Você está na página 1de 32

Ano 11 N.

º 554 Sexta-feira, 19 de Abril de 2019 Kz 100


Director Agostinho Chitata Director-Adjunto Mateus Cavumbo
SITE: www.jornaldeeconomia.sapo.ao E-MAIL: redaccaoeconomia@gmail.com

abandono das unidades fabris Pólo


Caminhada
Industrial

com muitos Retorno

zigue-zagues
O Governo iniciou em 2015 um programa de
industrialização com um financiamento de oito
mil milhões de dólares, mas dos quais os resultados
custavam surgir, sobretudo com um reconhecido
desvio dos objectivos e dos recursos que se
destinavam a fazer as fábricas transformarem
a produção nacional. [4-11]

créditos central híbrida entrevista


Taxa de juros
são barreiras
Longonjo tem mais energia “As indústrias
fecham todos
O município do Longonjo, na pro-
Os bancos de Fomento Angola víncia do Huambo, conta desde a os anos devido
(BFA) e Internacional de Cré- passada quarta-feira, com uma
dito (BIC) com 20 e 23 por cento Central Eléctrica Híbrida com a crise”
em taxa de juros são, entre um capacidade para gerar cinco
grupo de seis levantados, os que Megawatts (MW) de energia. O Pólo de Desenvolvimento
menos cobram para a concessão Na ocasião, o ministro da Industrial de Viana S.A pode ser
de empréstimos financeiros. Energia e Águas, João Baptista definido como uma sociedade
Ao que apurou a nossa reporta- Borges, assegurou ao JE que a comercial anónima, tutelado pelo
gem junto dos operadores, os ban- entrada em funcionamento da Ministério da Indústria, consti- tendo como base de constitui-
cos Angolano de Investimentos central híbrida, vai permitir que tuído ao abrigo do Decreto Exe- ção as resoluções 1/98 de 10 de
(BAI) e Millennium Atlântico mais 12 mil famílias venham a cutivo nº41/98, de 14 de Agosto Março e 4/98 de 27 de Março da
(BMA) cobram até 35 por cento beneficiar de energia eléctrica de 1998, publicado no Diário da Comissão Permanente do Conse-
nos créditos.[12] naquele município. [22] República nº75 do mesmo ano, lho de Ministros. [10]

Anulado Concurso Público Internacional para a adjudicação do contrato ao 4º Operador móvel [18]

galvão branco miguel ângelo victor hugo


Houve precipitação Não faltou chamada O ministro deve
do PR na tomada de atenção para explicar o que
de decisão os vícios se passou
2
opinião
Economia & Finanças

Editorial
Objecto do seguro
Tudo
O
edições novembro

anulado mercado de seguros tem-


-se desenvolvido bastante
nos últimos anos. Pode-
mos dizer que acompanha
o desenvolvimento da acti-
vidade económica angolana.
Angola saltou de contente quando na semana passada Na realidade, são criados
foi anunciada a quarta operadora telefónica para o mercado muitos seguros e o seu potencial é diverso,
nacional. Apesar de totalmente desconhecida, a empresa pelo que importa conhecer os vários tipos
superara na concorrência gigantes das telecomunicações de seguro para sabermos como podemos
como é o caso da multinacional sul-africana MTN que opera tirar proveito deles.
em mais de vinte países e foi considerada como a decima O objecto do seguro é a garantia defi-
nida na apólice de seguro, o bem, pessoa,
segunda maior operadora de rede móvel do mundo no ano ou interesse que deu lugar à existência da
de 2016, que desistira da corrida após anunciar que o mesma, existem dois tipos de objecto de
concurso esta viciado desde o início. De imediato se começou seguro, nomeadamente, o de danos e segu-
a acreditar em dias melhores para o grande universo de ros de pessoas.
consumidores. Adivinhava-se o fim das elevadas tarifas Seguros de danos respeita coisas, bens
para um serviço de importância capital. Nomes com alguma imateriais, crédito e quaisquer outros direi- Paulo Calunga
sonoridade no universo empresarial angolano constam tos patrimoniais, incluídos os de responsabi- Brocker de seguros
da lista de accionistas da anunciada nova fornecedora do lidade civil, através dos quais se preserva o
serviço. “A empresa veio mesmo para ficar” diziam animados património do segurado. Abrangem todos os
ramos de seguro que não sejam de pessoas.
os consumidores, facto que veio a ser confirmado pelas Seguro de pessoas são os que compreen-
palavras do ministro das Telecomunicações e Tecnologias de

}
dam a cobertura de riscos relativos à vida,
Informação, José Carvalho da Rocha quando, em entrevista à saúde e à integridade física de uma pes-
à televisão Pública de Angola a partir do Brasil, garantira soa ou de um grupo de pessoas. deveríamos ter
que não haveria qualquer recuo em relação a validação No que respeita aos capitais ou valores
dos resultados apurados no concurso internacional. A seguros, distinguimos: mais cuidado com
estratégia de penetração e fidelização de clientes assentava Seguro de danos, com características
fortemente na redução dos preços e oferta de serviços indemnizatórias, que se subdividem em: segu- o aforro para o
ros de bens ou patrimoniais, em que os valores
de qualidade superior à concorrência. Garbosamente, o das coisas a segurar são, à partida determiná- longo prazo e
responsável máximo da empresa dissera à mesma TPA vel, sendo a prestação do segurador determi-
estar a organização munida de experiência no ramo e nada pelo valor que tenham à data do sinistro. precaver-nos com
capacidade financeira para responder os desafios de um Seguro de responsabilidade, em que não
mercado exigente como o das telecomunicações. Um ano é possível à partida a qualificação do mon- seguros financeiros
foi o prazo estipulado para que a vencedora do concurso tante dos prejuízos a indemnizar, e que
desse início a actividade. O tiro de largada estava dado e a afectariam o património do segurado, esta- que nos ajudam
corrida em contra-relógio tinha começado. Surpreendente belecendo-se um limite até ao qual o segura-
e bombasticamente , do palácio presidencial veio a notícia.
dor confere garantia (estes limites podem ser a poupar para a
impostos por lei, nos seguros obrigatórios).
“ Concurso anulado” As razões estão expostas. Afinal a Seguro de pessoas, que não têm caracte- reforma
Telstar não tinha cumprido com todas as exigências. rísticas indemnizatórias, sendo o montante
Lamentavelmente a impressão com que se fica é que da prestação a efectuar pelo segurador estipu-
alguma coisa terá falhado num processo considerado sério e lado à partida, independentemente de qualquer mais cuidado com o aforro para o longo prazo e
de importância, louvando-se aqui o facto de atempadamente consideração de prejuízo ou dano. precaver-nos com seguros financeiros que nos
se ter detectado e partido para a correcção fazendo jus a Os riscos cobertos definem eventualidades ajudam a poupar para a reforma.
máxima de “ Corrigir o que está mal”. que, a verificarem-se, desencadearão o funciona- Constituir um seguro é usar de previdência.
mento das garantias da apólice. No conteúdo da É ser cauteloso. Pode ter um custo associado
Frustram-se as expectativas de milhões de pessoas
própria definição legal, só existe riscos, isto é, mas este custo costuma ser muito inferior ao
com falhas como a actual e o desaparecimento ainda que a incerteza da ocorrência de um evento danoso custo de um sinistro e costuma possibilitar-
inicialmente não assumido do nosso “Angosat” que afinal contra o qual se pretende efectuar o seguro. -nos um grande conforto e segurança sabendo
estava em orbita e de saúde. Por outro lado, este evento danoso terá de ser que podem acontecer acidentes mas que esta-
Está anunciado um novo concurso que se espera venha a acidental, quer dizer, súbito, fortuito, impre- mos protegidos quando as suas consequências.
obedecer as regras assentes na lisura e transparência, aberto visto e involuntário. O segurador deve infor- Todas as apólices de seguro incluem cláu-
a organizações que queiram realmente ajudar no processo mar ao tomador, antes do mesmo se vincular, sulas de exclusão, isso é, cláusulas que definem
de diversificação e alavancagem da economia nacional. do âmbito dos riscos que se propõe cobrir não os eventos e/ ou as circunstâncias excluídas
Os angolanos deram já mostras da sua grande vontade, podendo a apólice contrariar essa informação do âmbito do contrato, e que, regra geral, vêm
prévia. No texto da apólice, as cláusulas que imediatamente a seguir à declaração dos ris-
disponibilidade e capacidade para fazer o país crescer. O estabeleçam o âmbito de cobertura devem ser cos cobertos. Estas cláusulas são muito impor-
processo é irreversível. Outros erros certamente ocorrerão e escritas com caracteres destacados e de maior tantes, não procurando esvaziar o conteúdo da
também certamente merecerão resposta pronta e oportuna. dimensão que os restantes. apólice como a primeira vista pode parecer, mas
Enquanto isso, o sonho de milhões de angolanos aguarda Antes de tudo, convém perceber para que delimitando com rigor os riscos cobertos quando,
nova vez. serve um seguro. Muitas vezes a indústria de ainda que pela negativa, definem as circuns-
seguros é incompreendida. Pensamos sempre tâncias face às quais o seguro não funciona.
que nos querem enganar e isso talvez se deve As exclusões e limitações de cobertura devem
}

ao facto de não percebermos ao certo para que ser comunicadas pelo segurador ao tomador
serve o seguro. antes de este vincular e, na apólice, devem ser
Um seguro serve para nos protegermos de escritas em caracteres destacados e de maior
Está anunciado um novo concurso um risco financeiro que está associado a um dimensão em relação às restantes.
acidente. É importante para isso que a relação As exclusões absolutas são as que, no âmbito
que se espera venha não esteja viciada à partida. O mesmo é dizer da apólice, terão de ser sempre consideradas como
que o risco deve ser percebido e exista informa- tal, não podendo este critério ser alterado por
a obedecer as regras assentes ção transparente entre várias partes (ou que não quaisquer condições especiais ou outra (como
ajuda ter letras pequenas e infindável). Tende- exemplo temos os casos de suicídio no seguro
na lisura e transparência, mos a gostar dos seguros apenas quando pre- de acidentes pessoais).
cisamos deles. O próprio conceito de seguro As exclusões relativas ou derrogáveis são
aberto A organizações que queiram implica que não gostamos de utilizar, pois só aquelas que, em princípio, são mesmo exclu-
o podemos utilizar em caso de acidente e nin- sões, mas em certos casos, são passíveis de
realmente ajudar no processo guém gosta de ter acidentes. cobertura por essa mesma apólice, mediante a
Dito isso, parece-nos cada vez mais evidente introdução de uma condição especial e o paga-
de diversificação e alavancagem que uma sociedade mais desenvolvida deveria mento de um prémio suplementar (como exem-
ter maiores cautelas relativamente aos riscos plo temos uma prática de desportos perigosos
da economia nacional que correm. Em última análise, deveríamos ter no seguros de doenças).
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
opinião 3

Números
Autonomia financeira local
557
A
edições novembro

propostadaLeidas dade, as vias de comunicação, etc.


Finanças Locais Tal como definiu o professor João- produtores
no seu artigo 3º Caupers: “Existe um denominador Número de pequenos e grandes empresários
no primeiro ponto comum em relação a todas as defi- agrícolas e industriais da província de Malanje que
faz menção que: nições das autarquias pelo facto estão inscritos, desde Janeiro deste ano, no Portal
“As autarquias de perseguirem o objectivo ine- de Produção Nacional, plataforma do Ministério
locais têm patri- rente à satisfação dos interesses da Economia, que tem por finalidade divulgar a
mónio e finanças próprias, cuja dos cidadãos locais, através de dois produção interna, no âmbito da implementação do
gestão compete aos respectivos princípios fundamentais, nomea- Prodesi.
órgãos”, ainda no mesmo artigo damente: o princípio da autono-
no segundo ponto referência que: mia administrativa e o princípio

104
“A autonomia financeira das autar- das finanças e património local”.
quias locais assenta designada- Afinal de contas que tipo de autar-
mente nos seguintes poderes: a) quias locais a população pretende
aprovar e modificar os orçamentos que se implemente em Angola?
e outros documentos previsionais; O modelo de autarquias sustentá-
b)aprovar os documentos de pres- vel económico e financeiramente toneladas
tação de contas; c)arrecadar e dis- sem depender maioritariamente Quantidade de bens alimentares diversos que
por de receitas das taxas, tarifas e do governo central ou um modelo o Ministério do Comércio angariou quarta-feira
preços por eles cobrados; d)dispor Sabino da Conceição de autarquias insustentável eco- para apoiar as populações assoladas pela seca na
das receitas fiscais próprias e das Economista nómico e financeiramente com província do Cunene, através da doação feita pelo
que lhes sejam consignadas nos ter- dependência financeira elevada Entreposto Aduaneiro de Angola, grupo Zahara, os
mos da Lei; e) ordenar e processar do Governo central? É preciso cha- supermercados Deskontão, Kero, Noble Group e
as despesas legalmente autoriza- mar atenção que o país se encontra Nossa Casa.
}

das; f) adquirir, administrar e alie- numa situação económica preocu-


nar o seu próprio património, bem pante, pois a estagnação económica

1,5
como aquele que lhes for afecto. É preciso que que muitos economistas advogam
Pese embora o monopólio político que foi causada pela queda do preço
e jurídico do processo em alusão, a as autarquias de petróleo pode evoluir para uma
palavra autarquia tem origem gre- depressão económica consubstan-
gaautos-arkhé, com a significação locais a serem ciado em três anos consecutivos de
de autonomia, que do ponto de vista recessão económica, o que signi- mil milhões de kwanzas
jurídico consiste nas pessoas colec- implementadas fica que o nível de produção do país Foi quanto cifraram as receitas fiscais do Cuanza
tivas públicas dotadas de órgãos está aquém do seu potencial, e com Norte de Janeiro a Março deste ano, registando um
representativos próprios que visam em Angola agravante da população apresentar aumento na ordem dos 18,54 por cento.
a prossecução dos interesses das uma taxa de crescimento superior
populações, e do ponto de vista eco- não se limitem ao da economia, ou seja, a riqueza

5.040
nómico significa auto-suficiência, que se cria actualmente não é sufi-
sistema económico de uma região apenas em ciente para satisfazer as neces-
que vive dos próprios recursos. sidades sociais das populações.
A autonomia é a condição fun- instituições de A sustentabilidade que se pre-
damental para a materiali- tende na implementação do pro-
zação da descentralização e assistencialismo cesso autárquico em Angola não formados
desconcentração das atribui- deve ser apenas político ou jurí- Número de jovens formados de 2008 a 2018
ções, dos poderes e dos recursos. e fornecimento dico, mas sim deve contemplar pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação
Sempre que se pretende imple- igualmente os fundamentos eco- Profissional (Inefop), na província de Benguela,
mentar um determinado modelo de serviços nómicos para evitar dissabo- que conseguiram o primeiro emprego durante este
de gestão quer seja público ou res futuros, como se diz na gíria período, com realce para os sectores da construção
privado não podemos discorar públicos “numa casa que faltar pão todos civil, comércio, agronomia e prestação de serviços.
as questões inerentes com a sua ralham, mas ninguém tem razão”.
sustentabilidade, pelo facto dos É preciso que as autarquias locais
factores crítico de sucesso esta- a serem implementadas em Angola
rem conjungados neste elemento. não se limitem apenas em institui-
A análise objectiva da imple- ções de assistencialismos e forne-
mentação das autarquias fun- cimento de serviços públicos, mas
damentada na visão económica sim devem também estar munidos
e financeira apresenta-se dis- de competência para promoção
tanciada da dicotomia insta- de investimento privado, melho-
lada do jogo do poder autarquico. ria do ambiente de negócio local,
Os factores críticos do processo gestão participativa e eficiente.
da implementação das autarquias Em suma, é alinhada a criação de
dependem do nível das infra-estru- riqueza a nível local, porque só
turas existentes no município, assim teremos municípios com
o grau de qualificação do capi- prosperidade económica e finan-
tal humano e o da aplicabilidade ceira, de contrário, entraremos Frase da semana
legal, base económica da locali- num modelo autárquico insolvente.
}

Ficha técnica

EDIÇÕES
NOVEMBRO E.P.
JORNAL DE ANGOLA I JORNAL DOS DESPORTOS
Cuba tem noção do
Director: Agostinho Chitata Departamento de Paginação : Irineu Caldeira Presidente do Conselho
momento económico
Director-adjunto: Mateus Cavumbo
(Chefe), Adilson Santos (Chefe-adjunto), Carlos Casimiro
(Chefe de secção), Alcreto Abílio, Bruno Vieira Dias,
Paulo Lopes e Alberto Quiluta
de Administração:
Victor Silva menos bom que Angola
Secretário de Redacção: Carlos Cardoso

Redacção: Isaque Lourenço (editor), Adérito Veloso, Sede: Rua Rainha Ginga, 12-26 | Caixa Postal 1312 - Luanda
Administradores Executivos:
Caetano Pedro da Conceição Júnior, José Alberto
atravessa
Ismael Botelho, Pedro Peterson e Armando Estrela Telefone 222 020 174 | Telefone geral 222 333 344 Domingos, Rui André Marques Upalavela, Luena
(subeditores), António Eugénio, André Sibi, Manuel Fax 222 336 073 Kassonde Ross Guinapo
Barros, Regina Handa, Vânia Inácio, Yola do Carmo e Mail: redaccaoeconomia@gmail.com Ricardo Cabrisas Ruis
Xavier António (repórteres) ednovembro.dg@nexus.ao Administradores não Executivos: Vice-presidente do Conselho de Ministros de Cuba
Publicidade: 244-937 550 262/244-949 770 006, Filomeno Jorge Manaças
Fotógrafos: Vigas da Purificação e Contreiras Pipa www.jornaldeeconomia.co.ao Mateus Franscisco João dos Santos Júnior
4
destaque
Economia & Finanças

Miqueias Machangongo | edições novembro

Fábrica de vinagre inaugurada pela ministra da Indústria,


Bernarda Gonçalves Martins Henriques da Silva, no Pólo
Industrial de Viana, em Luanda - Angola (AMB/OS)

Pólos industriais custam


acima dos usd 8 mil milhões
Recuperação da qualidade sem perder de vista a quantidade
Transformação da produção
é a prioridade do programa de novas zonas industrializadas
priorizada na fixação de pólos
}

o Governo justificou, com o vel fazer surgir 6,5 mil empregos.


Isaque Lourenço André Sibi

N
programa, ser a indústria um A execução efectiva do Plano de
sector que não pode ser dei- Foram previstos, Desenvolvimento Nacional 2017-
a Est raté - xado ao livre arbítrio das for- O programa de construção de Pólos 2022, assim como o programa do
gia de Longo ças do mercado, nem tão-pouco isto em 2015, no de Desenvolvimento Industrial per- Sistema Nacional de Qualidade
Prazo (ELP), entregue a uma classe empre- mitiu a construção de três unida- são as metas do Executivo.
até 2025 , sa rial que luta com imen- lançamento dos des nas províncias de Benguela, O programa contempla o
do Governo sas dificuldades para manter Malanje e Zaire, além de Luanda, aumento da produção da fari-
de A ngola , vivas as unidades de produção. pólos industriais e com eles a criação de um total de nha de milho, açúcar, arroz,
prevista no O PDN 2017-2022 entende ser 11 mil postos de trabalho directo. leite, óleo de palma e sabão.
Plano de Desenvolvimento necessário que se prossiga com de 23 unidades A meta continua ser a de trans- Para José Sala, se por um lado
Nacional 2017-2022, quatro a melhoria e a consolidação da formação da produção local em o governo está a trabalhar para o
grandes objectivos são encara- oferta de infra-estruturas de por implantar bens acabados e de consumo nacio- fomento à indústria transforma-
dos como cruciais para a vira- mobilidade com o objectivo de nal e de qualidade exportável no dora nacional, por outro, precisa-
gem que se pretende no domínio promover o desenvolvimento em todo o país quadro do combate à fome e à -se trabalhar para que os produtos
da recuperação económica e do mercado interno, a promo- pobreza nas comunidades rurais. nacionais estejam dentro dos
relançamento da capacidade ção da concorrência e a circula- De acordo com o director do padrões internacionais.
de produção interna. ção de pessoas, bens e serviços, Gabinete de Estudos e Planeamento “A qualidade consta entre os
Foram previstos, isto em bem como a integração econó- guela com prolongamentos aos Estatístico do Ministério da Indús- requisitos para assegurar o sucesso
2015, no lançamento dos pólos mica internacional e regional pólos de Lubango e Namibe, a tria, José Sala, durante os últimos dos produtos feitos em Angola no
industriais um total de 23 uni- de Angola. Sul, e uma expansão, a Norte, três meses de 2018, a Unidade Téc- mercado regional”, garantiu.
dades por implantar em todo o Nesta base, o Estado com- para Gabela /Quibala /Cela nica de Investimento Privado cap- A partir deste programa, o
território. O custo do investi- promete-se em desenvolver (Cuanza Sul); e o terceiro que tou três projectos estimados em Estado levará a cabo um conjunto
mento público nestas unidades, um Modelo Territorial, orien- deverá seguir o Caminho-de- mais de 91 milhões de dólares. Os de medidas e acções destinadas
conforme o Programa do Exe- tado para uma rápida recons- -Ferro de Benguela até Huambo/ mesmos criaram, aproximada- a assegurar a qualidade na pro-
cutivo no sector da Indústria trução do potencial produtivo Cuito (Bié), prolongando-se mente, 2.500 postos de trabalho. dução nacional. E nisso, o Minis-
transformadora, avançou-se e do bem-estar da população, até Luena (Moxico). Já em 2017, a mesma Unidade tério da Indústria conta com o
em oito mil milhões de dólares. tendo por base o desenvolvi- A estratégia do Governo ali- Técnica de Investimento Privado Instituto Nacional de Qualidade
Com as mesmas infra-estru- mento de uma rede de pólos nha ainda uma rede de pólos mobilizara 48 projectos industriais, e o de Acreditação.
turas prevê-se assegurar a de desenvolvimento, pólos de de equilí brio que estrutu- avaliados em usd 11 milhões, tendo Quanto ao parque industrial
todo o território as condições equilí brio, plataformas de ram embriões de corredores criado mais de dois mil empregos. este ainda não atingiu os níveis
para uma melhoria susten- internacionalização e eixos de desenvolvimento nas áreas Os resultados foram mais desejados, pois o custo da infra-
tada da qualidade de vida das de desenvolvimento, consoli- mais remotas, onde se deverá significativos em 2016, influen- -estrutura continua além da capa-
populações (1); integrar o ter- dados e potenciais. concentrar o essencial da acção ciados pelo contexto económico. cidade financeira dos investidores
ritório e criar um efectivo mer- Assim é que o surgimento na perspectiva de promoção de Naquela altura, a indústria captou o que torna o produto final mais
cado interno, como elemento de uma rede de pólos de desen- uma maior equidade territorial. 150 milhões de dólares e foi possí- caro para o consumidor.
vital para o reforço da coesão volv imento, estruturando O prog rama iniciado no edições novembro

nacional (2); fortalecer o ter- eixos de desenvolvimento e que período 2009-2013 desenhou
ritório para o desafio da com- vão ligar três eixos urbano- que o sector industrial se
petitividade internacional, -industriais em consolida- assente num modelo centrado
diversificando os espaços de ção é das principais apostas no desenvolvimento de indús-
projecção internacional de do Governo até 2022. trias modernas e competiti-
Angola (3) e desenvolver uma Dos eixos estratégicos a sur- vas que valorizem o potencial
economia urbana e industrial girem consta um no corredor dos recursos nacionais. Com o
dinâmica que viabilize o cres- Luanda/Malanje, com prolon- mesmo, o Executivo pretendeu
cimento e a modernização da gamentos no Dondo na direc- solucionar os principais proble-
agricultura e a valorização ção de Quibala/Cela (Cuanza mas, caso da situação obsoleta
das produções rurais (4). Sul); outro segundo, de Porto do parque industrial e a insu-
Indústria nacional tem gerado emprego aos jovens ao longo destes anos
Na época do lançamento, Amboim (Cuanza Sul) a Ben- ficiência do crédito bancário.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
destaque 5

