Você está na página 1de 123

1

Todos os direitos reservados a Solange Lutibergue

É proibida a duplicação ou reprodução total ou parcial


desta obra, por qualquer meio ou processo, sem a prévia
autorização da autora, de acordo com a Lei nº 9.610, de 19
de fevereiro de 1998.

Colaboração, revisão e edição de texto: Laércio


Lutibergue (cotexto@uol.com.br)

L973c

Lutibergue, Solange. A cura da cândida - Eu consegui.


Você também pode. Solange Lutibergue. Recife,
Comunigraf, 2009.

120 p.

ISBN 978-85-7819-053
Inclui referências.

1. Candidíase - doenças - causas. 2. Candidíase -


diagnóstico. 3. Candidíase - tratamento. 4. Candida
albicans. 5. Dieta - receitas. 6. Alimentos naturais. I
Título.

CDU 616.969
CDD 615.934
PeR - BPE - 09-0386

2
Ao leitor

Este livro não substitui o acompanhamento de


um médico ou terapeuta. As dietas constantes nele são
apenas sugestivas e podem ser feitas por pessoas que
não tenham doenças crônicas. Pessoas com problemas
de pressão ou diabete, por exemplo, devem sempre
consultar um médico ou terapeuta antes de fazerem as
dietas constantes neste livro. Pessoas muito magras ou
com tendência a emagrecer com facilidade devem
adaptar as dietas, com base nas outras indicações de
alimentos fornecidas em todo o livro.

3
SUMÁRIO

Capítulo I - Candidíase, uma doença da vida moderna..... 7

Capítulo II - O que é cândida? ..... 10

Capítulo III - Como surge a candidíase? ..... 13

Capítulo IV - A candidíase e suas consequências ..... 17

Capítulo V - Tipos de candidíase ….. 19


Candidíase dermatoide ….. 19
Candidíase genital ..... 19
Candidíase intestinal ..... 20
Candidíase oral (ou sapinho) ..... 20
Candidíase sanguínea ou interna ..... 20

Capítulo VI - A candidíase vaginal ..... 22


Dicas para evitar a candidíase vaginal ..... 24

Capítulo VII - Como diagnosticar a candidíase ..... 27

Capítulo VIII - O tratamento certo para a candidíase ..... 33

Capítulo IX - Benefícios do tratamento natural ..... 39

Capítulo X - O que a dieta vai fazer por você ..... 42


Alimentos proibidos durante a dieta ..... 42
Alimentos recomendados durante a dieta ..... 48
Ervas e suplementos para fortalecer o organismo ..... 58

Capítulo XI - Sugestões de dieta ..... 68


Dieta da maçã ..... 68
Dieta para casos graves ..... 72
Dieta para casos leves ..... 74

4
Capítulo XII - Sugestões de tratamento ..... 79
Acupuntura ..... 79
Cura pelo óleo vegetal ..... 80
Desintoxicação do fígado ..... 82
Enema de iogurte (implante) ..... 82
Escalda-pés ..... 83
Faixa gelada ..... 84
Homeopatia - nosódio ..... 85
Lavagem genital ..... 85
Lavagem intestinal ..... 86
Limpeza de fígado e vesícula ..... 88
Panchakarma ..... 93
Respiração ..... 94
Tratamento com limão ..... 96

Capítulo XIII - Receitas ..... 97


Arroz integral colorido ..... 98
Arroz integral refogado ..... 99
Brócolis refogados com ghi ..... 99
Conserva de berinjela ..... 100
Gersal ..... 100
Grãos germinados e brotos ..... 101
Iogurte caseiro de leite de vaca e de soja ..... 103
Lactobacilos de repolho ..... 103
Leite de vegetais ..... 104
Leite de amêndoas ..... 104
Leite de arroz integral ..... 105
Leite de aveia ..... 105
Leite de gergelim ..... 105
Leite de girassol ..... 106
Leite de soja ..... 106
Maionese de vegetais ..... 107
Maionese de tofu ..... 107
Manteiga clarificada (ghi) ..... 108

5
Molho de tomate caseiro ..... 108
Óleo e extrato de cravo-da-índia ..... 108
Pão essênio ..... 109
Queijo de gergelim ..... 110
Queijo de soja (tofu) ..... 110
Rejuvelac ..... 111
Salpicão vegetariano ..... 112
Sopas ..... 112
Creme de legumes com gergelim ..... 112
Sopa do Pai José ..... 113
Sucos ..... 114
Sucos no liquidificador ..... 114
Sucos na centrífuga ..... 117
Vegetais marinados ..... 118

Para encerrar... .. 120

Referências bibliográficas ..... 122

6
Capítulo I
Candidíase, uma doença da vida moderna

A vida moderna, repleta de produtos


industrializados, açúcar, antibióticos, anticoncepcionais,
poluição e dietas extremas para emagrecer, está
prejudicando muito nosso sistema imunológico. Com o
organismo enfraquecido, temos grande facilidade para
contrair infecções virais e bacterianas, como gripes e
resfriados. O estresse e as dificuldades do cotidiano
também afetam o sistema imune.
Nosso corpo tem diversas barreiras para nos
livrar de bactérias e fungos, como os anticorpos, que
ajudam as células sanguíneas a atacar e matar os
organismos estranhos. As bactérias benéficas
(lactobacilos), que vivem na pele, no intestino, no
estômago e na vagina, também nos protegem, pois, ao
competir por nutrientes com a cândida, alcalinizam o
meio, tornando-o inabitável para a cândida, que gosta de
ambientes ácidos. Fora isso, contamos com a defesa do
nosso organismo como um todo, que para tanto deve
estar saudável e vigoroso. Entretanto não é isso o que
ocorre atualmente.
A modernidade tem seu lado bom porque nos
trouxe muitas descobertas em todos os campos da
ciência, principalmente nas telecomunicações - hoje nós
podemos dividir informações por meio da internet com
pessoas do mundo inteiro. Entretanto essa mesma

7
modernidade nos fez vítimas do imediatismo, da comida
rápida, pronta, congelada, do lanchinho em vez do
almoço, da fritura, do suco de caixinha, do “sagrado”
refrigerante, do chocolate, dos docinhos, dos
salgadinhos, das massas, da proteína animal em todas
as refeições, enfim, do que é prático e gostoso para a
maioria.
No começo tudo parece perfeito, mas depois de
uns anos começam a aparecer os problemas: alergia,
obesidade, colesterol alto, dor de cabeça, azia, má
digestão, irritação, cólicas menstruais insuportáveis,
prisão de ventre, cistos no ovário, nos seios. São tantos
os sintomas e tanta gente com eles ao mesmo tempo
que começamos a achar tudo isso normal. Vamos ao
médico e ele nos receita um “inofensivo” antibiótico ou
qualquer coisa do gênero. Tomamos o “remédio” e
melhoramos por um tempo. Alguns meses ou anos
depois, porém, surgem outros problemas, muitas vezes
mais sérios, e voltamos ao médico, que prescreve
drogas mais fortes. Nessa história toda, não percebemos
que o “remédio” fez somente mascarar os sintomas de
um problema mais complexo que continua ali, tentando
chamar nossa atenção para o cuidado com o nosso
organismo.
Essa combinação de antibióticos com uma
alimentação inadequada é justamente o que a cândida
(fungo que habita nosso corpo) precisa para se
multiplicar desordenadamente em órgãos como o
intestino e a pele. É o que chamamos de candidíase.
Quando ocorre a candidíase, devemos observar
se não estamos comendo muito doce e alimentos
refinados, se vale a pena insistir no uso de

8
anticoncepcionais, se realmente precisamos tomar
antibióticos, se não estamos exagerando ao ingerir
remédio de farmácia quando aparece qualquer dorzinha,
enfim, precisamos começar a pensar na nossa saúde de
forma adequada. Também devemos ver a cândida
como um termômetro que nos mostra que é preciso
mudar nosso ritmo de vida: precisamos respirar mais,
relaxar mais, nos amar mais.

Por que será que cuidamos tanto do nosso


carro - simples máquina feita pelo homem -
e não nos preocupamos com a máquina que
Deus criou (o corpo humano)?

9
Capítulo II
O que é cândida?

A cândida é um fungo encontrado em nosso


intestino e em certas mucosas, como boca e vagina. É
isso mesmo. Todos temos cândida no corpo; ela faz
parte de nós e não podemos ignorar isso. Nosso
primeiro contado com a cândida ocorre quase sempre ao
nascermos, no canal genital; quando não, ela vem com os
beijos e carinhos de nossa mãe.
No nosso organismo os fungos, incluindo a
cândida, disputam alimento e abrigo entre si e com as
bactérias amigas. Estas, por sua vez, nos protegem de
agentes patogênicos de duas maneiras: elas produzem
um antibiótico natural que é tóxico para bactérias
nocivas, como a cândida, e mantêm a acidez normal do
intestino e da vagina, tornando o ambiente inóspito a
bactérias inimigas e controlando o crescimento delas.
Entretanto, quando se rompe esse equilíbrio, abrimos
espaço para a proliferação da cândida e de outras
bactérias oportunistas.
A cândida habita o tubo digestivo e a vagina e
na maioria das vezes não nos causa nenhum mal. No
entanto, quando ocorre alteração da imunidade (como
estresse, doenças) ou do meio ambiente (como uso de
antibióticos ou de substâncias que alteram o pH vaginal),
esse fungo pode se multiplicar desordenadamente. Cria-

10
se, assim, o terreno ideal para a candidíase - a
infestação de cândida.
No intestino a cândida vive em equilíbrio com a
flora intestinal e auxilia as bactérias amigas na digestão
de restos alimentares, sendo controlada por essas
bactérias e pelo sistema imunológico. Quando, porém,
esse equilíbrio é afetado ou ocorre uma queda na
imunidade, a quantidade desse fungo aumenta muito,
alterando a parede do intestino. Ou seja, se as bactérias
benéficas são mortas por antibióticos ou se o sistema
imunológico fica enfraquecido, a cândida pode se
reproduzir demasiadamente e causar diversos
problemas no organismo. Como consequência, restos de
células da cândida atravessam a mucosa, levando
toxinas para o sangue e causando candidíase crônica,
deixando o sangue ácido e o corpo vulnerável a
doenças. A cândida libera diversas toxinas no intestino e
quando estas caem na corrente sanguínea surgem
problemas como fadiga, diabete, doenças cardíacas,
alergia, artrite, depressão, perda de memória, distúrbios
mentais, infecção genital e até câncer, como defende o
médico italiano Tullio Simoncini, autor do livro “O câncer
é um fungo”.
Existem dois tipos de infecção por cândida:
aguda e crônica. Na infecção aguda, que afeta a pele e
as mucosas, os sintomas se desenvolvem rapidamente
e desaparecem quando tratados. Na infecção crônica,
ou recorrente, ao contrário, a cândida prolifera pelo
corpo, enraizando-se nos tecidos e retirando nutrientes
do sangue. Nessa fase a cândida produz toxinas que a
ajudam a sobreviver e lutar contra as bactérias amigas,
por isso é tão difícil atingi-la com antibióticos e pomadas.

11
A candidíase crônica é uma infecção comum em
pessoas com a imunidade baixa, como crianças e
adultos malnutridos, pacientes com aids ou sujeitos a
quimioterapia, e somente é curada com dieta e
tratamento natural visando ao restabelecimento do
organismo.

As células imunológicas intestinais e as


bactérias amigas geralmente controlam a
cândida; porém, quando o organismo está
debilitado, o fungo encontra o caminho livre
para proliferar.

12
Capítulo III
Como surge a candidíase?

A candidíase provém do uso de antibióticos,


pílulas anticoncepcionais, corticoides e drogas contra
úlcera; da insuficiência de secreções digestivas, de
enzimas pancreáticas e de substâncias que promovem o
fluxo da bile; bem como da insuficiência hepática e do
excesso de açúcar e álcool na dieta. A candidíase
também decorre da acidificação do sangue. Podemos
dizer que é uma doença moderna, consequência da
alimentação industrializada, na qual predominam os
alimentos cozidos, as farinhas e o açúcar, que acidificam
o sangue. Com o surgimento do fast-food, as pessoas
passaram a fazer as refeições fora de casa ou, quando
estão nela, preferem o alimento prático, pronto, o suco
de caixinha (desvitalizado e cheio de corante,
aromatizante e goma), que vão deixando o sangue cada
vez mais ácido e debilitando os órgãos vitais. No café da
manhã os alimentos frescos foram substituídos por ovos,
carnes (de ave, de boi, de porco), enlatados, salsicha,
presunto e queijo, todos repletos de antibióticos e
hormônios dados aos animais. Somam-se a isso a vida
agitada, as radiações (computador, celular, antenas), a
falta de exercício físico, o isolamento moderno, a falta de
contato com a natureza, praia, ar puro, e os problemas
emocionais, sobretudo quando há perda de pessoa
amada.

13
A cândida aproveita essas oportunidades para
se multiplicar, produzindo corrimento, sapinho, assadura
e doenças mais sérias. Se a imunidade estiver baixa e a
alimentação deficiente, a cândida prolifera - candidíase
crônica - por todo o organismo, trazendo como
consequência alergias, dores abdominais, garganta
seca, insônia, queda de cabelo, fraqueza nas unhas,
enxaqueca, hipoglicemia e outros problemas.
A candidíase crônica ocorre mais em mulheres
(60% dos casos), provavelmente pelo uso de
anticoncepcionais orais, por fatores hormonais e pelo
maior consumo de açúcar. Nos homens a incidência é
de 20% e nas crianças de ambos os sexos, também de
20%. Esse tipo de candidíase é comum ainda em
pessoas cujo sistema imunológico é deficiente,
sobretudo aquelas que têm um número baixo de
glóbulos brancos (provavelmente devido a leucemia,
aids ou tratamento de câncer).
Em resumo, os principais fatores que podem
desencadear uma crise de candidíase são:

 Na mulher, uso constante de calcinha de náilon,


meia-calça, roupas apertadas, ducha vaginal,
creme perfumado, talcos e desodorante na área
vaginal; penetração sem lubrificação; uso de
roupa molhada por muito tempo; umidade
excessiva na vagina por falta de secagem
adequada depois do banho; uso de pílulas
anticoncepcionais; gravidez; terapias hormonais.

 Uso de antibióticos, corticoides, esteroides,


imunossupressores e outros remédios

14
farmacêuticos; drogas; álcool; dietas extremas
para perder peso; idade avançada; aids.

 Traumas físicos e emocionais; cirurgias;


hospitalização; diabete; estresse; consumo
excessivo de açúcar; anemia; prisão de ventre;
leucemia; hipo e hipertireoidismo.

Tais fatores prejudicam a defesa da pele,


deixam o sistema imunológico fraco, alteram o equilíbrio
entre bactérias amigas e inimigas, enfim, debilitam o
organismo como um todo.
É importante frisar que nenhuma dessas causas
ou a combinação de algumas delas pode provocar uma
infecção em alguém que não esteja predisposto a
doenças, uma vez que a infecção por fungos resulta de
um sistema de defesa prejudicado por desequilíbrios
constantes. Um deles é a disbiose intestinal, um
desequilíbrio entre micro-organismos benéficos e
maléficos, que atinge nosso organismo por diversos
motivos:

 Causa a destruição e a má absorção de


vitaminas e minerais, deixando-nos cansados
física e mentalmente.

 Inativa as enzimas digestivas, prejudicando a


digestão, induzindo à fermentação e gerando
distensão abdominal.

 Leva à produção de substâncias capazes de


atingir a circulação sistêmica, podendo causar

15
sintomas em outros órgãos, como dor de
cabeça.

 Provoca a desconjugação de sais biliares,


comprometendo a digestão e a absorção de
gorduras.

 Resulta na destruição da mucosa intestinal,


fazendo com que grandes moléculas
maldigeridas passem para o sangue
(permeabilidade intestinal), levando à fadiga
imunológica.

Na disbiose intestinal o primeiro


microorganismo a sobressair é a Cândida albicans, que
está relacionada à produção excessiva de gases e a
doenças mais sérias, cujos sintomas na maioria das
vezes não são atribuídos a esse fungo.
Combinada ao aspartame (muito utilizado como
adoçante), a cândida produz uma enzima que corrói o
cimento que une as células, resultando em orifícios na
parede intestinal. Com as toxinas da cândida o corpo
gera uma substância chamada bradicinina, que produz
no cérebro radicais livres, edemas e retenção de sódio,
provocando enxaqueca e fadiga crônica.

Quando as toxinas liberadas pela cândida


caem na corrente sanguínea, surgem
problemas como fadiga, diabete, doenças
cardíacas, alergia, artrite, depressão, perda
de memória, distúrbios mentais, infecção
genital e até câncer.

16
Capítulo IV
A candidíase e suas consequências

A candidíase é uma infecção causada na


maioria das vezes pela Candida albicans, fungo
encontrado na pele, na mucosa vaginal e na mucosa
digestiva. Fungos são formas mais avançadas de
bactérias, por isso é tão difícil acabar com a cândida.
Algumas bactérias, por serem simples, morrem com o
mesmo medicamento toda vez que ele é administrado. A
cândida, porém, como é mais complexa, realiza
mutações em seu DNA e se torna resistente aos
medicamentos. É por isso que as pessoas que
apresentam candidíase crônica chegam a um ponto em
que os remédios farmacêuticos não funcionam.
Antes de se tornar fungo, a cândida vive na
forma de fermento e normalmente não causa problemas
em nosso organismo. Os sintomas da candidíase
aparecem quando o fungo se reproduz demais e começa
a formar bolor. Em geral isso ocorre quando há uma
mudança no nosso ritmo de vida: perda ou doença de
um parente próximo, uso excessivo de antibióticos, uso
de pílulas anticoncepcionais, consumo constante de
álcool, excesso de alimentos fermentados, como cerveja
e pão, excesso de açúcar. Todos ou quase todos esses
fatores alteram o sistema imunológico, deixando o
sangue ácido e o terreno propício ao desenvolvimento
de fungos.

17
A Candida albicans, também chamada de
monília, é responsável por mais de dois terços das
infecções por candidíase. Entretanto, outras espécies de
cândida também originam a candidíase, como Candida
tropicalis, Candida kefyr, Candida glabrata, Candida
parapsilosis e Candida krusei. Cerca de 80% a 90% dos
casos de candidíase se devem à Candida albicans, e
10% a 20% à Candida tropicalis e outras espécies do
fungo.
A candidíase pode atingir a superfície cutânea e
as mucosas, resultando em candidíase oral, candidíase
vaginal, assadura, infecção na pele ao redor das unhas
e micose das unhas. Também pode atingir o sistema
endócrino, desregulando a menstruação; o sistema
geniturinário, causando vaginite e infecção urinária; o
sistema imunológico, gerando alergias e sensibilidade a
produtos químicos e reduzindo a função imunológica; e o
sistema nervoso, levando a depressão, insônia, irritação
e dificuldade de concentração.

Os remédios de farmácia não resolvem o


problema da candidíase; pelo contrário,
muitas vezes agravam o quadro.

18
Capítulo V
Tipos de candidíase

Candidíase dermatoide

Na pele a candidíase ocorre geralmente na


virilha, nas axilas, entre os dedos, ao redor do ânus,
debaixo dos seios, no umbigo e no interior das coxas.
Os sintomas são erupções, vermelhidão, descamação e
coceira. A candidíase também pode afetar a pele que
fica ao redor da unha dos pés e das mãos. Quando a
infecção demora a sarar, afeta a unha, causando
enfraquecimento, endurecimento anormal e pontos
esbranquiçados. Tal moléstia é comum em pessoas que
trabalham com água, como lavadores de louça e de
roupa, bem como em crianças que chupam dedo.

