Você está na página 1de 65

SEMINÁRIO ]NACIONAL

BIM = [ inovação na construção


ARQUITETURA E URBANISMO:
DIÁLOGO COM O FUTURO
Brasília – 27.Outubro.2016

BIM = [ inovação na construção ]


Wilton Silva Catelani
Consultor BIM CBIC e Coordenador CEE-134 ABNT
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

PREÂMBULO
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

PRODUÇÃO
Outubro.2016

DEMANDA PRODUTOS
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

• Focados em confiança e fidelidade a uma marca • Mais interessados em como as coisas são feitas
• Valorização da consistência • Não são tão preocupados com marcas, porque
podem ajustar às suas necessidades
• Produtividade de massa

• Que tipo de relacionamentos eles podem ter com as


organizações e empresas
• Como podem customizar produtos para atenderem às
suas preferências pessoais
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF

Geração “Baby-boomer” Geração “Millênium”


BIM = [ inovação na construção ]
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação
Normal na construção
headphones (NY)
]

• Produtos customizados para suas preferências e necessidades (scan do pavilhão auricular)


Outubro.2016

• Mas que mantenham todas as vantagens da produção moderna


BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Veículos
Sistema de Transporte Urbano

Cidade
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF

Superfícies das vias


BIM = [ inovação na construção ]

A internet das coisas...


Eletrodomésticos inteligentes

• Conectados uns com os outros



Outubro.2016

Conectados com seus donos


• Conectados com seus fabricantes
BRASÍLIA - DF

• Conectados com aplicativos e outros sistemas


BIM = [ inovação na construção ]
O QUE É REAL?

Câmeras controladas por robôs Roupas e acessórios impressos em 3D


Outubro.2016

Animações impressas em 3D Atuação & captura da realidade


BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Material Aço Baixo Carbono


AÇO SAE 1015 / 1020

Um gigantesco
Medidas

Revestimento
Rosca ANSI B 18.2.1
Rosca Soberba

Zincado Branco

volume de
Tipo Cabeça Sextavada

INFORMAÇÕES!
Diâmetro Ø ¼”
Outubro.2016

Comprimento 50mm
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Edificações
DBB
Design
PROPRIETÁRIO / Engenheiro
Bid Incorporador

muitas
INVESTOR Estrutural
Build Orçamentista
Arquiteto

Advogado Engenheiro
Instalações
Gerenciadora

Consultor

Engenheiro de
Planejamento PESSOASProjetos Legais
Outras
Engenharias

Construtora Subempreiteiros

envolvidas...! Fabricantes
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Yen /
man-hours
CONSTRUCTION MANUFACTURING INDUSTRY AS
INDUSTRY INDUSTRY A WHOLE MANUFACTURING
INDUSTRY
5,023
5000
4,496
INDUSTRY AS
A WHOLE

4000 3,714

3,531

3,449
3000 2,817
CONSTRUCTION
INDUSTRY
Outubro.2016

2000 Time
1990 1995 2000 2005 2010
BRASÍLIA - DF

Fonte: Thomas Bock – Chair of Building Realization and Robotic, Technical University, Munich, Germany, citando o Construction Industry Handbook (2015).
BIM = [ inovação na construção ]

Construção Significa que se conseguíssemos reduzir


1%, em massa, na construção, equivaleria
Automobilística a todo consumo anual de materiais da
x indústria automobilística!

utiliza 100x
mais materiais
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF

Fonte: Pesquisador Prof. Dr. Ubiraci Espinelli Lemes de Souza – USP (2003)
BIM = [ inovação na construção ]
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Então...
• A Construção civil é uma atividade coletiva, com inúmeros atores,
com diferentes níveis de capacidade, restrições e interesses,
que precisa lidar com um volume gigantesco de informações e
realizar vários processos distintos e interdependentes;
• Os processos tradicionais, baseados apenas em documentos 2D,
são fragmentados e significam reais obstáculos ao trabalho
colaborativo;
• A construção consome recursos demais e desperdiça muito;
• ... e é pouco produtiva e pouco eficiente, comparada com outras
Outubro.2016

indústrias.
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

e portanto, a questão que se coloca é...

