESFIB. Prima-a para baixo e puxe-a para fora para abrir a
gaveta e substituir o papel.
10. REGISTADOR
15. RESUMO
Este comando inicia e interrompe o funcionamento
do registador de tiras. Existe um botão O botão RESUMO recupera as informações
REGISTADOR localizado no painel dianteiro do armazenadas sobre o paciente e imprime-as no
aparelho e outro localizado na placa do esterno. registador do aparelho num Relatório resumido. A
2-2
COMANDOS E INDICADORES DE OPERAÇÃO

função Relatório resumido regista automaticamente


dados críticos relativos ao ECG do paciente, os 23. Microfone opcional
parâmetros dos comandos, a hora e as terapias
Regista a actividade em redor da unidade M Series
administradas durante certos eventos.
para armazenamento numa memória não volátil e no
Consulte a secção "Relatório Resumido" para obter cartão PCMCIA.
mais informações. LUZ INDICADORA DE CARGA (não ilustrada)
16. MARCA DE CÓDIGO (MARCA DE CÓD) Localizada na placa do ápice, esta luz fica acesa
quando o desfibrilhador está carregado e pronto
O botão MARCA DE CÓD activa um menu e as
teclas programáveis que permitem que o aparelho TERMINAL DE ENSAIO DO DESFIBRILHADOR
registe na memória interna a administração de (não ilustrado)
medicamentos ou tratamentos específicos.
Localizado no cabo multifunções, o conector de
Consulte a secção "Marcas de Código" para obter ensaio é utilizado para testar a saída de potência do
mais informações. desfibrilhador durante a utilização do cabo
multifunções.
17. Ranhura do cartão de dados PCMCIA
PLACAS PEDIÁTRICAS (não ilustradas)
Contém o cartão de memória flash PCMCIA para
armazenamento e obtenção de dados. Eléctrodos de tamanho pediátrico estão
incorporados no conjunto das placas. Eles estão
18. Ranhura para modem PC Card (só na opção
dispostos sob a superfície do eléctrodo para adultos,
de 12 derivações)
ficando acessíveis quando se prime o botão PEDI na
Contém placa para modem para transmissão de frente de cada placa e se faz deslizar para a frente a
informações do ECG de 12 derivações para locali- base da placa para adultos. Ao se reporem no lugar
zações remotas através da linha terrestre ou de os eléctrodos das placas para adultos, é importante
telemóveis. Consulte o apêndice relativo à monitor- que o eléctrodo fique travado correctamente em
ização do ECG de 12 derivações (n.º. componente posição na asa da placa.
9650-0215-01) para obter mais informações.
Botão PEDI
Nota: A ranhura do modem está reforçada com uma Eléctrodo
protecção de plástico. para adultos
(Sapata)

19. CORRENTE ESTIMUL mA (só na versão com


estimulador)
Quando a estimulação está seleccionada, este
comando define a quantidade de corrente fornecida
aos eléctrodos almofadados multifunção (MFE). Em
pacientes conscientes, deverá ser aumentada Eléctrodo
Pediátrico
gradualmente até a captura ser reconhecida. A (Placa)
corrente seleccionada é indicada no ecrã.
20. BOTÃO 4:1 (só na versão com estimulador)
Este comando é utilizado para testar o limiar ou para
SAÍDA DO ECG DE 1 VOLT (não ilustrada)
determinar o ritmo subjacente do paciente. Quando
premido, este botão faz com que os estímulos sejam
entregues a 1/4 da definição de ppm indicada. Se Uma saída de 1 volt/cm do sinal de saída do ECG
soltar o comando, o instrumento voltará ao seu exibido pode ser obtida de uma tomada de som
funcionamento normal de estimulação. localizada na parte de trás do aparelho. Esta saída
pode ser utilizada para interligações com os
21. RITMO DO ESTIMUL ppm (só na versão com monitores de paciente e com equipamento de
estimulador) telemetria. A ponta conduz o sinal do ECG e a
Quando a estimulação está seleccionada, este manga está ligada à terra.
comando define o ritmo a que o estimulador
cardíaco funcionará. Tem de ser definido acima do
ritmo intrínseco do paciente para que o estimulador
cardíaco forneça estímulos. O ritmo de estimulação
seleccionado é indicado no ecrã.
22. Sinal sonoro de sístole e alarme
Emite sinais sonoros do ritmo cardíaco durante a
monitorização do ECG e sinais sonoros de alarme
quando ocorre uma situação de alarme.
2-3
GUIA DO OPERADOR

Marcas de Código programáveis. São mantidas listas distintas de


Marcas de Código para os modos ESTIMUL,
Quando prime o botão MARCA DE CÓD, o aparelho MONITOR e DESFIB, permitindo assim que as
apresenta uma lista pré-configurada de acções Marcas de Código apropriadas sejam exibidas para
clínicas. Quando prime a tecla programável o protocolo específico (p. ex., ESTIMUL: Epinefr,
associada a uma acção específica, essa acção é Atropina, MONITOR: Valium, Lido, DESFIB: Bret,
registada, juntamente com uma marcação da data e Amio).
da hora, na memória do Relatório Resumido.
As Marcas de Código são removidas do écran
passados 10 segundos. Se não for premida
nenhuma tecla programável de Marca de Código
durante esse período, ficará armazenada uma
MARCA de evento genérico na memória do Relatório
Resumido.

Podem ser exibidas no écran até cinco Marcas de


Código de cada vez. A tecla programável situada na
extremidade direita apresenta a legenda “OUTRAS”
quando existirem mais de cinco artigos na lista de
Marcas de Código. Premir a tecla programável
OUTRAS causará a exibição do conjunto seguinte
de Marcas de Código acima das teclas

Relatório Resumido
A função Relatório Resumido permite armazenar e posteriormente recuperar informações importantes
relativas ao ECG e a eventos do aparelho. A memória interna do aparelho regista automaticamente
segmentos de desfribilhação e cardioversão, o modo ESTIMUL (só na versão com Estimulador),
segmentos de alarme da frequência cardíaca e do ECG após a activação do registador de gráficos em
tiras. As informações respeitantes a eventos relacionados, tais como os parâmetros de regulação dos
comandos, o ECG do paciente, a hora e a data são também registadas.
Observação: Os registos de largura de banda de diagnóstico não são incluídos no Relatório Resumido.
Seis outros eventos desencadeiam a activação do Relatório Resumido para o registo automático de
informações:
 Alarme FV desencadeado
 Choque do Desfibrilhador
 Selecção do modo ESTIMUL (só na versão com Estimulador)
 Alarme da Frequência Cardíaca desencadeado
 Ligação do Registador (ou ligá-lo e depois desligá-lo numa sequência rápida)
 Iniciação de análise do ECG

O Relatório Resumido regista cada evento por ordem cronológica e armazena até 65 eventos de
desfibrilhação ou 140 eventos de ECG activados pelo registador. Todos os dados dos eventos
permanecem na memória e ficam acessíveis até à data em que sejam apagados manualmente. É criado
automaticamente um novo registo do paciente se o aparelho tiver ficado desligado por um período de
tempo de 5 minutos a 36 horas, regulável pelo utilizador. Se tiver sido utilizada toda a memória para um
determinado paciente, uma mensagem de "RELATORIO CHEIO" aparecerá no écran e deixam de ser
guardados dados novos.

2-4
COMANDOS E INDICADORES DE OPERAÇÃO

Formatos de Relatório Resumido


A função de Relatório Resumido imprime um quadro geral de todos os eventos correntemente
armazenados em memória, inclusivamente o número total de choques de desfibrilhação libertados, o
tempo de estimulação total (cumulativo), a hora e a data em que o aparelho foi ligado (ou, se tiver acabado
de apagar manualmente relatórios resumidos, a hora de início e a hora do relatório seguinte), a hora do
último evento, contendo ainda espaço para o nome do paciente, a data e os comentários. Todos os
segmentos têm linhas verticais tracejadas a cada 21,6 cm (8,5 polegadas) para facilitar a sua montagem
sobre papel com as dimensões de 21,6 x 27,95 cm (8,5 x 11 polegadas). No último evento registado será
impresso "RESUMO TEMINADO" no rodapé esquerdo da fita do registador.
NOME COMENTÁRIOS

RELATÓRIO RESUMIDO

DATA II
HR DE INÍCIO DO RELAT 2
HR DO ÚLT EVENTO 38

TOTAL CHOQUES 1
TEMPO TOTAL ESTIM 00:01:21

Formato de Desfibrilhação
O Relatório Resumido regista dados do ECG do paciente seis (6) segundos antes do choque e oito (8)
segundos após o choque. São também registados os joules seleccionados, os joules libertados, a
sincronização, se estiver activada (inclui marcas de sincronização), a derivação do ECG, o tamanho do
ECG, a impedância do paciente, a hora e data. As unidades AED incluem, adicionalmente, a contagem de
choques e anotações no modo AED.
NOME
JOULES SELECTED PRÉ-CHOQ 15:18:45 10 MAI 93

DESFIBRILHAÇÃO

DERIV ECG II
TAMANHO ECG 1
IMPEDÂNCIA 65

JOULES SELEC 200


JOULES LIBERTAD 202

PÓS-CHOQ 15:18:45

Formato do Estimulador (só na versão com estimulador)


O Relatório Resumido regista dados do ECG do paciente correspondentes aos seis (6) segundos
anteriores à estimulação. São também registados a derivação do ECG, o tamanho do ECG, a frequência
cardíaca do paciente, a hora e a data.
NOME 15:19:50 10 MAI 93

ECG PRÉ-ESTIM

DERIV ECG II
TAMANHO ECG 2
FREQ CARDÍACA 38

2-5
GUIA DO OPERADOR

Depois de se estabelecer um ritmo de estimulação, a ligação do registador durante um período breve


registará o ritmo de estimulação para relatórios posteriores. Se a estimulação assíncrona estiver activa, a
anotação “ESTIMUL ASSINCRO” também é registada.

NOME 15:19:50 10 FEV 98

ECG REGISTADO

DERIV ECG II
TAMANHO ECG 2
FREQ CARDÍACA 38

RITMO DO ESTIMUL ppm 62


CORRENTE ESTIMUL mA 38

Formato com o alarme da Frequência Cardíaca (FC) activado


O Relatório Resumido regista 6 segundos do ECG do paciente antes do alarme. Regista também a
derivação do ECG, o tamanho do ECG, a frequência cardíaca do paciente, a hora e a data. Se o
estimulador estiver ligado durante este evento, o ritmo de estimulação e a corrente de estimulação são
também registados.
NOME 15:21:47 10 MAI 93

ALARME DE FREQ CARDÍACA

DERIV ECG DERIV I I


TAMANHO ECG 2
FREQ CARDÍACA 41

Alarme FV activado (Referir-se à secção 8)


O Relatório Resumido regista dados de quinze (15) segundos do ECG do paciente associados a cada
alarme “FV”. São também registados o número de choques, a derivação do ECG, o tamanho do ECG, a
frequência cardíaca do paciente, e eventos associados a ruídos.
NOME
VFIB

MODO SEMI-AUTOMÁTICO
CONTAG CHOQ 1
DERIV ECG ELÉCTRODOS
TAMANHO ECG 1
FREQ CARDÍACA 283
EVENTOS C/RUÍDOS 0
VERIF PACIENTE

RESUMO TEMINADO

Formato de Registador Ligado


O Relatório Resumido regista os 6 segundos do ECG do paciente anteriores à ligação do registador. São
também registados a derivação do ECG, o tamanho do ECG, a frequência cardíaca do paciente, a hora e a
data. Se o estimulador cardíaco estiver ligado durante este evento, o ritmo e a corrente de estimulação
também são registados. Se a estimulação assíncrona estiver activa, a anotação “ESTIMUL ASSINRO”
também é registada. As unidades AED incluem, adicionalmente, a contagem de choques e anotações no
modo AED.

NOME 15:19:50 10 FEV 98

ECG REGISTADO

DERIV ECG II
TAMANHO ECG 2
FREQ CARDÍACA 45

2-6
COMANDOS E INDICADORES DE OPERAÇÃO

Formato ANALISAR
O Relatório Resumido regista seis segundos do ECG antes da análise e 9 segundos do ECG registado
durante o período de análise, com a anotação "DAR CHOQUE” ou "NÃO DAR CHOQUE". As unidades
AED incluem, adicionalmente, a contagem de choques e anotações no modo AED.
NOME 09:56:26 10 FEV 98 NÃO DAR CHOQUE

CONSULTA SOBRE DESFIB

DERIV ECG ELÉCTRODOS


TAMANHO ECG 2
EVENTOS C/RUÍDOS 0

NÃO DAR CHOQUE

Modo Manual Iniciado:


As versões de AED dos sistemas M-Series, que estão equipados com o modo manual, gravam um evento
“MODO MANUAL INICIADO” no Relatório Resumido, sempre que o dispositivo passe do modo AED
(predefinido) para o modo de funcionamento manual.
As seguintes anotações podem também ser imprimidas no topo do impresso do Formato Analisar:

Anotações Descrição
1. MAU CONTACTO ELÉCTR: Dados de saída quando os eléctrodos MFE são detectados como tendo
uma ligação deficiente.
2. ANÁLISE INTERROMP: Dados de saída quando a análise do ECG é interrompida devido ao
botão ANALISAR estar premido ou a uma falha.
3. ECG COM RUÍDOS: Dados de saída quando forem detectados ruídos excessivos.
4. DAR CHOQUE: Dados de saída no final de uma análise do ECG iniciada pelo utilizador
quando tiver sido detectado um ritmo tratável por choque.
5. NÃO DAR CHOQUE: Dados de saída no final de uma análise do ECG iniciada pelo utilizador
quando não tiver sido detectado nenhum ritmo tratável por choque.
6. ECG MUITO GRANDE: A amplitude do sinal do ECG é demasiado grande para uma análise
correcta do ritmo.

Impressão de um Relatório Se o botão REGISTADOR for premido durante a


impressão de um relatório resumido, isso fará
Para imprimir a informação armazenada, prima o que o aparelho pare de imprimir o relatório.
botão RESUMO situado por baixo do écran do Prima de novo o botão REGISTADOR para
aparelho. Em seguida, prima a tecla programável iniciar a impressão de um traço de ECG. O
correspondente para imprimir as definições de registador de gráficos funcionará continuamente
configuração, imprimir o gráfico ou imprimir o até o botão voltar a ser premido.
registo.
Premir o botão RESUMO e uma tecla
programável de impressão correspondente
durante a impressão de um relatório levará à
interrupção da impressão do relatório actual e ao
início da impressão de um relatório novo.
A impressão é interrompida no caso de ocorrer
um alarme de sinal vital (por ex. FC, SpO2, etc),
O registador imprimirá todos os eventos quando o botão ANALISAR é premido ou
correntemente na memória por ordem quando o desfibrilhador está carregado.
cronológica. Se o registador de gráficos em tiras
estiver ligado ou o desfibrilhador estiver a ser Se o registador ficar sem papel e o botão
carregado, a impressão de relatórios resumidos RESUMO e for premida uma tecla programável
está desactivada. Para interromper a impressão de impressão for premido, aparecerá no écran
de um relatório, prima o botão REGISTADOR ou uma mensagem "VERIF REGISTADOR".
desligue a unidade. Pode-se imprimir um número Reabasteça o papel e volte a premir o botão
ilimitado de cópias do relatório premindo-se RESUMO para seleccionar o relatório a ser
simplesmente de novo o botão RESUMO e a impresso.
tecla programável de impressão.
2-7
GUIA DO OPERADOR

Impressão de parte de um  Alarmes desencadeados.


relatório  Marcadores de códigos.
Caso pretenda imprimir apenas uma parte do  Análise de 12 Derivações iniciada.
Relatório Resumido:  Transmissão de dados acerca das 12
1. Prima o botão RESUMO. Derivações.
2. Prima o botão Imprimir gráfico.  Registador ligado.
3. Prima o botão Imprimir Escala.  Medições da TANI activadas.
4. Prima o botão Evento Anterior ou
Evento Seguinte para passar os eventos Adicionalmente, o registo de incidentes inclui o
em revista. seguinte:
5. Prima o botão Imprimir.
A unidade M Séries imprime o evento mostrado  Momento de início do relatório (momento em
e todos os eventos seguintes. que foi apagada a memória do relatório
resumido).
Adição do nome e do Nr de ID do  Momento do último evento (momento do
paciente a um relatório último evento na memória).
Para adicionar o nome e o número de  Número total de choques.
identificação de um paciente ao relatório
resumido:  Tempo total do estimulador cardíaco.
1. Prima o botão Nr ID.  Número de série do sistema.
2. Prima o botão Dígito Anterior ou Dígito
 Número de identificação do aparelho.
Seguinte para seleccionar uma letra para
o nome do paciente. Para imprimir um registo de incidentes:
3. Prima o botão Aum Dígito ou Dim Dígito 1. Prima a tecla RESUMO.
para alterar o valor da letra.
Repita os passos 2 e 3 até introduzir o nome 2. Prima o botão Imprimir Registo.
inteiro do paciente. A unidade M Séries imprime o registo de
4. Prima o botão Digitar Nome. incidentes.
5. Prima o botão Dígito Anterior ou Dígito
Seguinte para seleccionar um dígito ou Como apagar os Relatórios
uma letra para o número de identificação. Resumidos da memória
6. Prima o botão Aum Dígito ou Dim Dígito
Para apagar toda a informação armazenada,
para alterar o valor do dígito.
prima o botão RESUMO e mantenha-o premido
Repita os passos 5 e 6 até introduzir o número
por aproximadamente 4 segundos. Em seguida,
de identificação inteiro do paciente.
prima a tecla programável correspondente para
7. Prima o botão Aceitar ID e Retorno.
apagar o relatório resumido, o relatório de
Nota: O nome do paciente não pode ser tendências ou o relatório de todos os eventos.
adicionado à posteriori aos eventos do relatório Uma mensagem “A APAGAR RELATÓRIO” será
resumido já armazenados em memória. O nome exibida no écran.
do paciente só é guardado com eventos
resumidos gravados depois da introdução do
nome do paciente.

Impressão de um registo de
incidentes
Um registo de incidentes consiste numa lista
abreviada de todos os eventos principais Se o aparelho ficar desligado durante mais de
registados no relatório resumido. Pode imprimir quinze (15) minutos, a não ser que esteja
um registo de incidentes que inclua o momento configurado de outra maneira, é também
da ocorrência dos seguintes eventos: apagada toda a memória do relatório resumido e
 Unidade M Séries ligada à corrente. do relatório de tendências.

 Mensagens de recomendação da
desfibrilhação (por exemplo VERIF
DOENTE e DAR CHOQUE).
 Choques de desfibrilhação (incluindo nível
de energia).
 Modo de estimulação cardíaca activado.
 Modo manual iniciado (AED apenas).
2-8
SECÇÃO 3
DESFIBRILHAÇÃO MANUAL
As placas são uma conexão ao paciente de Tipo BF protegida contra a desfibrilhação.

As derivações do ECG são uma conexão com o paciente de Tipo CF protegida contra a
desfibrilhação.

Procedimento de Desfibrilhação de Urgência com Placas

AVISO
• Para evitar o risco de choque eléctrico, não permita a acumulação de gel electrolítico
nas mãos ou nas asas das placas.
• Ao fazer a desfibrilhação com placas, use os seus dedos polegares para operar os
botões de CHOQUE a fim de evitar que o operador sofra choques inadvertentes.
Nenhuma parte da mão deve ficar perto das chapas das placas.

Determine o estado do paciente seguindo os


protocolos médicos
Verifique se está:
• Inconsciente
• Sem respiração
• Sem pulso
Inicie a reanimação cardiopulmonar seguindo
os protocolos médicos
Solicite assistência adicional.

1 Seleccione DESFIB Selec Energia


Regule o BOTÃO SELECTOR para DESFIB. O aparelho Observe o écran e verifique se a energia seleccionada é
faz automaticamente a selecção por defeiito de 200 joules apropriada. Para mudar a regulação da energia, utilize
ou da energia do primeiro choque pré-configurado pelo qualquer dos pares de botões com setas para cima e para
utilizador. baixo. Um dos pares está localizado no painel dianteiro do
aparelho, o outro está localizado na placa do esterno. O nível
de energia seleccionado será mostrado no écran como
“DESFIB XXX J SELEC”.
Se a unidade M Series estiver configurada para tal, ela define
automaticamente a energia para o nível de energia pré-
configurado: nível de choque 1, 2, 3 no arranque e depois de
cada um dos dois primeiros choques. Quando isto ocorre, é
exibida a mensagem “AUMENTO DE ENERGIA”. Mudar
manualmente o nível de energia para valores fora da
OBS.: sequência pré-programada e aplicar um choque desactiva esta
As “PAS EXT” do desfibrilhador são seleccionadas como função. A função é desactivada quando os eléctrodos internos
fonte do ECG quando o instrumento está ligado para tipo "colher" são ligados. Para mais detalhes, consulte o guia
MONITOR ou DESFIB e as placas estão ligadas ao cabo de configuração da M Series.
multifunções.

3-1
GUIA DO OPERADOR

As placas podem ser utilizadas para a monitorização do ECG


em situações de urgência, quando houver pouco tempo para a
ligação de eléctrodos normais de monitorização do ECG. O
aparelho pré-selecciona automaticamente "PAS EXT" ao ser
ligado inicialmente com as placas ligadas ao cabo
multifunções.

ou Quando se utilizar um cabo de ECG e eléctrodos de ECG,


prima o botão DERIV para seleccionar a configuração da
OBS.: derivação de ECG desejada - I, II, III ou PAS EXT (também
Os níveis de energia do desfibrilhador para usos aVR, aVF, aVL e V, se o aparelho assim estiver configurado).
neonatal e pediátrico devem ser baseados em
protocolos clínicos específicos da unidade hospitalar. 2 Carregue o Desfibrilhador
Preparação das Placas Prima o botão CARGA no painel dianteiro ou na asa da placa
Retire as placas dos seus suportes, agarrando as asas e do ápice.
pressionando o fecho de libertação da placa localizado por
cima de cada placa. Aplique uma quantidade abundante
de gel electrolítico sobre a superfície do eléctrodo de cada
uma das placas. (O uso de emplastros de gel para
eléctrodos pode substituir o gel aplicado sobre as
superfícies das placas.)
Esfregue as superfícies dos eléctrodos uma contra a outra
ou
para distribuir o gel aplicado.
Se ambos os botões CHOQUE nas placas estiverem premidos
Aplique as placas sobre o peito quando o botão CARGA for activado, o aparelho não carregará
Aplique as placas firmemente contra a parede anterior do e aparecerá uma mensagem "SOLTAR BOTÃO CHOQUE " ou
peito. Coloque a placa do "Esterno" à direita do esterno do outra mensagem no écran.
paciente (do lado direito do paciente), imediatamente Para aumentar ou diminuir a energia seleccionada após o
abaixo da clavícula. botão CARGA ter sido premido, utilize os botões de selecção
Coloque a placa do “Ápice” sobre a parede do peito, da energia do desfibrilhador na placa do esterno ou no painel
imediatamente abaixo e à esquerda do mamilo esquerdo dianteiro do desfibrilhador.
do paciente, ao longo da linha anterior-axilar.
AVISO
• A alteração da energia seleccionada quando o aparelho
estiver a carregar ou estiver carregado fará que o
desfibrilhador se desarme. Prima novamente o botão
CARGA para carregar o aparelho.

Após o carregamento da energia seleccionada, o indicador de


ESTERNO
carga na placa do ápice ficará iluminado. Soará um toque
distinto (contínuo) de carga pronta e a mensagem de energia
ÁPICE
pronta “DESFIB XXXJ PRONTO” será exibida. O desfibrilhador
estará então pronto para funcionar.

Friccione as placas contra a pele para aumentar o 3 Administre o CHOQUE


contacto da placa com o paciente.
AVISO
AVISO
• Avise todas as pessoas presentes para se MANTER-SE
• Não permita que o gel se acumule entre os eléctrodos AFASTADO do paciente antes da descarga do
da placa na parede do peito (ponte de gel). Isso pode desfibrilhador.
causar queimaduras e reduzir a quantidade de
• Não toque no leito, no paciente ou em qualquer equipamento
energia administrada ao coração.
ligado ao paciente durante a desfibrilhação. Poderá resultar
• Se forem utilizadas almofadas de gel para um choque grave. Não permita que partes expostas do corpo
desfibrilhador, assegure-se de que o tamanho da do paciente toquem em objectos metálicos, tais como a
almofada é suficientemente grande para cobrir toda a armação da cama, visto poderem resultar daí vias não
área do eléctrodo da placa. desejadas para a passagem da corrente da desfibrilhação.

3-2
DESFIBRILHAÇÃO MANUAL

Usando os seus dedos polegares, prima simultaneamente


e mantenha premidos os dois botões de CHOQUE (um em
cada placa) até a energia ser administrada ao paciente.

