Você está na página 1de 48

Edição Lisboa • Ano XXX • n.º 10.

615 • 1,30€ • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • Director: Manuel Carvalho Adjuntos: Amílcar Correia, Ana Sá Lopes, David Pontes, Tiago Luz Pedro Directora de Arte: Sónia Matos

ARCOlisboa Suplemento
Das bolsas de estudo
A arte às salas de amamentação.
Como as escolas de negócios
africana estão a atrair mulheres
está na Consulte a lista com
moda mais de 800 cursos criados
para formar executivos
Destaque, 2/3
Até 40 mil euros, há cursos
para todas as carteiras

Parlamento
NUNO FERREIRA SANTOS

Europeias
Rio no Tejo
Política de Defesa.
A América continua a ser
encaminha
a nação insubstituível
Análise de Teresa de Sousa
audição
de Berardo
p 10 a 16

para a justiça
Presidente da comissão de inquérito à
Caixa Geral de Depósitos, Luís Leite
Ramos, pediu a transcrição urgente da
audição para que possam ser avaliados
eventuais indícios de crime Política, 8

Fisco: director Temos das


em Lisboa está escolas privadas
em substituição mais elitistas
há 1500 dias da OCDE
Equipa de Centeno tem a Estudo compara estatuto
lista de Änalistas há cerca de socioeconómico dos alunos
um ano. Lei prevê 45 dias do ensino público e privado
para a nomeação p24 em mais de 50 países p17
PUBLICIDADE

ISNN-0872-1548

2477640c-f78c-48f5-9ad7-306480d5b759
2 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

DESTAQUE
ARTE CONTEMPORÂNEA

A arte africana
está na moda
e chegou
à ARCOlisboa
Pela primeira vez, a grande feira de arte portuguesa dedica um
foco a África, tentando captar um mercado para o qual Lisboa
acredita poder ser porta de entrada. Há galerias de Angola e de
Moçambique, mas também do Uganda ou da África do Sul
africana está a crescer juntos dos leilão da Sotheby’s dedicado à arte como nas estrangeiras Narrative Pro- trazer galerias do continente e não
Isabel Salema curadores, dos coleccionadores e das africana, foram estabelecidos novos jects (Reino Unido), Sabrina Amrani tanto galerias de Londres ou Paris
instituições culturais. O que nós faze- recordes para 11 artistas. (Espanha) e Zilberman (Alemanha). que representam artistas africanos.

C
abe à angolana Paula Nasci- mos é levar isso até ao mercado”, Já na sua quarta edição, a ARCO- De Luanda chegam a This Is Not a Acho que chegámos a um número
mento, a única curadora afri- reconheceu ao PÚBLICO a espanhola Lisboa inclui em 2019 pela primeira White Cube, a Movart e a Jahmek; de bom para uma primeira edição.”
cana que até hoje conseguiu Maribel López, que se estreia na vez galerias africanas, apostando Maputo vem a Arte de Gema, da Cida- Em Luanda e Maputo, diz Paula
arrebatar um Leão de Ouro direcção da feira de Lisboa, inaugu- numa especialização, à imagem da de do Cabo a Momo e de Kampala a Nascimento, não existem muitas mais
na Bienal de Arte de Veneza rada ao Ænal da tarde de ontem pelo ARCOmadrid — responsável pela Afriart. No total, representam cerca galerias comerciais que pudessem
para o continente, organizar primeiro-ministro, António Costa, organização da feira lisboeta —, que de 20 artistas. estar em Lisboa: a curadora estima
a nova secção dedicada a África na que ali garantiu que 2019 “vai ser tem um foco na América Latina. Entre A selecção foi um processo nego- que haja quatro na capital angolana
ARCOlisboa, a mais importante feira mesmo o ano em que o Estado vai as 52 galerias do programa geral, é ciado, porque já começou um pouco e duas na moçambicana, enquanto
de arte contemporânea nacional, que voltar a adquirir arte contemporâ- possível encontrar cinco do continen- tarde, explica ao PÚBLICO Paula Nas- na África do Sul existirão mais de
junta 71 galerias de 17 países na Cor- nea”, através do fundo de 300 mil te africano: duas são angolanas, as cimento. Com a candidatura das gale- duas dezenas. “Obviamente que os
doaria Nacional até domingo. O pré- euros prometido no ano passado. outras dividem-se por Moçambique, rias da lusofonia garantida, Æzeram-se artistas e galeristas de Luanda e de
mio máximo atribuído há seis anos a Números gerais das transacções de África do Sul e Uganda. Há ainda uma contactos para alargar a geograÆa à Maputo conhecem o contexto lisboe-
Angola é considerado um momento- arte no mercado lusófono não são sexta galeria, também angolana, que África do Sul, ao Zimbabwe e à Costa ta, passando alguns por aqui no seu
chave do crescendo de visibilidade da conhecidos, aÆrma a curadora Paula foi incluída na secção Opening, dedi- do MarÆm. “A ideia era conseguir caminho de internacionalização.”
arte africana, considerou um estudo Nascimento. Mas se os valores do cada às galerias mais jovens. E ainda uma selecção diversa, quebrando a
feito pela empresa Artprice, tendo mercado de arte africana são mais artistas africanos, ou afro-descenden- fronteira linguística, mas algumas já Ser o centro do Sul
pesado muito na escolha da curadora baixos do que os do mercado geral, tes, principalmente angolanos, nas tinham o processo Ænalizado para A artista portuguesa Ângela Ferreira,
do programa África em Foco da feira acrescenta Maribel López, eles estão portuguesas Carlos Carvalho, Cristina outras feiras e acabaram por não estar nascida em Maputo em 1958, é com-
portuguesa. “O interesse pela arte em crescimento. Em Abril, no último Guerra ou Filomena Soares, bem disponíveis. A minha prioridade foi pletamente a favor deste foco em
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 3

RUI GAUDÊNCIO
nhos feitos com faíscas do luso-ango- Com um passaporte também sul-
lano Pedro Pires estão à venda por
quatro mil euros.
Além das questões africano, Ângela Ferreira nota a
ausência de galerias históricas como
“Tento apagar essas questões pós- de género, o que a Goodman, que abriu em 1966 em
coloniais. É só um corpo”, diz o artis-
t a Ja nu á r i o Ja n o, qu e v ive está na moda é a Joanesburgo e representa nomes
como a portuguesa Grada Kilomba,
entre Luanda e Londres, sobre a obra
Vitruviano, uma instalação com 32
arte que aborda os ligada à diáspora africana, ou com o
peso do sul-africano William Kentrid-
fotograÆas e um objecto que perten-
cia à sua avó à venda por 14 mil euros
problemas de raça. E ge. Ela, que já foi representada pela
galeria Stevenson, outra referência na
na This is Not a White Cube. “Nun- Lisboa permite fazer África do Sul, justiÆca a proeminência
ca sabemos se é homem ou mulher,
negro ou branco. O que é que vamos conexões com tudo de Angola por ser o único dos países
lusófonos que já conseguiu fazer
ser no futuro?”, acrescenta. Na mes-
ma galeria, há uma pintura do ango-
o que é África ingressar a sua arte contemporânea
no mercado global: “Angola está no
lano Cristiano Mangovo à venda por Ângela Ferreria ponto da internacionalização total.
sete mil euros; no ano passado, o Artista Os seus agentes não precisam de falar
artista atingiu os 32.500 euros num português para entrarem no mercado
leilão da francesa Piasa. Mas a direc-
tora da galeria, Sónia Ribeiro, diz que O programa [África global; já Moçambique e a Guiné ain-
da precisam de canais como a ARCO-
não se pode guiar apenas pelos recor-
des dos leilões, reconhecendo que os
em Foco] pode ser lisboa.” Não vê, para já, nenhum
contra no programa que já foi apre-
preços na feira estão mais baixos.
“Basta olhar para o mapa da Penín-
mais prejudicial do sentado pela feira: “It’s a good thing.
Mas feiras são feiras, é para vender
sula Ibérica para perceber como Por- que benéfico porque arte.”
tugal e Espanha precisam de África e
da América Latina. Se não houver o é uma presença Esta não é a primeira vez que se
tenta que Portugal funcione como
Sul nós somos periféricos. Só somos
o centro com estas ligações. Faltava-
bastante porta de entrada para África. Há mais
de uma década, com a desaparecida
nos algo que nos distinguisse num
mundo cheio de feiras”, diz Cristina
neolusotropicalista feira Arte Lisboa, procurou-se, de
uma forma muito incipiente, que Por-
Guerra, em cuja galeria podemos ver António Pinto Ribeiro tugal Æzesse essa ponte, com o convi-
uma pintura do angolano Yonamine Programador te pontual a uma ou outra galeria
(32 mil euros) e obras da luso-africana lusófona. “Mas a ARCO, com a expe-
Ângela Ferreira (uma escultura por
dez mil), como a própria se deÆne. Os artistas riência de Madrid, tem um poder de
manobra muito maior na globalidade

“It’s a good thing” e galeristas da arte contemporânea”, defende


Ângela Ferreira. “A ARCOmadrid não
António Pinto Ribeiro, um progra-
mador pioneiro na relação com Áfri-
de Luanda e de é a feira mais importante, como a
ArtBasel, [Suíça], mas é bastante rele-
ca, receia que esta possa ser “uma Maputo conhecem vante.” Dada a relação com a América

África da ARCOlisboa, onde mostra Stand da galeria angolana This


presença fetichista”, diz-nos numa
conversa telefónica. “Independen- o contexto lisboeta, Latina, “eles já estão habituados a
trabalhar com o Sul global à escala de
trabalhos na galeria moçambicana e
na portuguesa Cristina Guerra. “Para
Is Not a White Cube, com obras
dos artistas Patrick Bongoy e
temente das boas intenções, [o pro-
grama África em Foco] pode ser mais
passando alguns um continente”, nota, o que pode
ajudar a deÆnir um modelo focado
mim, era maravilhoso se Lisboa tives-
se uma feira de arte africana. Seria
Januário Jano prejudicial do que benéÆco, porque
olhando para o número de galerias
por aqui no seu em África para Lisboa.
As feiras concorrentes da ARCOlis-
mesmo caso para perguntar: ‘Que Æz das sequelas do colonialismo. Na e para o perÆl delas é uma presença caminho de boa com um foco em África têm cres-
eu para merecer isto?’”
Das primeiras artistas portuguesas
ugandesa Afriarte, encontramos
tapeçarias de Sanaa Gateja feitas
bastante neolusotropicalista.” Des-
taca a presença da Momo e da This internacionalização cido na última década, aÆrma a cura-
dora. “A 1-54 é talvez a mais importan-
a interrogar a memória colonial no com papel reciclado, enquanto na Is not a White Cube, mas lamenta Paula Nascimento
o tte, com o seu projecto para dar a
pós-25 de Abril, Ângela Ferreira diz angolana Movart as fotograÆas que não estejam outras. “Por que é Curadora do cconhecer as galerias do continente e
que o tema de África está a dominar de Keyezua, angolana que cresceu na que não trazem mais galerias e artis- África em Foco o contexto em que é produzida a arte
a cena artística. “Além das questões Holanda, mostram um trabalho à bei- tas da Nigéria, do Congo, de Marro- africana. Desde 2013, tem edições
a
de género, o que está na moda é a arte ra do activismo feminista que aborda cos, do Egipto, da África do Sul? Por a
anuais em Londres, Nova Iorque e
que aborda os problemas de raça. E igualmente a questão dos refugiados. que não estimular os galeristas por- M
Marraquexe. Há também as feiras de
a ARCO, que é uma feira comercial, A feira tinha aberto há poucos minu- tugueses a trabalharem com artistas JJoanesburgo, mais antiga, e da Cidade
precisa de perceber as mais-valias dos tos para os convidados especiais africanos ou com África? Que rela- do Cabo, que cresceu muito na última
d
sítios. Lisboa permite fazer conexões quando assistimos, nesta galeria, à ção é que têm as instituições portu- edição. Em Paris, há ainda a AKAA —
e
com tudo o que é África.” venda por dois mil euros de uma ins- guesas viradas para as artes visuais A
Also Known as Africa, que foi criada
A curadora Paula Nascimento diz talação do são-tomense René Tavares, com artistas de origem africana? Há e
em 2016 com o objectivo de mostrar
que hoje “somos todos pós-colo- com a frase “Only Colored Ideas” uma relação de clichés ou quase a globalização do continente.”
niais”, mas há muitos artistas que inscrita, a um coleccionador austría- nenhuma. Para que mercado é que
querem falar de outras coisas além co. Já na sul-africana Momo, os dese- estes galeristas vão trabalhar?” iisabel.salema@publico.pt.pt
4 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

ESPAÇO PÚBLICO
Desde o início de 2019 que as dívidas dos Depois da inesperada eliminação às portas da
hospitais públicos não eram tão estáveis, final da Liga dos Campeões, a equipa
algo raro no ministério de Marta Temido. A sensação da prova, com um futebol que
dívida a fornecedores do Serviço Nacional de Saúde encantou os adeptos, somou mais um título
com mais de 90 dias desceu até entre Janeiro e holandês (o 34.º), cinco anos após a última
Março. A estrutura de Missão para a Sustentabilidade conquista. Ontem, o Ajax precisava de um empate,
do Programa Orçamental da Saúde e novas regras mas venceu com mais uma goleada, uma das muitas
de financiamento adaptadas à produção de cada que obteve esta época, em que alcançou o registo
uma das unidades podem ser formas de melhorar a impressionante de 119 golos em 34 jogos, uma
Marta Temido gestão dos gastos (Pág. 18/19) A.C. Erik ten Hag média de 3,5 por jogo. (Pág. 45) J.J.M.

Joe Berardo no país das medalhas


funcione como uma encarnação fez desaparecer a PT — e pode judiciais em curso, mas existe
do mal, como já escreveu neste não se ter rido dos deputados, mais para uma sociedade
lugar David Pontes, o problema mas disse que não se lembrava de discutir do que repetir a frase
não é Joe Berardo. Há um sistema nada numa recente comissão de com que António Costa se quis
e Joe Berardo serviu-se dele, com inquérito — continua, ao que se afastar do legado de Sócrates: “À
Ana Sá Lopes a total complacência do poder sabe, comendador. É acusado de justiça o que é da justiça, à
Editorial político. Se decidirmos de agora vários crimes no processo da política o que é da política”. Para

A
em diante entrar num frenesim Operação Marquês. quem não fez uma reÇexão séria
aparentemente consensual de retirada de condecorações Portugal nunca fez um sobre o que aconteceu em
retirada das comendas a apostas por ex-Presidentes da verdadeiro processo de luto/ Portugal desde o Banco
Joe Berardo, uma ideia República, a lista é longa, como catarse/reÇexão desapiedada Português de Negócios até à
lançada pelo antigo ontem lembrou o líder sobre a perdição moral de uma implosão do BES, é catártico ir
dirigente do PSD José social-democrata, Rui Rio. Ao boa parte da sua elite ali a correr tirar a comendazinha
Miguel Júdice e acompanhada ex-ministro e ex-administrador Ænanceiro-política de que Joe ao ainda comendador Berardo.
por meio mundo — Presidente da da Caixa Geral de Depósitos Berardo é apenas um exemplo. Não custa, não dói e, no
República, Marcelo Rebelo de Armando Vara foi recentemente Há várias razões que podem momento, é popular. Discutir o
Sousa, presidente da Assembleia retirada a comenda, mas explicar esta diÆculdade: foi resto — o sistema que produziu
da República, Eduardo Ferro tratou-se de um processo tudo muito recente; o país é um Berardo — corre o risco de
Rodrigues —, é um daqueles automático depois de ter sido pequeno; e num país pequeno ser traumático para boa parte da
momentos de excitação colectiva condenado a prisão efectiva. toda a gente (da elite) janta com classe política. Mas é a única
cujo valor real é mais ou menos Zeinal Bava, o imensamente toda a gente. Este debate, por discussão que interessa.
zero. festejado supergestor em tempos razões que todos conhecemos,
Por muito bem que Joe Berardo não muito antigos e que depois não foi feito. Há processos ana.sa.lopes@publico.pt

CARTAS AO DIRECTOR
Europeias I convicção, mas isso são as tais personalidade tem sido o único transforma-se agora num hooligan
excepções à regra. Leiam com mote da campanha do PSD e do e vem para as redes sociais lançar
Começou o indecoroso atenção o artigo Europa, sem CDS é constatar um facto. Os suspeitas sobre o futebol e as
espectáculo das eleições Ilusões, de António Barreto, no partidos da esquerda ainda se arbitragens, tomando as dores do
europeias. Para adquirir ou PÚBLICO de domingo passado. esforçam por falar da Europa, clube de futebol da cidade. O
assegurar o “tacho”, assiste-se Carlos Leal embora saibamos todos os que presidente da Câmara do Porto
aos mais variados e cómicos Lisboa pensam da UE; mas a direita não esquece-se que devia servir os
espectáculos. Desde a apanha de apresenta ideias. Então só a interesses dos portuenses e não
couves para o jantar dos Europeias II esquerda tem ideias sobre a UE? É dos portistas, resolver os
pobrezinhos, feita por três mais vantajoso insultar os problemas da cidade como o
“bondosos” deputados do CDS, Os candidatos de todos os partidos adversários e ver se isso dá mais trânsito caótico, a política de
até à apanha de resíduos na praia batem no PS, o que é votos? É uma tristeza, esta alojamento dos estudantes, a
por um solitário deputado do compreensível porque quem está campanha para as europeias. limpeza urbana, a privatização do
As cartas destinadas a esta secção mesmo partido, vestido a no poder é sempre o bombo da Fernando Santos Pessoa estacionamento público, a
devem indicar o nome e a morada preceito, para a solene ocasião. festa em tempo de eleições; o que Faro insegurança no Pólo da Asprela e a
do autor, bem como um número Distribuem-se beijos a torto e a já não é compreensível nem pressão imobiliária que despeja os
telefónico de contacto. O PÚBLICO direito, de preferência nos idosos. aceitável e conduz a esta tristeza e O político hooligan moradores da zona histórica.
reserva-se o direito de seleccionar e Os que têm os chorudos falta de interesse da campanha é Quando se acabar o “el guito” que
eventualmente reduzir os textos não rendimentos de tal actividade e que se discutam casos e O político Rui Moreira não o seu antecessor deixou nos cofres
solicitados e não prestará outros que a ela aspiram tudo apreciações de carácter e não aprendeu nada com o “Caso da autarquia, os munícipes
informação postal sobre eles. fazem para captar os ingénuos ideias sobre a Europa. Não Selminho”, imobiliária da família saberão castigar quem usa aquela
votantes. Evidentemente que na pretendo defender o candidato do do presidente da autarquia, com o táctica gasta do passado de colar a
totalidade de 751 deputados, PS, embora reconheça que é fraco ambiente de maledicência que na política ao futebol.
Email: cartasdirector@publico.pt sendo 21 portugueses, alguns e um político com pouco carisma, altura se criou porque podia ter Emanuel Caetano
Telefone: 210 111 000 haverá que actuam com mas reconhecer que apenas a sua interesse directo na causa. Vai daí, Ermesinde
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 5

A opinião publicada no jornal respeita a norma ortográfica escolhida pelos autores

Bolsonaro acha que os estudantes que O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
protestaram contra os cortes orçamentais deixou ultrapassar o prazo inscrito no
nas universidades são uns “idiotas úteis” e Estatuto de Pessoal Dirigente (45 dias) para
uns “imbecis”. A avaliar pelas manifestações em 26 fazer a nomeação do director de Finanças de Lisboa,
estados brasileiros, convocadas por sindicatos, apesar de há longos meses ter na sua posse a lista
movimentos sociais e associações estudantis, de finalistas do concurso que a Cresap lhe fez
parece que a actual imbecilidade da política do chegar. Quer isso dizer que Fernando Lopes está a
Brasil começa a ter um sério adversário. Este foi o ocupar o cargo em regime de substituiação há mais
primeiro protesto a nível nacional desde a tomada de quatro anos. Ou seja 1500 dias. Ou seja, uma
Jair Bolsonaro de posse de Bolsonaro. (Pág. 29) A.C. António Mendonça Mendes legislatura. (Pág. 24) J.J.M.

ESCRITO NA PEDRA
O lado das
Nenhuma qualidade humana é mais intolerável do que a
intolerância papoilas
Giacomo Leopard (1798-1837) poeta e ensaísta

SEM COMENTÁRIOS LEWIS HAMILTON DEU UM DOS SEUS MONOLUGARES A CRIANÇA COM DOENÇA TERMINAL
JAMES SHAW/SOCIAL MEDIA

T
Miguel Esteves Cardoso
Ainda ontem
odos os dias passamos pela villa
romana mais ocidental da Europa.
Não era uma vila — eis um exemplo
de desorientação etimológica —
mas uma quinta, um solar, uma
vivenda com hortas e tanques. Por
outra: uma casa de ricos.
Vemos lá arqueólogos e
aprendizes e cantoneiros. Às vezes
desconÆamos e queremos saber
quem são, não estejam a roubar pedras e
louças antigas.
O ano passa pela villa romana. As
escavações são pouco frequentes — o que
também é uma forma de respeito. Entra-se lá
facilmente, mas ninguém entra.
Uma vez no Minho, um autocarro que
tínhamos fretado raspou numa ponte
românica e o povo saiu à rua gritando que
éramos uns selvagens, que tínhamos
daniÆcado uma “ponte do tempo dos
romanos”, como quem diz: fomos os
primeiros a desrespeitá-la.
Hoje a villa está ocupada pela Primavera.
Há seis papoilas altas, uma jacto de
malmequeres e Çores cujos nomes escapam a
quase toda a gente. É um motim de cor, uma
insolência, uma sublevação. Faz pouco dos
arqueólogos, desaÆa-os a tornarem-se
horticultores, a viverem no aqui e agora, a
serem enganados por uma pujança tão breve.
EM PUBLICO.PT De vez em quando, cortam as árvores que
querem tomar conta daquela terra. É uma
Isabel fotografou as famílias Não sou o “Kiko dos Vai ser possível voar na guerra entre a vegetação e a ciência. As
que vivem um dia de cada vez Morangos”, sou o João André Nazaré a cem metros de altitude árvores não respeitam a História, acham que
é sempre hoje, que o que interessa é combater
É fotógrafa, escreve e tem um blogue. Um comediante decide parar de fazer O projecto Zipline Nazaré compreende o vazio.
Isabel Saldanha aceitou o repto da vídeos e, durante um ano, gerir a carreira do uma descida de mais de um quilómetro Já estive cem por cento do lado da ciência.
Fundação Ronald McDonald e fixou as “Kiko dos Morangos” que lhe foi entregar com uma elevação máxima de 100 metros Agora sou apoiante secreto das plantas — ou
vidas das famílias com filhos doentes. Hoje uma piza. O Resto da Tua Vida, disponível de altitude. Vídeo de apresentação já secreto como quem diz.
é Dia Internacional da Família. no YouTube, é uma série documental ou um disponível. Quando nasceram as papoilas,
publico.pt/culto mockumentary? A discussão já vai para publico.pt/fugas apeteceu-me gritar vitória. Mas contive-me.
além disso. publico.pt/p3 Agora já não sou capaz.
6 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

ESPAÇO PÚBLICO

Onde pára o ativismo estudantil? (I)

NUNO FERREIRA SANTOS


ocupação do tempo, para os contornos do palpável uma sociedade que nos pintam
Elísio Estanque associativismo académico e para os modos distante mas que está mesmo ao nosso
de vida dos jovens estudantes de hoje, é alcance; para tratar a educação por tu e a
possível traçar um olhar sociológico da tornar o pilar fundamental da nossa
Quais são as “causas” que atual geração, também ele iluminado pelo sociedade; para ultrapassar as barreiras da
poderão agitar uma atual contexto académico de Coimbra.
A observação atenta de mais de três
injustiça social e do formalismo académico
e trazer o conhecimento de forma clara a
juventude a que chamam décadas sobre o universo estudantil da todos os que queiram aprender — porque a
millenials mas para quem cidade permite-me apresentar uma breve vida é uma aprendizagem, onde todos são
tipologia de atitudes, para ilustrar a contínua e simultaneamente, professores e

N
uma década é já tão diversidade de representações e modos de alunos. É preciso deÆnir um rumo novo
longínqua como um milénio? vida (outros falarão de “habitus”) dos para a educação: um rumo que reÇita os
estudantes. Podemos partir do pressuposto ideais democráticos porque nos dizemos
o passado mês de abril de que os jovens são, de um modo geral e bater: liberdade, igualdade e fraternidade.”
comemoraram-se em Portugal em sentido amplo, “ativos”, ainda que esse Há várias semanas que se senta
dois acontecimentos de grande “ativismo” se afaste do campo político ou diariamente em frente à Faculdade de
importância social e histórica, cívico. Seja como for, faz sentido pensar Letras, onde é estudante. Comentei o
com destaque para os 45 anos esses padrões comportamentais — “tipos assunto na rádio local e posteriormente fui
do 25 de Abril. O segundo foi a ideais” — de sociabilidade inseridos em contactado por este jovem que assumiu a
celebração dos 50 anos do 17 de diferentes escalas de análise. Podemos, por sua identidade, explicando no entanto que
abril de 69, em Coimbra, o exemplo, partir de um nível mais politizado, não busca protagonismo pessoal. Está
momento que desencadeou a no sentido de uma consciência cívica e inscrito num programa de mestrado naquela
explosão de uma geração de cultural mais aguda, a que se seguem outros faculdade (tendo concluído recentemente a
jovens universitários em revolta contra a do tempo, que podemos hoje colocar em níveis progressivamente mais afastados do licenciatura), mas critica a universidade e o
degradação do ensino, a ausência de equação os desaÆos da geração atual e “ativismo”, até um nível mais alheado, poder político porque, aÆrma, o ensino
liberdades e a guerra colonial. As interrogar-nos sobre as suas motivações, atomizado e fora do campo político e da superior é dispendioso e não garante o
cerimónias decorreram exatamente no referências e comportamentos. Quais são as “coisa pública”, por assim dizer. Por outras acesso livre a todos os que pretendam
mesmo local, com o ex-líder Alberto Martins “causas” que poderão agitar uma juventude palavras, entre um ativismo mais intenso e estudar, mas também porque assenta numa
a lembrar os acontecimentos, num discurso a que chamam millenials mas para quem radical e a zona mais distante, indiferente, lógica “clientelar” e mercantilista que
elegante, sincero e emocional, enquanto o uma década é já tão longínqua como um “apolítica” e massiÆcada do corpo domina a universidade pública.
antigo presidente da Assembleia Magna de milénio? Claro que esses acontecimentos estudantil existem diversas modalidades Muito embora, à partida, a iniciativa
69 (Décio de Sousa) interrompeu a sessão jazem nas profundezas do esquecimento da intermédias. pareça dotada de contornos algo
com um novo “Peço a Palavra”, num gesto atual geração, apesar do seu impacto no Um primeiro nível situa-se no plano “quixotescos”, o seu discurso consistente e
que imprimiu ainda mais sinceridade ao imaginário de várias gerações, a contrastar individual. Socorro-me de uma situação lúcido merece ser levado a sério, além do
ato, recordando aquela que foi — com os atuais banhos festivos que enchem a concreta, uma iniciativa pessoal, mais, já contagiou outros colegas, que
seguramente até aos dias de hoje — a mais avenida central da cidade (de gritaria, surpreendente, radical e imbuída de uma começam a segui-lo nesta iniciativa. O atual
participada assembleia de estudantes da cerveja, vómitos e outros Çuidos) nas festas vontade e de uma consciência crítica pouco presidente da AAC aÆrmou publicamente
Universidade de Coimbra (28/05/69) académicas, mas se esfumam nos consumos comum nos tempos atuais entre a nossa estar interessado em ouvir e responder ao
quando se decidiu a greve aos exames. quotidianos. juventude. Paradoxalmente, apesar de estudante grevista, mas, embora frequente
Porém, a atual geração estudantil não Se a palavra “causas” perdeu a sua aura desencadeada por um indivíduo singular, diariamente a mesma faculdade, segundo
estava lá. Apesar da invocação repetida — política com o correr do tempo, podemos esta ação exprime uma crítica ao me confessou o grevista, “até agora a
ritualizada e apologética, mas amplamente incutir-lhe um novo sentido, mais lato, e individualismo, à apatia associativa da resposta é um muro de silêncio”.
distorcida — desses momentos marcantes considerar que em lugar da dissensão maioria, e ao mercantilismo consumista. Este é um tipo de “ativismo” de iniciativa
do movimento estudantil, cinco décadas cultural, da pulsão Isto prova que há alguns jovens “menos individual mas cujo potencial cívico pode
depois, a memória esbate-se na sucessão rebelde e das iguais” do que outros; mostra que existe crescer. No próximo artigo pretendo
das gerações e tudo se confunde. De resto, referências potencial em alguns círculos, embora por caracterizar os outros “tipos-ideais” e
como tem sido apontado por historiadores político-ideológicas, vezes fechados sobre si mesmos. Este é um contextos da vida estudantil de Coimbra, a
do tema (Miguel Cardina, por exemplo), estão hoje exemplo, talvez desesperado, de alguém partir dos quais é possível captarmos o
alguns levantamentos e inquéritos mais
recentes aplicados aos estudantes
Não se deve motivações e
subjetividades de
com a consciência plena da hegemonia
mercantilista que se apoderou do sistema
leque (heterogéneo) de segmentos,
motivações e lógicas de ação que deÆnem a
comprovam as “imagens erradas” dos ignorar que outra natureza, de ensino, incluindo das universidades. atual juventude universitária. Atentar nos
acontecimentos de 69. Por exemplo, a ideia
de que “a ‘crise’ foi despoletada pelo
também a centradas sobretudo
nos prazeres
Um estudante de Coimbra entrou em
“greve às aulas”, uma greve que parece
modelos de consumo e nas subjetividades
deste setor é tanto mais necessário
aumento de propinas ou a funda convicção ausência de imediatos. Não se situar-se nos antípodas das causas e do porquanto — não apenas como estudantes
de ter existido uma manifestação nacional ‘causas’ se deve, no entanto, movimento estudantil dos sixties, mas que, mas na vida adulta que os espera — serão
durante esse período...; ou ainda a ignorar que também se virmos bem os seus argumentos, talvez estes os protagonistas centrais da nossa
referência que por vezes é feita ao “Maio de reveste de a ausência de não esteja tão distante da contestação de há esfera pública e da atividade institucional
69”, não porque percebam que o contornos “causas” se reveste 50 anos atrás, antes assenta numa “causa” no futuro próximo.
movimento iniciado em 17 de abril teve
prolongamentos no mês seguinte, mas tão
ideológgicos
ideológicos de contornos
ideológicos e tem,
hoje impercetível para a maioria de nós
(professores, estudantes e sociedade em A segunda parte deste artigo será
só um reÇexo da confusão instalada entre a por isso, efeitos geral), até por assumir-se como um ato publicada na próxima quinta-feira
crise académica de Coimbra e o Maio de 68 políticos nas suas isolado. Este jovem assinou um
de Paris. consequências. “manifesto”, longo e elaborado, que Professor da Faculdade de Economia e
É com este legado histórico em pano de Olhando para as começa com a seguinte passagem: “Serve investigador do Centro de Estudos
fundo, qual retrato esmaecido no nevoeiro modalidades de este manifesto para educar. Para tornar Sociais da Universidade de Coimbra
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 7

ESPAÇO PÚBLICO

Lições aprendidas Interesses e conflitos


de interesses

O A
Sá Carneiro precisava, em 1979, que ele Æzesse causa. Segundo Kenneth Thomas, “o conflito
Manuel Loff (gastar o suÆciente para lhe assegurar uma Cipriano Justo de interesse pode ocorrer quando somente uma
vitória eleitoral em 1980 e, assim, permitir o pessoa tem dois interesses em relação a um
truque politiqueiro de António arranque da ofensiva contra a Constituição de calmados os nervos, o tema da Lei mesmo assunto”. (Conflict and conflict
Costa, que deleitou os tudólogos 1976 e enterrar deÆnitivamente a Revolução), de Bases da Saúde, por momentos management. Reflections and update. Journal
da política e os media, deixa-nos é apenas uma prova mais de como estes mitos colocado em repouso, regressou of Organizational Behaviour, 1992). Para o
algumas lições sobre o que Costa e se constroem à revelia da realidade. tendo como mote aquela parte Observatório de Economia e Gestão de
Centeno querem fazer connosco O mito do “mago” Centeno, como todos, que por mais voltas que se dê não Fraudes (Working Papers, 1/009), o conÇito de
depois de outubro. está cheio de moralismo, e do pior moralismo há meio de encontrar um solução interesses caracteriza-se por alguém, tendo um
1. Voltar a domar a força de económico. Ele jura que ceder aos professores que agrade a todas as bancadas, a interesse pessoal ou privado em determinada
trabalho. Se inteiras classes essa coisa tão objetiva quanto um tempo gestão privada dos hospitais matéria, influencie, ou tente influenciar, o
proÆssionais e uma grande parte efetivamente trabalhado seria “hipotecar” o públicos. E quando assim é, há que desempenho de outrem, de forma que este actue
dos trabalhadores ganharam futuro de todos, usando números que (escuso se tomar uma decisão. Conhecida e seja parcial, atingindo assim o objectivo que
novas expectativas quando julgaram que, de o tentar demonstrar aqui, a própria UTAO que é a formulação do PS, defendida pelo seu pretende.
derrotando a direita, derrotavam a já o fez) são puro patinanço aritmético e que secretário-geral, tornou-se incompreensível a Vejamos então: o Grupo Mello Saúde gere
austeridade punitiva, é preciso não lhes fazem de Centeno e do seu gabinete puros razão pela qual o PCP resolveu pedir o os hospitais de Braga e Vila Franca de Xira e
conceder vitórias; ensinar-lhes que apenas fakers. Numa sociedade ainda cheia de medo e adiamento da votação da Base 18, a que diz detém a posse de mais de 70 instituições de
ganharão (no ciclo em que vivemos, nem é de ansiedade pelo futuro (esse seguro de vida respeito àquela matéria, para data posterior às saúde; a Lusíadas Saúde gere o Hospital José
“ganhar”: é simplesmente tentar recuperar) o de todas as formas de dominação), percebe-se eleições europeias. Pode ser que nos esteja a de Almeida de Cascais e é detentora do
que o poder lhes outorgar na sua sabedoria de que tudo isto se faça sem se explicar as fugir qualquer pormenor técnico-táctico Hospital dos Lusíadas; a HL — Sociedade
quem sabe o que é melhor para nós, e que, consequências do peso esmagador que tem particularmente soÆsticado, mas estabelecer Gestora do Edifício, S.A. tem como accionistas
pelo contrário, não são greves, manifestações, sobre a economia e a vida das pessoas que o um nexo entre os dois assuntos ou é do a Mota-Engil, a Opway, o Banco Espírito Santo,
persistência, não desistir nunca, que torce a Estado pague sem discutir as dívidas do setor domínio da crença, presumindo o PCP que o a Luz Saúde (então Espírito Santo Saúde) e a
mão ao poder (do Governo ou do patrão). Essa Ænanceiro, estratosfericamente acima de tudo PS irá reformular a sua posição — de facto, Dalkia; por sua vez, a SGHL — Sociedade
pedagogia socialmente reacionária esteve quanto teria que pagar aos professores. nisto de avanços e recuos está o PS cheio — ou Gestora do Hospital de Loures, S.A. tem como
bem presente nestes últimos dois anos de O que Centeno pede a milhões de se está a dar argumentos para que este partido accionista principal a Luz Saúde, sendo a
enfrentamento do Governo com setores portugueses com salário e reformas mínimas é vá ganhando tempo e coleccionando entidade gestora do Hospital Beatriz Ângelo,
inteiros dos trabalhadores do Estado, que não tentem perceber sequer a escapatórias para se ir acomodando às de Loures. Em todos estes casos as entidades
destilada no discurso rançoso e paternalista enormidade das injeções na banca, mas que se exigências da direita e do Presidente da privadas têm interesses no mesmo sector de
da “irresponsabilidade” das greves, que as escandalizem com os “privilégios” dos República. actividade: na hospitalização pública e na
descreve como “um direito” quando não professores, desrespeitadores do resto dos Embora diferente, mas aproveitando a hospitalização privada. Não existindo
doem e uma “ofensa à sociedade” quando, funcionários, dos alunos, dos pais, dirigidos posição do PCP, o director do PÚBLICO, como mecanismos que previnam esses conÇitos — a
pelo contrário, encostam o Governo (ou a por um “extremista” que é preciso parar já o fez noutras ocasiões, defende que o relação de osmose
Administração do Porto de Setúbal, por deÆnitivamente! Essa é a moral desta história: assunto devia ser remetido para a estação de entre ambas é
exemplo) à parede. Em tudo isto, Costa “a equidade entre os portugueses e a Outono-Inverno, passadas as eleições de 6 de particularmente
regressou à tradição histórica (Soares, 1976-77 credibilidade Outubro, quando Æcasse estabelecida a porosa —, o interesse
e 1983-85, Sócrates, 2005-11) que do PS internacional de solução política que iria governar o país, é só um, a
conhecíamos demasiadamente bem: se
necessário, ofender os direitos e esmagar as
Portugal” (Costa,
6.5.2019) está em
porventura na expectativa de que então fosse
favorável à última formulação do PS — “A Na Lei de Bases maximização do
lucro, sejam quais
expectativas dos grupos sociais que os causa se se gestão dos estabelecimentos prestadores de da Saúde, nada forem os
levaram ao poder, punindo-os com a mesma Algumas lições reconhecerem os cuidados de saúde é pública, podendo ser
melhor do que mecanismos
política e a mesma explicação moral que a direitos objetivos de supletiva e temporariamente assegurada por accionados para o
direita usa(ria), ao mesmo tempo que se lhes sobre o que quem trabalhou — contrato com entidades privadas ou do sector ter o pássaro na alcançar.
pede gratidão porque com a direita seria ainda Costa e porque trabalhou! social” — defendida pelo primeiro-ministro no mão agora do Salvo melhor
pior...
2. Inscrever Centeno na História como
Centeno —, mas não está ao se
encobrir com
artigo de opinião publicado neste jornal, em
resposta a uma carta que lhe foi dirigida. que contemplar
opinião, poderemos
então estar perante
outro mago das Finanças — antes, claro, de ele querem fazer milhares de milhões Porém, a tese de que o assunto ainda está dois pássaros a um caso de justiça,
acabar em Bruxelas, ou num gabinete
secundário do BCE, ou, pior um pouco, em
connosco de euros os crimes
dos banqueiros, nem
verde não colhe, uma vez que vai para dois
anos que a matéria está em discussão pública, voar no céu da que tem sido por ela
desprezado, ao sabor
alguma consultoria da Goldman Sachs, depois de é descredibilizador e já lá vão oito meses desde que a comissão noite de 6 de da conveniência do
daquelas que o Norte entrega a um “bom Outubro do país que eles e os governamental entregou o trabalho que lhe foi
Outubro sector privado, e em
aluno” do Sul para que o guie pelos Suis do Berardos encomendado (Setembro de 2018). Portanto, que até ao momento
mundo. permaneçam o assunto já percorreu todas as etapas de todas as partes foram
Esta categoria Æccional dos magos das impunes. análise, discussão e contraditório, faltando omissas, o Estado
Finanças tem, como sabemos, grande sucesso Credibilizante é que cair de podre, que parece ser o que certos designadamente. Por
em Portugal. A Salazar, 90 anos depois, um daqueles sectores mais desejam. Entre outras razões já isso, em nome da
metade dos quais em ditadura, garantiu-lhe governantes que sobejamente discutidas, o que também está accountability social,
presença em todos os manuais de História do diziam rezar todos os em causa é um inequívoco conÇito de esta modalidade de
9.º ano, com essa frasezinha equívoca de “pôs dias pela interesses entre quem opera simultaneamente tratar o interesse
ordem nas Ænanças” que aparece sempre “estabilidade política” garanta mandar abaixo no sector público e no sector privado, público deve chegar ao Æm. E nada melhor do
depois daquela fórmula acéfala da I República um Governo por este ser obrigado a retomar aproveitando o melhor que a sonhada que ter o pássaro na mão agora do que
= 16 anos de “desordem”. Cavaco quis entrar uma negociação que julgava ter fechado para concorrência pode oferecer, o controlo da contemplar dois pássaros a voar no céu da
pela mesma porta da História: trazer “ordem” todo o sempre. De repente, voltámos a 2011. parte pública. E é inútil o argumento de que noite de 6 de Outubro.
depois da “desordem revolucionária”. Que, são três ou quatro PPP. O conÇito não se mede
pelo contrário, tenha feito apenas aquilo que Historiador pela quantidade, mede-se pelos interesses em Médico e professor de Saúde Pública
8 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

