Você está na página 1de 30

Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

NORMA ABNT NBR


BRASILEIRA ISO
80000-4
Primeira edição
16.04.2007

Válida a partir de
16.05.2007
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

Grandezas e unidades
Parte 4: Mecânica
Quantities and units
Part 4: Mechanics

Palavras-chave: Sistema de unidade. Sistema Internacional de Unidade.


Unidades de medida. Grandezas. Mecânica. Símbolo. Definição. Conversão
de unidade. Fator de conversão.
Descriptors: System of unit. International System of Unit. Unit of
measurement. Quantities. Mechanic. Symbol. Definition. Conversion of unit.
Conversion factor.

ICS 01.060

ISBN 978-85-07-00426-4

Número de referência
ABNT NBR ISO 80000-4:2007
24 páginas
©ABNT 2007
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

© ABNT 2007
Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida
ou por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por escrito pela ABNT.

Sede da ABNT
Av.Treze de Maio, 13 - 28º andar
20031-901 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: + 55 21 3974-2300
Fax: + 55 21 2220-1762
abnt@abnt.org.br
www.abnt.org.br

Impresso no Brasil

ii ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

Sumário Página

Prefácio Nacional....................................................................................................................................................... iv
Introdução ................................................................................................................................................................... v
1 Escopo ............................................................................................................................................................ 1
2 Referências normativas ................................................................................................................................ 1
3 Nomes, símbolos e definições ..................................................................................................................... 1
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

Anexo A (informativo) Unidades no sistema CGS com nomes especiais ........................................................... 20


Anexo B (informativo) Unidades baseadas em pé, libra, segundo, e algumas outras unidades relacionadas
.................................................................................................................................................................................... 21
Anexo C (informativo) Outras unidades nãoSI dadas para informação, relativas especialmente aos fatores
de conversão ............................................................................................................................................................. 23

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados iii


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

Prefácio Nacional

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras,
cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos de Normalização
Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais Temporárias (ABNT/CEET), são elaboradas por
Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores,
consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).

A ABNT NBR ISO 80000-4 foi elaborada no Comitê Brasileiro de Normalização em Metrologia (ABNT/CB-53),
pela Comissão de Estudos de Grandezas, Unidades, Símbolos e Fatores de Conversão (CE-53:001.01). O Projeto
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

circulou em Consulta Nacional conforme Edital nº 10, de 02.10.2006, com o número de Projeto 53:001.01-003/4.

Esta parte da ABNT NBR ISO 80000 é tradução idêntica da ISO 80000-4:2006, que foi elaborada pelo Comitê
Técnico Quantities, units, symbols, conversion factors (ISO/TC-12), com a colaboração do Comitê Técnico
Quantities and units, and their letter symbols (IEC/TC- 25).

Esta parte da ABNT NBR ISO 80000 cancela e substitui a ABNT NBR 12533:1992 – Grandezas e unidades
de mecânica.

Esta primeira edição da ISO 80000 cancela e substitui a segunda edição da ISO 31-3:1992. As alterações técnicas
relevantes em relação à norma anterior são as seguintes:

 a apresentação das afirmações numéricas foi modificada;

 as referências normativas foram alteradas;

 as grandezas distância radial, vetor de posição, deslocamento e rotação foram incluídas na lista de grandezas.
Esta parte da ABNT NBR ISO 80000 contém os anexos A, B e C, de caráter informativo.

A ABNT NBR ISO 80000, sob o título geral "Grandezas e unidades", tem previsão de conter as seguintes partes:

 Parte 1: Generalidades;

 Parte 2: Símbolos e sinais matemáticos para uso nas ciências físicas e tecnologia;

 Parte 3: Espaço e tempo;

 Parte 4: Mecânica;

 Parte 5: Termodinâmica;

 Parte 7: Luz;

 Parte 8: Acústica;

 Parte 9: Físico-química e física molecular;

 Parte 10: Física atômica e nuclear;

 Parte 11: Números característicos;

 Parte 12: Física do estado sólido.


ABNT NBR IEC 80000, sob o título geral “Grandezas e unidades”, tem previsão de conter as seguintes partes:

 Parte 6: Eletromagnetismo;

 Parte 13: Ciência de informação e tecnologia;

 Parte 14: Telebiometrologia relativa à psicologia humana.

iv ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

Introdução

0.1 Disposição das tabelas

As tabelas de grandezas e unidades da ABNT NBR ISO 80000 são dispostas de tal forma que as grandezas são
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

apresentadas nas páginas do lado esquerdo e as unidades na página correspondente, no lado direito.

Todas as unidades dadas entre as duas linhas cheias nas páginas do lado direito correspondem às grandezas
entre as duas linhas cheias nas páginas do lado esquerdo.

