Você está na página 1de 7

Na tarde do dia 6 de novembro de 2007, Leopoldina viu um incêndio atacar um de seus mais importantes

prédios históricos: a sede da Prefeitura Municipal de Leopoldina, MG.

NOTÍCIA HISTÓRICA DISTRIBUÍDA POR JOSÉ LUIZ MACHADO E NILZA CANTONI PARA OS
JORNALISTAS, NO DIA 6 DE NOVEMBRO DE 2007

O edifício onde está instalada a Prefeitura Municipal de Leopoldina teve sua construção iniciada na
década de 1860 pelo capitão João Gualberto Ferreira Brito, para residência de sua grande família. Foi
adquirido por José Cesário de Castro Monteiro de Barros, provavelmente antes de concluída a construção.
José Cesário de Castro Monteiro de Barros foi casado com sua parenta Augusta Cândida Monteiro de
Rezende com quem teve uma única filha, Maria da Purificação Rezende Monteiro de Castro, que por sua
vez casou-se com seu parente Quirino Ribeiro Monteiro de Rezende e este casal não teve filhos.
Em abril de 1895, decreto do Agente do Executivo autorizou a abertura de um crédito extraordinário
para complementar outro anteriormente votado, e com o qual se faria a compra de um prédio para a
Câmara Municipal. Foi escolhido este prédio, que se encontrava sem moradores desde o falecimento de
seu último proprietário. A venda do prédio para a Prefeitura Municipal de Leopoldina foi realizada por
Quirino Ribeiro Monteiro de Rezende.
Em maio de 1895 a Câmara Municipal transferiu-se para o palacete, localizado na então rua Primeiro
de Março, que até 1881 chamava-se Teophilo Otoni e era um prolongamento da rua Direita, sendo
atualmente a rua Lucas Augusto.
Até o início deste ano de 2007, o prédio abrigou os poderes Legislativo e Executivo do Município
(Câmara e Prefeitura)
NOTÍCIA SOBRE O INCÊNDIO, POR JOSÉ DO CARMO MACHADO RODRIGUES
Imagens do momento em que os bombeiros chegavam. Mas os rapazes dos "bombeiros" de
Leopoldina, já estavam conseguindo isolar a propagação do fogo que queimava os beirais do prédio
principal pela parte dos fundos. Ou seja, quando os bombeiros chegaram, o anexo dos fundos da
Prefeitura já tinha ardido, e o fogo dos beirais do prédio histórico estava sendo dominado. O pior,
graças a Deus, não aconteceu.
O fogo foi apenas no telhado. Não há possibilidade de dano no subsolo, onde estão os
documentos históricos... a não ser por água dos bombeiros. Mas isto a gente só vai ver depois.

Neste momento, 20 horas e 10 minutos, já noite, só vejo, daqui de casa, um pequeno clarão ainda
ardendo no teto do anexo. Não tenho dúvida de que o prédio principal está salvo.

News Bot 07.11.07

Incêndio destrói prédio da prefeitura de Leopoldina

Imóvel tem 112 anos e foi tombado pelo patrimônio histórico municipal.

Segundo testemunhas, fogo começou na tarde de terça-feira, em MG.

Blog Destaknews 07.11.07

Incêndio começou no princípio da noite e mobilizou a população

Um incêndio consumiu parte do casarão que abriga a prefeitura de Leopoldina, na Zona da Mata, no
começo da noite desta terça-feira. A construção, datada do século 19, ficou muito danificada pelas chamas.
Bombeiros do destacamento de Muriaé, distante 60 quilômetros, foram acionados para apagar o fogo, que
se alastrou pelos setores de patrimônio, imprensa e jurídico, o mais afetado. A preocupação foi proteger o
gabinete do prefeito José Roberto de Oliveira, que acompanhou todo o trabalho dos bombeiros. O uso de
extintores e o trabalho de um mutirão de pessoas, como moradores, policiais militares e funcionários,
evitaram que as chamas se alastrassem pela sala da administração pública. A população também ajudou na
retirada de móveis e documentos que estavam nos cômodos da frente do casarão, os menos atingidos.

Tombado pelo patrimônio municipal, o casarão, localizado na Rua Lucas Augusto, no Centro, é um dos mais
antigos de Leopoldina e foi adquirido pela prefeitura no começo do século 20. A própria característica do
edifício, construído com parede adobe (pau a pique) e cujos assoalhos, forros e divisórios são de madeira,
contribuiu para que as chamas se alastrassem.