Logo que a energia seja administrada, o écran exibirá ao


mesmo tempo as mensagens “XXXJ LIBERTADOS” e
“DESFIB XXXJ SELEC”. Após aproximadamente 5
segundos, a mensagem “XXXJ LIBERTADOS”
desaparecerá e a mensagem “DESFIB XXXJ SEL”
permanecerá para indicar o nível de energia seleccionado.

ATENÇÃO
• Utilize apenas os dedos polegares para premir os
botões de CHOQUE. Caso contrário, poderão ser
premidos inadvertidamente os botões de selecção de
energia, o que levará o desfibrilhador a desarmar-se

Obs.:
Se o desfibrilhador não for descarregado dentro de 60
segundos depois de atingir o nível de energia
seleccionado, o aparelho desarmar-se-á automaticamente.
Durante os dez segundos antes do desarmamento, o
toque de aviso de que a carga está pronta soará
intermitentemente. O tom de "carga pronta" parará depois,
a luz indicadora da carga apagar-se-á e a mensagem no
écran mudará para "DESFIB XXXJ SELEC” Prima o botão
CARGA para recarregar o aparelho.

Limpeza das Placas


As chapas inferiores e as asas das placas devem ser
limpas minuciosamente após cada utilização. Consulte a
secção Manutenção Geral quanto ao procedimento de
limpeza correcto.

3-3
GUIA DO OPERADOR

Procedimento de Desfibrilhação de Urgência com Eléctrodos Almofadados


Polivalentes (MFE)

Os eléctrodos MFE são uma conexão com o paciente de Tipo BF protegida contra a
desfibrilhação.

As derivações do ECG são uma conexão com o paciente de Tipo CF protegida contra
a desfibrilhação.

Determine o estado do paciente seguindo os


protocolos médicos
Verifique se está:
• Inconsciente Eléctr
Pele

• Sem respiração
• Sem pulso

Inicie a reanimação cardiopulmonar seguindo os Obs.:


protocolos médicos
Se não for possível colocar o eléctrodo MFE "COSTAS" nas
Solicite assistência adicional.
costas do paciente, o eléctrodo MFE deverá ser colocado na
configuração ápice-esterno normal. Resultará uma
Prepare o paciente
desfibrilhação eficaz, mas a estimulação com o aparelho será
Retire toda a roupa que cobre o peito do paciente. Seque- normalmente menos eficaz.
lhe o peito, se isso for necessário. Se o paciente tiver
demasiados pêlos no peito, apare-os para garantir uma
aderência correcta dos eléctrodos. 1 Seleccione DESFIB
Fixe os eléctrodos MFE de acordo com as instruções Coloque o BOTÃO SELECTOR na posição DESFIB. O
contidas na embalagem dos eléctrodos. aparelho fica automaticamente regulado para o valor por
Assegure-se de que os eléctrodos MFE estão a fazer bom defeito de 200 joules, ou para a energia seleccionada para o
contacto com a pele do paciente e não estão a cobrir primeiro choque pré-configurado pelo utilizador.
nenhuma porção dos eléctrodos do ECG.
Ligue os eléctrodos MFE ao cabo multifunções se não
estiverem já ligados.
As mensagens “VERIF ELÉCTRODOS” e “MAU
CONTACTO ELÉCTR” serão exibidas e a energia não
será libertada se os eléctrodos MFE não estiverem a fazer
bom contacto com o paciente.
A mensagem “C-C ÉLÉCTR DESFIB” será exibida para
indicar que pode haver um curto-circuito entre os
eléctrodos MFE.
Obs.:
Aplicação dos eléctrodos MFE Os ELÉCTR MFE são seleccionados como fonte do ECG
sempre que o instrumento esteja ligado na posição MONITOR
AVISO
ou DESFIB e as placas não estejam ligadas ao cabo
• Uma má aderência e/ou a presença de ar sob os multifunções. Poderá ser seleccionada qualquer das outras
eléctrodos MFE podem causar a possibilidade de configurações da derivação do ECG - I, II, III (também aVR,
ocorrência de arco voltaico e queimaduras na pele. aVF, aVL e V) se o aparelho assim tiver sido configurado e se
estiverem a ser utilizados um cabo e eléctrodos de ECG.
1. Aplique uma das bordas do eléctrodo almofadado
firmemente de encontro ao paciente.
2. “Role” o eléctrodo suavemente a partir dessa borda
até à outra, tendo o cuidado de não reter nenhumas
bolsas de ar entre o gel e a pele.

3-4
DESFIBRILHAÇÃO MANUAL

ATENÇÃO
• A alteração da energia seleccionada quando o aparelho
estiver a carregar ou estiver carregado fará que o
desfibrilhador se desarme. Prima novamente o botão
CARGA para carregar o aparelho.

Após a alteração da energia seleccionada, o botão CHOQUE


no painel dianteiro ficará iluminado. Soará um tom distinto
(contínuo) de aviso de que a carga está pronta e a mensagem
“DESFIB XXXJ PRONTO” será exibida. O desfibrilhador está
agora pronto.

3 Administre o CHOQUE
Selecção da Energia
Observe o écran e verifique se a energia seleccionada é AVISO
apropriada. Para mudar a regulação da energia • Avise todas as pessoas presentes para se MANTER-SE
seleccionada, utilize os botões com setas para cima (mais) AFASTADO do paciente antes da descarga do
e para baixo (menos) no painel dianteiro. O nível de desfibrilhador.
energia seleccionado será mostrado no écran através da
• Não toque no leito, no paciente ou em qualquer
mensagem “DESFIB XXXJ SELEC”.
equipamento ligado ao paciente durante a desfibrilhação.
Se a unidade M Series estiver configurada para tal, ela Poderá resultar um choque grave. Não permita que partes
define automaticamente a energia para o nível de energia expostas do corpo do paciente toquem em objectos
pré-configurado: nível de choque 1, 2, 3 no arranque e metálicos, tais como a armação da cama, visto poderem
depois de cada um dos dois primeiros choques. Quando resultar daí vias não desejadas para a passagem da
isto ocorre, é exibida a mensagem “AUMENTO DE corrente da desfibrilhação.
ENERGIA”. Mudar manualmente o nível de energia para
valores fora da sequência pré-programada e aplicar um Prima e mantenha premido o botão CHOQUE no painel
choque desactiva esta função. Para mais detalhes, dianteiro até a energia ser administrada ao paciente.
consulte o guia de configuração da M Series.
Obs.:
Os níveis de energia do desfibrilhador para pacientes
neonatais e pediátricos deverão basear-se nos
protocolos clínicos específicos da unidade hospitalar.

Logo que a energia seja administrada, o écran exibirá ao


mesmo tempo as mensagens “XXXJ LIBERTADOS” e “DESFIB
XXXJ SELEC”. Após aproximadamente 5 segundos, a
mensagem “XXXJ LIBERTADOS” desaparecerá e a mensagem
“DESFIB XXXJ SELEC” permanecerá para indicar o nível de
energia seleccionado.
2 Carregue o Defibrilhador Obs.: Se o desfibrilhador não for descarregado dentro de 60
segundos após atingir o nível de energia seleccionado,
Prima o botão CARGA no painel dianteiro. o aparelho desarmar-se-á automaticamente.
Durante os dez segundos antes do desarmamento, o toque de
aviso de que a carga está pronta soará intermitentemente.
Esse toque deixará de soar depois, a luz do botão CHOQUE
apagar-se-á e a mensagem exibida no écran mudará para
"DESFIB XXXJ SELEC". Prima o botão CARGA para
recarregar o aparelho.

Para aumentar ou diminuir a energia seleccionada depois


do botão CARGA ter sido premido, utilize os botões de
selecção da energia do desfibrilhador situados no painel
dianteiro.

3-5
GUIA DO OPERADOR

Desfibrilhação com o peito aberto com pegas e eléctrodos internos


As asas internas ZOLL esterilizáveis por Autoclave (ZOLL Autoclavable Internal Handles) destinam-se a ser
utilizadas com um desfibrilhador ZOLL operado manualmente e com eléctrodos de desfibrilhação internos para
desfibrilhar o coração durante intervenções cirúrgicas de peito aberto

Quando utilizadas com um desfibrilhador ZOLL equipado com uma função de aconselhamento ou de análise do
ECG, as asas internas ZOLL esterilizáveis por autoclave permitem que o desfibrilhador opere apenas como um
aparelho manual.

A ligação dos conjuntos de asas internas ZOLL ao desfibrilhador levam automaticamente o desfibrilhador a limitar a
sua saída de energia a um máximo de 50 joules.

Consulte o Guia do Operador das asas e dos Eléctrodos Internos Esterilizáveis por Autoclave (ZOLL Internal
Handle and Electrode Operator’s Guide) para obter informações pormenorizadas sobre os procedimentos a
usar para a desfibrilhação com o peito aberto e os métodos de limpeza e esterilização.

Localização e diagnóstico de avarias


Se a unidade M Series não funcionar de acordo com o esperado, consulte a secção de resolução de problemas com
o Desfibrilhador que começa na página B-5.

3-6
SECÇÃO 4
DESFIBRILHAÇÃO COM FUNÇÃO DE
CONSULTA
Quando são utilizados eléctrodos MFE, a conexão com o paciente é considerada como
de tipo BF protegida contra a desfibrilhação.

demasiados pêlos no peito, apare-os para garantir uma


Desfibrilhação com Função de Consulta aderência correcta dos eléctrodos.
Fixe os eléctrodos MFE de acordo com as instruções contidas
AVISO na embalagem dos eléctrodos.
 Não utilize a função de AED da unidade em pacientes Assegure-se de que os eléctrodos MFE estão a fazer bom
com menos de 8 anos de idade. contacto com a pele do paciente e não estão a cobrir nenhuma
porção dos eléctrodos do ECG.
O aparelho pode identificar ritmos tratáveis por choque por
meio da sua capacidade de análise do ECG incorporada Ligue os eléctrodos MFE ao cabo multifunções se não
quando forem utilizados eléctrodos MFE para monitorizar o estiverem já ligados.
ECG e desfibrilhar. O operador tem de ler as mensagens As mensagens “VERIF ELÉCTRODOS” e “MAU CONTACTO
de consulta, carregar o desfibrilhador com o nível de ELÉCTR” serão alternadamente exibidas e a energia não será
energia seleccionado ou pré-configurado pelo utilizador libertada se os eléctrodos MFE não estiverem a fazer bom
(se a função de carregamento automático estiver contacto com o paciente.
desactivada), e administrar o tratamento ao paciente
A mensagem “C-C ELÉCTR DESFIB.” será exibida para indicar
quando isso for requerido pelo protocolo e pelo estado do
que pode haver um curto-circuito entre os eléctrodos MFE.
paciente.
A função de Consulta só pode ser activada quando: Aplicação dos eléctrodos MFE
 Eléctrodos MFE estiverem ligados e seleccionados AVISO
como a fonte do ECG.
 Eléctrodos MFE estiverem fixados firmemente ao  Uma má aderência e/ou a presença de ar sob os eléctrodos
paciente para reduzir qualquer ruído do eléctrodo ou de MFE podem causar a possibilidade de ocorrência de arco
interferências espúrias. voltaico e queimaduras na pele.

e 1. Aplique uma das bordas do eléctrodo almofadado


 o BOTÃO SELECTOR estiver ligado para DESFIB. firmemente de encontro ao paciente.
2. “Role” o eléctrodo suavemente a partir dessa borda até à
Determine o estado do paciente seguindo os outra, tendo o cuidado de não reter nenhumas bolsas de
protocolos médicos ar entre o gel e a pele.
Verifique se está:
 Inconsciente
 Sem respiração
Eléctr
 Sem pulso Pele

Inicie a reanimação cardiopulmonar (RCP)


seguindo os protocolos médicos
Solicite assistência adicional. Obs.:

Prepare o paciente Se não for possível colocar o eléctrodo MFE "COSTAS" nas
costas do paciente, o eléctrodo MFE deverá ser colocado na
Retire toda a roupa que cobre o peito do paciente. Seque- configuração ápice-esterno normal. Resultará uma
lhe o peito, se isso for necessário. Se o paciente tiver desfibrilhação eficaz, mas a estimulação com o aparelho será,
normalmente, menos eficaz.

4-1
GUIA DO OPERADOR

1 Seleccione DESFIB

O aparelho exibe a mensagem “DESFIB 200 J SELEC” no


écran até que o botão ANALISAR seja premido pelo Uma vez que a análise esteja concluída, o aparelho indica se é
operador. aconselhável ou não aplicar um choque.
Quando é detectado um ritmo não tratável por choque, a
mensagem "NÃO DAR CHOQUE" será exibida.

Selecção da Energia
O choque número 1 é regulado a 200 joules, o choque 2 é
regulado a 200 joules e o choque 3 e os seguintes são
regulados a 360 joules (valor por defeito). Se os protocolos Siga os protocolos instituídos localmente para continuar a
médicos o permitirem, o operador poderá seleccionar um reanimação cardiopulmonar RCP ou outro processo de apoio
nível de energia diferente, utilizando os botões de às funções cardiopulmonares e reanalise o ECG a intervalos
selecção da energia com setas para cima (mais) ▲ e para apropriados.
baixo (menos) ▼. A nova regulação da energia será Quando for detectado um ritmo tratável por choque (Fibrilhação
exibida no écran. Ventricular ou Taquicardia com frequência cardíaca > 150), os
Mudar manualmente o nível de energia para valores fora aparelhos com a opção de carregamento automático activada
da sequência de choque 1, 2, 3 pré-programada e aplicar carregarão automaticamente o desfibrilhador para o nível de
um choque desactiva o aumento de energia automático. energia pré-configurado ou seleccionado pelo utilizador.
Para mais detalhes, consulte a secção Nível de energia: Os aparelhos com a opção de carregamento automático
choque 1, 2, 3 de guia de configuração da M Series. desactivada exibirão alternadamente as mensagens “DAR
CHOQUE” e “PREMIR CARGA” quando for detectado um ritmo
2 Prima o botão Analisar tratável por choque.

AVISO
 O paciente tem de estar imóvel durante a análise do
ECG. Não toque no paciente durante a análise.
Cesse toda a movimentação da maca ou do veículo
antes de analisar o ECG.

Prima o botão ANALISAR para começar a análise do ritmo


do ECG do paciente e para detectar a presença de
quaisquer ritmos tratáveis por choque.
Uma mensagem “A ANALISAR ECG” será exibida durante
aproximadamente 9 segundos enquanto o ECG do
paciente é analisado.

4-2
DESFIBRILHAÇÃO COM FUNÇÃO DE CONSULTA

Continue a cuidar do paciente


3 Prima CHOQUE
Continue a cuidar do paciente de acordo com os protocolos
AVISO médicos.
 Avise todas as pessoas presentes para se MANTER-SE
AFASTADO do paciente antes da descarga do
desfibrilhador.
 Não toque no leito, no paciente ou em qualquer
equipamento ligado ao paciente durante a
desfibrilhação. Poderá resultar um choque grave. Não
permita que partes expostas do corpo do paciente
toquem em objectos metálicos, tais como a armação da
cama, visto poderem resultar daí vias não desejadas
para a passagem da corrente da desfibrilhação.

Uma vez que o aparelho tenha sido carregado com a


energia seleccionada, o botão CHOQUE ficará iluminado e
a mensagem “PREMIR CHOQUE” será exibida. O monitor
indica simultaneamente o nível de energia com que o
desfibrilhador foi carregado, “DESFIB XXX J PRONTO”.

Soará um toque contínuo durante 50 segundos, seguido


de um apito intermitente durante 10 segundos. O choque
tem de ser libertado dentro deste período de 60 segundos;
de contrário, o desfibrilhador desarmar-se-á.
Prima e mantenha premido o botão CHOQUE aceso no
painel dianteiro até que a energia seja administrada ao
paciente. Uma mensagem “XXX J LIBERTADOS”
aparecerá no écran durante aproximadamente 5
segundos.
Observe o paciente ou a resposta do ECG para se
certificar de que o choque foi administrado.
Após a energia ter sido administrada ao paciente, o écran
volta a exibir a mensagem DESFIB XXX J SELEC.

Repita a Análise
Prima o botão ANALISAR para reiniciar uma análise do
ECG e para determinar se são necessários mais choques.
Nota: Há uma inibição que impede de reanalisar o ritmo
do ECG, quer manual quer automaticamente (consulte o
guia de configuração da M Series), durante 3 segundos
após um choque.

4-3
GUIA DO OPERADOR

Mensagens da Função de Consulta Obs.:


Esta função de análise VERIF PACIENTE opera
SELEC MODO DESFIB continuamente quando os alarmes da frequência cardíaca
Esta mensagem aparece se o botão ANALISAR for estão activados e a sua operação não requer que o botão
premido mas o aparelho não estiver no modo DESFIB. ANALISAR seja premido.
Coloque o BOTÃO SELECTOR em DESFIB para activar o
VERIF ELÉCTRODOS / MAU CONTACTO ELÉCTR
desfibrilhador e a função de consulta.
Os eléctrodos MFE deixaram de estar devidamente fixados ao
SELEC ELÉCTRODOS paciente ou as ligações do cabo soltaram-se.
Mensagem exibida se o botão ANALISAR for premido e o
Verifique se os eléctrodos MFE estão a fazer bom contacto
aparelho estiver a ser operado em qualquer configuração
com a pele do paciente e se os cabos estão todos
de derivação diferente da de “ELÉCTR”. Prima o botão
seguramente ligados. Este aviso oral não soará se os
DERIV até que a configuração "ELÉCTR” seja
eléctrodos MFE não estiverem previamente ligados ao
seleccionada.
paciente.
DESACTIVAR SINCRO
Localização e diagnóstico de avarias
Mensagem exibida se o botão ANALISAR for premido e o
aparelho estiver no modo de DESFIBRILHAÇÃO Se a unidade M Series não funcionar de acordo com o
SINCRONIZADA. O aparelho deverá ser colocado fora do esperado, consulte a secção de Localização e diagnóstico de
modo SINCRO, premindo-se a tecla programável SINCRO. avarias do desfibrilhador que começa na página B-4.
Prima novamente o botão ANALISAR para iniciar a
análise do ritmo do paciente.

Mensagens de Aviso
As mensagens de aviso dão instruções ao operador para
examinar o paciente, o aparelho, os eléctrodos e/ou as
ligações.

AVISO
 A função de Análise do Ritmo do ECG não avisa o
operador sobre a ocorrência de assistolia no paciente,
visto não se tratar de um ritmo tratável por choque.

ECG COM RUÍDOS / REPETIR ANÁLISE


Uma mensagem de ECG COM RUÍDOS, alternando com
uma mensagem de REPETIR ANÁLISE é exibida durante
5 segundos quando o aparelho detecta um sinal de ECG
com ruídos. Verifique e ajuste a disposição do eléctrodo e
as ligações do cabo para tentar eliminar a fonte do ruído.
Prima de novo o botão ANALISAR para iniciar a análise
do ECG.
ECG MUITO GRANDE / REPETIR ANÁLISE
A mensagem ECG MUITO GRANDE é exibida quando o
sinal do ECG é demasiado grande para uma análise
correcta do ritmo. Prima de novo o botão ANALISAR para
iniciar a análise do ECG.
VERIF PACIENTE
O aparelho detecta um ritmo tratável por choque durante a
análise de fundo contínua do ECG sem iniciar uma análise
(i.e., Smart Alarms™). O aviso é dado quando os alarmes
da frequência cardíaca estão activados e o aparelho
detecta um ritmo tratável por choque, ou se o ritmo passar
de não tratável a tratável por choque. A mensagem no
écran persiste enquanto o ritmo tratável por choque
continuar a ser detectado. Prima o botão ANALISAR para
iniciar a análise de ECG.

4-4
SECÇÃO 5

OPERAÇÃO DO DESFIBRILHADOR EXTERNO


AUTOMATIZADO
Quando forem utilizados eléctrodos almofadados multifunção (MFE), a conexão com o
paciente é considerada como de Tipo BF protegida contra a desfibrilhação.

Introdução A seguir a cada choque, a função de análise contínua retoma a


sua operação e emite uma mensagem e um aviso oral "VERIF
AVISO PACIENTE" se for detectado um ritmo tratável por choque. (A
 Não utilize a função de AED da unidade em análise contínua funciona em uma janela deslizante de 12
pacientes com menos de 8 anos de idade. segundos de dados de ECG, produzindo um resultado sempre
3 segundos. Se 3 fora de 4 segmentos de uma duração de 3
segundos forem tratavel com um choque, a mensagem "VERIF
Esta secção descreve o método recomendado de PACIENTE" está emitida.)
operação. Se o seu protocolo médico local requerer um
A seguir à conclusão de uma análise activada pelo utilizador, o
procedimento diferente, siga esse protocolo.
aviso oral e visual “VERIF PACIENTE” será inibido durante 70
O aparelho é capaz de analisar o ritmo do ECG de um segundos.
paciente de duas maneiras diferentes. O primeiro modo de
análise está sempre activo no plano de fundo do modo Operação Semi-automática (AED)
semi-automático (análise contínua) quando os eléctrodos Determine o estado do paciente seguindo os
MFE ou o cabo de ECG e os eléctrodos estiverem a ser
protocolos médicos
utilizados. O outro modo de análise é uma análise activada
pelo utilizador, iniciada quando se prime o botão Verifique se está:
ANALISAR.
 Inconsciente
A análise activada pelo utilizador de um ECG de um  Sem respiração
paciente só pode ser executada quando:  Sem pulso.
 Os eléctrodos MFE estão ligados.
Inicie a reanimação cardiopulmonar (RCP) seguindo
 Os eléctrodos MFE estão firmemente fixados ao os protocolos médicos.
paciente para reduzir qualquer ruído dos eléctrodos
Solicite assistência adicional.
ou interferência espúria.
 O BOTÃO SELECTOR está colocado na posição LIG Prepare o paciente
(ligado). Retire toda a roupa que cobre o peito do paciente. Seque-lhe o
No modo semi-automático, ao premir-se o botão peito, se isso for necessário. Se o paciente tiver demasiados
ANALISAR, o aparelho começa analisar o ECG do pêlos no peito, apare-os para garantir uma aderência correcta
paciente para determinar se existe algum ritmo tratável por dos eléctrodos.
choque.
Fixe os eléctrodos MFE de acordo com as instruções contidas
Esta análise consiste em 3 análises consecutivas de 3 na embalagem dos eléctrodos.
segundos do ritmo do ECG. Se pelo menos 2 das 3
análises determinarem que o paciente tem um ritmo Assegure-se de que os eléctrodos MFE estão a fazer bom
tratável por choque, o aparelho será automaticamente contacto com a pele do paciente e não estão a cobrir nenhuma
carregado com o nível de energia pré-configurado e dará porção dos eléctrodos do ECG.
instruções ao operador para aplicar um choque ao Ligue os eléctrodos MFE ao cabo multifunções se não
paciente. Se 2 ou mais das três análises do ECG de 3 estiverem já ligados.
segundos não detectarem um ritmo tratável por choque, o
A mensagem “VERIF ELÉCTRODOS” será exibida e a energia
aparelho alertará o operador de que não é aconselhável
não será libertada se os eléctrodos MFE não estiverem a fazer
aplicar um choque.
bom contacto com o paciente.

5-1
GUIA DO OPERADOR

Aplicação dos eléctrodos MFE Seleccione a energia (Selec Energia)


Nas unidades nao Bifásicas o choque número 1 é regulado a
AVISO
200 joules, o choque 2 é regulado a 200 joules e o choque 3 e
 Uma má aderência e/ou a presença de ar sob os os seguintes são regulados a 360 joules (valor implícito
eléctrodos MFE podem causar a possibilidade de estabelecido por defeito). Nas unidades Bifásicas, o choque
ocorrência de arco voltaico e queimaduras na pele. número 1 é regulado a 120 joules, o choque 2 é regulado a
120 joules e o choque 3 e os siguintes são regulados a 200
1. Aplique uma das bordas do eléctrodo almofadado joules. Se os protocolos médicos o permitirem, o operador
firmemente de encontro ao paciente. poderá seleccionar um nível de energia diferente, utilizando os
2. “Role” o eléctrodo suavemente a partir dessa borda botões de selecção da energia com setas para cima (mais) ▲ e
até à outra, tendo o cuidado de não reter nenhumas para baixo (menos) ▼. A nova regulação da energia será
bolsas de ar entre o gel e a pele. exibida no écran.

2 Prima o botão ANALISAR

AVISO
 Não utilize o aparelho no modo semi-automático durante a
movimentação do paciente. O paciente tem que estar imóv-
el durante a análise do ECG. Não toque no paciente
durante a análise. Faça cessar todos os movimentos da
maca ou do veículo antes de analisar o ECG. Se estiver a
Obs.:
usar o aparelho num veículo de atendimento de urgências,
Se não for possível colocar o eléctrodo MFE “COSTAS” pare o veículo antes de usar o aparelho no modo semi-
nas costas do paciente, o eléctrodo MFE deverá ser automático.
colocado na configuração ápice-esterno normal. Resultará
uma desfibrilhação eficaz, mas a estimulação com o Prima o botão ANALISAR para iniciar a análise do ritmo do
aparelho será, normalmente, menos eficaz. ECG do paciente. O aparelho anuncia e exibe uma mensagem
"MANTER-SE AFASTADO”. Se os eléctrodos MFE não foram
devidamente ligados ao paciente, aparece a mensagem
1 Seleccione LIG (LIGADO)
“UTILIZAR ELÉCTR” e a análise é interrompida.
Uma mensagem “A ANALISAR ECG” é então exibida durante
aproximadamente 9 segundos enquanto o ECG do paciente é
analisado.

