Você está na página 1de 24

Informações importantes

Este sermão foi importado diretamente do site


http://archive.spurgeon.org e traduzido pelo Google
Translator. O site é mantido pela Midwestern Baptist
Theological Seminary e não cobra nenhum valor ou doação
para manter os arquivos do Rev. Charles H. Spurgeon no ar.

A distribuição deste pdf é feito pelo blog Palavras em


Chamas com o intuito de informar e levar conteúdo
relevante, o blog também não cobra ou recebe nem um
valor pelo documento, tradução ou organização do mesmo.

Após ler este sermão compartilhe para que mais pessoas


tenham acesso a essa joia pregada por um dos maiores
pregadores do século 19!

Para mais conteúdo de qualidade visite o blog!


http://palavrasemchamas.blogspot.com
O Banquete de Satanás

Entregue na manhã de sábado, 28 de novembro de 1858, pelo


REV. CH Spurgeon
no Music Hall, Royal Surrey Gardens.

O governador da festa chamou o noivo, e disse-lhe: Todo homem


no princípio dá bom vinho; e quando os homens beberem, maior
será o pior, mas guardaste o bom vinho até agora. —João 2: 9-10.
O governador da festa disse mais do que pretendia dizer, ou
melhor, há mais verdade no que ele disse do que ele próprio
imaginou. Esta é a regra estabelecida em todo o mundo:

"o bom vinho primeiro, e quando os homens bebem bem, então o


que é pior".

É a regra com os homens; e não centenas de corações


decepcionados lamentou isso? Amizade primeiro - a língua
oleosa, as palavras mais suaves do que manteiga e depois a
espada desembainhada. Aitofel primeiro apresenta o sórdido
prato de amor e bondade a Davi, depois o que é pior, pois ele
abandona seu mestre e se torna o conselheiro de seu flho
rebelde. Judas apresenta em primeiro lugar o prato do bom
discurso e da bondade; o Salvador partilhou disso, ele andou
para a casa de Deus em companhia dele e tomou bom conselho
com ele; mas depois veio a escória do vinho - "Aquele que come
pão comigo, levantou o seu calcanhar contra mim." Judas, o
ladrão, traiu seu Mestre, trazendo depois "aquilo que é pior". Você
o encontrou com muitos a quem considerou seus amigos. No
auge da prosperidade, quando o sol estava brilhando, e os
pássaros cantavam, e tudo era justo, alegre e alegre com você,
eles produziam o bom vinho; mas veio uma geada gelada, e
beliscou suas fores, e as folhas caíram das árvores, e suas
correntes foram congeladas com o gelo, e então elas produziram
aquilo que é pior - elas o abandonaram e fugiram; eles te
deixaram em sua hora de perigo, e te ensinaram aquela grande
verdade, que "Maldito é aquele que confa no homem e faz da
carne o seu braço". E este é o caminho em todo o mundo - digo
isso de novo - não apenas com os homens, mas também com a
natureza.

"Ai, para nós, se foste tudo,


E nada além da terra ";

porque este mundo não nos serve da mesma maneira? Na nossa


juventude, produz o melhor vinho; então temos o olho cintilante
e o ouvido sintonizado com a música; então o sangue fui
rapidamente pelas veias e o pulso bate alegremente; mas espera
um pouco, e depois sairá o que é pior, porque os guardas da casa
tremerão, e os fortes se curvarão; os moedores fracassarão
porque são poucos; os que olharem pelas janelas fcarão escuros;
todas as flhas da música serão abatidas; então o homem forte
cambaleará, o gafanhoto será um fardo, e o desejo falhará, os
carpideadores sairão pelas ruas. Primeiro, a taça da juventude, e
depois as águas estagnadas da velhice, a menos que Deus lance
para aqueles resíduos uma nova inundação de sua benignidade e
terna misericórdia, para que, uma vez mais, como sempre
acontece com o cristão, o cálice deve atropelar e novamente
brilhar de prazer. Ó cristão, não confes nos homens; Não
dependais das coisas deste tempo presente, pois esta é sempre a
regra para os homens e para o mundo - "primeiro o bom vinho, e
quando estiveres bem embriagado, então o que é pior".
Esta manhã, no entanto, estou prestes a apresentar-lhe duas
casas de festa. Primeiro, vou pedir-lhe que olhe para dentro das
portas da casa do diabo, e você descobrirá que ele é fel a essa
regra; ele produz primeiro o bom vinho, e quando os homens
bebem bem, e seus cérebros se confundem com isso, então ele
produz o que é pior. Tendo olhado para você e tremendo, e atento
ao aviso, eu tentarei então entrar com você na casa de banquete
do nosso amado Senhor e Mestre Jesus Cristo, e dele poderemos
dizer, como o governador de a festa dizia ao noivo: "Tu guardaste
o bom vinho até agora"; as tuas festas crescem melhor, e não
pior: os teus vinhos fcam mais ricos, as tuas viandas são mais
longínquas e os teus dons mais preciosos do que antes. "Tu
guardaste o bom vinho até agora."

I. Primeiro, devemos dar uma olhada de advertência na CASA DE


FESTA QUE SATANÁTICO FEZ: porque, como a sabedoria
edifcou a sua casa e as suas sete colunas, também a loucura é o
seu templo e a sua taberna de festa, na qual continuamente tenta
os desavisados. Olhe dentro da casa de banquetes, e eu lhe
mostrarei quatro mesas e os convidados que estão sentados ali; e
ao olhar para essas mesas, você verá os pratos trazidos. Você verá
os policiais de vinho trazidos, e você os verá desaparecer um
após o outro, e você deve assinalar que a regra é válida em todas
as quatro mesas - primeiro as boas o vinho, e depois o que é pior
- sim, vou mais longe - depois, o que é pior de todos.