Candidíase genital

Na vagina a candidíase traz como consequência


vermelhidão, inchaço, assadura, micção frequente, dor e
queimação ao urinar, desconforto e dor durante a
penetração, coceira, corrimento branco e irritação na
vulva. Quanto aos homens, alguns não apresentam
sintomas da doença, enquanto outros padecem com
manchas vermelhas no pênis, edema leve, lesões em
forma de pontos, coceira, corrimento branco ou
amarelado na uretra e um leve incômodo após o ato
sexual. Em homens com o sistema imunológico
enfraquecido por cirurgia, aids, diabete ou antibióticos

19
pode ocorrer inflamação grave, inchaço e pontos
brancos.

Candidíase intestinal

Responsável pela recorrência da doença, tem


como principais sintomas cansaço constante, mudança
repentina de humor, prisão de ventre, fezes
inconsistentes, dor de cabeça, nos músculos e no
abdome, acne em adultos e irritação. Como os sintomas
são diversos, geralmente nem o paciente nem o médico
conseguem diagnosticar a doença.

Candidíase oral (ou sapinho)

Ocorre em bebês nos primeiros meses de vida e


em crianças pequenas que costumam levar objetos à
boca. Em ambos os casos a candidíase não oferece
tanto perigo. Em adultos aparece como placas
esbranquiçadas na boca, na língua, nas partes internas
das bochechas e às vezes no céu da boca.

Candidíase sanguínea ou interna

É forma mais séria da doença e afeta


principalmente pessoas hospitalizadas e com o sistema
imunológico severamente debilitado.

20
Para todos os tipos de candidíase o
remédio é uma alimentação equilibrada,
rica em fitonutrientes e lactobacilos, para
que o organismo se fortaleça e volte a
trabalhar em perfeita harmonia.

21
Capítulo VI
A candidíase vaginal

A Candida albicans é a espécie mais comum de


fungo que habita a vagina. Também pode ser
encontrada na pele, na boca, no estômago e no
intestino. Em condições normais, na vagina convivem
diversos microorganismos (bactérias e fungos). Quando
ocorre desequilíbrio nessa flora ou nos mecanismos de
defesa da mulher, a cândida se reproduz
desordenadamente, levando ao aparecimento da
candidíase vulvovaginal.
A vagina saudável contém micro-organismos
que não conseguem se desenvolver devido à presença
dos lactobacilos - agentes do bem que defendem o
ambiente vaginal de invasores nocivos. Existem ainda
na vagina anticorpos, células e substâncias químicas
que ajudam os lactobacilos na defesa do meio vaginal e
previnem o desenvolvimento das colônias de bactérias e
fungos causadores de infecções. A proliferação dos
fungos que originam a candidíase é consequência da
diminuição dessas defesas. A baixa resistência leva os
fungos presentes em pequena quantidade no meio
vaginal a se multiplicar de forma exagerada.
Semelhante a qualquer micose, a cândida gosta
de lugares quentes e úmidos, como a vagina e o
prepúcio. A candidíase vaginal se caracteriza por
prurido, coceira, ardor, dor durante o ato sexual e
corrimento semelhante à nata do leite. Frequentemente
a vulva e a vagina ficam inchadas e avermelhadas. As

22
lesões podem se estender pelo períneo e pelas regiões
perianal e inguinal (virilha).
Na mulher os sintomas da candidíase podem se
apresentar isolados ou associados e incluem:

 Ardor vaginal, principalmente durante a


menstruação.
 Coceira na região genital.
 Corrimento vaginal branco, granuloso, inodoro e
com aspecto de leite coalhado.
 Dificuldade para urinar, em geral acompanhada
de dor.
 Dor durante o ato sexual.
 Escoriações e congestão sanguínea em
qualquer órgão ou parte do corpo.
 Inflamação na vulva, fissuras e maceração na
vulva e na pele.
 pH vaginal inferior a 4,5.
 Vagina e colo recobertos por placas brancas ou
branco-acinzentadas.

Os sintomas geralmente se acentuam alguns


dias antes da menstruação porque aumentam os níveis
de estrogênio e progesterona. Durante a menstruação,
cresce também a quantidade de fungos, uma vez que
ocorrem uma intensa descamação do endométrio, perda
de sangue e eliminação de uma maior quantidade de
restos celulares. Essa população em excesso deixa o pH
vaginal mais ácido, causando dor e ardência.
A candidíase não é uma doença sexualmente
transmissível, pois normalmente o fungo já habita o
nosso organismo; além disso, a candidíase vulvovaginal

23
também afeta pessoas sem atividade sexual. A
transmissão, que pode ser sexual ou não, ocorre pelo
contato com secreções da boca, pele e vagina e com
dejetos de pessoas contaminadas. A mãe também pode
transmitir o fungo para o bebê durante o parto.
Geralmente a candidíase está associada à queda da
imunidade, ao uso de antibióticos, anticoncepcionais,
imunossupressores e corticoides, à gravidez, à diabete,
a alergias e ao papilomavírus humano (HPV).

Dicas para evitar a candidíase vaginal

 Depois da evacuação, limpe-se levando o papel


higiênico no sentido da vulva para o ânus (da
frente para trás), a fim de evitar a contaminação
da vagina por vermes que habitam as fezes.
Durante o sexo, procure ficar bem lubrificada
para evitar pequenas rachaduras, que são fonte
de infecção.
 Durma com roupas confortáveis e largas, de
preferência de algodão puro, que favorece a
ventilação da região genital e evita a
proliferação de fungos. Se possível, durma sem
calcinha.
 Evite banho em banheira.
 Evite duchas vaginais, que, além de afetar o
equilíbrio da flora, podem levar os germes para
o útero, o ovário e as trompas.
 Evite meias e roupas íntimas de náilon e calças
apertadas.
 Evite protetores íntimos diários, que também
prejudicam a ventilação.

24
 Evite toalhas e roupas íntimas que ficaram
secando no banheiro.
 Faça uma perfeita higienização durante o
banho.
 Lave bem as roupas íntimas.
 Não use toalhas e roupas de outras pessoas.
 Prefira roupas íntimas 100% algodão, que
favorecem a ventilação.
 Quando for à praia ou piscina, evite ficar muito
tempo com o maiô molhado, pois a quentura e a
unidade favorecem a proliferação de fungos.
 Seque bem todo o corpo.
 Use sabonete, absorvente e papel higiênico
neutros.
 Para lavar os órgãos genitais, use sabonete
íntimo com ácido lático ou sabão amarelo neutro
glicerinado. Quanto menos ingredientes o sabão
tiver, melhor.

Para amenizar ou eliminar a coceira vaginal,


faça lavagens externas com chá de orégano ou de
cravo-da-índia e deixe agir durante a noite. O chá de
cravo pode ser substituído pelo extrato de cravo diluído
em igual quantidade de água. Nos casos mais graves,
em que ocorra prurido, você pode fazer duchas internas
com os citados chás ou implante de iogurte. Esse
procedimento, porém, deve ser usado, repito, em casos
mais graves, visto que a introdução de qualquer
substância na vagina, com exceção do iogurte, afeta a
flora. Do mesmo modo, nunca faça lavagens externas
nem duchas vaginais com vinagre ou sal, pois eles
pioram a situação e irritam a pele. Veja como fazer o

25
implante de iogurte e a lavagem nos capítulos de
tratamentos e receitas.

Todos esses cuidados sozinhos não


acabam com o problema. É preciso cuidar
do corpo por dentro e por fora, além de
manter a mente sadia.

26
Capítulo VII
Como diagnosticar a candidíase?

Uma forma eficiente de verificar se você está


com candidíase é observar as mudanças do seu
organismo, que fornece diversas pistas. São sinais de
candidíase:

 Alergia a certos alimentos e substâncias


químicas, problemas renais, frieza excessiva
nas mãos e nos pés, hipoglicemia, inchaço no
sistema linfático, problemas no fígado, sensação
de embriaguez depois de comer alimentos ricos
em carboidrato, suores noturnos, sensação de
mal-estar constante, úlcera, vontade excessiva
de comer alimentos como pães e doces, febre
do feno, urticária, prolapso da válvula mitral e
má circulação sanguínea.

 Asma, pneumonia recorrente e mucosidade


excessiva na garganta, no nariz e nos pulmões.

 Azia crônica, colite, gastrite, distensão


abdominal, indigestão, prisão de ventre, diarreia,
dores abdominais, pruridos anais, hemorroidas,
catarro nas fezes, gases ou arroto em excesso,
sensação de inchaço e gases após as refeições.

 Congestão, prurido e defluxo nasais, sinusite


crônica.

27
 Dores musculares, dor de cabeça frequente, dor
no peito, inchaço, dor e rigidez nas articulações,
paralisia, fraqueza, artrite.

 Fadiga, perda ou aumento de pelos corporais,


ardor, formigamento e insensibilidade no corpo,
ganho ou perda de peso em excesso, tontura,
insônia ou pouco sono, sono em excesso, perda
de apetite ou fome excessiva, ansiedade,
ataques de choro, estresse, pouca coordenação
motora, tremedeira.

 Gengivas sensíveis ou sangrando, bolhas,


urticária e manchas brancas na boca, tosse,
mau hálito e boca seca.

 Impotência sexual ou perda do interesse sexual.

 Infecção urinária, infecções em geral, infecções


por fungos na pele, infecções genitais e orais.

 Infecções recorrentes no ouvido, fluidos e dores


no ouvido, surdez.

 Infecções recorrentes nos rins e na bexiga,


uretrite, cistite, ardência ao urinar, micção
frequente, urgência para urinar.

 Manchas na vista, lágrimas constantes e


ardência nos olhos, vista prejudicada e

28
embaçada, visão errática e crônica, cegueira
noturna.

 Nas crianças, urticária, cólicas, sapinho,


irritação, hiperatividade, dificuldade de
aprendizado, falta de concentração, tosse
crônica, fôlego curto, problemas digestivos, dor
de cabeça, prisão de ventre, congestão nasal,
vontade excessiva de comer doces, diarreia,
dilatação abdominal e gases, mudanças súbitas
de humor.

 Nas mulheres, coceira vaginal persistente,


comichão, ardor ou prurido, corrimento vaginal,
endometriose, infertilidade, ausência ou excesso
de menstruação, desequilíbrio hormonal,
depressão e ansiedade pré-menstrual,
irregularidade menstrual ou cólicas menstruais.

 Nos homens, prostatite e disfunção erétil.

 Prurido e erupções na pele, psoríase,


descamação, pele seca, acne.

 Rigidez e dores no peito e nos pulmões, tosse e


fôlego curto, tosse muito frequente e sem razão
aparente.

 Variações extremas de humor, falta de


concentração, depressão, mudanças súbitas de
atitude, distração, cansaço, esgotamento físico e
letargia, especialmente depois de comer,

29
distúrbio bipolar e outros distúrbios emocionais,
memória fraca, perda de memória, irritabilidade
e agitação, sobretudo quando sente fome,
sentimentos de raiva e agressividade,
principalmente depois de comer alimentos
doces.

Existem ainda doenças relacionadas ou


afetadas pela Candida albicans, como anorexia nervosa,
bulimia, autismo, alcoolismo, lúpus eritematoso, vício em
drogas, esclerose múltipla, miastenia grave, doença de
Crohn e infecções por fungos nas unhas e na pele.
Se você tem alguns desses sintomas, que
podem vir juntos ou separados, está na hora de parar
um pouco e refletir:

Sua dieta é rica em alimentos refinados, doces e


refrigerante?
Você toma muito remédio para dor?
Você toma antibiótico de vez em quando?
Você toma pílula anticoncepcional?
Você toma bebida alcoólica com frequência?

Se você respondeu “sim” à maioria dessas


perguntas, é bom considerar a possibilidade de estar
com candidíase. Caso não confie no seu senso de
observação e queira um resultado mais preciso, procure
um médico competente e peça um exame de
digestibilidade fecal com análise de fungos, mas
somente se o laboratório exigir a receita médica. É um
pouco caro e trabalhoso ficar levando fezes ao
laboratório durante alguns dias, mas vale a pena porque

30
lhe dará a certeza. Um bom terapeuta natural também
pode diagnosticar a candidíase com base nos sintomas e
em métodos como análise do pulso e da íris.
Existe também um teste simples, mas eficaz,
para comprovar a candidíase. Chama-se teste da saliva.
Quando acordar pela manhã, em jejum, faça
com que sua boca produza muita saliva. Em seguida,
cuspa em um copo de vidro transparente com água
potável. Dentro de um a trinta minutos, olhe o vidro. Se
existirem fios descendo da saliva, se a água ficar turva
ou se a saliva descer para o fundo do copo, você tem
candidíase.
A saliva saudável, que indica a ausência de
candidíase, vai simplesmente flutuar na parte de cima do
copo.
Outra maneira de diagnosticar a candidíase e
diversas doenças é observando a língua. A presença de
rachaduras no meio da língua é sinal de que o estômago
está fraco e a digestão não é boa, bem como indica falta
de nutrientes. Marcas de dentes nas laterais da língua
são sinônimo de problemas digestivos, carência
nutricional e deficiências no baço. A língua dolorida
indica deficiência de nutrientes como ferro, vitamina B6
ou niacina. A ardência na língua sinaliza falta de sucos
gástricos no estômago. Uma língua inchada ou com
espessa camada branca é sinal de que há muco em
excesso no corpo, falta de bactérias benéficas e grande
quantidade de fungos no organismo. A língua com
rachaduras horizontais ou pequenos sulcos indica má
absorção das vitaminas do complexo B, o que é muito
comum em pessoas que sentem falta de energia. Uma
camada amarela e espessa na língua indica calor nos

31
intestinos, falta de bactérias saudáveis no corpo e mau
funcionamento dos intestinos. Quando a ponta da língua
está vermelha é sinal de distúrbio ou tensão emocional.

Para fazer o autodiagnóstico da candidíase,


observe bem o seu corpo, prestando
atenção a todos os sintomas e, se possível,
anotando as modificações numa caderneta.

32
Capítulo VIII
O tratamento certo para a candidíase

Antes de adquirir este livro você deve ter feito


diversos tratamentos sem, contudo, conseguir o efeito
desejado: sua saúde de volta. Acredito que tais
decepções levaram você a perceber que a medicina
tradicional não tem preparo para lidar com a candidíase.
Se o problema for ginecológico, por exemplo, os
médicos receitam uma pomada ou óvulo vaginal à base
de substâncias como nistatina e fluconazol, que, por não
terem ação seletiva, destroem também a flora boa, que
nos protege de vírus e bactérias. Sem falar que alguns
fungos e bactérias resistem aos medicamentos e se
fortalecem, podendo atacar nosso organismo com mais
intensidade, pois o uso de remédios ou cirurgias para a
cura de males específicos, sem considerar em
profundidade a causa, somente encobre os sintomas. A
moléstia desaparece e nós temos a sensação de cura,
porém mais tarde, se mantivermos o mesmo estilo de
vida, o mal ressurgirá no mesmo ou em outro lugar do
corpo, dessa vez com maior força destrutiva, tendo em
vista que o organismo estará mais fraco.
Como editora do blog Cura pela Natureza
(www.curapelanatureza.blogspot.com), diariamente
recebo e-mails de pessoas que sofrem com a
candidíase. São homens e mulheres desesperados e
sem saber o que fazer. E todos decepcionados com a

33
medicina tradicional, que enxerga o fungo como inimigo e,
nessa guerra, destrói também as bactérias amigas, que
controlam a quantidade de cândida no organismo. Uma
dessas pessoas escreveu-me o seguinte
depoimento e me autorizou a publicá-lo:

“Graças a esse tormento cheguei até seu blog.


Isso prova a perfeição da vida, que sempre nos leva ao
crescimento. Uma adversidade que me trouxe grandes
recompensas. Tudo é uma questão de foco; ou melhor,
de ter uma percepção holística. Mas na hora do
tormento é preciso uma força fenomenal para manter
essa visão. Graças a seu blog encerrei o ciclo dos ‘zol’
(fluconazol, cetoconazol, etc.). De tanto ir a médicos, eu
passei à automedicação, porque sabia exatamente o
que eles iriam me receitar. Mudava de médico e era a
mesma história: coletavam material para o papanicolau e
me passavam uma receita que ‘combateria’ tanto o
fungo quanto a bactéria, porque assim não correriam o
risco de errar no diagnóstico. Mas quando os exames
ficavam prontos constatava-se que havia somente
fungos, ou somente bactéria. Ou seja, eu havia tomado
remédio sem necessidade. Sem falar que, ao usar o
antibiótico para combater a bactéria, eu dava vida aos
fungos. Então não se passava nem um mês e eu estava
pior que antes da ida ao médico. Da última vez que fui
ao médico (variei mais uma vez na esperança de
acertar) ela me passou deprozol (bactericida) e
fluconazol. Eu achei que não seria conveniente tomá-los
ao mesmo tempo, e ela concordou. Com um exame de
ultrassonografia, a médica constatou que havia um
pólipo no meu útero e disse que eu teria de fazer uma

34
microcirurgia para retirá-lo, após a confirmação de um
exame sei lá das quantas. Na época eu até pedi sua
orientação, Solange, e preferi segui-la. Tomei por algum
tempo unha-de-gato, mas não adotei a dieta adequada,
se bem que como carne muito raramente e não sou
adepta de laticínios, a não ser o queijo. Como eu estava
com um corrimento que tinha odor desagradável, para
me ver logo livre tomei somente o deprozol e usei uma
pomada fitoterápica. Os exames ficaram prontos e o
resultado foi negativo para células neoplásicas;
citológico: inflamação; microbiologia: bacilos
supracitoplasmáticos (sugestivo de gardnerella/
mobiluncus). Ainda bem que não tomei o fluconazol. E
decidi que não tomaria mais antifúngicos nem retornaria
àquela médica”.