Onde a numeração de um item foi modificada na revisão de uma parte da ISO 31, o número da edição anterior
é mostrado entre parênteses na página do lado esquerdo sob um novo número para a grandeza; um travessão
é usado para indicar que o item em questão não aparecia na edição anterior.

0.2 Tabelas de grandezas

Os nomes das grandezas mais importantes no campo desta Norma são dados em conjunto com os seus símbolos,
e na maioria dos casos com suas definições. Estes nomes e símbolos são recomendações. Estas definições são
dadas para identificação das grandezas no Sistema Internacional de Grandezas (ISQ), listadas na tabela, nas
páginas do lado esquerdo; elas não pretendem ser completas.

O caráter escalar, vetorial ou tensorial de algumas grandezas é ressaltado, principalmente quando isto é
necessário para as definições.

Na maioria dos casos somente um nome e somente um símbolo são dados para a grandeza; onde dois ou mais
nomes ou dois ou mais símbolos são dados para uma grandeza e se não for feita nenhuma distinção especial,
eles são de igual importância. Quando dois tipos de letras em itálico existem (por exemplo, como
 e  ;  e ; a e a ; g e g ), apenas uma dessas é dada. Isto não significa que a outra não é igualmente aceita.
Não é recomendado que tais variações sejam dadas para significados diferentes. O símbolo entre parênteses
implica que ele é um símbolo reserva, para ser usado quando, num contexto particular, o símbolo principal está
em uso com um significado diferente.

0.3 Tabelas de unidades

0.3.1 Generalidades

Os nomes das unidades das correspondentes grandezas são dadas junto com os símbolos internacionais e as
definições. Estes nomes de unidades são dependentes do idioma, mas os símbolos são internacionais e são os
mesmos em todos os idiomas. Para mais informações, ver SI Brochure (7ª edição 1998) da BIPM e ISO 80000-11).

As unidades são dispostas do seguinte modo:

a) As unidades SI coerentes são dadas primeiro. As unidades SI foram adotadas pela Conferência Geral de
Pesos e Medidas (Conférence Générale des Poids et Mesures, CGPM). O uso das unidades SI coerentes é
recomendado; múltiplos e submúltiplos decimais formados com prefixos SI são recomendados, mesmo
quando não são explicitamente mencionados.

1) A ser publicada.

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados v


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

b) Então, são dadas algumas unidades nãoSI, sendo aceitas pelo Comitê Internacional para Pesos e Medidas
(Comité Internacional des Poids et Mesures, CIPM), ou pela Organização Internacional de Metrologia Legal
(Organisation Internacionale de Métrologie Légale, OIML), ou pela ISO ou IEC, para uso com o SI.
Estas unidades são separadas das unidades SI por uma linha quebrada no item entre as unidades SI e as
outras unidades.
c) As unidades nãoSI aceitas pelo CIPM para uso com unidades SI são dadas numa impressão menor
(menor que o tamanho do texto), na coluna “Fatores de conversão e observações”.
d) As unidades nãoSI que não são recomendadas são dadas somente nos anexos, em algumas partes da
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000. Estes anexos são informativos, em primeiro lugar para os fatores de conversão, e não
fazem parte integrante desta Norma. Estas unidades não valorizadas são dispostas em dois grupos:
1) unidades no sistema CGS com nomes especiais;
2) nomes de unidades baseadas em pé, libra, segundo e algumas outras unidades relacionadas.
e) Outras unidades nãoSI dadas para informação, especialmente relativas a fatores de conversão, são dadas em
outro anexo informativo.

0.3.2 Observações sobre unidades para grandezas de dimensão um, ou grandezas adimensionais

A unidade coerente para qualquer grandeza de dimensão um, também chamada de grandeza adimensional, é o
número um, símbolo 1. Quando o valor de uma tal grandeza é expresso, o símbolo da unidade 1 não é geralmente
escrito explicitamente.

EXEMPLO Índice de refração n  1,53  1  1,53

Prefixos não devem ser usados para formar múltiplos ou submúltiplos da unidade um. Em vez de prefixos,
potências de 10 são recomendadas.

EXEMPLO Número de Reynolds Re  1,32  103

Considerando que o ângulo plano é geralmente expresso como razão de dois comprimentos e o ângulo sólido
como a razão de duas áreas, em 1995, o CGPM especificou que, no SI, o radiano, símbolo rad, e o esterradiano,
símbolo sr, são unidades derivadas adimensionais. Isto implica que as grandezas ângulo plano e ângulo sólido
são consideradas grandezas derivadas de dimensão um. As unidades radiano e esterradiano são então iguais a
um; elas podem ser omitidas ou podem ser usadas em expressões para unidades derivadas para facilitar a
distinção entre grandezas de naturezas diferentes, mas tendo a mesma dimensão.

0.4 Afirmações numéricas nesta Norma


O sinal  é usado para indicar “é exatamente igual a“, o sinal  é usado para indicar “é aproximadamente igual a”,
e o sinal : é usado para indicar “é por definição igual a”.