Catumbela ainda resiste com 72 unidades


Direcção provincial projecta a implementação de novos pólos nos municípios do Biópio e Lobito que vão
garantir uma maior presença das unidades ainda funcionais embora cerca de 30 tenham já paralisado

Nilo Mateus | edições novembro | Cuanza norte

da estação de fornecimento de
António Gonçalves energia eléctrica que virá de
em Benguela
Cambambe (Cuanza Norte) e

A
a existência de infra-estrutu-
melhoria das infra- ras ligadas ao fornecimento de
- est r ut u ra s dos água, factores básicos para o
Pólos de Desenvol- desenvolvimento da indústria
vimento Industrial e do comércio na região.
para que possam Destacou que já está a fun-
estar à disposição dos inves- cionar o Pólo Agro-Industrial do
tidores e a criação de mais Cubal, onde funciona a fábrica
incentivos, constituem a mola de transformação de cereais
impulsionadora para se alavan- bem como a produção de raça
car o tecido produtivo nacional. animal, que numa primeira fase
A província de Benguela tem está a explorar 3 mil hectares de
um histórico no que diz respeito terra, que terá o auxílio de uma
a actividade industrial, sendo escola de formação técnica rural,
que na região está situado o Pólo onde serão ministrados cursos
de Desenvolvimento Industrial de agricultura e pecuária.
da Catumbela. Nele, das 100 Na região Sul do municí-
empresas, que até 2011 estavam pio de Benguela e na zona da
registadas, actualmente apenas Graça estão a ser criadas con-
72 estão a operar nos ramos da dições para acomodar outros
indústria pesada, ligeira, ali- pólos industriais, assim como
mentar e não alimentar. no município da Baía Farta e
Em entrevista ao JE, o direc- na Zona Especial do Lobito.
tor provincial da Indústria de “Esses espaços todos estão
Benguela, Abel Máquina, disse projec tados pa ra o qu i n -
que a falta de verbas para o quénio previsto no Plano de
financiamento dos seus pro- As moageiras também têm sido um importante vector de disseminação das pequenas e médias indústrias locais Desenvolvimento Nacional
jectos está a dificultar a aber- 2018-2022”, anunciou.
}
tura de mais empresas naquele Para a implementação dos
recinto, bem como a provocar a
redução do número de empre-
em atenção o ordenamento
do município da Catumbela.
terra, divididas em 400 lotes.
Para a escolha do períme-
será necessário pólos de desenvolv imento
industrial será necessário
sas que já se encontravam tro onde será instalado o Pólo que as que as administrações muni-
em funcionamento. Criação de novos Pólos Industrial do Biópio, o respon- cipais elaborem os seus pla-
O responsável referiu que no O responsável anunciou que sável acrescenta que estiveram administrações nos directores, como forma
perímetro do Pólo de Desenvol- existe a necessidade de se projec- em causa a posição estratégica de delimitarem os espaços
vimento Industrial da Catum- tar o Pólo Industrial no Biópio, que ocupa ao longo da Estrada elaborem planos reservados para projectos a
bela existe espaço reservado para a acomodação de maiores Nacional nº100, bem como implementar, face a constante
pa ra a i mplementação de indústrias, que poderá ser feita o porto Comercial e o porto directores invasão pelas comunidades
pequenas indústrias, tendo num espaço de 8 mil hectares de Mineiro, além da proximidade das reservas do Estado.

Loteamentos no Bié atraem investimentos


Quatro investidores angolanos buscam oportunidade no relançamento do pólo industrial do Cunje
dr

este, por sua vez, submeteu-o já por incapacidade financeira.


Matias da Costa à Presidência da República, onde Ressaltou que a falta de
aguarda decisão final. garantias dos empreendedo-
A entrada em funcionamento “Dos grupos nacionais com res junto das instituições ban-
do Pólo Industrial do Cunje, projectos de investimentos defi- cárias está a impossibilitar
localizado há sete quilóme- nidos e viáveis destacam-se as o acesso de créditos.
tros da cidade do Cuito, capital empresas Caneth, Jocose, Orquí- Os promotores de investimen-
do Bié, aguarda pelo resultado dea e Angopri, que continuam pre- tos industriais, segundo a coor-
final do concurso público, rea- dispostas a dinamizar o sector denadora do pólo, consideram
lizado em Dezembro último, e industrial na província”, disse. bastante exigente a contrapar-
que serviu para avaliar a qua- De acordo com a responsável tida ditada pelos bancos que tem
lidade e tipo de investimentos do pólo industrial do Cunje, há causado desistência dos mesmos.
dos interessados. A informação ainda o grande interesse do grupo Com mais de dois mil hectares de
é da coordenadora do projecto. americano Aeon, cuja candida- área livre de minas, o pólo indus- O Bié é das localidades onde o seu potencial agrícola aguarda por fábricas
Elvira Chicambe disse, em tura descreve uma diversidade de trial do Cunje espera pelos ser-
entrevista ao JE, que a futura investimentos em sectores como viços de infra-estruturas, água, que o projecto é viável por se grupo tenciona, como exemplo
zona industrial do Cuito, que energia e água, com uma compo- energia e saneamento básico. registar na região um grande da proximidade existente com
faz parte dos oito pólos seleccio- nente financeira independente. défice de oferta do produto. a estação do Caminho-de-Ferro
nados em todo o país para a ade- Elvira Chicambe sublinha Mais gás de cozinha à vista “O projecto está sem data de de Beng uela, meio que vai
são de investidores nacionais e que dentro das plataformas cria- O grupo Orquídea, no âmbito arranque prevista. Mais uma auxiliar a transportação dos
estrangeiros, já realizou os tra- das, a coordenação do pólo indus- do plano de investimento que vez em execução vai reduzir a bens produzidos nas unidades.
balhos administrativos a nível de trial procedeu o loteamento de se propôs, estabelece a monta- necessidade da procura do gás Sandro Miguel salienta, por
uma comissão interministerial 610 hectares numa extensão gem de uma unidade de linha de butano. O objectivo é fornecer outro lado, que o corredor ferro-
que dirigiu o concurso. 1.800 hectares, onde realça a enchimento de gás de cozinha a região centro e leste do país, viário, de aproximadamente mil
De acordo com a coordena- concessão do direito de superfí- no pólo industrial do Cunje com que muito carece de assistência quilómetros, desde o Lobito até
dora, terminada a avaliação das cie a quem estiver interessado a uma capacidade de enchimento neste particular”, afirmou. o Luena, se afigura como mais-
propostas das empresas, a comis- aderir. Contudo, é ainda visível de 4 mil garrafas, diariamente. A localização estratégica -valia para as acções de escoa-
são remeteu o relatório para aná- uma certa retracção por parte de O gestor empresarial do do pólo industrial do Cunje mento dos bens e serviços que
lise do Ministério da Indústria e muitos empresários locais tudo grupo, Sandro Miguel, avança favorece o investimento, que o funcionarão no pólo industrial.
6
EDIÇÕES NOVEMBRO
Destaque Economia & Finanças

Fútila vai reanimar


EDIÇÕES NOVEMBRO

a indústria em Cabinda
O projecto que esteve sob tutela da empresa Benfim durante
três anos passou agora para a gestão do Instituto de
Desenvolvimento Industrial de Angola (IDIA)
Processo de privatização
ficativos que visam dar a conclu-
de grandes empreendimentos
primária nos sectores da agricul-
Joaquim Suami são dos trabalhos da 1ª fase que tura, pecuária, exploração mineira
em Cabinda

O
compreendem a construção das e florestal.
infra-estruturas básicas, como “O Governo ao pensar na reac-

24
projecto para a estradas, rede de abastecimento tivação dos trabalhos do Pólo de Francisco Curihingana
em Malanje
criação do Pólo de água e energia eléctrica, edifí- Fútila vai encorajar as empresas
Industrial do cios administrativos, esgotos para industriais a se instalarem no
Fútila come- águas residuais e fluviais, ilumi- perímetro do projecto”, considerou O ministro da Agricultura, Mar-
çou em 1996, nação pública, comunicação, esta- uma fonte do governo local. cos Nhunga, disse recentemente empreendimentos
pelo Executivo ção de tratamento de água potável, Com este propósito, o governo de em Malanje que o processo de pri- É o número de unidades agro-
angolano, com instalações para serviços de bom- Cabinda vai trabalhar arduamente vatização das grandes explorações industriais que se prevê alienar
um investimento inicial de 37 beiros e infra-estruturas de apoio para dar a conhecer aos investido- agrícolas espalhadas pelo país que por concurso público.
milhões de dólares americanos, para às empresas que pretendem res nacionais e estrangeiros as foram adquiridas com fundos públi-
tendo como objectivo desenvol- se instalarem no pólo de Fútila. vantagens da criação do pólo de cos, decorre num rítmo acelerado.
ver a economia da província de Recentemente, o director-geral Fútila para que as empresas que O governante disse existir um que ser mais alargado e abran-
Cabinda, aproveitando as valên- do IDA referiu que o objectivo pretendem investir em Cabinda relativo atraso “porque nós somos gente para que de facto nós como
cias da actividade de explora- primordial da instituição é criar possam transformar o cacau, o aqueles que pensamos que essas cidadãos comuns possamos con-
ção petrolífera. condições essenciais para que as café, o dendém e outros produ- fazendas já deviam ser conces- cluir que houve de facto transpa-
O projecto que esteve sob empresas se instalem no Pólo. tos no quadro do Plano Nacional sionadas, ser entregues, mas, há rência no processo”, disse.
tutela da empresa Benfim, “Existem empresas que já de Desenvolvimento. um processo que decorre a nível Referiu que tais projectos con-
du ra nte t rês a nos, passou manifestaram esse interesse das finanças respeitante à ava- sumiram “rios” de dinheiro mas
agora para a gestão do Insti- e tão logo estejam resolvidos Crescimento da indústria liação do custo desses empreen- que não cumpriram com os objec-
tuto de Desenvolvimento Indus- os problemas administrativos O secretário provincial da Indús- dimentos”, justificiou. tivos pelos quais foram criados.
trial de A ngola ( I DI A ) que iremos facilitar que elas comes- tria, Ndubo Paulo, referiu que os Explicou que esses empreen- Disse que em momento
tem como tarefa concluir a sem a se instalar”, assegurou. novos ventos que se registam no dimentos, “têm um valor do seu algum se mostrou optimista
primeira fase do mesmo. Quando o projecto foi conce- país vão permitir o crescimento custo, mas, tal valor de certeza na conclusão exitosa do pro-
Em três anos, a Benfim, bido, disse, o objectivo era criar as da indústria em Cabinda. não é o real, então, é preciso cesso e defendeu ainda que tais
não conseguiu dar conclusão condições para que as empresas Segundo Ndubo Paulo, o fazer uma avaliação muito rea- acções, teriam mais relevância
aos trabalhos da 1ª fase, que instaladas no campo petrolífero de governo da província de Cabinda lista do custo dessas fazendas, se fosse direccionadas à agri-
compreendem a construção Malongo se instalem no Pólo para e a população local esperam para depois partirmos para o cultura familiar, pois como
das infra-estruturas básicas, desenvolver a indústria local. que a nova governação dê outro processo de concessão”, realçou. referiu, “o pequeno agricultor
bem como definir o modelo de dinamismo para que o projecto Acrescentou que dentro de podia não gastar grandes somas
gestão e de negócio do projecto. Mais empregos do Pólo de Fútila conhece o seu poucos dias, o Ministério das em dinheiro, mas, os ganhos
Para dar mais dinâmica à O pólo industrial de Fútila, para desenvolvimento para contribuir Finanças depois de terminar podiam ser maiores e nós sem-
conclusão da 1ª fase, com vista além, de garantir o crescimento para a diminuição dos índices com o processo, o concurso, para pre defendemos a tese que era
a garantir o crescimento eco- económico de Cabinda vai igual- de desemprego que se verifi- o efeito, será logo anunciado. necessário reverter o quadro,
nómico de Cabinda, no quadro mente proporcionar mais de 14 cam na região, principalmente mas, pronto, foi.”, desabafou.
do Plano Nacional de Desenvol- mil postos de trabalho, o que no seio da juventude. Transparência no processo O estudante Carlos de Sousa
vimento 2018/2022, o Governo irá contribuir na diminuição O Pólo de Fútila terá igual- A nossa reportagem ouviu o considera mesmo que os progra-
transferiu a gestão do Pólo ao IDA, do índice do desemprego que se mente indústrias de asfalto, esta- cidadão Fernando Santos que mas foram mal geridos desde a
órgão tutelado pelo Ministério da regista na província de Cabinda. leiros de construção civil, fábricas disse ser necessário conduzir sua implementação.
Indústria, dando como findo o con- O governo local espera que de produtos de aço de consumo, o processo da alienação das “Esses projectos tiveram
trato que tinha estabelecido, em o projecto venha a dar à provín- químicos, oxigénio, acetileno, referidas empresas com lisura sérios problemas na gestão,
2015, com a Benfim, através do cia as infra-estruturas adequa- metalo-mecânica e de tintas. e transparência. tiveram pouca eficiência no
Decreto Presidencial nº 70/15. das para albergar indústrias Na 1ª fase do projecto “Nós temos que deixar de quadro daquilo que esses
de vários ramos de actividade estão reservados 102 hecta- assistir que o mesmo círculo de projectos podiam atingir, as
Benefícios atendendo as potencialidades res para a instalação de 56 pessoas que venham a se benefi- acções de monitoria em rela-
Segundo os responsáveis do IDA, económicas que detém. empresas industriais, princi- ciar por exemplo dessas empresas ção a esses mega projectos
com a gestão do pólo sob sua Para tal, vai-se extrair dessas palmente as que estão dentro do sejam os mesmos. O processo tem foram deficitárias”, disse.
tutela, serão dados passos signi- potencialidades bens de produção campo petrolífero de Malongo.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
destaque 7

EDIÇÕES NOVEMBRO

Cuanza Norte quer


EDUARDO PEDRO | EDIÇÕES NOVEMBRO

capitalizar os milhões
Um total de 11 indústrias funciona sob forte impulso do
sector privado que no domínio das águas de mesa e produção
de óleos estão apostadas em travar a dependência externa
VIGAS DA PURIFICAÇÃO | EDIÇÕES NOVEMBRO

foco em fábricas
ligeiras mantém
A antiga Vila Salazar é referência na
produção de insumos para indústria Em termos de exploração de
inertes em vários pontos da
província do Cuanza Norte,
Municipalizar a região conta com mais de
13 empresas licenciadas e a
o crescimento funcionar, criando cerca de 194
postos de trabalho.
Potencial de cada local De acordo com Velinho de
factor decisivo na fixação Barros, de 2012 a 2015, a
província registava cerca 120
dos vários investimentos empresas do ramo mineiro
e exploração de inertes, mas
De acordo com dados do gabi- devido a conjuntura económica,
nete provincial da Indústria, um total de 110 empresas
as unidades transformadoras abandonaram a actividade.
estavam instaladas em todos os Durante o ano passado, as
municípios produtores de café, Fábricas de plásticos e de produção de água de mesa são as que dão um outro ar ao processo produtivo na província empresas em funcionamento
com a instalação de fábricas de extraíram e comercializaram
descasque em todas as fazendas, 105.537 metros cúbicos de
bem como as fábricas de óleo de dos e grânulo plástico, maté- empresa, totalizam 126 unida- granito, basalto, areia, cálcio
palma. Nas zonas de maior den- Manuel Fontoura ria-prima para a produção dos des sob controlo do seu pelouro, e burgau, no valor de mais de
em Ndalatando
sidade florestal estavam insta- produtos novos, diminuindo a com destaque para as pastelarias, 171 milhões de kwanzas. Além

O
ladas serrações de madeira de poluição de resíduos plásticos serralharias, carpintarias, mar- dos inertes que servem para a
grande porte. As panificado- sector privado na para o ambiente. cenarias, moagens, para além construção, existem outros que
ras estavam igualmente confi- província do Cuanza A presente linha de produção de gráficas e pequenas oficinas. abundam na província como o
nadas em todos os municípios. Norte agiganta-se, merece atenção especial podendo Velinho Joaquim de Barros calcário, e dele podemos obter o
Não há dúvidas que a pro- embora timidamente, fazer, gradualmente, com que as realçou que o número total das carbonato de cálcio. Trabalha-se
víncia é rica em minerais, para liderar o pro- populações dos arredores tenham pequenas indústrias tem sido também no desenvolvimento da
com destaque para o ferro, cesso de aceleração da produção alguma renda extra para susten- alvo de constante oscilação, em produção de cal, gesso e tintas,
cujas maiores concentrações local e substituição das importa- tar a família. Esta fábrica pro- função de mudanças de local bem como no potencial do
estão localizadas no municí- ções ao que dispõe, nesta altura, duz, principalmente, os produtos e implementação ou mesmo o caulino existente, que serve para
pio de Cambambe, comuna de de um total de 11 unidades indus- de embalagem plástica indus- encerramento sem comunica- a produção do vidro e outros
Dange-ya-Menha, nos morros triais operacionais. triais e cíveis, que incluem firme ção ao órgão de tutela. materiais de acréscimo para o
de Cassala e Kitungo, cujas Os dados foram disponibi- alimento, sacos de alimento, de Considera-se promissora a fabrico de produtos diversos.
quantidades estão por determi- lizados ao JE pelo director pro- compras para supermercados, instalação da indústria de agro-
nar. O manganês encontra-se no vincial da Indústria, Velinho para o depósito do lixo. -minerais, visto que na provín- Energia facilita o “boom”
Cazengo (zona de Camoma), e Joaquim de Barros. cia abundam minérios como, A existência de energia
Cambambe (comuna de Zenza- Entre as referidas unidades Linhas de produção calcário, para o fabrico de cor- eléctrica, consubstanciada na
-do-Itombe), aonde localizam- constam duas fábricas de água A linha de produção de artigos rector de solos, caulino, usado construção da Barragem hidro-
-se as maiores concentrações de mesa a funcionarem na ordem plásticos produz materiais domés- como insecticida e o pyrite para a eléctrica de Cambambe em
da província. dos 70 por cento, a fábrica de mon- ticos e empresariais na vida quoti- produção do enxofre. Está ainda 1959, abundância de água,
O mármore e o Cal encon- tagem de motorizadas e bicicle- diana, que inclui garrafas e tampas na forja o projecto siderúrgico com o curso do rio Kwanza, a
tram-se em grande escala nas tas no Golungo-Alto, a fábrica de plásticas semi-acabadas para uso mineiro da Cerca (Golungo Alto), existência de uma agricultura
localidades do Zanga (Cazengo) e café no Kikulungo e uma serra- industrial, facas, garfos e copos que prevê a extracção de ferro e florescente, a partir da utilização
em Samba Lucala (Samba-Caju), ção moderna a emergir no mesmo plásticos descartáveis. a construção de uma siderurgia. e aproveitamento dos solos
pelo que todo o curso do rio Lom- município, que em breve benefi- A fábrica produz ainda man- A indústria de rochas orna- aluviais das margens do Cuanza
bigi é potencial depósito de ouro ciará de energia eléctrica. gueiras plásticas de micro-irri- mentais também ag ua rda e Lucala.
existindo igualmente indícios A indústria Rogério Leal, tida gação agrícola, além de folhas impulso concludente espe- Em virtude dos pressupostos
nos leitos dos rios Kwanza e como o maior investimento pri- plásticas, assim como para a pro- rando-se pelo resultado das que acima se destacam, foi
Lucala. Outros minerais como vado na província, no sector da dução de polpa moderada através informações do Plano Nacio- nessa altura e com vista a
o bauxite, o talco, o quartzo e agro-indústria, produz farinha da reciclagem de caixas usadas nal de Geologia (PLANAGEO), uma maior intervenção no
os diamantes existem igual- de milho, óleo vegetal e prevê lan- de papelão, com o propósito de pois existem na província for- quadro da ocupação real do
mente na província. çar a produção de óleo de palma. diminuir a poluição de resíduos tes evidências da existência território de Angola, premissa
Os pólos industriais do Lucala No pólo industrial do Lucala e protegendo o ambiente, sendo de formações graníticas, már- imposta pelas potências
e Cambambe, na província do nasceu, em 2016, uma fábrica de os principais produtos embala- mores e calcárias, assim como coloniais europeias, Portugal
Cuanza Norte, abertos e lançados reciclagem de plástico, denomi- gens de ovos, de vinho, apare- depósitos de mica, quartzo e foi obrigada a implementar o
em finais de 2016 e que previa nada Full Bliss Angola Limitada, lhos eléctricos e outros. demais composições de rochas Polo de Desenvolvimento de
o desenvolvimento socioeconó- cuja linha de produção realiza a Para o director da Indústria, interessantes para o mercado Cambambe, perdendo apenas
mico desta região do país, a jul- transformação de produtos usa- no campo da pequena e média das bijutarias. o de Luanda e Benguela.
gar pelo valor do investimento Assim, no quadro do programa
e pelas fábricas a serem monta- foram implantadas, a cervejeira
das nos mesmos, encontram-se EKA, a Sociedade de Tecidos
limitados à dificuldades finan-
ceiras dos seus operadores.
Orçados, inicialmente, em
30 e 50 milhões de dólares cada
11
indústrias
70
por cento
126
unidades
e Estamparias (Satec), a
fábrica de Beneficiamento e
Rebeneficiamento de Algodão
(AAA - Algodoeira Agrícola de
um dos mesmos empreendimen- Ambriz), a fábrica de lionização
tos enquadrou-se no projecto São as que operam no Cuanza É a capacidade funcional de Ligadas à pequena e média de banana (Banangol), a Vinelo,
do Governo Central que visou Norte com forte predomínio duas fábricas que na província indústria estão controladas para o processamento da fruta
o relançamento da indústria dos investidores privados. garantem água de mesa. pela direcção provincial. (laranja e abacaxi) e outros. MF
transformadora do país.MF
8 destaque Economia & Finanças