1. Na primeira mesa para a qual vou convidar sua atenção,


embora eu suplico que você nunca se sente e beba, sente-se no
PROFLIGADO. A mesa do perdulário é uma mesa alegre; está
coberto com um carmesim berrante, e todos os vasos parecem
extremamente brilhantes e brilhantes. Muitos são os que ali se
assentam, mas não sabem que são os convidados do inferno e
que o fm de toda a festa será nas profundezas da perdição. Vede
agora o grande governador da festa, quando ele entra? Ele tem
um leve sorriso no rosto; suas vestes não são negras, mas ele está
cingido com um manto de muitas cores, ele tem uma palavra
honrada no lábio e uma bruxaria tentadora no brilho de seus
olhos. Ele traz a taça e diz: "Ei, jovem, beba dela, ela cintila na
taça, ela se move bem. Você a vê? É a taça de vinho do prazer".
Esta é a primeira taça na casa de banquete de Satanás. O jovem
toma e bebe a bebida. No início, é um gole cauteloso; é apenas
um pouco ele vai tomar, e então ele vai se conter. Ele não
pretende entregar-se muito à luxúria, ele não quer mergulhar de
cabeça na perdição. Há uma for lá na beira daquele penhasco:
ele vai se estender um pouco para a frente e arrancá-lo, mas não
é sua intenção sair do penhasco e se destruir. Não ele! Ele acha
fácil guardar a taça quando testou seu sabor! Ele não tem
intenção de se abandonar à sua intoxicação. Ele pega um
rascunho raso. Mas quão doce é! Como isso faz seu sangue
formigar dentro dele. Que tolo eu era, não ter provado isso antes!
ele pensa. Alguma vez foi alegria assim? Poderia se pensar que os
corpos poderiam ser capazes de tal êxtase como isso? Ele bebe de
novo; dessa vez ele toma um gole mais profundo, e o vinho está
quente em suas veias. Oh! Quão abençoado é ele! O que ele não
diria agora no louvor de Baco, ou Vênus, ou qualquer forma que
Belzebu escolha assumir? Ele se torna um orador em louvor ao
pecado? É justo, é agradável, a condenação profunda da luxúria
parece tão alegre quanto os transportes do céu. Ele bebe, bebe,
bebe de novo, até que seu cérebro começa a tremer com a
intoxicação de seu prazer pecaminoso. Este é o primeiro curso.
Bebe, ó bêbados de Efraim, e amarre a coroa de orgulho sobre a
sua cabeça, e chame-nos de tolos, porque nós colocamos o seu
cálice de nós; bebe com a prostituta e cede com o lascivo; podeis
considerar-vos sábios para o fazer, mas sabemos que depois
destas coisas vem algo pior, porque a vossa vinha é a vinha de
Sodoma e dos campos de Gomorra; as vossas uvas são uvas de fel,
os cachos são amargos; seu vinho é o veneno dos dragões e o
cruel veneno das asps.
Agora com um olhar malicioso em sua testa, o sutil govenor da
festa se levanta de seu assento. Sua vítima já teve o sufciente do
melhor vinho. Ele tira a taça e traz outra, não tão espumante.
Olhe para o licor; não é enfeitado com as bolhas cintilantes do
arrebatamento; é tudo plano, sem graça e insípido; é chamado a
taça da saciedade. O homem teve prazer sufciente e, como um
cachorro, vomita, embora, como um cachorro, volte a vomitar
novamente. Quem tem ai? Quem tem vermelhidão nos olhos?
Eles que demoram muito no vinho. Agora estou falando
fgurativamente de vinho, assim como literalmente. O vinho da
luxúria traz a mesma vermelhidão dos olhos; o devasso logo
descobre que todas as rodadas de prazer terminam em
saciedade. "O que!" diz ele, "O que mais eu posso fazer? Lá! Eu
cometi toda a maldade que pode ser imaginada, e eu tenho
drenado cada xícara de prazer. Me dê algo novo! Eu tentei os
teatros por toda parte: lá! Eu não Eu me dedico a todo tipo de
prazer que posso conceber. Está tudo acabado. A própria alegria
se torna monótona e monótona. O que devo fazer? E esse é o
segundo curso do diabo - o curso da saciedade - uma sonolência
intermitente, resultado do excesso anterior. Milhares de pessoas
que bebem da saciedade sem sabor todos os dias, e alguma
invenção nova por meio da qual podem matar o tempo, alguma
nova descoberta pela qual possam dar um novo sopro à sua
iniquidade seria uma coisa maravilhosa para elas; e se surgisse
algum homem que pudesse descobrir para eles alguma nova
forma de maldade, algumas profundezas mais profundas nas
profundezas do inferno mais profundo da lascívia, eles
abençoariam seu nome, por lhes ter dado algo novo para excitá-
los. Esse é o segundo curso do diabo. E você os vê participando
disso? Três são alguns de vocês que estão tendo um esboço
profundo desta manhã. Vocês são os cavalos cansados do
demônio da luxúria, os desapontados seguidores do desejo do
prazer. Deus sabe, se você fosse falar com seu coração, você seria
obrigado a dizer: "Lá! Eu tentei sentir prazer, e eu não achei isso
prazeroso; eu tenho andado por aí, e eu sou como o cavalo cego
no moinho, eu tenho que dar a volta novamente Eu estou
fascinado pelo pecado, mas eu não posso me deliciar com isso
agora como eu fz uma vez, pois toda a glória nele é como uma
for desbotada, e como o fruto apressado antes do verão.
Enquanto isso, o caçador permanece no mar podre de sua
paixão, mas outra cena está se abrindo. O governador da festa
ordena que outra bebida seja aberta. Desta vez, o demônio tem
uma taça negra, e ele a apresenta com os olhos cheios de fogo do
inferno, brilhando com uma condenação feroz. "Beba disso,
senhor", diz ele, e o homem toma um gole e recua e grita: "Ó
Deus! Que eu tenha que chegar a esse ponto!" Você deve beber,
senhor! Aquele que bebe a primeira taça deve beber a segunda e
a terceira. Beba, embora seja como fogo na sua garganta! Beba,
embora seja como a lava do Etna em suas entranhas! Beber! você
deve beber! Aquele que peca deve sofrer; aquele que é um
devasso em sua juventude deve ter podridão em seus ossos e
doença em seus lombos. Aquele que se rebela contra as leis de
Deus, deve colher a colheita em seu próprio corpo aqui. Oh! Há
algumas coisas terríveis que eu poderia lhe contar sobre este
terceiro curso. A casa de Satanás tem uma câmara frontal cheia
de tudo o que é atraente para os olhos e enfeitiçando o gosto
sensual; mas há uma câmara dos fundos, e ninguém sabe,
ninguém viu todos os seus horrores. Há uma câmara secreta,
onde ele pisa as criaturas que ele mesmo destruiu - uma câmara,
sob cujo piso está o fogo do inferno, e acima de cujas tábuas o
calor daquele horrível buraco é sentido. Pode ser o lugar de um
médico, e não o meu, contar sobre os horrores que alguns têm de
sofrer como resultado de sua iniqüidade. Eu deixo isso; mas
deixe-me dizer ao gastador perdulário, que a pobreza que ele
suportará é o resultado de seu pecado de gastança extravagante;
que ele saiba também que o remorso de consciência que o
alcança não é uma coisa acidental que cai por acaso do céu - é o
resultado de sua própria iniqüidade; pois, dependendo disso,
homens e irmãos, o pecado carrega um infante infortúnio em
suas entranhas e, mais cedo ou mais tarde, deve ser libertado de
seu terrível flho. Se semearmos a semente, devemos colher a
colheita. Assim, a lei da casa do inferno permanece - "primeiro, o
bom vinho, depois, o que é pior".