POLÍTICA
Declarações de Joe Berardo
no Parlamento remetidas ao MP
Presidente da comissão de inquérito à CGD pede avaliação de eventuais indícios de crime ao Ministério
Público. Conselho das Ordens Nacionais reúne-se amanhã e discute retirada de condecorações a empresário
ENRIC VIVES-RUBIO
avaliações” sobre este tema. “Espe- os membros são obrigados a “defen-
Assembleia da República ro depois fazer o meu juízo político der e prestigiar Portugal em todas as
Leonete Botelho e redigir o parecer para enviar ao circunstâncias; regular o seu proce-
e Mariana Adam Presidente da Assembleia da Repú-
blica”, disse ao PÚBLICO. “Tudo
dimento, público e privado, pelos
ditames da virtude e da honra”. O
O presidente da comissão de inqué- farei para que o parecer siga ainda artigo 55.º determina também que,
rito à gestão da Caixa Geral de Depó- amanhã [hoje], uma vez que sexta- “sempre que haja conhecimento da
sitos, Luís Leite Ramos, pediu aos feira é a reunião do órgão que gere violação de qualquer dos deveres
serviços parlamentares uma “trans- as comendas”, acrescentou. enunciados no artigo anterior, deve
crição urgente” das declarações de A reunião extraordinária do Con- ser instaurado processo disciplinar,
Joe Berardo na semana passada, selho das Ordens Nacionais foi con- mediante despacho do chanceler do
naquela sede, para enviar para o vocada ontem, depois de o Jornal de respectivo conselho”.
Ministério Público no sentido de ava- Negócios ter noticiado que o Presi- O comportamento de Joe Berardo
liar a existência de indícios de crime. dente da República, a quem cabe a na audiência de inquérito à Caixa
Segundo aÆrmou ao PÚBLICO o pró- decisão Ænal sobre a retirada das poderá não ser entendido como
prio Leite Ramos, esta foi a primeira condecorações, não se opõe a esse “virtuoso e honroso”, nem sendo
diligência que desenvolveu na cenário. Informação conÆrmada digniÆcador das ordens de que é
sequência da onda de indignação pelo PÚBLICO por fonte de Belém, titular e de Portugal. Se o conselho
que gerou o depoimento de Joe que no entanto sublinha que não — composto pela chanceler Manue-
Berardo. Mas não foi a única. cabe ao chefe de Estado qualquer la Ferreira Leite e os vogais Isabel
Num momento em que a perda iniciativa ou participação na decisão, Mota, José Silva Peneda, Manuel
das condecorações de Joe Berardo senão depois de haver uma proposta Braga da Cruz, Bagão Félix (todos
deverá ser avaliada pelo Conselho aprovada naquele conselho. distinguidos igualmente com a grã-
das Ordens Nacionais, Eduardo Fer- Joe Berardo arrisca-se, assim, a cruz da Ordem Infante D. Henrique),
ro Rodrigues pediu a Leite Ramos perder as duas condecorações que Elvira Fortunato (grande oÆcial da
(PSD) um parecer sobre a carta que recebeu ao longo da sua vida: uma mesma ordem), Maria Velho da Cos-
lhe enviou o CDS. Os centristas ta (grande-oÆcial da Ordem da
pediram ao presidente da Assem- Berardo recebeu Liberdade) e Carlos Beato (comen-
bleia da República que, por seu dador da Ordem da Liberdade) —,
intermédio, seja solicitada à chan- uma comenda de assim o entender, poderá ser instau-
celer das ordens a instauração de Eanes. A grã-cruz rado um processo disciplinar por
um processo disciplinar com vista parte das Ordens HonoríÆcas, que
à irradiação de Joe Berardo dos qua- da Ordem do têm como grão-mestre o Presidente
dros da Ordem do Infante D. Henri- Infante foi-lhe da República.
que. Mas Ferro pode não esperar À onda de indignação sobre as
pelo parecer da comissão para atribuída por declarações de Berardo no Parla-
enviar a carta do CDS ao Conselho Sampaio mento juntou-se o líder do PSD. Rui
das Ordens Nacionais, presidido Rio referiu-se à audição “incrível”
por Manuela Ferreira Leite. O pre- comenda da Ordem do Infante D. do (ainda) comendador e acusou os
sidente da Assembleia da República Henrique que recebeu em 1984 de socialistas de serem “cínicos” por
admite enviar o requerimento com Ramalho Eanes e a grã-cruz da mes- se mostrarem “chocados” com as
uma nota anexa a dizer que aguarda ma ordem, atribuída por Jorge Sam- declarações do empresário quando
o parecer do presidente da comis- paio em 2004. O que seria totalmen- “não estão chocados com a nomea-
são de inquérito sobre o pedido dos te inédito. A acontecer, será a primei- ção da administração da Caixa Geral
centristas. “Não posso nem devo ra vez que serão retiradas de Depósitos” que permitiu o
tomar posição sobre o que quer que condecorações a alguém que não foi empréstimo. “Quem deve estar cho-
se passe numa comissão de inqué- condenado em tribunal por crimes cado devem ser os portugueses
rito, a não ser por solicitação ou com pena superior a três anos de todos que vão pagar isto”, disse.
parecer positivo do seu presiden- prisão. Foi o que sucedeu a Carlos Rui Rio disse concordar com a pro-
te”, declarou Ferro Rodrigues ao Cruz, Armando Vara ou Jorge Ritto, posta do CDS de retirar as condeco-
PÚBLICO. que foram condenados a prisão efec- rações a Joe Berardo. “Acho muito
Para lhe dar esse parecer, Leite tiva. bem e já agora deviam era alargar a
Ramos solicitou aos serviços “uma Apesar de Joe Berardo não ter sido lista”, disse o líder do PSD. Questio-
nota de enquadramento jurídico” condenado a nenhuma pena, a lei nado sobre se queria dar exemplos,
sobre as declarações de Joe Berardo prevê que os titulares das ordens o líder do PSD respondeu. “É melhor
no Parlamento e agendou uma reu- honoríÆcas possam perder os títulos não dar, mas vêm nomes à cabeça”.
nião urgente de mesa e coordena- se não cumprirem os deveres das com Sofia Rodrigues
dores da comissão de inquérito ordens. Segundo o ponto 1 do artigo
“para ouvir as suas considerações e Joe Berardo foi ouvido no Parlamento na semana passada 54.º da Lei das Ordens HonoríÆcas, lbotelho@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 9

POLÍTICA

Só a comunicação social é Governo não


vai declarar
protagonista da mudança emergência
Breves climática
MIGUEL MANSO

Partidos Olhares Cruzados Ambiente


CDS-Braga organiza Nuno Ribeiro
Ministro do Ambiente
conferência com Na política, o caminho mais garante que metas
Manuel Monteiro fácil é ser agradável. Tal portuguesas no combate
A concelhia do CDS-Braga como nas redes, onde às alterações climáticas são
convidou o ex-líder do partido convivem os da mesma as mais exigentes do mundo
Manuel Monteiro para uma opinião
conferência sobre os Efeitos O ministro do Ambiente desvalori-
Políticos da Globalização, que No actual mundo das coisas, nas zou ontem o pedido de declaração
foi marcada para amanhã, na sociedades em que vivemos, o papel de emergência climática pedido pelo
Junta de Freguesia da Sé. A de protagonista da mudança consis- Bloco de Esquerda, aÆrmando que
realização, iniciativa que tente é da comunicação social, não seria um gesto apenas simbólico e
decorre em plena campanha das redes em moda. Da direita clás- destacando que Portugal já faz mais
eleitoral para as europeias, sica, do PSD social-democrata e com do que os países que a declararam.
partiu do líder da concelhia, um deliberado afastamento de uma Referindo-se no Parlamento às
Altino Bessa, que contestou os década da cena política, José Eduar- declarações feitas pelo Reino Unido
critérios de escolha de do Martins coincide com o comunis- A 11.ª edição do ciclo Olhares Cruzados decorreu ontem no PÚBLICO e Irlanda, João Pedro Matos Fernan-
Assunção Cristas para as listas ta Miguel Tiago, deputado até Setem- des aÆrmou que “foi um passo sim-
das legislativas. Contudo, a bro de 2018. Foi ao Æm da tarde de que se revê num mundo, acentua, bólico”, mas nesses países não se fez
conferência nada tem a ver ontem, na 11.ª edição do ciclo de em que não se pára para pensar. a partir daí mais nada para reduzir
com europeias. Manuel debates Olhares Cruzados, do PÚBLI- “É cada vez mais difícil sair das as emissões de gases com efeito de
Monteiro, que foi líder dos CO e da Universidade Católica, que primeiras impressões, não paramos estufa, os resíduos produzidos ou
centristas antes de fundar o decorreu no auditório do jornal, em para pensar. Nos tempos de crise, aumentar a produção de energia a
Partido Nova Democracia, Lisboa. Nas redes sociais, simpliÆcar a mensagem potencia o partir de fontes renováveis.
disse há poucos dias que “Nas redes sociais, sou um produ- sou um produto populismo, a resposta fácil, é um A deputada do BE Maria Manuel
“internamente” sente que já to deles, o material deles; na comu- discurso moral, tudo o que a políti- Rola defendeu que a declaração de
readeriu ao CDS-PP. nicação social, eu pago, é uma fun- deles, o material ca deve rejeitar, mas os partidos emergência é “tão simbólica quanto
ção de que preciso para a cidadania.
Nada substitui os jornais.” Com este
deles; na políticos vão quase todos atrás”,
descreve. Das redes versus comuni-
a Constituição ou quanto a Declara-
ção Universal dos Direitos Humanos”
Parlamento raciocínio dicotómico, José Eduardo comunicação cação social passou para outro dile- e pediu ao Parlamento que “reco-
Aprovada lei que Martins sintetiza uma vasta digres-
são iniciada com uma referência
social, eu pago, é ma: da política ao populismo. Há
similitudes nas contraposições,
nheça a gravidade da situação”.
“Há no Governo português e no
limita número de para si icónica, a do capitalismo de uma função de que dado o papel de mediador que mundo sinais contrários ao combate
armas em casa vigilância, do cabo ao telefone. Dito
de outra forma: os oligopólios vigen-
preciso para a comunicação e política desempe-
nham na intermediação entre o
às alterações climáticas”, disse Maria
Manuel Rola, indicando que, por
A nova lei que limite o número tes e em construção, que nos seus cidadania. Nada indivíduo e a sociedade, da sua rea- exemplo, o ministro do Ambiente se
de armas de fogo que cada tentáculos são contrários e abafam substitui os jornais lidade à sua esperança. orgulha de Portugal não explorar
pessoa pode ter em casa e a democracia liberal por despeda- “Há interesse em que as pessoas mais hidrocarbonetos, mas o dos
estabelece um novo período çarem a livre concorrência e pros- José Eduardo Martins não tenham pensamento crítico, o Negócios Estrangeiros sanciona “o
de entrega voluntária foi creverem a liberdade. Uma versão que temos também é o que nos aumento da compra de gás natural
ontem aprovada por nos tempos da Net do Big Brother de dão”, avança Miguel Tiago. Com de fracking [fractura] hidráulica”.
unanimidade na Assembleia pesadelo descrito por George catapultada na imprensa para o várias ressalvas. “A mensagem polí- A deputada do CDS-PP Patrícia
da República. O diploma Orwell. patamar de iminente crise política. tica tem de ser moldada ao meio [de Fonseca aÆrmou que, para o Gover-
resulta de um texto de Para Miguel Tiago, os tempos com Ao estilo de um pré-anúncio. comunicar], mas não muda o con- no e o PS, “a declaração de emergên-
substituição apresentado pela nuvens de um novo totalitarismo não “O ardil do primeiro-ministro foi teúdo”, prossegue: “Por haver uma cia climática seria admitir” falhas na
primeira comissão à proposta são sobressalto porque não conce- ter utilizado todos os meios”, diz o predominância do contacto à dis- execução de medidas contra as alte-
do Governo para alterar o dem um estádio de bem-aventuran- comunista. “A fotograÆa tem peso, tância, não passa para segundo rações climáticas.
regime jurídico das armas e ça ao capitalismo. “Nunca vi o capi- era canhestra, mas como a oposição lugar o contacto directo.” Ou seja, Matos Fernandes lamentou que
suas munições. Segundo a talismo bonzinho”, ironiza. Com o foi mais canhestra, foi eÆcaz...”, não haverá política de plástico, afas- Bloco de Esquerda e os outros parti-
nova lei, as pessoas com mesmo postulado, sentencia que as reconhece a direita desta conversa tada das massas. dos “aparentemente não tenham
licença de armas do tipo B e B1 redes sociais reproduzem a cultura cruzada. “Foi eÆcaz não pelo Insta- “No circo em que as eleições lido o Roteiro para a Neutralidade
podem ter em casa até quatro dominante e que a sobrevivência dos gram, mas pela divulgação”, retoma foram convertidas, o caminho mais Carbónica 2050 e o Plano Nacional
armas, enquanto aos titulares órgãos de comunicação não é alheia o antigo deputado do PCP. fácil é esconder a autenticidade, é de Energia e Clima”, aÆrmando que
de armas de caça (licença C ou ao seu registo de propriedade e códi- “MassiÆcou a mensagem, como criar Æguras que sejam agradáveis”, aí está o plano “exigente e realista”
D) é permitido terem até 25. A go de interesses. Redes e jornais ele [António Costa] queria”, conce- alerta José Eduardo Martins. Tal para limitar o aquecimento global a
nova lei estabelece um retroalimentam-se. de o ex-parlamentar de há uma como nas redes onde, com ajuda de 1,5 graus acima dos valores médios
período de seis meses para a E dá um curioso e português década da bancada “laranja”.“Para logaritmo, se encontram os da mes- da era pré-industrial.
entrega voluntária de armas exemplo. A fotograÆa do gabinete de mim, o jornalismo é memória e ma opinião, mesmo que na legião “As nossas metas, as nossas pro-
de fogo a favor do Estado, sem crise do Governo na sexta-feira, 3 de quando pagas mal, não tens memó- da sua pequenez. postas em relação ao combate às
existir sanção. Maio, tirada pelo próprio primeiro- ria”, prossegue José Eduardo Mar- alterações climáticas são as mais exi-
ministro e divulgada nas redes, foi tins. É na comunicação tradicional nribeiro@publico.pt gentes do mundo”, garantiu. Lusa
10 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

POLÍTICA ELEIÇÕES EUROPEIAS 2019

Defesa europeia: A América continua


a ser a nação insubstituível
A Defesa europeia vai ganhando forma —
e é mais do que um somatório de boas
vontades. Mas um “exército europeu”
continua a ser uma Ägura de retórica
Macron falou dele pela primeira vez
Defesa europeia numa entrevista em Ænais do ano pas-
Teresa de Sousa sado como parte da sua ideia de “uma
Europa que protege”. Na mesma
“Sopa de letras” ou “exército euro- entrevista, o Presidente aÆrmou que
peu”? A revista britânica The Econo- a Europa tinha de “fazer frente à Chi-
mist ainda prefere a primeira deÆni- na, à Rússia e até aos EUA”. Como
ção para descrever o que é hoje a refere Ulrike Esther Franke, do Euro-
política de defesa europeia, embora pean Council on Foreign Relations, o
admita que alguma coisa já foi feita e Presidente francês falava de um mun-
que existe um novo sentimento de do dominado, cada vez mais, pelas
urgência por causa do estado do mun- relações entre grandes potências inte-
do. A “sopa de letras” é uma referên- ressadas em interferir na Europa.
cia ao número de siglas criadas pela “Precisamos de uma Europa que seja
União Europeia para dar corpo insti- capaz de se defender por si própria
tucional a uma nova política de segu- — e não dependendo apenas dos
rança e defesa, cujo início remonta a EUA.” Concluiu a mesma investiga-
1999, quando o Conselho Europeu de dora: “A ideia de um exército europeu
Helsínquia decidiu formalmente dar equivale em signiÆcado à velha ambi-
início a esta nova dimensão da inte- ção dos Estados Unidos da Europa ou
gração europeia. Era um velho sonho até ao objectivo de Obama de um
de muitos europeístas mais convictos: mundo sem armas nucleares.”
verem-se fardas nos corredores das A simples referência a um “exército
instituições de Bruxelas. É preciso europeu” continua a ser bastante
lembrar que a primeira tentativa de impopular na maioria das capitais da
construção de uma comunidade União. Mas a sua reentrada em cena
europeia foi a CED — Comunidade explica-se facilmente. Primeiro, foi a
Europeia de Defesa — lançada por invasão russa do Leste da Ucrânia e a
iniciativa francesa em 1952 e chumba- anexação ilegal da Crimeia, em 2014.
da dois anos depois pela França. Os europeus compreenderam pela
A ideia de um “exército europeu” primeira vez que o seu grande vizinho
também não é de agora. “O Bundes- do Leste voltava a ser uma ameaça à
tag discute-a pelo menos um vez por sua segurança. Depois, foi a eleição
ano”, diz a porta-voz para as questões de Donald Trump, em 2016, que clas-
militares do partido Os Verdes ale- siÆcou a NATO de “obsoleta” durante
mão. Em 1996, o então primeiro-mi- a campanha eleitoral. A palavra ainda
nistro francês Alain Juppé chegou a hoje vibra nos ouvidos dos responsá- Obama — “esqueceu-se” de mencio- continua tão empenhada como sem- fazê-lo, sem que os outros possam
argumentar a favor de um “exército veis políticos e militares europeus. nar o Artigo 5.º do Tratado de pre em defender a Europa. Ou, por impedi-lo. Ninguém quis Æcar de fora.
europeu”. Nunca suscitou grande Desde que chegou à Casa Branca, o Washington, que garante a defesa palavras mais exactas, se o compro- Hoje, a Pesco conta com 25 países —
entusiasmo, nem sequer da parte da Presidente já pôs em dúvida por diver- colectiva: “Um por todos, todos por misso americano com a defesa euro- as excepções são apenas o Reino Uni-
Alemanha, ainda Æel à sua aliança sas vezes o compromisso dos EUA um.” Num sistema internacional onde peia continua tão Ærme como no do porque está de saída, a Dinamarca
fundadora com os EUA. Contou sem- com a NATO, ou seja, com a segurança a desordem ganha todos os dias van- passado. Nos círculos europeus e nor- que tem um opt-out em matéria de
pre com a total oposição do Reino europeia. A sua argumentação é sim- tagem sobre a velha ordem liberal te-americanos onde se debatem estas defesa, e Malta.
Unido, pouco entusiasta de iniciativas ples: a Europa é rica, tira um enorme assente em instituições multilaterais questões começa a falar-se num Paris queria uma cooperação per-
europeias que beliscassem a NATO. partido da economia americana, mas que os EUA criaram após a II Guerra, “mundo pós-Atlântico”. manente mais limitada, de forma a
Hoje, Emmanuel Macron e Angela quer que os EUA continuem a pagar há razões de sobra para que a Europa Entretanto, a União foi tomando garantir maior coerência entre cultu-
Merkel recuperaram a expressão ain- pela sua segurança. preste muito mais atenção à sua pró- algumas decisões importantes. Criou ras estratégicas e maior eÆcácia. Ber-
da que com um signiÆcado bastante O seu comportamento errático nas pria segurança. a Pesco (Cooperação Estruturada Per- lim manteve a sua preocupação de
mais modesto do que possa parecer duas cimeiras da NATO em que parti- manente para a Segurança e Defesa), sempre: manter a coesão do todo.
à primeira vista. Quando os dois paí- cipou não ajudaram a desanuviar o Mundo “pós-Atlântico”? uma Ægura que já estava prevista no Esta divergência acabou por ser supe-
ses assinaram em Janeiro deste ano ambiente. Na primeira, além de caus- O debate europeu deixou de ser se a Tratado de Lisboa (2007) mas que só rada por outra iniciativa do Presiden-
um novo tratado bilateral para reno- ticar os aliados por não gastarem pelo constituição de uma capacidade mili- viu a luz do dia em Novembro de 2017. te francês: a “Iniciativa de Interven-
var o Tratado do Eliseu de 1963, menos 2% do seu PIB com a defesa — tar autónoma da União poderia ou Trata-se de criar uma área de coope- ção Europeia”, criada fora do quadro
ambos mencionaram a possibilidade Æxados, de resto, numa cimeira da não minar a unidade da aliança tran- ração permanente entre os países da institucional da UE, o que lhe dá a
de criação de um “exército europeu”. NATO em 2014, ainda no tempo de satlântica e passou a ser se a NATO União que decidam voluntariamente vantagem de integrar o Reino Unido,
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 11

POLÍTICA

Angela Merkel
e Donald
Trump na
cimeira da
NATO de
2018:
parceiros de
costas
voltadas
KEVIN LAMARQUE/REUTERS
de Milosevic e o regresso da “limpeza do qualquer intenção discriminatória NATO e as fronteiras da Rússia?
étnica” ao território europeu pela pri- em relação aos EUA. O outro grande debate que hoje
meira vez desde a II Guerra. Já a ministra da Defesa alemã, Ursu- percorre os think-tanks e os meios
la von der Leyen, preferiu lembrar que militares da Aliança é justamente se
O que querem os EUA? os europeus “estão a fazer aquilo que a NATO está preparada para enfrentar
Ontem, o Financial Times revelava os nossos amigos americanos nos têm um ataque a uma das pequenas repú-
uma carta enviada pelos “número pedido há anos.” “A nossa tarefa é blicas bálticas, demasiado próximas
dois” dos departamentos de Estado mostrar-lhes que a NATO apenas lucra- de São Petersburgo, que já foram par-
e da Defesa americanos a Federica rá com os esforços no sentido de criar te da antiga União Soviética e que
Mogherini, a chefe da Diplomacia uma União Europeia da Defesa.” convivem diariamente com o enclave
europeia, dando-lhe conta da “pro- Para a maioria dos países que são, de Kalininegrado, entre a Lituânia e
funda preocupação” de Washington ao mesmo tempo, membros da União a Polónia, onde a Rússia instalou mís-
com as regras do novo Fundo Euro- e da NATO, é isso exactamente o que seis com ogivas nucleares que podem
peu da Defesa (FED) e com a criação signiÆca o reforço da cooperação mili- atingir Berlim em menos de cinco
da Pesco, que podem “levar a dupli- tar no quadro da União Europeia: minutos.
cações, à falta de interoperabilidade aumentar a sua capacidade militar Desde a crise ucraniana que os paí-
dos sistemas militares, ao desvio de “no âmbito da Pesco ou no âmbito da ses da NATO, incluindo os EUA, man-
recursos já de si escassos e a uma des- NATO é a mesma coisa”, citando o têm um dispositivo militar nos Bálti-
necessária competição entre a NATO chefe da Diplomacia portuguesa. Alia- cos e na Polónia para dissuadir qual-
e a UE”. dos como Portugal, Holanda, Dina- quer tentação de Putin, no qual
“É vital (…) que as iniciativas inde- marca e a maioria dos países da Euro- participam 23 aliados. Os Estados
pendentes da União Europeia como pa Central e de Leste continuam a ver Unidos, ao contrário da retórica de
o FED e a Pesco não ponham em cau- na NATO a garantia da sua segurança Trump, aumentaram o Ænanciamen-
sa as actividades da NATO e a coope- e numa maior capacidade militar pró- to e o envolvimento nessas missões.
ração NATO-UE”. Depois de Trump pria da União Europeia um reforço Não há no terreno qualquer sinal de
ter posto em causa por diversas vezes do pilar europeu da organização. falta de solidariedade. A presença dos
o compromisso dos EUA com a Alian- O FED vai contar com cerca de 13 EUA e de mais 22 países da NATO na
ça Atlântica, a sua Administração vem mil milhões de euros nos próximos fronteira dos Bálticos ou na Polónia
lembrar aos europeus quem lidera e sete anos, o que está longe de ser uma quer dizer, citando Paul Taylor, editor
quem estabelece a regras do jogo. enormidade, embora já seja alguma do Politico.eu, que “qualquer aventu-
Esta aparente “esquizofrenia” não é coisa. Em Junho do ano passado Fede- ra da Rússia encontraria pela frente
só de agora. Outros presidentes rea- rica Mogherini propôs a criação de soldados da NATO, internacionalizan-
giram mal a qualquer iniciativa euro- uma “Capacidade Europeia para a do o conÇito.” Taylor concluiu que
peia autónoma no domínio da defesa. Paz”, que poderia ir até dez mil isso ainda é suÆciente “para deter
Foi assim, por exemplo, nos primei- milhões de euros anuais, destinada a qualquer líder russo racional”.
ros anos de George W. Bush. Robert ajudar a suportar os custos das ope- Nem todos os analistas estão de
Gates, secretário da Defesa de Obama rações militares conduzidas sob ban- acordo com esta análise. Todos estão
no seu primeiro mandato, foi a Bru- deira da União. A proposta deve ser de acordo em que a questão funda-
xelas antes de abandonar o cargo aprovada em breve. mental é política. Mais do que as
dirigir aos aliados as palavras, por- Até recentemente, a Alemanha capacidades militares, a percentagem
ventura, mais duras que ouviram do opunha-se à sua criação, dizendo que do PIB gasta com a defesa, a coesão
parceiro americano sobre o seu pou- os tratados a impediam. Hoje, a polí- política dos aliados é a sua principal
co empenho Ænanceiro e militar tica de defesa é ainda uma competên- “arma dissuasora”. E essa entrou em
numa aliança da qual dependiam cia do conselho de ministros dos turbulência com o actual Presidente
para garantir a sua defesa. Negócios Estrangeiros — os ministros norte-americano, deixando os euro-
um dos 11 países que a constituem, tribuição atinge quase 40%. Leva Uma leitura mais atenta da carta da Defesa não têm formato próprio peus confrontados com a sua própria
entre os quais Portugal, Holanda ou também consigo a sua força de dis- revela que a grande preocupação para a tomada de decisões neste fraqueza.
a própria Alemanha. suasão nuclear, deixando a França americana é o Fundo Europeu de domínio. As últimas informações Sabem que estão muito longe de
sozinha. Macron tem argumentado Defesa, com regras que podem pre- indicam, contudo, que esta falha esta- um “exército europeu” como sabem
O veto e as tropas que a relação estabelecida com o judicar a sua própria indústria, que rá prestes a ser colmatada, com a que a sua defesa colectiva continuará
Conta-se em Bruxelas que se abriram Reino Unido na NATO não chega tem na Europa um grande mercado, criação de um Conselho da Seguran- a ser garantida pelos EUA por via da
garrafas de champanhe na sede da para colmatar este déÆce. Muito pro- mas também a cooperação nos domí- ça e Defesa ao nível dos outros Con- NATO e que terão de gastar mais com
Comissão quando foi conhecido o vavelmente, terá de haver um trata- nios da I&D (investigação & desenvol- selhos da União Europeia. a sua própria defesa se quiserem pre-
resultado do referendo britânico de do. vimento). Aparentemente, essas servar a aliança transatlântica. “Para
2016: Ænalmente a Europa poderia ter Aliás, apesar das eternas divergên- regras poderiam impedir companhias Quem defenderá a Europa? a dissuasão da NATO ser credível só
uma defesa comum. Acabava o veto cias entre Londres e Paris sobre o que situadas fora da Europa, incluindo Quem defenderá a Europa? É este o uma questão importa: se os EUA estão
britânico. Ninguém se lembrou que, deveria ser a defesa europeia, a sua nos EUA, de participarem em projec- dilema dos europeus, quando a completamente empenhados no seu
com o veto, iam também as tropas. história atribulada nasceu em 1998, tos militares Ænanciados pelo fundo. ameaça à sua segurança nunca foi compromisso”, diz Jan Techau do
Haverá algum exagero nesta ane- numa cimeira franco-britânica em St. A hipótese de retaliação está suben- tão real desde que a Guerra Fria ter- German Marshal Fund. A América
dota, mas a saída do Reino Unido é Malo entre Tony Blair e Jacques Chi- tendida. A carta criou alguma ansie- minou. Putin não ousará atacar um continua, portanto, a ser a nação
um problema. Representa cerca de rac. Os dois países tentavam tirar as dade em Bruxelas. “Há uma enorme país-membro da NATO? Limitar-se- indispensável da segurança europeia.
30% da capacidade militar europeia lições da humilhação sofrida na ex- incompreensão sobre o modo de fun- á a testar a sua política de intimida- A única questão é saber até quando.
(apenas igualado pela França) e, no Jugoslávia, quando se viram obrigados cionamento da União Europeia” diz ção nos países que estão na zona
capítulo da I&D na defesa a sua con- a recorrer aos EUA para travar a Sérvia um diplomata europeu ao FT, negan- cinzenta entre as fronteiras da teresa.de.sousa@publico.pt
O presente
e o futuro
da Europa
O PÚBLICO entrevistou 11 académicos e políticos
com um pensamento sobre o presente e o futuro
da Europa de forma a compreender melhor os desafios,
as dificuldades, as possibilidades que Portugal e os seus
parceiros europeus têm pela frente para vencer a maior
crise da história da União Europeia.
Agora, reuniu as estas entrevistas num livro
para ajudar a entender para onde caminhamos.

A
EUROPA
EO
PRESENTE

9,9521€MAIO
T E R ÇA ,
COM O PÚBLICO
ENTREVISTAS DE
TERESA DE SOUSA
Jaime Gama
Álvaro Vasconcelos
Carl Bildt
Ulrike Guérot INÉDITO E
Jacques Rupnik EXCLUSIVO
António Costa
Marcin Zaborowski
Carlos Moedas
Paulo Rangel
Timothy Garton Ash
Marcelo Rebelo de Sousa
Série de entrevistas
patrocinada por

Stock limitado
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 13

ELEIÇÕES EUROPEIAS 2019 POLÍTICA

Sê igual a ti próprio
[Pedro Marques]
António Costa
Secretário-geral do Partido Socialista

RUI MIGUEL PEDROSA/LUSA

Um candidato “calmíssimo” Radar da Europa


com guião aprovado pelo chefe PS
Harmonização fiscal
Pedro Marques tem dedicado
boa parte da sua campanha aos
gar aos dois mil quilómetros em assuntos europeus, sem
Liliana Valente quatro dias — e só às 17h fez declara- esquecer de dar resposta às
ções aos jornalistas. críticas da oposição. Ontem
É uma campanha sem grande apa- Foi nessa conversa que se mostrou introduziu outro assunto —
rato, mal se dá pela sua passagem pouco preocupado com as críticas impostos europeus — para
nas terras por onde anda. Contam- que lhe são feitas pela falta de dinâ- pedir harmonização fiscal entre
se pelos dedos das mãos os “joti- mica da campanha. Sobre si próprio os diferentes países.
nhas” que o acompanham. A cada diria: “O Pedro Marques está calmís-
dia há um ou outro dirigente nacio- simo e empenhadíssimo em falar PSD
nal a acompanhar o candidato. com as pessoas, em explicar propos- Incêndios e meios aéreos
Ontem estiveram não só António tas para a Europa, em explicar por- Paulo Rangel começou o dia a
Costa, mas também os ministros que é que a Europa é importante. De Carro em que seguiam Santana e Sande ficou destruído criticar a falta de meios aéreos
Matos Fernandes e Vieira da Silva, facto, não foi o Pedro Marques nem de combate aos fogos e acusou
o Governo de se enredar “nas
e a coluna de reforços vai engrossar
na segunda semana com a chegada
a campanha do PS que escolheu
andar a sobrevoar a região centro, Santana Lopes e Paulo Sande burocracias e não conseguir ter
de Mário Centeno, Ferro Rodrigues em vez de falar com as pessoas afec- os meios prontos no arranque
e Francisco Assis. Mas o candidato tadas”. envolvidos em acidente na A1 da época de incêndios. O PSD
não se importa muito com a dinâmi- Justiça seja feita à campanha de recordou a sua proposta sobre
ca modesta e viu, aliás, António Pedro Marques, raramente tem fala- o programa europeu de
Costa apoiar o seu estilo: “Sê igual do de assuntos que não sejam euro- e transportado de helicóptero para combate ao cancro.
a ti próprio”, disse-lhe o secretário- peus. Aliás, estes primeiros dias Francisco Correia os HUC.
geral do PS.
E Pedro Marques seguiu à risca.
foram monotemáticos sobre fundos
europeus. Os vários fundos euro-
e Miguel Dantas O recurso ao helicóptero obrigou
ao corte de trânsito daquela zona da
CDS
Famílias no Governo
Aliás, o candidato certinho, que peus. Colhendo os louros ou tentan- Pedro Santana Lopes, líder da Alian- auto-estrada em ambos os sentidos. Pires de Lima entrou na
chega a horas aos sítios, pouco se do mostrar os exemplos positivos ça, e o cabeça de lista deste partido Fonte da assessoria do INEM assegu- campanha do CDS — que todos
desvia do guião que traçou, no per- que semeou enquanto secretário de às europeias, Paulo Sande, sofreram rou que a opção pelo transporte aéreo os dias tem lançado uma ideia
curso e no discurso. Apenas na noi- Estado da Segurança Social — fundos ontem à tarde um acidente de auto- de Pedro Santana Lopes até Coimbra para a Europa —, mas preferiu
te de terça-feira surpreendeu quem de apoio às instituições particulares móvel, na A1. O despiste da viatura se deveu às suspeitas de um trauma- falar sobre o executivo: “Temos
o ouviu durante os cinco minutos de solidariedade social — e enquanto conduzida por Santana ocorreu ao tismo torácico e/ou craniano, que um Governo que é uma
de discurso em Faro. Num tom ministro do Planeamento e Infra-Es- quilómetro 136, entre Pombal e Sou- podia representar alguma gravidade. vergonha. Um Governo de pais
truturas — visitando empresas como re, quando o antigo primeiro-ministro O helicóptero do INEM foi destacado e filhas, de maridos e mulheres.
Pedro Marques
a Tekever, em Ponte de Sor, ou e Sande seguiam de Coimbra para porque, de acordo com a mesma fon- Uma situação nunca vista na
defendeu a
necessidade de empresas agrícolas. Lisboa. Ambos sofreram ferimentos te, o Centro de Orientação de Doentes democracia e na ditadura.”
acabar com a Ontem, até por ter recebido ligeiros e foram encaminhados para Urgentes (CODU) recebeu informa-
“offshorização” “dicas” do presidente da Dan Cake, os Hospitais da Universidade de ções de um acidente “grave com feri- CDU
fiscal dentro da acabaria por falar de outro tema Coimbra (HUC). A situação clínica de dos encarcerados”. Orçamento europeu
União Europeia europeu: os impostos. Pedro Mar- ambos é “estável e favorável”, adian- Por precaução, e em conjunto com Num dia dedicado ao interior,
ques defende que tem de se olhar tou a Aliança em comunicado. o CODU, o INEM resolveu utilizar a João Ferreira quis saber se o
directo, mas sentido, calou uma sala para o Ænanciamento das médias Paulo Sande conseguiu sair da via- forma mais rápida de transporte até Bloco Central vai votar
que o ouviu apontar a Paulo Rangel empresas, que estão numa espécie tura pelo próprio pé, enquanto San- aos HUC. A fonte do INEM explicou novamente a favor de um
o “oportunismo lamentável” por ter de limbo da legislação, por causa da tana Lopes precisou de ser desencar- ao PÚBLICO que não existe qualquer orçamento comunitário que
“sobrevoado a dor” de quem sofreu dimensão, e defendeu ainda uma cerado pelos bombeiros. O alerta foi tipo de protocolo especial no que diz corte nas verbas do fundo de
nas tragédias dos incêndios. A críti- harmonização Æscal, com uma dado pelas 17h14 e mobilizou uma respeito ao transporte de ex-titulares coesão para Portugal. A CDU
ca virou o jogo ao contrário, pondo “aproximação da base Æscal” dos equipa de socorro de 16 elementos, de altos cargos do Estado. votará contra.
Rangel a responder ao que tinha diferentes países. Na óptica do can- apoiados por sete veículos. A clarificação dessa questão foi,
feito, quando, até então, era o socia- didato é possível mexer não nas taxas Paulo Sande explicou à Lusa que de resto, uma preocupação do INEM Bloco de Esquerda
lista a ter de prestar contas às críti- de imposto, esse é ainda um longo o carro onde seguiam “capotou que, no Twitter, informou que “exi- Extrema-direita e refugiados
cas adversárias. caminho a percorrer, mas na “parte várias vezes” na sequência do des- ge igualdade de tratamento” pré- Os refugiados e o crescimento
O fruto foi colhido até pelo silên- de rendimentos que são ou não tri- piste. As autoridades iniciaram no hospitalar para todos os cidadãos, da extrema-direita foram temas
cio do candidato, que quis fazer butados que são diferentes de uns local a investigação das causas do “independentemente da sua situa- muito referidos na
perdurar as suas palavras durante países para os outros”. É esta dife- acidente. ção económica, social, cultural, das pré-campanha e ontem o BE
quase todo o dia de ontem. Fez duas rença que permite “uma ‘oèshoriza- Paulo Sande queixava-se de dores convicções filosóficas, religiosas ou repescou-os, falando sobre a
visitas a duas empresas, distantes a ção’ Æscal dentro do espaço da UE” no tórax e foi transportado ao hospi- políticas”. importância de ter memória
mais de duas horas de viagem de que se propõe ajudar a resolver. tal numa ambulância. Santana Lopes para combater as “sombras do
carro —, o habitual nesta caravana apresentou as mesmas queixas, ten- francisco.correia@publico.pt fascismo” na Europa.
que ao Ænal do dia de ontem ia che- liliana.valente@publico.pt do sido “imobilizado por precaução” miguel.dantas@publico.pt
14 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

POLÍTICA ELEIÇÕES EUROPEIAS 2019

Temos um Governo como


nunca se viu. Um Governo que
é uma vergonha. Um Governo
de habelidadezinhas
António Pires de Lima
Ex-ministro da Economia

PSD diz a Costa para se preocupar Cristas acusa Costa de ser


“incompetente” ou de “faltar
com outros meios aéreos à verdade” sobre meios aéreos
NUNO FERREIRA SANTOS
ma — o consórcio gestor da rede
Sofia Rodrigues Luciano Alvarez ameaça desligar o sinal de satélite, se
o Estado não pagar o investimento de
Rui Rio apareceu na Assunção Cristas acusou ontem o pri- 11 milhões de euros que exigiu neste
meiro-ministro de ou ser “profunda- dispositivo —, “já passaram 48 horas”
campanha do PSD para mente incompetente” ou estar “pro- e António Costa nada voltou a dizer.
embarcar num veleiro do fundamente a faltar à verdade” sobre A líder do CDS participou numa
Tejo com as Mulheres o facto de não estarem ainda disponí- acção de campanha ao lado dos prin-
Sociais-Democratas veis todos os meios aéreos de comba- cipais candidatos ao Parlamento
te aos incêndios Çorestais. Europeu inserida no Dia Internacio-
O voo de Paulo Rangel de helicóptero Numa acção da campanha do CDS nal da Família, que se cumpriu
pelas zonas ardidas, criticado primei- para as eleições europeias, Assunção ontem. Cristas assistiu a um espectá-
ro dentro do PSD e depois pelo pri- Cristas, questionada pelos jornalistas, culo de magia para crianças no Par-
meiro-ministro, acabou por servir de abordava o facto de 18 das 38 aerona- que das Conchas, em Lisboa. No Ænal,
arma de arremesso ao PS no dia em ves de combate aos incêndios Çores- questionada sobre o que seria mágico
que foi noticiada a falta de meios tais que deviam poder ser activados para o CDS nestas eleições respon-
aéreos para combater os incêndios. a partir de dia 15 não estarem dispo- deu: “Multiplicar o nosso candidato
Rui Rio veio reforçar ontem a ideia já níveis. O atraso nos concursos para por vários. Muitos.”
lançada pelo candidato do PSD à hora Depois da polémica do helicópetro, o PSD fez campanha de barco operar os três helicópteros ligeiros do Um mercado, é um mercado, é um
de almoço: “O primeiro-ministro Estado e para alugar 35 aeronaves fez mercado. E o especialista neles é o
devia era estar preocupado com os dirigentes locais, Paulo Rangel seguiu com que nenhum dos procedimentos CDS, numa longa tradição de aí fazer
helicópteros que não estão em condi- para a segunda acção do dia, um lançados este ano obtivessem os vis- acções de campanha eleitoral, inicia-
ções de levantar voo”. almoço na Associação Humanitária tos do Tribunal de Contas. da de forma quase obrigatória por
Não foi em terra que o disse, mas dos Bombeiros Voluntários do Dafun- A líder do CDS falou “num padrão Paulo Portas. Mas há mercados mais
sim num veleiro enquanto navegava do, um cenário mais próprio para do primeiro-ministro”, que “anuncia amigos que outros. Ontem, os centris-
no rio Tejo, numa iniciativa de cam- [Caso do SIRESP] endurecer o tom contra as falhas na as coisas e não as cumpre”. Assunção tas estiveram no de Cascais. Manhã
panha, ao final da tarde, com as Protecção Civil. Recebido calorosa- Cristas voltou também ao tema do mais favorável era difícil. Nuno Melo,
Mulheres Sociais-Democratas (MSD), revela mente pelo presidente da Associação SIRESP, a rede de emergência nacio- quase sempre guiado por Pedro Mota
uma estrutura que não existe formal- incompetência, – o ex-deputado do PSD Armando nal, observando que, depois de o Soares, número dois da lista às euro-
mente no partido, mas a que se jun- Soares — o candidato acusou o chefe primeiro-ministro ter dito na segun- peias e presidente da assembleia
taram outros militantes e dirigentes incúria e de Governo de querer “desviar as da-feira que levaria poucas horas a municipal de Cascais, teve uma
do PSD. Rui Rio (na segunda vez que negligência atenções” por causa dos meios aéreos encontrar uma solução para o proble- manhã “sem espinhas”. Beijos distri-
apareceu na campanha) e Paulo Ran- de combate aos incêndios em falta. buídos foram mil e manifestações de
gel entraram juntos para a embarca- Paulo Rangel “Dos muitos helicópteros que fal- apoio outras tantas.
ção, mas pouco tempo depois já se Cabeça de lista do PSD tam no terreno, o único que foi fala- Ontem também foi dia de críticas
tinham afastado e foram poucos os do foi o que foi ao terreno”, disse, ao executivo. Muitas vieram de Antó-
momentos em que voltaram a estar tam as questões nacionais nas elei- depois de registar o “nervosismo, a nio Pires de Lima, que se juntou à
lado a lado durante a viagem de cerca ções europeias e criticou a audição de agitação e alguma deselegância do campanha. “Temos um Governo
de uma hora e meia. Joe Berardo. PS” na campanha. E fez uma compa- como nunca se viu. Um Governo que
Enquanto o Príncipe Perfeito se Na primeira acção de campanha do ração com o problema do SIRESP, é uma vergonha. Um Governo de pais
afastava do Cais de Alcântara, “rumo dia — uma visita à Fundação Champa- que foi “diagnosticado há quase dois e Ælhas, de maridos e mulheres (…)
à Europa”, como disse a presidente limaud, em Lisboa — Paulo Rangel anos”. Paulo Rangel atirou-se ao pri- Uma situação nunca vista na demo-
das MSD, Lina Lopes, declamaram-se usou um tom suave para responder a meiro-ministro ao dizer que foi “o cracia e na ditadura. É um Governo
versos de Fernando Pessoa, ouviram- António Costa quando, na noite ante- maior crítico” mas também o res- de habilidadezinhas e truquezinhos”,
se dois dos hinos do partido, agita- rior, o tinha acusado de apenas sobre- ponsável pelo sistema quando era aÆrmou o ex-ministro da Economia,
ram-se as bandeiras laranja, sem voar as zonas ardidas e de não fazer ministro, e que não conseguiu resol- acrescentando que o executivo mere-
esquecer as muitas selfies e fotograÆas campanha “cara a cara”. “Serenidade ver o problema quando abre a época ce um cartão amarelo.
típicas de um passeio turístico no rio e elevação”, pediu repetidamente Pau- de incêndios. “Isto revela incompe- Nos próximos dias, vão também
ao Æm da tarde. Depois de Rangel lo Rangel, no Ænal da visita à fundação tência, incúria e negligência”, acu- participar na campanha, além de
assumir que a “experiência náutica” presidida por Leonor Beleza, que não sou perante uma sala com menos de Paulo Portas, Lobo Xavier, Nuno
era simbólica e que na campanha se apareceu ao lado do candidato. 100 pessoas e onde estavam vários Magalhães, Telmo Correia e Adolfo
sente uma “dinâmica de vitória”, o Rodeado por alguns dos candidatos comandantes de bombeiros. Mesquita Nunes.
líder do PSD falou aos jornalistas para da lista — Lídia Pereira, Graça Carva- Nuno Melo teve uma manhã em
admitir como “normal” que se discu- lho e Carlos Coelho — e por alguns srodrigues@publico.pt cheio no mercado de Cascais lalvarez@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 15

