Você está na página 1de 1379

KPBM011405

Manual de Oficina

CARREGADEIRA
DE RODAS
WA380-6
NÚMEROS DE SÉRIE: WA380- 65001 e acima
Manual de Oficina SEN00123-05

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

00 Índice e prefácio
Índice
Composição do manual de oficina.............................................................................................................................. 2
Índice .......................................................................................................................................................................... 4

WA380-6 1
SEN00123-05 00 Índice e prefácio

Composição do manual de oficina


O conteúdo deste manual de oficina é apresentado juntamente com o Nº do Formulário em uma lista.
Nota 1: Mantenha sempre a última versão deste manual de acordo com essa lista e use-o da maneira apropriada.
As marcas mostradas à direita do Nº do Formulário trazem as seguintes indicações:
Q: Edição nova (a ser arquivada adicionalmente) q: Revisão (a ser substituída para cada Nº de Formulário)

Nota 2: Este manual de oficina pode ser fornecido para cada Nº de Formulário.
Nota 3: Para arquivar este manual de oficina na pasta especial para gerenciamento, manuseie-o da seguinte forma:
• Colocar um divisor no topo de cada seção no arquivo após combinar o Nº do tubo com o Nº indicado próximo
a cada Nome de Seção mostrado na tabela abaixo.
• Arquivar a apresentação geral e outros materiais nas seções, seguindo a ordem mostrada a seguir e utilizá-
los de forma correspondente.

Título da Seção Número do Formulário

Manual de Oficina, pasta de conteúdos, etiqueta e abas da pasta SEN00114-05

00 Índice e prefácio SEN00115-05


Índice SEN00123-05 q
Prefácio e informações gerais SEN00124-01

01 Especificações SEN00116-01
Especificações e dados técnicos SEN00125-01

10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção SEN00117-02


Motor e sistema de arrefecimento SEN01028-00
Trem de força SEN01029-01
Sistema direcional SEN01030-01
Sistema de freios SEN01031-01
Armação e material rodante SEN01032-00
Sistema hidráulico, parte 1 SEN01033-01
Sistema hidráulico, parte 2 SEN01034-01
Equipamento de trabalho SEN01035-01
Cabina e seus implementos SEN01036-01
Sistema elétrico, parte 1 SEN01037-01
Sistema elétrico, parte 2 SEN01038-01
Sistema elétrico, parte 3 SEN01039-01

20 Tabela de valores padrão SEN00118-00


Tabela de valores de serviço padrões SEN01244-00

30 Testes e ajustes SEN00119-00


Testes e ajustes, parte 1 SEN01245-00
Testes e ajustes, parte 2 SEN01246-00
Testes e ajustes, parte 3 SEN01247-00

40 Diagnóstico de falhas SEN00120-00


Informações gerais sobre o diagnóstico de falhas SEN01261-00
Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 1 SEN01248-00
Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 2 SEN01249-00
Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 3 SEN01250-00
Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 4 SEN01251-00

2 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00123-05

Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 5 SEN01252-00


Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 6 SEN01253-00
Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 7 SEN01254-00
Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 8 SEN01255-00
Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 9 SEN01256-00
Diagnóstico de falhas por código de falha (exibição do código), parte 10 SEN01257-00
Diagnóstico de falhas do sistema elétrico (modo E) SEN01258-00
Diagnóstico de falhas dos sistemas hidráulico e mecânico (modo H) SEN01259-00
Diagnóstico de falhas do motor (modo S) SEN01260-00

50 Desmontagem e montagem SEN00121-00


Informações gerais sobre desmontagem e montagem SEN01451-00
Motor e sistema de arrefecimento SEN01452-00
Trem de força SEN01453-00
Sistema direcional SEN01454-00
Sistema de freios SEN01455-00
Armação e material rodante SEN01456-00
Sistema hidráulico SEN01457-00
Equipamento de trabalho SEN01458-00
Cabina e seus implementos SEN01459-00
Sistema elétrico SEN01460-00

90 Diagramas e desenhos SEN00122-03


Diagramas e desenhos hidráulicos SEN00126-00
Diagramas e desenhos elétricos SEN00127-02 q

WA380-6 3
SEN00123-05 00 Índice e prefácio

Índice

00 Índice e prefácio
Índice ........ SEN00123-05
Composição do manual de oficina ..........................................................................................................................................2
Índice .......................................................................................................................................................................................4
Prefácio e informações gerais ................................................................................................................................... SEN00124-01
Informações sobre segurança .................................................................................................................................................2
Como ler o manual de oficina..................................................................................................................................................7
Explicações dos termos relacionados aos padrões de manutenção ......................................................................................9
Manuseio do equipamento elétrico e dos componentes hidráulicos .....................................................................................11
Como ler o código de fiação elétrica .....................................................................................................................................23
Precauções na execução das operações .............................................................................................................................26
Método de desmontagem e conexão do acoplador tipo dinamômetro .................................................................................29
Tabela de torques de aperto padrão .....................................................................................................................................32
Tabela de conversão .............................................................................................................................................................36

01 Especificações
Especificações e dados técnicos ....................................................................................................................... SEN00125-01
Especificações e dados técnicos .....................................................................................................................................3
Desenho das dimensões das especificações ..................................................................................................................3
Especificações .................................................................................................................................................................4
Tabela de pesos ...............................................................................................................................................................8
Tabela de combustível, líquido de arrefecimento e lubrificantes....................................................................................10

10 Estrutura, função e padrões de manutenção


Motor e sistema de arrefecimento ...................................................................................................................... SEN01028-00
Motor e sistema de arrefecimento....................................................................................................................................2
Montagem do motor e da transmissão.............................................................................................................................2
Sistema de arrefecimento ................................................................................................................................................3
Bomba do ventilador de arrefecimento ............................................................................................................................4
Motor do ventilador de arrefecimento ............................................................................................................................12
Trem de força ............................................................................................................................................................ SEN01029-01
Trem de força ..........................................................................................................................................................................3
Trem de força ..........................................................................................................................................................................3
Diagrama do sistema do trem de força ...................................................................................................................................4
Eixo de acionamento ...............................................................................................................................................................6
Diagrama da tubulação do trem de força ................................................................................................................................7
Conversor de torque................................................................................................................................................................8
Transmissão ..........................................................................................................................................................................16
Válvula de controle de fluxo ..................................................................................................................................................33
Conjunto da válvula ...............................................................................................................................................................34
ECMV ....................................................................................................................................................................................35
Válvula de alívio principal e válvula de alívio do conversor de torque ..................................................................................42
Eixos......................................................................................................................................................................................44
Eixo dianteiro.........................................................................................................................................................................44
Eixo traseiro ..........................................................................................................................................................................45
Diferencial .............................................................................................................................................................................46
Diferencial dianteiro...............................................................................................................................................................46
Diferencial traseiro ................................................................................................................................................................47
Diferencial com limite de patinagem .....................................................................................................................................51
Comando final .......................................................................................................................................................................58

Sistema direcional ..................................................................................................................................................... SEN01030-01


Sistema direcional ...................................................................................................................................................................3
Diagrama do sistema direcional .......................................................................................................................................3
Coluna da direção ............................................................................................................................................................4

4 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00123-05

Bomba do sistema direcional ...........................................................................................................................................5


Válvula do sistema direcional.........................................................................................................................................17
Válvula Orbit-roll.............................................................................................................................................................32
Válvula de parada ..........................................................................................................................................................36
Válvula de alívio do sistema direcional ..........................................................................................................................37
Cilindro do sistema direcional ........................................................................................................................................38
Motor do sistema direcional de emergência ..................................................................................................................40
Bomba do sistema direcional de emergência ................................................................................................................41
Articulação da alavanca de direção joystick ..................................................................................................................42
Alavanca elétrica de controle da direção .......................................................................................................................43
Válvula EPC da alavanca joystick ..................................................................................................................................44
Sistema de freios ....................................................................................................................................................... SEN01031-01
Sistema de freios.....................................................................................................................................................................2
Diagrama da tubulação dos freios ...................................................................................................................................2
Válvula de carga ..............................................................................................................................................................3
Válvula dos freios ...........................................................................................................................................................10
Acumulador (para os freios) ...........................................................................................................................................15
Freios .............................................................................................................................................................................16
Controle do freio de estacionamento .............................................................................................................................21
Freio de estacionamento................................................................................................................................................22
Válvula solenóide do freio de estacionamento...............................................................................................................24
Válvula de liberação de emergência do freio de estacionamento..................................................................................26
Material rodante e armação....................................................................................................................................... SEN01032-00
Material rodante e armação ....................................................................................................................................................2
Conjunto do eixo e pino de articulação central ................................................................................................................2
Pneus ...............................................................................................................................................................................6
Sistema hidráulico, parte 1 ........................................................................................................................................ SEN01033-01
Sistema hidráulico, parte 1 ......................................................................................................................................................2
Diagrama da tubulação hidráulica....................................................................................................................................2
Articulação da alavanca de controle do equipamento hidráulico .....................................................................................5
Reservatório hidráulico ....................................................................................................................................................8
Respiro .............................................................................................................................................................................9
Bomba do trem de força.................................................................................................................................................10
Bomba do equipamento de trabalho ..............................................................................................................................11
Válvula de controle do equipamento de trabalho ...........................................................................................................22
Sistema sensor de carga de centro fechado (CLSS) .....................................................................................................36
Visão geral do sistema CLSS ........................................................................................................................................36
Princípios básicos ..........................................................................................................................................................37
Funções e operações de cada uma das válvulas ..........................................................................................................40
Sistema hidráulico, parte 2 ........................................................................................................................................ SEN01034-01
Sistema hidráulico, parte 2 ......................................................................................................................................................2
Válvula PPC .....................................................................................................................................................................2
Válvula estabilizadora ......................................................................................................................................................8
Acumulador (para o circuito PPC)..................................................................................................................................13
Acumulador (para o sistema ECSS) ..............................................................................................................................14
Válvula solenóide de corte de PPC do equipamento de trabalho ..................................................................................15
Equipamento de trabalho ............................................................................................................................ SEN01035-01
Equipamento de trabalho .................................................................................................................................................2
Articulação do equipamento de trabalho..........................................................................................................................2
Caçamba ..........................................................................................................................................................................4
Posicionador da caçamba e limitador da lança................................................................................................................5
Cilindro do equipamento de trabalho .............................................................................................................................11
Cabina e seus implementos ...................................................................................................................................... SEN01036-01
Cabina e seus implementos ....................................................................................................................................................3
Cabina ..............................................................................................................................................................................3
Ar condicionado ...............................................................................................................................................................4

WA380-6 5
SEN00123-05 00 Índice e prefácio

Sistema elétrico, parte 1 ............................................................................................................................................ SEN01037-01


Sistema elétrico, parte 1..........................................................................................................................................................2
Sistema de monitoramento da máquina ..........................................................................................................................2
Monitor da máquina .........................................................................................................................................................6
Sistema elétrico, parte 2 ............................................................................................................................................ SEN01038-01
Sistema elétrico, parte 2..........................................................................................................................................................2
Sistema elétrico (sistema da controladora da transmissão) ............................................................................................2
Controladora da transmissão .........................................................................................................................................40
Sistema elétrico (sistema da controladora do equipamento de trabalho) ......................................................................42
Controladora do equipamento de trabalho.....................................................................................................................48
Sistema elétrico, parte 3 ............................................................................................................................................ SEN01039-01
Sistema elétrico, parte 3..........................................................................................................................................................4
Controle elétrico da transmissão......................................................................................................................................4
Interruptor de descida rápida e interruptor da posição manter ........................................................................................8
Interruptor de cancelamento do medidor de carga e interruptor subtotalizador do medidor de carga ............................8
Sistema do terminal KOMTRAX.....................................................................................................................................12
Circuito de partida do motor ...........................................................................................................................................14
Circuito de parada do motor...........................................................................................................................................16
Circuito do sistema de pré-aquecimento........................................................................................................................17
Circuito seletor do modo de potência do motor .............................................................................................................18
Função de redução na potência de saída do motor.......................................................................................................19
Função de aquecimento automático ..............................................................................................................................19
Circuito do freio de estacionamento...............................................................................................................................20
Sensores ........................................................................................................................................................................22

Tabela de valores de serviço padrão ........................................................................................................................ SEN01244-00


Tabela de valores de serviço padrão ..............................................................................................................................2
Tabela de valores de serviço padrão para o motor ..........................................................................................................2
Tabela de valores de serviço padrão para o chassi .........................................................................................................3

30 Testes e ajustes
Testes e ajustes, parte 1 .................................................................................................................................... SEN01245-00
Testes e ajustes, parte 1 ..................................................................................................................................................3
Ferramentas para testes, ajustes e diagnósticos de falhas .............................................................................................3
Medição da rotação do motor ..........................................................................................................................................6
Medição da cor do gás do escapamento .........................................................................................................................8
Ajuste da folga das válvulas...........................................................................................................................................10
Medição da pressão de compressão .............................................................................................................................12
Medição da pressão de sopro no cárter.........................................................................................................................15
Medição da pressão de óleo do motor ...........................................................................................................................16
Medição da pressão do ar de admissão (pressão de reforço) .......................................................................................17
Manuseio do equipamento do sistema de combustível .................................................................................................18
Liberação da pressão residual do sistema de combustível ...........................................................................................18
Medição da pressão de combustível..............................................................................................................................19
Medição da taxa de retorno do combustível e volume de vazamento ...........................................................................21
Sangria de ar do circuito de combustível .......................................................................................................................24
Teste de vazamento no circuito de combustível ............................................................................................................26
Manuseio da operação do modo cilindro reduzido ........................................................................................................27
Manuseio da operação de partida sem injeção .............................................................................................................27
Manuseio do circuito de tensão da controladora ...........................................................................................................28
Teste e ajuste da tensão da correia do compressor do ar condicionado .......................................................................29
Ajuste do sensor de velocidade da transmissão ............................................................................................................30
Medição da alavanca de controle direcional ..................................................................................................................31
Medição e ajuste da pressão do óleo do trem de força .................................................................................................32
Procedimento de lavagem do conversor de torque e do circuito hidráulico da transmissão .........................................47

6 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00123-05

Método para colocar a máquina em movimento quando a válvula da transmissão encontra-se quebrada ..................48
Testes e ajustes da válvula de parada da direção .........................................................................................................50
Testes e ajustes do volante da direção ..........................................................................................................................52
Testes e ajustes da pressão do óleo ..............................................................................................................................54
Sangria de ar do circuito da direção ..............................................................................................................................57
Testes e ajustes, parte 2............................................................................................................................................ SEN01246-00
Testes e ajustes, parte 2 .........................................................................................................................................................3
Teste do ventilador de acionamento hidráulico ................................................................................................................3
Sangria de ar do circuito do ventilador de acionamento hidráulico..................................................................................5
Medição do pedal de freio ................................................................................................................................................7
Medição do desempenho do pedal ..................................................................................................................................8
Teste e ajuste da pressão de carga do acumulador ........................................................................................................9
Teste da pressão do óleo do freio das rodas .................................................................................................................10
Medição do desgaste do disco de freio das rodas .........................................................................................................12
Sangria de ar do circuito do freio das rodas ..................................................................................................................13
Liberação da pressão residual no circuito do acumulador dos freios ............................................................................14
Teste do desempenho do freio de estacionamento .......................................................................................................15
Medição da pressão do óleo do freio de estacionamento..............................................................................................16
Teste do desgaste do disco do freio de estacionamento ...............................................................................................18
Método de liberação manual do freio de estacionamento .............................................................................................19
Medição e ajuste da alavanca de controle do equipamento de trabalho .......................................................................20
Medição e ajuste da pressão do óleo PPC do equipamento de trabalho ......................................................................21
Medição e ajuste da pressão do óleo do equipamento de trabalho...............................................................................24
Sangria de ar do circuito do equipamento de trabalho ..................................................................................................28
Liberação da pressão residual no circuito do equipamento de trabalho ........................................................................29
Teste e ajuste do posicionador da caçamba ..................................................................................................................30
Teste e ajuste do limitador da lança ...............................................................................................................................32
Verificação da luz piloto de operação do interruptor de controle de aproximação.........................................................33
Procedimento de teste dos diodos ................................................................................................................................34
Trabalho preparatório para o diagnóstico de falhas do sistema elétrico ........................................................................35
Como iniciar as operações do terminal KOMTRAX .......................................................................................................40
Visor do terminal KOMTRAX .........................................................................................................................................45
Ajuste do monitor da máquina .......................................................................................................................................48
Ajuste pelo monitor da máquina da controladora, sensor, etc., substituído, remontado ou adicionado ........................49
Testes e ajustes, parte 3............................................................................................................................................ SEN01247-00
Testes e ajustes, parte 3 .........................................................................................................................................................2
Funções especiais do monitor da máquina (EMMS) .......................................................................................................2
Tabela de inspeções de análise clínica do óleo - Pm ....................................................................................................61

40 Diagnóstico de falhas
Informações gerais sobre o diagnóstico de falhas ............................................................................................. SEN01261-00
Informações gerais sobre o diagnóstico de falhas ...........................................................................................................2
Pontos a serem lembrados ao realizar o diagnóstico de falhas.......................................................................................2
Seqüência de eventos no diagnóstico de falhas ..............................................................................................................3
Verificações antes de realizar o diagnóstico de falhas ....................................................................................................4
Classificação e procedimentos para a realização do diagnóstico de falhas ....................................................................5
Tabela de conexão para números de pinos dos conectores ............................................................................................8
Caixa do adaptador T e tabela do adaptador T..............................................................................................................31
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 1 ...................................................... SEN01248-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 1 ....................................................................3
Tabela de códigos de falha......................................................................................................................................................3
Antes de diagnosticar as falhas do sistema elétrico .............................................................................................................10
Informações contidas na tabela de códigos de falha ............................................................................................................13
Código de falha [1500L0] (Transmissão TORQFLOW: engate duplo) ..................................................................................15
Código de falha [15SAL1] (Embreagem F da ECMV: sinal de enchimento aceso quando a corrente de comando está ...........................
desligada) ...............................................................................................................................................................................16
Código de falha [15SALH] (Embreagem F da ECMV: sinal de enchimento apagado quando a corrente de ...................
comando está ligada) .....................................................................................................................................................18
WA380-6 7
SEN00123-05 00 Índice e prefácio

