Você está na página 1de 5

Profa. M.

ª Elida Macedo

Disciplina: PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO E ORÇAMENTO


EMPRESARIAL

TEXTO 02 - PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: COMO FAZER E POR ONDE


COMEÇAR

Por onde começar o planejamento? Saiba quais são os itens básicos para realizar
um bom planejamento estratégico. Para todo empreendedor que deseja crescer, um dos
primeiros passos é entender como iniciar a montagem de um planejamento estratégico que
proporcione boas chances de sucesso ao negócio. Como o próprio significado da palavra
indica, planejar estratégias é uma arte que requer eficiência, informações adequadas e
conhecimento de mercado, para que as decisões tomadas estejam bem casadas com a
visão de futuro da empresa.
É aconselhável, para todas as situações, que o plano esteja traçado no papel antes
que seja colocado em ação. Portanto, o inicio de todo planejamento estratégico passa por
algumas definições simples:
 Quem somos? Qual a nossa missão? Qual a relevância do nosso negócio para
o mercado? Afinal, aonde queremos chegar?
 Quais os atores envolvidos nesse planejamento? Quem deve ter participação
importante nas análises que traçarão os caminhos da empresa;
 Definidos os papeis de cada um, é o momento de ter em mãos o máximo de
informações que lhe darão uma visão mais completa do mercado. Saiba de tudo
que se refere à análise de mercado, crescimento e desenvolvimento de
funcionários, concorrentes, áreas e mercados para explorar;
 Esteja informado sobre os insumos (internos e externos) para realização de seu
negócio. O entendimento de mercado é tão bom quanto à compreensão do que
ocorre dentro da sua própria empresa.

A importância das métricas dentro do seu planejamento estratégico

Acabaram-se os anos em que o que importava era bater o concorrente com gastos
milionários em campanhas publicitárias. Hoje, quem não realizar uma métrica bem
relacionada com o planejamento e ambições da empresa estará atrasado. As métricas
nada mais são do que estratégias para mensurar qualquer investimento ou ação
relacionada à sua empresa, em quantidade e qualidade. Mas o mais importante é que ela
deve estar diretamente relacionada aos planos de estratégia. Não adianta ter números e
mais números, bons ou ruins, se esses números não estiverem dando respostas
conclusivas para a gestão do negócio, se estamos ou não estamos chegando mais perto
dos nossos grandes objetivos. Portanto, métricas de sucesso são aquelas em que os
resultados serão um termômetro para saber se os objetivos da empresa estão sendo
alcançados.
Colocando o planejamento estratégico em prática. Sair do papel e ir para a realidade
pode muitas vezes ser um tema complicado para o empreendedor. Portanto, a primeira
coisa que devemos levar em consideração na parte da execução é analisar como fazemos
o que fazemos. Ou seja, qual é a forma como conduzimos o processo de pessoas/equipe,
a estratégia e nossos planos operacionais. Quanto mais organizada e bem feita for essa
execução, mais poderemos medir o nível de maturidade de uma empresa.
Por exemplo, as realizações de reuniões periódicas precisam trazer realidade aos
debates e alguns obstáculos que exigirão decisões. O nível de profissionalismo que se
darão essas reuniões e as decisões feitas a partir desses possíveis obstáculos darão o tom
da eficiência da sua execução. Contudo, a prática do seu planejamento estratégico está
diretamente relacionada à seriedade e organização com que trata a execução de seus
planejamentos. Será sempre um desafio mental complexo, sem muita intuição, mas de um
pensamento sistêmico e de forte trabalho. Veja alguns pontos a que devemos nos atentar:
 A sincronia dos processos de gestão pessoas, estratégia e rotina são essenciais
para uma boa execução;
 Divisão de funções, atribuições e responsabilidades são partes importantes para
alcançarmos os objetivos com organização;
 Não devemos dar passos maiores do que podemos. Planos maiores que as
capacidades geram frustação, pois, plano bom é aquele conseguimos implantar
estando dentro da realidade;
 Se quisermos uma execução boa, devemos saber premiar e incentivar as
pessoas envolvidas nessa evolução;
 Estar aberto a novas realidades, saber a hora de mudar e abrir mão de algo com
flexibilidade e sabedoria, será um bom controle de qualidade dos seus planos
estratégicos.
Um planejamento estratégico completo requer muito mais esforço e dedicação do
que normalmente imaginamos, mas se feito com qualidade, formarão o caminho das
pedras para a conquista de todos os seus objetivos. Empresas que colocam com eficiência
todos os seus planos e práticas, são as que abandonam estratégias equivocadas com
facilidade traçando novos rumos, aproveitando boas oportunidades, formando grandes
líderes e criando resultados mais sustentáveis e lucrativos.
Tendo em vista a complexidade do cenário empresarial, das turbulências e
incertezas impostas às empresas, notamos um aumento significativo de organizações que
buscam ferramentas e técnicas que as auxiliem no processo gerencial. Podemos afirmar
que uma dessas ferramentas é o planejamento estratégico, pois, além de contemplar as
características das empresas de pequeno, médio e grande porte, também torna possível a
definição de seus objetivos e, ainda, permite traçar, antecipadamente, os caminhos a
serem percorridos para atingi-los, o que se torna imprescindível à sobrevivência das
empresas em um mercado extremante competitivo.
Você sabe qual a diferença entre objetivo e meta? Para melhor entendimento do
planejamento estratégico, devemos conhecer antecipadamente alguns conceitos, como: a)
objetivo: é um ponto no futuro a ser atingido – comprar uma casa maior, num local
privilegiado; b) meta: é um ponto intermediário a ser atingido na direção de seu objetivo –
numa estrada, seu objetivo é atingir determinada cidade, mas, nos seus planos de viagem,
você marca pontos ou outras cidades que devem ser atingidas dentro de determinado
tempo; c) estratégia: é a mobilização de todos os recursos da empresa no âmbito global,
visando a atingir objetivos definidos previamente; é uma metodologia gerencial que permite
estabelecer o caminho a ser seguido pela empresa, visando a elevar o grau de interação
com os ambientes interno e externo. Maximiano (2000) define planejamento como uma
ferramenta utilizada por pessoas e organizações para administrar suas relações com o
futuro.
Já para o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE),
planejamento estratégico é o método pelo qual a empresa define a mobilização de seus
recursos para alcançar os objetivos propostos. É um planejamento global em curto, médio
e longo prazos. Você saberia dizer o que envolve um processo de Planejar? Bom, o
processo de planejar envolve um modo de pensar que corresponde a questionamentos
sobre: o que fazer, como, quando, quanto, para quem, por que, por quem e onde. Dele
resulta um plano estratégico, ou seja, conjunto flexível de informações consolidadas, que
serve de referência e guia para a ação organizacional, podendo ser considerado uma
bússola para os membros da organização.

