Você está na página 1de 6

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA

Entre a COOPTRANS, LDA, com sede na Rua das Flores nº 1545, 1º andar, Bairro de
Infulene A, na Província de Maputo, representado neste acto por Alexandre Marciano
Ngove, na qualidade de Presidente do Consórcio, doravante designado por PRIMEIRO
OUTORGANTE.

FULANO, portador do BI___________, residente em _______Bairro de__________,na


Província de Maputo, portador do NUIT_______________, representado no acto
por_______________________, adiante designado por SEGUNDO OUTORGANTE.

O PRESENTE CONTRATO PROMESSA, tem como objectivo a adjudicação


de________viatura(s) de marca__________com a(s) chapa(s) de
inscrição______________ao Segundo Outorgante, que será(o) gerida(s) administrativa
e financeiramente pelo Primeiro Outorgante, durante (60)sessenta meses, período
determinado e previsto para a amortização total da dívida do(s) autocarro(s).

As autoridades competentes e a Fematro, indicaram a COOPTRANS para gerir os


autocarros do corredor 2, que são da BAIXA/ MUSEU-INFULENE/SOCIMOL/MATOLA
GARE, sendo que inserem nas seguintes rotas nomeadamente, 1-Baixa/Museu-Patrício
Lumumba, 2-Baixa/Museu-T3(via Estádio Da Machava), 3- Baixa/Museu-Machava
Socimol/Matola Gare.

Neste âmbito de boa-fé, as partes acordam em celebrar o presente contrato promessa


que aceitam e se obrigam a cumprir, o qual se rege pelo conteúdo das cláusulas
seguintes e, no que for omisso, pela legislação aplicável.

CLÁUSULA PRIMEIRA

(Objecto)

O presente contrato destina-se a alocar ao Segundo Outorgante por venda,


autocarro(s) de transporte de passageiros de marca_________ que estão sob controlo
administrativo e financeiro para a amortização das suas letras ao FTC durante 60
(sessenta meses)pelo Primeiro Outorgante.

CLÁUSULA SEGUNDA

(Período de duração do contrato)

1. O período de duração do presente contrato é de 60 meses a partir da altura a


convencionar entre o Governo e o Primeiro Outorgante e que na comunicação
do início desse período deverá se encontrar a planilha real de amortizações que
deverá ser informado ao Segundo Outorgante por escrito.
2. O Segundo Outorgante poderá fazer o pagamento de uma só vez na data da
entrega do(s) autocarro(s), devendo continuar a operar na rota indicada, sendo
que a transferência da titularidade do autocarro será feito quando se confirmar
o depósito do pagamento total.

CLÁUSULA TERCEIRA

(Deveres do segundo outorgante)

1. O Segundo Outorgante deverá assistir a(s) viatura(s) e fazer todos os


movimentes que serão controlados alguns pelos escritórios secundários e que
mais tarde serão dirigidos para o escritório central da COOPTRANS.

2. O SEGUNDO OUTORGANTE é obrigado ao preenchimento dos movimentos no


livro existente no parque da(s) sua(s) viatura(s) para o controlo financeiro,
administrativo e de assiduidade enquanto durar o contrato.

3. É OBRIGATÓRIO O PARQUEAMENTO DA VIATURA NO PARQUE DO PRIMEIRO


OUTORGANTE E NÃO LHE É PERMITIDO RETIRAR A VIATURA ANTES DA
CONCLUSÃO DA AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA QUE NESTE MOMENTO ESTÁ A
RESPONSABILIDADE DO PRIMEIRO OUTORGANTE.

4. A falta de apresentação do movimento financeiro da(s) viatura(s) referente ao


dia anterior poderá criar condições de inadimplemento contratual, podendo em
caso extremo, o PRIMEIRO OUTORGANTE e sua Direcção chegarem à própria
resolução do contrato e retirar-se a(s) viatura(s)..

5. É dever do SEGUNDO OUTORGANTE informar sobre possíveis avarias que


possam passar despercebidos pela gestão do parque.

6. Não praticar emissões e vendas de bilhetes e passes a passageiros fora do


sistema do Primeiro Outorgante.

7. Manter os pneus em bom estado, de acordo com a legislação aplicável.

8. A fiscalização da viatura será em simultâneo feito pelo Primeiro Outorgante e as


vezes com o FTC sem prévio aviso.

9. Em caso de incumprimento pelo Segundo Outorgante, do estatuído nas alíneas


2), 3), 4) e 6) deste número 3, incorre na retirada total do autocarro e
consequente perda do reembolso das prestações havidas ou que houverem.
CLÁUSULA QUARTA

(Direitos do segundo Outorgante)

1. O Segundo Outorgante, tem direito de receber do Primeiro Outorgante o(s) meio(s)


tal como estabelecido no presente contrato.

2. Anunciar as suas reclamações de forma ordeira, marcando a audiência e apresentá-


las no escritório central que serão registadas e atendidas, sendo que poderão ser
resolvidas dentro de 48 horas ou imediatamente se precisarem de um tratamento
muito cuidado da Direcção do Primeiro Outorgante.