Os valores numéricos de grandezas físicas que foram determinados experimentalmente têm sempre associados
uma incerteza na medição. Convém que esta incerteza seja sempre especificada. Nesta Norma a magnitude da
incerteza é representada como no seguinte exemplo.

EXEMPLO l  2,347 82(32) m

Neste exemplo, l  a (b ) m, o valor numérico de incerteza b indicado entre parênteses é assumido para ser
aplicado aos últimos (e menos significativos) dígitos do valor numérico de a no comprimento l . Esta notação é
usada quando b representa a incerteza-padrão (estimado desvio-padrão) nos últimos dígitos de a . O exemplo
numérico dado acima pode ser interpretado como significando que a melhor estimativa do valor numérico do
comprimento l (quando l é expresso na unidade metro) é 2,347 82, e o valor desconhecido de l é assumido
como estando entre (2,347 82 – 0,000 32) m e (2,347 82 + 0,000 32) m, com uma probabilidade determinada pela
incerteza-padrão 0,000 32 m e a distribuição da probabilidade dos valores de l .

vi ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 80000-4:2007

Grandezas e unidades
Parte 4: Mecânica

1 Escopo
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

Esta parte da ABNT NBR ISO 80000 fornece nomes e símbolos para grandezas e unidades da mecânica clássica.
Onde conveniente, também são dados fatores de conversão.

2 Referências normativas
Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para referências datadas,
aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se as edições mais recentes do
referido documento (incluindo emendas).

ABNT NBR ISO 31-4:2006 – Grandezas e unidades – Part 4: Calor 2)

ABNT NBR ISO 31-11:2006 – Grandezas e unidades – Parte 11: Símbolos e sinais matemáticos para uso nas
ciências físicas e tecnologia 3)

ABNT NBR ISO 80000-3:2007 – Grandezas e unidades – Parte 3: Espaço e tempo 4)

3 Nomes, símbolos e definições


Os nomes, símbolos e definições para grandezas e unidades de mecânica são dados nas páginas seguintes.

2) A ser revisada como ABNT NBR ISO 80000-5.


3) A ser revisada como ABNT NBR ISO 80000-2.
4) Revisão da ISO 31-1:1992 e ISO 31-2:1992.

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 1


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

MECÂNICA GRANDEZAS

Item
Nome Símbolo Definição Observações
Nº.

4-1 massa m a massa é uma das sete A massa é a grandeza que


(3-1) grandezas de base no Sistema comumente pode ser medida com
Internacional de Grandezas, ISQ, uma balança.
no qual o Sistema Internacional
de Unidades, SI, é baseado
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS


4-2 massa específica,   dm / dV O nome sistemático, massa
(3-2) densidade de volumétrica, não é empregado
massa, onde m é a massa (item 4-1) desde que a expressão
densidade e V é o volume densidade de massa ou
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006, densidade foi estabelecida na
item 3-4) lingua inglesa.

4-3 densidade relativa d d   /0 Para 0 , a densidade de massa


(3-3) de massa, do líquido água (1 000 kg/m³)
densidade relativa onde  é a densidade de massa é comumente usada.
(item 4-2) de uma substância
e 0 é a densidade de massa
(item 4-2) de uma substância
adotada como referência, sob
condições que devem ser
especificadas para ambas as
substâncias
4-4 volume específico, v v  1/ 
(3-4) volume de massa
onde  é a densidade de massa
(item 4-2)
4-5 densidade A  A  dm / dA Densidade de massa de
(3-6) superficial, superficie é também usada.
massa de área onde m é a massa (item 4-1) O nome “grammage” não é
e A é a área recomendado para ser usado
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006, para esta grandeza.
item 3-3)
4-6 densidade linear, l  l  dm / dl Densidade linear de massa é
(3-5) massa linear também usada.
onde m é a massa (item 4-1)
e l é o comprimento
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
tem 3-1.1)

2 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

UNIDADES MECÂNICA

Item Símbolo Fatores de conversão e


Nome Definição
Nº. internacional observações

4-1.a quilograma kg unidade de massa; ele é Nomes de múltiplos decimais


igual à massa do protótipo e submúltiplos da unidade de
internacional do quilograma massa são formados
[3ª CGPM (1901)] colocando prefixos na
palavra “grama” [CIPM
(1967)].
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

1 g  0,001 kg

4-1.b tonelada t 1 t : 1 000 kg Na língua inglesa, esta


unidade também é chamada
tonelada métrica.
4-2.a quilograma por kg/m 3
metro cúbico
4-2.b tonelada por metro t/m3 1 t/m3  1 000 kg/m 3  1 g/cm 3
cúbico

4-2.c quilograma por kg/l 1 kg/l  1 000 kg/m 3


litro

4-3.a um 1 Ver Introdução, subseção


0.3.2.