Afora esse caso, existem outros de pessoas


desesperadas pedindo ajuda para a cura de um
problema que afeta a vida pessoal e sexual. Muitas
mulheres já não querem contato íntimo com o parceiro
porque estão incomodadas com a candidíase, que afeta
o corpo e a mente, e não aguentam mais tomar remédio.
Quando não tratada corretamente, a candidíase
traz como consequência futura problemas no intestino, no
pâncreas e até câncer.
Duvida? Pois acredite.
No livro “A cura para todas as doenças” e no
DVD “A cura”, a médica naturopata Hulda Clark afirma
que todas as doenças têm origem na exposição do
nosso corpo a parasitas e na contaminação com
produtos tóxicos pela exposição ao meio ambiental.
Segundo ela, uma das principais causas do

35
aparecimento de câncer é a presença de parasitas no
corpo (vermes, fungos, vírus e bactérias). As patologias
graves se devem à interação de diversos parasitas
patogênicos com alguns produtos químicos,
especialmente metais pesados. Em outras palavras,
para ela todas as doenças são causadas por parasitas e
toxinas. Ao eliminarmos uma delas ou as duas do
organismo, a doença pode ser extinta. Hulda Clark
revela que todos os pacientes com câncer tratados por
ela têm vermes e fungos, bem como que 100% dos
pacientes com aids que ela tratou tinham candidíase.
Isso mostra que a cândida pode contribuir para o
desenvolvimento da aids em pessoas infectadas pelo
HIV.
A cândida também é considerada a causa do
câncer pelo médico oncologista italiano Tullio Simoncini,
autor do livro “O câncer é um fungo”. Ele chegou a tal
conclusão depois de observar que todo paciente de
câncer tem aftas, independentemente do tipo de tumor.
De acordo com Tullio Simoncini, em qualquer parte do
corpo o câncer é causado por uma invasão fúngica, e as
drogas antifúngicas tradicionais são ineficazes no trato
de tumores porque as colônias sólidas podem ser
atacadas somente na superfície do seu volume, e depois
das primeiras administrações os fungos ficam mais
resistentes. Em seus estudos, ele concluiu que existem
apenas duas substâncias capazes de penetrar essas
infecções volumétricas: bicarbonato de sódio, para o
câncer dos órgãos internos, e tintura de iodo, para o
câncer de pele.
O bicarbonato de sódio acaba com os fungos
porque alcaliniza o sangue e consequentemente o meio

36
que eles habitam, uma vez que os fungos precisam de
um ambiente ácido para viver. A faixa normal do pH
(potencial hidrogeniônico) da saliva varia de 6,8 a 7,2.
Quanto mais baixo for o pH, mais ácido é o meio. Nas
pessoas com câncer esse valor baixa para 4,5 a 5,7, o
que nos faz concluir que o ambiente ácido é o meio
adequado para o desenvolvimento dos tumores. É muito
perigoso, porém, tomar bicarbonato de sódio por conta
própria, uma vez que em excesso ele afeta os rins. O
tratamento feito pelo médico dura no máximo seis dias,
tempo suficiente para acabar com as colônias de fungos.
Tais conclusões nos levam novamente à
importância dos alimentos vivos para a saúde.
Infelizmente hoje as pessoas estão com o organismo
acidificado devido a uma alimentação excessivamente
acidificante: 80% de alimentos acidificantes (comidas
cozidas e industrializadas) e 20% de alimentos
alcalinizantes (frutas, verduras cruas, legumes e grãos
germinados). O ideal é que essa proporção seja o
contrário: 80% de alimentos alcalinizantes e 20% de
acidificantes. Além disso, no caso de câncer, deve-se
evitar alimento cárneo, responsável por nutrir o tumor,
acelerando a doença.
A teoria de Tullio Simoncini de que os fungos
somente se desenvolvem num meio ácido comprova o
quanto é essencial a alimentação alcalinizante, rica em
vegetais crus e pobre em alimentos industrializados.
Portanto, o melhor tratamento para a candidíase e
outras doenças é o natural, com uma alimentação
equilibrada, rica em grãos integrais, suco, frutas frescas,
vitaminas e ervas que fortalecem o sistema imunológico,

37
aliado a técnicas de desintoxicação, respiração e
exercícios.

Não adianta tratar aftas e câncer com


bicarbonato e continuar com uma vida
desregrada em termos de alimentação. O
segredo está em dosar tudo. De nada
resolve fazer a cura pela babosa, a cura
pelo bicarbonato, a cura pelo limão se nosso
corpo continua ácido, uma vez que é
depósito de comida acidificante.

38
Capítulo IX
Benefícios do tratamento natural

A medicina tradicional enfrenta a candidíase


com antibióticos, que inibem o crescimento de leveduras
como cândida, mas não funcionam sempre porque a
cândida pode criar resistência e porque os “remédios”
não previnem sucessivos ataques de cândida. As
terapias naturais são mais potentes e efetivas contra a
candidíase, apesar de o tratamento ser mais longo - a
recuperação dura de seis a doze meses (ou até mais,
dependendo do tempo em que se tem a doença e do
grau dos sintomas, pois a cândida demora a ser
eliminada pelo corpo). Durante a dieta, você pode sentir
náuseas, dor de cabeça, febre e fadiga. Isso é normal,
tendo em vista que o corpo está eliminando toxinas.
Nesse caso, evite tomar remédios de farmácia. Beba
muita água e muito chá e faça caminhadas ou exercícios
leves para ajudar o corpo a se livrar das toxinas mais
rápido.
Muitas pessoas me perguntam se existe cura
para a candidíase. Eu digo que sim, existe, mas a cura
permanente implica uma mudança nos hábitos
alimentares e de vida. O primeiro passo para recuperar a
saúde é ter consciência de que você precisa disso para
viver bem. O segundo passo é saber que você é capaz
de conseguir. Basta ter força de vontade e disciplina.
Não pense que vai ser fácil. No início é doloroso ficar
distante dos alimentos que adoramos - mas que nos

39
fazem mal. Depois de uma semana, porém, tudo fica
mais fácil, pois começamos a nos sentir mais vivos sem
aqueles alimentos que nada têm de vitais.
Seguindo a dieta proposta neste livro, você vai
aprender a se alimentar melhor, vai se sentir mais
disposto, com a mente aberta, vai perder uns quilinhos
extras e, de quebra, se livrar de diversas doenças que
vão embora com a candidíase.
O plano de alimentação natural proposto neste
livro, bem como as terapias, é indicado a pessoas que
sofrem de diversos males, além dos relacionados à
candidíase, como obesidade, aids, câncer, colite e
prisão de ventre. A dieta dura de três a seis meses,
dependendo da gravidade da doença. Depois desse
período, estando curado, você poderá voltar aos
alimentos de antes, mas sabendo que, para manter a
saúde, deverá ser mais seletivo com o que come.
Eu sei que é muito mais simples tomar uma
pílula para dor, gripe, enjoo, mas isso tem um preço: a
doença crônica. Portanto, haja o que houver, não
desista. Se em algum momento pensar que não vale a
pena tanto sacrifício, que devemos curtir a vida, pois ela
é curta, e tantas outras ideias que passam pela nossa
cabeça de vez em quando, nessa hora imagine-se
curado, gozando de plena saúde, e terá muita força para
continuar.
Eu recomendo que você siga o tratamento aqui
proposto de três a seis meses, para eliminar
completamente as colônias de cândida do corpo,
sobretudo nos casos de candidíase intestinal ou vaginal
recorrente.

40
Tenha em mente que não há mágica para curar
todos os males e que nada substitui a mudança do estilo
de vida e uma dieta saudável, rica em alimentos
funcionais e suplementos. O segredo para a cura está
em comer bem, tomar sol, ar fresco, dormir o suficiente e
fazer exercícios, além de restabelecer o organismo com
a ingestão de alimentos vivos e suplementos e ir de vez
em quando à praia, cuja água e ar são ricos em iodo, um
potente eliminador de fungos.

A cura também depende de uma mente


sadia e positiva. Portanto, acredite que você
é capaz e siga em frente na busca de seus
objetivos.

41
Capítulo X
O que a dieta vai fazer por você

A dieta proposta neste livro vai alcalinizar o seu


sangue, nutrir o seu corpo, livrar você de toxinas
(sujeiras internas) e deixar você forte para restabelecer a
saúde. Quer mais? Seguindo passo a passo a dieta e os
tratamentos indicados, você terá mais disposição, sua
pele ficará mais viçosa, sua mente ficará mais calma e
pensará melhor.
Primeiramente você precisa se livrar - por uns
tempos - de alguns alimentos que contribuem para o
agravamento da candidíase e de outras doenças.
Quando seu sistema imunológico estiver forte e
saudável, você poderá reintroduzir os alimentos
proibidos, mas esporadicamente e sem exagero, para
não desenvolver a doença novamente.

Alimentos proibidos durante a dieta

Açúcar - Alimenta a cândida e leva ao


supercrescimento desse fungo. Durante o tratamento
evite abacaxi (suco de abacaxi com hortelã sem adoçar
é permitido, mas não exagere), açúcar (refinado,
mascavo), adoçante, banana, chocolate, geleia, laranja
(suco de laranja com broto ou grama de trigo sem
adoçar é permitido, mas não exagere), mel, melão,
refrigerante, sorvete, uva e uva-passa. Como o
carboidrato se transforma em açúcar ao ser digerido,

42
deve ser retirado da dieta. Portanto, não coma pão,
macarrão, pizza, biscoito, bolacha, torrada, batata e
derivados, arroz branco, milho e derivados, entre outros.
Quanto aos adoçantes artificiais, evite-os sempre, pois
são química pura. Além do mais, o ciclamato e a
sacarina, que servem de base para os adoçantes mais
comuns, são considerados cancerígenos. O adoçante
mais indicado para quem não está com candidíase é a
estévia, uma planta até quinze vezes mais doce que o
açúcar comum. Como os adoçantes feitos somente com
estévia custam bem mais caro, desconfie de adoçantes
baratos que dizem ser estévia. Geralmente são um misto
de estévia, ciclamato e sacarina.

Álcool - Além de alimentar a cândida, deixa o


metabolismo mais lento, enfraquece o sistema
imunológico e contém açúcar. O vinho e a cerveja são
contraindicados a quem sofre de candidíase porque,
além do álcool, são fermentados e contêm açúcar.

Amido - Presente em alimentos como farinha de


mandioca, milho, arroz, macarrão, batata-inglesa,
inhame, batata-doce, cará e macaxeira.

Cafeína - Encontrada em alimentos como chocolate,


café, chá preto e refrigerantes à base de cola, a cafeína
afeta as glândulas adrenais.

Carboidrato - Se você deseja obter sucesso no


tratamento, deve evitar alimentos que contenham
carboidrato. Entretanto, caso não consiga passar tanto
tempo sem “o pão nosso de cada dia”, evite-o pelo

43
menos por um mês e depois desse período coma pão
integral, pão sem fermento, arroz integral, aveia e
cereais sem açúcar. O pão essênio, feito com cereais
germinados e ervas, é um ótimo substituto do pão
comum e muito mais saudável, pois não passa por
fermentação e é seco ao sol.

Carne de boi, porco e frango - Os animais são


alimentados com milho, trigo e soja, cereais pobres em
ômega-3 e ricos em ômega-6, o que desequilibra a
fisiologia humana, aumentando a inflamação, a
coagulação e o crescimento das células adiposas e
cancerosas. Além disso, são tratados com antibióticos e
hormônios sintéticos que aceleram o aumento de peso.
Os hormônios ficam na carne (presunto, salsicha,
fiambre), no leite (e derivados), nos ovos e, logicamente,
são ingeridos por nós. Não é à toa que os jovens (e até
adultos com mais de 30) vivem cheios de espinhas e
que as mulheres têm tantas cólicas menstruais,
consequência dessa enorme carga química. Ademais,
verifica-se em todos os países uma relação direta entre
a frequência de câncer e o consumo de carne, frios e
laticínios. Inversamente, quanto mais a alimentação é
rica em legumes e leguminosas (ervilha, feijão, lentilha,
etc.), menos ocorre o câncer. Segundo Annie Sasco
(apud SERVAN-SCHREIBER, 2007, p. 94), que estuda o
câncer no mundo, um dado alarmante é que no Brasil o
nível de desenvolvimento ainda é baixo, mas a taxa de
câncer de mama é equivalente à dos países ocidentais
mais industrializados. A estudiosa desconfia que esse
fenômeno se deva ao consumo muito elevado de carne
- em média três vezes por dia - e ao grande uso, até

44
recentemente, de todo tipo de hormônio para acelerar o
crescimento dos animais de criação. Aqueles que não
conseguem ficar sem a carne devem dar preferência a
produtos de animais criados organicamente, que são
saudáveis, e, na falta destes, reduzir o consumo de
carne, frios e laticínios, aumentando o consumo de
vegetais.

Cogumelos - Por serem uma espécie de fungo, podem


levar ao aumento da população fúngica nos intestinos.

Farinha - Causa muitos problemas no cólon e contribui


para a prisão de ventre. Além de o organismo ter
dificuldade para digeri-la, ela fica pastosa e alimenta a
cândida.

Fermento - Deve ser evitado porque nosso corpo não


diferencia o fermento da cândida do fermento dos
alimentos. Portanto, durante a dieta não ingira produtos
que passam por fermentação, como pão, bolo, pizza,
vinho e cerveja. Também evite levedura de cerveja.

Glutamato monossódico - Figura na lista dos


alimentos que causam câncer e alergias. É usado em
quase todos os alimentos processados, funcionando
como realçador de sabor em sopas, bolachas,
salgadinhos, catchup e uma infinidade de alimentos.

Gordura animal - Quando se decompõe, a gordura


animal libera toxinas, criando um ambiente perfeito para o
crescimento desordenado da cândida.

45
Leite - Nosso corpo confunde com açúcar a lactose
presente no leite. Por essa razão não devemos consumir
leite e derivados durante a dieta. A exceção é o iogurte
natural, que tem o benefício de repor as bactérias
benéficas ao organismo. Mas deve ser tomado com
moderação, de preferência pela manhã e misturado com
água e gengibre ralado ou em pó.

Maionese - Contém gorduras saturadas, que fazem mal ao


coração. Sem falar que se estraga fácil, servindo como
depósito de fungos e bactérias.

Margarina - Alguns estudos atestam que a margarina


pode estar relacionada a disfunções imunológicas,
danos no fígado, pulmão e órgãos reprodutivos,
distúrbios digestivos, diminuição na capacidade de
aprendizado e crescimento, problemas de peso,
aumento do risco de câncer e, principalmente,
transtornos do metabolismo do colesterol, incremento de
aterosclerose e doenças cardíacas.

Enlatados - Considerados alimentos mortos por serem


processados e feitos para durar anos.

Frutas secas - Damasco, ameixa, tâmara,


bananapassa e uva-passa, que contêm muito açúcar.

Refrigerante - Além do açúcar, contém muitos aditivos


que fazem mal ao organismo. Por isso é prudente evitá-
lo.

46
Vinagre - Muitos alimentos industrializados contêm
vinagre (enlatados, extrato de tomate, mostarda e
conservas), que em excesso é prejudicial, pois acidifica
o sangue. É por isso que algumas pessoas com
candidíase são sensíveis ao vinagre, inclusive ao de
maçã, considerado medicinal, mas que eu não indico
pelos motivos citados.

Durante o tratamento você também precisará


ficar longe de antibióticos, cigarro e estresse. Os
antibióticos são diretamente responsáveis pelo aumento
dos casos de candidíase recorrente, tendo em vista que
matam tanto as bactérias amigas como as inimigas,
acabando com a flora intestinal e tornando o organismo
ácido. Lembro-lhe que os antibióticos estão presentes
também no leite e na carne de animais. O cigarro
contém resíduos de fungos e rouba do corpo o oxigênio
que ele precisa para lutar contra as infecções. E o
estresse prejudica o corpo e a mente, porque o
organismo estressado produz elementos químicos que
enfraquecem o sistema imunológico. Isso explica por
que algumas pessoas apresentam sinais de candidíase
decorrentes de uma decepção amorosa, da perda de um
ente querido, de problemas no trabalho, de falta de
dinheiro. Por mais difícil que seja, devemos aprender a
lidar com as diversas situações da vida, mantendo a
mente sadia, livre de rancores, pois as pessoas com
dificuldade de resolver problemas emocionais têm maior
tendência a sofrer de doenças.
Para nos ajudar existem meditação, ioga,
musicoterapia, florais, acupuntura e exercícios de
respiração. Você vai precisar dessas técnicas para

47
aceitar com facilidade a mudança de vida. E não pense
que nesse período vai passar fome. Pelo contrário. Você
se alimentará bem e de quebra fortalecerá o sistema
imunológico com alimentos que contêm substâncias
fitoquímicas (compostos ativos que previnem doenças).
Os fitoquímicos são componentes naturais encontrados
em frutas e legumes que protegem as plantas contra
bactérias, fungos, vírus e dano às células, além de terem
propriedades antioxidantes - ou seja, eles protegem
contra substâncias chamadas radicais livres, que podem
danificar as células. Os alimentos vivos (crus) contêm
agentes fitoquímicos que atuam em conjunto para
promover a saúde, além de vitaminas essenciais,
minerais, aminoácidos, antioxidantes e enzimas.
Portanto, devemos consumi-los bastante para ter saúde
e retardar o envelhecimento.
A dieta proposta neste livro vai evitar a
multiplicação da cândida ou fazer com que ela tenha um
crescimento mínimo, enquanto os alimentos e os
suplementos alimentares vão fortalecer o sistema
imunológico. Por isso é importante que você introduza
vários deles na dieta.
Veja a seguir alguns dos alimentos que não
podem faltar em qualquer dieta, sobretudo na sua, que
almeja se curar da candidíase.

Alimentos recomendados durante a dieta

Ácidos graxos ômega-6 e ômega-3 - O ômega-6


(presente em ovos, linhaça, óleo de gergelim, açafrão,
nozes) facilita a estocagem das células adiposas, a

48
coagulação e as respostas inflamatórias às agressões
exteriores, enquanto o ômega-3 atua na constituição do
sistema nervoso, torna as células mais flexíveis, acalma
as reações de inflamação e limita a fabricação de células
adiposas. O equilíbrio da fisiologia depende do
balanceamento entre esses dois ácidos. As fontes
principais de ômega-3 são peixes de águas profundas e
frias (salmão, atum, bacalhau, arenque, cavalinha,
sardinha, truta) e óleo de peixe, além de sementes e
óleo de linhaça. O consumo regular de ômega-3 melhora
a concentração, as habilidades motoras e a memória;
aumenta a motivação e a velocidade de reação;
neutraliza o estresse e previne doenças degenerativas
cerebrais.

Algas verde-azuladas, como espirulina e clorela - São


ricas em clorofila, vitaminas, minerais, gorduras
essenciais e fitonutrientes, além de selênio e iodo, que
inativam fungos. O iodo é o remédio mais potente contra
cândida e outros fungos, por isso é importantíssimo ir à
praia com frequência.

Alho e cebola - Contêm alicina, que estimula o sistema


imunológico. Ajudam a combater tanto cândida quanto
parasitas, pois têm propriedades antibacterianas, anti-
inflamatórias e antifúngicas. Estudos clínicos mostram
que o alho previne câncer no aparelho digestivo,
incluindo estômago, colo, esôfago e reto, ajuda a
controlar o colesterol, acelera a cicatrização, reduz a
glicose no sangue, previne a aterosclerose e controla a
pressão arterial. Na hora de comê-los, prefira-os ao
natural, em saladas e sopas. A dose diária é de um a

49
dois dentes de alho cru, de preferência em jejum, que
podem ser amassados e engolidos com água. A água de
alho é menos agressiva para quem tem o estômago
sensível. Para fazê-la, basta deixar dois dentes de alho
amassados em um copo d’água da noite para o dia e
tomar em jejum. Se você não consegue engolir o alho,
pode ingerir cápsulas de óleo ou extrato de alho, mas
lembrando que o processamento do alho elimina parte
de sua atividade antifúngica. Evite o alho sem cheiro,
pois ele não contém alicina, substância responsável pelo
odor e principal ingrediente ativo contra a cândida e
outras doenças. Não use óleo de alho sem procedência,
feito por pessoas amadoras, pois pode conter fungos.

Aloe vera (babosa) - É desintoxicante, antisséptica e


tônica para o sistema nervoso. Tem propriedades
antioxidantes e anti-inflamatórias.

Brócolis (e outros vegetais crucíferos, como couve-flor,


repolho e couve-de-bruxelas) - Ricos em betacaroteno,
vitamina C e E, ácido fólico, fibras, ferro, cálcio, zinco e
vitaminas do complexo B, são importantes
desintoxicantes do fígado, pois contêm enxofre. Para
não perder os nutrientes, faça marinados com eles (veja
a seção de receitas).

Arroz integral - Rico em tiamina (vitamina do complexo


B), o arroz integral contém fibras, que ajudam a
regularizar o intestino e reduzem a absorção do
colesterol e o risco de câncer de cólon. É ideal para
diabéticos, pois eleva as taxas de açúcar no sangue
menos que o arroz branco ou a batata. Na dieta

50
anticândida deve ser evitado no primeiro mês e depois
consumido moderadamente - duas colheres de sopa.

Aveia - É rica em fibras, vitamina E, ácido fólico e


vitaminas do complexo B. Dê preferência à aveia integral e
crua, para aproveitar todos os nutrientes dela.

