Você está na página 1de 32

ABRIL D E 2 0 19

34567

ESTUDOS PARA AS SEMANAS DE:


3 A 30 DE JUNHO DE 2019
ESTUDO 14
Você está ‘realizando
plenamente o seu
ministério’?
CÂNTICO 57
Pregue a todo tipo “Continue pregando as boas novas, realize plenamente
de pessoas o seu ministério.” — 2 TIM. 4:5, nota.

O QUE VAMOS VER CRISTO JESUS deu a seguinte ordem a seus discípulos:
Jesus nos deu a ordem de “Vão e façam discípulos de pessoas de todas as nações.”
pregar as boas novas do (Mat. 28:19) Todos nós queremos aprender a ‘realizar ple-
Reino e fazer discípulos. namente o nosso ministério’. (2 Tim. 4:5) Afinal, ele é o tra-
Neste estudo, vamos ver balho mais importante, mais recompensador e mais urgen-
como podemos ‘realizar te que existe. Mas infelizmente, nem sempre conseguimos
plenamente o nosso minis- dedicar a esse serviço todo o tempo que gostaríamos.
tério’, mesmo quando nos- 2 Nós também precisamos gastar nosso tempo e energia
sas circunstâncias tornam com outras coisas importantes. Muitos de nós trabalhamos
isso difícil. Também vamos quase o dia inteiro para conseguir o sustento de nossa famí-
aprender como ser publi- lia. Ou então temos que lidar com outras responsabilidades
cadores melhores e como na família, doenças, depressão ou limitações que vêm com
sentir mais alegria na pre- a idade. Como podemos realizar plenamente nosso ministé-
gação.
rio apesar desses desafios?
3 Se suas circunstâncias limitam o tempo que você pode

usar no serviço de Jeová, não fique desanimado. Jesus sa-


bia que nem todos produziriam a mesma quantidade de fru-
to do Reino. (Leia Mateus 13:23.) Mas se o que fazemos no
serviço a Deus for o nosso melhor, Jeová dá muito valor a
isso. (Heb. 6:10-12) Por outro lado, nós talvez achemos que,
dentro de nossas circunstâncias, poderíamos fazer mais
para Jeová. Neste artigo, vamos analisar como podemos co-
locar o ministério em primeiro lugar em nossa vida. Vamos
ver também como ter uma vida simples e como melhorar
1. O que todos nós queremos fazer, e por quê? (Veja a imagem da
capa.)
2. Que desafios talvez nos impeçam de realizar plenamente nosso mi-
nistério?
3. O que aprendemos do que Jesus disse em Mateus 13:23?

2
nossas habilidades de pregar e ensinar. An- 5 Por exemplo, imagine um jovem que
tes disso, vamos descobrir o que significa gosta muito de violão. Ele fica feliz de
realizar plenamente nosso ministério. tocar sempre que pode. Um dia, o dono
4 Em poucas palavras, realizar plena- de um restaurante o contrata para to-
mente nosso ministério significa partici- car aos fins de semana. Mas o que o jo-
par o máximo possível no trabalho de pre- vem recebe por esse trabalho não é o sufi-
gar e ensinar. Isso envolve mais do que ciente para ele se manter. Por isso, ele
quantidade de tempo. A nossa motivação, começa a trabalhar como caixa de um su-
ou seja, o que nos leva a pregar, também permercado de segunda a sexta-feira. Ape-
é importante para Jeová. Nós trabalha- sar de trabalhar a maior parte do tempo
mos de toda a alma no ministério1 porque como caixa, sua verdadeira paixão é a mú-
amamos a Jeová e amamos as pessoas. sica. Ele quer muito melhorar suas habili-
(Mar. 12:30, 31; Col. 3:23) Servir a Deus de dades como músico para trabalhar com
toda a alma significa dar nosso melhor isso por tempo integral. Enquanto isso não
nesse serviço, usando nosso tempo, ener- acontece, ele aproveita toda oportunidade
gia e habilidades. Quando vemos o traba- para tocar, mesmo que seja só por pouco
lho de pregação como um grande privilé- tempo.
6 Do mesmo modo, pode ser que você
gio, sentimos ainda mais vontade de falar
das boas novas com o máximo de pessoas não tenha muito tempo para dedicar à
possível. obra de pregação. Mas você ama pregar.
Então, você se esforça para melhorar suas
1 ENTENDA MELHOR: Nosso ministério cristão inclui o habilidades de pregar e assim tocar o cora-
trabalho de pregação e ensino, construção e manuten-
ção de prédios usados na adoração a Jeová e ajuda hu- ção das pessoas com as boas novas. Só
manitária em caso de desastres. — 2 Cor. 5:18, 19; 8:4. que, com tantas obrigações consumindo o
4. O que significa realizar plenamente nosso 5-6. Ilustre como uma pessoa com pouco tempo
ministério? mostra que a pregação é importante para ela.

Existem vários modos de


realizarmos plenamente
nosso ministério
(Veja os parágrafos 10 e 11.)
seu tempo, você fica se perguntando como missionária, ele passou por Corinto. Como
poderia colocar o trabalho de pregação em estava com pouco dinheiro, ele precisou
primeiro lugar em sua vida. passar algum tempo fabricando tendas.
Mas Paulo não achou que fabricar tendas
COMO COLOCAR O MINISTÉRIO
EM PRIMEIRO LUGAR
era seu trabalho principal. Ele só fez esse
serviço para conseguir se manter no minis-
7 A maneira que Jesus encarava o minis- tério “sem custo”, ou seja, para não ser
tério é um grande exemplo para nós. A coi- um fardo para os irmãos coríntios. (2 Cor.
sa mais importante na vida dele era falar 11:7) Embora fosse necessário naquele pe-
sobre o Reino de Deus. (João 4:34, 35) Ele ríodo fazer alguns serviços para se susten-
andou centenas de quilômetros para pre- tar, Paulo continuou colocando o serviço
gar ao maior número possível de pessoas. a Deus em primeiro lugar, e ele pregava
Tanto em locais públicos como de casa em todo sábado. Quando sua situação melho-
casa, Jesus não deixava escapar nenhuma rou, Paulo pôde se concentrar mais na pre-
oportunidade de pregar. A vida dele girava gação. Ele “passou a se dedicar inteiramen-
em torno do ministério. te à pregação da palavra, testemunhando
8 Um modo de imitarmos a Cristo é apro-
aos judeus e provando que Jesus é o Cris-
veitando qualquer momento e qualquer lu- to”. (Atos 18:3-5; 2 Cor. 11:9) Mais tarde,
gar para pregar. Também estamos dispos- quando estava preso em Roma em sua pró-
tos a abrir mão de nosso conforto para pria casa, Paulo dava testemunho a visitan-
fazer mais na pregação. (Mar. 6:31-34; tes e escrevia cartas. (Leia Atos 28:16, 30,
1 Ped. 2:21) Alguns na congregação conse- 31.) Paulo estava decidido a não deixar
guem ser pioneiros especiais, regulares ou nada atrapalhar seu ministério. Ele escre-
auxiliares. Outros aprenderam um idioma veu: ‘Visto que temos este ministério, não
ou se mudaram para um local que precisa desistimos.’ (2 Cor. 4:1) Como Paulo, pode
de mais publicadores. Só que muito do tra- ser que nós tenhamos que gastar tempo
balho de pregação é feito por publicadores em nosso emprego. Mesmo assim, pode-
que não podem fazer essas coisas, mas que mos encarar a obra do Reino como a coisa
fazem o seu melhor. Não importa qual seja mais importante de nossa vida.
o caso, Jeová não pede de nós mais do que 10 Para alguns de nós, pregar de casa em
podemos dar. Ele é o “Deus feliz” e quer casa pode ser difícil por causa de proble-
que sintamos alegria no trabalho de pregar mas de saúde ou por causa da idade. Mas
“as gloriosas boas novas”. — 1 Tim. 1:11; podemos participar de outras formas de
Deut. 30:11. pregação. Os cristãos do primeiro século
9 Outro bom exemplo de alguém que co-
contatavam pessoas onde quer que elas es-
locou o ministério em primeiro lugar foi o tivessem. Sempre que surgia uma oportu-
apóstolo Paulo. Em sua segunda viagem nidade, eles pregavam a todos — de casa
7-8. Como podemos imitar o modo como Jesus em casa, em lugares públicos ou dando tes-
encarava o ministério? temunho informal. (Atos 17:17; 20:20) Se
9. (a) Mesmo tendo que trabalhar, como Paulo você não tiver condições de andar muito,
mostrou que a pregação era a coisa mais impor-
tante na vida dele? (b) Como Atos 28:16, 30, 31 10-11. Se tivermos problemas de saúde, o que po-
mostra o ponto de vista de Paulo sobre seu minis- demos fazer para realizar plenamente nosso mi-
tério? nistério?

4 A SENTINELA
Alvos que podem me ajudar a
realizar plenamente meu ministério
* Treinar uma das sugestões que estão na se- * Procurar oportunidades para falar sobre
ção “Conversas sobre a Bíblia” da Apostila o jw.org˙ e para mostrar vídeos
da Reunião Vida e Ministério do mês
* Participar mais na pregação durante a
* Melhorar minha habilidade de iniciar visita do superintendente de circuito ou
conversas no campo ou de dar testemunho na época da Celebração
informal
* Orar a Jeová sobre meu ministério,
* Melhorar minha habilidade de ler e explicar minhas revisitas e meus estudos bíblicos
textos da Bíblia, de fazer revisitas ou de
oferecer estudos bíblicos

MEUS ALVOS: 1.
___________________________________________________________________________________________________

2.
___________________________________________________________________________________________________
3.
___________________________________________________________________________________________________

talvez possa ficar sentado em algum lugar modo, pode ser que seu problema de saúde
público e dar testemunho para os que esti- dê a você a oportunidade de pregar para
verem passando. Ou então pode dar teste- médicos, enfermeiros ou outros profissio-
munho informal, escrever cartas ou pregar nais da área da saúde. Muitos deles estão
por telefone. Muitos publicadores com sé- no trabalho quando nossos irmãos estão
rios problemas de saúde sentem muita ale- pregando de casa em casa.
gria e satisfação quando participam de ou-
COMO TER UMA VIDA SIMPLES
tras formas de pregação.
11 Mesmo que tenha problemas de saúde,
Jesus disse: “A lâmpada do corpo é o
12

olho. Então, se o seu olho for focado, todo


você pode realizar plenamente o seu mi-
o seu corpo será luminoso.” (Mat. 6:22)
nistério. Pense de novo no exemplo do
O que ele quis dizer? Que precisamos nos
apóstolo Paulo. Ele disse: “Para todas as
focar em apenas um objetivo, e não deixar
coisas tenho forças graças àquele que me
nada nos distrair nem nos desviar. Só as-
dá poder.” (Fil. 4:13) Paulo precisou desse
sim conseguiremos ter uma vida simples.
poder quando ficou doente durante uma
O próprio Jesus fez isso. O foco da vida
de suas viagens missionárias. Ele explicou
dele era o ministério, e ele ensinou seus dis-
aos gálatas: “Foi por causa de uma doença
cípulos a manter o foco no serviço a Jeová
que eu pude lhes declarar as boas novas
pela primeira vez.” (Gál. 4:13) Do mesmo 12. O que significa ter um olho “focado”?

