Você está na página 1de 14

Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil


INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

DESPLACAMENTO CERÂMICO EM FACHADAS PREDIAIS DE


CURITIBA - PR

(Ceramic tiles peeling of building facades in Curitiba – PR)


Djalma Sugahara1; Elmer Eduardo Arboreda Pava2; João Luís Vicentin3; Leandro Slozaski4; Lucas L.
Seckler5; Richard W. Tory6; José Alberto Cerri7
1,2,3,4,5,6,7
Programa de Pós Graduação em Patologias da Construção Civil, Departamento Acadêmico de
Construção Civil, Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, Sede Ecoville, Curitiba, Paraná
djsugahara@gmail.com; elmere.eeap@gmail.com; vicentinjl@yahoo.com.br; climberson@yahoo.com.br;
lucas-seckler@hotmail.com; richardwillian@hotmail.com; cerri.utfpr@gmail.com

Resumo
Em Curitiba, em função do clima úmido, observa-se a predominância de fachadas
revestidas por cerâmicas, pois são eficientes contra umidade, com baixo custo de
manutenção e alto apelo estético. Quando ocorrem patologias nestes sistemas de
revestimento, a mais comum é o desplacamento cerâmico. Portanto, o objetivo deste
trabalho é disseminar o conhecimento tácito dos autores sobre o tema, para fomentar a
discussão e a troca de conhecimento, possibilitando novas abordagens de pesquisa e
propostas de soluções, uma vez que esta patologia compromete o desempenho da
edificação e oferece risco à segurança das pessoas que se deslocam ao redor. O sistema de
revestimento cerâmico é composto por quatro camadas aderidas entre si e apresentam os
seguintes elementos: base ou substrato, emboço, argamassa colante, placa cerâmica e
rejunte. Na medida em que os elementos do sistema interagem entre si, um problema em
um dos elementos, afeta os outros, logo o desplacamento ocorre em função da combinação
de problemas de cada elemento, sendo fundamental conhecê-los. Os principais problemas
que ocorrem no emboço são: excesso de retração hidráulica, adulteração do traço do
material na obra, aplicação do material após prazo máximo determinado, contaminação
do traço com argila e exsudação excessiva. Os principais problemas que ocorrem com a
argamassa colante são: escolha inapropriada do material, aplicação após prazo máximo
determinado, uso do material fora do prazo de validade e preenchimento parcial da
cerâmica durante o assentamento. Os principais problemas na cerâmica e rejunte são a
falta de uso de juntas de estrutura, dessolidarização e movimentação, assim como, mau
dimensionamento das juntas de assentamento. As considerações finais contemplam que as
fachadas das edificações não sofrem com as intempéries de modo uniforme. A posição
cardeal, a arquitetura, a posição geográfica e o microclima, alterado conforme o
adensamento urbano no entorno do edifício, podem potencializar os problemas que geram
o desplacamento cerâmico.
Palavras-chave: Patologias, Fachadas, Revestimento Cerâmico

Abstract
In Curitiba, in terms of a super humid climate, there is a predominance of facades coated
ceramics, because they are effective against moisture, with low maintenance costs and high
aesthetic appeal. When conditions occur in these coating systems, the most common is
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

ceramic peeling. Therefore the aim of this work is to disseminate the tacit knowledge of the
authors on the subject, to encourage discussion among stakeholders, provide the exchange
of knowledge and thus enable new research approaches and proposed solutions as this
disease affects the performance of the building and offers risk the safety of people moving
around. The ceramic coating system consists of four layers adhered to each other and have
the following elements: base or substrate, plastering, gluing mortar, ceramic plate and
grout. In as much as the system interact with each other, a problem in one of the
components, affects the other, then the peeling occurs due to the combination of trouble for
each element, being essential to know them. The main problems that occur in the plaster
are: excess hydraulic retraction, adulteration of the material trace in the work, application
of the material after a certain deadline, trace contamination with clay and excessive
exudation. The main problems that occur with adhesive mortar are: inappropriate choice
of material, application after a certain maximum period, use of the material out-dated and
partial filling of ceramic for settlement of the pads. The main problems in the ceramic and
grout are the lack of use of structure, desolidarisation and drive joints, as well as poor
design of settlement joints. The final considerations include the facades of the buildings do
not suffer from the uniformly bad weather. The cardinal position, the architecture, the
geographical position and the micro climate change as the urban densification around the
building, may potentiate the problems that generate ceramic peeling.
Key-words: Pathologies, Facades, Ceramic Coating