Código de falha [15SBL1] (Embreagem R da ECMV: Quando a corrente de comando está desligada, o sinal de enchimento está aceso ..................20
Código de falha [15SBLH] (Embreagem R da ECMV: Quando a corrente de comando está ligada, o sinal de enchimento está apagado.22
Código de falha [15SEL1] (1ª embreagem da ECMV: Quando a corrente de comando está desligada, o sinal de enchimento está aceso .........24
Código de falha [15SELH] (1ª embreagem da ECMV: Quando a corrente de comando está ligada, o sinal de enchimento está apagado.26
Código de falha [15SFL1] (2ª embreagem da ECMV: Quando a corrente de comando está desligada, o sinal de enchimento está aceso 28
Código de falha [15SFLH] (2ª embreagem da ECMV: Quando a corrente de comando está ligada, o sinal de enchimento está apagado.30
Código de falha [15SGL1] (3ª embreagem da ECMV: Quando a corrente de comando está desligada, o sinal de enchimento está aceso 32
Código de falha [15SGLH] (3ª embreagem da ECMV: Quando a corrente de comando está ligada, o sinal de enchimento está apagado 34
Código de falha [15SHL1] (4ª embreagem da ECMV: Quando a corrente de comando está desligada, o sinal de enchimento está aceso 36
Código de falha [15SHLH] (4ª embreagem da ECMV: Quando a corrente de comando está ligada, o sinal de enchimento está apagado 38
Código de falha [2F00MA] (Freio de estacionamento: mau funcionamento) ...............................................................................40
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 2 ...................................................... SEN01249-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 2 ...........................................................................4
Código de falha [2G43ZG] (Acumulador: baixa pressão do óleo) ..................................................................................................4
Código de falha [AA1ANX] (Purificador de ar: obstrução)..............................................................................................................6
Código de falha [AB00L6] (Alternador: sinal incompatível com o estado operacional do motor) ..................................................8
Código de falha [AB00MA] (Alternador: mau funcionamento)......................................................................................................10
Código de falha [B@BAZG] (Redução da rotação pela baixa pressão do óleo do motor) ..........................................................12
Código de falha [B@BAZK] (Óleo do motor: baixo nível) ............................................................................................................13
Código de falha [B@BCNS] (Líquido de arrefecimento: superaquecimento) ..............................................................................14
Código de falha [B@BCZK] (Líquido de arrefecimento: nível baixo) ...........................................................................................16
Código de falha [B@C7NS] (Óleo dos freios: superaquecimento) ..............................................................................................18
Código de falha [b@CENS] (Óleo do conversor de torque: superaquecimento) .........................................................................20
Código de falha [B@CENS] (Óleo do conversor de torque: superaquecimento).........................................................................22
Código de falha [B@HANS] (Óleo hidráulico: superaquecimento ...............................................................................................24
Código de falha [CA111] (Anormalidade na controladora do motor) ............................................................................................26
Código de falha [CA115] (Erro no sensor de rotação em N ou à ré do motor).............................................................................27
Código de falha [CA122] (Erro para mais no sensor de pressão de carga) .................................................................................28
Código de falha [CA123] (Erro para menos no sensor de pressão de carga) .............................................................................30
Código de falha [CA131] (Erro para mais no sensor do estrangulamento do circuito do acelerador) .........................................32
Código de falha [CA132] (Erro para menos no sensor do estrangulamento do circuito do acelerador) ......................................34
Código de falha [CA144] (Erro para mais no sensor do líquido de arrefecimento) ......................................................................36
Código de falha [CA145] (Erro para menos no sensor do líquido de arrefecimento) ...................................................................38
Código de falha [CA153] (Erro para mais no sensor de temperatura de carga) ..........................................................................40
Código de falha [CA154] (Erro para menos no sensor de temperatura de carga) .......................................................................42
Código de falha [CA155] (Diminuição da rotação em função de anormalidade na alta temperatura de carga) ..........................44
Código de falha [CA187] (Erro para menos na alimentação de força 2 do sensor) .....................................................................46
Código de falha [CA221] (Erro para mais no sensor da pressão atmosférica) ............................................................................48
Código de falha [CA222] (Erro para menos no sensor da pressão atmosférica) .........................................................................50
Código de falha [CA227] (Erro para mais na alimentação de força 2 do sensor) ........................................................................52
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 3 ...................................................... SEN01250-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 3 ...........................................................................3
Código de falha [CA234] (Rotação excessiva do motor)................................................................................................................3
Código de falha [CA238] (Erro para menos na alimentação de força do sensor de rotação em Neutro) ......................................4
Código de falha [CA271] (Curto-circuito da PCV1) ........................................................................................................................5
Código de falha [CA272] (Desconexão da PCV1)..........................................................................................................................6
Código de falha [CA322] (Curto-circuito/circuito aberto do injetor nº 1 (L/B #1) ............................................................................8
Código de falha [CA323] (Curto-circuito/circuito aberto do injetor nº 5 (L/B #5) ..........................................................................10
Código de falha [CA324] (Curto-circuito/circuito aberto do injetor nº 3 (L/B #3) ..........................................................................12
Código de falha [CA325] (Curto-circuito/circuito aberto do injetor nº 6 (L/B #6) ..........................................................................14
Código de falha [CA331] (Curto-circuito/circuito aberto do injetor nº 2 (L/B #2) ..........................................................................16
Código de falha [CA332] (Curto-circuito/circuito aberto do injetor nº 4 (L/B #4) ..........................................................................18
Código de falha [CA342] (Inconsistência no código de calibração) .............................................................................................20
Código de falha [CA351] (Erro no circuito de acionamento dos injetores) ...................................................................................21
Código de falha [CA352] (Erro para menos na alimentação de força 1 do sensor) .....................................................................23
Código de falha [CA386] (Erro para mais na alimentação de força 1 do sensor) ........................................................................25
Código de falha [CA428] (Nível anormalmente alto do sensor de água) .....................................................................................26

8 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00123-05

Código de falha [CA429] (Nível anormalmente baixo do sensor de água) ....................................................................28


Código de falha [CA431] (Erro no interruptor de validação do deslocamento em marcha lenta) ..................................30
Código de falha [CA432] (Erro na ação de validação do deslocamento em marcha lenta)...........................................32
Código de falha [CA435] (Erro no interruptor da pressão de óleo do motor).................................................................34
Código de falha [CA441] (Erro de baixa tensão da bateria) ..........................................................................................35
Código de falha [CA442] (Erro de alta tensão da bateria) .............................................................................................38
Código de falha [CA449] Erro 2 de alta pressão do sistema “Common rail” .................................................................40
Código de falha [CA451] (Erro para mais no sensor de pressão do sistema “Common rail”) .......................................41
Código de falha [CA452] (Erro para menos no sensor de pressão do sistema “Common rail”) ....................................43
Código de falha [CA488] (Redução do torque devido à temperatura de carga excessivamente alta) ..........................45
Código de falha [CA553] (Erro de alta pressão do sistema “Common rail”) ..................................................................46
Código de falha [CA559] (Erro de pressão da bomba de alimentação excessivamente baixa) ....................................47
Código de falha [CA689] (Erro no sensor de rotação em Neutro do motor) ..................................................................48
Código de falha [CA731] (Erro de fase no sensor de rotação do motor em marcha à ré) .............................................50
Código de falha [CA757] (Erro de perda de todos os dados contínuos)........................................................................51
Código de falha [CA778] (Erro no sensor de rotação do motor em marcha à ré)..........................................................54
Código de falha [CA1117] (Erro de perda parcial de dados da controladora do motor) ................................................56
Código de falha [CA1633] (Erro de interrupção no datalink KOMNET) .........................................................................59
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 4 SEN01251-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 4 ....................................................................3
Código de falha [CA2185] (Erro de alta tensão na alimentação do sensor do estrangulamento do circuito do acelerador) ..3
Código de falha [CA2186] (Erro de baixa tensão na alimentação do sensor do estrangulamento do circuito do acelerador) 4
Código de falha [CA2249] (Erro 2 de pressão excessivamente baixa na bomba de alimentação) .................................5
Código de falha [CA2311] (Anormalidade na solenóide do IMV) ....................................................................................6
Código de falha [CA2555] (Erro na desconexão no relé do aquecedor do ar de admissão) ..........................................8
Código de falha [CA2556] (Erro de curto-circuito no relé do aquecedor do ar de admissão)........................................10
Código de falha [D150KA] (Relé do sistema direcional de emergência: desconexão) ..................................................12
Código de falha [D150KB] (Relé do sistema direcional de emergência: curto-circuito).................................................14
Código de falha [D150KY] (Relé do sistema direcional de emergência: curto-circuito com a linha de suprimento de energia) ....16
Código de falha [D160KA] (Relé da lâmpada de marcha à ré: desconexão) ...............................................................18
Código de falha [D160KB] (Relé da lâmpada de marcha à ré: curto-circuito) ..............................................................20
Código de falha [D191KA] (Relé de segurança da posição neutra da alavanca joystick de controle direcional: desconexão) .....22
Código de falha [D191KB] (Relé de segurança da posição neutra da alavanca joystick de controle direcional: curto-circuito) .....24
Código de falha [D191KY] (Relé de segurança da posição neutra da alavanca joystick de controle direcional:
curto-circuito com a linha de .....................................................................................................suprimento de energia) 26
Código de falha [D192KA] (Solenóide do sistema ECSS: desconexão) .......................................................................28
Código de falha [D192KB] (Solenóide do sistema ECSS: curto-circuito) ......................................................................29
Código de falha [D192KY] (Solenóide do sistema ECSS: curto-circuito com a linha de suprimento de energia) .........30
Código de falha [D5ZHKA] (Sinal do terminal C: desconexão) .....................................................................................31
Código de falha [D5ZHKB] (Sinal do terminal C: curto-circuito) ....................................................................................35
Código de falha [D5ZHL6] (Sinal do terminal C: o sinal não corresponde ao estado do motor em
funcionamento ou parado) .............................................................................................................................................39
Código de falha [DA80L4] (Controladora do sistema de lubrificação automático: os sinais de LIG/DESL não são
correspondentes)..........................................................................................................................................................................42
Código de falha [DAF3KK] (Monitor da máquina: baixa tensão da fonte (entrada) .......................................................44
Código de falha [DAF5KP] (Monitor da máquina: baixa tensão de saída).....................................................................46
Código de falha [DAFRKR] (Comunicação CAN com o monitor da máquina:
comunicação defeituosa (anormalidade no sistema do componente de destino)) ........................................................49
Código de falha [DAQ0KK] (Controladora da transmissão: baixa tensão da fonte) ......................................................51
Código de falha [DAQ0KT] (Controladora da transmissão: anormalidade na controladora) ........................................53
Código de falha [DAQ2KK] (Linha de suprimento de energia da carga da controladora da transmissão:
baixa tensão da fonte (entrada)) .................................................................................................................................................54
Código de falha [DAQ9KQ] (Seleção do modelo da controladora da transmissão:
discrepância dos sinais de seleção do modelo) ..................................................................................................................56
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 5 SEN01252-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 5 ....................................................................3
Código de falha [DAQRKR] (Comunicação CAN com a controladora da transmissão:
comunicação defeituosa (anormalidade no ......................................................................................................................
sistema do componente de destino) ................................................................................................................................3

WA380-6 9
SEN00123-05 00 Índice e prefácio

Código de falha [DAQRMA] (Ajuste da opção da controladora da transmissão: mau funcionamento) ..................................5
Código de falha [DB2RKR] (Comunicação CAN com a controladora da transmissão:
comunicação defeituosa (anormalidade no sistema do componente de destino) ..............................................................6
Código de falha [DB99KQ] (Seleção de modelo da controladora do equipamento de trabalho:
discrepância nos sinais de seleção do modelo) ..............................................................................................................9
Código de falha [DB9RKR] (Comunicação CAN com a controladora do equipamento de trabalho: comunicação defeituosa
(anormalidade no sistema do componente de destino)) ................................................................................................10
Código de falha [DB9RMA] (Ajuste da opção da controladora do equipamento de trabalho: mau funcionamento).............12
Código de falha [DD15LD] Interruptor t (Interruptor 1 do painel): o interruptor se mantém pressionado por um longo período 14
Código de falha [DD16LD] Interruptor U (Interruptor 2 do painel): o interruptor se mantém pressionado por um longo período 16
Código de falha [DD17LD] Interruptor < (Interruptor 3 do painel): o interruptor se mantém pressionado por um longo período.. 18
Código de falha [DD18LD] Interruptor > (Interruptor 4 do painel): o interruptor se mantém pressionado por um longo período.. 20
Código de falha [DD1CLD] Interruptor subtotalizador do medidor de carga: o interruptor se mantém pressionado por um longo período .....22
Código de falha [DD1FLD] Interruptor seletor de modo do medidor de carga (A/B):
o interruptor se mantém pressionado por um longo período ............................................................................................24
Código de falha [DD1GLD] Interruptor seletor de modo do medidor de carga (+/–):
o interruptor se mantém pressionado por um longo período ...................................................................................................................26
Código de falha [DD1HLD] (Interruptor seletor de modo do medidor de carga:
Interruptor seletor de modo do medidor de carga) ........................................................................................................................ 28
Código de falha [DD1NLD] (Interruptor de inversão de sentido da rotação do ventilador: o interruptor se mantém pressionado
por um longo período) .................................................................................................................................................................30
Código de falha [DD1NL4] (Interruptor de inversão automática do sentido da rotação do ventilador: o interruptor se
mantém pressionado por um longo período) ...............................................................................................................................32
Código de falha [DDB6L4] (Interruptor do freio de estacionamento (Neutralizador): discrepância dos sinais LIG/DESL) ..34
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 6 SEN01253-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 6 ....................................................................4
Código de falha [DDK3KA] (Interruptor FNR direito: desconexão) ..................................................................................4
Código de falha [DDK6KA] (Interruptor da alavanca FNR: desconexão) .......................................................................7
Código de falha [DDK6KB] (Interruptor da alavanca FNR: curto-circuito) ....................................................................10
Código de falha [DDT0L4] (Interruptor seletor do modo de mudança de marcha: discrepância dos sinais LIG/DESL)12
Código de falha [DDT4LD] (Interruptor de corte da transmissão: o interruptor se mantém:
pressionado por um longo período) ...............................................................................................................................14
Código de falha [DDW9LD] (Interruptor de redução rápida de marcha: o interruptor se mantém
pressionado por um longo período) ...............................................................................................................................16
Código de falha [DDWLLD] (Interruptor da posição manter: o interruptor se mantém
pressionado por um longo período) ..............................................................................................................................18
Código de falha [DDY0LD] (Interruptor de cancelamento do medidor de carga: o interruptor se mantém
pressionado por um longo período) ..............................................................................................................................20
Código de falha [DF10KA] (Interruptor da alavanca de mudança da transmissão: desconexão) .................................22
Código de falha [DF10KB] (Interruptor da alavanca de mudança da transmissão: curto-circuito) ...............................26
Código de falha [DGF1KA] (Sensor da temperatura do óleo da transmissão: desconexão) ........................................28
Código de falha [DGF1KB] (Sensor da temperatura do óleo da transmissão: curto-circuito) .......................................30
Código de falha [DGH2KX] (Sensor da temperatura do óleo hidráulico: fora da faixa do sinal de entrada) .................32
Código de falha [DGR2KA] (Sensor da temperatura do óleo do freio traseiro: desconexão) .......................................34
Código de falha [DGR2KX] (Sensor da temperatura do óleo do freio traseiro: fora da faixa do sinal de entrada) .......36
Código de falha [DGT1KX] (Sensor da temperatura do óleo do conversor de torque: fora da faixa do sinal de entrada) .... 38
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 7 SEN01254-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 7 ....................................................................2
Código de falha [DHPCKX] (Sensor da pressão do fundo do cilindro do braço de elevação: fora da faixa do sinal de entrada)..... 2
Código de falha [DHPDKX] (Sensor da pressão do cabeçote do cilindro do braço de elevação: fora da faixa do sinal de entrada)4
Código de falha [DHT1KX] (Sensor da pressão de corte da transmissão: fora da faixa do sinal de entrada) ................6
Código de falha [DHT8KA] (Sensor de pressão da bomba do sistema direcional: desconexão) ....................................8
Código de falha [DHT8KB] (Sensor de pressão da bomba do sistema direcional: curto-circuito) .................................10
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 8 SEN01255-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 8 ....................................................................2
Código de falha [DLT3KA] (Sensor de rotação do eixo de saída da transmissão: desconexão) ....................................2
Código de falha [DLT3LC] (Sensor de rotação do eixo de saída da transmissão: fora da faixa do sinal de entrada) .....4
Código de falha [DT20KB] (Luz indicadora de corte da transmissão: curto-circuito) ......................................................6
Código de falha [DV00KB] (Alarme sonoro: curto-circuito) ..............................................................................................8
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 9 SEN01256-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 9 ....................................................................2
Código de falha [DW7BKA] (Solenóide de inversão de sentido de rotação do ventilador: desconexão) ........................2

