Você está na página 1de 38

1.

A ESTAF

2. Escoramento metálico

3. Projetos

4. Anexos
1. A ESTAF

• Fundação: 15/09/1976;
• Iniciou sua operação com a locação de Andaimes e Escoramentos;
• Em junho de 1999, fechou parceria com a GENIE Industries, hoje
pertencente a TEREX, trazendo Plataformas Aéreas para o NE;
• Em março de 2007, fechou parceria com a PASHAL, iniciando a locação
de Fôrmas;
• Filiais: Bahia (desde 2000), São Paulo (desde 2004)
e Minas Gerais (desde 2008).
2. Escoramento metálico

Escoramento metálico
um método sustentável
em obras de construção civil

AUTOR: Eng. Jorge José de Souza Pinto Junior


ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO

INTRODUÇÃO
JUSTIFICATIVAS
CONCEITOS, VANTAGENS E CUIDADOS
RESULTADOS DE PESQUISA DE CAMPO
REFERÊNCIAS
INTRODUÇÃO
Escoramento metálico componentes horizontais

componentes verticais
INTRODUÇÃO

Escoramento metálico, onde utilizá-lo?


JUSTIFICATIVA

 aumento na incidência de acidentes em obras com escoramento metálico


JUSTIFICATIVA

 complexidade na execução de montagem


JUSTIFICATIVA
 busca pela melhoria na qualidade dos serviços (projeto)
JUSTIFICATIVA
 falta abordagem científica às questões de escoramento

Pesquisar

Retroalimentar Por em prática

Corrigir Avaliar
JUSTIFICATIVA

atividade bastante utilizada, porém pouco pesquisada. Em Pernambuco,


sete empresas disputam o mercado, inclusive uma multinacional.
JUSTIFICATIVA
industrialização e racionalização da construção civil, surgimento de novos
produtos
CONCEITOS

ESCORAMENTO METÁLICO
“Conjunto de estruturas provisórias, construídas em geral por peças pré-
fabricadas destinadas a suportar seu peso próprio e peso da peça a ser
escorada, até que se torne autoportante, acrescentado de cargas adicionais de
trabalho, tais como ferramentas, equipamentos e equipe de execução”
(Pfeil, 1980)
ESCORAMENTO METÁLICO X MADEIRA

ALGUMAS DAS VANTAGENS NA UTILIZAÇÃO


possibilidade de muitos reaproveitamentos
ESCORAMENTO METÁLICO X MADEIRA

ALGUMAS VANTAGENS NA UTILIZAÇÃO


possui elevada resistência (absorção de carga); DETALHE

CARGA MÁXIMA ADMISSÍVEL POR POSTE = 3TN

7m
1.1
DETALHE

possui elevada resistência (absorção de car


VARIÁVEL

DIMENSÕES DO TRAPÉZIO
LARGURA = 1.17 m
ALTURA = 0.90 m, 1.20 m, 1.50 m.

BARRA DE LIGAÇÃO DE 1.17m

DIAGONAL DE 1.65m
ESCORAMENTO METÁLICO X MADEIRA

ALGUMAS VANTAGENS NA UTILIZAÇÃO


ocupa pouco espaço no armazenamento no canteiro
ESCORAMENTO METÁLICO X MADEIRA

ALGUMAS VANTAGENS NA UTILIZAÇÃO


impedem deslocamentos excessivos das bordas, evitando patologias nos
subsistemas (alvenaria, revestimento e etc.)
ESCORAMENTO METÁLICO X MADEIRA

ALGUMAS VANTAGENS NA UTILIZAÇÃO


favorecem a arquitetura dos projetos
ESCORAMENTO METÁLICO X MADEIRA

ALGUMAS VANTAGENS NA UTILIZAÇÃO


redução no consumo de forma e mão de obra em relação aos sistemas
convencionais (Souza, 2008)
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

ESCORAMENTO (MADEIRA X METÁLICO)


MADEIRA

Carga 10 20 30 40 kN/m2
% do volume
Consumo de madeira 4,70 5,90 7,10 8,20 escorado

Montagem de escoramento – 25 a 40 homem x hora/m3

(Pfeil, 1980)
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

ESCORAMENTO (MADEIRA X METÁLICO)


METÁLICO

Carga 10 20 30 40 kN/m2
% do volume
Consumo de Metálico 1,40 2,50 5,00 5,00 escorado