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

O planejamento é uma ferramenta utilizada por pessoas e organizações para


administrar suas relações com o futuro. Não confunda objetivo com metas, pois o primeiro
relaciona-se a um ponto futuro a ser atingindo e o segundo, a um ponto intermediário a ser
atingido na direção de seu objetivo. Estudamos o motivo do surgimento do planejamento
estratégico, explicamos que esta ferramenta possibilita a definição dos objetivos, permite
traçar, antecipadamente, os caminhos a serem percorridos para tingi-los, o que é de suma
importância para a sobrevivência das empresas em um mercado altamente competitivo.
Com objetivo de facilitar o entendimento vimos também as definições de objetivo, meta,
estratégia, planejamento e planejamento estratégico. Finalizamos enfatizando que o
processo de planejar deve responder as questões: o que fazer, quando, quanto, para
quem, por que, por quem e onde, resultando no plano estratégico.

MISSÃO, VISÃO E VALORES: OS PRINCÍPIOS ESSENCIAIS.

A procura por melhores resultados é algo imprescindível para que as organizações


se mantenham competitivas em um cenário cadenciado tanto por regras advindas dos
processos de internacionalização quanto pelo crescente nível de exigência pertencente a
um novo perfil de consumidores. Desse modo, as organizações começam a atuar de forma
bem mais ideológica e ainda, uma vez que os produtos e serviços mostram-se cada vez
mais iguais e apresentam-se de maneira cada vez mais semelhante, as organizações
atualmente andam apostando em um conjunto próprio de características – Missão, Visão e
Valores – que as identifiquem e diferencie dos demais.

MISSÃO

“Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não
terminou”. Richard Bach
A missão é tida como o detalhamento da razão de ser da empresa, ou seja, é o porquê da
empresa. Na missão, tem-se acentuado o que a empresa produz, sua previsão de
conquistas futuras e como espera ser reconhecida pelos clientes e demais stakeholders.
A missão de uma empresa está tão ligada ao lucro quanto ao seu objetivo social. Ainda
segundo o consultor, toda missão dever orientar os objetivos financeiros, humanos e
sociais da organização.