Desenvolvimento Industrial do Zaire


condicionado por falta de infra-estruturas
EDIÇÕES NOVEMBRO

Jaquelino Figueiredo
no Soyo

A
implementação
dos projectos de
Pólos de Desen-
volv i mento
Industrial, na
província do
Zaire, está con-
dicionada por ausência de infra-
-estruturas básicas para albergar
as diversas fábricas, associada a
crise financeira que assola o país.
De acordo com o coordenador
dos Pólos de Desenvolvimento
Industrial do Zaire, Pedro Bar-
ros Katendi, ao JE, o Ministério
da Indústria lançou um concurso
público em Dezembro último
para infra-estruturação de 100
hectares do parque industrial
integrado no Pólo de Desenvol-
vimento Industrial do Soyo, mas
sem sucesso por falta de investi-
dores privados. O Pólo possui com
uma extensão de 1.730,7 hecta-
res, dos quais 1.476 reservados
para o Soyo e outros 254,7 para
o município de Mbanza Kongo.
O também coordenador do Pólo
do município do Negage (Uíge),
Pedro Barros Katendi, apontou
a não implementação de infra-
-estruturas básicas, com des- O estado de abandono de muitos dos pólos industriais deixa claro que há pela frente enormes desafios que devem ser retomados e com maior seriedade
taque para naves diversas para
albergar diferentes fábricas, a
falta de energia eléctrica e água

100 8 12 2
canalizada, como sendo os prin-
cipais factores que inviabilizam
até ao momento o projecto.
“Por não ter havido nenhum
concorrente, aquando do lança- hectares quilómetros empresas candidatos
mento do concurso público em É o lote de terreno por infra- Distância que separa o Pólo do Inscreveram-se para implantar Manifestaram interesse no
Dezembro de 2018 para construção estruturar no parque industrial Soyo do centro da cidade de as suas unidades no interior Pólo de Mbanza Kongo, o que
das infra-estruturas para o Pólo do Pólo do Soyo Mbanza Kongo no Zaire do Pólo Industrial do Soyo enviabiliza o processo
de Desenvolvimento Industrial
do Soyo, o Ministério da Indús-
tria está a preparar um segundo
concurso, tão logo que as condi- talação de fábricas na região. De também influência no atraso ficação e engrandecimento da cultura, o Zaire possui terras
ções estejam criadas, no sentido momento temos inscritas doze dos trabalhos de implementação economia nacional, a valorização aráveis para qualquer tipo de pro-
de encontrarmos um investidor candidaturas de empresas priva- dos projectos na região. dos recursos nacionais, de modo dução agrícola, desde a manga,
que irá construí-las”, avançou. das que manifestaram interesse “Em parte sim a crise eco- a garantir o equilíbrio da balança mandioca, vários cereais, abó-
No caso concreto do pólo de de implantar as suas indús- nómica teve influência, porque comercial, o aumento do PIB e a bora, batata-doce, abacate,
Mbanza Kongo, com uma exten- trias no pólo do Soyo, enquanto afectou quase todos sectores de criação de emprego”, avançou. amendoim, feijão, palmeira de
são de 254,7 hectares totalmente que, para Mbanza Kongo ape- actividade a nível do país, onde dendém, café, banana diversa,
desminada e registada em nome nas duas candidaturas o que a indústria nacional não ficou de Potencialidades cítricos e entre outros”, frisou.
do Instituto de Desenvolvimento inviabiliza o projecto”, explicou. parte, mas a crise não vai invia- A vasta extensão territorial da No toca nte a pecuá ria ,
Industrial de Angola (IDIA), loca- bilizar a sua implementação dos província do Zaire, detém um Pedro Katendi avançou que,
lizado no lado direito ao longo da Os entraves pólos, porque há um esforço do potencial económico invejável ao longo da extensão terri-
EN120, no sentido Mbanza Kongo/ Apesar de não haver ainda infra- Executivo para implementação e de alto valor comercial por se torial, a província dispõe de
Nóqui e uma parte a esquerda ao -estruturas básicas, segundo dos mesmos”, frisou. explorar por parte de investido- condições favoráveis para a
longo da EN120, há oito quiló- avançou o coordenador dos Pólos No tocante a importância res, quer nacionais, quer estran- criação de gado com predomi-
metros da capital da província, de Desenvolvimento Industriais de implementação de Pólos de geiros, avançou o coordenador nância ao bovino, caprino e
Pedro Barros Katendi, fez saber do Zaire e do Negage (Uíge), o Desenvolvimento Industrial, dos Pólos de Desenvolvimento suíno. Ao passo que, no concer-
que, para além da falta também de governo angolano está a tra- Pedro Katendi disse que a aposta Industrial, Pedro Katendi. nente a pesca, a região dispõe
infra-estruturas básicas, a ausên- balhar na criação de condições dos referidos projectos, assenta De acordo com Pedro Katendi, de uma vasta costa marítima
cia de candidaturas de empresas para a sua concretização. na diversificação e engrandeci- o incalculável manancial de recur- e diversos afluentes do rio
privadas para investirem naquele “É verdade que não se vêm mento da economia nacional, sos económicos da província do Zaire, onde se pode praticar
parque, constitui outro factor quaisquer sinais ao momento, no sentido de garantir o equi- Zaire, estendem-se desde o geoló- pesca quer de arrastões, de
que inviabiliza o projecto. mas estamos a trabalhar na líbrio da balança comercial e gico-mineiro, agricultura, pecuá- linha, artesanal e continental.
“Quanto ao Pólo de Mbanza criação de condições para que por conseguinte o aumento do ria, silvicultura, até a pesca. De acordo ainda com o coor-
Kongo, com uma extensão de isto aconteça, nos próximos Produto Interno Bruto (PIB) e “A província é muito rica em denador Pedro Katendi, a pro-
254,7 hectares destinada para o tempos”, acrescentou. criação de empregos. calcários, água mineral, ouro, víncia do Zaire para além dos
referido projecto, espera-se que A par da ausência de infra- “O programa de industriali- cobre, mercúrio, bauxite, chumbo, recursos já referenciados, dis-
haja mais candidaturas para -estruturas nomeadamente naves, zação de Angola, do que faz parte zinco, hidrocarbonetos, rochas põe igualmente de outros que
que o Ministério possa lançar o água canalizada e energia eléc- o projecto de criação de Pólos de carbonáticas, cuano, quartzo, os empresários, quer nacionais,
referido concurso público para a trica, o coordenador dos Pólos do Desenvolvimento Industrial, como entres outros, fazem parte de quer estrangeiros podem explo-
implementação de infra-estrutu- Zaire, acredita que a crise eco- disse, assenta e tem como prin- recursos geológico-mineiros rar para a diversificação do seu
ras básicas que permitirão a ins- nómica que assola o país, teve cipal objectivo, além da diversi- da região. No capítulo da agri- portfólio de negócios.
SEXTA-FEIRA, 19 DE ABRIL DE 2019
DESTAQUE 9

O (des)caso dos Pólos Os pólos funcionam mesmo?

O O
s pólos industriais foram cria- que são efectivamente os pólos
dos sem uma base e sem objec- industriais e quais são a sua
tivos conhecidos. realidade em Angola. Funcio-
As zonas industriais nos nam? Geram receitas para
países podem ir sendo desen- o Estado por via do retorno
volvidas à medida que os empresários aos investimentos feitos? Foram coloca-
instalam as suas unidades de produção. dos nos lugares mais adequados? O que
Nestas situações, ao Estado caberá sem- esteve verdadeiramente na base destes
pre definir a zona para a instalação das centros de importância económica? São
indústrias e proporcionar as infra-estru- questões que, com certeza, se colocam e
turas necessárias, assim como garantir que se gostaria verem respondidas. Ora
água e energia, esgotos e arruamentos. vejamos, a questão do desemprego é uma
No nosso caso, e sem se perguntar a realidade entre nós e o apelo para solu-
ninguém, decide-se construir. ções imediatas são constantes e as res-
É exactamente, por isso, que não se postas chegam a passo lento. Os pólos
podiam esperar grandes resultados. industriais se não, deveriam jogar um
Aliás, tudo foi feito numa altura em que papel importante no enxuto da ainda gri-
a nossa economia era Virtual impulsionado tante falta de emprego.
por receitas dos petróleos excepcionais Lago de Carvalho Procuramos responder estas e outras Agostinho Chitata
e por créditos externos desnecessários. Economista preocupações sobre os pólos industriais Director do Jornal Economia & Finanças
O desastre está à vista e não precisa- existentes e saber se são ou não centros
mos de dizer mais nada. O que me admira (im)produtivos? Quantos existem e quantos

}
é que se continua pelo mesmo caminho, funcionam e o que fazem? Na pesquisa rea-
numa altura em que não temos meios para lizada via internet, encontrámos alguma
}

fazer manutenção do que está construído e informação que nos pode levar a compreen- HOJE A QUESTÃO
continuamos querer desperdiçar dinheiro. der o “fenómeno” em Angola e os resul-
Zonas industriais só são necessárias O QUE FOI FEITO COM tados que trouxeram à nossa economia. QUE SE COLOCA
se houver projectos privados nas várias Nisto, encontramos matérias de 2011
províncias que delas precisam. AS UNIDADES TÊXTEIS, em que o Secretário de Estado da Indús- É SE ESTES PROJECTOS
A industrialização para ser susten- tria, Kiala Gabriel (na altura) afirmava que
tável precisa de utilizar como insumos OS CIMENTOS, OS as políticas de aceleração do programa de FORAM EXECUTADOS
produtos ou recursos existentes no país. industrialização do país passavam pela
Indústrias que precisam de impor- PORTOS, PROJECTOS construção de pólos de desenvolvimento que temos e que motivem à competitivi-
tar todas as matérias-primas para tra- industrial nas 18 províncias. Na ocasião, dade? Possuímos terras cheias de recur-
balhar continuam a ter um peso na DE IRRIGAÇÃO, AVIÁRIOS dissertava sobre “As linhas orientadoras sos e água para atingirmos a estabilidade
balança de pagamentos e só em casos da política do desenvolvimento indus- para se ter indústrias transformadoras
muito particulares em que haja uma E OUTROS DEVE SER trial de Angola”, num fórum de elevada com máquinas permanentemente funcio-
grande incorporação de outros recursos importância. nais. Apostar e assumir sermos nós mes-
nacionais como água, electricidade ou O SUFICIENTE PARA NÃO A julgar pela relevância, começaram a mos os donos do nosso desenvolvimento
mão-de-obra se podem justificar. ser desenhados os primeiros sinais para deve ser o caminho. É importante que o
Quem tem que fazer este exercício é SE CONTINUAR este segmento crucial à economia, gera- crédito bancário seja facilitado para que
o investidor promotor do investimento, dor de emprego e receitas fiscais. Disse se salve os nossos parques industriais.
cabendo ao Estado avaliar se existe real- NESTE CAMINHO que a nível do país estavam já identifica- Quanto se precisaria em termos de
mente um valor acrescentado local que justi- dos 11 pontos para a aplicação de pólos de investimentos para que possamos ter
fique o acesso às divisas e outros benefícios desenvolvimento industrial para ofere- uma indústria transformadora capaz?
que sejam solicitados. truí-los, depois se funcionam ou não, já cer oportunidades de negócios, no qua- Assistimos hoje empresários que se quei-
Sobre os oito (8) mil milhões de dóla- pouco importa, infelizmente. A utilização dro da lei das parcerias público-privadas. xam de falta de recursos para levarem
res para industrializar o país de que se em projectos deste tipo ou nas famosas cen- E avançou, na altura, montantes para avante os seus programas virados ao
falou, em 2015 na altura da apresentação tralizadas de materiais de fabrico local deve- o financiamento para aquilo que conside- desenvolvimento das suas actividades.
destes projectos, não tenho nenhuma base ria ser obrigatória como forma de reduzir o rou como execução de projectos de cadeias Uma classe que, supostamente, enfrenta
para dizer se chega, mas os números que endividamento externo. Nunca poderá ser produtivas, consubstanciados na recu- muitas dificuldades, se queixa de estar
se fala só para uma refinaria, por exem- 100 por cento, mas a norma devia ser essa. peração das indústrias moageiras e de de mãos atadas para manter viva e fun-
plo, ultrapassa isso e de longe. A verdade E que papel para a banca nesse pro- têxteis espalhadas pelo país e que o Exe- cional as unidades produtivas.
é que todo o mundo gosta muito de lançar cesso? Claro está. Julgo que ela só poderia cutivo iria recuperar, modernizar e espe- Ter-se uma indústria forte, sem dúvida,
números para impressionar. intervir caso os parques que se anun- cializar as empresas têxteis Textang II, deve constituir um dos grandes desafios
Gostava muito que os nossos empre- ciam fossem financiados por ela. E não ÁfricaTêxtil e SATEC, de forma faseada, e os pólos industriais devem jogar um
sários tivessem a capacidade de usar me parece ser o caso. gastar mais de mil milhões de dólares. papel decisivo. O cenário que bastas vezes
somas dessa ordem e gerí-las de forma A banca pode e deve ter um papel Foi também, como anunciava, apro- se constata não nos dignifica. Observa-se
a multiplicar a riqueza e pagar o endivi- importante no financiamento às unida- vado o programa para a recuperação mais unidades paradas, com máquinas
damento que isso implica. des industriais que se queiram instalar das moageiras de Luanda, Kwanza-Sul, “novas” enferrujadas do que a labutarem.
A indústria e outras actividades empre- seja onde fôr. Os juros, a qualidade dos Huíla e Cabinda, salientando que decor- A sensação que cria é de que há claro aban-
sariais não se desenvolvem no país porque projectos e a experiência dos promoto- ria o processo de negociação do Banco de dono e irresponsabilidade pelos investi-
o Estado criou uma máquina burocrática res serão os elementos fundamentais Desenvolvimento Angolano (financiador mentos feitos. Gastam-se rios de dinheiro
cuja atitude é de impedir o desenvolvi- para que isso aconteça. Mesmo para do programa) com os promotores do pro- e depois se “manda lixar” se dão ou não
mento em lugar de o apoiar. Essa máquina as disponibilidades que a banca, jecto que iria, numa primeira fase, dis- resultados. Como vamos proteger assim o
precisa de ser desmantelada mudando a agora, irá ter para a economia com ponibilizar pouco mais de 200 milhões “feito em Angola”? Já disse alguém que o
mentalidade de toda a administração. juros bonificados a 7,5 por cento será de dólares para recuperar as moageiras que temos de “indústria” (aspas proposi-
Parques rurais quem os pediu? Foram difícil encontrar projectos para as do Kwanza-Sul e de Benguela. tadas) só servem, e quando servem, para
os produtores agrícolas ou foi inventado utilizar na totalidade. Hoje a questão que se coloca é se estes enlatar e ensacar o que vem de fora.
num gabinete em Luanda ou no exterior? A questão de fundo é que o Governo projectos foram executados e quais as rea- O país tem de continuar a crescer. É o
A localização de áreas industriais é de uma vez por todas e durante alguns lidades destas indústrias que, na altura, desiderato deste Executivo. A contribuição
matéria de estudo. Não se decide porque anos tem que priorizar os recursos na cabiam num programa de recuperação e de todos é fundamental, pois só assim a eco-
fica bonito num canto qualquer, muito manutenção do que foi construído nos que seriam devidamente financiados. Com nomia engrena e pode caminhar sobre car-
menos usando dinheiro do Estado. últimos anos e garantir que temos estra- certeza que se augura ter-se uma economia ris. Caso contrário, vamos nos manter nesta
Reitero que a iniciativa privada seria das e que os hospitais e as escolas não interna cada vez mais forte e que incentive caminhada de vários contornos e que nos
o ideal para se construirem zonas indus- caiam por falta de manutenção. verdadeiramente à produção industrial. vão, cada vez mais, retardar na obtenção de
triais, mas para isso não poderão ser utili- Para isso devemos parar com projec- A adopção de políticas económicas um porto certo e seguro: o da prosperidade.
zados fundos oferecidos pelo Estado a quem tos de novas infra-estruturas para as internas fortes, adequadas e de incen- Acabar com o quadro de excessiva burocra-
quer que seja, mas sim com financiamen- quais não temos recursos e que impli- tivo à produção industrial, é importante. cia, apostar na generosidade nos impostos,
tos pelos quais os promotores respondam. cam maiores custos no futuro com a sua Como estamos em termos de produção mais segurança jurídica (começa a fazer-se
Quem apresenta estes projectos de par- manutenção. O que foi feito com as uni- industrial? Já podemos considerar que sentir, com julgamentos de crimes econó-
ques claro que tem que vender a ideia e con- dades têxteis, os cimentos, os portos, possuímos uma indústria ao serviço da micos) são ferramentas importantes para
seguir apoios e fundos do Governo. Para projectos de irrigação, aviários e outros economia doméstica, que esteja assente abrir alas aos investimentos em infra-estru-
isso, tem que ser optimista e mostrar entu- deve ser o suficiente para não se conti- em modelos que valorizem os recursos turas económicas de relevância.
siasmo. A preocupação é conseguir cons- nuar neste caminho.
10 destaque Economia & Finanças

Miguel Luís Presidente do Conselho de Administração do Pólo Industrial de Viana

Pólo Industrial de Viana


aposta nas infra-estruturas
Melhor o fornecimento de energia eléctrica, água e os acessos constitui o cavalo de batalha do actual
Conselho de Administração que olha atribuição dos terrenos baldios aos interessados como alternativa

rior era ínfima para a demanda.


André Sibi

C
Em relação a distribuição de
água nas unidades industriais está
objectivo de diver- em curso um estudo para instalação
sificar, expandir e dos ramais (tubos) de distribuição
promover a venda Os custos da água potável a nível do perímetro.
de terrenos e ser- Na realidade este constitui o nosso
viços às empre- operacionais principal desafio para 2019. Depois
sas interessadas, da energia, queremos ver resolvida
o Pólo de Desen- para assegurar a questão da água. Estamos a dis-
volvimento Industrial soma a cutir com a Epal, com o apoio dos
segue na criação de condições o abastecimento investidores do sector. Trata-se de
para um ambiente de negócio um projecto orçado em mais de um
mais atractivo nesta zona de pro- da água e energia milhão de dólares.
dução industrial, que caminha Quanto a infra-estrutura rodo-
rumo à diversificação, por isso, eléctrica no pólo viária o desafio passa para melhoria
siga a entrevista com o seu PCA na iluminação pública, um desa-
Miguel Luís. industrial de fio, que ainda não temos previsão
exacta para começarmos porque
Como é que se pode definir o Pólo de viana rondam os envolve custos muito altos. Já temos
Desenvolvimento Industrial de Viana? um orçamento e estudos muito lan-
O Pólo de Desenvolvimento Indus- 300 milhões de çados sobre o assunto, porém fal-
trial de Viana S.A pode ser definido tam recursos para o efeito.
como uma sociedade comercial anó- kwanzas/ano
cedida
nima, tutelado pelo Ministério da Quais são as principais unidades de
Indústria, constituído ao abrigo produção de referência no Pólo indus-
do Decreto Executivo nº41/98, de trial de Viana?
14 de Agosto de 1998, publicado No Pólo industrial de Viana, temos
no Diário da República nº75 do várias unidades de referência em
mesmo ano, tendo como base de um processo de reorganização pro- mente simplificado. O primeiro seja industrial e viável. termos de produção de bens e ser-
constituição as resoluções 1/98 de funda a nível territorial. Já as zonas requisito passa por apresentar Qual é o grau de operacionalidade das viços. No entanto, o destaque recai
10 de Março e 4/98 de 27 de Março (A) e (B) estão registados 422 pro- um projecto de caris industrial. unidades instaladas no Pólo Indus- para as fábricas de materiais de
da Comissão Permanente do Con- jectos concluídos estando a labo- De seguida a documentação legal trial de Viana? construção civil, nomeadamente
selho de Ministros. rar neste momento 274 projectos. da empresa, planta ou “lay aut” do A conjuntura económica do país tubos hidráulicos, chapas, produtos
projecto para se aferir a sua confor- tem vindo a reduzir a velocidade derivados de cimento, tintas e simi-
Qual é o objectivo do Pólo Desenvol- O actual estado do Pólo de Desenvol- midade técnica. Apenas isso. Uma de muitos projectos industriais. lares. Segue-se o sector de mobília,
vimento Industrial de Viana? vimento Industrial de Viana lhe satis- vez aprovado, segue-se a identifica- Neste momento a situação das vestuário, siderurgia, processa-
Esta infra-estrutura tem como faz enquanto gestor principal? ção do lote de terreno no perímetro empresas do sector é muito volá- mento alimentar, gás, incluindo
objectivo social a criação, gestão Obviamente que não! Por várias do Pólo Industrial de Viana, pelos til, o que torna difícil precisar em medicinal, papel, papelão e fraldas
e promoção do Pólo de Desenvol- razões. Devido à crise económica serviços técnicos para se instalar termos percentuais a operaciona- descartáveis. Para breve, teremos
vimento Industrial de Viana, na resultante do preço do petróleo a infra-estrutura. De recordar que lidade de cada uma delas. Porém, a construção da fábrica de emba-
província de Luanda, enquanto no mercado internacional, o país não tem sido fácil obter um espaço existem dados relativos à produ- lagens diversas, massa e óleo ali-
instrumento de diversificação e tem vindo a registar nos últimos a breve trecho para se desenvolver ção diária destas unidades e que mentar e farinha de trigo.
expansão industrial, assim como anos, o encerramento massivo de um determinado projecto, pois, ape- são contabilizados pelo Gabinete
a promoção e comercialização de muitas unidades industriais, bem sar do elevado número de terrenos de Estudos, Planeamento e Esta- Quais são os principais desafios do
terrenos locais e serviços, selec- como o abrandamento de outras, livres sem qualquer projecto tem tística (GEPE), do Ministério da Pólo Industrial de Viana actualmente?
ção e convite às empresas interes- que reduziram em grande medida sido difícil pois são titulados por Indústria a partir da plataforma No topo das preocupações constam
sadas em implementar-se no Pólo a sua produção, uma situação que pessoas jurídicas, que não têm inte- informática própria. No entanto as infra-estruturas de comunica-
de Desenvolvimento Industrial de tem vindo a melhorar tendo como resse ou capacidade para investir, podemos garantir, que uma cifra ção, energia e água. E seguem-se
Viana, bem como a gestão de serviços base as políticas económicas que o tornando difícil o trabalho da enti- considerável está a gerar emprego e as outras as questões. No entanto,
próprios deste tipo de instalações. Estado tem vindo a implementar dade gestora do projecto. Há muitos bem estar para muitos angolanos. acreditamos que mais que incenti-
no apoio às empresas. Neste que- espaços em estado de pleno aban- vos fiscais e outras facilidades os
De que forma está distribuído o Pólo de sito, o Pólo de Desenvolvimento dono. Porém, estão em curso um Quais são os projectos em curso para empresários estão ansiosos em ver a
Desenvolvimento Industrial de Viana? Industrial de Viana tem vindo a conjunto de medidas destinadas a dinamizar o Pólo Industrial de Viana? situação das infra-estruturas selec-
O Pólo de Desenvolvimento Indus- desempenhar um papel impulsio- reverter o actual quadro. Na medida Para se dinamizar o Pólo de Desen- cionada. Para mitigar este problema,
trial de Viana compreende uma nador na transmissão das preocu- em que o Estado vai desocupando volvimento Industrial de Viana essencialmente das infra-estrutu-
área total de 815 lotes de terrenos, pações e problemas dos industriais os terrenos vai criar condições de estão em curso três projectos funda- ras, temos em funcionamento uma
distribuídos em três (3) zonas de ao Ministério de tutela e outras distribuí-los aos investidores com mentais nos domínios da energia, brigada de terraplanagem, para
desenvolvimento da actividade entidades visando a solução dos capacidade para explorar de forma água e infra-estruturas. Quanto ao melhorar de forma constante os
económica, nomeadamente a Zona vários desafios que os investido- efectiva estes espaços de modo a sector energético podemos assegu- acessos. Para mitigar as dificulda-
(A), que parte das instalações da res enfrentam. E esperamos que a gerar emprego, renda, crescimento rar a conclusão da subestação eléc- des no acesso à água potável, conta-
Teixeira Duarte até O Candando situação venha a melhorar definiti- e desenvolvimento. trica do Pólo com uma capacidade mos com uma girafa que abastece
de Viana. A Zona (B), que parte vamente, porque temos consciência para 100 megawatts de energia que regularmente as unidades de pro-
do Cemitério de Viana até a via que isto geraria impacto econó- Qual é o volume de negócios mínimo estão a ser transportados, distri- dução em toda o perímetro do pólo.
Expressa e por último a Zona (C), mico e social directos à sociedade. exigido para que um investidor possa buídos para as diferentes unidades Estamos cientes que é uma situa-
que integra o Porto Seco, está reser- ceder ao Pólo Industrial de Viana? industriais de acordo as necessida- ção paliativa no entanto estamos
vado maioritariamente por pro- Quais são as condições necessárias Não existe um valor mínimo des de consumo interno. Um esforço a trabalhar para mudar o quadro.
jectos comerciais e de prestação para um empresário aceder ao Pólo exigido para ter acesso ao Pólo desenvolvido de modo a mitigar as E os custos operacionais deste tra-
de serviços. Face às suas caracte- Industrial de Viana? de Desenvolvimento Industrial dificuldades dos investidores neste balho por exemplo rondam os 300
rísticas, a Zona (C) está em curso O procedimento está completa- de Viana. Desde, que o projecto segmento, pois a capacidade ante- milhões de kwanzas por ano.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
publicidade 11

