Você está na página 1de 20

Equipamento

Data

Motivo da revisão

Elaborado por:

06/11/2017

Criação da linha MRCE-LI4-01

Elenildo Silva

linha MRCE-LI4-01 E l e n i l d o S i l v a 01

01

Revisado por:

E l e n i l d o S i l v a 01 Revisado por:
E l e n i l d o S i l v a 01 Revisado por:

FOLHA N°

1 / 20

Aprovado por:

i l v a 01 Revisado por: FOLHA N° 1 / 20 Aprovado por: Ordem de
i l v a 01 Revisado por: FOLHA N° 1 / 20 Aprovado por: Ordem de

Ordem de Ajuste

VERSÃO

OA.MRCE401

1 / 20 Aprovado por: Ordem de Ajuste VERSÃO OA.MRCE401 IDENTIFICAÇÃO Estudo de ajustes das proteções

IDENTIFICAÇÃO

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV Estudo de ajustes das proteções do

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE-LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

Versão

01

Marapatá 69kV Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE-LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV
Marapatá 69kV Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE-LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV
Marapatá 69kV Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE-LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV
Marapatá 69kV Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE-LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV
Marapatá 69kV Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE-LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

2 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 2 / 20 Sumário 1 OBJETIVO 3 2 CONSIDERAÇÕES

Sumário

1

OBJETIVO

3

2

CONSIDERAÇÕES GERAIS

3

3

MEMORIAL DE CÁLCULO

5

3.1 LINHA DE TRANSMISSÃO

5

3.2 AJUSTES DA UNIDADE DE PROTEÇÃO – UPD1-1 (Siemens – 7SA61)

10

4

ANEXOS

15

4.1 COORDENOGRAMAS

15

4.2 FOLHA DE AJUSTE DO RELÉ

16

UPD1-1 (Siemens – 7SA61) 10 4 ANEXOS 15 4.1 COORDENOGRAMAS 15 4.2 FOLHA DE AJUSTE DO
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

3 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 3 / 20 1 OBJETIVO Propor os ajustes para

1 OBJETIVO

Propor os ajustes para o relé multifunção UPD1-1 (Siemens – 7SA612), proteção não duplicada, em que contemplem as proteções de distancia de linha, a de retaguarda do consumidor Especial da subestações Marapatá (MR). Os ajustes devem abranger, também, as funções complementares como sincronismo, falha de disjuntor e etc. previstas na UDC1-1 (Siemens - 7SJ6475).

2 CONSIDERAÇÕES GERAIS

As filosofias das proteções aplicadas são as previstas pelo planejamento da AmE e apresentadas nos diagramas unifilares de proteção.

Considerando que o Sistema Manaus encontra-se conectado ao SIN, os ajustes e ativação das funções sistêmicas como sobretensão (59), sub-sobrefrequência (81), perda de sincronismo (68PSB/T - Out-Of-Step-Block/Trip) e subtensão (27), deverão ser compatíveis com recomendações do ONS.

Procurou-se manter a filosofia e temporizações atualmente implantadas no sistema, salvaguardadas as especificidades adicionais relatadas no escopo deste relatório e que atendam às determinações dos Procedimentos de Rede do ONS apresentados no Submódulo 2.6 - Requisitos Mínimos para os Sistemas de Proteção e de Telecomunicações.

As correspondências e documentos para a elaboração deste estudo estão listados no anexo I.

As configurações e parâmetros adotados são:

i) CONFIGURAÇÃO GERAÇÃO MÁXIMA – consideradas as reatâncias subtransitórias da configuração de geração no horizonte 2020, detalhada abaixo, interligada com o SIN sendo esta equivalentada do arquivo “BR1712A.ans”.

ii) - CONFIGURAÇÃO DE GERAÇÃO NO HORIZONTE 2018 Neste horizonte o sistema Manaus encontra-se interligado ao SIN sendo a geração local : UHE de Balbina (5x55 MVA) e as UTEs convertidas para geração a gás, quais sejam, as UGG9 e 10 (2x75 MVA) de Mauá - BLOCO III, UGG7,8,9 e 10 (2x58,58 MVA+2x71,17 MVA) de Aparecida - BLOCOS I e II e cinco (5) usinas de Produtores Independentes de Energia (PIE) denominadas GERA (5x21,35 MVA), Cristiano Rocha (5x21,35 MVA), Manauara (5x21,35 MVA), Jaraqui (20x4,45 MVA) e Tambaqui (20x4,45 MVA), UTE Fores (86,9 MVA), UTE São Jose (54,3 MVA) e UTE Iranduba (27,17 MVA) totalizando 1.068 MVA.