No Jornal Panorama, JF 07.11.07

EM LEOPOLDINA

INCÊNDIO DESTRÓI PREFEITURA

Um incêndio que começou no início da noite de ontem destruiu o prédio da Prefeitura de Leopoldina. A
unidade do Corpo de Bombeiros mais próxima ao local do incidente fica na cidade de Muriaé e foi acionada
para conter as chamas. Policiais militares tentaram salvar equipamentos e documentos. Até o fechamento desta
edição, não havia informações sobre feridos.

Último Segundo 07.11.07

Incêndio atinge sede da prefeitura de Leopoldina

O prédio da prefeitura municipal de Leopoldina, Minas Gerais, pegou fogo no final da tarde da terça-feira (6).

Era possível avistar as altas chamas de vários pontos da cidade. Depois de bastante esforço, o fogo foi
apagado pelos bombeiros de Muriaé, que contaram com o auxílio da polícia e alguns moradores. O incêndio
atingiu alguns setores como o jurídico, de imprensa e de patrimônio.
Moradores de Leopoldina criaram, logo após o ocorrido, uma associação para cobrar melhorias das autoridades
no que diz respeito ao combate a incêndios no município. Logo o prédio da prefeitura que deveria dar o
exemplo de segurança, mostrou-se ineficiente.

Bob News - 07.11.07

Pegando Fogo!!

Incêndio consome parte da prefeitura de Leopoldina

A construção, datada do século 19, ficou muito danificada

Um incêndio consumiu parte do casarão que abriga a prefeitura de Leopoldina, na Zona da Mata, no começo da
noite desta terça-feira. A construção, datada do século 19, ficou muito danificada pelas chamas. Bombeiros do
destacamento de Muriaé, distante 60 quilômetros, foram acionados para apagar o fogo, que se alastrou pelos
setores de patrimônio, imprensa e jurídico, o mais afetado.

A preocupação foi proteger o gabinete do prefeito José Roberto de Oliveira, que acompanhou todo o trabalho dos
bombeiros. O uso de extintores e o trabalho de um mutirão de pessoas, como moradores, policiais militares e
funcionários, evitaram que as chamas se alastrassem pela sala da administração pública. A população também ajudou
na retirada de móveis e documentos que estavam nos cômodos da frente do casarão, os menos atingidos.

G1 07.11.07
Incêndio destrói prédio da prefeitura de Leopoldina
Imóvel tem 112 anos e foi tombado pelo patrimônio histórico municipal.
Segundo testemunhas, fogo começou na tarde de terça-feira, em MG.
Um incêndio destruiu parte do prédio da prefeitura de Leopoldina (MG), na tarde de terça-feira (6). O imóvel
tem 112 anos e foi tombado pelo patrimônio histórico municipal. Segundo testemunhas, o fogo começou na
sala do departamento de controle de veículos da prefeitura.
Quinze homens do Corpo de Bombeiros de Muriaé, cidade a 60 quilômetros de Leopoldina, levaram duas horas
e meia para controlar as chamas. No local funcionavam a Secretaria de Esporte, de Habitação e de Governo,
além do Procon, da Procuradoria do Município e dos gabinetes do prefeito e vice-prefeito.
Nesta quarta-feira (7), uma equipe da prefeitura vai avaliar os prejuízos e a Polícia Civil fará uma perícia. Um
inquérito será instaurado para investigar se o incêndio foi criminoso.

Bom Dia Minas 07.11.07

Prédio da prefeitura de Leopoldina é destruído por um incêndio

Um incêndio destruiu parte do prédio da prefeitura de Leopoldina, na Zona da Mata. O imóvel de mais de cem
anos é tombado pelo patrimônio histórico municipal

O fogo começou no início da tarde de ontem. Segundo testemunhas, as primeiras labaredas saíram da sala do
departamento de controle de veículos da prefeitura.
Quinze homens do Corpo de Bombeiros de Muriaé, cidade a 60 quilômetro de Leopoldina, levaram duas horas
e meia para controlar as chamas. Oitenta por cento do prédio, que tem 112 anos, foram destruídos. Nele
funcionavam a Secretaria de Esporte, de Habitação e de Governo, além do Procon, da Procuradoria do
Município e dos gabinetes do prefeito e vice.

Hoje pela manhã, uma equipe da prefeitura vai avaliar os prejuízos e a Polícia Civil fará uma perícia. Um
inquérito será instaurado para investigar se o incêndio foi criminoso.