3. Acompanhar o funcionamento da(s) viatura(s), que lhe pertence neste contrato


promessa, registando as receitas feitas diariamente no livro existente no parque do
Primeiro Outorgante, e depositando os valores obtidos na conta do Primeiro
Outorgante, entregando os talões nos escritórios para a sua contabilização o mais
breve possível e dentro do dia seguinte às cobranças.

4. Receber da gestão do Primeiro Outorgante, depois do encontro de contas


proveniente das receitas arrecadadas durante o mês e retiradas as despesas tal como
de (salários dos trabalhadores, parqueamento da(s) viatura(s), aluguer de instalações,
combustível, manutenção, seguros, bilhetes, letras, quota mensal e outros que na
altura do encontro de contas será descriminado num modelo próprio) do Primeiro
Outorgante.

5. Participar activamente nas várias actividades do Primeiro Outorgante enquanto


durar o presente vínculo contratual.

6. Todo o pagamento dos valores resultantes do encontro de contas entre o Primeiro


Outorgante e o Segundo Outorgante, tendo direito o Segundo Outorgante ao valor
liquido restante, serão pagos por transferência bancária.

Sendo assim, o Segundo Outorgante deverá preencher os seguintes dados:

Informação bancária do Segundo Outorgante para transferência bancária:

Banco: ________________________________

Nº de Conta: ___________________________

NIB:__________________________________

O Segundo Outorgante confirmará o valor resultante do encontro de contas no banco


para onde se terá transferido o valor correspondente ao líquido do encontro de contas
a ser feito de .01 a 05 de cada mês.
CLÁUSULA QUINTA

(Direitos da COOPTRANS)

1. Receber dentro dos prazos aludidos acima, os valores correspondentes as


receitas diárias sem atrasos das viaturas.

2. Outros que por natureza lhe pertençam.

CLÁUSULA SEXTA

(Deveres da COOPTRANS)

1. Garantir a indicação do(s) autocarro(s) em plena operacionalidade, na


assinatura deste contrato

2. Garantir que os elementos acordados com o FTC e inerentes ao tempo de


garantia sejam observados e respeitados para a vida dos autocarros.

3. Garantir a canalização dos valores ao Segundo Outorgante, resultantes dos


remanescentes após retirada das despesas dos custos de operação de cada
viatura, dentro dos prazos acordados.

CLÁUSULA SÉTIMA

(Sanções)

1. Em caso de incumprimento dos números 2,3,4 e 6 da cláusula 3, incorre


imediatamente na retirada do autocarro e consequente perda do reembolso
das prestações havidas.
2. As demais violações deste contrato serão sancionadas com multas equivalente
a um terço da receita média diária quando descoberta pelo Primeiro
Outorgante e quando forem descobertas pelo FTC, acrescem mais dez por cento
do valor da multa.
3. As multas são notificadas pelo Primeiro Outorgante e são pagas dentro de 5
dias após a ocorrência da infracção, e no mesmo período poderá apresentar a
sua defesa.

CLÁUSULA OITAVA
(Garantias Pessoais)

1. O Segundo Outorgante, logo que for contemplado na distribuição do(s)


autocarro(s) deverá prestar uma caução ou garantia pessoal de 1%, tendo como
base o valor 3.580.570,24, correspondente ao autocarro recebido, que será
válido pelo período da vigência do contrato.

2. O valor previsto acima, é devolvido em caso da resolução do presente contrato,


mediante apresentação da caução do novo beneficiário.

CLÁSULA NONA

(Casos de força maior)

1. Cessa a responsabilidade das partes pelo atraso ou falte de cumprimento total


ou parcial os seus deveres e obrigações nos termos deste contrato, quando se
verifiquem casos de força maior.

2. Consideram-se casos de força maior os factos extraordinários, imprevistos e


inevitáveis cujos os efeitos se produzem independentemente da vontade ou de
circunstâncias particulares das partes e que impossibilitam o cumprimento do
contrato.

3. Quando se verificar casos de força maior, a parte impossibilitada no


cumprimento das obrigações contratuais deverá, por escrito, notificar
imediatamente a outra parte, propondo soluções alternativas.

CLÁUSULA DÉCIMA

(Resolução de Conflitos)

Os conflitos que aparecerem da aplicação deste contrato, deverão ser resolvidos


amigavelmente.

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA

(Vigência)

O presente contrato, entra em vigor à data da sua assinatura, e é válido por 60


(sessenta) meses.

O presente contrato, será acompanhado por um regulamento interno e um termo de


compromisso que também são obrigatórios a sua assinatura.
CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA

(Casos Omissos)

Os casos omissos no presente contrato, serão regulados pela legislação vigente na


República de Moçambique.

Este contrato é feito em duplicado e todos têm valor de original, os quais vão ser
assinados pelos contraentes, ficando o exemplar em poder de cada uma das partes.

Você também pode gostar