Montagem de escoramento – 04 a 06 homem x hora/m3

(Caderno de índices e consumo – Rohr)


EXPECTATIVAS DOS USUÁRIOS
Expectativas dos usuários pesquisadas em obras de construção civil de
Pernambuco:

ganho de produtividade
diminuição de espaço utilizado para armazenamento
ganhos com a questão ambiental
garantias de segurança em utilizar equipamento industrializado com
responsável técnico especializado
RESULTADOS PARCIAIS (04 EMPRESAS)

EXPECTATIVA DO USUÁRIO
prdutividade

economia de
espaço
redução no
impacto ambieltal
segurança e
confiabilidade
economia de
financeira
REFERÊNCIAS
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Informações e documentação:
referência: documentação. Rio de Janeiro, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575: Edifícios habitacionais de até


cinco pavimentos - desempenho. Rio de Janeiro, 2008.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15696: Formas e escoramentos para


estruturas de concreto – Projeto, dimensionamento e procedimentos executivos. Rio de Janeiro, 2009.

BATISTA, A.M., MASCIA N.T., 4., Porto Alegre. Cimbramentos metálicos. Sintomas patológicos.
Porto Alegre: Leme / Cpgec, 1997.

BATISTA, A.M., MASCIA N.T., 23., Campinas. Escoras metálicas empregadas em cimbramentos
para edificações e concreto armado. Campinas: Isbn, 2006.

BATISTA, A.M., MASCIA N.T., 48., Rio de Janeiro. Avaliação experimental de torres metálicas
utilizadas en escoramentos de estrutura de concreto. Rio de Janeiro: Ibracon, 2006.

JACSON PESSANHA DA SILVA (Brasil). Projetos e Cálculo Técnicas e equipamentos Mills. São
Paulo, 1990.
REFERÊNCIAS
JOSIANE SOUZA (Brasil) (Org.). Manual SH de fôrmas para concreto e escoramentos metálicos. São
Paulo: Pini, 2008.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed.
São Paulo: Atlas, 2009.

MITIDIERI FILHO, Claudio V; HELENE, Paulo R L. Avaliação de Desempenho de Componentes e


Elementos Construtivos Inovadores Destinados a Habitação. Proposições específicas à Avaliação de
Desempenho Estrutural. São Paulo: Epusp, 1998.

PFEIL, Walter. Cimbramentos. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Livros Técnicos S.a., 1987.

PFEIL, Walter; PFEIL, Michèle. Estruturas de Madeira. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos
Livros Técnicos S.a., 2008.

SANTOS, Fernando Rodrigues Dos et al. (Org.). Projeto de norma - Formas e escoramentos para
estrutura de concreto - Projeto, dimensionamento e procedimentos executivos. Disponível em:
<www.ufs.com.br/itatiba/mestrado>. Acesso em: 02 jun. 2009.
3. Projetos
NBR 15.696:2009 – Fôrmas e escoramentos para estruturas de concreto -
Projeto, dimensionamento e procedimentos executivos

Esta norma estabelece os procedimentos e condições que devem ser obedecidos na


execução das estruturas provisórias que servem de fôrma e escoramentos, para
execução de estruturas moldadas in loco.

•Especificar as cargas admissíveis dos equipamentos utilizados;


•Definir clara e exatamente o posicionamento de todos os elementos;
•Informar as características técnicas utilizadas no dimensionamento, quais sejam:
cargas, velocidade de lançamento, altura de concretagem e de vibração, metodologia
de lançamento, cargas nas bases de apoio, etc.;
•Ser detalhados com plantas, cortes, vistas e demais detalhes, de tal maneira que não
fiquem dúvidas para a correta execução da montagem
3. Projetos

• Andaime tipo fachadeiro


Obra: Hospital Memorial São José
3. Projetos

• Andaime tipo fachadeiro - Circular


Obra: Hospital Português
3. Projetos

• Andaime tubular convencional (circular)


Obra: Terphane – Air Liquid
3. Projetos

• Andaime estaflex
Obra: Engevix – Refinaria
3. Projetos

• Escoramento tubular de encaixe


Obra: Schahin - Hospital Metropolitano Sul
3. Projetos

• Reescoramento tubular convencional


Obra: Saraiva Transportes – Viaduto de Suape
3. Projetos

• Fôrma metálica
Obra: Pirapama
4. Anexos
Memória de cálculo simplificada: Andaime fachadeiro
As cargas de serviço a serem consideradas são as seguintes:
• Peso próprio do andaime (altura de 24m): 480Kgf ou 240 Kgf por pé.
• Carga de pessoas (considerando a pior situação, ou seja, 8 pessoas em um mesmo andaime, de
acordo com informações do cliente): 560kgf ou 311kgf/m considerando um fachadeiro de
1,80m.
• Material: 300kgf/m