... como fazer para “[...] produzir mais, com a qualidade requerida,
em menos tempo, com menores custos, ao longo do ciclo de
vida de um objeto construído, e de forma sustentável [...]” na
indústria da construção civil?

Qualquer resposta passa, inexoravelmente, pela necessidade da


inovação e mudanças!
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Inovação é...
Inovação significa a concepção e implementação de mudanças
significativas no produto, processo, marketing ou
organização empresarial, a fim de melhorar os resultados.

Mudanças inovadoras são feitas através da aplicação de


novos conhecimentos e tecnologias que podem ser
desenvolvidos internamente ou adquiridos externamente, via
serviços de consultoria ou compra de tecnologia.
Outubro.2016

Manual de Oslo
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

BIM não é uma tecnologia nova...


Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

O que é novo é o acesso da construção civil a essa tecnologia...


Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

4. BIM é uma tecnologia baseada em objetos 3D, paramétricos e


inteligentes, que significa recursos de TI aplicados aos processos
da construção civil;
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

O BIM é a expressão da
inovação na construção civil
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Architectural design by Annie-Claude Sauve. 3D modeling by Hans-Frederick Brown.


Outubro.2016
BRASÍLIA - DF

Image courtesy of HUNTAIR


BIM = [ inovação na construção ]

B u i l d i ng I nfo r m a t i o n M o d e l i n g é u m co n j u nto d e
tec n o l o g i as , p ro c es s o s e p o l í t i ca s, q u e p erm i tem
q u e vá ri a s p a r te s i nte re s s a d a s p o s s a m , d e
m a n ei ra co l a b o rat iva , p ro j eta r, co n st ru i r e
o p era r u m a ed i f i ca çã o o u i n sta l a çã o
Outubro.2016

(by Bilal Succar - 2008)


BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

É mais fácil de entender o que é BIM quando se entende o que são os objetos virtuais:

O Modelo BIM é uma base de dados


que incorpora, mostra e calcula
informações gráficas e não-gráficas

Objetos com dados


codificados,
Outubro.2016

criados ou
inseridos no Um modelo 3D baseado em objetos, que
modelo BIM incorpora seus relacionamentos e objetos
que carregam informações codificadas
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Principais pontos:
• BIM é uma tecnologia baseada em objetos 3D, paramétricos e
inteligentes, que significa recursos de TI aplicados aos processos
da construção civil;
• BIM oferece novas possibilidades, novas funcionalidades que
não podem ser realizadas com a tecnologia antecessora (CAD),
como as simulações de desempenho e o compartilhamento de
informações sem precedentes;
• BIM não é um “modismo”, e já se consolidou como a nova
plataforma tecnológica para a indústria da construção civil em
diversos países, sendo que, alguns o adotaram como parte de uma
Outubro.2016

decisão estratégica nacional, como UK, Cingapura e Chile.


BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Era-1 Era-2
Outubro.2016

DOCUMENTAÇÃO OTIMIZAÇÃO
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Era-3
Outubro.2016

CONEXÃO
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Principais pontos:
• O conceito BIM, de uma forma mais ampla e concreta não é muito
simples nem tampouco fácil de compreender;
• A implantação pode e deve ser progressiva, com a definição de um
projeto-piloto;
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Gerenciando Mudanças Complexas:


A migração BIM, dependendo do escopo, pode ser complexa...