Azeite de oliva - Contém alta concentração de


compostos fenólicos e de vitamina E, um antioxidante
que combate os radicais livres (moléculas resultantes da
nossa respiração e metabolismo, que circulam pelo
sangue causando doenças do coração, câncer e
envelhecimento precoce). É rico em ácidos graxos
monoinsaturados, que aumentam o HDL (bom
colesterol) e baixam o LDL (mau colesterol), ajudando a
diminuir os riscos de infartos e derrames cerebrais. Use
para temperar saladas e sopas.

Brotos de trigo e cevada - Ricos em clorofila


(purificadora, alcalinizante e antioxidante) e repletos de
minerais, sobretudo magnésio.

Cenoura, batata-doce, agrião e ervilha - Têm alto teor


de carotenoides e betacaroteno, que matam células de
leucemia. O betacaroteno se converte em vitamina A,
sendo importante na prevenção da xeroftalmia e de
distúrbios de crescimento da primeira infância. Os
carotenoides previnem o câncer, funcionam como
antioxidantes naturais e protegem as membranas
celulares contra danos oxidativos. A batata-doce é uma
excelente fonte de potássio e uma boa fonte de ferro
vegetal e vitamina E, mas, por conter muito açúcar, deve

51
ser consumida com moderação na dieta anticândida e
somente no suco.

Chá verde - É antioxidante e diminui o risco de doenças


do coração. Não exagere porque ele contém cafeína.

Couve-de-bruxelas - Contém indóis, que agem contra o


câncer.

Derivados de soja e tofu - Ricos em isoflavona, que


diminui o risco de câncer relacionado a hormônio, como
câncer de mama e de próstata. A soja contém diversas
substâncias que podem prejudicar a saúde, chamadas
de antinutrientes, como um inibidor da enzima tripsina,
produzida pelo pâncreas e necessária à boa digestão de
proteínas. Os fitatos, presentes em todas as sementes,
bloqueiam a absorção de várias substâncias essenciais
ao organismo, como cálcio (osteoporose), ferro
(anemia), magnésio (dor crônica) e zinco (inteligência).
Os antinutrientes são neutralizados totalmente pelo
processo de fermentação natural da soja na fabricação
de shoyu (molho), missô (pasta) e parcialmente durante
a fabricação de tofu e iogurte. Por isso não é
recomendada a ingestão do grão de soja, mas dos seus
derivados. O missô e o shoyu são desintoxicantes e
fontes de enzimas, vitamina B12 e proteínas. Não
devem ser fervidos para não ocorrer a destruição das
enzimas. Como são fermentados, devem ser ingeridos
moderadamente na dieta anticândida.

Folhas verde-escuras - São ricas em clorofila, que


ajuda a oxigenar o sangue, aumenta a energia e

52
alimenta os lactobacilos, melhorando consequentemente as
respostas imunológicas.

Frutas de cor roxa ou azulada, como uva-preta,


groselha e mirtilo - Têm alto teor de substâncias
antioxidantes e anti-inflamatórias.

Gengibre - É estimulante gastrintestinal, aperiente,


tônico e expectorante; combate gases intestinais,
vômitos e rouquidão; externamente é utilizado em
traumatismos e reumatismos.

Gérmen de trigo - Rico em vitamina B1, B2, B6, E,


niacina e ácido fólico, o gérmen de trigo ajuda no
funcionamento do intestino por conter muita fibra.

Girassol, gergelim, linhaça e semente de abóbora -


São ricos em gorduras essenciais ômega-3 e ômega-6.

Iogurte - É rico em cálcio e vitaminas do grupo B, além


de conter lactobacilos, que restauram a microflora
intestinal, prevenindo infecções e diarreias. O iogurte
fortalece o sistema imunológico, estimula a digestão e
restabelece a flora intestinal. Todavia, como seu
consumo em excesso pode causar obstrução dos
canais, constipação, muco, bile, acidez excessiva no
sangue, congestão, acúmulo de gordura e retenção de
líquidos, recomenda-se a ingestão de meio copo por dia.
Segundo a medicina ayurvédica, para neutralizar essas
propriedades obstrutivas, deve-se prepará-lo diluído em
água e adicionar especiarias como gengibre e cominho.
Esse preparado se chama iogurte lavado. Os ayurvedas

53
não recomendam o consumo do iogurte após o pôr do
sol. O iogurte e outros leites fermentados são fontes
naturais de probióticos, que podem ser ingeridos ou
usados na forma de implante no reto e na vagina em
caso de infecções intestinais e vaginais recorrentes.
Pode ser feito com leite vegetal, como o de soja, que
produz um iogurte mais saudável que o do leite animal.

Limão - Estimula a produção do carbonato de potássio


no organismo. Seu ácido cítrico neutraliza a acidez
interna. Além disso, os diversos sais do limão se
convertem em carbonatos e bicarbonatos de cálcio,
potássio, entre outros, que aumentam a alcalinidade do
sangue. Quando tomado pela manhã em jejum,
descongestiona e desintoxica o organismo. É indicado
para quem sofre de doenças reumáticas e artríticas;
aumenta a excreção de ácido úrico, ureia e ácido
fosfórico; recupera os tecidos inflamados das mucosas;
combate fermentações e gases; faz bem ao pâncreas e
tonifica o fígado e a vesícula; nas afecções
gastrintestinais, os ácidos do limão destroem os germes
e as bactérias nocivas.

Maçã - Limpa o organismo, retirando os radicais livres,


pois é rica em polifenóis, substâncias com grande poder
de neutralizar as moléculas de radicais livres (que
causam lesão às células e, consequentemente,
doenças), sendo consideradas, portanto, substâncias
antioxidantes. A maçã também facilita a eliminação de
gases e contém potentes compostos anticândida. Retire
a casca da maçã não orgânica antes de comer, pois é

54
nessa parte das frutas que os agrotóxicos se
concentram.

Manteiga clarificada (ghi ou ghee) - É usada na


culinária e nos tratamentos medicinais indianos, pois
realça o sabor e o aroma dos alimentos, além de
estimular o metabolismo. Como toda gordura, deve ser
consumida moderadamente.

Melancia - Rica em vitamina C, licopeno e


carotenoides. As sementes contêm vitamina C, gorduras
essenciais, selênio e zinco. O suco da melancia com as
sementes feito no liquidificador é um excelente
antioxidante, ideal para enfrentar infecções e poluição.
O chá feito da casca da melancia é diurético, por isso
não deve ser tomado à noite.

Oleaginosas - As frutas oleaginosas são excelentes,


mas quando armazenadas por muito tempo se tornam
depósitos de fungos, sobretudo o amendoim. Por isso
consuma-as moderadamente em sucos e compre
aquelas de procedência, orgânicas e vendidas em
embalagem a vácuo, que as conserva melhor. Depois de
abrir a embalagem guarde na geladeira.

Óleo extravirgem de coco - Combate diversos


problemas do organismo. Tem efeito antibacteriano,
antiviral e antifúngico. Rico em ácido láurico, tem dois
terços de sua gordura compostos de ácidos graxos, as
mesmas gorduras do leite materno. É um poderoso
antioxidante porque contém muita vitamina E. Tem
propriedades anti-inflamatórias e é eficiente no

55
tratamento da enxaqueca; ajuda a reduzir os problemas
de tireoide e diabete; regulariza as funções intestinais e
hepáticas; aumenta a imunidade e é eficaz no
tratamento de doenças como gripe, tuberculose,
pneumonia, herpes, faringite e doença de Crohn. É
eficaz também no controle do colesterol, reduzindo o
mau colesterol LDL e aumentando o bom HDL. Na
culinária, é excelente em todos os pratos, pois realça o
sabor e facilita a digestão. É o melhor óleo para fritura,
pois não oxida e sua gordura se mantém estável, não
fica saturada.

Peixe - Os melhores são atum, sardinha e salmão, que


contêm ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 e proteína.

Quinua - É rica em proteínas (mais que a carne) e tem


alto teor de vitaminas e minerais como cálcio, ferro,
vitamina B e vitamina E. Como a quinua não contém
glúten, pode ser consumida por pessoas com
intolerância a essa proteína.

Salmão, atum, tubarão, peixe-espada, cavala e


arenque - São fontes das gorduras essenciais DHA e
EPA, que reduzem o risco de doenças cardiovasculares.

Sementes e amêndoas - Ricas em gorduras


essenciais, vitamina E e minerais como cálcio,
magnésio, zinco e selênio.

Semente de abóbora ou jerimum - Rica em ácidos


graxos mono e poli-insaturados, proteína, zinco,
magnésio, potássio, vitaminas do complexo B e sais de

56
ácido fólico (folatos), a semente de abóbora combate
parasitas intestinais, é anti-inflamatória, sendo indicada
sobretudo nas doenças da próstata e do sistema
urinário. Pode ser seca ao sol ou em forno baixo (50
graus) e liquidificada com um pouco de sal. Use esse pó
sobre o arroz ou a salada. O chá ajuda a combater
vermes e bronquite em adultos e crianças.

Semente de gergelim - Contém proteínas; metionina;


vitaminas, especialmente E, B1 e B2; minerais e
oligoelementos diversos, como cálcio, fósforo, ferro,
magnésio, cobre e cromo; gorduras insaturadas
(eficientes na redução do nível de colesterol no sangue)
e lecitina, um componente essencial do tecido nervoso
que intervém na função das glândulas sexuais. A lecitina
age no sangue dissolvendo as gorduras, principalmente
o colesterol, evitando que se depositem nas paredes das
artérias. O óleo de gergelim é antioxidante. Com o
gergelim se faz tahine, uma pasta muito saborosa,
substituta da manteiga e da margarina, que se obtém
moendo as sementes; e gersal, uma espécie de farinha
feita com a semente tostada em fogo baixo e moída no
liquidificador com sal.

Semente de girassol - Contém muita vitamina E. Use-a


em saladas, sucos, pratos à base de arroz e legumes
assados.

Semente de linhaça - Ajuda a reduzir o colesterol total e


LDL e diminuir a agregação plaquetária, prevenindo
assim doenças cardiovasculares.

57
Tomate - Contém vitamina E, vitamina C, vitamina K e
licopeno. Retire a casca do tomate não orgânico antes
de usá-lo.

Verduras crucíferas, como agirão, brócolis, couve,


couve-de-bruxelas, couve-flor, couve-rábano, mostarda,
nabo, rabanete, raiz-forte e repolho - Contêm agentes
fitoquímicos que atuam contra o câncer.

Além desses alimentos, existem ervas e


suplementos que fortalecem o sistema imunológico,
sendo, portanto, indicados na nossa dieta anticândida.

Ervas e suplementos para fortalecer o organismo

Ácido caprílico - Tem propriedades antifúngicas, por


isso age sobre a cândida e contribui para a melhoria dos
problemas intestinais. É encontrado no óleo extravirgem
de coco.

Bérberis (Berberis vulgaris) - Tem ação


imunoestimulante e antibiótica, regulariza a flora
intestinal, destruindo agentes patogênicos e controlando o
aumento da cândida, e ativa as células macrófagas, que
destroem bactérias, fungos e vírus.

Bromelina - É a enzima do abacaxi. Tem ação


antiinflamatória, sendo indicada para lesões
esportivas, traumas, artrite, problemas digestivos e sinusite,
além de acelerar a recuperação após cirurgia.

58
Canela, tomilho, romã, camomila, melissa e alecrim -
Também são excelentes contra a cândida. Inclua-os na
sua lista de chás.

Clorela - Alga microscópica de água doce rica em


proteínas, numa concentração superior à da carne
bovina e da soja. A clorela promove a desintoxicação do
organismo, fazendo sair inclusive metais pesados e
tóxicos, como chumbo, mercúrio e cádmio; repõe micros
e macronutrientes; é riquíssima em vitaminas do
complexo B, sobretudo B-12; é rica em todos os
aminoácidos essenciais; aumenta a oxigenação celular e
intersticial; auxilia no desenvolvimento cerebral e mental
das crianças; repõe nutrientes nas refeições pobres em
verduras e frutas; tem 15 vezes mais clorofila que o
espinafre; tem 20 vezes mais vitamina E que o leite e
cinco vezes mais vitamina B que o arroz integral; é
fundamental na manutenção do pH sanguíneo e auxilia a
prevenir gota e processos reumáticos. Antes de comprar
clorela, pesquise bem, pois algumas empresas vendem
outras algas como se fossem clorela.

Coentro (Coriandrum sativum) - Além de conter clorofila


e ter ação antibacteriana, o coentro é um desintoxicante
muito potente, pois ajuda na eliminação de metais
pesados, como chumbo, cobre, alumínio e mercúrio.
Amálgamas dentais, peixes e frutos do mar de
criadouros e das áreas costeiras apresentam níveis
muito elevados de contaminação por mercúrio. Cozinhar
em panelas de alumínio ou comer alimentos guardados
em embalagens com esse metal também aumenta o
risco de contaminação. O chumbo está presente em

59
embalagens antigas de creme dental e o cobre, em
águas contaminadas, dispositivos intrauterinos e alguns
pesticidas. A contaminação por metais pesados afeta a
saúde como um todo, por isso é muito importante,
durante a dieta e sempre, consumir bastante coentro
tanto no suco quanto no chá e na salada. Tome bastante
água de boa procedência, pois grande parte da excreção
desses metais se dá pela urina.

Cravo-da-índia (Eugenia caryophillata) - É rico em


óleos essenciais, sobretudo eugenol, que tem ação
analgésica e antisséptica. O chá de cravo-da-índia
sozinho ajuda a combater fungos e alivia dores
causadas por gripe e resfriado; com erva-doce é
delicioso e ótimo para a saúde. O extrato de cravo-da-
índia é excelente contra candidíase genital.

Dente-de-leão (Taraxacum officinale) - É antioxidante,


estimula o fluxo da bile e ajuda na digestão de gorduras,
aliviando problemas digestivos.

Equinácea (Echinacea purpurea) - Aumenta as defesas do


organismo, estimula a produção de leucócitos e atua com
antibiótico natural.

Ginseng - Existem diversas variedades de ginseng,


algumas melhores que outras. O Panax ginseng é a
mais comum, também conhecida como ginseng chinês,
ginseng coreano e ginseng asiático. O ginseng estimula
o sistema imunológico e a mente, age contra o estresse
e a depressão, aumenta a energia, reduzindo o cansaço
físico e mental, protege o coração e estimula a libido e a

60
ereção masculina. É tônico, estimulante e regenerador,
pois remove substâncias químicas tóxicas que levam ao
envelhecimento.

Glutamina - É um aminoácido importante para as


funções do cérebro, a integridade intestinal e a
manutenção da massa muscular e dos níveis de açúcar
corretos no sangue, além de estimular o sistema
imunológico e ajudar na cura da síndrome do intestino
irritável.

Lactobacilos - Conhecidos como bactérias amigáveis,


os lactobacilos nos protegem contra a entrada e
proliferação de organismos que causam doenças,
controlando o crescimento de bacilos, fermentos e
micróbios nocivos. Eles substituem as bactérias
intestinais amigáveis destruídas por antibióticos; ajudam
na recuperação de pessoas com doenças causadas por
bactérias; previnem e tratam diarreia, inclusive a
infecciosa, como a do rotavírus; evitam e reduzem
infecções vaginais, urinárias e cistite; fortalecem o
sistema imunológico; ajudam no tratamento de infecções
respiratórias, como sinusite, bronquite e pneumonia;
reduzem o risco de alergias e são úteis no tratamento de
colesterol elevado, acne, doenças cardiovasculares,
fadiga crônica, gripes, resfriados, problemas digestivos,
úlceras e febre reumática. Existem diversos trabalhos
científicos mostrando os benefícios dos lactobacilos,
como a cura da permeabilidade intestinal, da disbiose e
da enxaqueca. As fontes alimentares mais comuns de
lactobacilos são leite, iogurte e queijo. Também
podemos encontrar lactobacilos em cápsulas, que são

61
mais concentrados. Os alimentos ricos em clorofila,
como os vegetais de folhas verdes, a grama de trigo, as
algas e a alfafa, alimentam os lactobacilos e evitam a
reprodução das leveduras. Os iogurtes e similares
sozinhos, porém, não ajudam muito no combate à
cândida e à disbiose intestinal porque contêm uma
quantidade pequena de lactobacilos, em torno de 100 e
200 milhões. Isso é muito pouco dentro de um universo
de 50 trilhões de micro-organismos que habitam nosso
intestino. Por isso devemos recorrer às cápsulas de
lactobacilos, vendidas em farmácias de manipulação e
drogarias.

Orégano (Origanum vulgaris) - Tem ação


antibacteriana, por isso é muito indicado contra
candidíase. O chá de orégano é benéfico para o
aparelho digestivo e eficaz no controle de bactérias,
podendo também ser usado externamente em banhos
de assento. O óleo de orégano é poderosíssimo e reduz
infecções.

Pau-d’arco ou ipê-roxo - Tem propriedades


adstringentes, anti-inflamatórias e anticancerígenas,
estimula o sistema imunológico, ajuda no controle da
diabete e no tratamento de candidíase, artrite, úlcera,
leucemia, anemia, lúpus, mal de Parkinson, osteomielite,
psoríase e inflamações no útero e ovário. O chá é feito
com a casca. Tome um litro durante o dia. Caso sinta
dor de cabeça ou no ventre, não interrompa o
tratamento, pois essa é uma reação natural que
desaparece em poucos dias.

62
Pimenta-caiena (Capsicum frutescens) - É a mais
medicinal das pimentas, razão pela qual pode ser usada
por pessoas que sofrem de hemorroidas. Rica em
vitaminas A e C, estimula a digestão e o metabolismo,
ajudando no processo de purificação e eliminação das
toxinas, bem como auxilia no tratamento da má
circulação sanguínea. Para desintoxicação do sangue,
mistura-se suco de um limão com meio copo de água
morna e uma colher de chá rasa de pimenta-caiena e
toma-se pela manhã em jejum durante um mês ou mais.
Essa receita é muito eficaz contra câncer de estômago.

Pólen - Rico em vitaminas, proteínas e hormônios do


crescimento, tem ação eficaz nos casos de anemia,
regulariza o funcionamento dos intestinos, abre o
apetite, aumenta a capacidade de trabalhar, baixa a
pressão arterial e aumenta a taxa de hemoglobina do
sangue. Fortalece o organismo, ajudando a combater o
desgaste físico e intelectual; auxilia no combate a
afecções orgânicas funcionais (digestão, coração,
estômago e vesícula biliar); descongestiona próstata,
rins e fígado; é útil nos transtornos da gravidez e da
menopausa; estimula o pâncreas, combatendo a
diabete; favorece a virilidade e a fertilidade; melhora a
pele e fortifica os cabelos.

Romã (Punica granatum) - É excelente contra vermes e


um antibiótico natural. Por ser antioxidante, seu suco
reduz o colesterol, retarda o envelhecimento, previne
problemas cardíacos, osteoporose e reforça a defesa
imunológica, defendendo-nos de tumores e doenças
degenerativas. Contra vermes, faça um chá levando ao

63
fogo três colheres de sopa da casca, do caule ou da raiz
para um copo de água. Quando ferver, abafe e deixe
amornar. Beba um copo do chá três vezes ao dia. No dia
seguinte, em jejum, tome um laxante, que pode ser uma
colher de chá de sulfato de magnésio (sal de Epsom ou
sal-amargo) diluída em um copo de água morna. Isso vai
ajudar na eliminação dos vermes.

Suplementos de vitaminas e minerais - O sistema


imunológico precisa de alguns nutrientes para funcionar
bem, como vitamina A, E, B, iodo, ácido fólico, selênio e
zinco. A biotina, uma das vitaminas do complexo B,
protege sobretudo contra o crescimento desacelerado da
cândida. Prefira as vitaminas naturais, em vez das
sintéticas. As melhores vitaminas são as importadas,
pois as fabricadas no Brasil são, com raras exceções,
sintéticas, menos concentradas e contêm muitos
excipientes, como amido, talco, antiumectante e
lubrificante, além de corantes artificiais, sacarina e
ciclamato, no caso das vitaminas para crianças.