1. Introdução Devido a essas inúmeras vantagens os


materiais cerâmicos foram vastamente
Dentre os vários sistemas de
empregados no revestimento de edifícios
revestimento em fachadas de edifícios,
ao longo de décadas, o que explica a
um dos que chamam atenção são os
hegemonia deste tipo de revestimentos
revestimentos em placas cerâmicas, que
em detrimento de outros, inclusive na
se destacam pelas propriedades favoráveis
cidade de Curitiba. Entende-se, portanto,
em regiões de climas úmidos, o sistema
que há maiores chances de problemas
de revestimento mais adotado é o
ocorrerem nas fachadas com esse tipo de
pastilhamento cerâmico. A cerâmica é um
revestimento.
material com baixa porosidade, o que
torna as faces externas menos permeáveis, Os problemas associados às fachadas
apresenta facilidade de limpeza e é um com materiais cerâmicos precisam de
material durável, além de se destacar pela cuidados constantes, pois a queda desse
beleza. tipo de revestimento pode causar danos
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

materiais severos ou mesmo risco a profissionais especialistas a investigação


integridade das pessoas que circulem em e a análise de todas as possibilidades.
áreas próximas a fachada, dependendo da
Neste trabalho serão abordadas as
altura de queda das peças.
principais causas do desplacamento
Quando as placas cerâmicas se cerâmico das fachadas (problema no
desprendem das fachadas fica evidente o emboço/substrato, na utilização da
problema no revestimento, afetando não argamassa de assentamento e a influência
só a estética da construção, o que é do microclima sobre os revestimentos
rapidamente percebido, mas também cerâmicos), de modo que a ação sobre
reduzindo o desempenho na proteção e na essas causas abranjam a maior parte das
impermeabilização da fachada, patologias que ocorrem nas fachadas
prejudicando a durabilidade da revestidas com material cerâmico.
construção.

Os desprendimentos de cerâmicas das


2. Objetivos
fachadas estão normalmente associados à
perda de aderência do revestimento com o Um dos objetivos do trabalho é trazer
substrato, decorrentes de problemas na à discussão o tema da patologia em
confecção da base na qual o material foi revestimentos cerâmicos, visto a
assentado, ou pela falta de aderência da relevância em termos dos riscos
argamassa de assentamento, ou ainda, envolvidos, bem como da quantidade de
pela ação climática sobre os problemas existentes em comparação com
revestimentos. outros tipos de revestimentos empregados

Essas causas podem ocorrer de forma em fachadas de edifícios. Outro objetivo é

combinada, reduzindo a eficiência do a investigação e análise das principais

sistema de revestimento, aumentando as causas das solturas das peças cerâmicas

chances da ocorrência dos das fachadas, contribuindo assim para que

desplacamentos. Assim, cabe aos sejam identificados os motivos que levam


ao desplacamento, criando condições de
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

atuação sobre as causas mais importantes, relevantes, espera-se uma redução na


resumidas em pequeno número, que incidência dos problemas verificados.
façam mitigar os problemas em grandes
proporções.
4. Sistema de Revestimento
Cerâmico em Fachadas
3. Justificativa
O sistema de revestimento cerâmico

O trabalho se pauta na justificativa da empregado na maior parte das

relevância do assunto no meio das construções nacionais consiste nos

revitalizações das fachadas, seguintes elementos:

especialmente as encontradas em
• Base (alvenaria ou concreto) ou
Curitiba, visto que a maior parte dos
substrato;
problemas identificados em fachadas com
revestimento cerâmico são os • Emboço;

descolamentos do material cerâmico,


• Argamassa colante;
alterando o desempenho estético e
impermeabilizante, além dos riscos • Placa Cerâmica;
envolvidos na queda desse material.
• Rejunte.
Também pode se justificar pela
Conforme é possível observar na
identificação das principais causas que
ilustração da figura 1 a seguir:
prejudicam o sistema de revestimento
estudado, possibilitando atuação na
prevenção, não se restringindo na
correção das falhas já ocorridas,
contribuindo para aperfeiçoamento dos
métodos executivos desse sistema.