e Tambaqui (20x4,45 MVA), UTE Fores (86,9 MVA), UTE São Jose (54,3 MVA) e UTE Iranduba
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

4 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 4 / 20 iii) CONFIGURAÇÃO GERAÇÃO MÍNIMA – consideradas

iii) CONFIGURAÇÃO GERAÇÃO MÍNIMA – consideradas reatâncias síncronas da configuração máxima desinterligada do SIN (impedimento no 500 kV ou 230 kV), que corresponde a uma geração limitada ao parque gerador local com a indisponibilidade de um dos módulos da UTE Mauá III (MT).

CRITÉRIOS

a) Informações adicionais que não constam deste relatório são consideradas não pertinentes a este estudo, tais como: lógicas funcionais complementares, temporizações das lógicas internas das unidades de proteção e controle, interfaces de comunicações, ativação e desativação de blocos e funções nos arquivos dos softwares residentes.

b) Nos registros de dados das proteções, dependendo do local em especial nos software aplicativos, pode ser adotada na identificação das linhas a subestação de origem, que são as duas primeiras letras, aquela cujo relé encontra-se instalado e em análise e as duas últimas são a subestação do terminal remoto da linha. Neste caso a identificação do LINK com o seu nome operacional (instruções de operação) como MRCE-LI4-01.

c) O tempo para coordenação adotado é de 0,3 s, podendo variar de 0,2 (citado por fabricante de proteção digital) a 0,4 s. O ONS afirma a recomendação > 0,3 s.

d) A corrente nominal primária e a relação de transformação dos transformadores de corrente (RTC) deverão atender aos seguintes critérios:

i) evitar a utilização do fator térmico do TC.

ii) liberação acima (≥ 120%) do limite térmico da linha (MVA).

iii) não saturar para a máxima corrente de curto-circuito passante (simétrica) e

iv) assegurar, após o cálculo dos ajustes dos tapes, que a RTC adotada não comprometa a sensibilidade para curto-circuito mínimo das proteções de fase e de neutro, explorando em última instância item (i) acima, se necessário, o

fator térmico do TC ou recomendar TC auxiliar.

e) Para determinação das impedâncias (Zθ) vistas pelas proteções de distância de fase e neutro (21 e 21N), foram aplicadas as tradicionais funções:

i) Proteções de Fase Zfaseθ = (Vanα-Vbnβ) / (Iaα’ – Ibβ’)

ii) Proteções de Neutro Zanλ = Vanα/(Iaα’ +3K0I0α’’)

As tensões Van e Vbn, juntamente, com as correntes Ia e Ib (fasoriais) são as obtidas das listagens de curto-circuito, correspondentes ao local da instalação do relé em análise, para uma falta em um local de interesse. A grandeza K0 ou KN (compensação da sequencia zero na corrente de falta envolvendo terra) é o parametrizado (ajuste) conforme proposto pelo fabricante do relé.

zero na corrente de falta envolvendo terra) é o parametrizado (ajuste) conforme proposto pelo fabricante do
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

5 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 5 / 20 O software (aplicativo residente) para os

O software (aplicativo residente) para os relés RED 670 e REC 670 da ABB utilizado neste estudo foi o PCM600_2 Versão 2.4.1.

3 MEMORIAL DE CÁLCULO

3.1 LINHA DE TRANSMISSÃO

3.1.1

DADOS

MRCE-LI4-01

TIPO DE CONDUTOR Hawk - 477 MCM;

TIPO DE CIRCUITO SIMPLES;

CAPACIDADE DE CORRENTE:

TENSÃO

69 kV;

COMPRIMENTO

4,52 km;

o

NORMAL: 69 MVA (608 A – Vn=0,95);

o

EMERGENCIA: 83 MVA (731 A – Vn=0,95);

o

OBS.: Valores históricos adotados.

