Você está na página 1de 4

Uma Ecologia Espiritual Interna

No ano de 1997 em Chiang Mai, situada no norte da Tailândia, no inicio dos Himalaias,
estava eu fazendo minha formação de instrutora do sistema de Alquimia Interna Taoista do
Mantak Chia em seu centro chamado de Tao Garden.

Esse centro espiritual é conduzido com muita sabedoria por Mantak. Certos cuidados
muito simples são tomados para que o centro beneficie as populações locais pobres que
vivem no seu entorno.

Foi ali, vivendo durante seis meses essa realidade taoista, que pude perceber a aplicação
prática de uma ciência da natureza que chamei de Ecologia Espiritual Interna.

“Todo estado de alma é uma paisagem. Isto é, todo estado de alma é não só
representado por uma paisagem, mas verdadeiramente uma paisagem. Há em nós um
espaço interior onde a matéria de nossa vida física se agita. Assim uma tristeza é um
lago morto dentro de nós, uma alegria um dia de sol de nosso espírito. E - mesmo que
se não queira admitir que todo estado de alma é uma paisagem – pode ao menos
admitir-se que todo estado de alma se pode representar por uma paisagem. Se eu disser
“Há sol nos meus pensamentos”, ninguém compreenderá que os meus pensamentos são
tristes.” Nota preliminar do Cancioneiro nas Obras Completas do Fernando Pessoa.

Uma ecologia espiritual interna segue essa verdade como principio; as duas realidades; a
interna e a externa formam um único corpo dentro de nosso corpo físico. Todo estado de
alma é uma paisagem e ambos, os estados de alma e as variações climáticas da natureza ,
seguem as mesmas leis que regem a vida.

Baseado nesse principio, o aquecimento global é ao mesmo tempo um aquecimento do


planeta e um aquecimento da energia que circula pelo nosso corpo; a energia Chi Vital.

Essa energia se super aquece, quando a energia do fogo em nosso coração aprisiona-se
nos centros superiores do corpo, os Tan Tiens médio e superior.

A causa desse superaquecimento são as emoções negativas da impaciência, da pressa e do


estresse que bombardeiam o dia a dia das pessoas que moram em grandes cidades.
Exatamente por isso as doenças que mais matam no mundo são as cardio- vasculares.

Se estudarmos a fundo a ciência chinesa e sua alquimia, as 5 fases de alternância do Yin e


do Yang, os 5 Elementos e seus ciclos, seremos capazes de esfriar essas energias que
circulam em nosso corpo e sanar assim, o superaquecimento de nosso planeta??
Pela experiência que tive nesses 12 anos que ministro os cursos de alquimia interna taoista
pelo Brasil, afirmaria que sim. Meus alunos chegam superaquecidos ao curso, há muita
energia quente aprisionada em seus corações e em suas cabeças. Há muita mente e pouca
conexão profunda com o corpo e sua sabedoria natural. Esse corpo sofre um controle
rígido da mente, que julga saber melhor o que é bom para manter sua saúde. Resultado; o
tiro sai pela culatra, e o desequilibro aumenta.

Alguns chegam acreditando que, para manterem-se saudáveis, precisam penalizar seus
rins tomando litros de água por dia. Outros só alimentam o corpo com alimentos crús,
desconhecendo que o processo de cozimento é uma grande evolução e conquista humana,
sendo a arte de cozinhar um refinamento das propriedades naturais dos alimentos.

Outros ainda, seguem uma serie de dietas espirituais ou de emagrecimento, sem nunca
se darem conta de que os desequilíbrios alimentares veem das emoções negativas e de
crenças errôneas, que são a verdadeira causa dos distúrbios que sentem no corpo. A
doença, a gordura, o mal estar foram criadas pelo controle excessivo das emoções e da
mente sobre esse corpo.

As fórmulas milenares da alquimia interna que são ensinadas nos cursos de Alquimia
Interna, quando praticadas, levam a mente a silenciar, a aprender a reciclar as emoções
através de um sistema de compostagem, um legado rico deixado pelos mestres sábios do
passado.

Eles nos ensinam através dessas fórmulas que devemos usar as emoções negativas como
lixo orgânico, transformando-as em pura energia positiva. Os alunos que as praticam,
silenciam suas mentes e o corpo assume naturalmente a responsabilidade pela sua própria
saúde. O resultado é a passagem da autoridade da mente para uma sabedoria natural que
nosso próprio corpo conhece e anseia.

Saúde e bem estar são estados de alma positivos que ecoam num corpo saudável.

