Você está na página 1de 5

ANEXO G

Regras para Avaliação de Aprendizado

Essas regras se destinam a orientar instrutores em como avaliar os participantes


de treinamento e outras ações de desenvolvimento.

1. Introdução/Objetivo

Este documento se destina a apresentar regras para a aplicação de avaliação de aprendizado em


treinamentos realizados.

Consoante com a Política de Treinamento e Procedimento de Treinamento, a avaliação de aprendizado


é uma prática que deve ser extensivamente aplicada nas atividades sejam elas internas ou externas.

A aplicação dessa diretriz compromete as partes envolvidas e corroboram para a melhoria da


performance profissional de nossos empregados, otimização dos resultados e retorno do investimento
previsto no Plano de Desenvolvimento de Recursos Humanos.

Os resultados obtidos de cada participante e em cada atividade são consolidados num indicador de
eficácia do programa de TQM e monitorado pela Direção da empresa e matriz.

Essas são razões fortes para que esse processo seja seguido com atenção, sobretudo pelos
fornecedores externos, a quem a integração de objetivos contribui para o fortalecimento da relação.

2. Base conceitual

A avaliação de aprendizado foi definida como método de avaliação de atividades de treinamento por
Donald Kirkpatrick em seu livro “Evaluation Training Methods – The four levels” e tem por finalidade:

- melhorar o comportamento do participante durante as atividades de treinamento;


- determinar o nível de retenção pós-curso;
- levantar a percepção do Instrutor sobre o aprendizado para eventuais ações posteriores.

Apesar de não ser infalível, um bom resultado no aprendizado é uma condição fundamental para a
aplicação do conteúdo e geração de resultados, uma vez que esforços extras deverão ser despendidos
se um resultado negativo ocorrer na execução do treinamento.

Regras para Avaliação de Aprendizado.doc © QualyPro Página 1 de 5


ANEXO G

Regras para Avaliação de Aprendizado

3. Responsabilidade pela aplicação

O planejamento, execução, correção e tabulação dos resultados devem ser feitos pelo instrutor, pela
entidade contratada ou pela Gerência que contratou o treinamento.

Nos casos de educação básica (1º e 2º grau, cursos técnicos, etc), certificação profissional (Ensaio Não
Destrutivos, CeQual, etc) ou treinamento regido por legislação (CNH, Segurança, etc), deve-se se
aplicar as regras definidas para tal.

A avaliação deve ser aplicada a todos os treinamentos internos e externos. As eventuais exceções
devem ser discutidas com a Analista de RH responsável pela execução da atividade e, em último caso,
com a Gerência da área de treinamento.

4. Planejamento da avaliação

O planejamento da avaliação deve ser feito durante a etapa de especificação do treinamento ou


proposta, devendo contemplar:

- métodos: avaliação escrita, prática, por observação ou a combinação dessas;


- instrumentos: provas, testes, simulações e valores de cada questão/exercício;
- critérios de aprovação: nota ou patamar mínimo de acerto para que o treinando possa ser
considerado aprovado ou apto;
- momento e duração: quando será(ão) aplicada a(s) avaliação(ões) e o tempo disponível
para sua realização;
- Avaliador: pessoa ou depto. que irá aplicar a avaliação, corrigir os testes escritos, tabular e
fornecer os resultados; o Avaliador pode ser um representante da entidade ministradora,
um representante do solicitante ou um representante de entidade isenta;
- registros: documento onde serão registrados os resultados;
- feed-back ao participante: decidir se os resultados serão fornecidos ao participante; se
positivo, por quem e quando;
- outras regras tais como execução individual ou em grupo, com ou sem consulta, etc.

Regras para Avaliação de Aprendizado.doc © QualyPro Página 2 de 5


ANEXO G

Regras para Avaliação de Aprendizado

5. Métodos de avaliação

a) Avaliação escrita
Utilizada para avaliar o nível de conhecimento obtido pelo participante. É recomendável que a
avaliação escrita tenha as seguintes características:

 Compreenda o conteúdo trabalhado durante o treinamento;


 Seja direcionada, sobretudo nos pontos chaves;
 Tenha exercícios diversificados para avaliar conceitos e aplicação;
 Seja seletiva, refletindo a real situação do aprendizado.

b) Avaliação prática
Utilizada para avaliar o nível de habilidade desenvolvido. A avaliação prática pressupõe que o
treinamento tenha sido também prático, contendo atividades lúdicas ou físicas destinadas a
desenvolver o sistema psico-motor.