Visão
+ Capacitação
+ Incentivos
+ Recursos
+ Plano de Ação
= Mudança

+ Capacitação
+ Incentivos
+ Recursos
+ Plano de Ação
= Confusão
Visão
+ + Incentivos
+ Recursos
+ Plano de Ação
= Ansiedade
Visão
+ Capacitação
+ + Recursos
+ Plano de Ação
= Resistência
Visão
+ Capacitação
+ Incentivos
+ + Plano de Ação
= Frustração
Outubro.2016

Visão
+ Capacitação
+ Incentivos
+ Recursos
+ = Falsos inícios
BRASÍLIA - DF

Adaptado de Knoster, T., Villa R., & Thousand, J. (2000). A Framework for thinking about systems change. In R. Villa & J. Thousand (Eds.) Restructuring for caring and effective education: Piecing the puzzle together (pp. 93-128). Baltimore: Paul H. Brookes Publishing Co.
BIM = [ inovação na construção ]

Ciclo de vida do Empreendimento:

Pré-obra Obra Pós-obra


Verificação da Viabilidade
Estratégica Corporativa
Legal
Social
Concepção Análise Uso e Manutenção
Conceituação Meio-Ambiente
Viabilidade Projeto Licitação Construção Comission. Descomiss.
Iniciação
de Riscos e Contratação Operação e Monitoramento
Tecnologia
Manutenção
Econômico-Financeiro
Marketing / Mercado
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
Os 25 Casos de Uso BIM:
(organizados em ordem reversa)
OPERAÇÃO CONSTRUÇÃO PROJETO PLANEJAMENTO
Planejamento Manutenção

Análise Sistema Construção

Gestão de Ativos
Ger. Espaços / Rastreamento
Planejamento c/ Desastres
Modelagem de Registros
Planejamento de Utilização

Projeto Sistema Construção

Fabricação Digital
Planejamento e Controle 3D
Coordenação Espacial 3D
Design Autoral

Análise Estrutural

Análise Luminotécnica
Análise Energética
Análise Mecânica

Análises de Outras Engas.


Avaliação LEED Sutentabilidade
Usos Principais do BIM
Validação de Códigos
Usos Secundários
Revisão de Projetos
Programação
Análises Locais
Planejamento
Estimativas de Custos
Modelagem das Condições Existentes

© Wilton Catelani - 2016


Projeto Projeto Projeto Documentação Aprovação /
Construção Encerramento
BIM = [ inovação na construção ]
Preliminar Esquemático Executivo p/ Construção Concorrência

Consultor Projetos Legais


Proprietário
Arquiteto
Engenheiros
TRADICIONAL Construtora
Subempreiteiros

O QUÊ
COMO

QUEM
EXECUÇÃO

Projeto Documentação Coordenação


Conceituação Anteprojeto Executivo p/ Implantação Final Construção Encerramento

Consultor Projetos Legais


Proprietário
Arquiteto
Engenheiros
INTEGRADO
Construtora
Subempreiteiros
O QUÊ
Outubro.2016

QUEM

COMO
BRASÍLIA - DF

EXECUÇÃO
BIM = [ inovação na construção ]

A crise e o BIM:
• A adoção BIM cresceu significativamente nos USA durante a
crise imobiliária de 2008, porque muitas empresas, para
enfrentarem o momento de redução de suas operações, decidiram
investir na melhoria dos seus processos, tornando-se mais
eficazes e mais produtivas;
• BIM não é panaceia nem “bala de prata”, não resolverá todos os
problemas da sua empresa, mas, poderá significar um atalho
importante e um passo estruturado de inovação;
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

COLETÂNEA GUIAS BIM CBIC


Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Cartilha focada
nos benefícios BIM
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

Coletânea de Guias
implantação do BIM
para Construtoras
e Incorporadoras
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

1 2 3 4 5
Fundamentos Projeto de Colaboração e Fluxos de Formas de
BIM implantação BIM Integração BIM Trabalho BIM Contratação BIM
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

 Conteúdo dos 5 Guias BIM CBIC:

1
Fundamentos BIM
• Conceitos e Definições
• Principais Benefícios
• Modelos BIM
• Objetos e Bibliotecas
• Ciclo de vida dos Empreendimentos
• Casos de uso BIM
• Usos BIM mais comuns
• LOD – Nível de Desenvolvimento
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

 Conteúdo dos 5 Guias BIM CBIC:

2
Projeto de implantação BIM
• Obstáculos
• Definição de Objetivos
• Planejamento e Controle
• Pessoas e Capacitação
• Hardware e Infraestrutura
• Software
• Mapeamento de Processos
• Informações críticas
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