O aparelho emitirá 4 toques sonoros para indicar que


passou o auto-teste de activação. Se estiver presente o
gravador de som, o aparelho começará imediatamente a
gravar dados de áudio.
Uma vez que análise esteja concluída, o aparelho indica se é
Caso não sejam fixadas no paciente pás de MFE ou
aconselhável ou não administrar um choque.
eléctrodos de ECG e este seja ligado à unidade M Series,
será apresentada uma mensagem “FIXE ELÉCTRODOS” Quando um ritmo não tratável por choque é detectado, o apar-
e emitido um comando de voz. elho anuncia e exibe uma mensagem “NAO DAR CHOQUE”.

5-2
OPERAÇÃO DO DESFIBRILHADOR EXTERNO AUTOMATIZADO

Verifique imediatamente o pulso e a respiração e retome Prima e mantenha premido o botão CHOQUE iluminado no
qualquer outro tratamento, de acordo com o protocolo. painel dianteiro até que a energia seja administrada ao
paciente.
Se o ritmo do paciente for tratável por choque, o aparelho
exibirá uma mensagem “DAR CHOQUE”. Observe o paciente ou a resposta do ECG para se certificar de
que o choque foi administrado.
Após a administração de energia ao paciente, o écran retorna
ao XXX J SELEC CHOQUES: 1, indicando o número de
choques administrados ao paciente.

O desfibrilhador começará automaticamente a carregar-se,


de acordo com a regulação da energia pré-configurada, e
exibirá a mensagem "CARGA".

Quando o carregamento estiver concluído, o aparelho


indicará o nível da carga com a qual o desfibrilhador foi Repita a análise
carregado, “XXX J PRONTO”.
Prima o botão ANALISAR para reiniciar uma análise do ECG e
para determinar se são necessários mais choques.
3 Prima CHOQUE Nota: Há uma inibição que impede de reanalisar o ritmo do
ECG, quer manual quer automaticamente (consulte o guia de
AVISO
configuração da M Series), durante 3 segundos após um
• Avise todas as pessoas presentes para MANTER-SE choque.
AFASTADO do paciente antes da descarga do
desfibrilhador. Continue a cuidar do paciente
• Não toque no leito, no paciente ou em qualquer Continue a cuidar do paciente de acordo com os protocolos
equipamento ligado ao paciente durante a médicos.
desfibrilhação. Poderá resultar um choque grave. Não
permita que partes expostas do corpo do paciente Mensagens de Operação
toquem em objectos metálicos, tais como a armação da
cama, visto poderem resultar daí vias não desejadas O aparelho utiliza avisos orais e mensagens visuais para
para a passagem da corrente da desfibrilhação. transmitir informações críticas aos operadores. As mensagens
seguintes descrevem a configuração normal do aparelho (os
Logo que o aparelho esteja carregado com a energia parâmetros implícitos, estabelecidos por defeito de outros
seleccionada, o botão CHOQUE ficará iluminado e a diferentes). Se o aparelho tiver sido especialmente configurado
mensagem “PREMIR CHOQUE” será anunciada e exibida. por encomenda, algumas das informações poderão ser
diferentes.

Existem 9 avisos orais no modo semi-automático. Esses avisos


são acompanhados de uma mensagem exibida no écran. Os
avisos orais são dados apenas uma vez, mas o écran continua
a exibir a mensagem até qualquer intervenção pelo operador
ou até que o estado do aparelho mude.
O aparelho emite também um toque sonoro para indicar o seu
estado de funcionamento. Quatro toques emitidos
imediatamente após o aparelho ter sido ligado significam que o
auto-diagnóstico está concluído e que o aparelho está pronto
Um toque contínuo soará durante 10 segundos, seguido para funcionar. Outros sinais sonoros são descritos mais
de um toque intermitente durante 5 segundos. O choque adiante.
tem de ser administrado dentro deste período de 15
segundos, de contrário o desfibrilhador desarmar-se-á.

5-3
GUIA DO OPERADOR

O écran tem campos onde aparecem mensagens. As


mensagens que aparecem dependem das funções que o
aparelho está a executar, do modo seleccionado e das
informações relativas ao ECG do paciente.
CARGA XXXJ
O aparelho exibe alternadamente duas mensagens
A análise do ECG está ainda em progressão, tendo sido
diferentes no mesmo campo do écran quando forem
detectado um ritmo potencialmente tratado por choque. São
detectadas ao mesmo tempo duas situações. Por
apresentados o nível de carga efectivo e uma mensagem de
exemplo, uma mensagem de "BATERIA FRACA " poderá
que a unidade está a ser carregada.
ser exibida alternadamente na mesma linha do écran que
uma mensagem “VERIF ELÉCTRODOS”. DAR CHOQUE/ CARGA
A zona superior do visor apresenta alguns comandos do A análise do ECG detectou a presença de um ritmo tratável por
operador bem como mensagens de erro. A zona central do choque e determinou que é aconselhável a desfibrilhação. O
visor apresenta cerca de 4 segundos do traçado do ECG. nível da carga seleccionada ainda não foi atingido. São
A zona inferior do visor apresenta os níveis de energia exibidos o nível da carga actual e uma mensagem de que o
seleccionados, os números de choque administrados no aparelho está a ser carregado.
decorrer do incidente, o tempo decorrido (se activado), e
os rótulos de função das teclas programáveis. O monitor DAR CHOQUE/ XXXJ PRONTO
apresenta ainda informações adicionais referentes ao
estado da unidade. A análise do ECG detectou a presença de um ritmo tratável por
choque e energia seleccionada está pronta a ser administrada.
Mensagens sonoras e exibidas no écran
PREMIR CHOQUE
Descrevem-se abaixo as mensagens exibidas no écran e
A análise do ECG determinou que deverá ser dado um choque.
os avisos orais que podem ocorrer durante a operação
A energia seleccionada está pronta a ser administrada e é
semi-automática.
exibida uma mensagem para se “PREMIR CHOQUE”. Quando
FIXE ELÉCTRODOS o botão CHOQUE é premido e mantido premido, no painel
dianteiro, é administrado um choque ao paciente.
Se a unidade for ligada sem as Pás de Multi-Funções ou
eléctrodos de ECG fixados, é anunciada e apresentada a SOLTAR CHOQUE
mensagem “FIXE ELÉCTRODOS”.
Se o botão CHOQUE for premido durante o carregamento
PREMIR ANALISAR (antes de aparecer a mensagem “DESFIB XXXJ PRONTO),
será exibida uma mensagem “SOLTAR CHOQUE” e será
A unidade apresentará uma mensagem “PREMIR
emitido um toque sonoro. Se o botão de CHOQUE permanecer
ANALISAR” nas seguintes condições:
premido durante 15 segundos após o início do toque sonoro, o
 depois de a unidade estar carregada mas não tendo aparelho desarmar-se-á. Se o botão de CHOQUE for soltado
sido administrado qualquer choque . antes de terem decorrido 15 segundos, aparecerá a mensagem
 70 segundos após a conclusão de uma análise com “PREMIR CHOQUE” e o choque poderá ser administrado.
uma instrução de NÃO DAR CHOQUE, se o aparelho CHOQUES: XX
estiver configurado para AUTO-ANALISAR 3 VEZES.
Indica o número de choques que foram administrados pelo
 70 segundos após a administração do choque numa aparelho desde que este foi ligado. É reposto a zero depois do
sequência de três análises, se o aparelho estiver aparelho ter ficado desligado durante mais de 10 segundos.
configurado para AUTO-ANALISAR 3 VEZES. (Isto permite a substituição de uma bateria sem o
restabelecimento do contador de choques).
NAO DAR CHOQUE
A ANALISAR ECG/MANTER-SE AFASTADO
Quando a análise do ECG determinar que foi detectado um
Estas mensagens aparecem depois de se premir o botão ritmo não tratável por choque, esta mensagem aparecerá e
ANALISAR. Indicam que uma análise activa do ECG está permanecerá no écran durante 10 segundos após a conclusão
em curso. da análise.
ECG MUITO GRANDE / REPETIR ANÁLISE Prima o botão ANALISAR para iniciar outra análise do ECG.
A mensagem ECG MUITO GRANDE é apresentada VERIF ELÉCTRODOS
sempre que o sinal do ECG é demasiado grande para uma
análise adequada do ritmo. Prima de novo o botão Os eléctrodos MFE deixaram de estar devidamente fixados ao
ANALISAR para iniciar a análise do ECG. paciente ou as ligações do cabo soltaram-se.

5-4
OPERAÇÃO DO DESFIBRILHADOR EXTERNO AUTOMATIZADO

VERIF DOENTE/ PREMIR ANALISAR


A análise do ECG detectou a presença de um ritmo
tratável por choque. Prima o botão ANALISAR para
análise do ECG e o desfibrilhador começará a carregar se
for necessário.
TEMPO DECORRIDO
Quando activada, esta função indica o tempo decorrido
desde o momento em que o aparelho foi ligado. E
apresentada no canto inferior esquerdo. O tempo
decorrido é mostrado sob a forma de MM:SS (minutos:
segundos) até 99:59. Se o aparelho ficar ligado durante
mais de 100 minutos, o tempo decorrido passará de novo No quadro acima, tem de ser introduzido um código de acesso
para 0. O tempo decorrido será mantido durante até 10 de três algarismos para se passar ao modo manual (caso
segundos após o aparelho ser desligado. Isso dará ao configurado). Prima a tecla programável correspondente ao
operador tempo suficiente para mudar a bateria do algarismo a ser introduzido (cada algarismo introduzido tem
aparelho sem o restabelecimento do tempo decorrido. que ter um valor compreendido entre 0 e 3). A secção realçada
deslocar-se-á automaticamente para o espaço seguinte. Repita
MONITOR este processo até que o código de acesso tenha sido
Estas mensagens aparecem quando o cabo do ECG é introduzido correctamente e o aparelho comece a funcionar no
ligado à respectiva conexão de entrada e o cabo modo manual. Se for premida a tecla programável Repor Modo
multifunções não está a ser utilizado. A unidade seleccion- Auto, o sistema aparelho retomará o modo de operação semi-
ou a derivação II e regulou automaticamente o tamanho do automático.
ECG (a derivação e o tamanho do ECG não podem ser
alterados pelo operador).

Modo de Operação Manual do


Desfibrilhador Externo Automatizado
Prima a tecla programável Modo Manual no painel
dianteiro do aparelho para passar ao modo de operação
manual.

Se o código de acesso não estiver configurado, a mensagem


"Conf Modo Manual" e a tecla programável Confirme serão
exibidas. Prima a tecla programável Confirme para passar
para o modo de operação manual. Se a tecla programável
Confirme não for premida dentro de 5 segundos, o aparelho
regressará à operação semi-automática.
Consulte as secções DESFIBRILHAÇÃO MANUAL,
DESFIBRILHAÇÃO COM CONSULTA, ESTIMULAÇÃO
CARDÍACA e MONITORIZAÇÃO DO ECG para obter
Consoante o aparelho tenha sido configurado ou não com instruções sobre a operação correcta de um desfibrilhador
um código de acesso, será exibido um dos dois quadros externo automatizado no modo manual.
seguintes.

5-5
GUIA DO OPERADOR

Comandos de Voz do AED


Segue-se uma lista dos comandos de voz do AED:

FIXE ELÉCTRODOS

MANTER-SE AFASTADO

PREMIR CHOQUE

VERIF ELÉCTRODOS

VERIF PULSO

VERIF DOENTE

SE SEM PULSO, EFECTUAR RCP

PREMIR ANALISAR

NÃO DAR CHOQUE

Localização e diagnóstico de avarias


Se a unidade M Series não funcionar de acordo com o
esperado, consulte a secção de Localização e diagnóstico
de avarias do desfibrilhador que começa na página B-4.

5-6
SECÇÃO 6

CARDIOVERSÃO SINCRONIZADA
As placas são uma conexão com o paciente de Tipo BF protegida contra a
desfibrilhação.

As derivações de ECG são uma conexão com o paciente de Tipo CF protegida contra a
desfibrilhação.

AVISOS
 A cardioversão sincronizada só deve ser executada por pessoal habilitado e devidamente
treinado em técnicas avançadas de apoio à função cardíaca (Advanced Cardiac Life Support,
ACLS) que esteja familiarizado com a operação do equipamento. A arritmia cardíaca tem de
ser determinada com precisão antes de se tentar a desfibrilhação.

 Antes de se tentar a cardioversão sincronizada, assegure-se que a qualidade do sinal do ECG


é suficiente para reduzir o risco de sincronização com uma interferência espúria.

Informações Gerais Cardioversão Sincronizada


Certas arritmias, tais como a Taquicardia Ventricular (TV), Determine o estado do paciente e cuide dele de
a fibrilhação auricular e o flutter auricular, requerem a acordo com os protocolos médicos.
sincronização da descarga do desfibrilhador com a onda R
Prepare o paciente
do ECG, para evitar a indução de fibrilhação ventricular.
Neste caso, um circuito de sincronização (SINCRO) dentro Retire toda a roupa que cobre o peito do paciente. Seque-lhe o
do aparelho detecta as ondas R do paciente. Quando os peito se isso for necessário. Se o paciente tiver demasiados
botões de CHOQUE são premidos e mantidos premidos, o pêlos no peito, apare-os para garantir uma boa aderência dos
aparelho descarregar-se-á com a próxima onda R eléctrodos.
detectada, evitando assim o segmento vulnerável da onda Fixe os eléctrodos do ECG.
T do ciclo cardíaco.
Recomenda-se o uso de um cabo de ECG normal e de
Quando colocado no modo SINCRO, o aparelho coloca eléctrodos de ECG durante a cardioversão. Podem ser
marcas acima do traçado do ECG para indicar os pontos utilizados eléctrodos MFE como fontes do ECG e a qualidade
do ciclo cardíaco onde ocorre a descarga. As marcas de do sinal será equivalente à das derivações padronizadas,
sincronização aparecem como “ ”acima do traçado do excepto imediatamente a seguir a uma descarga, quando há a
ECG. possibilidade de o ruído ser maior devido a tremores dos
músculos, especialmente se um eléctrodo não estiver
Verifique se as marcas estão claramente visíveis no écran completamente em contacto com a pele.
e se a sua localização é apropriada e constante de batida
Aplique os eléctrodos MFE ao paciente de acordo com as
para batida. Se necessário, utilize o botão DERIV e o
instruções contidas na embalagem dos eléctrodos.
botão TAMAN para estabelecer a regulação que resulte na
melhor representação. Garanta que os eléctrodos estão a fazer bom contacto com a
pele do paciente e não estão a cobrir qualquer parte de
O processo de cardioversão sincronizada para eléctrodos quaisquer outros eléctrodos.
MFE é idêntico ao utilizado para as placas, com excepção
da localização do botão de CHOQUE. Ligue os elécrodos MFE ao cabo multifunções, a menos que já
estejam ligados.

6-1
GUIA DO OPERADOR

Se forem utilizadas placas para a cardioversão Verifique se as marcas estão claramente visíveis no écran e se
sincronizada, consulte a secção Procedimento de a sua localização é apropriada e uniforme de batimento a
Desfibrilhação de Urgência com Placas a respeito da batimento. Se necessário, utilize o botão DERIV e o botão
preparação das placas, do carregamento do desfibrilhador TAMAN para estabelecer regulações que produzam a melhor
e da administração de um choque. representação visual.
Coloque o Botão Selector na posição MONITOR
 Uma mensagem “SINCRO XXXJ SELEC” aparecerá no
écran. Se aparecer a mensagem “DESFIB XXXJ SELEC”,
prima o botão SINCRO. São emitidos dois bips sonoros
rápidos quando o botão SINCRO é pressionado.

Prima o botão DERIV para seleccionar a derivação de


ECG desejada. A derivação seleccionada é indicada no
topo do écran.
A descarga sincronizada com as "PAS EXT" como fonte
do ECG é desaconselhável, visto que influências espúrias
induzidas pela movimentação das placas podem
assemelhar-se a uma onda R e desencadear a descarga
do desfibrilhador numa altura errada.
É recomendado o uso de derivações de ECG normais
Os eléctrodos MFE podem ser utilizados como fonte do ECG,
durante a cardioversão, visto elas fornecerem um sinal
fornecendo um sinal suja qualidade é substancialmente similar
cuja qualidade é, tipicamente, superior ao das placas.
à das derivações de ECG.
A utilização de derivações de ECG normais também
permite a escolha de várias derivações para a Salvo se estiver configurado de outra maneira, o aparelho sai
monitorização do ECG; os elécrodos multifunções automaticamente do modo SINCRO depois de cada choque ou
permitem apenas uma. se o botão selector tiver sido deslocado para a posição
Uma situação "DERIV ECG DESLIG” (derivação do ECG ESTIMUL ou DESLIG.
desligada) impedirá uma descarga sincronizada se as
Prima novamente o botão SINCRO para reactivar o modo
derivações forem seleccionadas como fonte do ECG. Isso
não impede o uso do desfibrilhador, mas apenas o seu SINCRO. A alteração da energia seleccionada não faz o
uso de uma maneira sincronizada. aparelho deixar o modo SINCRO.

O aparelho pode ser configurado para manter o modo SINCRO


1 Seleccione DESFIB após a desfibrilhação se tal for desejado.
Rode o BOTÃO SELECTOR para DESFIB. Seleccione o
nível de energia desejado com os botões com setas para 2 Carregue o Desfibrilhador
cima (mais)  e para baixo (menos)  localizados no
painel dianteiro ou na placa do esterno. Prima o botão CARGA no painel dianteiro ou na asa da placa
do vértice cardíaco.

Prima a tecla programável SINCRO ou


O nível de energia seleccionado é exibido no écran.

A marca SINCRO “ ” aparecerá no écran acima de cada


onda R detectada, para indicar onde ocorrerá a descarga.

6-2
CARDIOVERSÃO SINCRONIZADA

ATENÇÃO Se o botão ANALISAR for premido enquanto o aparelho


 A alteração da energia seleccionada enquanto o estiver a operar no modo SINCRO, o aparelho exibirá a
aparelho estiver a ser carregado, ou quando já estiver mensagem "DESACTIVAR SINCRO" e não permitirá que seja
carregado, levará o desfibrilhador a desarmar-se. feita uma análise do ritmo do ECG até que o aparelho seja
Prima o botão CARGA para carregar o aparelho. desligado do modo SINCRO.

Para cancelar o carregamento e aumentar ou diminuir a Se o desfibrilhador não for descarregado dentro de 60
energia seleccionada depois de o botão CARGA já ter segundos após ter alcançado o nível de energia seleccionado,
sido premido, utilize os botões SELEC ENERGIA na placa desarmar-se-á automaticamente. Durante o período de 10
do esterno ou no painel dianteiro do desfibrilhador. Prima segundos que antecede esta descarga interna, o aviso sonoro
novamente o botão CARGA para carregar o aparelho. de que a carga está pronta soará intermitentemente.
Seguidamente, o toque sonoro cessará e o desfibrilhador
Após o carregamento da energia seleccionada, o botão
permanecerá no modo SINCRO.
CHOQUE no painel dianteiro ou o indicador de carga na
placa do vértice cardíaco ficarão acesos. Soará um toque Localização e diagnóstico de avarias
distinto e será exibida uma mensagem de aviso de que a
carga está pronta (“SINCRO XXX J PRONTO”). Se a unidade M Series não funcionar de acordo com o
O desfibrilhador está agora pronto. esperado, consulte a secção de Localização e diagnóstico de
avarias do desfibrilhador que começa na página B-4.

3 Administre o CHOQUE
AVISO
 Avise todas as pessoas para se MANTER-SE AFAST-
ADO do paciente antes da descarga do desfibrilhador.
 Certifique-se de que ninguém está em contacto com o
paciente, nem com o cabo ou as derivações de
monitorização, as barras da cama ou quaisquer outras
vias potenciais de passagem da corrente.

Verifique se a forma de onda do ECG é estável e se uma


marca aparece apenas com cada onda R.
Prima e mantenha premido o botão CHOQUE aceso no
painel dianteiro ou prima simultaneamente e mantenha
premidos os dois botões CHOQUE (um em cada placa)
até que a energia seja administrada ao paciente. O
desfibrilhador descarregar-se-á com a próxima onda R
detectada.
Assim que a energia for administrada, o écran mostrará
simultaneamente “XXX J LIBERTADOS” e “DESFIB XXX J
SELEC”. Após aproximadamente 5 segundos a
mensagem “XXX J LIBERTADOS” desaparecerá e a
mensagem “DESFIB XXX J SELEC” permanecerá, para
indicar o nível de energia seleccionado.
Se forem necessários mais choques, reajuste o nível da
energia conforme for necessário, prima a tecla
programável SINCRO e repita. Note que a mensagem
“SINCRO XXX J SELEC” tem que ser exibida antes de se
premir o botão CARGA.
Se for preciso desarmar o desfibrilhador carregado (se não
forem necessários mais choques), rode o botão selector
para a posição MONITOR ou altere a quantidade de
energia seleccionada. Qualquer energia acumulada será
descarregada internamente pelo desfibrilhador.

6-3
GUIA DO OPERADOR

(Esta página foi intencionalmente deixada em branco.)

6-4
SECÇÃO 7
ASSISTÊNCIA DE RCP

O sensor de RCP é um equipamento com protecção contra choques


eléctricos de tipo BF.

AVISO
• A função de assistência de RCP não foi concebida para ser utilizada em pacientes de idade inferior a 8 anos.
• O conector CPRD-to-MFC destina-se a ser utilizado com o M Series ou com outros desfibrilhadores ZOLL,
quando indicado.

Quando utilizado com os eléctrodos CPR-D•padz, a


unidade M Series permite fornecer aos ressuscitadores
o feedback acerca da qualidade da RCP que estão a
administrar aos seus pacientes. A forma como o
feedback é fornecido varia de acordo com o modo de
funcionamento e a configuração do utilizador, mas
deriva da medição da frequência e intensidade da
compressão.
Quando aplicado de acordo com as instruções da
embalagem, os eléctrodos CPR-D•padz da ZOLL
fornecem um sensor de compressões torácicas
localizado entre as mãos do ressuscitador e o esterno
Assegure-se de que os eléctrodos CPR-D•padz estão
inferior do paciente. Este sensor monitoriza a frequência
em bom contacto com a pele do paciente. Se os
e intensidade das compressões torácicas e envia a
eléctrodos não estiverem em bom contacto, serão
informação para a unidade M Series para
apresentadas as mensagens VERIF ELÉCTRODOS e
processamento e apresentação.
MAU CONTACTO ELÉCTR e a energia não será
O desfibrilhador M Series utiliza esta informação para administrada. Se existir um curto-circuito entre os
fornecer feedback ao ressuscitador em pelo menos uma eléctrodos, será apresentada a mensagem C-C
das seguintes formas: ELÉCTR DESFIB.
• Indicador de compressões de RCP Nota: Se o M Series apresentar a mensagem FALHA
• Mostrador do tempo de inactividade da RCP DO CABO ou FALHA DAS PÁS, a energia não
• Metrónomo da frequência da RCP será administrada. Verifique a ligação ao
conector CPRD-to-MFC. Se a mensagem
Prepare o paciente e prenda o conector persistir, retire o conector CPRD-to-MFC e ligue o
CPRD-to-MFC cabo directamente aos eléctrodos CPR-D•padz.
Se a falha tiver sido resolvida, o feedback da
Prepare o paciente como descrito na página 4-1. Prenda RCP não estará disponível, mas o dispositivo
os eléctrodos CPR-D•padz ao paciente de acordo com conseguirá administrar energia.
as instruções na embalagem dos eléctrodos. Ligue o
cabo multifunções à extremidade estreita do conector Mostrador de assistência de RCP
CPRD-to-MFC (se ainda não estiver ligado). Ligue os
Sempre que os eléctrodos CPR-D•padz estiverem
eléctrodos CPR-D•padz à extremidade larga do conector
ligados ao desfibrilhador M Series, a unidade iluminará
CPRD-to-MFC.
o campo da assistência de RCP no canto superior direito
do mostrador. Este campo inclui os indicadores descritos
nas secções seguintes.

