Você está na página 1de 8

GARS – 2

Gilliam Autism Rating Scale - Second Edition


Sumário / Livro de Respostas

Seção I. Identificação

Nome: ____________________________________ Masculino ( ) Feminino ( ) Grau _____

Ano Mês Dia Escola: ______________________________

Nome do Respondente: _________________


Data da Avaliação _____ _____ _____
Nome do Examinador: _________________
Data de Nascimento _____ _____ _____
Título do Examinador: _________________
Idade _____ _____ _____

Seção II. Pontuação Seção IV. Perfil de Escores

Sub escalas
Sub escalas Escore Escore % SEM
Bruto padrão ile
Comportamentos
Estereotipados _____ ____ ___ 1

Índice de Autismo
Comportamentos

Interação Social
Estereotipados
Escore Padrão

Comunicação _____ ____ ___ 1


Comunicação
Interação Social _____ ____ ___ 1

Soma do Escore Padrão ____


20    150
Índice Autismo 4 19    145
18    140
17    135
16    130
Seção III. Guia de Interpretação 15    125
14    120
13    115
Sub escalas Índice de Probabilidade
Escore Autismo de 12    110
Padrão Autismo 11    105
10    100
7 ou maior 85 ou maior Muito Provável 9    95
8    90
7    85
4a6 Possivelmente 6    80
70 a 85
5    75
4    70
1a3 Improvável 3    65
69 ou menor
2    60
1    55
Seção V. Itens de Respostas Individuais

Subescala 1: Comportamentos Estereotipados


Instruções: Avalie os seguintes itens de acordo com a frequência. Use a seguinte classificação:
0 Nunca observado - Você nunca viu o indivíduo se comportar desta maneira
1 Raramente observado – Se comporta desta maneira 1-2 vezes por um período de 6 horas
2 Às vezes observado – Se comporta desta maneira 3-4 vezes por um período de 6 horas
3 Frequentemente observado – Se comporta desta maneira pelo menos de 5-6 vezes por um período de 6h
1

Circule a opção que melhor descreve suas observações do comportamento típico do indivíduo em situações comuns
(ex. na maioria dos locais, com pessoas familiares ou em atividades rotineiras). Lembre-se de avaliar todos os itens. Se
você estiver em dúvida sobre a avaliação de um dos itens, primeiro observe o indivíduo por um período de 6 horas para
classificar seu comportamento. LEMBRE-SE DE QUE TODOS OS ITENS DEVEM SER PONTUADOS.

Raramente observado

Às vezes observado
Nunca observado

Frequentemente
observado
1. Evita contato visual, desvia o olhar quando o contato visual é realizado. 0 1 2 3
2. Fixa o olhar para as mãos, objetos ou itens no ambiente por pelo menos 5 segundos. 0 1 2 3
3. Mexe os dedos rapidamente em frente aos olhos por 5 segundos ou mais. 0 1 2 3
4. Come alimentos específicos e se recusa a comer o que a maioria das pessoas geralmente 0 1 2 3
comem.

5. Lambe, leva a boca ou tenta comer objetos não comestíveis (ex. mão de pessoas, 0 1 2 3
brinquedos, livros).

6. Cheira ou fareja objetos (ex. brinquedos, mão de pessoas, cabelo). 0 1 2 3


7. Gira em círculos. 0 1 2 3
8. Gira objetos que não foram feitos para girar (ex. pires, copos, óculos). 0 1 2 3
9. Balança o corpo para frente e para trás enquanto sentado ou em pé. 0 1 2 3
10. Faz movimentos para frente, movimenta-se rapidamente quando muda de um lugar para 0 1 2 3
outro.