Ter-se-á a seguinte situação, em uma vista frontal, para o primeiro quadro:


Q =240Kgf Q =240Kgf
Q=611 Kgf/m

A B
As reações de apoio serão:
RA= RB=611x1, 8/2 + 240 ~ 780kgf
Ou seja, a reação nos apoios será de, aproximadamente, igual a 780kgf, para uma situação pouco
provável de ocorrer na obra.
Segundo recomendações da NBR 8800, o valor da carga máxima admissível em função do
comprimento de flambagem, por poste é de 3000kgf. Considerando os efeitos de estabilidade,
amarrações e conexões entre os quadros do fachadeiro, é recomendável a utilização de uma
carga admissível de 2000kgf, por poste.
4. Anexos
Memória de cálculo simplificada: Tubular de encaixe

Para lajes com espessura de 0,14m, temos:


Qt =0,14 x 2.500 + 200 = 550 Kgf/m²

Para as vigas secundárias de 3”(três polegadas) na laje:


Iremos adotar o espaçamento de 0,40m (distância entre eixos) para as vigas secundárias de 3”, logo a carga será:
q = 550Kgf/m² x 0,40m = 220,00Kgf/m

Cálculo do momento:

M = q.L² = 220,00 x 1,90² ~ 100Kgf.m


8 8
O vão máximo de acordo com o projeto é de L = 1,90m, sendo assim atende aos quesitos acima no que diz respeito
ao vão, suportando a carga de projeto.
O momento máximo admissível para a nossa viga de 3” é de: Madm=180,00 Kgf.m, onde no cálculo chegamos a um
momento máximo de 100kgf.m, atendendo também a este quesito.
Logo concluímos que o espaçamento de 0,40m e o vão de 1,90m são suficientes para atender ao perfeito
funcionamento do escoramento da viga de 3”.

Cálculo da flecha máxima:

F adm = 2100/500 +1 = 5,20mm;


F cal= 5 q L4 / (384 E.I) = 5 x (550 x 0, 40) x 2,104 / (384 x 13.500) = 0,00413m = 4,13mm.
Concluímos também que o espaçamento de 0,40m e o vão de 2,10m são suficientes para atender ao perfeito
funcionamento do escoramento da viga de 3”.
A flecha máxima admissível é de 5,20mm e no cálculo chegamos a um valor máximo de 4,13mm, satisfazendo
também a esta exigência da NBR 15.696/2009.
4. Anexos

Para os Postes (mais carregados) :

A carga no postes:

P= 1,53 x 1,68 x 550 = 1.414,00kgf.

Segundo recomendações da NBR 8800, o valor da carga máxima admissível em função do comprimento de
flambagem, por poste é de 3.000,00 kgf. Considerando os efeitos de estabilidade, amarrações e
conexões, é recomendável a utilização de uma carga admissível de 2700,00 kgf, por poste.

Concluímos que todo o dimensionamento atende às recomendações da NBR 8800 e da NBR 15.696/2009.

Suponhamos a seguinte situação:

A carga no poste mais carregado:

P= 1,30 x 1,30 x 1.700 = 2.873,00kgf.

Se a torre se desloca em APENAS 10cm, teremos:

P= 1,30 x 1,40 x 1.700 = 3.094,00 0kgf. (CARGA ACIMA DO PERMITO EM NORMA) –

RISCO DE COLAPSO, OU SEJA, QUEDA DO ESCORAMENTO.


Pernambuco
Av. Presidente Kennedy, 4425, Aguazinha
Olinda – PE, 53270-320
(81) 3444-6300

Bahia
Av. Luis Tarquínio Pontes, Lote 12,
nº 1336, Lot. Bosques dos Quiosques,
Pitangueiras, Lauro de Freitas – BA, 42700-000
(71) 3369-1093

Minas Gerais
Rua Araraquara, 197, Vila Paris
Contagem – MG, 32372-020
(31) 3353-2010

São Paulo
Rua Araras, 16, Jd. Califórnia
Barueri – SP, 06409-050
(11) 4706-4800

www.estaf.com.br