POLÍTICA

O voto acertado é na foice e Queremos que a medalha


no martelo, com o girassol ao [de Berardo] seja devolvida, mas
lado. Com o girassol ao lado! sobretudo queremos que o dinheiro
É no último quadrado! [da CGD] seja devolvido
João Ferreira Marisa Matias
Eurodeputado da CDU Eurodeputada do BE

Em Bencatel, a jogar à manilha Esquerda, direita — Rosas


vê o PS como um balancé
e a reclamar aumento da reforma
NUNO VEIGA/LUSA
acrescentou, também em Peniche,
Maria Lopes Maria João Lopes numa tarde em que esteve com Luís
Fazenda e Fernando Rosas.
Tal como em muitas vilas e aldeias, Foi na visita à Fortaleza de Peniche, Só depois Rosas acabaria por ana-
a antiga escola primária de traça onde esteve preso, que o historiador lisar os dias de campanha: “Da parte
Estado Novo de Bencatel já não se Fernando Rosas usou uma imagem dos partidos da direita tem corrido
enche com os risos das crianças. para falar do PS. Aos jornalistas, dis- sem objecto, na falta de temas inven-
Agora é couto dos reformados, com se ver o partido como um balancé ta-se uma tralha para trazer para a
as mesas das salas a serem ocupadas que ora pende para a esquerda, ora campanha. Da parte da direita, uma
com jogos de cartas e de dominó a para a direita. O bloquista criticou a grande pobreza. A esquerda tem
seguir ao almoço. O calor lá fora não campanha dos partidos de direita procurado trazer os assuntos que
está assim tanto de estalo — apesar nestas eleições europeias, defenden- respeitam à ligação da Europa com
dos 36 graus, corre uma aragem —, do que tem cabido à esquerda o o dia-a-dia das pessoas”, defendeu.
mas pouco mais há para fazer quan- esforço de pôr os temas europeus na E, nessa análise, onde se situa o
do já se deixou o trabalho nas pedrei- agenda. PS? “Ao meio, como sempre. A balan-
ras que bordeiam as estradas para Não foi por acaso que aquelas çar de um lado para o outro. O PS é
Vila Viçosa ou o Alandroal e o sol declarações foram feitas ali. Ontem, uma espécie de balancé, vai para
ainda vai alto para rumar à horta. o Bloco de Esquerda colocou o tema aqui, vai para acolá”, continuou
Joaquim Gama e António Perico da extrema-direita no centro da cam- Rosas que vê o candidato socialista
jogam à manilha com mais dois ami- JoãoFerreira interpelou reformados que jogavam às cartas panha. A caravana bloquista visitou
gos numa das três mesas ocupadas. as minas da Panasqueira, que produ- Fernando Rosas,
São os mais faladores, mas é Perico tivesse aumentado pela inÇação des- tinha a dizer que o aumento era de ziam volfrâmio para alimentar as fundador do BE,
quem não se acanha nas críticas. de que foi criado já ia em mais de um euro.” Ri-se com o ridículo da guerras mundiais, e a Fortaleza de comentou as
Pela forma como reÆla, ainda não 900 euros e nós só pedimos 850…” situação. “É quase o preço do selo…” Peniche, onde esteve preso quem campanhas do
PSD, do CDS e do
está convencido em seguir o conse- Perico insiste nos privilégios dos João Ferreira tenta arrumar o assun- lutou contra a ditadura. E fê-lo para PS e elogiou
lho de João Ferreira, que lhe estende outros, os que só trabalham 35 horas to: “De domingo a oito têm que levar honrar, nos dois casos, o “dever de Marisa Matias
um panÇeto da CDU e recomenda: e o privado tem pelo menos 40 horas a indignação até ao voto!” “Esse está memória” que protege as democra-
“O voto acertado é na foice e no mar- por semana. Nas pedreiras e serra- certo”, promete Gama, enquanto cias do surgimento dos fascismos.
telo, com o girassol ao lado. Com o ções de mármore ali à volta, onde Perica continua a remoer baixinho. O único tema paralelo neste dia foi como alguém “muito reactivo”, que
girassol ao lado! Há outro que p’raí trabalhou 46 anos, continua a exigir- Os camaradas voltam à rua porque mesmo o da polémica em torno da “vai atrás”. “A campanha do PS tem
anda só para enganar! É no último se as 40 e as horas extras ninguém as é tempo de seguir para uma acção condecoração de Joe Berardo. A pouca autonomia do ponto de vista
quadrado!” paga a mais de cinco euros. “Nós de rua em Évora e gastar as energias cabeça de lista do BE, Marisa Matias, conceptual”, disse ainda Fernando
De um dos lados, o papel simula o defendemos as 35 horas no público do almoço. Altura em que João Fer- aÆrmou que o Bloco quer muito mais Rosas, para quem o “grande proble-
boletim de voto com a longa lista de e no privado, foi o PS, que é Gover- reira criticara quem agora na cam- do que simplesmente que a conde- ma” do PS é, porém, maior — é
partidos desfocados, deixando bem no, que não quis”, vinca João Ferrei- panha anda pelo interior a “chorar coração do empresário madeirense “saber para que lado é que cai”, o
legível o último, a CDU. “Ah, já excluí- ra. Ambos continuaram no pingue- lágrimas de crocodilo” pelo seu seja devolvida, como pede o CDS: que nas questões europeias se nota
ram os outros todos para a gente não pongue: “Os reformados ganham abandono, mas promoveu no Gover- “Queremos que a medalha seja “de uma maneira superlativa”.
fazer confusões”, ri-se Joaquim uma miséria”, queixa-se o septuage- no o seu despovoamento. “Às vezes devolvida, mas sobretudo que o Ao lado, Marisa Matias acabaria
Gama, que vai admitindo que já sabe nário. “Recuperou o 14.º mês e teve só faltou levarem os cemitérios. dinheiro seja devolvido. E que sejam por colher elogios de Rosas, por
“onde é”. Mas António Perico está aumentos de seis ou de dez euros. E Levaram a escola, o centro de saúde, responsabilizadas as pessoas que mostrar como as decisões das insti-
mais difícil de convencer. Queixa-se olhe que o PS não queria”, diz uma as freguesias, os correios, os centros tomaram estas decisões. Celeste Car- tuições europeias afectam o salário
da reforma que não cresce à mesma militante que acompanha o candida- de distribuição postal. Levaram tudo dona, do CDS, que foi nomeada por que se recebe, o transporte que se
velocidade que os salários da função to. Nada, Perico faz contas: vai dos isso e agora choram lágrimas de cro- Durão Barroso [para a CGD], aliás apanha. Mais: para a candidata só
pública. Esses “levam tudo”. 70 e tal euros que pagou de IRS de codilo?” como Armando Vara do PS, esteve assim se luta contra o crescimento
“Esses não levaram aumento 2016 até aos mais de 200 que terá Com casos concretos de como as directa e pessoalmente envolvida”, da extrema-direita: “A nossa obriga-
durante dez anos”, replica João Fer- que pagar pelas reformas de 2018. decisões de Bruxelas se repercutem disse a bloquista, mostrando curio- ção é perceber que só conseguimos
reira, que se justiÆca: “Nós temos de “Mas recuperou”, insiste Ferreira. negativamente no quotidiano da sidade em saber se o candidato cen- combater estas sombras se tivermos
lutar por todos, do público e do pri- “Ora, dão com uma mão, mas cor- população, João Ferreira diz querer trista Nuno Melo também defende respostas concretas para as pes-
vado. Não somos como alguns que tam com a outra! Eu ganho mais, mas centrar a campanha no debate sobre que Celeste Cardona deve perder a soas”, sublinhou ainda de manhã,
querem voltar uns trabalhadores estou a descontar mais”, gesticula a Europa. “Não contam connosco condecoração que lhe foi atribuída nas minas da Panasqueira, e depois
contra os outros — e isso acaba sem- Perico, já a mostrar o seu jogo aos para desviar esta campanha disto, pelo então Presidente Cavaco Silva. de ouvir a história de Isidro Gil, de
pre mal.” O comunista diz que deve outros que estão na mesa. Joaquim que nos parece essencial, para ques- “O que este caso mostra é que o 85 anos, que ali trabalhou 43 e se
haver uma salário mínimo igual para Gama vem em socorro do compa- tões ou questiúnculas acessórias.” bloco central de interesses sempre lembra de ter passado fome.
todos e que deve ser de 850 euros. nheiro da manilha: “A mim tiveram inclui o CDS, mesmo que agora Nuno
“Veja lá que se o salário mínimo o descaramento de mandar uma car- maria.lopes@publico.pt Melo queira Æcar fora da fotograÆa”, mjlopes@publico.pt
16 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

POLÍTICA ELEIÇÕES EUROPEIAS 2019

Há domínios em que a
liberdade de circulação
(de bens, serviços, pessoas
e capitais) ainda não foi
atingida na plenitude
Ricardo Arroja
Cabeça de lista da Iniciativa Liberal

“A União Europeia precisa de mais transparência”


GREGÓRIO CUNHA
Mas persistem obstáculos a uma
Ricardo Arroja Economista e professor verdadeira integração dos
universitário, o cabeça de lista da mercados digitais na Europa. É
preciso também um maior
Iniciativa Liberal faz a estreia na política. reconhecimento de qualiÆcações
proÆssionais, acabando com as
Como o próprio partido, cuja mensagem barreiras administrativas e
corporativas ao exercício de
passa pelo primeiro teste nas urnas determinadas proÆssões. E a UE
precisa de mais transparência. Não
princípios fundamentais da IL, existe um registo de lobistas que
Entrevista acrescentamos a descentralização actuam junto dos poderes
Márcio Berenguer (que está associada ao primeiro europeus. É preciso que haja esse
eixo da liberdade de escolha) e escrutínio, para sabermos que as
Liberdade de escolha, defendemos a concorrência. Estes leis e directivas são aprovadas no
descentralização e concorrência: são os três principais eixos que nós interesse de todos, e não apenas de
estes são os três grandes princípios temos na Iniciativa Liberal e que quem faz lobbying. Esse é também
seguidos pela Iniciativa Liberal, de depois se traduzem em menos um caminho no combate à
Ricardo Arroja. burocracia e menos impostos. corrupção.
A campanha para as europeias Também numa menor Qual é o posicionamento da IL
começa em clima de legislativas. desigualdade, porque quando em matéria de imigração e
Isso é bom para os partidos mais temos mais concorrência, temos as refugiados?
pequenos? condições propícias para uma Separar as águas. Por um lado,
Na minha opinião, só pode menor desigualdade. temos a política de imigração, por
beneÆciar. São as primeiras eleições A IL viabilizaria um Governo PS? outro, temos a política de asilo. As
a que concorremos. É primeira Não, porque o PS assenta numa duas têm sido confundidas, quando
oportunidade de nos pormos à lógica de socialismo que rejeitamos. devem ser claramente distinguidas.
prova e percepcionarmos se os E do PSD? A política de asilo deve ser gerida
nossos eleitores estão com a nossa Também. O PSD enquanto partido com agências e com recursos do
mensagem, ou não. Em segundo social-democrata tem fomentado a orçamento europeu, e não gerida a
lugar, a situação política neste centralização das decisões e a nível nacional. Isto porquê? Porque
momento é tão complexa, tão estatização da economia. Nós a questão do asilo e dos refugiados é
atribulada e tão incoerente de parte entendemos que todos os partidos, uma questão essencialmente de
a parte que constitui mais um nomeadamente os maiores em direitos humanos. De humanismo.
incentivo para nos aÆrmarmos com Portugal, têm conduzido a políticas acontece em Portugal é que cada A grande ideia da IL para as Os direitos humanos, o humanismo,
uma mensagem diferente. económicas que, de forma vez pagamos mais impostos e europeias é... são princípios fundamentais da
Em que é que a IL se diferencia? generalizada, têm sido estatizantes, recebemos menos. Passa por conferir ao Parlamento União Europeia. Princípios aos quais
Temos três princípios que centralizam e retiram liberdade É possível um Serviço Nacional Europeu (PE) maior capacidade todos os países, quando aderem à
fundamentais. Liberdade de de escolha às pessoas. A nossa de Saúde 100% público? legislativa. O PE é dominado pela UE, subscrevem. Não esqueçamos o
escolha. Os serviços públicos devem proposta é a contrária. O papel do Estado no SNS tem agenda da Comissão Europeia e é Espaço Schengen, que é partilhado.
ser desenhados em prol e em Se não é o Estado, qual é a vários domínios de intervenção. Há essencial devolver-lhe mais Neste momento, o foco das decisões
benefício dos utentes, e não em prol solução? o Estado Ænanciador e há o Estado capacidade legislativa. E aí que se sobre políticas de asilo está nos
e em benefício de hierarquias ou O Estado não é um Æm em si prestador. Entendemos que, se o podem efectivamente defender os governos nacionais, e desta forma
interesses corporativos... mesmo. O Estado é um meio de Estado tem o poder de coerção interesses de países periféricos e de corremos o risco de perder de vista
Não o são já, em teoria? agregação de vontades individuais . tributária, se os cidadãos lhe minorias que tendem a ter menor estes princípios da liberdade, da
Na prática acabam por não ser. Nós, em termos de posicionamento conferem esse mandato, deve peso em agências executivas, como segurança e da justiça que a UE
Veja-se esta situação em particular político, tentamos afastar-nos da angariar recursos para Ænanciar a a Comissão. Defendemos que a corporiza. Por isso, defendemos que
[tempo de serviço dos caracterização que normalmente Saúde em Portugal. Outra questão União Europeia (UE) deve olhar as políticas de asilo devem ser
professores]. Fala-se muito em tem sido feita dos partidos em diz respeito à prestação dos para as liberdades fundamentais de deÆnidas por agências com recursos
sindicatos, ouve-se falar de Portugal, numa linha horizontal — cuidados de saúde e aí entendemos circulação (de bens, serviços, próprios da UE, sem prejuízo de
partidos, mas não se fala das da esquerda à direita. Nós que deve haver mais concorrência. pessoas e capitais), há domínios em termos políticas de imigração que,
pessoas que estes serviços posicionamo-nos numa linha O SNS só tem a ganhar com a que essa liberdade ainda não foi essas sim, podem ser deÆnidas
deveriam beneÆciar. Ninguém fala vertical em que em cima estão as concorrência e com a inclusão de atingida na sua plenitude. É crucial localmente, desde que enquadradas
dos alunos ou do sucesso escolar. pessoas e em que o Estado é um prestadores privados, com ou sem que o mercado comum de serviços no sistema europeu de vistos, que
Portanto fala-se de tudo menos veículo ao seu serviço, para prestar Æns lucrativos, sob a forma de PPP, digitais seja potenciado, uma parte existe mas não tem funcionado.
daquilo que deveria ser discutido. serviços públicos com relação associações ou nos vários modelos crescente da actividade económica
(...) Mas voltando atrás. Aos custo-benefício vantajosa. O que que existem na Europa. é desenvolvida no âmbito digital. marcio.berenguer@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 17

SOCIEDADE
OCDE: Portugal entre os que têm
mais colégios só com “gente rica”
Responsável do ensino particular atribui ao Estado responsabilidade pelo carácter elitista dos colégios, já
que o Änanciamento está a ser reduzido. É a reacção a relatório da OCDE com base nos dados do PISA 2015
ENRIC VIVES-RUBIO
ção, dezenas de colégios foram Ænan- de resposta, como a recomendação
Educação ciados pelo Estado desde os anos 80 vinda de outras escolas, a área de resi-
Clara Viana para garantir que os seus alunos os dência do estudante, a preferência
e Rita Marques Costa frequentassem de forma gratuita.
Com o actual Governo, estes contra-
dada a novos alunos que já têm outros
familiares ali inscritos, por exemplo.
Portugal é apresentado pela Organi- tos estão a ser reduzidos de modo a Os directores podiam responder
zação para a Cooperação e Desenvol- que o Ænanciamento seja só atribuído “nunca”, “às vezes”, ou “sempre”.
vimento Económico (OCDE) como a colégios situados em zonas onde Em 2009, a tradução desta opção
um dos países onde o ensino privado não exista oferta pública. de resposta também foi outra: “Regis-
é mais elitista. Fazendo a análise de to biográÆco (incluindo testes de posi-
mais de 50 países e economias, a OCDE enganou-se cionamento)”. E nesse ano só foi
OCDE foi comparar o nível de “segre- Os indicadores deste relatório da seleccionada por directores de esco-
gação” com base no estatuto socioe- OCDE, que tem na base os dados dos las onde estavam inscritos 1% dos
conómico dos alunos entre o ensino testes PISA de 2015, permitiam tam- alunos. “A forma como esta questão
público e o privado. Portugal faz par- bém tirar esta conclusão sobre Portu- foi traduzida pode estar por trás do
te do grupo de dez país onde esta gal: em 2015, 31% dos alunos portu- aumento de 1% em 2009 para mais de
diferença é mais “impressionante”. gueses estavam inscritos em escolas 30% [em 2015]”, clariÆcou a OCDE.
Estes dados constam de um relató- em que os directores admitiam usar a João Marôco, professor no Institu-
rio sobre a liberdade de escolha em performance académica como crité- to Superior de Psicologia Aplicada e
educação divulgado ontem (Balan- rio de admissão. A proporção seria antigo coordenador português do
cing School Choice and Equity). Esta muito maior nos estabelecimentos PISA, diz que cada país adapta os
é uma conclusão que o director-geral privados (82%), mas também aconte- questionários à sua realidade. O que
da Associação de Estabelecimentos ceria na escola pública (28%). a OCDE fez foi uma “equivalência
do Ensino Particular e Cooperativo Depois da publicação do relatório, cega” de duas opções de resposta que,
(AEEP), Rodrigo Queirós e Melo, clas- na sequência de questões enviadas na verdade, não são comparáveis. Em
siÆca como sendo “bastante eviden- pelo PÚBLICO, a OCDE admitiu que Dezembro de 2019 serão conhecidos
te”. “Do conjunto dos países da a tradução para português da questão os resultados dos testes PISA do ano
OCDE, Portugal tem uma das maiores colocada aos directores das escolas 2018. Nessa versão a opção “processo
proporções de alunos inscritos no não permitia, aÆnal, tirar essa ilação. completo do aluno” foi substituída
ensino privado e que pagam por isso, Numa declaração por escrito, reco- por “registo de desempenho acadé-
ao contrário do que sucede em vários nhecia que “os directores podem ter mico”, adianta o professor.
outros países onde este tipo de ensino interpretado esta questão de forma Contactado pelo PÚBLICO antes de
é Ænanciado em grande parte ou mes- mais ampla não se limitando ao his- a OCDE admitir o erro, o presidente
mo na totalidade pelo Estado”, frisa torial académico dos estudantes”. do Conselho de Escolas e director da
o responsável pela AEEP. O que aconteceu então? Quando o Escola Secundária Eça de Queirós,
É o que se passa, por exemplo, na questionário foi traduzido e adaptado José Eduardo Lemos, lembrou que no
Holanda, Finlândia e com vários tipos para português pela equipa respon- período a que o documento se refere
de escolas privadas no Reino Unido, sável pelo PISA 2015 em território os critérios eram mais Çexíveis. “Nes-
Suécia ou Estados Unidos. No índex nacional, o que surgia como “stu- sa altura era possível [considerar o
de segregação em função do estatuto dent’s academic performance” pas- desempenho escolar dos estudantes]
socioeconómico, publicado pela sou a “processo completo do aluno”. no ensino secundário, uma vez que
OCDE, todos eles estão entre os países O que signiÆca que o âmbito desta se permitia que a escola deÆnisse os
onde as diferenças entre o público e opção de resposta passou a ser muito critérios. As regras não eram tão rígi-
o privado são menores. mais abrangente. Porque além das das como agora”, detalhou ao PÚBLI-
“Se compararmos a amostra de notas, no processo completo do alu- CO. O professor defendeu que o
Portugal onde o ensino particular é no constam também informações desempenho escolar “é um crité-
pago pelas famílias com a de outros sobre comportamento e medidas dis- rio melhor do que o da morada”, e
países em que este é Ænanciado pelo ciplinares, acompanhamento psico- admitiu que na sua escola, à entrada
Estado, é normal que na portuguesa lógico, eventuais necessidades espe- para o 10.º ano, este factor “valia
apareça só gente rica ao contrário do ciais e outros elementos biográÆcos. mais” do que a área de residência.
que acontece nas outras”, comentou A questão foi assim colocada “Depois de cumpridas todas as
Queirós e Melo. Que alerta também aos directores de 246 estabelecimen- outras prioridades e se ainda houver
para o agravamento deste fosso com tos de ensino (222 públicos e 24 pri- vagas, e só nessas circunstâncias, as
o Æm da maior parte dos contratos vados) incluídos na amostra portu- escolas podem estipular outros crité-
de associação determinado por este guesa do PISA 2015: “Em que medida rios no seu regulamento interno”,
Governo. “É o Estado português que é tido em conta cada um dos seguintes disse o Ministério da Educação.
está a reforçar o carácter elitista do factores para a admissão de um aluno
ensino particular”, acusa. na sua escola?” Além da opção já refe- cviana@publico.pt
Através dos contratos de associa- rida, a OCDE aceitava outras hipóteses Relatório da OCDE relativo à Educação foi divulgado ontem rita.costa@publico.pt
18 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

SOCIEDADE

Dívida em atraso dos hospitais


estagnada desde o início do ano
De Janeiro a Março, o total de
pagamentos em atraso quase não se
alterou, mas a expectativa é que suba em
Abril. Objectivo do Governo é eliminar
dívidas com mais de 90 dias até 2020
expectativa e a fazerem uma de duas
Serviço Nacional de Saúde coisas: ou a guardarem facturas para
Rita Marques Costa lançar mais tarde — e aí vamos ver
um crescimento de dívida outra vez
No começo de 2019, só em dívidas — ou a começarem a conter alguma
com mais de 90 dias, os hospitais do despesa desnecessária e a conseguir
Serviço Nacional de Saúde tinham a controlar a dívida”.
pagar 530,5 milhões de euros aos
seus fornecedores. Em Março (o últi- “Situação insustentável”
mo mês para o qual existem dados Alexandre Lourenço, presidente da
disponíveis no Portal do SNS), o valor Associação dos Administradores
diminuiu ligeiramente, passando Hospitalares, não tem dúvidas de
para 521,4 milhões de euros. Desde que o valor da dívida em atraso vai
o início do ano que o total de paga- aumentar. “Esta situação que se está
mentos em atraso praticamente a veriÆcar nos primeiros três meses
estagnou. não é, de todo, sustentável sem ter-
Normalmente, a dívida dos hos- mos orçamentos mais ajustados às
pitais ao longo dos meses vai osci- instituições de saúde. Vamos voltar
lando entre grandes picos, seguidos ao Ænal do ano e ter mais dívidas a
de quedas abruptas (associadas fornecedores.”
directamente às injecções de capi- O representante dos administra-
tal). Por vezes, o valor em dívida dores hospitalares explica, em entre-
mantém-se mais ou menos estável vista ao PÚBLICO e Rádio Renascen-
durante alguns meses. Foi isso que ça, que “as injecções no Ænal do ano
aconteceu no ano passado, entre são típicas e regulares e decorrem de
Junho e Agosto. uma gestão Ænanceira e orçamental
O economista da saúde Pedro Pita das instituições de saúde completa-
Barros explica ao PÚBLICO que, mente errada e que leva ao aumento
“tipicamente, no passado, quando a do desperdício”. “Se tivéssemos Só um terço dos hospitais saldou as suas dívidas dentro do prazo legal, que são 90 dias
dívida assentava num plateau, volta- orçamentos adequados no início do
va a disparar ao Æm de dois ou três ano, ou seja, ajustados aos custos Em Março de 2019, os hospitais Quase todos os hospitais que organizações orçamentos ajusta-
meses”. A dúvida, neste momento, operacionais das unidades, não do SNS tinham mais de mais contribuem para o total da dos”, diz Alexandre Lourenço.
é se volta ou não a aumentar. “Se veríamos este crescimento de despe- 500 milhões de euros dívida conseguiram reduzir os
mantivermos [esta tendência], é sa. Decorre de uma prática de restri- de dívidas em atraso pagamentos em atraso entre Mais de 90 dias para pagar
muito bom sinal.” ção financeira no início do ano”, Janeiro e Março de 2019 No Portal do SNS, também é possível
O que é que poderá justiÆcar que defende. Em milhões de euros Em % Taxa de consultar quantos dias cada hospital
o valor de dívidas em atraso se tenha No Ænal de Fevereiro de 2019, o variação demora, em média, a pagar aos seus
CH Univer. Lisboa Norte
mantido mais ou menos estável nos Governo aprovou um reforço de 282 22,4 -6 fornecedores. Os números mostram
1200
últimos meses? Sem ter “nenhuma milhões de euros para reduzir as CH e Univer. de Coimbra que só um terço saldou as dívidas
prova estatística”, Pita Barros lança dívidas dos hospitais do SNS. Em 17,3 7,4 dentro do prazo legal.
CH Univer. de Lisboa Central
algumas possibilidades. comunicado, o Ministério da Saúde 10,5 16,5 Os dados até Dezembro de 2018
1000
Por um lado, a inÇuência do secre- dizia que “a verba se destina ao paga- CH de Lisboa Ocidental (os mais recentes) revelam que os
tário de Estado da Saúde, Francisco mento de dívidas em atraso a mais 7,2 -10,8 mais demorados são o Centro Hos-
Ramos, que “é uma pessoa já com de 90 dias de 21 hospitais EPE [Enti- CH Univer. do Porto pitalar de Setúbal (407), o Centro
800 5,6 -17,5
muita experiência”. Por outro lado, dade Pública Empresarial]”. Hospitalar do Baixo Vouga (366) e o
CH Vila Nova de Gaia/Espinho
“também se começou a dar mais Por essa altura, o Ministério da 5,2 -3,0 Centro Hospitalar Universitário de
importância à comissão de Julian Saúde assumia também como objec- CH do Baixo Vouga Lisboa Norte (364). Os mais cumpri-
Perelman [Estrutura de Missão para tivo a “eliminação dos pagamentos 600 3,3 -9,4 dores são o Hospital de Magalhães
a Sustentabilidade do Programa em atraso até 2020”, mas, para Ale- CH Trás-os-Montes e Alto Douro Lemos (13), o Hospital Arcebispo
3,3 8,6
Orçamental da Saúde] e até há um xandre Lourenço, este ano vai voltar CH de Setúbal João Crisóstomo (18) e o Centro Hos-
grupo de hospitais que vai ter regras a terminar com “mais dívidas a for- 400 521.431.384 3,0 -41,1 pitalar Psiquiátrico de Lisboa (29).
diferentes”. necedores”. Jan. Mar. IPO de Lisboa Mesmo assim, globalmente, os
Esta valorização, diz, “pode ter A situação seria resolvida se “a 2016 2019 2,4 -2,7 hospitais conseguiram reduzir a dívi-
Fonte: Portal do SNS PÚBLICO
levado alguns hospitais a Æcarem na política orçamental fosse a de dar às da em atraso em comparação com
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 19

SOCIEDADE

Sabemos que as despesas


directas dos portugueses em
saúde são muito elevadas
Alexandre Lourenço
Presidente da Associação dos Administradores
Hospitalares

RUI GAUDÊNCIO

“Esta discussão da lei de bases


não traz nada de novo nem de concreto”
mais de explicitação dos critérios prazo? limitar os problemas do acesso a
Hora da Verdade que levam a estas limpezas de Ultimamente não tem tido efeitos cuidados.
Ana Maia e Eunice listas, de regulação desta matéria positivos. Demonstra um enorme O que tem estado mais no
Lourenço (Renascença) e de uma governação dos sistemas
de informação do que
ruído e que leva à desconÆança
dos portugueses em relação ao
centro da discussão é a questão
das PPP. Qual é a sua posição?
Alexandre Lourenço propriamente a existência de uma SNS e a optar por outros A associação não tem nenhuma
limpeza de listas que nos pode caminhos. Esse ruído reduz-se posição concreta sobre as PPP.
Presidente da Associação levar a um descrédito do próprio claramente por maior Agora, parece-nos claro que as
dos Administradores modelo de gestão. É importante investimento no sector e, devo PPP têm apresentado melhores
Hospitalares diz que nova explicitar que regras é que dizer, também por um novo resultados que os hospitais
lei não resolverá problemas existem e que levam à limpeza das modelo de governação. entidades públicas empresariais
listas, porque essas limpezas não A revisão da lei de bases pode (EPE). Isso decorre do facto de
O presidente da Associação têm efeitos sobre os doentes. ajudar a uma maior autonomia elas terem um elevado grau de
Portuguesa dos Administradores Estamos a falar muitas vezes de e a mais investimento? autonomia na gestão. Coisa que os
Hospitalares, Alexandre casos redundantes ou de Os portugueses não conseguem hospitais de gestão pública directa
Lourenço, mostra-se preocupado problemas no sistema de entender esta discussão da lei de não têm e que se vêem limitados
com os últimos casos denunciados informação que não dão baixa dos bases. Acho que é uma questão na sua capacidade.
na Saúde e do ruído que se tem doentes que tiveram cirurgia. mais política do que propriamente Como vê as denúncias
gerado em torno da Saúde. Como está a recuperação das uma questão de resolução dos relacionadas com o Hospital de
Um relatório da Entidade cirurgias adiadas devido às problemas dos portugueses. Aliás, Cascais, de que a administração
Reguladora da Saúde (ERS) diz greves dos enfermeiros? esta discussão da lei de bases não terá falseado dados clínicos no
que os tempos de espera para Qualquer recuperação dos traz nada de novo nem de sistema de triagem da urgência
cirurgias programadas e para doentes que viram as suas concreto. Esta discussão não e no internamento, valorizando
consultas nos hospitais cirurgias adiadas vão levar ao resolve problemas concretos dos sintomas que no momento não
agravaram-se nos primeiros cancelamento de outras, que portugueses, que existem quando eram importantes?
cinco meses de 2018. Como é podiam estar a ser realizadas. Até não têm capacidade Ænanceira No caso do serviço de urgência, é
que explica isto? porque as estruturas não têm para ir a uma consulta ou quando com elevada preocupação que
Antes de mais, este é um relatório Çexibilidade para dar resposta a vão a uma farmácia e não têm vimos esta peça. Será importante
parcial que só representa cinco todo o volume de doentes que dinheiro para pagar ter todos os esclarecimentos, quer
meses. Devemos aguardar com temos no sistema. medicamentos. Sabemos que as do conselho de administração do
algum cuidado o relatório do A saúde tem-se tornado despesas directas dos portugueses hospital, quer do Ministério
os valores de Setembro de 2018 — acesso do Ænal do ano de 2018, tema-chave na discussão em saúde são muito elevadas, Público, quer da Inspecção-Geral
passou de 181 para 177. A maior redu- que será apresentado pelo politica. Tem esperança de que chegam praticamente a um terço das Actividades em Saúde. E
ção aconteceu nas unidades locais Ministério da Saúde à Assembleia essa centralidade da saúde da despesa total em saúde e a lei apurar todas as responsabilidades
de saúde de Matosinhos e do Baixo da República. A expectativa é que tenha efeitos positivos a curto de bases em si devia resolver e desse processo.
Alentejo, que, em conjunto, conse- os tempos se deteriorem, até DANIEL ROCHA
E explica situações, como outra
guiram uma redução de 91 dias. Mes- porque existiram outros efeitos que foi denunciada
mo assim, ainda demoram muito para além destes cinco meses. recentemente, de casos de
mais de três meses a pagar. Nomeadamente a redução do doentes do Algarve que não
O maior agravamento no número horário de trabalho das 40 para as fizeram as análises necessárias
de dias que os hospitais se atrasam 35 horas nos contratos individuais no IPO de Lisboa por falta de
no pagamento aconteceu no Centro de trabalho e a greve no Ænal do garantia de pagamento?
Hospitalar Universitário do Porto ano que cancelou cerca de 7000 a Creio que o conselho de
(mais 13 dias), no Centro Hospitalar 8000 cirurgias. administração do IPO de Lisboa
Universitário Lisboa Central (17) e no O relatório do grupo de veio prestar esclarecimentos. Não
Centro Hospitalar do Oeste (19). trabalho independente criado percebemos claramente o que
Só quando forem publicados estes pelo Ministério da Saúde por aqui sucedeu, mas existiu uma
dados relativos ao primeiro trimestre causa do relatório do Tribunal burocracia que impediu os
de 2019 será possível avaliar se a de contas falava em limpeza de doentes de ter acesso a alguns
estagnação do valor da dívida em listas de espera. Esteve entre exames complementares de
atraso resultou numa diminuição 2011 e Setembro de 2014 como diagnóstico. Isso não deve ser
ainda maior do número de dias que vogal na Administração Central tolerável no sistema de saúde e
os hospitais demoram a pagar. do Sistema de Saúde (ACSS). Há numa rede que é o SNS.
realmente limpeza?
rita.costa@publico.pt Creio que aqui é uma questão amaia@publico.pt
20 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

SOCIEDADE
DANIEL ROCHA

Soldado foi PJ deteve sete pessoas


transferido em esquema fraudulento
para hospital para obtenção de fundos
em Lisboa comunitários
Paços de Ferreira, Vila Nova de Gaia,
Golpe de calor Crime Vila do Conde, Santa Maria da Feira
Ana Dias Cordeiro Patrícia Carvalho e Matosinhos. A acção envolveu 70
e Sónia Trigueirão Entre os detidos está um
agentes daqueles dois organismos e
levou à detenção do empresário e de
Recruta de 23 anos está nos pessoas que lhe eram próximas,
empresário, a sua mulher
todas “fortemente indiciadas” pelos
cuidados intensivos de e o filho de ambos. Há crimes já referidos.
nível 3 do Curry cabral. Mário Nogueira sublinha que os professores não baixarão os braços ainda uma ex-funcionária A denúncia anónima que chegou à
Sentiu-se mal a 300 metros das Finanças PJ em 2017 dava conta de que os
de terminar prova
O soldado de 23 anos que sofreu um
Docentes trocam A empresa de mobiliário de escritó-
rio WoodOne já fora alvo de algumas
sócios-gerentes da WoodOne esta-
riam “a receber facturas de outras
empresas, para obterem de forma
golpe de calor durante uma prova de
nove quilómetros, em Santa Margari-
da, foi ontem internado na Unidade
greve às avaliações notícias dando conta da sua nova
vida, depois de quase ter ido à falên-
cia, quando a Polícia Judiciária (PJ)
ilícita subsídios comunitários”, expli-
cou Henrique Correia, coordenador
da secção regional de Investigação de
dos Cuidados Intensivos de nível 3 (o
menos grave) do Hospital Curry
Cabral, em Lisboa.
por acções judiciais recebeu uma denúncia anónima,
indicando que a obtenção de fundos
comunitários do programa Portugal
Branqueamento e Infracções Tribu-
tárias da Directoria do Norte da PJ.
Na prática, os responsáveis
Segundo a porta-voz do Estado-Maior 2020, que permitira a tal renovação, pela WoodOne terão conseguido
do Exército (EME), major Elisabete fora feita de modo fraudulento. A que um conjunto de empresas emi-
Silva, a transferência do militar, que dicação do tempo de serviço na ínte- investigação culminou ontem, com a tisse facturas relativas à aquisição de
se sentiu mal a 300 metros de termi- Educação gra, chumbada no Parlamento no dia detenção de sete pessoas, incluindo maquinaria industrial, que permitiria
nar a prova, ocorreu depois das aná- 10, “é um processo de luta, não é um o empresário responsável pela renovar a empresa. O problema é que
lises realizadas durante a manhã Mário Nogueira diz que momento” e que as organizações sin- empresa, a esposa e o Ælho, e uma essas facturas não teriam qualquer
terem mostrado “um agravamento da dicais “estão conÆantes” que irão ex-funcionária do serviço de Finanças correspondência com a realidade.
reivindicação do tempo
sua situação”. atingir o objectivo na fase de luta que de Paredes, que é jurista na câmara Não houve qualquer aquisição de
A major Elisabete Silva garantiu de serviço na íntegra agora se inicia. Os sindicatos de pro- deste concelho. Os detidos serão hoje novos equipamentos, segundo a
que os outros militares que participa- “é um processo de luta, fessores tinham equacionado fazer presentes ao juiz do Tribunal do Mar- investigação da PJ, tendo os cerca de
ram no mesmo percurso, ontem à não é um momento” greve às avaliações a partir de 6 de co de Canaveses e são suspeitos da 3,1 milhões de euros obtidos do Por-
tarde, “estão perfeitamente bem”. Junho. No início do mês, Nogueira autoria de crimes de branqueamento tugal 2020 “sido desviados para a
“Era um exercício normal que todos Os sindicatos de professores decidi- dizia que o o pré-aviso de greve pode- de capitais, fraude Æscal qualiÆcada, esfera patrimonial do casal e do Ælho,
nós militares fazemos.” A prova está ram não avançar com uma greve às ria ser entregue até dia 22 de Maio. fraude na obtenção de subsídio e e para testas-de-ferro que começaram
inserida num curso de formação de avaliações do 3.º período, optando Na conferência de imprensa, e à insolvência dolosa. a criar outras sociedades, depois de
seis semanas para promover os sol- por acções de visibilidade nas ruas, já semelhança do que Æzera logo após o A investigação começou há cerca a empresa ter entrado em insolvên-
dados a cabo. “Esta semana é a última na campanha para as europeias, e chumbo pelo Parlamento, Nogueira de dois anos e o trabalho desenvol- cia”, esclareceu Henrique Correia.
do curso. É a semana de consolidação acções em tribunal, entre outras. voltou a citar uma frase que tem sido vido pela Directoria do Norte da PJ A situação da empresa, cada vez
de todas as capacidades e conheci- “A luta aconselha neste momento atribuída a Mário Soares (mas que há com a colaboração da Direcção de mais calamitosa e com dívidas à Segu-
mentos adquiridos durante a forma- a não desgastar os professores com boas razões para atribuir a Salgado Finanças do Porto da Autoridade rança Social e também à Caixa Geral
ção”, frisou. acções que se arrastam no tempo sem Zenha), aÆrmando que “só é vencido Tributária levou ontem à realização de Depósitos — uma das suas maiores
O exercício consistia num “percur- ter um interlocutor válido à vista”, quem desiste de lutar”, para acres- de 22 buscas domiciliárias e não-do- credoras, num montante que se apro-
so topográÆco” de nove quilómetros, justiÆcou o secretário-geral da Fede- centar que tal não acontecerá com os miciliárias nos concelhos de Paredes, xima dos 2,9 milhões de euros — levou
que os participantes têm de cumprir ração Nacional de Professores professores. “Não vamos baixar os a que, em 2018, fosse declarada insol-
num determinado intervalo de tem- (Fenprof ), Mário Nogueira, lembran- braços”, garantiu já depois de ter vente. “O valor da insolvência são
po, para não reprovarem. “Eles pró- do que as legislativas se realizam já manifestado esperança de que os por- cerca de dez milhões de euros”, pre-
prios gerem o seu esforço físico”, em Outubro e que a decisão do Parla- tugueses acabarão por entender de cisou o responsável da PJ.
entre os tempos de marcha e de cor- mento nesta legislatura já foi tomada, que “lado está a razão”: “Está do lado Além das pessoas referidas, foram
rida. Ao longo do percurso, estavam com o chumbo das pretensões dos de quem quer roubar ou do lado de também detidos um contabilista, um
colocados três pontos de apoio com professores na semana passada. quem trabalhou?” funcionário de conÆança do principal
água, para o caso de os participantes Foi o culminar que Nogueira classi- O líder da Fenprof disse que “ape- arguido, que terá agido como “testa-
necessitarem de assistência. A hidra- Æcou como uma das “mais tristes sar de toda a manipulação” desenvol- de-ferro” na constituição de outras
tação estava “garantida”, disse a oÆ# cenas da política portuguesa”, con- vida pelo Governo, a proporção de sociedades, e um outro suspeito que
cial. A temperatura máxima na zona substanciada a 3 de Maio pelo anúncio portugueses que aÆrma concordar terá desempenhado a mesma função,
do Campo Militar de Santa Margarida, de António Costa de que se demitiria com Costa é apenas superior em cinco além de ser sócio-gerente de uma das
no distrito de Santarém, situou-se caso a contagem integral do tempo de pontos da que manifestou a sua dis- empresas criadas neste esquema e
anteontem entre os 33 graus Celsius serviço dos professores fosse aprova- cordância. Nogueira referia-se a uma casado com a ex-funcionária das
e os 34,3 graus Celsius, segundo os da pelo Parlamento e que levou todos sondagem da Aximage onde 49% da Finanças. A mulher é suspeita de ter
dados do Instituto Português do Mar os outros partidos a mudar de posi- amostra de inquiridos consideram intervindo para que não houvesse
e da Atmosfera. Esses máximos foram ção. A decisão dos sindicatos consta que António Costa fez bem ao amea- qualquer Æscalização a um imóvel
atingidos entre as 16h e as 18h. O sol- de uma declaração conjunta das dez çar demitir-se; 44% dos que respon- registado como palheiro, mas que foi
dado sentiu-se mal perto das 17h. estruturas sindicais entregue ontem deram consideram, por outro lado, entretanto transformado numa casa
aos jornalistas numa conferência de que António Costa procedeu mal, de luxo pela família do empresário.
acordeiro@publico.pt imprensa, em Lisboa. enquanto os restantes 7% não respon- A Polícia Judiciária investigou
sonia.trigueirao@publico.pt Mário Nogueira disse que a reivin- deram. este caso durante dois anos patricia.carvalho@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 21