 Conteúdo dos 5 Guias BIM CBIC:

3
Colaboração e Integração BIM
• Regras
• Diretrizes de Modelagem
• Codificação e Padronização
• Interoperabilidade
• Comunicação através do BCF
• Formatos de Arquivo
• Templates
• Softwares BIM
• Integrações
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

 Conteúdo dos 5 Guias BIM CBIC:

4
Os Fluxos de Trabalho BIM
• Logigrama Geral
(Ciclo de vida completo de uma edificação nova)
• Logigramas específicos
(Concepção, Anteprojeto e Projeto Executivo)
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]

 Conteúdo dos 5 Guias BIM CBIC:

5
Formas de Contratação
• Formas de Contratação
• Entregáveis BIM
• Direitos e responsabilidades
• Controle de Qualidade
• Critérios de Avaliação de Modelos BIM
• Medição da Progressão da Modelagem BIM
• Considerações Finais
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
© Wilton Catelani - 2016
BIM = [ inovação na construção ]

A coletânea de guias BIM CBIC:


Outubro.2016
BRASÍLIA - DF

Dowload gratuito em: http://cbic.org.br/bim/


BIM = [ inovação na construção ]

NORMAS BIM BRASILEIRAS


ABNT NBR-15965
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
Padronização e Codificação: DADOS DO PROJETO – NBR 15965
• Unidades definíveis do ambiente construído, compostas de espaços e elementos inter-relacionados
Código declassificados
USO pela forma
4U 12 .
21 31
DADOS DO PROJETO
• Uma entidade – NBR
construída 15965
é completa e pode ser vista separadamente, sem ser parte constituinte de outra unidade maior.Comercial
Código de USO 4U 16 11 00 Residencial
• Não define funções: Um arranha-céu (edifício de grande altura) pode ter diferentes usos (residencial, comercial, etc.)
Comercial Código de FORMA 4U 18 11 14 15
Residencial ...e isso?
Desenvolvimento
Status do Projeto
• Unidades
definíveis
Código de FORMA 4U do
18ambiente
11 14 15construído, compostas de espaços e elementos inter-relacionados caracterizados função
pela
Concluído .
ODesenvolvimento
que é isso?
• Umado
Status entidade construída é completa
Projeto e pode ser vista separadamente, sem ser parte constituinte
12 de
00 outra
4U Observações unidade maior.
00 Edifícios Educacionais
Concluído
• Função é o propósito de uso de uma entidade construída e é definida pela ocupação principal 4U 12 21 31
e não Ensino Médio
necessariamente por todas as
Observações 4U 18 00 00 Edifícios
4U 16 atividades que podem
00 00 Edifícios ser acomodadas na entidade.
Habitacionais
4U 18 11 14 15 Edifício Isolado de Baixa
4U 16 11 00 Residência Unifamiliar
• Funções podem determinar formas – Ex. Estádio de Baseball. – por outro lado, uma mesma entidade construídaAltura
pode acomodar diferentes
com Cobertura de Laje
4U 18 00 00 Edifícios
funções ao longo de sua vida útil – Um edifício de 2 pavimentos pode ser residencial, educacional ou comercial.
4U 18 11 14 11 Edifício Isolado de Baixa Altura
com Cobertura de Telhas

DADOS DO PROJETO – NBR 15965


Código de USO 4U 21 12 15
Comercial
Residencial
Código de FORMA 4U 18 11 14 15
Desenvolvimento
Status do
NBR-15965 OMNICLASS
Concluído
Projeto

4U 11 e 12
4U Observações
21 00 00 Instalações de Saúde
4U 21 12 15 Hospital Pequeno Trat. Básico
4U 18 00 00 Edifícios
4U 18 11 14 15 Edifício Isolado de Baixa
Altura com Cobertura de
Laje

© Wilton Catelani - 2016


Comunicação entre diferentes fluxos de trabalho:
DADOS DO PROJETO – NBR 15965
Código de USO 4U 27 18 00
Comercial
Escritório Corporativo Residencial

ou Edifício-sede da Código de FORMA 4U 18 11 14 15


Desenvolvimento
Empresa?... Status do Projeto
Concluído
Observações
4U 27 18 00 Edifício Sede da Empresa
Ok!
Entendi!
Ok!
4U 18 11 14 15 Edifício Isolado de Baixa
Altura com Cobertura de Laje

Entendi!