O último curso continua a ser apresentado. E agora, homens


fortes, que zombam da advertência, que eu desejaria entregar-lhe
com a voz de um irmão e com um coração afetuoso, embora com
linguagem áspera. Vem e bebe desta última taça. O pecador, no
fnal, chegou ao túmulo. Suas esperanças e alegrias eram como o
ouro colocado em um saco cheio de buracos, e todos eles
desapareceram - desapareceram para sempre; e agora ele chegou
ao fm; seus pecados o assombram, suas transgressões o deixam
perplexo; ele é tomado como um touro em uma rede e como ele
deve escapar. Ele morre e desce da doença para a condenação.
Será que a linguagem mortal tentará lhe contar os horrores
daquela última e tremenda taça de que o devasso deve beber e
beber para sempre? Veja bem: vocês não podem ver suas
profundezas, mas olham para sua superfície fervilhante, ouço o
ruído de correr para lá e para cá, e um som como de ranger de
dentes e o lamento de almas em desespero. Olho para o cálice e
ouço uma voz vinda de suas profundezas: "Estes irão para o
castigo eterno"; pois "Tophet é preparado da antiguidade, a sua
pilha é de madeira e muita fumaça, a respiração do Senhor,
como uma corrente de enxofre, deve acendê-lo." E o que dizer a
este último curso de Satanás? "Quem dentre nós habitará com o
fogo devorador? Quem dentre nós habitará em eterno incêndio?"
Desprezível! Eu peço-te, em nome de Deus, comece desta mesa!
Não seja tão descuidado com as tuas taças; não esteja tão
adormecido, seguro na paz que agora desfruta! Homem! a morte
está à porta e nos seus calcanhares há uma rápida destruição.
Quanto a você, que até agora foi contido por um pai cuidadoso e
pela vigilância de uma mãe ansiosa, suplico-lhe que evite a casa
do pecado e da loucura. Deixe que as palavras do sábio sejam
escritas em seu coração, e esteja atento a elas na hora da
tentação - "Lançai para longe o caminho dela, e não chegas à
porta de sua casa; porque os lábios de uma mulher estranha
caem como um favo de mel, e a sua boca é mais suave do que o
azeite; mas o seu fm é amargo como o absinto, agudo como uma
espada de dois gumes. Os seus pés descem à morte; os seus
passos se apoderam do inferno. "