10 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00123-05

Código de falha [DW7BKB] (Solenóide de inversão de sentido de rotação do ventilador: curto-circuito) .......................3
Código de falha [DW7BKY] (Solenóide de inversão de sentido de rotação do ventilador: curto-circuito com a linha de suprimento de ......
energia) ............................................................................................................................................................................4
Código de falha [DX16KA] (Solenóide EPC da bomba do ventilador: desconexão) .......................................................6
Código de falha [DX16KB] (Solenóide EPC da bomba do ventilador: curto-circuito) ......................................................7
Código de falha [DX16KY] (Solenóide EPC da bomba do ventilador: curto-circuito com a linha de suprimento de energia) 8
Código de falha [DXH1KA] (Solenóide ECMV de bloqueio: desconexão) ....................................................................10
Código de falha [DXH1KB] (Solenóide ECMV de bloqueio: curto-circuito)....................................................................12
Código de falha [DXH1KY] (Solenóide ECMV de bloqueio: curto-circuito com a linha de suprimento de energia) .....14
Código de falha [DXH4KA] (Solenóide ECMV da 1ª embreagem: desconexão) ..........................................................16
Código de falha [DXH4KB] (Solenóide ECMV da 1ª embreagem: curto-circuito) .........................................................18
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 10 .................................................... SEN01257-00
Diagnóstico de falhas segundo o código de falha (exibição do código), parte 10 ..................................................................4
Código de falha [DXH4KY] (Solenóide ECMV da 1ª embreagem: curto-circuito com a linha de suprimento de energia) ..... 4
Código de falha [DXH5KA] (Solenóide ECMV da 2ª embreagem: desconexão) ............................................................6
Código de falha [DXH5KB] (Solenóide ECMV da 2ª embreagem: curto-circuito)............................................................8
Código de falha [DXH5KY] (Solenóide ECMV da 2ª embreagem: curto-circuito com a linha de suprimento de energia) .... 10
Código de falha [DXH6KA] (Solenóide ECMV da 3ª embreagem: desconexão) ..........................................................12
Código de falha [DXH6KB] (Solenóide ECMV da 3ª embreagem: curto-circuito)..........................................................14
Código de falha [DXH6KY] (Solenóide ECMV da 3ª embreagem: curto-circuito com a linha de suprimento de energia) .... 16
Código de falha [DXH7KA] (Solenóide ECMV da embreagem de deslocamento à Ré: desconexão) ..........................18
Código de falha [DXH7KB] (Solenóide ECMV da embreagem de deslocamento à Ré: curto-circuito) ........................20
Código de falha [DXH7KY] (Solenóide ECMV da embreagem de deslocamento à Ré: curto-circuito com a linha de .....
suprimento de energia) ..................................................................................................................................................22
Código de falha [DXH8KA] (Solenóide ECMV da embreagem de deslocamento avante: desconexão) .......................24
Código de falha [DXH8KB] (Solenóide ECMV da embreagem de deslocamento avante: curto-circuito) ......................26
Código de falha [DXH8KY] (Solenóide ECMV da embreagem de deslocamento avante: curto-circuito com a linha de ..
suprimento de energia) ..................................................................................................................................................28
Código de falha [DXHHKA] (Solenóide ECMV da 4ª embreagem: desconexão) ..........................................................30
Código de falha [DXHHKB] (Solenóide ECMV da 4ª embreagem: curto-circuito) ........................................................32
Código de falha [DXHHKY] (Solenóide ECMV da 4ª embreagem: curto-circuito com a linha de suprimento de energia).... 34
Diagnóstico de falhas do sistema elétrico (Modo E) SEN01258-00
Diagnóstico de falhas do sistema elétrico (Modo E) ...............................................................................................................3
Antes de executar o diagnóstico de falhas do sistema elétrico .......................................................................................3
Informações relacionadas à tabela de diagnóstico de falhas ..........................................................................................6
E-1 O motor não dá partida..............................................................................................................................................7
E-2 O limpador do pára-brisa não funciona ...................................................................................................................14
E-3 O lavador dos vidros do pára-brisa não funciona ....................................................................................................18
E-4 Os faróis dianteiros, a luz de folga lateral, luz de ré e a luz da placa de licença não acendem ou não se apagam ....... 21
E-5 O farol de trabalho não acende ou não se apaga ...................................................................................................29
E-6 A luz do sinal de seta e a luz de sinalização de risco não acendem ou se apagam ...............................................34
E-7 A luz de freio não acende ou se mantém acesa ......................................................................................................40
E-8 A luz de ré não acende ou se mantém acesa..........................................................................................................42
E-9 O alarme de marcha à ré não soa ou se mantém soando ......................................................................................44
E-10 A buzina não soa ou se mantém soando...............................................................................................................46
E-11 O alarme sonoro não soa ou se mantém soando .................................................................................................48
E-12 O ar condicionado não funciona ou pára de funcionar ..........................................................................................50
E-13 O sistema KOMTRAX não funciona adequadamente ...........................................................................................53
Diagnóstico de falhas dos sistemas mecânico e hidráulico (Modo H) SEN01259-00
Diagnóstico de falhas dos sistemas mecânico e hidráulico (Modo H) ...................................................................................3
Método de utilização da tabela do diagnóstico de falhas.................................................................................................3
Tabela de causas e modos de falhas ...............................................................................................................................6
H-1 A máquina não funciona ..........................................................................................................................................10
H-2 O bloqueio do conversor de torque não pode ser desligado (o motor estola)
[máquinas equipadas com embreagem de bloqueio (item opcional)] ...........................................................................12
H-3 O bloqueio de conversor de torque não pode ser acionado [máquinas equipadas com embreagem de ..................
bloqueio (item opcional)] ................................................................................................................................................13
H-4 A velocidade de deslocamento está baixa, a força de propulsão está fraca, a capacidade de deslocamento ..........
na subida de um aclive está fraca, e não é possível efetuar a mudança de marcha ....................................................14
H-5 Produção de grande impacto nos momentos de partida ou mudanças de marcha ................................................16
H-6 Ocorre um grande retardo de tempo nos momentos de partida e mudanças de marcha .................................... 18

WA380-6 11
SEN00123-05 00 Índice e prefácio

H-7 A temperatura do óleo do conversor de torque está alta.........................................................................................20


H-8 A direção não gira....................................................................................................................................................21
H-9 A direção não gira [Máquinas equipadas com alavanca joystick de controle direcional (item opcional)]................22
H-10 A resposta da direção está lenta ...........................................................................................................................23
H-11 O giro e a resposta da direção estão ineficientes [Máquinas equipadas com alavanca joystick de controle direcional (item opcional)] ....24
H-12 A direção está pesada .........................................................................................................................................25
H-13 Ao ser manobrada, a máquina balança ou produz grande impacto ......................................................................26
H-14 Ao ser manobrada, a máquina balança ou produz grande impacto
[Máquinas equipadas com alavanca joystick de controle direcional (item opcional)] ....................................................27
H-15 O freio das rodas não funciona ou funciona de modo ineficiente .........................................................................28
H-16 O freio das rodas não é liberado ou arrasta ..........................................................................................................29
H-17 O freio de estacionamento não funciona ou não atua adequadamente................................................................30
H-18 O freio de estacionamento não é liberado ou arrasta (incluindo o sistema de liberação de emergência) ............31
H-19 O braço de elevação não é erguido ......................................................................................................................32
H-20 A velocidade do braço de elevação está baixa ou a força de elevação é insuficiente ..........................................33
H-21 Ao ser erguido, o braço de elevação passa a ser mover lentamente a uma altura específica .............................34
H-22 O cilindro do braço de elevação não é capaz de manter a caçamba baixada (flutuação da caçamba) ...............34
H-23 Grande caimento hidráulico do braço de elevação ...............................................................................................34
H-24 O braço de elevação oscila durante a operação ...................................................................................................34
H-25 A caçamba não é inclinada para trás ....................................................................................................................35
H-26 A velocidade da caçamba é baixa ou a força de inclinação para trás é insuficiente .............................................36
H-27 A caçamba passa a operar lentamente no meio da inclinação para trás ..............................................................37
H-28 O cilindro da caçamba não é capaz de manter a caçamba baixada.....................................................................37
H-29 Grande caimento hidráulico da caçamba ..............................................................................................................37
H-30 A caçamba oscila durante o deslocamento com carga (a válvula do equipamento de trabalho é
ajustada na posição “MANTER”) ...................................................................................................................................37
H-31 As alavancas de controle da caçamba e do braço de elevação não se movem com facilidade e estão pesadas38
H-32 Durante as operações da máquina, a rotação do motor diminui significativamente ou o motor estola ................39
H-33 É produzido um grande impacto quando o equipamento de trabalho inicia ou interrompe a sua movimentação 39
H-34 Quando o circuito do equipamento de trabalho é aliviado isoladamente, outro equipamento de trabalho se movimenta ....39
H-35 O sistema ECSS não funciona, produzindo passo e solavancos .........................................................................40
Diagnóstico de falhas do motor (Modo S) SEN01260-00
Diagnóstico de falhas do motor (Modo S) ...............................................................................................................................3
Método de utilização das tabelas do diagnóstico de falhas .............................................................................................3
S-1 O desempenho de partida é fraco .............................................................................................................................6
S-2 O motor não dá partida..............................................................................................................................................7
S-3 O motor não pega suavemente ...............................................................................................................................10
S-4 O motor morre durante as operações .....................................................................................................................11
S-5 O motor não gira suavemente .................................................................................................................................12
S-6 O motor não apresenta rendimento (ou falta potência) ...........................................................................................13
S-7 A fumaça do escapamento é preta (combustão incompleta)...................................................................................14
S-8 Consumo excessivo de óleo (ou a fumaça do escapamento está azul) .................................................................15
S-9 O óleo contamina-se rapidamente ..........................................................................................................................16
S-10 Consumo excessivo de combustível .....................................................................................................................17
S-11 Presença de óleo no líquido de arrefecimento (o líquido de arrefecimento espirra de volta ou o nível está caindo) .... 18
S-12 Queda na pressão de óleo ....................................................................................................................................19
S-13 O nível de óleo aumenta (entrada de líquido de arrefecimento ou combustível) ..................................................20
S-14 A temperatura do líquido de arrefecimento fica muito alta (superaquecimento) ...................................................21
S-15 Ocorrência de ruído anormal .................................................................................................................................22
S-16 A vibração é excessiva ..........................................................................................................................................23

50 Desmontagem e montagem
Informações gerais sobre desmontagem e montagem ...SEN01451-00
Informações gerais sobre desmontagem e montagem ....................................................................................................2
Como ler este manual ......................................................................................................................................................2
Lista de materiais de revestimento ..................................................................................................................................4
Lista de ferramentas especiais ........................................................................................................................................7

12 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00123-05

Motor e sistema de arrefecimento .. SEN01452-00


Motor e sistema de arrefecimento ................................................................................................................................ 2
Remoção e instalação do conjunto da bomba de alimentação de combustível2
Remoção e instalação do conjunto do injetor de combustíve .........................................................................................l4
Remoção e instalação do conjunto do cabeçote do cilindro ............................................................................................9
Remoção e instalação do capô do motor.......................................................................................................................18
Remoção e instalação do conjunto do radiador .............................................................................................................20
Remoção e instalação do pós-resfriador de ar ..............................................................................................................22
Remoção e instalação do conjunto do resfriador de óleo hidráulico..............................................................................24
Remoção e instalação do conjunto do motor26
Remoção e instalação do ventilador de arrefecimento e do conjunto do motor do ventilador.......................................31
Remoção e instalação do conjunto do reservatório de combustível ..............................................................................34
Trem de força SEN01453-00
Trem de força ..........................................................................................................................................................................2
Remoção e instalação do torque converter e do conjunto da transmissão .....................................................................2
Desmontagem e montagem do conjunto do conversor de torque (especificação padrão) .............................................8
Desmontagem e montagem do conjunto do conversor de torque (especificação com bloqueio) .................................12
Desmontagem e montagem do conjunto da transmissão ..............................................................................................18
Desmontagem e montagem do conjunto do pacote de embreagens da transmissão ...................................................33
Desmontagem e montagem do conjunto do freio de estacionamento ...........................................................................49
Remoção e instalação do conjunto do eixo dianteiro.....................................................................................................54
Remoção e instalação do eixo traseiro ..........................................................................................................................56
Desmontagem e montagem do alojamento do eixo.......................................................................................................59
Desmontagem e montagem do conjunto do diferencial .................................................................................................68
Sistema direcional SEN01454-00
Sistema direcional ...................................................................................................................................................................2
Remoção e instalação do conjunto da válvula de demanda do sistema direcional .........................................................2
Sistema de freios SEN01455-00
Sistema de freios.....................................................................................................................................................................2
Remoção e instalação dos discos e pratos do freio de estacionamento .........................................................................2
Material rodante e armação SEN01456-00
Material rodante e armação ....................................................................................................................................................2
Remoção e instalação do pino de articulação central......................................................................................................2
Remoção e instalação do contrapeso ............................................................................................................................10
Sistema hidráulico SEN01457-00
Sistema hidráulico ...................................................................................................................................................................2
Remoção e instalação do conjunto da válvula de controle do equipamento hidráulico ...................................................2
Remoção e instalação da bomba do trem de força e do conjunto da bomba do equipamento de trabalho ....................4
Remoção e instalação da bomba do sistema direcional e do conjunto da bomba do ventilador de arrefecimento.........5
Remoção e instalação do conjunto do reservatório hidráulico.........................................................................................6
Equipamento de trabalho SEN01458-00
Equipamento de trabalho ........................................................................................................................................................2
Remoção e instalação do conjunto do equipamento de trabalho ....................................................................................2
Desmontagem e montagem do cilindro hidráulico ...........................................................................................................6
Cabina e seus implementos SEN01459-00
Cabina e seus implementos ....................................................................................................................................................2
Remoção e instalação do conjunto da armação do piso e da cabina do operador .........................................................2
Remoção e instalação do vidro da cabina do operador (vidro fixo) ................................................................................5
Remoção e instalação do conjunto da unidade do ar condicionado ..............................................................................13
Sistema elétrico SEN01460-00
Sistema elétrico .......................................................................................................................................................................2
Remoção e instalação do conjunto da controladora do motor .........................................................................................2

WA380-6 13
SEN00123-05 00 Índice e prefácio

90 Diagramas e desenhos
Diagramas e desenhos hidráulicos ....SEN00126-00
Diagramas e desenhos hidráulicos ..................................................................................................................................2
Diagrama do circuito hidráulico do trem de força.............................................................................................................2
Diagrama do circuito hidráulico ........................................................................................................................................5

Diagramas e desenhos elétricos SEN00127-02


Diagramas e desenhos elétricos .............................................................................................................................................3
Diagrama do circuito elétrico (1/2) ..................................................................................................................................3
Diagrama do circuito elétrico (2/2) ..................................................................................................................................5
Diagrama da disposição dos conectores .........................................................................................................................7

14 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00123-05

WA380-6 15
Manual de Oficina SEN00124-01

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

00 Índice e prefácio
Prefácio e informações gerais
Observações sobre segurança.......................................................................................................................................... 2
Como ler o manual de oficina ............................................................................................................................................ 7
Explicações dos termos relacionados aos padrões de manutenção ................................................................................ 9
Manuseio do equipamento elétrico e componentes hidráulicos .......................................................................................11
Como ler o código de fiação elétrica ............................................................................................................................... 23
Precauções ao executar as operações ........................................................................................................................... 26
Método de desmontagem e conexão do acoplador tipo dinamômetro ........................................................................... 29
Tabela de torques de aperto padrão................................................................................................................................ 32
Tabela de conversões...................................................................................................................................................... 36

WA380-6 1
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

Observações relacionadas à segurança (Rev. 09/2006)

Observações importantes de segurança


Os serviços adequados de manutenção e reparos são extremamente importantes para uma operação segura da
máquina. As técnicas de manutenção e reparo recomendadas pela Komatsu e descritas neste manual são ao
mesmo tempo eficientes e seguras. Algumas dessas técnicas exigem o emprego de ferramentas especialmente
projetadas pela Komatsu para finalidades específicas.
Para evitar ferimento de operários, o símbolo k é utilizado para apontar precauções de segurança neste manual.
As orientações de cuidados que acompanham estes símbolos devem ser seguidas sempre com muita atenção.
Na ocorrência de qualquer situação de risco, considere em primeiro lugar as condições de segurança, para só
então tomar as ações necessárias para lidar com a situação.

1. Precauções gerais 7) Se forem necessários reparos com solda, tenha


k Os equívocos na operação são extremamente sempre um soldador treinado e experiente para
perigosos. Leia cuidadosamente o Manual de Ope- realizar o serviço. Ao realizar trabalhos de solda,
ração e Manutenção antes de operar a máquina. use sempre luvas de solda, avental, óculos de
1) Antes de fazer qualquer lubrificação ou trabalho de blindagem, capacete e outras roupas apropriadas
reparos, leia todas as placas de segurança fixadas para o trabalho de solda.
à máquina. Para informações sobre os locais onde 8) Antes de iniciar o trabalho, aqueça o seu corpo
estão as placas de segurança e para obter uma completamente para começar o trabalho em boas
explicação detalhada sobre as precauções a elas condições físicas.
relacionadas, consulte o Manual de Operação e
Manutenção. Pontos relacionados à segurança
2) Escolha um local na oficina de trabalho para
1 Boa disposição dos itens da oficina
guardar as ferramentas e as peças removidas.
Mantenha sempre as ferramentas e as peças em 2 Roupas de trabalho corretas
seus locais corretos. Conserve a área de trabalho 3 Observância ao padrão de trabalho
sempre limpa e certifique-se de que o chão esteja 4 Reprodução e verificação de sinais
livre de sujeira, água ou óleo. Fume apenas na
Proibição da operação e manuseio por trabalhadores não
área reservada e jamais durante o trabalho. 5
credenciados
3) Ao executar qualquer operação, use sempre
óculos de segurança e capacete. Não use roupas Verificação das condições de segurança antes do início
6
do trabalho
de trabalho muito folgadas, ou que estejam
faltando botões. Uso de óculos de proteção (para os trabalhos de limpeza
7
• Use sempre óculos de segurança ao bater em ou de retífica)
peças com um martelo. 8 Uso de óculos de proteção (para os trabalhos de solda)
• Use sempre óculos de segurança ao retificar 9 Boas condições físicas e preparo
peças com esmeril, etc.
Tomar precauções em relação ao trabalho com o qual não
4) Ao conduzir qualquer operação com dois ou mais 10
esteja muito habituado
trabalhadores, estabeleça sempre um acordo
sobre o procedimento de operação antes do seu
início. Informe os seus companheiros de trabalho 2. Preparativos para o trabalho
antes de iniciar qualquer etapa da operação e 1) Antes de adicionar óleo ou efetuar qualquer repa-
pendure placas de advertência com a mensagem ro, estacione a máquina sobre um terreno firme e
“EM CONSERTO” no compartimento do operador. plano, acione o freio de estacionamento e trave as
5) Somente trabalhadores especializados devem rodas ou esteiras com calços a fim de evitar que a
realizar o trabalho e as operações que necessitem máquina se movimente.
de licença ou qualificação. 2) Antes de iniciar o trabalho, baixe o equipamento
6) Mantenha todas as ferramentas em boas condi- de trabalho (lâmina, escarificador, caçamba, etc.)
ções, aprenda a maneira correta de utilizá-las e ao solo. Se isso não for possível, insira o pino
empregue as ferramentas apropriadas para cada de travamento ou utilize blocos para evitar que o
tipo de operação. Antes de iniciar o trabalho, faça equipamento de trabalho possa cair. Além disso,
uma verificação minuciosa das ferramentas, da certifique-se de travar todas as alavancas de con-
máquina, empilhadeira, carro de serviço, etc. trole e pendure sinais de advertência.