Por fim, pelas ações preventivas que


podem ser tomadas sobre as causas mais
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

Figura 1 – Ilustração do sistema de tempo, as forças de aderência podem


revestimento em fachadas
perder intensidade ou mesmo deixar de
existir, causando o descolamento das
camadas.

5. Principais causas dos


desplacamentos cerâmicos

O desplacamento cerâmico dos


sistemas de revestimento das fachadas
ocorre devido ao conjunto de problemas
Fonte: Os autores, 2016 que se somam devido à interação dos
elementos do sistema de revestimento.
Logo, um problema que tenha origem em
Os elementos do sistema são um elemento do sistema, afeta os demais
dispostos por camadas, no qual a elementos. Sendo assim, o desplacamento
aderência entre as mesmas é essencial cerâmico do sistema ocorre em função
para alcançar as condições de dos principais problemas que ocorrem em
desempenho durante toda a vida útil da cada elemento do sistema.
edificação. O fenômeno de aderência O emboço ou substrato para
pode ser caracterizado como um processo assentamento das placas cerâmicas devem
químico, físico e mecânico que se origina ser preparados conforme a NBR
entre os diversos tipos de materiais 7200/1998, a qual orienta o procedimento
empregados no sistema de revestimento. de preparo, execução e aplicação da

A aderência entre as camadas depende argamassa. No entanto, os principais

principalmente da natureza dos materiais problemas que ocorrem no emboço são:

e da área de contato entre eles. • Excesso de retração hidráulica: O

Dependendo dos esforços a que se material possui uma propriedade

submete o sistema, com o passar do mecânica de retrair conforme o


Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

cimento reage quimicamente na • Exsudação excessiva: A reação


presença da água e libera calor. química de cristalização do
Esta retração provoca tensões cimento libera muito calor, que
internas no material que por sua por sua vez, evapora parte da água
vez são resistidas pelos outros da mistura da argamassa. Apesar
elementos do sistema de do volume de água ser pequeno,
revestimento cerâmico. Estas ela tende a ficar acumulada em
tensões também provocam fissuras, bolhas e áreas sem
fissuras no emboço que aplicação de argamassa colante.
proporcionam áreas propensas ao Essa mesma água é futuramente
acumulo de umidade. Portanto, é adsorvida pelas placas cerâmicas
importante que a argamassa do fazendo com que o ciclo
emboço esteja bem dimensionada higroscópico aumente. Outro
e executada para mitigar a problema da exsudação excessiva
ocorrência de retração hidráulica. é que a falta de água compromete
o processo de cristalização do
• Presença de argila na argamassa
cimento e por consequência,
do emboço: A argila é um
compromete a resistência
material com expansibilidade por
mecânica da argamassa. Portanto,
umidade relativamente alta. Desta
é importante que a argamassa
forma, os pontos onde há
contenha aditivo retentor de água,
contaminação da argamassa por
para que esse efeito seja aceitável.
argila sofrem expansão excessiva
que geram tensões adicionais no • Argamassa com o traço
sistema de revestimento e criam adulterado: Durante a aplicação da
bolhas no emboço, que por sua argamassa de emboço, é comum
vez, também se tornam um local colaboradores adicionarem mais
propício para acúmulo de água para melhorar a
umidade. trabalhabilidade do material.
Desta forma o fator água cimento
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

dimensionado do traço não é Figura 2 - Fissuras por retração hidráulica

atendido, e isso pode fazer com


que a argamassa não desenvolva a
resistência mecânica pretendida,
podendo chegar a não resistir às
tensões solicitadas.