TC (PROTEÇÃO FASE)

Rct (Ω)

FATOR TÉRMICO

1,5;

< 0,4;

a) Carregamento da LT

1200/5 A [10B800];

A potência atualmente liberada para a operação da linha em emergência conforme estudo identificado no anexo I é de 83 MVA – 731 A que é compatível com diagrama AmE de título: Limites Operativos de LT’s – Rev. 06. Adotando limites operacionais com V=1,05*Vn - MVA=91,7 e tradicional ângulo de carga de 30°:

Corrente máxima da carga (linha) Ic = 921 A

Impedância de carga Zc3F |Φ = (69 2 )/83 = 57,36 ∟30° Ωpri

Conforme recomendação do fabricante do relé, o dimensionamento da constante térmica τau (minutos) será tratado em tópico específico com a utilização da base de dados convalidada e citada abaixo.

τau (minutos) será tratado em tópico específico com a utilização da base de dados convalidada e
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

6 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 6 / 20 b) Charging da linha (serviço e

b) Charging da linha (serviço e neutro):

Para representação π tem-se para

= [( ) ] = [(0,0773 × 10 ⁄ (69 × 10 ) )⁄4,52] = , ℧/km

e para

= [( ) ] = [(0,0433 × 10 ⁄ (69 × 10 ) )⁄11,12] = , μ/km

c) Impedâncias da MRCE-LI4-01 (Ωpri – 69 kV)

TRECHO

Z1 = R1+X1i

Z0 = R0 + X0i

Z0m = R0m + X0mi

 

0,6317+2,066i

2,045+8,4403i

 

MRCE-LI4-01

2,16 ∟72,9°

8,684 ∟76,38°

-

 

0,20 +1,25i

0,91+ 4i

 

MRCC-LT4-01

1,265 ∟80,9°

4,1 ∟77,18°

-

MTMR-LT4-01

0,51 + 3,15i 3,18 ∟80,8°

2,74 + 13,22i 13,05 ∟78,3°

-

d) Valor efetivo da resistência do pé de torre para linhas com um cabo para-raios (ZEFT).

Este levantamento é para avaliação do valor da resistência de falta em estruturas, distantes da subestação, como é o caso da 2ª e 3ª zona.

Vão entre torres (considerado): las = 125 m

Resistência do pé de torre (considerado): RTF = 15 Ω (médio)

Cabo para-raios 5/16 (aço galvanizado):

= 5,50 + 2,55 = 6,06@ ,

Cálculo da impedância do cabo para-raios acima:

∗ ( + 9,886 ∗ 10 ) + ( + )

(5,4 + 9,886 ∗ 10 ∗ 60) + (2,038 + 0,51) =

, + , = , , °

ZEFT pode ser calculado pelo seguinte método simplificado:

=

1 2 ∗ ( ∗ | | ∗ ) ,

, ° ZEFT pode ser calculado pelo seguinte método simplificado: = 1 2 ∗ ( ∗
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

7 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 7 / 20 = 1 2 ∗ (15 ∗

=

1 2 ∗ (15 ∗ 6,06 ∗ ,125) , 24,87°

2

= 1,67 + 0,78 = , , °

O diagrama do ANEXO II disponibiliza os níveis de curto-circuito máximo e mínimo nas barras de interesse.

e) Parâmetros da LT MRCE-LI4-01 na SE MARAPATA (MR)

Levantamento das resistências de arco para faltas entre fases e monofásica.

Os valores para a primeira e segunda barra (está de maior impedância) para confirmar sensibilidade das proteções de sobrecorrente, comparando com padrões, na configuração mínima são:

Espaço entre condutores: L = 2,40 m (7,874 pés)

Comprimento da cadeia de isoladores: L = 1,30 m (4,265 pés)

Distância mínima ao solo (conservativo): 9 m (29,527 pés)

CC - FF

CC - FN

Espaçamento entre

Comprimento dos

condutores

Isoladores

2,4 m = 7,874 pés

1,3 m = 4,265 pés

Rarc (Ωpri)

Rarc (Ωpri)