Unha-de-gato (Uncaria tomentosa) - É uma das


melhores ervas que existem, pois fortalece o sistema
imunológico e promove uma limpeza geral no sangue,
sendo indicada contra inflamação, mioma, amidalite,
artrite, reumatismo, sinusite, rinite e abscessos
cutâneos.

Como você pode ver, o tratamento proposto


neste livro consiste na purificação do sangue por meio
de dieta e no fortalecimento do sistema imunológico com
a ingestão de alimentos funcionais e vitaminas.

64
A maneira de viver e se alimentar na
modernidade é propícia à infecção por fungos. Hoje
basicamente ingerimos em excesso os alimentos
prediletos deles: doces (açúcar branco, adoçante, mel,
melado, xarope), leite, queijo, sorvete, manteiga de
amendoim, pão de centeio, cereais (trigo, aveia, arroz,
milho, cevada), bebida alcoólica, sobretudo vinho e
cerveja, batata, macarrão, entre outros. Portanto, para
se livrar de diversas doenças, incluindo candidíase,
câncer e aids, a primeira providência é purificar o
sangue. Existem muitas maneiras simples de conseguir
isso: adotando uma alimentação rica em verduras cruas,
frutas e cereais; fazendo jejum matinal com água ou chá;
limpando o intestino; tomando bastante chá (sem açúcar
ou adoçante), de acordo com os sintomas, para eliminar
as toxinas do sangue; evitando açúcar, adoçante
artificial, glutamato monossódico, enlatados e alimentos
industrializados; aplicando cataplasma de argila no
ventre e na área afetada, para estimular o bom
funcionamento do organismo; fazendo exercícios físicos
leves e exercícios de respiração profunda. O segredo
para vencer a candidíase é limpar bem o sistema
digestivo bebendo muita água e comendo muita fibra, a
fim de eliminar as células mortas da levedura.
Para tanto, sua primeira atitude é se
conscientizar de que precisa modificar seus hábitos de
vida. Sem isso nada será feito. O segundo passo
consiste em começar a dieta. Se a sua vida é muito
desregrada, faça isso aos poucos para não passar por
uma forte crise de desintoxicação. Por exemplo: na
primeira semana substitua uma refeição por vegetais,
diminua o consumo de massas, açúcar e gorduras. Isso

65
não é fácil. É preciso muita persistência. Trabalhe a
mente para aprender a se controlar, tendo consciência
de que todo esse “sacrifício” lhe trará de volta a saúde.
Na segunda semana você já estará mais leve e pronto
para reduzir ainda mais o consumo dos antialimentos.
Agindo assim, na terceira semana você estará
preparado para começar a dieta proposta neste livro. Se
o seu caso, porém, não for esse, se você já mantém
uma alimentação mais ou menos balanceada, então
pode começar já o tratamento. Lembre-se: seu corpo
não se curará enquanto seu sangue estiver ácido, e
somente a dieta, juntamente com o fortalecimento do
sistema imunológico, lhe trará benefícios.
No início você poderá sentir fraqueza, uma vez
que estará retirando do organismo substâncias que lhe
fazem mal; mas com a continuação da dieta sentirá um
incrível bem-estar e muita disposição. Verá que seu
corpo digere melhor os alimentos, perceberá a pele mais
limpa, não sentirá cólicas menstruais (no caso das
mulheres), enfim, constatará que a alimentação natural e
viva é a ideal para nosso organismo.
Os alimentos consumidos durante a dieta devem
ser preferencialmente orgânicos, porque não faz sentido
limparmos nosso corpo e entupi-lo novamente com os
pesticidas usados na agricultura, que provocam sérios
danos ao organismo, como câncer, alergia e asma. Sem
falar que os alimentos de origem animal estão
contaminados pelos perigosos coquetéis de antibióticos,
hormônios e outros medicamentos aplicados na pecuária
convencional, quer o animal esteja doente ou não. Os
alimentos orgânicos são nutritivos, saborosos e nos
fornecem apenas suas propriedades naturais, como

66
vitaminas, minerais, carboidratos e proteínas. Ademais,
a agricultura orgânica não agride o solo, deixando-o
sempre fértil; não contamina as fontes de água potável;
respeita o equilíbrio da natureza e cria ecossistemas
saudáveis.
É preciso igualmente mastigar bem os
alimentos, uma vez que parte da digestão se inicia na
boca. Além disso, a mastigação incorreta leva o
estômago a trabalhar dobrado para digerir os nutrientes
do alimento e pode gerar ou agravar problemas como
azia, má digestão, empachamento, prisão de ventre,
gases, refluxo e sonolência.

Não existe pílula mágica. A cura para as


doenças reside em fortalecer o organismo
com alimentos saudáveis e suplementos,
bem como em manter a mente sadia e
aproveitar a vida com responsabilidade.

67
Capítulo XI
Sugestões de dieta

Dieta da maçã

A dieta da maçã ajuda na eliminação da


cândida, limpando o sangue e consequentemente o
fígado. Pode ser feita uma semana antes da limpeza de
fígado e vesícula e também como uma iniciação às
dietas aqui propostas. O tratamento, que consiste em
comer apenas maçã e beber água por três dias, funciona
da seguinte maneira: a pectina da maçã absorve as
toxinas, que posteriormente serão eliminadas por meio
de lavagem intestinal. É indicada para todos os
problemas causados pela candidíase (acne, câncer,
vulvovaginite, entre outros). Como preventiva pode ser
feita uma ou duas vezes por ano, tendo em vista que
leva o corpo a se livrar de toxinas.
A maçã precisa ser argentina, que contém mais
pectina que a nacional. Os alérgicos a maçã podem
substituí-la por uva, pois ambas as frutas têm muita
pectina, que absorve as toxinas do organismo. Escolha
uma ou outra fruta, nunca as duas ao mesmo tempo.

O que é necessário para a dieta

1. Em média trinta ou mais maçãs ou cinco quilos de uva


para os três dias.
2. Lavagem intestinal (enema).
3. Muita água pura para beber (de dois a quatro litros por
dia).

68
4. Um copo de suco de uva (100 ml) - para beber
apenas no último dia.
5. Duas colheres de chá de azeite extravirgem de oliva -
também para o último dia.

Como higienizar as frutas

Lave bem as frutas com bucha e sabão e deixe


de molho por quinze minutos em água e vinagre - uma
colher de sopa para um litro de água (serve para matar
os germes). Depois enxágue e coloque-as novamente
de molho pelo mesmo tempo, desta vez com água e
bicarbonato de sódio - uma colher de sobremesa rasa
para um litro de água. Este último passo seve para
retirar os agrotóxicos, sendo indicado apenas se as
frutas não forem orgânicas. Descasque as maçãs não
orgânicas antes de comer.

Como proceder

1. Durante três dias, alimente-se somente de maçã e


água. Você pode comer a fruta à vontade. A água faz o
corpo eliminar mais toxinas pela urina e aumenta a
sensação de saciedade, reduzindo a fome.

2. À noite faça limpeza intestinal (enema) seguida de


implante de iogurte. Veja como fazer no capítulo
“Sugestões de tratamento”. A maçã passa pelo aparelho
digestivo e absorve as toxinas do sangue, devendo, por
isso, ser expelida do corpo o quanto antes. Se você não
eliminar a maçã no fim do dia, o organismo vai
reabsorver as toxinas e a dieta não terá o resultado

69
esperado. Portanto, a evacuação diária é fundamental
para o sucesso da terapia. O enema promove essa
limpeza, levando-nos a expelir as fezes que estão no
intestino grosso, e o implante de iogurte repõe as
bactérias benéficas.

3. No segundo dia repita o processo e resista a outros


alimentos. Pense positivo e se imagine curado. Leia um
livro, assista a uma boa comédia, enfim, ocupe a
cabeça. Tenha em mente que este esforço trará como
recompensa a sua saúde. Evite atividades que
requeiram muito esforço físico. Se por acaso se sentir
cansado, impaciente, faça exercícios respiratórios, pois
uma respiração longa e profunda alimenta e dá energia
ao corpo, além de ajudar na eliminação de toxinas.

5. No terceiro dia, proceda do mesmo modo. No fim


deste dia, duas horas depois do jantar com a fruta, beba um
copo de suco de uva e antes de dormir tome duas
colheres de chá de azeite extravirgem de oliva para
reiniciar o processo digestivo.

Observações

1. Esta dieta é contraindicada na gravidez e


amamentação.
2. Uma semana antes de iniciar a dieta, evite álcool e
alimentos que sobrecarregam o organismo, como carnes
gordurosas e frituras.

70
3. Enquanto estiver em processo de limpeza você deve
comer somente maçã e beber água. Não fume, não
beba álcool nem use drogas.
4. Se durante o tratamento você tiver dor de cabeça, é
sinal de que está expelindo muita toxina. Também
podem ocorrer espirros e eliminação de catarro pelo
nariz e pelas fezes. O corpo pode ficar dolorido, como se
fosse uma gripe. Isso é sinal de que o organismo está
expulsando muitas toxinas. Nesse caso, faça limpeza
intestinal duas vezes ao dia, de manhã, em jejum, e à
noite. Beba mais água para acelerar o processo e tome
banho alternando água quente e fria: quarenta segundos
com água quente e quarenta segundos com água fria.
5. Esta terapia trará benefícios apenas se for seguida
rigidamente. Os resultados são uma pele visivelmente
limpa e brilhante; um corpo mais sadio e um pouco mais
magro, um intestino limpo e um fígado saudável. E o
melhor: você estará livre de uma grande quantidade de
cândida, que morre sem os alimentos favoritos dela:
açúcar e farináceos.
6. Depois da limpeza o corpo pede alimentos saudáveis.
Portanto, comece o quarto dia bebendo suco verde e
comendo frutas. Depois, aos poucos, vá introduzindo
outros alimentos, sobretudo os sólidos e cozidos.
Comece com sopa de vegetais. Lembre-se de que o
corpo está limpo e não suportará nem tão cedo comida
gordurosa, álcool, cigarro e drogas. Ademais, não
adianta fazer a limpeza e no dia seguinte correr para a
sanduicheria ou a despensa e se entupir de açúcar e
alimentos industrializados, pois cedo ou tarde o
problema voltará. Cabe a você ter consciência do que
come e balancear a alimentação, incluindo alimentos

71
vivos, como grãos germinados, frutas, legumes e
verduras e reduzindo a quantidade de doces, massas,
carnes e queijos. Entenda que esta dieta de
desintoxicação é apenas o começo de uma grande
caminhada.
7. Dependendo da gravidade do problema, é necessário
repetir o processo durante três meses, de quinze em
quinze dias, mantendo nesse período uma dieta
saudável, livre de açúcar e carboidrato, para obter
resultados mais satisfatórios.
8. Depois da dieta deve-se tomar probióticos, como
Lactobacillus acidophilus.

Dieta para casos graves

Esta dieta é indicada para doenças mais graves,


como candidíase intestinal, câncer e aids. O tratamento
deve ser feito pelo período de um a seis meses. Se você
trabalha e não pode se ausentar, o ideal é fazer a dieta
nas férias. Antes de iniciá-la você deve passar pelo
menos uma semana se alimentando de comidas leves e
reduzir o consumo de carne, leite, queijo e açúcar, para
acostumar o corpo com a limpeza que virá. No capítulo
“Receitas” constam os pratos citados aqui.

Ao levantar - Em jejum, tome de um a dois copos de


água pura e natural. Depois de meia hora, tome um copo
de suco de maçã ou água de alho, que se obtém
deixando, durante a noite, um ou dois dentes de alho
amassados em um copo d’água coberto e fora da
geladeira. Pode-se variar a água de alho com suco de

72
cebola, feito com uma cebola sem casca liquidificada
com meio copo de água e coado. O suco deve ser
tomado assim que ficar pronto.

Jejum matinal - Permaneça em jejum até o meio-dia,


tomando, de meia em meia hora, um copo de água ou
chá (equinácea, ipê-roxo, camomila, coentro,
barbatimão, unha-de-gato). Isso é importantíssimo para
purificar o sangue. Pode ser água de alho ou água da
casca de limão orgânico postos em infusão durante a
noite.

Às 10 horas - Tome um copo de suco de clorofila


(tanchagem, couve, coentro, hortelã, salsão, grama de
trigo).

Almoço - Coma verduras de preferência orgânicas, no


mínimo três tipos de folha (alface, broto de alfafa,
coentro, couve, hortelã, repolho, rúcula, folha de batata-
doce, de beterraba, de cenoura, bertalha, espinafre),
raízes (cebola, cenoura, beterraba, rabanete, nabo),
brócolis, couve-flor e brotos crus (lentilha, moyashi,
girassol, gergelim). Não exagere na beterraba, pois ela
contém muito açúcar. Use também quiabo, chuchu,
pimentão, tomate, entre outros. Rale as raízes e corte as
folhas grandes. O espinafre, os brócolis, os brotos mais
tenros, a couve-flor e a bertalha podem ser marinados
(veja como fazer no capítulo “Receitas”). Na hora de
comer tempere com limão, alho, óleo (extravirgem de
coco, de oliva, de girassol, de linhaça) e complete com
semente de jerimum ou gergelim torrada e moída.
Mastigue bem os alimentos.

73
Lanche - Chá, fruta ou suco (use as frutas muito doces,
como banana e abacaxi, somente no suco, para adoçar, e
com cautela).

Jantar - Sugestões: verduras (como no almoço), sopa


de legumes, frutas (melancia, maçã, pera) ou suco,
escolhido entre as sugestões do capítulo “Receitas”. O
ideal é comer apenas um: ou verduras, ou suco, ou fruta.

Antes de dormir - Tome uma xícara de chá.


Sugestões: alecrim, hortelã, erva-doce, artemísia, losna,
alfazema, camomila, boldo, carqueja, eucalipto, feno-
grego, capim-santo, hibisco, ipê-roxo, equinácea,
coentro e unha-de-gato. O chá pode ser puro ou
misturado: alecrim com eucalipto, alecrim com alfazema,
erva-doce com hortelã, camomila com erva-doce,
camomila com hortelã, camomila com boldo, boldo com
erva-doce, carqueja com camomila, losna com erva-
doce, losna com camomila. Use um pedaço bem
pequeno de losna, menor que a metade da unha, para
que o chá não fique muito amargo.

Dieta para casos leves

Esta dieta é indicada para doenças mais leve,


como candidíase em geral e alergia. O tratamento deve
ser feito pelo período de um a três meses. Antes de
iniciá-la, passe pelo menos uma semana se alimentando
de comidas leves e reduza o consumo de carne, leite,
queijo e açúcar, para acostumar o corpo com a limpeza

74
que virá. No capítulo “Receitas” constam os pratos
citados aqui.

Ao levantar - Em jejum, tome de um a dois copos de


água pura e natural. Depois de meia hora, tome um copo
de suco de maçã ou água de alho, que se obtém
deixando, durante a noite, um ou dois dentes de alho
amassados em um copo d’água coberto e fora da
geladeira. Pode-se variar a água de alho com suco de
cebola, feito com uma cebola sem casca liquidificada
com meio copo de água e coado. O suco deve ser
tomado assim que ficar pronto.

Jejum matinal - Somente até as 9 horas, tomando


água, chá ou água de alho de meia em meia hora. O
ideal seria aderir ao jejum matinal até o meio-dia.
Sugestões de café da manhã: iogurte caseiro puro,
com um pouco de mel ou com suco; abacate amassado
com linhaça dourada ou pólen; suco (veja como fazer no
capítulo “Receitas”); frutas. Para quem faz trabalhos
pesados ou é muito magro, pão essênio com patê de
gergelim ou conserva de berinjela e suco com água de
coco, cuscuz com leite de coco (sem adoçar ou adoçado
com um pouco de mel), inhame, batata-doce, macaxeira
(estes três últimos tubérculos devem ser consumidos
sem exagero).

Almoço - Coma verduras de preferência orgânicas, no


mínimo três tipos de folha (alface, broto de alfafa,
coentro, couve, hortelã, repolho, rúcula, folha de batata-
doce, de beterraba, de cenoura, bertalha, espinafre),
raízes (cebola, cenoura, beterraba, rabanete, nabo,

75
inhame, macaxeira), brócolis, couve-flor e brotos crus
(lentilha, moyashi, girassol, gergelim). Não exagere na
beterraba, pois ela contém muito açúcar. Use também
quiabo, chuchu, pimentão, tomate, entre outros. Rale as
raízes e corte as folhas grandes. O espinafre, os
brócolis, a couve-flor, os brotos mais tenros e a bertalha
podem ser marinados (veja como fazer no capítulo
“Receitas”). Na hora de comer tempere com limão, alho,
óleo (extravirgem de coco, de oliva, de girassol, de
linhaça) e complete com semente de jerimum ou
gergelim torrada e moída, ou ainda com maionese de
vegetais. Mastigue bem os alimentos. Acrescente pratos
cozidos, como broto de feijão moyashi escaldado e
temperado com ervas; brócolis, bertalha ou espinafre
refogados com ghi; feno-grego cozido; purê de lentilha,
grão-de-bico ou jerimum; feijão-preto; um pouco de arroz
integral ou bifum (macarrão de arroz). Se não consegue
se abster de carne, pode comer peixe ou frango (de
preferência de capoeira) de forno ou grelhado, carne de
carneiro ou de bode, sempre em pequena quantidade. A
carne bovina é desaconselhada por causa da grande
quantidade de antibióticos, bem como o frango comum,
por causa dos hormônios. Coma primeiro os alimentos
crus e depois os cozidos. Mastigue bem todos os
alimentos, sobretudo os crus. Evite sobremesa doce
logo após o almoço. Se não conseguir ficar sem, coma a
metade de uma maçã.

Lanche - Chá, fruta ou suco (use as frutas muito doces,


como banana e abacaxi, somente no suco, para adoçar, e
com cautela).

76
Jantar - Sugestões: verduras (como no almoço), sopa
de legumes, frutas (melancia, maçã, pera) ou suco
escolhido entre as sugestões do capítulo “Receitas”. O
ideal é comer apenas um: ou verduras, ou suco, ou fruta.

Antes de dormir - Uma xícara de chá. Sugestões:


alecrim, hortelã, erva-doce, artemísia, losna, alfazema,
camomila, boldo, carqueja, eucalipto, feno-grego, capim-
santo, hibisco, ipê-roxo, equinácea, coentro e unha-de-
gato. O chá pode ser puro ou misturado: alecrim com
eucalipto, alecrim com alfazema, erva-doce com hortelã,
camomila com erva-doce, camomila com hortelã,
camomila com boldo, boldo com erva-doce, carqueja
com camomila, losna com erva-doce, losna com
camomila. Use um pedaço bem pequeno de losna,
menor que a metade da unha, para que o chá não fique
muito amargo.

Dicas para acelerar o processo de desintoxicação


durante as dietas

 Faça lavagem intestinal (enema) todo dia ou dia sim,


dia não, seguida de implante de iogurte. Se tiver
candidíase vaginal, aplique o implante de iogurte na
vagina duas vezes por semana.
 Faça a limpeza de fígado e vesícula (veja no capítulo
“Sugestões de tratamento”).
 Coloque a faixa gelada (veja no capítulo “Sugestões
de tratamento”) pelo menos duas vezes ao dia.
 Faça exercícios físicos leves, como caminhada, ioga e
esteira. Pratique em seguida o exercício respiratório.

