Você está na página 1de 13

Uma revisão

dos sete hábitos

OS SETE DONS ESPECIAIS DOS SERES


HUMANOS
Uma forma de rever os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes é
identificar a capacidade humana particular ou qualidade associadas a
cada hábito.
Aquelas que estão associadas aos Hábitos 1, 2 e 3 são qualidades
humanas primárias. E se essas qualidades forem postas em prática de
forma adequada, qualidades secundárias serão concedidas à pessoa pela
prática dos Hábitos 4, 5 e 6. E a qualidade associada ao Hábito 7 renova
o processo de crescimento e desenvolvimento.
As qualidades humanas primárias são (l) autoconsciência ou
autoconhecimento; (2) imaginação e consciência; (3) volição ou força
de vontade. As qualidades secundárias são (4) uma mentalidade de
abundância; (5) coragem e consideração; e (6) criatividade. A sétima
qualidade é a auto-renovação. Todas são qualidades humanas — os
animais não as possuem —, porém todas se encontram num contínuo
que vai do nível inferior ao mais elevado.
LIDERANÇA BASEADA EM PRINCÍPIOS

Contínuo de Maturidade dos Sete Hábitos

RELATIVO AO HÁBITO 1: Ser Proativoéo Dom Natural do


autoconhecimento ou autoconsciência — uma capacidade de escolher
sua resposta (capacidade de resposta). Na extremidade inferior do
contínuo estão as pessoas pouco eficazes que transferem a
responsabilidade lançando a culpa sobre os outros, sobre os
acontecimentos ou seu ambiente — sobre qualquer coisa ou qualquer
pessoa "lá fora" de forma a não assumirem a responsabilidade pelos
resultados. Se eu lhe culpar, na verdade o estarei
Uma revisão os

s ete hábitos 17

fortalecendo. Emprestando minha força à sua fraqueza, poderei então


fabricar provas que apóiem minha percepção de que o problema é você.
Na extremidade mais elevada do contínuo a caminho da eficácia
crescente está a autoconsciência. "Conheço minhas tendências, conheço
os roteiros ou programas que estão em mim, mas não sou esses roteiros,
posso reescrever meus próprios roteiros. " Você tem consciência de que
você é a força criativa em sua vida e não a vítima de condições ou
condicionamentos. Você pode escolher sua resposta a qualquer
situação, a qualquer pessoa. Entre a sua resposta e o que lhe acontece
existe determinado grau de liberdade, e quanto mais você exercer essa
liberdade, maior ela se tornará. A medida que trabalha em seu círculo
de influência e exerce essa liberdade, gradualmente você deixará de
reagir "impulsivamente" (isto é, com um intervalo muito pequeno entre
estímulo e resposta) e começará a ser uma pessoa que escolhe com
calma e tranqüilidade, não importando a sua herança genética, não
importando a forma pela qual foi educada, apesar das experiências de
sua infância e de seu ambiente. Em sua liberdade de escolher sua
resposta está o poder de alcançar o desenvolvimento e a felicidade.
Imagine o que poderia acontecer se você conseguisse fazer com que
todas as pessoas numa empresa atuassem de boa vontade segundo o
princípio que determina: "A qualidade começa em mim. Preciso tomar
minhas decisões com base em princípios e valores cuidadosamente
selecionados." A proatividade cultiva essa liberdade. Ela subordina seus
sentimentos a seus valores. Você aceita seus sentimentos: "Estou
frustrado, estou com raiva, estou aborrecido. Aceito esses sentimentos,
não os nego nem os reprimo. Agora sei o que preciso fazer, sou
responsável. " Este é o princípio: "Sou capaz de responder às situações.'
Uma revisão os

Portanto, no contínuo você passa de vítima ao poder criativo e


autodeterminativo através da autoconsciência do poder de escolher sua
resposta a qualquer condição ou condicionamento.