1º Zona = 0,75

1º Zona = 0,48

2º zona = 3,91

2º zona = 4,71

3º zona = 10,98

3º zona = 14,23

f) Transformadores de Instrumentos (TI)

VERIFICAÇÃO DA RTC

A relação de transformação do transformador de corrente deve suportar corrente I > 1,2 × I , como:

= 921 (91,7 − 1,05 )

do transformador de corrente deve suportar corrente I > 1,2 × I , como: = 921
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

8 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 8 / 20 Onde, I  Corrente nominal da

Onde,

I Corrente nominal da Linha em emergência;

Portanto,

> 1,2 × 921 =

Além, disso I > , com I = 18,19 kA, então:

> 7,6

20

>

A Será adotada sem comprometimento com tapes e sensibilidade a maior

RTC.

RTC:

1200/5

240:1

ANÁLISE DA SATURAÇÃO MÉTODO SIMPLIFICADO

Saturação AC:

No caso da saturação AC, temos que V < V , sendo o TC escolhido 10B800, teremos V < 800 . a tensão de saturação é dada por:

Onde,

=

×

V Tensão nominal secundaria do TC [V]

V Tensão de Saturação [V]

Z =

Z + Z + Z é

Z Impedância do TC

Z Impedância dos cabos secundários

Z é

Impedância do relé

I =

I

RTC

Z  Impedância do TC Z  Impedância dos cabos secundários Z é  Impedância do
Comentado [JLH1]: Não é 240?
Comentado [JLH1]: Não é 240?
Comentado [JLH1]: Não é 240?

Comentado [JLH1]: Não é 240?

Comentado [JLH1]: Não é 240?
Comentado [JLH1]: Não é 240? Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

9 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 9 / 20 I  Corrente de curto circuito

I Corrente de curto circuito

RTC

Relação do TC

Utilizando valores para 100m de condutores de cobre #4mm², tem-se:

= 5,52 × 0,1 = 0,552 Ω

é = 0,02 Ω

Adotando, Z = 0,4 Ω , então teremos:

= 0,4 + 0,552 + 0,02 = 0,972 Ω

Onde,

=

6,84

= 28,5

240

240

Desta forma, a tensão de saturação AC fica definida como:

= 0,972 × 28,5 = 29,47

Portanto, V < 800 V.

Saturação DC:

No caso da saturação DC, esta é provocada por uma corrente de curto circuito assimétrica, sendo a tensão secundária diretamente proporcional a relação X/R do sistema. A componente DC aumenta o fluxo na relação (1+X/R) x o fluxo resultante da componente senoidal.

Sendo

= 7

=

× × 1 +

Desta forma, a tensão de saturação DC fica definida como:

V =

0,972 × 28,5 × (1 + 7) = 221,6 V

V < 800 V, portanto não há saturação de TC devido à falta assimétrica.

Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

10 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 10 / 20 g) VERIFICAÇÃO DA RTP TP 69000/115

g) VERIFICAÇÃO DA RTP

TP 69000/115

= 600/1

h) FATOR DE CONVERSÃO Zpri para Zrelé

RTC/RTP

240/600=0,4

PARÂMETROS DA LINHA - Z

= 0,6317 + 2,066 →

→ 0,6317 + 2,066

4,52

= 0,1397 + 0,457

= ×

→ 0,1397 + 0,457 × 0,4 = 0,0558 + 0,1828

= ,

3.2 AJUSTES DA UNIDADE DE PROTEÇÃO – UPD1-1 (Siemens – 7SA61)

3.2.1 DADOS GERAIS

a) Power System Data 1

o [Transformers ] RTP e RTC

[0201] - CT : Starpoint towards Line

[0203] - Rated Primary Voltage: 69,0 kV

[0204] - Rated Secondary Voltage (Ph-Ph): 115 V

[0205] - CT Rated Primary Current: 1200 A

[0206] - CT Rated Secondary Current: 5A

b) FATOR DE CONVERSÃO Zpri para Zrelé RTC/RTP = 1200/600 = 0,4

c) Power System Data 2

o Power System

[1103] - Measurement: Full Scale Voltage (100%): 69,0 kV

[1104] - Measurement: Full Scale Current (100%): 1200

[1105] - Line Angle: 73 °

[1211] - Angle of inclination, distance charact.: 73 °

[1107] - P,Q operational measured values sign: not reversed

73 ° [1211] - Angle of inclination, distance charact.: 73 ° [1107] - P,Q operational measured
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