4-4.a metro cúbico por m3 /kg


quilograma

4-5.a quilograma por kg/m 2


metro quadrado

4-6.a quilograma por kg/m


metro

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 3


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

MECÂNICA GRANDEZAS
Item
Nome Símbolo Definição Observações
Nº.
4-7 momento de I, J J Q   rQ2 dm Esta grandeza deve ser distinguida
(3-7) inércia de do item 4-20, segundo momento de
massa, momento onde rQ é a distância radial área (axial ou polar). Se existir risco
de inércia (ABNT NBR ISO 80000-3:2006, de confusão, recomenda-se o uso
item 3-1.6) do eixo Q e m é a do símbolo J para o item 4-7 e I
massa (item 4-1) para o item 4-20.
J também aparece como um
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

tensor de segunda ordem com


 
J xx   y 2  z 2 dm , cycl.,
cycl. e J xy    xy dm , são
cycl.,cycl., onde x, y e z
coordenadas cartesianas
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-1.10)
4-8 momento linear, p para uma partícula
(3-8) momentum p m v
onde m é a massa (item 4-1) e
v é a velocidade
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-8.1)
4-9.1 força F F  dp/ dt Se a massa de uma partícula for
(3-9.1) constante, então F  m a
onde p é o momentum
(item 4-8) e t é o tempo onde m é massa (item 4-1)
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006, e a é aceleração
item 3-7) ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-9.1)

4-9.2 peso Fg , Q , Fg  m g Deve ser observado que quando o


(3-9.2) sistema de referência é a Terra,
onde m é a massa (item 4-1) esta grandeza engloba não
e g é aceleração local somente a força local da gravidade,
em queda livre mas também da força centrífuga
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006, local devido à rotação da Terra.
item 3-9.2)
O efeito de flutuação atmosférica é
excluído no peso. [Ver também
Comptes rendus, 3ª CGPM (1901),
p.70.]
Na linguagem popular, a palavra
"peso” tem sido usada para indicar
a “massa”, mas essa prática não é
recomendada.

4 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

UNIDADES MECÂNICA

Item Símbolo Fatores de conversão e


Nome Definição
Nº. internacional observações

4-7.a quilograma–metro kg  m2
quadrado
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

4-8.a quilograma–metro kg  m/s


por segundo

4-9.a newton N 1 N : 1 kg  m/s 2

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 5


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

MECÂNICA GRANDEZAS
Item Nº. Nome Símbolo Definição Observações
4-10 constante G F  G m 1m 2 / r 2
G  6,674 210  10 11 N  m2 /kg2
(3-14) gravitacional
onde F é a força gravitacional [2002 CODATA valores
entre as duas partículas recomendados] a
(item 4-9.1), m 1 e m 2 são as
massas das duas partículas
(item 4-1) e r é a distância
entre as duas partículas
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,


item 3-1.9)
4-11 impulso I Ι   F dt Para um intervalo de tempo t 1, t 2  ,
(3.10)
onde F é a força (item 4-9.1) Ι t1  t 2   p (t 2 )  p (t1)  Δ p
e t o é tempo
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-7)
4-12 momento do L para uma partícula Esta definição se aplica ao
(3-11) momentum, L r p momento de momentum da
momento angular partícula com respeito à origem do
onde r é o vetor de posição vetor posição.
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-1.11) e p é o momentum
(item 4-8)
4-13.1 momento de força M M r xF Esta definição se aplica para o
(3-12.1) momento de força com relação à
onde r é o vetor posição
origem do vetor posição.
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-1.11) e F é a força
(item 4-9.1)
4-13.2 torque T T  M  eQ O torque é o momento de torção de
(3-12.3) força com respeito ao eixo
onde M é o momento de força longitudinal de uma viga ou uma
(item 4-13.1) e e Q é o vetor coluna. Esta grandeza é também
unitário direcionado ao longo do indicada por M Q .
eixo Q com relação ao qual o
torque é considerado
4-13.3 momento de força Mb componente de momento de
de flexão força perpendicular ao eixo
longitudinal de uma viga ou uma
coluna
4-14 impulso angular H H   M dt Para um intervalo de tempo t 1, t 2  ,
(3-13)
onde M é o momento de força H t1, t 2   L (t 2 )  L (t1)  Δ L
(item 4-13.1) e t é o tempo
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-7)
a
Mohr P.J. e Taylor B.N. 2002 CODATA valores recomendados das constantes fundamentais da física, Rev. Mod. Phys.,
77 (1), 225, pp. 1-107.

6 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

UNIDADES MECÂNICA
Item Símbolo Fatores de conversão e
Nome Definição
Nº. internacional observações
4-10.a newton–metro N  m2 /kg2
quadrado por
quilograma
quadrado
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

4-11.a newton-segundo N s

4-12.a quilograma-metro kg  m 2 s
quadrado por
segundo

4-13.a newton–metro Nm O símbolo para esta unidade


deve ser escrito de tal modo
que não possa causar
confusão com o símbolo para
milinewton, mN.