• Argamassa aplicada após prazo


Fonte: comunidade da construção
máximo de aplicação: O prazo de
aplicação da argamassa é definido
pelo tempo que o cimento leva
Figura 3 - Fissuras por retração hidráulica
para iniciar sua reação química na
presença da água. Este tempo é
geralmente dimensionado para ser
entre 2 e 3 horas. Quando este
prazo não é obedecido, o processo
de aplicação da argamassa
compromete a cristalização do
cimento e a exsudação da
argamassa passa a ser maior.
Fonte: comunidade da construção
Como consequência é comum
ocorrer várias fissuras por retração A figura 4 a seguir ilustra o aspecto
hidráulica e a argamassa não físico do emboço quando há
desenvolver a resistência contaminação de argila.
desejada.

As figuras 2 e 3 a seguir ilustram a


aparência física do emboço quando o
mesmo sofreu excesso de retração
hidráulica:
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

Figura 4 - Bolha ocasionada pela presença de Argamassa colante industrializada AC


argila na argamassa do emboço
II: possui características no qual
permitem absorver os efeitos de variação
de temperatura, umidade e ação dos
ventos. Podendo ser utilizados em
ambientes internos e externos, pisos,
paredes e lajes com vãos inferiores a 5
metros.

Argamassa colante industrializada AC


III: maior poder de aderência entre as três.

Fonte: comunidade da construção Apresenta características que possibilitam


o assentamento em áreas agressivas,
A argamassa de assentamento ou
como piscinas de água quente, saunas,
argamassa colante industrializada, de
churrasqueiras e grandes placas
acordo com a ABNT NBR 14081/2004, é
cerâmicas.
definida como produto industrial, no
estado seco, composto de cimento A escolha do tipo de argamassa de
Portland, agregados minerais (areia), e assentamento é muito importante, pois a
aditivos químicos. Quando misturado médio e longo prazo, podem provocar
com água, torna-se uma massa viscosa, sérios prejuízos. Assim como a mão de
plástica e aderente, no qual podemos citar obra deverá ser qualificada ou ter um
alguns tipos de argamassa colante: mínimo de experiência, pois durante o
preparo da argamassa, deverá seguir o
Argamassa colante industrializada AC
preparo e a execução conforme as
I : deve ter como característica resistência
instruções do fabricante, obedecendo
às solicitações mecânicas e
também o tempo de trabalho da
termoigrométricas, indicado em
argamassa, fundamental para a adequada
ambientes internos e térreos. Pode ser
execução do revestimento.
utilizado em áreas úmidas.
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

Conforme a Figura 5, podemos áreas notamos o descolamento parcial do


observar uma possível falha na execução substrato de assentamento.

da argamassa de revestimento, pois toda a Figura 6 – Cerâmica descolada

argamassa ficou aderida juntamente ao


emboço, no qual é provável que, o “spot
life” ou tempo de trabalho foi
ultrapassado, em consequência diminui-se
a capacidade de aderência da argamassa
de revestimento com o tardoz da placa
cerâmica.
Fonte: Os Autores, 2016
Figura 5 – Baixa aderência entre a argamassa Figura 7 – Fachada com desplacamento do
de revestimento e a placa cerâmica revestimento cerâmico

Fonte: Os Autores, 2016

As possíveis causas deste


desplacamento podem ser:
Fonte: Os Autores, 2016

• A mão de obra, no qual, durante

Nos casos ilustrados pela Figura 6 e sua execução, não respeitou as


Figura 7 a seguir, temos situações exigências do fabricante na
semelhantes, onde grande parte da preparação da argamassa e/ou
argamassa de revestimento ainda está
aderida ao emboço, mas em pequenas
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

ultrapassou o tempo de trabalho Figura 8 - Desplacamento cerâmico

da argamassa;

• Instabilidade do suporte, devido à


acomodação da construção;

• Deformação lenta da estrutura de


concreto armado, variações
higrotérmicas e de temperatura,
características pouco resilientes
dos rejuntes;
Fonte: Os Autores, 2016
• Ausência de detalhes construtivos
(vergas, contravergas, juntas de
dessolidarização).
Contudo, somente com uma