( 700.029)
12
Finanças
Economia & Finanças

BFA e BIC cobram menos


para ceder empréstimos
Taxa de juros para empréstimos nos principais bancos comerciais angolanos varia entre 20 a 35%
e por tratar-se de um produto com menos exigência burócrática na sua aprovação é de elevada procura

edições novembro
}
Vânia Inácio

O
a celeridade Créditos
s ba ncos de
Fomento Angola nestes empréstimos automóveis
(BFA) e Inter-
nacional de deve-se ao facto seguem linha
Crédito (BIC)
com 20 e 23 por de as taxas Apenas o BCI paga
cento em taxa na totalidade o valor
de juros são, entre um grupo serem favoráveis do veículo. os outros
de seis levantados, os que
menos cobram para a concessão aos negócios exigem 10% ao cliente
de empréstimos financeiros.
Ao que apurou a nossa repor- da banca A concessão de créditos
tagem junto dos operadores, os automóveis na banca angolana,
bancos Angolano de Investimen- uma modaliadde que foi de
tos (BAI) e Millennium Atlân- elevada procura há alguns
tico (BMA) cobram até 35 por Banco de Fomento Angola (BFA) foi também já em 2018 o maior em activos anos, segue em linha com os
cento para os créditos pessoais outros produtos financeiros no
e adiantamento de salários. Já que diz respeito ao custo com
o de Comércio e Indústria (BCI) elevados níveis de crédito mal- No banco BAI, por exem- “Eu recebi o dinheiro depois taxas de juro.
combra 27 por cento, contra os parado que a instituição pos- plo, a autorização do dinheiro de dois meses, por causa de As taxas são semelhantes às
anteriores 23, enquanto que o de sui e “a situação económica do pode va ria r entre 20 e 45 algumas complicações no pro- aplicadas para os empréstimos
Poupança e Crédito (BPC) ape- país”, segundo um funcionário. dias, o que também em média cesso do meu avalista”, disse pessoais, pois levam um prazo
nas está a conceder os adian- O empréstimo pessoal é um ocorre nos demais bancos. um dos clientes entrevistados. máximo de financiamento de
tamentos salariais, fruto da dos créditos que possui maior O BCI, em concreto, auto- Ao que se constatou a celeri- até 60 meses (5 anos), com
suspensão das demais catego- facilidade de aprovação entre r i za o c réd ito ent re 30 a dade nestes empréstimos deve-se um taxa de esforço (valor da
rias de créditos. Na base das todas as categorias, além da 6 0 d ia s , dependendo da s ao facto de as taxas serem favo- prestação bancária com os
justificações do BPC estão os liberação do dinheiro ser rápida. condições de cada cliente. ráveis aos negócios da banca. rendimentos do agregado
familiar) não superior a 40 por
cento dos rendimentos.
De acordo com dados do
PIB cresce Carta de Crédito na perspectiva nosso levantamento, o Banco
de Comércio e Indústria (BCI)
no IV trimestre é quem dá, até ao momento,

O PIB angolano cresceu, no IV tri- do “Due deligence” e do “Compliance” o valor total da viatura, mas
tem ainda suspensa até novas
mestre de 2018, 2,2 por cento, o I edições novembro ordens.
trimestre de crescimento desde Network dos participantes. Nos demais operadores
o 3T de 2017. No ano de 2018, a “Due diligence” nada mais é bancários, há a exigência de o
economia encolheu 1,7 por cento, senão a necessidade de uma cliente subscritor da proposta
o III ano consecutivo de reces- dada empresa verificar se os de crédito ter em sua posse
são, após as quebras de 2,6 por seus clientes estão a cumprir um valor equivalente a 10
cento, em 2016, e 0,1, em 2017. com as normas fixadas nos por cento do custo do bem a
O documento publicado contratos seja para com a adquirir.
na página do BFA faz nota à empresa seja para os clientes Embora possa ser vista
uma revisão em ligeira baixa aos quais ela mesma presta como opção, devido a taxa
dos dados reportados para o I serviços. Numa linha curta, de esforço e facilidade na
e II trimestres deste ano, que “Due diligence” é a verifica- obtenção, o crédito automóvel
registaram quebras homó- ção se o cliente está alinhado só é atractivo dependendo do
logas de 2,5 e 5,1 por cento, aos normativos do negócio. custo total da viatura. VI
respectivamente (2,2 e 4,5 Treinar profissionais nas áreas de compliance é cada vez mais tarefa actual Em suma, o controlo interno
nos dados antes da revisão). e a “Due diligence” são todos dr

Na sua página, o banco objectos da conformidade.

500
refere em documento/estudo “Carta de Crédito na perspec- Já o objectivo do “compliance”
que o FMI aprovou um Pro- tiva do Compliance e do Due é criar uma cultura empre-
g ra ma de F i na ncia mento deligence” é tema de pales- sarial ética, e ela ensina-se.
Ampliado de 3,7 mil milhões tra a ser ministrada por Joa- Observa, contudo, que não
de dólares, com a duração de 3 quim Briote, representante profissionais falámos da ética como valo-
anos, para apoiar a implemen- do Instituto de Compliance res morais, mas sim como
tação de reformas económicas, de Angola e especialista em Número de profissionais conduta empresarial. E isso
em suporte ao Plano de Desen- governação corporativa e dedicados ao ramo do também ensina-se, controla-
volvimento Nacional 2018-22, Compliance, no próximo dia compliance que se estima -se e monitoriza-se. O que não
com destaque para as políticas 25, numa das unidades hote- como estando inscritos em se pode admitir é não fazer-
orçamentais, monetária e cam- leiras de Luanda. organizações afins e que se mos nada, mas esperarmos
bial, do sector financeiro, e as A iniciativa é da Rede Inovar pretende ver aumentado que haja uma conduta ética
reformas estruturais. Também, e tem como objectivo aprimo- nas pessoas ou nas organiza-
há, em realce, as medidas mais rar os conhecimentos a nível ções. A ética e o “compliance”
recentes tomadas pelo Comité Financeiro, Compliance e andam de mãos dadas. Um
de Política Monetária do BNA, também alargar o Business não existe sem o outro.
na sua reunião de Março. Carro novo no banco é para pensar
SEXTA-FEIRA, 19 DE ABRIL DE 2019
FINANÇAS 13

EDIÇÕES NOVEMBRO

Jogos de “fortuna ou azar” facturam


sem controlo dos órgãos do Estado
As actividades de um total de 14 operadoras que
gerem 60 casas é desconhecida pelas Finanças

O Ministério das Finanças des- aos principais indicadores de


conhece informações sobre o imposto económico, financeiro
real volume de negócios que os e social deste sector”, admi-
casinos e salas de jogos “fortuna tiu o director-geral adjunto
ou azar”, facturam em Angola. do Instituto de Supervisão
As actividades de um total de Jogos, Ngouabi Salvador.
de 1 4 operadoras, com 60 A situação agrava-se ainda
casas de jogos, que actuam pelo facto da maioria destas
no país, na sua maioria na operadoras não apresentarem a
província de Luanda, mui- sua contabilidade organizada,
tas delas exercem acções sem bem como o incumprimento do
visibilidade requerida, uma pagamento de impostos con-
situação que vai obrigar o forme a Lei 5/16, de 17 de Maio,
Medidas tomadas estão inseridas no Programa de Assistência Técnica assinado entre o Executivo e o FMI até 2022 regulador a actuar de forma Lei da Actividade de Jogos.
diferente nos próximos dias. Mesmo com os regulamen-
No encontro entre o Insti- tos em vigor, como o Decreto

Despesa pública tida


tuto de Supervisão de Jogos e Presidencial nº141/17, de 23 de
operadores de jogos de “fortuna Junho, que regula os jogos de
ou azar” realizado esta quinta- “fortuna ou azar”, a Lei 34/11
-feira, em Luanda, de acordo com de Setembro, Lei do Combate

como o mau dos impostos


a Angop, ficou visível que grande ao Branqueamento de Capi-
parte das operadoras ganham tais e Financiamento do Terro-
dinheiro em Angola e exportam rismo, no contexto de regulação
os capitais para outros países. de jogos, instrumentos jurídi-
“Há actualmente, uma falta cos reguladores da actividade
Ministério das Finanças e Fundo Monetário Internacional (FMI) de informações fiáveis relativas desrespeitados por operadores.

pretendem o aperfeiçoamento da sua execução nos vários planos DR


}

Combate às Irregularidades da
Regina Handa Função Pública, explicou que

A
têm estado a realizar seminá-

120
m á des p esa é o rios, visitar gestores e a tentar
pior dos impostos seguir uma vertente pedagógica.
e u m f lagelo às No que toca a questão
gerações actuais das fraudes, Nteka explicou
e vindouras, razão que não tem se registado um
pela qual justificam-se todas VISITAS INSPECTIVAS número elevado, mas como é
a s med ida s dest i nada s a Vão ser efectuadas pelo obvio é uma questão que não Controlo destes operadores impõe-se até para prevenir crimes económicos
aperfeiçoar a sua execução. grupo de trabalho criado vai deixar de existir facilmente.
A afirmação é da directora pelo Ministério das Finanças, “Por mais mecanismos de
Nacional do Investimento Público. que tem como missão visitas controlo que possamos envidar, PUBLICIDADE
Juciene Cristiano disse, de controlo e prevenção de haverá sempre pessoas a tentar
esta semana, em Luanda, ser fraudes. cometer a fraude”, afirmou.
o workshop, de iniciativa do Por essa razão, disse ser preo-
Ministério das Finanças em cupação do grupo que coordena,
parceria com a representação a criação de bases fortes para o
do Fundo Monetário Interna- latino-americanos. controlo, de modo que sempre que
cional (FMI), uma iniciativa Citou, por exemplo, o modelo existir uma fraude, elas possam
que se destina à partilha e do Chile que disse ser de “boas ser detectadas e depois arran-
d issem i nação das melho - práticas”, mas que requer esfor- jarem-se mecanismos para que
res práticas para a execução ços muito grandes de qualquer não voltem a acontecer.
da despesa pública no quadro país que queira o adoptar. Disse também que o seu
do Orçamento Geral do Estado. “É um modelo que pode incen- depa r ta mento foi c r iado
Lembrou que estas medidas tivar o Governo a ter outras visões no a no pa ssado e cont a ,
tomadas estão inseridas no Pro- de como poderia fazer a ges- no momento, com 20 técnicos.
grama de Assistência Técnica tão das suas finanças públicas, Admitiu, por via disso, que
assinado entre o Executivo e o mas não recomendo como uma embora muita coisa tenha sido
Fundo Monetário Internacional, mudança imediata”, precisou. feita, há ainda outras tantas por
através do qual procura mate- Admitiu também que o Chile fazer, uma vez que o número de
rializar as medidas contidas tem um fundo de estabiliza- técnicos não é suficiente, pelo
no Plano de Desenvolvimento ção que permite um orçamento facto de controlarem ao todo mais
Nacional 2017-2022. de despesas bastante regular de dois mil órgãos dependentes.
Por seu turno, o consultor ao longo dos anos. Não é afec- Com a criação, em 2018,
do FMI, Claudino Albuquerque, tado, fortemente, pelo ciclo eco- do departamento de Controlo
abordou o assunto na perspectiva nómico, pois no ano em que a do Ministério das Finanças,
segundo a qual, as pessoas têm receita cresce muito, ele não vai trabalhos de controlo prosse-
sempre um espaço muito largo crescer e a despesa pública vai guem este ano (2019), uma ini-
de aperfeiçoamento nos procedi- guardar o excedente no fundo de ciativa que vai abranger mais
mentos e nas ferramentas, que reserva. Já no ano que a receita de 120 instituições públicas,
no caso específico de Angola, o cai o Governo não será afec- segundo fez referência a Angop.
Governo já fez investimentos tado porque mantém o nível de Já as irregularidades em ter-
muito importantes e tem siste- execução de políticas públicas mos de execução do orçamento,
mas que funcionam muito bem pelo uso daquelas reservas que por parte dos gestores, paga-
como é a gestão da Conta Única acumulou em anos anteriores. mento de despesas em linhas
e da própria Contabilidade. Já o consultor e coordenador que não estão previstas no OGE,
Segundo disse, neste aspecto, do grupo de trabalho financeiro como cabimentado em naturezas
( 700.032)

Angola está muito melhor que do Ministério da Finanças, Panzo erradas, foram detectados em 40
alguns país da região e da África Nteka, que dissertou o tema órgãos públicos, durante um tra-
em si, tal como de muitos países Sistema de Controlo Interno e balho piloto realizado, em 2018.
14 preços Economia & Finanças

Supermercados

Compras em ritmo de relaxe Produtos


Alimenta
Angola*
Kero* Maxi* Candando* Shoprite

Maxi do Morro Bento promove diariamente com vários jovens Açúcar - 1kg 240,00
239,00
310,00
249,00
290,00
319,00
269,00
259,00
259,95
349,00
Água mineral - 5lt
a venda de artigos e produtos culturais no hall de entrada da loja Arroz - 1 kg 284,00 224,00 259,00 279,00 299,95

Azeite - 500ml 1.240,00 1.199,00 450,00 1.099,00 699,95

tura em tela que o Maxi do Morro tar, são de certo modo acessíveis, Batata rena - 10kg 2.390,00 1.890,00 2.690,00 1.940,00 2.999,95
Isaque Lourenço Bento dispõe, é um verdadeiro car- pois variam entre os 3.000 e os

A
tão de visita, só não fosse também 75 mil kwanzas, dependendo dos Carne bovina/bife-1kg 1.900,00 2.695,00 2.590,00 2.199,00 1.399,95
o fim-de-semana, a pelo posicionamento, quiçá pro- gostos e da escolha do que é com-
Cebola - 10kg N/A 2.900,00 2.990,00 2.890,00 2.999,95
hora das compras positado (à entrada da loja, junto patível ao poder de compra.
é um momento de de um terminal de multicaixa e À hora que estivemos no local,
Chouriço - 900gr 1.250,00 1.494,00 1.791,00 1.999,00 1.499,95
lazer individual ou à volta da esplanada de uma das os jovens estavam a arrumar as
em grupo, e que se zonas de restauração). suas quitandas, mas para qual- Corvina - 1kg N/A 2.190,00 N/A 2.699,00 N/A
quer sempre fazer com o máximo Tratando-se de fazedores quer um de nós ficou água na
à vontade. nacionais e obras com algum boca, até porque saber se se trata Farinha de trigo - 1kg 195,00 180,00 249,00 234,00 299,95
Todavia, além de uma lista de retoque e mestria reconhecida de artesãos ou simples comercian-
compras sobre o que escolher para à vista, os promotores desta ini- tes também dá uma boa razão Farinha de mandioca kg 690,00 324,00 N/A 499,00 699,95
ter menos rodeios, o preço ante- ciativa trazem de facto para a para medir o preço com que se 449,00 689,00 649,00 349,00 599,95
cipado do que precisamos com- nossa apreciação o que em con- nos oferecem as referidas obras. Feijão - 1kg
prar é “ouro sobre azul”. dições normais precisaríamos Ainda assim, uma boa opção Frango - 1kg 677,00 794,00 899,00 578,00 599,95
Mas, há outro ingrediente que de percorrer quilómetros a Sul de “happy hour” em simultâneo
os operadores do sector de reta- para encontrar. Os preços, que com as compras está disponível Fuba de bombó - 1kg 199,00 285,00 299,00 199,00 699,95
lho/distribuição nacional come- talvez já o leitor se está a pergun- e com ofertas atractivas.
çam a aplicar, ora no interior ora Fuba de milho - 1kg 285,00 200,00 289,00 199,00 N/A
no recinto exterior, outras ofer-
tas para causar “boa” impressão Leite UHT - 1lt 289,00 289,00 299,00 299,00 299,95
ao consumidor visitante. Leite em pó 1.800gr 2.990,00 3.090,00 3.490,00 3.299,00 4.999,95
Há a acompanhar toda uma
lógica de ofertas, o slogan de que Massa alimentar - 400gr 105,00 100,00 119,00 129,00 169,95
“os olhos são a porta de entrada
e que primeiro come-se com os Margarina - 250gr N/A 396,00 1.045,00 N/A N/A
olhos”. Desse ponto de vista, nada
melhor que agradar aos olhos de Óleo alimentar -1lt 420,00 435,00 398,00 429,00 469,95
quem entra para poder dele tirar
Ovos - 24 unidades 1.115,00 1.276,00 1.326,00 1.299,00 1.399,80
o máximo de dinheiro.
Esta semana, na visita que Pão - pequeno 20,00 10,00 20,00 15,00 20,00
fizemos a alguns dos operado-
res (conforme o quadro ao lado), Salsicha - 350gr 339,00 179,00 269,00 179,00 N/A
a exposição de peças artesanais e
outros artefactos culturais como Vinagre - 0,5lt 143,00 99,00 149,00 99,00 149,95
peças de pano, roupas africanas,
estatuetas, incluindo a célebre do Total Incompleto 21.497,00 Incompleto Incompleto Incompleto
pensador, e vários quadros de pin- Montras dos supermercados colocam à disposição variedades da frutaria nacional
Observação: Apenas o Kero apresenta os 24 itens completos da cesta. Nos outros falta este
ou aquele produto por inexistência em stock ou não venda o que influencia no custo final

mostra comparativa de preços de um mesmo produto nos cinco supermercados


2.390

2.990

4.999
3.090
3.490
3.299
2.999
1.890
1.494

1.499
1.250

2.690
1.940
1.791

1.399
2.695
2.590

1.099

1.299
1.999

1.900

1.326
1.399

1.240
2.199

1.199

1.115
1.276
450

699

899

599
749

578
677

Alimenta Angola
Kero
maxi
candando
shoprite

Chouriço Carne bovina Batata doce Azeite Leite em pó Ovos Frango


Fonte: Preços cedidos (*) e de recolha no(s) supermercado(s) | Levantamento de quarta e quinta-feira, 17 e 18.04.2019|
Valores expressos em kwanzas | N/A - Produto não disponível

preços dos produtos básicos variam mais no informal que nos operadores formais do retalho
dr

Os preços de determinados informais. Também vale realçar o caso da


produtos básicos, nesta semana, Por exemplo, o quilograma de batata rena e do ovo, muito
mostram acentuada estabilidade, farinha de mandioca (musseque consumidos e que têm um preço
comparativamente ao movimento ou fina) nas praças, bancadas nos supermercados que em nada
da semana anterior. ou cantinas chega-se a comprar se compara, pela positiva, aos
Uma nota de elevado realce está em média por um valor mínimo retalhistas informais. Por exemplo,
também no facto segundo o de 500 kwanzas e o frango um cartão de 24 ovos está a ser
qual, em alguns itens, paga-se não menos de kz 700.00. comercializado entre 1.100 e
mais caro no comércio de rua Como pode observar-se no 1.400 kwanzas. E nesse produto
(cantinas, bancadas e praças) quadro acima, estes itens nos em particular, a exposição ao sol
que nos supermercados. Esta operadores formais custam bem é sempre uma variável a ter em
apreciação contraria o senso menos e quando comprados em conta no momento de validar o
O frango e a farinha de mandioca, neste momento, são mais baratos comum, de acordo com o qual quantidades ressente-se ainda estado de conservação do que
nos operadores da rede formal que nos mercados, bancadas e cantinas de rua é mais barato comprar nos mais ao alívio ao bolso. consumimos.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
publicidade 15

( 700.033)

( 700.034)
16
Mercados
Economia & Finanças

Sector petrolífero
um deles tem procurado apre-
Barril de brent sentar ao Governo de Angola as
segue acima suas expectativas com o mer-
cado e a estratégia de operações
dos 71 dólares

apresenta balanço
que passa pela concretização de
dr novos negócios e mais investi-
mentos financeiros.
A Total, em particular, foi a
primeira a entrar no segmento
da distribuição com a abertura
já de um posto de abastecimento
O Ministério dos Recursos Minerais e dos Petróleos junto dos de combustíveis em Luanda, um
nicho em que a Chevron e a Eni
operadores Sonangol e algumas associadas mostram as contas também pretendem entrar, pois
detêm fortes bases e experiên-
cias em outros mercados sobre
dr tais negócios.
Já a Esso Angola, filial da
ExxonMobil, é empresa líder do
sector petrolífero a nível mundial.
As suas operações seguem a
perspectiva de garantia de van-
tagens competitivas, justificada
estritamente ao compromisso com
a excelência e contribuição na for-
O barril de petróleo Brent mação especializada dos quadros.
para entrega em Junho Quanto à liberalização da
começou a ser negociado, importação de derivados, o
nesta quinta-feira, em baixa, ministro Diamantino Azevedo
no mercado de futuros disse, recentemente, que este
de Lo ndres, cotado a 71,58 processo deverá ocorrer tão
dólares norte-americanos, uma somente após a retirada da sub-
variação de 0,05 por cento venção aos preços dos combus-
em relação ao fechamento da tíveis ainda em estudo.
sessão anterior. O apelo que Diamantino Aze-
Na quarta-feira (17), o petróleo vedo tem feito às operadoras
referência para Angola abriu põe-se no sentido destas con-
sessão a 72,04 dólares norte- tinuarem com os processos de
americanos. recrutamento, formação e inte-
Este novo momento das Empresas juntam-se ao Ministério dos Recursos Minerais e dos Petróleos para perspectivar os desafios do mercado gração dos quadros angolanos
negociações do Brent, no sector, intensificando, deste
na praça financeira de modo, a sua presença nos prin-
Londres, é uma óptima as perspectivas de mercado no mente, nos avanços ou recuos da cipais cargos de decisão, num
notícia para Angola, que
Isaque Lourenço II Trimestre e deve ter a orien- economia, sobretudo no “aqueci- processo conhecido como “ango-

A
tem no crude o seu principal tação institucional do Ministé- mento à economia” feito por via lanização do sector”.
produto de exportação e, s empresas Sonan- rio dos Recursos Minerais e dos de novos investimentos. Nos últimos dias tem estado
consequentemente, de entrada gol, BP, Total, Esso, Petróleos (MIREMPET). A Sonangol, até há alguns a registar-se uma certa escassez
de divisas no país. Eni e Chevron apre- Caracterizado por um pro- meses concessionária e ope- de derivados de petróleo, casos
Aliás, no presente OGE em sentam, nos dias 23 e fundo processo de refunda- radora, também entra neste do gás de cozinha e mesmo de
execução, o preço referência 24, próxima semana, ção, neste momento, o sector momento novo com o desafio combustíveis nas bombas de
foi previsto em 68 dólares, em Luanda, as contas relativas ao dos recursos minerais e petró- de afirmar-se como operador, abastecimento. A situação está
pelo que todo o valor que balanço do I trimestre deste ano. leos ainda é o principal contri- retirado que lhe foi o papel de a ser aproveitada por revende-
gere excedentes se assume De acordo com uma nota a que buinte fiscal às contas do Estado concessionária pública. dores informais que usam do
como uma mais-valia. o JE teve acesso, o encontro vai e por esta particularidade o seu Quanto aos operadores BP, momento para especular nos
também fazer previsões sobre desempenho reflecte, directa- Total, Esso, Eni e Chevron, cada preços destes derivados.