11. Empinar-se (ex. anda na ponta dos pés) 0 1 2 3


12. Abana as mãos ou os dedos na frente do rosto ou do lado. 0 1 2 3
13. Emite sons altos ou agudos (ex. eee-eee-eee) ou outras vocalizações para se estimular. 0 1 2 3
14. Dá tapas, se bate, se morde ou tenta se machucar de outras maneiras. 0 1 2 3

Subtotal __ + __ + __ + __

Pontuação total de comportamentos estereotipados


Seção V. Continuação

Subescala 2: Comunicação
Instruções: Avalie os seguintes itens de acordo com a frequência. Use a seguinte classificação:
0 Nunca observado - Você nunca viu o indivíduo se comportar desta maneira
1 Raramente observado – Se comporta desta maneira 1-2 vezes por um período de 6 horas
2 Às vezes observado – Se comporta desta maneira 3-4 vezes por um período de 6 horas
3 Frequentemente observado – Se comporta desta maneira pelo menos de 5-6 vezes por um período de 6h
1

Circule a opção que melhor descreve suas observações do comportamento típico do indivíduo em situações comuns
(ex. na maioria dos locais, com pessoas familiares ou em atividades diárias). Lembre-se de avaliar todos os itens. Se
você estiver em dúvida sobre a classificação de um dos itens, primeiro observe o indivíduo por um período de 6 horas
para classificar seu comportamento. LEMBRE-SE DE QUE TODOS OS ITENS DEVEM SER PONTUADOS.

Raramente observado

Às vezes observado
Nunca observado

Frequentemente
observado
Como este indivíduo se comunica? Pela fala? ___ Através de sinais? ___ Não se comunica ou
gesticula? ___ Se o indivíduo não fala, não gesticula ou não usa nenhuma outra forma de
comunicação, omita esta subescala.

15. Repete (ecolalia) palavras verbalmente ou com sinais. 0 1 2 3


16. Repete palavras fora do contexto (ex. repete palavras ouvidas há pouco tempo; repete 0 1 2 3
palavras ouvidas mais que um minuto atrás).

17. Repete palavras ou frases várias vezes. 0 1 2 3


18. Fala ou gesticula em tom monótono, afetivo ou padrão disrítmico. 0 1 2 3
19. Responde comandos simples inapropriadamente (ex. “sente-se”, “levante-se”) 0 1 2 3
20. Desvia o olhar ou evita olhar para a pessoa que o chamou. 0 1 2 3
21. Não pede coisas que quer. 0 1 2 3
22. Não inicia conversas com seus pares ou adultos. 0 1 2 3
23. Usa “sim” e “não” inapropriadamente. Responde “sim” quando é questionado se quer algo 0 1 2 3
aversivo, ou diz “não” quando questionado se gostaria de um brinquedo favorito ou uma
guloseima.

24. Usa pronomes incorretamente (ex. se refere a si mesmo com “ele”, “você”, “ela”). 0 1 2 3
25. Usa a palavra “eu” inapropriadamente (ex. não fala “eu” para se referir a si mesmo). 0 1 2 3
26. Repete sons ininteligíveis (balbucios) várias vezes. 0 1 2 3
27. Usa gestos ao invés de falar ou utilizar sinais para conseguir os objetos. 0 1 2 3
28. Responde inapropriadamente questões sobre uma declaração ou sobre uma estória breve. 0 1 2 3

Subtotal __ + __ + __ + __

Pontuação total em Comunicação


Seção V. Continuação

Subescala 3: Interação Social


Instruções: Avalie os seguintes itens de acordo com a frequência. Use a seguinte classificação:
0 Nunca observado - Você nunca viu o indivíduo se comportar desta maneira
1 Raramente observado – Se comporta desta maneira 1-2 vezes por um período de 6 horas
2 Às vezes observado – Se comporta desta maneira 3-4 vezes por um período de 6 horas
3 Frequentemente observado – Se comporta desta maneira pelo menos de 5-6 vezes por um período de 6h
1

Circule a opção que melhor descreve suas observações do comportamento típico do indivíduo em situações comuns
(ex. na maioria dos locais, com pessoas familiares ou em atividades diárias). Lembre-se de avaliar todos os itens. Se
você estiver em dúvida sobre a classificação de um dos itens, primeiro observe o indivíduo por um período de 6 horas
para classificar seu comportamento. LEMBRE-SE DE QUE TODOS OS ITENS DEVEM SER PONTUADOS.

Frequentemente observado
Raramente observado

Às vezes observado
Nunca observado
29. Evita contato visual, desvia o olhar quando alguém olha para ele/ela. 0 1 2 3
30. Olha fixo ou parece infeliz ou não excitado quando elogiado ou entretido. 0 1 2 3
31. Resiste a contato físico (ex. abraços, ou tapinhas ou atitudes carinhosas). 0 1 2 3
32. Não imita outra pessoa quando é solicitado ou desejado, tais como jogos ou atividades de 0 1 2 3
aprendizagem.