ABRIL DE 2019 5
e no Reino. Podemos imitar a Jesus fazen-
do da pregação a coisa mais importante da
nossa vida. Temos que “buscar primeiro o
Reino e a justiça de Deus”. — Mat. 6:33.
13 Um modo de ficarmos focados no mi-

nistério é simplificando nossa vida. Assim,


teremos mais tempo para ajudar outras
pessoas a conhecer e amar a Jeová.1 Por
exemplo, talvez seja possível trabalhar me-
nos horas durante a semana para termos
mais tempo para pregar. Ou então partici-
par menos de algumas recreações que po-
dem roubar muito de nosso tempo.
14 Foi isso o que um ancião chamado

Elias e sua esposa fizeram. Ele explica: “Na-


quela época, não dava para sairmos logo
de pioneiros, mas tínhamos que dar o pri-
meiro passo. Então, fizemos pequenas mu-
danças para termos mais tempo para pre-
gar. Por exemplo, começamos reduzindo os
gastos. Daí, vimos que estávamos gastando
muito tempo com recreações e decidimos
cortá-las. E pedimos para nossos patrões
Colocar em prática as sugestões que nos deixar trabalhar num horário mais fle-
recebemos na reunião de meio de semana xível. Com isso, conseguimos sair no cam-
nos ajuda a melhorar no ministério po à noite, dirigir mais estudos bíblicos e
(Veja os parágrafos 15 e 16.)
até sair duas vezes por mês no campo du-
rante a semana. Isso nos dá muita alegria!”
COMO MELHORAR SUAS HABILIDADES
DE PREGAR E ENSINAR
15 Outro modo de realizarmos plenamen-
1 Veja os sete passos alistados no quadro “Como simpli-
ficar sua vida”, na Sentinela de julho de 2016, página 10.

13. O que pode nos ajudar a ficar focados em nos-


so ministério?
14. Que mudanças um casal fez para poder dedi-
car mais tempo ao ministério?
15-16. De acordo com 1 Timóteo 4:13, 15, o que
podemos fazer para melhorar nossas habilidades
de pregar? (Veja também o quadro “Alvos que po-
dem me ajudar a realizar plenamente meu ministé-
rio”.)

6 A SENTINELA
te nosso ministério é melhorando nossas Sem dúvida, sermos “colaboradores de
17

habilidades de pregar. Por exemplo, de- Deus” é um grande privilégio! (1 Cor. 3:9)
pendendo da profissão, um trabalhador Quando se ‘certifica de quais são as coisas
sempre precisa receber treinamento. Isso mais importantes’ e continua focado no mi-
também acontece com os publicadores. nistério, você consegue ‘servir a Jeová com
Devemos sempre aprender a melhorar nos- alegria’. (Fil. 1:10; Sal. 100:2) Mesmo que
sas habilidades no ministério — Pro. 1:5; esteja passando por problemas ou limita-
leia 1 Timóteo 4:13, 15. ções, confie que Deus vai dar a força que
16 Mas como podemos fazer isso? Um você precisa para realizar plenamente seu
modo é por prestar bastante atenção na ministério. (2 Cor. 4:1, 7; 6:4) Tenha certe-
Reunião Vida e Ministério. Ela nos dá um za de que você tem “motivo para se ale-
treinamento valioso e nos ajuda a me- grar”, porque o importante não é se fa-
lhorar cada vez mais no serviço de cam- zemos muito ou pouco — o que realmente
po. Quando o presidente der conselhos importa é darmos nosso melhor na prega-
para um dos participantes, tente identifi- ção. (Gál. 6:4) Quando realiza plenamente
car que sugestões vão ser úteis para você. o seu ministério, você mostra que realmen-
Daí, na próxima vez que participar da pre- te ama a Jeová e as pessoas. E como diz
gação, você pode colocar em prática es- 1 Timóteo 4:16, “fazendo isso você salvará
sas sugestões. Você também pode pedir di- tanto a si mesmo como aos que o escutam”.
cas para seu superintendente de grupo ou
17. O que você vai sentir por realizar plenamente o
pedir para trabalhar com ele no campo. seu ministério?
Ou você pode combinar de pregar com al-
________________________________________________________________________________________________________________________________
gum publicador experiente, com um pio-
neiro ou com o superintendente de circui- IMAGENS Página 6: Na reunião de meio de sema-
na, uma irmã demonstra como fazer uma revisita.
to. Além disso, aprenda a usar bem cada
Depois, enquanto ouve os conselhos do presiden-
uma das publicações do Kit de Ferramen- te, ela faz anotações na brochura Melhore. No fim
tas de Ensino. Isso vai ajudar você a gostar de semana, ela coloca em prática no campo o que
mais de pregar e ensinar. aprendeu na reunião.

QUAL É A SUA RESPOSTA?

˛ Por que queremos rea- ˛ Como podemos ter uma ˛ Como podemos melhorar
lizar plenamente nosso vida simples, e como po- nossas habilidades no
ministério? demos colocar o ministério ministério?
em primeiro lugar?

CÂNTICO 58
Procuramos os amigos da paz
ESTUDO 15

Imite Jesus
e continue em paz
CÂNTICO 113 “A paz de Deus, que está além de toda compreensão,
A paz que vem de Deus guardará o seu coração.” — FIL. 4:7.

O QUE VAMOS VER ERA o último dia de Jesus como humano. Ele estava se sen-
Todos nós lidamos com tindo muito aflito. Em poucos instantes, ele seria preso
problemas que podem rou- por homens maus e sofreria uma morte terrível. Mas não
bar a nossa paz. Mesmo era apenas isso que estava deixando Jesus preocupado. Ele
passando por grandes difi- amava muito a seu Pai, Jeová, e queria deixá-lo feliz. Para
culdades, o que podemos ajudar a limpar o nome de Jeová de todas as mentiras, Je-
fazer para continuarmos sus sabia que teria que ser fiel naquela situação difícil.
sentindo a “paz de Deus”? Além disso, Jesus amava as pessoas. Ele sabia que os hu-
Este estudo vai mostrar manos só teriam vida eterna se ele fosse fiel até a morte.
três coisas que Jesus fez e 2 Apesar de todo o estresse daquela noite, Jesus se sen-
que nós também podemos tia em paz. Ele tinha dito a seus apóstolos: “Dou-lhes a mi-
fazer.
nha paz.” (João 14:27) Jesus sentia “a paz de Deus” — a
calma e a tranquilidade que a pessoa sente quando tem
uma amizade achegada com Jeová. Foi essa paz que aju-
dou Jesus a se sentir mais calmo. — Fil. 4:6, 7.
3 Nenhum de nós vai enfrentar o mesmo tipo de pressão

que Jesus enfrentou, mas todos os que são discípulos dele


vão passar por problemas. (Mat. 16:24, 25; João 15:20) E
assim como Jesus, podemos nos sentir aflitos de vez em
quando. O que podemos fazer para não deixar a ansiedade
tomar conta de nós e roubar nossa paz mental? Neste estu-
do, vamos ver três coisas que ajudaram Jesus a continuar
em paz durante seu ministério. Depois, vamos ver como
podemos imitar o exemplo dele quando passarmos por al-
guma provação.
1-2. Por que Jesus estava se sentindo aflito?
3. O que vamos ver neste estudo?

8
JESUS SEMPRE ORAVA quele dia inesquecível. É por isso que ele
4 Leia 1 Tessalonicenses 5:17. No seu fez tantas orações.
5 Um dos motivos de Jesus ter con-
último dia como humano, Jesus orou vá-
rias vezes. Quando ensinou seus discípu- seguido perseverar até o fim é que ele
los a celebrar sua morte, ele orou antes sempre orava a seu Pai pedindo ajuda.
de passar o pão e antes de passar o vi- Por outro lado, os apóstolos não ora-
nho. (1 Cor. 11:23-25) Daí, antes de sair ram o suficiente naquela noite. Por causa
do lugar onde tinha comemorado a Pás- disso, quando chegou a hora do teste,
coa, Jesus orou com os discípulos. (João eles perderam a coragem. (Mat. 26:40, 41,
17:1-26) Depois, quando Jesus e os discí- 43, 45, 56) Isso mostra que, quando pas-
pulos chegaram no monte das Oliveiras, sarmos por provações, só vamos conse-
ele fez várias orações. (Mat. 26:36-39, 42, guir ser fiéis se fizermos como Jesus. Te-
44) E as últimas palavras de Jesus an- mos que ‘orar continuamente’. Mas sobre
o que podemos orar?
tes de morrer foram uma oração. (Luc.
6 Podemos orar pedindo que Jeová ‘nos
23:46) Jesus queria que Jeová fizesse
parte de cada momento importante da- dê mais fé’. (Luc. 17:5; João 14:1) Precisa-
mos de fé porque Satanás vai testar todos
4. Pensando no que diz 1 Tessalonicenses 5:17,
cite as ocasiões em que Jesus orou no seu último 5. Por que os apóstolos perderam a coragem?
dia como humano. 6. Como a fé pode nos ajudar a continuar em paz?

A oração nos ajuda a continuar em paz


(Veja os parágrafos 4 a 7.)