7-1
GUIA DO OPERADOR

Indicador de compressões de RCP inactividade é removido do ecrã. Se após 20 minutos


não tiver sido aplicada qualquer compressão, serão
Esta figura em forma de barra rectangular fornece um apresentados hífens (---) neste campo temporal.
indicador global rápido da forma como a frequência e
Tempo de inactividade da RCP
intensidade combinadas das compressões torácicas do
ressuscitador respeita as recomendações da AHA/ERC
para a RCP de adultos.
Antes das compressões torácicas iniciarem (e após 7$1,  6S2 (&* ,, [ 

cada choque), o indicador das compressões torácicas é   (/(&75
apresentado como um contorno oco. Este indicador &2  P
P +J  )5 35(3
começa a ser preenchido à medida que as compressões
iniciam (preenchendo da esquerda para a direita) e fica (&*

completamente preenchido quando são alcançadas


simultaneamente, de forma consistente, uma
intensidade e frequência de compressões torácicas
superiores a 4,4 cm e 90 compressões por minuto (cpm)
respectivamente. Se a frequência ou a intensidade das
compressões torácicas começar a cair abaixo dos níveis 
3DUkP 2QGD 1U,' $ODUPHV 'HULY
recomendados pela AHA/ERC, o indicador só estará
parcialmente preenchido para indicar a necessidade de
esforços mais vigorosos. Após a cessação das Metrónomo da RCP
compressões, o nível de preenchimento do indicador
diminuirá gradualmente até ser apresentado um O M Series pode ser configurado para incluir uma
contorno oco após um curto período de tempo. função de metrónomo de RCP que pode ser utilizado
para encorajar os ressuscitadores a realizar
Quando o preenchimento completo do indicador de compressões torácicas na frequência recomendada pela
compressões de RCP não tiver sido alcançado devido a AHA/ERC de 100 compressões por minuto. Este
frequência ou intensidade de compressões reduzidas, o metrónomo pode funcionar no modo semi-automático e
M Series exibirá a letra R para frequência (Rate) e/ou a manual ou somente no modo semi-automático.
letra D para intensidade (depth) para ajudar o ressusci-
tador a determinar se deve aumentar a frequência ou a Quando activado, o metrónomo emite um sinal sonoro
intensidade das compressões torácicas. Quando a na frequência recomendada pela AHA/ERC de forma a
frequência e intensidade apropriadas tiverem sido alca- fornecer um ritmo de compressões para os
nçadas, estas letras desaparecerão do campo do mos- ressuscitadores acompanharem. O metrónomo fica
trador. silencioso quando não são detectadas quaisquer
compressões torácicas pelos eléctrodos de mãos livres
7$1,  6S2 (&* ,, [  equipados com RCP.

  No modo manual, o metrónomo só emite sinais sonoros
&2  P
P +J  )5 quando são detectadas compressões torácicas e
*
quando as suas frequências caiem abaixo do níveis
(&* recomendados pela AHA/ERC. Quando as
compressões estão a ser realizadas a 80 compressões
por minuto ou mais, o metrónomo fica silencioso. Se a
frequência de compressões detectada cair abaixo deste
nível, o metrónomo começará a emitir sinais sonoros até
serem alcançadas, de forma consistente, as frequências

de compressão recomendadas ao longo de vários ciclos
3DUkP 2QGD 1U,' $ODU PHV 'HULY
de compressão. O metrónomo deixará de emitir sinais
sonoros aproximadamente 2 segundos após ter sido
Mostrador do tempo de inactividade da detectada a última compressão torácica.
RCP No modo semi-automático, o metrónomo está activo
durante todos os períodos da RCP. Ele começa a emitir
Este mostrador indica o tempo decorrido em minutos e
sinais sonoros após a detecção das primeiras
segundos desde a última compressão torácica
compressões e continua a emitir durante o
detectada. Quando as compressões estão a ser
procedimento, parando apenas no final do período da
aplicadas a uma frequência de pelo menos 11 cpm, o
RCP ou se as compressões pararem por mais do que
tempo de inactividade não será apresentado. Dez
alguns segundos. Se as compressões forem retomadas
segundos após a cessação das compressões, passará a
durante o período da RCP, o metrónomo retomará a
ser apresentado o tempo de inactividade em vez da
emissão dos sinais sonoros após as primeiras
barra do indicador de compressões. Logo que é
compressões.
detectada uma nova compressão, o tempo de

7-2
SECÇÃO 8

ESTIMULAÇÃO TEMPORÁRIA NÃO INVASIVA


(SÓ NA VERSÃO COM ESTIMULADOR)
Quando forem utilizados eléctrodos almofadados multifunção (MFE), a conexão
com o paciente é considerada como de Tipo BF protegida contra a desfibrilhação.
As derivações de ECG são uma conexão com o paciente de Tipo CF protegida
contra a desfibrilhação.

AVISOS
 Para evitar o risco de choque eléctrico, não toque na área dos eléctrodos MFE
coberta de gel ao proceder à estimulação.
 Os eléctrodos MFE devem ser substituídos passadas 8 horas de estimulação
contínua (2 horas para os eléctrodos radiotransparentes Radiolucent stat•padz),
para assegurar o máximo benefício para o paciente.
 A estimulação prolongada (por mais de 30 minutos), particularmente em neonatos
ou em adultos com circulação sanguínea gravemente restringida, pode causar
queimaduras. É recomendada uma inspecção periódica da pele subjacente.
 Se o aparelho não tiver sido desligado e tiverem decorrido menos de 10 minutos
desde a utilização do modo de estimulação, a reactivação do modo de estimulação
pode fazer com que a estimulação seja imediatamente reatada de acordo com os
valores respeitantes a mA e ppm (ipm) anteriormente seleccionados.

Estimulação Temporária Não Invasiva


Alguns sistemas M Series contêm um marcapasso de tipo Aplique os eléctrodos MFE
pedidio VVI com uma concepção segura e eficaz para
marcapassos temporários não invasivos. Uma estimulação Aplique os eléctrodos MFE de acordo com as instruções
de tipo pedidio adequada requer um sinal de ECG à apresentadas na respectiva bolsa.
superfície fiável e de alta qualidade.
Assegure-se de que os eléctrodos estão a fazer bom contacto
Determine o estado do paciente seguindo os com a pele do paciente e não estão a cobrir nenhuma parte
protocolos médicos dos outros eléctrodos.
Prepare o paciente Ligue os eléctrodos MFE ao cabo multifunções.
Retire toda a roupa que cobre o peito do paciente. Seque-
lhe o peito, se for necessário. 2 Rode o botão selector para ESTIMUL

1 Aplique os eléctrodos do ECG e os eléctrodos


MFE
Aplique os eléctrodos do ECG (consulte a secção
MONITORIZAÇÃO DO ECG). Ligue-os ao cabo do ECG.
Ajuste o tamanho do ECG e a derivação para obter uma
boa representação visual da forma da onda. Verifique a
detecção adequada da onda R. O símbolo em forma de
coração pisca com cada onda R quando existe uma
detecção correcta.

8-1
GUIA DO OPERADOR

Regule a corrente estimulador para 0 mA


5 Determine a captação
Se o aparelho tiver acabado de ser ligado, a CORRENTE É importante reconhecer quando a estimulação produziu uma
DO ESTIMULADOR (CORRENTE ESTIMUL) estará resposta ventricular (captação). A determinação da captação
automaticamente regulada para 0 mA. tem de ser avaliada tanto por meios eléctricos como por meios
mecânicos, a fim de se assegurar um apoio circulatório
3 Regule o ritmo do Estimulador apropriado do paciente.
Defina o RITMO DO ESTIMULADOR (RITMO DO A captação eléctrica é determinada pela presença de um
ESTIMUL) para um valor situado 10 a 20 ppm acima do complexo QRS alargado, pela perda de qualquer ritmo
ritmo intrínseco do paciente. Se não houver nenhum ritmo intrínseco subjacente e, por vezes, pelo aparecimento de uma
intrínseco, use 100 ppm. onda T ampliada.

O ritmo do estimulador aumentará ou diminuirá no écran


AVISO
em 2 ppm quando o botão for rodado.
 A determinação da captação eléctrica só deve ser
efectuada através da visualização do ECG no écran com
o seu cabo de ECG directamente ligado ao paciente.
 A utilização de outros dispositivos de monitorização do
ECG pode gerar dados erróneos devido à presença de
interferências espúrias.

A captação mecânica é avaliada pela palpação do pulso


Observe a marca dos estímulos cardíacos no écran ou no periférico.
gráfico de tiras ( ) e verifique se a mesma está bem
A fim de se evitar confundir uma resposta muscular aos estím-
posicionada na diástole.
ulos com as pulsações arteriais, recomenda-se que a palpação
do pulso durante a estimulação seja feita EXCLUSIVAMENTE
nos seguintes lugares:
 artéria femural
 artéria braquial direita ou radial.
A resposta ventricular é, normalmente, caracterizada pela
supressão do complexo QRS intrínseco.
Estímulos de ritmo
Estimulação eficaz
4 Regule a Corrente do Estimulador Os seguintes traçados de ECG são típicos de uma estimulação
eficaz.
Aumente o valor em mA da CORRENTE ESTIMUL mA até
que a estimulação seja eficaz (captação). O valor da Ondas R negativas e ondas T grandes.
corrente em mA é exibido.
O corrente do estimulador aumentará ou diminuirá no
écran em 2 mA quando o botão for rodado.

QRS positivo alargado com o aspecto de um batimento


ectópico. Um batimento ritmado é por definição um batimento
ectópico ventricular.
Ondas T invertidas e ausência de ondas P.

OB.: Quando o aparelho for comutado do modo Estimul


para o modo Desfib ou Monitor, e depois comutado de
novo para o modo Estimul, os valores de regulação do
Estimulador manter-se-ão inalterados.

Se o aparelho estiver desligado durante mais de 10


segundos, os valores implícitos de regulação do
estimulador por defeito serão restabelecidos.

8-2
ESTIMULAÇÃO TEMPORÁRIA NÃO INVASIVA

A troca de derivações e a alteração do tamanho do ECG


podem, por vezes, ser úteis para a determinação da
captação.
Ob.: O formato e o tamanho das formas de onda do
ECG sujeito a estimulação podem variar, de
acordo com a configuração da derivação do ECG
escolhida; é de se esperar uma variação de
paciente para paciente.

6 Determinação do limiar ideal


A corrente de saída ideal corresponde ao valor mais baixo
que mantenha a captação. Esse valor encontra-se,
normalmente, cerca de 10% acima do valor do limiar. As
Aplicações de Estimulação Especiais
correntes de limiar típicas variam entre 40 e 80 mA. A A estimulação temporária não invasiva pode ser executada no
localização dos eléctrodos MFE afectará a corrente Laboratório de Cateterismo Cardíaco, quer para estimulação
necessária para obter a captação ventricular. A colocação de emergência quer no modo de prontidão. Os eléctrodos
dos eléctrodos MFE que proporciona a via mais directa radiotransparentes Radiolucent stat•padz servem para facilitar
para a transmissão da corrente ao coração e, ao mesmo a estimulação cardíaca em aplicações que requeiram
tempo, evita os músculos maiores do tórax, produz, radioscopia e fluoroscopia.
geralmente, o limiar mais baixo. As correntes de A estimulação temporária não invasiva pode também ser
estimulação baixas produzem menos contracções dos efectuada na sala de operações, com Sterile stat•padz
músculos esqueléticos e são mais bem toleradas. eléctrodos esterilizados.

Modo 4:1 ATENÇÃO


 Em determinadas circunstâncias poderá não ser possível
fazer uma monitorização ou uma estimulação adequadas
enquanto a aparelhagem electrocirúrgica estiver em
funcionamento.

Observe o aparelho cuidadosamente para constatar se ele está


a funcionar correctamente.
Estimulação em prontidão
Para determinados pacientes que corram o risco de
Botão 4:1, se for premido e mantido premido, pode ser desenvolver bradicardia sintomática poderá ser aconselhável
usado para suspender temporariamente a estimulação, utilizar o aparelho no modo de prontidão. Quando utilizado no
permitindo assim ao operador observar o ritmo subjacente modo de prontidão, o aparelho fornece automaticamente uma
do paciente e a sua morfologia. Quando este botão é estimulação sempre que a frequência cardíaca do paciente
premido, os estímulos cardíacos são administrados a 1/4 desça abaixa de um nível pré-determinado. Para esta
do número de ppm indicado. aplicação, o ECG do paciente tem de ser monitorizado através
de eléctrodos de ECG e de cabos de ligação ao paciente. Para
Falha da estimulação utilizar o aparelho no modo de prontidão:
Se o aparelho estiver a tentar administrar uma terapia de 1. Estabeleça um ritmo de estimulação eficaz (veja as
estimulação cardíaca e se verificar uma das seguintes instruções nas páginas anteriores). Note o valor da
condições: intensidade do pulso de saída em mA no momento da
captação e imprima uma tira de ECG para documentar a
 o cabo multifunções não está ligado ao aparelho,
morfologia do ECG durante a captação.
 o cabo está defeituoso,
2. Regule a intensidade da saída em mA 10% acima da
 os eléctrodos MFE não estão ligados ao cabo intensidade mínima necessária para efectuar uma
multifunções, captação ventricular regular.
ou 3. Regule o ritmo de estimulação (ppm) abaixo da frequência
 os eléctrodos MFE não estão a fazer bom contacto cardíaca do paciente. Isto suprime a estimulação, a não
com a pele. ser que a própria frequência cardíaca do paciente desça
para um valor inferior àquele que foi definido. O ritmo de
As mensagens “VERIF ELÉCTRODOS” e “MAU estimulação deve ser regulado a um nível suficiente para
CONTACTO ELÉCTR” são alternadamente exibidas no um débito cardíaco adequado.
écran e soa um alarme sonoro. O alarme continuará a
tocar até que a tecla programável situada mais à esquerda 4. Verifique periodicamente o limiar.
(Apagar o alarme do estim) seja premida.

8-3
GUIA DO OPERADOR

Estimulação assíncrona
Se não houver eléctrodos ECG disponíveis, ou se existir
alguma circunstância que impeça ou interfira com o ECG
de superfície, poderá ser necessário operar o marcapasso
assincronamente.
A estimulação assíncrona só deve ser efectuada em
situações de emergência, quando não houver nenhuma
outra alternativa.
Para a estimulação assíncrona:
Prima a tecla programável “Estimul Assíncr Lig/Desl”.
O écran exibirá a mensagem “ESTIMUL ASSINCRO” para
indicar que a estimulação assíncrona foi activada. A
anotação “ESTIMUL ASSINCRO” será impresso no gráfico
de tiras caso a função tenha sido activada pelo botão do
registador. Esta anotação também é impressa no
respectivo relatório resumido. Para voltar à estimulação a
pedidio, prima de novo a tecla programável “Estimul
Assíncr Lig/Desl” e o écran voltará a exibir a mensagem
“ESTIM”.

Os estímulos também podem ser administrados


assincronamente, sempre que exista uma situação de
“DERIV ECG DESLIG” (derivação do ECG desligada). O
operador deve estar consciente de que não é mostrada
nenhuma actividade de ECG no écran do aparelho quando
a estimulação estiver a ser feita por este método, e que
será preciso recorrer a outros meios para determinar a
captação, tais como a verificação do pulso do paciente.
Durante a estimulação assíncrona com uma situação de
“DERIV ECG DESLIG”, o ritmo e a intensidade da corrente
em mA devem ser regulados ao nível de captação
conhecido ou devem ser suficientemente elevados (100
mA) para se presumir a ocorrência da captação.

Estimulação em pacientes pediátricos


A estimulação cardíaca não invasiva de pacientes
pediátricos é feita de maneira idêntica à estimulação de
adultos. Existem eléctrodos MFE menores, de tamanho
pediátrico, para pacientes que pesem menos de 15 kg (33
libras). A estimulação contínua de neonatos pode causar
queimaduras na pele. Se for necessário efectuar a
estimulação durante mais de 30 minutos, aconselha-se
enfaticamente uma inspecção periódica da pele
subjacente. Siga cuidadosamente todas as instruções
fornecidas na embalagem dos eléctrodos.

Localização e diagnóstico de avarias


Se a unidade M Series não funcionar de acordo com o
esperado, consulte a secção de Localização e diagnóstico
de avarias do desfibrilhador que começa na página B-4.

8-4
SECÇÃO 9
MONITORIZAÇÃO DO ECG
As derivações de ECG são uma conexão com o paciente de Tipo CF protegida contra a desfibrilhação.

Introdução Esquema de Esquema de Disposição dos Eléctrodos


Os sistemas M Series podem ser utilizados para a Cores IEC Cores AHA
monitorização de ECGs a curto ou a longo prazo.
R/Eléctrodo RA/Eléctrodo Coloque perto da linha meso-
Os sistemas M Series têm circuitos de protecção integrados Encarnado Branco clavicular direita, directa-
destinados a evitar danos aos seus circuitos de monitoriza- mente abaixo da clavícula.
ção de ECGs durante as tentativas de desfibrilhação. Os
eléctrodos de monitorização podem tornar-se polarizados L/Eléctrodo LA/Eléctrodo Coloque perto da linha
durante a descarga do desfibrilhador, fazendo com que a Amarelo Preto mesoclavicular esquerda,
forma de onda do ECG saia momentaneamente do écran. directamente abaixo da
Os eléctrodos de prata/cloreto de prata (Ag/AgCl) de alta clavícula.
qualidade reduzem este efeito, e os circuitos existentes no
F/Eléctrodo LL/Eléctrodo Coloque entre o 6º e o 7º
aparelho voltarão a repor o traçado no écran após poucos
Verde Encarnado espaços intercostais, sobre a
segundos.
linha mesoclavicular
A monitorização do ECG pode ser realizada através de um esquerda.
cabo de ECG ligado ao paciente, de eléctrodos MFE ou
através de placas de desfibrilhação normais. A utilização N/Eléctrodo RL/Eléctrodo Coloque entre o 6º e o 7º
de um cabo de ECG ligado ao paciente e de eléctrodos é, Preto Verde espaços intercostais, sobre a
contudo, necessária para a monitorização durante a linha mesoclavicular direita.
estimulação cardíaca. C/Eléctrodo V/Castanho Eléctrodo do peito móvel.
Branco
Preparativos
A aplicação e a disposição correctas dos eléctrodos é
essencial para a monitorização de ECGs de alta qualidade.
Um bom contacto entre o eléctrodo e a pele reduz as
interferências espúrias associadas aos movimentos e às
interferências de sinais. RA LA
Colocação dos eléctrodos
Dependendo da prática local, as derivações de ECG estão
marcadas com as inscrições LA, RA, LL, RL e V ou L, R, F,
V
N e C. As marcas e os esquemas de cores dos diferentes
conjuntos de derivações são mostrados na tabela ao lado.
RL LL
ATENÇÃO
Fixe os eléctrodos de monitorização
 A fim de evitar queimaduras electrocirúrgi-cas nos
locais de monitorização, assegure-se de que a Retire a película protectora da parte de trás do eléctrodo de
ligação do circuito de retorno electrocirúrgico está ECG. Proceda com cuidado, para manter a superfície aderente
feita correctamente, de modo a que as vias de livre de gel electrolítico.
retorno da corrente não possam ocorrer. Aplique os eléctrodos de ECG firmemente contra a pele do
paciente, fazendo pressão à volta de todo o perímetro dos
Durante a electrocirurgia, tenha em conta as seguintes eléctrodos.
linhas de orientação para minimizar a interferência de ESU Prenda as derivações de encaixe e verifique se existe bom
(unidade de electrocirurgia) e proporcionar o máximo de contacto entre o eléctrodo e a terminação da derivação.
segurança ao utilizador e paciente;
Ligue o conector do cabo do paciente ao conector de entrada
 Mantenha todos os cabos de monitorização do
do ECG (localizado no painel traseiro do aparelho).
paciente afastados do chão (terra), dos bisturis ESU
e dos fios de retorno SEU.
 Utilize eléctrodos de ligação à terra electrocirúrgicos,
com a área de contacto maior, e
 Garanta sempre uma aplicação correcta do eléctrodo
de retorno electrocirúrgico no paciente.

9-1
GUIA DO OPERADOR

Localização e diagnóstico de avarias


Se a unidade M Series não funcionar de acordo com o AVISO
esperado, consulte a secção de Localização e diagnóstico • Os marcapassos implantados podem levar a que o contador
de avarias do monitor que começa na página B-1. da frequência cardíaca conte o ritmo do marcapasso
durante incidentes de paragem cardíaca ou outras arritmias.
Regule os comandos Os pacientes com marcapassos implantados devem ser
Coloque o BOTÃO SELECTOR na posição MONITOR. observados cuidadosamente. Verifique o pulso do paciente;
não se baseie unicamente nas leituras do medidor da
frequência cardíaca. Os circuitos próprios para a detecção
de marcapassos podem não detectar todas as cristas de
marcapassos implantados; a história médica do paciente e
um exame físico são importantes para se determinar a
presença de um marcapasso implantado.

Cristas de marcapassos implantados


O aparelho é capaz de detectar e de indicar no écran os sinais
do marcapasso de um paciente com um marcapasso
Prima o botão DERIV até que seja seleccionada a implantado.
configuração da derivação desejada (a derivação
seleccionada fica indicada à direita, na parte superior do O aparelho exibe um traçado de linha contínua fina do ECG
écran). sempre que detecta um sinal do marcapasso. A “crista” da
forma de onda produzida pelo marcapasso será exibida se o
estimulador for do tipo auricular, ventricular ou ambos.

Se aparecer uma mensagem de “DERIV ECG DESLIG” no


écran, inspeccione os eléctrodos do ECG, os fios das
derivações e as respectivas ligações. Se for exibida a
mensagem “VERIF ELÉCTRODOS” ou “MAU CONTACTO
ELÉCTR”, inspeccione os eléctrodos MFE, o cabo e as
respectivas ligações.
Se os alarmes da frequência cardíaca forem activados com
as placas seleccionadas, o aparelho apresenta a mensag- Alarmes
em "SELEC DERIV. MEMBROS". Se aparecer esta
Regulação dos alarmes
mensagem, seleccione as derivações dos membros ou do
precórdio. Salvo configuração contrária, os alarmes da frequência
Prima o botão TAMAN até que o tamanho da forma de cardíaca estão pré-regulados para 30 bpm (bradicardia) e 150
onda seja exibido. bpm (taquicardia). Consulte a secção de alarmes da(s)
introdução(ões) de parâmetros de monitorização fisiológica,
Ajuste a altura do som do apito QRS para um nível
para obter mais informações sobre esses mesmos parâmetros.
adequado, utilizando o botão de regulação da altura do
(Consulte o guia de configuração do M Series para obter
som.
detalhes sobre como definir limites de activação alarme.)
A sequência a utilizar para regular os alarmes é a seguinte:
1. Premir a tecla programável Alarmes, localizada abaixo do
écran, para visualizar a representação e as teclas
programáveis de Alarmes.
2. Premir a tecla programável SELEC PARÂM. Isso fará com
que a área realçada seja deslocada para junto dos
diversos sinais vitais possíveis. Seleccionar o campo de

9-2
MONITORIZAÇÃO DO ECG

Estado para o parâmetro a alterar. O campo de Esses sinais de alarme fazem soar um sinal sonoro de
Estado ficará realçado juntamente com o campo do dois apitos e aparece uma mensagem por um período de
sinal vital seleccionado. tempo cronometrado.
3. Baixa Prioridade: Estes alarmes consistem em
mensagens informativas destinadas apenas ao operador,
acompanhadas dos mesmos avisos sonoros que os
alarmes de prioridade Média.
Limites dos alarmes
A escala de limites dos alarmes de Frequência Cardíaca baixa
é de 20 a 100 bpm, sendo o valor pré-definido 30 bpm.
Quando a frequência cardíaca de um paciente é monitorizada
3. Premir as teclas programáveis Aum ou Dim para por meio de um ECG, a escala dos Limites do Alarme de
seleccionar "ACTIV", "DESACT", ou "AUTOM" no Frequência Cardíaca Alta é de 60 a 280 bpm, sendo o valor
campo de Estado. Quando a tecla programável pré-definido 150 bpm. Quando a frequência cardíaca é
Campo Seguinte for premida depois de se ter monitorizada por meio do oxímetro do pulso, contudo, o limite
seleccionado “ACTIV” ou “DESACT”, o Estado máximo do Alarme de Frequência Cardíaca Alta diminui para
seleccionado ficará regulado e a área realçada mover- 235 bpm automaticamente, se tiver sido regulado
se-á para o próximo campo (o campo do limite baixo). anteriormente para um valor mais alto para a monitorização
Quando "AUTOM" tiver sido seleccionado e a tecla por meio de ECG. A regulação original dos limites do Alarme
programável Campo Seguinte for premida, o aparelho de Frequência Cardíaca Alto é restabelecida quando a
regulará os limites inferior e superior para 80% e 120% monitorização por ECG é retomada.
da frequência cardíaca corrente medida no paciente
se houver medidas válidas para o sinal vital. (Consulte Suspender os alarmes
a secção da(s) introdução(ões) de parâmetros de Quando ocorre um alarme de alta prioridade, soa um sinal
monitorização fisiológica adequada(s), para obter in-
sonoro contínuo, o valor do parâmetro do alarme fica
formações sobre as diferentes percentagens). A área
realçada movese, em seguida, para o campo do destacado e a luz do sino associado a esse parâmetro pisca.
parâmetro seguinte. Prima o botão SUSPENDER ALARME para silenciar o alarme.
OBS.: Para alterar os limites Alto e Baix do qualquer Aparecerá um "X" a cruzar a imagem do sino (  ) com uma
parâmetro quando esses limites já foram luz a piscar, que indica que o som dos alarmes associados ao
anteriormente fixados através do estado “AUTOM”, parâmetro afectado ficou temporariamente desactivado. O
prima as teclas programáveis Aum ou Dim, valor do parâmetro do alarme permanece destacado. Quando
efectuando um ciclo de sequência entre as funções
“ACTIV” e “DESACT”, até “AUTOM” ser seleccionado o botão SUSPENDER ALARME for premido de novo ou a
de novo e, em seguida, prima a tecla programável violação do alarme for corrigida, o processamento do alarme
Campo Seguinte. Os limites Alto e Baix são será reactivado.
automaticamente repostos de acordo com a Quando se esgota o tempo da suspensão do alarme e a
frequência cardíaca do paciente nesse momento.
condição do alarme não foi corrigida, poderão ocorrer as
4. Se “AUTOM” não tiver sido seleccionado, premir as seguinte situações:
teclas programáveis Aum ou Dim para regular o valor
de limite do alarme Baixo. Premir a tecla programável  ouvir-se-á de novo um sinal sonoro contínuo
Campo Seguinte para confirmar o valor seleccionado  o valor do parâmetro do alarme permanece destacado
e mover a área realçada para o próximo campo (o
campo do limite Alto). Repetir o passo descrito acima  a luz do sino associado ao parâmetro pisca.
para o campo do limite Alto. Quando o período de suspensão do alarme se esgotar e a
5. Premir a tecla programável Retorno para regular violação do alarme tiver sido corrigida, o M Series voltará a
todos os valores e regressar ao modo de operação funcionar no seu modo normal.
normal.
Se ocorrer um segundo alarme enquanto o primeiro alarme se
Função de Alarme encontrar suspendido, prima o botão SUSPENDER ALARME
O aparelho M Series possui três níveis de alarmes. para suspender o segundo sinal de alarme. O tempo de
suspensão do primeiro alarme continuará a decorrer.
1. Alta Prioridade: Quando activados, estes alarmes
mostram parâmetros fisiológicos que se encontram Activar / Desactivar os alarmes
fora dos limites. Eles fazem soar um sinal sonoro
As funções de alarme serão desactivadas se o botão
contínuo, o parâmetro dos alarmes fica destacado e a
SUSPENDER ALARME for premido e mantido premido
luz do sino de alarme correspondente pisca.
durante aproximadamente 3 segundos. Esta condição é
2. Prioridade Média: Estes sinais de alerta indicam assinalada pelo facto de todos os sinos (  ) aparecerem com
falhas do equipamento corrigíveis pelo operador, por
exemplo DERIV DESLIG, VERIF SENSOR SPO2.