2. Vês aquela outra mesa lá no meio do palácio? Ah! boas almas


fáceis! Muitos de vocês pensaram que nunca foram à festa do
inferno; mas há uma mesa para você também; está coberto com
um justo pano branco, e todos os vasos sobre a mesa são mais
limpos e graciosos. O vinho parece que o vinho de Gomorra não
se move como o vinho das uvas de Esco; parece não ter
intoxicação; é como o vinho antigo que eles pressionavam da uva
para o copo, não contendo veneno mortal. Vedes os homens que
se sentam nesta mesa? Quão auto-contentes elas são! Pergunte
aos demônios brancos que esperam por ela, e eles lhe dirão:
"Esta é a mesa dos fariseus : o fariseu está sentado lá. Você pode
conhecê-lo; ele tem seu flactério entre os olhos; a bainha de sua
roupa é tornado excessivamente amplo, ele é um dos melhores
dos melhores professores ". "Ah!" diz Satanás, enquanto ele puxa
a cortina e fecha a mesa onde os libertinos estão sacudindo,
"fque quieto; não faça muito barulho, para que esses hipócritas
hipócritas não adivinhem em que companhia eles estão. Essas
pessoas hipócritas são minhas convidados tanto quanto você, e
eu os tenho com segurança. " Assim, Satanás, como um anjo de
luz, produz uma taça dourada, parecendo o cálice da mesa de
comunhão. E que vinho é esse? Parece ser o próprio vinho da
sagrada Eucaristia; é chamado o vinho da satisfação pessoal, e
em torno da borda você pode ver as bolhas do orgulho. Olhe para
a espuma inchada sobre a tigela - "Deus, eu te agradeço, que não
sou como os outros homens, extorquidores, injustos, adúlteros,
nem mesmo como este publicano". Você conhece aquela taça,
meus ouvintes enganosos; Oh que você conheceu a cicuta mortal
que é misturada nela. "Pecado como os outros homens? Nem
você, nem um pouco. Você não vai se submeter à justiça de
Cristo: o que precisa de você? Você é tão bom quanto seus
vizinhos; se você não é salvo, você deveria ser, você pensa. Você
não paga a todos vinte e nove xelins na libra? Você já roubou
alguém em sua vida? Você faz seus vizinhos uma boa jogada;
você é tão bom quanto as outras pessoas. " Muito bom! Essa é a
primeira taça que o diabo nos dá, e o bom vinho faz você inchar
com uma dignidade importante, pois seus gases entram em seu
coração e incham um orgulho maldito. Sim! Vejo você sentado no
quarto tão bem varrido e enfeitado, e vejo a multidão de
admiradores em pé ao redor da mesa, até mesmo muitos flhos
de Deus, que dizem: "Ah, eu era tão bom quanto ele". Enquanto a
própria humildade dos justos provê proveito para o seu orgulho.
Espere um pouco, hipócrita, espere um pouco, pois há um
segundo curso por vir. Satanás olha com ar tão auto-satisfatório
para seus convidados como fez com a tropa de desordeiros. "Ah!"
diz ele, "Eu enganei aqueles sujeitos gays com a taça de prazer -
eu lhes dei, depois, a taça de saciedade, e eu os enganei também;
vocês se acham bem, mas eu os enganei duas vezes, eu tenho
enganou você mesmo. " Então ele traz um copo que, às vezes, ele
mesmo não gosta de servir. Chama-se a taça de
descontentamento e inquietude da mente, e muitos devem beber
isso depois de toda a sua auto-satisfação. Você não acha, você
que é muito bom em sua própria estima, mas não tem interesse
em Cristo, que quando você se senta sozinho e começa a entregar
suas contas pela eternidade, que eles não se encaixam de alguma
maneira - que você não pode encontrar o equilíbrio? exatamente
para o seu próprio lado, afnal, como você pensou que poderia?
Você às vezes não achou que, quando pensou que estava em pé
sobre uma rocha, havia um tremor sob seus pés? Você ouviu o
cristão cantar corajosamente,

"Ousada eu devo estar naquele grande dia,


Para quem a minha carga se estabelecerá?
Enquanto, pelo teu sangue, eu estou absolvido
Da maldição e vergonha tremendas do pecado ".

E você disse: "Bem, eu não posso cantar isso, eu tenho sido um


bom homem da Igreja como sempre vivi, eu nunca senti falta de
ir à minha igreja todos esses anos, mas eu não posso dizer que eu
tenho uma confança sólida". Você já teve uma esperança de
satisfação pessoal; mas agora o segundo curso chegou e você não
está tão contente. "Bem", diz outro, "estive em minha capela, fui
batizada e fz profssão de religião, apesar de nunca ter sido
levada a conhecer o Senhor com sinceridade e verdade, e uma
vez pensei que era tudo. bem comigo, mas eu quero uma coisa
que não posso encontrar ". Agora vem um tremor no coração.
Não é tão agradável como se supunha, construir sobre a própria
justiça. Ah! esse é o segundo curso. Espere um pouco, e talvez
neste mundo, mas certamente na hora da morte, o diabo trará a
terceira xícara de consternação, na descoberta de sua condição
perdida. Quantos homens que se auto justifcaram durante toda a
sua vida descobriram por fm que a coisa em que ele colocou sua
esperança falhou. Eu ouvi falar de um exército que, sendo
derrotado em batalha, se esforçou para fazer uma boa retirada.
Com toda a força, os soldados fugiram para um certo rio, onde
esperavam encontrar uma ponte através da qual pudessem se
retirar e fcar em segurança. Mas quando chegaram ao riacho,
ouviu-se um grito de terror - "A ponte está quebrada, a ponte está
quebrada!" Tudo em vão foi esse grito; pois a multidão se
apressava atrás, pressionava os que o precediam e obrigou-os a
entrar no rio, até que o regato se encheu de corpos de homens
afogados. Tal deve ser o destino dos justos. Você pensou que
havia uma ponte de cerimônias; aquele batismo, confrmação e a
Ceia do Senhor compuseram os arcos sólidos de uma ponte de
boas obras e deveres. Mas quando você vier a morrer, ouvirá o
grito: "A ponte está quebrada, a ponte está quebrada!" Será em
vão que você volte depois. A morte está perto de você; ele te força
para frente, e você descobre o que é perecer, por ter
negligenciado a grande salvação, e tentar salvar a si mesmo
através de suas próprias boas obras. Este é o último curso, menos
um: e seu último curso de tudo, o pior vinho, sua porção eterna
deve ser a mesma que a do devasso. Por mais que você tenha
pensado ser, na medida em que você orgulhosamente rejeitou a
Cristo, você deve beber a vitória da ira de Deus; aquela taça cheia
de tremor. Os ímpios da terra arrancarão os resíduos do cálice e
os beberão; e você também deve beber tanto quanto eles. Oh,
cuidado com o tempo! Deixe de lado sua alta aparência e
humilhe-se sob a poderosa mão de Deus. Creia no Senhor Jesus
Cristo e sereis salvos.