ABRIL DE 2019 9
A pregação nos ajuda a continuar em paz
(Veja os parágrafos 8 a 10.)

aqueles que seguem Jesus. (Luc. 22:31) frentei problemas financeiros. E houve
Como a fé nos ajuda a continuar em paz, um tempo em que deixei de ser ancião.” O
mesmo quando enfrentamos um proble- que ajuda Robert a ficar em paz? Ele dis-
ma atrás do outro? Depois de fazermos se: “Assim que começo a me sentir an-
tudo ao nosso alcance para lidar com uma sioso, já começo a orar. Quanto mais eu
provação, a fé vai nos motivar a deixar o faço orações e quanto mais fervorosas
assunto nas mãos de Jeová. Nós confia- elas são, mais paz eu sinto.”
mos que ele pode cuidar de nosso proble- JESUS SE DEDICAVA À PREGAÇÃO
ma melhor do que nós mesmos. Isso, por 8 Leia João 8:29. Até quando sofria
sua vez, nos dá paz mental e de coração.
perseguição, Jesus tinha paz interior por-
— 1 Ped. 5:6, 7.
que sabia que suas ações deixavam seu Pai
7 Não importa o nosso problema, a ora-
feliz. Jesus era obediente mesmo quando
ção pode nos ajudar a ficar em paz. Veja o isso não era fácil. Ele amava seu Pai, e ser-
exemplo de Robert, um ancião fiel que vir a Jeová era a coisa mais importante de
tem mais de 80 anos. Ele disse: “O conse- sua vida. Antes de vir à Terra, ele era o
lho de Filipenses 4:6, 7 me ajudou a lidar “trabalhador perito” de Deus. (Pro. 8:30)
com muitas dificuldades na vida. Eu en-
8. De acordo com João 8:29, que outra coisa aju-
7. O que você aprendeu do exemplo de Robert? dou Jesus a ter paz interior?

10 A SENTINELA
E quando veio à Terra, ele aproveitava não ficar pensando nos meus problemas.
toda oportunidade para ensinar as pes- Eu fico concentrada em como ajudar as
soas sobre seu Pai. (Mat. 6:9; João 5:17) pessoas do meu território. E a pregação
Esse trabalho fez Jesus sentir muita ale- também me ajuda a sempre lembrar da es-
gria. — João 4:34-36. perança que tenho para o futuro.”
9 Nós podemos imitar Jesus por obede-
JESUS ACEITAVA A AJUDA
cer a Jeová e por ‘ter sempre bastante para DE SEUS AMIGOS
fazer na obra do Senhor’. (1 Cor. 15:58) 11 O ministério de Jesus não foi fácil,
Quando nos ‘dedicamos inteiramente à
mas ele tinha ao seu lado verdadeiros ami-
pregação’, conseguimos enxergar nossos
gos: os apóstolos fiéis. Eles foram ótimos
problemas da forma certa. (Atos 18:5) Por
exemplos do provérbio que diz: “Há um
exemplo, muitas pessoas de nosso terri-
amigo que se apega mais do que um ir-
tório enfrentam problemas piores que os
mão.” (Pro. 18:24) Infelizmente, durante
nossos. Mas quando elas aprendem a amar
o ministério de Jesus, nenhum de seus ir-
a Jeová e colocam em prática os conselhos
mãos de sangue teve fé nele. (João 7:3-5)
que ele dá, a vida delas melhora e elas se
Houve até uma ocasião em que seus pa-
sentem mais felizes. Cada vez que vemos
rentes disseram que ele tinha perdido o
isso acontecer, sentimos mais confiança
juízo. (Mar. 3:21) Mas os apóstolos eram
de que Jeová vai cuidar de nós. E essa con-
diferentes. Por isso, Jesus dava muito va-
fiança nos ajuda a manter a paz mental. Foi
lor a seus amigos. Na noite antes de mor-
isso o que uma irmã percebeu. Ela lutou a
rer, Jesus disse aos apóstolos fiéis: “Vo-
vida inteira contra a depressão e o sen-
cês são os que ficaram comigo nas minhas
timento de que não valia nada. Ela diz:
provações.” — Luc. 22:28.
“Quando estou ocupada na pregação, me 12 É verdade que, de vez em quando, os
sinto mais equilibrada e mais feliz. Acho
apóstolos deixavam Jesus decepcionado.
que é porque, quando estou no serviço de
(Mat. 26:40; Mar. 10:13, 14) Mas Jesus
campo, me sinto mais perto de Jeová.”
10 Veja também o exemplo de uma irmã
não se concentrava nisso. Ele sabia que os
apóstolos tinham fé nele. (João 6:66-69)
chamada Brenda. Tanto ela como a filha
Na noite antes de morrer, Jesus disse a es-
sofrem de esclerose múltipla. Brenda pre-
ses homens leais: “Eu os chamo de ami-
cisa usar cadeira de rodas e não tem mui- gos, porque lhes revelei tudo que ouvi do
ta força física. Quando pode, ela sai para meu Pai.” (João 15:15) Sem dúvida, Jesus
pregar de casa em casa, mas o método que se sentiu muito encorajado pela compa-
ela mais usa para pregar é o testemunho nhia de seus amigos. Ele ficou muito feliz
por carta. Ela disse: “Quando eu final- de ter a ajuda deles para realizar seu mi-
mente aceitei que, neste sistema, minha nistério. — Luc. 10:17, 21.
condição não vai mudar, eu me senti mais 13 Os apóstolos não eram os únicos ami-
livre para me concentrar totalmente na
gos de Jesus. Muitos homens e mulheres
pregação. Na verdade, pregar me ajuda a
11-13. (a) Como os apóstolos e outras pessoas
9. Por que temos paz mental quando estamos mostraram que eram verdadeiros amigos de Je-
ocupados com a pregação? sus? (b) Como Jesus se sentiu com a ajuda de
10. O que você aprendeu do exemplo de Brenda? seus amigos?

ABRIL DE 2019 11
Bons amigos nos ajudam a continuar em paz
(Veja os parágrafos 11 a 15.)

o ajudavam na obra de pregação ou de centiva a usar nosso tempo e energia para


outras formas. Alguns convidavam Jesus ajudar outros, principalmente aqueles
para uma refeição. (Luc. 10:38-42; João que estão “em necessidade”. (Efé. 4:28)
12:1, 2) Outros viajavam com ele e divi- Será que na sua congregação há alguém
diam com ele o que tinham. (Luc. 8:3) Je- que você pode ajudar? Por exemplo, será
sus tinha bons amigos porque ele mesmo que você poderia fazer compras para um
era um bom amigo. Ele fazia coisas boas irmão que não pode sair de casa? Ou o
por seus amigos e não era exigente. Ape- que acha de oferecer uma refeição para
sar de ser perfeito, Jesus era muito grato uma família que está com problemas fi-
por tudo o que seus amigos imperfeitos nanceiros? Talvez você possa ajudar al-
faziam por ele. E sem dúvida esses amigos gum irmão que tem dificuldades para usar
o jw.org˙ ou o JW Library˙. Quando nos
ajudaram Jesus a continuar em paz.
14 Bons amigos vão nos ajudar a conti-
concentramos em ajudar outros, somos
mais felizes. — Atos 20:35.
nuar leais a Jeová. E o melhor modo de fa- 15 Além disso, os nossos amigos vão nos
zer bons amigos é sendo um bom amigo.
apoiar em nossas dificuldades e nos aju-
(Mat. 7:12) Por exemplo, a Bíblia nos in- dar a manter a paz interior. Quando Jó fa-
14-15. Qual é o melhor modo de fazer bons ami- lou sobre seus problemas, Eliú escutou
gos, e como eles podem nos ajudar? com paciência. Nossos amigos vão fazer o

12 A SENTINELA
mesmo quando precisarmos conversar so- so, Jesus é o Rei do Reino de Deus, e ele
bre alguma dificuldade. (Jó 32:4) Não de- vai acabar com todo o sofrimento que Sa-
vemos esperar que nossos amigos tomem tanás e seu mundo nos causaram. (Isa.
decisões por nós. Mas se eles nos derem 65:17; 1 João 3:8; Apo. 21:3, 4) Que espe-
algum conselho baseado na Bíblia, seria rança maravilhosa! E apesar de Jesus ter
bom escutarmos. (Pro. 15:22) Além dis- nos dado um trabalho desafiador, ele pro-
so, se nossos amigos oferecerem ajuda mete estar do nosso lado e nos apoiar du-
quando estivermos passando por necessi- rante os últimos dias deste sistema. (Mat.
dade, não devemos ser orgulhosos. Deve- 28:19, 20) Saber disso nos dá coragem!
mos imitar o rei Davi. Ele foi humilde e Alívio, esperança e coragem — essas são
aceitou a ajuda de seus amigos. (2 Sam. algumas das colunas que vão sustentar a
17:27-29) Com certeza, amigos assim são nossa paz mental.
um presente de Jeová. — Tia. 1:17. 17 Então, o que você pode fazer para

continuar em paz mesmo que várias difi-


COMO CONTINUAR EM PAZ
culdades tentem derrubá-lo? Faça o mes-
16 Leia Filipenses 4:6, 7. Note que mo que Jesus. Primeiro, ore — nunca dei-
Jeová diz que vai nos dar a sua paz “por xe de orar. Segundo, obedeça a Jeová e
meio de Cristo Jesus”. Por quê? Porque o dedique-se ao trabalho de pregação, mes-
único modo de nunca perdermos a paz in- mo que isso seja difícil. E terceiro, aceite
terior é tendo fé em Jesus e entenden- a ajuda de seus amigos ao passar por pro-
do a importância dele no cumprimento blemas. Se fizer isso, a paz de Deus vai
das promessas de Deus. Por exemplo, por guardar sua mente e seu coração. E assim
meio do resgate de Jesus, Jeová pode per- como Jesus, você vai conseguir vencer
doar todos os nossos pecados. (1 João qualquer desafio. — Leia João 16:33.
2:12) Isso é um alívio para nós! Além dis-
17. (a) O que devemos fazer para não perder a
16. De acordo com Filipenses 4:6, 7, qual é o úni- paz interior? (b) Assim como diz João 16:33, o que
co modo de Deus nos dar a sua paz, e por quê? você vai conseguir fazer?

COMO CADA UMA DESTAS COISAS PODE NOS AJUDAR A CONTINUAR EM PAZ?

˛ Oraãoo ˛ Pregaãoo ˛ Amigos

CÂNTICO 41
Escuta minha oração
ESTUDO 16

Defenda a verdade
sobre a morte
CÂNTICO 73 “Fazemos distinção entre a declaração inspirada da verdade
Dá-nos coragem e a declaração inspirada do erro.” — 1 JOÃO 4:6.