SOCIEDADE

Em defesa da residência
alternada e das crianças
FILIPE ARRUDA
Por Æm, o argumento que visa
desviar as atenções dos objetivos
reais desta petição, querendo
fazer da exceção a regra: a
violência doméstica e o abuso
sexual de crianças. A residência
Opinião alternada não é aplicada em
Ricardo Simões situações de violência doméstica
e/ou abuso sexual de crianças. E
Desde que a Associação mais nada há a dizer sobre isto,
Portuguesa para a Igualdade visto que qualquer desses
Parental e Direitos dos Filhos comportamentos criminais, seja
(APIPDF) iniciou, em novembro por via de fortes indícios, seja por
de 2017, a recolha de assinaturas via de condenação, não se
para a petição em prol da adequam com uma parentalidade
presunção jurídica da residência cuidadora. No entanto, tenta-se
alternada para crianças de pais e misturar conÇitos parentais com
mães separados ou divorciados, tais comportamentos criminosos
muito se tem discutido e reagido com vista a descentrar a discussão
sobre a mesma. Não se pode dizer do que é essencial para a nossa
que até esta altura não tenha sociedade: promover o
existido um amplo debate envolvimento parental mais
nacional sobre a matéria, ainda igualitário, sabendo nós que tal
que nem sempre com a igualdade é benéÆca para as
integridade intelectual que se crianças. Não é por existirem,
exigiria de alguns atores da nossa lamentavelmente, estes
praça. A verdade é que estamos comportamentos danosos na vida
neste momento face a projetos-lei de algumas crianças que se deve
na Assembleia da República que continuar a impedir a grande
visam estabelecer a residência maioria de ter uma vida sem
alternada como regime conÇitos parentais e com um
preferencial. Nesse sentido, desenvolvimento mais
cumpre, de forma muito sintética, alterar a lei, que a mesma já tribunais, no aumento dos acordos harmonioso.
desmistiÆcar alguns dos contempla a possibilidade da entre pais e mães e em mais Assim, no nosso entender, as
argumentos que têm vindo a aplicação da residência alternada. acordos de residência alternada. iniciativas legislativas que se
público, resultado ou do Ora, a atual legislação não só Nunca se assistiu a aumentos encontram na Assembleia da
desconhecimento ou da má promove a desigualdade entre exponenciais de crianças em República devem ter em conta,
interpretação da literatura progenitores nos cuidados à residência alternada após a A verdade é que as aquando da discussão na
cientíÆca, ou de ausência de criança, ao estabelecer um alteração legislativa, muito menos especialidade, os três pilares que
leitura das propostas em causa ou progenitor residente e um que colocassem em perigo as crianças em constituem a sugestão de alteração
ainda com o objetivo de manter o progenitor visitante, como mesmas, mas antes a um aumento residência única legislativa por parte da APIPDF: a
statu quo, visto representarem permite a existência de um sustentado por via da retirada de presunção jurídica, as orientações
interesses particulares. elemento especulativo nas obstáculos a essas práticas fazem mais normativas e os planos parentais.
Vejamos, então, os principais decisões judiciais, tornando-as parentais. mudanças de Esses três pilares são fundamentais
argumentos que foram levantados discricionárias e contribuindo, Temos ainda o argumento da para o avanço positivo do Direito
ao longo destes meses e que assim, para o aumento dos estabilidade da criança. Ora, a residência, passam de Família e das Crianças.
merecem uma resposta sintética. conÇitos parentais. Se a isto ainda estabilidade da criança deÆne-se mais horas em Termino com a nota de que esta
Um primeiro argumento é que a acrescermos o facto de as tomadas menos pelos espaços onde habita iniciativa da APIPDF é centrada
presunção jurídica é uma de decisões judiciais em processos e frequenta do que pelas relações transportes e nos melhores interesses das
imposição. Ora, não só não é uma tutelares cíveis, ou mesmo as continuadas, envolvidas e fazem mais crianças, pois somos inspirados
imposição, como não afasta a apreciações de acordos por parte signiÆcativas no tempo com ambos pelos nossos Ælhos e pelas nossas
análise casuística das situações do Ministério Público, se os pais e mães. A residência única quilómetros que as Ælhas. Não temos quaisquer
concretas. É, antes de mais, um sustentarem em estereótipos de não permite isso, cortando a crianças em interesses corporativos,
ponto de partida. O seu género (à mãe compete cuidar, ao relação continuada, envolvida e proÆssionais ou de agenda
afastamento pode e deve pai compete prover signiÆcativa no tempo com um dos residência ideológica, a não ser o de acabar
acontecer a qualquer momento, economicamente), Æca clara a progenitores. O mesmo acontece alternada com grande parte dos conÇitos
quando fundamentado ser necessidade de alterar a legislação com o argumento simplista do parentais e que mais nenhuma
contrário ao superior interesse da tendo em vista a promoção de incómodo da “mala às costas”. A criança passe o que os nossos
criança. Daí que para a sua uma parentalidade mais verdade é que as crianças em Ælhos e as nossas Ælhas passaram.
aplicação propomos que a partilhada, com iguais níveis de residência única fazem mais
legislação inclua alguns critérios envolvimento e responsabilidade. mudanças de residência, passam Presidente da Direcção da
orientadores. Em outros países, esta alteração de mais horas em transportes e fazem Associação Portuguesa para a
Outro argumento, repetido até à legislação traduziu-se na redução mais quilómetros que as crianças Igualdade Parental e Direitos
exaustão, é que não é preciso dos conÇitos parentais nos em residência alternada. dos Filhos
22 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

LOCAL
Cidadãos criam movimento
contra prédio junto à Portugália
Para este quarteirão está previsto um edifício com 16 andares, que levou um grupo de cidadãos a
organizarem-se para tentar a travar a sua construção. Hoje há debate público sobre o projecto na OA
mento, e que é também uma das edifícios. Além das novas constru- sível circular entre a Avenida Almi-
Lisboa promotoras da criação do Jardim do ções, o antigo edifício da Fábrica da
Está prevista a rante Reis e a Rua António Pedro.
Cristiana Faria Moreira Caracol da Penha, refere ainda que, Cerveja e o famoso restaurante vão construção de 85 Estão previstos ainda cinco pisos
da forma como está projectado, o ser reabilitados e a proposta prevê subterrâneos, sendo que serão tam-
Um conjunto de moradores de edifício vai “interferir no sistema de que se mantenha “o máximo possível
apartamentos com bém criados 65 lugares de estaciona-
Arroios e de outras zonas de Lisboa vistas dos Miradouros da Penha de das pré-existências”, como os pilares tipologias entre o mento para habitação, 67 para uso
lançou, ontem, um movimento que França, do Monte Agudo” e do futuro metálicos e respectivos capitéis e as comercial e 288 lugares de estacio-
está contra a construção de um edifí- jardim. lajes abobadilhas.
T0 e o T4, “com um namento público coberto.
cio de 60 metros, previsto para a Ave- Apesar de reconhecer que é neces- Este será um projecto sobretudo layout e design Esta é a primeira fase de um projec-
nida Almirante Reis, no âmbito do sário requaliÆcar aquela área junto à habitacional, estando prevista a to que deverá terminar com a inter-
projecto de requaliÆcação do quar- antiga fábrica de cerveja, hoje devo- construção de 85 apartamentos com
funcional e venção na parcela do quarteirão que
teirão da Portugália. luta, o movimento entende que o tipologias entre o T0 e o T4, “com contemporâneo, está actualmente ocupada pelo edifí-
Para o Movimento Stop Torre 60m prédio criará uma “violenta área de um layout e design funcional e con- cio Plasana — e para o qual já existe
Portugália — assim se chama este sombra sobre as casas e ruas circun- temporâneo, dirigido a famílias e
dirigido a famílias um PIP (pedido de informação pré-
movimento cívico —, a “torre projec- dantes, diminuindo consideravel- jovens proÆssionais portugueses de de classe média”, via) aprovado —, para onde está pre-
tada descaracteriza e fere a identida- mente a qualidade da vivência da classe média”, explicam os promo- vista a criação de um “espaço multiu-
de arquitectónica dos bairros envol- população residente e visitante”. tores. Terá ainda 16 escritórios e
explicam os sos, de âmbito cultural” com 1400
ventes”, uma vez que apresenta “uma No Portugália Plaza, cujo projecto espaços de co-work e uma zona promotores metros quadrados.
volumetria muito superior à existen- é da autoria do atelier ARX, além do comercial no piso térreo que rodea- O projecto de arquitectura é da
te” nesta parte da cidade. Ao PÚBLI- prédio de 16 pisos e 60,2 metros de rá as duas praças interiores que autoria do gabinete ARX Portugal, dos
CO, Rita Cruz, membro deste movi- altura, serão construídos mais três serão criadas e pelas quais será pos- arquitectos Nuno Mateus e José
Mateus, que ganharam um concurso
RICARDO GUERREIRO
de ideias lançado em 2016 pela Essen-
tia Portugal, que coordena a obra,
depois de a primeira proposta ter sido
rejeitada pelo município. O promotor
é o Fundo Sete Colinas, gerido e
representado por Silvip — Sociedade
Gestora de Fundos de Investimento
Imobiliário, que investirá no quartei-
rão cerca de 40 milhões de euros.
Os serviços camarários que apre-
ciaram o projecto entendem que este
será “uma mais-valia urbana, face ao
anterior licenciado, reduzindo a área
ediÆcável, desmaterializando e des-
construindo a imagem adensada de
quarteirão”. E que este possibilita a
“supressão de uma ferida urbana que
tarda em ser sarada e que se arrisca
em eternizar”.
A informação sobre o projecto foi
durante esta semana disponibilizada
pela autarquia no seu site. Perante as
críticas de alguns cidadãos, a Câmara
de Lisboa organizou duas sessões de
debate público do projecto. Hoje, às
18h30, realiza-se a primeira que terá
lugar no auditório da sede da Ordem
dos Arquitectos. A segunda está mar-
cada para terça-feira, à mesma hora,
no Mercado do Forno do Tijolo, em
Arroios. O Movimento Stop Torre
60m Portugália fez ainda saber
que lançará uma petição nos próxi-
mos dias, que quer depois fazer chegar
à Assembleia Municipal de Lisboa.

Perante as críticas de alguns cidadãos, a Câmara de Lisboa organizou duas sessões de debate público do projecto. Hoje acontece a primeira cristiana.moreira@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 23

LOCAL
DR

Realizadores queixam-se
de más condições
do São Jorge, EGEAC está
a resolver problema
esforço inglório, já que o resultado “é
Cultura sempre catastróÆco”.
“Estamos sempre com o coração
A autarquia diz que mas mãos quando a competição de
investiu 75 mil euros num um festival vai para o São Jorge”, aÆr-
mou Filipa Reis, presidente da APR à
“projector de última Lusa, sublinhando que esta carta
geração” e está a trabalhar aberta “não é contra a EGEAC, mas é
na remodelação do som uma maneira de chamar a atenção
para o problema”.
A Associação Portuguesa de Realiza- De acordo com o exposto na carta,
dores enviou uma carta aberta à foram feitas “inúmeras” reclamações,
EGEAC, apelando à urgente resolução mas as respostas apontavam sistema-
das más condições de projecção no ticamente culpas para os técnicos de
Cinema São Jorge, em Lisboa, que se sala, desresponsabilizando “os verda-
arrastam há anos, problema que a deiros responsáveis”, a EGEAC,
empresa municipal garante estar a empresa municipal responsável pela
As operações costumam decorrer na Primavera, mas ontem era assim que estava a Lagoa resolver. A carta aberta, cujos primei- gestão dos equipamentos culturais da
ros subscritores são a Associação Câmara de Lisboa.

Atraso na abertura da lagoa Portuguesa de Realizadores (APR), o


Doclisboa, o IndieLisboa e Produtores
Independentes de Cinema, apela à
Segundo Filipa Reis, a carta aberta
foi enviada na segunda-feira à EGEAC,
que terá respondido dizendo que

de Albufeira ao mar ameaça urgente intervenção dos meios técni-


cos da Sala Manoel de Oliveira do
Cinema São Jorge, salientando que
comprou um projector e que “o inves-
timento no som está a ser pensado”.
Contactada pela Lusa, a EGEAC

ambiente e época balnear “um cinema não é apenas uma sala


com lugares sentados”.
“São já anos e anos os que passam,
aÆrma, contudo, que “teve conheci-
mento da carta aberta através do
Facebook, já que em nenhum
em que as projecções em ambas as momento foi contactada oÆcialmen-
salas do Cinema S. Jorge, sobretudo te por parte da APR”. De qualquer
sou para a Agência Portuguesa de rico-cultural e ambiental deveria ter na Manoel de Oliveira, carecem de forma, garante que “desde que assu-
Sesimbra Ambiente (APA), mas, a meio de sido realizada por ocasião do equi- qualidades mínimas para a projecção miu a tutela do Cinema São Jorge, tem
Francisco Alves Rito Maio, o trabalho ainda não foi feito, nócio da Primavera, ainda não acon- de cinema”, lê-se na carta, divulgada feito um investimento continuado na
nem há previsão de quando terá teceu, nem há indicação da data de no Facebook e assinada por realiza- manutenção do espaço e na melhoria
Depois de duas décadas a lugar a abertura da lagoa ao mar. realização da operação de abertura dores, produtores, programadores e das condições técnicas do mesmo”,
fazer um trabalho que é da A autarquia de Sesimbra queixa- da lagoa de Albufeira ao mar”, críticos de cinema. facto de que a administração da
competência do Ambiente, se de “enorme desigualdade de tra- acrescenta a autarquia, que refere Os subscritores aÆrmam que, ao EGEAC diz ter dado conhecimento à
tamento” relativamente a outros ter “conhecimento” de que “se longo desses anos, os proÆssionais de direcção da APR, numa comunicação
o município aguarda que a sistemas lagunares, de norte a sul encontram em curso diligências cinema têm lutado “contra as obsole- que lhe enviou na terça-feira, em
APA resolva o problema do país, onde é o Estado que desem- visando o lançamento do procedi- tas máquinas de projecção de imagem reacção à carta aberta. Exemplo disso
penha essa função, e alerta para o mento para aquisição de serviços e sistemas de som para tentar mostrar é o investimento que fez na aquisição,
A abertura da lagoa de Albufeira ao agravar do problema, com o passar para o efeito”. o Ælme o melhor possível ao público”, em Outubro passado, de “um projec-
mar está com mais de um mês de dos dias. O autarca sublinha que o atraso tor de última geração, especíÆco para
atraso, relativamente ao habitual “Os impactes e danos no ecossis- “compromete” a época balnear, ecrãs de grande formato, que tem
todos os anos, e o estado das águas tema avolumam-se e intensiÆcam-se “adensa o descontentamento” dos dado resposta às questões de contras-
estagnadas ameaça o ambiente, a com o aumento da temperatura habitantes e visitantes da lagoa de te, deÆnição e calibração de cor que
época balnear e a actividade econó- atmosférica”, avisa o presidente da Albufeira e “coloca em causa o ecos- se colocavam”, no valor de 75 mil
mica, que depende muito do turis- câmara, Francisco Jesus, que acres- sistema, as tradições históricas e euros, refere a EGEAC na carta envia-
mo, alertou ontem a Câmara de centa que em reunião que teve com culturais e o desenvolvimento eco- da aos realizadores
Sesimbra. a secretária de Estado do Ordena- nómico deste território, muito Acresce a isto o investimento que a
A operação deve ser feita em mento do Território e da Conserva- assente no turismo”. EGEAC se prepara para fazer, num
Ænais de Março ou princípio de ção da Natureza, Célia Ramos, no Nos dois anos anteriores, a ope- valor que ronda os 350 mil euros,
Abril e, segundo a autarquia, nas ano passado, Æcou estabelecido que ração de abertura da lago ao mar, num sistema de som que resolva os
últimas duas décadas, devido a a operação de abertura da lagoa em realizada pelo município, tinha uma problemas de sonorização, que são
“diÆculdades e demoras dos orga- 2019 seria Ænanciada e desenvolvida comparticipação Ænanceira do Fun- actualmente os mais problemáticos.
nismos da Administração Central”, pela APA, a quem a câmara munici- do Ambiental, mas esse era, segun- “Trata-se de um investimento de
tem sido o município a intervir para pal disponibilizou informação e do a autarquia, um Ænanciamento monta que a EGEAC entende ser
“minimizar os prejuízos ambientais peças processuais, bem como a “sem perspectivas para os anos absolutamente necessário para
e económicos decorrentes das experiência adquirida nas opera- seguintes”. melhorar as condições do equipa-
demoras”. ções em anos anteriores. Contactado pelo PÚBLICO, o mento sonoro da Sala Manoel de
A competência é do Ministério do “Estamos a pouco mais de um Ministério do Ambiente remeteu Oliveira, e que gostaria de ver resol-
Ambiente, e, este ano, “depois de mês do Verão, e a duas semanas do para a APA, que, até ao fecho desta vido o mais rapidamente possível”,
muitos contactos e insistência” por início da época balnear, e esta ope- edição, não respondeu às questões Os realizadores dizem que a lê-se na comunicação da empresa
parte do município, o processo pas- ração que, do ponto de vista histó- colocadas. situação se arrasta há anos municipal.
24 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

ECONOMIA
Secretário de Estado ignora a lei e
deixa o Ɗsco em Lisboa em aberto
Director de Finanças de Lisboa está em substituição há 1500 dias. O recrutamento já acabou e a equipa de
Centeno tem a lista de Änalistas há cerca de um ano, mas nada aconteceu. A lei prevê 45 dias para nomear
RUI GAUDÊNCIO
“em curso” um procedimento para o PÚBLICO lhe colocara era esta: por
Administração fiscal designar um novo titular, a substitui- que razão mantém Fernando Lopes
Pedro Crisóstomo ção “cessa imperativamente se, no em regime de substituição? Uma dúvi-
prazo de 45 dias após a entrega pelo da a que não deu resposta — e que não
O secretário de Estado dos Assuntos júri da proposta de designação”, o desaparece com a revelação de que o
Fiscais, António Mendonça Mendes, membro do Governo “não tiver pro- actual director faz parte da lista de
está há quase um ano sem decidir cedido” à nomeação. Ænalistas. Foi o próprio Mendonça
quem nomeia para o cargo de direc- Instado a explicar em que medida Mendes que tomou a iniciativa de
tor de Finanças de Lisboa. O gover- aquilo que aÆrmou ao PÚBLICO em revelar a identidade de um e de omi-
nante tem em mãos a lista de Ænalistas Setembro é compatível com o facto tir a identidade dos restantes dois
do concurso desde a Primavera de de, neste período de mais de meio candidatos Ænalistas.
2018, mas, embora a lei preveja um ano, não ter concretizado a escolha,
prazo de 45 dias para a nomeação, o o governante remeteu-se ao silêncio. Vazio de consequências
governante ignorou o prazo e nada Embora tenha enviado uma resposta A Cresap não divulga a data exacta
decidiu até ao momento. de duas linhas, não esclareceu o que em que fez chegar às mãos a lista final
A omissão do secretário de Estado em concreto lhe era perguntado. De dos candidatos. ConÆrma que o fez.
de Mário Centeno permite que a novo questionado, nada disse. É, no entanto, certo que, tendo a pro-
cadeira de director de Finanças de Mendes passara ao lado do facto de posta sido enviada há cerca de um
Lisboa, um importante posto na hie- estar a desrespeitar o prazo previsto ano, o prazo está já ultrapassado há
rarquia da Autoridade Tributária e no Estatuto do Pessoal Dirigente. AÆr- longos meses.
Aduaneira (AT), esteja a ser ocupada mou que Fernando Lopes está “em A própria Cresap aÆrma que, por
em regime de substituição há mais de plenitude de funções, exercendo o norma, a lista dos três Ænalistas segue
quatro anos. Já passaram 1500 dias. respectivo cargo em regime de subs- para o Governo “logo que o júri con-
Embora a Ægura do regime de subs- tituição”. E acrescentou: “Importa clui o respectivo procedimento con-
tituição exista para resolver situações ainda esclarecer que da lista Ænal pro- cursal.” E, neste caso, houve um
transitórias, e não para eternizar nos posta pela Cresap, no âmbito do con- outro concurso simultâneo: em Janei-
cargos servidores públicos escolhidos curso referido, consta o actual titular ro de 2018, abriu a vaga para o lugar
sem concurso, neste caso há um em funções.” Uma das perguntas que de subdirector-geral da área do IVA;
desencontro entre a lei e a realidade: o júri concluiu o processo a 24 de
Fernando Lopes ocupa a pasta de Abril e Mendes fez a nomeação no Æm
director de Finanças nestas condições
desde 23 de Março de 2015.
Detida funcionária de Junho.
A lei não especiÆca quais são as
Olhando para os meses que já pas- da AT em Lisboa consequências se um titular de cargo
saram desde que a Comissão de político violar o prazo legal. Um vazio

O
Recrutamento e Selecção para a que levou até a própria Cresap a
Administração Pública (Cresap) fez Ministério Público e a PJ defender, no seu último relatório de
chegar a lista de Ænalistas do concur- realizaram buscas ao actividades, que seria necessário cla-
so às mãos de António Mendonça posto de trabalho de uma riÆcar na lei as “consequências da
Mendes, o governante deixou há mui- funcionária da Direcção não-nomeação nos 45 dias subse-
to ultrapassar o prazo inscrito no de Finanças de Lisboa na quentes ao envio da proposta de desi-
Estatuto do Pessoal Dirigente para terça-feira, por suspeitas de gnação ao membro do Governo”.
fazer a nomeação em comissão de que vendia informações das Questionada sobre se, perante a
serviço. Uma omissão não explicada bases de dados do fisco a um ausência de decisão de Mendonça
e que contrasta com o que se passou advogado que, depois, as Mendes, deu conhecimento dos fac-
num outro concurso aberto para sub- usava para defender os seus tos às autoridades competentes para
director-geral da AT na mesma altura clientes contra a administração apreciar a legalidade, a Cresap alegou
( Janeiro de 2018) e concluído ainda tributária. A funcionária foi que as suas competências “terminam
durante o Verão. detida. Houve ainda uma outra com o envio da proposta de designa-
No caso do director de Finanças de detenção no mesmo dia, em ção elaborada pelo júri.”
Lisboa, o impasse perdura sem que o que as autoridades visitaram Uma das entidades com poderes
governante assuma por que razão o o escritório de advogados para Æscalizar situações idênticas é a
faz. Mendes garantia ao PÚBLICO em Taveira e Associados. As Inspecção-Geral de Finanças, institui-
Setembro — já então tinham passado autoridades estiveram no fisco ção liderada por Vítor Braz, entidade
os 45 dias previstos na lei — que o a recolher informações para na qual um inspector director foi desi-
“processo de nomeação” se encon- perceber a extensão do caso, gnado duas vezes consecutivas em
trava “em curso”; entretanto, passa- e realizaram buscas em Mafra, regime de substituição cujo tempo
ram mais sete meses sem qualquer Coruche, Alcochete, Montijo somado já perfaz mais de três anos.
decisão. E o Estatuto do Pessoal Diri- e Vendas Novas.
gente determina que, quando está Em Setembro, Mendonça Mendes garantia ter o processo “em curso” pedro.crisostomo@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 25

ECONOMIA

PSD, PS e CDS “apagam” tema Regularização


de precários faz
das barragens da EDP do disparar emprego
relatório das rendas da energia no Estado em 2019
DANIEL ROCHA
dinária de vínculos precários”.
Parlamento Função pública Face ao trimestre anterior, o
Ana Brito Raquel Martins aumento foi de 1% — mais 6488 pos-
tos de trabalho. Segundo a DGAEP,
O PSD votou contra o Número de trabalhadores o aumento trimestral foi muito
inÇuenciado pelo crescimento do
capítulo das barragens e o das Administrações
emprego na administração central
PS e o CDS abstiveram-se. Públicas chegou aos (mais 4804 postos de trabalho),
O tema polémico não 690.079 no trimestre — é o sobretudo nos ministérios da Ciência
constará na versão final maior aumento desde 2011 e Ensino Superior e da Educação
(mais 2826 postos de trabalho no
Houve uma espécie de alinhamento O emprego no Estado teve um conjunto).
de forças do “centrão” que ontem fez aumento recorde no primeiro tri- Já no sector empresarial do Esta-
cair do relatório Ænal da comissão de mestre de 2019. No Ænal de Março, as do, foram os hospitais EPE que mais
inquérito às “rendas da energia” um Administrações Públicas emprega- contribuíram para o aumento do
dos temas mais controversos: o do vam 690.079 pessoas, uma subida emprego público: mais 1871 trabalha-
prolongamento das concessões das homóloga de 2,3% em relação ao ano dores, “dos quais, na maioria dizem
barragens da EDP sem concurso passado que se deve, “em grande respeito a novos contratos a termo
público. parte”, à admissão de trabalhadores de médicos que iniciaram o interna-
Apesar do assunto ter sido um dos Jorge Costa, do Bloco de Esquerda, elaborou o relatório no quadro do Programa de Regula- to em centros hospitalares”, refere.
que mais horas consumiu nas deze- rização Extraordinária de Vínculos A DGAEP nota que, em Janeiro, a
nas de audições da comissão de os contratos de aquisição de energia 2007 (sem o pagamento de uma con- Precários da Administração Pública remuneração base média mensal dos
inquérito, o segundo capítulo do (e fossem substituídos pelos contra- trapartida ao Estado) são, segundo (PREVPAP), que está em curso. trabalhadores do Estado era de
relatório produzido pelo deputado tos CMEC), como a alternativa à o deputado do Bloco, duas das “prin- Segundo as estatísticas ontem 1478,6 euros, o que representa mais
do Bloco de Esquerda Jorge Costa — extensão seria o Estado português cipais vantagens” que o regime dos divulgadas, trata-se do maior aumen- 0,7% do que em Outubro e mais 0,8%
intitulado “A extensão sem concurso pagar 1300 milhões à EDP e lançar custos para a manutenção do equilí- to do número de trabalhadores do do que em Janeiro de 2018. O ganho
do uso do Domínio Público Hídrico um leilão. brio contratual (CMEC) veio conferir Estado desde 2011, quando a médio mensal (que inclui subsídios
a favor da EDP e metodologia do cál- Ontem, Hugo Costa, do PS, anun- à EDP. Jorge Costa sublinhou que o Direcção-Geral da Administração e e outros suplementos) chegou aos
culo da compensação a pagar ao SEN ciou de antemão a opção dos socia- PSD “inviabilizou que a comissão de do Emprego Público (DGAEP) come- 1728,3 euros, “indiciando uma varia-
[sistema eléctrico nacional]” — será listas de se absterem na votação inquérito pudesse chegar a conclu- çou a coligir os dados. O emprego ção global no trimestre de 0,6% e
cortado da versão Ænal do relatório. deste capítulo, por considerarem, sões válidas sobre um dos temas público tem vindo a aumentar desde uma variação homóloga de 1,2%”.
Foi o resultado dos votos do PSD, PS entre outros aspectos, que o projec- mais graves” no dossiê da energia. o terceiro trimestre de 2015, mas o A evolução poderia, contudo, ter
e CDS que conduziu a este resultado, to de relatório “desvaloriza a apro- O deputado comunista Bruno Dias ritmo intensiÆcou-se desde o ano sido mais expressiva. É que num con-
ainda que o sentido de voto tenha vação da Comissão Europeia à meto- quis “deixar bem claro” que o voto passado, que terminou com um junto de carreiras “veriÆca-se a dimi-
sido distinto: o PS e o CDS abstive- dologia” que foi usada para calcular favorável do PCP “não signiÆca” que aumento homólogo de 2,1%. nuição da remuneração base média
ram-se na votação sobre o texto do o valor que a EDP pagou pela exten- o PCP subscreva integralmente o A subida de 2,3%, lê-se na Síntese mensal” por causa dos movimentos
capítulo e os deputados sociais-de- são das concessões. documento produzido pelo deputa- Estatística do Emprego Público, de entrada e saída de trabalhadores
mocratas chumbaram-no. Esse é um dos temas mais polémi- do do Bloco: “O que não queremos resulta, “em grande parte, do com diferentes níveis remunerató-
Antes, o PSD já tinha visto serem cos em todo este dossiê porque o é contribuir para descaracterizar o aumento de postos de trabalho, em rios, com a “entrada de novos traba-
chumbadas as suas propostas de eli- valor (cerca de 700 milhões de euros) relatório e limpar passagens funda- particular nas carreiras de assistente lhadores em níveis remuneratórios
minação de passagens do texto e a assentou em duas avaliações de ban- mentais sobre determinados temas”, operacional, assistente técnico e téc- na base da carreira”.
inclusão no documento de um “con- cos, que eram inferiores ao valor que nem Æcar associado a quem quer que nico superior, em consequência do
junto vastíssimo de aditamentos, foi calculado pela REN, e que usaram o relatório “tenha um vasto conjunto processo de regularização extraor- raquel.martins@publico.pt
quase um capítulo alternativo”, nas metodologias de cálculo diferentes de páginas assinaladas a tinta correc- MANUEL ROBERTO
palavras do presidente da comissão, da utilizada pela empresa que tem a tora”, sustentou.
Emídio Guerreiro. gestão técnica do sistema eléctrico. “Se não há capítulo, isso não se
Na declaração antes da votação, o A Comissão Europeia estava a anali- deve ao PSD, que fez a sua proposta
deputado do PSD Jorge Paulo Olivei- sar a ausência de concurso público, alternativa”, deve-se ao voto contra
ra defendeu que nada na legislação mas validou a forma como o Estado do PCP, retorquiu Jorge Paulo Olivei-
aprovada antes de 2007 pelos Gover- português deÆniu o valor da com- ra.
nos sociais-democratas de Durão pensação paga pela eléctrica. O deputado centrista Hélder Ama-
Barroso e Santana Lopes vinculou o No capítulo que não vai constar na ral, que considerou o capítulo dois
Estado a atribuir à EDP a extensão versão Ænal do relatório, Jorge Costa “um capítulo muito relevante”, des-
do domínio público hídrico sem con- recomenda que se crie “um meca- tacou que o Estado podia ter feito,
curso. “O Governo de José Sócrates nismo de revisibilidade anual da em 2006/2007, “uma negociação
não tinha a obrigação” de atribuir as compensação paga ao Estado pela mais musculada” com a EDP em
centrais à EDP, “se o fez foi por opção EDP pela subconcessão do domínio defesa do interesse público, mas que
política”, disse o deputado do PSD. público hídrico” que deverá “corrigir não foi essa a vontade do ministro
Quando foi ouvido na comissão de o efeito da subcompensação recebi- Manuel Pinho. “Para o CDS, o relató-
inquérito, o ex-ministro da Econo- da da EDP em 2007”. rio faz pouco sentido” e “Æca muito
mia Manuel Pinho defendeu que não O prolongamento do prazo das aquém do objectivo de identiÆcar
só a EDP tinha um direito, “consa- barragens sem concurso público, rendas excessivas, disse ainda.
grado na lei”, de continuar a explo- assim como a licença sem prazo atri-
rar as barragens quando cessassem buída à central eléctrica de Sines em ana.brito@publico.pt Emprego aumentou mas em alguns casos remuneração média caiu
26 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

ECONOMIA

A economia deixou de abrandar mas


o risco de uma recaída permanece
Portugal e Europa voltaram a acelerar, ainda que ligeiramente, nos primeiros três meses do ano. Uma boa
notícia, no meio de uma conjuntura repleta de risco, o principal sendo uma escalada da guerra comercial
MIGUEL MANSO
taxas alfandegárias dos EUA para 25%
PIB seria, de acordo com os cálculos da
Sérgio Aníbal Moody’s, de 0,2% a 0,3% do PIB.
O impacto total, incluindo os efei-
Os suspiros de alívio ouviram-se um tos nos níveis de conÆança, seriam
pouco por toda a Europa. Depois da ainda maiores, sendo provável um
sequência cada vez mais negativa de contágio para o resto da zona euro,
resultados que se vinha registando incluindo Portugal.
desde meados do ano passado, as
economias da zona euro consegui- Equilíbrio sob ameaça?
ram, no arranque de 2019, inverter a No caso de Portugal, para além dos
tendência. A Alemanha, que era o riscos trazidos pela conjuntura inter-
caso que mais preocupava, liderou a nacional, um outro problema começa
retoma. Portugal, que, ainda assim, a tomar forma. Se, até agora, o cresci-
continuava acima da média europeia, mento da economia tem vindo a ser
aproveitou o balanço. No entanto, o conseguido num cenário de equilíbrio
medo de que se possa assistir nos pró- (e até excedente) das contas externas,
ximos meses a uma recaída continua nos últimos trimestres tem sido evi-
presente, principalmente se a Europa dente a passagem para um cenário em
for envolvida directamente numa que o contributo da procura externa
escalada da guerra comercial. é negativo e em que o crescimento é
Em Portugal, o que aconteceu no feito sobretudo à base de uma acele-
primeiro trimestre do ano foi uma ração da procura interna.
interrupção da tendência de abran- O abrandamento da economia em
damento económico que se tinha 2018, em particular na parte Ænal do
iniciado a partir do Verão de 2018. ano, já se tinha veriÆcado devido à
De acordo com a estimativa rápida evolução menos positiva das exporta-
para o PIB, ontem publicada pelo ções. E agora, no arranque de 2019, as
Instituto Nacional de Estatística Em Portugal, houve uma interrupção da tendência de abrandamento económico iniciada no Verão exportações continuaram a dar um
(INE), a economia portuguesa cres- contributo menos positivo, com a pro-
ceu 0,5% no primeiro trimestre de mais negativos na zona euro e forçou recessão técnica, registando uma sentar o regresso a ritmos de cresci- cura interna, em particular o investi-
2019, mais do que os 0,4% do Ænal do a consecutivas revisões em baixa das variação negativa do PIB no terceiro mento mais elevado. mento, a compensar esse resultado.
ano passado. E, em termos homólo- previsões de crescimento para a zona trimestre e nula no quarto. No entanto, a acompanhar esta Na estimativa rápida, o INE não
gos, a taxa de crescimento passou de euro. A instabilidade trazida pelas Agora, no primeiro trimestre deste esperança, estão ainda várias amea- divulgou ainda os dados das compo-
1,7% para 1,8%. políticas proteccionistas dos EUA, os ano, voltou a crescer: 0,4% face ao ças. A principal está relacionada com nentes do PIB, mas diz que “o contri-
A aceleração é pequena, mas problemas de adaptação do sector trimestre anterior e 0,7% face ao a instabilidade que neste momento buto da procura interna para a varia-
constitui uma melhoria signiÆcativa automóvel às novas exigências período homólogo. Não são resulta- existe nas relações comerciais entre ção homóloga do PIB aumentou,
do ambiente, tendo em conta que ambientais e a perda de conÆança dos dos impressionantes, mas, pelo as principais economias. A deteriora- reÇectindo uma aceleração signiÆca-
nos dois trimestres anteriores o cres- investidores devido aos problemas menos, interromperam a queda que ção das negociações entre os EUA e a tiva do investimento”. Assinala ainda
cimento da economia face ao perío- orçamentais na Itália Æzeram com se vinha a registar e criam a esperan- China e, principalmente, o receio de que, em contrapartida, “o contributo
do homólogo tinha caído de 2,5% que a Alemanha quase caísse numa ça de que o resto do ano possa repre- que a Europa possa ser em breve da procura externa líquida foi mais
para 1,7%. envolvida directamente num conÇito negativo que o observado no trimes-
No resto da Europa, o cenário foi Economia portuguesa resiste no início de 2019 grave voltaram, esta semana, a ser tre anterior, em resultado da acelera-
muito semelhante. Os dados publica- Taxa de variação do PIB (em %) motivos de preocupação para consu- ção mais intensa das importações do
dos também esta quarta-feira pelo midores e empresas. que das exportações”.
Eurostat mostraram que, no primei- Em cadeia Homóloga É no próximo sábado que termina Para já, olhando para as previsões
ro trimestre, a zona euro conseguiu o prazo deÆnido pela Casa Branca da generalidade das instituições, isto
um crescimento de 0,4%, uma melho- 3,1 3,1 para decidir se vai subir as taxas alfan- não signiÆca que Portugal esteja a
ria face aos 0,2% dos três meses ante- 2,5 2,5 2,5 degárias à importação de automóveis. regressar aos déÆces externos eleva-
riores. A taxa de crescimento homó- 2,3 Se Donald Trump optar por criar uma dos do passado. Mas constitui mais
2,1
logo interrompeu a forte queda regis- 1,7 1,8 nova frente de combate na sua guerra um sinal de que, não tendo possibi-
tada na segunda metade do ano comercial e passar à prática uma lidade de alargar de forma signiÆca-
passado (de 2,2% para 1,2%) e estabi- ameaça que já várias vezes fez, a eco- tiva o seu endividamento externo,
lizou nos 1,2%. 0,7 0,8 nomia europeia (e principalmente a Portugal Æca, num cenário de dete-
0,6 0,5 0,6 0,5
Por causa do seu peso, a contribuir 0,4 0,3 0,4 alemã) terá muito a perder. rioração da conjuntura externa, for-
para estes resultados esteve sobretu- 0 Os Estados Unidos representam temente limitado no seu potencial
do a Alemanha. Foi a economia alemã 1.º T 2.º T 3.º T 4.º T 1.º T 2.º T 3.º T 4.º T 1.º T 13% do total das exportações de auto- de crescimento.
2017 2018 2019
que, na segunda metade do ano pas- móveis feitas pela Alemanha e o
sado, desencadeou os movimentos Fonte: INE PÚBLICO impacto directo de um aumento das sergio.anibal@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 27