3. Alguns de vocês ainda escaparam do chicote, mas há uma


terceira mesa cheia de convidados mais honrados. Acredito que
houve mais príncipes e reis, prefeitos e vereadores, e grandes
comerciantes sentados a esta mesa, do que em qualquer outro. É
chamado a mesa do mundanismo. "Humph", diz um homem,
"Bem, eu não gosto do perdulário; há o meu flho mais velho, eu
tenho trabalhado duro economizando dinheiro toda a minha
vida, e há aquele jovem, ele não vai se ater aos negócios: ele tem
tornar-se um verdadeiro perdulário, estou muito feliz que o
ministro falou tão afada sobre isso. Quanto a mim - lá agora, eu
não me importo com as suas pessoas hipócritas um único
centavo; para mim isso não tem importância nenhuma; não me
importo nem um pouco com a religião no menor grau: gosto de
saber se os fundos sobem ou descem, ou se há uma oportunidade
de fazer uma boa barganha; mas isso é tudo o que eu me
importo. " Ah! Deixando de lado a leitura de uma amiga sua,
vestida de vermelho e de linho fno, que se dedicava a
suntuosamente todos os dias. Você sabe o que aconteceu com
ele? Você deve se lembrar disso, pois o mesmo fm aguarda a si
mesmo. O fm de sua festa deve ser o fm de vocês. Se o seu Deus
é este mundo, dependa dele, você descobrirá que o seu caminho
é cheio de amargura. Agora, veja aquela mesa do homem
mundano, o mero mundano, que vive para ganhar. Satanás o traz
em uma taça fuente, "Lá", diz ele, "Jovem, você está começando
nos negócios; você não precisa se preocupar com as
convencionalidades da honestidade, ou com as fantasias
antiquadas da religião; fque rico rápido como sempre, consiga
dinheiro - ganhe dinheiro - honestamente, se puder, mas, se não,
obtenha de qualquer maneira ", diz o diabo; e para baixo ele
coloca sua caneca. "Lá", diz ele, "é um esboço de espuma para
você". "Sim", diz o jovem, "tenho abundância agora. Minhas
esperanças são realmente realizadas". Aqui, então, você vê o
primeiro e melhor vinho da festa do mundano, e muitos de vocês
são tentados a invejar esse homem. "Oh, que eu tinha uma
perspectiva assim nos negócios", diz um deles, "não sou nem um
pouco tão esperto como ele, não podia negociar como ele lida;
minha religião não me deixava. Mas quão rápido ele fca rico! O
que eu poderia prosperar como ele faz. " Venha, meu irmão, não
julgue antes do tempo, há um segundo curso, o grosso e
enjoativo rascunho de cuidado. O homem tem seu dinheiro, mas
os que serão ricos cairão em tentação e em laço. A riqueza
adquirida, mal usada ou entesourada, traz consigo um cancro,
que não prejudica o ouro e a prata, mas o coração do homem e o
coração entupido são uma das coisas mais terríveis que um
homem pode ter. Ah! veja este amante do dinheiro e marque o
cuidado que está no coração. Há uma pobre mulher idosa que
mora perto do portão do seu alojamento. Ela tem apenas uma
ninharia por semana, mas ela diz: "Abençoe o Senhor, eu tenho o
sufciente!" Ela nunca pergunta como vai viver, como vai morrer
ou como vai ser enterrada, mas dorme docemente no travesseiro
do contentamento e da fé; e aqui está esse pobre tolo com um
ouro incalculável, mas ele é miserável porque caiu uma moeda
de seis centavos enquanto caminhava pelas ruas, ou porque tinha
uma ligação extra sobre sua caridade, à qual a presença de algum
amigo o obrigava a ceder. ; ou talvez ele geme porque seu casaco
se desgasta cedo demais.
Depois disso vem a avareza. Muitos tiveram que beber dessa
taça; que Deus salve qualquer um de nós de suas gotas de fogo.
Um grande pregador americano disse: "A cobiça produz miséria.
A visão das casas é melhor do que a nossa, do vestuário além de
nossas posses, de joias mais caras do que podemos vestir,
equipamentos majestosos e raras curiosidades além de nosso
alcance, essas nascem a víbora Uma tribo de pensamentos
cobiçosos, atormentando os pobres, que seriam ricos,
atormentando os ricos, que seriam mais ricos O cobiçoso anseia
por ver o prazer, triste na presença de alegria, e a alegria do
mundo é sua tristeza, porque toda a felicidade dos outros não é
dele, não me admira que Deus o abomine, inspeciona seu
coração como faria uma caverna cheia de pássaros barulhentos,
ou um ninho de répteis e detesta a visão de seus inquilinos
rastejantes. Homem cobiçoso A vida é um pesadelo, e Deus
permite que ele lute com ela da melhor maneira que puder
Mammon poderia construir seu palácio em tal coração, e Prazer
trazer toda sua folia lá, Honrar todas as suas guirlandas - seria
como prazeres em um sepulcro e guirlandas em um túmulo ".
Quando um homem se torna avarento, tudo o que ele tem não é
nada para ele; "Mais mais mais!" diz ele, como algumas criaturas
pobres em uma febre terrível, que gritam: "Beba, beba, beba!" e
você lhes dá bebida, mas depois que eles têm, sua sede aumenta.
Como o sanguessuga, eles gritam: "Dê, dê, dê!" A avareza é uma
delirante loucura que busca captar o mundo em seus braços e,
ainda assim, despreza a abundância que já tem. Esta é uma
maldição da qual muitos morreram; e alguns morreram com o
saco de ouro nas mãos e com a infelicidade na testa, porque não
podiam levá-lo consigo para o caixão e não podiam levá-lo para
outro mundo. Bem, então vem o próximo curso. Baxter e aqueles
terríveis pregadores antigos costumavam imaginar o avarento e o
homem que vivia apenas para fazer ouro, no meio do inferno; e
imaginaram Mamom derramando ouro derretido em sua
garganta: "Lá", dizem os diabos zombeteiros, "é isso que você
queria, você tem agora; beba, beba, beba!" e o ouro derretido é
derramado. Eu não devo, no entanto, entrar em qualquer
imaginação tão terrível, mas isso eu sei, aquele que vive para si
mesmo aqui, deve perecer; Aquele que coloca suas afeições nas
coisas da terra não cavou fundo - ele construiu sua casa nas
areias; e quando a chuva desce e as inundações chegam, deve
descer a sua casa, e grande deve ser a queda dela. É o melhor
vinho primeiro, no entanto; é o homem respeitável - respeitável e
respeitado -, todo mundo o honra - e depois o que é pior, quando
a maldade mendigou sua riqueza, e a cobiça enlouqueceu seu
cérebro. É certo que virá, tão certo como sempre, você se entrega
ao mundanismo.