EDIÇÕES NOVEMBRO

BNA tranquiliza sobre bancos liquidados


Trabalhadores que realizaram manifestação nas proximidades da sede
quiseram saber sobre o processo das indemnizações de que teriam direito

Um grupo de trabalhadores do O vice-governador Rui Miguêns indemnizações devidas por


ex-Banco Postal realizou, há aproveitou a ocasião para parte do ex Banco Postal em
dias, em frente ao edifício-sede com dois representantes consequência da revogação
do Banco Nacional de Angola dos manifestantes ouvir das da sua licença e declaração
(BNA) uma manifestação a preocupações e prestar os de falência, nos termos da
reivindicar sobre eventuais necessários esclarecimentos. lei. Sobre o assunto, foi
incumprimentos dos direitos Conforme uma nota do esclarecido aos manifestantes
indemnizatórios de que teriam banco central, a reclamação que, uma vez revogada a
direito, após liquidação e perda dos trabalhadores consiste licença por imperativos legais Fórum aborda estratégias de liderança
dos postos de trabalho. na falta de pagamento das e devolvidos os depósitos
dos depositantes, apenas
para os desafios do sector mineiro angolano
dr após o julgamento da falência
e nomeação judicial do A Bumbar Mining realiza, sectores públicos e privados na
respectivo administrador da no próximo mês de Junho, indústria mineira; autoridades
massa falida, serão pagos, o Iº Fórum Empresarial de políticas e administrativas;
na ordem de prioridade Liderança Mineira “Angola gestores e administradores
estabelecida pela lei, todos os Mining Talks”, com o tema “O de institutos públicos e de
credores do banco, nos quais desafio de liderar empresas empresas públicas e privadas
se incluem os trabalhadores. mineiras no presente e futuro mineiras; líderes e experts em
Neste sentido, os trabalhadores do sector mineiro em Angola”. gestão mineira; investidores,
do ex-Banco Postal foram O Fórum de periodicidade anual, banca, seguros, fornecedores
aconselhados a aguardar com que será realizado no Hotel de serviços ao sector Mineiro;
serenidade pelo desfecho do Diamante, prevê congregar 150 prospectores e vendedores
processo que se encontra já em participantes entre autoridades de equipamentos mineiros
tratamento pelas autoridades políticas do sector de Recursos e estudantes que planeiam
Caboressed est, conestinus ent od ut autem quossit ant invelitaspe judiciais competentes. Minerais e Petróleos, gestores e trabalhar nas áreas geológico
administradores integrados nos mineiras.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
mercados 17

ANGOP

Cotações Medidas procuram


financiar projectos
das administrações
Taxas de câmbio O director provincial das
Finanças, em Malanje, Carlos

317,839 USD/AKZ
Frederico, disse que a instituição
está a desenvolver acções que
visam o financiamento das
administrações locais, assim
como também a implementação
do portal do munícipe em todos
Commodities os municípios. Numa primeira
fase o portal vai abranger

71,77 brent
apenas quatro municípios,
designadamente, Malanje,
Calandula, Cangandala e Cacuso.
Ainda assim, frisou Carlos
Frederico está igualmente na
forja os serviços de protocolo que
O valor arrecadado supera a meta prevista pela instituição no período acima referido que rondava os 471 milhões permite ao munícipe cumprir com
Taxas de Juro as suas obrigações tributárias com
o pagamento através da sua área

Impostos arrecadam
Moeda 18 Abr 2019
de jurisdição visando desafogar
Euribor 1 mês EUR -0,368 as instalações da sede provincial,
Euribor 6 meses EUR -0,232 acrescentando que se trata de
uma orientação expressa do

600 milhões kwanzas


Euribor 12 meses EUR -0,112 ministério de tutela.
Libor 1 mês USD 2,48738 Carlos Frederico revelou que
a Direcção de Finanças está a
Libor 6 meses USD 0,94850 trabalhar no sentido de combater
Libor 12 meses USD 2,76188
a fuga ao fisco na província, não
e da Delegação das Finanças tribuintes relativamente as obstante estar controlada.
Venâncio Victor que serviu para se inteirar do suas obrigações fiscais. Leo- O deputado António Evaristo
em Malanje
funcionamento das referidas nel Costa anunciou a entrada destacou o trabalho que está a

A
instituições. em vigor do regime excepcio- ser realizado pela Administração
Taxas de Câmbio Spot Repartição fiscal Leonel Costa explicou que nal de regularização da dívida Geral Tributária e das Finanças
Cotação 18 Abr 2019 de Malanje, afecta o valor arrecadado supera a fiscal e aduaneira. apesar de se constatarem
a segunda região meta prevista pela instituição Leonel Costa informou aos algumas dificuldades que tem a
USD/AKZ 317,839 t ributá ria a r re- no período acima referido que contribuintes e a população ver com a falta de mais quadros.
EUR/AKZ 357,696 cadou durante o rondava os 471 milhões, regis- em geral que o referido regime António Evaristo revelou a
I trimestre do ano em curso, tando-se um incremento de 150 tem a ver com a suspensão do Administração Geral Tributária
nad/AKZ 22,565 mais de 600 milhões de kwan- milhões de kwanzas, equivalen- pagamento da dívida fiscal e prevê arrecadar até ao final de
EUR/USD 1.1240 zas para os cofres do Estado tes a 32 por cento. Comparati- aduaneira do exercício econó- 2019, mais de 2 mil milhões
resultantes do pagamento de vamente ao período homólogo mico 2013/2017, bem como das de kwanzas, para quem isso,
GBP/USD 1.3004 impostos fiscais. as receitas ultrapassam igual- multas adicionais, juros e cus- reflecte o bom andamento dos
USD/JPY 111.9700
Os números foram avança- mente as expectativas. tos fiscais. serviços destes organismos do
dos quinta-feira pela directora A responsável disse que o Por isso, a directora da Estado na província. Recorde-se
USD/ZAR 14.0904 da 2ª região tributária Leonel aumento de receitas se deve a segunda região tributária da que, a AGT, é um organismo do
USD/BRL 3.9336
Costa, no termo de um encon- realização de campanhas de AGT solicitou aos contribuin- Estado que tem por finalidade
tro que os deputados do cír- sensibilização porta-a-porta, tes no sentido de aderirem a repor a execução da política
USD/CNY 6.7071 culo provincial mantiveram bem como os trabalhos de fis- este regime que passa a vigo- tributária e assegura o seu
com a direcção regional da AGT calização e prevenção dos con- rar até Junho de 2019. cumprimento integral.

mercados accionistas
Índice

Dow Jones
18 Abr 2019

26,449.54
AGT apela à regularização da dívida fiscal
S & P 500 2,900.45
Executivo pretende reduzir o elevado nível de endividamento dos contribuintes, prevenindo as possíveis
situações de falência das empresas e consequentemente a garantia da preservação dos postos de trabalho
NASDAQ 7,996.08

FTSE 100 7,469.21


CEDIDA

BOVESPA 94,755.00 nome individual e colectivo, regu- butária, o regime abarca todos
Jaquelino Figueiredo larizar as suas dívidas isentos os impostos e encargos aduanei-
PSI 20 5,210.00 no Soyo
do pagamento de juros, custos ros que compõem o sistema tri-
NIKKEI 225 22,090.12 dos processos dos factos tribu- butário angolano e a sua adesão
DAX 12,192.47
A fraca adesão pelos contribuin- tários que se tenham verificado vigora já desde o dia 2 de Janeiro
tes colectivos e particulares ou até 31 de Dezembro de 2017”, fri- do presente ano e termina a 30
Hang seng 29,963.26 singulares ao regime excepcio- sou Suzana Rufino. de Junho, sendo que para tal os
nal de regularização da dívida A delegada da AGT no Soyo contribuintes devem dirigir-se
fiscal, aduaneira e à Segurança avançou que, através do referido de forma voluntária as Reparti-
Social, com isenção de juros, regime, o Executivo pretende ções Fiscais ou Delegações Adua-
Commodities multas e outros custos proces- reduzir o elevado nível de endi- neiras de domicílio e solicitar
18 Abr 2019 suais, aprovado no artigo 17 da vidamento dos contribuintes, a adesão ao regime através do
Lei nº18/18 de 28 de Dezembro, prevenindo as possíveis situa- preenchimento de um requeri-
Brent 71,77 preocupa a delegada da Adminis- ções de falência das empresas e mento ou formulário destinado
crude oil 63.88 tração Geral Tributária no muni- consequentemente a garantia da para o efeito”, apelou.
cípio do Soyo, Suzana Rufino. preservação dos postos de traba- Suzana Rufino da AGT no Soyo Segundo a delegada da AGT no
gás natural 2.51 De acordo com a Suzana lho, assim como o relançamento Soyo, Suzana Rufino, o referido
ouro spot 1,273.49 Rufino que falava em conferência da economia nacional. regime confere diversas modali-
de imprensa na passada quarta- Suzana Rufino disse que, a rente, o contribuinte arrisca-se dades para o pagamento da dívida
trigo 446.00 -feira, 17, na cidade do Soyo, os não adesão do referido regime a pagar a dívida na sua totali- tributária, entre as quais, o con-
açÚcar 12.80
contribuintes não estão aderir que abarca todos os impos- dade, incluindo os juros, mul- tribuinte pode optar pagar de
ao processo que os permite regu- tos e encargos aduaneiros que tas e outros custos ou encargos forma integral ou por várias pres-
café 91.30 larizar as suas dívidas com isen- compõem o sistema tributá- que a lei prevê. tações ou ainda por via exclusiva
algodão 78.46
ção de juros e multas. rio angolano, cujas inscrições “A nível dos processos fis- de compensação para as empre-
“Este processo ou regime vai vigoram desde dois de Janeiro e cais e aduaneiros, que é o foco sas ou particulares que tenham
permitir aos contribuintes em terminam a 30 de Junho do cor- desta Administração Geral Tri- valores a receber do Estado.
18
Concurso
Economia & Finanças

maria augusta | edições novembro

Telstar está
fora de cobertura
Presidente da República João Lourenço
anunciou a anulação dos resultados do
concurso para a 4ªoperadora no mercado

21-A/18, de 23 de Fevereiro. Ministro das Telecomunicações, José Carvalho da Rocha (ao centro), disse que o processo foi transparente
Pedro Peterson

O
Motivo da decisão edições novembro edições novembro

Presidente da A vitória da Telstar como 4ª ope- sem deixar rastos.


República, João radora foi bastante contestada Por sua vez, o consultor Galvão
Lourenço, deter- pelo facto de a empresa, consti- Branco é de opinião que houve pre-
minou ontem tuída em Janeiro de 2018, não ter cipitação na tomada de decisão.
a anulação do histórico no sector e deter um O responsável acredita que
resultado do Con- capital social de apenas 200 mil o concurso obedeceu as regras
curso Público kwanzas. A desistência do con- internacionais de uma contra-
Internacional para a atribuição curso da MTN, a maior operador tação pública, pois se o minis-
de um Título Global Unificado de África, é outras das polémi- tro na quarta-feira veio ao
à 4ª Operadora Global no sector cas em torno do processo. público anunciar o vencedor, é
das Telecomunicações no país. Na conferência de imprensa claro que o processo obedeceu
No dia 12 deste mês, o Minis- realizada em que foi anunciada todos os pressupostos com base
tério das Telecomunicações e a Telstar como vencedora, na nos cadernos de encargo para
Tecnologias de Informação anun- semana passada, o ministro das a consignação de uma licença.
ciou a adjudicação do Contrato Telecomunicações e Tecnologias Consultor Galvão Branco Economista Victor Hugo “O que não se admite e que
de Concessão de Serviço Público de Informação, José Carvalho da é muito grave, é como o minis-
de Comunicações Electrónicas à Rocha, garantiu que o concurso tro dia antes, diz com toda a
}

empresa angolana Telstar. foi “transparente” e afirmou des- erro na qualidade de detentor segurança, que o processo foi
Em nota, a Casa Civil do Pre- conhecer as razões pelas quais a do poder executivo. “Agora o transparente, e que as regras de
sidente da República considera multinacional sul-africana desis- A Presidência Presidente deve ter a coragem contratação pública foram res-
ter havido, da parte da empresa tiu do processo, alegando que de exigir ao ministro, ir ao peitadas e no dia seguinte o Pre-
declarada vencedora do concurso, estava “viciado”. da república público para explicar o que de sidente da República vem, num
“o incumprimento dos termos “Gostava que fosse a própria facto se passou e pedir a sua comunicado, anunciar o anula-
das peças do procedimento, na MTN a dar as explicações, porque considera exoneração imediata para não ção do processo”, afirmou.
exigência relativa ao balanço e nós próprios não sabemos. Todos manchar o Governo”. Para o consultor, não se admite
demonstrações de resultados e os candidatos tiveram oportuni- ter havido Na sua opinião, este pro- o ministro com a vasta experiên-
declaração sobre o volume glo- dade de questionar o processo. Em cesso pode ter uma repercussão, cia que tem sobre essa matéria
bal de negócios relativo aos últi- nenhum momento nos disse que incumprimento não tão grave a nível interna- possa ignorar as regras da con-
mos três anos”. o processo estava viciado. Só ela cional, mas pode manchar um tratação pública.
Com vista a assegurar um (a empresa sul-africana) poderá dos termos dos bocado a imagem do país uma Segundo Galvão Branco, o
processo limpo e transparente, responder”, afirmou o ministro. vez que o Governo está a levar facto de uma operadora com capi-
refere, o Presidente da República processos a cabo o processo para comba- tais nacional (Telstar) ter vencido
orientou o Ministro das Telecomu- Reações dos especialistas ter a corrupção. o concurso, não invalida a credi-
nicações e Tecnologias de Infor- O economista Victor Hugo No que toca à desistência da bilidade do processo.
mação a instruir, no prazo de 30 assegura que o Presidente operadora sul-africana MTN no “Vamos esperar que haja
dias, o expediente para formali- da República deve ter notado processo, Victor Hugo disse que a razões factuais que levaram o o
zar um novo concurso público. alguma irregularidade no pro- empresa deve ter notado alguma Presidente da República a tomar
Nessa conformidade, revo- cesso, por isso teve que agir irregularidade logo no princípio, esta decisão em tão pouco tempo”,
gou o Despacho Presidencial nº rapidamente para corrigir o por isso é que teve que desistir afirmou Galvão Branco.

Especialista afirma que o concurso já foi viciado à partida


edições novembro
}

O especialista em Regulação sectores originalmente vedados última detentora de uma quota


Económica, Miguel  ngelo a iniciativa privada. de 45% das acções da sociedade.
Vieira, disse que o anúncio de o acesso ao Apelou à revisão da lei de “Em matéria de contratação
Concurso Limitado por Prévia delimitação dos sectores de acti- pública, a interpretação das
Qualificação para o Contrato de exercício do vidade económica para permi- excepções à obrigatoriedade
Concessão de Serviço Público tir que haja maior intensidade de utilização de procedimentos
de Comunicações Electrónicas 4º operador da iniciativa privada, por con- concursais deve ser “estrita” e
começou já viciado à partida. dicionar as formas de acesso e rigorosa de modo a garantir a
“Os vícios do procedimento tornou nebuloso exercício das actividades econó- máxima salvaguarda da con-
são mais profundos comecando micas plasmados nas demais leis corrência”, considera.
com a violação pelo ministro do e maculado o que, no caso específico, mantém Todavia, é de opinião que os
concurso público para prévia todas as actividades de teleco- vícios poderiam ser impugnados
qualificação”, afirmou o espe- processo de municações na esfera pública, administrativamente.
cialista. O também jurista e desde a rede básica aos servi- A concluir afirmou que todo o
docente universitário consi- contratação ços complementares de teleco- emaranhado no acesso ao exercí-
dera que não faltou a chamada municações. cio de 4º operador tornou “nebu-
de atenção sobre os vícios cons- Na opinião de Miguel Ângelo, loso e maculado este processo,
tatados, desde a fase inicial do Especialista Miguel Ângelo com a entrada em vigor da Lei pelo que é de todo recomendável
processo até ao seu desfecho. nº10/18 de 26 de Junho (Lei do a reforma do procedimento em
Em declarações ao JE, afir- Investimento Privado), não curso, analisando-se os reflexos
mou que já havia dado um ressalvas e das recomendações é uma autêntica “parafernália”, faz sentido algum submeter internos e externos quanto ao
parecer sobre as normas de e dos procedimentos de contra- na constância de incongruên- os concorrentes ou candidatos modo de exercício da competên-
Comunicações Electrónicas, tação no sector. A propósito, cias, erros e rectificações no às regras arcaicas de associar- cia procedimental, optando-se
do registo das irregularidades, disse que o dossier “Concessão sector das comunicações elec- -se a uma entidade a ser indi- por mais respeito pela legali-
bem como do assentamento das de Comunicações Electrónicas” trónicas, uma vez que são nestes cada pelo Estado angolano, esta dade e transparência”.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
Empresas 19

JA IMAGENS

TAAG tem agora mais espaço


para rentabilizar os negócios
Economista Lopes Paulo considera que o regresso vai criar robustez financeira
às contas da companhia de bandeira nacional pois amplia o seu mercado de operações
edições novembro