MUNDO
Tensão EUA-Irão: Washington tira
pessoal diplomático do Iraque
Washington diz que há um aumento do nível de alerta em relação a potenciais ataques iranianos
na região; um comandante britânico diz que não há qualquer indicação de maior perigo
EPA/US NAVY

Médio Oriente
Maria João Guimarães
O Departamento de Estado dos EUA
ordenou a retirada de pessoal não-
essencial do Iraque, numa altura em
que a tensão com o Irão está a aumen-
tar. Alemanha e Holanda anunciaram
a suspensão de treino de militares no
Iraque por informação de potenciais
ataques iranianos, disse Berlim, subli-
nhando que a informação não era
própria.
O nível de alerta no Médio Oriente
por potenciais ataques do Irão a alvos
norte-americanos ou aliados aumen-
tou devido a indicações de espiona-
gem sobre potenciais ataques irania-
nos na região. No entanto, o Departa-
mento de Estado não deu justiÆcação
para a retirada de diplomatas da
embaixada em Bagdad e do consula-
do em Erbil.
No domingo, um acto de sabota-
gem causou danos em dois petrolei-
ros sauditas. Investigadores america-
nos disseram acreditar que Teerão
está por trás da acção. O Irão disse
que se tratava de uma “conspiração
para provocar um conÇito na região”.
Antes, os EUA deslocaram um porta-
aviões para o Golfo Pérsico.
Em contraste com a avaliação nor-
te-americana sobre as ameaças no
Iraque, os serviços secretos britâni- Os EUA deslocaram um porta-aviões para o Golfo Pérsico na semana passada, em resposta a “indicações” sobre o Irão
cos não encontram qualquer indica-
ção de um aumento de ameaça. Chris iraquianos, sublinhando que a sus- Pompeo a cancelar a visita à Alema- levadas a cabo pela administração continua Singh. “Cada lado tem
Ghika, o vice-comandante da coliga- pensão é “temporária” e a formação nha e a dirigir-se ao Iraque. que parecem calculadas para nos pôr uma compreensão limitada das
ção global contra o Daesh (que per- deverá recomeçar “dentro de dias”. O primeiro-ministro iraquiano, numa rota de colisão”, num “cami- intenções e ‘linhas vermelhas’ do
deu entretanto o território que domi- A Holanda justiÆcou a suspensão com Adel Abdul Mahdi, disse, no entanto, nho com mais, e não menos, hipóte- outro, e há uma má comunicação,
nava no Iraque e Síria mas permane- uma “ameaça não-especiÆcada”. que as suas forças militares não obser- ses de nos levar a um conÇito arma- não só entre o Irão e os EUA, mas ain-
ce uma ameaça), disse aos jornalistas, A Reuters citou fontes de segurança varam qualquer “movimentação que do”. E isso “seria um desastre”. da entre os próprios aliados dos
na terça-feira, que as medidas em iraquianas dizendo que, numa visita constitua uma ameaça a qualquer dos O responsável do centro de estudos EUA”.
vigor para proteger os EUA e seus ao Iraque este mês, o secretário de lados”. sobre a política americana no Médio Enquanto isso, um artigo de opi-
aliados de milícias iranianas ou apoia- Estado, Mike Pompeo, referiu a Oriente Washington Institute Michael nião inédito abriu esperanças de que
das pelo Irão no Iraque e Síria eram comandantes iraquianos que havia Desejo de guerra? Singh acha que é importante “distin- haja um caminho para o Æm da riva-
“completamente satisfatórias”, cita informação de que paramilitares No seu blogue no The Washington guir entre um alegado desejo de guer- lidade que deÆne a região: dois peri-
a BBC. apoiados pelo Irão posicionaram mís- Post, o colunista Greg Sargent cita ra, por um lado, e um risco de escala- tos de política externa, um saudita e
O comando central militar dos EUA seis perto de bases onde estão milita- uma conversa com o democrata da, por outro — o primeiro, penso que um iraniano, ambos ligados e com
desmentiu-o, citando “ameaças cre- res norte-americanos. Adam Schiè, responsável pelo Comis- é um exagero; o segundo é bem real”. comunicação com as respectivas lide-
díveis e identiÆcadas disponibilizadas Numa entrevista à estação de tele- são de Serviços Secretos na Câmara Na dinâmica actual, em que o Irão ranças, escreveram um artigo de opi-
aos serviços secretos dos EUA e aos visão privada Al Sharqiya, do Iraque, dos Representantes, em que este vê está a tentar impor custos aos EUA nião conjunto no The New York Times
seus aliados”. o antigo vice-presidente iraquia- as mais recentes acções como tendo pela decisão de sair do acordo nuclear dizendo que chegou a altura de o Irão
Da Alemanha, um porta-voz disse no Iyad Allawi disse ter sabido por como Æm justiÆcar uma guerra. “O e repor as sanções, e em que os EUA e a Arábia Saudita falarem, porque é
ter recebido indicações gerais de intermédio de um responsável norte- Irão é e tem sido, há décadas, um estão a tentar dissuadir estas acções, possível encontrar uma base de
potenciais ataques apoiados pelo Irão americano que a informação sobre actor malévolo e um Estado que apoia “há um risco bastante real de conÇito entendimento.
e por isso suspendeu a formação que mísseis veio dos serviços secretos terrorismo”, disse Schiè. “Mas tam- inadvertido”.
os seus militares dão aos militares israelitas, e que foi isto que levou bém estou preocupado com acções Esta crise é diferente de anteriores, mguimaraes@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 29

MUNDO
AMANDA PEROBELLI/REUTERS

Presidente guineense
pressionado a dar luz
verde à formação
do Governo Breves
jurídica permite ao Parlamento reto-
Guiné-Bissau mar normalmente os seus trabalhos, “Brexit”
António Rodrigues retirando esse argumento ao Presi-
dente José Mário Vaz para continuar
May leva acordo a
Supremo nega recurso a justiÆcar o adiamento da formação votação pela quarta
da oposição e embaixador do novo Governo. O Madem é o par-
tido criado pelo grupo de 15 deputa-
vez em Junho
dos Estados Unidos diz que dos dissidentes do PAIGC e próximos A primeira-ministra britânica
não haver ainda Governo do chefe de Estado que foi o segundo vai tentar outra vez em Junho Foram registadas manifestações em todos os estados do Brasil
“é desanimador” mais votado nas eleições de 10 de que o Parlamento aprove o

O segundo partido mais votado nas


eleições de Março na Guiné-Bissau
Março, conseguindo 27 deputados.
Mais de 60 dias depois das eleições
que deram a vitória ao PAIGC com
acordo que negociou com
Bruxelas para a saída do Reino
Unido da União Europeia. Os
São “idiotas” os que
perdeu ontem na justiça o seu pedido
de providência cautelar para suspen-
der a eleição da Mesa da Assembleia
maioria simples (47 deputados em
102), o chefe de Estado continua sem
convocar o líder do partido mais
deputados já chumbaram três
vezes os termos do divórcio.
Theresa May está em
protestam contra
Nacional Popular que tinha chumba-
do o nome do candidato apresentado
pelo Movimento para a Alternância
votado, Domingos Simões Pereira, a
formar Governo, mesmo quando
aquele já conseguiu acertar uma coli-
negociações com o Partido
Trabalhista, o partido de
Jeremy Corbyn já advertiu que
cortes, diz Bolsonaro
Democrática (Madem-G15) para a gação pós-eleitoral com três peque- votará contra se não houver
vice-presidência, Braima Camará. nos partidos (APU-PDGB, UM e PND), acordo. A primeira-ministra
Os 11 juízes do Supremo Tribunal o que lhe permite ter uma maioria conservadora quer que o tem, tem de congelar”, justiÆcou.
de Justiça guineense que assinam o estável de 54 deputados. processo comece a 3 de Brasil Convocadas pelos sindicatos, movi-
documento apresentam duas razões O embaixador dos Estados Unidos Junho. Se o acordo voltar a ser António Saraiva Lima mentos sociais e associações estudan-
para rejeitar o requerimento apresen- para a Guiné-Bissau lamentou ontem chumbado, May está disposta tis, as manifestações começaram bem
tado pelo deputado Soares Sambú, que a situação política no país se este- a avançar para um “Brexit” Presidente criticou cedo em diversas cidades e juntaram
eleito pelo Madem-G15 nas legislativas ja a deteriorar a olhos vistos. “Tem sem acordo ou a revogar o multidões superiores a 50 mil pessoas
manifestações contra a
de 10 de Março. sido muito desanimador observar a artigo 50.º do Tratado da UE, em São Paulo, Brasília e Salvador da
Ao não seguir a via judicial depois situação política a deteriorar-se”, aÆr- que abriu o processo de saída redução do financiamento Bahia ao Ænal da manhã. É o primeiro
de alegar irregularidades na votação mou Tulinabo Mushingi, numa con- do Reino Unido. público às universidades e protesto a nível nacional desde que
no Parlamento, optando pelo recurso ferência de imprensa em Bissau. à investigação científica Bolsonaro tomou posse, no início de
contencioso ao plenário da Assem- O diplomata, que é também repre- Janeiro.
bleia, Sambú e o seu partido “impli- sentante diplomático norte-america- Eleições Jair Bolsonaro dedicou duras críticas Na origem dos protestos está a deci-
citamente” renunciaram “ao recurso
contencioso” no Supremo. Por outro
no no Senegal, onde reside, questio-
nou o argumento de José Mário Vaz
Dois milhões de aos milhares de manifestantes que
ontem encheram as ruas das princi-
são do ministro da Educação, Abra-
ham Weintraub, de bloquear 30% do
lado, ao socorrerem-se “indevida- para indigitar o novo primeiro-minis- moçambicanos pais cidades do Brasil, em protesto Ænanciamento público para as uni-
mente da providência cautelar”,
esqueceu o Madem que “tal expe-
tro: “Não deve haver qualquer liga-
ção entre o processo de atribuição
em risco de não votar contra os cortes no orçamento para
as universidades federais, decretada
versidades federais — afectando as
verbas disponíveis para gastos cor-
diente não compadece com processos de cargos na Mesa da Assembleia Problemas técnicos, mau pelo Governo. O Presidente rotulou rentes, como a água, a electricidade
urgentes e principais, tais como Nacional Popular e a nomeação de tempo, boicotes e outras os manifestantes como “idiotas úteis” ou a Internet, que já obrigaram à sus-
impugnação de actos eleitorais”. um primeiro-ministro e a formação dificuldades estão a atrasar o e “imbecis” e denunciou a sua instru- pensão de bolsas de mestrado e dou-
Esta decisão da mais alta instância do seu Governo.” processo de recenseamento mentalização por uma “minoria toramento. Decisão essa que a oposi-
José Mário Vaz, conhecido por em Moçambique, a ponto de o espertalhona”. Foram registadas ção acredita ter motivações ideológi-
JOMAV, também ainda não indicou a Centro de Integridade Pública, manifestações nos 26 estados e no cas, baseadas na crença do Governo
data para as eleições presidenciais, organismo independente que Distrito Federal, assim como parali- de que as universidades são lideradas
mesmo tendo em conta que o seu zela pela boa governação e sações em escolas e universidades e por “marxistas”, particularmente as
mandato termina a 23 de Junho e o acompanha os processos bloqueios nas principais avenidas. que se dedicam às Humanidades e às
sufrágio só pode ser marcado para eleitorais no país desde 1992, “A maioria ali é militante. Não tem Ciências Sociais.
90 dias depois da proposta. A Comis- alertar para a possibilidade de nada na cabeça. Se você perguntar Para os críticos da medida, basta
são Nacional de Eleições sugeriu a dois milhões de pessoas em quanto é 7x8, ninguém sabe. Se per- olhar para a sua primeira formulação.
data de 3 de Novembro e, se for con- idade de votar ficarem fora guntar qual é a fórmula da água, nin- Weintraub queria congelar o Ænancia-
Ærmada a data, Vaz poderá Æcar no dos cadernos eleitorais e não guém sabe. Não sabem nada”, desde- mento dos estabelecimentos que
cargo quase até 2020. poderem exercer o seu direito nhou o chefe de Estado. “São uns mais “balbúrdia” fazem: a Universi-
“Os Estados Unidos estão compro- nas eleições gerais e idiotas úteis, uns imbecis, que estão dade de Brasília, a Universidade Fede-
metidos com o apoio imparcial à provinciais de 15 de Outubro. a ser utilizados como massa de mano- ral da Bahia e a Universidade Federal
liderança legítima deste e de todos Até agora foram recenseadas bra de uma minoria espertalhona que Fluminense, conhecidas por terem
os países, mas não estão interessados 10,5 milhões de pessoas, compõe o núcleo de muitas universi- tido protestos anti-Bolsonaro. E,
em apoiar qualquer facção política correspondente a 70,5% do dades federais do Brasil”, acusou. semanas antes, Bolsonaro sugeriu a
ou partido”, referiu o embaixador universo de 14,9 milhões de Bolsonaro aÆrmou que, por ele, redução dos apoios aos cursos supe-
norte-americano, para quem “a eleitores. O processo não se fariam cortes, mas que os mes- riores de Humanidades e o incremen-
situação política e económica na Gui- atrasou-se, sobretudo, neste mos são necessários. O motivo, sub- to dos mesmos “em áreas que gerem
né-Bissau é perigosa”. novo período de actualização linhou, é que recebeu “um Brasil retorno imediato ao contribuinte”.
José Mário Vaz também ainda dos cadernos eleitorais. destruído economicamente”. “Este
não marcou as presidenciais antonio.rodrigues@publico.pt mês não tem dinheiro. E quando não antonio.lima@publico.pt
30 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

MUNDO

A América
antiaborto
regressa em força com
um empurrão de Trump
O estado norte-americano do Alabama aprovou uma lei que proíbe o aborto
em qualquer fase da gravidez, sem excluir casos de violação ou incesto.
O objectivo é claro: forçar o Supremo Tribunal, agora mais conservador,
Os críticos da nova lei no Alabama acu
a esvaziar uma decisão de 1973 que anulou muitas restrições
A lei ainda não foi promulgada pela pela chegada à Casa Branca de Donald xa na polícia, o que diÆculta ainda rem leis antiaborto muito restritivas
Alexandre Martins governadora do Alabama, a republi- Trump e do seu vice-presidente, Mike mais o acesso das mulheres a cuida- — mas isso pode mudar nos próximos
cana Kay Ivey, e diÆcilmente sobrevi- Pence. Uma mudança política que já dos de saúde em ambiente seguro. anos, principalmente se o Presidente

H
á cinco anos, quando o verá aos processos em tribunal pro- fez chegar ao Supremo Tribunal e aos Nenhuma das propostas aprovadas Trump for reeleito em Novembro de
Partido Republicano metidos pelos defensores da liberda- tribunais federais vários juízes com está em vigor, e todas elas têm um 2020 e se continuar a nomear juízes
quis proibir o aborto de de escolha. Mas, para se perceber um passado de decisões antiaborto. chumbo garantido assim que chega- conhecidos pelas suas posições antia-
no Alabama a partir do a dimensão do músculo que o movi- Em estados como a Georgia, Ken- rem aos tribunais. Foi isso que acon- borto para os tribunais americanos,
momento em que fosse mento antiaborto ganhou nos EUA tucky, Mississípi e Ohio, os congres- teceu no Kentucky, e é isso que acon- incluindo o Supremo.
possível ouvir o bati- nos últimos anos, não basta olhar sos locais aprovaram novas leis que tecerá nos outros estados, incluindo “O objectivo desta lei é confrontar
mento cardíaco do feto para o caso do Alabama, ainda que a proíbem o aborto a partir do momen- o Alabama, onde a maioria do Partido a decisão dos tribunais de 1973,
— o que barrava a prá- proposta aprovada naquele estado, to em que for possível detectar o Republicano nos congressos locais segundo a qual um bebé no útero não
tica a partir das seis ou na terça-feira, seja descrita pelos crí- batimento cardíaco de um feto, o tem endurecido a sua posição antia-
sete semanas de gravi- ticos como a mais restritiva dos últi- que baixa para apenas seis ou sete borto nos últimos anos.

5
dez —, a proposta fracassou por pouco mos 50 anos em todo o país — atribui semanas a janela legal — numa altura
e caiu no Senado. Mas os republicanos personalidade jurídica ao feto desde em que muitas mulheres não sabem De olhos no Supremo
não desistiram da sua luta antiaborto a concepção, e não a partir do nasci- ainda que estão grávidas. Os olhos dos defensores da proibição
e, esta semana, tiveram a primeira mento completo e com vida, e apenas Há diferenças entre as várias pro- total do aborto nos EUA estão no
vitória com uma proposta ainda mais permite o aborto quando a vida da postas — no caso do Ohio, por exem- Supremo Tribunal, e não no futuro
restritiva: se a nova lei entrar em vigor, grávida estiver em perigo. plo, a lei não prevê excepções para imediato dos seus próprios estados.
o aborto será proibido em qualquer Só este ano, quatro outros estados casos de violação e incesto, à imagem É consensual que pouco ou nada irá
fase da gravidez, sem excepções para aprovaram leis muito restritivas, e em do que acontece no Alabama; a Geor- mudar nos próximos tempos, e que estados norte-americanos
violação e incesto, e os proÆssionais 12 foram discutidas propostas seme- gia prevê excepções para violação e os tribunais vão continuar a aplicar a aprovaram, só este ano, leis com
de saúde que o Æzerem podem ser lhantes no auge de uma nova fase na incesto, mas os casos de violação só famosa decisão Roe contra Wade, de muitas restrições ao aborto,
condenados a 99 anos de prisão. luta contra o aborto, impulsionada são considerados se houver uma quei- 1973, que proíbe os estados de aplica- mas nenhuma está em vigor
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 31

MUNDO
CHRIS ALUKA BERRY/REUTERS
diÆcultar o acesso e não proibir a
prática de uma forma radical como
pretendem as leis do Alabama, do
Ohio ou do Kentucky.
O caso da lei da Luisiana é impor-
tante para se perceber o futuro desta
discussão nos EUA, porque o Supre-
mo Tribunal já se pronunciou sobre
uma lei semelhante, aprovada no
Texas — os juízes travaram essa lei em
2016, numa vitória para os defensores
da liberdade de escolha, mas essa
votação aconteceu antes da chegada
ao Supremo de Neil Gorsuch e Brett
Kavanaugh, dois juízes com um pas-
sado de decisões antiaborto nomea-
dos por Donald Trump.
Na altura, a decisão do Supremo foi
aprovada com cinco votos a favor e
três contra (Antonin Scalia, que mor-
reu em Fevereiro desse ano, ainda
não tinha sido substituído). Se o
Supremo aceitar o caso da lei da Lui-
siana, a decisão poderá ser diferente,
já que na composição actual há cinco
juízes mais identiÆcados com a proi-
bição do aborto. E se a maioria deci-
dir que os médicos podem ser obri-
gados a ter privilégio de admissão nos
hospitais para fazerem abortos, mui-
tos estados vão aproveitar para apro-
var essa lei, o que levará ao encerra-
mento de muitas clínicas — e tudo sem
derrubar a decisão Roe Contra Wade
de um só golpe.
Do outro lado da discussão, os gru-
pos que defendem a liberdade de
escolha estão também a preparar-se
para um possível futuro sem a decisão
de 1973, lutando pela aprovação de
leis ainda mais permissivas, como
está a acontecer em estados mais pro-
gressistas como Nova Iorque. Se a lei
federal mudar, e se os estados norte-
americanos passarem a ter liberdade
quase total para diÆcultarem o acesso
aos cuidados de saúde relacionados
com o aborto, a distância entre os
sam o Partido Republicano de barrar o acesso aos cuidados de saúde às mulheres das classes mais desfavorecidas opositores e os defensores Æcará ain-
da maior, uma tendência que parece
registar-se em outras áreas da socie-
é uma pessoa”, reconheceu o repu- que poderiam ser avaliados pelo para ser avaliado pelo Supremo Tri- dade norte-americana.
blicano Terri Collins, da Câmara dos Supremo, se a maioria do tribunal bunal. Neste caso, os legisladores do “Num mundo pós-Roe, devemos
Representantes do Alabama, ouvido estivesse interessada em forçar Partido Republicano exigiram aos esperar uma grande variedade de
pelo jornal Montgomery Advertiser. mudanças radicais. médicos das clínicas de aborto do abordagens ao aborto nos estados.
“Esta lei contesta essa questão em “Acho que estas leis, só por si, não estado que tenham privilégio de Mas parece ser cada vez mais eviden-
particular. O bebé que está no útero põem em causa a decisão, porque são admissão nos hospitais locais — o te que os políticos falam para quem
é uma pessoa? Eu acredito que a nos-
sa lei diz que sim. Acredito que o nos-
extremistas” disse à revista New
Yorker Linda Greenhouse, uma jorna-
O objectivo desta lei direito, por exemplo, a internar
pacientes, mesmo não sendo funcio-
se interessa mais por um determina-
do assunto, mesmo que as suas opi-
so povo diz que sim. E acredito que a lista que escreveu sobre as decisões é confrontar a nários desses hospitais. niões divirjam muito daquilo em que
tecnologia diz que sim.”
É por isso que os republicanos do
do Supremo norte-americano duran-
te décadas e autora de uma biograÆa decisão dos Os juízes de Trump
a maioria dos americanos acredita”,
disse Mary Ziegler, professora de
Alabama insistiram em aprovar uma
lei sem excepções para casos de vio-
do juiz Harry Blackmun, o responsá-
vel pela célebre decisão de 1973.
tribunais de 1973, “À primeira vista, essa lei oferece
mais protecção, porque declara que
Direito na Universidade da Florida,
num artigo publicado em Abril no
lação e incesto — porque é isso que
pode convencer o Supremo Tribunal
“A decisão Roe Contra Wade vai ser
posta em causa por medidas mais
segundo a qual um está a contribuir para a melhoria dos
cuidados de saúde das mulheres.
jornal The Washington Post que termi-
na com o vislumbre de um futuro
a aceitar o caso e, quem sabe, a fazer suaves, que vão dar aos tribunais bebé no útero não é Não tem nada que ver com a saúde conÇituoso: “Durante décadas após
uma interpretação que esvazie gran-
de parte da decisão Roe.
cobertura para não passarem por
extremistas, ainda que essas leis pos- uma pessoa. Eu das mulheres, mas é uma questão
mais simpática para o Supremo”,
a decisão Roe, os dois lados lutaram
para conquistar os corações dos que
Até agora, os juízes do Supremo
têm evitado qualquer discussão
sam ter consequências extremas na
destruição da infra-estrutura do
acredito que é considera Linda Greenhouse. Ou
seja, se os juízes nomeados pelo Pre-
estão no chamado ‘centro indeciso’.
Na era de Trump, parece que esses
sobre o aborto, e a recente sucessão aborto e no corte do acesso à maioria Terri Collins sidente Trump vierem a aprovar leis eleitores vão voltar a ser deixados
de leis restritivas não veio mudar esse das mulheres. Um dos exemplos Partido Republicano que acabem por restringir o acesso para trás.”
posicionamento. Ao todo, há 13 casos mais citados é uma lei aprovada na ao aborto, o mais provável é que
que já esgotaram todos os recursos e Luisiana, cujo recurso está pronto essas leis tenham como objectivo alexandre.martins@publico.pt
32 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

CULTURA
Uma vida de Sophia
do Mar do Norte à luz do Sul
A primeira biograÄa dedicada à autora de Livro Sexto chega
neste ano em que se assinala o seu centenário. Isabel Nery
compõe um relato da vida de Sophia com episódios saborosos,
mas que quase nada nos diz da sua evolução enquanto poeta
Æas”. Porque têm, argumenta, “este Sophia” e reconhece que seria “pro-
Livros treino de reunir muita informação vável” que a poeta não concordasse
Luís Miguel Queirós para depois entregar a mais relevan- com a sua publicação. A sua Ælha mais
te”, experiência que lhe parecia uma velha, a escritora e ensaísta Maria
Jornalista da Visão durante muitos vantagem acrescida num trabalho Andresen Sousa Tavares, assume que
anos e autora de livros como As Prisio- que iria envolver, para lá da investiga- não gostou do que leu. “Não apanha
neiras — Mães Atrás das Grades (2012) ção documental, a recolha de muitos de todo a minha mãe”, ajuíza, “e diz
ou Chorei de Véspera — Ensaio sobre a testemunhos de pessoas vivas. coisas falsas, como ela ter morrido na
Morte, por Amor à Vida (2016), Isabel E Isabel Nery ouviu, de facto, mui- Cruz Vermelha, ou nunca ter visitado
Nery publicou há dias na Esfera dos ta gente, dos familiares de Sophia que o meu pai no hospital”.
Livros a primeira biograÆa dedicada aceitaram falar a amigos como Frei Nery reconhece que a primeira
a Sophia de Mello Breyner Andresen, Bento Domingues, Graça Morais ou informação é um lapso e que foi indu-
cujo centenário é assinalado hoje em Manuel Alegre, mas também depoen- zida em erro por uma notícia da edi-
Lisboa com o início de um colóquio tes menos óbvios, como o pescador ção online do PÚBLICO, publicada no
internacional de dois dias que reúne José Muchacho, que revelou à poetisa dia da morte de Sophia e provavel-
na Gulbenkian muitos dos mais reco- as grutas de Lagos, ou José Santos, mente com origem na agência Lusa.
nhecidos especialistas na obra poética empregado de um restaurante que a No entanto, na edição em papel do
e Æccional da autora de Geografia ou escritora frequentava em Lisboa, ou dia seguinte o PÚBLICO já indica que
Contos Exemplares. ainda a segunda mulher de Francisco Sophia morrera no Hospital Pulido
“Há dois ou três anos”, num perío- Sousa Tavares, Amélia Brugnini, que Valente, embora mantendo que esti-
do em que acabara de deixar a Visão parece ter aproveitado para acertar vera antes internada na Cruz Verme-
e o seu futuro proÆssional mais pró- contas com a sua antecessora. lha, quando na verdade, segundo
ximo estava em aberto, a jornalista Se não é certo que os jornalistas, Maria Andresen, estivera, sim, no
encontrou-se com Francisco Cama- como pretende a autora, estejam par- hospital da CUF.
cho, então editor da Esfera dos Livros, ticularmente habilitados para o ofício Já a mais delicada aÆrmação de que
onde já publicara Chorei de Véspera. de biógrafos, é verdade que este livro a poeta, “contrariando os conselhos
Quando a conversa derivou para a tem bastante informação e é escrito de alguns amigos”, nunca foi visitar o
escassez de biograÆas em Portugal, o com a Çuidez de quem sabe prender ex-marido, mesmo quando este esta-
seu interlocutor perguntou-lhe se não a atenção. Serve-se generosamente va a morrer, tem como fonte assumi-
estaria disposta a escrever uma bio- do discurso directo, tem páginas, da a segunda mulher de Sousa Tava-
graÆa de Sophia, projecto que lhe terá como as da Grécia, que estão mais res. Maria Andresen contrapõe que
ocorrido naquele momento. próximas da reportagem do que do ela própria, a pedido do pai, levou a
“A ideia era muito atractiva, porque ensaio biográÆco, e deixa ainda adi- mãe a vê-lo, e que Sophia passou uma
admiro a sua poesia, os Contos Exem- vinhar o talento jornalístico para pôr manhã no hospital a conversar com
plares, as artes poéticas, mas ao mes- as fontes a falar em alguns (poucos) o ex-marido. Visita de que Amélia
mo tempo”, conta Isabel Nery, “era depoimentos que diÆcilmente deixa- Brugnini veio a ter conhecimento,
uma grande responsabilidade, desde rão de irritar a família de Sophia. garante, já que lhe terá até pedido
logo por se tratar de uma autora con- A própria autora avisa na introdu- satisfações por não ter sido avisada.
temporânea e existirem muitas pes- ção ao livro, que intitulou simples- Depois de uma primeira conversa
soas vivas que poderiam discordar, mente Sophia de Mello Breyner Andre- com Isabel Nery, que segundo esta
vir dizer que isto ou aquilo tinha sido sen, que “esta não é uma biograÆa última “correu bem”, a Ælha de Sophia
doutra maneira, e depois porque é a autorizada”, informação que depois decidiu que não colaboraria e diz ter
Sophia, a única mulher escritora no precisou ao PÚBLICO: “Além do meu dado instruções à Biblioteca Nacional
Panteão e uma poeta que contribuiu editor, ninguém a leu antes de ser para não permitir à jornalista o aces-
para hoje sermos livres, o que a mim publicada, não houve um familiar a so aos materiais do espólio de acesso
me diz muito, até como jornalista, dizer: ‘Isto entra, isto é melhor sair’.” reservado. Mas as suas irmãs Isabel e
porque não há liberdade de expres- Reconhecendo que alguns parentes SoÆa falaram com a biógrafa, bem
são sem democracia”. aceitaram falar consigo e outros não, como vários outros parentes.
Na decisão de aceitar pesou a cons- Nery observa que “a família é enorme
tatação, algo surpreendida, de que e não faria sentido falar com todos”, Peregrinatio ad loca Sophiae
Sophia não tinha mesmo nenhuma e diz que a ter de esperar pelo acordo
biograÆa, lacuna que lhe pareceu consensual dos familiares mais pró- O livro começa na pequena ilha de
fazer sentido suprir, mas também a ximos “o livro nunca se faria”. Föhr, no Mar do Norte, de onde o
convicção de que “os jornalistas são A jornalista escreve também que bisavô de Sophia, Jan Hinrich Andre-
pessoas ideais para escrever biogra- “esta não é uma biograÆa para sen, zarpou de barco em 1840, aos 14 Não faltam nesta biografia episódios surpreendentes que reflectem as pe
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 33

ADRIANO MIRANDA
anos, numa viagem que para ele ter- que a mistura Sophia-Algarve”. ça a tirar as notas com uma pinça
minaria no Porto, onde terá sido
[Biografar Sophia] Mas é provável que o ponto mais porque tinha fobia aos germes e recu-
expulso da embarcação por se ter era uma grande forte deste livro sejam as muitas pági- sava-se a tocar-lhes com as mãos. O
posto a dar espectáculo vestido com nas dedicadas à intervenção cívica e larápio terá Æcado tão desconcertado
uma pele de urso, episódio que a sua
responsabilidade, política de Sophia antes e depois do pela sua repugnância ao vil papel que
bisneta viria a evocar no conto Saga, desde logo por 25 de Abril de 1974, da sua altiva recu- desistiu do assalto e se pôs a andar.
das Histórias da Terra e do Mar. sa em deixar-se intimidar pela PIDE, São também muitos os exemplos
A ilha é há muito território alemão,
existirem muitas que a convocou para prestar declara- das suas famosas tiradas irónicas,
mas em 1840 pertencia ainda à Dina- pessoas vivas que ções já em 1959 — obrigou os agentes lapidares, desconcertantes — algumas
marca. Sophia nunca lá pôs os pés, a seguirem-na escadas acima porque bastante conhecidas, outras menos.
mas Isabel Nery sentiu que a sua his-
poderiam vir dizer não andava de elevador —, à partici- Várias têm como “vítimas” os escri-
tória começava ali: “Se este rapaz não que isto ou aquilo pação na chamada vigília da paz, em tores com quem se relacionou. No
tivesse sido expulso do navio [que 1969, para a qual escreveu os famosos regresso de uma ida a Bordéus com
seguia para outras paragens], haveria
tinha sido doutra versos “Vemos, ouvimos e lemos/ não Agustina Bessa-Luís, estavam ambas
talvez uma Sophia algures, mas não maneira, e depois podemos ignorar”, na Comissão no aeroporto quando são abordadas
em Portugal”, diz. A biógrafa decidira Nacional de Socorro aos Presos Polí- por um casal cuja Ælha traz uma pilha
cedo que os lugares seriam a “linha
porque é a Sophia, ticos, em cuja criação esteve envolvi- de livros para a autora de Sibila assi-
condutora” da sua investigação. a única mulher da nesse mesmo ano, ou na posterior nar. “Pois é, Maria Agustina” —
“Eram muito importantes para vigília da Capela do Rato, a 31 de comenta Sophia —, “eu sempre lhe
Sophia, inspiravam-na, diziam-lhe
escritora no Dezembro de 1972. disse que a menina escreve demais”.
coisas, a Grécia, o Algarve, mas tam- Panteão e uma Se a sua oposição activa ao regime Agustina, diga-se, pagava-lhe na mes-
bém a Granja ou a própria casa Andre- vai sendo lembrada, está hoje mais ma moeda. Quando viajam juntas
sen, onde não nasceu nem viveu,
poeta que esquecido o papel que teve na Assem- pela Grécia, a romancista observa:
como se está sempre a dizer, mas que contribuiu para bleia Constituinte, em 1975, onde fez “Os seus rapazes gregos e a beleza
era a casa dos avós — e se qualquer algumas notáveis intervenções e pre- grega não aparecem por aqui — pare-
um ainda hoje Æca pasmado com
hoje sermos livres sidiu à Comissão para a Redacção do cem vindos de Trás-os-Montes.”
aquela grandiosidade, é natural que Preâmbulo da Constituição. Em Sophia irritar-se-ia particularmente
tivesse inÇuência numa criança sen- Setembro desse ano, no auge do com as críticas ao seu tabagismo, por
sível e atenta.”
Os lugares Verão Quente, quando dezenas de muito bem-intencionadas que fossem.
Decide, pois, ir ver Föhr com os inspiravam-na, milhares de manifestantes cercaram Que o diga José Saramago, a quem
seus próprios olhos. “Claro que não o Parlamento tentando forçar a queda uma observação inocente valeu logo
se pode dizer que a escrita de Sophia
diziam-lhe coisas, do Governo, Sophia foi um dos depu- esta réplica demolidora: “Caro amigo,
é muito limpa e directa porque ela a Grécia, o Algarve, tados sequestrados. Isabel Nery recor- enquanto estou a fumar tenho os
tem origens nórdicas, mas isso terá da um depoimento da escritora Maria dedos ocupados e não estou a escrever
tido alguma inÇuência naquela sua
mas também a Velho da Costa, que conseguiu entrar patacoadas como muitos fazem.”
maneira de estar pouco Çoreada”, Granja ou a na Assembleia para ir ver a amiga e a É também particularmente diver-
sugere a biógrafa, lembrando ainda encontrou a rir-se com o escritor tido o testemunho de José Manuel dos
que o facto de a autora ter sido criada
própria casa Manuel Gusmão, então deputado Santos, que, querendo discutir com
numa família com um ramo católico Andresen — se comunista. Num ambiente tenso e Mário Soares um discurso que este
e outro protestante estava longe de caótico, enquanto o deputado socia- iria fazer numa viagem oÆcial marca-
ser vulgar no Portugal da época.
qualquer um lista Raul Rego, esgotada a comida no da para o dia seguinte, o encontra ao
O leitor poderá sentir que Sophia ainda hoje Äca bar, vociferava que o queriam matar telefone com a amiga poeta, que que-
demora um pouco a nascer nesta sua à fome, Sophia só pedia à amiga: “Não ria ajuda para arranjar uma nova
biograÆa, mas Isabel Nery acha que
pasmado com deixe entrar o Francisco, Maria, ainda empregada. “A minha preocupação
valeu a pena, não só porque teve a aquela se põe aí em cima de qualquer coisa, era acabar o discurso, mas ele diz:
sorte de ir encontrar uns diários dei- um daqueles leões de pedra feíssi- ‘Agora não. Primeiro tenho de resol-
xados pela mulher de um amigo do
grandiosidade, é mos, a fazer mais aranzel.” A imagem ver o problema da Sophia’.”
bisavô Andresen, mas porque foi natural que tivesse de Sousa Tavares, em pleno 25 de A fazer-se um balanço deste livro,
criando a convicção de que, na sua Abril, dirigindo-se ao povo empolei- será justo sublinhar o conseguido
aparente pouca importância, Föhr
inÅuência numa rado numa guarita do quartel do Car- retrato que Isabel Nery nos dá da
“pode ser o missing link, dar um certo criança sensível e mo já então se tornara icónica. Sophia cidadã, mas já a poetisa (ou
sentido ao conjunto”. poeta, como preferia dizer) parece
Se nas páginas dedicadas à Grécia,
atenta ser mais um dado adquirido do que
Uma vida política
onde também esteve, as impressões Isabel Nery um tópico central. “O livro não podia
da repórter tendem por vezes a sobre- Biógrafa Não faltam no livro episódios sur- ser inÆnito, e a Maria Andresen já se
por-se um tanto às investigações da preendentes, alguns bastante cómi- tem dedicado profundamente a ana-
biógrafa, o breve capítulo do Algarve cos, que reÇectem as diferentes pecu- lisar a obra e a vida”, justiÆca. “Aceito
retrata bem o encontro de Sophia liaridades da biografada, como a sua a crítica, mas achei que não era esse
com esse “puro branco da cal onde a súbita aparição a cavalo no solar ama- o caminho, que não era a pessoa cer-
luz cai a direito”. O poeta algarvio rantino de Teixeira de Pascoaes, ou a ta para isso”, aÆrma ainda, para con-
Nuno Júdice, evocando o seu convívio cena — muito posterior e menos cluir com um apelo: “Força! Façam
com a escritora no Ænal dos anos 60, romântica — em que é assaltada à por- mais coisas sobre a Sophia.”
garantiu a Isabel Nery que por essa ta de casa, em Lisboa, e, dispondo-se
culiaridades de Sophia altura “nada fazia mais sentido do a entregar o dinheiro ao ladrão, come- lmqueiros@publico.pt
34 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

CULTURA

John Carpenter veio do outro mundo


para uma vingança
Distinguido com o Carrosse d’Or, prémio honorário para a rebeldia de um realizador, o cineasta levou
a Cannes um Älme que, à data da estreia, falhou a crítica e falhou o público: Veio do Outro Mundo
SUNSET BOULEVARD/REUTERS/GETTY IMAGES
de esperar pela morte, que viria de
Festival de Cannes qualquer forma, de fora ou de den-
Vasco Câmara, em Cannes tro, e o Ælme acabava sem existencia-
lismos e com um herói. Uma nova
O nome dele é John Carpenter e que- versão, com esses cortes, foi subme-
ria fazer westerns. Ele que depois de tida a testes. Se não se tinha percebi-
exposto a Forbidden Planet (Fred do antes, percebeu-se então que o
McLeod Wilcox, 1956) pensou pela apocalipse estava em todo o Ælme,
primeira vez que queria ser realiza- não era uma questão de Ænal. As
dor — embora antes, com A Rainha palavras da personagem interpreta-
Africana ( John Huston, 1951), já tives- da por Kurt Russell, R. J. MacReady,
se percebido que havia ali, nos Æl- voltaram ao Ælme.
mes, um “dispositivo”. Queria fazer A sua história com Hollywood,
westerns (chegou a escrever um argu- resume Carpenter, foi sempre a de
mento para John Wayne e Elvis Pres- evitar que alguém pusesse as mãos
ley), mas o sucesso de Halloween no que era seu. A sua obra mostra
(1978), que foi sendo construído de essa luta, é uma turbulência com
forma imperceptível à medida que acidentes: depois do fracasso de Veio
uma mesma cópia rodava de terra do Outro Mundo, quando achou que
em terra pelos EUA, Æxá-lo-ia no seria estratégico diluir o perÆl de
“cinema de terror”. Mas depois disso realizador de Ælmes pessimistas,
John Carpenter terá de facto feito os aceitou a proposta de um Ælme
seus westerns, mesmo que sob a for- romântico, Starman, em 1984 (que
ma de thriller urbano, como no caso não haja mal-entendidos: é das coi-
de Assalto à 13.ª Esquadra (1976), ou sas mais bonitas que Ælmou), ou de
Æcção cientíÆca. Não estava mal: um disparate chamado Big Trouble
tinha consigo o pendor mítico e ter- in Little China (1986); quando se far-
minal dos Ælmes de cowboys e, como tou desses compromissos para
o género era o de terror, considerado John Carpenter (ao centro) nas filmagens de Veio do Outro Mundo, o filme que quis levar a Cannes reconquistar a conÆança dos estú-
de série B, podia ser subversivo e dios, e depois de ter visto Inferno, de
político a olhar para os seus contem- cia e rebeldia (no ano passado o elei- nas depois do ET de Spielberg, é uma silhueta apenas (nesse momento Dario Argento (1980), atirou-se para
porâneos americanos. to foi Martin Scorsese), ele fez tam- apoteose “grand-guignolesca” do Superstition, de Stevie Wonder, cobre Príncipe das Trevas (1987).
John Carpenter, 71 anos, realiza- bém a sua escolha: que se mostrasse cinema dos anos 70, a década do os corredores da estação com pres- Não se enquadra — deÆne-se dessa
dor, produtor, compositor, cabelo o seu Veio do Outro Mundo, que foi cinema americano em que o campo ságios). forma. Não sabe ir às festas para se
branco apanhado num rabo de cava- inspirado em The Thing from Another dos Ælmes foi invadido pelo contra- Referindo-se aos efeitos especiais mostrar, ritual da indústria. Esconde
lo, chegou a Cannes de punho ergui- World (1951), de Christian Nyby e campo, contaminado pelo “outro”, de The Thing, na era antes dos com- o seu lado romântico, é um púdico
do e com uma vingança: apresentar Howard Hawks. pelo que até então era invisível, por putadores, quando era tudo “uma (Starman, de novo, Ælme que se per-
no festival francês o Ælme que, tendo Filme esplendoroso que, sendo de causa da classe, do género ou da câmara e um pedaço de borracha” a cebeu que não gosta muito de mos-
sido concretizado com os meios de 1982, foi lançado nos EUA duas sema- raça, e que irrompia como “mons- ver se funcionava, Carpenter diz-se trar). E gosta de mulheres fortes: as
um grande estúdio, oferta que não truosidade”. aliás pouco atraído pela proeza téc- suas parcerias criativas e produtivas
poderia recusar porque era um Talvez tenha sido por causa dessa nica. A famosa steadycam de Hal- foram estabelecidas com Debra Hill
sonho de criança trabalhar na máqui- vontade de “dar a ver” (como diz loween, por exemplo, foi um acaso. e Sandy King, com quem está casado.
na de Hollywood, “bombed, crashed, Carpenter: havia um pacto tácito no Os seus Ælmes podem não mostrar
exploded” quando chegou às salas. cinema americano de Ælmar os Um desenquadrado isso (bem, há Karen Allen, Starman).
Nem crítica nem público gostaram monstros no escuro e ele quis expô- O Ænal de Veio do Outro Mundo, o seu Por isso John Carpenter terá de con-
de Veio do Outro Mundo/The Thing Nem os meus fãs los à luz, mostrá-los ao espectador) pessimismo (servido por Kurt Rus- viver com a memória daquele dia em
(1982), esse huis-clos de homens que Veio do Outro Mundo foi rejeitado sell, numa persona que antes e que, convidado a entregar um pré-
numa estação cientíÆca da Antárcti- gostaram de Veio como foi. E, no entanto, mostra à depois seria constitutiva do ser car- mio num festival dedicado ao cinema
da que se descobrem com uma cria- do Outro Mundo. evidência que para o cineasta não se penteriano), foi considerado chocan- no feminino, foi chamado ao palco e
tura alienígena entre eles — e dentro tratava de escolher entre “mostrar” te. Mas o cineasta conta que durante sobre ele se abateu um coro de apu-
deles. “Nem os meus fãs gostaram. Nunca percebi ou “não mostrar”, interessavam-lhe a produção o pessoal do dinheiro pos. Não se livrou de seguida de uma
Nunca percebi porquê”, contou Car- porquê ambas: veja-se a forma como a câma- não percebeu o que estava ali em descompostura da premiada por ser
penter num encontro com os espec- ra habita o espaço e constrói o espa- causa. Só com a versão fechada é que um cineasta que fazia Ælmes em que
tadores ontem na Croisette. É que John Carpenter ço, vejam-se aqueles fondus au noir os estúdios lhe propuseram (Carpen- as mulheres eram vítimas de violên-
quando a Quinzena dos Realizadores Realizador com que se pontua a inevitabilidade ter tinha o final cut), que retirasse ao cia. John Carpenter gosta de mulhe-
de Cannes o escolheu como o recom- a cerrarem-se sobre as personagens Ælme o “ninguém vai sair daqui vivo” res fortes. “Aprendi com os Ælmes de
pensado este ano com o Carrosse ou aquela sequência da primeira de Russell, a ver se a coisa passava Howard Hawks.”
d’Or, prémio honorário atribuído a contaminação, com o cão a dirigir-se como heróica: Russel destruía a esta-
uma Ægura de audácia, independên- à vítima, que é uma silhueta, uma ção, não dizia que se tratava, agora, vasco.camara@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 35