4. A quarta mesa é colocada em um canto muito isolado, em


uma parte muito particular do palácio de Satanás. Há a mesa
posta para os pecadores secretos, e aqui a antiga regra é
observada. Naquela mesa, em uma sala bem escura, vejo um
rapaz sentado hoje, e Satanás é o servo, entrando sem ruído, para
que ninguém o ouvisse. Ele traz a primeira taça - e como é doce!
É a taça do pecado secreto. "As águas roubadas são doces e o pão
comido em segredo é agradável." Que doce aquele bocado,
comido sozinho! Houve algum que rolou tão delicadamente
debaixo da língua? Esse é o primeiro; depois disso, ele traz outro
- o vinho de uma consciência inquieta. Os olhos do homem estão
abertos. Ele diz: "O que eu fz? O que eu tenho feito? Ah", grita
Achan, "a primeira taça que você me trouxe, eu vi brilhando
naquela cunha de ouro, e uma boa veste babilônica; e eu pensei,
'Oh, eu devo ter isso;' mas agora meu pensamento é: O que devo
fazer para esconder isso, onde devo colocá-lo? Eu preciso cavar.
Ay, eu preciso cavar fundo como o inferno antes de esconder,
com certeza ele será descoberto. "
O governador cruel da festa está trazendo uma tigela enorme,
cheia de uma mistura preta. O pecador secreto bebe e fca
confuso; ele teme que seu pecado o encontre. Ele não tem paz,
nem felicidade, ele está cheio de medo inquieto; ele tem medo de
ser detectado. Ele sonha à noite que há alguém atrás dele; há
uma voz sussurrando em seu ouvido e dizendo: "Eu sei de tudo;
vou contar". Ele pensa, talvez, que o pecado que ele cometeu em
segredo se manifestará a seus amigos; o pai saberá disso, a mãe
saberá disso. Ai, pode até ser que o médico conte a história e
divulgue o segredo infeliz. Para tal homem não há descanso. Ele
está sempre com medo de ser preso. Ele é como o devedor de
quem tenho lido; que, devido a uma grande quantidade de
dinheiro, temia que os ofciais de justiça estivessem atrás dele: e,
certo dia, ao pegar a manga no topo de uma paliçada, disse:
"Deixe-me ir; estou com pressa. Vou te pague amanhã,
"imaginando que alguém estava se apoderando dele. Tal é a
posição em que o homem se coloca participando das coisas
ocultas da desonestidade e do pecado. Assim, ele não encontra
descanso para a sola de seu pé por medo de descoberta.
Finalmente a descoberta vem; é a última taça. Muitas vezes vem
na terra; por ter certeza que seu pecado vai te encontrar, e
geralmente você vai encontrar aqui. Que exibições assustadoras
devem ser vistas em nossos tribunais de polícia que são
obrigadas a beber o último rascunho negro de descoberta. O
homem que presidiu às reuniões religiosas, o homem que foi
honrado como um santo, é fnalmente desmascarado. E o que diz
o juiz - e o que diz o mundo dele? Ele é uma brincadeira, uma
reprovação e uma repreensão em todos os lugares. Mas, suponha
que ele seja tão habilidoso, que passe pela vida sem ser
descoberto - embora eu ache que é quase impossível - que copo
ele deve beber quando estiver fnalmente diante da barra de
Deus! "Traga-o para a frente, carcereiro! Medo terrível da
masmorra do inferno, conduza o prisioneiro." Ele vem! O mundo
inteiro está reunido: "Levante-se, senhor! Você não fez profssão
de religião? Nem todo corpo pensou em você como um santo?"
Ele está sem palavras. Mas muitos há nessa vasta multidão que
grita: "Nós achamos que ele é assim". O livro está aberto, seus
atos são lidos: transgressão após transgressão, tudo desnudado.
Você ouve isso? Os justos, movidos à indignação, levantam a voz
contra o homem que os enganou, e habitou entre eles como um
lobo em pele de ovelha. Oh, quão temeroso deve ser suportar o
desprezo do universo! O bem pode suportar o desprezo dos
ímpios, mas os ímpios suportarem a vergonha e o desprezo
eterno que a justa indignação amontoará sobre eles, será uma
das coisas mais terríveis, ao lado da eterna perseverança da ira
do Altíssimo. o qual, não preciso acrescentar, é a última taça da
terrível festa do diabo, com a qual o pecador mais secreto é
preenchido, para todo o sempre.

