Você está na página 1de 10

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE - UFS

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA – CCET


DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS – DTA

ATIVIDADE CATALÍTICA DAS ENZIMAS

FLÁVIA LUIZA ARAÚJO TAVARES DA SILVA


PAULA GABRIELLE REIS SANTOS

SÃO CRISTÓVÃO-SE
2019
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE - UFS
CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA – CCET
DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS – DTA

FLÁVIA LUIZA ARAÚJO TAVARES DA SILVA


PAULA GABRIELLE REIS SANTOS

ATIVIDADE CATALÍTICA DAS ENZIMAS

Relatório solicitado pelo professor


doutor Marcelo Augusto Gutierrez Carnelossi,
da disciplina Bioquímica de Alimentos I,
turma 01; referente ao experimento realizado
em 13 de Maio de 2019, como pré-requisito
para conclusão do curso.

SÃO CRISTÓVÃO-SE
2019
SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO ..................................................................................4
2. OBJETIVOS.........................................................................................4
3. MATERIAIS E MÉTODOS.................................................................4
4. RESULTADOS E DISCUSSÕES........................................................5
5. CONCLUSÃO......................................................................................5
REFERÊNCIAS....................................................................................6
4

1. INTRODUÇÃO
As enzimas são catalisadores biológicos poderosos e específicos. De
natureza proteica, aumenta a sua velocidade de reação sem afetar o equilíbrio (
Figura 1).
FIGURA 1: reação de equilíbrio da enzima

Autor: NELSON, DAVID L et al(2014)


Com menor gasto de energia de ativação. Essa energia de ativação pode
ser descrita no diagrama (Figura 2) que representa a variação de energia das
enzimas com catalizador e sem catalizador. (NELSON, DAVID L et al 2014)

Figura 2 Ativação de energia da enzima

FONTE: ALEXG (2007)


A cinética enzimática é um do mecanismo importante para verificar a
velocidade de reação das enzimas e como ela se modifica em resposta as
mudanças. (NELSON, DAVID L et al 2014)
Um fator importante que afeta a velocidade da reação catalítica é a
quantidade de concentração de substrato (S) que modifica durante o curso de
uma reação à medida que é convertido em produto, ou seja, para que a reação
enzimática ocorra a enzima (E) tem que se encontrar com o (S) e formar um
complexo enzima substrato (ES) (NELSON, DAVID L et al 2014)
Em 1903 Victor Henri conclui que uma enzima combina com seu
substrato para formar um complexo ES, como um passo essencial na catálise
5

enzimática. Seguindo os mesmos passos Leonor Michaelis e Maud Menten, em


1913 os dois determinaram que a (E) combinasse de forma reversível com o (S),
formando um complexo ES em uma etapa relativamente rápida (FIGURA 3):
(FOOD INGREDIENTS BRASIL, 2011)
FIGURA 3: Velocidade da reação do complexo ES

FONTE: NELSON, DAVID L et al 2014


Sendo o complexo ES posteriormente separado formando enzima e
produto, de uma forma mais lenta (FIGURA 4):
FIGURA 4: Complexo ES formando enzima mais produto

FONTE: NELSON, DAVID L et al 2014


Então os cientistas chegaram a essa relação entre a concentração e a
velocidade da reação pode ser expressa (FIGURA 5):
FIGURA 5: Equação de Menten

FONTE: NELSON, DAVID L et al 2014

A equação de Menten pode ser expressa por uma curva. A curva de


Menten expressa a relação entre S e velocidade inicial V0 onde forma uma
hipérbole retangular a FIGURA 6 . Se a velocidade inicial da reação é medida
sobre uma escala de concentrações de substrato S, a velocidade de reação v
aumenta com o acréscimo de S. Todavia, à medida que S aumenta, a enzima
satura-se e a velocidade atinge o valor máximo Vmax. (NELSON, DAVID L et
al 2014)
FIGURA 6: depedencia da velocidade inicial da concentração de substrato

Autor: NELSON, DAVID L et al 2014


6

2. OBJETIVOS
Verificar o efeito da concentração da sacarose na atividade da B-frutofuranosidase
ou invertase de Saccharomyces cerevisiae. Determinar o Km e Vmáx de uma enzima.

3. MATERIAIS E MÉTODOS
Materiais
-Tubos de ensaio, pipetas, banho maria, termômetro,
- Solução de sacarose 10 mg/mL em Tampão acetato 0,1 M pH 5,0
- Solução de invertase de levedura Saccharomyces cerevisiae em Bicarbonato de
sódio 0,15 mol/L
- Solução de DNS.
Procedimento Experimental
Foi colocado 4mL da solução de sacarose 10 mg/mL em Tampão acetato 0,1 M
pH 5,0, já preparada, em cada tubo, foi incubado por 10 min a 40ºC para
equilibrar da temperatura. Após equilibrar a temperatura adicionou-se 1,0 mL de
invertase na diluição 0,5x10-3 mg/mL, homogeneizou e retomou para a
incubação a 40ºC por 30 minutos. Retirada da incubação, os tubos seguiram para
um banho de gelo, para inibir a reação. Depois de resfriado, adicionou-se 4,0 mL
de DNS e levou-se para o banho maria por mais 10 minutos. Esperado resfriar,
foi retirado 1mL da mistura, adicionado em um tubo, completado com 9mL de
água e seguiu-se para a leitura da absorbância a 570nm.

4. RESULTADOS E DISCUSSÃO
Para encontrar a velocidade inicial (Tabela 02), foi feita o cálculo da
concentração de glicose através da equação padrão da reta, y = 2,1243x + 0,0289.
Sendo y a leitura da absorbância, 570 nm (Tabela 01).

Tabela 01: Leitura da absorbância por concentração de substrato


7

Tabela 02: Concentração de substrato por velocidade inicial


CONCENTRAÇÃO DE SUBSTRATO V0 (G/L.MIN)
(G/L)
0 1,21 x 10-6
1 2,01 x 10-6
2 2,78 x 10-6
3 3,56 x 10-6
4 4,63 x 10-6
5 4,79 x 10-6
6 5,44 x 10-6
7 6,20 x 10-6
8 6,60 x 10-6
9 7,19 x 10-6
10 7,66 x 10-6

Através da curva cinética obtida na prática (Figura 01), é possível identificar que
a reação não atinge a sua velocidade máxima.

Figura 01: Curva cinética de representativa de enzimas de Michaelis Menten


8

Curva cinética de representativa de enzimas de


Michaelis Menten

0.000009

0.000008

0.000007
VELOCIDADE (G/L.MIN)

0.000006

0.000005

0.000004

0.000003

0.000002

0.000001

0
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
CONCENTRAÇÃO DE SUBSTRATO (G/L)

Figura 02: Curva Experimental da Glicose

Curva Experimental da Glicose y = 451633x + 91483


R² = 0.9128
600000

500000

400000
1/[V]

300000

200000

100000

0
0 0.2 0.4 0.6 0.8 1 1.2
1/[S]

Considerando 1/V0=0, temos que 1/Vmáx=91483, assim Vmáx= 0,1x10-4 mg/min.


E para achar o Km, temos que Km/Vmáx=451633, assim Km= 4,516.
9

5. CONCLUSÃO

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
FOOD INGREDIENTES BRASIL. Enzimas: natureza e ação nos alimentos.
2011. Disponível em < http://www.revista-fi.com/materias/166.pdf>. Acessado em
24 de maio de 2019
Nelson, David L.; COX, Michael M. Princípios de bioquímica
de Lehninger. Porto Alegre: Artmed, 2011. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014. Pg
200, 203
10