Essa mudança de comando dentro de nossos cursos, acontece de uma forma natural e
automática. Os sábios do passado conheciam os segredos para criar estados equilibrados
sem superaquecimentos. Eles conheciam a linguagem do corpo e da mente.

Sabiam que a fala é a linguagem da mente, e as imagens; visuais, táteis e auditivas, em


suma, os sentidos, sendo a linguagem compreendida pelo corpo.

Comparando essas duas linguagens, a verbal e a outra sensorial, com o habito dos alunos
quando chegam ao curso, observamos toda uma parafernália mental silenciando os
sentidos que é a única linguagem que o corpo domina e entende. A mente e suas crenças
impõem ao corpo a obediência cega à suas ordens, submetendo-o à força. Nenhum
sistema mental por si só é suficiente para criar harmonia e unidade em nosso corpo.

Falar a linguagem do corpo é limpar nossos sentidos das toxinas, das emoções negativas, e
somente assim poderemos esfriar as energias que circulam pelo corpo físico e desaquecer
nosso aquecimento global interno.

Essa atitude de respeito e entendimento das leis físicas e energéticas do corpo, é a


verdadeira forma de nos desaquecer e pararmos de causar o superaquecimento global do
planeta.

Há uma historia que ilustra bem esse processo. É uma historia verdadeira que aconteceu
na China, quando Richard Wilhelm, o tradutor do I Ching, servia como adito cultural
alemão nesse pais.

Nessa época, antes de 1935, a parte norte da China, onde Wilhelm morava, estava
sofrendo uma seca que já durava 3 anos. O governo estava desesperado, em situação de
calamidade publica, e todos os recursos conhecidos na época haviam sido usados sem
sucesso.

Lembram-se então de usar os conhecimentos do Homem Fazedor de Chuva, uma espécie


de xamã que sabia como fazer chover. Wilhelm seguiu de perto todo o processo. Viu o
Fazedor de Chuva pedir para ficar sozinho em uma cabana deserta, com apenas um litro
de água, e pedir que só viessem buscá-lo quando a chuva caísse.

Três dias depois, uma chuva torrencial caiu sobre a região seca do norte da China.

Wilhelm não parava de perguntar ao Fazedor de Chuva como ele havia feito a chuva cair, e
o homem simples respondia; Não fui eu quem fez chover. Finalmente ele se deu conta de
que estava fazendo a pergunta errada e perguntou corretamente: Como a chuva caiu??

O Fazedor de Chuva respondeu que lá no sul da China onde ele vivia, as pessoas todas
estavam em ordem, estavam em harmonia com a natureza, e a chuva caia quando era
necessária. Mas que ali no norte, as pessoas haviam desequilibrado as forças da natureza
pelos seus hábitos, e que isso havia causado a seca. A única coisa que fez, foi jejuar e
conduzir as energias locais ao equilíbrio. Fazendo isso a chuva pode cair.

Vivemos em um universo uno, somos parte do ecosistema. Na China acredita-se que o


destino é regido por três poderes; a vontade do céu (forças cósmica), a vontade da terra
(seu ciclos e leis de mudança) e o poder do livre arbítrio do homem. Quando esses 3
poderes estão em harmonia, a paz, o bem estar e a vida estão equilíbrio e naturalmente
tudo a nossa volta vai espelhar esse equilíbrio.
O homem tem uma enorme responsabilidade quando escolhe; ele precisa aprender a
ouvir a natureza e a vontade universal antes de fazer essa escolha, ou corre o risco de
desequilibrar a harmonia natural dos outros dois poderes. O resultado disso é o
infortúnio, a má sorte e todos os tipos de desordem que assistimos acontecer nesse
mundo moderno.

Uma Ecologia Profunda Espiritual, deve se guiar pelas leis naturais que regem os poderes
do céu e da terra e ensinar ao homem a usar de uma forma sábia o seu livre- arbítrio. A
ouvir com delicadeza e sabedoria seus sentidos para perceber o que é necessário fazer
para manter esse equilíbrio natural da vida. O melhor mestre nesse aprendizado é o nosso
corpo e seus sentidos que estão naturalmente seguindo a harmonia natural do cosmo.

Aprendendo a fazer compostagem de nossas emoções negativas, liberamos a sabedoria


viva em nosso corpo, e aprendemos a nos conduzir pela sua harmonia.

Ely Britto
Instrutora Senior do sistema do Mantak Chi
Idealizadora da Ecovila Viver Simple
WWW.healing-tao.com.br
WWW.viversimples.com.br