2 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

3) Ao proceder às operações de desmontagem ou 8) Ao remover a tubulação, não deixe que combustí-


montagem, apóie a máquina sobre blocos, maca- vel ou óleo seja derramado. Caso óleo ou combus-
cos ou cavaletes antes de iniciar o trabalho. tível respinguem no solo, limpe imediatamente. A
4) Remova toda a lama e óleo dos degraus ou de presença de combustível ou óleo no chão poderá
outros locais utilizados para entrar ou sair da torná-lo escorregadio ou até mesmo provocar um
máquina. Sempre utilize os corrimões, escadas início de incêndio.
ou degraus ao entrar ou sair da máquina. Jamais 9) Como regra geral, não use gasolina para lavar as
pule para dentro ou para fora da máquina. Se peças, nem para limpar as partes elétricas.
não for possível utilizar os corrimões, escadas ou 10) Certifique-se de montar todas as peças de volta
degraus, utilize um cavalete que proporcione um às suas posições originais. Substitua qualquer
apoio seguro. peça danificada, ou peças que não devem ser
reutlizadas por peças novas. Ao instalar as
3. Precauções durante o trabalho mangueiras e condutores, certifique-se de que
1) Antes de desconectar ou remover componentes não serão danificados pelo contato com outras
dos circuitos de óleo, água ou ar, libere completa- peças quando a máquina estiver em operação.
mente a pressão do circuito. Ao remover a tampa 11) Ao instalar mangueiras de alta pressão, verifique
do bocal de abastecimento de óleo, dos bujões de se não estão torcidas. É perigoso utilizar tubos da-
dreno ou dos bujões de captação da pressão de nificados, por isso seja muito cuidadoso ao insta-
óleo, solte-os devagar para evitar que o óleo jorre lar tubos nos circuitos de alta pressão. Além disso,
para fora com força. verifique se as peças de conexão estão instaladas
2) O líquido de arrefecimento e o óleo presentes da maneira correta.
nos circuitos se encontram em alta temperatura 12) Ao montar ou instalar as peças, sempre utilize
logo após o motor ser desligado, por isso tenha os torques de aperto especificados. Ao instalar
cuidado para não se queimar. Aguarde até que o peças de proteção como protetores, ou peças que
óleo e o líquido de arrefecimento resfriem antes de vibrem com violência ou girem em alta rotação,
realizar qualquer trabalho nos circuitos de água e seja bastante cuidadoso ao verificar se estão
de óleo. instaladas corretamente.
3) Antes de iniciar o trabalho, desligue o motor. 13) Ao alinhar dois orifícios, jamais insira seus dedos
Principalmente se estiver trabalhando sobre ou ou mesmo a sua mão. Tome cuidado para não
ao redor de uma peça giratória, mantenha o motor ficar com os dedos presos em um orifício.
desligado. Ao verificar a máquina sem antes ter 14) Ao medir a pressão hidráulica, verifique se as
desligado o motor (medição da pressão do óleo, peças de medição estão montadas corretamente.
velocidade de rotação, temperatura, etc.), tenha 15) Tome cuidado ao remover ou instalar as esteiras
muito cuidado para não ficar preso nas peças ou máquinas do tipo esteira. Ao ser removida, a
giratórias ou peças móveis. esteira se separa da armação repentinamente,
4) Antes de iniciar o trabalho, remova os cabos da por isso não deixe que ninguém permaneça em
bateria. Inicie sempre a remoção pelo cabo do qualquer uma de suas extremidades.
terminal negativo (-). 16) Se o motor for mantido em operação por um longo
5) Para levantar componentes pesados (acima de período em um local que não seja bem ventilado,
25 kg), utilize um guindaste ou uma ponte rolante. há o risco de envenenamento provocado pela
Antes de dar início ao trabalho, verifique se as fumaça. Por isso abra as portas e janelas para
amarrações (cabos de aço, ganchos e correntes) auxiliar na ventilação.
não estão danificadas. Utilize sempre equipamento
de ampla capacidade e instale-os nos locais
adequados. Opere o guindaste ou a ponte rolante
lentamente para evitar que o componente venha a
bater em qualquer outra peça. Não trabalhe com
nenhuma peça que ainda esteja suspensa pela
ponte rolante ou pelo guindaste.
6) Ao remover tampas pressurizadas ou comprimidas
por mola, deixe dois parafusos em posições
diagonais. Solte esses parafusos gradativa e
alternadamente para soltar a pressão, e só então
remova a tampa.
7) Ao remover componentes, tenha cuidado para
não partir ou danificar a fiação elétrica. Fiações
danificadas podem provocar incêndios.

WA380-6 3
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

4. Precauções para o trabalho de amarração e repro-


dução de sinais
1) Somente um trabalhador designado deverá fazer

Capacidade da carga (kN (kg))


os sinais, e os trabalhadores da equipe devem
se comunicar entre si freqüentemente. O sina-
lizador designado deverá reproduzir os sinais
especificados claramente e estar posicionado
em um local onde possa ser visto do assento do
operador, além de poder observar com facilidade
as condições do trabalho. O sinalizador deverá
permanecer sempre em frente à carga e orientar o
operador com segurança.
• Não se posicione embaixo da carga.
• Não pise sobre a carga. Ângulo de içamento (graus)
2) Verifique as amarrações antes de iniciar o trabalho
de içamento.
3) Use luvas durante o trabalho de amarração (dê 8) Ao instalar cabos de aço em uma carga angular,
preferência a luvas de couro, se disponíveis). aplique calços para proteger os cabos. Se a carga
4) Meça visualmente o peso da carga e verifique qual for propensa ao deslizamento, aplique material
o seu centro de gravidade. apropriado para evitar que isto ocorra.
5) Use uma amarração apropriada de acordo com o 9) Utilize os olhais específicos e prenda a eles os
peso da carga e com o método de amarração em- cabos, correntes, etc. utilizando adaptadores, etc.
pregado. Se forem utilizados cabos de aço muito 10) Instale os cabos de aço na parte média do gancho.
grossos para amarrar uma carga muito leve, ela • A amarração próxima à ponta do gancho
poderá deslizar e cair. poderá fazer com que o cabo de aço escape
6) Não amarre a carga com apenas um cabo. Se para fora do gancho durante o içamento. O
for amarrada dessa forma, a carga poderá girar e gancho possui a sua máxima resistência na
deslizar para fora do cabo. Instale 2 ou mais cabos parte média.
de aço em posições simétricas.
k A amarração com apenas um cabo de
aço poderá fazer com que a carga vire
durante o seu içamento, o cabo de aço
poderá enrolar ou mesmo a carga pode-
rá deslizar do cabo, saindo de sua posi-
ção original e vindo a causar um sério
acidente.
7) Limite o ângulo de içamento em 60°, como regra.
Não amarre uma carga pesada com cabos formando
um ângulo amplo de içamento a partir do gancho.
Ao suspender uma carga com dois cabos ou
mais, a força sujeita a cada cabo aumentará com
o ângulo de içamento. A tabela abaixo mostra a
variação da carga permissível em kN {kg}, quando
o içamento é feito com dois cabos, cada um dos
quais é capaz de erguer até 9,8 kN {1.000 kg} 11) Não utilize cabos de aço torcidos ou dobrados.
verticalmente, sob vários ângulos de içamento. 12) Ao elevar uma carga, observe os seguintes itens:
Quando os dois cabos suspendem uma carga • Suspenda o guindaste até que os cabos de
verticalmente, até 19,6 kN {2.000 kg} da carga aço estejam esticados. Ao ajustar os cabos
total podem ser suspensos. Este peso é reduzido com as mãos, não os enrole e sim pressione-
para 9,8 kN {1,000 kg} quando os dois cabos os a partir de cima. Se você segurá-los,
formam um ângulo de içamento de 120º. Se os poderá prender seus dedos nos cabos.
dois cabos suspenderem uma carga de 19,6 kN • Após os cabos estarem tensionados, pare o
{2.000 kg} em um ângulo de elevação de 150º, guindaste e verifique as condições da carga
cada um deles estará sujeito a uma força tão suspensa, dos cabos e dos calços.
grande quanto 39,2 kN {4.000 kg}.

4 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

• Se a carga estiver instável ou os cabos de 13) Se o guindaste parar em função de uma falha de
aço e as correntes estiverem torcidas, baixe a energia, desligue o interruptor de força. Ao ligar
carga e repita a operação de içamento nova- o interruptor que foi desligado pelo disjuntor de
mente. prevenção de choques elétricos, verifique se os
• Não suspenda a carga se estiver balançando. dispositivos relacionados a esse interruptor não se
13) Ao baixar uma carga, observe os seguintes itens: encontram em estado de operação.
• Ao baixar uma carga que estiver sendo ergui- 14) Caso encontre algum obstáculo ao redor do guin-
da, pare-a temporariamente a 30 cm do solo, daste, interrompa a operação.
e então prossiga baixando-a lentamente. 15) Após completar o trabalho, pare o guindaste na
• Verifique se a carga está estável, e então posição especificada e suspenda o gancho a me-
remova a amarração. nos de 2m acima do solo. Não deixe a amarração
• Remova as dobras e a sujeira dos cabos de presa no gancho.
aço e correntes utilizados no trabalho de amar-
ração, e guarde-os no local especificado. 7. Seleção dos cabos de aço
1) Selecione os cabos adequados, dependendo do
5. Precauções na utilização do guindaste móvel peso das peças a serem erguidas, consultando a
a Leia cuidadosamente o Manual de Operação e tabela abaixo.
Manutenção do guindaste com antecedência e
opere o opere o guindaste com segurança. Cabos de aço
(Cabos entrelaçados padrão “Z” sem galvanização)
6. Precauções no uso do guindaste aéreo (JIS G3525, nº 6, tipo 6X37-A)
k Ao suspender uma carga pesada (superior Diâmetro nominal
a 25 kg) utilize um guindaste, etc. Durante a Carga permissível
do cabo
desmontagem ou a montagem, o peso de uma
mm kN ton
peça que seja superior a 25 kg é indicado ao
lado da marca 4 . 10 8,8 0,9
1) Antes de iniciar o trabalho, inspecione os cabos 12 12,7 1,3
de aço, freios, embreagem, controladora, tubos, 14 17,3 1,7
dispositivo de parada de enrolamento superior,
16 22,6 2,3
disjuntor de prevenção de choques elétricos, dis-
positivo de prevenção contra colisão do guindaste, 18 28,6 2,9
e farol de alerta de aplicação de força, e verifique 20 35,3 3,6
as condições de segurança. 25 55,3 5,6
2) Observe os sinais para trabalho de içamento.
30 79,6 8,1
3) Opere o guindaste em um local seguro.
4) Verifique as placas indicadoras de direção (leste, 40 141,6 14,4
oeste, norte, sul), e as direções dos botões de 50 221,6 22,6
controle sem erro.
60 318,3 32,4
5) Não eleve uma carga que estiver balançando.
Não movimente o guindaste se a carga suspensa a A carga permissível corresponde a 1/6 da ten-
estiver girando. são de ruptura do cabo utilizado (coeficiente
6) Não eleve e nem baixe uma carga enquanto o de segurança: 6).
guindaste estiver se movimentando longitudinal-
mente ou lateralmente.
7) Não arraste uma amarração.
8) Ao suspender uma carga, pare-a logo após ter
sido erguida do solo e verifique as condições de
segurança, para só então voltar a erguê-la.
9) Considere a rota de deslocamento com antecedên-
cia e suspenda a carga até uma altura segura.
10) Posicione o interruptor de controle em uma po-
sição que não seja um obstáculo ao trabalho e à
equipe.
11) Após operar o guindaste, não gire o interruptor de
controle.
12) Lembre-se da posição do interruptor principal para
que seja possível desligar a força imediatamente
em uma emergência.

WA380-6 5
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

8. Precauções para desconectar e conectar as man-


gueiras e tubos do circuito de ar condicionado
1) Desconexão
k Recolha o gás refrigerante (R134a) do ar condi-
cionado.
k Se o gás refrigerante (R134a) atingir seus
olhos, poderá causar-lhe cegueira. Por essa ra-
zão, ao recolher ou adicionar o gás, você deverá
estar qualificado para manusear o refrigerante e
não deixar de usar os óculos de proteção.
2) Conexão
1] Ao instalar as mangueiras e tubos do circuito
de ar condicionado, tome cuidado para que
não entre sujeira, pó, água, etc. nos mesmos.
2] Ao conectar as mangueiras e tubos de ar
condicionado, verifique se os anéis “O” (1)
estão encaixados em suas juntas.
3] Verifique se os anéis “O” não apresentam
avarias ou deteriorações.
4] Ao conectar a tubulação do refrigerante,
aplique o óleo do compressor para refrigerante
(R134a) (DENSO: ND-OIL8, ZEXEL: ZXL100PG
(equivalente ao PAG46)) em seus anéis “O”.

a Exemplo de anel “O” (encaixado em cada junção de


mangueiras e tubos)

a Para saber o torque de aperto aplicável, consulte


as precauções para instalação em cada seção de
“Desmontagem e montagem”.

6 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

Como ler o manual de oficina

• É possível que alguns dos implementos e peças opcionais apresentados neste manual não sejam entregues em
determinadas áreas. Caso necessite de algum deles, consulte o seu distribuidor KOMATSU.
• Os materiais e as especificações estão sujeitos a alteração sem notificação prévia.
• Os manuais de oficina são divididos em “Volume do chassi” e “Volume do motor”. Para obter a unidade do motor,
consulte o volume do motor de acordo com o modelo do motor montado na máquina.

1. Composição do manual de oficina


Este manual contém as informações técnicas necessárias para os serviços executados em uma oficina. Para facilitar
seu entendimento, o manual é dividido nas seguintes seções:

00. Índice e prefácio


Esta seção apresenta a lista de manuais de oficina, índice, algumas informações básicas e informações sobre
segurança.

01. Especificações
Esta seção explica as especificações da máquina.

10. Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção


Esta seção traz explicações sobre os valores de estrutura, funcionamento, e padrões de manutenção para
cada componente. A subseção de estrutura e funcionamento explica a estrutura e o funcionamento de cada
componente. Serve não só para obter entendimento da estrutura, mas também como material de referência para
o diagnóstico de falhas. A subseção padrões de manutenção explica os critérios e soluções para a desmontagem
e a execução do serviço.

20. Tabela de valores-padrão


Esta seção apresenta os valores-padrão da nova máquina e os critérios de avaliação para os testes, ajustes e
diagnósticos de falha. Esta tabela de valores-padrão é utilizada na verificação destes mesmos valores durante
as operações de testes e ajustes, e também para fazer a avaliação das peças durante o diagnóstico de falhas.

30. Testes e ajustes


Esta seção apresenta os instrumentos de medição e explica quais os métodos de medição para fazer os testes
e ajustes, bem como o método de ajuste de cada peça. Os valores-padrão e os critérios de avaliação para os
testes e ajustes são explicados na seção Testes e ajustes.

40. Diagnósticos de falhas


Esta seção explica como localizar a peças que apresentam falhas e como corrigi-las. O diagnóstico de falhas é
dividido pelos modos de falhas. O “modo S” do diagnóstico de falhas relacionado ao motor poderá também ser
explicado no Volume o chassi e no Volume do motor. Neste caso, consulte o Volume do chassi.

50. Desmontagem e montagem


Esta seção traz explicações sobre as ferramentas especiais e os procedimentos para a remoção, instalação,
desmontagem e montagem de cada componente, bem como as precauções a serem tomadas em cada uma
dessas operações. Além disso, apresenta também o torque de aperto, a quantidade e o peso dos materiais de
revestimento, óleo, graxa e líquido de arrefecimento necessários para a execução do trabalho.

90. Diagramas e desenhos (volume do chassi) / Reparo e substituição das peças (volume do motor)
• Volume do chassi
Esta seção apresenta os diagramas do circuito hidráulico e do circuito elétrico.
• Volume do motor
Esta seção explica os métodos de reprodução, reparo e substituição das peças.

2. Revisão e distribuição
Quaisquer adições, revisões ou outras alterações das notificações serão enviadas aos distribuidores Komatsu.
Procure sempre obter as informações mais atualizadas antes de iniciar qualquer trabalho.

WA380-6 7
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

3. Método de arquivamento
Faça o arquivamento pelas brochuras na ordem correta de acordo com o número do formulário impresso na tabela
de composição do manual de oficina.

• Marca de edição revisada


Quando um manual é revisado, os dígitos um e dez do número do formulário de cada brochura são aumentados
em 1 (exemplo: 00, 01, 02, etc.).

• Revisões
Os volumes revisados são mostrados na tabela de composição do manual de oficina.

4. Símbolos
As partes importantes relacionadas à qualidade e segurança estão marcadas pelos símbolos apresentados a seguir,
para que o manual de oficina possa ser utilizado de maneira prática.

Simbolo Item Observações

k
Segurança Precauções especiais de segurança, necessárias na execução do trabalho.

Precauções técnicas especiais ou outras precauções para os padrões de


a Atenção
preservação, necessárias na execução do trabalho.
Peso das partes dos componentes das peças. Cuidados necessários na seleção
4
Peso dos cabos de aço, ou quando houver necessidade de aplicar determinada
postura de trabalho
Locais que podem requerer atenção especial ao torque de aperto durante a
3
Torque de aperto
montagem.

2
Adesivo Locais a serem cobertos com adesivos, etc., durante a montagem.

Óleo, líquido
5
Locais onde óleo, etc., deve ser adicionado, e a sua capacidade.
refrigerante

6
Drenagem Locais onde óleo, etc., devem ser drenados, e a quantidade a ser drenada.

5. Unidades
Neste manual de oficina, as unidades são indicadas segundo o Sistema Internacional de unidades (SI). Para
referência, o Sistema Gravitacional de unidades utilizado convencionalmente é indicado entre parênteses { }.