4-14.a newton-metro- Nms


segundo

(continuação)

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 7


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

MECÂNICA GRANDEZAS
Item
Nome Símbolo Definição Observações
Nº.
4-15.1 pressão p p  dF / dA O símbolo p e é recomendado
(3-15.1) para pressão manométrica,
onde dF é a força (item 4-9.1)
componente perpendicular ao definida como p  p amb , onde
elemento de superfície de área dA p amb é a pressão ambiente.
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006, Uma pressão manométrica é
tem 3-3) positiva ou negativa,
respectivamente, se p for maior
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ou menor do que p amb .


O elemento de superfície é
geralmente uma superfície virtual.
4-15.2 tensão normal    d Fn / d A
(3-15.2)
onde dFn é a componente normal
de força (item 4-9.1) e dA é a área
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-3) do elemento de superfície
4-15.3 tensão de    dF t / dA
(3-15.3) cisalhamento
onde dF t é a componente
tangencial de força (item 9.1)
e dA é a área
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-3) do elemento de superfície
4-16.1 deformação  , e    Δ l / l0
(3-16.1) linear
(alongamento onde Δ l é a variação no
relativo) comprimento de um corpo
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-1.1) e l0 é o seu
comprimento
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-1.1) em um estado de
referência a ser especificado
4-16.2 deformação de    Δx /d
(3-16.2) cisalhamento
onde Δ x é o deslocamento
paralelo
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-1.12) entre duas superfícies
de uma camada de espessura
d (ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-1.4)
4-16.3 deformação    ΔV / V0
(3-14.3) volumétrica,
(deformação onde V é a variação no volume
específica) (ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-4) e V 0 é o volume
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-4) em um estado de
referência especificado

8 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

UNIDADES MECÂNICA

Símbolo Fatores de conversão e


Item Nº. Nome Definição
internacional observações

4-15.a pascal Pa 1 Pa : 1 N/m2 bar (bar),

1 bar : 10 5 Pa  100 kPa


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

4-16.a um 1 Ver introdução, subseção


0.3.2.

(continuação)

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 9


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

MECÂNICA GRANDEZAS
Item Nº. Nome Símbolo Definição Observações
4-17 número de  ,     Δ / Δl A grandeza definida por Poisson foi
(3-17) Poisson, (relação o inverso:
de Poisson) onde Δ  é a contração
transversal e Δ l é o m  1/ 
alongamento
4-18.1 módulo de E E   / A grandeza E é também
(3-18.1) elasticidade denominada módulo de Young.
onde  é a tensão normal
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

(item 4-15.2) e  é a
deformação linear
(item 4-16.1)
4-18.2 módulo de rigidez, G G   A grandeza G é também
(3-18.2) módulo de denominada módulo de Coulomb.
cisalhamento onde  é a tensão de
cizalhamento (item 4-15.3) e
 é a deformação de
cizalhamento (item 4-16.2)
4-18.3 módulo de K K   p / As deformações  ,  e  , nestas
(3-18.3) compressão, definições, são as que
módulo de onde p é a pressão
correspondem ao aumento das
compressibilidade (item 4-15.1) e  é a tensões  e  e ao aumento da
volumétrica deformação volumétrica pressão p .
(item 4-16.3)
4-19 compressibilidade,    1/ V  dV / dp Ver também ABNT NBR ISO 31-4:
(3-19) compressibilidade 2006, item 4-5.
específica onde V é o volume
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-4) e p é a pressão
(item 4-15.1)
4-20.1 segundo momento Ia I a   rQ2 dA Recomenda-se distinguir essas
(3-20.1) axial de área grandezas das grandezas do
onde rQ é a distância radial item 4-7. Para elas tem sido dado
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006, freqüentemente o mesmo nome
item 3-1.6) de um eixo Q no errado “momento de inércia”.
plano da superfície considerada O subscrito a ou p pode ser
e A é a área omitido quando não existir risco de
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006, confusão.
item 3-3)
4-20.2 segundo momento Ip I p   rQ2 dA
(3-20.2) polar de área
onde rQ é a distância radial
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-1.6) do eixo Q
perpendicular ao plano da
superfície considerada e A
é a área
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-3).

10 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

UNIDADES MECÂNICA

Item Símbolo Fatores de conversão


Nome Definição
Nº. internacional e observações

4-17.a um 1 Ver introdução, subseção 0.3.2.

