Você está na página 1de 48

O TAMANHO DO

PROBLEMA
Doenças cardiovasculares
Total de mortes: 281.695/ano

AVC 89.489 80%

DAC 84.798 40%

Outras DCV 107.408

Hipertensão

Fonte: Datasus 2001


Dados Mundiais
Mortes em 2000 atribuíveis a fatores de risco selecionados

Hipertensão
Tabagismo
Colesterol elevado
Baixo Peso
Sexo não-seguro
Baixo consumo de vegetais
Obesidade
Sedentarismo
Alcoolismo
Água imprópria
Fumaça de combustível sólido (indoor)
Deficiência de ferro
Poluição urbana do ar
Deficiência de zinco
Deficiência de vitamina A
Injeções não-seguras no cuidado à saúde
Fatores de risco ocupacionais
0 1.000 2.000 3.000 4.000 5.000 6.000 7.000 8.000
Número de mortes (000s)

WHR 2002
O QUE É

HIPERTENSÃO ARTERIAL

OU PRESSÃO ALTA?
Hipertensão Arterial ou
Pressão Alta é quando a
pressão que o sangue faz na
parede das artérias, para ele
se movimentar, é muito
forte, ficando acima dos
limites normais.
Explicarei:

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
O sangue circula pelo corpo
humano graças ao efeito
impulsor do coração...

...Que atua como se


fosse uma bomba.

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
O coração trabalha em dois tempos
Quando se dilata Quando se contrai
(diástole) (sístole)
enche-se de sangue expulsa o sangue

DIÁSTOLE SÍSTOLE

Graças a esses movimentos de contração e dilatação o


sangue circula permanentemente
pelos vasos sangüíneos (artérias e veias).
A pressão arterial é a pressão que o sangue exerce
na parede das artérias. E é medida em milímetros
de mercúrio.
Ao se medir esta pressão
se determinam duas pressões: Quando o coração se
contrai temos uma
MÁXIMA pressão máxima
(sistólica)

MÍNIMA Quando ele se dilata


temos uma pressão
mínima
(diastólica)

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
EXISTE
UM NÚMERO
MÁGICO?
Segundo as V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial para
adultos considera-se pressões normais abaixo de 130 mmHg para
pressão máxima e abaixo de 85 mmHg para mínima

Os níveis pressóricos considerados ÓTIMOS são 120/80 mmHg


QUAL A CAUSA DA

HIPERTENSÃO ARTERIAL

OU PRESSÃO ALTA?
Na maioria das vezes não
conseguimos saber com precisão
a causa da hipertensão arterial,
mas sabemos que muitos fatores
tanto os não modificáveis como os
modificáveis podem ser
igualmente responsáveis.
FATORES NÃO MODIFICÁVEIS

HEREDITARIEDADE IDADE RAÇA


Algumas pessoas herdam a predisposição O envelhecimento A hipertensão é mais
à hipertensão arterial, que pode aumenta o risco da comum em pessoas da
apresentar-se em vários membros hipertensão arterial raça negra
de uma família. em ambos os sexos.
FATORES MODIFICÁVEIS

OBESIDADE
É um fator de risco para hipertensão
arterial
FATORES MODIFICÁVEIS
FATORES MODIFICÁVEIS
FATORES MODIFICÁVEIS

ESTRESSE
Excesso de trabalho,
angústia, preocupações e
ansiedade, podem ser
responsáveis pela
elevação da
pressão arterial.
MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
Dores de cabeça, hemorragia nasal,
cansaço excessivo, podem ser alguns.

Quanto às consequências algumas


podem ser bastante graves tais como:

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
Por que é importante fazer
o diagnóstico precoce e o
tratamento adequado da
hipertensão arterial ou
pressão alta?
CONSEQUÊNCIAS DA PRESSÃO ALTA

Derrame Diminuição
Cerebral da visão
por lesões
na retina
Desgaste
acelerado
no coração
por Doenças
no Coração
(infarto, insuficiência
cardíaca e arritmias)
Lesão
Dano sério nas
nos rins artérias
CONSEQUÊNCIA DA PRESSÃO ALTA

“Aumento da massa
muscular do coração.“
ISTO É RUIM !

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
CONSEQUÊNCIA DA PRESSÃO ALTA

“Artéria entupida.“

Artéria normal Artéria com


aterosclerose
CONSEQUÊNCIA DA PRESSÃO ALTA

“Dano sério nos rins.“

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
CONSEQUÊNCIA DA PRESSÃO ALTA

“Aumenta o risco de derrame“

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
CONSEQUÊNCIA DA PRESSÃO ALTA

“Diminuição da visão.“

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
Como tratar?
Bem, primeiro, para o indivíduo saber se é
hipertenso, basta medir sua pressão arterial

Após confirmado o aumento


da pressão arterial: você é
hipertenso.
Vamos ao tratamento!
Como pode ser o tratamento?