António Eugénio

O
economista Lopes Minério vai juntar especialistas
Paulo, disse que a
saída da Taag da “lista
negra” das companhia
proibidas de voar no
espaço europeu, vai trazer van-
Angola
tagens e criar maior robustez
financeira para a empresa.
Seg undo o economista,
realiza
a Taag vai ampliar o mer-
cado no Continente Europeu,
pois existe um potencial de
1º fórum
recursos humanos, meios e
infra-estruturas que devem
ser rentabilizados.
mineiro
Em função disso, segundo A Bumbar Mining realiza no pró-
Lopes Paulo, a rota da companhia Aeronaves da Taag estão prontas para voltar a operar no espaço europeu depois de levantada a suspenção ximo mês de Junho, o 1º Fórum
vai ser ampliada e haverá mais Empresarial de Liderança Mineira
interesses e facilidade para que “Angola Mining Talks”, com o
os investidores possam usar os sobrevoar o espaço comunitário A revitalização da mesma tema “O Desafio de liderar empre-
voos da companhia. daquele continente ,“ a comissão passa por uma transformação de sas mineiras no presente e futuro
“Esta medida dá certificado indica que há notícias positivas todo o sistema operativo, gestão do sector mineiro em Angola”.
de segurança à companhia nacio- para Angola, pelo facto de, a Taag e infra-estrutural. O Fórum de periodicidade
nal de bandeira”. disse. e a Helimalongo que operam com Fonte da Companhia Aérea anual, que será realizado no
restrições desde Novembro de angolana que falava sobre ano- Hotel Diamante, vai congregar
Regresso à bonança 2008 foram retiradas da lista nimato, aponta que “ A Taag tem 150 participantes entre autorida-
Doze anos depois, a transpor- negra”, refere o comunicado. pouco rendimento, há razão para des políticas do sector de recur-
tadora Aérea Angolana (TAAG), A lista de segurança Aérea da valorizar a medida que pode dar sos minerais e petróleos, gestores
pode voar sem restrições no UE, denominada “lista negra”, um balão de oxigénio finaceiro à e administradores integrados
espaço aéreo europeu, resultado proíbe um total de 120 companhias Lopes Paulo companhia”. nos sectores público e privado
de uma decisão unânime tomada de voarem para a União Europeia, Economista Sustenta a sua afirmação, pelo na indústria mineira; autorida-
pelos peritos da Agência Euro- com 114 transportadoras certifi- facto de muitas rotas do Conti- des políticas e administrativas;
}

peia para a Segurança da Avia- cadas em 16 países devido a falta nente Europeu alegadamente gestores e administradores de
ção (AESA) no passado dia 4 de de fiscalização da segurança rentáveis são cobertas por outras institutos públicos e de empre-
Abril em Berlim, Alemanha. pelas autoridades nacionais da companhias excluindo a Taag. sas públicas e privadas minei-
O anúncio foi feito pela aviação, e as outras seis ligadas a TAAG vai ampliar A Agência Europeia da Segu- ras; líderes e experts em gestão
Comissão Europeia, que refere às próprias companhias. rança da Aviação (AESA) tem como mineira; investidores, banca,
estar na mesma condição a Dados divulgados recentemente o mercado missão garantir a segurança e a seguros, fornecedores de servi-
Companhia Helimalongo, que na capital angolana indicam que, protecção do ambiente no sector ços ao Sector Mineiro; prospecto-
sobrevoava o espaço do Velho a transportadora aérea angolana no continente da aviação civil na Europa, com- res e vendedores de equipamentos
Continente com restrições Taag regista prejuízos avaliados posta por 28 países da UE, o Lis- mineiros e estudantes que pla-
por questões de segurança. em milhões de dólares face à impo- Europeu tenstaine, a Suíça, a Noruega e neiam trabalhar nas áreas geo-
Ao actualizar a lista negra sição da restrição e a pouca afluên- foi em 2002, como sede na Coló- lógico mineiras.
das companhias proibidas de cia na sua carreira. nia (Alemanha). Angola Mining Talks cons-
titui uma plataforma de parti-
lha, benchmarking e networking
para as empresas que compõem
ComÉrcio SIMPLIFICA PROCESSO PARA EMISSÃO DE ALVARÁ COMERCIAL a indústria mineira e procura
compreender o contexto global e
DR as suas tendências, dar voz aos
Certidão Comercial e o Em virtude da simplificação do dimensão, a nota assegura líderes das empresas para parti-
Documento de Arrecadação de processo, num período de cinco que, os que possuem mais de lharem experiências e ideias para
Receitas (DAR), comprovativo anos, as taxas variam em função dois mil metros quadrados, os o desenvolvimento e sustentabi-
do pagamento das taxas e da área de cada estabelecimento emolumentos estão orçados em lidade do sector mineiro.
emolumentos do licenciamento, comercial, em metros quadrados, 350 mil kwanzas. O Fórum tem como objectivos
são agora, os únicos em concordância com o custo O licenciamento da actividade avaliar o contexto da Indústria
documentos exigidos aos por actividades. Além disso, há de comércio ambulante, feirante Mineira local e inferir sobre os
cidadãos que desejam obter os emolumentos e documentos ou de banca de mercado, são desafios enfrentados pelos gesto-
licenciamento para actividade necessários para a concretização cobrados 1.000 kwanzas. res para manter empresas
comercial pela primeira vez. do processo. O comércio de prestação viáveis e sustentáveis em
Segundo uma nota de imprensa A nota acrescenta que, no de serviços mercantis e o Angola; reconhecer o esforço do
do Ministério do Comércio comércio de mercadorias, são comércio de representações, Governo no fomento da actividade
a que o JE teve acesso, tal considerados estabelecimentos os emolumentos estão taxados mineira, bem como o compromisso
procedimento serve tanto de pequena dimensão aqueles Mais estabelecimentos vão surgir em 10, 30, 50, 150 e 250 mil de empresários, empreendedo-
para as sociedades comerciais cuja área de venda meça até kwanzas. res e investidores que acreditam
como as empresas em nome 199 metros quadrados. Assim, e C, ou seja, os que apresentam O processo de emissão do no progresso do Sector Mineiro
individual. Para a renovação do para o licenciamento destes, os entre 1.000 e 1.900, de 500 a documento que permite aos Angolano, e construir consen-
Alvará Comercial, na sociedade emolumentos estão estipulados 999 e os que medem entre 200 pequenos, médios e grandes sos sobre as melhores vias para
comercial ou empresas em em 15.000 kwanzas para o e 499 metros quadrados, pagam comerciantes realizarem a sua se vencerem os desafios enfren-
nome individual, além dos dois exercício de cinco anos. 200, 75 ou 35 mil kwanzas, actividade comercial de forma tados pela Indústria Mineira,
documentos citados, solicita-se Para o mesmo período, os respectivamente. legalizada, em geral, dura apenas ao mesmo tempo que se aprende
também a Certidão de Vistoria e estabelecimentos de média Quanto ao licenciamento de 5 dias e pode ser adquirida em sobre a experiência de outras
Auto de Vistoria. dimensão repartem-se em A, B estabelecimentos de grande qualquer província do país. nações e empresas internacio-
nais do sector pelo networking.
20 Empresas Economia & Finanças

edições novembro

5.040
jovens
ganham
emprego
Cinco mil e 40 jovens, dos 21
mil e nove formados de 2008 a
2018 pelo Instituto Nacional de
Emprego e Formação Profissio-
nal (Inefop), em Benguela, con-
seguiram o primeiro emprego
durante este período, com realce
Na cidade do Cuito só existem duas agências de distribuição e igual número de agentes revendedores de gás o que está a preocupar a população local para os sectores da construção
civil, comércio, agronomia e

Gás de cozinha continua


prestação de serviços.
Essa informação foi avan-
çada segunda-feira, no muni-
cípio da Ganda, pelo director

escasso nos mercados do Bié


provincial do Inefop, Antó-
nio Manuel Paulo, durante um
encontro com mais de 200 jovens
da circunscrição, no âmbito
do dia da juventude angolana,
Agentes revendedores na peovíncia defendem a necessidade das autoridades comemorado domingo (14).
Na mesma senda, disse que
de direito a ajustarem o preço do produto para aumentar o número de operadores as casas de digitalização de
documentos, fotocópias e outros
serviços informáticos, tam-
bém têm absorvido uma quan-
tidade razoável da mão-de-obra
}

cimento do negócio, sublinhou. entre outras desculpas”, desabafou. jovem em Benguela.


Delfina Vitorino “Os únicos distribuidores Inácio Agostinho, funcionário O responsável recordou que
no Cuito

O
existentes encontram dificulda- de uma outra agência distribuidora existem políticas de Estado
as duas des porque dependem também de gás, no Cuito, confirmou a difi- para inserção da juventude no
s agentes reven- das garrafas pertencentes aos culdade na obtenção deste líquido. mercado de trabalho, cabendo
dedores de gás distribuidoras agentes revendedores”, lamentou. “Está difícil conseguir gás nos ao Inefop velar pela redução
de cozinha, no Por isso asseg u ra que, últimos dois meses no Cuito”, aclarou. do desemprego no país, atra-
Bié, defendem existentes no cuito enquanto não for estabilizado Para confirmar, o JE, fez uma vés da criação de centros de
a necessidade o preço do gás para facilitar ronda às agências revendedoras formação profissional, onde
de a Sonangol e são insuficientes também os revendedores, as de gás, e estão todas encerradas a juventude tem prioridade.
outras entidades agências estarão fechadas, há mais de um mês. “Há estágios profissionais
competentes a ajustarem o preço assegurou Alfredo Ecolelo. Diariamente é visível o número criados junto das empresas
do gás de cozinha para aumen- Quanto à existência de gás de pessoas à procura de gás de para os jovens formados nos
tar o número de distribuidores no mercado paralelo, do Chis- cozinha com garrafas vazias às centros do Inefop e incentiva-
e revendedores, na região. apena s dua s loja s fa zem sindo, o comerciante confirmou costas, outros em motorizadas, mos as entidades estatais e pri-
A construção de infra-estru- a distribuição de gás aos que “muitos agentes preferem percorrendo vários quilómetros vadas a comunicarem as vagas
tura para enchimento de gás na revendedores da província do Bié. vender no mercado paralelo na cidade do Cuito. de emprego existentes, em fun-
comuna do Cunje, onde está a esta- Afirmam que as duas lojas para obter o lucro dos transpor- O mercado do Chissindo, ção das suas necessidades. Ao
ção do Caminho-de-ferro de Ben- existentes na cidade e que fazem tes, o pagamento dos impostos é o local onde a população, Inefop, cabe a responsabilidade
guela, pode reduzir o número de a distribuição de gás aos reven- de consumo e dos funcionários. no período da manhã, encon- de seleccionar os jovens com os
carência e dificuldades enfrenta- dedores são insuficientes para Sublinhando que vai ser tra a venda do gás de cozinha , perfis adequados”, explicou.
das pela população do Bié. atender o número de agências impossível encontrar agên- ao preço de kz 2.500.00. Nesta perspectiva disse que,
Em entrevista ao JE, Alfredo no Cuito e noutros municípios. cias revendedoras a comercia- Por este facto, a população é os jovens têm sido encaminha-
Ecolelo, revendedor de gás há 10 Alfredo Ecolelo possui duas lizarem o gás no preço de 1200 obrigada a pagar pelo preço, pelo dos a essas empresas para a sua
anos, disse que a vizinha provín- agências de gás, uma no bairro kwanzas, porque muitos reven- facto de não possuir outra alterna- inserção no mercado de traba-
cia do Huambo possui uma esta- periférico militar e outra dentro dedores alugam os armazéns tiva para a obtenção do produto. lho, cumprindo com uma das
ção de enchimento de gás, por da cidade do Cuito, adiantando para a venda deste produto. Para manter o contradi- políticas essenciais do Estado.
isso, a população não tem muita que cada agente revendedor tem “Há sempre dificuldade na tório, o JE tentou contactar EDIÇÕES NOVEMBRO
dificuldade para a sua obtenção. o direito apenas a carregar cem obtenção do gás, desde a justifica- a direcção da Sonangol, no
Por isso, assegurou que garrafas, facto que impede o cres- ção dos navios que atracam no mar, Cuito, mas não teve sucesso.

Angola busca investimento chinês para ZEE


}

As potencialidades da Zona Eco- sários, Angola espera desta Luanda-Bengo tem abundan-
nómica Especial Luanda-Bengo feita, receber em breve, mais tes recursos minerais, mão-de-
foram apresentadas à empresá- investimentos da China, para o espaço está -obra jovem, uma boa localização
rios chineses de vários ramos, impulsionar a ZEE e contribuí- geográfica, baixos custos de
durante o Fórum de Investi- rem na diversificação da eco- em progressão transporte e logística e um
mento Angola/China, reali- nomia nacional, de acordo com mercado nacional de consumi-
zado na cidade de Guangzhou, uma nota a que a Angop teve em termos dores estimado em cerca de 30
capital de Guangdong, China. acesso nesta segunda-feira. milhões de pessoas. Estas são
O evento, que decorreu no pas- O presidente do Conselho de de instalação as nossas vantagens únicas
sado dia 13 do corrente, serviu Administração da ZEE Luanda/ e competitivas”, apontou.
para apresentar as potenciali- Bengo, António Henriques da de mais fábricas Neste fórum, foram tam-
dades disponíveis na Zona Eco- Silva, presente no evento, disse bém apresentadas as oportu-
nómica Especial Luanda/Bengo, que o espaço está em progressão nidades de investimento em
que dispõem de uma área aproxi- em termos de instalação de fábri- Angola, pela Agência de Inves-
mada de 840 mil hectares. cas, como de metal, equipamentos timento Privado para a Expor- Formação profissional é crucial
De acordo com o interesse agrícolas, energia, entre outros. tação (AIPEX), pelo PCA desta para o desenvolvimento social
manifesto por alguns empre- “A Zona Económica Especial instituição, Licínio Contreiras.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
Publicidade 21

(700.017)
22
energia
Economia & Finanças

LONGONJO
ESFRAIN NUNDA | edições novembro | huambo

Soyo e Inga avaliam estado


da cooperação energética

}
O ministro da Energia e Águas,
João Baptista Borges, rece-
beu, ontem,em audiência uma
delegação da POOL Energé- visita realizada
tica da África Central (PEAC),
chef iada p elo se c ret á r io à Central do
permanente, Jean Mekondongo.
Segundo uma nota do Minis- Ciclo Combinado
tério da Energia e Águas no
encontro, o representante da do Soyo (Zaire),
delegação infor mou sobre
a visita realizada à Central permitiu a recolha
do Ciclo Combinado do Soyo
(Zaire), que permitiu a recolha de dados que
de dados importantes que facili-
tarão a busca de financiamento facilitarão a busca
para os estudos de viabilidade
Ministro da Energia e Águas e a governadora do Huambo quando procediam as inaugurações dos empreendimentos para o projecto de interligação de financiamento
eléctrica entre Soyo e Inga,

12 mil famílias
da República Democrática do víncia Congo Central, República
Congo (RD). Democrática do Congo, deverá
Remeteu, oficialmente, o fornecer energia eléctrica à
projecto concluído dos estu- cidade de Cabinda e arredo-
dos de viabilidade da interli- res, no quadro da cooperação
gação eléctrica entre o Inga/ bilateral entre Angola e RDC.

beneficiam de
Cabinda/Ponta Negra (Congo). A construção da linha de
O Secretá r io Per ma- transporte, do Inga, passando
nente da PEAC reconheceu o pela vila portuária do Muanda,
impacto da liderança de Angola estava avaliada em cerca de 20
nos vá r ios processos que milhões dólares americanos.

electricidade
visam a integração regional. A região do Inga possui um
A delegação do Peac encon- potencial hidroeléctrico de 40
tra-se em Luanda, a convite mil a 45 mil Megawatts, dos 100
do presidente do Conselho de mil MW que a RD Congo dispõe.
Administração da Rede Nacio- A actualmente conta duas cen-
nal de Transporte de Electrici- trais, Inga I e Inga II, de mil e 800
dade (RNT). MW cada uma. Estas centrais
A barragem do Inga, locali- entraram em funcionamento em
O município do Longonjo (Huambo) conta com uma central híbrida zada na cidade de Matadi, pro- 1972 a Inga I e em 1982 a Inga II.

que vai ajudar a atrair novos investimentos em vários sectores edições novembro
}

tir fornecer energia à população


Fernando Cunha sem quaisquer tipos de inter-
no Huambo

O
rupções, porque o consumo de

19,6
combustível vai ser menor e a
município do Lon- produção muito maior”, esclarece
gonjo, na provín- confiante João Baptista Borges.
cia do Huambo,
conta desde a pas- milhões de dólares Alavancar a economia
sada quarta-feira, Para o administrador municipal
com uma Central É o investimento aplicado pelo do Longonjo, Bonifácio Vissetaca,
Eléctrica Híbrida Governo para a instalação da a entrada em funcionamento da
com capacidade para gerar cinco Central eléctrica híbrida do central eléctrica híbrida na cir-
Megawatts (MW) de energia. município do Longonjo, no cunscrição que dirige, revela-se Ciclo combinado do Soyo recebeu visita da “Pool Energética da África Central”
Na ocasião, o ministro da Ener- Huambo, com capacidade para no maior investimento público
gia e Águas, João Baptista Borges, gerar cinco Megawatts. do Executivo na região e que, no
assegurou ao JE que a entrada em seu entender, vai ajudar a alavan-
funcionamento da central híbrida, car a economia local, atrair milha- londuimbale palidade, que vai beneficiar
vai permitir que mais 12 mil famí- res de investimentos e estimular cerca de 12 mil habitantes.
lias venham a beneficiar de ener- os agentes industriais, tendo em tem mais energia A central eléctrica híbrida,
gia eléctrica naquele município. mil dólares), os cinco megawats atenção a posição do município, que custou aos cofres públicos
Habitado por aproximadamente produzidos pela central híbrida que é potencialmente agrícola. para alavancar a quantia de 9 mil milhões de
100 mil pessoas, os populares do do Longonjo atenderá aproxima- “É o maior investimento do kwanzas, vai aumentar signi-
Longonjo acederam com satisfa- damente 12 mil habitantes residen- Governo no Longonjo em 43 anos desenvolvimento ficativamente a capacidade
ção à entrada em funcionamento tes na vila sede e zonas periféricas de nação independente. A entrada no fornecimento de energia
da nova central eléctrica híbrida, da municipalidade, num total de em funcionamento desta cen- Os agricultores do município eléctrica à vila sede da muni-
que também vai criar mais de duas mil ligações. tral eléctrica vai, seguramente, do Londuimbale, na província cipalidade e electrificar, para
200 postos de trabalho directos Deste número, o ministro impulsionar a economia. A ener- do Huambo, pretendem inten- já, os 200 fogos habitacionais
para a juventude do município. João Baptista Borges fez saber gia é o principal elemento para a sificar nos próximos tempos dirigidos para a camada juve-
O projecto vai também pro- que duzentas já estão em funcio- implementação e funcionamento a produção e apostar forte no nil da região.
porcionar a atracção de novos namento, sendo que, nos próxi- das pequenas e micro unidades sistema de pequenas unida- A empreitada da central
i nvest i mentos nos secto - mos 35 dias, mais 400 ligações industriais”, sublinhou. des micro industriais. eléctrica híbrida do Londuim-
res da agricultura, pecuária serão activadas. As restantes mil Bonifácio Visseteca afirmou Tal convicção surge na bale, teve início em Agosto de
e indústria transformadora. e 400 serão feitas de acordo com que “além de colocar o município sequência da inauguração, 2017 e culminou em Dezembro
a procura. na rota do progresso, vai ajudar a quarta-feira, pelo ministro da de 2018, e o objectivo princi-
Investimento aplicado “Qualquer uma das centrais aumentar o poder económico da Energia e Águas, João Baptista pal da sua edificação foi poten-
Com um investimento global de híbridas agora em serviço tem região, condição indispensável Borges, de uma Central Eléc- ciar o comércio e as pequenas
9 mil e 600 milhões de kwanzas como objectivo produzir ener- para a saída de muitas famílias trica Híbrida naquela munici- unidades industriais. FC
(o equivalente a 19 milhões e 606 gia mais barata, que vai permi- da condição de pobreza”.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
agro-indústria 23

parceria angola/portugal aposta


edições novembro

Malanje conta com Alto Minho


para alavancar agro-pecuária
Uma delegação da província manteve em Portugal vários contactos com instituições
locais para ajudar a dinamizar vários sectores com destaque ao tecido produtivo O sector da agricultura será revitalizado

Governo
cedida

privatiza
projectos
agrícolas
Francisco Curihingana
em Malanje

O ministro da Agricultura e Flo-


restas, Marcos Nhunga, disse,
recentemente, em Malanje, que
o processo de privatização das
grandes explorações agrícolas
espalhadas pelo país que foram
adquiridas com fundos públicos,
decorre num ritmo acelerado.
O governante disse existir um
relativo atraso “ porque nós somos
Governador de Malanje, Norberto Fernandes dos Santos e presidente do Conselho Intermunicipal do Alto Minho (Portugal), José Maria Cunha Costa, assinam acordo aqueles que pensamos que essas
fazendas já deviam ser concessio-
nadas, serem entregues, mas, há
}

resse para Malanje, província Malanje manteve reuniões de um processo que decorre a nível
Adérito Veloso * essencialmente agrícola. trabalho com representantes das finanças respeitante à ava-

A
“Estamos numa fase em que de várias indústrias instaladas liação do custo desses empreen-
província de Malanje queremos produzir todos os Temos uma na região, com destaque para dimentos”, justificou.
quer conta r com alimentos e deixar de impor- a “Incubo” e a estação vitiviní- Explicou que esses empreen-
o “ k now-how” da tar o que podemos fazer em população jovem. cola “Amândio Galhano” além da dimentos, “ têm um valor de
região do Alto Minho, Angola, particularmente, na escola superior agrária. custo, mas, tal valor de certeza
em Portugal, para província de Malanje”, disse. Nem todos podem Segundo o documento “o não é o real, então é preciso fazer
potenciar a agricultura com Acrescentou que a região “é governo provincial de Malanje e o uma avaliação muito realista
vista a diminuir as importa- muito turística” e que os empreen- ser engenheiros Conselho Intermunicipal do Alto do custo dessas fazendas, para
ções de produtos que a região dimentos do turismo rural que visi- Minho desenvolverão programas depois partirmos para o processo
pode colher em grande escala, tou no Alto Minho “se encaixam ou doutores, mas e projectos de desenvolvimento de concessão”, realçou.
dadas as suas potencialidades. em algumas áreas de Malanje”. regional, formação e capacitação Acrescentou que dentro de
Para o efeito, uma delega- Segundo Norberto dos San- se tiverem acesso de quadros, intercâmbio cultural, poucos dias, o Ministério das
ção encabeçada pelo governador tos “Kwata Kanawa”, as duas artístico, musical, desportivo e Finanças depois de terminar
provincial de Malanje, Norberto regiões poderão celebrar acor- a um centro de turístico com vista a desenvolver com o processo, o concurso para
Fernandes dos Santos “Kwata dos de cooperação “ainda este uma parceria efectiva”. o efeito, será logo anunciado.
Kanawa” manteve um encontro ano ou no próximo”, fazendo formação podem “As partes afirmam ainda
na passada terça-feira, em Portu- depender a assinatura dos docu- a sua vontade de, num futuro Mais transparência
gal, com o presidente do Conselho mentos da “calendarização” de aprender uma breve, celebrarem ao abrigo do A nossa reportagem ouviu o cida-
Intermunicipal do Alto Minho (Por- uma visita de uma delegação do Direito Internacional e Nacio- dão Fernando Santos que disse ser
tugal), José Maria Cunha Costa, Alto Minho à província angolana. profissão nal das partes, um Acordo necessário conduzir o processo
onde assinaram uma carta de No domínio da educação e de Cooperação”, lê-se na nota. da alienação das referidas empre-
intenção de cooperação. ensino técnico profissional, por centros de formação profissio- A delegação angolana visitou sas com lisura e transparência.
Segundo uma nota do governo exemplo, jovens da província de nal “é um dos grandes objecti- igualmente, a Casa da Reina, uma “Nós temos que deixar de
provincial de Malanje a que o JE Malanje formados nas áreas da agri- vos da província”, por considerar unidade de agro-turismo e a uma assistir o mesmo círculo de serem
teve acesso, o documento prevê cultura, saúde e hotelaria e turismo que as estruturas actualmente estufa de produção de aromáticas. as mesmas pessoas a beneficia-
programas comuns de desenvol- poderão especializar-se em breve ou a funcionar são insuficientes. Conhecida como a província rem-se dessas empresas. O pro-
vimento regional nos domínios da continuar os estudos em Portugal. “Temos uma população jovem. da Palanca Negra Gigante, tem cesso tem que ser mais alargado e
agricultura, turismo, educação e Para o governador, além dos cur- Nem todos podem ser engenheiros uma área de 98.302 quilómetros abrangente para que de facto nós
ensino superior e técnico. sos médio e superior, a prioridade ou doutores, mas se tiverem acesso quadrados e uma população esti- como cidadãos comuns possamos
Para o governador provin- será igualmente os cursos profis- a um centro de formação podem mada em 998 mil habitantes. concluir que houve de facto trans-
cial de Malanje foram identifica- sionalizantes com vista a neces- aprender uma profissão”, espe- É constituída pelos municí- patrência no processo”, disse.
das áreas de interesse comum e sidade de se dotar a província de cificou, tendo adiantado que “há pios de Cacuso, Caombo, Kalan- Fernando Santos disse que a
muito em breve uma delegação da técnicos dos mais variados níveis. possibilidade” de o governo pro- dula , Cambundi- Catembo, eficácia desses projectos tinha
Comissão Intermunicipal do Alto Na ocasião, “Kwata Kanawa” vincial “enviar jovens para esco- Cangandala, Cuaba Nzogo, de depender de um processo de
Minho desloca-se a Malanje para disse que, Malanje tem gran- las agrárias e centros de formação Cunda-Dia-Baze, Luquembo, monitorização transparente e
a concretização das intenções. des interesses de coopera- profissional” que funcionam no Malanje, Marimba, Massango, mais abrangente com a partici-
ção nos sectores do turismo, distrito de Viana do Castelo. Muca ri, Quela e Qui rima. pação de mais actores.
Alavancar as economias educação e formação média, Malanje é uma província essen- Por sua vez, o estudante Carlos
Além da formação profissional, superior e técnico-profissional. Parceria cialmente agrícola. O turismo de Sousa considera mesmo que
o governante apontou a agro- O governador de Malanje A delegação que acompanha é diversificado. os programas foram mal geri-
-pecuária como a área de inte- referiu que a criação de mais o governador da província de * Com Agências dos desde a sua implementação.
24 construção Economia & Finanças

caxito

Falta de pagamentos trava


infra-estruturas integradas
Edmundo Eucílio Edmundo Eucílio

Pedro Bica
em Caxito

A
governa-
dora provin-
cial do Bengo,
Mara Quiosa,
disse, recen-
temente, que
as obras das
i nf ra- est r utu ras i nteg ra-
das de Caxito, embora este-
jam agora num ritmo mais
lento, o Ministério das Finan-
ças está a t rabalha r pa ra
o financiamento do projecto.
Em declarações à imprensa,
no final de uma visita aos vários
projectos em curso na região,
na companhia do ministro da
Construção e Obras Públicas, Governadora do Bengo e ministro da Construção atentos à explicação Obras do troço Caxito/Muxaluando decorrem a um ritmo satisfatório
Manuel Tavares de Almeida,
disse que as obras com um