4.18.a pascal Pa
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

4-19.a pascal elevado à Pa 1


potência menos
um

4-20.a metro elevado à m4


quarta potência

(continuação)

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 11


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

MECÂNICA GRANDEZAS

Item Nº. Nome Símbolo Definição Observações

4-21 módulo de seção Z , W  Z  I a / rQ, max


(3-21)
onde I a é o segundo momento
axial de área
(item 4-20.1) e rQ, max é a
máxima distância radial
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

item 3-1.6) de qualquer ponto


na superfície considerada do
eixo Q com respeito ao qual
I a é definido

4-22.1 coeficiente de  , f    F /N Quando não é necessário distinguir


(3-22.1) atrito dinâmico entre coeficiente de atrito dinâmico
Onde F é a componente e coeficiente de atrito estático, o
tangencial da força de contato nome coeficiente de atrito pode ser
(força de fricção) (item 4-9.1) usado para ambos.
e N é a componente normal da
força de contato (força normal)
(item 4-9.1) entre dois corpos
deslizantes

4-22.2 coeficiente de  s , f s   s F max/ N


(3-22.2) atrito estático
onde Fmax é a máxima
componente tangencial da força
de contato (máxima força de
fricção) (item 4-9.1) e N é a
componente normal da força de
contato (força normal)
(item 4-9.1) entre dois corpos
em repouso

4-23 viscosidade   xz   dv x / dz Esta definição é aplicável somente


(3-23) dinâmica, a fluxos laminares, para os quais
(viscosidade) onde  xz é a tensão de vz  0 .
cisalhamento (item 4-15.3)
em um fluido em movimento
com uma velocidade
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-8.1), cujo gradiente
dv x / dz é perpendicular ao
plano de cisalhamento

4-24 viscosidade    / 
(3-24) cinemática
onde  é a viscosidade
dinâmica (item 4-23) e  é a
massa específica

12 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

UNIDADES MECÂNICA

Item Símbolo Fatores de conversão


Nome Definição
Nº. internacional e observações

4-21.a metro cúbico m3


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

4-22.a um 1 Ver introdução, subseção 0.3.2.

4-23.a pascal-segundo Pa  s

4-24.a metro quadrado m2 /s


por segundo

(continuação)

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 13


Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

MECÂNICA GRANDEZAS
Item
Nome Símbolo Definição Observações
Nº.
4-25 tensão superficial ,   dF / dl
(3-25)
onde F (item 4-9) é a
componente perpendicular da
força sobre um elemento linear
em uma superfície e l é o
comprimento
Documento impresso em 21/05/2019 15:41:36, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,


item 3-1.1) do elemento linear
4-26 potência P para uma partícula
(3-27)
P  F v
onde F é a força (item 4-9.1)
e v é a velocidade
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-8.1)
4-27.1 trabalho A, W A   P dt A definição implica que
(3-26.2)
onde P é a potência A   F  dr
(item 4-26) e t é o tempo
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-7)
4-27.2 energia potencial V , E p ,   para uma partícula A força é conservativa quando a
(3-26.3) V    F  dr força do campo não é rotacional,
isto é, rot F  0
onde F é uma força
conservativa (item 4-9.1) e r é
um vetor posição
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-1.11)
4-27.3 energia cinética T, E k para uma partícula Uma definição geral é
(3-26.4)
T  mv 2 / 2 T  1/ 2  v 2 dm
onde m é a massa (item 4-1)
e v é a velocidade
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-8.1)
4-27.4 energia mecânica E, W E  T V Os símbolos E e W são também
(—) usados para outras formas de
onde T é a energia cinética
energia.
(item 4-27.3) e V é a energia
potencial (item 4-27.2)
4-28 eficiência    Pout / P in A potência de saída e a potência
(3-28) de entrada devem ser
onde Pout é uma potência de especificadas.
saída (item 4-26) e Pin é uma
potência de entrada (item 4-26)

14 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

UNIDADES MECÂNICA

Item Símbolo Fatores de conversão e


Nome Definição
Nº. internacional observações

4-25.a newton por metro N/m


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

4-26.a watt W 1 W : 1 N  m/s

4-27.a joule J 1 J : 1 W  s

4-28.a um 1 Ver introdução, subseção


0.3.2.Esta grandeza é
expressa comumente em
porcentagem, símbolo %.

(continuação)

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 15


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

MECÂNICA GRANDEZAS

Item
Nome Símbolo Definição Observações
Nº.

