Você está na página 1de 3

Motivos de Sobrevivência - são os que se baseiam nas necessidades fisiológicas ou quaisquer

condições que afetem diretamente a sobrevivência do indivíduo.

Cíclicos - A fome é a condição do indivíduo privado de alimento. Existem diferentes graus de


fome. A fome é, também, uma experiência de dor moderada no estômago e uma sensação
geral de perda de vigor.

Os hipotálamos – é uma parte importante do cérebro, na regulação da fome - identificados


dois centros: o da alimentação e o da saciedade. O primeiro, quando ativado, produz fome e o
segundo provoca uma parada na alimentação, o organismo já se alimentou o suficiente.

Nem todas as necessidades alimentares resultam em fome – o aprendizado no


comportamento de comer pode explicar – pessoas aprende que comer reduz a ansiedade ou
quando insiste em comer coisas que são prejudiciais a saúde – provando que o prazer de
comer supera a satisfação sadia.

Sede - é a condição de uma pessoa necessitada de água - provoca uma sensação de secura na
boca e garganta - a ação de mecanismos reguladores com centro no cérebro. A sede é
entendida, por alguns autores, como uma fome específica - mas também influem a
experiência, as características dos líquidos oferecidos e os fatores sociais.

Respiração - A necessidade de ar é uma necessidade da qual só nos damos conta


ocasionalmente porque não estamos frequentemente experimentando sua carência como
costuma acontecer com relação ao alimento, à água ou ao sono. A necessidade de ar é
necessidade de oxigênio. No entanto, a pessoa pode ser privada de oxigênio sem que isto a
faça tomar consciência da privação.

Sono - é um estado do organismo que pode ser traduzido como estado de atividade,
receptividade e vigilância reduzidas.

Há necessidade de sono, em média 8 horas para cada período de 24 horas.

A privação de sono produz uma reduzida receptividade aos estímulos e um decréscimo de


eficiência no desempenho de atividades simples como, por exemplo, a fala e a escrita.

Estudos experimentais sobre o sonho são muito recentes e não permitem, ainda, maior
compreensão do processo. Sabe-se, por meio deles, que todas as pessoas sonham, numa
média de aproximadamente duas horas por noite.

Motivos de Sobrevivência Episódicos

Dor - é um impulso relacionado às necessidades básicas, porém difere no sentido de que é um


motivo aversivo, isto é, provoca um comportamento de fuga

A estimulação dolorosa gera um forte motivo para evitar este tipo de estimulação, o
organismo deve se afastar da fonte de estimulação dolorosa. Por termos experimentado a dor,
somos motivados a evitar que ela se repita.
Medo - é considerado como uma reação inerente à dor ou a outros estímulos nocivos, e os
estudos a respeito, indicam que o medo pode ser aprendido – esta relacionado com
experiências dolorosas.

Fadiga - é usado para um estado motivacional do organismo associado a uma necessidade de


descanso, (fadiga fisiológica) - fadiga mental - um só músculo, até um estado de colapso total
do organismo.

É um fenômeno motivacional no sentido de que sua acumulação provoca mudanças na


conduta.

Existem provas de uma série de processos metabólicos interatuantes para ocasionar a fadiga,
desde mecanismos centrais neuroquímicos até a atividade neuromuscular local.

A fadiga parece ser uma condição aversiva, que o indivíduo também aprende a antecipar e
evitar.

Ligados à Recepção e Interpretação de Informações.

Estimulação informativa - A necessidade de receber informação é observada na criança


desde muito cedo, no comportamento ativo de procurar informações no meio ambiente. O
bebê, por exemplo, explora meticulosamente os objetos, com os dedos e com a boca.

Psicologia Humanista – É um movimento que enfatiza a bondade inerente nas


pessoas. Ao invés de se concentrar no que há de errado com as pessoas, a psicologia
humanista adota uma abordagem mais holística, olhando o indivíduo como um todo e
enfatizando o desejo de autoatualização. É resposta direta à psicanálise e ao behaviorismo. Os
fundadores da abordagem humanista acreditavam que a perspectiva psicanalítica de Sigmund
Freud era muito negativa e focada apenas na patologia. O behaviorismo de BF Skinner, por
outro lado, era muito mecanicista e reduzia a natureza humana à simples
respostas condicionadas.

Abraham Maslow (1908-1970) – Defendia a força individual que dá a pessoa capacidade de se


tornar autorealizadora. Nessa perspectiva, criou a escala de necessidade.

Conhecida como Pirâmide das Necessidades de Maslow – Ela pressupõe que existe uma
hierarquia de necessidade. Que a base é mais importante que o topo. Eu só vou ter percepção
da seguinte se todas as anteriores estiverem satisfeita.

A logica da Pirâmide de Maslow – “com vontade de ir ao banheiro, ninguém consegue alcançar


o sucesso.”
Carl Rogers (1902-1987) – Abordagem Centrada na pessoa é uma abordagem das relações
interpessoais. Cada pessoa atualizar suas capacidades e potenciais.

Carl Rogers respondia, na realidade, a um objetivo concreto e essencial: facilitar ajuda.

Você também pode gostar