77
 O ideal é fazer o jejum matinal até o meio-dia tomando
um litro e meio de água ou chá.
 Para intensificar a limpeza, faça um dia de jejum por
semana tomando somente líquido (chá, água ou suco
sem mel).
 Tome banho de sol e, se possível, vá à praia.
 Separe um tempo para viver: curtir a casa, os amigos,
os filhos, os netos, os familiares em geral, passear,
caminhar, respirar, ver comédias, ir à praia, dar boas
gargalhadas...
 Ouça música clássica e relaxante, sobretudo quando
estiver impaciente. Está provado cientificamente que a
terapia pela música (ou musicoterapia) acalma,
melhora o humor e minimiza dores crônicas e
depressão.

Haja o que houver, não desista. Seja


persistente. Lembre-se sempre de que esta
fase logo passará. Em breve você estará
curado e dando gargalhadas. O melhor de
tudo é que daqui para a frente sua vida não
será mais a mesma, pois você agora tem o
domínio e o conhecimento do que se passa
dentro de si, do que é bom e do que é ruim
para o seu organismo.

78
Capítulo XII
Sugestões de tratamento

Os tratamentos a seguir servem como


coadjuvantes da dieta, pois ajudam o organismo a se
desintoxicar e se fortalecer. Escolha os mais adequados
às suas necessidades, lembrando que alguns devem ser
praticados somente por profissionais habilitados.

Acupuntura

A acupuntura é uma técnica chinesa de inserção


de agulhas nos tecidos subjacentes da pele em
diferentes profundidades e em pontos estratégicos do
corpo para produzir o efeito terapêutico esperado.
Existem cerca de mil pontos de acupuntura. Desses, 365
estão classificados em catorze grupos principais. Todos
os pontos que pertencem a um dos grupos são ligados
por uma linha imaginária na superfície do corpo,
chamada meridiano. Os doze meridianos principais
controlam o pulmão, o estômago, o intestino grosso, o
intestino delgado, o baço, o coração, a bexiga, o rim, o
triplo-aquecedor, o pericárdio, o fígado e a vesícula.
Existem também dois meridianos localizados no centro
do corpo: um passa pela frente e outro pelas costas.
A acupuntura aumenta a taxa de secreção de
neurotransmissores e neuro-hormônios, ativa o
hipotálamo e a glândula pituitária, melhora o fluxo
sanguíneo e estimula a função imunológica. Como
estimula os órgãos que estão com deficiência, a

79
acupuntura pode ser uma aliada na cura de diversos
males, como candidíase, glaucoma e prisão de ventre,
além de tratar amidalite aguda, zumbido, dor no peito,
palpitações, sinusite, rinite, resfriado, faringite, enfisema,
bronquite crônica, asma brônquica, cólicas menstruais,
alterações menstruais, ansiedade, depressão, insônia,
mal-estar provocado pela quimioterapia, dores
associadas a câncer, tendinite, fibromialgia, dores pós-
cirúrgicas, dermatite, gastrite, úlceras, colite, diarreia,
constipação, cefaleia, enxaqueca, paralisia facial,
sequelas de acidente vascular cerebral, lombalgia,
artrite, artrose, entre tantas outras. Para fazê-la procure
um acupunturista competente, que trabalhará os pontos
de acordo com o órgão do corpo a ser fortalecido.

Cura pelo óleo vegetal

Este método, conhecido como “oil pulling”, ou


“óleo que puxa”, consiste em bochechar óleo vegetal
puro (de girassol, gergelim ou linhaça) em jejum,
ajudando na cura de males como dor de cabeça,
bronquite, dor de dente, aterosclerose, eczema,
leucemia, artrite, trombose, artrose, paralisia,
gastrenterite, peritonite, doenças cardíacas, doenças
renais, meningite, distúrbios hormonais, úlcera do
estômago, problemas intestinais, encefalite, câncer, aids
e diversas doenças da mulher. Também previne
moléstias crônicas do sistema circulatório, nervoso,
digestivo e respiratório.
O óleo puro de girassol é extraído a frio, é bem
amarelinho e tem cheiro forte de girassol. Geralmente é
comercializado em lojas de produtos naturais e custa o

80
triplo do valor do óleo de girassol vendido em
supermercados, que não é puro.

Como fazer

Pela manhã, totalmente em jejum, coloque uma


colher de sopa (ou um pouco menos) do óleo na boca e
bocheche de 20 a 25 minutos, passando vagarosamente
o óleo entre os dentes, de um lado para o outro da boca.
Enquanto o óleo é revolvido na boca, o metabolismo se
intensifica no organismo e o estado de saúde fica mais
estável.
Não engula o óleo!
De início o óleo é grosso, depois vai ficando
cada vez mais fluido. Cuspa-o quando ele estiver branco
como leite. Se ainda estiver amarelo é porque você não
bochechou o tempo suficiente.
Depois de cuspir o óleo, bocheche diversas
vezes com água e limpe bem os dentes com uma
escova, pois o líquido cuspido é venenoso, repleto de
germes patogênicos e outras substâncias nocivas.
Quando terminar, limpe também a pia. Para acelerar o
processo de cura, faça bochechos três vezes ao dia,
antes das refeições, com o estômago vazio. Continue o
tratamento até o organismo recuperar a força, a
vitalidade, o apetite sadio, o sono profundo e a boa
memória.
Pode ocorrer uma aparente piora em doentes
que sofrem de várias moléstias. Isso acontece
principalmente quando um foco de infecção começa a se
desfazer ou quando se interfere num foco que no futuro
provocaria uma doença grave. Portanto, não pare o

81
tratamento, mesmo aparecendo febre, para não
interromper o processo de cura. Na verdade a aparente
piora significa tão somente que o organismo está
reagindo e se recuperando. Problemas agudos
costumam desaparecer dois a quatro dias depois do
início do tratamento, enquanto problemas crônicos
podem precisar de um ano inteiro.

Desintoxicação do fígado

Lave bem um limão orgânico (se for muito


pequeno, use dois), retirando os pontos pretos quando
houver. Corte-o ao meio, sem descascar nem tirar as
sementes. Liquidifique com uma colher de sopa de
azeite extravirgem de oliva (de preferência orgânico) e
um copo de água. Coe e tome imediatamente em jejum.
Faça o tempo que achar necessário. O amargo do limão
limpa o fígado e o azeite ajuda no bom funcionamento
do intestino.

Enema de iogurte (implante)

Durante a dieta de desintoxicação, faça implante


de iogurte no cólon para repor as bactérias benéficas.
Depois da lavagem intestinal, quando já não tiver mais o
que defecar, misture 200 ml de iogurte natural com 200
ml de água filtrada e introduza no ânus. Deixe o implante
durante a noite e no dia seguinte evacue normalmente.
No caso de candidíase vaginal, o implante é
colocado com uma seringa pequena ou ducha vaginal.

82
Neste caso, usa-se o iogurte puro e introduz-se na
vagina antes de dormir, deixando a noite toda.

Escalda-pés

As toxinas do corpo se acumulam nas pernas,


nos pés e nas mãos, e quase sempre saem
gradativamente pela pele. Podemos acelerar essa
expulsão por meio de escalda-pés.
Para fazê-lo você precisará de sulfato de
magnésio (sal-amargo) e um balde ou bacia que não
seja de plástico. Durante o procedimento, evite correntes
de ar. Encha o balde com água morna (no máximo
40°C) até cobrir os tornozelos e dissolva de três a cinco
colheres de sopa de sulfato de magnésio. Sente-se
confortavelmente, mergulhe os pés na água e cubra as
pernas com uma toalha. Fique assim de dez a quinze
minutos, sem demorar mais para que as toxinas
liberadas não retornem ao corpo. Enxágue os pés com
água fria e pura, seque bem e calce meias. Recomenda-
se a ingestão de um copo de água morna antes do
escalda-pés e a manutenção de uma compressa de
água fria na testa durante a aplicação para refrescá-la,
direcionando o sangue para outras áreas do organismo.
Renove a compressa sempre que ela ficar aquecida.
Faça o escalda-pés uma ou mais vezes por semana,
geralmente à noite, antes de dormir, até o
desaparecimento dos sintomas.

83
Faixa gelada

Consiste em colocar uma faixa gelada e torcida


no abdome, começando debaixo do peito e terminando
no início da região pubiana. Essa faixa precisa ser
abafada com outra seca, ligeiramente maior, para
manter a temperatura, e depois amarrada com uma
atadura grossa. O tecido molhado pode ser uma toalha
de rosto dobrada em duas, uma fralda dobrada em
quatro ou qualquer outro tecido absorvente, nunca
sintético. O tecido seco, além dos citados, pode ser
flanelado.
A faixa gelada ajuda no tratamento de todas as
doenças, sobretudo azia, gases, gastrite, prisão de
ventre, febre e cólicas menstruais, pois controla a
temperatura do intestino, que quando está quente não
funciona direito e as toxinas se acumulam, deixando o
sangue ácido, o processo de digestão lento e o
organismo mais suscetível a doenças. O corpo mantém
naturalmente a mesma temperatura, porém, com o
choque térmico proporcionado pela faixa gelada, o
sangue trabalha para esquentar a área que está fria,
saindo de onde estava, quase parado, quente, para
circular com nova temperatura, já que se misturou ao
sangue frio. Desse modo, o corpo volta a eliminar
toxinas.
A faixa deve ficar colada ao corpo e pode ser
usada a qualquer hora, estando você com o estômago
vazio ou cheio. Durante o procedimento é necessário
deixar os pés aquecidos, porque se estiverem frios o
sangue vai ter de escolher entre esquentar o abdome ou
os pés, o que pode levar as toxinas a sair de outra

84
maneira, como uma gripe ou um furúnculo. Enquanto
está com a faixa você pode beber água, comer,
movimentar o corpo, mas evite corrente de ar, não tome
banho nem mexa com água meia hora antes, durante e
meia hora depois. As faixas devem ser lavadas com
água e sabão após o uso, enquanto a atadura pode ser
lavada uma vez por semana.

Homeopatia - Nosódio

O nosódio é um medicamento homeopático


preparado com amostras patológicas de animais ou
vegetais. Ou seja, o próprio agente patológico se torna
um remédio potente no processo de cura. Nosso
organismo, por meio das células dos sistemas linfático e
sanguíneo, reconhece e procura eliminar qualquer corpo
que lhe seja estranho. Portanto, quando recebe agentes
causadores da doença em doses homeopáticas,
trabalha com toda a sua força para eliminá-los. Logo, ao
tomarmos um nosódio feito com cândida, ficamos
imunizados contra ela. Lembro mais uma vez que de
nada valem os tratamentos se não mudarmos nosso
estilo de vida e de alimentação, uma vez que a saúde
plena reside no equilíbrio. No Brasil o Instituto Roberto
Costa (www.robertocosta.org.br) trabalha com nosódios.

Lavagem genital

Para candidíase genital, os homens e as


mulheres podem fazer lavagem com chá de cravo-da-
índia ou orégano. Basta jogar um punhado de orégano

85
em 250 ml de água fervida, abafar e deixar amornar.
Depois coa-se e coloca-se o chá ainda morno numa
bacia limpa, a uma temperatura que não queime a pele
(suportável ao toque), mas que também não seja fria, e
lava-se o órgão genital em movimentos rápidos, mas
com cuidado para não machucar, até o chá ficar quase
frio. As mulheres podem ficar de cócoras no boxe ou
sentadas na privada, jogando o chá aos poucos com
uma jarra, tendo cuidado para a água do chão ou do
vaso não bater na pele. Depois basta enxugar
levemente, tirando o excesso, e dormir sem calcinha. A
lavagem deve ser feita no mínimo por uma semana e
toda noite.
Em vez do orégano, pode-se usar na lavagem
cravo-da-índia, fazendo o chá do mesmo modo, ou ainda
extrato de cravo-da-índia. Usa-se o extrato misturado
com 50% de água (meio copo do extrato para meio de
água). Serve para coceiras em geral. Basta passar no
local e deixar secar naturalmente. Também se pode
fazer a lavagem com uma colher de chá de bicarbonato
de sódio diluída em uma xícara de água limpa. O
bicarbonato, porém, não deve ser usado internamente.
Para acelerar o processo é bom tomar uma
xícara de chá de orégano (ou de cravo-da-índia) toda
noite antes de dormir, feito com uma colher de chá da
erva para uma xícara de água.

Lavagem intestinal

Para fazer a lavagem intestinal (também


chamada de enema ou clister), você vai precisar de um

86
irrigador e um jogo de pipos, vendidos em lojas de
produtos hospitalares. Lave bem as peças antes de
usar.

1. Escolha um local tranquilo com uma cama, um


colchão ou um sofá.
3. Pendure o irrigador na parede ou em lugar alto.
4. Encha-o com água filtrada morna ou chá de
camomila. Se tiver cápsulas de lactobacilos em casa,
abra uma e jogue o pó no líquido. Isso ajuda a repor as
bactérias benéficas no organismo.
5. Deite-se do lado esquerdo do corpo e introduza a
cânula no ânus. Passe um pouco de óleo vegetal ou
vaselina na ponta para não machucar o ânus.
6. Relaxe e deixe o líquido entrar completamente.
Segure um pouco, pelo menos dez minutos, para que as
fezes se soltem. Respire fundo e procure pensar em
outras coisas.
7. Vá ao banheiro e evacue. Não faça muita força, para
evitar hemorroidas. Se tiver cólicas, espere passar e
somente depois evacue. Quando sentir que não há mais
fezes para sair, pare.
8. Encha novamente o irrigador e repita o processo,
desta vez deitando-se do lado direito do corpo. Evacue
novamente.
9. Use de 500 ml a um litro de água cada vez que
encher o cólon.
10. Se fizer a lavagem à noite, ao final coloque o
implante de iogurte e evacue somente no dia seguinte.
Ele ajuda a repor a flora intestinal e evita prisão de
ventre.

87
Depois da lavagem podem sair placas de muco
(catarro), bem como fezes antigas e escuras. O muco
atrapalha a assimilação de oxigênio e de nutrientes,
dificulta a respiração e causa alergias. É por isso que
esta limpeza é essencial em qualquer dieta de
purificação.

Limpeza de fígado e vesícula

Este método foi retirado do livro "A cura para


todas as enfermidades", escrito pela médica canadense
Hulda Clark. É muito eficaz quando seguido à risca, pois
realmente limpa o fígado e a vesícula. Recomenda-se a
limpeza nos casos de problemas de fígado e vesícula,
fígado "gordo", síndrome do intestino irritado, inflamação
dos intestinos, colite, intolerância a alimentos,
dificuldades digestivas e outros relacionados ao sistema
digestivo inferior.
Geralmente adultos e crianças têm pequenas
pedras nos canais do fígado e na vesícula. Alguns não
apresentam sintomas, enquanto outros têm sono e/ou
peso após as refeições com comida gordurosa,
dificuldade para digerir comida oleosa, mau humor e
irritabilidade frequentes, febre interna e sistema
imunológico deficiente contra infecções.
As pedras acumuladas nos canais aumentam a
pressão anterior no fígado, fazendo com que ele
entregue menos bile e com que vaze bilirrubina para a
corrente sanguínea. Com menos bile sendo levada aos
intestinos, menos colesterol deixa o corpo, trazendo
sérios danos a nossa saúde. Sem falar que, como essas

88
pedras são porosas, as bactérias, vírus e parasitas que
passam normalmente pelo fígado podem se aderir às
paredes delas, formando focos de infecção interna.
Essas pedras não são vistas por exame de raio-X ou
outros aparelhos porque na maioria das vezes elas não
estão na vesícula e porque os equipamentos não
detectam corpos pequenos ou que não sejam
compostos de cálcio (a maioria das pedras biliares tem
cristais de colesterol como núcleo).
Durante o tratamento é importante beber
bastante água e suco para que todas as toxinas sejam
expelidas mais facilmente.
Esta limpeza é muito eficiente e se baseia em
mais de 500 casos, incluindo pessoas com mais de 80
anos. Nenhuma foi socorrida ou se queixou de dores.
Pode-se sentir mal-estar por um ou dois dias após a
limpeza, mas somente nos casos em que não se segue
uma dieta rica em vegetais e pobre em gordura animal
no mínimo uma semana antes e uma semana depois da
limpeza. Mesmo pessoas cuja vesícula foi retirada
podem fazê-la. Após a limpeza esperam-se o
desaparecimento de crises hepáticas, alergias, dores
nos ombros, nas partes superiores dos braços e nas
costas, o aumento da energia e da disposição, bem
como a melhora da digestão e da saúde como um todo.

O que é necessário para a limpeza

4 colheres de sopa (60g) de sal-amargo (sulfato de


magnésio ou sal de Epsom)
3 copos (750ml) de água mineral ou água pura

89
½ copo (125 ml) de azeite de oliva extravirgem ½
copo (125 ml) de suco de limão
4 limões médios ou grandes
Canudo para ajudar a tomar o óleo

Escolha um dia como sábado para iniciar a


limpeza, pois poderá descansar no domingo. Não ingira
nenhum remédio, vitamina ou pílula sem os quais você
possa ficar, pois eles às vezes atrapalham o processo
de limpeza. Nunca faça a limpeza quando estiver
doente.

1. Café da manhã - Beba chá sem açúcar nem


adoçante (camomila, erva-doce, erva-cidreira, boldo,
carqueja, coentro) - não tome chá-mate, chá preto,
chocolate nem café. Tome suco fresco de limão com
água de coco ou de frutas, verduras ou legumes
adoçado, se necessário, com um pouco de mel. Não
coma pão, bolo, biscoito, leite, carne, ovos, queijo e
nada que contenha gordura. Se tiver mais fome, coma
frutas, salada temperada com limão e um pouco de sal
ou beba suco.

2. Almoço - Faça uma refeição leve e sem gordura.


Sugestão: arroz integral com salada de rúcula, cebola,
cenoura ralada, hortelã e maçã temperada com limão e
sal. Não coma leite, coalhada, ovos, carne (por causa do
colesterol), azeite, manteiga, queijo, margarina, abacate,
patê, requeijão, castanha, nozes, amêndoa, etc. Evite
proteínas e produtos que contenham cafeína (café, chá-
preto, chá-mate).

90
3. Pausa - Às 14 horas pare de comer e beber, senão
se sentirá muito mal mais tarde. Prepare nessa hora o
sal-amargo: misture bem as quatro colheres de sopa de
sal-amargo e os três copos de água em uma jarra.
Distribua todo o conteúdo em quatro copos e coloque na
geladeira. Antes de tomar adicione suco de um limão em
cada copo para neutralizar o gosto do sal-amargo. Você
pode substituir a água por suco de maçã. Nesse caso
não precisa adicionar o suco de limão antes de beber.

4. Primeiro copo de sal-amargo - Às 18 horas, beba o


copo 1 da mistura de sal-amargo. Se achar necessário,
após beber o sal-amargo faça bochecho com água para
lavar a boca. Você pode ir ao banheiro a qualquer hora
que tiver vontade, menos durante o repouso (após beber
o óleo com limão).

5. Segundo copo de sal-amargo - Às 20 horas, beba o


copo 2 da mistura de sal-amargo que está na geladeira.
Mesmo sem comer desde as 14 horas, você não sentirá
fome. Comece a se organizar para dormir, deixando tudo o
que precisa por perto.

6. Hora de preparar o copo de óleo e limão - Às


21h45 ou um pouco antes, misture no liquidificador ou
em um misturador meio copo de azeite de oliva com
meio copo de sumo de limão peneirado. Se sentir
vontade, vá ao banheiro uma ou mais vezes, mesmo
que atrase a hora de tomar o óleo, mas não passe mais de
quinze minutos das 22 horas.