O QUE VAMOS VER SATANÁS é o “pai da mentira”. (João 8:44) Desde o começo
Satanás e seus demônios da história da humanidade, ele engana as pessoas. Entre as
enganam as pessoas com mentiras que ele conta estão os ensinos falsos sobre a morte
mentiras sobre o que e a vida após a morte. E muitos costumes e superstições
acontece na morte. Por populares vieram dessas mentiras. Por causa disso, muitos
causa dessas mentiras, de nossos irmãos e irmãs precisam “travar uma luta árdua
surgiram muitos costumes pela fé” quando alguém da família ou da comunidade morre.
que vão contra o que a Bí- — Judas 3.
2 Se passar por uma provação assim, o que você pode fazer
blia ensina. Pode ser que
algumas pessoas pressio- para se manter firme e defender o que a Bíblia ensina sobre a
nem você a participar nes- morte? (Efé. 6:11) Como você pode consolar e animar um ir-
ses costumes. Este estudo mão da congregação que está sendo pressionado a participar
vai ajudar você a conti- de costumes que não agradam a Deus? Neste estudo, vamos
nuar fiel a Jeová em situa- ver as orientações que Jeová nos dá. Antes disso, vamos re-
ções assim. lembrar o que a Bíblia diz sobre a morte.
A VERDADE SOBRE O QUE
ACONTECE NA MORTE
3 Deus nunca quis que os humanos morressem. Ele criou
Adão e Eva para viverem para sempre. Mas isso só ia aconte-
cer se eles fossem obedientes. Jeová ordenou: “Quanto à ár-
vore do conhecimento do que é bom e do que é mau, não
coma dela, porque, no dia em que dela comer, você certamen-
te morrerá.” (Gên. 2:16, 17) Foi aí que Satanás entrou em
cena. Usando uma serpente, ele disse a Eva: “Vocês cer-
tamente não morrerão.” Infelizmente, Eva acreditou nessa
mentira e comeu o fruto. Depois, Adão também comeu o fru-

1-2. (a) Qual é uma das mentiras que Satanás usa para enganar as
pessoas? (b) O que vamos ver neste estudo?
3. Qual foi o resultado da primeira mentira?

14
to. (Gên. 3:4, 6) Como resultado, o pecado sobre a morte e a ressurreição. (Ecl. 9:5, 10;
e a morte tomaram conta de toda a humani- Atos 24:15) Essas verdades nos consolam e
dade. — Rom. 5:12. tiram nossos temores e dúvidas. Por exem-
4 O que Deus falou aconteceu — Adão e plo, não temos medo dos mortos nem de
Eva morreram. Mas Satanás não parou de que eles estejam sofrendo em algum lugar.
mentir sobre a morte. Com o passar do tem- Sabemos que eles não estão vivos e que não
po, ele foi criando outras mentiras. Uma de- podem fazer mal a ninguém. É como se eles
las é que, quando o corpo morre, a pessoa estivessem em um sono profundo. (João
continua vivendo, talvez como um espírito. 11:11-14) Nós sabemos também que os mor-
Existem muitas variações dessa mentira, e tos não sentem o tempo passar. Por isso,
até hoje muitas pessoas são enganadas por quando a ressurreição começar, até mesmo
elas. — 1 Tim. 4:1. os que estiverem mortos há centenas de
5 Por que tantas pessoas caem nessas
anos não vão sentir que o tempo passou.
mentiras? Porque nenhum de nós quer mor- Para eles, será como um piscar de olhos.
rer. Fomos criados para viver para sempre. 7 A verdade sobre o que acontece na mor-
(Ecl. 3:11) Para nós, a morte é um inimigo.
te é bem clara, simples e lógica, não concor-
(1 Cor. 15:26) Então, Satanás se aproveita
da? Ela é tão diferente das mentiras de Sa-
do sentimento normal que os humanos têm
tanás, que só confundem as pessoas. As
e usa isso para enganá-los.
6 Por mais que tenha tentado, Satanás
mentiras dele não apenas enganam a mui-
tos, mas mancham a reputação do nosso
não conseguiu esconder de todos a verdade
Criador. Para entender melhor o estrago
sobre a morte. Hoje mais pessoas do que
causado por Satanás, vamos ver as res-
nunca sabem e ensinam o que a Bíblia diz
postas para as seguintes perguntas: Como
4-5. Que outra mentira Satanás conta para enga- as mentiras de Satanás ofendem a Jeová?
nar os humanos? Como elas dão a entender que o sacrifício
6-7. (a) Será que Satanás conseguiu esconder de de resgate de Jesus não tem valor? Como
todos a verdade sobre a morte? Explique. (b) Por
que é bom saber o que a Bíblia ensina sobre a essas mentiras aumentam a dor e o sofri-
morte? mento da humanidade?

Em vez de participar de algum


costume que desagrada a Deus,
tente consolar seus parentes
que perderam alguém na morte
(Veja os parágrafos 1 e 2.)
OS ESTRAGOS CAUSADOS atos de tortura. Alguns que ficaram con-
PELAS MENTIRAS DE SATANÁS tra os ensinos da igreja foram colocados
8 As mentiras de Satanás sobre a morte em estacas e queimados na fogueira. Um li-
mancham a reputação de Jeová. Essas menti- vro sobre a Inquisição Espanhola1 comen-
ras incluem o ensino falso de que os mortos tou que alguns dos responsáveis por esses
são atormentados num inferno de fogo. Isso atos cruéis talvez pensassem que estavam
é uma ofensa para Jeová! Como assim? Essas dando às vítimas apenas “um gostinho do
mentiras dão a entender que Jeová, o Deus que eles sofreriam por toda a eternidade no
de amor, é cruel como o Diabo. (1 João 4:8) inferno de fogo”. Assim, antes de morrer,
Como você se sente ao pensar que alguns po- eles poderiam se arrepender e não ir para o
dem achar isso de Jeová? Mais importante inferno. E veja o que acontece em muitos
ainda, como o próprio Jeová se sente? Afi- países. As pessoas se sentem obrigadas a
nal de contas, Jeová odeia qualquer tipo de adorar parentes que já morreram ou a pres-
crueldade. — Leia Jeremias 19:5. tar homenagem e pedir bênçãos a eles. Ou-
9 As mentiras de Satanás sobre a morte dão tros tentam ficar em paz com esses parentes
porque sentem medo de ser punidos por
a entender que o sacrifício de resgate de Jesus
eles. É triste ver que, em vez de dar conso-
não tem valor. (Mat. 20:28) Outra mentira de
lo, as mentiras de Satanás fazem as pessoas
Satanás é que temos uma alma imortal. Se
ficar com medo e ansiosas sem necessidade.
isso fosse verdade, todo mundo já iria viver
para sempre. Cristo não precisaria ter sacrifi- COMO PODEMOS DEFENDER A VERDADE
cado sua vida para termos vida eterna. Mas o 11 Nós amamos a Jeová e aos ensinos da
sacrifício de Jesus foi a maior prova de amor Bíblia. Esse amor nos dá forças para não
que a família humana já recebeu. (Leia João ceder mesmo quando amigos e parentes,
3:16; 15:13.) As mentiras de Satanás dão a que até têm boas intenções, nos pressio-
entender que essa grande prova de amor não nam a participar de costumes que a Bíblia
vale nada. Consegue imaginar como Jeová e não apoia. Talvez eles tentem nos deixar
Jesus se sentem com isso? constrangidos, dizendo que nós não ama-
10 As mentiras de Satanás aumentam a dor mos ou não respeitamos a pessoa que mor-
e o sofrimento das pessoas. Quando uma reu. Ou eles podem dizer que, por nossa
criança morre, os pais dela talvez ouçam: causa, a pessoa que morreu vai voltar para
‘Deus levou seu filho para o céu porque pre- atormentar os vivos. Em situações como
cisava de mais um anjinho.’ Será que essa essas, como podemos defender a verdade?
mentira satânica alivia ou só aumenta a dor Veja alguns princípios da Bíblia que podem
dos pais? Pense no ensino falso do inferno nos ajudar e como podemos aplicá-los.
de fogo. Ele serviu como justificativa para 12 Esteja decidido a ‘se separar’ de crenças

e costumes que a Bíblia não apoia. (2 Cor.


8. De acordo com Jeremias 19:5, como as menti- 6:17) Em um país do Caribe, muitos acredi-
ras de Satanás sobre a morte mancham a reputa-
ção de Jeová?
1 A Inquisição Espanhola foi uma espécie de tribunal que,
9. Como a crença no sacrifício de Jesus, descrito centenas de anos atrás, perseguiu e torturou de modo
em João 3:16 e 15:13, é afetada pelas mentiras de cruel as pessoas que discordavam dos ensinos da Igreja.
Satanás?
10. Que exemplos mostram que as mentiras de 11. Como parentes e amigos talvez tentem nos
Satanás sobre a morte só aumentam a dor e o so- pressionar?
frimento das pessoas? 12. Que tipo de costumes a Bíblia não apoia?

16 A SENTINELA
Fazer pesquisas e manter uma
boa comunicação com seus
parentes não cristãos pode
poupar você de muitos problemas
(Veja os parágrafos 13 e 14.)

tam que, depois que uma pessoa morre, o 14 “Faça todas as coisas para a glória de
“fantasma” dela pode ficar um tempo entre Deus. Não se torne motivo de tropeço.”
os vivos e se vingar dos que a maltrataram. (1 Cor. 10:31, 32) Outra coisa que deve-
Uma referência comentou que o “fantasma” mos levar em conta é como nossa decisão
pode até mesmo “causar grande confusão vai afetar a consciência de outros, especial-
em uma comunidade”. Na África, as pessoas mente de nossos irmãos. Jamais queremos
costumam cobrir os espelhos da casa do fa- fazer alguém tropeçar! (Mar. 9:42) Além
lecido e virar seus porta-retratos para a pa- disso, temos que tomar cuidado para não
rede. Por que elas fazem isso? Alguns dizem ofender aqueles que não são Testemunhas
que os mortos não podem se ver de jeito ne- de Jeová. O amor vai nos ajudar a falar com
nhum! Já que servimos a Jeová, nós não eles de uma forma respeitosa, que agrada a
queremos ter nada a ver com esses mitos e Deus. Não queremos brigar com as pessoas
costumes que dão mais força às mentiras de nem criticar seus costumes ou zombar de-
Satanás. — 1 Cor. 10:21, 22. les. Sempre se lembre: o amor é poderoso!
13 Se você não tem certeza de que certo
Quando mostramos amor, agindo com res-
costume agrada a Jeová, ore a ele pedindo peito e consideração, podemos “amolecer”
sabedoria. (Leia Tiago 1:5.) Depois, faça o coração dos nossos parentes e amigos que
uma pesquisa em nossas publicações. Se for não são cristãos.
necessário, converse com os anciãos. Eles 15 Diga para todos em sua comunidade que
não vão dizer que decisão você deve tomar, você é Testemunha de Jeová. (Isa. 43:10) Seus
mas podem ajudá-lo a lembrar de conselhos parentes e vizinhos podem ficar irritados por
importantes da Bíblia, como os que vimos você não participar de alguns costumes. Mas
antes. Seguindo esses passos, você vai trei- se eles já souberem que você é Testemunha
nar “sua capacidade de discernimento” e vai
conseguir “distinguir tanto o certo como o 14. Como podemos evitar fazer outros tropeçar?
errado”. — Heb. 5:14. 15-16. (a) Por que é bom contar para outros que
você é Testemunha de Jeová? Dê um exemplo.
13. Que passo descrito em Tiago 1:5 você deve to- (b) Como podemos colocar em prática Romanos
mar se estiver na dúvida sobre certo costume? 1:16?