Não medicamentoso
ou mudanças no estilo
de vida

Medicamentoso
Sendo hipertenso, Esse tratamento poderá
estender-se por
com um tratamento toda a vida.
adequado, pode-se Nos casos em que o
controlar a indivíduo não
possa curar-se.
pressão arterial
levando o paciente
a ter uma vida
absolutamente
normal.
SEGUNDO:
Reduza a ingestão
PRACOMEÇAR:
Fuja do sal. de alimentos com
muitas calorias e
diminuam os
alimentos ricos em
gordura animal.
TERCEIRO: QUARTO:
Prefira alimentos Relaxe!
frescos. E que Muitas pessoas
tenham pouco sal. conseguem
controlar sua
pressão apenas
com alimentação
apropriada.
Permita-me agora, demonstrar o que
seria uma dieta para hipertensão arterial.

ALIMENTOS
RECOMENDADOS

- Frutas frescas e sucos


- Verduras frescas
- Aves
- Pescados
- Carnes magras
- Cereais
ALIMENTOS
NÃO RECOMENDADOS
- Frituras
- Creme de leite
- Maionese
- Frios
- Embutidos (salsicha,
linguiça, presunto,
mortadela, salame,
copa, etc.)
- Banha
- Enlatados

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
Deve-se parar totalmente
de usar bebida alcoólica.

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
Note bem, os exercícios físicos
devem ser orientados pelo Exercícios que exijam grandes
médico para que não sejam esforços físicos não são
prejudiciais. recomendados.

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
PRATIQUE

Caminhada pelo bairro


Por si só, eles não
diminuem a tensão
arterial, mas
contribuem para reduzir
o excesso de peso.
Conservar o bom
estado do coração
e artérias, aliviar
o estress e favorecer
o relaxamento.

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
Para finalizar,
falaremos sobre Não vá tomar remédios
os medicamentos que diminuem
que deverãoser a pressão arterial
indicados pelo médico, por conta própria, héin?
pois cada caso
é um caso.

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
É fundamental no tratamento
seguir todas as orientações
médicas e de toda a equipe
de saúde envolvida com o
tratamento
Não perder as consultas
agendadas
Não interromper o tratamento
Considerar sempre o médico e
todos os integrantes da equipe
de saúde, pessoas amigas e que
estão preocupadas com sua
saúde e qualidade de vida.
Fatores importantes
Fatores importantes na
na adesão
adesão
ao tratamento
1) Relacionados ao médico:
Relação médico-paciente difícil 2) Relacionados às medidas
Imposição de esquemas terapêuticos higieno- dietéticas:
complexos
Dieta hipossódica
Redução do peso corporal
3) Relacionados ao medicamento: A prática diária de exercício
A importância da tranquilidade
Número exagerado de medicamentos O uso discreto do álcool
Número exagerado de comprimidos
Necessidade de tratamento prolongado
Existência de efeitos colaterais
Preço elevado do medicamento

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
Fatores importantes
Fatores importantes na
na adesão
adesão
ao tratamento
4) Relacionados à doença:
Ausência de sintomas nas hiper-
tensões limítrofe, leve a moderada 5) Relacionados à instituição:
Ausência de conseqüências a curto Grande distância do domicílio
prazo Longo intervalo entre as consultas
Mudança freqüente de médico
6) Relacionados ao paciente: Esperas muito prolongadas
Baixo padrão cultural e de educação Mau atendimento
Ignorância sobre as conseqüências
da hipertensão
Ausência de apoio familiar
Impressão de já estar curado

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Coordenação de Doenças Crônico-Degenerativas
LEMBRE-SE:

 HIPERTENSÃO ARTERIAL NÃO


 TEM CURA, MAS TEM CONTROLE !

 NÃO ABANDONE O TRATAMENTO !


MUITO OBRIGADO !
Carlos Alberto Machado
carlos.a.machado@uol.com.br

www.apah.org.br
Estes slides podem ser usados desde que mantidos os nomes da Liga de Hipertensão do Belém e APAH.

Este material foi idealizado pela Equipe Multiprofissional da Liga de Hipertensão Arterial do
Belém -SP e da Associação Paulista de Assistência ao Hipertenso(APAH) com patrocínio
dos Laboratórios PFIZER