Você está na página 1de 6

II – MATERIAIS II – MATERIAIS

1. Constituição do mundo material 2. Substâncias e misturas

1. São materiais naturais:


A – os que podemos utilizar apenas tal como existem na Natureza.
B – todos os que existem na Natureza.
C – todos os que obtemos a partir dos que existem na Natureza.
2. Os materiais que utilizamos após tratamento ou transformação de materiais que existem na
Natureza são designados por:
A – materiais naturais.
B – materiais manufaturados.
C – materiais sintéticos.
3. Reciclar materiais significa:
A – utilizar de novo os objetos feitos desses materiais.
B – produzir novos objetos a partir de materiais já utilizados.
C – fazer a separação de resíduos sólidos.
4. Os materiais madeira, papel e nylon são:
A – três materiais naturais.
B – três materiais de origem animal.
C – três materiais combustíveis.
5. São substâncias:
A – os materiais formados por um só componente.
B – os materiais cujos componentes não se distinguem.
C – os materiais naturais.
6. O que distingue as substâncias das misturas é:
A – o seu aspeto homogéneo ou não.
B – o número de componentes.
C – o estado físico do material.
7. Para os químicos, a designação de “puro”
aplica-se:
A – a qualquer produto químico.
B – a qualquer material não contaminado.
C – apenas às substâncias.
8. Uma mistura cujos componentes se distinguem a olho nu chama-se:
A – homogénea.
B – coloidal.
C – heterogénea.
9. Ar sem poeiras, água do mar e sumo de laranja são:
A – três exemplos de misturas homogéneas.
B – três exemplos de misturas, das quais só a primeira é homogénea.
C – três exemplos de misturas heterogéneas.
10. O oxigénio, o nitrogénio e o dióxido de carbono são:
A – três substâncias que existem, por exemplo, na mistura ar.
B – três exemplos de misturas homogéneas.
C – duas substâncias e uma mistura homogénea.
11. Dos materiais água da torneira, tinta para madeira e granito:
A – apenas o granito é uma mistura.
B – apenas a água da torneira é uma substância.
C – apenas a tinta é uma mistura coloidal.
II – MATERIAIS
2. Substâncias e misturas

12. Dois líquidos imiscíveis:


A – não formam uma mistura.
B – formam uma mistura heterogénea.
C – formam uma mistura homogénea.
13. O termo solução é usado quando nos referimos a:
A – qualquer mistura com água.
B – qualquer mistura homogénea.
C – qualquer mistura líquida.
14. O componente de uma mistura que dissolve os outros componentes chama-se:
A – soluto
B – solvente.
C – solução.
15. A composição qualitativa de uma solução corresponde:
A – à indicação dos nomes dos seus componentes.
B – à indicação das quantidades dos seus componentes.
C – à indicação dos nomes e das quantidades dos seus componentes.
16. Uma solução que não consegue dissolver mais soluto diz-se:
A – concentrada.
B – diluída.
C – saturada.
17. A concentração, em massa, de uma solução calcula-se através do quociente:
A – massa de soluto/volume de solução.
B – massa de solvente/volume de solução.
C – massa de soluto/volume de solvente.
18. Uma unidade para exprimir a concentração mássica das soluções é:
A – g/s.
B – g/cm3.
C – cm3/g.
20. Uma garrafa de 1,5 L de água mineral onde a concentração, em massa, de cálcio é de
0,4 mg/dm3 contém:
A – 0,4 mg de cálcio dissolvido.
B – 0,6 mg de cálcio dissolvido.
C – 6,0 mg de cálcio dissolvido.
21. Se uma solução X é mais diluída do que a
solução Y:
A – a proporção soluto/solvente é maior na solução X.
B – a proporção soluto/solvente é menor na solução X.
C – o volume da solução X é maior.
22. Para dissolver um sólido agita-se a mistura com:
A – um tubo de vidro.
B – uma espátula.
C – uma vareta.
23. Para transferir um líquido para um recipiente de abertura estreita usa-se:
A – funil e vareta.
B – funil e calha de papel.
C – só um funil.
24. Para aquecer uma pequena porção de líquido à chama da lamparina é adequado recorrer a:
A – um balão.
B – uma proveta.
C – um tubo de ensaio.
25. Um dispositivo necessário para preparar uma solução aquosa é:
A – um balão de fundo plano.
B – um balão de Erlenmeyer.
C – um balão volumétrico.
26. Um dispositivo adequado para medir volumes de líquidos é:
A – um gobelé.
B – um balão de fundo plano.
C – uma proveta.
II – MATERIAIS
2. Substâncias e misturas

27. Para ler o volume de um líquido, como a água, olha-se:


A – perpendicularmente à escala e para a parte inferior da curvatura do líquido.
B – perpendicularmente à escala e para a parte superior da curvatura do líquido.
C – em qualquer posição relativamente à escala, mas sempre para a parte inferior da curvatura
do líquido.

28. Os símbolos representam, respetivamente, produtos:

A – perigosos para o ambiente, corrosivos e tóxicos.


B – corrosivos, tóxicos e perigosos para o ambiente.
C – tóxicos, corrosivos e perigosos para o ambiente.
29. O símbolo de aviso que aparece num frasco de álcool etílico, que é um produto inflamável, é:
30. Um produto químico cujo único símbolo de aviso nos indica que é irritante:
A – não pode ser colocado próximo de uma chama.
B – não pode cheirar-se.
C – não pode ser colocado junto de um produto inflamável.
31. Na preparação da solução aquosa de um sólido a etapa que se segue à pesagem do sólido é:
A – dissolução do sólido em alguma água, num gobelé.
B – transferência do sólido para o balão volumétrico.
C – aquecimento da mistura do sólido e água.