ABRIL DE 2019 17
de Jeová, será mais fácil lidar com essas si- que já tínhamos explicado nossa posição.
tuações. Francisco, que mora em Moçambi- Com o tempo, os parentes de Carolina se
que, escreve: “Quando eu e minha esposa, acalmaram e conseguimos fazer as pazes
Carolina, aprendemos a verdade, dissemos com eles. Alguns até vieram em nossa casa
para nossa família que não íamos mais adorar e pediram publicações bíblicas.” Em situa-
os mortos. Nossa decisão foi testada quando ções assim, não tenha vergonha do que você
a irmã de Carolina morreu. O costume da re- acredita. Defenda a verdade sobre a morte!
gião é que o morto seja banhado em uma ce- — Leia Romanos 1:16.
rimônia. Daí, o parente mais próximo do fale- DÊ CONSOLO E APOIO
cido deve dormir três noites no lugar onde a AOS QUE ESTÃO SOFRENDO
água do banho for jogada fora. As pessoas 17 Quando um irmão cristão perde uma
acreditam que isso acalma a ira do espírito do pessoa querida na morte, temos que fazer o
falecido. Já que Carolina era a parente mais máximo para ser um ‘verdadeiro amigo, um
próxima, a família dela queria que ela seguis- irmão em tempos de aflição’. (Pro. 17:17) Isso
se o costume.” é especialmente importante se o irmão ou a
16 O que Francisco e Carolina fizeram? irmã está sendo pressionado a participar de
Francisco explica: “Nós amamos a Jeová e algum costume contrário à Bíblia. O que po-
queremos deixá-lo feliz. Então, nos recu- demos fazer para ser um “verdadeiro amigo”?
samos a participar do costume. A família Dois princípios bíblicos podem nos ajudar a
de Carolina ficou muito brava. Eles disse- consolar quem perdeu alguém na morte.
ram que isso era um desrespeito aos mortos 18 “Chorem com os que choram.” (Rom.

e que não iam mais nos visitar nem nos 12:15) Às vezes, não sabemos o que dizer
ajudar. Como já tínhamos explicado nos-
17. O que podemos fazer para ser verdadeiros
sas crenças para eles, preferimos não falar amigos de um irmão que perdeu alguém na morte?
disso enquanto eles estivessem bravos. Al- 18. Por que Jesus começou a chorar, e o que po-
guns parentes até nos apoiaram, dizendo demos aprender do exemplo dele?

Verdadeiros amigos consolam


e apoiam aqueles que perderam
uma pessoa querida na morte
(Veja os parágrafos 17 a 19.)

18
para alguém que está muito triste com a rentes que não são nossos irmãos. Então,
morte de uma pessoa querida. Em momen- ore com ele. Suplique que Jeová, o “Ouvin-
tos assim, nossas lágrimas podem dizer mui- te de oração”, ajude o irmão a ter forças e a
to mais do que nossas palavras. Quando Lá- pensar com clareza. (Sal. 65:2) Se for possí-
zaro morreu, as irmãs dele, Marta e Maria, vel, leia a Bíblia com ele. Ou então leiam
e vários amigos choraram por ele. Quando juntos algum artigo apropriado de nossas
Jesus chegou quatro dias depois, ele tam- publicações, como uma biografia que possa
bém “começou a chorar”. Mas se Jesus sa- dar consolo a ele.
bia que ia ressuscitar seu amigo, por que 20 Jeová nos deu um grande privilégio: sa-

começou a chorar? (João 11:17, 33-35) As ber a verdade sobre a morte e ter a esperan-
lágrimas de Jesus mostraram que ele tinha ça maravilhosa da ressurreição! (João 5:28,
os mesmos sentimentos que seu Pai. E elas 29) Por isso, não tenha medo de defender a
confirmaram o quanto Jesus amava a famí- verdade da Bíblia. Sempre que for apro-
lia de Lázaro. Isso deve ter dado muito con- priado, fale dessa verdade com as pessoas.
solo para Marta e Maria. Do mesmo modo, Mas há outro método que Satanás usa para
quando os irmãos da congregação sentem deixar as pessoas na escuridão: o ocultis-
nosso amor e nossa preocupação, eles têm a mo. Algumas práticas e diversões podem es-
certeza de que não estão sozinhos. Eles sa- tar ligadas a essa armadilha demoníaca. No
bem que estão cercados de amigos carinho- próximo estudo, vamos ver por que deve-
sos que se importam com eles mos ficar bem longe delas.
19 “Tempo para ficar calado e tempo para

falar.” (Ecl. 3:7) Outro modo de dar conso- 20. O que vamos ver no próximo estudo?
lo a um cristão que perdeu alguém na mor- ________________________________________________________________________________________________________________________________
te é por simplesmente ser um bom ouvinte. IMAGENS Página 15: Um casal de Testemunhas
Deixe que ele ponha para fora tudo o que de Jeová consola um parente que está muito
está sentindo, e não leve em conta ‘palavras triste com a morte de uma pessoa querida.
impensadas’. (Jó 6:2, 3) Pode ser que ele es- Página 17: Um irmão pesquisa sobre costumes
teja ainda mais estressado por causa de pa- fúnebres; depois, ele explica calmamente suas
crenças para seus parentes. Página 18: Anciãos
19. Se um cristão perdeu alguém na morte, como de uma congregação dão consolo e apoio a um
podemos fazer o que diz Eclesiastes 3:7? irmão que perdeu alguém na morte.

QUAL É A SUA RESPOSTA?

˛ Por que a verdade sobre ˛ As mentiras de Satanás ˛ Como podemos defender a


a morte nos dá consolo? sobre a morte causaram verdade sobre a morte?
que estragos?

CÂNTICO 24
Venham para o monte de Jeová!
ESTUDO 17

Aceite a ajuda de Jeová


para ficar firme contra
CÂNTICO 55
espíritos malignos
Nada temam, ‘Temos uma luta contra as forças espirituais malignas
meus amados! nos lugares celestiais.’ — EFÉ. 6:12.

O QUE VAMOS VER JEOVÁ ama e se preocupa muito com seus servos. Um dos
Jeová nos ama muito, e modos de ele mostrar essa preocupação é nos ajudando a fi-
por isso ele nos avisa para car firmes contra nossos inimigos. Os nossos inimigos prin-
tomarmos cuidado com os cipais são Satanás e os demônios. Jeová nos dá alertas
espíritos malignos. Como sobre eles e nos dá o que precisamos para não ceder à in-
eles tentam enganar as fluência deles. (Leia Efésios 6:10-13.) O único modo de
pessoas? O que podemos continuarmos firmes contra o Diabo é aceitando a ajuda de
fazer para não ceder à in- Jeová e confiando totalmente nele. Precisamos pensar as-
fluência deles? Neste estu- sim como o apóstolo Paulo. Ele escreveu: “Se Deus é por
do, vamos ver como Jeová nós, quem será contra nós?” — Rom. 8:31.
nos ajuda a ficar firmes 2 Nós, que somos cristãos verdadeiros, não nos concen-
contra esses espíritos
tramos demais em Satanás e nos demônios. Preferimos con-
maus.
centrar a maior parte de nossa atenção em aprender sobre
Jeová e em como servir a ele. (Sal. 25:5) Apesar disso, te-
mos que conhecer as táticas de Satanás. Por quê? Porque
isso vai nos ajudar a não ser enganados por ele. (2 Cor. 2:11;
nota) Neste estudo, vamos analisar um dos métodos que Sa-
tanás e os demônios mais usam para enganar as pessoas. Va-
mos aprender também como podemos ficar firmes contra
eles.
COMO OS ESPÍRITOS MALIGNOS ENGANAM AS PESSOAS
3 Satanás e os demônios fazem de tudo para enganar as
pessoas. Um dos métodos que eles mais usam é o ocultismo.
1. De acordo com Efésios 6:10-13, qual é um modo de Jeová mostrar
que se preocupa com seus servos? Explique.
2. O que vamos ver neste estudo?
3-4. (a) O que é ocultismo? (b) Como algumas pesquisas mostram
que a crença no ocultismo se espalhou por muitos lugares?

20
Aqueles que praticam o ocultismo afir- filha no fogo, ou que use de adivinhação,
mam saber ou controlar coisas que os hu- ou que pratique magia, ou que procure
manos não têm como saber ou controlar. presságios, ou um feiticeiro, ou alguém
Por exemplo, alguns dizem que têm a capa- que prenda outros com encantamento, ou
cidade de saber o futuro por meio da adivi- que consulte quem invoca espíritos, ou um
nhação ou da astrologia. Outros suposta- adivinho, ou alguém que consulte os mor-
mente falam com aqueles que morreram. tos. Pois quem faz essas coisas é detestável
Há também os que praticam bruxaria ou ri- para Jeová.” (Deut. 18:10-12) É verdade
tuais mágicos e talvez tentem jogar feiti- que os cristãos não precisam obedecer à
ços em outra pessoa.1 Lei que Jeová deu aos israelitas. Mas nós
4 Hoje, muitas pessoas no mundo inteiro sabemos que o sentimento dele pelo ocul-
acreditam no poder do ocultismo. Uma tismo continua o mesmo. — Mal. 3:6.
6 Jeová nos alerta contra o ocultismo
pesquisa feita em 18 países da América La-
tina e do Caribe revelou que 1 em cada porque ele sabe que Satanás usa isso para
3 pessoas entrevistadas acredita em magia, prejudicar as pessoas. Com o ocultismo,
bruxaria ou feitiçaria, e uma quantidade Satanás espalha suas mentiras — incluindo
parecida de pessoas acredita que é possí- a mentira de que os mortos continuam vi-
vel se comunicar com os espíritos. Outra vendo em algum outro lugar. (Leia Ecle-
pesquisa foi feita em 18 países da África. siastes 9:5.) Satanás também usa o ocul-
Lá, mais da metade das pessoas entrevista- tismo para deixar as pessoas com medo e
das disse que acredita em feitiçaria. É cla- para desviá-las de Jeová. O que ele real-
ro que, não importa onde moremos, temos mente quer é que as pessoas que praticam
que estar alertas contra o ocultismo. Afi- o ocultismo confiem nos espíritos malig-
nal, Satanás está tentando enganar “toda a nos e não em Jeová.
terra habitada”. — Apo. 12:9. COMO PODEMOS FICAR FIRMES
5 Jeová é o “Deus da verdade”. (Sal. CONTRA OS ESPÍRITOS MALIGNOS
31:5) Então, o que ele acha do ocultismo? 7 Como foi dito antes, Jeová nos diz o
Ele detesta essa prática! Jeová disse aos is- que precisamos saber para não sermos en-
raelitas: “Não se deve encontrar em seu ganados por Satanás e pelos demônios. Va-
meio alguém que queime seu filho ou sua mos ver algumas coisas práticas que pode-
1 ENTENDA MELHOR: A palavra ocultismo se refere a
mos fazer para continuarmos firmes em
crenças ou práticas que têm ligação com os demônios. nossa luta contra os espíritos malignos.
Uma dessas crenças é que, quando uma pessoa morre, 8 Leia a Bíblia e medite nela. Esse é o
o espírito dela continua vivendo e pode se comunicar
com os vivos, principalmente por meio de um médium. modo principal de nos protegermos das
Entre as práticas relacionadas ao ocultismo estão a bru-
xaria e a adivinhação. Neste artigo, as palavras magia e 6. (a) Como Satanás usa o ocultismo para preju-
mágica se referem a práticas que têm alguma ligação dicar as pessoas? (b) De acordo com Eclesiastes
com o oculto, com o sobrenatural. Por exemplo, jogar 9:5, o que realmente acontece com os mortos?
maldições em alguém e lançar ou quebrar feitiços. Elas
não se referem a truques realizados com movimentos 7. O que Jeová nos diz?
rápidos das mãos, que algumas pessoas fazem para di- 8. (a) Qual é o modo principal de nos proteger-
vertir outros. mos dos espíritos malignos? (b) Como o Sal-
mo 146:4 derrota a mentira de Satanás sobre a
5. O que Jeová acha do ocultismo? morte?