}
}

prazo de execução de 18 meses, Troço Nambuangongo/Caxito vias de comunicação, para


actualmente esgotados, pois a Na ocasião, o ministro da a região continuam a ser o
falta de financiamento esteve Construção e Obras Públicas as obras da principal constrangimento

12,60
na base do seu atraso, e conse- asseg urou a existência de na circulação automóvel.
quentemente a sua não conclu- orçamento para a retoma das estrada do Onzo/ “Com a vinda do ministro
são nos prazos previstos. obras e conclusão da estrada da Construção e Obras Públi-
Revelou que quando con- da zona agrícola de Nambuan- Muxaluando, cas, estamos satisfeitos porque
cluído os 12,60 quilómetros gongo/Caxito, no Bengo. QUILÓMETROS as obras da estrada do Onzo/
em Ca xito, numa primeira O governante sublinhou a bem como Muxaluando, bem como as de
fase, va i ga ra nt i r melhor necessidade urgente da conclu- É a extensão de estrada em Caxito vão conhecer outro ritmo
qualidade de vida e saúde à são do referido troço. as de Caxito quilómetros enquadrados na sua execução”, disse.
população, melhorar a mobi- A estrada, que durante qua- na primeira fase a nível da Fez saber que quando estiver
l id ade na s v ia s do ca sco tro anos esteve paralisada por vão conhecer cidade de Caxito, província concluída vai dar maior mobili-
urbano e limitar o tráfego falta de financiamento tem sido do Bengo, que estão a ser dade aos automobilistas, às popu-
de veículos pesados. o principal empecilho para a cir- outro ritmo intervencionados. lações e bens desta região, que
Por sua vez, Manuel Tava- culação das populações e bens. é fortemente agrícola, podendo
res de Almeida, sugeriu maior Quando concluída abrirá boas na sua execução atrair potenciais investidores.
concertação entre os Ministé- perspectivas para a região, que O município de Nambuan-
rios das Finanças e da Cons- tem o seu potencial agrícola e rigidos, para que em tempo gongo possui uma popula-
trução e Obras Pública, pois florestal ainda por explorar. oportuno seja entregue com ção estimada em 61.024 mil
a falta de pagamentos está a Manuel Tavares de Almeida condições de trafegabilidade. habitantes, a sua maioria
criar constrangimentos na revelou que quanto aos danos Para a governadora provin- dedica-se à ag ricultura de
aquisição do betume para a existentes no troço já cons- cial do Bengo, Mara Quiosa subsistência , caça , pesca
conclusão do tapete asfáltico. truído vão ser reparados e cor- neste período de chuvas as e actividade florestal.

moxico

Obras de reabilitação da estrada Luau/Cazombo já arrancaram


angop

A reabilitação da estrada que a jovens das duas circunscrições para a realização de um trabalho
liga a sede municipal do Luau (Luau e Cazombo). definitivo em breve”, disse o
a Cazombo (Alto Zambeze), No acto de consignação do secretário de Estado, esclarecendo
iniciaram na passada segunda- empreendimento, Manuel que a terraplanagem serve para
feira, em acto de consignação da Costa Molares D’Abril, acudir a população nesta fase
orientado pelo secretário de explicou que a intervenção de emergência.
Estado da Construção, Manuel enquadra-se num dos programas O governador do Moxico,
José da Costa Molares D’Abril. A do Orçamento do Estado e Gonçalves Muandumba, espera
cargo da empresa de construção será efectuada com materiais que a reparação da estrada venha
civil chinesa “Sinohydro propícios à resistência das águas catapultar o desenvolvimento
corporation”, os trabalhos pluviais e da circulação de nesta região, sobretudo, no sector
consistirão em terraplanagem de viaturas de grande porte. social e económico.
170 quilómetros, dos 255 que Ao considerar de extrema Por sua vez, a rainha Nhancatolo
compreendem o troço. importância a via para os dois Tchissengo enalteceu a
Orçado em mais de oitocentos municípios, augurou que a preocupação do Executivo na
milhões de Kwanzas, a obra recuperação permita a circulação recuperação da via, tendo desejado
tem a duração de seis meses e normal de pessoas e bens. que após do trabalho paliativo seja
ofereceu 70 empregos directos “Estamos a criar as condições asfaltada por completo. Cerca de 70 trabalhadores garantem a execução da obra com duração de 6 meses
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
PUBLICIDADE 25

(700.012)
26
África
Economia & Finanças

Mulheres lançam

dr
fundo em Marrocos dr

Transportadora aérea americana lança voo directo para a Cidade do Cabo

Cidade do Cabo
liga Nova Iorque

}
A transportadora americana
United Airlines confirmou que
vai lançar um novo itinerário o novo itinerário
directo entre Nova Iorque e a
Cidade do Cabo, na África do vai rudizir as
Sul, criando assim a primeira
ligação sem escala entre estas quatro horas
O fundo vai reforçar a autonomia económica das mulheres e também facilitar a emergência das gestoras duas megalópoles.
habituais da viagem

A
Uma vez aprovada pelo ser-
viço dos transportes dos Esta-
secretária-exe- perativas africanas a capitais AWLN, a pedido da Rede das dos Unidos, os voos partirão do transatlântica
cutiva adjunta duradouros, reduzir os obstácu- Mulheres Africanas Dirigentes. aeroporto internacional Liberty
da Comissão los encontrados por gestoras de Espera-se que, na próxima Newark de New Jersey, em Nova
Económica activos desejosas de investir em década, este fundo possa inves- Iorque, com uma frota do Boeing
para a África empresas detidas e lideradas por tir até 500 milhões de dólares 787-9 Dreamliner com destino
(CEA), Giovani mulheres, fornecendo uma assis- americanos em empresas diri- à Cidade do Cabo. explorados na Cidade do Cabo,
Biha, lançou na tência técnica que permita ace- gidas por mulheres africanas, O novo itinerário, uma vez enquanto os Estados Unidos se
última terça-feira, em Marraquexe lerar a formação e o crescimento muitas vezes confrontadas com efectivo, reduzirá as quatro horas posicionam na terceira posição
(Marrocos), um Fundo Africano destas gestoras de activos. obstáculos financeiros que afec- habituais da viagem transatlân- do maior mercado de passagei-
para a Liderança das Mulheres, O fundo foi instaurado pela tam suas empresas. tica, em que hoje os passageiros ros com destino à mesma cidade.
destinado a reforçar a autonomia CEAO sob a direcção da vice- O Fundo foi lançado à mar- provenientes da Cidade do Cabo Pacific confirmou igual-
económica das mesmas. -Secretária-Geral da Organiza- gem do quinto Fórum Regional são obrigados a ir a Joanesburgo mente a retomada dos voos entre
Este fundo visa não só refor- ção das Nações Unidas (ONU), Africano sobre o Desenvolvi- para apanhar o voo directo para Hong Kong e Joanesburgo, a par-
çar a autonomia económica das do presidente da União Afri- mento Sustentável (FR ADD) Nova Iorque ou Atlanta. tir de Novembro de 2019.
mulheres, mas também facili- cana, com o apoio da agência que arrancou na quarta-feira Cathay Pacific, vice-presi- O aeroporto internacional da
tar a emergência de mulheres ONU-Mulheres, do Gabinete da na capital turística marro- dente da rede internacional da Cidade do Cabo está actualmente
gestoras de fundos. Enviada Especial para as Mulhe- quina, sob o lema “Autonomi- United Airlines, declarou que a em renovação graças a um projecto
Tem igualmente por objectivo res, Paz e Segurança da Comis- zar as Populações e Garantir a América do Norte continua a ser de expansão que inclui igualmente
facilitar o acesso destas e de coo- são da União Africana e da rede Inclusividade e a Igualdade”. um dos maiores mercados não a construção de uma nova pista.

dr

Gigante do ouro baixa produção na Tanzânia


A Acacia Mining plc, maior minas localizadas, em Nord Peter Geleta, presidente-direc-
produtora de ouro da Tanzâ- Mara e Buzwagi. tor-geral interino da empresa.
nia, anunciou uma produção de “Embora a nossa produ- No seu relatório de produção
104 mil 899 onças de ouro, no ção seja geralmente maior no do primeiro trimestre de 2019,
primeiro trimestre deste ano, segundo semestre do ano, ela a Geleta declarou que a Acacia
uma queda de 13 por cento, em também foi afectada por proble- havia apresentado um plano de
relação ao ano anterior, devido mas de produção inesperados na exploração mineira revisto, em
à baixa de produção em duas nossa mina de Nord Mara”, disse meados de Março, para minas
subterrâneas e a céu aberto, e Bolsa do Rwanda mantém-se constante sem oferta de compras
dr que continua confiante em que
a capacidade de produção esta-
ria na faixa de 500 a 550 mil
Mercado bolsista rwandês sem oferta
onças, no ano em curso.
Segundo Geleta, a empresa O mercado bolsista rwandês (um dólar americano equivale
vendeu 104 mil 985 onças, no manteve-se constante segunda- a 890,41 francos rwandeses).
primeiro trimestre, o que cor- -feira última, com elevadas O guiché do Banco de Kigali
responde à produção. acções em circulação, mas sem (BK) tinha ofertas em cursos
Em 31 de Março de 2019, o oferta no final das horas de de 53 mil e 800 acções, mas
seu saldo de tesouraria era de negociações oficiais. nenhuma compra.
cerca de 99 milhões de dólares O relatório de mercado Os contadores de acções foram
americanos, representando um indica que a sessão de nego- Bralirwa (140 francos), Banco
decréscimo de caixa líquido de ciação de segunda-feira regis- de Kigali (277), I&M Bank (90),
quase 17 milhões dólares ame- tou um total de 45 mil francos Banco do Quénia Keny (330),
ricanos, durante o trimestre, rwandeses das 900 acções nego- Equity Bank Ltd (350) e Nation
sobretudo devido à baixa na ciadas, numa única transacção Media Group (1.200 francos).
Sector mineiro na Tanzânia continua a registar baixa desde o início do ano produção, indica o relatório.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
mundo 27

DR
embargo na venezuela

Maduro pede
a Portugal para
desbloquear fundos
retidos no Novo Banco
Presidente venezuelano diz que se
os EUA e a Europa querem realmente
ajudar devem libertar os seus recursos
Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pretende reaver os activos do seu país na banca portugueses

O }
P residente (cerca de 1,5 mil milhões de (...) sobrariam medicamentos recursos económicos que nos
da Venezuela euros) que nos roubaram, que e alimentos na Venezuela. Eu roubaram”, disse, dirigindo-
exortou o nos tiraram” e estão retidos no faço um apelo ao Governo de governo -se ao Presidente norte-ameri-
Governo por- Novo Banco, afirmou Nicolás Portugal: desbloqueie esses cano, Donald Trump, e à Alta
tuguês a des- Maduro na terça-feira. recursos. Porque nos tiram este venezuelano Representante da UE para a
blo q u e a r o s Maduro falava numa ceri- dinheiro? É nosso”, afirmou. Política Externa e Segurança,
activos do mónia com simpatizantes do Nicolás Maduro insistiu afirma que 1,7 Federica Mogherini.
Estado venezuelano retidos regime, por ocasião do 16.º ani- ainda que se os Estados Uni- A 15 de Ja nei ro último,
no Novo Banco, sublinhando versário do programa de assis- dos e a Europa querem “real- mil milhões de o parlamento, maioritaria-
que o dinheiro será usado para tência social “Misión Barrio mente ajudar” a Venezuela, mente da oposição, aprovou
comprar “todos os medicamen- Adentro” (Missão no Bairro), então devem desbloquea r dólares estão um acordo de protecção dos
tos e alimentos”. transmitido em simultâneo e esses recursos. activos da Venezuela no exte-
“Libertem os recursos da de maneira obrigatória pelas “Já que afirmam que querem retidos no novo rior e delegou numa comissão
Venezuela sequestrados na rádios e televisões do país. ajudar a Venezuela, há uma fór- a coordenação e o seg u i-
Europa. Peço ao Governo de “Com isso (os fundos reti- mula muito simples. Não têm banco de portugal mento de acções que protejam
Portugal que desbloqueie os dos em Portugal) compraría- que tirar um dólar das vossas os activos venezuelanos na
1,7 mil milhões de dólares mos todos os medicamentos contas, desbloqueiem todos os comunidade internacional.

DR
comércio Itália, que deverá estagnar.
Bruxelas prepara tarifas sobre 20 mil milhões Esta é a mais recente de uma
série de revisões do Governo ale-
de dólares americanos em importações dos EUA mão que, há um ano, antecipava
uma subida do PIB de 2,1 por
dr cento. Para 2020, as estimativas
representar cerca de 20 apontam para uma aceleração do
mil milhões de dólares. Em crescimento para 1,5.
2012, a União Europeia já “O estado actual da economia
tinha pedido autorização alemã deve servir como um alerta”,
à OMC para compor uma avisou o ministro da Economia,
lista de 12 mil milhões de Peter Altmaier (na foto), citado pela
dólares, “equivalente ao dano Bloomberg, chamando a atenção
estimado causado à Airbus para os riscos do Brexit e das dis-
pelo apoio dos EUA à Boeing”. putas comerciais, que ameaçam
Consoante a decisão da OMC, agravar ainda mais a desacelera-
a UE vai desenhar a lista final, ção esperada do crescimento global.
Um ângulo da
mas o objectivo é evitar de Esses riscos foram preci-
cidade de Berlim
todo, um confronto com os samente um dos motivos que
Estados Unidos. “Temos de levaram o Fundo Monetário
Mercado europeu continua desfavorável aos produtos americanos estar preparados com medidas Governo alemão Internacional (FMI) a cortar, na
de retaliação no caso de não semana passada, as estimativas
A Comissão Europeia divulgou Abril a OMC aprovou o relatório haver alternativa, mas eu corta estimativas de crescimento da a Zona Euro,
quarta-feira, 17 de Abril, a
lista preliminar de tarifas
sobre a disputa da Boeing,
confirmando que os subsídios
continuo a acreditar que o
diálogo deve prevalecer entre
de crescimento para 1,3 por cento, o que compara
com a previsão de 1,9 em Outubro
sobre importações norte- norte-americanos continuam parceiros importantes como para metade do ano passado.
americanas que podem a causar “danos significativos” a UE e os EUA, incluindo na “A Zona Euro travou mais do
chegar aos 20 mil milhões à Airbus, “incluindo perda de tarefa de concluir esta disputa A Alemanha, o grande motor da que o esperado devido a uma com-
de dólares. Em causa está vendas”. Tendo como base esta duradoura”, argumenta Cecilia Europa, poderá fechar este ano binação de factores que pesou na
o processo que decorre na decisão da OMC, a Comissão Malmström, a comissária como o país do euro com o mais actividade (económica) nos paí-
Organização Mundial do decidiu lançar para consulta europeia para o Comércio, em fraco crescimento económico. ses, incluindo o enfraquecimento
Comércio (OMC) relativa à pública uma lista preliminar de comunicado. O Governo cortou para metade do sentimento dos consumido-
Boeing, a fabricante norte- produtos importados que podem O conflito começou em 2004 as projecções de crescimento do PIB res e das empresas; os atrasos
americana de aviões, cujos vir a ser alvo de tarifas, mas a e é recíproco, ou seja, os para 2019, de 01 para 0,5 por cento, associados ao novo sistema de
subsídios estatais terão sua potencial aplicação ainda EUA acusam a UE de ajudar o que a confirmar-se, marcará a emissões nos veículos diesel na
prejudicado a fabricante não será para já. a Airbus com subsídios e a expansão mais fraca da economia Alemanha; a incerteza da política
francesa Airbus. O processo A lista inclui uma série UE acusa os EUA de ajudar a germânica dos últimos seis anos. orçamental, o aumento dos juros
inverso está a decorrer de bens, nomeadamente Boeing com subsídios. Neste Além disso, e tendo em conta soberanos e o abrandamento do
também, tendo os EUA aviões, químicos e produtos momento, o processo já está a as projecções da Comissão Euro- investimento na Itália; e os pro-
ameaçado com tarifas sobre agrícolas que vão desde o aproximar-se do fim na OMC, peia para os restantes países da testos nas ruas que criaram dis-
11 mil milhões de dólares em peixe congelado ao ketchup. ainda que o caso relativo à Zona Euro, esta subida do PIB rupção nas vendas do retalho e
importações europeias. No total, estas importações Airbus esteja mais adiantado colocará a Alemanha com o cres- pesaram na despesa de consumo
Segundo Bruxelas, a 11 de norte-americanas podem do que o relativo à Boeing. cimento mais fraco da região da em França”, resumiu o Fundo
moeda única, excluindo apenas a Monetário Internacional.
28
consultoria
Economia & Finanças

antes da entrada do IVA

Contas paradas
José Luís Magro

U
Consultor fiscal

m dos trabalhos dez quais os valores que se 5. Na “Formatação Condicional” escolher


que deve ser mantêm em vários exercícios.
}

feito aquando
do encer ra- Para o efeito:
Exportar mento de con- 1. Exportar do Primavera (por
tas é verificar exemplo, hoje a maioria ou senão
do Primavera se há contas de todas as aplicações permitem
terceiros, cujos saldos são iguais o exportar de ficheiros para o
(por exemplo, aos dos anos anteriores. Na afir- EXCEL), os balancetes de clien-
mativa implica uma análise tes, fornecedores, Estado…;
hoje a maioria mais cuidada para se saber qual 2. Consideremos que
a razão de ser da sua existência. foram exportados três exer-
ou senão todas Usando o EXCEL é pos- cícios a n ível de cl ientes
s í vel s a b er - s e c om ra pi - conforme o quadro a seguir:
as aplicações,
permitem o
exportar de
ficheiros para 6. Ao accionar “Duplicar Valores” aparece a figura abaixo:
o EXCEL) os
balancetes
de clientes,
Fornecedores,
Estado…
7. Ao accionar “OK” aparece o resultado pretendido:

3. No EXCEL, sublinha-se de A4 a C11.


4. Em “Base” escolher:

Em suma, são as contas sublinhadas cujos valores estão


repetidos em vários exercícios que têm de ser analisados.

Nota:
Estas situações devem ser bem vistas antes da entrada do IVA.
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
gestão 29

Etapas do processo decisório nas organizações


Vantagens

}
Herbert Simon, um economista cesso decisório evoluem e novas
americano, foi um dos precur- perspectivas surgem, para des-

e Desvantagens sores da Teoria das decisões. A


sua teoria foi capaz de explicar
sobre o comportamento humano
Cada
funcionário
cobrir o melhor método.
De acordo com o “pai” da
tomada de decisões, Simon

das reuniões dentro das organizações, no


livro “ O Comportamento Admi-
nistrativo”. O autor enfatizou
dentro de uma
define decisão como um pro-
cesso de análise e escolha das
alternativas que uma pessoa
Os resultados alcançados estão muitas igualmente que as organiza- organização poderá definir, sendo parte
ções são sistemas de decisões do processo administrativo a
vezes associados à postura do líder e de acordo com a Teoria com- participa tomada de decisões. Assim, nesse
portamental, cada funcioná- processo existem os seguintes
na tomada
}
rio dentro de uma organização elementos:
Carlos Cardoso participa da tomada de decisões Tomador de decisões - Aquele
mesmo quando as de decisões

A
individuais sobre determinado que decide ou escolhe um con-
realização de reuniões assunto na empresa, sempre con- junto de alternativas para a
justifica-se quando há responsabilidades siderando os critérios racionais 4- Fazer uma simulação ou acção.
necessidade de buscar e buscando resultados futuros. teste do modelo e as possíveis Objectivo - Que o tomador de
ideias novas, conhe- já foram atribuídas, Existem teóricos que se baseiam soluções. decisões quer alcançar.
cimentos específi- na tomada de decisão por várias 5- determinar e delimitar Preferências - Critérios usa-
cos de especialistas, colaboração, uma reunião pode perspectivas, mas conforme uma forma de controlo sobre a dos na hora de escolha.
de envolver pessoas no processo os estudos de diversos autores situação. Estratégia - Planos de acção
de decisão, de forma a garantir ser necessária para sobre o tema, as organizações 6- Colocar em prática a melhor utilizados para atingir determi-
o comprometimento da equipa seguem os seguintes passos: solução dentro da organização. nados objectivos, dependendo
responsável pela implementação clarificar detalhes 1- Expor o problema. Os teóricos Koontz e O’Donnell, dos recursos existentes.
de um plano ou uma actividade. 2- fazer um esqueleto do entendem a tomada de decisões Situação - Compreensão do
Entretanto, as reuniões têm específicos problema e relacionar as suas como parte do planeamento admi- contexto e do ambiente que será
vantagens e desvantagens, con- partes, afim de construir um nistrativo. Chiavenato delimita e atingido pela sua decisão.
forme pontos relacionados na modelo. explica que o processo decisório Resultado - Consequências da
tabela de Arménio Rego (2005) 3- Montar o problema de deve ser o foco do administrador estratégia utilizada pelo toma-
forma técnica . A cada dia as teorias sobre o pro- dor de decisões.
dr

VANTAGENS DESVANTAGENS

1- A contribuição das pessoas O tempo despendido pode


pode promover a melhoria da atrasar a tomada de decisões.
qualidade das decisões.