CCI

HHI
© Wilton Catelani - 2016
• Unidades básicas do ambiente construído, delimitadas por fronteiras
O quefísicas é abstratas e caracterizadas pela forma física.
ou isso?
• Um ambiente é uma parte do ambiente construído que pode ser distinguido de outros ambientes e elementos de alguma maneira e,
usualmente, são partes componentes de uma outra entidade construída maior e mais significativa.
• As fronteiras que definem os ambientes podem ser tridimensionais como no caso de uma sala ou bidimensionais como no caso de uma calçada
pública.
• Exemplos: Dormitório, Pátio, Quarteirão Urbano.

• Ambientes p/ função são unidades básicas do ambiente construído, delimitadas p/ fronteiras físicas ou abstratas e caracterizadas p/ sua
função.
• Ambientes tem um propósito principal de uso e podem ser ocupados por pessoas, coisas ou substâncias e servem como meio para a realização
de atividades ou movimentos.
• Nesta tabela, não são abordadas as suas formas, embora possa ou não existir uma correlação entre forma e função, a maior parte dos
ambientes podem acomodar diversas funções diferentes durante seu ciclo de vida.
• Exemplos: Cozinha, Shaft Elétrico, Escritório, Rodovia.

NBR-15965 OMNICLASS

4A 13 e 14
© Wilton Catelani - 2016
Objeto a construir: Um edifício comercial de 30 pavimentos
DADOS DO PROJETO – NBR 15965
Código ELEMENTO 2C 41 51 11 11
Vai ter janelas?! Comercial
Residencial

De que tipo?!
Desenvolvimento
Status do Projeto
Concluído Cara!... ainda
De que material?!
Observações
não sei!...
• Um elemento é um componente principal, uma montagem
2C 41 51 00 ouFECHAMENTOS
“uma entidade da construção ou parte que, por si só ou combinadas
com outras partes, desempenha um função predominante2C 41 51 na11
entidade construída.”
Aberturas Funções predominantes podem ser, por exemplo:
verticais
estruturar, vedar, realizar serviços numa instalação ou
2Cedificação.
41 51 11 Funções
11 predominantes
Aberturas podem também incluir um processo ou uma
transparentes
atividade.
• Elementos principais podem ser compostos de muitos sub-elementos. Por exemplo, a Cobertura de uma edificação pode ser composta
pela estrutura, fechamento externo e telhado.
• São utilizados nas fases mais iniciais dos projetos, sem a definição de um material ou de uma solução técnica. Para cada elemento,
existem diversas e diferentes soluções técnicas capazes de garantir sua função elementar.
• Exemplos: Pisos estruturais, Paredes Externas, Escadas, Mobiliário...

NBR-15965 OMNICLASS

© Wilton Catelani - 2016


3E 21
Comunicação entre diferentes fluxos de trabalho:
• Produtos são componentes ou montagens para incorporação permanente em entidades construídas.
DADOS
• Produtos são os blocos básicos utilizados para DO PROJETO
construção. – NBR
Um produto 15965
pode ser um único item industrializado, uma montagem
Código ELEMENTO
industrializada composta de várias partes, ou um sistema operacional3E isolado
** ** e**
industrializado.
•Vaso Sanitário
Esta tabela ou singulares, categorizadas por número eComercial
identifica produtos nome numa única localização. A tabela 22 – Resultados de
Residencial
Trabalhos,Sanitária?
Bacia fornece as múltiplas classificações para um dado produto, dependendo da sua aplicação. Por exemplo: um painel de vidro
pode ser utilizado numa janela, ou como uma prateleira
Código num armário,
PRODUTO 2C ou Ok!
**numa porta
** ** **de vidro interna.