9-3
GUIA DO OPERADOR

um “X” atravessado, indicando que os alarmes estão Largura de Banda de Diagnóstico


desactivados.
Durante o uso do cabo ECG na monitorização, o aparelho pode
Se todos os alarmes estiverem desactivados e o botão ser comutado para a largura de banda de diagnóstico (0,05-150
SUSPENDER ALARME for brevemente premido, todas Hz) premindo-se e mantendo-se premido o botão
as funções de activação dos alarmes serão REGISTADOR. A largura de banda de diagnóstico será
restabelecidas. mantida enquanto o botão REGISTADOR estiver premido. O
aparelho regressará ao modo de largura de banda de
No modo DESFIB, MONITOR ou LIG, as capacidades do monitorização normal quando o botão REGISTADOR for solto.
alarme de ECG/frequência cardíaca são incrementadas
com a função de consulta de desfibrilhação chamada Monitorização com cinco (5) derivações
Smart Alarms™. Quando os alarmes estão a funcionar,
esta função desencadeia um alarme sonoro sempre que é Desligue o cabo de ECG do paciente de 3 derivações, se este
detectada uma fibrilhação ventricular ou taquicardias estiver ligado. Ligue o cabo de ECG do paciente de cinco (5)
ventriculares de complexos largos. Para alarmes derivações ao aparelho M Series. Consulte, no início desta
desencadeados pela função de consulta, aparece no écran secção, os Preparativos apropriados (isto é, a disposição dos
uma outra mensagem “VERIF PACIENTE”. O registador de eléctrodos, a ligação dos eléctrodos, a regulação dos
gráficos imprimirá uma mensagem “ALARME FC” para comandos, etc.) que deverão ser considerados antes de se
indicar a fonte do alarme. efectuar a monitorização com as cinco (5) derivações.

Smart Alarms Se alguma derivação de ECG ficar desligada durante a


monitorização, aparecerá uma mensagem “DERIV ECG
Se os alarmes estiverem a operar no modo de Estimulação DESLIG” no écran.
(só na versão com Estimulação) o aparelho exibirá a
mensagem "ALARMES FC DESLIG", indicando que a A função “Smart Alarms” está sempre desactivada durante a
função Smart Alarms™ está desactivada. monitorização quando as derivações ampliadas (AVR, AVF,
AVL) ou as derivações V são seleccionadas. As mensagens
Se os alarmes da frequência cardíaca estiverem a
“ALARMES FC DESLIG” e “DERIV MEMBROS” são
funcionar com as placas seleccionadas, o aparelho exibirá
alternadamente exibidas quando os alarmes são activados (o
a mensagem "SELEC DERIV. MEMBROS". Se aparecer
esta mensagem, seleccione derivações dos membros ou carácter em forma de sino  aparecerá na secção superior do
precórdio. Será obtido um sinal de melhor qualidade écran) e as derivações ampliadas ou as derivações V são
utilizando as derivações dos membros ou precórdio em vez seleccionadas. Estas mensagens só são seleccionadas da
de placas. Para combinar a monitorização e a primeira vez que as derivações ampliadas ou V forem
desfibrilhação com alarmes da frequência cardíaca seleccionadas. Elas não voltam a ser exibidas quando operador
activados, utilize eléctrodos MFE. circula novamente por todas as derivações.

Operação do registador Impressão simultânea com 3 derivações (se


configurado)
O registador de gráficos documenta sempre o traçado do
ECG com 6 segundos de retardamento. Para activar o Para se fazer a impressão simultânea a partir de 3 derivações
funcionamento do registador, prima o botão do cabo de ECG do paciente quando forem seleccionadas as
REGISTADOR. O registador funcionará continuamente até derivações, deverá estar a ser usado um cabo de ECG de
que o botão seja premido de novo. cinco (5) derivações e deverá ser seleccionada a opção “Impr 3
De cada vez que o registador é activado, a hora, a data, a deriv após selec deriv” com “SIM” em Configuração do Sistema
derivação de ECG, o tamanho e a frequência cardíaca são (Consulte o guia de configuração do M Series).
impressos na parte superior do papel. Se o aparelho A selecção de derivações mostrada no écran aparecerá
estiver a fazer estimulação cardíaca, a indicação da sempre na parte de cima do ECG impresso na tira de
corrente de saída será também impressa. Do mesmo registador. Os sinais registados simultaneamente pelas outras
modo, se o desfibrilhador tiver sido descarregado, a derivações de cada conjunto de três (derivações dos membros,
energia libertada será também impressa. derivações ampliadas, etc.) serão imprimidos abaixo deste
Obs.: O papel deve ser verificado no início de cada traço. Por exemplo, se for seleccionada a derivação AVR, o
turno e no fim de cada utilização, para se registador imprimirá simultaneamente os sinais da derivação
assegurar uma boa capacidade de registo. A AVR (em cima), os da derivação AVL (no meio) e os da
presença de um risco colorido no papel significa derivação AVF (em baixo).
que o papel está prestes a terminar.
Mudança de um cabo de cinco (5) derivações para
Uma mensagem "VERIF REGISTADOR" aparece no écran um cabo de três (3) derivações na monitorização de
quando o registador é activado sem papel. O registador ECGs
desliga-se automaticamente quando não há papel.
Prima o botão REGISTADOR para voltar a ligar o Para mudar de um cabo de cinco (5) derivações para um cabo
registador depois de carregar mais papel. de três (3) derivações na monitorização de ECGs, efectue as
seguintes operações:
Se a unidade M Series não funcionar de acordo com o
esperado, consulte a secção de Localização e diagnóstico  Desligue o aparelho e deixe-o desligado por, pelo menos,
de avarias do registador que começa na página B-2. 10 segundos.

9-4
MONITORIZAÇÃO DO ECG

 Desligue o cabo de ECG do paciente de cinco (5) Para visualizar apenas os dados de SpO2 quando estão
derivações do lado posterior do aparelho. instalados múltiplos parâmetros na unidade, utilize a tecla
 Ligue o cabo de ECG do paciente de três (3) programável Selec para destacar SpO2 no submenu Tendênc,
derivações ao lado posterior do aparelho. em seguida, prima a tecla programável Aceitar.
 Ligue o aparelho. Se só estiver instalado um parâmetro na unidade, o écran de
tendências aparece automaticamente quando a tecla
Obs.: A mensagem “DERIV ECG DESLIG” aparecerá no
programável Tendênc é premida.
écran se o aparelho não foi desligado por durante pelo 10
segundos após o cabo de ECG de cinco derivações ter
sido retirado, mesmo se as derivações estiverem
devidamente ligadas ao paciente.
30-Ago-01
HORA
Tendências dos sinais vitais 5 MIN FC/PR SpO2 EtCO2
CO2
FR
Alguns modelos da M Series incluem uma função de
determinação de tendência de sinais vitais que faz uma
amostragem de valores instantâneos dos parâmetros
fisiológicos monitorizados e armazena os dados
amostrados num registo que inclui o tempo de registo dos
valores. Esses sinais vitais incluem o ritmo cardíaco do
doente, o SpO2, o CO2 de corrente final, o ritmo respiratório
e a tensão arterial não-invasiva sistólica, diastólica e Imprimir Novos Antigos Zoom Retorno
média.

Os dados de tendência armazenados podem ser


Não é possível visualizar todos os dados de tendência em
visualizados de forma tabular no visor do dispositivo da M
simultâneo no monitor. Contudo, o écran pode ser alterado a
Series ou impressos pelo registador de tiras da unidade.
fim de exibir dados registados adicionais. Com a tecla
Se o dispositivo M Series estiver configurado com a função programável Zoom, o utilizador pode visualizar registos de
de tendência activada, é feita uma amostragem dos tendência detectados a intervalos de 1 minuto, 5 minutos, 10
valores dos sinais vitais monitorizados uma vez por minuto minutos, 15 minutos, 30 minutos e 60 minutos. Os dados são
e arquivada na memória de tendências da unidade. Os apresentados com o mais recente no topo e o mais antigo no
dados armazenados são de 24 horas de registos de fundo do visor.
tendência de um minuto. Quando a memória está cheia, o
registo de tendência mais recente substitui o registo de Se ocorrer um alarme enquanto a unidade está a monitorizar os
tendência mais antigo. Registos adicionais de tendência sinais vitais, por exemplo um alarme TANI, a unidade regista os
serão armazenados sempre que seja emitido um alarme de dados no momento do alarme, independentemente do registo
um parâmetro ou seja efectuada uma medição da tensão standard com um minuto de intervalo.
arterial não-invasiva (TANI). Repare-se que esses registos Uma condição de alarme é indicada no écran de tendências
adicionais diminuirão com a redução do número global de colocando os parâmetros com alarme entre parêntesis rectos.
registos de tendência de um minuto que podem ser Dados inválidos são indicados no écran pela substituição dos
arquivados na memória da unidade. dados por uma linha tracejada. Dados inválidos podem ocorrer,
por exemplo, se a sonda ou dispositivo de medição não estiver
Visualizar dados de tendência dos sinais vitais bem ligado ao doente.
no écran
Os valores registados mais recentes são indicados pelo
O écran para os dados de tendência de sinais vitais mostra destaque do registo de hora associado aos dados de
sempre o tempo de registo de dados, o ritmo tendência. Se não existir nenhum registo de hora destacado, os
cardíaco/pulsação e o SpO2. A data de registo aparece no dados apresentados são antigos. Para visualizar os valores
cimo do écran de tendências. EtCO2 e tensão arterial não- mais recentes dos dados registados, prima a tecla programável
invasiva são exibidos opcionalmente com base na Novos até que seja exibida a hora destacada.
configuração da unidade.
Ao visualizar os dados mais recentes, o écran é actualizado
Para seleccionar dados de EtCO2 ou de tensão arterial não automaticamente de cada vez que é registado um novo registo
invasiva para visualização: de tendência. Para visualizar valores mais antigos dos dados
registados, prima a tecla programável Antigos até que sejam
1. Prima o botão RESUMO. exibidos os dados desejados. Passados três minutos desde a
2. Prima a tecla programável Tendênc no menu última activação de uma tecla programável durante a
Resumo. visualização de dados mais antigos, o menu de monitorização
fisiológica volta a ser exibido.
3. Utilize a tecla programável Selec para marcar
EtCO2 ou TANI.
4. Prima a tecla programável Aceitar para seleccionar
a opção desejada.

9-5
GUIA DO OPERADOR

Imprimir um relatório de tendência de


sinais vitais
O gráfico de tiras imprime o relatório de tendências com o
mesmo nível de Zoom utilizado pelo écran. Se a definição
de Zoom for de 1 minuto, premir a tecla programável
Imprimir do écran de tendências fará com que sejam
impressos todos os dados de tendências.
Os dados são impressos no gráfico de tiras por ordem, dos
dados mais recentes para os dados mais antigos. As
condições de alarme são indicadas no gráfico de tiras por
meio de parêntesis rectos colocados em torno de cada
parâmetro com estado de alarme. Tal como no écran, os
dados inválidos são indicados pela substituição dos dados Apagar registos de tendência de sinais
por uma linha tracejada.
vitais
As leituras de TANI são consideradas válidas apenas para
um registo de tendência. Todos os outros registos de É possível arquivar até 24 horas de dados de tendência antes
tendência indicam leituras de TANI inválidas. de estes serem substituídos. Se a unidade for desligada
durante o processo de registo de dados de tendência, o lapso
de tempo correspondente será indicado no campo da hora por
uma série de asteriscos. No gráfico de tiras, esse lapso é
indicado pelo avanço do papel do gráfico e pelo início de uma
nova página de dados de tendência. Se a unidade for desligada
durante um período superior ao definido pelo utilizador, todos
os dados de tendência de sinais vitais são apagados
automaticamente.

Para limpar os dados de tendência, mantenha premido o botão


RESUMO até que o écran mostre as teclas Apagar resumo,
Apagar tendênc e Apagar tudo. Prima a tecla programável
Apagar tendênc. A mensagem A APAGAR RELATÓRIO é
exibida e os dados de tendência são eliminados.

Se a definição de Zoom for de 5 minutos (por exemplo),


premir a tecla programável Imprimir do écran de
tendências fará com que seja impresso um relatório com
zoom.

Operação de tendência de TANI


Durante a exibição de tendências TANI, só são exibidos os
registos com leituras TANI reais. Os relatórios de tendência
TANI exibidos contêm todos os registos TANI,
independentemente do nível de Zoom.

9-6
SECÇÃO 10
MANUTENÇÃO GERAL
Ensaio periódico
Limpeza
O equipamento de reanimação tem de ser objec-
to de manutenção regular para estar pronto para Os sistemas M Series e os respectivos acessórios
uso imediato. As verificações operacionais têm resistência química às soluções de limpeza e
seguintes devem ser realizadas no início de ca- aos detergentes não cáusticos mais vulgares. A lista
da turno, para se assegurar que o equipamento seguinte inclui as soluções de limpeza aprovadas:
funciona correctamente. (Consulte a Lista de
 Álcool isopropílico a 90% (excepto os
Conferência do Operador adequada no fim desta
adaptadores e o cabo do paciente)
secção. Copie e distribua a folha a todas as
pessoas responsáveis pela preparação e pelo  Água e sabão
uso do dispositivo.  Lixívia de cloro (30ml/l de água)
Nota: Os dados de desfibrilhação e estimulação A ZOLL recomenda que o aparelho, as placas e os
resultantes do auto-teste são registados cabos sejam limpos com um pano macio húmido e
automaticamente no cartão de dados com os produtos de limpeza mencionados. As peças
PCMCIA, se existir. O aparelho pode ser do registador devem ser limpas só com um pano
configurado para apagar todos os dados de macio e húmido.
auto-teste do cartão de dados quando o Não mergulhe nenhuma parte do aparelho (incluindo
aparelho é desligado. Consulte o M Series as placas) dentro de água. Não use cetonas (MEK,
Configuration Guide para obter mais acetona, etc.). Evite usar produtos abrasivos (toalhas
detalhes. de papel, por exemplo) na janela do écran. Não
esterilize o aparelho.
Inspecção
Deve-se ter o cuidado especial de limpar as placas
Certifique-se de que o aparelho está limpo (sem
de desfibrilhação a seguir a cada uso. A acumulação
derramamentos de líquidos) e de que nada está
de gel interferirá com a monitorização do ECG pelas
assente em cima do aparelho.
placas (primeira impressão) e pode suscitar o risco
Assegure-se de que se encontram disponíveis de choques para o operador. Mantenha as asas das
dois conjuntos de eléctrodos MFE em placas bem limpas.
embalagens seladas. Verifique as datas do
prazo de validade de todas as embalagens de Limpeza da cabeça de impressão do
eléctrodos MFE. registador
Certifique-se de que as placas estão limpas e
Para limpar a cabeça de impressão do registador,
não apresentam gel electrolítico e outros
efectue as seguintes operações:
contaminantes.
1. Faça pressão para baixo e puxe a gaveta do
Inspeccione todos os cabos, fios e ligações, para
compartimento do papel no local da etiqueta
ver se estão em bom estado, sem cortes ou
“SOLTAR”.
franjas, e que os pinos não estão tortos.
2. Retire o papel (se necessário).
Confira a existência e o bom estado de todos os
materiais consumíveis (gel para os eléctrodos, 3. Afaste a gaveta.
eléctrodos de monitorização, papel do 4. Incline o aparelho para trás, de modo a que a
registador, cotonetes ou bolinhas de algodão base da gaveta seja facilmente visível.
embebidas de álcool, aparelhos de barbear,
5. Localize a patilha de plástico, no lado de trás da
antitranspirante).
gaveta.
Verifique se uma placa de memória vazia está
6. Aplique pressão sobre a patilha (desengatando a
instalada na unidade (caso aplicável).
aresta de plástico) e puxe a gaveta até esta ser
Verifique se uma bateria plenamente carregada retirada.
está instalada na unidade.
7. Localize a fila de pêlos finos e macios.
Verifique se existe uma bateria sobresselente
plenamente carregada junto à unidade.

10-1
GUIA DO OPERADOR

8. Localize uma linha preta fina (a cabeça de se a mensagem “PREMIR CHOQUE” está a ser
impressão) adjacente e paralela aos pêlos. mostrada e anunciada.
9. Limpe com cuidado a linha preta fina com  Prima e conserve premido o botão CHOQUE.
um cotonete humedecido em álcool Verifique se a unidade descarrega.
(isopropílico). Seque o álcool residual com
um novo cotonete. 3. Verificação do registador (caso aplicável)
10. Instale a gaveta e o papel de novo no  Verifique se existe uma quantidade de papel
aparelho. adequada.
 Prima o botão REGISTADOR. O registador
Ensaio do desfibrilhador semi- funcionará até que o botão REGISTADOR volte
automático a ser premido.

1. Verificação da sequência de activação  Examine a forma da onda do registador, quanto


à sua uniformidade e intensidade (tom escuro).
Ligue a extremidade do paciente do cabo multi-  Veja se os caracteres das anotações se
funções ao conector de teste do desfibrilhador. apresentam uniformes e se as palavras estão
Estando o botão selector desligado (DESLIG), completas.
rode o botão selector para a posição de ligado Se uma mensagem de "BATERIA FRACA" aparecer
(LIG) e observe o seguinte: durante os ensaios no início de um turno, a bateria
 Um sinal sonoro com 4 toques indica que o atualmente no uso está quase esgotada e deve ser
auto-teste de activação foi completado com substituída e carregada. O aparelho não testa a
êxito. bateria quanto à existência de uma carga adequada
 É apresentada e anunciada a mensagem para assegurar o uso prolongado do aparelho. A
VERIF ELÉCTRODOS. capacidade só pode ser determinada mediante o
ensaio da bateria num carregador de baterias ZOLL
2. Ensaio do desfibrilhador apropriado.
 Prima o botão ANALISAR. Verifique se a Substituição do papel
unidade carrega a 30J (mensagem 30J
Pronto). Faça pressão para baixo e puxe a gaveta do
COMPARTIMENTO DO PAPEL, no local da etiqueta
 Uma vez que a unidade está carregada, “SOLTAR”. A gaveta abrir-se-á.
verifique se o botão CHOQUE se iluminou.
Veja se a quantidade de papel é adequada. Se
 Prima e conserve premido o botão
houver pouco papel, retire o papel do tabuleiro.
CHOQUE.
Coloque um novo bloco de papel térmico dentro da
 Se a unidade tiver fornecido energia de gaveta, com o papel a sair do cimo do bloco e o lado
acordo com as especificações, a mensagem quadriculado voltado para cima.
"TESTE OK" deve momentaneamente ser
Puxe suficiente papel para fora do bloco, de modo a
indicada na tela eo registador de gráficos(si
que o papel saia para fora do registrador quando a
presente) deve imprimir uma pequena tira
gaveta do compartimento do papel for fechada.
com a indicação “TESTE OK”.
 Se for exibida a mensagem “TESTE Feche a gaveta do compartimento do papel,
FALHOU”, contacte imediatamente o empurrando-a para dentro e fazendo uma ligeira
pessoal técnico apropriado ou o pressão para baixo no local da etiqueta “SOLTAR”,
Departamento de Assistência Técnica da até a gaveta ficar rente ao lado frontal do aparelho.
ZOLL.
 Ligue o cabo multifunções ao simulador de
Ensaio do desfibrilhador manual
ECG ZOLL. Regule o simulador para VF.
1. Verificação da sequência de activação
 Verifique se a mensagem “VERIF
PACIENTE” é exibida e anunciada dentro de Com o botão selector DESLIG, ligue-o para a posição
30 segundos. MONITOR e observe o seguinte:
 Prima o botão ANALISAR. Veja se a  Um sinal sonoro com 4 toques indica que o auto-
unidade carrega a 200 J (não-Bifásica), ou teste de activação foi completado com êxito.
120J (Bifásica) ou de outro nível  O tamanho do ECG deve ser x 1 e a palavra
preconfigurado. “MONITOR” deverá aparecer no centro do écran.
 Uma vez que a unidade está carregada,
 A indicação “PAS EXT” ou “ELÉCTR” deve ser
verifique se o botão CHOQUE se iluminou e
exibida no lado superior direito do écran.

10-2
MANUTENÇÃO GERAL

 A mensagem “DERIV ECG DESLIG” será  A mensagem “C-C ELÉCTR DESFIB” é exibida.
exibida e o ECG será representado no écran Porta de teste
por uma linha tracejada, em vez de por uma
linha de traço contínuo, se nenhum cabo de
ECG estiver ligado ao simulador.
2. Energia administrada e botões de
choque Cabo
multifunções
AVISO
3. Ensaio de fornecimento de energia
 Ao efectuar esta verificação usando as
placas, use os seus polegares para operar
(placas/eléctrodos MFE)
os botões de CHOQUE, a fim de evitar um  Prima o botão CARGA situado no painel
choque acidental. Nenhuma parte da mão dianteiro ou na asa da placa do ápice.
deve estar na proximidade das chapas das  Aguarde que soe o toque de aviso de que a
placas. carga está pronta e verifique se o valor da carga
pronta exibido no écran indica 30 joules
Efectue esta verificação no início de cada turno,
(“DESFIB 30 J PRONTO”).
recorrendo para isso as placas ou ao cabo
multifunções (descrito mais adiante), conforme o  Se as placas estiverem instaladas, use os seus
que for aplicável à situação. polegares para premir simultaneamente e calcar
firmemente os botões CHOQUE (um em cada
Método com as placas placa) até a descarga ocorrer.
 Verifique se as placas para adultos estão Se o cabo dos eléctrodos MFE e o conector de
instaladas e se estão enfiadas até ao fim ensaio estiverem instalados, prima e mantenha
dentro dos respectivos suportes na zona calcado o botão CHOQUE no painel dianteiro do
lateral da unidade M Series. desfibrilhador até a descarga ocorrer.
 Rode o botão selector para DESFIB.  Se o aparelho tiver fornecido energia de acordo
 Regule a energia do desfibrilhador a 30 com as especificações, o registador de gráficos
joules. imprimirá uma tira curta com a indicação “TESTE
OK”.
 Prima o botão CARGA na asa da placa do
ápice.  Se a mensagem “TESTE FALHOU” aparecer,
contacte imediatamente o pessoal técnico
 Quando soar o toque de aviso de que a apropriado ou o Departamento de Assistência
carga está pronta, use qualquer dos botões Técnica da ZOLL.
de selecção da energia do desfibrilhador, na
placa do esterno ou no painel dianteiro do Nota: Durante o Teste de Administração de
desfibrilhador, para alterar a energia Energia, a unidade só descarrega quando o nível de
seleccionada para 20 joules. energia está regulado para 30 joules.