Repórter Virgílio Gruppi

SuperNotícia 07.11.07

Fogo destrói prédio de prefeitura na Zona da Mata

07/11/2007 - 11:38:37

LEOPOLDINA - Um incêndio, que começou na sala do departamento de controle de veículos,


destruiu parte do prédio da prefeitura de Leopoldina, na Zona da Mata mineira, na tarde dessa terça-
feira. Conforme a Rede Globo, os bombeiros levaram duas horas e meia para controlar as chamas.
Uma equipe da prefeitura avaliará os prejuízos. Um inquérito será instaurado para investigar se
o fogo foi criminoso.

Ainda segundo a Rede Globo, no prédio, a Secretaria de Esporte, de Habitação e de Governo, a


Procuradoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e os gabinetes do prefeito e do vice-prefeito
funcionavam. O imóvel tem 112 anos e foi tombado pelo patrimônio histórico municipal.

UAI ESTADO DE MINAS 07.11.07


Incêndio consome parte da prefeitura de Leopoldina
Um incêndio consumiu parte do casarão que abriga a prefeitura de Leopoldina, na Zona da Mata, no começo da
noite desta terça-feira. A construção, datada do século 19, ficou muito danificada pelas chamas. Bombeiros do
destacamento de Muriaé, distante 60 quilômetros, foram acionados para apagar o fogo, que se alastrou pelos
setores de patrimônio, imprensa e jurídico, o mais afetado.
A preocupação foi proteger o gabinete do prefeito José Roberto de Oliveira, que acompanhou todo o trabalho dos
bombeiros. O uso de extintores e o trabalho de um mutirão de pessoas, como moradores, policiais militares e
funcionários, evitaram que as chamas se alastrassem pela sala da administração pública. A população também ajudou
na retirada de móveis e documentos que estavam nos cômodos da frente do casarão, os menos atingidos.

Portal Caparaó 07.11.07

Incendio na prefeitura assusta moradores de Leopoldina


Prédio foi parcialmente destruído

O casarão que abriga a Prefeitura de Leopoldina, na Zona da Mata, foi parcialmente consumido por
um incêndio no começo da noite desta terça-feira.
A construção, datada do século 19, ficou muito danificada pelas chamas. Bombeiros do
destacamento de Muriaé, distante 60 quilômetros, foram acionados para apagar o fogo, que se
alastrou pelos setores de patrimônio, imprensa e jurídico, o mais afetado.
A preocupação foi proteger o gabinete do prefeito José Roberto de Oliveira, que acompanhou todo o
trabalho dos bombeiros. O uso de extintores e o trabalho de um mutirão de pessoas, como
moradores, policiais militares e funcionários, evitaram que as chamas se alastrassem pela sala da
administração pública. A população também ajudou na retirada de móveis e documentos que
estavam nos cômodos da frente do casarão, os menos atingidos.

Tombado pelo patrimônio municipal, o casarão, localizado na Rua Lucas Augusto, no Centro, é um
dos mais antigos de Leopoldina e foi adquirido pela prefeitura no começo do século 20. A própria
característica do edifício, construído com parede adobe (pau a pique) e cujos assoalhos, forros e
divisórios são de madeira, contribuiu para que as chamas se alastrassem.

Com informações de Ricardo Beghini, do Estado de Minas/ Fotos: Luciano Baía Meneghite/Jornal
Leopoldinense 07/11/07 - 10:00