• Exemplos: Concreto, tijolos, portas, janelas metálicas, etc. Desenvolvimento


Status do Projeto
Entendi!
Concluído
Observações
Ok!
3E ** ** ** Bacia Sanitária Cx Acoplada Entendi!
NBR-15965 OMNICLASS
2C ** ** ** ** Bacia Sanitária Cx Acoplada

3E CCI
21
DECA Belle Epóque Branca

NBR-15965 OMNICLASS

2C 23 HHI
© Wilton Catelani - 2016
Painel de Vidro Temperado
210
Identificação Visual
70 x 210cm x 8mm
210
• Resultados de trabalhos são resultados alcançados na fase de produção ou pelos subsequentes processos
de alteração, manutenção ou demolição, e que podem ser identificados por um ou mais dos seguintes aspectos:
• Uma habilidade particular ou empresa especializada envolvida;
• Determinados
e = 8mmrecursos construtivos utilizados;
• Determinada parte da construção em que resulta;
• O trabalho temporário ou preparatório em que resulta.
• Representa uma entidade completa que passa a existir após a utilização de todas as necessárias matérias-primas,
esforço humano e trabalho de equipamentos e processos tenham sido fornecidos e realizados para sua finalização.
• Podem ser montagens de diferentes produtos industrializados, ou um único produto, ou ainda envolver apenas mão
Box Chuveiro Tampo de Mesa
de obra para o alcance de um resultado desejado como a escavação de valas. Divisória Interna
• Exemplos: Concreto moldado in loco, Revestimento cerâmico, Iluminação Interna, Trilhos
210

NBR-15965 OMNICLASS

3R 22
210

210
© Wilton Catelani - 2016
O que oferecerá a NBR-15965?

© Wilton Catelani - 2016


Exemplo  informações
BIM = [ inovação na construção ] sobre uma janela de alumínio:

NBR-15965 NBR-15965 NBR-15965 NBR-15965 NBR-15965 NBR-15965

3E 2C 3R 1F 1S 1D
NBR-15965

NBR-15965
2N
4U
NBR-15965

4A
NBR-15965 NBR-15965 NBR-15965 NBR-15965

0P 0M 5I 2Q
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
Exemplo  Composições de custos para orçamentos:

3R +
1S 06.001.000088.SER
Alvenaria de vedação com blocos de concreto, 9 x 19 x 39 cm, espessura da parede 9 cm,
juntas de 10 mm com argamassa mista de cimento, cal hidratada e areia sem peneirar traço 1:2:11 m² 36,91

05.001.000031.MAT Bloco de concreto de vedação (alt: 190 mm / comprim: 390 mm / larg: 90 mm / resistência: 2,0 MPa) un 13,5 1,43 19,31

2C 03.001.000008.MAT Areia lavada tipo média

04.002.000002.MAT Cimento Portland CP II-E-32 (resistência: 32,00 MPa)


kg
0,0179

1,96
99,18

0,43
1,78

0,84

04.001.000001.MAT Cal hidratada CH III kg 1,96 0,42 0,82

2Q 36.003.000017.EQH Betoneira, elétrica, potência 2 hp (1,5 KW), capacidade 400 l - vida útil 10.000 h h prod 0,0045 11,22 0,05