4-29 taxa de fluxo de qm q m  d m / dt


(3-29) massa
onde m é a massa (item 4-1)
e t é o tempo
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-7)
Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

4-30 taxa de fluxo de qV q V  dV / dt


(3-30) volume
onde V é o volume
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-4) e t é o tempo
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-7)

4-31 coordenadas qi q i i  1, 2, , N 
(—) genéricas
onde q i é uma das coordenadas
que é usada para descrever a
posição do sistema considerado,
e N é o número mais baixo de
coordenadas necessárias para
definir completamente a posição
do sistema

4-32 velocidade q i q i  dq i / dt
(—) genérica
onde q i é uma coordenada
genérica (item 4-3) e t é o tempo
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-7)

4-33 força genérica Qi A   Q i q i Para  ver ABNT NBR ISO


(—) 31-11:2006, item 11-7.16
onde A é o trabalho (item 4-27.1) (a ser substituída pela
e q i é uma coordenada genérica ABNT NBR ISO 80000-2b).
(item 4-31)

4-34 função de L L q i , q i   T q i , q i   V (q i ) A energia potencial V (q i ) pode ser


(—) Lagrange generalizada para o potencial
onde T é a energia cinética dinâmico V q i , q i .
(item 4-27.3), V é a energia
potencial (item 4-27.2), q i é uma
coordenada genérica
(item 4-31) e q i uma velocidade
genérica (item 4-32)

b
A ser publicada.

16 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

UNIDADES MECÂNICA

Item Símbolo Fatores de conversão


Nome Definição
Nº. internacional e observações

4-29.a quilograma por kg/s


segundo

4-30.a metro cúbico por m3 /s


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

segundo

4-31.a Esta unidade depende da


dimensão da grandeza.

4-32.a Esta unidade depende da


dimensão da grandeza.

4-33.a Esta unidade depende da


dimensão da grandeza.

4-34.a joule J

(continuação)

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 17


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

MECÂNICA GRANDEZAS

Item
Nome Símbolo Definição Observações
Nº.

4-35 momentum pi L
(—) genérico pi 
q i

onde L é a função de Lagrange


(item 4-34) e q i é uma
velocidade genérica
Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

(item 3-32)

4-36 função de H H   p i qi  L


(—) Hamilton
onde p i é um momenttum
genérico (item 4-35), q i é uma
velocidade genérica (item 4-32)
e L é a função de Lagrange
(item 3-34)

4-37 ação S S   L dt
(—)
onde L é a função de
Lagrange (item 4-34) e t é o
tempo
(ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-7)

18 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

UNIDADES MECÂNICA

Item Símbolo Fatores de conversão


Nome Definição
Nº. internacional e observações

4-35.a Esta unidade depende da


dimensão da grandeza.
Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

4-36.a joule J

4-37.a joule-segundo J s

(conclusão)

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 19


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

Anexo A
(informativo)

Unidades no sistema CGS com nomes especiais

O uso destas unidades não é recomendado.


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

Nº do Nome da
Nº do item
item da Grandeza unidade com Definições e fatores de conversão
da unidade
grandeza símbolo
4-9 força 4-9.A.a dyna: 1 dyn : 1 g  cm/s 2  10 5 N
dyn
1 dyn é a força que, quando aplicada a um
corpo com massa de 1 g , dá a ele uma
aceleração de 1 cm/s 2 .

4-23 viscosidade 4-23.A.a poise: 1 P : 1 dyn  s/cm 2  0,1 Pa  s


dinâmica, P
(viscosidade) 1 P é a viscosidade de um fluido no qual a
velocidade sob força de cisalhamento de
1 dyn/cm 2 tem um gradiente de
1 cm/s /cm perpendicular ao plano de
cisalhamento.
4-24 viscosidade 4-24.A.a stokes: 1 St : 1 cm2 /s  10 4 m2 /s
cinematica St
1 St é a velocidade cinemática de um
fluido com viscosidade dinâmica de 1 P e
massa específica de 1 g/cm3 .

4-27 trabalho, 4-27.A.a erg: 1 erg : 1 dyn  cm  10 7 J


energia erg
1 erg é o trabalho realizado quando o
ponto de aplicação de uma força é
deslocado numa distância de 1 cm na
direção da força.

20 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

Anexo B
(informativo)

Unidades baseadas em pé, libra, segundo, e algumas outras unidades


relacionadas
Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

O uso destas unidades não é recomendado.

Nº do Nº do item Nome da
item da Grandeza da unidade com Fatores de conversão e observações
grandeza unidade símbolo
4-1 massa 4-1.B.a libra: 1 lb : 0,453 592 37 kg
lb
4-1.B.b grão: 1
gr 1 gr : lb  64,789 91 mg
7 000
4-1.B.c onça: 1
oz 1 oz : lb  437,5 gr  28,349 52 g
16
4-1.B.d hundredweight: 1 cwt UK  : 112 lb  1 long cwt US  50,802 35 kg
cwt (UK)
4-1.B.e hundredweight: 1 cwt US  : 100 lb  45,359 237 kg
cwt (US)
4-1.B.f ton: 1 tonUK  : 2 240 lb  1 long tonUS   1 016,047 kg
ton (UK)
4-1.B.g ton: 1 tonUS  : 2 000 lb  907,184 7 kg
ton (US)
4-1.B.h onça troy , 1 troy once : 480 gr  31,103 476 8 g
(onça de
farmácia)
4-2 massa 4-2.B.a libra por pé 1 lb/ft 3  16,018 46 kg/m 3
volumétrica, cúbico:
densidade lb/ft3
de massa,
densidade
4-9 força, 4-9.B.a libra-força: 1 lbf  4,448 222 N
peso lbf
Este valor é baseado na aceleração-padrão em
queda livre, g n : 9,806 65 m/s 2
Esta unidade deve ser diferenciada do peso local
de um corpo com massa de 1 lb.
4-13 momento de 4-13.B.a pé-libra-força: 1 ft  lbf  1,355 818 N  m
força, ft  lbf
torque
(continuação)