 O desfibrilhador desarmar-se-á. 4. Operação do estimulador


 Use qualquer dos botões de selecção da (só na versão com estimulador)
energia do desfibrilhador, na placa do ester-  Rode o BOTÃO SELECTOR para a posição
no ou no painel dianteiro do desfibrilhador, ESTIMUL.
para voltar a alterar a energia seleccionada  Rode o botão RITMO DO ESTIMUL para 150
para 30 joules. ppm.
Método com o cabo multifunções  Prima o botão REGISTADOR para gravar uma
tira.
 O cabo multifunções deve estar ligado ao
aparelho. Assegure-se de que o cabo
multifunções não está ligado ao respectivo
conector de ensaio.
 Rode o botão selector para DESFIB e
regule a energia a 30 joules.
 As mensagens "VERIF ELÉCTRODOS" e
“MAU CONTACTO ELÉCTR” serão
alternadamente exibidas.
 Ligue o cabo multifunções ao respectivo
conector de ensaio.

10-3
GUIA DO OPERADOR

botão TAMAN continuar premido. Além disso, a


amplitude do impulso de calibração é de 1 mv,
independentemente da regulação do tamanho
(TAMAN).
 Examine a forma de onda do registador, quanto
à sua uniformidade e intensidade (tom escuro).
 Veja se os caracteres das anotações se
apresentam uniformes e se as palavras estão
completas.
Confira a velocidade do registador, verificando se o
impulso de calibração tem 2,5 ± 0,5 mm de largura e
 Verifique se as marcas de estimulação 10 ± 1 mm de altura.
( ) ocorrem aproximadamente a cada 10
pequenas divisões (2 divisões grandes = 1cm). Substituição do papel
 Prima o botão 4:1 e verifique se a Prima para baixo e puxe a gaveta do tabuleiro do pa-
frequência das marcas diminui (para uma pel no local da etiqueta "SOLTAR". A gaveta abre-se.
em cada 8 divisões grandes, ou seja 4 cm Veja se a quantidade de papel é adequada. Se houv-
entre cada marca). er pouco papel, retire o papel do tabuleiro. Coloque
um novo bloco de papel térmico dentro da gaveta,
com o papel a sair do cimo do bloco e o lado
quadriculado voltado para cima.
Puxe suficiente papel para fora do bloco, de modo a
que o papel saia para fora do registrador quando a
gaveta do compartimento do papel for fechada.
Feche a gaveta do compartimento do papel,
empurrando-a para dentro e fazendo uma ligeira
 Rode o botão CORRENTE ESTIMUL para 0 pressão para baixo no local da etiqueta “SOLTAR”,
mA. Não deve haver nenhuma mensagem até a gaveta ficar rente ao lado frontal do aparelho.
“VERIF ELÉCTRODOS/ MAU CONTACTO
Regulação da hora e da data
ELÉCTR”.
Verifique a hora e a data anotadas pelo registador.
 Desligue os eléctrodos MFE ou as placas do
Se não estiverem correctas, regule-as da seguinte
cabo multifunções.
maneira:
 Rode lentamente o botão para até 16 mA.
Rode o BOTÃO SELECTOR para DESLIG. O
As mensagens “VERIF ELÉCTRODOS” e
dispositivo deve permanecer desligado pelo menos
“MAU CONTACTO ELÉCTR” serão exibidas
10 segundos antes de introduzir o ecrã "Marcar hora"
alternadamente no écran. O alarme do
para definir a hora manualmente, como descrito na
estimul soará e aparecer subitamente.
subsecção "Método manual" em baixo, ou no modo
 Ligue o cabo multifunções ao conector de Utilitários para definir a hora automaticamente.
ensaio. Consulte a subsecção "Método automático" em baixo
 Prima a tecla programável Apagar o alarme para obter instruções sobre como definir a hora
do estim. As mensagens “VERIF automaticamente.
ELÉCTROD-OS” e “MAU CONTACTO Método manual
ELÉCTR” devem desaparecer e o Alarme do
1. Prima e mantenha premida a tecla programável
estimulador pára.
situada sob a extremidade direita do écran do
5. Verificação do registador aparelho, rodando ao mesmo tempo o BOTÃO
SELECTOR para a posição MONITOR ou LIG.
 Verifique se existe uma quantidade de papel
Quando o quadro “Marcar Hora” aparecer no
adequada.
écran, solte a tecla programável.
 Prima o botão REGISTADOR. O registador
de tiras funcionará até que o botão
REGISTADOR volte a ser premido.
 Prima e mantenha premido o botão TAMAN
durante pelo menos 2 segundos, para gerar
um impulso de calibração. O impulso perma-
necerá representado no écran enquanto o

10-4
MANUTENÇÃO GERAL

2. O campo relativo ao mês será realçado. 3. Prima a tecla programável Marcar. Aparece
Prima as teclas programáveis Aum Valor brevemente no ecrã a palavra "A inicializar",
ou Dim Valor para seleccionar o mês seguida do ecrã "Sincronização do relógio", que
corrente. Se premir a tecla programável apresenta o número de telefone NIST
Campo Seguinte fixará o mês seleccionado configurável do utilizador com o prefixo correcto.
e fará deslocar a área realçada e activa para A palavra "A marcar" aparece em baixo,
o campo seguinte (referente ao dia). juntamente com um contador de segundos,
3. Repita os mesmos passos indicados acima enquanto o aparelho liga ao site do NIST.
para regular e fixar o dia, o ano, a hora e os Depois de receber as informações do relógio atómico
minutos correctos nos campos respectivos. existente no site do NIST, o aparelho apresenta, em
Nota: O último campo não produz um retorno seguida, as informações de data e hora actualizadas,
automático ao começo do processo. A a menos que ocorra um dos seguintes erros:
tecla programável Campo Anterior tem de
ser premida para a introdução de valores Mensagem de Descrição/Acção correctora
respeitantes ao campo anterior. erro
Se tiverem de ser feitas correcções, prima MODEM O aparelho determinou que não
a tecla programável Campo anterior para REQUERIDO existe nenhuma placa de modem
deslocar a área realçada e activa para o instalada. Instale uma placa de
campo previamente regulado. modem que seja suportada e
tente novamente.
4. Prima a tecla programável Aceitar e Retorno
para fixar todos os valores e regressar ao ERRO AO INIC Não foi possível inicializar o
modo normal de monitorização. MODEM modem. Substitua a placa do
modem e tente novamente.
Nota: A exibição repetida da mensagem "REGU-
LAR RELÓGIO" ou "AVARIA RELÓGIO" SEM SINAL O aparelho não detectou sinal de
pode indicar que a bateria interna que se DE LINHA linha. Verifique a ligação entre o
encontra a alimentar o relógio de tempo modem e a ficha telefónica ou
real da unidade está descarregada. Con- tente outra linha telefónica.
sulte o guia de resolução de problemas na OCUPADO O aparelho recebeu sinal de
secção B deste manual para obter mais ocupado da localização NIST
informações. seleccionada. Volte a tentar.
Método automático SEM O aparelho não recebeu resposta
RESPOSTA da localização NIST seleccionada.
Nota: Este método requer uma ligação por mod- Volte a tentar ou seleccione outra
em. Além disso, é necessário definir o fuso localização NIST.
horário correcto no modo Configuração do
Sistema para actualização e correcção da SEM LINHA O aparelho determinou uma
hora. interrupção na linha. Corrija o
problema e volte a tentar.
1. Prima e mantenha premida a tecla programá-
vel na extremidade esquerda do aparelho, DESLIGAR O aparelho recebeu indicação
rodando ao mesmo tempo o BOTÃO SELEC- para desligar da localização NIST
TOR para a posição MONITOR ou LIG. seleccionada. Volte a tentar.
Quando o ecrã "Utilitários de sistema" apare- ERRO MARC O modem não conseguiu marcar o
cer no monitor, solte a tecla programável. MODEM número de telefone. Assegure-se
de que a placa do modem está
2. Prima a tecla programável Sincro relógio. Um
correctamente ligada. Certifique-
ecrã de definição aparece, permitindo ao
se de que o prefixo de marcação
utilizador escolher uma localização NIST
seleccionado pelo utilizador
(National Institute for Science and Tecnology)
(definido no modo Configuração do
e um prefixo para o número de telefone da
Sistema ou Utilitários de Sistema)
localização NIST seleccionada, caso seja
está correcto. Volte a tentar.
necessário. Por exemplo, se a localização
NIST se situar fora da área de chamada ERRO DADOS O aparelho detectou um erro nos
local, os utilizadores no território continental NIST dados do NIST. Volte a tentar.
dos Estados Unidos deverão inserir um "1"
como prefixo de marcação. Os outros
utilizadores inserirão o prefixo solicitado para
efectuar chamadas para o território
continental dos Estados Unidos.

10-5
GUIA DO OPERADOR

Verifique se a hora e a data estão reguladas


correctamente, produzindo a impressão de uma
tira de gráfico. Prima o botão REGISTADOR e
verifique se a tira do gráfico está correctamente
anotada com a hora e a data correntes, o
tamanho do ECG seleccionado, a fonte e a
frequência cardíaca.
Verifique se o relógio de tempo real está a
funcionar correctamente, aguardando vários
minutos e produzindo depois a impressão de
uma outra tira pelo registador.
Nota: A hora e a data podem precisar de ser
reguladas se a bateria interna do
dispositivo estiver esgotada ou se houver
uma mudança do fuso horário.

10-6
SECÇÃO 11
GESTÃO DAS BATERIAS
Cuidados com as baterias Mensagem de bateria fraca
Sempre que o aparelho detectar uma situação de
AVISO
BATERIA FRACA, será exibida no visor uma
 O uso regular de conjuntos de baterias
mensagem de “BATERIA FRACA” e, uma vez por
parcialmente carregados, sem uma recarga
minuto, soará um sinal sonoro, com dois toques,
integral entre utilizações, resultará numa
para avisar que a bateria está fraca. Substitua
capacidade permanentemente reduzida e na
imediatamente o conjunto da bateria para assegurar
avaria prematura dos conjuntos de baterias.
o funcionamento contínuo do aparelho.
O uso seguro e fiável do sistema exige um Esta mensagem e os sinais sonoros persistirão até
programa de gestão das baterias bem pouco antes do desligamento forçado do aparelho,
concebido, de modo a assegurar que as baterias quando aparecer a mensagem “SUBSTITUIR
disponham sempre de energia adequada. BATERIA”.
A ZOLL elaborou o folheto do Programa de O intervalo de tempo que mediará entre a exibição da
Gestão de Baterias ZOLL (ZOLL Battery mensagem “BATERIA FRACA” e o desligamento do
Management Program). Este programa inclui aparelho variará consoante a idade e o estado da
informações para a determinação das suas bateria.
necessidades particulares, no tocante a baterias,
e medidas de implementação para o estabeleci- AVISO
mento de um programa amplo, eficaz e seguro.  Teste regularmente as baterias. As baterias que
Siga a legislação local, regional e nacional para não passem no teste de capacidade da ZOLL
deitar fora as baterias de ácido-chumbo e podem provocar um corte súbito da alimentação
eléctrodos descartáveis em segurança. Além eléctrica sem qualquer aviso.
disso, para evitar o risco de incêndio ou Substitua a bateria por uma bateria plenamente
explosão, nunca aproxime a bateria do fogo. carregada assim que vir a mensagem “BATERIA
Expectativa de vida útil das baterias FRACA” ou “SUBSTITUIR BATERIA”.

Os conjuntos de baterias de ácido-chumbo À medida que a capacidade de uma bateria for dimin-
requerem uma recarga integral após o seu uso. uindo, a duração do tempo de operação remane-
Ciclos repetidos de recarga parcial, por curtos scente a seguir a uma mensagem de “BATERIA
períodos de tempo, reduzirão a capacidade das FRACA” também diminuirá. No caso de baterias
baterias e produzirão o seu mau funcionamento mais novas ou menos usadas, o tempo de operação
prematuro. que restar a seguir a este aviso será significativa-
mente mais longo do que o tempo de operação
A frequência do uso, o número de baterias restante com baterias sujeitas a mais uso. Em qual-
usadas para o funcionamento, bem como o quer dos casos, este aviso acabará por resultar no
padrão de descarga e recarga das baterias, desligamento do desfibrilhador e, consequentemente,
contribuem para a perda da capacidade de carga a bateria fraca deve ser substituída o mais depressa
das baterias. Por estes motivos, a ZOLL possível por uma bateria plenamente carregada.
recomenda que os operadores substituam e
deitem fora as baterias usadas de acordo com Substituição do conjunto da bateria
um programa preventivo regular. O intervalo de O sistema M Series está concebido para a remoção
substituição preventiva mais eficaz deve basear- e a substituição rápidas do conjunto da bateria. Para
se nos padrões de uso previstos, nos resultados remover o conjunto da bateria, desligue o aparelho.
dos testes dos conjuntos de baterias e na Enfie um dedo no espaço vazio existente junto à
experiência adquirida com o aparelho na prática. extremidade esquerda do conjunto da bateria, exerça
A ZOLL recomenda que as baterias sejam pressão de encontro ao conjunto da bateria para
substituídas a cada dezoito meses, ou com desprender a presilha de travagem do conjunto da
maior frequência. bateria e levante o conjunto da bateria para o tirar
para fora. Para instalar um conjunto de bateria,
alinhe a aba da caixa do conjunto da bateria com o
espaço vazio na extremidade do aparelho para a
inserção do dedo e remoção da bateria. Encaixe o

11-1
GUIA DO OPERADOR

conjunto da bateria no receptáculo do conjunto Com a unidade M Series ligada e desactivada, o


da bateria. O formato do conjunto da bateria dispositivo recarregará a bateria PD4410 em 4 horas,
permitirá que este se assente a si próprio. Volte o mesmo acontecendo com o conjunto de baterias
a ligar o desfibrilhador no modo de operação XL em 7,2 horas. Com a unidade M Series ligada e
seleccionado. em utilização, o dispositivo recarregará um conjunto
Se o aparelho estiver regulado no modo de de baterias PD4410 totalmente esgotado em 24
ESTIMUL, a estimulação pode ser reatada horas, o mesmo acontecendo com o conjunto de
imediatamente depois da substituição da bateria. baterias XL em 32 horas.
Se tal não for desejado, então desligue o O carregamento das baterias pode ter lugar dentro
aparelho durante mais de 10 segundos antes de do aparelho ou recorrendo ao uso de um carregador
proceder à troca da bateria. Quando a operação de baterias externo.
do aparelho for reatada depois da substituição Quando um sistema M Series é ligado a uma tomada
da bateria, os valores de regulação do aparelho de electricidade de corrente alternada, as luzes
(por exemplo, os respeitantes a alarmes, indicadoras de CARREGADOR LIG funcionam da
derivações, amplitude e frequência da seguinte maneira:
estimulação) devem voltar a ser verificados.
A luz indicadora amarelo-alaranjada de
Carregamento e teste dos conjuntos de CARREGADOR LIG fica acesa continuamente
baterias sempre que o aparelho estiver desligado e a carregar
As baterias ZOLL destinam-se a ser carregadas a bateria ou ligado com a bateria instalada.
no aparelho ou noutros carregadores acessórios A luz indicadora verde de CARREGADOR LIG fica
concebidos para uso com dispositivos ZOLL. (Os acesa continuamente sempre que o aparelho estiver
conjuntos XL Battery precisam de software M desligado e a bateria instalada foi carregada até à
Series de versão 30.0 ou superior.) A ZOLL sua capacidade presente.
recomenda que se tenha sempre um carregador As luzes indicadoras verde e amarelo-alaranjada de
de baterias ZOLL auxiliar, para carregar as CARREGADOR LIG acendem-se alternadamente
baterias sobresselentes e efectuar testes quando não houver nenhuma bateria instalada no
periódicos das baterias. aparelho, ou tiver sido detectada uma falha da carga
O carregador ZOLL Base PowerCharger4x4 foi da bateria.
concebido especificamente para este fim. * Quando o aparelho não estiver ligado a uma tomada
de corrente alternada, as luzes indicadoras de
CARREGADOR LIG permanecerão apagadas.

Obtenção do melhor rendimento dos conjuntos de baterias


As práticas gerais seguintes assegurarão que os seus conjuntos de baterias possuam a mais longa vida útil
possível:
Práticas recomendáveis e a evitar durante o uso dos conjuntos de baterias:

 Carregue completamente os conjuntos de baterias. Quando for preciso proceder a uma troca do conjunto
da bateria, coloque uma bateria plenamente carregada no aparelho.
Se for preciso usar um conjunto de bateria só parcialmente carregado, isso pode resultar num período muito
curto de funcionamento do Monitor/Desfibrilhador.
Se for utilizado um conjunto de bateria parcialmente carregado, é aconselhável uma recarga completa antes do
seu uso seguinte. O uso repetido a seguir a recargas parciais fará diminuir rapidamente a capacidade do
conjunto da bateria, o que encurtará a sua vida útil.
A utilização frequente de baterias parcialmente carregadas requer uma reavaliação de se os conjuntos de
baterias a uso são suficientes.

 Troque os conjuntos de baterias quando o aviso “BATERIA FRACA” for emitido.


O aviso “BATERIA FRACA” acabará por produzir o desligamento do Monitor/Desfibrilhador. À medida que as
baterias forem envelhecendo, o período de operação que medeia entre o aviso de “BATERIA FRACA” e o
desligamento do Monitor/Desfibrilhador irá diminuir gradualmente. As baterias mais antigas podem assegurar
um período de operação muito curto entre o aviso de “BATERIA FRACA” e o desligamento do
Monitor/Desfibrilhador. Por conseguinte, quando o aviso de “BATERIA FRACA” ocorrer, um conjunto de bateria
plenamente carregado deve ser instalado o mais depressa possível.
* No caso de conjuntos XL Battery, assegure-se de que o Base PowerCharger 4x4 está rotulado com "Preparado
para XL Battery".

11-2
GESTÃO DAS BATERIAS

A Figura 1 ilustra o efeito da capacidade reduzida das baterias no tempo de operação restante do
Monitor/Desfibrilhador depois do aviso de “BATERIA FRACA”.

Figura 1

Tempo
antes do
aviso de
BATERIA
Tempo de FRACA

operação
Bateria fraca

Bateria fraca
Tempo Bateria fraca
antes de Bateria fraca
Bateria fraca
desligar Bateria fraca
Bateria fraca

Novo conjunto Conjunto de bateria Conjunto de bateria que


de bateria que passou o teste não passou o teste

Idade do conjunto de bateria

 Teste regularmente os conjuntos de baterias.

A sua organização tem que estabelecer e que pôr em prática um calendário apropriado para os testes. O
cumprimento desse calendário é crucial para a identificação de conjuntos de baterias que tenham chegado ao
fim da sua vida útil e que devam ser retirados de uso. Os conjuntos de baterias sujeitos repetidamente a ciclos
curtos de recarga e descarga podem perder rapidamente a sua capacidade. Os conjuntos de baterias usados
deste modo devem ser testados com maior frequência.

 Adopte um meio de indicar o estado da carga dos conjuntos de baterias.

É importante poderem-se distinguir visualmente os conjuntos de baterias carregados dos descarregados.


Estabeleça um sistema para a indicação visual de se um conjunto de bateria está carregado e pronto para uso
ou se precisa de ser recarregado. A ZOLL pode fornecer-lhe etiquetas indicadoras do estado dos conjuntos de
baterias para este fim, ou pode recorrer a etiquetas ou outros métodos de identificação próprios.

 Troque regularmente os conjuntos de baterias.

Os conjuntos de baterias devem ser trocados uma vez por turno ou uma vez por dia, conforme o seu uso.

 Disponha sempre de um conjunto de bateria sobresselente plenamente carregado.

11-3
GUIA DO OPERADOR

ø NÃO remova um conjunto de bateria parcialmente carregado do carregador de baterias.


Se for usado um conjunto de bateria parcialmente carregado, é aconselhável uma recarga completa antes do
seu uso seguinte. O uso repetido a seguir a recargas parciais reduzirá rapidamente a capacidade da bateria,
encurtando assim a sua vida útil.

ø NÃO armazene conjuntos de baterias descarregados.


A capacidade dos conjuntos de baterias diminuirá se eles forem mantidos descarregados por períodos
prolongados.

ø NÃO pressuponha que uma verificação do Monitor/Desfibrilhador no início ou no fim de um turno


confira se os conjuntos de baterias dispõem de tempo de funcionamento adequado.
O Monitor/Desfibrilhador deve ser testado diariamente para se verificar se está em boas condições de
funcionamento. Contudo, esse ensaio não verifica o estado da carga ou a capacidade do conjunto de bateria e
pode deixar o Monitor/Desfibrilhador com um tempo de operação inadequado.
Se o aparelho exibir um aviso de “BATERIA FRACA” durante o ensaio, o conjunto da bateria deve ser
substituído e recarregado.

ø NÃO coloque conjuntos de baterias carregados com um carregador Base PowerCharger 4x4,
PowerCharger ou PD 4420C (carregadores de corrente contínua) num carregador PD 4420 ou num
carregador de baterias individuais (de tensão constante) sem providenciar um período de descanso de
pelo menos 12 horas.
Isto causará danos aos conjuntos de baterias.

ø NÃO carregue conjuntos de baterias sob temperaturas extremas.


A ZOLL recomenda que os conjuntos de baterias sejam carregados à temperatura ambiente (entre 15°C e
35°C).
ø NÃO deixe as baterias esgotadas.
Quando uma bateria for retirada do aparelho, deve ser imediatamente colocada num receptáculo de recarga ou
de teste. As baterias ociosas perderão alguma da sua carga e a sua capacidade de carga poderá ser
danificada se elas forem deixadas descarregadas.

11-4
APÊNDICE A
ESPECIFICAÇÕES
Generalidades
Dimensões 17,3 cm de altura x 26,2 cm de comprimento x 20,8 cm de largura
6,8 pol. de altura x 10,3 pol. de comprimento x 8,2 pol. de largura
Peso 5,23 kg (11,5 libras) com o cabo multifunções e a bateria; 6,14 kg (13,5 libras) com as placas.
Alimentação Conjunto de bateria de ácido-chumbo selada; 2V/célula, com 5 células ligadas em série.
Corrente alternada 100-120 ~ 50/60 Hz, 220-240 ~ 50 Hz, 220 VA.
Entrada corrente 10-29V, 130W
contínua (optativa)
Classificação Classe I e internamente alimentado segundo a norma IEC 601-1.
do dispositivo Classe II e internamente alimentado segundo a norma IEC 601-1. (Entrada DC APENAS)
Normas Satisfaz ou ultrapassa as normas UL 2601, AAMI DF-39, AAMI DF-2, IEC 601-2-4, IEC
técnicas 601-2-25 e IEC 601-2-27.
Segurança Todas as ligações com o paciente possuem isolamento eléctrico.
do paciente
Condições ambientais Temperatura de operação: 0° a 55°C
NOTA: A unidade M Series pode não respeitar as especificações quando guardada nos limites
superior ou inferior da temperatura de armazenamento e posta imediatamente a funcionar.
Temperatura de armazenagem e expedição: -20° a 60°C
Humidade: humidade relativa de 5 a 95%, não condensadora
Resistência a vibrações: norma Mil Std 810E, teste de integridade mínima
Resistência a choques: norma IEC 68-2-27, 50g 6 mS semi-senoidal
Pressão de operação: 594 a 1060 mBar
Ingresso de material: norma IEC 529, IP 24
Compatibilidade electromagnética (EMC): norma CISPR 11 Classe B - Emissões
irradiadas e conduzidas
Imunidade electromagnética: norma AAMI DF-2 : IEC 1000-4-3 a 20 V/m
Descarga electrostática: norma AAMI DF-2 : IEC 1000-4-2
Susceptibilidade conduzida: normas IEC 1000-4-4, 1000-4-5, 1000-4-6

Marcapasso (só a versão com estimulador)


Tipo VVI a pedida; assíncrono (ritmo fixo) quando usado sem derivações de ECG ou no modo
de estimulação ASSÍNCRONO.
Tipo de Rectilíneo, de corrente constante
impulso
Formato e duração Rectilíneo, de 40 milissegundos ± 2 milissegundos
do impulso
Amplitude Variável, de 0 a 140 mA ± 5% ou 5mA, conforme o que for maior.
do impulso Exibida digitalmente no monitor. (Acréscimos ou decréscimos num valor de 2 mA).
Ritmo de estimulação Variável, de 30 a 180 ppm ± 1,5%. (Acréscimos ou decréscimos num valor de 2 ppm).
Protecção do Plenamente protegida e isolada do desfibrilhador.
corrente
Eléctrodos Eléctrodos MFE ZOLL anteriores e posteriores para adultos, especificamente
multifunção concebidos e previamente revestidos com gel, e eléctrodos Multi-function stat•padz
almofadados (MFE) embalados aos pares.