33. Afasta-se, permanece indiferente ou age com hostilidade em situações de grupo. 0 1 2 3


34. Comporta-se injustificadamente de maneira medrosa, tímida e assustada. 0 1 2 3
35. Não é afetivo; não responde afetivamente (ex. abraços e beijos). 0 1 2 3
36. É indiferente a presença alheia (ex. olha através das pessoas). 0 1 2 3
37. Ri e chora inapropriadamente. 0 1 2 3
38. Usa brinquedos ou objetos inapropriadamente (ex. gira carrinhos, deixa de lado 0 1 2 3
brinquedos de ação).

39. Faz certas coisas repetidamente, ritualisticamente. 0 1 2 3


40. Fica triste quando sai da rotina. 0 1 2 3
41. Responde negativamente ou com cólera quando recebe comandos, solicitações ou 0 1 2 3
direções.

42. Alinha precisamente objetos, organiza-os e fica chateado quando a ordem é desfeita. 0 1 2 3

Subtotal __ + __ + __ + __

Pontuação total em Comunicação


Seção VI. Entrevista com pais

As informações seguintes devem ser coletadas com os pais ou com cuidadores que tem contato direto e prolongado com o indivíduo.
Pais ou cuidadores são aceitos para a entrevista. Responda cada pergunta marcando “sim” ou “não”. Responda todos os itens.

Atrasos na:

Interação social
Sim Não Durante os 3 primeiros anos de vida:
a. A criança alcançava ou se preparava para ser pega quando os pais demonstravam que queriam pegá-la?
b. A criança chorava ou ficava chateada quando era deixada sozinha no berço, cercadinho ou outro lugar?
c. A criança chorava ou ficava chateada quando era pega ou segurada?
d. A criança chorava ou ficava chateada quando ia ao colo de outro adulto?
e. A criança tentava se juntar aos membros da família em atividades de grupo (ex. para assistir TV)?

Linguagem usada na comunicação social


Sim Não Durante os 3 primeiros anos de vida:
a. A criança falava palavras simples com 1 ano e 4 meses?
b. A criança se comunicava através de frases com significado por volta de 2 anos?
c. A criança desenvolveu a linguagem normalmente ( balbuciando, lalação e falando sem interrupção ou
regressão)?
d. A criança seguia comandos (ex. parecia entender o que fazer quando pediam para fazer algo)?
e. A criança parecia ouvir normalmente?

Funcionamento anormal em:


Interação social
Sim Não Durante os 3 primeiros anos de vida:
a. A criança sorria para os pais ou para os irmãos quando sorriam ou brincavam com ela?
b. Durante o primeiro ano, a criança chorava quando uma pessoa estranha se aproximava dela durante o
primeiro ano?
c. A criança participava de jogos de imitar antes de 3 anos (dar tchau, bater palmas, esconde-esconde)?
d. A criança parecia se envolver e ser responsiva com as pessoas?
e. A criança preferia passar o tempo na companhia de outras crianças?

Linguagem usada na comunicação social


Sim Não Durante os 3 primeiros anos de vida:
a. A criança respondia quando era chamada pelo nome (ex. virava-se e olhava para a pessoa)?
b. A criança perguntava por coisas ou usava gestos para comunicar o que ela/ele queria?
c. A criança seguia comandos simples (ex. venha aqui, me dê um abraço, acene tchau)?
d. A criança parecia entender quando alguém lhe pedia para fazer algo?
e. A criança indicava (demonstrava em sua face) quando os pais ou irmão choravam ou ficavam
angustiados?

Jogos/brincadeiras simbólicos e imaginários


Sim Não Durante os 3 primeiros anos de vida:
a. A criança brincava de faz de conta (ex. brincava com bonecas, heróis de ação, animais de brinquedo)?
b. A criança brincava de fingir que era outra pessoa (mamãe, papai ou um herói de ação)?
c. A criança brincava de fingir que um objeto era outra coisa? Por exemplo, colocava um cabo de vassoura
entre as pernas e fingia que estava montada em um cavalo?
d. A criança fingia ter um amigo ou animal imaginário?
e. A criança brincava com bonecas fingindo que eram pessoas reais?