CULTURA

A Companhia Nacional de Festival In Spiritum


vai das melodias do
Bailado à procura do transe Al-Andalus ao Stabat
e da invisibilidade Mater de Pergolesi
HUGO DAVID
em Matosinhos, onde no domingo
Dança Música (12h) se ouvirá a harpa de Carolina
Gonçalo Frota Coimbra. Antes, o Teatro Helena Sá
À quinta edição, o In Spiritum — Fes- e Costa acolhe amanhã (21h30) o pia-
Dupla estreia no Teatro tival de Música do Porto mantém-se nista Raul da Costa com obras de
fiel ao programa de sempre: adequar Ravel e Luiz Costa. No sábado, have-
Camões: Madrugada, de
as propostas musicais aos cenários do rá dois concertos: no Museu Român-
Victor Hugo Pontes, e património da cidade. O festival diri- tico/Quinta da Macieirinha (18h), o
Annette, Adele, e Lee, de Rui gido pelo maestro Cesário Costa abre duo André Baleiro (barítono)-David
Lopes Graça e João Penalva hoje (21h30) com uma visita à música Santos (piano) interpreta canções
tradicional do Al-Andalus, com a can- alemãs e francesas do século XIX; na
Victor Hugo Pontes mandou tapar os tora e percussionista marroquina Casa do Infante (21h30), o guitarrista
espelhos da sala de ensaios da Com- Iman Kandoussi a interpretar temas Ricardo Leitão Pedro toca e canta
panhia Nacional de Bailado (CNB). tradicionais da Andaluzia e da Argé- danças e fantasias do tempo dos Des-
Ao entrar no Teatro Camões, a Æm lia. O palco não poderia ser senão o cobrimentos. A fechar o programa,
de criar de novo para a CNB, levava Salão Árabe do Palácio da Bolsa. no domingo (18h), a Igreja de São
consigo uma única ideia de base: O programa terá cinco outros con- João Novo recebe a Orquestra Bom-
incentivar estes bailarinos, “muito certos, noutros tantos palcos, desta tempo e o Stabat Mater, de Pergolesi,
habituados a serem intérpretes dos vez com uma incursão à nova arqui- dirigido por Cesário Costa e com as
outros, a dançarem para si mesmos”. Não é difícil ver em Madrugada o cenário de uma discoteca tectura (projecto de Luís Pedro Silva) solistas Patrycja Gabrel e Carolina
“Quis pô-los em transe, num estado do Terminal de Cruzeiros de Leixões, Figueiredo. PÚBLICO
de alienação, de não-consciência”, Quando as luzes estão baixas, quem ram o processo”. E os dois criadores PUBLICIDADE
explica ao PÚBLICO. É daí que parte está em redor pode parecer inÆnita- quiseram lançar esta pista na direc-
Madrugada, peça que a CNB apre- mente mais atraente, a sala onde se ção do público, para que adira a
senta a partir de hoje e até domingo dança pode tomar a forma de um esse exercício de imaginação que
no Teatro Camões, em Lisboa, num lugar mágico. Só a claridade Ænal põe consiste em fantasiar os movimen-
programa partilhado com Annette, à mostra a realidade, por mais suja e tos destes três bailarinos que apenas
Adele, e Lee, de Rui Lopes Graça e desinteressante que possa, aÆnal, se ouvem — enquanto o elenco da
João Penalva— que passa depois pelo ser. “Interessava-me também jogar CNB apenas se vê.
Teatro Municipal Joaquim Benite, com essa camada”, admite. Depois de terem colaborado, em
Almada, no dia 25. Composta a partir de improvisa- 2016, numa anterior peça para a
Num cenário de escuridão em que ções dos bailarinos que Victor Hugo CNB, Quinze Bailarinos e Tempo
não custa ver a recriação de uma Pontes dirigiu durante os ensaios, Incerto (que em Junho será apresen-
discoteca, 13 bailarinos estão entre- procurando extrair deles algo mais tada na China), Rui Lopes Graça e
gues a uma dança fechada sobre si, “mais livre e emotivo” do que aquilo João Penalva quiseram voltar a uma
livre de movimentos do ballet clássi- que o reportório da CNB costuma premissa não-narrativa e abstracta,
co, deixados à solta, de olhos cerra- exigir-lhes, Madrugada põe em cena mas escolhendo como ponto de par-
dos, a seguir apenas o prazer do as 13 viagens mentais em que cada tida a gravação destes bailarinos de
momento. Dançam como se nin- um dos intérpretes embarca para sapateado realizada por David Cun-
guém os estivesse a ver, livram-se de atingir o tal estado de transe. Um ningham especiÆcamente para o
constrangimentos sociais, abando- transe que se estica numa peça que, espectáculo. A ideia foi, desde logo,
nam-se àquilo que Victor Hugo Pon- para Victor Hugo Pontes, não tem alimentar esse jogo entre visibilidade
tes entende como um conjunto de início nem Æm. Cada um vem já de e imaginação, entre clássico e popu-
solos interpretados em simultâneo, um dia longo e ao dia regressará lar, entre som e movimento. “Sem
em que ninguém procura o protago- depois de as luzes se acenderem. qualquer ligação, correspondência
nismo, apenas segue uma rota de ou citação coreográÆca do sapatea-
hedonismo individual. “É um con- O som dos movimentos do”, diz João Penalva.
texto social em que se sai para dan- Annette, Adele e Lee são os nomes Assim, ainda que voltem a dispen-
çar com os outros, mas em que se de três bailarinos de sapateado que sar a narrativa nesta parceria criati-
acaba a dançar sozinho. O Ænal da nunca vemos durante a peça de Rui va em que não é exactamente claro
noite é sempre sozinho”, descreve o Lopes Graça e João Penalva. Mas quem faz o quê (“Os territórios não
coreógrafo. ouvimo-los o tempo todo. E se não são delineados e cruzamo-nos em
Esse isolamento, no entanto, não os vemos realmente, quase pode- tudo o que fazemos”, diz Lopes Gra-
é constante. Ao longo de Madrugada, mos imaginá-los a dançarem sobre ça, acrescentando que, às tantas, já
todos eles se envolvem com os o elenco da CNB, que executa uma nem sabem quem surgiu com deter-
outros, criam relações efémeras, coreograÆa de inspiração clássica minada ideia), Annette, Adele, e Lee
procuram usar o corpo para desper- sob o tropel do som produzido pelos propõe uma história. Uma história
tar o desejo e a ele ceder, mas tudo é pés daqueles três. São os seus nomes oculta, desses bailarinos que Æcam
efémero e surge embrulhado numa que baptizam esta nova parceria na sombra e para os quais temos de
aura de sonho. Para Victor Hugo, é entre Lopes Graça e Penalva por- criar corpos, rostos, gestos, como
isso que se passa na noite — “nunca que, diz este último (artista plástico se pairassem o tempo todo sobre a
se sabe se aquilo aconteceu ou não, com um passado na dança, enquan- coreograÆa que acompanhamos,
como aconteceu”. Madrugada cons- to bailarino de Pina Bausch e Ger- desenhada com absoluto rigor, no
trói, portanto, um espaço de ilusão. hard Bohner), “eles é que começa- palco.
36 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

CIÊNCIA
Como as cabeças dos bebés
se moldam durante o parto
Imagens 3D, conseguidas por ressonância
onância magnética, mostram o que acontece
a ao cérebro de um feto antes,
p do exigente
durante e depois g alho de parto. Os resultados podem aajudar a detectar partos de risco
trabalho
com diferentes
di partes do crânio em tem consequências devido às mudan-
sobrep
sobreposição e em diferentes graus. ças de forma de seu cérebro durante
“Dois dos três bebés com o maior o processo”.
grau de moldagem da cabeça nasce- Esta investigação, argumentam
ram p por cesariana de emergência, ainda, “demonstra o valor do estudo
e o terceiro
t nasceu por via vaginal 3D com ressonâncias magnéticas
com o mínimo de esforço expulsi- durante a segunda fase do trabalho
vo”, revela ainda o artigo.
vo” de parto para revelar como o cérebro
““O facto de duas cabeças fetais fetal é afectado pela moldagem dos
apr
apresentarem uma moldagem ossos cranianos”. Recorda-se ainda
sign
significativa e ainda assim não que “os seres humanos têm uma bacia
tere permitido um parto vaginal
terem que é menos propícia à fácil passagem
e de o bebé com a moldagem mais da grande cabeça fetal do que outros
significativa
signifi ter nascido sem muito mamíferos”. Por isso, para a avaliação
esforço materno mostra que não foi de um parto vaginal seguro é consi-
possível
possív antever a capacidade de a derado o tamanho e a forma da bacia
cabeça fetal se adaptar ao canal do materna, a maleabilidade dos tecidos
parto”,
parto” diz Olivier Ami. Por outro moles do canal do parto durante o
lado, os investigadores concluíram
lado parto, a quantidade de contracções
também que o mesmo bebé que
tam uterinas e o tamanho da cabeça fetal.
apr
apresentou a moldagem mais “Mesmo quando o parto vaginal é
este particular
particu evento, a dependendo do grau de sobreposição signiÆcativa num parto aparentemen- possível, o processo de nascimento
cabeça dos bebés
b assume dos ossos do crânio. A moldagem do te normal nasceu com o índice de pode ser traumático para o bebé, com
um formato cara
característico que crânio do feto não é visível na maioria Apgar (um método usado para avaliar hemorragias cerebrais assintomáticas
os cientistas chamam “moldagem dos recém-nascidos após o nascimen- rapidamente a saúde de um recém- e hemorragias retinianas que ocor-
Saúde pão de açúcar”, numa alusão à silhue- to. Alguns crânios aceitam a deforma- nascido) mais baixo de todos os bebés rem em até 43% dos recém-nascidos
Andrea Cunha Freitas ta que também deu o nome ao morro
do Rio de Janeiro, no Brasil.
ção (complacência) e permitem uma
entrega fácil, enquanto outros não se
seguidos no estudo. Por isso, os inves-
tigadores questionam a actual deÆni-
de parto vaginal”.
Assim, seria importante ter uma
Não é novidade que as cabeças dos Mas se já sabíamos que este fenó- deformam facilmente.” ção de “um parto normal”. ferramenta capaz de antever (e pre-
bebés mudam de forma durante o meno de moldagem era comum, qual “Na verdade, considera-se um par- venir) os partos mais difíceis e trau-
parto. Trata-se da chamada “molda- é a novidade? “Sim, a moldagem da O que é um “parto normal”? to normal quando uma parturiente máticos para os fetos. “O próximo
gem da cabeça fetal ao canal de par- cabeça do feto é um fenómeno bem A análise das imagens recolhidas reve- dá à luz por meios naturais, com ape- passo é calibrar os softwares de simu-
to”. No entanto, os detalhes desta conhecido, mas apenas nos fetos lou a moldagem da cabeça do feto nas alguns esforços expulsivos da lação usando imagens para tentar
resposta natural do feto no momento onde ela persiste após o nascimento durante a segunda fase do trabalho mãe. Esta deÆnição não tem em con- prever a deformação cerebral fetal
que começa desde que sai do útero e (cerca de 20% dos partos) com um de parto
p nos sete bebés observados, sideraçãoç a capacidade
p de a cabeça
ç necessária para
p passar
p pelo
p canal do
se move pelo canal de parto até nas- ‘formato de pão de açúcar’”, fetal se deformar (complacência). Se parto”, conÆrma Olivier Ami.
cer ainda estão por esclarecer. O estu- responde ao PÚBLICO Olivier a complacência da cabeça fetal for
do, publicado agora na revista cientí- Ami, da Universidade e de Reconstituição em alta, o crânio e o cérebro podem acfreitas@publico.pt
Æca PlosOne, revela pela primeira vez Auvergne, em Clermont mont 3D da mudança da sofrer uma deformação signiÆcativa
um conjunto de imagens em 3D reco- Ferrand, França, que coor-
oor- forma do crânio de quando o canal do parto é atravessa-
lhidas através de ressonâncias mag- denou a equipa que apre-pre- bebés antes do do, e a condição da criança ao nascer
néticas feitas antes e durante o traba- senta estes resultados. s. O trabalho de parto pode não ser boa”, defendem.
lho de parto ajudam a reconstituir que é novo aqui, sublinha,
inha, (em cima) e Assim, “o parto deve talvez ser
este exigente processo e mostram “é que todos os fetos obser- durante a considerado normal quando
como o cérebro fetal é afectado pela vados mostraram moldagemdagem segunda fase, que uma parturiente dá à luz
moldagem dos ossos cranianos. E da cabeça no meio do canal, o antecede o naturalmente com apenas
talvez possa ajudar a evitar partos que é diferente do que pensáva- nascimento alguns esforços de expul-
difíceis que, à primeira vista, tinham mos anteriormente”. são, e se o seu Ælho não
tudo para correr “normalmente”. O estudo mostra que e as crian-
Os cientistas submeteram 27 grávi- ças experimentam maioresaiores ten-
das a ressonâncias magnéticas antes sões cranianas do que se pensava
de entrarem em trabalho de parto. durante o nascimento, o, pressões
Destas, sete mulheres foram seguidas centes ao san-
potencialmente subjacentes
ao longo desse processo e especiÆca- gramento assintomático co do cérebro
mente na segunda fase (da expulsão e da retina que surgem m em muitos
e do nascimento), durante a qual o recém-nascidos após o parto vaginal.
19
.20
AL

feto percorre o canal de parto. Nos Olivier Ami resume: “Durante


urante o parto
T
IE
AM

sete casos, foi conÆrmada a molda- vaginal, a forma do cérebro


ebro fetal sofre
ER
VI

gem da cabeça fetal. Respondendo a uma deformação em vários graus,


LI
O
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 37

Edif. Diogo Cão, Doca de Alcântara Norte, Tel. 21 011 10 10/20 Fax 21 011 10 30
1350-352 Lisboa
pequenosa@publico.pt
De seg a sex das 09H às 19H
Sábado 11H às 17H
CLASSIFICADOS

Universidade de Aveiro
Por acórdão proferido, em 8.03.2018, pelo Processo de Seleção e Recrutamento (M/F)
Supremo Tribunal de Justiça, na ação n.º Publicita-se a abertura do seguinte processo de seleção e recrutamento no sítio da Área
de Recursos Humanos da Universidade de Aveiro (www.ua.pt/sgrhf/ – Área de Recursos
7397/14.3T8LSB.L1.S1, movida pelo Ministério Humanos – concursos e ofertas de emprego):
Nos termos da alínea c) do n.º 3 do artigo 23.º dos Estatutos da Universidade de Aveiro,
Público contra o Banco Santander Totta, S.A., na versão homologada pelo Despacho Normativo n.º 1-C/2017, publicados na 2.ª Série do
Diário da República, de 24 de abril de 2017, e do Regulamento Interno de Carreiras, Retri-
foi declarada a nulidade do segundo segmento buições e Contratação de Pessoal não Docente e não Investigador em Regime de Contrato

CONHEÇA do n.º 2 da Cláusula 10.ª das “Condições Es-


de Trabalho, publicado na 2.ª Série do Diário da República n.º 223, de 17 de novembro de
2009, pretende-se contratar em regime de contrato de trabalho a termo resolutivo certo,
AS NOSSAS peciais da Super Conta Ordenado Protocolo”
com fundamento no disposto no artigo 140.º do Código do Trabalho, aprovado e publicado
em anexo, pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro:
COLECÇÕES DE MÚSICA

Ref.ª CND-CTTRC-120-ARH/2019 – 1 trabalhador contratualmente equiparado ao corres-


e do segundo segmento do n.º 2 da Cláusula pondente à carreira de Técnico Superior, na 1.ª posição remuneratória (995,51 €), acresci-
do do direito a subsídios de refeição, de férias e de Natal, para ocupar o posto de trabalho
7.ª do ‘Documento Autónomo’ anexo a essas de Apoio Administrativo e Secretariado, no âmbito dos Cursos Técnicos Superiores Pro-
fissionais e dos Projetos ID&T, na Escola Superior de Design, Gestão e Tecnologias da
Condições Especiais, contendo as Condições Produção de Aveiro-Norte da Universidade de Aveiro, Estrada do Cercal 449, 3720-509
Santiago de Riba-Ul, Oliveira de Azeméis, com as seguintes atribuições:
Aplicáveis à Facilidade de Descoberto associa- • Secretariado aos órgãos da unidade;
• Tratamento dos processos relacionados com a área de pessoal;
da a esta Conta Ordenado, uma e outras adota- • Apoio técnico na área pedagógica;
• Apoio técnico nos procedimentos de gestão documental;
das por este Banco, segmentos dispositivos es- • Atendimento aos utentes.
REQUISITOS DE ADMISSIBILIDADE:
ses que eram do seguinte teor: “São da conta do HABILITAÇÕES:
- Licenciatura.
cliente todas as despesas e encargos (...) que o EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
- Possuir experiência em funções de apoio administrativo e financeiro na execução de pro-
Banco venha a realizar para garantia e cobrança jetos, nomeadamente do Fundo Social Europeu POCH.
III — OUTROS REQUISITOS:
dos seus créditos”. - Bons conhecimentos de Língua Inglesa.

O Banco foi condenado a abster-se de utilizar VALIDADE DO PROCEDIMENTO:


O procedimento concursal é válido para ocupação de idênticos postos de trabalho, a ocor-
estas disposições nos respetivos contratos, pelo rer no prazo máximo de 12 meses contados da data de homologação da lista de ordenação
final do presente procedimento.
que a sua redação foi já alterada, com observân- O prazo de candidatura é de 10 dias úteis, contados a partir da data da publicitação do
anúncio no jornal.
cia do determinado no referido acórdão. Universidade de Aveiro, em 02 de abril de 2019
O Reitor, Prof. Doutor Paulo Jorge dos Santos Gonçalves Ferreira

REPÚBLICA
FEDERATIVA DO BRASIL
Consulado-Geral do Brasil em Lisboa
EDITAL DE CASAMENTO
Doralice Lincoln, Vice-Cônsul do Brasil
em Lisboa, usando das atribuições
que lhe confere o art.º 18 da Lei de
Introdução ao Código Civil, faz saber
que pretendem casar Allyson Oliveira
Silva natural de Araguaína, Tocantis,
Brasil nascido a 19/02/1995, residente e
Trabalhos de estabilização do talude ao km
domiciliado no Largo Carlos Selvagem,
1 - 1.º Dt.º, Lisboa, Portugal, Código
Postal: 1500-140, nesta jurisdição con-
sular, filho de Rosileuza Oliveira da Silva
21+750 e do Muro da EN10 (A1)
e Lucas Pereira Costa, natural de Mara-
bá, Pará, Brasil nascido a 06/05/1995,
residente e domiciliado no Largo Carlos
Selvagem, 1 - 1.º Dt.º, Lisboa, Portu-
Durante os meses de maio de 2019 a dezembro de 2019
gal, Código Postal: 1500-140, nesta
jurisdição consular, filho de Rosangela A Brisa Concessão Rodoviária (BCR) informa que irá efetuar obras de estabilização do talude,
Pereira Costa.
Apresentaram os documentos exigidos cerca do km 21+750 (S/N) e do Muro da EN10, no sublanço V. Franca de Xira II – V. Franca de Xira I,
pelo Art.º 1.525 do Código Civil. da A1 – Auto-estrada do Norte.
Se alguém souber de algum impe-
dimento, oponha-o na forma da Lei. Os trabalhos ocorrerão durante 6 meses.
loja.publico.pt Lavrado o presente para ser afixado
em lugar visível da Chancelaria deste
A EN 10 será temporariamente afetada, prevendo-se circulação alternada de veículos,
Consulado-Geral. ŶĂnjŽŶĂĚĞŝŶŇƵġŶĐŝĂĚŽƐƚƌĂďĂůŚŽƐ͘
INFO: 210 111 010 Vera Lúcia Espírito Santo Cardoso
Oficial de Registro Civil “ad-hoc” A Brisa agradece antecipadamente a compreensão e colaboração dos automobilistas e espera
contribuir para reduzir eventuais inconvenientes decorrentes desta operação, estando certa de que
Fundada em 1988 pelo Professor Doutor Carlos Garcia, a Associação Portuguesa de Familiares e Amigos de Doentes de Alzheimer os possíveis incómodos serão largamente compensados pelo nível de qualidade, segurança e conforto
- Alzheimer Portugal é uma Instituição Particular de Solidariedade Social. É a única organização em Portugal, de âmbito nacional, ƋƵĞƌĞƐƵůƚĂŵĚĞƵŵĂĂƵƚŽͲĞƐƚƌĂĚĂŵĞůŚŽƌĂĚĂƉƚĂĚĂăƐŶĞĐĞƐƐŝĚĂĚĞƐĚĞƋƵĞŵĂƵƟůŝnjĂ͘
especificamente constituída para promover a qualidade de vida das pessoas com demência e dos seus familiares e cuidadores. Tem
cerca de dez mil associados em todo o país. Para informação de trânsito atualizada poderá consultar o site www.viaverde.pt.
Oferece Informação sobre a doença, Formação para cuidadores formais e informais, Apoio domiciliário, Apoio Social e Psicológico e Consultas Médicas da
Especialidade.
Como membro da Alzheimer Europe, a Alzheimer Portugal participa ativamente no movimento mundial e europeu sobre as demências, procurando reunir e divulgar
os conhecimentos mais recentes sobre a Doença de Alzheimer, promovendo o seu estudo, a investigação das suas causas, efeitos, profilaxia e tratamentos.
Contactos
Sede: Av. de Ceuta Norte, Lote 15, Piso 3 Quinta do Loureiro, 1300-125 Lisboa

EMPREGO
Telefones: 213 610 460 - Fax : 21 361 04 69 - E-mail: geral@alzheimerportugal.org
Centro de Dia Prof. Doutor Carlos Garcia: Av. de Ceuta Norte, Lote 1, Loja 1 e 2 Quinta do Loureiro, 1350-410 Lisboa
Telefone: 213 609 300 - E-mail: geral@alzheimerportugal.org
Lar, Centro de Dia e Apoio Domiciliário «Casa do Alecrim», Rua Joaquim Miguel Serra Moura, n.º 256 - Alapraia, 2765-029 Estoril - Telefone: 214 525 145 - E-mail: casadoalecrim@alzheimerportugal.org
Horário de Atendimento: Quartas e sextas, entre as 9h e as 13h

PESQUISE INSCREVA-SE EM EM PARCERIA COM


Núcleo do Ribatejo da Alzheimer Portugal: R. Dom Gonçalo da Silveira n.º 31 «A, 2080-114 Almeirim - Telefone: 243 000 087 - E-mail: geral.ribatejo@alzheimerportugal.org
Delegação Norte da Alzheimer Portugal: Centro de Dia «Memória de Mim», Rua do Farol Nascente
n.º 47A R/C, 4455-301 Lavra - Telefone: 229 260 912 | 226 066 863 - E-mail: geral.norte@alzheimerportugal.org

EMPREGO AQUI EMPREGO.PUBLICO.PT


Delegação Centro da Alzheimer Portugal: Centro de Dia do Marquês, Urb. Casal Galego - Rua Raul Testa Fortunato n.º 17, 3100-523 Pombal - Telefone: 236 219 469 - E-mail: geral.centro@alzheimerportugal.org
Núcleo de Aveiro: Santa Casa da Misericórdia de Aveiro, Complexo Social da Quinta da Moita - Oliveirinha 3810 Aveiro, Telefone: 234 940 480 - E-mail: geral.aveiro@alzheimerportugal.org
Delegação da Madeira da Alzheimer Portugal: Avenida do Colégio Militar, Complexo Habitacional
da Nazaré, Cave do Bloco 21 - Sala E, 9000-135 Funchal, Telefone: 291 772 021 - Fax: 291 772 021 - E-mail: geral.madeira@alzheimerportugal.org
38 • Público ClassiÄcados • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

AVISO DE RETIFICAÇÃO MUNICÍPIO DE ESTARREJA


Para os devidos efeitos torna-se público que o Aviso publicitado na Edição AVISO
MUNICÍPIO DE ESTARREJA do dia 14 de maio saiu com as incorreções que a seguir se assinalam e
Suspensão Parcial do Plano de Urbanização da Cidade de Estarreja
simultaneamente se corrigem:
(PUCE) e estabelecimento de Medidas Preventivas
EDITAL O Município aceita candidaturas ao procedimento concursal para o preen-
DIAMANTINO MANUEL SABINA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE
chimento de 15 postos de trabalho na carreira/categoria de Assistente
DIAMANTINO MANUEL SABINA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ESTAR- Operacional, em diversas áreas: ESTARREJA,
REJA. Torna público, nos termos do previsto na alínea i) do n.º 4 do artigo 191.º do
Referência A – 3 postos de trabalho de Assistente Operacional – Canalizador; Regime Jurídico dos Instrumentos de Gestão Territorial – RJIGT (aprovado
Torna público que, no uso de competências que lhe estão delegadas, por delibera-
ção camarária n.º 4/2017, de 19/10 e nos termos do n.º 1, do artigo 34.º, da Lei n.º Referência B – 10 postos de trabalho de Assistente Operacional – Jardineiro; pelo Decreto-Lei n.º 80/2015 de 14 de maio) e para os efeitos conjugados do
75/2013, de 12 de setembro, vai proceder à alienação em hasta pública, com carta artigo 126.º, do artigo 134.º e do artigo 137.º do mesmo diploma legal, que
fechada, no dia 04/06/2019, pelas 10 horas, no Edifício dos Paços do Concelho, de Referência C – 2 postos de trabalho de Assistente Operacional – Coveiro.
a Assembleia Municipal de Estarreja, em sua sessão ordinária de 29 de abril
conjunto de 4 (quatro) terrenos, sito na Rua Dr. Joaquim Simões, lugar da Teixu-
O Aviso de abertura foi publicado no Diário da República, 2.ª Série nº. 88, de 2019, deliberou aprovar, por maioria, sob proposta da Câmara Municipal
gueira, união freguesia de Beduído e Veiros, concelho de Estarreja.
no dia 08 de maio de 2019, sob o nº. 7948/2019, e encontra-se disponível (deliberação n.º 131/2019), a Suspensão Parcial do Plano de Urbanização
1. BENS A ALIENAR
(para consulta) na página eletrónica do Município www.cm-viseu.pt. da Cidade de Estarreja (PUCE) e estabelecimento de Medidas Preventivas.
Base Licitação A deliberação da Assembleia Municipal, as Medidas Preventivas e a respe-
Artigo Urbano Descrição na CRP Área (m2)
(euros) Em 14 de maio de 2019 tiva Planta de Delimitação são objeto de publicação no Diário da República,
P5585 0566 422,00
69.805,40 € (ses- O Vice-Presidente encontrando-se ainda, nos termos do n.º 2 do artigo do RJIGT, disponíveis
P5584 P33724 1 150,00
P5586 Omisso 3 060,00
senta e nove mil, Joaquim António Ferreira Seixas para consulta na área de atividade de “Planeamento e Ordenamento do Ter-
oitocentos e cinco ritório” da página institucional da Internet da Câmara Municipal de Estarreja,
Terreno a desafectar do domínio público 2 491,00
euros e quarenta através do endereço www.cm-estarreja.pt, bem como, no edifício da Divisão
Área total do conjunto de terrenos a
7 123,00 cêntimos)
alienar: de Gestão Urbanística e Territorial - Setor de Planeamento Urbanístico, sito
2. CONSULTA PROCEDIMENTO na Rua das Comunidades Portuguesas, durante o horário normal de fun-
O presente procedimento de alienação encontra-se patente na Divisão Económica cionamento.
e Financeira – Setor de Património – do ME, sito no Edifício dos Paços do Con- Paços do Concelho de Estarreja, aos três dias do mês de maio de dois mil
celho, Praça Francisco Barbosa, em Estarreja, onde pode ser examinado durante MUNICIPIO DE VIANA DO CASTELO
o período compreendido entre as 9 e as 17 horas, todos os dias úteis, excluindo
e dezanove.
sábados, domingos e feriados, desde a data da publicitação do respetivo edital até AVISO O PRESIDENTE DA CÂMARA, Diamantino Manuel Sabina, Dr.
às 16 horas do dia imediatamente anterior ao do ato público do concurso, e com
os seguintes contactos: telefone 234 840 600, e-mail patrimonio@cm-estarreja.pt
José Maria Costa, Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo:
ou geral@cm-estarreja.pt. Torna público que, nos termos do disposto nos artigos 30.º e 33.º da Lei n.º
Poderá igualmente o interessado, efetuar o download dos documentos que fazem par- 35/2014, de 20 de junho e artigo 11.º da Portaria n.º 125-A/2019, de 30 de
te do presente procedimento através do sítio da Internet http://www.cm-estarreja.pt. abril, se encontra aberto, procedimento concursal comum para admissão de:
EDUCAÇÃO
3. PROPOSTAS Referência: Assistente Operacional - Auxiliar de Serviços Gerais;
Podem ser apresentadas propostas, de acordo com o ponto 16. do Programa de
Procedimentos, (disponível em http://www.cm-estarreja.pt.)
em regime de relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado,
que se destina a constituição de Bolsa de Recrutamento, tendo em conside- DIREÇÃO-GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES
4. ENCARGOS DO ADJUDICATÁRIO ração os lugares previstos no mapa de pessoal do Município, para exercer
Os encargos de natureza fiscal e notariais ou outros, inerentes ao contrato de com-
funções na área do Município de Viana do Castelo:
pra e venda, designadamente o Imposto Municipal sobre a Transmissão Onerosa
(IMT), Imposto de Selo e emolumentos notariais devidos, são da inteira responsabi- Habilitações Literárias:

AVISO
lidade do adjudicatário, que deverá fazer entrega de documentos comprovativo do Os candidatos deverão ser detentores de nível habilitacional de grau de
seu pagamento ou isenção, até à data designada para a celebração da escritura. complexidade funcional 1 (Escolaridade Obrigatória),nos termos da alí-
5. LOCAL E DATA-LIMTE PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS nea a) do n.º 1 do artigo 86.º da Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, não
5.1. A proposta escrita será entregue até às 16 horas do dia 03/06/2019 pelo havendo possibilidade de substituição da habilitação académica.
interessado ou seus representantes, na Subunidade de Atendimento ao Muní-
As candidaturas devem ser formalizadas, indicando a respetiva referência
Torna-se público que se encontra aberto,
cipe, sito na Praça Francisco Barbosa, Apartado 132 – 3864-909 Estarreja,
contra recibo, todos os dias úteis, excluindo sábados, domingos e feriados, para a qual pretende concorrer, em impresso próprio de utilização obrigató- nos termos da legislação em vigor, o con-
ou remetidas pelo correio, sob registo e com aviso de receção; ria, modelo n.º 232/02, disponível através do site www.cm-viana-castelo.pt,
5.2. Se o envio da proposta for efetuado por correio, o interessado será o único ou a fornecer pelo Serviço de Atendimento ao Munícipe (S.A.M.) da Câmara curso para diretor do Agrupamento de Es-
responsável pelos atrasos que porventura se verifiquem, não podendo apre-
sentar qualquer reclamação na hipótese da entrada dos documentos no ME
Municipal de Viana do Castelo, e ser entregue presencialmente no referido
Serviço, no Passeio das Mordomas da Romaria, 4904-877 Viana do Castelo,
colas Linda-a-Velha e Queijas, pelo prazo
se verificar após esgotado o prazo-limite de entrega das propostas.
5.3. A proposta terá de ser elaborada em conformidade com o ponto 15. do Pro-
dentro do horário de expediente (Segunda-Feira a Sexta-Feira das 09h00- de 10 dias úteis, a partir de 16 de maio de
16h30); ou por correio registado com aviso de receção, até o termo do prazo
grama de Procedimentos, (disponível em http://www.cm-estarreja.pt.)
indicado. 2019, de acordo com o aviso n.º 8369/2019,
6. LOCAL, DATA E HORA DA HASTA PÚBLICA
A hasta pública realiza-se no Salão Nobre dos Paços do Concelho no dia 4 de
Não serão aceites candidaturas enviadas por correio eletrónico. de 15 maio, publicado no Diário da Repú-
Prazo: 10 dias úteis a contar da data da publicação integral do presente
junho de 2019, pelas 10h00.
aviso na 2.ª Série do Diário da República, n.º 93 de 15 de maio de 2019. blica.
Para constar se lavrou o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados
no átrio do Edifício Sede do Município, nas Juntas de Freguesia, no jornal nacional Para quaisquer esclarecimentos, devem os interessados dirigir-se ao Serviço
“Público”, e no jornal regional “Diário de Aveiro”. de Atendimento ao Munícipe (S.A.M.) da Câmara Municipal de Viana do Cas- AELaVQ, 15 de maio de 2019
Paços do Concelho de Estarreja, aos catorze dias do mês de maio de dois mil e telo, durante as horas de Expediente.
dezanove. Paços do concelho de Viana do Castelo, 15 de maio de 2019. O Presidente do Conselho Geral,
O PRESIDENTE DA CÂMARA, O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo,
Diamantino Manuel Sabina, Dr. José Maria Costa
José António Pacheco

TRIBUNAL JUDICIAL TRIBUNAL JUDICIAL


LISBOA DA COMARCA DA COMARCA


DE LISBOA DE LISBOA OESTE
Juízo Local Cível do Seixal Juízo Local Cível de Sintra
Juiz 1 Juiz 3
Processo: 1097/19.5T8SXL Processo: 5403/19.4T8SNT
ANÚNCIO ANÚNCIO
Acompanhamento de Maior Acompanhamento de Maior
Requerente: Ministério Público Requerente: Ministério Público
Beneficiária: Maria Eduarda Canedo Beneficiária: Francelina de Je-
Ribeiro sus Sousa Orfão

MARIA PAULA RAMALHO


Faz-se saber que foi distribuído Faz-se saber que foi distribuída
neste tribunal, o processo de neste tribunal, o processo de

Coronel Acompanhamento de Maior em que Acompanhamento de Maior,

LOURO RODRIGUES DE é beneficiária Maria Eduarda Cane- em que é requerida Francelina


do Ribeiro, nascida em 24-04-1963, de Jesus Sousa Orfão, nascida
filha de Fernando Ribeiro e de Alice em 17-06-1956, na freguesia de

FERNANDO BARROSO DE MOURA PASSOS CORREIA RIBEIRO Teixeira Canedo, natural de Almada
(Almada); nacional de Portugal,
com domicílio na Avenida do MFA,
Madalena, concelho de Tomar,
filha de José de Sousa Orfão e
de Carolina de Jesus Sousa,
n.º 72 - 3.º Dt.º, Torre da Marinha, com domicílio: Rua Bento Men-

Missa de 7º dia e Agradecimento Mário Luiz Nunes Correia Ribeiro e Paula Maria Louro de 2840-000 Seixal, com vista à deter-
minação de medidas adequadas.
ni, 8, Idanha, 2605-077 Belas,
com vista a serem definidas
medidas de acompanhamento.
Passos Correia Ribeiro Limón Cavaco participam o faleci- N/ Referência: 386909625
N/ Referência: 118652900
Seixal, 13-05-2019
Seus filhos, nora, genro, netos, bisnetos e demais família, mento da sua querida mulher e mãe e que amanhã, dia 17 A Juíza de Direito Sintra, 02-04-2019.
de Maio, pelas 19.00 horas, será celebrada Missa de 7.º Laura Maria Dias Godinho Ribeiro A Juíza de Direito
participam o seu falecimento no dia 10 de Maio de 2019. Dia, na Igreja de São Sebastião da Pedreira, em Lisboa
Rações
O Oficial de Justiça
Dr.ª Susana Achemann
A Oficial de Justiça
A celebração da Missa de 7º Dia, será dia 16 de Maio de Agradecem também sensibilizados a todos os que os têm
José Pires
Público, 16/05/2019
Dulce Sabino
Público, 16/05/2019

2019, pelas 19:00 horas, na Igreja de São João de Deus. acompanhado e confortado nestes dias.