RELATIVO AO HÁBITO 2: Começar com o Objetivo em Mente é o


dom natural da imaginação e da consciência. Se você é o programador,
escreva o programa. Decida o que vai fazer com o tempo, talento e
instrumentos que possui para trabalhar: "Dentro de meu pequeno
círculo de influência sou eu quem vai decidir."
18 LIDERANÇA BASEADA EM PRINCÍPIOS
Na extremidade inferior do contínuo está o sentido de futilidade em
relação aos objetivos, propósitos e esforços de desenvolvimento. Afinal,
se você for uma vítima consumada, se você for o produto do que lhe
aconteceu, então, de forma realista, o que poderá fazer a respeito de
qualquer coisa? E assim você perambula pela vida esperando que as
coisas dêem certo, que o ambiente seja positivo, para poder ganhar o
pão de cada dia e talvez alguns frutos positivos.
Na outra extremidade está o sentido de esperança e propósito: "Eu
criei o futuro em minha mente. Sou capaz de vê-lo e de imaginar como
será." Os animais não possuem essa capacidade, podem instintivamente
colher nozes para o inverno, mas não são capazes de criar uma máquina
de fazer nozes, nem perguntam: "Por que não faço nozes? Por que não
coloco uma outra pessoa para colher nozes para mim?" Apenas os seres
humanos consideram essas questões. Apenas as pessoas possuem a
capacidade de imaginar um novo curso de ação e trilhá-lo
conscienciosamente.
Por que consciência? Porque para ser muito eficaz, é preciso que sua
consciência monitore tudo quanto você imagina, prevê ou constrói.
Aqueles que tentam exercer a criatividade sem consciência, inevitavel
mente criam coisas pelas quais a consciência não pode responder. No
mínimo, trocam seus talentos criativos por "mercadorias enlatadas",
utilizando sua criatividade — imaginação aplicada e afirmativas visuais
— para obter coisas materiais ou recompensas sociais. Tornam-se então
irremediavelmente desequilibrados, poderão recitar as falas do texto do
equilíbrio da vida, mas na verdade seus mandamentos são escritos nas
frágeis tábuas carnais de seus rancores.
Para mim é compensador ver que a maioria dos atores premiados
pela Academia demonstra criatividade com consciência. Por exemplo,
Dança com Lobos, de Kevin Costner, apresentou uma bela declaração
a respeito dos indígenas norte-americanos. A Academia sabe que a
indústria do cinema exerce enorme influência e que, em conseqüência,
o poder criativo deve ter consciência de sua responsabilidade social.
Pratique utilizando essas duas capacidades humanas sem par: em
primeiro lugar veja-se indo para o escritório à tarde ou para casa à noite,
Uma revisão os
defrontando-se com uma terrível situação. Sua casa está numa
desordem tremenda, todos deixaram de executar suas tarefas, nenhum
compromisso foi cumprido e você está se sentindo cansado e abatido.
sele

Agora, imagine-se reagindo a essa realidade de forma madura, sábia e


controlada. Veja o efeito que isso terá sobre os outros. Você não se limitou
a apontar as faltas, começou a tomar providências. Esteve sempre alegre,
cooperativo e agradável. Seu comportamento então atiçará a consciência
dos outros e fará com que as conseqüências acordadas entre as partes
ocorram.
Você acaba de utilizar duas capacidades humanas únicas: imaginação
e consciência. Você não confiou apenas na memória, se tivesse confiado
na memória ou na história poderia ter perdido a calma, julgado os outros
e piorado a situação. Existem recordações envolvidas em suas respostas
passadas aos mesmos estímulos. As recordações o prendem a seu passado.
A imaginação lhe indica seu futuro. Seu potencial é ilimitado, mas
potencializar é trazer à tona suas capacidades não importando quais sejam
as condições.
No livro Man's Searchfor Meaning, Victor Frankl, o psiquia tra
austríaco preso nos campos de extermínio da Alemanha Nazista na
Segunda Guerra Mundial, conta como exerceu a capacidade de escolher
sua resposta a suas terríveis condições. Um dia seu corpo foi submetido a
experiências e ele descobriu: "Tenho a capacidade de escolher", e buscou
um sentido, acreditou que se você tiver um sentido (propósito ou causa),
se tiver um porquê poderá sobreviver a tudo.
O desenvolvimento de sua vida profissional resultou desse insight.
Tinha sido educado na tradição freudiana do determinismo psíquico e
descobriu que essa tradição era falsa, não se baseava em fatos científicos,
vinha do estudo de pessoas doentes, neuróticas e psicóticas, e não do
estudo de pessoas saudáveis, criativas e eficazes. Não recorreu a suas
recordações como referência e sim à sua imaginação e à sua consciência.
20 LIDERANÇA BASEADA EM PRINCÍPIOS
Você também poderá progredir ao longo do contínuo, da futilidade e
antigos hábitos para a fé, a esperança e a segurança interna através do
exercício da consciência e da imaginação.

RELATIVO AO HÁBITO 3: Colocaras Coisas Mais Importantes em


Primeiro Lugar é a qualidade da força de vontade. Na extremidade inferior
do contínuo está a vida pouco eficaz, fragmentada, flutuante, à deriva,
evitando a responsabilidade e encontrando a saída mais fácil, exercendo

pouca iniciativa e força de vontade. E na extremidade superior está um


vida muito disciplinada que tem como foco principal as atividades alta
mente importantes, porém não necessariamente urgentes, da vida. Essa
uma vida de equilíbrio e influência.

