Você está na página 1de 3

Urupim ou Oropim

É um ritual que ocorre logo depois do Apanan, na feitura de santo.

Tem como objetivo despachar o cabelo dos iniciados e todos seus objetos que serviu na sua
iniciação, como adoxu, Ekodidé, Mariô, resto de efun que usou em sua pintura e vários tipos
de comida ritual.

Tudo é devidamente embrulhado em pano branco, posto em um alguidar e colocado na


cabeça do iaô, os cânticos são entoados, o noviço dá três voltas no barracão, seguindo para um
rio ou mar, para entregar esta importante oferenda, que simboliza a despedida da sua vida de
Abian.

Este rito acontece também, toda vez que um adepto passa por ritual de raspar a cabeça, seja
na mudança de nação ou quando for tirar a Mão de Vumbe.

ALGUNS PROCEDIMENTOS A SEREM CUMPRIDOS

Após alguns dias pesquisando sobre o assunto levantado: A INICIAÇÃO, bem como
acrescentando alguma coisa do meu conhecimento adquirido sobre esta mesma questão.
Sendo assim lhes apresento uma síntese prática sobre isto e espero que possam de alguma
forma ajudar nas suas decisões.

A finalidade deste texto é orientar as pessoas que não conhecem o candomblé. Porque se
iniciar ou não no candomblé, bem como outros pontos importantes, dentro da religiosidade.

A iniciação: Com a globalização que aí está e a Internet, vai ser muito difícil esconder segredos
guardados a sete chaves como vinha sendo feito há uma centena de anos pelos antigos do
candomblé.

A finalidade de se guardar esses segredos era justamente para que não caíssem em mãos
erradas e fossem usados para fins inescrupulosos, como já está acontecendo. O candomblé é
uma religião iniciática mas nem todos nasceram para ser sacerdotes, gostaria de salientar que
essa iniciação só deve ser feita em última instância, só em caso de extrema necessidade,
quando não tiver outra alternativa.

A iniciação no candomblé não é uma coisa que se faça levianamente sem observar as
conseqüências provenientes de erros, caso o pai ou mãe de santo não estejam preparados
devidamente para isto.

Por que iniciar uma pessoa que não precisa ser iniciada? Só pelo dinheiro?

Tem muita gente fazendo isso sem nenhum escrúpulo. São os mercenários de nossa religião,
que não tem o menor respeito pelo Orixá, que dirá pelas pessoas desavisadas que caem em
suas mãos.

Sempre que for fazer uma consulta em qualquer casa de candomblé, fique atento, não dê
dinheiro algum sem antes confirmar em outros lugares se é isso mesmo que estão dizendo. Se
disserem que tem que fazer um ebó, borí, ou iniciação, vá jogar em outros lugares para
confirmar a resposta do jogo, se for igual em pelo menos três lugares diferentes então faça.
Caso contrário não faça nada, não gaste seu dinheiro sem saber se é realmente necessário.
Caso for a primeira vez em que você busca a consulta pelo Jogo de Búzios, faça como os
antigos, a famosa roda dos sete.

Uma roda composta de sete jogos, com sete pais (mães) de santo diferentes. Mas que só você
saiba a quem procurar ou a quem vai se dirigir e nunca diga a alguém que esta fazendo a Roda
dos Sete. Pois se o jogo é verdadeiro de fato ou todos falarão a mesma coisa, ou como digo
pelo menos três devem estar concisos. A partir daí você já saberá o caminho que deverá
percorrer.

Muitas pessoas pensam que é só fazer o santo e já pode ser pai ou mãe de santo, a coisa não é
bem assim... Não é porque a pessoa se iniciou, que obrigatoriamente terá que abrir casa ao
completar sua iniciação na obrigação de sete anos. Não são todos filhos de santo que tem
cargo para ser um sacerdote. O sacerdote já nasce com essa missão e em proporção seria 1 em
cada 1000 que deveria se preparar para essa árdua tarefa.

O que está acontecendo no candomblé é uma distorção grave, quando se pensa que todo iaô
tem que abrir casa. Um absurdo. Muitos não tem nem fibra e nem capacidade para ser um
líder, abrem suas casas e depois de um tempo despacham tudo no rio e vão para as igrejas de
crentes como se isso resolvesse o problema.

E os culpados disso são os pais e mães de santo que inventaram essa nova modalidade de
ganhar dinheiro, pois cada iaô que o incompetente for tirar, terá que chamar o pai ou a mãe
para raspar porque ele não sabe. Pois não conviveu o tempo suficiente na roça para aprender
o mínimo necessário e já abriu uma casa.

Mesmo com pais ou mães de santo competentes, é preciso saber que candomblé não se
resume às festas de barracão, a festa é só a ponta do iceberg, não é só chegar na hora da festa
para dançar, candomblé não é só isso.