2- As pessoas adquirem uma visão A s reuniões podem ocupar


abrangente da organização como demasiado tempo dos participantes,
um todo, ficando mais conscientes desviando-os de outras actividades
do modo como podem contribuir pertinentes.
para o alcance dos objectivos
organizacionais.
As ciências da administração aconselham a que os trabalhadores participem nas tomadas de decisões

Interesses particulares no seio


3- O trabalho conjunto durante as do grupo podem gerar decisões
reuniões pode eliminar barreiras de enviesadas e perniciosas para a
comunicação entre os participantes organização.
O papel do
e ajudar nos mecanismos de
coordenação do trabalho.
administrador
Estudiosos defendem que a
4- As reuniões facilitam a tomada Pressões de tempo, assuntos administração é o processo
de decisões impopulares ( que o delicados, liderança que estipula de planear, organizar,
líder dificilmente poderia tomar rumos, coesão do grupo e busca
sozinho sem riscos de resistência acentuada do consenso, podem dar dirigir e controlar
passiva). origem ao “ pensamento grupal”.
Administrar é uma das mais
importantes actividades; serve
5- Quando par ticipam nas A s reuniões podem gerar para coordenar os esforços indi-
decisões, as pessoas tendem a conflitos entre facções, polarizando viduais dedicados à realização de
empenhar-se na sua implementação. as opiniões e dificultando o objectivos comuns. Poderia ser
entendimento. catalogada como meta-actividade,
presente em todas as actividade Cada vez mais as empresas contratam administradores por objectivos
humanas associadas.
6- Se o grupo se reúne As responsabilidade pelas É tarefa básica de todos os
regularmente, vai-se forjando uma consequências das decisões administradores, em todos os deve ser a finalidade de todos os situações complexas, muitas vezes
“ mente social” cuja qualidade é tomadas são diluídas e ntre os níveis e em todos os tipo de administradores. paradoxais e que podem ser com-
superior à soma da qualidade das participantes. Dessa forma, estes empresa: Pode-se inicialmente con- preendidas de várias maneiras,
mentes de cada participante. podem sentir-se impelidos a tomar Planear e manter um ambiente cordar com Mary Parker Follet, têm buscado administradores
decisões arriscadas. no qual os indivíduos, traba- quando afirma ser a Administra- capazes de obter melhores resul-
lhando em grupos, possam ção “ A arte de fazer coisas por tados com recursos escassos, em
cumprir alvos e missões pré-esta- meio de pessoas”, significando mercado cada vez mais competi-
7- Ao contactar com problemas Se os participantes adquirem a belecidas. Os administradores são que são outras pessoas que exe- tivo e cenário de crescente turbu-
de ordem diversa, as pessoas percepção de que o líder apenas incumbidos da responsabilidade cutam as tarefas e não propria- lência. Esse é o grande desafio do
desenvolvem o seu potencial, convoca a reunião para manipulá- de tornar a contribuição das pes- mente o administrador. administrador, que deverá obser-
preparando-se para outras funções los, é plausível que a participação soas mais efectiva, a fim de que Bateman, por sua vez, traz um var e analisar as organizações
porventura mais exigentes. empenhada e espontânea em os objectivos do grupo que admi- conceito mais sintético, quando sob vários ângulos e referências,
reuniões pos teriores fique nistram e do qual fazem parte, diz ser o processo de trabalhar levando em consideração as diver-
comprometida. sejam atingidos. com pessoas e recursos para rea- sas teorias e abordagens existen-
Estabelecer esse ambiente e lizar objectivos organizacionais. tes, para definir os princípios
mantê-lo tão próximo do ideal As empresas formadas por mais adequados à organização.
30
LAZER
Economia & Finanças

Monumentos e sítios
aguardam por mais apoios

O
Instituto Nacio- por serem edifícios antigos, é one- mou que nos últimos anos o espaço Considera necessário que se
nal do Património
Cultural (INPC)
rosa, tendo em conta que obriga a
manutenção das linhas arquitec-
tem observado melhorias signi-
ficativas fruto do investimento
faça um trabalho ardo no sentido
de atrair mais visitantes e assim Notre-Dame
tem inventaria-
dos e classifica-
tónicas a fim de não perderem os
seus traços característicos iniciais.
público, resultando na melhoria
das condições de conservação do
todos saibam da história de Angola.
Para Jorge Manuel, estes locais com custos
dos, em todo país,
278 monumentos
Lamenta, no entanto, o facto
de o esforço do Executivo ligado
edifício e acomodação do acervo.
Destacou ainda a aposta
contam a história de um povo e a
história de um povo não se apaga,
incalculáveis
e sítios, segundo dados divulga- a restauração dos monumentos interna ou seja na qualificação sendo necessário salvaguardar o
dos, na quarta-feira, em Luanda, esbarrar nas acções de vanda- dos funcionários para se garantir património de todos. Milionários e empresas con-
pela directora Cecília Gourgel. lização dos mesmos, afirmando a execução de acções de investiga- O também professor referiu tribuíram com 400 milhões
Este número de bens patri- que se tem trabalhado com as ção, tendo em conta o enriqueci- haver muita pouca divulgação de euros para o fundo dedi-
moniais classificados resulta de administrações locais e a reali- mento do acervo museológico. destes locais, apelando as insti- cado a reconstruir Notre Dame.
uma lista de mil 357 monumen- zação de campanhas de sensibi- Apesar de lamentarem o tuições que respondem pela cul- Macron apela à solidariedade,
tos e sítios inventariados no país. lização para evitar a destruição estado de degradação de alguns tura a desenvolverem acções que e até no Parlamento Europeu se
De acordo com a Angop, no destes bens patrimoniais. monumentos históricos, os usuá- dignifiquem estes locais. fala em juntar dinheiro.
âmbito do Dia Internacional dos Cecília Gourgel enalteceu o rios consideram serem importan- O Dia Internacional dos Monu- A inda é cedo para dizer
Monumentos e Sítios, Cecília Gour- trabalho das autoridades portuá- tes por preservarem a cultura e mentos e Sítios foi instituído em quanto dinheiro será preciso
gel lamentou o facto de alguns rias e do SME que têm garantido o a história dos povos. 1982 pelo Conselho Internacional para recuperar totalmente a
estarem em degradação, apesar combate ao tráfico ilicito de peças Ana Rosa disse que dos monu- de Monumentos e Sítios (ICOMS) catedral parisiense de Notre
do esforço do Executivo desti- valiosas do património nacional. mentos e sítios visitados o que e aprovado pela UNESCO no ano Dame, que ardeu parcialmente
nado a restauração, o que coloca Já o director do Museu Nacional mais a impressionou é a preser- seguinte, com o objectivo de sen- num incêndio de grandes dimen-
em causa a sua existência. da Escravatura, instituição classi- vação do Palácio de Ferro, repro- sibilizar os Estados membros a sões nesta segunda-feira. Uma
Cecília Gourgel afirma que ficada como património artístico vando, no entanto, o estado actual diversificar, proteger e conservar coisa é certa: não será pouco.
a reabilitação dos monumentos, cultural, Vladimiro Fortuna, afir- do Largo do Pelourinho. o património cultural. A igreja, construída há 856
anos, tem um valor histórico
incalculável e uma enorme
Unitel leva quantidade de objetos litúrgi-
}

cos e obras artísticas de grande

SHOW DO MÊS RECEBE E HOMENAGEIA RUI MINGAS


estudantes valor. Para já, sabe-se que o
órgão de tubos, um dos obje-
DR
à China tos mais valiosos da catedral,
sobreviveu ao fogo que destruiu
O conceituado artista Mingas deu um grande Um total de 10 estudantes ango- por completo o telhado e der-
angolano que se contributo na massificação lanos desloca-se à República da rubou o pináculo da catedral.
notabilizou com temas da cultura angolana, tendo China a 26 do mês corrente. A via- DR

como “Meninos do musicado poemas de gem acontece no quadro do pro-


Huambo”, Adeus à hora vários poetas nacionais, grama “Seeds for the Future”,
da largada” entre outros, incluindo alguns do resultante de uma parceria com
será o homenageado do primeiro presidente a Huawei. Os estudantes foram
projecto que todos os angolano, António seleccionados após avaliação e
meses enaltece o talento Agostinho Neto e António são provenientes de universida-
e trajectória de um artista Jacinto, com destaque des e institutos superiores acre-
nacional. Kizua Gourgel, para “Adeus à hora da ditados pelo Governo de Angola.
Sandra Cordeiro, Toty largada” e “Monangamba”, Nesta experiência, os estudantes
Samed, Zé Kafala entre respectivamente. terão a oportunidade de conviver
outros serão os convidados Além da música, exerceu, com o ambiente único de uma
que vão dividir o palco entre várias, as funções empresa de alta tecnologia, glo-
com o co- autor do hino de embaixador de Angola balmente reconhecida, interagir
nacional de Angola. em Portugal e Ministro da com engenheiros de alto nível e
Ruy Alberto Vieira Dias Ícone da música angolana enaltecido Juventude e Desportos. assistir a demonstração de várias
soluções inovadoras. França mobiliza-se pela Catedral
Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
lazer 31

proposta da fabergé e hotel ritz london

Páscoa inspirada em jóias


O primeiro voo
Para combinar jóias de luxo com
uma gastronomia de nível mun-
O luxuoso prato que é uma
reprodução do pingente Fabergé
de Stratolaunch
dial, a Fabergé e o hotel Ritz Lon- Treillage, estará disponível na
don uniram-se para criar uma semana da Páscoa ao preço de
refeição especial em comemora- 2.915 euros por pessoa.
ção à Páscoa. O destaque será o Páscoa ou Domingo da Res-
“Ovo Fabergé”, um prato inspi- surreição é uma festividade reli-
rado no icónico Ovo de Mosaico giosa que celebra a ressurreição
Imperial de Peter Carl Fabergé de Jesus ocorrida três dias depois
de 1914, servido com creme de da sua crucificação no Calvário,
lagosta e conforme o relato do Novo Testa-
caviar mento é a principal celebração
de Osse- do ano litúrgico cristão e tam-
tra. bém a mais antiga e importante
festa cristã.

Chama-se Stratolaunch e é o Neste primeiro teste, foram a 590 toneladas com a aeronave
maior avião alguma vez cons- executadas, manobras de con- totalmente carregada.
truído. O gigante subiu aos céus trolo de voo para calibrar a velo- Originalmente, a empresa pla-
pela primeira vez no sábado (13), cidade e averiguar os sistemas de neava construir um conjunto com-
após anos de desenvolvimento no controlo de voo, informou a fabri- pleto de foguetes, incluindo um
deserto ao Norte de Los Angeles. cante. Além disso, o piloto reali- avião espacial. A mudança nos
Construído pela companhia de zou exercícios de aproximação de planos foi supostamente provo-
lançamento de foguetes Strato- aterrissagem simulada a uma alti- cada pela morte do co-fundador da
launch, o jacto de seis motores com tude máxima de 15 mil pés sobre Microsoft, Paul Allen, que iniciou
117 metros de cumprimento, 226 o nível do mar. a Stratolaunch em 2011. A Strato-
toneladas voou pela primeira vez, Desenvolvida para transpor- launch disse que lançando fogue-
numa experiência de aproxima- tar foguetes a uma altura de 35 tes do ar, pode “contornar o mau
damente 150 minutos e alcançou mil pés a fim de diminuir os cus- tempo, o tráfego aéreo e outras
Flash a altitude de 17 mil pés, atingindo tos de lançamentos espaciais, o variáveis que causam atrasos
a velocidade de 304 Km/h. peso do Stratolaunch pode chegar nos lançamentos tradicionais”.

Novas opções com Transitions


dr

Na hora de comprar um par de ócu-


los novo, normalmente gasta-se
Nelumba autografa Na passarela da fama grande parte do tempo a escolher
Com participações de Paulo Cabingano soma pontos a armação que mais combina com
Flores O jornalista conquistou já o seu estilo, pois é nossa intenção
Num estilo diferente, a os prémios “Moda Luanda”, mostrar ao mundo a nossa perso-
cantora Érika Nelumba vai “Angola Comunica”, “Jovens de nalidade . Agora, é possível com-
lançar no dia 4 de Maio, na Mérito” e tornou-se no primeiro binar a sua armação com lentes
Praça da Independência, o jornalista a conquistar o que ganham tonalidades únicas
seu novo álbum intitulado prémio “Jovem do Ano” pelo e que se destacam ao entrar em
“Polivalente”. Angola Music Awards. contacto com os raios solares.
As lentes fotossensíveis Transi-
tions® Signature® ampliaram
a sua família e trouxeram três As lentes bloqueiam 100 por cento os raios UV e filtram a luz nociva
novas cores, da linha Style Colors,
que vão dar um toque especial dos ligente, escurecem em ambien- e principalmente pelo sol.
looks mais minimalistas até aos tes externos e ficam incolores No momento em que estiver
mais modernos. Você pode optar em ambiente internos. Contro- na rua, a utilizar umas lentes
por âmbar (marrom), safira (azul) lando a quantidade de luz que Transitions® é que vai enten-
ou ametista (roxo). chega aos nossos olhos, as len- der porque são consideradas
Em ambientes externos e tes Transitions® ajudam a redu- as lentes fotocromáticas nº1
puto Prata abdica solidariedade ficam incolores em ambiente zir o ofuscamento, a fadiga e a em todo o mundo. A rapidez de
Músico larga Instituto Artistas cantam por internos. Transitions® são len- tensão visual para uma visão adaptação às mudanças de luz
da Juventude Moçambique tes inteligentes para controlo mais confortável. Além disso, nas lentes Transitions®, seja
Comunicou por meio de A Televisão Pública de Angola de luz que se adaptam auto- bloqueiam 100 por cento os raios no interior como uma lente
uma nota de imprensa que vai realizar um espectáculo maticamente às condições de UV e filtram a luz azul nociva clara, como para o exterior
pediu demissão do cargo de solidário denominado “Angola luminosidade. De forma inte- emitida por aparelhos digitais, como uma lente escura.
colaborador do instituto por & Moçambique Juntos Pela
alegada incompatibilidade Mesma Causa”, no dia 27 de
de ideias. Abril, no pátio da Cidadela.
Panasonic exibe TV com painel transparente
dr

O modelo encontra-se escondidos todos os compo-


em fase experimental nentes electrónicos do apare-
lho. A ideia é que você possa,
A Panasonic aproveitou o seu por exemplo, colocar objectos
espaço no Salão do Móvel de de decoração atrás do painel,
Milão para apresentar um que serão exibidos sempre que
conceito experimental feito a tela da TV estiver desligada.
em parceria com a companhia Essa versão é o resultado
Show de Heavy C Globos de Ouro suíça de móveis Vitra. Trata- de dois a nos de pesqu isa
Restaurante Tugueda no Abertas inscrições on-line -se de uma TV com um painel envolvendo a Panasonic e
Patriota acolhe o evento Os prémios serão atribuídos OLED transparente, que pode Vitra. O dispositivo ficou em
O espectáculo está marcado aos profissionais que mais exibir tudo o que está atrás exibição no Salão do Móvel
inicialmente para as 16 horas se tenham destacado no dele quando é desligado. durante uma semana, mas as
do dia 28 de Abril precedido ano transacto no país e pelo A tela transparente fica empresas ainda não deram
de um almoço. mundo em várias áreas. dentro de uma moldura de mu itos detal hes técn icos
madeira, onde também estão sobre o funcionamento. A nova tela valoriza a decoração
Cartoon por CASIMIRO PEDRO em agenda

24 de Abril
EMIS lança multicaixa “Express”
A Empresa Interbancária de Serviços (EMIS) gestora da rede multicaixa,
vai lançar na próxima quarta-feira, em Luanda, o “multicaixa Express”,
um canal interbancário de pagamentos através de telemóvel.

25 de Abril
Banco de Investimento Rural (BIR) marca assembleia-geral
O BIR convocou para o dia 25 de Abril, em Luanda, a sua assembleia-
geral de accionistas para a aprovação das contas de 2018.

23 a 25 de Maio
Fórum Mundial do Turismo “Investir em Angola”
Angola acolhe entre os dias 23 e 25 de Maio próximo o Fórum
Mundial do Turismo, um evento que prevê receber entre 1.200 e 1.500
participantes de várias partes do globo. A organização está convicta
de que o certame poderá mobilizar investidores para os sectores da
Construção, Transportes e outros estratégicos na geração de novos.

4 a 6 de Junho
Conferência “Angola Oil & Gas 2019”
O Centro de Convenções de Talatona vai acolher, de 4 a 6 de Junho, a
conferência “Angola Oil & Gas” 2019, que conta com o patrocínio do
Presidente da República, João Lourenço, que estará presente, e outros
agentes mais relevantes do sector, tanto do Governo como das várias
multinacionais que operam em Angola.

cedida

breves
Desemprego atinge 28,8%
edições novembro

investimento universo de 100 jovens cerca de


Fábrica de enchidos 52 estão sem emprego.
é inaugurada na ZEELB A diferença entre os gru-
Uma indústria de processamento pos etários de 15 a 24 e de 25 a
de enchidos e transformação de 34 anos é de cerca de 26,6 por
carnes, designada Mestre-Akino, cento e diminui numa percen-
orçada em cerca de quatro milhões tagem de 10,3 entre as idades
de dólares norte-americanos, foi de 25 a 34 e 35 a 24.
inaugurada ontem, na Zona Eco- A pesquisa aponta igualmente
nómica Especial Luanda/Bengo uma taxa de emprego de 61,6 por Central do Ciclo Combinado do Soyo
(ZEELB), em Viana, pela ministra cento, com 64,8 para homens e
da Indústria, Bernarda Martins.
Do valor global 2,2 milhões de
58,7 para mulheres. Para a área
rural, a taxa de emprego situa-
Governo
dólares norte-americanos, foram
financiados no âmbito do extinto
-se em 75,7 por cento, enquanto
na urbana é de 53,5.
do Huambo
programa “Angola Investe” e a
outra parte pela promotora do A agricultura e pescas constam entre os sectores com maior empregabilidade Sectores em destaque
lança concurso
investimento da fábrica de carnes Os sectores da agricultura, pro-
e enchidos tradicionais “Mestre dução animal, caça, floresta e O governo provincial do Huambo
Akino”, afecta à sociedade agro- A taxa de desemprego em Angola rito de Emprego em Angola (IEA) pesca empregam o maior número lançou esta semana um concurso
-pecuária e Industrial “Filhos de atinge 28,8 por cento da popu- para o presente ano (2019). de pessoas, cerca de 46 por cento, público para aquisição de serviços
Luís Nicácio”. lação entre os 15 e 64 anos, Numa amostra de 3.675.816 seguido dos serviços com 45,3 de limpeza e saneamento básico
segundo o Inquérito sobre Despe- pessoas, a taxa de desemprego a indústria, construção, ener- para a centralidade do Lossambo,
activos sas, Receitas e Emprego (IDREA) foi de 26,6 por cento para os gia e água com 8,1 . no município do Huambo.
PGR recupera usd 286 feito pelo Instituto Nacional de homens e de 30,9 em mulheres, O estudo adianta ainda que A medida visa acabar com
milhões em posse do CIF-Angola Estatística (INE). no período de Março de 2018 a 42 por cento das 100 pessoas a anarquia existente no capí-
A Procuradoria Geral da República Segundo a Angop, os dados Fevereiro de 2019. empregadas (41,6%) trabalham tulo da prestação de serviço
(PGR) recuperou 286 milhões, 462 foram avançados ontem, quinta- De acordo com o referido rela- por conta própria, enquanto de recolha de resíduos sólidos.
mil, 201 e 66 cêntimos de dólares -feira, em Luanda, pela direc- tório, registou-se uma taxa de cerca de 19 (18,7) funcionam O concurso, estimado em 36
norte-americanos que se encon- tora-adjunta do INE, Ana Paula 36,5 por cento na área urbana e no sector privado. milhões de kwanzas e com um prazo
travam em posse da empresa Machado, durante a apresentação 16,2 na zona rural. No mercado informal a per- de execução de 36 meses, abrange os
CIF-Angola, na qualidade de dos indicadores sobre Emprego Ana Paula Machado fez saber centagem é de 72,6, com o maior serviços de limpeza urbana, recolha
entidade gestora do projecto de e Desemprego 2018/2019. que a taxa de desemprego juve- índice de cidadãos entre 25 e 64 de resíduos, corte de capim e deso-
construção do Novo Aeroporto No encontro foi igualmente nil entre os 15 e 24 anos é de 52,4 anos (74 %). A população inactiva bstrução de sarjetas e está aberto
de Luanda.O dinheiro foi recu- realizado o lançamento do Inqué- por cento. Acrescentou que num atinge 13,5 por cento. somente para empresas nacionais
perado na sequência de um pro- que operam no ramo dos serviços
cesso de inquérito instaurado pela Arão Martins | Edições Novembro de limpeza e saneamento básico
Direcção Nacional de Prevenção rio, no âmbito do plano de emer- sedeadas na província do Huambo
e Combate à Corrupção da PGR e Gado bovino gências de combate à seca que ou em outras regiões do país.
que visou fiscalizar as obras do assola essa região Sul do país. No acto de formalização das
Novo Aeroporto Internacional de do Cunene Na ocasião, o secretário de candidaturas, cuja apresenta-
Luanda (NAIL). Estado para a Agricultura e ção das propostas decorre no
já tem feno Pecuária, José Carlos Betten- período de 29 de Abril a 20 de
ambiente court disse, que o material entre- Maio, os concorrentes deverão
Angola participou no Quarenta e cinco toneladas de feno gue constitui o primeiro lote fazer fé documentalmente da
Fórum Regional Africano foram entregues, na passada quarta- de meios destinados ao Cunene legalidade das suas organiza-
A ministra do Ambiente, Paula -feira, ao governo da província do para assistir oito mil bovinos. ções, sob pena de serem afastados
Francisco, participou de 16 a 18, Cunene para apoiar os criadores José Bettencourt fez saber que de participarem no mesmo.
na 5ª Sessão do Fórum Regional de gado bovino a alimentar os ani- o ministério disponibilizou 600 O governo do Huambo pretende,
Africano sobre o Desenvolvimento mais nas áreas afectadas pela seca. milhões de kwanzas para a acção com tal medida, colocar definiti-
Sustentável (DS2019), realizado O feno serve para alimentar 19 mil bovinos morreram em três meses de emergência com vista a miti- vamente ordem no mecanismo
na cidade de Marrakech, Reino de o gado na falta de pasto, sendo gar a situação da seca com a aber- dos serviços de limpeza e sanea-
Marrocos. Sob o tema “ Emponde- uma mistura de plantas ceifa- tura e reabilitação de 10 furos de mento básico.
rar as populações e assegurar a das e secas, geralmente gramí- por muito tempo sem se estragar. água ao longo da fronteira com a
inclusão e a igualdade”, o evento neas e leguminosas, usada como A par do feno foram igual- Namíbia, construção de algumas ISSN 2409-6474
busca avançar a implementação forragem para o gado, mediante mente entregues 32 toneladas de formações zoo sanitárias como
dos dois Objectivos de Desenvol- a desidratação que retira a água sal comum, 630 quilogramas de bebedouros, chafarizes, mangas
vimento Sustentável (ODS) e da mas mantendo o valor nutritivo e sal mineral, 100 quilogramas de de vacinação e currais destina-
Agenda 2063 da África. permitindo a sua armazenagem carraticidas e 10 kits veteriná- dos ao tratamento. 9 772409 647001