ABRIL DE 2019 21
mentiras dos espíritos malignos. A Palavra de nenhum costume fúnebre ligado à cren-
de Deus é como uma espada afiada. Ela ça de que os mortos continuam vivos em
pode derrotar as mentiras que Satanás es- algum lugar. Também não nos envolvemos
palha e mostrar qual é a verdade. (Efé. com astrologia nem com nenhuma forma
6:17) Por exemplo, a Bíblia mostra que os de tentar adivinhar o futuro. (Isa. 8:19)
mortos não podem se comunicar com os Práticas como essas são muito perigosas
vivos. (Leia Salmo 146:4.) Ela também porque nos fazem ter contato direto com
nos lembra de que a única pessoa que pode Satanás e os demônios.
predizer o futuro com exatidão é Jeová. 10 Livre-se de objetos relacionados com
(Isa. 45:21; 46:10) Por isso, sempre se es- o ocultismo. No primeiro século, algumas
force para ler a Bíblia e meditar nela. As- pessoas na cidade de Éfeso estavam envol-
sim, você vai estar preparado para rejeitar
vidas com o ocultismo. Mas quando apren-
e odiar as mentiras que os espíritos malig-
deram a verdade, elas tomaram uma atitu-
nos espalham.
9 Não se envolva com nada relacionado
de drástica. A Bíblia diz: “Um bom número
dos que haviam praticado artes mágicas
ao ocultismo. Os cristãos verdadeiros não
juntaram seus livros e os queimaram dian-
praticam nenhuma forma de ocultismo.
te de todos.” (Atos 19:19) Essas pessoas
Por exemplo, não visitamos médiuns espí-
queriam mesmo tomar uma posição con-
ritas nem tentamos achar um jeito de nos
comunicar com os mortos. Assim como o 10-11. (a) O que alguns efésios do primeiro sécu-
artigo anterior mostrou, não participamos lo fizeram quando aprenderam a verdade? (b) De
acordo com 1 Coríntios 10:21, por que devemos
9. Quais são algumas práticas relacionadas ao imitar o exemplo dos cristãos do primeiro século?
ocultismo? Como podemos fazer isso?

Imite os cristãos do
primeiro século: livre-se
de tudo que tenha
ligação com o ocultismo
e não se envolva com
entretenimento que
promova o ocultismo
(Veja os parágrafos 10 a 12.)

22 A SENTINELA
tra os espíritos malignos. Os livros de ma- tismo? Eles falam de coisas como vampi-
gia que tinham eram muito caros. Mas em ros, zumbis ou atividades sobrenaturais?
vez de darem os livros para alguém ou de Eles fazem parecer que rituais mágicos,
tentarem vendê-los, elas decidiram quei- feitiços e maldições são uma diversão ino-
má-los. Para elas, agradar a Jeová era mui- fensiva?’ É claro que nem todo entreteni-
to mais importante do que o preço dos li- mento com histórias fantasiosas ou com
vros. contos de fadas estão ligados ao ocultis-
11 Como podemos imitar o exemplo des- mo. Por isso, quando for analisar suas for-
ses cristãos do primeiro século? Se você ti- mas de entretenimento, esteja determina-
ver qualquer objeto que tenha ligação com do a escolher coisas que não tenham nada
o ocultismo — como um amuleto ou um a ver com o que Jeová odeia. Devemos fa-
item que serve para proteger alguém de es- zer o máximo para “manter uma consciên-
píritos maus — seria melhor se livrar dele. cia limpa diante de Deus”. — Atos 24:16.1
13 Não fique contando histórias sobre os
— Leia 1 Coríntios 10:21.
12 Analise com cuidado suas formas de en-
1 Os anciãos não têm autorização para criar regras so-
tretenimento. Pergunte-se: ‘Eu costumo ler bre entretenimento. Cada cristão deve usar sua cons-
ciência treinada pela Bíblia para escolher o que vai ler,
livros, revistas ou artigos na internet que ver ou jogar. Os chefes de família devem se certificar de
falam sobre o ocultismo? Será que alguns que o entretenimento de sua família esteja de acordo
dos filmes, músicas, programas de TV e jo- com os princípios bíblicos. — Veja o artigo “As Testemu-
nhas de Jeová proíbem certos filmes, músicas ou li-
gos que eu gosto têm algo a ver com o ocul- vros?” no site jw.org˙. Acesse QUEM SOMOS ˛ PER-
GUNTAS FREQUENTES.
12. Que perguntas devemos fazer sobre nossas
formas de entretenimento? 13. O que não devemos fazer?

ABRIL DE 2019 23
Não precisamos ter medo
dos espíritos malignos;
Jeová, Jesus e os anjos
são mais poderosos
(Veja os parágrafos 14 e 15.)

demônios. Temos que fazer assim como Je- os espíritos malignos. Por exemplo, Jeová
sus. (1 Ped. 2:21) Antes de vir à Terra, Je- não deixou Satanás matar Jó. (Jó 2:6) Na
sus vivia no céu e sabia muitas coisas sobre época de Moisés, Jeová mostrou que tinha
Satanás e os demônios. Mas ele não con- mais poder que os sacerdotes-magos do
tava histórias sobre o que esses espíritos Egito. (Êxo. 8:18; 9:11) Jeová também deu
maus tinham feito. Jesus queria falar com a Jesus o poder de expulsar Satanás e os
as pessoas sobre Jeová, e não ficar fazen- demônios do céu e de lançá-los para a Ter-
do propaganda de Satanás. Nós podemos ra. E em breve, eles vão ficar presos no
imitar o exemplo de Jesus por não ficar es- abismo e não vão poder fazer mal a nin-
palhando histórias sobre os demônios. Em guém. — Apo. 12:9; 20:2, 3.
vez disso, temos que mostrar que nosso 15 Hoje temos muitas provas de que
“coração se agita com algo bom”, ou seja, Jeová protege mesmo seu povo. Pense
com a verdade. — Sal. 45:1. nisto: nós temos que pregar e ensinar a
14 Não tenha medo exagerado dos espí- verdade na Terra inteira. (Mat. 28:19, 20)
ritos malignos. No mundo imperfeito em Esse trabalho expõe as coisas ruins que o
que vivemos, coisas ruins podem acon- Diabo faz. Sem dúvida, se Satanás pudes-
tecer de uma hora para outra: acidentes, se, ele acabaria com todas as nossas ati-
doenças e até a morte. Mas não devemos vidades. Mas ele não consegue. Por isso,
achar que os espíritos malignos são os cul- não precisamos ter um medo exagerado
pados de tudo. A Bíblia explica que “o tem- dos espíritos malignos. Nós sabemos que
po e o imprevisto” podem sobrevir a qual- “os olhos de Jeová percorrem toda a ter-
quer um. (Ecl. 9:11) Além disso, Jeová já ra, para mostrar a sua força a favor da-
mostrou que é muito mais poderoso que queles que têm o coração pleno para com
ele”. (2 Crô. 16:9) Se formos fiéis a Jeová,
14-15. (a) Por que não devemos ter um medo
exagerado dos espíritos malignos? (b) Qual é uma os demônios não poderão nos causar ne-
prova de que Jeová protege seu povo? nhum dano permanente.

24 A SENTINELA
JEOVÁ ABENÇOA OS QUE ACEITAM do as coisas dela, Érica continuou leal a
A AJUDA DELE Jeová. Ela se batizou e hoje é pioneira re-
16 Ficar contra os espíritos malignos é gular. Ela não tem medo dos demônios. So-
algo que exige coragem, principalmente bre sua família, Érica diz: “Eu oro todo dia
quando amigos ou parentes não entendem para que minha família também conheça a
nossa posição. Mas Jeová abençoa aqueles Jeová e sinta a liberdade que só podemos
que mostram coragem. Veja o exemplo de ter quando servimos a nosso Deus amoro-
uma irmã chamada Érica, que mora em so.”
Gana. Quando tinha 21 anos, Érica aceitou 18 Nem todos nós vamos passar por um

estudar a Bíblia. Mas ela era filha de um sa- teste de fé tão difícil assim. Mas todos te-
cerdote que praticava artes mágicas. Por mos que ficar firmes contra os espíritos
isso, sua família esperava que ela partici- malignos e confiar em Jeová. Se fizermos
passe de um costume que envolvia comer a isso, Jeová vai nos dar muitas bênçãos e
carne que tinha sido oferecida aos deuses não vamos cair nas mentiras de Satanás.
de seu pai. Quando Érica se recusou a par- Também não vamos deixar que o medo
ticipar, sua família considerou isso um in- exagerado dos demônios nos impeça de
sulto aos deuses. Eles acreditavam que os servir a Jeová. Acima de tudo, nossa ami-
deuses iam castigá-la com doenças. zade com Deus vai ficar ainda mais forte.
17 A família tentou obrigar Érica a parti- Por isso, esteja decidido a seguir o conse-
cipar do costume, mas ela não cedeu. Por lho que o discípulo Tiago deu: “Sujeitem-
causa disso, ela teve que sair de casa. Mas se a Deus; mas oponham-se ao Diabo, e ele
algumas Testemunhas de Jeová a recebe- fugirá de vocês. Acheguem-se a Deus, e
ram em suas casas. Jeová abençoou Érica ele se achegará a vocês.” — Tia. 4:7, 8.
com uma nova família — pessoas da mesma
18. Que bênçãos vamos ter se confiarmos em
fé que se tornaram irmãos e irmãs para ela. Jeová?
(Mar. 10:29, 30) Apesar de ter sido expulsa
________________________________________________________________________________________________________________________________
por seus parentes e de eles terem queima-
IMAGEM Página 24: Uma representação de Je-
16-17. Dê um exemplo que mostra que ficar contra sus como Rei poderoso no céu liderando um exér-
espíritos malignos exige coragem. cito de anjos. Acima deles está o trono de Jeová.