Patrimônio em chamas
Leopoldina perdeu esta semana um de seus poucos tesouros históricos. Um incêndio destruiu grande parte do
casarão que abrigava a Prefeitura Municipal. O prédio, de 112 anos, construído no final do século XIX não
resistiu às chamas. Os setores mais afetados foram o de patrimônio, imprensa e jurídico, Dá-me uma certa
consternação ao perceber a fragilidade de nosso patrimônio histórico. No caso do incidente, minha tristeza é
maior ao constatar que a perda vai muito além dos 112 anos da construção.
Há cerca de 10 anos atrás eu fiz um levantamento superficial da documentação do século XIX existente na
prefeitura e que não chegou a ser pesquisa e manuseada adequadamente, dada a precariedade na qual estava
depositada (em meio a grossas camadas de poeira e terra, exposta à umidade e aos roedores e insetos).
Infelizmente, Leopoldina não é uma excessão, é uma regra. Em Minas, como em boa parte do Brasil, não há
consciência sobre a necessidade da valorização de documentos produzidos em tempos passados, tendo eles
como destino uma "morte" lenda, em algum depósito ou acabam, mesmo, sendo incinerado em terrenos baldios.
Se esta documentação ainda estava armazenada lá, nada ou muito pouco deve ter restado. Uma fatalidade como
esta ocorre justamente no momento em que a história local começou a ser valorizada. Ela passa a compor o
currículo do ensino fundamental e Minas, com a implantação do Currículo Básico Comum (CDC), fato que
abre uma brecha para se reivindicar a restauração daquela documentação, a fim de que pudéssemos tentar
começar a construir nossa história local, através de métodos adequados de análise da documentação e do
contexto em que esta foi produzida. Não que ainda não possa mais ser feito, mas será uma história que já
nascerá mutilada.
No entanto, há a possiblilidade de que esta documentação não estivesse mais nos depósitos da prefeitura, podendo
ainda ser recuperada, pois uma parte do arquivo havia sido removida para outro local, h´alguns anos atrás. Preciso de
mais informações sobre este assunto, Por ora, deixo aqui a relação - parcial e incompleta - da documentação que eu
inventarei, em 1996, por época da minha especialização em História Regional.
ACESSA.com Especialistas de BH e peritos de Leopoldina têm 30 dias para elaborar o laudo sobre incêndio no
prédio da prefeitura de Leopoldina - Sílvia Zoche Subeditora
A prefeitura de Leopoldina vai ter que procurar outro prédio para abrigar temporariamente seus setores, depois
do incêndio que tomou parte do prédio, uma construção antiga da cidade, nesta terça, dia 06 de novembro. O
fogo destruiu parte do departamento jurídico, a sala dos motoristas, o setor de transportes, a seção de
patrimônio e arquivos, parte do Procon, a sala de reuniões do pregão, e o local onde ficaria a secretaria de
esportes.
A primeira notificação oficial do foco de incêndio foi visto às 18h10. Foram acionados caminhões-pipa, a
Copasa e o Corpo de Bombeiros de Muriaé, batalhão mais próximo à cidade. O incêndio foi contornado por
volta de 22h30.
Segundo o delegado regional da Polícia Civil da cidade, Eduardo de Azevedo Moura, o trabalho da perícia
começou no mesmo dia, à noite. "O trabalho da perícia no local começou ontem a noite, mas como algumas
paredes ruindo, os peritos voltaram às 7h e depois chegaram os especialistas de BH. O local ficou isolado e só
foi liberado hoje para a prefeitura derrubar estas paredes", diz.
Não houve vítimas e as causas ainda vão ser apuradas. Já foi instaurado um inquérito policial para investigar as
causas do incêndio. Os especialistas, juntamente com os peritos da cidade, vão elaborar o laudo e vão ter 30
dias para terminá-lo e entregar o resultado. "É um laudo muito técnico, difícil, mas eles vão tentar entregar
antes deste prazo", diz o delegado.
Portal iPanorama - MGTV 1: Incêndio destrói prédio da Prefeitura de Leopoldina - 07/11/2007
Um incêndio destruiu quase todo o prédio da Prefeitura de Leopoldina, que fica a 100km de Juiz de Fora. O fogo
começou no início da noite de ontem, durou quase três horas e não deixou feridos.
Segundo testemunhas, o incêndio começou no térreo do prédio, onde se encontrava o departamento de controle de
veículos da prefeitura. Quinze homens do Corpo de Bombeiros de Muriaé, cidade que fica a 60 km de Leopoldina,
levaram mais de duas horas para controlar o fogo.
A construção tem 112 anos e é tombada pelo patrimônio histórico municipal. No imóvel funcionavam as secretarias
de Esporte, Habitação e Governo, além do Procon, Procuradoria e os gabinetes do prefeito e vice. A Polícia Civil fez
uma perícia no local. Um inquérito policial foi instaurado para investigar se o incêndio foi criminoso.
SJ On Line
Incêndio consome prédio histórico de Leopoldina
07-Nov-2007 O imóvel, de 112 anos, tombado pelo patrimônio histórico, que abriga a Prefeitura de Leopoldina,
pegou fogo no começo da tarde de terça-feira (06/11). O incêndio começou na sala do departamento de controle de
veículos da prefeitura, destruindo parte do prédio.
O Corpo de Bombeiros da cidade de Muriaé - localizada a 60 quilômetros de distância de Leopoldina - enviou 15
homens para combaterem as chamas, que duraram cerca de duas horas e meia. No prédio incendiado funcionava as
Secretarias de Esporte, de Habitação e de Governo, a Procuradoria do Município, o Procon, além dos gabinetes do
prefeito e do vice-prefeito.
A Polícia Civil realizará uma perícia para averiguar se o incêndio foi criminoso e uma equipe da prefeitura avaliará os
prejuízos.

Em 27 de junho de 2009 o jornal Leopoldinense anunciou: TERMINARAM AS


OBRAS DE RECUPERAÇÃO DA PREFEITURA APÓS O INCÊNDIO