O objetivo da Seção VI é documentar se o indivíduo apresenta os critérios diagnósticos do DSM-IV-TR. Se você verificar “não” a qualquer resposta
desta seção, o indivíduo preenche critérios para atraso ou funcionamento anormal.
Seção VII. Perguntas Importantes

As seguintes perguntas são designadas para auxiliar o examinador na conclusão diagnóstica. O examinador deve
considerar estas perguntas para interpretar os resultados da GARS-2.

1. Quais comportamentos o indivíduo demonstra que leva você a pensar que ele/ela tem autismo? Descreva estes
comportamentos o mais especificamente possível.

2. Quando estes comportamentos ocorreram pela primeira vez? Eles devem ter ocorrido antes de 36 meses.

3. Estes comportamentos ocorrem em todos os lugares? O indivíduo apresenta estes comportamentos em todos
os locais e na presença de quaisquer pessoas, e não em locais específicos ou na presença de determinadas
pessoas.

4. Estes comportamentos podem ser resultado de outra deficiência? Outros diagnósticos foram descartados?
Como?

5. Quem avaliou o indivíduo e quais foram os resultados? O indivíduo foi avaliado por pessoas qualificadas para
fazer o diagnóstico (ex. psicólogo, psiquiatra, fonoaudiólogo, especialista em autismo)?

6. Quais testes ou avaliações foram feitas além da GARSD-2? A pessoa foi submetida a uma bateria de testes
individuais (ex. testes de inteligência, avaliação escolar, testes de linguagem)?

7. Estes prejuízos foram notados em todas as áreas de definição do autismo (ex. comportamentos estereotipados,
comunicação e interação social)?

8. Quais áreas do diagnóstico são as mais afetadas? Quais são os sintomas?

9. Quão severos são os sintomas? Como os sintomas interferem na rotina?

10. Quais outras informações são necessárias? Quem pode fornecer a informação?

11. Quais outros recursos estão disponíveis para mais avaliação?


Seção VIII. Interpretação e Recomendações
Seção IX. Características da GARS-2

Descrição: a Escala de Autismo Gilliam – Segunda Edição é um instrumento desenvolvido e padronizado para
avaliar pessoas com autismo e outros transtornos comportamentais severos. A GARS-2 fornece normas que podem
auxiliar no diagnóstico do autismo.

Seleção dos itens: os itens da GARS-2 são baseados nas definições de autismo adaptadas do DSM-IV-TR (2000) e
da Sociedade Americana de Autismo (2003).

Dados normativos: A GARS-2 foi padronizada com uma amostra de 1.107 pessoas com autismo de 48 estados
norte americanos.

Confiabilidade: a consistência interna da GARS-2 foi determinada através da técnica alfa de Cronbach. Estudos
revelaram coeficientes alfa de 0,84 para os comportamentos estereotipados, 0,86 para Comunicação, 0,88 para
Interação Social e 0,94 para o Índice de Autismo. Os coeficientes de confiabilidade são altos e indicam que os itens
das subescalas são consistentes e medem características comportamentais das pessoas com autismo e outros
transtornos graves do comportamento. Todos os itens são suficientemente confiáveis para contribuir para decisões
diagnósticas importantes.

Validade: a validade da GARS-2 foi demonstrada através de vários estudos. A análise dos itens das subescalas
demonstrou que são bastante consistentes e discriminativos. Os estudos dos critérios de validade concorrente
demonstraram que as pontuações da GARS-2 podem ser usadas para identificar pessoas que pertence a diferentes
grupos diagnósticos. Outra evidencia de validade concorrente foi estabelecida pela correlação das pontuações da
GARS-2 com as pontuações do Autism Behavior Checklist (Krug, Arick, & Almond, 1993). Correlações positivas
foram obtidas entre os subtestes relevantes destes dois instrumentos. A análise da predição positiva demonstrou a
habilidade da GARS-2 para discriminar pessoas com autismo de crianças com retardo mental, crianças com várias
incapacidades e crianças sem deficiências.