Algumas definições:
“A missão é, em essência, o propósito da organização”. (Valeriano).
“A Missão é a projeção da organização na visão do mundo e o papel que ela exercerá”.
(Pavani, Deutscher e Lopes).
“Missão: razão de ser da empresa. Conceituação do horizonte, dentro do qual a empresa
atua ou poderá atuar no futuro”. (Oliveira).
Exemplos de missão:

-Fiat
Desenvolver, produzir e comercializar carros e serviços que as pessoas prefiram comprar e
tenham orgulho de possuir, garantindo a criação de valor e a sustentabilidade do negócio.

-Gerdau
Gerar valor para nossos clientes, acionistas, equipes e a sociedade, atuando na indústria
do aço de forma sustentável.

VISÃO

“Através dos séculos existiram homens que deram o primeiro passo ao longo de novos
caminhos, sem outros recursos além de sua própria visão”. Ayn Rand
A visão é algo responsável por nortear a organização. É um acumulado de convicções que
direcionam sua trajetória. O professor de empreendedorismo Louis Jacques Filion define
visão como "a imagem projetada no futuro do espaço de mercado futuro a ser ocupado
pelos produtos e o tipo de organização necessária para se alcançar isso". Em suma, a
visão pode ser percebida como a direção desejada, o caminho que se pretende percorrer,
uma proposta do que a empresa deseja ser a médio e longo prazo e, ainda, de como ela
espera ser vista por todos.

Algumas definições:
“Uma imagem viva de um estado futuro ambicioso e desejável, relacionado com o cliente,
e superior em algum aspecto importante, ao estado atual”. (Whiteley)
“Articulações das aspirações de uma empresa a respeito de seu futuro”. (Hart)
“Algo que se vislumbre para o futuro desejado da empresa”. (Quigley)

Exemplos de visão:

-Fiat
Estar entre os principais players do mercado e ser referência de excelência em produtos e
serviços automobilísticos.

- Gerdau
Ser global e referência nos negócios em que atua.

VALORES

“Dou valor as coisas, não por aquilo que valem, mas por aquilo que significam”. Gabriel
Garcia Marques
Os valores incidem nas convicções que fundamentam as escolhas por um modo de
conduta tanto de um indivíduo quanto em uma organização. Richard Barrett, ex-diretor do
Banco Mundial, declara que em uma organização os valores “dizem” e os comportamentos
“fazem”. Assim sendo, os valores organizacionais podem ser definidos como princípios que
guiam a vida da organização, tendo um papel tanto de atender seus objetivos quanto de
atender às necessidades de todos aqueles a sua volta.
Algumas definições:
“Uma crença que orienta julgamentos e ações por meio de objetivos específicos e
imediatos”. (Rokeach).
“Desejáveis... metas... que operam como princípios que orientam a vida de uma pessoa”.
(Schwartz).
“Princípios que guiam a vida da organização”. (Tamayo e Mendes).

Exemplos de valores:

-Fiat
Satisfação do cliente
Ele é a razão da existência de qualquer negócio.
Valorização e respeito às pessoas

São as pessoas o grande diferencial que torna tudo possível.


Atuar como parte integrante do Grupo Fiat Juntos nossa marca fica muito mais forte.
Responsabilidade social. É a única forma de crescer em uma sociedade mais justa.
Respeito ao Meio Ambiente. É isso que nos dá a perspectiva do amanhã.

-Gerdau
Ter a preferência do CLIENTE
SEGURANÇA das pessoas acima de tudo
PESSOAS respeitadas, comprometidas e realizadas.
EXCELÊNCIA com SIMPLICIDADE
Foco em RESULTADOS
INTEGRIDADE com todos os públicos
SUSTENTABILIDADE econômica, social e ambiental.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Costa Junior, E. L. Gestão de processos produtivos. Curitiba: Ibpex, 2008
Sites consultados
http://www.fiat.com.br/
http://www.gerdau.com.br/
Disponível em: <https://endeavor.org.br/planejamento-estrategico-como-fazer-e-por-onde-
comecar/>.

Após a interpretação do texto, responda:

1) Qual a importância do planejamento estratégico para as organizações?

2) Podemos definir planejamento como sendo uma ferramenta utilizada pelas


organizações para administrar suas relações com o passado, presente e futuro?

3) Descrever com suas palavras, o que vem a ser missão, visão e valores.