8 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

Explicação dos termos dos padrões de manutenção


Os valores dos padrões de manutenção necessários para a avaliação dos produtos e das peças estão descritos pelos
termos a seguir:

1. Tamanho e tolerância padrões


• Por motivos de precisão, o tamanho do acaba-
mento das peças pode variar de uma peça para a
outra.
• Para especificar o tamanho de acabamento de
uma peça, é definido um tamanho-padrão tempo-
rário, indicando-se uma possível diferença a partir
daquele tamanho.
• O tamanho definido temporariamente descrito aci-
ma é denominado “tamanho-padrão”, e a margem
de diferença a partir do tamanho-padrão é deno-
minada “tolerância”.
• A tolerância com os símbolos + ou – é indicada à
direita do tamanho-padrão.

Exemplo:
Tamanho-padrão Tolerância
- 0,022
120
- 0,126
a A tolerância poderá estar indicada no texto e na
tabela como [tamanho-padrão (limite superior de
tolerância / limite inferior de tolerância)] Exemplo:
120 (– 0,022 / – 0,126).
• Normalmente, o tamanho de um orifício e o tama-
nho de um eixo a ser encaixado naquele orifício
são indicados pelo mesmo tamanho-padrão e
pelas diferentes tolerâncias do eixo e do orifício. A
precisão do encaixe é decidida pela tolerância.
• Indicação do tamanho do eixo de rotação e do
orifício, e o desenho da relação entre eles. Tamanho-padrão 60

Tolerância do orifício (superior):


+0,046

Exemplo: Folga-padrão (máxima): 0,122

Tolerância Folga-padrão (mínima): 0,030


Tamanho-padrão
Eixo Orifício
Tolerância do eixo (inferior): -0,076
-0,030 +0,046
60
-0,076 0 Tolerância do eixo (superior): -0,030

WA380-6 9
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

2. Folga-padrão e valor-padrão 5. Limite de folga


• A folga criada quando novas peças são montadas • As peças podem ser utilizadas até que a folga pa-
é denominada “folga-padrão”, que é indicada pela drão entre elas aumente até um determinado limi-
faixa entre a folga mínima e a folga máxima. te. O limite ao qual essas peças não devem mais
• Quando algumas peças são reparadas, a folga é ser utilizadas é denominado “limite de folga”.
geralmente ajustada para a folga-padrão. • Se a folga entre as peças ultrapassar o limite de
• Um valor da performance e do funcionamento de folga, estas deverão ser substituídas ou reparadas.
novos produtos, ou equivalente, é denominado
“valor-padrão”, que é indicado por uma faixa ou 6. Limite de interferência
valor a ser atingido. • A interferência máxima permissível entre o orifício
• Quando algumas peças são reparadas, o valor da de uma peça e o eixo de uma outra peça a serem
performance / funcionamento é ajustado de acor- montadas é denominada “limite de interferência”.
do com o valor-padrão. • O limite de interferência mostra o limite de reparo
da peça de menor tolerância.
3. Interferência-padrão • Se a interferência entre as peças ultrapassar o
• Quando o diâmetro de um orifício é menor que o limite de interferência, estas deverão ser substitu-
tamanho de um eixo em função de um tamanho- ídas ou reparadas.
padrão e da tolerância, a diferença entre esses
tamanhos é denominada “interferência”.
• A faixa (A – B) que vai da diferença (A) entre o
tamanho mínimo do eixo e o tamanho máximo
do orifício até a diferença (B) entre o tamanho
máximo do eixo e o tamanho mínimo do furo é a
“interferência padrão”.
• Após reparar ou substituir algumas peças, meça o
tamanho de seus orifícios e eixos e verifique se a
interferência encontra-se na faixa padrão.

4. Limite de reparo e valor permissível


• O tamanho de uma peça é modificado em função
de desgaste e deformação enquanto está sendo
usada. O limite do tamanho modificado é denomi-
nado “limite de reparo”.
• Quando uma peça é desgastada até o seu limite
de reparo, deve ser substituída ou reparada.
• O desempenho e o funcionamento de um produto
são reduzidos durante o seu uso. Um valor
abaixo da capacidade do produto em ser utilizado
sem causar problemas é denominado “valor
permissível”.
• Se um produto sofrer desgaste até atingir o valor
permissível, deverá ser verificado ou reparado.
Uma vez que o valor permissível é estimado a
partir de vários testes ou experiências, na maioria
dos casos, contudo, deverá ser avaliado após
considerar as condições de operação e as neces-
sidades do cliente.

10 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

Manuseio do equipamento elétrico e dos componentes hidráulicos


A fim de manter o bom desempenho da máquina por um longo período, e prevenir as falhas e outros problemas antes que
venham a ocorrer, é necessário realizar corretamente as “operações”, os procedimentos de “manutenção e inspeção”,
o “diagnóstico de falhas” e os “consertos”. Essa seção trata particularmente dos procedimentos corretos para reparos
mecatrônicos, visando aumentar a qualidade de tais reparos. Para esse propósito, foram elaboradas as seções sobre
“Manuseio do equipamento elétrico” e “Manuseio do equipamento hidráulico” (principalmente para o óleo do câmbio e o
óleo hidráulico).

Pontos a serem lembrados durante o manuseio do


equipamento elétrico
1. Manuseio dos chicotes de fiação e conectores
Os chicotes de fiação consistem de fios que conectam
um componente a outro, conectores utilizados para
conectar e desconectar um fio a outro, e protetores ou
tubos utilizados para proteger a fiação.
Comparados a outros componentes elétricos encaixa-
dos em caixas ou estojos, os chicotes de fiação são mais
vulneráveis aos efeitos diretos da chuva, água, calor ou
vibração. Além disso, durante as operações de inspeção
e reparo, costumam ser removidos e reinstalados com
freqüência, por isso estão mais sujeitos a sofrer avarias
ou deformações. Por essa razão, é necessária extrema
cautela ao manusear os chicotes de fiação.

2. Ocorrência das principais falhas no chicote de fiação


1) Falha no contato dos conectores (falha no contato
entre macho e fêmea)
Problemas de falha de contato são muito prová-
veis de acontecer em função de o conector ma-
cho não estar devidamente inserido no conector
fêmea, ou no caso de um ou ambos conectores
estarem deformados, ou por suas posições não
Inserção imprópria
estarem alinhadas corretamente, ou ainda devido
à existência de corrosão ou oxidação das superfí-
cies de contato.

2) Defeito na compressão ou na soldagem dos co-


nectores
Os pinos dos conectores macho e fêmea estão
em contato com o terminal achatado ou com a
porção de solda, mas há força excessiva na fia-
ção, e o revestimento galvanizado causa conexão
imprópria ou ruptura.

Porção achatada

WA380-6 11
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

3) Desconexões na fiação
Se os conectores forem separados puxando-os
pelos fios, ou se os componentes forem suspensos
por um guindaste com a fiação ainda conectada,
ou ainda se um objeto pesado bater na fiação, o
encaixe da fiação poderá se soltar, a soldagem
poderá ficar danificada, ou ainda a fiação poderá
se romper.

4) Entrada de água à alta pressão em um conector


O conector é projetado de forma a dificultar ao
máximo a entrada de água (estrutura à prova de
umidade), mas se houver um jato de água de alta
pressão atingindo-o diretamente, a água poderá
entrar pelo conector, dependendo da direção
do jato. Desta forma, evite ao máximo que haja
contato de água nos conectores. O conector é
projetado para evitar a entrada de água, mas
quando isso ocorre, é difícil fazer a sua drenagem.
Assim, se a água penetrar no conector, os pinos
entrarão em curto-circuito pela ação da água, e
por isso, sempre que perceber a entrada de água,
seque imediatamente os conectores ou tome
outra ação apropriada antes que volte a circular
eletricidade por eles.

5) Óleo, graxa ou sujeira presos ao conector


Se houver óleo ou graxa no conector e uma ca-
mada de óleo tiver se formado sobre a superfície
de contato entre os pinos macho e fêmea, o óleo
impedirá a passagem da eletricidade, causando
defeito no contato. Na ocorrência de óleo, graxa
ou sujeira presos ao conector, limpe utilizando um
pano seco ou jato de ar, e pulverize o local com
um restaurador de contato.
a Ao limpar a porção de contato do conector,
tome cuidado para não empregar força
excessiva ou deformar os pinos.
a Se for observada a presença de água ou óleo,
isto poderá aumentar a contaminação dos
pontos, portanto limpe-os com ar comprimido
até que toda a água ou óleo tenham sido re-
movidos.

12 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

3. Remoção, instalação e secagem dos conectores e


do chicote de fiação
1) Desconexão dos conectores
1] Segure os conectores ao desconectá-los.
No momento da desconexão, segure os
conectores e não a fiação. Para os conectores
Pressione levemente ao
presos por parafusos, solte os parafusos remover

completamente e segure os conectores Batente de travamento

macho e fêmea, um em cada mão, e puxe-


os até se soltarem. Para os conectores
que possuem um batente de travamento,
pressione o batente com o polegar e puxe os
conectores.
a Nunca tente puxá-los usando apenas
uma das mãos.

2] Ao remover os conectores das presilhas


• Tanto o conector como a presilha possuem Batentes

batentes que se engatam um ou outro quando


o conector é instalado.

• Ao remover o conector de uma presilha,


puxe-o em direção paralela à presilha
para remover os batentes.
a Caso se force o conector para a es-
querda ou direita ou para cima ou para
baixo, o alojamento poderá se romper.

3] Ação a ser tomada após a remoção dos


conectores.
Após remover qualquer conector, cubra-o com
uma sacola plástica para evitar que poeira,
sujeira, óleo ou água entrem em contato com
a área de acoplamento do conector.
a Se a máquina permanecer desmontada
por um longo período, serão maiores as
chances de um contato impróprio ocorrer,
por isso cubra sempre o conector.

WA380-6 13
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

2) Conexão dos conectores


1] Verifique o conector visualmente
Verifique se não há óleo, sujeira ou água nos
pinos do conector (área de contato)
Verifique se não há deformidades, falha de
contato, corrosão ou avarias nos pinos do Encaixe na posição
conector.
Verifique se não há avarias ou rupturas na
parte externa do conector.
a Se for verificada a presença de óleo,
água ou sujeira presa ao conector, faça
a limpeza utilizando um pano seco. Caso
tenha entrado água dentro do conector,
aqueça a parte interna da fiação com
um secador, tomando cuidado para não
aquecê-la em demasia, evitando assim
um curto-circuito.
a Se for detectada alguma avaria ou ruptu-
ra, substitua o conector.
2] Prenda o conector com segurança.
Alinhe a posição do conector corretamente, e
então insira-o com segurança. Para conecto-
res que possuem um batente de travamento,
empurre o conector para dentro até que o
batente encaixe na posição.
3] Corrija qualquer saliência do vedador de pó e
qualquer falha de alinhamento do chicote de
fiação.
Nos conectores protegidos com vedadores de
pó, corrija qualquer saliência. Além disso, se
o chicote de fiação estiver desalinhado, ou o
grampo estiver fora da posição, ajuste-o para
a posição correta.
a Caso não seja possível corrigir o conector
com facilidade, remova o grampo e ajuste
a posição.
• Se o grampo do conector tiver sido re-
movido, certifique-se de retorná-lo à sua
posição original. Verifique também se não
há grampos soltos.

14 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

3) Conectores de carga pesada (DT de 8 e 12 pinos) • Desconexão • Conexão (exemplo de


Desconexão (figura esquerda) um encaixe incompleto do
Enquanto pressiona os dois lados dos engates de um encaixe incompleto do engate (a))
travamento (a) e (b), puxe o conector fêmea (2)
para fora.
Conexão (figura direita)
1] Puxe o conector fêmea (2) mantendo a
posição horizontal, até que a trava emita um
estalo.
Seta: 1)
2] Já que os engates de travamento (a) e (b)
não podem ser encaixados completamente,
pressione introduzindo o conector fêmea (2)
enquanto o movimenta para cima e para baixo
até que os engates se encaixem normalmente.
Setas: 1), 2), 3)
a Figura da direita: O engate de travamento
(a) é puxado para baixo (não encaixa
completamente) e o engate de travamento
(b) encaixa perfeitamente.
(1): Conector macho
(2): Conector fêmea
(a), (b): Engates de travamento

WA380-6 15
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

4) Secagem do chicote de fiação


Caso seja verificada presença de óleo ou sujeira
no chicote de fiação, remova-os utilizando um
pano seco. Evite lavar com água ou usar vapor.
Se houver necessidade do conector ser lavado
com água, não utilize água em alta pressão ou
vapor diretamente no chicote de fiação. Se a água
entrar em contato direto com o chicote de fiação,
proceda da seguinte maneira:
1] Desconecte o conector e seque a água com
um pano limpo.
a Se o conector for seco por utilização de ar
comprimido, há o risco do óleo existente
no ar causar uma falha de contato, por
isso remova o óleo e a água do ar comprimido
antes de efetuar a secagem com ar.
2] Seque a parte interna do conector com um
secador.
Caso ocorra a entrada de água no conector,
utilize um secador para secar o conector.
a Pode-se usar o ar quente do secador, mas
tome muito cuidado para não esquentar
demasiadamente o conector ou as peças
relacionadas, o que poderá causar
deformações ou avarias ao conector.
3] Execute um teste de continuidade no conector
Após a secagem, deixe o chicote de fiação
desconectado e realize um teste de conti-
nuidade para verificar a existência de curtos-
circuitos causados pela ação da água entre os
pinos.
a Após completar a secagem do conector,
pulverize-o com restaurador de contato e
monte-o novamente.

Adaptador T

16 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

4. Manuseio da controladora
1) A controladora contém um microcomputador e
circuitos de controle eletrônico, que são os res-
ponsáveis pelo controle de todos os circuitos ele- CAIXA
DE FE
RRAM
trônicos existentes na máquina. Por essa razão, ENTAS
seja extremamente cauteloso ao manusear a
controladora.
2) Não coloque objetos sobre a controladora.
3) Cubra os conectores de controle com fita ou
um saco plástico. Jamais toque os contatos do
conector com as mãos.
4) Durante a estação chuvosa, não deixe a controla-
dora em locais onde ficará exposto à chuva.
5) Não coloque a controladora sobre óleo, água, ou
terra, ou também sobre locais aquecidos, mesmo
que por um curto período de tempo. (Coloque-o
sobre uma superfície seca adequada.)
6) Precauções a serem tomadas durante a solda a
arco elétrico. Quando forem feitas solda a arco
elétrico no corpo, desconecte todos os conectores
dos chicotes de fiação conectados à controladora.
Encaixe uma solda a arco elétrico do terra próximo
ao ponto de solda.

5. Pontos a serem lembrados durante o diagnóstico


de falhas dos circuitos elétricos
1) Sempre desligue a força antes de desconectar ou
conectar os conectores.

2) Antes de realizar o diagnóstico de falhas, verifique


se todos os conectores relacionados estão
inseridos adequadamente.
a Desconecte e conecte os conectores relacio-
nados várias vezes para fazer a verificação.
3) Conecte sempre qualquer conector que estiver
desconectado antes de seguir para a etapa seguinte.
a Se a força estiver ligada com os conectores
ainda desconectados, serão exibidas informa-
ções de anormalidade desnecessárias.
4) Durante a realização do diagnóstico de falhas
dos circuitos (medição da voltagem, resistência,
continuidade, ou corrente), mova a fiação e os
conectores relacionados diversas vezes e verifique
se não há alterações na leitura do testador.
a Se forem notadas alterações, é provável que
ainda existam contatos defeituosos no circuito.

WA380-6 17
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

Pontos a serem lembrados durante o manuseio do equipamento hidráulico


Com o aumento na pressão e na precisão do equipamento hidráulico, a causa mais comum de falha é a presença
de sujeira (material estranho) no circuito hidráulico. Ao adicionar óleo hidráulico, ou quando desmontar ou montar o
equipamento hidráulico, é necessário proceder com extremo cuidado.

1. Tome cuidado com o ambiente operacional


Evite a adição de óleo hidráulico, substituição de
filtros, ou efetuar reparos na máquina sob chuva ou
ventos fortes, ou em lugares saturados de poeira.

2. Trabalho de manutenção e desmontagem no campo


Se o trabalho de manutenção e desmontagem do
equipamento hidráulico tiver de ser feito no campo,
há o risco de entrar poeira no equipamento. Também
é difícil verificar o desempenho do veículo após
os reparos, por isso é preferível efetuar a troca
da unidade. A manutenção e a desmontagem do
equipamento hidráulico deve ser conduzida em uma
oficina especialmente preparada e à prova de poeira,
e o seu desempenho verificado com um equipamento
especial de testes.

3. Vedação das aberturas


Após a remoção de qualquer tubulação ou equipamen-
to, as aberturas deverão ser vedadas utilizando-se
tampas, fitas ou sacos plásticos para prevenir a entra-
da de sujeira ou poeira. Se a abertura ficar descoberta
ou tampada com um pano, isso poderá gerar uma
situação de perigo, ou ocasionar a entrada de poeira
no sistema, ou até mesmo sujar a área ao redor com
vazamentos de óleo, por isso tome muito cuidado. Não
drene o óleo diretamente no solo. Recolha-o em um
recipiente e peça para o seu fornecedor dispensá-lo
em local apropriado, ou mesmo carregue-o com você
para dispensá-lo posteriormente.

4. Não permita a entrada de poeira ou sujeira durante


as operações de reabastecimento
Tome cuidado para não permitir a entrada de poeira
ou sujeira quando estiver reabastecendo com óleo
hidráulico. Mantenha sempre o filtro de óleo e a área
ao seu redor limpos, e utilize também bombas e
recipientes de óleo limpos. Se utilizar algum dispositivo
de limpeza de óleo, é possível que este filtre a sujeira
acumulada durante a armazenagem, aumentando
ainda mais a eficácia deste método.

