Você está na página 1de 23

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

UEPB / CAMPUS VIII / ARARUNA


CENTRO DE CIÊNCIAS, TECNOLOGIA E SAÚDE - CCTS
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL – UEPB

Aula 08: Sistemas Elevatórios e custos

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


SISTEMA ELEVATÓRIO DE ÁGUA:
•Indisponibilidade de cotas topográficas  necessidade de
transferir energia para o líquido através de um sistema
eletromecânico.

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


CONCEITO:
•Sistema elevatório de água (recalque): conjunto de tubulações,
acessórios, bombas e motores necessário para transportar um
certa vazão de um reservatório R1 na cota Z1 para um
reservatório R2 na cota Z2, onde Z2>Z1.

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


COMPOSIÇÃO DE UM
SISTEMA ELEVATÓRIO DE
ÁGUA: Tubulação de
Recalque
•Tubulação de Sucção Conjunto
Elevatório
•Conjunto Elevatório
Tubulação
•Tubulação de Recalque de Sucção

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


COMPOSIÇÃO DE UM SISTEMA ELEVATÓRIO DE ÁGUA:
Válvula de pé com crivo: válvula
•Tubulação de Sucção de retenção  impedir o retorno
do líquido; o crivo acoplado à
válvula tem a finalidade de impedir a
entrada de partículas sólidas no
interior da bomba.

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


COMPOSIÇÃO DE UM SISTEMA ELEVATÓRIO DE ÁGUA:

•Tubulação de Sucção
Redução Excêntrica: peça que
se adapta na entrada da bomba com
função evitar o acúmulo de bolhas
de ar na entrada da bomba.

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


COMPOSIÇÃO DE UM SISTEMA ELEVATÓRIO DE ÁGUA:

•Conjunto Elevatório
Motor de acionamento: fornece
energia (fonte elétrica ou a
combustão) mecânica à bomba.
Bomba: dispositivo para adicionar
energia ao escoamento.

Conjunto motor-
bomba.

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


COMPOSIÇÃO DE UM SISTEMA ELEVATÓRIO DE ÁGUA:

•Tubulação de recalque:
Válvula de Retenção: protege a
bomba contra o retorno da água
por ocasião da parada do motor.

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


COMPOSIÇÃO DE UM SISTEMA ELEVATÓRIO DE ÁGUA:

•Tubulação de recalque:
Registros ou válvulas de
controle: para manutenções e
controle da vazão.

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


INSTALAÇÃO DE UMA BOMBA:

Sucção negativa (bomba afogada) Sucção positiva (bomba não-afogada)

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

PARÂMETROS HIDRÁULICOS DE UMA INSTALAÇÃO DE


RECALQUE
Z2
hR

hR HR
Hg Hm

Z1
hS HS
hs
Linha
Piezométrica

p1
2 2 0 H m  Z 2  Z1  h12
p2
H  Z 2  Z1 
p1U U
  2  1  h12 
  2g 2g p2 H m  H g  h12
0

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


POTÊNCIA E RENDIMENTO DO CONJUNTO ELEVATÓRIO

•Potência hidráulica:
PH  QH m

•Potência transmitida ao líquido:


QH m QH m
Pot  (W ) Pot (cv ) 
B 75 B
•Potência do conjunto motor-bomba:
QH m QH m
Pot  (W ) Pot (cv ) 
 B M 75 B M

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DA TUBULAÇÃO DE RECALQUE

$$$$
D H Potência
$$$$

$$$$
D H Potência
$$$$ Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DA TUBULAÇÃO DE
RECALQUE
•Para uma adutora de comprimento L, diâmetro D e uma taxa de
encargos financeiros t (juros e amortizações de capital), o gasto anual
global pode se calculado por:
Custo1  Ci Lt
Onde Ci é o custo unitário da tubulação e pode ser dado por:

Ci  D 2

Ci  aD 2  bD  c Para ferro fundido

Ci  D Para diâmetros menores que 200mm


Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DA TUBULAÇÃO DE
RECALQUE
•Para os gastos com energia elétrica de uma instalação que funciona T
horas por dia, durante N dias por ano ao custo de A por quilowatt-
hora consumido, tem-se:

9,8Q( H g  JL )
Custo2  .N .T . A Custos com energia elétrica
 m
Onde:
N: quantidade de dias
T: nº de horas por dia
A: custo do quilowatt-hora consumido

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DA TUBULAÇÃO DE
RECALQUE

Custo1  Ci Lt Quanto maior o diâmetro maior o Custo1

9,8Q( H g  JL )
Custo2  .N .T . A Quanto maior o diâmetro menor o Custo2
 m

Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DA TUBULAÇÃO DE
RECALQUE
Custo total

De – Diâmetro Econômico o qual torna a soma dos custos mínima


Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DA TUBULAÇÃO DE
RECALQUE:
Fórmula de Bresse
•Hipóteses:
1-Custo da linha instalada de comprimento L seja diretamente
proporcional ao diâmetro, na forma: C1 = p1LD
2-Custo do conjunto motor-bomba seja diretamente proporcional à
unidade de potência instalada (kW), na forma C2 = p2Pot
•Portanto:C= p1LD + p2Pot
L 2
9,8Q( H g  0,0827 f 5 Q )
C  p1 LD  D
 m
Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DA TUBULAÇÃO DE
RECALQUE:
Fórmula de Bresse
•Derivando-se a equação em relação ao diâmetro e igualando-se a zero
para chegar ao mínimo custo global C, temos:

L 3
4,05 f 6 Q )
dC D 4,05 f p2 3
 p1 L  p2  0 D 
6
Q
dD  m  m p1
Custo de material
O valor de K varia com a época e a Mão de Obra
região Operação e manutenção
Tarifa da energia elétrica
0,6<K<1,6
D(m)  K Q(m³ / s)
Hidráulica
Aula 09: 26.09.14 Prof. Maria Cordão

Escoamento em condutos forçados


DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DA TUBULAÇÃO DE
RECALQUE
•A fórmula de Bresse é utilizada quando o sistema funciona
continuamente (24h/dia);
•Nos casos em que não há necessidade de continuidade do sistema, a
ABNT (NBR-5626) recomenda utilizar a seguinte fórmula:

Em que X é o nº de horas de
Dr (m)  1,3 X 1/ 4
Q(m³ / s) funcionamento do sistema dividido
por 24.

Hidráulica