Você passa de vítima aos recursos criativos, da futilidade à esperança


assentamento, da dispersão à disciplina — Hábitos 1, 2, 3. O Hábito 1 fa
uso da autoconsciência ou do autoconhecimento. 0 2 faz uso da consciên
cia e da imaginação, e 0 3 utiliza a força de vontade. Essas são qualidade
humanas únicas que os animais não possuem. No contínuo, você vai da si
tuação de ser guiado pelas crises e pela força dos não-posso ou não-quero
concentração nas coisas importantes, porém não necessariamente urgente
de sua vida, com aforça de vontade necessária para realizá-las.

DAS QUALIDADES PRIMÁRIAS Às SECUNDÁRIAS


A prática das qualidades humanas primárias lhe dá a capacidade de utilizar
as secundárias de forma mais eficaz.

RELATIVO AO HÁBITO 4: Pensar em Ganha-Ganha (em benefícios


mútuos) é a qualidade de uma mentalidade de abundância. Por quê? Porque
sua segurança vem de princípios. Tudo é visto através de princípios.
Quando sua esposa comete um erro, você não toma uma atitude de
acusador. Por quê? Porque a sua segurança não vem do fato de sua esposa
Uma revisão os
corresponder às suas expectativas. Se seu filho, seu cônjuge, sua amiga ou
seu patrão cometem um erro, você não adota uma atitude acusadora, você
os olha com compaixão. Por quê? Porque sua segurança não vem deles,
ela vem de dentro de você mesmo. Você é orientado por princípios.
A medida que as pessoas tornam-se gradualmente mais baseadas em
princípios, passam a gostar de compartilhar reconhecimento e força. Por
quê? Porque não se trata de uma esfera limitada, e sim de uma esfera cada
vez mais ampla. O paradigma e pressuposição básicos sobre recursos
limitados é imperfeito. As grandes capacidades das pessoas dificilmente
são exploradas. A mentalidade de abundância produz mais lucro, força e
reconhecimento para todos.
22 LIDERANÇA BASEADA EM
s ete 21

No contínuo, você passa da escassez à mentalidade de abundância


através de sentimentos de auto-estima intrínsecos e de um desejo
benevolente de benefícios mútuos.

RELATIVO AO HÁBITO 5: Procure Primeiro Compreender, e Depois Ser


Compreendido é o dom da coragem temperada pela consideração. E
necesSário ter coragem e consideração para não ser compreendido
primeiro? Pense sobre isso. Pense sobre os problemas que enfrenta.
Você em geral pensa: "Você precisa me compreender, mas não
compreende. Eu lhe compreendo mas você não me compreende.
Portanto deixe-me contar minha história primeiro e então poderá dizer
o que quiser. " E a outra pessoa diz: "Muito bem, vou tentar entender. "
Mas todo tempo em que estão 'escutando", na verdade estão preparando
suas respostas. Estão apenas fingindo escutar, escutando seletivamente.
Quando você mostra as cenas que filmou com sua câmera ou mostra a
alguém um capítulo de sua autobiografia dizendo: "Vou contar minhas
experiências", a outra pessoa só estará sintonizada caso se sinta
compreendida.
O que acontece quando você escuta verdadeiramente uma outra
pessoa? Todo o relacionamento se transforma: "Começaram a me
escutar e pareciam saborear minhas palavras. Não concordavam nem
discordavam, apenas escutavam. Senti como se vissem o mundo da
mesma forma que eu. E nesse processo, encontrei-me a escutar a mim
mesmo. Comecei a descobrir em mim algum valor. "
A causa principal dos problemas de quase todas as pessoas é
basicamente a comunicação; as pessoas não escutam com empatia.
Escutam do interior de sua autobiografia. Faltam-lhes a habilidade e a
atitude de empatia. Necessitam de aprovação; não têm coragem. Dentro
de seu quadro de referências, afirmam: "O que posso fazer para
satisfazer a essa pessoa? Ela tem essa grande necessidade de controle.
Espere um pouco, eu sou o gerente, sou eu quem controla. Não vim para
escutar, vim para falar. Quando quiser a sua opinião, eu lhe direi. " A
Uma revisão os
capacidade de escutar primeiro exige controle, respeito e consideração.
A habilidade de fazer-se compreendido requer coragem e consideração.
No cotidiano, você passa de instintos do tipo lute e fuja a uma
comunicação madura em duas vias onde a coragem é temperada pela
consideração.
PRINCíPIC