QUAL É A SUA RESPOSTA?

˛ Como os espíritos malignos ˛ Como Jeová nos ajuda a ˛ Que bênçãos recebemos
enganam as pessoas? ficar firmes contra os quando ficamos contra
espíritos malignos? os espíritos malignos?

CÂNTICO 150
Busquem a Deus para obter livramento
HIST ÓRIA DE VIDA

Nós achamos a
“pérola de grande valor”
ENTREVISTA COM WINSTON E PAMELA PAYNE

WINSTON e Pamela (Pam) Payne servem as férias em Sydney, e foi lá que conheci Pam.
no Betel da Australásia. Eles viveram Ela me falou sobre o israelismo-britânico, um
movimento religioso que acredita que os britâni-
muitas coisas boas juntos, mas também
cos são descendentes das chamadas “dez tribos
tiveram alguns desafios. Eles precisaram perdidas de Israel”. De acordo com essa teoria,
se adaptar a culturas diferentes e as dez tribos perdidas são as dez tribos do reino
enfrentaram a dor de perder um bebê do norte de Israel, que foram para o exílio entre
durante a gravidez. Apesar de tudo isso, os anos 800 e 700 antes de Cristo. Quando vol-
tei para Adelaide, conversei sobre isso com um
eles continuam amando muito a Jeová e
colega de trabalho que tinha começado a estu-
aos irmãos na fé, e nunca perderam a dar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová. Fica-
alegria no ministério. Nesta entrevista, mos algumas horas conversando, principalmente
vamos pedir para eles contarem sobre as crenças das Testemunhas de Jeová. Foi
algumas experiências. aí que eu percebi — a oração que fiz quando
era criança estava sendo respondida. Eu estava
aprendendo a verdade sobre meu Criador e so-
Winston, conte como foi a sua busca pela bre seu Reino! Eu achei a “pérola de grande va-
verdade sobre Deus. lor”. — Mat. 13:45, 46.
A minha família não era religiosa. Nós moráva- Pam, você também começou a procurar essa
mos numa fazenda bem afastada em Queens- pérola quando era bem nova. Como você a
land, Austrália, e eu praticamente só tinha con- encontrou?
tato com os membros da minha família. Com Eu cresci numa família religiosa. Morávamos
uns 12 anos, comecei a querer saber mais sobre em Coffs Harbour, que fica no estado de Nova
Deus. Eu orei a Deus e pedi ajuda para aprender Gales do Sul. Meus pais e meus avós seguiam as
a verdade sobre ele. Tempos depois, saí da fa- ideias do israelismo-britânico. Eu, meu irmão
zenda e arranjei um emprego em Adelaide, que mais novo e minha irmã mais velha, além de mui-
fica na Austrália do Sul. Aos 21 anos, fui passar tos primos, sempre fomos ensinados que Deus

26 A SENTINELA
favorece as pessoas de origem britânica. Mas eu ilhas do Pacífico Sul, que naquela época eram
não estava muito convencida disso nem me sen- cuidadas pelo Betel de Fiji. Nossa designação pe-
tia achegada a Deus. Quando tinha 14 anos, visi- gava a Samoa Americana, Samoa, Kiribati, Nau-
tei várias igrejas da região: a anglicana, a ba- ru, Niue, Tonga, Toquelau, Tuvalu e Vanuatu.
tista, a adventista do sétimo dia e outras. Mas eu Naquele tempo, as pessoas das ilhas mais
ainda tinha fome espiritual. afastadas desconfiavam muito das Testemunhas
Depois, nossa família se mudou para Sydney. de Jeová. Por isso, tínhamos que ser cuidadosos
Foi então que conheci Winston, que estava pas- e prudentes. (Mat. 10:16) As congregações eram
sando as férias lá. Como ele já contou, nós tí- pequenas, e nem sempre elas tinham hospeda-
nhamos muitas conversas sobre religião, e isso o gens para nós. Então, nós costumávamos pedir
motivou a estudar a Bíblia com as Testemunhas hospedagem para os moradores dos vilarejos, e
de Jeová. As cartas que ele me mandava vi- eles sempre eram muito bondosos com a gente.
nham cheias de textos da Bíblia! Para ser since-
ra, no começo eu fiquei preocupada — fiquei Winston, você se interessa bastante pelo traba-
até com raiva. Mas pouco a pouco fui enxergan- lho de tradução. Como esse interesse começou?
do que o que ele falava parecia verdade. Naquela época, os irmãos da ilha de Tonga
Em 1962, me mudei para Adelaide para ficar só tinham uns poucos folhetos e livretos em
mais perto de Winston. Ele tinha conseguido um tonganês, um idioma da região da Polinésia.
lugar para eu morar — a casa de Thomas e Jani- Para dirigir estudos, eles usavam o livro A Ver-
ce Sloman. Eles eram um casal de Testemunhas dade Que Conduz à Vida Eterna em inglês. En-
de Jeová que já tinham servido como missioná- tão, tivemos uma escola para anciãos de qua-
rios na Papua-Nova Guiné. Eles me trataram tro semanas. Três irmãos que não sabiam inglês
muito, muito bem. Eu só tinha 18 anos, e eles me muito bem concordaram em traduzir o livro
ajudaram muito a crescer espiritualmente. Então Verdade para o tonganês. Pam datilografou todo
eu também comecei a estudar a Bíblia e logo me o manuscrito do livro, e nós o enviamos para ser
convenci de que tinha encontrado a verdade. impresso no Betel dos Estados Unidos. O projeto
Depois que eu e Winston nos casamos, nós logo todo levou umas oito semanas. Embora a quali-
embarcamos numa vida de serviço a Jeová que dade da tradução não fosse lá essas coisas, o li-
nos trouxe muitas recompensas. É verdade que vro ajudou muitas pessoas que falam tonganês a
tivemos dificuldades, mas aprendemos a amar aprender a verdade. Pam e eu não somos tradu-
ainda mais a pérola que tínhamos achado. tores, mas essa experiência nos fez ter interesse
nesse trabalho.
Winston, conte para nós como foram os primeiros
anos de vocês no serviço de Jeová. Pam, como era a vida nas ilhas em comparação
Pouco tempo depois de nosso casamento, com a vida na Austrália?
Jeová começou a abrir muitas ‘portas amplas Era muito diferente! Dependendo da região, tí-
para atividade’. (1 Cor. 16:9) Quem nos mostrou nhamos que lidar com enxames de mosquitos,
a primeira porta foi o irmão Jack Porter. Na muito calor e umidade, ratos, doenças e, às ve-
época, ele era nosso superintendente de circui- zes, com a falta de comida. Para compensar, no
to. (Hoje, nós servimos juntos na Comissão de fim de cada dia podíamos relaxar com uma vista
Filial do Betel da Australásia.) Jack e sua espo- maravilhosa do oceano. Nós morávamos numa
sa, Roslyn, nos incentivaram a ser pioneiros re- fale — nome samoano para uma casa típica da
gulares. Tivemos o privilégio de ficar nesse servi- Polinésia feita com telhado de sapé e sem pa-
ço por cinco anos. Quando eu tinha 29 anos, redes. Nas noites com luar, conseguíamos enxer-
fomos convidados para o serviço de circuito nas gar os contornos das palmeiras e o reflexo da lua

ABRIL DE 2019 27
A
KIRIBATI
NAURU TOQUELAU
PAPUA-NOVA
GUIN É B
TUVALU

SAMOA

SAMOA
FIJI
VANUATU AMERICANA

NIUE

TONGA
AUSTRÁLIA
Coffs Harbour
NOVA
N C
Adelaide Sydney
ZELÂNDIA

A. Um mapa de nossas viagens no serviço de circuito


B. Selos de algumas ilhas. Kiribati e Tuvalu eram
chamadas antes de ilhas Gilbert e Ellice.
C. A bela ilha de coral em Funafuti, Tuvalu. Essa
foi uma das muitas ilhas que visitamos antes
de Betel designar missionários para lá.
D. Às vezes, nosso veículo servia de casa durante
o serviço de circuito
E. Dirigindo uma saída de campo na ilha de Niue
F. Pam lavando nossas roupas em Tonga
G. Servindo como instrutor de uma escola para
anciãos em Samoa