Eu paro agora, mas é apenas para reunir minhas forças para


implorar que qualquer coisa que eu tenha dito, que tenha o
menor impacto pessoal sobre qualquer um dos meus ouvintes,
não seja esquecido. Suplico-lhe, homens e irmãos, se agora você
está comendo a gordura, e bebendo o doce do banquete do
inferno, pare e refita o que será o fm? "O que semeia na carne,
da carne ceifará a corrupção. Quem semeia no espírito, do
espírito ceifará a vida eterna." Não posso poupar mais tempo do
que isso, com certeza.
II. Mas você deve me perdoar enquanto eu ocupar apenas alguns
minutos em levá-lo para a CASA DO SALVADOR, onde ele
banqueteia sua amada. Venha e sente-se conosco na mesa de
Cristo de providências exteriores. Ele não banqueteia seus flhos
segundo a moda do príncipe das trevas: pois a primeira taça que
Cristo lhes traz é com muita frequência um cálice de amargura.
Há seus próprios flhos amados, seus próprios redimidos; quem
tem, mas desculpa alegria. Jesus traz o cálice de pobreza e
afição, e ele faz seus próprios flhos beberem dele, até que eles
dizem: "Tu me embriagou de absinto e me encheste de
amargura". É assim que Cristo começa. O pior vinho primeiro.
Quando o sargento começa com um jovem recruta, ele lhe dá um
xelim e depois, depois, a marcha e a batalha. Mas Cristo nunca
leva seus recrutas assim. Eles devem contar o custo, para que
não comecem a construir e não consigam terminar. Ele procura
não ter discípulos que se deslumbrem com as primeiras
aparições. Ele começa mais ou menos com eles, e muitos foram
seus flhos que descobriram que o primeiro curso da mesa do
Redentor tem sido afição, tristeza, pobreza e carência.
Antigamente, quando os melhores do povo de Deus estavam à
mesa, ele os servia pior, pois perambulavam em peles de ovelhas
e peles de cabras, sendo indigentes, afitos, atormentados, dos
quais o mundo não era digno. e continuaram a beber dessas
taças amargas durante muitos dias; mas deixe-me dizer-lhe
depois que ele trouxe xícaras mais doces para eles, e você que
tem sido incomodado achou isso. Depois do cálice da afição,
vem o cálice da consolação e, oh, quão doce é isso! Tem sido
privilégio destes lábios beber aquele cálice depois da doença e da
dor; e eu posso dar testemunho, que disse do meu Mestre: "Tu
guardaste o melhor vinho até agora." Era tão delicioso que o
gosto dele tirou todo o gosto da amargura da tristeza; e eu disse:
"Certamente a amargura dessa doença já passou, pois o Senhor
se manifestou a mim e me deu seu melhor vinho". Mas, amado, o
melhor vinho está por vir. O povo de Deus vai achar isso tão
exteriormente. O pobre santo vem para morrer. O mestre lhe deu
a taça da pobreza, mas agora ele não bebe mais, ele é rico para
todas as intenções de bem-aventurança. Ele teve a taça da
doença; ele não beberá mais disto. Ele teve a taça de perseguição,
mas agora ele é glorifcado, junto com seu Mestre, e feito sentar-
se em seu trono. As melhores coisas vieram para ele em
circunstâncias externas. Havia dois mártires uma vez queimados
em Stratford-le-Bow; um deles era manco e o outro cego, e
quando estavam amarrados à estaca, o coxo pegou sua muleta e a
jogou no chão, e disse ao outro: "Anime-se, irmão, esse é o físico
afado que deve cure-nos, eu não serei coxo dentro de uma hora
deste tempo nem serás cego. " Não, as melhores coisas viriam
por último. Mas muitas vezes pensei que o flho de Deus é muito
parecido com os cruzados. Os cruzados iniciaram sua jornada, e
tiveram que abrir caminho através de muitos quilômetros de
inimigos e marchar através de ligas de perigo. Você se lembra,
talvez, na história, da história de que quando os exércitos do
duque de Bouillon chegaram à vista de Jerusalém, saltaram de
seus cavalos, bateram palmas e gritaram: "Jerusalém, Jerusalém,
Jerusalém". Esqueceram-se de todos os seus esforços, todo o
cansaço da jornada e todas as suas feridas, pois havia Jerusalém à
sua vista. E como o santo fnalmente gritará: "Jerusalém,
Jerusalém", quando todas as tristezas, todas as misérias e
enfermidades já passaram, e ele é abençoado com a
imortalidade. O vinho ruim - ruim eu disse? nem o vinho amargo
é tirado, e o melhor vinho é trazido, e o santo se vê glorifcado
para sempre com Cristo Jesus.
E agora, nos sentaremos à mesa da experiência interior. A
primeira taça que Cristo traz para seus flhos, quando se sentam
à mesa, é tão amarga que, talvez, nenhuma língua possa
descrevê-la - é o cálice da convicção. É uma taça negra, cheia da
mais intensa amargura. O apóstolo Paulo uma vez bebeu um
pouco disso, mas foi tão forte que o deixou cego por três dias. A
convicção de seu pecado dominou-o totalmente; ele só podia
entregar sua alma ao jejum e à oração, e foi somente quando
bebeu da xícara seguinte que as escamas caíram de seus olhos.
Bebi disto, flhos de Deus, e achei que Jesus era indelicado, mas,
em pouco tempo, ele me trouxe um cálice mais doce, o cálice de
seu amor perdoador, cheio do rico carmesim de seu precioso
sangue. Oh! o gosto daquele vinho está na minha boca nesta
mesma hora, pois o seu sabor é como o vinho do Líbano, que
permanece no barril durante muitos dias. Você não se lembra,