• Utilização do cimento colante avaliação mais criteriosa, seja

vencido; visualmente ou com ensaios, é que


podemos determinar os principais fatores
• Sujeira entre os elementos do que ocasionaram o desplacamento do
sistema de revestimento cerâmico, revestimento cerâmico.
entre outros.
As fachadas dos edifícios estão
sujeitas às ações das variações de
temperatura, causadoras da dilatação
térmica, e às ações da umidade, que
originam a dilatação higroscópica ou
expansão por umidade (EPU). Como a
incidência solar, a direção dos ventos
predominantes e a incidência de chuvas
nas fachadas variam conforme sua
posição geográfica, os efeitos das
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

variações térmicas e de umidade são Segundo o Comitê de Estudos de EPU do


percebidos de modo diferente em cada CCB, choques térmicos na fachada
uma das faces dos edifícios. Influenciam ocorrem, rapidamente, dezenas de vezes
nestes efeitos ainda, as condições do em apenas um mês, contribuindo
entorno, visto que em regiões urbanas sensivelmente para a fadiga do conjunto.
mais adensadas as fachadas podem sofrer A execução de estruturas mais
sombreamentos, bem como atenuação ou esbeltas e deformáveis (inclusive com
concentração dos ventos e chuvas em maiores deformações sob o efeito do
locais específicos. Desta forma, o vento), de um modo geral, tende a
microclima no qual se inserem os influenciar o aumento das solicitações
edifícios pode contribuir para o impostas aos revestimentos aderidos.
surgimento de patologias no revestimento Para minimizar estas tensões
cerâmico de fachadas, com destaque para decorrentes da dilatação (que ocorrem
o desplacamento. com maior intensidade nos primeiros e
A dilatação térmica da estrutura e últimos andares), deve-se fazer uso de
demais componentes dos edifícios, ou juntas nas fachadas, garantindo a
mesmo a dilatação higroscópica, causam estabilidade do sistema. Estas juntas são:
tensões no sistema de revestimento de assentamento, estrutural, de
cerâmico, muitas vezes não suportadas movimentação e de dessolidarização.
pelo substrato, argamassa de Alguns critérios para previsão destas
assentamento, peças cerâmicas ou rejunte. juntas são estabelecidos na NBR
Segundo Bauer (1997), o 13.755/1996.
fenômeno da dilatação higroscópica é A junta de assentamento é o
provocado pela adsorção de água, na espaço regular entre duas placas
forma líquida ou de vapor que, ao cerâmicas adjacentes. Têm como funções
contrário da simples absorção de água principais absorver parte das tensões
retida apenas nos poros do material, provocadas pela EPU da cerâmica, pela
provoca modificações na sua própria movimentação do substrato e pela
estrutura, com aumento de volume. dilatação térmica; compensar a variação
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

de bitola da placa cerâmica, facilitando o compreensível, não aderente ao selante.


alinhamento; e garantir um perfeito De acordo com as características dos
preenchimento e estanqueidade. As materiais cerâmicos a serem utilizados, a
larguras das juntas de assentamento largura dessas juntas pode sofrer
devem ser compatíveis com o tipo da variações. A junta de movimentação deve
placa cerâmica (dimensões) e local de uso cortar o contrapiso e/ou a camada de
(interno ou externo), adotando-se ainda as regularização, em uma profundidade de
especificações do fabricante. pelo menos 25 mm abaixo do tardoz da
A junta estrutural ou de placa cerâmica. Quando a camada de
separação é o espaço entre elementos regularização for menor que 25 mm, a
estruturais e tem a função de aliviar as profundidade da junta de movimentação
tensões provocadas pela movimentação deve ser a mesma da camada de
da estrutura do edifício, devendo ser regularização.
respeitadas em posição e largura, em toda A junta de dessolidarização é o
espessura do revestimento. espaço regular com função de separar a
A junta de movimentação é o área com revestimento de outras áreas
espaço regular cuja função é subdividir o (paredes, tetos, pisos, lajes e pilares), para
revestimento, para aliviar tensões aliviar tensões provocadas pela
provocadas pela movimentação do movimentação do revestimento e/ou do
revestimento e/ou do substrato. A NBR substrato. A largura pode sofrer
13.755/1996, estabelece que devem ser variações, de acordo com as
executadas juntas de movimentação características dos materiais a serem
horizontais no máximo a cada 3 m ou a utilizados. A profundidade deve ser de
cada pé-direito; e verticais a cada 6 m no pelo menos 25 mm ou igual à espessura
máximo. As juntas de movimentação da camada de regularização; quando esta
devem ser preenchidas com selantes for menor que 25 mm, abaixo do tardoz
flexíveis, a base de poliuretano, da cerâmica, deve-se cortar a primeira
polissulfetos ou silicones, assentados camada de regularização e/ou contrapiso.
sobre um berço de material flexível e Devem ser preenchidas com selantes a
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