A-1
GUIA DO OPERADOR

Desfibrilhador
Forma de onda Sinusoidal atenuada.
Selecção da Seleccionável a 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 15, 20, 30, 50, 75,100,150, 200, 300, 360
energia joules. (Fornecida a uma carga de 50Ω). Seleccionada por meio dos comandos situados
na placa do esterno ou no painel dianteiro da unidade.
Tempo de Menos de 7 segundos com uma bateria nova plenamente carregada (os primeiros 15
carregamento carregamentos a 360 joules). O esgotamento das baterias resultará num período de
tempo mais longo para o carregamento do desfibrilhador.
Indicação da energia O écran do monitor indica a energia seleccionada e a energia administrada.
Modo Sincroniza o pulso do desfibrilhador com a onda R do paciente. Mensagem de
sincronizado sincronização (“SINCRO”) exibida no écran. A marca exibida no écran e gravada no
papel do registador identifica o ponto de descarga na onda R.
Comandos de Comandos situados na placa do ápice e no painel dianteiro do aparelho.
carregamento
Placas Placas normais anterior/anterior para adultos e pediátricas. As placas para adultos
deslizam para expor as placas pediátricas.
Eléctrodos Eléctrodos MFE ZOLL anteriores e posteriores para adultos, especificamente
multifunção concebidos e previamente revestidos com gel, e eléctrodos Multi-function Stat•Padz
almofadados (MFE) embalados aos pares.

Ensaiador do Assegura a verificação do carregamento e da descarga do desfibrilhador sem


desfibrilhador ser preciso retirar as placas dos receptáculos de acondicionamento ou da unidade
incorporado configurada com o cabo multifunções.

Consulta de Avalia a ligação dos eléctrodos e o ECG do paciente para determinar se há


desfibrilhação necessidade de desfibrilhação.

Ritmos tratáveis
por choque: Fibrilhação ventricular com uma amplitude > 100µV e taquicardia
ventricular de complexo largo com frequências superiores a 150
bpm. Para informações sobre a sensibilidade e a especificidade,
consulte a secção Precisão do Algoritmo de Análise do ECG.
Precisão da medição
da impedância dos
eléctrodos multifunção 0 - 250 ohms ± 10% ou 5 ohms, conforme o que for maior.

Monitorização de ECGs
Ligação ao Paciente Cabo de ECG com 3 derivações, cabo de ECG com 5 derivações, placas ou eléctrodos
MFE. Seleccionável por meio de um botão no painel dianteiro.
Protecção da entrada Plenamente protegida do desfibrilhador. Um circuito especial evita a distorção do ECG
pelo pulso do estimulador. (Só na versão com estimulador.)
Indicação de cristas Circuitos dedicados detectam as cristas da maioria dos marcapassos
em marcapassos implantados e fornecem uma marca normalizada indicativa da crista no traçado do ECG.
implantados
Largura de banda 0,5-21Hz (-3dB) no modo normal/0,05-150 Hz no modo de diagnóstico.
0,5-27Hz e 1-21 Hz configurável pelo utilizador.
Selecção da Exibida no écran.
derivação
Tamanho do ECG 0.5; 1; 1,5; 2; 3 cm/mV - exibida no écran.

A-2
ESPECIFICAÇÕES

Frequência cardíaca Exibição digital de 0-300 bpm ± 5%.


Alarme de Ligado/desligado, conforme indicação exibida no écran. Seleccionável pelo utilizador,
frequência cardíaca 60-280 bpm para taquicardia, 20-100 bpm para bradicardia.
Saída ECG de 1 volt 1 volt/cm de deflexão no registador de gráficos em tiras.
< 25 ms de retardamento da entrada do ECG do paciente.
Formato de exibição Exibição em barra móvel sem desvanecimento.

Monitorização de RCP
Intensidade de 1,9 cm a 7,6 cm ±0,6 cm
compressão
Frequência de 50 a 150 compressões por minuto
compressão

Visor
Tipo de écran Emissão de alta resolução, electroluminescente(EL) ou visor de cristais líquidos (LCD -
liquid crystal display).
Dimensões do écran 14,44 cm (5.66 pol.), medidos na diagonal. (Visor de EL.)
Velocidade de 25 mm/s.
varredura
Tempo de 4 segundos.
visualização
Mensagens A APAGAR RELATORIO, INTRODUZIR CARTÃO, CARTÃO CHEIO, SUBSTITUIR BATERIA,
BATERIA FRACA, EFECTUAR RCP, ECG MUITO GRANDE, ECG COM RUÍDOS, REPETIR
ANÁLISE, VERIF DOENTE, ANÁLISE INTERROMP, PREMIR ANALISAR, NÃO DAR CHOQUE,
VERIF PULSO, DAR CHOQUE, PREMIR CARGA, SELEC ELÉCTRODOS, SELEC DERIV.
MEMBROS, SELEC MODO DESFIB, ALARMES FC DESLIG, DESACTIVAR SINCRO, ANÁLISE
REINICIADA, VERIF ELÉCTRODOS, MAU CONTACTO ELÉCTR, C-C ELÉCTR DESFIB, FALHA
DAS PÁS, DERIV ECG DESLIG, UTIL PÁS DESCARG, DESCARGA AR LIVRE, IMPOSSÍVEL
CARREGAR, SOLTAR CHOQUE, 50 J MÁXIMO, PREMIR CHOQUE, TESTE OK, TESTE
FALHOU, ESTIM DESACTIVADO, DESFIB DESACTIVADO, REGULAR mA ESTIM, REGULAR
RITMO ESTIM, VERIF REGISTADOR, A ANALISAR ECG.

Registador
Papel Térmico, de 80 mm (largura do quadriculado).
90 mm (largura do papel).
Velocidade 25 mm/s
Retardamento 6 segundos.
Anotações Hora, Data, Energia do desfib, Freq cardíaca, Corrente estimul (só para a versão com
estimulador), Marca sincro QRS, Taman do ECG, Deriv, Alarme, Teste OK/falhou,
Analisar ECG, Eléctrodos desligados, Análise interromp, ECG com ruídos, Dar choque,
Nao dar choque, ECG muito grande e Largura da banda de diagnóstico.

Método de impressão Cabeça de impressão térmica de alta resolução.


Modos de impressão Manual ou automático - configurável pelo utilizador.
Comando para Ligar/ No painel dianteiro e na placa.
Desligar
Funcionamento Registo de 15 segundos iniciado pela activação do alarme ou pela descarga do
automático desfibrilhador.

A-3
GUIA DO OPERADOR

Placa PCMCIA
Capacidade Placa flash de série II normal - de 1 megabyte até 16 megabytes.
Gravação de som Dados de áudio com compressão digital.

Conjuntos de baterias
PD4410 XL Battery
Tipo Recarregável, de ácido-chumbo, selada. Recarregável, de ácido-chumbo, selada.
Peso 1 kg (2,2 lbs). 1,7 kg (3,7 lbs).
Tensão 2V/célula; 5 células ligadas em série. 2V/célula; 5 células ligadas em série.
Tempo de recarga 4 horas ou menos com o carregador 7,2 horas ou menos com o carregador
incorporado. incorporado.
Tempo de operação Para um conjunto de bateria novo Para um conjunto de bateria novo
plenamente carregado, a 20°C: 35 plenamente carregado, a 20°C: 60
descargas do desfibrilhador com a energia descargas do desfibrilhador com a
máxima (360J), ou 2,75 horas de energia máxima (360J), ou 4 horas de
monitorização contínua do ECG, ou 2,25 monitorização contínua do ECG, ou 3,25
horas e meia de monitorização do horas e meia de monitorização do
ECG/estimulação contínua a 60 mA e 80 ECG/estimulação contínua a 60 mA e 80
pulsos por minuto. pulsos por minuto.
NOTA: Cada opção de monitorização adicionada à unidade M Series diminui o Tempo
de Funcionamento passível de ser obtido com uma bateria totalmente
carregada. Consulte a Brochura individual da Opção para obter informações
referentes ao Tempo em Operação específico do seu funcionamento. Para
obter pormenores adicionais específicos do seu dispositivo, contacte o
Departamento de Assistência Técnica da ZOLL.

Indicador de É exibida uma mensagem no écran e, uma vez por minuto, é emitido um aviso sonoro
bateria fraca com 2 toques até pouco antes do desligamento, quando soará de 2 em 2 segundos. O
período de tempo disponível desde a mensagem “BATERIA FRACA” ou “SUBSTITUIR
BATERIA” até ao desligamento do aparelho variará, consoante a idade e o estado da
bateria.

A-4
Guia e declaração do fabricante – emissões electromagnéticas

O M Series destina-se a ser utilizado no ambiente electromagnético abaixo especificado. O cliente ou o utilizador
do M Series deve garantir a sua utilização no ambiente especificado.

Teste de emissões Conformidade Ambiente electromagnético - orientação

Emissões de RF Grupo 1 O M Series utiliza energia de RF somente para funcionamento


CISPR 11 interno. Por conseguinte, as suas emissões de RF são muito baixas
e é pouco provável que causem interferências no equipamento
electrónico adjacente.

Emissões de RF Classe B
CISPR 11

Emissões de Classe A O M Series é adequado para utilização em todos os


harmónicos estabelecimentos, incluindo estabelecimentos domésticos e aqueles
CEI 61000-3-2 ligados directamente à rede de fornecimento de energia de baixa
tensão que abastece os edifícios utilizados para fins domésticos.

Flutuações de tensão/ Está em


emissão de oscilações conformidade
CEI 61000-3-3

A-5
GUIA DO OPERADOR

Declaração de imunidade electromagnética (DIE)


Orientação e declaração do fabricante – imunidade electromagnética para o M Series.

O M Series destina-se a ser utilizado no ambiente electromagnético abaixo especificado. O cliente ou o utilizador
do M Series deve garantir a sua utilização no ambiente especificado.
Teste de Nível do teste CEI 60601 Nível de Ambiente electromagnético -
imunidade conformidade orientação
Descarga Contacto ±6 kV Contacto ±6kV O pavimento deverá ser de madeira,
electrostática Ar ±8 kV Ar ±8 kV cimento ou cerâmico. Se o pavimento
(DES) for revestido com material sintético, a
CEI 61000-4-2 humidade relativa deve ser de 30% no
mínimo.
Efeito/disparo ±2 kV para linhas de ±2 kV para linhas de A qualidade da alimentação deverá ser
eléctrico transitório alimentação alimentação idêntica à de um ambiente comercial ou
rápido ±1 kV para linhas de Não aplicável hospitalar típico.
CEI 61000-4-4 entrada/saída
Sobretensão Modo diferencial a ±1 kV Modo diferencial a ±1 A qualidade da alimentação deverá ser
CEI 61000-4-5 Modo comum a ±2 kV kV idêntica à de um ambiente comercial ou
Modo comum a ±2 kV hospitalar típico.

Quedas de tensão, <5% UT (>95% quebra na <5% UT (>95% quebra A qualidade da alimentação deverá ser
interrupções UT) para 0,5 ciclos na UT) para 0,5 ciclos idêntica à de um ambiente comercial ou
breves e variações hospitalar típico. Se o utilizador do
40% UT (60% quebra na 40% UT (60% quebra
de tensão nas M Series necessitar de um
linhas de entrada UT) para 5 ciclos na UT) para 5 ciclos funcionamento contínuo durante
do fornecimento de 70% UT (30% quebra na 70% UT (30% quebra possíveis interrupções na rede de
energia. UT) para 25 ciclos na UT) para 25 ciclos alimentação, recomenda-se que o
CEI 61000-4-11 M Series esteja ligado a uma fonte de
<5% UT (>95% quebra na <5% UT (>95% quebra
alimentação ininterrupta ou a uma
UT) para 5 segundos na UT) para 5 bateria.
segundos
Campo magnético 3 A/m 3 A/m O campo magnético associado à
de frequência (50/ frequência da rede de alimentação
60 Hz). deverá ter valores característicos
CEI 61000-4-8 idênticos aos de um ambiente
comercial ou hospitalar típico.
NOTA: UT é a tensão de corrente alterna anterior à aplicação do nível de teste.

A-6
DIE para funções de suporte de vida
Orientação e declaração do fabricante – imunidade electromagnética – para equipamentos e sistemas de suporte de vida.

As funções de suporte de vidaa do M Series destinam-se a ser utilizadas no ambiente electromagnético abaixo
especificado. O cliente ou o utilizador do M Series deve garantir a sua utilização no ambiente especificado.
Teste de Nível do teste CEI Nível de Ambiente electromagnético - orientação
imunidade 60601 conformidade
Os equipamentos portáteis e móveis de comunicação
por RF não devem ser utilizados a uma distância de
qualquer parte do M Series, incluindo os cabos, inferior
à distância de separação recomendada , calculada a
partir da equação aplicável à frequência do transmissor.
Distância de separação recomendada
RF Conduzida 3 Vrms 10 Vrms d = 0,35 P
CEI 61000-4-6 150 kHz a 80 MHz
fora das bandas ISMb
10 Vrms 10 Vrms d = 1,2 P
150 kHz a 80 MHz
nas bandas ISMb.
RF radiada 10 V/m 20 V/m d = 0,6 P 80 MHz a 800 MHz
CEI 61000-4-3 80 MHz a 2,5 GHz
d = 1,2 P 800 MHz a 2,6 GHz
onde P é a classificação de potência máxima de saída
do transmissor em watts, de acordo com o fabricante do
transmissor e d é a distância de separação
recomendada em metros.c
Os campos de força de transmissores de RF fixos,
conforme determinados pelo exame electromagnético do
local,d devem ser inferiores ao nível de conformidade em
cada intervalo de frequência.e
Podem ocorrer interferências perto do equipamento
marcado com o símbolo seguinte:

NOTA 1: A 80 MHz e 800 MHz, é aplicada a gama de frequência mais elevada.


NOTA 2: Estas orientações podem não se aplicar a todas as situações. A propagação electromagnética é afectada
pela absorção e reflexão em estruturas, objectos e pessoas.
a. As funções de suporte de vida do M Series são definidas como qualquer função associada à monitorização de ECG, estimulação,
desfibrilhação e análise de choques. Especificamente, estas funções incluem, entre outras, a monitorização do traçado ECG através de
derivações ou eléctrodos, o valor de saída do impulso de estimulação, a detecção do QRS, a descarga de energia de desfibrilhação e funções
de aconselhamento de choque.
b. As bandas ISM (industriais, científicas e médicas) entre 150 kHz e 80 MHz são 6765 MHz a 6 795 MHz; 13 553 MHz a 13 567 MHz; 26 957
MHz a 27 283 MHz e 40,66 MHz a 40,70 MHz.
c. Os níveis de conformidade nas bandas de frequência ISM entre 150 kHz e 80 MHz e no intervalo de frequência de 80 MHz a 2,5 GHz
destinam-se a diminuir a probabilidade dos equipamentos de comunicações móveis/portáteis poderem causar interferência, se estes forem
trazidos inadvertidamente para as áreas do paciente. Por este motivo, é utilizado um factor adicional de 10/3 para calcular a distância de
separação recomendada para os transmissores nestes intervalos de frequência.
d. As forças do campo de transmissores fixos, como estações para rádio telefones (móveis/sem fios) e rádios móveis terrestres, rádio amador,
emissão de rádio AM e FM e emissão de TV não podem ser teoricamente previstas com precisão. Para avaliar o ambiente electromagnético
devido a transmissores de RF fixos, deve ser considerada uma pesquisa electromagnética ao local. Se a força de campo medida no local onde
o M Series é utilizado exceder o nível de conformidade de RF aplicável, deve ser feita a verificação do normal funcionamento do M Series.
Caso se verifique um funcionamento irregular, podem ser necessárias medidas adicionais, tais como a reorientação ou a reinstalação do
M Series.
e. Acima da amplitude de frequência 150 KHz a 80 MHz, as forças do campo devem ser menores que 10 V/m.

A-7
GUIA DO OPERADOR

Distâncias de separação recomendadas de equipamentos de RF para as funções


de suporte de vida do M Series
Distâncias de separação recomendadas entre equipamentos de comunicações RF portáteis e móveis e o M Series.

As funções de suporte de vidaa do M Series destinam-se a ser utilizadas no ambiente electromagnético onde as
perturbações RF radiadas estão controladas. O cliente ou o utilizador do sistema M Series pode ajudar a evitar a
interferência electromagnética mantendo uma distância mínima entre os equipamentos portáteis e móveis de
comunicação por RF (transmissores) e o sistema M Series, conforme recomendado a seguir, de acordo com a
potência máxima de saída do equipamento de comunicação.
Potência máxima Distância de separação de acordo com a frequência do transmissor
de saída do (em metros)
equipamento
prevista
(em watts)
150 kHz a 80 MHz 150 kHz a 80 MHz 80 MHz a 800 MHz 800 MHz a 2,5 GHz
fora das bandas ISM dentro das bandas
ISM
d =0,35 P d =1,2 P d =0,6 P d =1,2 P

0,01 0,035 0,12 0,06 0,12


0,1 0,11 0,38 0,19 0,38
1 0,35 1,2 0,6 1,2
10 1,1 3,8 1,9 3,8
100 3,5 12 6 12
Para transmissores com energia de saída máxima não listada em cima, a distância de separação recomendada d
em metros pode ser determinada utilizando a equação aplicável à frequência do transmissor, onde P é o valor da
energia de saída máxima do transmissor em watts, de acordo com o fabricante do transmissor.
NOTA 1: A 80 MHz e 800 MHz, aplica-se a distância de separação para o valor da frequência mais alta.
NOTA 2: As bandas ISM (industriais, científicas e médicas) entre 150 kHz e 80 MHz são 6765 MHz a 6795 MHz; 13
553 MHz a 13 567 MHz; 26 957 MHz a 27 283 MHz e 40,66 MHz a 40,70 MHz.
NOTA 3: É utilizado um factor adicional de 10/3 para calcular a distância de separação recomendada para os
transmissores nas bandas de frequência ISM entre 150 kHz e 80 MHz e no intervalo de frequência 80 MHz a 2,5
GHz para diminuir a probabilidade dos equipamentos de comunicações móveis/portáteis poderem causar
interferência, se estes forem trazidos inadvertidamente para as áreas do paciente.
NOTA 4: Estas orientações podem não se aplicar a todas as situações. A propagação electromagnética é afectada
pela absorção e reflexão em estruturas, objectos e pessoas.
a. As funções de suporte de vida do M Series são definidas como qualquer função associada à monitorização de ECG, estimulação,
desfibrilhação e análise de choques. Especificamente, estas funções incluem, entre outras, a monitorização do traçado ECG através de
derivações ou eléctrodos, o valor de saída do impulso de estimulação, a detecção do QRS, a descarga de energia de desfibrilhação e
funções de aconselhamento de choque.

A-8
DIE para funções sem suporte de vida
Orientação e declaração do fabricante – imunidade electromagnética – para equipamentos e sistemas sem suporte de
vida.

As funções sem suporte de vidaa do M Series destinam-se a ser utilizadas no ambiente electromagnético abaixo
especificado. O cliente ou o utilizador do M Series deve garantir a sua utilização no ambiente especificado.
Teste de Nível do teste CEI Nível de Ambiente electromagnético - orientação
imunidade 60601 conformidade
Os equipamentos portáteis e móveis de
comunicação por RF não devem ser utilizados
a uma distância de qualquer parte do M Series,
incluindo os cabos, inferior à distância de
separação recomendada, calculada a partir da
equação aplicável à frequência do transmissor.
Distância de separação recomendada
RF Conduzida 3 Vrms 3 Vrms d = 1,2 P
CEI 61000-4-6 150 kHz a 80 MHz
RF radiada 3 V/m 20 V/m d = 0,18 P 80 MHz a 800 MHz
CEI 61000-4-3 80 MHz a 2,5 GHz

d = 0,35 P 800 MHz a 2,6 GHz

onde P é a classificação de potência máxima


de saída do transmissor em watts, de acordo
com o fabricante do transmissor e d é a
distância de separação recomendada em
metros.

Os campos de força de transmissores de RF


fixos, conforme determinados pelo exame
electromagnético do local,b devem ser
inferiores ao nível de conformidade em cada
intervalo de frequência.c
Podem ocorrer interferências perto do
equipamento marcado com o símbolo seguinte:

NOTA 1: A 80 MHz e 800 MHz, é aplicada a gama de frequência mais elevada.


NOTA 2: Estas orientações podem não se aplicar a todas as situações. A propagação electromagnética é afectada
pela absorção e reflexão em estruturas, objectos e pessoas.
a. As funções sem suporte de vida do M Series são definidas como sendo qualquer função não listada como função de suporte de vida na
tabela "DIE para funções de suporte de vida" (nota de rodapé a). Especificamente, estas funções são a tensão arterial não invasiva (TANI),
a CO2 end-tidal (EtCO2) e a SpO2.
b. As forças do campo de transmissores fixos, como estações para rádio telefones (móveis/sem fios) e rádios móveis terrestres, rádio
amador, emissão de rádio AM e FM e emissão de TV não podem ser teoricamente previstas com precisão. Para avaliar o ambiente
electromagnético devido a transmissores FR fixos, deve ser considerada uma pesquisa electromagnética ao local. Se a força de campo
medida no local onde o M Series é utilizado exceder o nível de conformidade de RF aplicável, deve ser feita a verificação do normal
funcionamento do M Series. Caso se verifique um funcionamento irregular, podem ser necessárias medidas adicionais, tais como a
reorientação ou a reinstalação do M Series.
c. Acima da amplitude de frequência 150 KHz a 80 MHz, as forças do campo devem ser menores que 3 V/m.

A-9
GUIA DO OPERADOR

Distâncias de separação recomendadas de equipamentos de RF para as funções


sem suporte de vida do M Series
Distâncias de separação recomendadas entre equipamentos de comunicações RF portáteis e móveis e o M Series.

As funções sem suporte de vidaa do M Series destinam-se a ser utilizadas no ambiente electromagnético onde as
perturbações RF radiadas estão controladas. O cliente ou o utilizador do sistema M Series pode ajudar a evitar a
interferência electromagnética mantendo uma distância mínima entre os equipamentos portáteis e móveis de
comunicação por RF (transmissores) e o sistema M Series, conforme recomendado a seguir, de acordo com a
potência máxima de saída do equipamento de comunicação.
Potência máxima de Distância de separação de acordo com a frequência do transmissor
saída do equipamento (em metros)
prevista
(em watts)
150 kHz a 80 MHz 80 MHz a 800 MHz 800 MHz a 2,5 GHz

d =1,2 P d =0,18 P d =0,35 P

0,01 0,12 0,018 0,035


0,1 0,38 0,057 0,11
1 1,2 0,18 0,35
10 3,8 0,57 1,1
100 12 1,8 3,5
Para transmissores com energia de saída máxima não listada em cima, a distância de separação recomendada d
em metros pode ser determinada utilizando a equação aplicável à frequência do transmissor, onde P é o valor da
energia de saída máxima do transmissor em watts, de acordo com o fabricante do transmissor.
NOTA 1: A 80 MHz e 800 MHz, aplica-se a distância de separação para o valor da frequência mais alta.
NOTA 2: Estas orientações podem não se aplicar a todas as situações. A propagação electromagnética é afectada
pela absorção e reflexão em estruturas, objectos e pessoas.
a. As funções sem suporte de vida do M Series são definidas como sendo qualquer função não listada como função de suporte de vida na
tabela "DIE para funções de suporte de vida" (nota de rodapé a). Especificamente, estas funções são a tensão arterial não invasiva (TANI),
a CO2 end-tidal (EtCO2) e a SpO2.

A-10
APÊNDICE B
GUIAS DE LOCALIZAÇÃO E DIAGNÓSTICO
DE AVARIAS
Os guias de localização e diagnóstico de avarias apresentados nas páginas seguintes destinam-se a ser usados por
pessoal médico não técnico durante a operação do aparelho. Esta secção oferece respostas para muitos dos
problemas ou das dúvidas mais comuns que podem ocorrer durante a operação do aparelho.
Se o problema persistir após a consulta deste guia, contacte o pessoal técnico apropriado ou o Departamento de
Assistência Técnica da ZOLL. Um guia de localização de defeitos mais detalhado encontra-se no Manual de
Assistência do sistema M Series.