11 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 11 / 20 [1110] - x' - Line Reactance

[1110] - x' - Line Reactance per length unit: 0,1828 Ohm / km

[1111] -Line Length: 4,5 km

[1116] - Zero seq. comp. factor RE/RL for Z1: 0,74

[1117] - Zero seq. comp. factor XE/XL for Z1: 1,02 A

[1118] - Zero seq. comp.factor RE/RL(> Z1): 0,74 A

[1119] - Zero seq. comp.factor XE/XL(> Z1): 1,02 A

3.2.2 PROTEÇÃO DE DISTÂNCIA

a) Group General [1201] - Distance protection: ON [1202] - Phase Current threshold for dist. meas.: 0,50 A [1211] - Angle of inclination, distance charact.: 73 ° [1208] - Series compensated line: NO [1232] - Instantaneous trip after SwitchOnToFault: Inactive [1241] - R load, minimum Load Impedance (ph-e): 14,014 Ωsec [1242] - PHI load, maximum Load Angle (ph-e) 35 ° [1243] - R load, minimum Load Impedance (ph-ph) 14,014 Ωsec [1244] - PHI load, maximum Load Angle (ph-ph) 35 ° [1357] - Z1B enabled before 1st AR (int. or ext.): NO

b) Group Distance zones (quadrilateral)

o

[Zone Z1]

[1351] - Operating mode Z1B (overrreach zone): Forward

[1352] - R(Z1B), Resistance for ph-ph-faults: 0,577 Ohm

[1353] - X(Z1B), Reactance: 0,661 Ohm

[1354] - RE(Z1B), Resistance for ph-e faults: 8,35 Ohm

[1355] - T1B-1phase, delay for single ph. Faults: 0,00 sec

[1356] - T1B-multi-ph, delay for multi ph. Faults: 0,00 sec

[1357] - Z1B enabled before 1st AR (int. or ext.): NO

o

[Zone Z2]

[1311] - Operating mode Z2: Forward

[1312] - R(Z2), Resistance for ph-ph-faults: 2,210 Ohm

or ext.): NO o [Zone Z2] [1311] - Operating mode Z2: Forward [1312] - R(Z2), Resistance
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

12 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 12 / 20 [1313] - X(Z2), Reactance: 0,887 Ohm

[1313] - X(Z2), Reactance: 0,887 Ohm

[1314] - RE(Z2), Resistance for ph-e faults: 28,210 Ohm

[1315] - T2-1phase, delay for single phase faults: 0,40 sec

[1316] - T2multi-ph, delay for multi phase faults: 0,40 sec

o [Zone Z3]

[1321] - Operating mode Z3: Reverse

[1322] - R(Z3), Resistance for ph-ph-faults: 0,383 Ohm

[1323] - X(Z3), Reactance: 0,050 Ohm

[1324] - RE(Z3), Resistance for ph-e faults: 25,270 Ohm

[1325] - T3 delay: 0,50 sec

3.2.3 CÁLCULO DOS AJUSTES DOS ELEMENTOS DE DISTÂNCIA Para dimensionamento das resistências de falta a serem aplicadas aos elementos com características quadrilaterais, foram adotados os critérios seguintes, salvo recomendações do fabricante.

i)

Para as resistências de faltas entre fases (RX_ – Phase-Phase) são tomadas as resistências de sequencia positiva, correspondente ao alcance previsto para cada zona, acrescidas das resistências de arco para o local deste alcance, conforme listadas no item 3.2.2.a.

ii)

ii) As resistências de faltas monofásicas (RG_ - Phase-Earth) aqui adotada é constituída pela resistência de sequencia zero, para o mesmo alcance previsto para faltas entre fases, acrescida das:

resistências de arco, no local do alcance da zona listadas no item 3.2.2.a, adicionada a resistência do pé de torre com o valor de 25 Ωpri

3.2.3.1 1º ZONA FASE e NEUTRO

Direcionalidade:

FRENTE

T1 (1 phase = T1multi-ph)

0,00 sec

Calculando com Xpos 80%, de alcance na linha. Portanto 0,80*2,066* 0,4 = 0,661 Ωsec

(1 phase = T1multi-ph) 0,00 sec Calculando com Xpos 80%, de alcance na linha. Portanto 0,80*2,066*
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

13 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 13 / 20 X (Z1): 0,661 Ωsec R (Z1):

X

(Z1):

0,661 Ωsec

R

(Z1):

0,577 Ωsec

RG (Z1):

8,35 Ωsec

Adotando para R (Z1) o valor da resistência de seq. positiva (+), para o mesmo alcance de primeira zona que é 80% da linha, adicionada a 0,5*Rarco para faltas entre fase, qual seja [(0,8*0,6317)+(0,5*0,75)]*0,4 = 0,577 Ωsec

Pela proposição para campo RG (Z1) = (0,80*2,0459+25,0+0,48)*0,4 = 10,84 Ωsec, sem considerar correção de sequência zero no relé (dividir por 1+RE/RL = 1,74) compensaria o erro provocado pelo infeed remoto no arco.

Pelo exemplo do fabricante teríamos, o mínimo valor de RG (Z1) = [1,2 *(0,48+25)/(1+RE/RL)]*0,4 = [25,48/1,74]*0,4 = 5,85 Ωsec e, ainda, com a observação de que para o máximo, como regra prática, o limite superior é baseado no alcance do loop, com isto evita sobrealcance. Pelo fabricante o valor é inferior a proposta pelo campo, aplicar média (10,84+5,85)/2 = 8,35 Ωsec.

3.2.3.2 2º ZONA FASE e NEUTRO

Direcionalidade:

FRENTE

T2 (1 phase = T2multi-ph)

0,40 sec

Para o alcance desta zona considerar: i) ajuste ≤100% da linha protegida+5% da mesma linha. Calculando tem-se: (1,05*2,066)*0,4 = 0,877 Ωsec

X

(Z2):

0,877 Ωsec

R

(Z2):

2,21 Ωsec

RG (Z2):

12,74 Ωsec

Para R (Z2) adotar o valor da resistência de seq. positiva (R1) conforme cálculo para Z1 acima e acrescida de 50% da Rarco, conforme proposto em literatura do fabricante para o alcance de segunda zona em linhas paralelas, dado por [(1,05*6317)+(0,5*3,9)]*0,4= 2,21 Ωsec.

Pelo sistema RG (Z2) o alcance necessário é de =(1,5*2,0459+25+4,71)*0,4= 12,74 Ωsec.

3.2.3.3 3º ZONA FASE e NEUTRO

Esta função será ativada, sua aplicação principal pode ser para lógicas de teleproteção como WI e como retaguarda (quanto à temporização) para faltas na barra reversa da

ser para lógicas de teleproteção como WI e como retaguarda (quanto à temporização) para faltas na
Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções do bay

Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

OA.MRCE401

01

14 / 20

LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MRCE401 01 14 / 20 subestação local, com a 2ª zona.

subestação local, com a 2ª zona. Adotar o valor > 10% do alcance da 2ª zona da barra remota (à frente) que será no mínimo ≥ (0,1*1,25)*0,4 = 0,025 Ωsec.

Direcionalidade:

REVESE

T2 (1 phase = T3multi-ph)

0,40 sec

X

(Z3):

0,025 Ωsec

R

(Z3):

0,154 Ωsec

RG (Z3):

12,74 Ωsec

Para R (Z3) adotar o valor da resistência de seq. positiva (R1) conforme cálculo para Z1 acima e acrescida de 0,05% da Rarco, conforme proposto em literatura do fabricante para o alcance de segunda zona em linhas paralelas, dado por [(0,05*0,2)+(0,5*0,75)]*0,4= 0,154 Ωsec. Pelo sistema RG (Z3) o alcance necessário é de =(0,05*0,91+25+0,48/2)*0,4= 10,11 Ωsec.