2N 1D
01.026.000001.MOD Servente h 0,43 4,45 4,38
+
01.021.000001.MOD Pedreiro h 0,80 5,31 9,73
Argamassa:
CONTEÚDO DO SERVIÇO Consideram-se material e mão de obra para execução do serviço descrito.
CRITÉRIO DE MEDIÇÃO Por volume de argamassa preparada.
NORMAS TÉCNICAS NBR13281 - Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Requisitos (Mês/Ano: 09/2005)
NORMAS TÉCNICAS NBR7200 - Execução de revestimento de paredes e tetos de argamassas inorgânicas - Procedimento (Mês/Ano: 08/1998)
Alvernaria:
CONTEÚDO DO SERVIÇO Consideram-se material e mão de obra para preparo da argamassa e execução da alvenaria. Considerou-se perda de 3% dos blocos e 30% da argamassa.
NORMAS TÉCNICAS NR18 - Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção -18.13 - Medidas de proteção contra quedas de altura (Mês/Ano: 01/1950)
CRITÉRIO DE MEDIÇÃO Pela área executada, considerando cheios os vãos c/ área inferior ou igual a 2 m²; vãos c/ área superior a 2 m², descontar apenas o que exceder a essa área.
NORMAS TÉCNICAS NBR6136 - Blocos vazados de concreto simples para alvenaria - Requisitos (Mês/Ano: 10/2006)

© Wilton Catelani - 2016


Status atual do trabalho na CEE-135:
ABNT - CEE-134 - Sistema de Classificação de Informações da Construção - BIM
Estrutura de Classes NUMERAÇÃO: NORMAS PUBLICADAS
↓ ↓

ISO 12006-2 134.000.01-001/1 ABNT NBR ISO 12006-2:2010

Classificação e Terminologia --- 134.000.02-001/1 ABNT NBR 15965-1:2011

Identificador
Tema Assunto Tabela OMNICLASS
de Grupo

Materiais 0M 41
0 Características dos Objetos 134.000.02-001/2 ABNT NBR 15965-2:2012
Propriedades 0P 49
Fases 1F 31
1 Processos Serviços 1S 32 134.000.02-001/3 ABNT NBR 15965-3:2014
Disciplinas 1D 33
Funções 2N 34
Tabelas 2N-Funções e
Equipamentos 2Q 35
2 Recursos 134.000.02-001/4 2Q-Equipamentos já aprovadas em plenária.
Tabela 2C-Componentes ainda incompleta
Componentes 2C 23

Elementos 3E 21 Tab 3E-Elementos já aprovada em plenária


3 Resultados da construção 134.000.02-001/5 3R-Resultados em análise plenária
Construção 3R 22
Unidades e Espaços da Unidades 4U 11 e 12 Tabelas já aprovadas nas sessões plenárias e em fase
4 134.000.02-001/6 final de revisão pelo coordenador.
construção Espaços 4A 13 e 14

5 Informação da construção Informação 5I 36 134.000.02-001/7 ABNT NBR 15965-7:2015

x BIBLIOTECAS - Eduardo Toledo 134.000.03-001 ** nenhum conteúdo publicado até o momento **


© Wilton Catelani - 2016
Grupo Camargo Corrêa:
Concessões
Cimento de Energia

O Grupo Camargo Corrêa é uma das maiores empresas privadas do


Brasil.
Concessões
Naval e Offshore de Transportes Possui cerca de 58 mil funcionários.
Opera em 20 Estados brasileiros e está presente em 21 países.

Vestuário Denim
e Calçados & Workwear

Engenharia Incorporação
e Construção Imobiliária

Luiz Iervolino Leandro Marveis


CCDI CCDI

© Wilton Catelani - 2016


Projeto piloto – Telas do sistema SIGRO da CCDI:

VISUALIZAÇÃO DO MODELO 3D VISUALIZAÇÃO DO MODELO 3D REGISTRO DIÁRIO DE OBRAS LISTA INSTRUÇÕES DE TRABALHO - ITs CAPA DA IT PAREDE DE GESSO

CONTEÚDO IT – PAREDE DE GESSO LISTA VERIFICAÇÃO COM LOCALIZAÇAO DETALHE LISTA VERIFICAÇÃO C/ ANEXO FOTO TIRADA COMO EVIDÊNCIA NÃO CONFORMIDADE COM ANEXO
© Wilton Catelani - 2016
BIM = [ inovação na construção ]

BIM
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF
BIM = [ inovação na construção ]
wilton.catelani@usp.br
wilton.catelani@gmail.com
(11) 9 8946-5861

OBRIGADO!
Outubro.2016
BRASÍLIA - DF