18 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

5. Troca do óleo hidráulico sob temperatura elevada


Quando o óleo hidráulico ou outro óleo estão aqueci-
dos, fluem com maior facilidade. Além disso, os sedi-
mentos também podem ser drenados mais facilmente
do circuito junto com o óleo, por isso a melhor opção
é efetuar a troca com o óleo ainda quente. Ao trocar o
óleo, a máxima quantidade possível de óleo hidráulico
deverá ser drenada. (Drene o óleo do reservatório
hidráulico e também do filtro e do bujão de dreno no
circuito.) Se for deixado óleo antigo, os contaminantes
e sedimentos nele presentes irão se misturar ao óleo
novo e abreviar a vida útil do óleo hidráulico.

6. Operações de descarga
Após desmontar e montar o equipamento ou fazer a
troca de óleo, utilize óleo de descarga para remover
os contaminantes, sedimentos e o óleo antigo do
circuito hidráulico. Normalmente, a descarga é execu-
tada duas vezes: a primeira é realizada com óleo de Óleo de limpeza
descarga, e a segunda é feita com o óleo hidráulico
específico.

7. Operações de limpeza
Após reparar o equipamento hidráulico (bomba, vál-
vula de controle, etc) ou durante o funcionamento
da máquina, faça a limpeza do óleo para remover os
sedimentos e contaminantes presentes no circuito de
óleo hidráulico. O equipamento para limpeza de óleo
é utilizado para remover as partículas ultrafinas (de
cerca de 3μ) que o filtro acoplado ao equipamento
hidráulico não é capaz de remover, o que o torna um
dispositivo extremamente eficiente.

WA380-6 19
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

Conectores recentemente utilizados para os motores Tier 3


2. Trava do tipo de tração (PACKARD-2)
1. Trava do tipo deslizante (FRAMATOME-3, FRAMATOME-2) • Motores 107 – 170, 12V140
• Motores 107 – 170, 12V140 • Vários sensores de temperatura
• Vários sensores de pressão e sensor de Exemplo)
velocidade NE Sensor de temperatura do ar de admissão
Exemplos) no coletor de admissão: TIM
Pressão do ar de admissão no coletor de Sensor de temperatura de combustível:
admissão: TFUEL
PIM (motores 125, 170, 12V140) Sensor de temperatura de óleo: TOIL
Sensor de pressão de óleo: Sensor de temperatura do líquido
POIL (motores 125, 170, 12V140) arrefecedor: TWTR, etc.
Interruptor de pressão de óleo Desconecte o conector puxando a trava (B)
(motores 107, 114) (no lado do chicote de fiação) do conector (2)
Sensor de velocidade do alojamento do para fora.
volante:
NE (motores 107 – 170, 12V140)
Sensor de pressão ambiente:
PAMB (motores 125, 170, 12V140)

Desconecte o conector (1) de acordo com o


procedimento descrito a seguir.
1) Deslize a trava (L1) para a direita.
2) Enquanto pressiona a trava (L2), puxe o conector
(1) em sua direção.
a Mesmo se a trava (L2) for pressionada, o
conector (1) não poderá ser puxado em sua
direção se a peça A não flutuar. Neste caso,
flutue a peça A com uma pequena chave de
fenda enquanto pressiona a trava (L2), em
seguida puxe o conector (1) em sua direção.

20 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

3. Trava do tipo de compressão


• Motores 107, 114
Exemplo)
Sensor de pressão de combustível no sistema“common
rail” (BOSCH-03)

Desconecte o conector (3) de acordo com o seguinte


procedimento:
1) Enquanto pressiona a trava (C), puxe o conector
(3) para fora na direção da seta.

• Motor 114

• Motor 107, 114


Exemplo)
Sensor de pressão/temperatura do ar de admissão no
coletor de admissão
(SUMITOMO-04)

3) Enquanto pressiona a trava (D), puxe o conector


(4) para fora na direção da seta.

• Motor 107

a Se a trava estiver no lado inferior, use uma


chave de fenda [1] uma vez que você não
poderá introduzir seus dedos.
2) Enquanto pressiona para cima a trava (C) do co-
nector com a chave de fenda [1], puxe o conector
(3) para fora na direção da seta.

WA380-6 21
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

• Motores 125 – 170, 12V140 4. Tipo carcaça giratória (Conector verde redondo)
4) Enquanto pressiona a trava (E) do conector, puxe • Motor 140
o conector (5) para fora na direção da seta. Exemplo)
Sensor de pressão do ar de admissão no coletor
Exemplo) de admissão (CANNON-04): PIM etc.
Pressão do combustível no sistema “common rail”:
PFUEL etc. (AMP-3) 1) Desconecte o conector (6) de acordo com o se-
guinte procedimento:
1] Gire a carcaça (H1) na direção da seta.
a Quando o conector estiver destravado,
a carcaça (H1) se torna pesada para ser
girada.
2] Puxe a carcaça (H1) para fora na direção da seta.
a A carcaça (H1) é deixada no lado do chicote
de fiação.

Exemplo)
Válvula de controle da pressão de injeção da
bomba de alimentação de combustível:
PCV (SUMITOMO-2)

2) Acople o conector de acordo com o procedimento


descrito a seguir.
1] Introduza o conector até o final, enquanto
ajusta a sua ranhura.
2] Gire a carcaça (H1) na direção da seta até ela
encaixar com um som de “clique”.

Exemplo)
Sensor de velocidade da bomba de alimentação
de combustível: G (SUMITOMO-3)
a Puxe o conector direto para cima.

22 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

Como ler o código da fiação elétrica


a As informações sobre os condutores exclusivos para cada modelo de máquina são apresentadas na seção
Diagnóstico de falhas e nas Informações relacionais do diagnóstico de falhas.

No diagrama do circuito elétrico, o material, a espessura e a cor de cada fio elétrico são indicados por símbolos. O código
de condutores elétricos é útil para o entendimento do diagrama do circuito elétrico.

Exemplo: AEX - 0,85 - L--- Indica um fio de baixa voltagem para automóveis, resistente ao calor e na cor
azul, de nº nominal
Indica a cor do fio de acordo com o código de cores.
Os códigos de cores são mostrados na Tabela 3.

Indica o tamanho do fio de acordo com o número nominal.


O tamanho (nº nominal) é mostrado na Tabela 2.

Indica o tipo de fio de acordo com o símbolo.


O tipo, símbolo, e o material do fio são mostrados na Tabela 1.
(Já que os fios AV e AVS são classificados por tamanho (nº nominal), eles
não são indicados.)

1. Tipo, símbolo e material


Os fios AV e AVS são diferentes apenas na espessura e no diâmetro externo do revestimento. O fio AEX é similar ao
AV em espessura e em diâmetro externo, e diferente do AV e do AVS quanto ao material do revestimento.

(Tabela 1)

Faixa de
Tipo Símbolo Material temperatura de Exemplo de uso
utilização (ºC)
Fio de baixa Cobre recozido para
Condutor
voltagem para aplicação elétrica Fiação em geral
AV
automóveis (Nº nominal 5 e acima)
Isolador Polivinil clorido macio
-30 a +60
Fio de baixa Cobre recozido para
Condutor
tensão e revesti- aplicação elétrica Fiação em geral
AVS
mento fino (Nº nominal 3 e
para automóveis Isolador Polivinil clorido macio abaixo)

Fio de baixa Cobre recozido para Fiação em geral em


Condutor
tensão e resis- aplicação elétrica regiões extremamente
AEX -50 a +110
tência ao calor, Polietileno cruzado frias, fiação em locais
para automóveis Isolador de alta temperatura
resistente ao calor

WA380-6 23
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

2. Dimensões

(Tabela 2)
Nº Nominal 0,5f (0,5) 0,75f (0,85) 1,25f (1,25) 2f 2 3f 3 5
Número de
fios / Diâmetro 20/0,18 7/0,32 30/0,18 11/0,32 50/0,18 16/0,32 37/0,26 26/0,32 58/0,26 41/0,32 65/0,32
do fio
Condutor Área
seccional 0,51 0,56 0,76 0,88 1,27 1,29 1,96 2,09 3,08 3,30 5,23
(mm²)
d (aprox) 1,0 1,2 1,5 1,9 1,9 2,3 2,4 3,0
AVS Padrão 2,0 2,2 2,5 2,9 2,9 3,5 3,6
Capa
AV Padrão - - - - - - - 4,6
D
AEX Padrão 2,0 2,2 2,7 3,0 3,1 - 3,8 4,6

Nº Nominal 8 15 20 30 40 50 60 85 100
Número de
fios / Diâme- 50/0,45 84/0,45 41/0,80 70/0,80 85/0,80 108/0,80 127/0,80 169/0,80 217/0,80
tro do fio
Condutor Área
seccional 7,95 13,36 20,61 35,19 42,73 54,29 63,84 84,96 109,1
(mm²)
d (aprox) 3,7 4,8 6,0 8,0 8,6 9,8 10,4 12,0 13,6
AVS Padrão - - - - - - - - -
Capa
AV Padrão 5,5 7,0 8,2 10,8 11,4 13,0 13,6 16,0 17,6
D
AEX Padrão 5,3 7,0 8,2 10,8 11,4 13,0 13,6 16,0 17,6

A letra “f” do nº nominal denota flexibilidade.

24 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

3. Tabela de código de cores

(Tabela 3)
Código da cor Cor do fio Código da cor Cor do fio
B Preto LgW Verde claro e branco
Br Marrom LgY Verde claro e amarelo
BrB Marrom e preto LR Azul e vermelho
BrR Marrom e vermelho LW Azul e branco

BrW Marrom e branco LY Azul e amarelo

Marrom e amarelo O Laranja


BrY
P Rosa
ch Carvão
R Vermelho
Dg Verde escuro
RB Vermelho e preto
G Verde
GB Verde e preto RG Vermelho e verde

GL Verde e azul RL Vermelho e azul

Gr Cinza RW Vermelho e branco

GR Verde e vermelho RY Vermelho e amarelo

Verde e branco Sb Azul celeste


GW
Y Amarelo
GY Verde e amarelo
YB Amarelo e preto
L Azul
YG Amarelo e verde
LB Azul e preto
YL Amarelo e azul
Lg Verde claro
YR Amarelo e vermelho
LgB Verde claro e preto
YW Amarelo e branco
LgR Verde claro e vermelho

Observações: Em um código de cor que consiste de duas cores, a primeira cor significa a cor de
fundo e a segunda, a cor da marca.
Exemplo: “GW” significa que o fundo é verde e a marca está na cor branca.

4. Tipos de circuitos e códigos de cores

(Tabela 4)
Tipo de fio AVS ou AV AEX
Carga R WG - - - - R -
Terra B - - - - - B -
Partida R - - - - - R -
Iluminação RW RB RY RG RL - D -
Instrumentos Y YR YB YG YL YW Y Gr
Sinalização G GW GR GY GB GL G Br
L LW LR LY LB - L
Tipo de circuito Br BrW BrR BrY BrB - -
Lg LgR LgY LgB LgW - -
O - - - - - -
Outros Gr - - - - - -
P - - - - - -
Sb - - - - - -
Dg - - - - - -
Ch - - - - - -

WA380-6 25
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

Precauções ao executar a operação


[Ao executar a remoção ou instalação (desmontagem ou montagem) das unidades, certifique-se de seguir as precauções
gerais apresentadas a seguir durante as operações].

1.Precauções ao executar o trabalho de remoção


• Se o líquido arrefecedor contiver anticongelante, descarte-o da maneira apropriada.
• Após desconectar as mangueiras ou tubos, cubra-os ou encaixe tampões para evitar a entrada de sujeira ou pó.
• Quando drenar o óleo, prepare um recipiente de tamanho adequado para recolher o óleo.
• Confirme as marcas de alinhamento mostrando a posição de instalação, e produza marcas de alinhamento nos locais
necessários antes da remoção, para evitar qualquer engano durante a montagem.
• Para evitar a aplicação de força excessiva à fiação, segure sempre os conectores quando for desconectá-los. Não
puxe os fios.
• Coloque etiquetas nos fios e nas mangueiras para mostrar a sua posição de instalação, evitando com isso qualquer
engano durante a instalação.
• Verifique o número e a espessura dos calços, e mantenha-os em local seguro.
• Quando elevar componentes, certifique-se de usar equipamentos de elevação com ampla resistência.
• Quando utilizar parafusos sacadores para remover quaisquer componentes, aperte os parafusos sacadores
intercaladamente de maneira uniforme.
• Antes de remover qualquer unidade, limpe a área ao seu redor e coloque uma capa para evitar a entrada de pó ou
sujeira após a remoção.
a Precauções ao manusear a tubulação durante a desmontagem.
Coloque os seguintes tampões na tubulação após desconectá-la durante as operações de desmontagem.
1) Mangueiras e tubos com luva roscada
Número nominal Bujão (extremidade da luva) Luva roscada (extremidade do cotovelo)
02 07376-70210 02789-20210
03 07376-70315 02789-20315
04 07376-70422 02789-20422
05 07376-70522 02789-20522
06 07376-70628 02789-20628
10 07376-71034 07221-21034
12 07376-71234 07221-21234

2) Mangueiras e tubos com flange bipartido

Flange (extremidade da
Número nominal Cabeça da luva (extremidade do tubo) Flange bipartido
mangueira)
04 07379-00400 07378-10400 07371-30400
05 07379-00500 07378-10500 07371-30500

3) Se a peça não estiver sob pressão hidráulica, as seguintes rolhas podem ser utilizadas.

Número Dimensões
Número da Peça
nominal D d L
06 07049-00608 6 5 8
08 07049-00811 8 6.5 11
10 07049-01012 10 8.5 12
12 07049-01215 12 10 15
14 07049-01418 14 11.5 18
16 07049-01620 16 13.5 20
18 07049-01822 18 15 22
20 07049-02025 20 17 25
22 07049-02228 22 18.5 28
24 07049-02430 24 20 30
27 07049-02734 27 22.5 34

26 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

2. Precauções ao executar o trabalho de instalação


• Aperte todos os parafusos e porcas (luvas roscadas) no torque especificado (KES).
• Instale as mangueiras sem torcê-las ou sem interferência e fixe-as com braçadeiras intermediárias, se houver.
• Substitua todas as juntas, anéis “O”, contrapinos e placas de travamento por peças novas.
• Dobre os contrapinos e as placas de travamento de modo seguro.
• Ao revestir com adesivo, limpe a peça e remova todo o óleo e graxa, em seguida aplique de 2 a 3 gotas de adesivo
na parte roscada.
• Quando aplicar revestimento com composto de vedação para juntas, limpe a superfície e remova todo o óleo e graxa, verifique
se não há sujeira ou danos, em seguida aplique um revestimento uniforme com composto de vedação para juntas.
• Limpe todas as peças e elimine quaisquer danos, amassados, rebarbas ou ferrugem.
• Aplique uma camada de óleo para motor nas partes giratórias e deslizantes.
• Quando encaixar as peças por pressão, aplique um revestimento de composto anti-atrito na superfície (LM-P).
• Após instalar os anéis elásticos, verifique se os mesmos estão firmemente encaixados nas ranhuras dos anéis.
• Ao acoplar os conectores da fiação, limpe o conector para remover todo o óleo, sujeira ou água, e em seguida
conecte-o de modo seguro.
• Quando utilizar olhais, verifique se não há nenhuma deformação ou deterioração, parafuse-os totalmente e alinhe a
direção do gancho.
• Quando apertar flanges bipartidos, aperte-os alternadamente e de maneira uniforme, para evitar o aperto excessivo
de um lado.

a Ao operar os cilindros hidráulicos pela primeira vez após a remontagem dos cilindros, bombas e outros equipamentos
hidráulicos removidos para reparos, sangre sempre o ar conforme descrito a seguir.
1) Ligue o motor e funcione-o em marcha lenta.
2) Acione a alavanca de controle do equipamento de trabalho para operar o cilindro hidráulico de 4 a 5 vezes,
parando o cilindro a 100 mm antes do fim de seu curso.
3) Em seguida, opere o cilindro hidráulico de 3 a 4 vezes até o fim de seu curso.
4) Após haver feito isto, funcione o motor na velocidade normal.
a Quando utilizar a máquina pela primeira vez após um reparo ou longo período de armazenagem, siga o mesmo
procedimento.

3. Precauções ao concluir a operação


1) Reabastecimento com líquido de arrefecimento, óleo e graxa
• Se o líquido de arrefecimento tiver sido drenado, aperte a válvula de drenagem e adicione o líquido no
nível especificado. Coloque o motor em funcionamento para circular o líquido de arrefecimento através do
sistema. Em seguida verifique novamente o nível do líquido de arrefecimento.
• Se o equipamento hidráulico tiver sido removido e novamente instalado, adicione óleo de motor no nível especificado.
Coloque o motor em funcionamento para circular o óleo através do sistema. Em seguida verifique novamente o nível
do óleo.
• Se a tubulação ou o equipamento hidráulico tiver sido removido, sangre o ar do sistema após a remontagem das
peças.
a Para detalhes, consulte o tópico “Sangrando o Ar” na seção Testes e Ajustes.
• Adicione a quantidade especificada de graxa (graxa à base de bissulfeto de molibdênio) às peças do
equipamento de trabalho.
2) Verifique se o cabeçote dos cilindros e os coletores não estão soltos
Verifique se o cabeçote dos cilindros e os coletores de admissão e escape não estão soltos. Se alguma peça
estiver solta, reaperte-a.
• Para saber o torque de aperto adequado, consulte a seção “Desmontagem e Montagem”.
3) Verificação de danos e partes soltas na tubulação do motor.
Sistema de admissão e escape
Verifique se não há danos na tubulação, se os parafusos e as porcas de montagem não estão soltos e se não
há sucção de ar e vazamento de gás de escape nas juntas.
Se alguma parte estiver solta ou danificada, reaperte ou repare-a.
Sistema de Arrefecimento
Verifique se a tubulação não apresenta danos, se os parafusos e as porcas de montagem não estão soltos
e se as juntas não possuem vazamento de líquido de arrefecimento.
Se alguma parte estiver solta ou danificada, reaperte ou repare-a.
Sistema de combustível
Verifique se a tubulação não apresenta danos, se os parafusos e as porcas de montagem não estão soltos
e se as juntas não possuem vazamento de combustível.
Se alguma parte estiver solta ou danificada, reaperte ou repare-a.