3.2.4 PROTEÇÃO 67N

Se o modelo do relé permitir a ativação desta função, os ajustes recomendados são: i) pickup ≥ desequilíbrio de 10% da máxima corrente de carga liberada (recomendado 10 a 30%), ii) coordenar para falta monofásica máxima com 0,4 s close-in e ATENDER ≥0,8 s (0,4+0,4) com a 2ªzona para falta próxima à barra remota.

i) 0,1*921 = 92,1 A e Ipickup > 92,1/240 ≥ 0,383 Asec adotar 0,4 A (pickup 96 A) Caracteristica da curva muito inversa temos

0,8 = ×

− 1 → 0,8 = ×

13,5

Tape:

0,4 (96 A)

TD:

1,2s (MI) IEC

13,5

20 −

1 = 1,2

0,8 = × − 1 → 0,8 = × 13,5 Tape: 0,4 (96 A) TD: 1,2s
OA – Ordem de Ajuste Equipamento IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° Estudo de ajustes das proteções

OA – Ordem de Ajuste

Equipamento

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE-LI4-01 da Subestação Marapatá

69kV

OA.MTMN401

01

15 / 20

do bay da linha MRCE-LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MTMN401 01 15 / 20 4 ANEXOS

4

ANEXOS

4.1

COORDENOGRAMAS

do bay da linha MRCE-LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV OA.MTMN401 01 15 / 20 4 ANEXOS
OA – Ordem de Ajuste Equipamento Estudo de ajustes das proteções do bay da linha
OA – Ordem de Ajuste Equipamento Estudo de ajustes das proteções do bay da linha

OA – Ordem de Ajuste

Equipamento

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

OA.MRCE401

01

16 / 20

69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 16 / 20 4.2 FOLHA DE AJUSTE DO RELÉ
69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 16 / 20 4.2 FOLHA DE AJUSTE DO RELÉ

4.2 FOLHA DE AJUSTE DO RELÉ

4.2.1 PROTEÇÃO DE DISTÂNCIA – UPD1

VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 16 / 20 4.2 FOLHA DE AJUSTE DO RELÉ 4.2.1 PROTEÇÃO
VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 16 / 20 4.2 FOLHA DE AJUSTE DO RELÉ 4.2.1 PROTEÇÃO
OA – Ordem de Ajuste Equipamento Estudo de ajustes das proteções do bay da linha
OA – Ordem de Ajuste Equipamento Estudo de ajustes das proteções do bay da linha

OA – Ordem de Ajuste

Equipamento

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

OA.MRCE401

01

17 / 20

do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01
do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01
do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01
do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01
OA – Ordem de Ajuste Equipamento Estudo de ajustes das proteções do bay da linha

OA – Ordem de Ajuste

Equipamento

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

OA.MRCE401

01

18 / 20

da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 18 / 20 i. PRIMEIRA ZONA
da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 18 / 20 i. PRIMEIRA ZONA

i. PRIMEIRA ZONA

da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 18 / 20 i. PRIMEIRA ZONA
da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 18 / 20 i. PRIMEIRA ZONA

ii. SEGUNDA ZONA

da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 18 / 20 i. PRIMEIRA ZONA
OA – Ordem de Ajuste Equipamento Estudo de ajustes das proteções do bay da linha

OA – Ordem de Ajuste

Equipamento

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

OA.MRCE401

01

19 / 20

Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 19 / 20 iii. ZONA REVERSA iv. DIRECTIONAL
Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 19 / 20 iii. ZONA REVERSA iv. DIRECTIONAL
Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 19 / 20 iii. ZONA REVERSA iv. DIRECTIONAL

iii. ZONA REVERSA

Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 19 / 20 iii. ZONA REVERSA iv. DIRECTIONAL

iv. DIRECTIONAL IMPEDANCE

Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01 19 / 20 iii. ZONA REVERSA iv. DIRECTIONAL
OA – Ordem de Ajuste Equipamento Estudo de ajustes das proteções do bay da linha

OA – Ordem de Ajuste

Equipamento

Estudo de ajustes das proteções do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV

IDENTIFICAÇÃO

VERSÃO

FOLHA N°

OA.MRCE401

01

20 / 20

do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01
do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01
do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01
do bay da linha MRCE- LI4-01 da Subestação Marapatá 69kV IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N° OA.MRCE401 01