base de poliuretano, silicone ou Figura 9 - Tipos de juntas em sistemas de


revestimento cerâmico de fachadas
polissulfetos, assentados sobre um berço
de material flexível e compressível, sobre
o qual o selante não deve aderir. A NBR
13.755/1996 recomenda executar juntas
de dessolidarização no perímetro da área
revestida; nos cantos verticais; nas JUNTADEMOVIMENTAÇÃO

mudanças de direção do plano do


revestimento; nas mudanças dos materiais
que compõe a estrutura suporte; e no JUNTADEDESSOLIDARIZAÇÃO

encontro do revestimento com pisos,


forros, pilares, vigas ou com outro tipo de
revestimento. JUNTADEASSENTAMENTO

JUNTAESTRUTURAL

Fonte: Os Autores

6. Considerações Finais

Pelo apresentado no trabalho


pode-se considerar que o tema abordado é
relevante, por abranger um grande
número de imóveis com problemas em
revestimentos cerâmicos, sendo o
desplacamento o problema mais
recorrente observado nas fachadas de
edifícios em Curitiba.
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Sede Ecoville, Curitiba – Paraná – Brasil
INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

Foram identificadas e analisadas argamassa colante: procedimento. Rio de


Janeiro, 1996.
as principais causas que provocam as
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS
quedas dos revestimentos das fachadas, TÉCNICAS (ABNT). NBR 14081. Argamassa
Colante Industrializada para assentamento de
podendo ser resumidas em três: Placas Cerâmicas – Requisitos. 2012. 5p.
problemas no substrato no qual é
BAUER, R. J. F. Patologia em revestimentos de
assentado o revestimento, problema na argamassa inorgânica. In: SIMPÓSIO
BRASILEIRO DE TECNOLOGIA DAS
argamassa colante e por fim, a influência ARGAMASSAS. II, Salvador, 1997. Anais p.
321-33.
do microclima que atua nas fachadas dos
CENTRO CERÂMICO DO BRASIL (CCB).
edifícios, que podem atuar de forma Disponível em <www.ccb.org.br>, acesso em
combinadas. abril/2016.

COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO.
A redução dos problemas passa Disponível em
<www.comunidadedaconstrucao.com.br/ >,
pela atuação sobre as principais causas acesso em abril/2016.
que são responsáveis pela maior parte das
ROSCOE, Márcia Taveira. Patologias em
patologias nesse tipo de revestimento. revestimento cerâmico de fachada. 2008. 80p.
Monografia de Especialização em Construção
Como os revestimentos já estão Civil – Escola de Engenharia da Universidade
Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2008.
executados, cabe realizar manutenções
SOUZA, M.F. Patologias ocasionadas pela
preventivas a fim de se mitigar os riscos umidade nas edificações. 2008. 64f. Monografia
de eventuais quedas de peças das (Especialização em Construção Civil) -
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo
fachadas. Horizonte, 2008.

Referências Bibliográficas

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS


TÉCNICAS. NBR 7200. Execução de
Revestimento de Paredes Tetos de Argamassas
Inorgânicas – Procedimento. 1998. 13p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS


TÉCNICAS (ABNT). NBR 13.755.
Revestimento de paredes externas e fachadas
com placas cerâmicas e com utilização de