WA380-6 27
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

4) Verificação de danos e partes soltas no silenciador e no tubo de escapamento


1] Inspecione visualmente o silenciador, o tubo de escapamento e suas peças de montagem quanto a fissuras
e danos. Se alguma peça estiver danificada, substitua-a.
2] Verifique se os parafusos e porcas de montagem do silenciador, do tubo de escapamento e suas peças de
montagem não estão soltos. Se algum parafuso ou porca estiverem soltos, reaperte-os.

5) Verificação do funcionamento do silenciador


Verifique se o silenciador não apresenta um som anormal e soa diferente de um silenciador novo. Se for notado
um som anormal, repare o silenciador, consultando o tópico “Desmontagem e montagem” na seção “Diagnóstico
de Falhas”.

28 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

Método de desmontagem e conexão do acoplador tipo dinamômetro


k Antes de executar o trabalho descrito a seguir, solte gradativamente a tampa do bocal de abastecimento
de óleo do reservatório hidráulico para liberar a pressão residual do reservatório.

k Mesmo que a pressão residual seja liberada do reservatório hidráulico, ainda ocorrerá alguma vazão de
óleo quando a mangueira for desconectada. Desta forma, prepare um recipiente para coletá-lo.

Tipo 1

1. Desconexão
1) Segure o adaptador (1) e pressione a junta da
mangueira (2) para dentro do adaptador de
encaixe (3). (Fig. 1)
a É possível empurrar o adaptador por cerca de
3,5 mm.
a Não segure a parte da tampa de borracha (4).
2) Após empurrar a junta da mangueira (2) para
dentro do adaptador (3), pressione a parte da
tampa de borracha (4) contra o adaptador (3) até
ouvir o “clique” (Fig. 2).
3) Segure o adaptador da mangueira (1) ou a própria
mangueira (5) e puxe-a para fora. (Fig. 3)
a Já que uma parte de óleo hidráulico irá vazar,
prepare um recipiente para coletá-lo.

2. Conexão
1) Segure o adaptador da mangueira (1) ou a própria
mangueira (5) e insira-o no adaptador de encaixe
(3), alinhando um ao outro. (Fig. 4)
a Não segure a parte da tampa de borracha (4).
2) Após inserir a mangueira no adaptador de encai-
xe, tente puxá-la para fora a fim de verificar suas
condições de conexão. (Fig. 5)
a Quando a mangueira é puxada para trás, a
parte da tampa de borracha se move em dire-
ção à mangueira por cerca de 3,5 mm, o que,
todavia, não indica nenhuma anormalidade.

WA380-6 29
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

Tipo 2

1. Desconexão
1) Segure a parte a ser apertada e empurre o corpo
(7) em linha reta até que o anel de prevenção
contra deslizamento (6) entre em contato com a
superfície de contato (a) da parte hexagonal da
extremidade macho. (Fig. 6)
2) Enquanto mantém a condição da Etapa 1), gire a
alavanca (8) para a direita (sentido horário). (Fig. 7)
3) Mantendo as condições das Etapas 1) e 2), puxe
todo o corpo (7) para fora a fim de desconectá-lo.
(Fig. 8)

2. Conexão
• Segure a parte a ser apertada e empurre o corpo
(7) em linha reta até que o anel de prevenção
contra deslizamento (6) entre em contato com a
superfície de contato (a) da parte hexagonal da
extremidade macho. (Fig. 9)

30 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

Tipo 3

1. Desconexão
1) Segure a parte a ser apertada e empurre o corpo
(9) em linha reta até que o anel de prevenção
contra deslizamento (8) entre em contato com a
superfície de contato (b) da parte hexagonal da
extremidade macho. (Fig. 10)
2) Enquanto mantém a condição da Etapa 1), em-
purre a tampa (10) em linha reta até que entre
em contato com a superfície de contato (b) da parte
hexagonal da extremidade macho. (Fig. 11)
3) Mantendo as condições das Etapas 1) e 2), puxe
todo o corpo (9) para fora a fim de desconectá-lo.
(Fig. 12)

2. Conexão
• Segure a parte a ser apertada e empurre o corpo
(9) em linha reta até que o anel de prevenção
contra deslizamento (9) entre em contato com a
superfície de contato (b) da parte hexagonal da
extremidade macho. (Fig. 13)

WA380-6 31
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

Tabela de torques de aperto padrão


1. Tabela de torques de aperto para parafusos e porcas
a A menos que haja instruções especiais, aperte os parafusos e porcas métricas de acordo com o torque fornecido
abaixo (utilizando torquímetro).

a A tabela apresentada a seguir corresponde aos parafusos na Fig. A.

Diâmetro da rosca do parafuso Largura entre faces opostas Torque de aperto


mm mm Nm kgm
6 10 11,8-14,7 1,2-1,5
8 13 27-34 2,8-3,5
10 17 59-74 6,0-7,5
12 19 98-123 10,0-12,5
14 22 153-190 15,5-19,5
16 24 235-285 23,5-29,5
18 27 320-400 33,0-41,0
20 30 455-565 46,5-58,0
22 32 610-765 62,5-78,0
24 36 785-980 80,0-100,0
27 41 1.150-1.440 118-147
30 46 1.520-1.910 155-195
33 50 1.960-2.450 200-250
36 55 2.450-3.040 250-310
39 60 2.890-3.630 295-370

a A tabela apresentada a seguir corresponde aos parafusos na Fig. B

Diâmetro da rosca do parafuso Largura entre faces opostas Torque de aperto


mm mm Nm kgm

6 10 5,9-9,8 0,6-1,0
8 13 13,7-23,5 1,4-2,4
10 14 34,3-46,1 3,5-4,7
12 27 74,5-90,2 7,6-9,2

a Fig A
a Fig B

32 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

2. Tabela de torques de aperto para parafusos de flanges bipartidos


a A menos que haja instruções especiais, aperte os parafusos de flange fendido de acordo com o torque fornecido abaixo.

Diâmetro de rosca do parafuso Largura entre faces opostas Torque de aperto


mm mm Nm Kgm

10 14 59-74 6,0-7,5
12 17 98-123 10,0-12,5
16 22 235-285 23,5-29,5

3. Tabela de torques de aperto para juntas da tubulação com ressalto de anel “O”
a A menos que haja instruções especiais, aperte as juntas da tubulação com ressalto de anel “O”, de acordo com
o torque fornecido abaixo.

Largura entre faces


Diâmetro da rosca Torque de aperto (kgm)
Número nominal opostas
mm mm Faixa Ideal
02 14 35-63 {3,5-6,5} 44 {4,5}
03,04 20 84-132 {8,5 – 13,5} 103 {10,5}
Varia de acordo com o
05,06 24 128 -186{13,0-19,0} 157 {16,0}
tipo de conector
10,12 33 363 - 480{37,0-49,0} 422 {43,0}
14 42 746 – 1.010 {76,0 – 103} 883 {90,0}

4. Tabela de torques de aperto para bujões de ressalto com anel “O”.


a A menos que haja instruções especiais, aperte os bujões mestre com anel “O” de acordo com o torque fornecido
abaixo.
Largura entre faces
Diâmetro da rosca Torque de aperto Nm (kgm)
N° nominal opostas
mm mm Faixa Ideal
08 08 14 5,88-8,82 (0,6-0,9) 7,35 {0,75}
10 10 17 9,81-12,74 (1,0-1,3) 11,27 {1,15}
12 12 19 14,7-19,6 (1,5-2,0) 17,64 {1,8}
14 14 22 19,6-24,5 (2,0-2,5) 22,54 {2,3}
16 16 24 24,5-34,3 (2,5-3,5) 29,4 {3,0}
18 18 27 34,3-44,1 (3,5-4,5) 39,2 {4,0}
20 20 30 44,1-53,9 (4,5-5,5) 49,0 {5,0}
24 24 32 58,8-78,4 (6,0-8,0) 68,6 {7,0}
30 30 32 93,1-122,5 (9,5-12,5) 107,8 {11,0}
33 33 - 107,8-147,0 (11,0-15,0) 127,4{13,0}
36 36 36 127,4-176,4 (13,0-18,0) 151,9 {15,5}
42 42 - 181,3-240,1 (18,5-24,5) 210,7 {21,5}
52 52 - 274,4-367,5 (28,0-37,5) 323,4 {33,0}

WA380-6 33
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

5. Tabela de torques de aperto para as mangueiras (de vedação cônica e de luvas roscadas)
a A menos que haja instruções especiais, aperte as mangueiras (de vedação cônica e de luvas roscadas) de
acordo com o torque fornecido abaixo.
a Aplique o torque apresentado a seguir quando as roscas estiverem cobertas (umedecidas) com óleo de motor.

Torque de aperto Nm (kgm) Vedação Cônica Luva roscada

Nº nominal
Largura entre
da Nº nominal –
faces opostas Tamanho da rosca Diâmetro da rosca
mangueira Intervalo Ideal Quantidade e
(mm) (mm) (referência)
tipo de rosca

34-54 {3,5-5,5} - 9/16-18UN 14,3


02 19 44 {4,5}
34-63 {3,5-6,5} 14 - -
22 54-93 {5,5-9,5} 74 {7,5} - 11/16-16UN 17,5
03
24 59-98 {6,0-10,0} 78 {8,0} 18 - -
04 27 84-132 {8,5-13,5} 103 {10,5} 22 13/16-16UN 20,6
05 32 128-186 {13,0-19,0} 157 {16,0} 24 1-14UNS 25,4
06 36 177-245 {18,0-25,0} 216 {22,0} 30 1-3/16-12UN 30,2
(10) 41 177-245 {18,0-25,0} 216 {22,0} 33 - -
(12) 46 197-294 {20,0-30,0} 245 {25,0} 36 - -
(14) 55 246-343 {25,0-35,0} 294 {30,0} 42 - -

6. Tabela de torques de aperto para os motores das séries 102, 107 e 114 (porcas e parafusos)
a A menos que haja instruções especiais, aperte os parafusos e porcas métricas dos motores das séries 102, 107
e 114 de acordo com o torque fornecido abaixo.

Tamanho da rosca Torque de aperto


mm Parafusos e porcas
Nm kgm
6
8 10 ± 2 1,02 ± 20
10 24 ± 4 2,45 ± 0,41
12 43 ± 6 4,38 ± 0,61
14 77 ± 12 7,85 ± 1,22
- -

7. Tabela de torques de aperto para os motores das séries 102, 107 e 114 (juntas de olhais)
a A menos que haja instruções especiais, aperte as juntas de olhais métricas dos motores série 102, 107 e 114 de
acordo com o torque fornecido abaixo.

Tamanho da rosca Torque de aperto


mm Nm kgm
6 8±2 0,81 ± 0,20
8 10 ± 2 1,02 ± 0,20
10 12 ± 2 1,22 ± 0,20
12 24 ± 4 2,45 ± 0,41
14 36 ± 5 3,67 ± 0,51

34 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

8. Tabela de torques de aperto para os motores das séries 102, 107 e 114 (parafusos cônicos)
a A menos que haja instruções especiais, aperte os parafusos cônicos (unidade: polegada) das séries de motores
102, 107 e 114 de acordo com o torque fornecido abaixo.

Tamanho da rosca Torque de aperto


mm Nm kgm
1/16 3±1 0,31 ± 0,10
1/8 8±2 0,81 ± 0,20
1/4 12 ± 2 1,22 ± 0,20
3/8 15 ± 2 1,53 ± 0,20
1/2 24 ± 4 2,45 ± 0,41
3/4 36 ± 5 3,67 ± 0,51
1 60 ± 9 6,12 ± 0,92

WA380-6 35
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

Tabela de conversão
Método de utilização da tabela de conversão
A tabela de conversão é fornecida nesta seção para possibilitar a conversão simples de valores. Para obter detalhes
sobre o método de utilização da tabela, consulte o exemplo fornecido a seguir.

Exemplo: Método de utilização da tabela de conversão para converter medidas de milímetros para polegadas.

1. Converter 55 mm em polegadas.
1) Localize o número 50 na coluna vertical no lado esquerdo, considere-o como (A), e trace uma linha horizontal a
partir de (A).
2) Localize o número 5 na linha superior, considere-o como (B), e trace uma linha perpendicular para baixo a partir de (B).
3) Considere o ponto onde as duas linhas se cruzam como (C). Este ponto (C) fornece o valor da conversão de
milímetros para polegadas. Desta forma, 55 mm = 2,165 polegadas.

2. Converter 550 mm em polegadas.


1) O número 550 não aparece na tabela, assim, divida-o por 10 (mova a vírgula decimal uma casa para a esquerda),
para convertê-lo para 55 mm.
2) Realize o mesmo procedimento apresentado acima para converter 55 mm em 2,165 polegadas.
3) O valor original (550 mm) foi dividido por 10, assim multiplique 2,165 polegadas por 10 (mova a vírgula decimal
uma casa para a direita) para retornar ao valor original. Assim obtemos 500 mm = 21,65 polegadas

Milímetros para polegadas (B)


1mm = 0,03937 pol
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
0 0 0.039 0.079 0.118 0.157 0.197 0.236 0.276 0.315 0.354
10 0.394 0.433 0.472 0.512 0.551 0.591 0.630 0.669 0.709 0.748
20 0.787 0.827 0.866 0.906 0.945 0.984 1.024 1.063 1.102 1.142
30 1.181 1.220 1.260 1.299 1.339 1.378 1.417 1.457 1.496 1.536
40 1.575 1.614 1.654 1.693 1.732 1.772 1.811 1.850 1.890 1.929
(C)

(A) 50 1.969 2.008 2.047 2.087 2.126 2.165 2.205 2.244 2.283 2.323
60 2.362 2.402 2.441 2.480 2.520 2.559 2.598 2.638 2.677 2.717
70 2.756 2.795 2.835 2.874 2.9132 2.953 2.992 3.032 3.071 3.110
80 3.150 3.189 3.228 3.268 3.307 3.346 3.386 3.425 3.465 3.504
90 3.543 3.853 3.622 3.661 3.701 3.740 3.780 3.819 3.858 3.898

36 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

Milímetros para polegadas


1mm = 0,03937 pol
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
0 0 0.039 0.079 0.118 0.157 0.197 0.236 0.276 0.315 0.354
10 0.394 0.433 0.472 0.512 0.551 0.591 0.630 0.669 0.709 0.748
20 0.787 0.827 0.866 0.906 0.945 0.984 1.024 1.063 1.102 1.142
30 1.181 1.220 1.260 1.299 1.339 1.378 1.417 1.457 1.496 1.536
40 1.575 1.614 1.654 1.693 1.732 1.772 1.811 1.850 1.890 1.929
(C)

50 1.969 2.008 2.047 2.087 2.126 2.165 2.205 2.244 2.283 2.323
60 2.362 2.402 2.441 2.480 2.520 2.559 2.598 2.638 2.677 2.717
70 2.756 2.795 2.835 2.874 2.9132 2.953 2.992 3.032 3.071 3.110
80 3.150 3.189 3.228 3.268 3.307 3.346 3.386 3.425 3.465 3.504
90 3.543 3.853 3.622 3.661 3.701 3.740 3.780 3.819 3.858 3.898

Quilogramas para libras


1kg = 2,2046 lb
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
0 0 2,20 4,41 6,61 8,82 11,02 13,23 15,43 17,64 19,84
10 22,05 24,25 26,46 28,66 30,86 33,07 35,27 37,48 39,68 41,89
20 44,09 46,30 48,50 50,71 51,91 55,12 57,32 59,53 61,73 63,93
30 66,14 68,34 70,55 72,75 74,96 77,16 79,37 81,57 83,78 85,98
40 88,18 90,39 92,59 94,80 97,00 99,21 101,41 103,62 105,82 108,03

50 110,23 112,44 114,64 116,85 119,05 121,25 123,46 125,66 127,87 130,07
60 132,28 134,48 136,69 138,89 141,10 143,30 145,51 147,71 149,91 152,12
70 154,32 156,53 158,73 160,94 163,14 165,35 167,55 169,76 171,96 174,17
80 176,37 178,57 180,78 182,98 185,19 187,39 189,60 191,80 194,01 196,21
90 198,42 200,62 202,83 205,03 207,24 209,44 211,64 213,85 216,05 218,26

Litro para Galão (E.U.A)


1l = 0,2642 galão (EUA)

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
0 0 0,264 0,528 0,793 1,057 1,321 1,585 1,849 2,113 2,378
10 2,642 2,906 3,170 3,434 3,698 3,963 4,227 4,491 4,755 5,019
20 5,283 5,548 5,812 6,076 6,340 6,604 6,869 7,133 7,397 7,661
30 7,925 8,189 8,454 8,718 8,982 9,246 9,510 9,774 10,039 10,303
40 10,567 10,831 11,095 11,359 11,624 11,888 12,152 12,416 12,680 12,944

50 13,209 13,473 13,737 14,001 14,265 14,529 14,795 15,058 15,322 15,586
60 15,850 16,115 16,379 16,643 16,907 17,171 17,435 17,700 17,964 18,228
70 18,492 18,756 19,020 19,285 19,549 19,813 20,077 20,341 20,605 20,870
80 21,134 21,398 21,662 21,926 22,190 22,455 22,719 22,983 23,247 23,511
90 23,775 24,040 24,304 24,568 24,832 25,096 25,361 25,625 25,889 26,153

WA380-6 37
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

Litro para Galão (G.B.) 1l = 0,21997 galão britânico


0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
0 0 0,220 0,440 0,660 0,880 1,100 1,320 1,540 1,760 1,980
10 2,200 2,420 2,640 2,860 3,080 3,300 3,520 3,740 3,950 4,179
20 4,399 4,619 4,839 5,059 5,279 5,499 5,719 5,939 6,159 6,379
30 6,599 6,819 7,039 7,259 7,479 7,699 7,919 8,139 8,359 8,579
40 8,799 9,019 9,239 9,459 9,679 9,899 10,119 10,339 10,559 10,778