P.N. A.M. P. N. A. M. EDIFÍCIO DIOGO CÃO


DOCA DE ALCÂNTARA NORTE, LISBOA
Agência Funerária Alto São João Agência Funerária Alto São João (JUNTO AO MUSEU DO ORIENTE)
Agnus Dei - Número Verde Grátis 800 206 310 Servilusa - Número Verde Grátis 800 204 222
HORÁRIO: 2.ª – 6.ª FEIRA: 9H – 19H
SÁBADO: 11H – 17H
Serviço Funerário Permanente 24 Horas Serviço Funerário Permanente 24 Horas
MAIS INFORMAÇÕES: loja.publico.pt | 210 111 010
Público ClassiÄcados • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 39



/d>
/d>
WĂƌĂŽƐĞĨĞŝƚŽƐƉƌĞǀŝƐƚŽƐŶŽŶ͘ǑϳĚŽĂƌƚŝŐŽϮϭ͘ǑĚŽſĚŝŐŽĚĂƐdžƉƌŽƉƌŝĂĕƁĞƐ͕ĂƉƌŽǀĂĚŽƉĞůĂ>ĞŝŶ͘Ǒϭϲϴͬϵϵ͕ĚĞϭϴĚĞƐĞƚĞŵďƌŽ͕ƚŽƌŶĂͲƐĞƉƷďůŝĐŽƋƵĞŽƐƉƌŽƉƌŝĞƚĄƌŝŽƐĞ
ĚĞŵĂŝƐŝŶƚĞƌĞƐƐĂĚŽƐĚĂƐƉĂƌĐĞůĂƐĚĞƚĞƌƌĞŶŽŝĚĞŶƚŝĨŝĐĂĚĂƐŶĂƐƚĂďĞůĂƐĞƉůĂŶƚĂƐŝŶƚĞŐƌĂŶƚĞƐĚŽƉƌĞƐĞŶƚĞĞĚŝƚĂůͲŽďũĞƚŽĚĂĚĞĐůĂƌĂĕĆŽĚĞƵƚŝůŝĚĂĚĞƉƷďůŝĐĂĐŽŵĐĂƌĄĐƚĞƌĚĞ
ƵƌŐġŶĐŝĂĂƋƵĞƐĞƌĞĨĞƌĞĂZĞƐŽůƵĕĆŽĚŽŽŶƐĞůŚŽĚŽ'ŽǀĞƌŶŽZĞŐŝŽŶĂůĚĂDĂĚĞŝƌĂŶ͘ǑϭϭϵͬϮϬϭϵ͕ĚĞϴĚĞŵĂƌĕŽĚĞϮϬϭϵ͕ĞƉƵďůŝĐĂĚĂŶŽ:KZD͕/^ĠƌŝĞ͕Ŷ͘ǑϰϬ͕ĚĞϭϭĚĞ
ŵĂƌĕŽĚĞϮϬϭϵͲĚŝƐƉƁĞŵĚŽƉƌĂnjŽĚĞϱĚŝĂƐƉĂƌĂĂƉƌĞƐĞŶƚĂƌĞŵƌĞĐůĂŵĂĕĆŽĐŽŶƚƌĂŽĐŽŶƚĞƷĚŽĚŽƐƌĞůĂƚſƌŝŽƐĚĂƐǀŝƐƚŽƌŝĂ͞ĂĚƉĞƌƉĞƚƵĂŵƌĞŝŵĞŵŽƌŝĂŵ͕͟ƌĞĂůŝnjĂĚĂƐŶŽĚŝĂ
ϮϯĚĞĂďƌŝůĚĞϮϬϭϵ͕ƋƵĞƐĞĞŶĐŽŶƚƌĂŵĚŝƐƉŽŶşǀĞŝƐŶĂZƵĂĚŽƐ&ĞƌƌĞŝƌŽƐŶ͘ǑϭϱϬ͕&ƵŶĐŚĂů͘
DĂŝƐ ƐĞ ƚŽƌŶĂ ƉƷďůŝĐŽ ƋƵĞ ĞƐƚĂ ƐŽĐŝĞĚĂĚĞ͕ ĂŽ ĂďƌŝŐŽ ĚĂ ĐŝƚĂĚĂ ZĞƐŽůƵĕĆŽ Ğ ŶŽƐ ƚĞƌŵŽƐ ĚŽ ĂƌƚŝŐŽ ϭϵ͘Ǒ͕ ϮϬ͘Ǒ Ğ Ϯϭ͘Ǒ͕ Ŷ͘Ǒ ϵ͕ ĚŽ ſĚŝŐŽ ĚĂƐ džƉƌŽƉƌŝĂĕƁĞƐ͕ ƚŽŵĂƌĄ ƉŽƐƐĞ
ĂĚŵŝŶŝƐƚƌĂƚŝǀĂĚĂƐĚĞƐĐƌŝƚĂƐƉĂƌĐĞůĂƐ͕ŶŽĚŝĂϯϭĚĞŵĂŝŽĚĞϮϬϭϵ͕ƉĞůĂƐϭϲ,ϬϬ͕ŶŽ>ŽŵďŽĚĂƐĂďƌĂƐ͕WĞĚƌĞŐĂů͕ĨƌĞŐƵĞƐŝĂĚŽĂŵƉĂŶĄƌŝŽĞĐŽŶĐĞůŚŽĚĂZŝďĞŝƌĂƌĂǀĂĞŶŽ
ŵĞƐŵŽĚŝĂ͕ƉĞůĂƐϭϲ,ϯϬ͕ŶĂZŝďĞŝƌĂĚĂsĂƌĂŶĚĂ͕ĨƌĞŐƵĞƐŝĂĞĐŽŶĐĞůŚŽĚĂZŝďĞŝƌĂƌĂǀĂ͕ĐŽŵǀŝƐƚĂĂŽŝŶşĐŝŽĚŽƐƚƌĂďĂůŚŽƐĚĞĞdžĞĐƵĕĆŽĚĂĞŵƉƌĞŝƚĂĚĂĚĞZĞĐƵƉĞƌĂĕĆŽĚĂ
>ĞǀĂĚĂĚŽEŽƌƚĞͲ>ĂŶĕŽ^ƵůͲdƷŶĞůĚŽWĞĚƌĞŐĂů;Ϭϲ͘ϬϬϳϮͿʹŽďƌĂĚĞŵĂŶŝĨĞƐƚŽŝŶƚĞƌĞƐƐĞƉƷďůŝĐŽ͘
&ƵŶĐŚĂů͕ϭϯĚĞŵĂŝŽĚĞϮϬϭϵ
WƌĞƐŝĚĞŶƚĞĚŽŽŶƐĞůŚŽĚĞĚŵŝŶŝƐƚƌĂĕĆŽ

ͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺͺ 
;EĠůŝĂDĂƌŝĂ^ĞƋƵĞŝƌĂĚĞ^ŽƵƐĂͿ


40 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

SAIR

23h40; John Wick 3 - Implacável M16. Sala

CINEMA IMAX 13h, 15h50, 18h40, 21h35, 00h30


Cinemas Nos Vasco da Gama
Parque das Nações. T. 16996
3 Rostos
O Professor e o Louco 12h40, 15h40,
Lisboa 24h; Vingadores: Endgame M12. 13h30,
Cinema City Alvalade 17h30, 21h50, 23h30; Pokémon: Detective
Av. de Roma, nº 100. T. 218413040
FESTin - Festival de Cinema Itinerante da
Língua Portuguesa 17h30, 19h30, 21h30;
Pikachu M12. 13h20, 16h (V.Port./2D), 18h20,
21h30, 23h50 (V.Orig./2D); The Beach Bum:
A Vida Numa Boa M16. 13h, 15h30, 18h,
Em estreia
lazer@publico.pt
Dumbo M6. 15h20 (V.Port./2D); A Incrível 21h; John Wick 3 - Implacável M16. 12h50,
História do Carteiro Cheval M12. 17h50; 15h50, 18h40, 21h30, 00h20; Juntos Para
Vingadores: Endgame M12. 15h40, 21h20; Sempre 2 13h40, 16h30, 19h, 21h40, 00h10
Até Que o Porno Nos Separe M16. 13h40, Nimas
3 Rostos Huston. EUA. 2019. m. Thriller, Mercier, Quentin Dolmaire,
21h40; Mary e a Flor da Feiticeira M6. 13h30 Av. 5 Outubro, 42B. T. 213574362 De Jafar Panahi. Com Behnaz Acção. M16. Louise Chevillotte. FRA/ALE/
(V.Port./2D); Uma Traição Necessária M12. Agradar, Amar e Correr Depressa M16. Jafari, Jafar Panahi, Marziyeh Com a cabeça a prémio, John Wick ISR. 2019. 123m. Drama. M14.
13h20, 15h30, 17h40, 19h40, 21h50; Hotel 13h30; Sinónimos M14. 19h10; Em Chamas Rezaei. Irão. 2018. 100m. Drama. torna-se alvo de todo o tipo de Chegado de Israel para fugir a um
Império 19h55; Um Acto de Fé M12. 13h, M14. 16h15, 21h30
M14. assassinos. Com um certo prazer país que diz “estar condenado“,
15h15; Mar M12. 19h10; UCI Cinemas - El Corte Inglés
Cinema Ideal Av. Ant. Aug. Aguiar, 31. A actriz iraniana Behnaz Jafari no risco, volta a ser a impiedosa Yoav procura reinventar-se. Com
Rua do Loreto, 15/17. T. 210998295 3 Rostos M14. 14h05, 16h35, 19h10, 21h30; recebe um vídeo de uma jovem a máquina de matar que o mundo um ligeiro sotaque, uma gramática
3 Rostos M14. 14h15, 16h10, 19h30; Hotel O Professor e o Louco 13h30, 16h10, 18h50, quem a família proibiu de estudar. dos marginais em tempos arcaica e um dicionário no bolso,
Império 18h; Em Chamas M14. 21h20 21h35, 00h20; Solum 23h50; Snu M12.
O seu maior desejo é entrar no conheceu, desencadeando uma vai percorrendo as ruas de Paris
CinemaCity Campo Pequeno 19h05; A Incrível História do Carteiro
Centro de Lazer. T. 217981420 Cheval M12. 14h10, 16h10; Vingadores: Conservatório de Teatro de Teerão batalha sem precedentes com uma entoando palavras.
O Professor e o Louco 15h15, 19h35, 22h, Endgame M12. 13h30, 21h45; O Dia a e acha que, uma vez que a família única Ænalidade: a sobrevivência.
00h25; Snu M12. 17h40; Dumbo M6. 13h35 Seguir 16h20; Operação Hummingbird gosta muito dos Ælmes de Jafari,
(V.Port./2D); Cai na Real, Corgi M6. 13h15, M12. 00h05; Uma Traição Necessária M12. talvez ela os consiga convencer a Juntos Para Sempre 2 Uma Família no Ringue
15h40 (V.Port./2D) ; Vingadores: Endgame 13h55, 16h25, 19h, 21h30, 00h05; Ruben
M12. 15h45, 18h40, 21h25, 23h55; Seduz-me Brandt, Coleccionador 00h10; Seduz-me
deixá-la prosseguir os estudos. De Gail Mancuso. Com Betty De Stephen Merchant. Com
Se És Capaz M12. 21h30 ; Pokémon: Se És Capaz M12. 13h40, 16h25, 19h05, Gilpin, Dennis Quaid, Jake Dwayne Johnson, Lena Headey,
Detective Pikachu M12. 13h10, 15h35, 21h40, 00h20; Hotel Império 16h40, 21h20, Aladino e o Tapete Mágico Manley, Ian Chen. EUA. 2019. Vince Vaughn. EUA/GB. 2019.
17h50, 19h15 (V.Port./2D), 13h10, 15h20, 23h45; Lucia Cheia de Graça M12. 15h50, De Karsten Kiilerich. Com Fam. 108m. Comédia Dramática. M12.
17h35, 19h40, 21h55, 00h15 (V.Orig./2D); 18h50; Sinónimos M14. 13h35, 16h20, 19h,
The Beach Bum: A Vida Numa Boa M16. 21h40, 00h25; Pokémon: Detective
Vibeke Dueholm (Voz), Peter Ao longo de múltiplas Há décadas que os Knight
19h50, 00h25; John Wick 3 - Implacável Pikachu M12. 14h15, 16h45, 19h15 (V. Frödin (Voz), Erik Holmey (Voz). encarnações, a alma canina de participam em lutas de
M16. 13h10, 15h50, 18h30, 21h15, 21h45, Port./2D), 21h35, 24h (V.Orig./2D); The DIN. 2018. 81m. Animação. Bailey cruzou-se com várias “wrestling“ organizadas na cidade
24h; Extremamente Perverso, Beach Bum: A Vida Numa Boa M16. 19h20, Oriundo de uma família de pessoas. O primeiro dono de que de Norwich, Inglaterra. Ricky e
Escandalosamente Cruel e Vil M12. 13h30, 00h25; Um Acto de Fé M12. 13h45, 16h30,
alfaiates, Aladino sonha conhecer se recorda é Ethan, um rapazinho Julia, os progenitores, ensinam
15h30, 17h40, 19h40, 22h10, 00h30; Juntos 21h50; Vida por Vida M14. 16h30, 21h35;
Para Sempre 2 13h10, 15h20, 17h30, 21h50, Velhos Jarretas M12. 13h35, 16h15, 21h40; o mundo. Quando o pai decide com quem teve uma ligação muito tudo o que sabem aos Ælhos, Raya
00h10; John Wick 3 - Implacável M16. 13h30, que chegou o momento de especial e que teve a sorte de e Zak. Um dia, os adolescentes são
Cinemas Nos Alvaláxia 16h10, 18h50, 21h30, 00h10; Extremamente esquecer os seus desejos e reencontrar anos mais tarde. O convidados para uma audição
Estádio José Alvalade. T. 16996 Perverso, Escandalosamente Cruel e Vil
aprender a proÆssão dos seus tempo passou e Ethan é agora avô para o WWE, nos EUA, onde
Solum 19h05; Capitão Marvel M12. 21h15; M12. 14h, 16h40, 19h15, 21h45, 00h15;
Cai na Real, Corgi M6. 13h40, 15h55, 18h10 Mar M12. 13h45, 19h; ancestrais, o rapaz foge. A ajudá-lo de Clarity, uma menina doce que encontram a oportunidade por
(V.Port./2D); Vingadores: Endgame M12. está um vizinho que lhe empresta ilumina a vida de todos à sua volta. que esperaram para mostrar o que
13h05, 16h50, 18h50, 20h45; A Maldição da um tapete capaz de voar. valem.
Mulher Que Chora M16. 13h50, 16h10,
Almada
Mar
18h25, 21h; Seduz-me Se És Capaz M12. Cinemas Nos Almada Fórum
13h10, 16h, 18h45, 21h30; Sinónimos M14. Estr. Caminho Municipal, 1011. T. 16996
Em Chamas De Margarida Gil. Com Maria de Uma Traição Necessária
13h20, 16h15, 21h25; O Intruso M16. 20h50; O Professor e o Louco 12h55, 16h05, 21h25, De Lee Chang-Dong. Com Ah-In Medeiros, Pedro Cabrita Reis, De Trevor Nunn. Com Alfie Allen,
Pokémon: Detective Pikachu M12. 13h45, 00h20; Vingadores: Endgame M12. 12h30, Yoo, Steven Yeun, Jong-Seo Jun. Catarina Wallenstein, Nuno Kim Allen, Stephen Boxer, Judi
16h25 (V.P./2D), 18h55, 21h25 (V.O./2D); Um 16h30, 20h30, 23h30; Seduz-me Se És Coreia do Sul. 2018. 148m. Lopes, Augusto Amado, Dinis Dench. GB. 2018. 101m.
Acto de Fé M12. 13h30, 16h15, 18h55, 21h30; Capaz M12. 12h45, 15h40, 18h40, 21h40,
Uma Família no Ringue M12. 13h35, 16h05, 00h30; Hotel Império 19h; O Intruso M16.
Drama, Suspense. M14. Gomes, Marcello Urgeghe. POR. Biografia. M12.
18h40, 21h20; John Wick 3 - Implacável 21h45, 00h15; Pokémon: Detective Um drama com toques de 2018. 103m. Drama. M12. Em 1938, Joan Stanley estudava
M16. 13h10, 16h, 18h50, 21h40; Juntos Para Pikachu M12. 13h30, 16h, 18h30 (V. mistério, com assinatura do Para dar uma volta à sua vida, Física da Universidade de
Sempre 2 13h15, 15h50, 18h30, 21h10; Port./2D), 21h, 23h40 (V.Orig./2D); The sul-coreano Lee Chang-Dong, que Francisca embarca no veleiro “À Cambridge. Apaixonada por um
Godzilla II: Rei dos Monstros 14h, 16h30, Beach Bum: A Vida Numa Boa M16. 18h55
se inspira no conto “Os Celeiros Flor do Mar“ para seguir a rota dos colega com ligações ao
19h, 21h45; Aladino e o Tapete Mágico ; Um Acto de Fé M12. 12h50, 15h30, 20h50,
13h25, 15h40, 18h (V.Port./2D) 00h25; Vida por Vida M14. 18h10; Velhos Incendiados“, incluído na descobridores portugueses do comunismo, acabou por ser
Cinemas Nos Amoreiras Jarretas M12. 13h, 15h15, 17h30, 19h40, compilação “O Elefante século XVI. Está determinada a recrutada pelo KGB. Depois de
Av. Eng. Duarte Pacheco. T. 16996 21h50, 00h05; Uma Família no Ringue M12. Evapora-se“, da autoria do saborear cada momento da décadas a passar segredos de
O Professor e o Louco 12h40, 15h20, 18h10, 13h15, 15h55, 18h35, 21h10, 23h50; John
japonês Haruki Murakami. viagem e, no processo, Estado à Rússia, é descoberta pelo
21h, 00h20; Vingadores: Endgame M12. Wick 3 - Implacável M16. 12h20, 15h20,
13h, 16h50, 20h40, 23h45; Uma Traição 18h20, 21h20, 00h20; Extremamente reencontrar-se. MI5 e levada para interrogatório,
Necessária M12. 13h30, 15h50, 21h30, Perverso, Escandalosamente Cruel e Extremamente Perverso, deixando em choque todos os que
23h50; Hotel Império 13h10, 15h30, 17h40, Vil M12. 13h10, 15h45, 18h25, 20h55, Escandalosamente Cruel e Vil O Que Me Ficou da Revolução a conheciam.
19h45, 22h, 00h10; Pokémon: Detective 23h35; Juntos Para Sempre 2 13h40, 16h15, De Joe Berlinger. Com Lily De Judith Davis. Com Judith
Pikachu M12. 13h20, 15h40 (V.P./2D), 21h20, 18h50, 21h35, 00h10; Mar M12. 13h45,
00h05 (V.Orig./2D); Vida por Vida M14. 16h20, 21h15, 23h45; Aladino e o Tapete
Collins, Zac Efron, Angela Davis, Malik Zidi, Claire Dumas. Velhos Jarretas
18h20; Velhos Jarretas M12. 12h50, 15h10, Mágico 12h40, 15h10, 17h20, 19h30; John Sarafyan. EUA. 2019. 108m. FRA. 2018. 88m. Comédia. De Christophe Duthuron. Com
17h20, 19h30, 21h45, 24h; Mar M12. 13h40, Wick 3 - Implacável M16. Sala 4DX - 13h20, Drama, Biografia. M12. De coração revolucionário, Angèle Pierre Richard, Eddy Mitchell,
16h10, 18h40, 21h10, 23h30 16h, 18h50, 21h30, 00h10 Com realização de Joe Berlinger - acha que nasceu na época errada. Roland Giraud. FRA. 2018. 89m.
Cinemas Nos Colombo
Av. Lusíada. T. 16996
que, em Janeiro de 2019, lançou na A altura certa seria quando o Comédia. M12.
Vingadores: Endgame M12. 12h50, 16h40,
Amadora NetÇix a série documental mundo assistia às grandes Os septuagenários Pierrot, Mimile
20h30, 00h20; Operação Hummingbird CinemaCity Alegro Alfragide “Conversas com Um Assassino: As revoluções e as pessoas saíam à e Antoine são amigos de infância.
M12. 18h10; Seduz-me Se És Capaz M12. C.C. Alegro Alfragide. T. 214221030 Gravações de Ted Bundy“ -, este é rua para mostrar o seu Antes de morrer, a mulher de
12h40, 15h40, 21h20, 00h10; O Intruso M16. O Professor e o Louco 13h10, 15h35, 22h10;
um “thriller“ biográÆco sobre o descontentamento. Nascida no Antoine resolveu escrever-lhe
13h40, 16h10, 18h50, 21h50, 00h15; Solum 00h20; Dumbo M6. 15h15, 17h35 (V.
Pokémon: Detective Pikachu M12. 13h30, Port./2D), 19h55 (V.Orig./2D); Cai na Real, mesmo criminoso, que segue a seio de uma família de ex-activistas uma carta onde revela uma
16h (V.Port./2D), 18h20, 20h40, 23h30 (V. Corgi M6. 15h10 (V.Port./2D); After M14. autobiograÆa publicada pela políticos, ainda lhe é mais difícil relação extraconjugal.
Orig./2D); Vida por Vida M14. 18h30; Uma 19h55; A Grande Viagem M6. 18h (V. namorada, Liz Kendall. vê-los a ter uma atitude de Enraivecido, o velho senhor pega
Família no Ringue M12. 13h05, 15h30, 18h, Port./2D); Vingadores: Endgame M12. aceitação perante tudo o que está na sua espingarda e parte em
20h50, 23h50; John Wick 3 - Implacável 15h30, 17h30, 18h20, 21h, 21h35, 23h50; A
M16. 12h30, 15h20, 18h10, 21h05, 24h; Maldição da Mulher Que Chora M16. John Wick 3 - Implacável errado. direcção à Toscânia (Itália), onde
Extremamente Perverso, 00h35; Parque das Maravilhas M6. 13h20 De Chad Stahelski. Com Keanu tenciona encontrar o seu rival. Os
Escandalosamente Cruel e Vil M12. 13h25, (V.Port./2D); Mr. Link M6. 13h15 (V.Port./2D) Reeves, Ian McShane, Asia Kate Sinónimos outros dois resolvem seguir-lhe os
16h20, 19h, 21h40, 00h25; Juntos Para ; Seduz-me Se És Capaz M12. 22h; O Dillon, Halle Berry, Anjelica De Nadav Lapid. Com Tom passos.
Sempre 2 13h20, 15h55, 18h25, 21h10, Intruso M16. 21h50, 00h30; Pokémon:
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 41

SAIR

Detective Pikachu M12. 13h35, 15h50,


17h10, 19h25 (V.Port./2D), 13h20, 15h25,
17h40, 19h30, 21h50, 00h05 (V.Orig./2D)
Vida por Vida M14. 13h10, 19h, 00h25;
TEATRO FARMÁCIAS
John Wick 3 - Implacável M16. 13h35, 16h15, Lisboa
18h30, 21h10, 21h40, 24h; Extremamente
Lisboa Serviço Permanente
Conde Barão - Calçada Marquês de Abrantes,
Perverso, Escandalosamente Cruel e Lisboa 36 A - Tel. 213964238 Marques (Benfica - Igreja)
Vil M12. 13h40, 16h, 19h45, 21h55, 00h15; FIMFA Lx19 - Festival Internacional de - Estrada de Benfica, 648 - Tel. 217600096 dos
Juntos Para Sempre 2 13h10, 15h20, 19h20, Marionetas e Formas Animadas De 9/5 a Navegantes (Santa Maria dos Olivais) - Av. D.
21h30, 24h; Aladino e o Tapete Mágico 26/5. Todos os dias. 19.ª edição. Em vários João II, Lote 1.03.2.1 C - Tel. 218945574
15h40, 17h30 (V.Port./2D) locais da cidade. Informações: 212427621. Outras Localidades
UCI Dolce Vita Tejo Teatro Armando Cortez Serviço Permanente
Estrada Nacional 249/1, Venteira. Estrada da Pontinha, 7. T. 217110890 Abrantes - Silva Tavares (Alferrarede)
Solum 19h15; Dumbo M6. 13h40, 16h15 (V. Monólogos da Vagina Enc. Paulo Sousa Alandroal - Santiago Maior , Alandroalense
Port./2D); Cai na Real, Corgi M6. 14h15, Costa. De 21/3 a 2/6. 5ª a Sáb às 21h30. Dom Albufeira - Santos Pinto Alcácer do Sal -
Misericórdia Alcanena - Ramalho Alcobaça -
16h30 (V.Port./2D); A Grande Viagem M6. às 18h. M/12. Duração: 1h10. Campeão Alcochete - Nunes , Póvoas
14h (V.Port./2D); Vingadores: Endgame Teatro da Politécnica (Samouco) Alcoutim - Caimoto Alenquer -
M12. 13h30, 17h30, 19h30, 21h30; Parque Rua da Escola Politécnica, 56. T. 961960281 Varela Aljustrel - Dias Almada - Rainha Santa
das Maravilhas M6. 14h30, 16h45 (V. Purificados Enc. Gonçalo Carvalho.De 8/5 (Cova da Piedade) Almeirim - Mendonça
Almodôvar - Aurea Alpiarça - Aguiar Alter do
Port./2D); Seduz-me Se És Capaz M12. a 18/5. 3ª e 4ª às 19h. 5ª e 6ª às 21h. Sáb às
Chão - Alter , Portugal (Chança) Alvaiázere -
16h20, 19h, 21h40; O Intruso M16. 21h50; 16h e 21h. M/16. Ferreira da Gama , Castro Machado (Alvorge),
Pokémon: Detective Pikachu M12. 13h55, Teatro da Trindade Pacheco Pereira (Cabaços), Anubis (Maçãs D.
16h20, 18h40 (V.P./2D), 21h25 (V.O./2D); Vida Largo da Trindade, 7A. T. 213420000 Maria) Alvito - Nobre Sobrinho Amadora -
por Vida M14. 13h50, 16h35, 21h35; Uma 3Gods Enc. Rui Neto. De 9/5 a 16/6. 4ª a Sáb Jardim , Soares Correia Ansião - Medeiros
(Avelar) , Pires (Santiago da Guarda) Arraiolos -
Família no Ringue M12. 13h45, 16h20, 19h, às 21h30. Dom às 17h. Romeu e Julieta Vieira Arronches - Batista , Esperança
21h45; John Wick 3 - Implacável M16. Comuna Teatro de Pesquisa. Enc. João (Esperança/Arronches) Arruda dos Vinhos - Da
13h25, 16h10, 18h55, 21h40; Guerra Sem Mota. De 17/4 a 9/6. 4ª a Sáb às 21h. Dom às Misericórdia Avis - Nova de Aviz Azambuja -
Quartel M18. 19h, 21h25; Juntos Para 16h30. M/12. Miranda , Peralta (Alcoentre), Ferreira Camilo
Sempre 2 14h10, 16h55, 19h20, 21h50; Teatro Municipal São Luiz (Manique do Intendente) Barrancos -
Barranquense Batalha - Moreira Padrão , Silva
Aladino e o Tapete Mágico 14h15, 16h45, R. António Maria Cardoso, 38. T. 213257650 Fernandes (Golpilheira) Beja - Fonseca
19h10 (V.Port./2D) 19h15; John Wick 3 - Implacável M16. 16h, 24h; Extremamente Perverso, Xtròrdinário Comp.: Teatro Praga. De 10/5 a Belmonte - Costa , Central (Caria) Benavente -
18h40, 21h30; Extremamente Perverso, Escandalosamente Cruel e Vil M12. 13h30, 18/5. 2ª a Sáb às 21h. Dom às 17h30. Miguens Bombarral - Franca Borba - Central
Escandalosamente Cruel e Vil M12. 15h10, 15h50, 19h45, 22h, 00h20; Juntos Para Teatro Nacional D. Maria II Cadaval - Misericórdia Caldas da Rainha -
Cascais 19h25, 21h40; Juntos Para Sempre 2 15h30, Sempre 2 13h15, 15h25, 17h35, 21h55, Praça Dom Pedro IV. T. 800213250 Freitas Campo Maior - Central Cartaxo - Abílio
Guerra Cascais - Do Rosário , Vilar
Cinemas Nos CascaiShopping 17h40, 22h; Aladino e o Tapete Mágico 00h15; Aladino e o Tapete Mágico 13h50, Um Outro Fim para a Menina Júlia Enc. (Carcavelos) Castelo Branco - Ferrer Castelo
CascaiShopping-EN 9. T. 16996 15h40, 17h50 (V.Port./2D) 15h40, 17h35 (V.Port./2D); Vida por Vida Tiago Rodrigues. De 3/4 a 23/5. 4ª e 5ª às 19h de Vide - Roque Castro Verde - Alentejana
A Grande Viagem M6. 13h30 (V.P./2D); Cineplace - Leiria Shopping M14. 00h25 Teatro Villaret Chamusca - Joaquim Maria Cabeça
Vingadores: Endgame M12. 12h40, 16h20, CC Leiria Shopping, IC2. T. 244826516 Av. Fontes Pereira Melo, 30A. T. 213538586 Constância - Vila Farma Constância ,
Carrasqueira (Montalvo) Coruche -
20h, 23h40; Seduz-me Se És Capaz M12. Vingadores: Endgame M12. 14h30, 21h30 Casal da Treta Enc. Sónia Aragão. De 25/4 a
13h10, 16h10, 21h, 23h50; Pokémon: (2D), 18h (3D); Parque das Maravilhas M6.
Seixal 30/6. 5ª a Sáb às 21h30. Dom às 17h. M/12.
Misericórdia Covilhã - Santana (Boidobra)
Cuba - Da Misericórdia Elvas - Sousa
Detective Pikachu M12. 12h50, 15h10 (V. 15h (V.P./2D); Sinónimos M14. 19h, 21h30; Cineplace - Seixal Entroncamento - Almeida Gonçalves
P./2D), 17h40, 20h40, 23h10 (V.O./2D); The Pokémon: Detective Pikachu M12. 15h10, Qta. Nova do Rio Judeu. Estremoz - Godinho Évora - Branco Faro -
Almeida , Da Penha Ferreira do Alentejo -
Beach Bum: A Vida Numa Boa M16. 18h55;
Uma Família no Ringue M12. 13h20, 16h,
18h30, 21h20, 23h50; John Wick 3 -
17h20 (V.P./2D), 19h30, 21h40 (V.O./2D); Um
Acto de Fé M12. 21h10; Vida por Vida M14.
21h20; Velhos Jarretas M12. 15h, 17h; Uma
Vingadores: Endgame M12. 14h30, 21h30
(2D), 18h (3D); Parque das Maravilhas M6.
15h25, 17h25 (V.Port./2D); Uma Traição
MÚSICA Salgado Ferreira do Zêzere - Graciosa , Soeiro,
Moderna (Frazoeira/Ferreira do Zezere)
Figueiró dos Vinhos - Campos (Aguda) ,
Implacável M16. 12h30, 15h20, 18h15, 21h10, Família no Ringue M12. 17h, 19h20, 21h40; Necessária M12. 15h, 19h35; Pokémon: Vidigal Fronteira - Costa Coelho Fundão -
00h05; Juntos Para Sempre 2 13h, 15h30, John Wick 3 - Implacável M16. 16h, 18h40, Detective Pikachu M12. 15h10, 17h20 (V.
Lisboa Taborda Gavião - Mendes (Belver) , Pimentel
Golegã - Lusitano Grândola - Pablo
18h, 20h50, 23h20 John Wick 3 - 21h20; Juntos Para Sempre 2 16h40, 19h; Port./2D), 19h30, 21h40 (V.Port./2D); The Centro Cultural de Belém
Idanha-a-Nova - Andrade (Idanha A Nova)
Implacável M16. Sala IMAX 13h, 15h40, Aladino e o Tapete Mágico 15h40, 17h30, Beach Bum: A Vida Numa Boa M16. 21h50; Praça do Império. T. 213612400 Lagoa - Lagoa Lagos - Telo Loulé - Pinto
18h40, 21h30, 00h20 19h20 (V.Port./2D) Uma Família no Ringue M12. 17h20, 21h50; Entre Madeiras Trio Dia 16/5 às 19h (Sala Loures - Paula de Campos (Portela) , Barreiros
O Cinema da Villa - Cascais John Wick 3 - Implacável M16. 16h10, 18h50, Sophia de Mello Breyner Andresen). Faria (Santo António dos Cavaleiros) Lourinhã
Avenida Dom Pedro I, Lote 1/2 (CascaisVilla 21h30; Extremamente Perverso, Culturgest - Correia Mendes (Moita dos Ferreiros) , Leal
Shopping Center). T. 215887311
Loures Escandalosamente Cruel e Vil M12. 19h20, Rua Arco do Cego - CGD. T. 217905155
(Rio Tinto) Mação - Saldanha Mafra -
Ericeirense (Ericeira) , Barros (Igreja Nova)
3 Rostos M14. 13h25, 17h15, 19h20; O Cineplace - Loures Shopping 21h40; Guerra Sem Quartel M18. 21h50; The Necks Dia 16/5 às 21h. Marinha Grande - Duarte Marvão - Roque
Professor e o Louco 15h30, 21h25; Quinta do Infantado, Loja A003. Juntos Para Sempre 2 15h, 17h15, 19h30; Galeria Zé dos Bois Pinto Mértola - Nova de Mértola Monchique -
Vingadores: Endgame M12. 18h; Uma Vingadores: Endgame M12. 14h30, 21h30 Aladino e o Tapete Mágico 14h30, 16h20, Rua da Barroca, 59. T. 213430205 Moderna Monforte - Jardim Montijo - União
Traição Necessária M12. 15h, 17h10, 19h20, (2D), 18h (3D); Parque das Maravilhas M6. 18h10, 20h (V.Port./2D) Eiko Ishibashi Dia 16/5 às 22h. Mutualista Mora - Canelas Pais (Cabeção) ,
Falcão, Central (Pavia) Moura - São Miguel
21h30; Hotel Império 13h45, 15h30, 21h30; 15h (V.Port./2D); Pokémon: Detective Hot Clube de Portugal Mourão - Central Nazaré - Sousa , Maria
Pokémon: Detective Pikachu M12. 14h30 (V. Pikachu M12. 15h10, 17h20 (V.Port./2D), Praça da Alegria, 48. T. 213619740
P./2D), 19h10 (V.O./2D); Vida por Vida M14. 19h30, 21h40 (V.Orig./2D); The Beach Bum:
Faro Alberto Conde Iberian Roots Trio Dia 16/5
Orlanda (Sitio da Nazaré) Nisa - São Damião
Óbidos - Vital (Amoreira/Óbidos) , Senhora da
16h50, 21h20; John Wick 3 - Implacável A Vida Numa Boa M16. 19h; Um Acto de Cinemas Nos Fórum Algarve às 22h30 e 24h. Ajuda (Gaeiras), Oliveira Odivelas - Codivel ,
Famões Oeiras - Sacoor de St. Amaro de
M16. 13h40, 16h15, 18h50, 21h25; Fé M12. 16h30; Vida por Vida M14. 21h10; C. C. Fórum Algarve. Lux Frágil
Oeiras Oleiros - Martins Gonçalves (Estreito -
Uma Família no Ringue M12. 19h20, T. 289887212 Av. Infante D. Henrique. T. 218820890 Oleiros) , Garcia Guerra, Xavier Gomes
21h40; John Wick 3 - Implacável M16. 16h, O Intruso M16. 16h30, 23h20; Pokémon: Fred Dia 16/5 às 23h.
Sintra 18h40, 21h20; Extremamente Perverso, Detective Pikachu M12. 13h, 15h15, 17h30 (V. Teatro Nacional de São Carlos
(Orvalho-Oleiros) Olhão - Rocha Ourém -
Verdasca Ourique - Nova (Garvão) ,
Cinema City Beloura Escandalosamente Cruel e Vil M12. 17h, Port./2D), 19h45, 22h (V.Orig./2D); Vida por Largo de São Carlos, 17. T. 213253045 Ouriquense Pedrógão Grande - Baeta Rebelo
Penamacor - Nova Peniche - Proença Pombal
Beloura Shopping, R. Matos Cruzadas, EN 9, 21h30; Guerra Sem Quartel M18. 21h50; Vida M14. 13h20, 15h50, 18h35; John Wick 3 QuintetoDia 16/5 às 18h30. - Torres e Correia Lda. Ponte de Sor - Varela
Quinta da Beloura II, Linhó. T. 219247643 Juntos Para Sempre 2 16h50, 19h15; - Implacável M16. 12h50, 15h40, 18h25, Dias Portalegre - Elvas Portel - Misericordia
O Professor e o Louco 19h10, 21h45 Dumbo Aladino e o Tapete Mágico 16h20, 19h10, 21h20, 00h10; Juntos Para Sempre 2 13h10, Portimão - Amparo Porto de Mós - Lopes
M6. 17h30 (V.O./2D); Vingadores: Endgame 20h (V.Port./2D) 15h30, 18h15, 21h, 00h20;
Setúbal Proença-a-Nova - Roda , Daniel de Matos
M12. 15h40, 17h25, 21h20; Mr. Link M6. Fórum Municipal Luísa Todi (Sobreira Formosa) Redondo - Holon Redondo
Reguengos de Monsaraz - Moderna Rio Maior
15h30 (V.P./2D) ; Uma Traição Necessária Avenida Luísa Todi, 65. T. 265522127
M12. 15h30, 17h40, 19h40, 21h40; Pokémon:
Setúbal Albufeira Miguel Araújo Dia 16/5 às 21h30.
- Central Salvaterra de Magos - Costa (Foros
de Salvaterra/Salvaterra de Magos) Santarém
Detective Pikachu M12. 15h50, 17h35, 21h25 Auditório Charlot Cineplace - AlgarveShopping - Verissimo Santiago do Cacém - Corte Real
(V.P./2D), 15h25, 18h30, 19h30, 21h45 (V. Av. Dr. António Manuel Gamito, 11. Estrada Nacional 125 - Vale Verde. Sardoal - Passarinho Seixal - Silva Carvalho
Serpa - Central Sertã - Patricio , Farinha
O./2D); Um Acto de Fé M12. 19h50, 22h10;
John Wick 3 - Implacável M16. 16h, 18h40,
21h30; Juntos Para Sempre 2 15h20, 19h40,
T. 265522446
Agradar, Amar e Correr Depressa M16.
18h; Em Chamas M14. 21h30
Vingadores: Endgame M12. 14h30, 18h,
21h30; Parque das Maravilhas M6. 15h (V.
Port./2D); Uma Traição Necessária M12.
DANÇA (Cernache do Bonjardim) Sesimbra - Lopes
Setúbal - Carmo Sobral , Louro Silves - Dias
Neves , Guerreiro Sines - Monteiro Telhada
21h50; Aladino e o Tapete Mágico 15h35, Cinema City Alegro Setúbal 19h, 21h20; Sinónimos M14. 16h30; O (Porto Covo) , Central Sintra - Guerra Rico
17h40 (V.Port./2D) C. C. Alegro Setúbal. T. 265239853 Intruso M16. 19h10; Pokémon: Detective
Lisboa (Agualva) , Pinto Leal (Queluz), Simões Sobral
Monte Agraço - Moderna Sousel - Mendes
O Professor e o Louco 19h25; Solum Pikachu M12. 15h10, 17h20 (V.Port./2D), Teatro Camões Dordio (Cano) , Andrade Tavira - Maria Aboim
13h50; Vingadores: Endgame M12. 15h35, 19h30, 21h40 (V.Orig./2D); The Beach Bum: Parque das Nações. T. 218923470
Leiria 16h, 17h30, 18h30, 21h, 21h30, 23h55; A A Vida Numa Boa M16. 21h50; Um Acto de Annette, Adele, e Lee + Madrugada
Tomar - Dias Costa Torres Novas - Lima Torres
Vedras - do Choupal Vendas Novas - Nova
Cinema City Leiria Maldição da Mulher Que Chora M16. Fé M12. 16h20, 21h10; Uma Família no Companhia Nacional de Bailado. Coreog. Viana do Alentejo - Viana Vidigueira - Costa
R. Dr. Virgílio Vieira da Cunha. T. 244845071 00h30; Mr. Link M6. 13h20 (V.P./2D); Seduz- Ringue M12. 16h50, 19h30, 21h50; John Rui Lopes Graça e Victor Hugo Pontes. De Vila de Rei - Silva Domingos Vila Franca de
Xira - Nova Alverca , Romeiras (Forte da Casa),
Solum 20h; A Grande Viagem M6. 17h40 (V. me Se És Capaz M12. 21h50; O Intruso M16. Wick 3 - Implacável M16. 16h10, 18h50, 16/5 a 19/5. 5ª e 6ª às 21h. Sáb às 18h30. Dom Roldão Vila Nova da Barquinha - Tente
Port./2D); Vingadores: Endgame M12. 15h25, 17h25, 00h25; Pokémon: Detective 21h30; Extremamente Perverso, às 16h. (Atalaia) , Carvalho (Praia do Ribatejo), Oliveira
15h45, 17h30, 21h, 21h35; Seduz-me Se És Pikachu M12. 13h15, 15h30, 17h45, 19h30, Escandalosamente Cruel e Vil M12. 17h, Teatro Municipal São Luiz Vila Real de Santo António - Carrilho Vila
Capaz M12. 21h55; O Intruso M16. 19h50; 21h45 (V.Port./2D), 13h15, 15h20, 19h25, 19h20, 21h40; Guerra Sem Quartel M18. R. António Maria Cardoso, 38. T. 213257650 Velha de Rodão - Pinto Vila Viçosa - Monte
Alvito - Baronia Ansião - Moniz Nogueira
Pokémon: Detective Pikachu M12. 15h20, 21h40, 00h05 (V.Orig./2D); Vida por Vida 22h; Juntos Para Sempre 2 15h, 17h20, A Importância de Ser Georges Bataille
Lisboa - Sacoor do Chiado Montemor-o-Novo
17h35 (V.Port./2D), 15h35, 17h20, 19h40, M14. 13h15, 19h10; John Wick 3 - Implacável 19h40; Aladino e o Tapete Mágico 14h30, Coreog. Miguel Bonneville. De 14/5 a 19/5. - Sepúlveda Redondo - Alentejo
21h50 (V.Orig./2D); Vida por Vida M14. M16. 13h10, 15h55, 18h50, 21h20, 21h45, 16h20, 18h10, 20h (V.Port./2D) 3ª a Sáb às 21h. Dom às 17h30.
42 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

FICAR

lidera uma busca pelo “paciente


CINEMA Os mais vistos da TV RTP1 13,7%
% zero” para o desenvolvimento de
uma vacina. Mas The Professor
Terça, 14 de Maio
Guardiãs do Túmulo
Cinemundo, 21h Valor da Vida II
% Aud. Share
TVI 12,1 24,9
RTP2 1,2 (Stanley Tucci) vai mostrar-lhe que
o vírus está a evoluir. Terror por
Durante uma escavação no deserto,
um jovem arqueólogo descobre o
Jornal da Noite SIC 9,7 22,1 SIC 20,8 Stefan Ruzowitzky.