91
7. Hora de beber o óleo - Às 22 horas, tome toda a
mistura de óleo e limão. Você deve estar em pé ao
beber o óleo, nunca deitado. Tome com canudo para
evitar que o líquido passe pelas papilas gustativas. Se
tiver dificuldade, beba mais devagar (não passe de cinco
minutos para tomar tudo - pessoas mais idosas ou
doentes podem levar até 15 minutos) ou alterne alguns
goles com um pouco de mel. Não vá ao banheiro
durante o repouso. Depois de beber o óleo, deite-se
imediatamente com as costas coladas à cama e com a
cabeça alta no travesseiro. Fique assim durante pelo
menos duas horas, caso contrário poderá não expelir as
pedras. Relaxe e tente dormir, mas sempre atento para
não mudar de posição. Você não sentirá dor porque o
sal-amargo dilata as válvulas da vesícula e dos dutos
biliares.

8. Terceiro copo de sal-amargo - No dia seguinte,


beba o copo 3 de sal-amargo, mas não antes das 6
horas da manhã. Se tiver indigestão ou náusea ao
acordar, espere passar e somente depois beba. Volte
para a cama.

9. Quarto e último copo de sal-amargo - Duas horas


depois de tomar o terceiro, beba o copo 4 de sal-
amargo. Se quiser, volte para a cama.

10. Hora de comer - Duas horas depois da quarta dose


de sal-amargo, tome suco de frutas ou de clorofila. No
almoço prefira alimentos leves, de fácil digestão e com
pouco ou nenhum condimento. O mesmo serve para o
jantar.

92
11. Expelindo as pedras - Logo pela manhã ou depois
do último copo de sal-amargo você sentirá uma leve
diarreia, necessária para a eliminação das pedras, que
flutuam na água. Use uma lanterna para vê-las. As
pedras são verde-escuras (mais antigas) ou verde-claras
(formadas há menos tempo). Depois de vê-las descarte-
as, pois elas geralmente estão contaminadas por
bactérias, micro-organismos nocivos e vermes. Espera-
se que saiam de cinquenta a duzentas pedras ou cristais
por evacuação. Recomenda-se repetir a limpeza vinte
dias depois e repetir novamente até que não saiam mais
pedras. Eu fiz a limpeza de fígado duas vezes. Na
primeira saíram umas trezentas pedras de vários
tamanhos, variando de meio a três centímetros. Na
segunda foram muitas, mas bem pequenas, menores
que uma ervilha. Durante o processo eu não senti dor,
somente um pouco de enjoo depois de beber o óleo,
porque meu fígado estava muito congestionado. Mas
respirei fundo e me acalmei, na certeza de que aquele
momento logo passaria e tudo daria certo. E deu.

Panchakarma

Segundo a medicina ayurvédica, a doença é


consequência da comida errada e também das emoções
erradas, pois nós digerimos os alimentos e os
sentimentos. Tudo isso se converte em toxinas, que se
acumulam no órgão mais frágil de cada pessoa,
transformando-se em doença. E para restabelecer a
saúde os terapeutas ayurvedas indicam o panchakarma,
técnica milenar de desintoxicação profunda baseada em

93
cinco procedimentos: vômito terapêutico, diarreia
terapêutica, enemas para limpeza do cólon, limpeza
nasal e sangria. Para se submeter ao panchakarma o
paciente precisa de um diagnóstico clínico cuidadoso e
uma dieta de dez a quinze dias - que pode ser feita em
casa - a fim de preparar o organismo para receber os
medicamentos naturais, os fitoterápicos e as massagens
que compõem o processo de desintoxicação. Entre os
resultados estão mais saúde, disposição, vitalidade e
alegria.

Respiração

A respiração correta desempenha um grande


papel na nossa qualidade de vida. Uma respiração longa
e profunda alimenta e dá energia ao corpo, além de
ajudar na eliminação de toxinas. Ou seja, quem respira
corretamente tem saúde. No nosso dia a dia, porém, há
espaço somente para a respiração rápida. E assim as
pessoas só respiram o ar suficiente para se manterem
vivas. Sem falar que muita gente hoje não respira pelo
nariz, mas pela boca, por causa da obstrução nasal.
Pudera: a alimentação é rica em massa, queijo, leite e
açúcar refinado. Resultado: esses alimentos nos fazem
produzir muco (catarro), que vai se armazenando nas
vias respiratórias e dificulta a respiração. Em outras
palavras, a maioria das pessoas não renova nem 10%
do ar dos pulmões. Como consequência, falta oxigênio e
o corpo fica carregado de gases tóxicos, que em contato
com o sangue ocasionam diversos males, como
enxaqueca, dor de cabeça, cansaço crônico e falta de
libido. A solução é aliar o corre-corre cotidiano com uma

94
vida saudável, procurando comer mais alimentos vivos,
como sucos e vegetais frescos, fazendo exercício físico,
mental e, claro, respirando - pelo nariz, e não pela boca.

Como respirar corretamente

1. Respire profunda e lentamente pelo nariz, com a boca


fechada, até encher completamente o pulmão de ar. Isso
leva em torno de cinco segundos. Solte o ar lentamente,
até esvaziar os pulmões, e repita o processo pelo menos
cinco vezes. Essa é a respiração correta - você enche o
pulmão de ar até não aguentar mais e, com o auxílio dos
músculos da barriga, empurra o ar para fora.

2. Concentre-se na respiração e veja que todo o abdome é


usado para expelir o ar dos pulmões.

3. Faça também a respiração tampando uma das


narinas de cada vez.

4. Pratique essa respiração a qualquer hora, pelo menos


uma vez ao dia. Antes de dormir ela acalma, relaxa; pela
manhã, ao acordar, ela clareia a mente.

5. Mesmo no trabalho, separe um tempinho para praticar a


respiração profunda, alongando a coluna e levantando os
ombros. Mantenha sempre a postura ereta, para
facilitar a respiração profunda.

6. Relaxe a musculatura. Assim você vai conseguir


respirar mais profundamente.

95
Tratamento com limão

Este tratamento ajuda na purificação do sangue,


sendo recomendado nos casos de candidíase, câncer,
aids, reumatismo, asma, enfisemas, doenças agudas e
afecções do sistema digestivo.
Consiste em beber em jejum suco puro de limão
sem adoçar. Começa-se com um limão e vai-se
aumentando a dose ao longo de dez dias consecutivos,
até se chegar ao suco de dez limões. A partir do décimo
primeiro dia, decrescem-se as doses em equivalente
proporção até chegar ao décimo nono dia tomando o
suco de apenas um limão.
Beba o suco com canudo, para evitar o contato
com os dentes e o sabor acentuado. Depois de
manusear o limão ou qualquer fruta cítrica, lave bem as
mãos e os locais atingidos, sobretudo antes de se expor ao
sol, para evitar manchas na pele.

96
Capítulo XIII
Receitas

Você sabia que uma vida plena começa na


cozinha e que comida saudável não combina com
panela de alumínio? Sim, o alumínio é um metal pesado
que faz muito mal à saúde, estando ligado aos males de
Parkinson e Alzheimer. Por isso, ao preparar os
alimentos cozidos, use panelas de aço inox (solta menos
metal), barro, ferro, vidro e pedra-sabão, além de colher
de pau ou de plástico, nunca de metal.
É importante também lavar cuidadosamente os
alimentos, eliminando partes escuras e estragadas. Os
vegetais que serão consumidos crus precisam, após a
lavagem com bucha ou escova e sabão amarelo, ser
esterilizados passando vinte minutos numa solução com
uma colher de sopa de vinagre para um litro de água.
Dê preferência aos alimentos orgânicos; na falta
deles retire a casca dos vegetais e deixe as folhas de
molho, após serem esterilizadas, numa solução com
uma colher de chá de bicarbonato de sódio para um litro
de água. Isso reduz a quantidade de veneno.
As receitas a seguir são apenas sugestões. Use
a imaginação e crie outras. Abuse dos grãos
germinados, do coentro fresco e do suco de grama de
trigo. Tempere sempre as saladas com limão (nunca
com vinagre), azeite e um pouco de sal marinho. Se
quiser adicione um pouco de pimenta-caiena. O sal
marinho é melhor que o refinado porque contém cerca

97
de oitenta elementos benéficos à saúde, que são
eliminados ou extraídos no processo de refinação. Como
o sal marinho é mais concentrado, use-o em menor
quantidade.

Arroz integral colorido

Lave o arroz integral e deixe de molho à noite,


em temperatura ambiente, com água suficiente para
cobri-lo. No dia seguinte, leve-o ao fogo baixo com a
água do molho. Enquanto isso, prepare o suco para
colori-lo, segundo a cor desejada. A quantidade a seguir
é indicada para uma xícara de chá de arroz:

- laranja - 2 cenouras pequenas;


- roxo (às vezes fica marrom) - meia beterraba
pequena;
- amarelo - uma colher de chá de açafrão;
- verde - uma folha de couve ou três folhas de
espinafre.

Liquidifique bem o vegetal escolhido com duas


xícaras de água. Coe o suco e adicione ao arroz. Use
sal a gosto. No caso do açafrão, basta adicioná-lo à
água. Deixe cozinhar por cinco minutos, tampe a panela
e desligue o fogo. Espere meia hora e abra a panela. Se
houver água, ligue o fogo e deixe o arroz ferver por dois
minutos, sem tampa, para evaporar o líquido. Tampe
novamente a panela e apague o fogo. Está pronto.
Para fazer o arroz, eu uso panela de inox de
fundo triplo com tampa de ótima vedação. Se sua panela
não tiver essas características, cozinhe por mais alguns

98
minutos. Mas lembre-se: quanto mais tempo os vegetais
ficarem no fogo, mais eles perdem vitaminas.

Arroz integral refogado

Lave uma xícara de arroz integral à noite e


deixe-o guardado em uma peneira na geladeira (se for
arroz cateto, deixe-o de molho e escorra antes de
preparar). Pela manhã, rale uma cebola média ou
amasse três dentes de alho. Doure o alho ou a cebola
com um pouco de azeite ou ghi, adicione o arroz e deixe
refogar. Acrescente um copo de água fria e dois copos
de suco de vegetais de sua preferência. Deixe cozinhar
cinco minutos, tampe a panela e desligue o fogo. Depois
de meia hora, abra a panela e verifique se o arroz está
cozido. Se não estiver, ligue o fogo novamente, deixe
alcançar fervura e desligue. Depois de meia hora estará
pronto.

Brócolis refogados com ghi

Corte um maço de brócolis em pedaços grandes


e pique um pouco de cebolinho. Doure o cebolinho com
ghi e um pouco de sal, acrescente os brócolis, abafe um
minuto, mexa e retire do fogo. Adicione um pouco de
gersal e sirva.

99
Conserva de berinjela

Corte um quilo de berinjela em cubos, retirando,


o quanto possível, as sementes. Cubra com água e
adicione uma colher de sopa de sal. Deixe de molho por
em média oito horas na geladeira. Pode ser a noite toda.
Isso vai tirar o amargor da berinjela. Antes de preparar,
lave e escorra bem. Rale uma cebola e doure com azeite
de oliva ou ghi. Acrescente a berinjela, um pouco de
água, tomate seco ou pimentão picado, ervas finas, sal e
manjericão picado. Se desejar, adicione uma pitada de
curry. Deixe cozinhar até a berinjela ficar macia.
Esterilize um frasco de vidro e a tampa com água
fervida, escorra bem e coloque nele a conserva ainda
quente, deixando um pequeno espaço, que deve ser
preenchido com azeite. Guarde na geladeira. A conserva
dura em média trinta dias enquanto está fechada.
Depois de aberta, use em no máximo oito dias.
Acompanha pão essênio e vegetais cozidos.

Gersal

O gersal é uma farofa de gergelim que serve


para "temperar" o arroz antes de servir. Para fazê-lo,
torre em fogo baixo o gergelim lavado e seco. Depois de
frio, bata levemente no liquidificador com sal. Para cada
dez partes de gergelim, acrescente uma de sal. Em vez
do gergelim, use semente de jerimum ou linhaça. As
sementes também podem ser secadas em forno baixo.

100
Grãos germinados e brotos

Os grãos germinados têm muito mais vitaminas,


aminoácidos, enzimas e minerais, estimulam a digestão
e regeneram a flora intestinal. Para isso devem ser
comidos crus, já que quando são cozidos perdem muitos
nutrientes.

Processo de germinação

1. Hidratação - Coloque os grãos em um vidro e cubra


com água pura sem cloro. Deixe de molho por uma noite
(o girassol sem casca só precisa de quatro horas).

2. Germinação - Depois das oito horas de molho,


escorra a água e deixe os grãos em uma peneira
coberta com um pano fino. Enxágue duas vezes ao dia,
de manhã cedo e à noite. Os grãos germinados estarão
prontos para serem comidos ou plantados após um
período variável:

 Agrião: após seis a oito dias.


 Alfafa: após três a quatro dias.
 Arroz: após quatro a cinco dias.
 Feijão azuki: após quatro a cinco dias.
 Gergelim: após dois a três dias. Como os brotos
de gergelim ficam amargos rapidamente, é bom
comê-los em até um dia e meio ou apenas
hidratar as sementes deixando-as de molho por
oito horas, escorrendo e guardando na geladeira
em um pote tampado.

101
 Girassol sem casca: logo que amolecer com a
água.
 Lentilha: após três a quatro dias.
 Trigo: após dois a quatro dias. O trigo
germinado contém sete vezes mais vitaminas do
complexo B que a farinha de trigo.

Depois de colher, coloque os brotos em uma


vasilha ou saco plástico, retire o ar e guarde na
geladeira, mas consuma logo, pois eles são perecíveis.
Use os brotos em saladas e sucos.
Você também pode cultivar os brotos colocando-
os, depois de germinados, em uma bandeja com terra
vegetal ou algodão umedecido. Espalhe os grãos
germinados numa única camada e umedeça bem. Cubra
com voal ou com outra bandeja durante três a quatro
dias. Se necessário, umedeça a terra. Depois desse
tempo descubra os brotos e os exponha à luz do dia,
regando delicadamente de doze em doze horas para
que a terra permaneça úmida. Os brotos estão bons
para consumo entre sete e quinze dias. Os grãos mais
fáceis de brotar são agrião, alfafa, centeio, girassol,
feijão e trigo. O broto de trigo (ou grama de trigo) é
riquíssimo em clorofila e deve fazer parte da maioria dos
sucos feitos no liquidificador. Também podemos plantar
- em recipientes ou vasos - rabanete e agrião (as
sementes dessas hortaliças ficam de molho, mas não
precisam germinar), alho, cenoura, beterraba, etc.
Conseguimos, assim, brotos ricos em clorofila e
substâncias vivas.

102
Iogurte caseiro de leite de vaca e de soja

Ferva um litro de leite de vaca ou de soja (veja


como fazer o leite de soja neste capítulo). Lave bem um
pote de vidro com tampa e esterilize com água quente.
Passe o leite para o pote e mantenha-o bem tampado.
Quando o leite estiver a 42 graus, adicione um envelope
de fermento para iogurte ou um copo de iogurte de 200
gramas. Você também pode usar como fermento dois
potinhos de Yakult ou de Actimel, feitos respectivamente
com os lactobacilos Casei shirota e Casei defensis. Não
é bom tomá-los puros, pois eles contêm açúcar. No
iogurte caseiro, porém, o açúcar do Yakult e do Actimel
- repito, na proporção de dois potes para um litro de leite
- fica bastante reduzido. Mexa delicadamente o leite
com uma colher limpa. Enrole o pote em uma toalha de
rosto limpa e coloque em um saco plástico. Aqueça
levemente o forno (uns 50 graus), desligue e guarde o
pote dentro. O iogurte leva de sete a oito horas para ficar
pronto. Se você morar num lugar muito frio, em vez de
aquecer o forno, coloque dentro dele uma bolsa de água
quente. Prefira o iogurte de soja, que produz menos
muco e causa menos alergia.

Lactobacilos de repolho

Os lactobacilos de repolho servem para repor a


flora intestinal. Para fazê-los liquidifique pela manhã
meio litro de água com três copos de repolho cortado em
pedacinhos. Coloque a mistura em um vidro, cubra com

103
voal e deixe à temperatura ambiente durante três dias.
Coe, descarte o bagaço e separe 60 ml do líquido.
Bata novamente no liquidificador três copos de
repolho cortado em pedacinhos com um copo de meio
de água pura. Coloque em um vidro, junte os 60 ml do
líquido fermentado, balance o vidro, cubra, deixe à
temperatura ambiente durante dois dias e coe. O sabor é
ácido e ligeiramente gasoso. Se estiver com gosto de
podre, jogue fora e comece de novo.
Conserve o resto do fermentado na geladeira e
beba meio copo três vezes ao dia junto com as
refeições. Guarde a bebida por no máximo vinte e quatro
horas. Use diariamente pelo tempo de um a três meses.

Leite de vegetais

Utilize o leite de vegetais em sucos, vitaminas,


papinha, para dar puro ao bebê e em outras receitas. Se
quiser adoçar (só um pouquinho), use mel, frutose, chá
de estévia ou pó de estévia, uma planta usada para
fazer adoçante. Mas cuidado com os adoçantes à base
de estévia, pois muitos usam outras substâncias, como
sacarina e ciclamato, que são prejudiciais à saúde. Leia
sempre o rótulo para saber se há outras substâncias
além de estévia.

Leite de amêndoas

Lave bem uma xícara de chá de amêndoas sem


pele, acrescente água e deixe de molho da noite para o
dia num recipiente de vidro bem tampado. Pela manhã,

104
retire a água do molho, adicione 700 ml de água e
liquidifique bem. Coe com um pano limpo e guarde na
geladeira por no máximo dois dias.

Leite de arroz integral

Lave uma xícara de chá de arroz integral à noite


e deixe de molho em 700 ml de água numa vasilha de
vidro. Pela manha, adicione mais água e cozinhe por
dez minutos. Tampe e deixe amornar. Liquidifique e coe
com um pano limpo. Guarde na geladeira em um
recipiente fechado e use em no máximo dois dias. Faça
assim também leite de trigo ou cevada em grão.

Leite de aveia

Coloque uma xícara de aveia integral em meio


litro de água e deixe de molho por duas horas em um
recipiente de vidro ou de louça. Liquidifique bem e coe
com um pano limpo. Se ficar muito grosso, adicione mais
água. Use com moderação, pois a aveia é rica em ácido
fítico, que dificulta a absorção de cálcio. Guarde na
geladeira por no máximo dois dias.

Leite de gergelim

Liquidifique bem meio litro de água com meia


xícara de semente de gergelim germinado ou hidratado,
coe com voal e guarde na geladeira por no máximo dois
dias. O leite de gergelim contém mais cálcio que o leite

105
de vaca. É muito nutritivo e pode ser usado em diversas
receitas, mas sempre cru, nunca esquentado nem
fervido.

Leite de girassol

Lave uma xícara de semente de girassol,


acrescente água e deixe de molho da noite para o dia
num recipiente de vidro. Pela manhã, escorra, adicione
700 ml de água e liquidifique bem. Coe com um pano
limpo e guarde na geladeira por no máximo dois dias.

Observação 1: O leite de girassol não suporta fervura.


Portanto, só o adicione a receitas que não vão ao fogo.
Faça vitamina, suco ou tome puro.

Observação 2: Se não encontrar a semente de girassol


sem pele, use aquele girassol com casca, que é dado a
passarinhos. Só tenha o cuidado de lavar bem. O único
inconveniente de usar o girassol com a casca é que o
leite fica meio escuro e o sabor mais acentuado. Se tiver
paciência, retire a casca do girassol depois do molho,
antes de liquidificar.

Leite de soja

Lave uma xícara de soja em grão e deixe de


molho de quatro a seis horas. Lave novamente, retirando
a pele o máximo que puder. Liquidifique bem, usando
três xícaras de água para uma de grãos hidratados. Coe
com voal e leve ao fogo baixo, retirando a espuma com

106
uma escumadeira. Deixe ferver por cinco minutos. O
leite está pronto. Use-o para fazer iogurte e tofu. Evite
bebê-lo, pois ele acidifica o sangue. Se mesmo assim
quiser tomar um pouco, dilua em água na mesma
proporção (meio copo de água para meio de leite).