É recomendável que a avaliação prática tenha as seguintes características:

 Seja o mais semelhante possível da situação real;


 Seja direcionada, sobretudo nos pontos chaves;
 Seja seletiva, refletindo a real situação do aprendizado.

c) Avaliação por observação


Utilizada sobretudo para avaliar as atitudes desenvolvidas durante o treinamento. Devido ao seu
caráter subjetivo, o Avaliador deve realizar a avaliação por observação baseada num check-list
previamente estabelecido onde deverão estar previstas as atitudes desejáveis e/ou indesejáveis num
exercício de simulação em sala de aula, Ciclo Vivencial de Aprendizagem ou situação real no local de
trabalho.

É recomendável que a avaliação por observação tenha as seguintes características:

 Seja o mais semelhante possível da situação real;


 Seja realizada dentro das condições psicosociais desejáveis;
 Seja direcionada, sobretudo nos pontos chaves;
 Seja seletiva, refletindo a real situação do aprendizado;

Regras para Avaliação de Aprendizado.doc © QualyPro Página 3 de 5


ANEXO G

Regras para Avaliação de Aprendizado

 Seja executada preferencialmente por mais de um Avaliador, com julgamento por consenso;
 Seja registrada de forma objetiva, utilizando check-list e preferencialmente utilizando uma
escala gradual de cumprimento do exercício.

A avaliação pode ser feita:

 Individualmente: se o participante precisa de independência na aplicação do conteúdo


aprendido;
 Em grupo: se a interação entre pessoas é o ponto determinante para a aplicação do conteúdo
aprendido;
 Sem consulta: se a retenção de conhecimento é preponderante na aplicação do conteúdo;
exemplos: primeiros socorros, rotinas de segurança, etc;
 Com consulta: se há diversidade grande de ferramentas, soluções, situações, classificações ou
rotinas que impeçam ou dificultam sua memorização numa situação real de aplicação.

O Avaliador pode combinar a avaliação em partes diferentes conforme a descrição acima, incluindo a
divisão entre parte escrita e parte prática.

6. Critérios de aprovação

Os critérios de aprovação devem ser definidos pelo solicitante do treinamento ou pela Analista
responsável, não havendo evidentemente critérios obrigatórios externos. Na impossibilidade de
determinação por essas partes, ela deve ser determinada pelo próprio instrutor.

O critério deve compreender:

 ponderação: distribuição da pontuação máxima, preferencialmente 100 pontos, nos exercícios


que compreendem a avaliação; os testes/exercícios que avaliam aspectos conceituais ou
práticos essenciais devem possuir pesos maiores que os demais;
 mínimo de acerto: pontuação mínima a ser atingida pelo(s) avaliado(s); o mínimo de acerto
pode incluir testes/exercícios que o avaliado jamais pode errar para ser considerado apto;
 segunda chance: planejamento de nova avaliação caso o(s) avaliado(s) não seja(m)
aprovado(s);

Regras para Avaliação de Aprendizado.doc © QualyPro Página 4 de 5


ANEXO G

Regras para Avaliação de Aprendizado

7. Tabulação e apresentação dos resultados

Os testes, exercícios e simulações devem ser corrigidos pelo Avaliador e os resultados tabulados
enviados à área de Treinamento que providenciará a eventual divulgação para a Gerência solicitante se
for o caso.

As notas devem ser individuais ou em grupo, conforme realizado na avaliação. A indicação de aprovado
e não aprovado deve ser informada, cabendo à área de Treinamento juntamente com a Gerência
solicitante fazer as considerações necessárias à utilização dessas informações. A média dos resultados
da turma deve ser calculada e informada na tabulação.

O relatório final deverá conter:

 tema/título do treinamento;
 número da turma (se houver);
 local;
 data de realização do treinamento e data da avaliação;
 nome do Instrutor;
 entidade ministrante;
 nome do Avaliador;
 métodos de avaliação;
 critérios de aprovação;
 julgamento do resultado: sugerimos “Suficiente” e “Insuficiente”;
 notas individuais ou dos grupos;
 média das notas;

Não é necessário o envio das provas, testes ou exercícios à área de Treinamento. O Avaliador, no
entanto deverá mantê-los por pelo menos 30 dias para eventual consulta.

8. Feed-back ao participante

A pessoa que tenha sido determinada deve dar o feed-back ao participante, se for o caso, conforme
definido e acordado previamente.

Regras para Avaliação de Aprendizado.doc © QualyPro Página 5 de 5