Você está na página 1de 5

Diagrama de Fluxos de Dados

Diagramas de Fluxos de  “É uma representação em rede de


Dados um sistema. Retrata o sistema em
termos de suas partes
componentes, com todas as
Análise de Sistemas de Informação I interfaces entre os componentes
Prof. Marcelo Werneck indicadas.”

Diagrama de Fluxos de Dados Elementos do Diagrama de Fluxos de


Dados
 Os diagramas são:  São 4 elementos básicos:
 Gráficos  Fluxos de dados, representados por vetores
 Particionados  Processos, representados por círculos ou bolhas
 Multidimensionais  Arquivos, representados por linhas retas
 Enfatizam o fluxo de dados  Fontes e destinos de dados, representados por
 Não enfatizam fluxo de controle caixas
 Situação apresentada do ponto de vista do
dado.

Exemplo Fluxo de dados

 Retrata alguma interface entre componentes


de um DFD.
 A maior parte movimenta-se entre processos
 Podem fluir para dentro ou fora de arquivos.
 Podem ir para caixas-destino ou vir de caixas-
fonte.
 Usado o símbolo de um vetor.

1
Exemplo Fluxo de dados

 Um fluxo de dados é um tubo, através do


qual fluem pacotes de informações de
composição conhecida.

Fluxo de dados Direção do fluxo de dados

 Algumas convenções podem ser utilizadas:  A direção do fluxo de dados é significativa;


 As palavras que compõem os nomes dos fluxos  indica se os dados entram ou saem do processo ou do
depósito de dados.
de dados são ligadas por hífens e colocadas em
maiúsculo.  Fluxos bidirecionais:
diálogo;
Dois fluxos de dados não possuem o mesmo


 pergunta/resposta;
nome.
 tanto os pacotes de dados de entrada quanto os de saída
 Fluxos que se movimentam para dentro e para devem ser rotulados.
fora de arquivos elementares não precisam de
Determinar
nomes (o nome do arquivo é suficiente). Situação de
Identificador do Pedido
Situação do Pedido
Pedido

Fluxo de dados Processo

 Convergente Dados do Cliente


Dados da  Os processos mostram algum trabalho
Emitir
Dados do Produto Nota Fiscal
Nota executado em cima dos dados.
Fiscal
Dados da Loja  É uma transformação do(s) fluxo(s) de dados
 Divergente de entrada em fluxo(s) de dados de saída.
Dados de Rendimento
 Representados por círculos no DFD.
Validar
Dados do Imposto de Renda Rendimentos  Cada bolha precisa de um nome descritivo.
 Serão detalhados posteriormente
Dados de Patrimônio Validar
Patrimônio

2
Arquivo ou Depósito de Dados Arquivo

 Um arquivo é um depósito temporário de  A direção da seta indo para ou vindo de um


dados. arquivo é significativa.
 Pode ser uma fita, uma área em disco, base
de dados ...
 Representado por uma linha reta com o
nome do arquivo bem próximo à mesma.
 Um nome bem escolhido facilita a
legibilidade do diagrama.

Fonte ou destino

 Uma fonte ou destino é uma pessoa ou Instruções para desenhar


empresa, fora do contexto do sistema, que
é o originador ou receptor de dados do diagramas de fluxo de dados
sistema.
 São representadas por caixas com nomes.

Instruções gerais Instruções gerais

 Boa abordagem:  Boa abordagem:


1. Identifique todos os fluxos de dados em rede de 5. Ignore inicialização e finalização.
entrada e saída. Trace-os da parte externa do
diagrama. 6. Omita detalhes de caminhos de erro triviais (por
agora)
2. Construa o caminho de entradas para saídas,
inversamente de saídas para entradas ou do 7. Não mostre fluxo de controle ou informação de
meio para fora. controle.
3. Rotule todos os fluxos de dados de interface 8. Esteja preparado para recomeçar.
cuidadosamente.
4. Rotule as bolhas em termos de suas entradas e
saídas.

3
Identificação de entradas e saídas em rede Preenchendo o corpo do DFD

 Ligada à decisão quanto ao contexto.  Procure pelos tubos de dados mais


 O que estiver de fora, será ignorado para importantes.
sempre.  Coloque bolhas, sempre que algum trabalho
 Você deve procurar por fluxos de dados que for necessário, para transformar os fluxos.
cruzam o limite. Não preocupe com nomes ainda.
 Entre arquivos em seu DFD para representar
os depósitos de dados.
 Esteja preparado para retornar e modificar o
limite do contexto.

Rotulando o fluxo de dados Rotulando processos

 Nomes dos fluxos tem efeito muito forte na  Tentar nomear todos os fluxos de dados primeiro.
legibilidade do DFD.  Abordagem top-down.
 Dicas:  Tente trabalhar com bolhas vazias até determinar
 Dê um nome a todo fluxo de dados. todos os nomes dos fluxos.
 Evite nomes vagos, como “dados” e  Dicas:
“informações”  Tente nomes com um único verbo de ação forte e um
 O nome tem que ser aplicado ao fluxo de dados objeto singular. Se há dois verbos, talvez haja dois
como um todo e não a seu componente mais processos.
importante.  Cuidado com palavras vagas.
 Não agrupar itens incompatíveis.  Se você não consegue dar nomes, talvez seja necessário
particionar.

Omitindo detalhes de erro trivial Recomeçar

 Se identificar um caminho de erro  Mente humana é um processador iterativo.


 Adie sua consideração.  Nunca faz nada certo exatamente na
 Continue com o caminho principal. primeira vez.
 Importante obter imagem total.  Natural fazer melhoramentos e refinamentos.
 A maior parte dos sistemas deriva sua  Você pode ter que abandonar alguns DFDs
filosofia do processamento em termos de sua ou refazê-los posteriormente ao descobrir
linha principal. novas informações.

4
Divisão do DFD em Níveis Divisão do DFD em Níveis
 Tem por objetivo facilitar a leitura de DFDs de  Exemplo:
y
sistemas complexos.
a
a 1 3 3.1 z
Siste
3.2
 Refinamento do DFD geral; ma x y b
w
 em uma série de níveis; b b
2
 de forma que cada nível ofereça sucessivamente mais 3.3
detalhes sobre uma parte do nível que lhe seja superior.
Diagrama de Contexto DFD nível 0 DFD nível 1 da bolha 3

 A numeração dos processos serve como um meio  Os fluxos de dados que entram e saem de um
prático de se relacionar um processo com o DFD processo em um nível;
de nível imediatamente inferior;  devem corresponder aos fluxos que entram e saem de
 que descreve esse processo de modo mais completo. uma figura inteira do nível imediatamente inferior que
descreve aquele processo.