RELATIVO AO HÁBITO 6: Criar Sinergia é a qualidade de ser


criativo capacidade de criar alguma coisa. Como? Por si próprio?
Não, através ( comunicação de duas mentes que se respeitam,
produzindo soluções mu to melhores do que as inicialmente
propostas. A maior parte das negoci ções é uma barganha de
posições, e resulta, na melhor das hipóteses, e: acomodação. Mas
quando você entra numa comunicação sinérgica sai sua posição,
compreende as necessidades e interesses'básicos subjacent{ e
encontra soluções que o satisfaçam.
Dois professores em Harvard, Roger Fisher e William Ury, em
seu livr Getting to Yes, delineiam uma abordagem totalmente nova à
negociaçã( Em vez de assumir duas posições opostas do tipo: "Eu
quero a janela abe ta." "Não, fechada." "Não, aberta." Com ocasionais
acomodações (mei aberta parte do tempo) os autores vêem a
possibilidade de sinergia. "Pc que você quer a janela aberta?" "Bem,
porque gosto de ar fresco." "Por qu você quer a janela fechada?"
"Porque não gosto de corrente de ar." "O qu poderemos fazer para que
tenhamos ar fresco sem corrente de ar?" Dua pessoas criativas que se
respeitam e se compreendem mutuamente pode riam dizer: "Vamos
abrir a janela na outra sala. Vamos rearrumar a mobília Vamos abrir a
parte de cima da janela. Vamos ligar o ar-condicionado!
Procuram novas alternativas porque não estão defendendo posições.
Sempre que houver uma diferença, diga: "Vamos ter uma
discussã( sinérgica na base ganha-ganha. Vamos nos escutar
mutuamente. Qual é sua necessidade?" "Bem, estou com vontade de
ver este tipo de filme. você?" Talvez você encontre um filme ou
alguma outra atividade que satisfaça a ambos. Você faz com que as
24 LIDERANÇA BASEADA EM
pessoas comecem a pensar. E se você adquirir o espírito de trabalho
em grupo, começará a construir uma forte ligação, uma conta bancária
emocional, e as pessoas sempre concordam em deixar desejos
imediatos em segundo lugar para dar precedência a relacionamentos
duráveis.
Um dos mais importantes compromissos numa família ou num
negócio é nunca falar mal de ninguém. Seja sempre leal aos que estão
ausentes, caso queira conservar os que estão presentes. E se você tiver
problemas, vá diretamente às pessoas para solucioná-los. Se você se
recusar a falar mal de alguém pelas costas para outra pessoa, o que
essa pessoa ficará sabendo? Que quando alguém falar mal dela pelas
costas, você não vai aderir.
sete hábitos 23

Por exemplo, quando ocorrem mortes, divórcios e novos


casamentos, existem tipicamente muitos sentimentos tensos nas
famílias quanto aos acertos de contas. Os membros das famílias que
se sentem prejudicados ou tripudiados muitas vezes dizem coisas
desagradáveis sobre outros membros da família. Pense quanta dor e
angústia poderiam ser poupadas se os membros da família adotassem
dois princípios: (l) Pessoas e relacionamentos em nossa família são
mais importantes do que coisas (pessoas em seus leitos de morte
nunca falam sobre passar mais tempo no escritório, falam sobre
relacionamentos); e (2) Quando temos qualquer dificuldade ou
diferença, vamos diretamente à pessoa. Somos responsáveis por
nossas próprias atitudes e comportamentos, e podemos escolher
nossas respostas a essa circunstância. Com coragem e consideração,
nos comunicaremos abertamente uns com os ou tros e tentaremos
chegar a soluções ganha-ganha.
Continuamente você passa de uma comunicação defensiva a
transaÇões conciliatórias, a alternativas criativas e sinérgicas, e a
transformações.
Uma revisão os
RELATIVO AO HÁBITO 7: Afinar o instrumento é o dom
inigualável da melhoria contínua e da auto-renovação para vencer a
entropia. Se você não se aperfeiçoar e se renovar constantemente,
cairá na entropia, com sistemas e estilos fechados. Numa das
extremidades do contínuo está a entropia (fracionamento) e na outra
está o desenvolvimento, a inovação e o refinamento contínuos.
Meu propósito ao rever os "Sete Hábitos" é que você utilize as
sete qualidades humanas únicas a eles associadas para abençoar e
beneficiar as vidas de muitas outras pessoas.