Maionese de vegetais

Cozinhe uma cebola grande e uma cenoura no


vapor. Deixe amornar e liquidifique com um pouco de
água, azeite, tempero verde, sumo de limão e sal. Está
pronta para usar.

Variação: cebola ou alho com berinjela, tomate


com gergelim; cebola ou alho com abóbora cozida;
cebola com grão-de-bico cozido.

Maionese de tofu

Lave bem uma cenoura e uma cebola e corte-as


em pedaços grandes. Cozinhe no vapor durante cinco
minutos. Coloque no liquidificador um pedaço de tofu, a
cebola, a cenoura, sal, um pouco de água (para facilitar
a liquidificação) e um fio de azeite. Liquidifique até ficar
cremoso. Adicione mais azeite ou água se for
necessário. Pronto. Use a maionese para temperar
verduras e fazer salpicão vegetariano. Fica uma delícia!

107
Manteiga clarificada (ghi)

Para fazer o ghi, leve ao fogo baixo meio quilo


de manteiga de primeira qualidade sem sal. Quando
ferver, subirá à superfície uma espuma, que não deve
ser retirada, pois contém propriedades medicinais. A
manteiga clarificada estará pronta quando sedimentos
marrons se concentrarem no fundo da panela e o líquido
adquirir uma cor amarelo-dourada e exalar um aroma de
pipoca. Tenha cuidado para não queimar! Espere
amornar, coe e guarde em um vidro limpo e seco fora da
geladeira. Use o ghi para refogar alho e cebola e para
temperar saladas e diversos alimentos.

Molho de tomate caseiro

Liquidifique meio dente de alho, três tomates


maduros e uma colher de sopa de azeite. Despeje o
molho em uma vasilha. Adicione azeite de oliva,
manjericão picado, orégano e gotas de suco de limão.

Óleo e extrato de cravo-da-índia

O óleo de cravo-da-índia é indicado para unhas


fracas, combate micoses de unha, frieira e manchas
brancas nas costas. É antisséptico, antibiótico, antiviral,
antifúngico, anti-inflamatório, antiparasitário e
analgésico. Massageado na gengiva do bebê, alivia as
dores da dentição. Para isso deve ser diluído em um
pouco de água, pois sozinho pode causar queimadura na
boca do neném.

108
Para fazer o óleo de cravo, misture trinta gramas
de cravo-da-índia com 200 ml de óleo de oliva ou
girassol e cozinhe em banho-maria por uma hora. Deixe
esfriar, coe e guarde em um vidro limpo e seco.
O extrato de cravo-da-índia acaba com fungos e
traças. Dissolvido em álcool ou água, pode ser usado
como aromatizante ambiental. Misturado com água,
funciona como antisséptico bucal. Uma colher de chá do
extrato em um copo de água serve para coceira na
vagina. Basta enxaguar o local duas vezes ao dia, pela
manhã e antes de dormir.
Para fazer o extrato, misture em um vidro escuro
100 gramas de cravo-da-índia e um litro de álcool de
cereais ou cachaça. Deixe guardado por no mínimo dois
meses. Está pronto para usar quando o álcool fica
marrom. Coe e recoloque no vidro escuro.

Pão essênio

É um pão muito gostoso e nutritivo que não


passa pelo processo de fermentação, sendo por isso
indicado aos que sofrem de candidíase. Para fazê-lo,
pegue uma xícara de grãos integrais (trigo, centeio,
milho, cevada ou aveia), meia xícara de gergelim, ambos
germinados, uma xícara de triguilho (trigo para quibe)
moído e meia xícara de linhaça hidratada, deixada de
molho da noite para o dia. Lave bem o triguilho e deixe
secar numa peneira. Moa o trigo, o gergelim e a linhaça
ou passe num processador. Acrescente temperos a
gosto, como sal, cebola picada, orégano, manjericão
fresco e azeite de oliva. Misture bem com as mãos ou

109
com uma colher. Adicione triguilho até absorver a água
da massa. Unte uma forma de vidro com azeite e
triguilho seco e espalhe a massa. Cubra e seque ao sol,
chama baixa ou desidratador. É preferível desidratar o
pão ao sol, cuja energia a massa absorverá. Em dias
nublados, use o forno, mas cuidado para não aquecer
além de 50 graus.
Use o pão essênio como a imaginação mandar.
Eu sugiro em saladas e como base para sanduíche com
queijo de gergelim ou patê de berinjela. Você também
pode fazer pizza com ele passando por cima molho de
tomate cru e queijo de gergelim ou creme de tofu e
decorando com rúcula, cebola, manjericão fresco e
azeite de oliva.

Queijo de gergelim

Liquidifique meia xícara de gergelim hidratado,


meia cebola, sal e azeite a gosto. Para facilitar, adicione um
pouco de água.

Queijo de soja (tofu)

Para fazer tofu, leve o leite de soja ao fogo e,


quando estiver quase fervendo, acrescente suco de
limão (em média três limões grandes para um litro de
leite) e misture levemente. Se o leite não ficar todo
talhado, adicione um pouco mais de suco de limão.
Quando o leite estiver todo talhado, coloque-o em uma
peneira ou na parte de cima da cuscuzeira (forre antes

110
com voal). Deixe escorrer até ficar duro (em média meia
hora). Guarde na geladeira em um recipiente com água
mineral e sal. Assim ele dura mais de um mês. Não
deixe de botar sal para conservar o tofu. Se for guardar
o queijo por mais de quinze dias, troque a água uma vez
por semana.

Rejuvelac

Rejuvelac é uma bebida rica em aminoácidos e


vitaminas que faz bem a todo o organismo, sobretudo o
sistema digestivo. Por ser rico em enzimas, repõe a
saudável flora intestinal, principalmente a que se perde
com o uso de antibióticos, mantendo o organismo
vitalizado. É indicado a pessoas saudáveis, doentes e
crianças. Os diabéticos podem tomá-lo, mas antes
devem diluí-lo em água ou suco fresco.

Como fazer

1. Lave bem uma xícara de chá de grãos integrais (trigo,


centeio, aveia ou cevada).
2. Coloque em um frasco de vidro e acrescente cinco
xícaras de água potável.
3. Deixe descansar por dois dias.
4. Coe o rejuvelac em outra jarra, reservando o trigo.
Adicione ao líquido uma colher de sobremesa de mel,
para conservar, e guarde na geladeira.
5. Leve os grãos de volta ao vidro e acrescente mais
cinco xícaras de água filtrada.
6. Neste segundo preparo deixe em repouso por um dia.

111
7. Coe e repita o mesmo processo do primeiro rejuvelac.
8. Prepare o terceiro rejuvelac adicionando aos grãos
mais cinco xícaras de água.
9. Deixe em repouso por um dia.
10. Coe o rejuvelac e jogue fora o trigo, use como adubo
ou em salada crua, arroz, banana amassada, salada de
fruta.

Observações: Em cidades cujo clima é muito quente,


pode-se preparar o rejuvelac sempre com um dia de
fermentação; o rejuvelac pode ser bebido puro ou
misturado a sucos, pastas e temperos; o rejuvelac tem
um cheiro que não agrada a muitos, mas essa
característica desaparece quando adicionamos suco
fresco de um limão antes de tomar a bebida.

Salpicão vegetariano

Junte cenoura e chuchu picados e cozidos no


vapor com sal, salsa e maçã picadas e maionese de
soja. Misture tudo e leve à geladeira. Se quiser
acrescente outros legumes.

Sopas

Creme de legumes com gergelim

Doure uma cebola grande com um pouco de


azeite ou ghi. Em seguida, acrescente vegetais cortados
em pedaços grandes (cenoura, jerimum, chuchu, couve,

112
abobrinha, salsão, alho-poró) e um pouco de água.
Deixe cozinhar por uns cinco minutos. Liquidifique em
seguida, acrescentando uma colher de sopa de gergelim
bem lavado. Se ficar muito grosso e difícil de bater,
adicione mais água. Use sal a gosto ou tempere com
azeite ou ghi antes de servir.

Sopa do Pai José

Esta receita, retirada do livro “Deixa sair”, de


Sonia Hirsch, limpa, emagrece e ajuda a controlar a
fome.
Para fazer a sopa, leve ao fogo uma xícara de
arroz integral cru e dezesseis xícaras de água, de
preferência em panela grossa, de pedra-sabão, barro ou
ferro esmaltado; quando ferver abaixe o fogo, tampe e
deixe cozinhar por três horas, mexendo de vez em
quando.
Corte três cebolas médias em gomos, um aipo e
um alho-poró em fatias grossas diagonais, descasque
seis dentes de alho e ponha tudo na panela. Deixe o
fogo alto até ferver e depois abaixe. Junte mais água se
precisar. Deixe ferver por 40 minutos, misture doze
folhas de bertalha, apague o fogo e tampe. Sirva com
um fio de azeite e verdinhos frescos por cima (hortelã,
cebolinha, salsinha ou coentro). Pode comer à vontade.
Substitui ao menos uma refeição por dia.

113
Sucos

Os sucos são essenciais no dia a dia e


principalmente nas dietas desintoxicantes. Devem ser
feitos de preferência com água de coco ou rejuvelac e
bebidos assim que ficam prontos. Use a imaginação e
tente misturas que fiquem saborosas e não precisem ser
adoçadas com açúcar, mel ou adoçante. A maçã pode
fazer parte de todos, pois adoça e tem um sabor neutro.
O limão, usado preferencialmente com a casca, deve
fazer parte de sucos que levam maçã e folhas, pois evita
a oxidação e mantém a cor dos vegetais. A banana e o
abacaxi são proibidos na dieta anticândida, mas podem
fazer parte do suco, desde que não consumidos em
excesso. Use no máximo uma banana para fazer dois
copos de suco. Em vez de água, utilize como líquido
rejuvelac e água de coco.
Para fazer os sucos você vai precisar de
liquidificador e centrífuga. Coe com peneira ou voal.
Facilite sua vida lavando antecipadamente os alimentos,
esterilizando em água com vinagre e guardando na
geladeira. Separe em vasilhas por grupo: folhas, limão,
verduras, sementes e grãos hidratados (linhaça,
gergelim, castanha-do-pará) e brotos (de trigo, de
girassol, grama de trigo).

Sucos no liquidificador

Suco delicioso de limão - Liquidifique um limão, meio


litro de água de coco e uma folha de couve ou um
punhado de grama de trigo. Coe e beba. Se achar
necessário, adoce com um pouco de mel ou estévia.

114
Suco de abacaxi com hortelã - Liquidifique um abacaxi
picado, um pouco de água e um punhado de hortelã
fresca. Coe e beba.

Suco de laranja com broto de girassol - Faça o suco de


laranja normalmente e liquidifique com broto de girassol, na
proporção de uma colher de sopa rasa de broto para meio
litro de suco. Coe e beba.

Suco de grama de trigo - Liquidifique meio litro de água


de coco, uma maçã, um punhado de grama de trigo bem
lavada, uma colher de sopa de linhaça hidratada e uma
colher de sopa de broto de gergelim. Coe e beba.

Suco de maçã com limão - Corte duas maçãs


(descasque se não forem orgânicas) em quatro partes e
liquidifique com um limão, um punhado de grama de
trigo e água de coco ou rejuvelac.

Suco de laranja com broto - Liquidifique meio litro de


suco de laranja com uma colher de sopa de broto (de
girassol, linhaça, trigo ou gergelim). Coe e beba.

Suco de limão com grama de trigo e aveia - Liquidifique


tudo com água de coco, coe e beba.

Suco de abacaxi com hortelã e limão - Corte um abacaxi


sem casca e liquidifique com água de coco, folhas de
hortelã e um limão. Coe e beba.

115
Suco de gergelim com laranja e aveia - Liquidifique uma
colher de sopa de gergelim germinado, uma colher de
sopa de aveia e meio litro de suco de laranja. Coe e
beba.

Suco de gergelim com mamão - Liquidifique uma colher de


sopa de gergelim germinado, 200 gramas de mamão e
meio litro de água de coco. Coe e beba.

Suco de gergelim com maçã - Liquidifique uma colher


de sopa de gergelim com um pouco de água de coco.
Quando estiver cremoso, acrescente duas maçãs
picadas, um limão pequeno e mais água de coco. Coe e
beba.

Outras sugestões de suco

Seguem algumas sugestões de suco para


liquidificar com água de coco ou rejuvelac, adoçando
com pouco mel quando necessário:

Abacate, broto de girassol, aveia e limão.


Abacaxi e goiaba.
Abacaxi e maracujá.
Abacaxi, limão, grama de trigo e maçã.
Banana, maçã, grama de trigo e limão.
Banana, mamão, maçã e limão.
Beterraba, laranja e mamão.
Caju e limão.
Castanha-do-pará, limão, hortelã e salsão.
Castanha-do-pará, mamão e laranja.
Cenoura e abacaxi.

116
Cenoura e água de coco.
Cenoura e limão.
Cenoura, alface, espinafre e limão.
Cenoura, beterraba e laranja.
Cenoura, beterraba e limão.
Cenoura, beterraba, pepino e limão.
Cenoura, couve e limão.
Cenoura, espinafre e limão.
Cenoura, maçã e limão.
Cenoura, maçã, folhas de beterraba e limão.
Cenoura, salsa, maçã e limão.
Cenoura, salsão, espinafre e limão.
Laranja, abacaxi e limão.
Laranja, tangerina e limão.
Limão e coentro.
Limão e grama de trigo.
Limão e couve.
Morango, laranja e limão.
Repolho, salsão e limão.
Salsão, tomate e rabanete.
Tomate, couve e pimentão verde.
Tomate, limão e maçã.
Uva e limão.

Sucos na centrífuga

Todos os sucos podem ter maçã e um limão,


que deve entrar primeiro, para evitar o escurecimento
das frutas. Sugestões:

Maçã, cenoura, limão, nabo (pouco), chuchu e couve.

117
Maçã, pepino, salsão, gengibre e limão.
Maçã, maxixe, gengibre, salsão e limão.
Maçã, grama de trigo (enrolada em uma folha de couve),
cenoura, batata-doce, repolho e limão.

Observação: O salsão é proibido para mulheres grávidas


porque pode provocar aborto.

Vegetais marinados

Prepare vegetais como abóbora, berinjela,


abobrinha, repolho, broto de feijão moyashi e de lentilha,
espinafre, couve-flor e brócolis por meio da prensagem
com as mãos. Eles ficam macios e guardam os
nutrientes, que se perdem com a fervura. Lave bem e
corte os vegetais. Coloque em uma tigela. Unte as mãos
com azeite e crescente aos vegetais um pouco de missô
ou sal e suco de limão. Amasse bem para que, com o
calor das mãos, eles fiquem parecendo que foram
cozidos. Tempere o marinado com mostarda em pó,
pimenta-caiena, orégano, cominho, coentro ou
manjericão verde ou roxo. Os marinados podem ser
guardados na geladeira de um dia para o outro. Sirva no
almoço ou no jantar. No marinado de brócolis coloque
alho, pois este vegetal tem seu efeito anti-inflamatório
potencializado quando é consumido com brócolis.

Lembre-se: dê preferência a alimentos frescos


e orgânicos; no jantar, coma apenas salada
ou beba suco; sobretudo no almoço, tente
manter a proporção de 80% de alimentos crus

118
e 20% de alimentos cozidos; tome chá antes de
dormir e inclua na dieta suplementos para
fortalecer o sistema imunológico.

119
Para encerrar...

Livrar-se da candidíase naturalmente requer


tempo e muita paciência. Por isso não pense que será
fácil seguir as dietas e os tratamentos aqui propostos.
Você precisará de muita força para resistir às tentações
e persistir até a completa cura. Não se engane com
melhoras temporárias. Siga em frente. Trabalhe a
mente, procure se distrair, vá à praia respirar aquele
arzinho rico em iodo. Converse com seu parceiro ou
parceira para que ambos sigam o tratamento de
recuperação da saúde. E, acima de tudo, não pense que
a dieta anticândida é sinônimo de passar fome. Pelo
contrário. Beba muito suco verde, coma muitos vegetais,
tome sopa, varie o cardápio. Você vai ver como o seu
corpo reage bem. Talvez no início não, mas depois de
um mês você será outra pessoa.
Lembre-se de que a cândida se abastece dos
alimentos que fermentam, como frutas, açúcar, farinha
refinada e laticínios, e que o único meio de se curar é
purificando o sangue com dieta e fortalecendo o
organismo com alimentos funcionais. Não coma açúcar,
refrigerante e doces, nem ingira frutas depois das
refeições. Quando comer fruta ou tomar suco, fique pelo
menos duas horas sem consumir nenhum alimento.
Retire todos os laticínios da dieta, com exceção do ghi e
do iogurte, que deve ser misturado com água e tomado
somente pela manhã, de preferência em jejum. Evite
cereais integrais, porque eles fermentam muito. Tome
cápsulas de lactobacilos todos os dias e, depois das

120
refeições, cápsulas de bromelina de 100 mg, que podem
ser compradas em farmácias de manipulação. Não se
esqueça nunca: sua dieta deve ter muitas verduras,
legumes, pouco arroz integral e poucas carnes em geral
(prefira peixes), numa proporção de 80% de crus e 20%
de cozidos.
Por fim, acredite na cura porque ela virá. Faça a
sua parte, que a natureza se encarregará do resto.
Saúde, paz e muita luz!

121
Referências bibliográficas

CLARK, Hulda Regehr. La cura para todas las


enfermedades. Research Association, 2003.

HIRSCH, Sonia. Deixa sair. Rio de Janeiro: Correcotia,


1996.

HIRSCH, Sonia. Só para mulheres. Rio de Janeiro:


Correcotia, 2002.

HIRSCH, Sonia. Manual do herói. Rio de Janeiro:


Correcotia, 2003.

HOLFORD, Patrick. 100% saúde. São Paulo: Madras,


2002.

HUMBLE, Jim. Milagroso suplemento mineral del


siglo 21, 2006. Mimeo.

LIMA, Elias Oliveira. Sete dias para começar a viver.


Salvador: Topline Editoração, 1993.

LORENZANI, Shirley S. Cândida: uma doença do


século XX. São Paulo: Ground, 1989.

MATOSO, Angélica. Cura natural da candidíase.


Disponível em:
www.domineseucorpo.com.br/candidiase, 2007.

MORITZ, Andréas. La sorprendente limpieza hepática y


de la vesícula. Mimeo.

122
PERIBANEZ GONZALEZ, Alberto. Lugar de médico é na
cozinha: cura e saúde pela alimentação viva. São Paulo:
Alaúde Editorial, 2008.

PÓVOA, Helion. O cérebro desconhecido: como o


sistema digestivo afeta nossas emoções, regula nossa
imunidade e funciona como um órgão inteligente. Rio de
Janeiro: Objetiva, 2002.

SERVAN-SCHREIBER, David. Anticâncer: prevenir e


vencer usando nossas defesas naturais. Rio de Janeiro:
Objetiva, 2007.

SOLEIL, Dr. Você sabe se alimentar? São Paulo:


Paulinas, 1992.

SOLLEY, Ian. I cured my candida - so can you! 2005.


Mimeo.

VIDA e natureza: tratamentos e dietas naturais. Olinda:


Edições Loyola, 1990.

TAL SCHALLER, Christian. Higiene intestinal: como ter


mais saúde com um cólon livre de toxinas. São Paulo:
Madras, 19..

TRUCOM, Conceição. Alimentação desintoxicante


para ativar o sistema imunológico. São Paulo: Alaúde,
2004.

123

Você também pode gostar