TVI
Festival Eurovisão... RTP1 9,5 21,2
túmulo de um grande imperador
chinês mumificado no ano 200 a.C.
Televisão Quem quer namorar... SIC 9,3 28,0 16,9
DOCUMENTÁRIO
Cabo
lazer@publico.pt Alma e Coração SIC 9,1 20,9
que, para seu espanto, aparenta ter
FONTE: CAEM
34,9
morrido com mais de 300 anos de Brisa Solar
idade. O que ele não sabe é que, ao RTP2, 23h16
abrir a tumba, libertou uma terrível RTP 1 TVC1 17.16 Chicago P.D. 18.49 Hawai Força Mini-série documental, realizada
maldição adormecida durante mais 6.30 Bom Dia Portugal 10.00 Praça da 11.15 Kingsman: O Círculo Dourado Especial 20.29 Investigação Criminal: por José Nascimento e Ana
de dois milénios. Quando imagens Alegria 13.00 Jornal da Tarde 14.10 13.40 15:17 Destino Paris 15.20 O Los Angeles 22.15 Hawai Força Pissarra, que propõe redescobrir o
do seu desaparecimento chegam ao Bem-Vindos a Beirais 15.55 A Nossa Segredo dos Kennedy 17.10 Deadpool 2 Especial 23.05 Investigação Criminal: inevitável parentesco entre
seu grupo de trabalho, uma equipa Tarde 17.30 Portugal em Directo 18.52 19.15 Linhas de Sangue 21.30 Geostorm Los Angeles 0.00 Hawai Força Especial Portugal e Moçambique. Neste
de resgate é enviada ao local. O que Fatura Da Sorte 19.00 Campanha - Ameaça Global 23.20 Um Crime no 1.46 C.S.I. Miami 4.41 Investigação episódio, prossegue-se a viagem
eles ali encontram é um autêntico Eleitoral - Europeias 2019 19.22 O Expresso do Oriente 1.10 Resgate Criminal: Los Angeles em torno do edificado mais
pesadelo: a guardar o corpo do Preço Certo 19.59 Telejornal 21.07 Bilionário 2.55 Carbono 4.35 9 Dedos notável de arquitectura moderna
imperador está um grande ninho Festival Eurovisão da Canção 2019: 2.ª entre Maputo e a Beira.
de perigosas aranhas-teia-de-funil... Semifinal 22.40 5 Para a Meia-Noite FOX LIFE
Um filme de terror de Kimble 1.30 Eléctrico 2.40 Europa Minha 3.01 FOX MOVIES 13.33 Anatomia de Grey 14.18 All for
Rendall. Água de Mar 3.44 Televendas 5.59 11.14 Os Comancheros 12.55 Love 15.47 Inconceivable 17.26 A ENTRETENIMENTO
Manchetes 3 Emboscada 14.25 Os Descendentes Stranger With My Kids 18.55 Lei &
Danos Colaterais (2011) 16.16 O Novo Namorado da Ordem: Unidade Especial 20.35 Festival Eurovisão da Canção
Fox Movies, 21h15 Minha Mãe 17.44 Caminho Para Anatomia de Grey 22.20 New 2019: 2.ª Semifinal
Em apenas alguns segundos, o RTP 2 Perdição 19.32 Stallone Prisioneiro Amsterdam 23.10 No Limite 0.07 Killer RTP1, 21h07
bombeiro Gordy Brewer (Arnold 6.32 Repórter África - 2.ª Edição 7.05 21.15 Danos Colaterais 23.00 Bad Ass Mom 1.45 No Limite 3.35 Anatomia de Em directo de Telavive, e já sem o
Schwarzenegger) perde a família na Espaço Zig Zag 10.46 A Minha Grande 0.27 O Mecânico 2.02 Ninja Assassino Grey 5.02 Lei & Ordem: Unidade português Conan Osiris na corrida
explosão de um edifício causada Aventura 11.10 O Mistério de Greven 3.30 Máquinas de Guerra Especial pela vitória, a segunda semifinal
por um atentado. O ataque é 12.05 Armário 12.34 Biosfera 13.02 recebe os representantes da
reivindicado por The Wolf e visava Chovem Almôndegas 13.16 CJ a DJ Albânia, Arménia, Áustria,
funcionários do consulado 13.30 A Ilha dos Desafios 14.00 CANAL HOLLYWOOD DISNEY Azerbaijão, Croácia, Dinamarca,
colombiano e agentes secretos Sociedade Civil: Alimentação Saudável 10.35 Na Mira do Assassino 12.05 O 15.25 K.C. Agente Secreta 15.47 Holanda, Irlanda, Letónia,
americanos. A mulher e o filho de 15.03 A Fé dos Homens 15.36 Onde Que a Maisie Sabe 13.45 Coisas Acampamento Kikiwaka 16.32 Hotel Lituânia, Macedónia do Norte,
Gordy foram apenas danos Está o Tesouro 16.03 Amur - O d’Homem 15.25 O Exótico Hotel Transilvânia: A Série 16.55 Mickey Malta, Moldávia, Noruega,
colaterais. Mas o bombeiro decide Amazonas da Ásia 16.54 Espaço Zig Marigold 17.30 Fuga 19.45 Pathfinder - Mouse - Edição Especial 17.17 Roménia, Rússia, Suécia e Suíça.
vingar-se e parte para a Colômbia. Zag 19.00 Campanha Eleitoral - O Guerreiro do Novo Mundo 21.30 Entrelaçados: A Série 17.40 A Lei de Além dos apurados nas duas
Acção por Andrew Davis. Europeias 2019 19.17 Espaço Zig Zag Nómada 23.40 Rei Artur 1.50 Java Heat Milo Murphy 18.05 Phineas e Ferb 18.31 semifinais, no dia 18 sobem ao
21.05 A Minha Grande Aventura 21.30 - Alta Tensão 3.35 Ela, Eu e o Outro Patoaventuras 18.55 Star Contra as palco mais seis canções: dos países
Nómada Jornal 2 22.13 Liberdade 23.16 Brisa Forças do Mal 19.20 Gravity Falls 20.07 do grupo Big Five, apurados
Hollywood, 21h30 Solar: Que Não Seja o Medo a Baixar a Miraculous - As Aventuras de Ladybug directamente (Alemanha, França,
Num futuro não muito distante, a Imaginação 0.13 A Agência AXN Itália, Espanha e Reino Unido), e
Terra encontra-se invadida por Clandestina 1.06 Sociedade Civil 2.10 13.10 Mentes Criminosas 13.55 S.W.A. de Israel, na qualidade de país
extraterrestres. Estes seres de outro Euronews 5.44 Bem-Vindos a Beirais T.: Força de Intervenção 16.16 Jogo de DISCOVERY anfitrião do festival.
planeta são uma espécie parasita Risco 17.55 S.W.A.T.: Força de 17.30 Alasca: A Última Fronteira 19.15
que, para sobreviver, mata as Intervenção 20.25 Mentes Criminosas Desmontar a História 21.00 Gas
mentes humanas de maneira a SIC 22.05 Chicago Fire 22.57 Como Monkey Ao Resgate 22.55 Joias Sobre MÚSICA
poder habitar os seus corpos. 6.00 Edição da Manhã 9.10 Alô Defender Um Assassino 23.49 Rodas 0.40 Gas Monkey Ao Resgate
Melanie Stryder (Saoirse Ronan) é Portugal 10.10 O Programa da Cristina Constantine 2.00 Chicago Fire 2.45 2.15 Desmontando o Cosmos 3.00 Eléctrico: Samuel Úria e B Fachada
uma jovem que, apesar de possuída 13.00 Primeiro Jornal 14.15 Linha Babylon A.D. 4.21 Homens de Honra Segredos do Universo Com Morgan RTP1, 1h30
por uma “alma” de nome Aberta 15.15 Amor Maior 16.10 Júlia - Freeman 4.30 Guerra de Leilões Dois músicos com caminhos
Wanderer, o seu espírito é tão Emoções Fortes 18.15 Avenida Brasil Canadá 5.00 Guerra de Propriedades distintos que têm em comum o
poderoso que se recusa a deixar-se 19.00 Tempo de Antena 19.25 Quem AXN BLACK facto de serem ambos duas
morrer. Assim, entre as mentes de Quer Namorar com o Agricultor? - 14.03 Bolgen - Alerta Tsunami 15.44 referências essenciais da última
ambas acontece o improvável: Diário 19.57 Jornal da Noite 21.55 Alma Missão Impossível II 17.41 Mercado de HISTÓRIA década enquanto escritores de
começam a comunicar e a reviver e Coração 23.55 Segundo Sol 0.25 Capitais 19.20 Jogos Mais Perigosos 17.23 Forjado no Fogo 0.20 A História canções em português: Samuel
memórias cruzadas uma da outra. Passadeira Vermelha 1.55 Cartaz 21.14 Apanha-me se Puderes (2002) Secreta da Casa Branca 1.01 A História Úria, um sagaz coleccionador de
Poderá esta singularidade, que Cultural 2.35 Como Isto Anda 3.20 23.32 Justiça Vermelha 1.32 Os Reis do Secreta do Air Force One 1.43 Os palavras, e B Fachada, que pinta
junta duas espécies inimigas, ser a Volante 3.40 Televendas 5.15 Camilo, o Submundo 3.36 Os Anjos de Charlie Lados Ocultos da II Guerra Mundial retratos com as suas músicas.
salvação de toda a Humanidade? De Presidente 4.25 Alienígenas
Andrew Niccol.
AXN WHITE INFANTIL
Paciente Zero TVI 14.34 O Ditador 15.55 Riddick - A ODISSEIA
TVC4, 23h 6.30 Diário da Manhã 10.00 Você na Ascensão 17.52 O Mentalista 19.22 A 18.08 Zâmbia Selvagem 18.57 The Ilha dos Cães (V. Orig.)
Sem tratamento nem cura, um TV! 13.00 Jornal da Uma 14.42 Teoria do Big Bang 21.24 Timeless Explorers: Inventário do Planeta 19.50 TVC2, 10h30
vírus transforma seres humanos em Belmonte 16.15 A Tarde é Sua 19.00 22.09 Predestinado 23.44 Crocodilo Perigo Extremo 20.38 Power 21.30 Em Megasaki, a população canina
violentos predadores. Porém, isso Europeias 2019 19.29 Apanha se Dundee 1.21 Timeless 2.51 Arrow Mega Barcos 22.30 Power 23.21 O atingiu proporções tão alarmantes
não acontece a todos: para Morgan Puderes 19.57 Jornal das 8 21.55 Valor Extraordinário Boeing 787 0.15 Mega que o corrupto presidente da
(Matt Smith), que foi mordido sem da Vida 23.00 A Teia 0.00 Meu Amor Barcos 1.06 Power 1.57 O Extraordinário câmara decidiu isolar os animais
se ter transformado, o vírus que 0.55 Autores - Jorge Paixão da Costa FOX Boeing 787 2.51 A Origem das Coisas numa enorme lixeira isolada. Até
entrou no seu corpo permite-lhe 1.45 Remédio Santo 4.15 Saber Amar 14.10 Hawai Força Especial 15.45 3.13 A Origem das Coisas 3.36 Mega Atari, um rapaz de 12 anos que ali
comunicar com as perigosas 5.00 TV Shop Investigação Criminal: Los Angeles Barcos 4.27 A Origem das Coisas chega determinado a encontrar
criaturas. Com esse trunfo, ele Spots, o seu adorado cão.
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 43

JOGOS

CRUZADAS 10.615 TEMPO PARA HOJE


HORIZONTAIS: 1 - Unha de solípede ou VERTICAIS: 1 - Vedação. Do nariz.
ruminante. Associar. 2 - Deserto. 2 - Terra arenosa. Espécie de rã arboríco-
Prudência. 3 - Quinhentas folhas de pa- la. 3 - Short Message Service. Desviar-se
pel. Astúcia. 4 - Cobalto (s.q.). Rocha ou da razão, do dever, do que é natural ou Viana do Bragança
lugar de onde se arranca pedra. 5 - normal. 4 - Reduzir a um volume menor. Castelo 9º 23º
Aparato. Legar. 6 - Fruto do abieiro. 5 - Poeta e cantor ambulante entre os 12º 18º
Braga
Terceira nota musical. 7 - Preposição que Gregos antigos. Calçado que cobre o pé
10º 21º Vila Real
indica lugar. Mentira. 8 - Escarpa no lito- e parte da perna. 6 - Preposição que desi-
ral originada pela erosão marinha. gna posse. Pé e perna do animal. 16º Porto 10º 20º
Porção da circunferência. 9 - Espécie de 7 - Comer a ceia. A mim. Aqui está. 13º 18º
serra de folha curta e geralmente mais 8 - Crê. Parlamento Europeu. 9 - Salutar.
Viseu
larga numa das extremidades onde se Montar. 10 - Arremessar. Numeração
9º 19º Guarda
adapta um cabo. Forma de complemen- romana (101). 11 - Ir rodando. Tambor 2-2,5m Aveiro
to do pronome eu, sempre precedido de grande tocado na vertical e, em geral, 6º 17º
15º 19º Penhas
preposição. 10 - Fileira. Parede feita com apenas numa das peles com uma baque-
terra argilosa que é lançada nos taipais. ta. Douradas
11 - Lagarta. Trabalho feito de noite, fora Coimbra 4º 17º
do horário normal. Depois do problema resolvido 13º 20º
encontre o título de uma Castelo
Branco
obra de J. P. Delaney (3 palavras).
Leiria 12º 23º
12º 19º

Santarém
Portalegre
Solução do problema anterior: 13º 23º
10º 22º
HORIZONTAIS: 1 - Sequaz. Amei. 2 - ONU. Tormes. 3 - Atador. Pipa. 4 - Ene. Reagir.
5 - TUDO. Rogo. 6 - Ido. No. AL. 7 - MAIO. Ida. 8 - Bisar. NADO. 9 - Exir. Face. 10 - Ganapo. Lisboa
Hora. 11 - Auriga. Ir. 14º 21º
VERTICAIS: 1 - Soa. Bi. Bege. 2 - Ente. DEIXA. 3 - QUANTO. Sina. 4 - Deu. Marau.
5 - Ato. Doar. PR. 6 - Zorro. Foi. 7 - Nona. 8 - Amparo. ACHA. 9 - Meigo. Ideo. Setúbal
10 - ESPIGADO. Ri. 11 - Arola. Bar. 13º 23º Évora
PROVÉRBIO: Quanto Maio acha nado, tudo deixa espigado. 11º 26º
AMANHÃ

17º Beja
Sines
BRIDGE SUDOKU 13º 21º
11º 26º

Dador: Este copas e baldar outro ouro da mão, colo- Problema 2-2,5m
Vul: Todos cando Oeste em mão que, terá de jogar
corte e balda. Contudo, podemos me- 9006 Sagres
lhorar um pouco as nossas hipóteses e Dificuldade: Faro
14º 21º
NORTE jogar para o naipe de copas repartido 15º 31º
3-3, sem condicionalismos. Para tal, te-
Fácil
Ƅ A432 18º
Ɔ A107543 remos de esperar que Oeste tenha o 1-1,5m
trunfo que falta: a Dama. Depois de ter-
Ƈ A73
ƅ- mos feito o Ás de ouros, tiramos o Rei de Açores
copas e jogamos um pequeno trunfo da Corvo
mão. Se Oeste apresentar a Dama res- Graciosa
Terceira
OESTE ESTE peitamo-la! Oeste, sem ouros para jo- Solução do Flores
S. Jorge 15º 20º
ƄQ Ƅ- gar, será obrigado a jogar copas (ou problema 9004 14º 18º
Ɔ Q62 Ɔ J98 paus, para corte e balda), e assim tere-
18º 18º
mos a entrada que nos faltava para apu- Pico
Ƈ2 Ƈ KQ1086
ƅ Q10876532 ƅ AKJ94 rar as copas! Ás de copas e copa corta- 1,5-2m
Faial
da, trunfo para o Ás e baldamos todos
os ouros perdentes da mão, cedendo 15º 19º
2-2,5m S. Miguel
SUL apenas um trunfo!
16º 20º
O golpe em branco com 12 cartas em li-
Ponta
Ƅ KJ1098765 nha é algo muito raro de se ver. 18º Delgada
ƆK 1-1,5m
Ƈ J954 Considere o seguinte leilão:
Madeira Sta Maria
ƅ-
Oeste Norte Este Sul
1Ƅ Porto Santo
X Problema
Oeste Norte Este Sul 1ST passo 2Ƅ X? 17º 22º
9007 20º
1Ƈ 4Ƅ
passo 6Ƅ Todos passam O que significa o último dobre nesta Dificuldade:
sequência?
Difícil Funchal
2-2,5m
Leilão: Qualquer forma de Bridge. 1-1,5m
20º 19º 26º
Quando existem distribuições extrava- Resposta: Um segundo dobre, tendo o
gantes, este tipo de leilão é normal. primeiro sido de chamada, serve essen-
cialmente para mostrar um mão forte e Sol Lua Cheia
Carteio: Saída: 2Ƈ. Qual a melhor forma de distribuição semelhante à que já ha-
via prometido com o dobre de chamada Nascente 06h24
de jogar este cheleme? Poente 20h43
(curto a espadas e tolerância para qual- Solução do 18 Mai. 22h11
Solução: A saída dá-nos a primeira pista
para este jogo: é um singleton. Outro quer um dos naipes não falados). A for- problema 9005
ça será de pelo menos 17 pontos de fi-
facto que é inequívoco: a saída destrói
uma entrada vital do morto. Depois de gura. Marés
desbloquearmos o Rei de copas, só nos Leixões Cascais Faro
resta o Ás de espadas como entrada no
morto, que permitirá apenas o encaixe
Preia-mar 01h39 3,4 01h15 3,4 01h23 3,3
do Ás de copas para a balda de um ouro
da mão. Será que a nossa única chance 14h09 3,4 13h45 3,4 13h53 3,3
para este cheleme é encontrar a Dama e Baixa-mar 07h57 0,7 07h31 0,9 07h27 0,7
o Valete de copas secos?
Se as copas estiverem 3-3 e se Oeste ti- 20h16 0,7 19h50 0,9 19h46 0,7
ver a Dama e o Valete de copas, pode- João Fanha/Pedro Morbey
mos ainda jogar uma terceira volta de (bridgepublico@gmail.com) © Alastair Chisholm 2008 and www.indigopuzzles.com Fonte: www.AccuWeather.com
44 • Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

DESPORTO
Portugal no “top 5” dos que mais
recrutam jogadores estrangeiros
A origem predominante dos futebolistas que chegam aos clubes nacionais é o Brasil, segundo estudo do
Observatório do Futebol. I Liga é o campeonato com terceira média mais alta de estrangeiros por equipa
JOSÉ COELHO/EPA

Maiores exportadores oriundos do Brasil em 85 das 98 asso-


Futebol de futebolistas ciações analisadas, num total de
Tiago Pimentel 1 Brasil 1330
1330. Há um ano, no estudo relativo
a 2017-18, o número de brasileiros a
Os clubes portugueses continuam a 2 França 867 jogar noutros países era 1236. E os
recorrer a futebolistas estrangeiros 3 Argentina dados da época anterior a essa colo-
820
em grande quantidade, com a I Liga cavam esse número em 1202.
nacional a surgir em terceiro lugar 4 Sérvia 458 Para além de ter sido esta época o
— apenas atrás dos campeonatos 5 Inglaterra 431 principal abastecedor das equipas
cipriota e italiano — na lista das com- portuguesas, com 261 futebolistas
petições com médias mais elevadas contratados, o Brasil também é o
de expatriados por clube. Num con- 13 Portugal 279 mercado preferido dos clubes japo-
junto de 147 competições de 98 paí- neses (69), italianos (65) ou sauditas
ses analisadas pelo Observatório de (40). O campo de recrutamento favo-
Maiores importadores
Futebol do Centro Internacional de rito das equipas inglesas foi, nesta
Estudos Desportivos (CIES), a rota
de futebolistas temporada, a França (87 jogadores),
migratória Brasil-Portugal destacou- enquanto os clubes espanhóis recor-
1 Inglaterra 728
se — tal como já havia sido apontado reram preferencialmente aos futebo-
pelo Relatório Anual do Mercado 2 Itália 636 listas argentinos (66).
Global de Transferências da FIFA, 3 EUA 575 “A mobilidade internacional de
relativo a 2018. 4 Espanha futebolistas tem tido um crescimen-
O campeonato português surge 516 to constante ao longo dos anos. O
destacado no ranking de competi- 5 Portugal 508 número total de jogadores estrangei-
ções com médias mais elevadas de ros aumentou 5% em comparação
estrangeiros por clube: é, na presen- Competições com média com 2018. Os imigrantes represen-
te temporada, o terceiro em que mais elevada de estrangeiros tam cerca de um quinto do número
mais se recorre a estrangeiros, com por clube total de futebolistas no activo nas
uma média de 16 por equipa. Só a competições analisadas. Esta per-
Liga italiana (média de 16,1 por clu- 1 I Liga cipriota 17,5 centagem sobe para 26% nos cam-
be) e o campeonato de Chipre (média peonatos dos países que integram a
2 I Liga italiana 16,1
de 17,5 por clube) superam a I Liga. UEFA”, sublinham os autores do
A Premier League surge na sexta 3 I Liga portuguesa 16 estudo.
posição, com uma média de 15,2 4 I Liga turca 15,7 A Inglaterra destacou-se como o
estrangeiros por equipa. O segundo principal país importador, com 728
5 I Liga belga 15,4
escalão do futebol português falha futebolistas recrutados noutros paí-
por pouco o “top 10”: ocupa o 11.º ses (dos quais 139 nas outras nações
lugar na lista, com uma média de 12,2 13 II Liga portuguesa 12,2 britânicas) — excluindo estes últimos,
futebolistas estrangeiros por clube. seria a Itália (636 estrangeiros con-
Uma grande parte dos estrangei- tratados) a ocupar o topo deste
ros que integram as equipas portu- Principais rotas migratórias ranking. O futebol dos EUA (575)
guesas será constituída por futebo- de futebolistas completa o pódio, com Portugal a
listas brasileiros. As transferências surgir no “top 5” com 508 contrata-
do Brasil para Portugal foram, de Brasil 261 Portugal ções de jogadores imigrantes.
longe, o movimento mais frequente Em sentido contrário, são 279 os
na presente temporada: 261 jogado- jogadores portugueses a actuar no
res atravessaram o Atlântico, mais do Argentina 116 Chile estrangeiro. Segundo o Atlas das
dobro relativamente à segunda rota Migrações que o Observatório do
migratória mais frequente detectada Futebol também apresentou, há
Inglaterra 113 Escócia
pelo estudo, a de jogadores argenti- futebolistas nascidos em Portugal a
nos para o Chile (116). jogar em clubes de 47 das 98 associa-
Em termos absolutos, nos 2351 Inglaterra 92 País de Gales ções analisadas. Espanha foi o desti-
clubes que o estudo analisou em 98 no preferido dos portugueses que
das 211 associações que integram a decidiram emigrar, com 31 casos
FIFA, o Brasil é o principal exporta- Argentina 87 México (mais de 11%). No topo das opções
dor de talento futebolístico, conÆr- dos jogadores lusos que saíram de
mando a tendência de crescimento Portugal estão ainda a Inglaterra (27)
de anos anteriores. Na presente tem- França 87 Inglaterra e Itália e Roménia (21 cada).
porada o Observatório do Futebol
Fonte: Observatório de Futebol do CIES PÚBLICO
detectou a presença de jogadores Éder Militão foi uma das grandes contratações da presente época tiago.pimentel@publico.pt
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 45

DESPORTO
OLAF KRAAK/EPA

Ackermann Alemanha
vence no “adeus” veta projecto
de Tom Dumoulin de alteração
à Volta a Itália à Champions

Ciclismo CLASSIFICAÇÃO Futebol


Diogo Cardoso Oliveira 5.ª ETAPA Os 36 clubes das Ligas de futebol
1.º Pascal Ackermann (BORA) 3h15m44s proÆssional alemãs opõem-se por
O ciclista holandês caiu na 2.º Fernando Gaviria (UAE) m.t. unanimidade aos projetos de alte-
etapa quatro e desistiu já 3.º Arnaud Démare (Groupama) m.t. ração do formato da Liga dos Cam-
durante a tirada de ontem. (...) peões que têm sido discutidos nos
O Giro fica, assim, sem um 96.º Amaro Antunes (CCC) m.t. A festa do título, ainda no estádio do De Graafschap últimos meses, anunciou ontem o
GERAL organismo que rege as competições
dos favoritos à vitória final

Cinco anos depois,


1.º Primoz Roglic (Jumbo) 19h35m04s proÆssionais germânicas.
Não haverá, certamente, Tom 2.º Simon Yates (Mitchelton-Scott) a 35s “O conceito que a Associação
Dumoulin vestido de rosa no final da 3.º Vicenzo Nibali (Bahrain-Merida) a 39s Europeia de clubes (ECA) tem

o Ajax voltou a
Volta a Itália. O holandês — apontado (...) actualmente em discussão teria con-
como grande candidato à vitória final 44.º Amaro Antunes (CCC) a 3m43s sequências inaceitáveis nas Ligas
— desistiu ontem da prova, já duran- nacionais. Não pode ser aplicado
te a quinta etapa, depois de uma
queda na tirada anterior lhe ter dei-
xado marcas no joelho.
rença sempre mantida debaixo de
olho pelo pelotão, que neutralizou
os fugitivos a 23 quilómetros da
sagrar-se campeão desta forma”, refere um comunica-
do da Liga Alemã de Futebol (DFL),
publicado no Ænal de uma assem-
Já sem Dumoulin no pelotão, o meta. bleia geral do organismo.
triunfo na chegada a Terracina caiu Já com muitos ciclistas a rolar tran- A proposta da ECA, apoiada
para Pascal Ackermann (BORA), que quilamente, a última passagem pela É verdade que os comandados de pela UEFA, prevê a alteração do
bateu, ao sprint, o colombiano Fer- meta deu um sprint equilibrado Futebol Mark van Bommel haveriam de saltar modelo da actual Liga dos Cam-
nando Gaviria (UAE) e o francês entre Gaviria e Ackermann. Foi mais Nuno Sousa para a frente do marcador, com um peões, que manteria as 32 equipas
Arnaud Démare (Groupama). forte o alemão, que somou a sua golo de Nick Viergever, logo aos 48’, que têm competido na fase de
Esta etapa, corrida sob condições segunda vitória neste Giro. Equipa de Amesterdão mas o triunfo (por 3-1, depois de um grupos, mas substituiria os actuais
meteorológicas difíceis — algum ven- O português Amaro Antunes che- último golo de Donyell Malen) reve- oito grupos de quatro por quatro
alcançou o 34.º título
to e muita chuva —, acabou por não gou no pelotão e manteve a posição lar-se-ia insuÆciente para evitar a grupos de oito.
trazer problemas aos principais can- no top-50, numa classificação geral do seu historial, com um passagem de testemunho. Em Doe-
didatos à vitória final, já que a orga- ainda liderada por Primoz Roglic. triunfo que tem também tinchem, cidade-sede do De “O conceito que
nização da prova decidiu que, para Hoje, a sexta tirada traz um leque um travo a despedida Graafschap com pouco mais de 55 a ECA tem em
efeitos de classificação geral, os tem- alargado de possibilidades para o mil habitantes, o Ajax não deixou discussão teria
pos seriam registados na primeira desfecho. Os primeiros 200 quiló- Um ponto bastava ao Ajax para che- fugir o triunfo, tendo ainda ampliado consequências
inaceitáveis nas
passagem pela meta. Na segunda, metros são planos, perfeitos para gar ao 34.º título holandês, sem pre- o marcador com um bis de Tadic, Ligas nacionais”,
seria decidido o vencedor da etapa, permitir a uma fuga ganhar uma cisar de olhar para trás, mas a equi- primeiro de grande penalidade (67’), aponta Seifert
mas já sem tempos em discussão. vantagem decisiva, mas também pa-sensação da Liga dos Campeões depois com um remate colocado já
Antes disso, a história que há a pode dar-se o caso de uma aproxi- fez mais do que isso. Em casa do De dentro da área (87’).
contar é a de uma fuga desde cedo mação em pelotão compacto per- Graafschap, na última jornada, ven- A festa estender-se-ia às ruas de Este modelo permitiria a todas as
condenada ao fracasso. Seis ciclistas mitir a alguns bons finalizadores e ceu por 1-4, terminou a Eredivisie Amesterdão, naturalmente, e não equipas realizarem um mínimo de
escaparam logo ao quilómetro dois, puncheurs atacarem a subida que com três pontos de avanço sobre o seria apenas uma festa de reconhe- 14 jogos, sete em casa e sete fora,
mas nenhum estava sequer perto da termina a cerca de 15 quilómetros PSV e sagrou-se campeã cinco anos cimento pelo título. Seria um sendo despromovidas quatro delas
liderança da prova. da meta. depois da última conquista. momento de despedida para algu- no Ænal de cada época e substituídas
A fuga ainda chegou a ter cerca de No Estádio De Vijverberg, Lasse mas das pérolas que nesta tempora- por outras tantas.
dois minutos de vantagem, uma dife- diogo.oliveira@publico.pt Schone inaugurou o marcador aos da surpreenderam a Europa do fute- A DFL está preocupada com a
ALESSANDRO DI MEO/EPA
37’, deixando a equipa de Amester- bol. Frenkie de Jong já assinou pelo diÆculdade de gerir os calendários
dão confortável nas contas — o PSV Barcelona e talentos como Matthijs das competições nacionais, que
ainda sonhava com o primeiro lugar, de Ligt e Donny van de Beek têm considera “estarem em perigo”,
mas precisava de conjugar um triun- várias ofertas em carteira. Ainda a caso a proposta seja aprovada. A
fo com uma derrota do rival. Youssef darem os primeiros passos de carrei- esse respeito, o presidente da DFL,
El Jebli repôs a igualdade três minu- ras altamente promissoras, quando Christian Seifert, disse estar conven-
tos depois, mas a sede de vitória do saírem, saem com títulos no bolso. cido de que a UEFA e o seu presi-
Ajax era grande e o lateral TagliaÆco Agora com 34 campeonatos no dente, Aleksander Ceferin, vão
voltou a colocar os visitantes em van- palmarés, o Ajax, desde 2017 orien- reconhecer a importância das Ligas
tagem, em cima do intervalo. tada por Erik ten Hag, passa a somar nacionais e conduzir o processo de
Depois de ter recentemente con- mais dez do que o PSV. E volta a fes- reformulação da competição com
quistado a Taça da Holanda, ao tejar um título no dia 15 de Maio, tal clarividência.
bater o Willem II por 0-4, o Ajax, como acontecera, pela última vez, “Não podemos permitir que os
que honrou a herança do passado, em 2011. E tal como sucedeu também tradicionais campeonatos em todo
estava embalado para desapossar em 1982, num jogo com o AZ em que o continente vejam ser afectada a
o PSV do título. Até porque, por essa os adeptos invadiram o campo para sua capacidade de atrair milhões de
altura, o rival estava empatado festejar com os jogadores, um dos pessoas”, prosseguiu Seifert, consi-
em Eindhoven, diante do Heracles quais a lenda Johan Cruyè. derando que a mudança preconiza-
(1-1), e por isso cada vez mais longe da pela ECA retiraria relevância às
Ackermann bateu Gaviria e Démare ao sprint de poder renovar o ceptro. nsousa@publico.pt competições domésticas.
Público • Quinta-feira, 16 de Maio de 2019 • 47

DESPORTO

O encontro
e entre João Sousa
e Roger
R Federer, no Masters
1000 de Roma, foi adiado
10
para as 11h30 de hoje e terá
pa
lugar no campo Centrale
lug

Breves
Futebol Ténis
Jesús Corona fora Taekwondo Bronze para Rui Bragança nos Mundiais Lisboa Belém Open
dos convocados já não tem jogadores
ISSEI KATO/REUTERS

para a Gold Cup portugueses


O extremo Jesús Corona, do Os três jogadores portugueses
FC Porto, vai falhar a Gold Cup, que ainda disputavam o quadro
a prova continental da de singulares do Lisboa Belém
CONCACAF (América do Norte, Open foram eliminados na
Central e Caraíbas), após ter segunda ronda. Num dia em
ficado de fora da que era aguardada a entrada em
pré-convocatória do México, acção de Pedro Sousa, o quarto
anunciada ontem pelo cabeça de série anunciou a sua
seleccionador Gerardo Martino. desistência, tendo entrado para
Quem também não foi o seu lugar o português Luís
seleccionado para o torneio foi Faria, na qualidade de “lucky
Herrera, que pediu escusa da loser”, que perdeu frente ao
selecção para definir o futuro. italiano Roberto Marcora (190.º)
por 6-1 e 6-2, em 54 minutos.
Vencedor do challenger de
Andebol Braga, João Domingues (163.º)
Quintana prolonga acabou derrotado frente ao
espanhol Mario Vilella Martínez
até 2023 vínculo (260.º), por 6-3 e 6-4, em
com o FC Porto 1h23m, enquanto Frederico
Silva (326.º) também cedeu
Alfredo Quintana, guarda-redes diante do espanhol Pedro
luso-cubano do FC Porto, Martínez (143.º), com os
renovou contrato com os parciais de 6-3 e 6-4, em 1h39m.
“dragões” até 2023. “Tem um
significado muito grande poder
continuar a representar o clube
que me abriu a porta, tanto de
Portugal como da Europa.
Penso que vai ser bom para as
duas partes”, referiu o atleta
de 31 anos, que aponta o
campeonato nacional como o
principal objectivo da época.

Automobilismo Voleibol
Rally Cup Ibérica Wohlfahrtstätter
com 15 pilotos renova contrato
no Rali de Portugal com o Benfica
A Rally Cup Ibérica vai ter 15 O internacional austríaco Peter
pilotos na lista de participantes Wohlfahrtstätter renovou
da edição deste ano do Rali de contrato com o Benfica e vai
Portugal. O troféu da Peugeot, continuar a fazer parte da equipa
que se realiza em Portugal e de voleibol dos “encarnados”.
Espanha, tem vindo a crescer “Estou feliz com o clube. Acredito
em número de inscritos, que posso melhorar as minhas
servindo como montra para capacidades com a ajuda do
jovens talentos. “Estamos a Marcel [Matz] e dos meus
formar a melhor geração de Rui Bragança conquistou ontem meias-Ænais da prova, em ao ser derrotado pelo 17.º da colegas”, assinalou o central,
jovens pilotos ibéricos, usando a medalha de bronze nos Manchester, Inglaterra. O atleta hierarquia por 16-13. Esta foi a depois de uma época em que
um carro muito competitivo”, Mundiais de taekwondo, ao português, 10.º do ranking segunda medalha de Rui ajudou as “águias” a ganharem
frisou José Pedro Fontes, perder frente ao mexicano mundial, perdeu a possibilidade Bragança em Mundiais, depois a Supertaça, a Taça de Portugal
membro da organização. Brandon Hernández, nas de disputar a medalha de ouro, da prata conquistada em 2011. e o Campeonato nacional.
Quinta-feira, 16 de Maio de 2019

BARTOON LUÍS AFONSO

O RESPEITINHO NÃO É BONITO

O miserável estado da Cultura em Portugal


RUI GAUDÊNCIO
prometeu dar a Augusto M. Seabra e Costa são duas pessoas de que o
a Vasco Pulido Valente; Luís Filipe país se deveria orgulhar pela
Castro Mendes passou pelo paixão que devotam à área em que
ministério com a leveza de um trabalham e pela sua indiscutível
soneto bucólico; e Graça Fonseca competência. Vale a pena
pode ser uma técnica comparar os dois artigos.
João Miguel Tavares

A
competentíssima, mas percebe Um queixa-se do “abandono do
tanto de Cultura como eu percebo Estado”; o outro diz que “a
direita em Portugal tem a de bilhar às três tabelas. Os Cinemateca foi esquecida”. Um
fama — e o proveito — de não resultados estão à vista: a Cultura declara que nem sequer consegue
dedicar a devida atenção à portuguesa está tão comatosa como Æcar com as receitas da bilheteira e
Cultura, e de estar nos tempos da troika, e o sector só da loja (vão todas para o
convencida de que os está calado por preconceito ministério); o outro fala em
dinheiros públicos da área só ideológico — Costa e a “geringonça” “inferno burocrático” e garante
são bem gastos se forem usados são de esquerda, a esquerda é que se tivesse “liberdade
para a preservação do património. suposto ser amiga da Cultura, administrativa” para vender
Esta visão míope do que deve ser donde, apesar de não mexerem “serviços com agilidade” poderia
uma política cultural tem como uma palha (tal como os outros), ter “uma actividade sustentável”.
consequência uma postura Ælisteia sempre combinam melhor com o Ambos pedem o mesmo, e não é
que é desprezada por praticamente mobiliário do Palácio da Ajuda. mais dinheiro – é apenas mais
todo o sector, e com bons E, no entanto, uma política — mas que não podem, devido ao autonomia para obter receitas e
argumentos. É por isso que António cultural de direita era possível, se estrangulamento das cativações e à poder desenvolver as suas
Costa, ao contrário de Rui Rio, começasse por proporcionar absoluta dependência de uma instituições. Sejamos claros: é um
consegue encher o Mercado da aquilo que algumas das melhores orgânica burocrática que asÆxia escândalo que o Estado não
Ribeira com centenas de artistas pessoas que trabalham no sector toda a ambição. consiga dar uma resposta a estas
reclamam há anos sem Æm: No passado Æm-de-semana, o
felizes e ululantes, como aconteceu
em Julho de 2014, quando autonomia. Apesar de o país
Passados cinco anos, director do Museu Nacional de Arte
pessoas. E é uma absoluta tragédia
que elas acabem por desistir,
prometeu que a Cultura iria ter de precisar de bons quadros nesta a Cultura, de facto, Antiga (MNAA), António Pimentel cansadas de anos e anos de lutas
volta o seu ministério, desaparecido
nos tempos de Passos Coelho.
área como de pão para a boca,
aquilo a que se assiste é a um
recebeu de volta — que, já desesperado, abandona o
cargo no próximo mês —, deu uma
inglórias, para depois acabarem
por ser substituídas por pessoas
Passados cinco anos, a Cultura, confrangedor desprezo pelo o seu ministério entrevista ao El País sobre o estado muito menos competentes, apenas
de facto, recebeu de volta o seu talento, e a um verdadeiro – mas não recebeu do MNAA. Por seu lado, José porque sabem estar muito mais
ministério — mas não recebeu mais incómodo em relação a todos Manuel Costa, director da caladas.
do que isso. O ministro João Soares aqueles que têm a coragem de mais do que isso Cinemateca Portuguesa, deu uma
não teve tempo para aquecer o fazer ouvir a sua voz, em defesa do entrevista ao Expresso sobre o Jornalista
lugar, graças às bofetadas que trabalho que gostariam de realizar estado da Cinemateca. Pimentel e jmtavares@outlook.com

Esta informação não dispensa a


consulta da lista oficial de prémios Totoloto 11 13 20 32 44 13 1.º Prémio
1.100.000€
Contribuinte n.º 502265094 | Depósito legal n.º 45458/91 | Registo ERC n.º 114410 | Conselho de Administração - Presidente: Ângelo Paupério Vogais: Cláudia Azevedo, Cristina Soares E-mail publico@publico.
2477640C-F78C-48F5-9AD7-306480D5B759
pt Estatuto Editorial publico.pt/nos/estatuto-editorial Lisboa Edifício Diogo Cão, Doca de Alcântara Norte, 1350-352 Lisboa; Telef.:210111000 (PPCA); Fax: Dir. Empresa 210111015; Dir. Editorial 210111006; Redacção
210111008; Publicidade 210111013/210111014 Porto Rua Júlio Dinis, n.º270, Bloco A, 3.º, 4050-318 Porto; Telef: 226151000 (PPCA) / 226103214; Fax: Redacção 226151099 / 226102213; Publicidade, Distribuição
226151011 Madeira Telef.: 963388260 e/ou 291639102 Proprietário PÚBLICO, Comunicação Social, SA. Sede: Lugar do Espido, Via Norte, Maia. Capital Social €4.050.000,00. Detentor de
100% de capital: Sonaecom, SGPS, S.A. Impressão Unipress, Travessa de Anselmo Braancamp, 220, 4410-350 Arcozelo, Valadares; Telef.: 227537030; Lisgráfica - Impressão e Artes
Gráficas, SA, Estrada Consiglieri Pedroso, 90, Queluz de Baixo, 2730-053 Barcarena. Telf.: 214345400 Distribuição VASP – Distribuidora de Publicações, SA, Quinta do Grajal - Venda Seca,
2739-511 Agualva Cacém, Telef.: 214 337 000 Fax : 214 337 009 e-mail: geral@vasp.pt Assinaturas 808200095 Tiragem média total de Abril 30.148 exemplares Membro da APCT

PUBLICIDADE

CONHEÇA NOVAS FORMAS DE TER


ACESSO A TODOS OS CONTEÚDOS
A Assine o Público
e escolha um
aponte para aqui a câmara ou aplicação
do seu telefone e carregue no link que aparece
OU CONTACTE-NOS
publico.pt/assinaturas | assinaturas@publico.pt
808 200 095 (DIAS ÚTEIS DAS 9H ÀS 18H)
mundo melhor
2477640c-f78c-48f5-9ad7-306480d5b759

Você também pode gostar