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 21


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

Nº do Nº do item Nome da
item da Grandeza da unidade com Fatores de conversão e observações
grandeza unidade símbolo
4-15 pressão 4-15.B.a libra–força 1 lbf/in 2  6 894,757 Pa
por polegada
quadrada:
psi,
lbf/in2

4-20 momento de 4-20.B.a polegada a 1 in4  41,623 143  10 8 m 4


área de quarta
Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

inércia, potência: in4


segundo
momento de
área

4-21 módulo da 4-21.B.a polegada 1 in3  16,387 064  10 6 m3


seção cúbica:
in3

4-24 viscosidade 4-24.B.a pé ao quadrado 1 ft 2 /s  0,092 903 04 m2 /s


cinemática por segundo:
ft 2 /s

4-26 potência 4-26.B.a pé-libra-força 1 ft  lbf/s  1,355 818 W


por segundo:
ft  lbf/s

4-26.B.b horse-power: 1 hp : 550 ft  lbf/s  745,699 9 W


hp

4-27 energia 4-27.B.a pé-libra-força: 1 ft  lbf  1,355 818 J


ft  lbf
(conclusão)

22 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

Anexo C
(informativo)

Outras unidades nãoSI dadas para informação, relativas especialmente aos


fatores de conversão
Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

O uso destas unidades não é recomendado.

Nº do Nº do item Nome da
item da Grandeza da unidade com Fatores de conversão e observações
grandeza unidade símbolo
4-1 massa 4-1 C.a quilate métrico: 1 quilate métrico : 200 mg
(—)
Esta unidade é somente usada para massa
de pedras preciosas e pérolas.

Recomenda-se não confundir com a


expressão de “proporção” de ouro puro
(ou prata) nas jóias ou em moedas, onde por
exemplo “ouro 18 carates” significa uma
fração de massa de 18/24, ou ouro 75 %.

4-6 densidade 4-6.C.a tex: 1 tex : 10 6 kg/m


linear, tex
massa
linear,

4-9 força 4-9.C.a quilograma- 1 kgf : 9,806 65 N


força: kgf
Os símbolos kgf (quilograma-força) e kp
(quilograma massa) são usados.
Esta unidade deve ser distinguida do peso
local de um corpo com massa de 1 kg.

9,806 65 m/s 2 é a aceleração-padrão em


queda livre (ABNT NBR ISO 80000-3:2006,
item 3-9.2).

4-13 momento de 4-13.C.a quilograma- 1 kgf  m = 9,806 65 N  m


força força- metro:
kgf  m
(continuação)

©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados 23


Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

ABNT NBR ISO 80000-4:2007

Nº do Nº do item Nome da
item da Grandeza da unidade com Fatores de conversão e observações
grandeza unidade símbolo
4-15 pressão 4-15.C.a atmosfera- 1 atm : 101 325 Pa
padrão:
atm

4-15.C.b quilograma- 1 kgf/m 2  9,806 65 Pa


força por metro
quadrado:
kgf/m 2
Documento impresso em 21/05/2019 15:43:06, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

4-15.C.c atmosfera 1 at : 1 kgf/cm 2  98 066,5 Pa  0,967 841 atm


técnica:
at

4-15.C.d milímetro de 1 mmH 2O : 10 4 at  9,806 65 Pa


água
convencional:
mmH 2O

4-15.C.e milímetro de 1 mmHg  13,595 1 mmH 2O  133,322 4 Pa


mercúrio
convencional:
mmHg

4-15.C.f torr: 1
1 Torr : atm  1 mmHg  133,322 4 Pa
Torr 760

4-26 potência 4-26.C.a quilograma- 1 kgf  m/s  9,806 65 W


força-metro por
segundo:
kgf  m/s

4-26.C.b cavalo-vapor 1 cavalo - vapor métrico : 75 kgf  m/s 


métrico: 735,498 75 W
(—) c

4-27 trabalho, 4-27.C.a quilograma- 1 kgf  m  9,806 65 J


energia força-metro:
kgf  m

c
NOTA DA TRADUÇÃO: O símbolo utilizado no Brasil para cavalo-vapor métrico é cv.

1 cv : 75 kgf  m/s  735,498 75 W

(conclusão)

24 ©ABNT 2007 - Todos os direitos reservados

Você também pode gostar