Generalidades
Monitor

Sintoma Acção recomendada


1. O aparelho não se liga ou desliga-se  Verifique se o conjunto da bateria está devidamente instalado.
inesperadamente.  Verifique se o aparelho está ligado à fonte de alimentação de
corrente alternada.
 Substitua o conjunto da bateria com um conjunto de bateria
plenamente carregado.
 Se a bateria de lítio interna que alimenta o relógio de tempo
real estiver completamente descarregada, a unidade não
iniciará se não estiver ligada à rede de energia eléctrica. O
pessoal de assistência técnica qualificado pode consultar o
manual de assistência técnica do M Series para obter
instruções sobre como substituir a bateria interna. Poderá
também contactar o departamento de assistência técnica da
ZOLL para solicitar assistência.
2. Mensagem “X FALHA XX“.  Foi detectado um defeito.
 Tente apagar a mensagem "X FALHA XX", colocando o
BOTÃO SELECTOR na posição DESLIG e depois novamente
no modo de operação desejado. Obs.: Algumas regulações
(por exemplo, dos alarmes, da derivação seleccionada, ou do
tamanho do ECG) poderão ter de ser restabelecidas.
3. Mensagem “REGULAR RELÓGIO“ ou  Regule a hora e a data.
“AVARIA RELÓGIO“.  Verifique se a bateria interna de lítio foi substituída no decorrer
dos últimos 5 anos. Contacte o Departamento de Assistência
Técnica da ZOLL para assistência.
Nota: Se a bateria interna estiver completamente
descarregada, a unidade não iniciará se não estiver ligada à
rede de energia eléctrica.

4. Mensagem “DERIV ECG DESLIG“  Verifique se o cabo do ECG está ligado ao paciente e ao
aparelho.
 Verifique se os eléctrodos do ECG possuem bom contacto e
não estão ressequidos.
 Se o cabo de ECGs do paciente de cinco (5) derivações for ser
trocado por um cabo de ECGs do paciente de três (3)
derivações, desligue o aparelho durante pelo menos 10
segundos.
 Substitua o cabo do ECG.

B-1
GUIA DO OPERADOR

Sintoma
Acção Recomendada
5. Mensagem “MAU CONTACTO DERIV”.  Verifique se o cabo do ECG está ligado ao paciente e ao
aparelho.
 Verifique se os eléctrodos do ECG possuem bom contacto e não
estão ressequidos.
 Se o cabo de ECGs do paciente de cinco (5) derivações for
trocado por um cabo de ECGs do paciente de três (3) derivações,
DESLIGUE o aparelho durante pelo menos 10 segundos.
 Substitua o cabo do ECG
6. ECG com ruído, artefacto, linha de  Considere uma largura de banda de filtro de 1 – 21 Hz (consulte
base instável o guia de configuração da M Series)
 Prepare a pele do doente antes da colocação dos eléctrodos.
 Verifique se os eléctrodos aderem correctamente à pele do
doente.
 Reduza ou elimine os artefactos do ECG causados por
movimentos dos cabos dos eléctrodos ou do doente. Coloque
os cabos de modo a que estes não puxem os eléctrodos enm se
movam excessivamente.
 Assegure-se de que o doente fica imóvel.
 Verifique uma possível interferência excessiva de frequências
rádio.

7. Nível fraco do sinal do ECG, pulso de  Seleccione outra derivação.


calibração normal.  Aplique eléctrodos novos, dispondo-os em posições diferentes.
8. Sinal sonoro do complexo QRS ou  Aumente a altura do som do apito.
frequência cardíaca inconsistentes.  Seleccione outra derivação.
 Altere a posição dos eléctrodos do ECG.
9. A marca de sincronização está ausente  Assegure-se de que o aparelho está a funcionar no modo
ou é incompatível com a forma das sincronizado (“SINCRO”).
ondas QRS no écran e no registador.  Mude a derivação seleccionada para o ECG.
 Altere a posição dos eléctrodos do ECG.
 O papel é demasiado estreito. Deve ter uma largura de 90 mm.
10. A unidade apresenta a mensagem  Verifique a ligação entre o cabo multifunções e os eléctrodos
"FALHA DO CABO" ou "FALHA DAS MFE.
PÁS".  Remova o conector CPRD-to-MFC (se estiver a ser utilizado) e
ligue o cabo multifunções directamente aos eléctrodos
CPR-D•padz.

Registador

11. Mensagem "VERIF REGISTADOR".  O registador está sem papel.


 Retire o papel para fora, confira o tipo de papel, veja se existe
alguma obstrução e volte a carregar o papel.
 A porta do registador está aberta
12. O registador emite um ruído repetitivo  Verifique se existe alguma obstrução do papel.
ao ser activado.

B-2
GUIAS DE LOCALIZAÇÃO E DIAGNÓSTICO DE AVARIAS

Sintoma Acção Recomendada


13. Impressão ténue ou de má qualidade.  Assegure-se de que está a ser usado o papel correcto.
 Assegure-se de que o papel está instalado com o lado
quadriculado voltado para a cabeça de impressão.
 A cabeça de impressão do registador precisa de ser limpa (só
por pessoal treinado).
14. O Relatório Resumido não é imprimido  Ainda não decorreram quinze (15) segundos desde a
quando o botão RESUMO é premido. ocorrência de um dos eventos que desencadeiam o registo do
Relatório Resumido.
 Aguarde quinze (15) segundos e tente novamente.

Estimulador (só para a versão com Estimulador)

15. Mensagem "VERIF ELÉCTRODOS”.  Assegure-se de que os eléctrodos MFE estão ligados ao cabo
multifunções.
 Assegure-se de que o gel nos eléctrodos não está seco. Se for
preciso, substitua os eléctrodos MFE.
 Assegure-se de que há um bom contacto entre os eléctrodos e
o paciente.
 Verifique a integridade do cabo multifunções mediante a sua
inserção na conexão para ensaio. A mensagem “VERIF
ELÉCTRODOS” deve desaparecer.
16. Nenhuma marca de estímulo  Assegure-se de que o aparelho está no modo ESTIMUL.
presente no traço do ECG.  Assegure-se de que o RITMO DO ESTIMUL (ppm) está
regulado a um nível mais alto do que a frequência cardíaca do
paciente.
17. Não há nenhum batimento de captação  Verifique a pulsação do paciente.
ventricular a seguir à marca de
 Aumente a corrente de saída.
administração do estímulo no écran do
ECG.  Assegure-se de que há um bom contacto entre os eléctrodos
MFE e o paciente.
 Seleccione uma configuração diferente para as derivações do
ECG.
 Confira a disposição dos eléctrodos MFE.
18. O paciente submetido a estimulação  Certifique-se da ligação e da disposição adequadas dos
“de prontidão” só é estimulado de modo eléctrodos do ECG. Se o fio da derivação do ECG se soltar, o
intermitente. estimulador procederá automaticamente a uma estimulação
assíncrona.
 Verifique se o cabo do ECG está danificado.
 O intervalo entre as ondas R do paciente varia. O ritmo de
estimulação é parecido com a frequência cardíaca do paciente.
 Verifique se o ritmo está regulado de modo apropriado.
19. A frequência cardíaca exibida é de 0,  Verifique a pulsação do paciente.
mas o traçado do ECG apresenta uma
 Seleccione uma configuração diferente para as derivações do
captação apropriada de estimulação.
ECG.

B-3
GUIA DO OPERADOR

Sintoma Acção Recomendada

20. O ECG exibido no écran ao lado da  Os sinais de entrada no monitor do ECG do paciente estão
cama, no posto central ou no centro de sobrecarregados pelos sinais do estimulador. O ECG só pode
telemetria torna-se errático durante a ser monitorizado pelo aparelho durante a estimulação.
estimulação.

Desfibrilhador

21. Interferências espúrias excessivas  Assegure-se de que estão seleccionadas “PAS EXT.”.
durante o uso de placas como fonte do  Prima firmemente as placas contra a pele do paciente.
ECG.
 Use gel nas placas.
 Limpe a superfície das placas.
 Examine e limpe a superfície entre a sapata para adultos e a
pediátrica.
 Verifique se o cabo está danificado
 Use eléctrodos de ECG.

22. O desfibrilhador não se carrega (o nível  Verifique se os botões de CHOQUE nas placas ou no painel
de energia não aumenta no écran). dianteiro não estão encravados.
 Carregue o conjunto da bateria.

23. O tempo de carregamento com 360 J é  Isso é normal se a bateria estiver fraca (pode demorar até 20
superior a 10 segundos. segundos).
 Substitua o conjunto da bateria.
 Ligue o aparelho à tomada de corrente alternada.
 Instale um conjunto de bateria plenamente carregado.
 Instale um conjunto de bateria novo plenamente carregado.
24. Não há descarga de energia quando os  Decorreram sessenta (60) segundos no modo manual desde
botões de CHOQUE são premidos. que a carga inicial ficou pronta. A energia foi descarregada
internamente.
 Decorreram quinze (15) segundos no modo automático desde
que a carga inicial ficou pronta. A energia foi descarregada
internamente.
 O aparelho está a funcionar no modo SINCRONIZADO
(“SINCRO”) e não é detectado nenhum complexo QRS.
 A energia foi descarregada internamente porque houve uma
alteração da energia seleccionada durante o carregamento ou
depois de o aparelho estar pronto.
 O aparelho não estava completamente carregado quando os
botões de CHOQUE foram premidos. Aguarde a mensagem
"XXX J DESFIB PRONTO" e o sinal sonoro de “pronta”.
 Prima e mantenha premido(s) o botão ou os botões de
CHOQUE até a energia ser administrada ao paciente.

B-4
GUIAS DE LOCALIZAÇÃO E DIAGNÓSTICO DE AVARIAS

Sintoma Acção recomendada


25. Não é possível administrar um  Verifique se o écran apresenta a mensagem “SINCRO XXX J
CHOQUE durante a operação no modo SELEC”
sincronizado (“SINCRO”).
 Verifique a existência da marca de “SINCRO” (uma seta “ ”
colocada por cima da onda R). Se não estiver presente, altere
o tamanho do ECG , a selecção das derivações, ou a
disposição dos eléctrodos.
 Prima e mantenha premido(s) o botão ou os botões de
CHOQUE até a energia ser administrada ao paciente.
 Altere a disposição dos eléctrodos do ECG.
 Assegure-se de que os sinais do ECG estão a ser exibidos.
26. Aparentemente, nenhuma energia está  Em certas circunstâncias, alguns pacientes não "estremecem"
a ser transmitida ao paciente. durante a administração da energia.
 Execute um auto-teste do desfibrilhador, da forma descrita na
secção MANUTENÇÃO GERAL.
 Verifique se o écran apresenta alternadamente as mensagens
“VERIF ELÉCTRODOS” e “MAU CONTACTO ELÉCTR”.
 Se estiverem a ser usados eléctrodos MFE, certifique-se de
que estão colocados correctamente e de que apresentam um
bom contacto.
27. Aparece a mensagem "VERIF  Certifique-se de que o cabo multifunções e os eléctrodos MFE
ELÉCTRODOS". estão bem ligados, desligando e voltando a ligar o cabo
multifunções e os eléctrodos MFE.
 Certifique-se de que os eléctrodos MFE apresentam um bom
contacto e de que o paciente não tem um excesso de pêlos
debaixo dos eléctrodos.
 Se a mensagem persistir, desligue o cabo multifunções dos
eléctrodos MFE e insira o cabo na conexão para ensaio. A
mensagem “VERIF ELÉCTRODOS” deve ser substituída pela
mensagem ”C-C ELÉCTR DESFIB” (Modo Manual Apenas) .
 Se o ensaio falhar, tente usar as placas para a desfibrilhação.
28. Aparece a mensagem “UTILIZAR
 A análise do ECG só é efectuada quando os eléctrodos MFE
ELÉCTR”.
forem utilizados no paciente.

 Retire a placa e ligue os eléctrodos MFE para serem utilizados


na desfibrilhação semiautomática.

 Active o modo manual para utilizar as placas.


29. “ECG COM RUÍDOS"  Verifique a aplicação e a aderência correctas dos eléctrodos
"REPETIR ANÁLISE" MFE.
 Verifique para assegurar que ninguém está a tocar no
paciente e que o paciente se encontra imóvel.
30. "ECG MUITO GRANDE"  Prima de novo o botão ANALISAR para iniciar a análise do
"REPETIR ANÁLISE" ECG.

B-5
GUIA DO OPERADOR

Sintoma Acção recomendada


31. Quando efectuar um auto-teste do  Verifique se a unidade está regulada para 30 Joules.
desfibrilhador, não aparece a
 Se efectuar um teste com o cabo multifunções, verifique se
mensagem “TESTE OK”.
este está devidamente ligado ao conector de teste.
 Se efectuar um teste com placas, pressione-as bem contra as
partes laterais da unidade durante a descarga.
 Contacte o Departamento de Assistência Técnica da ZOLL.
32. Aparece a mensagem “NECES
CONTRL DESFIB” .

Carregador para Corrente Alternada

33. As luzes indicadoras verde e amarelo  Verifique se a bateria está instalada.


alaranjada de CARREGADOR LIG ficam
 Ligue o aparelho para identificar a anomalia.
alternadamente iluminadas.
 Substitua o conjunto de bateria por outro plenamente
carregado.
 Se o problema persistir, substitua o conjunto de bateria,
desligue o aparelho da tomada da corrente alternada e volte a
ligá-lo na tomada.
34. Mensagem de “ BATERIA FRACA”  Substitua o conjunto de bateria por outro plenamente
aparece no monitor quando o aparelho é carregado.
ligado à tomada de corrente alternada.
 Desligue o aparelho da tomada de corrente alternada e ligue-o
de novo à tomada.
 Verifique se a tomada de corrente alternada está a funcionar
devidamente.
35. Nenhuma das luzes indicadoras de  Desligue o aparelho da tomada de corrente alternada e volte a
CARREGADOR LIG fica iluminada ligá-lo na tomada.
quando o aparelho é ligado a uma
 Verifique se a tomada de corrente alternada está a funcionar.
tomada de corrente alternada.

B-6
APÊNDICE C
CAPACIDADE DE ELABORAÇÃO DE
RELATÓRIOS MÉDICOS
A capacidade do aparelho para a elaboração de junto do aparelho e que a placa de memória seja
relatórios médicos permite o registo automático substituída depois de cada incidente.
de informações sobre incidentes para revisão e Instalação da placa de dados PCMCIA
arquivo subsequente. Os dados são
armazenados numa placa PCMCIA de tipo II Assegure-se de que a borda do dispositivo de ligação
removível (uma placa de memória) para não apresenta danos físicos e não está suja. Insira a
transferência para um PC devidamente placa de memória na ranhura localizada no fundo do
equipado. aparelho. O lado da etiqueta deve estar voltado para
cima. Deslize a placa para dentro da unidade até ela
A função de elaboração de relatórios médicos estar firmemente assente na ranhura da placa.
começa a gravar quando o aparelho é ligado e
continua até ele ser desligado. O ECG do Para retirar a placa, prima o botão de ejecção e puxe
paciente, o estado da unidade, a data, a hora e a placa para fora da unidade. Se a placa de memória
os parâmetros de comando do aparelho são for removido enquanto o aparelho estiver ligado, o
registados. A gravação de som através de um aparelho continuará a operar correctamente, mas
microfone localizado na frente do aparelho é não serão gravadas informações sobre os eventos.
opcional.
Eliminação de uma placa de memória
Os dados gravados durante um incidente são
retidos na placa de memória até serem Caso a sua unidade esteja configurada para permitir
apagados. O desligamento do aparelho com a a eliminação da placa, pode apagar placas de
placa de memória instalada, ou a remoção da memórias. Consulte o guia de configuração da M
placa de memória da unidade não apagarão os Séries para obter pormenores adicionais acerca da
dados. opção de configuração PERMITIR A ELIMINAÇÃO
DA PLACA.
Placa de dados PCMCIA Para apagar a memória da placa:
A placa de memória é um dispositivo electrónico 1. Desligue a unidade. A unidade deve
de armazenamento autónomo semelhante a uma remanescer desligada por ao menos 10
disquete. segundos.
• Não sujeite a placa a temperaturas extremas, 2. Mantenha premido o botão programável situado
• nem a mergulhe dentro de líquidos, mais à esquerda por 4 segundos e, simultanea-
mente, ajuste o botão selector para MONITOR
• nem coloque a placa perto de objectos (LIGADO no caso do AED). A unidade M Series
magnéticos, e deve agora estar no modo Utilitários de sistema.
• não assente objectos pesados sobre a placa. 3. Prima o botão programável Apagar Cartão
• Proteja o dispositivo de ligação situado na 4. Prima o botão programável Item Seguinte para
placa contra danos físicos. seleccionar SIM.
Contacte o Departamento de Assistência 5. Prima a botão programável Aceitar.
Técnica da ZOLL para obter uma relação
A unidade M Series apaga a placa e apresenta a
corrente das placas PCMCIA compatíveis.
mensagem A APAGAR CARTÃO. Uma barra de
Numa placa de memória de 4 megabytes podem- progresso é exibida ao apagar o cartão. Quando a
se armazenar até duas horas de dados sobre placa estiver totalmente apagada, é apresentada a
incidentes (respeitantes ao ECG e ao estado do mensagem CARTÃO APAGADO.
aparelho) ou até 38 minutos de dados sobre
No caso de ser exibida a mensagem SEM CARTÃO,
incidentes e um registo simultâneo de dados de
insira uma PCMCIA na ranhura para placas. No caso
áudio. A ZOLL recomenda que uma placa de
de ser exibida a mensagem FALHA NO CARTÃO, o
memória sobresselente seja sempre conservada

C-1
GUIA DO OPERADOR

cartão está protegido contra a escrita ou, então, Consulte o Manual de referência do ZOLL Data
está danificado. Control para Windowspara instruções sobre a
recuperação de informações e requisitos de
6. Proceda do seguinte modo:
equipamento do PC.
 Prima o botão programável Aceitar para
apagar uma outra placa.
 Prima o botão programável Item Seguinte
Transferência de dados para um
e, de seguida, o botão programável Aceitar PC via ligação série
para sair.
O software de controlo de dados ZOLL Data Control
Depois de apagar todas as placas de memória, for Windowstem que ser instalado no PC para se
pode retornar ao uso normal desligando a aceder aos dados transferidos do cartão PCMCIA
unidade M Series e, de seguida, ligando-a inserido no dispositivo M Series.
novamente.
Ligue o cabo RS-232 (ZOLL PN 9500-0605-01) à
Mensagens de aviso porta RS232/ECG na parte de trás do dispositivo M
Series e à porta série do PC. Se necessário, utilize
As mensagens seguintes são exibidas para
um adaptador de 9 pinos para 25 pinos no lado do
avisar o utilizador de que deve verificar a placa
PC.
PCMCIA.
PLACA CHEIA Os dados podem ser transferidos do M Series para o
PC usando o software ZOLL Data Control para
A placa de dados PCMCIA está cheia. Não Windowscomo pacote de comunicação de dados.
serão armazenados mais dados na placa, mas o (Consulte o Manual de referência do ZOLL Data
aparelho continuará a funcionar. Este aviso só é Control for Windowspara informações detalhadas.)
dado quando o aparelho não está a analisar ou a Também pode ser utilizado um pacote de software de
carregar. Insira outra placa ou imprima os dados utilitários como o HyperTerminal.
sobre os eventos no registador de gráficos em
tiras. As definições de comunicação correctas são:
INTRODUZIR PLACA Bits por segundo* 115200 bps
(predefinição) Também
A placa de memória não está instalada ou não
se pode usar: 9600 bps
está devidamente assente na unidade.
ou 38400 bps.
SUBSTITUIR PLACA
Está instalada uma placa de tipo errado, a placa Bits de dados: 8
tem um defeito ou foi interrompida uma operação Paridade: Nenhuma
Apagar Placa. A unidade funcionará, mas não
serão armazenados dados. Apagar a placa Bits de paragem: 1
poderá permitir voltar a um funcionamento Controlo de fluxo: Nenhum
normal do armazenamento de dados.
*Os bits por segundo devem ser iguais à definição da
AUDIO NÃO REGIST. (apenas disponível com a taxa de transferência do dispositivo M Series.
opção de registo de voz) (Consulte o manual de configuração da M Series
A Placa de dados PCMCIA foi retirada da M para instruções de como configurar a taxa de
Series quando a unidade estava ligada. A transferência do M Series.)
unidade não gravará informações áudio ou sobre Repare-se que os tempos de transferência são
eventos. variáveis. Por exemplo, um cartão de 2 MB com 30
minutos de dados áudio e de incidentes registados
Transferência de dados para um PC com pode demorar até quatro minutos a ser transferido a
um leitor de cartões PCMCIA uma taxa de transferência de 115200 bps. A uma
taxa de transferência de 9600 bps, a mesma
O software de controlo de dados ZOLL Data
transferência pode demorar até 40 minutos.
Control para Windowstem que ser instalado no
PC para se aceder às informações armazenadas Para transferir dados:
nos cartões PCMCIA.
1. Certifique-se de que a unidade está desligada
Remova o cartão de dados da unidade. Insira o há pelo menos 10 segundos. Prima a tecla
cartão no leitor de cartões PCMCIA do PC. programável mais à esquerda enquanto roda o
comutador rotativo para a posição LIGADO ou

C-2
CAPACIDADE DE ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS MÉDICOS

Monitor. Aguarde 4 segundos. É exibido o écran


Utilitários de sistema.

6. Após uma transmissão com sucesso, a unidade


apresenta o écran Cartão transferido. Para transferir
outro cartão, remova o cartão actual, insira um cartão
novo, e prima de novo a tecla programável Enviar. (A
Nota: As teclas programáveis e as
tecla programável Enviar aparece quando o novo
mensagens marcadas com um asterisco (*)
cartão é inserido.)
são mostradas apenas se a unidade estiver
configurada para permitir a limpeza do
cartão.
2. Insira o cartão de dados a serem
transferidos na ranhura inferior para cartões PC
da unidade.
3. Prima a tecla programável Transf. É
apresentado o écran principal de Transferência.

Após a transmissão, os nomes dos ficheiros criados


pelo programa de comunicação no PC têm o
seguinte formato:

ZLssssssss_AAAAMMDD_HHMMSSL.crd

em que

ssssssss = Número de série da unidade

4. Active o software de comunicação no PC de AAAAMMDD = Ano, Mês e Dia da transmissão.


destino. Caso não tenha ainda sido feito,
prepare o sistema anfitrião (PC) para receber HHMMSS = Hora, minuto e segundo da
um ficheiro de dados introduzindo as definições transmissão
de comunicação como indicado na página
anterior. L = Um identificador único associado
ao ficheiro que avança sequencial-
5. Prima a tecla programável Enviar. A mente ao longo do alfabeto, ou
transferência começa no espaço de um seja, A, B, C, etc.
segundo. O écran Transf. exibe uma barra de
Exemplo: ZL12345678_20010825_183005A.crd
progresso que indica a percentagem de dados
Unidade 12345678, 25 de Agosto de 2001,
transferidos para o PC. Para interromper a
6:30:05 PM
transmissão de dados, rode o comutador rotativo
da unidade para a posição DESLIGADO.
Nota: Os dados no cartão têm de ser retransmit-
idos se a unidade for desligada antes de
todos os dados armazenados no cartão
terem sido transmitidos.

C-3
GUIA DO OPERADOR

Localização e diagnóstico de Mensagens exibidas


avarias
(Consulte a tabela de Mensagens apresentadas Mensagem Razão / Acção
abaixo para informações adicionais de Cartão removido O cartão foi removido da
localização e diagnóstico de avarias.) ranhura PCMCIA ou não
está bem colocado.
Se o cartão não estiver correctamente inserido
na ranhura PCMCIA quando se tenta transmitir Reinsira o cartão.
dados, é apresentado o seguinte écran. Cartão vazio Foi inserido um cartão
Verifique se o cartão está bem inserido. Pode vazio na ranhura PCMCIA
ser preciso inserir o cartão de novo, para que ou o cartão foi apagado.
fique bem colocado.
Registe dados no cartão
antes da transmissão, ou
insira outro cartão.
Cartão de dados Foi inserido um cartão de
inv. tipo errado.
Insira um cartão de dados.
Falha PC A transmissão foi
interrompida porque o PC
detectou um erro ou o
utilizador cancelou a
transmissão com o
Se, durante a transmissão de dados, o PC parar
programa de comunicação
de receber dados, é exibida a mensagem “Falha
do PC.
PC” e a transferência é interrompida.
Verifique o pacote ou
utilitário de comunicação do
PC para determinar a
causa do erro.
Falha em série O cabo não está ligado, o
PC anfitrião não foi
detectado, ou ocorreu um
erro de transmissão.
Verifique e fixe o cabo RS
232 na parte de trás da
unidade ou do PC.
Verifique as definições do
pacote de comunicação ou
o HyperTerminal.
Cartão A transferência foi
transferido concluída com êxito.
Cartão prev. O utilizador inseriu um
transferido cartão de dados válido que
já tinha sido transferido
com êxito. Os dados no
cartão não foram
apagados.
Utilize outro cartão de
dados, apague os dados do
cartão que está a utilizar,
ou reenvie os dados.

C-4

Você também pode gostar