quando, depois de ter bebido a taça de tristeza, Jesus veio e
mostrou-lhe as mãos e o lado dele, e disse: "Pecador, eu morri
por ti e me dei por ti; crê em mim?" Você não se lembra como
você acreditou, e tomou um gole da taça e se curvou, acreditou
novamente e tomou um gole mais profundo, e disse: "Bendito
seja o nome de Deus desde agora e para sempre; e toda a terra
diga". Amém, porque quebrou as portas de bronze e cortou as
barras de ferro, e deixou os cativos soltos? Desde então, o
glorioso Mestre disse a você: "Amigo, suba mais alto!" e ele levou
você para lugares superiores nos melhores quartos, e ele deu-lhe
coisas mais doces. Eu não vou dizer a você, hoje, dos vinhos que
você bebeu. A esposa do Cântico de Salomão pode suprir a
defciência do meu sermão esta manhã. Ela bebeu do vinho
temperado da romã dele; e você também, naqueles momentos
altos e felizes quando teve comunhão com o Pai e com seu Filho,
Jesus Cristo. Mas demore um pouco, ele manteve o melhor vinho
ainda. Em breve chegarás perto das margens do Jordão, e então
você começará a beber do velho vinho do reino, que foi
bombardeado desde a fundação do mundo. A safra da agonia do
Salvador; a vindima do Getsêmani será em breve abordada para
você, o velho vinho do reino. Você veio para a terra "Beulah" e
começa a saborear o sabor dos vinhos das borras bem refnados.
Você sabe como Bunyan descreve o estado que faz fronteira com
o vale da morte. Era uma terra que mana leite e mel; uma terra
onde os anjos costumavam visitar os santos e trazer trouxas de
mirra da terra das especiarias. E agora o passo alto é dado, o
Senhor coloca o dedo em suas pálpebras e beija sua alma em
seus lábios. Onde você está agora? Em um mar de amor e vida,
bem-aventurança e imortalidade. "Ó Jesus, Jesus, Jesus, de fato
guardaste o melhor vinho até agora! Meu Mestre! Eu te vi no
sábado, mas este é um sábado eterno. Eu te encontrei na
congregação, mas esta é uma congregação que nunca mais
romperei, ó meu Mestre! Eu vi as promessas, mas este é o
cumprimento. Eu te abençoei por providências graciosas, mas
isso é algo mais do que todas estas: tu me deste graça, mas agora
tu deu-me glória, foste uma vez o meu escudo, mas agora és o
meu Sol. Estou à tua direita, onde há plenitude de alegria para
sempre, guardaste até agora o teu melhor vinho. Tudo o que eu
tinha antes era nada em comparação com isso. "
E, fnalmente, porque só o tempo me falha, eu poderia pregar
uma semana sobre este assunto. A mesa da comunhão é aquela
em que os flhos de Deus devem sentar-se. E a primeira coisa que
devem beber lá é a taça de comunhão com Cristo em seus
sofrimentos. Se queres vir à mesa de comunhão com Cristo,
primeiro deves beber o vinho do Calvário. Christian, a tua cabeça
mais ele coroou com espinhos. Tuas mãos devem ser perfuradas,
não quero dizer com unhas, mas espiritualmente tu deves ser
crucifcado com Cristo. Devemos sofrer com ele, ou então não
podemos reinar com ele; devemos trabalhar com ele primeiro,
devemos supor o vinho que o Pai lhe deu para beber, ou então
não podemos esperar chegar à melhor parte da festa. Depois de
beber do vinho de seus sofrimentos, e continuar a beber dele,
devemos beber do cálice de seus trabalhos, devemos ser
batizados com seu batismo, devemos trabalhar após as almas e
simpatizar com ele nessa ambição de seu coração. A salvação dos
pecadores, e depois disso ele nos dará a beber do cálice de suas
honras antecipadas. Aqui na terra teremos bom vinho em
comunhão com Cristo em sua ressurreição, em seus triunfos e
em suas vitórias, mas o melhor vinho virá por fm. Ó câmaras de
comunhão, seus portões se abriram para mim; mas eu só fui
capaz de olhar dentro deles; mas vem o dia em que, nas vossas
dobradiças de diamante, fareis para todo o sempre. e entrarei no
palácio do rei e não mais sairei. Ó cristão! em breve verás o rei
em sua beleza; tua cabeça logo estará em seu peito; tu logo
sentarás a seus pés com Maria; em breve fará como a esposa,
você o beijará com os beijos de seus lábios e sentirá que seu
amor é melhor que o vinho. Posso conceber vocês, irmãos, no
último momento de sua vida, ou melhor, no primeiro momento
de sua vida, dizendo: "Ele guardou o melhor vinho até agora".
Quando você começa a vê-lo cara a cara, quando você entra na
comunhão mais próxima, sem nada para perturbar ou distrair
você, então você dirá "O melhor vinho é guardado até agora".
Um santo estava morrendo uma vez, e outro que estava sentado
ao seu lado disse: "Adeus, irmão, eu nunca mais o verei na terra
dos vivos." "Oh", disse o moribundo, "eu te verei novamente na
terra dos viventes que está lá, para onde vou; esta é a terra dos
moribundos". Irmãos e irmãs, se nunca mais nos encontrarmos
na terra dos moribundos, temos esperança de que nos
encontremos na terra dos viventes e bebamos fnalmente o
último vinho.

Coleção administrada pelo Seminário Teológico Batista Centro-


Oeste. Hospedado por (mt) DV. Para ajuda e suporte, por favor
envie um email para help@spurgeon.org

Tradução: Google Translater


Organização e distribuição: blog. Palavras em Chamas
http://palavrasemchamas.blogspot.com