E F

G
no oceano. Eram momentos tão lindos que quase dois metros com uma corda fininha presa
nos faziam meditar e orar. Conseguíamos em uma das pontas. Só que em vez de um an-
deixar os pensamentos negativos de lado e zol na ponta da corda, elas colocavam uma
nos concentrar nos positivos. lata. Uma de cada vez jogava sua cordinha no
Nós amávamos as crianças! Elas eram poço e, no momento certo, fazia um movimen-
muito divertidas e ficavam bem curiosas to rápido com o pulso. A lata virava de lado e en-
quando viam a gente, dois estrangeiros chia de água. Eu pensei: ‘Que fácil!’ Até que che-
brancos. Uma vez, quando estávamos visi- gou a minha vez. Joguei a cordinha várias
tando Niue, um menininho chegou e esfre- vezes, mas toda vez a lata batia na água e ficava
gou a mão no braço peludo de Winston, di- flutuando! Depois que todas as mulheres para-
zendo: “Eu gostei das suas penas.” Acho ram de rir, uma delas veio me ajudar. As pessoas
que o menininho nunca tinha visto um bra- de lá são muito prestativas e bondosas.
ço peludo como aquele e não sabia nem
Vocês dois amaram muito a designação nas ilhas.
que palavra usar para descrevê-lo!
Podem contar alguns momentos especiais que
Ver as condições ruins em que muitas tiveram lá?
pessoas moravam era de partir o coração.
Winston: Levou um tempo para aprendermos
Elas estavam cercadas de paisagens lin-
certos costumes. Por exemplo, quando os ir-
das, mas tinham um sistema de saúde pre-
mãos faziam uma refeição, eles davam toda a
cário e pouca água potável. Mas nossos
comida para gente. Só que não sabíamos que o
irmãos nem pareciam se incomodar. Aquilo
costume era deixar uma parte para eles come-
era normal para eles. Só o fato de ter a fa-
rem. Por isso, comíamos tudo! É claro que, de-
mília por perto, ter um lugar para adorar a
pois que descobrimos como as coisas funciona-
Jeová e poder servir a ele já os deixava feli-
vam, nós deixávamos comida para eles. Apesar
zes. O exemplo deles nos ajudou a focar no
das nossas gafes, os irmãos eram compreensi-
que é importante e a manter uma vida sim-
vos. E quando voltávamos, mais ou menos a
ples.
cada seis meses, para visitá-los no serviço de
Às vezes, Pam, você tinha que conseguir circuito, eles ficavam empolgados. Afinal, éra-
água e cozinhar em circunstâncias total- mos as únicas Testemunhas de Jeová que eles
mente diferentes. Como foi lidar com isso? conheciam além dos membros de sua própria
Eu devo muito ao meu pai. Ele me en- congregação.
sinou muitas coisas úteis. Por exemplo, As nossas visitas também davam um bom
como acender uma fogueira, como cozi- testemunho nas comunidades. Muitos morado-
nhar nela e como me virar com poucas res achavam que as Testemunhas de Jeová
coisas. Quando fizemos uma visita em Kiri- eram uma religião inventada pelos irmãos dali.
bati, ficamos numa casinha com telhado de Mas quando viam um ministro e sua esposa, que
sapé, piso de coral e paredes de bambu. tinham vindo de outro país, os moradores enten-
Para cozinhar, eu tinha que cavar um bura- diam que a congregação da vila fazia parte de
co e fazer uma fogueira. Eu jogava cascas uma organização mundial e ficavam impressio-
de coco no buraco para manter o fogo ace- nados.
so. Para conseguir água, eu tinha que ficar Pam: Eu me lembro com muito carinho
na fila de um poço com outras mulheres. de algo que aconteceu em Kiribati. A congrega-
Elas tiravam água usando algo parecido ção de lá só tinha poucos irmãos e só um an-
com uma vara de pescar: um bastão de cião, Sínakai Mátera. Ele fazia de tudo para

ABRIL DE 2019 29
cuidar bem de nós. Um dia, ele veio com uma causou. (1 João 3:8) Esse artigo nos fez dar
cesta que tinha apenas um ovo. Ele disse: “Para ainda mais valor a essa “pérola” preciosa que só
vocês.” Conseguir um ovo de galinha ali era algo o povo de Jeová tem. O que seria de nós se não
raro. Aquele pequeno gesto de generosidade nos tivéssemos a esperança que o Reino nos dá?
emocionou muito. Depois que perdemos nosso bebê, voltamos
para o serviço de tempo integral. Ficamos al-
Pam, alguns anos depois, você perdeu um bebê
guns meses no Betel da Austrália e depois fomos
durante a gravidez. O que ajudou você a lidar
novamente para o serviço de circuito. Em 1981,
com isso?
depois de quatro anos como viajantes nas áreas
Eu fiquei grávida em 1973 enquanto está- rurais de Nova Gales do Sul e em Sydney, fomos
vamos no Pacífico Sul. Daí, voltamos para a Aus- chamados para Betel, e é onde estamos desde
trália, mas quatro meses depois perdemos o então.
bebê. Winston também ficou arrasado; afinal,
era o filho dele também. A minha dor foi dimi- Winston, acha que o tempo que serviu nas
nuindo com o tempo, mas ela só sarou comple- ilhas do Pacífico Sul ajudou você em seu
tamente quando recebemos a Sentinela de trabalho como membro da Comissão de Filial
15 de abril de 2009. O artigo em “Perguntas do Betel da Australásia?
dos Leitores” trazia a questão: “Existe esperança Sim, e de vários modos. Primeiro, a Austrália
de ressurreição para um bebê que morre no ven- foi designada para cuidar da obra na Samoa
tre da mãe?” O artigo nos lembrou de que isso Americana e em Samoa. Depois, houve a fusão
é algo que está nas mãos de Jeová, e ele sem- entre as sedes da Austrália e da Nova Zelândia.
pre faz o que é certo. Por amor, ele vai ordenar Agora, o território cuidado pelo Betel da Austra-
que seu Filho ‘desfaça as obras do Diabo’ e cure lásia inclui Austrália, as ilhas Cook, Niue, Nova
todas as feridas que este mundo perverso nos Zelândia, Samoa Americana e Samoa, Timor-Les-
te, Tonga e Toquelau — lugares que já tive o privi-
légio de visitar como representante da filial. A
experiência que tive ao trabalhar nas ilhas com
esses irmãos e irmãs fiéis me ajuda muito, já que
agora eu posso servir a eles daqui de Betel.
Antes de terminar, eu gostaria de dizer que,
assim como aconteceu com Pam e comigo, não
são apenas os adultos que procuram por Deus.
Os jovens também querem essa “pérola de gran-
de valor” — mesmo que o resto da família não te-
nha interesse. (2 Reis 5:2, 3; 2 Crô. 34:1-3) Sem
dúvida, Jeová é um Deus amoroso e ele quer que
todos, jovens e adultos, ganhem a vida!
Quando eu e Pam começamos a procurar
a verdade mais de cinquenta anos atrás, nem
tínhamos ideia de aonde essa busca ia nos le-
var. Com certeza, a verdade do Reino é uma pé-
rola que não tem preço. E nós estamos decididos
Winston e Pam no Betel da Australásia a segurar essa pérola preciosa com toda a nossa
força!

30 A SENTINELA
VOCÊ SABIA?

O que uma pessoa tinha que fazer para viajar de navio no passado?
EM GERAL, na época do apóstolo Paulo, não exis- gassem ventos favoráveis, os marinheiros podiam
tiam navios que transportavam apenas passa- aproveitá-los e partir imediatamente. Depois que
geiros. Para viajar de navio, a pessoa tinha que a pessoa encontrava um navio para viajar, ela fi-
perguntar a outros se eles sabiam de algum na- cava com sua bagagem perto do porto e esperava
vio comercial (de carga) que estivesse indo para o anúncio de que o navio estava partindo.
o mesmo destino dela. A pessoa também procu- Na Roma antiga, havia um jeito mais fácil de en-
rava saber se esse navio estaria disposto a le- contrar um navio para viajar. O historiador Lionel
var passageiros. (Atos 21:2, 3) Se um navio não Casson diz: “O porto de Roma ficava na foz do
estivesse indo exatamente para onde a pessoa rio Tibre. Bem perto da cidade de Óstia, havia
queria ir, ela podia pegar o navio, descer em al- uma grande área aberta cercada de escritórios.
gum porto que estivesse na rota e procurar outro Muitos desses escritórios pertenciam a exporta-
navio que fosse para mais perto de seu destino. dores de vários portos: um era dos exportadores
— Atos 27:1-6. de Narbonne [a atual França], outro era dos ex-
As viagens pelo mar aconteciam, na maioria das portadores de Cartago [atual Tunísia] . . . e assim
vezes, em períodos específicos do ano. Os navios por diante. Qualquer um que estivesse procuran-
não tinham uma programação fixa. Uma viagem do um navio para viajar tinha apenas que consul-
de navio podia ser adiada não apenas por causa tar os escritórios das cidades que fizessem parte
de tempo ruim, mas por causa de superstições. de sua rota.”
Por exemplo, se os marinheiros vissem um corvo O navio era um meio rápido de viajar, mas com
grasnando em cima das cordas do navio ou se vis- alguns riscos. Em suas viagens missionárias, o
sem destroços de um navio nas margens do mar, apóstolo Paulo enfrentou naufrágios várias vezes.
isso era um mau presságio. Por outro lado, se che- — 2 Cor. 11:25.

ABRIL DE 2019 31
34567 ˙
VEJA MAIS NO JW.ORG
April 2019  Vol. 140, No. 5 PORTUGUESE (Brazilian Edition)

IMITE A SUA F É
NESTA REVISTA Jonat ã
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
— “Nada pode impedir Jeová”
Estudo 14  3 a 9 de junho 2 Jonatã liderou um ataque de dois
Você está ‘realizando plenamente homens contra um posto avançado
o seu ministério’? cheio de homens armados. O final
dessa história é emocionante.
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
(Acesse ENSINOS BÍBLICOS ˛ FÉ EM DEUS.)
Estudo 15  10 a 16 de junho 8
Imite Jesus e continue em paz
A B ÍBLIA MUDA A VIDA DAS PESSOAS
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
Finalmente fiz as pazes
Estudo 16  17 a 23 de junho 14
com meu pai
Defenda a verdade sobre a morte Renée saiu de casa aos 14 anos porque seu
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ pai era violento. O que ajudou os dois a fazer
Estudo 17  24 a 30 de junho 20 as pazes anos depois?
(Acesse ENSINOS BÍBLICOS ˛
Aceite a ajuda de Jeová para ficar firme
PAZ E FELICIDADE.)
contra espíritos malignos
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

HISTÓRIA DE VIDA 26
Nós achamos a “pérola de grande valor”
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

VOC Ê SABIA? 31
O que uma pessoa tinha que fazer
para viajar de navio no passado?

IMAGEM DA CAPA:
Depois de ser ressuscitado, Jesus
Esta revista não é vendida. Ela faz parte de um trabalho se encontra com seus discípulos e
voluntário para ajudar as pessoas no mundo todo a entender dá a ordem: “Vão e façam discípulos.”
a Bíblia. As despesas desse trabalho são cobertas por (Veja o estudo 14, parágrafo 1.)
donativos. Para fazer um donativo, acesse donate.jw.org.
Se não houver nenhuma observação, os textos bíblicos citados Entre no site jw.org˙ ou capture o código
nesta revista são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.

s
´
A Sentinela, abril de 2019. A Sentinela e publicada mensalmente pela
Watchtower Bible and Tract Society of New York, Inc., Wallkill, New York,
˜ ´ ´
U.S.A., e pela Associaçao Torre de Vigia de Bıblias e Tratados, Cesario
˜
w19.04-T

Lange, Sao Paulo, Brasil. ˘ 2018 Watch Tower Bible and Tract Society of
181226

˜ ´
Pennsylvania e Associaçao Torre de Vigia de Bıblias e Tratados. Todos os
direitos reservados. Impressa no Brasil.