50 10,998 11,281 11,438 11,658 11,878 12,098 12,318 12,528 12,758 12,978
60 13,198 13,418 13,638 13,858 14,078 14,298 14,518 14,738 14,958 15,178
70 15,398 15,618 15,838 16,058 16,278 16,498 16,718 16,938 17,158 17,378
80 17,598 17,818 18,037 18,257 18,477 18,697 18,917 19,137 19,357 19,577
90 19,797 20,01 20,237 20,457 20,677 20,897 21,117 21,337 21,557 21,777

kgm para libra-pé


1kgm = 7,233 libra-pé
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
0 0 7,2 14,5 21,7 28,9 36,2 43,4 50,6 57,9 65,1
10 72,3 79,6 86,8 94,0 101,3 108,5 115,7 123,0 130,2 137,4
20 144,7 151,9 159,1 166,4 173,6 180,8 188,1 195,3 202,5 209,8
30 217,0 224,2 231,5 238,7 245,9 253,2 260,4 267,6 274,9 282,1
40 289,3 296,6 303,8 311,0 318,3 325,5 332,7 340,0 347,2 354,4

50 361,7 368,9 376,1 383,4 390,6 397,8 405,1 412,3 419,5 426,8
60 434,0 441,2 448,5 455,7 462,9 470,2 477,4 484,6 491,8 499,1
70 506,3 513,5 520,8 528,0 635,2 542,5 549,7 556,9 564,2 571,4
80 578,6 585,9 593,1 600,3 607,6 614,8 622,0 629,3 636,5 643,7
90 651,0 658,2 665,4 672,7 679,9 687,1 694,4 701,6 708,8 716,1

100 723,3 730,5 737,8 745,0 752,2 759,5 766,7 773,9 781,2 788,4
110 795,6 802,9 810,1 817,3 824,6 831,8 839,0 846,3 853,5 860,7
120 868,0 875,2 882,4 889,7 896,9 904,1 911,4 918,6 925,8 933,1
130 940,3 947,5 954,8 962,0 969,2 976,5 983,7 990,9 998,2 1005,4
140 1012,6 1019,9 1027,1 1034,3 1041,5 1048,8 1056,0 1063,2 1070,5 1077,7

150 1084,9 1092,2 1099,4 1106,6 1113,9 1121,1 1128,3 1135,6 1142,8 1150,0
160 1157,3 1164,5 1171,7 1179,0 1186,2 1193,4 1200,7 1207,9 1215,1 1222,4
170 1129,6 1236,8 1244,1 1251,3 1258,5 1265,8 1273,0 1280,1 1287,5 1294,7
180 1301,9 1309,2 1316,4 1323,6 1330,9 1338,1 1345,3 1352,6 1359,8 1367,0
190 1374,30 1381,6 1388,7 1396,0 1403,2 1410,4 1417,7 1424,9 1432,1 1439,4

38 WA380-6
00 Índice e prefácio SEN00124-01

kg/cm² para lb/pol²


1kgm/cm2 = 14,2233 libra/pol2
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
0 0 14,2 28,4 42,7 56,9 71,1 85,3 99,6 113,8 128,0
10 142,2 156,5 170,7 184,9 199,1 213,4 227,6 241,8 256,0 270,2
20 284,5 298,7 312,9 327,1 341,4 355,6 369,8 384,0 398,3 412,5
30 426,7 440,9 455,1 469,4 483,6 497,8 512,0 526,3 540,5 554,7
40 568,9 583,2 597,4 611,6 625,6 640,1 654,3 668,5 682,7 696,9

50 711,2 725,4 739,6 753,8 768,1 782,3 796,5 810,7 825,0 839,2
60 853,4 867,6 881,8 896,1 910,3 924,5 938,7 953,0 967,2 981,4
70 995,6 1.010 1.024 1.038 1.053 1.067 1.081 1.095 1.109 1.124
80 1.138 1.152 1.166 1.181 1.195 1.209 1.223 1.237 1.252 1.266
90 1.280 1.294 1.309 1.323 1.337 1.351 1.365 1.380 1.394 1.408

100 1.422 1.437 1.451 1.465 1.479 1.493 1.508 1.522 1.536 1.550
110 1.565 1.579 1.593 1.607 1.621 1.636 1.650 1.664 1.678 1.693
120 1.707 1.721 1.735 1.749 1.764 1.778 1.792 1.806 1.821 1.835
130 1.849 1.863 1.877 1.892 1.906 1.920 1.934 1.949 1.963 1.977
140 1.991 2.005 2.020 2.034 2.048 2.062 2.077 2.091 2.105 2.119

150 2.134 2.148 2.162 2.176 2.190 2.205 2.219 2.233 2.247 2.262
160 2.276 2.290 2.304 2.318 2.333 2.347 2.361 2.375 2.389 2.404
170 2.418 2.432 2.446 2.460 2.475 2.489 2.503 2.518 2.532 2.546
180 2.560 2.574 2.589 2.603 2.617 2.631 2.646 2.660 2.674 2.688
190 2.702 2.717 2.731 2.745 2.759 2.773 2.788 2.802 2.816 2.830

200 2.845 2.859 2.873 2.887 2.901 2.916 2.930 2.944 2.958 2.973
210 2.987 3.001 3.015 3.030 3.044 3.058 3.072 3.086 3.101 3.115
220 3.129 3.143 3.158 3.172 3.186 3.200 3.214 3.229 3.243 3.257
230 3.271 3.286 3.300 3.314 3.328 3.343 2.357 3.371 3.385 3.399
240 3.414 3.428 3.442 3.456 3.470 3.485 3.499 3.513 3.527 3.542

WA380-6 39
SEN00124-01 00 Índice e prefácio

Temperatura

Conversão de graus Celsius para Fahrenheit: Uma maneira simples de converter uma leitura de temperatura Fahrenheit
para uma leitura de temperatura Celsius, ou vice-versa, é acompanhar a tabela ao centro (coluna com o texto em negrito)
da relação de valores.
Caso queira converter graus Celsius para Fahrenheit, considere a coluna do centro como uma tabela de temperaturas
Fahrenheit e faça a leitura da temperatura correspondente em graus Celsius na coluna da esquerda.
Caso queira converter graus Fahrenheit para Celsius, considere a coluna central como uma tabela de valores em Celsius
e faça a leitura da temperatura Fahrenheit correspondente na coluna da direita.

1°C = 33,8°F
°C °F C °F °C °F °C °F
-40,4 -40 -40,0 -11,7 11 51,8 7,8 46 114,8 27,2 81 177,8
-37,2 -35 -31,0 -11,1 12 53,6 8,3 47 116,6 27,8 82 179,6
-34,4 -30 -22,0 -10,6 13 55,4 8,9 48 118,4 28,3 83 181,4
-31,7 -25 -13,0 -10,0 14 57,2 9,4 49 120,2 28,9 84 183,2
-28,9 -20 -4,0 -9,4 15 59,0 10,0 50 122,0 29,4 85 185,0
-28,3 -19 -2,2 -8,9 16 60,8 10,6 51 123,8 30,0 86 186,8
-27,8 -18 -0,4 -8,3 17 62,6 11,1 52 125,6 30,6 87 188,6
-27,2 -17 1,4 -7,8 18 64,4 11,7 53 127,4 31,1 88 190,4
-26,7 -16 3,2 -7,2 19 66,2 12,2 54 129,2 31,7 89 192,2
-26,1 -15 5,0 -6,7 20 68,0 12,8 55 131,0 32,2 90 194,0
-25,6 -14 6,8 -6,1 21 69,8 13,3 56 132,8 32,8 91 195,8
-25,0 -13 8,6 -5,6 22 71,6 13,9 57 134,6 33,3 92 197,6
-24,4 -12 10,4 -5,0 23 73,4 14,4 58 136,4 33,9 93 199,4
-23,9 -11 12,2 -4,4 24 75,2 15,0 59 138,2 34,4 94 201,2
-23,3 -10 14,0 -3,9 25 77,0 15,6 60 140,0 35,0 95 203,0
-22,8 -9 15,8 -3,3 26 78,8 16,1 61 141,8 35,6 96 204,8
-22,2 -8 17,6 -2,8 27 80,6 16,7 62 143,6 36,1 97 206,6
-21,7 -7 19,4 -2,2 28 82,4 17,2 63 145,4 36,7 98 208,4
-21,1 -6 21,2 -1,7 29 84,2 17,8 64 147,2 37,2 99 210,2
-20,6 -5 23,0 -1,1 30 86,0 18,3 65 149,0 37,8 100 212,0
-20,0 -4 24,8 -0,6 31 87,8 18,9 66 150,8 40,6 105 221,0
-19,4 -3 26,6 0 32 89,6 19,4 67 152,6 43,3 110 230,0
-18,9 -2 28,4 0,6 33 91,4 20,0 68 154,4 46,1 115 239,0
-18,3 -1 30,2 1,1 34 93,2 20,6 69 156,2 48,9 120 248,0
-17,8 0 32,0 1,7 35 95,0 21,1 70 158,0 51,7 125 257,0
-17,2 1 33,8 2,2 36 96,8 21,7 71 159,8 54,4 130 266,0
-16,7 2 35,6 2,8 37 98,6 22,2 72 161,6 57,2 135 275,0
-16,1 3 37,4 3,3 38 100,4 22,8 73 163,4 60,0 140 284,0
-15,6 4 39,2 3,9 39 102,2 23,3 74 165,2 62,7 145 293,0
-15,0 5 41,0 4,4 40 104,0 23,9 75 167,0 65,6 150 302,0
-14,4 6 42,8 5,0 41 105,8 24,4 76 168,8 68,3 155 311,0
-13,9 7 44,6 5,6 42 107,6 25,0 77 170,6 71,1 160 320,0
-13,3 8 46,4 6,1 43 109,4 25,6 78 172,4 73,9 165 329,0
-12,8 9 48,2 6,7 44 111,2 26,1 79 174,2 76,7 170 338,0
-12,2 10 50,0 7,2 45 113,0 26,7 80 176,0 79,4 175 347,0

40 WA380-6
SEN00124-01

Carregadeira de rodas WA380-6


Formulário Nº SEN00124-01

© 2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil

42 ®
Manual de Oficina SEN00125-01

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

01 Especificações
Especificações e dados técnicos
Especificações e dados técnicos....................................................................................................................................... 3
Desenho das dimensões das especificações ............................................................................................................. 3
Especificações ............................................................................................................................................................ 3
Tabela de pesos.......................................................................................................................................................... 8
Tabela de combustível, líquido de arrefecimento e lubrificantes .............................................................................. 10

WA380-6 1
01 Especificações SEN00125-01

Especificações e dados técnicos


Desenho das dimensões das especificações

Item de verificação Unidade WA380-6


(no modo P)
Peso da máquina (com BOC) kg 16.485
Carga normal kN {kg} 51,8 {5.280}
Capacidade da caçamba (coroada) M³ 3,3
Denominação do modelo do motor – Motor Komatsu SAA6D107E-1 a diesel
Potência de saída nominal do motor
• Net [ISO 9249/SAE J1349] (*1) kW {HP}/rpm 142 {191} /2.100
• Gross [SAE J1955] (*2) 143 {192} /2,100
A Comprimento total ( com BOC) mm 8.195
B Altura total mm 3.325
C Altura total com a caçamba erguida ao máximo mm 5.535
D Largura total mm 2.695
E Altura livre mínima em relação ao solo mm 390
F Largura da caçamba mm 2.905
G Altura de despejo ponta da caçamba/ponta do BOC mm 2.970/2.885
H Alcance de despejo ponta da caçamba/ponta do BOC mm 1.165/1.210
I Ângulo de despejo graus 45
Raio de giro mínimo ponta da caçamba/ponta do BOC mm 7.190/7.220
Centro do pneu lado externo mm 6.320
Carga tolerável pela força na barra de tração kN {kg} 115 {11.700}
Velocidade de 1ª (avante/ré) 6,0/6,5
deslocamento
2ª (avante/ré) 10,6/11,3
km/h
3ª (avante/ré) 18,6/19,9
4ª (avante/ré) 31,1/33,0
*1: Indica o valor da velocidade mínima do ventilador de arrefecimento.
*2: Indica o valor somente do motor (sem o ventilador de arrefecimento).
a A potência de saída nominal do motor é indicada pelos valores líquido e bruto. O valor bruto denota a potência de saída
nominal aferida de um motor independente, enquanto o valor líquido indica a aferição de um motor sob condições
essencialmente iguais às que estaria submetido se instalado na máquina.
a A seguir é informada a potência de saída nominal (líquida) com o ventilador de arrefecimento funcionando em sua velocidade
máxima.
133 kW {179 HP} / 2.100 rpm
a BOC: Abreviação de borda cortante parafusável
WA380-6 3
SEN00125-01 01 Especificações

Especificações
Denominação e tipo da máquina WA380-6
Número de série 65001 e acima
Peso da máquina kg 16.485
Peso da máquina (roda dianteira) na
Peso

posição de deslocamento SAE kg 7.595


Peso da máquina (roda traseira) na
posição de deslocamento SAE kg 8.890

Capacidade da caçamba (coroada) m³ 3,3

Carga normal kN {kg} 51,8 {5.280}


Velocidade de deslocamento Modo E Modo P

(1ª avante) 5,1 6,0


(2ª avante) 8,8 10,6
km/h
(3ª avante) 15,4 18,6
(4ª avante) 25,1 31,1
Performance

(1ª à ré) 5,5 6,5


(2ª à ré) km/h 9,4 11,3
(3ª à ré) 16,3 19,9
(4ª à ré) 26,5 33,0
Força máxima na barra de tração (avante) 130 {13.200} 181 {18.400}
(ré) kN {kg} 119 {12.100} 165 {16.860}
Rampa máxima graus 25
Raio de giro mínimo (centro do pneu
externo) mm 6.320
Raio de giro (borda do dente, ponta do
BOC) na posição de deslocamento SAE mm 7.190/7.220
Comprimento total (com BOC) mm 8.195
Largura total (corpo da máquina) mm 2.695
Largura da caçamba (com BOC) mm 2.905
Altura total (alto da cabina) mm 3.325
Altura total com a caçamba levantada mm 5.535
Base das rodas mm 3.300
Bitola mm 2.160
Folga mínima em relação ao solo mm 390
Altura máxima do pino de articulação mm 4.030
Dimensões

Altura de despejo mm 2.970/2.885


(borda do dente, ponta do BOC)
Alcance de despejo mm 1.165/1.210
(borda do dente, ponta do BOC)
Ângulo de inclinação da direção graus 35
Ângulo de inclinação da caçamba graus 50
para trás (posição de operação)
(altura máxima)
Ângulo de inclinação da graus 66
caçamba para frente
(altura máxima) 49
Profundidade de deslocamento, 10° mm 310/360
(extremidade do dente/ponta da borda)

a BOC: Abreviação de borda cortante parafusável

4 WA380-6
01 Especificações SEN00125-01

Denominação e tipo da máquina WA380-6


Número de série 65001 e acima

Denominação SAA6D107E-1
4 ciclos, arrefecido à água, 6 cilindros em linha, injeção
Modelo direta, com turboalimentador e pós-resfriador arrefecido à ar.

No. de cilindros – diâmetro x curso mm 107 × 124


Cilindrada total l {cc} 6,69 {6.690}
Potência no volante
Desempenho (no modo P)

• Líq. [ISSO 9249/SAE J1349] (*1) kW {HP}/rpm 142 {191} / 2.100


• Bruta [SAEJ1995] (*2) 143 {192} / 2.100
Motor

Torque máximo (*1) Nm {kgm}/rpm 941 {96} / 1.450

Consumo mínimo de combustível g/kWh 224 {167}


{g/HPh}

Rotação em marcha lenta rpm 2.230 ± 50


Rotação máxima rpm 850 ± 25
Motor de partida 24 V, 5,5 kW
Alternador 24 V, 60 A
Bateria (*3) 12 V, 136 Ah x 2 peças
Conversor de torque Tipo 3 elementos, 1 estágio, monofásico
Transmissão Embreagem de discos múltiplos do tipo engate constante,
Trem de força

de engrenagem helicoidal e de dentes retos, modulação e


contraeixo. Acionamento hidráulico.
Unidade da engrenagem de redução Tipo engrenagem cônica espiral com lubrificação por banho
de óleo
Sistema do diferencial Tipo engrenagem cônica reta
Comando final Tipo redução simples por engrenagens planetárias e
lubrificada por banho de óleo
Comando das rodas Comando das rodas dianteiras e traseiras
Rodas e
eixos

Eixo dianteiro Armação fixa, tipo semi-flutuante

Eixo traseiro Apoiado por pino central, tipo semi-flutuante


Tamanho 20,5-25-16PR
Pneus

Tamanho do aro 17,00-25WTB


Pressão de enchimento dos pneus (dianteiros) kPa 340 {3,4}
(traseiros) {kg/cm²} 340 {3,4}
Método de frenagem Freio nas 4 rodas, com aplicação independente às rodas
Principal

Tipo de freio dianteiras e traseiras


Tipo disco em banho de óleo
Método de acionamento
Acionamento hidráulico
Método de operação Com reforçador hidráulico
Freio

Método de frenagem Freio do eixo de saída da transmissão


Estacionamento

Tipo de freio Tipo disco em banho de óleo

Método de acionamento Acionamento por mola, tipo remontado de modo hidráulico

Método direcional Tipo chassi articulado


Direção

Método de acionamento Acionamento hidráulico

*1: Indica o valor da velocidade mínima do ventilador de arrefecimento.


*2: Indica o valor somente do motor (sem o ventilador de arrefecimento).
*3: A capacidade da bateria (Ah) indica o valor percentual por 5 horas de funcionamento.
a A potência de saída nominal do motor é indicada pelos valores líquido e bruto. O valor bruto denota a potência
de saída nominal aferida de um motor independente, enquanto o valor líquido indica a aferição de um motor sob
condições essencialmente iguais às que estaria submetido se instalado na máquina.
a A seguir é informada a potência de saída nominal (líquida) com o ventilador de arrefecimento funcionando em sua
velocidade máxima.
133 kW {179 HP} /2.100 rpm

WA380-6 5
SEN00125-01 01 Especificações

Denominação e tipo da máquina WA380-6


Número de Série 65001 a cima
Bomba do trem de força
• Tipo Tipo de engrenagens
• Vazão cm3/rev 80,2
Bomba do sistema direcional
• Tipo Bomba de pistão do tipo placa de variação do ângulo
de inclinação da bomba e descarga variável
• Vazão cm3/rev 63
Bomba hidráulica

Bomba do equipamento de trabalho


• Tipo Bomba de pistão do tipo placa de variação do ângulo
de inclinação da bomba e descarga variável
• Vazão cm3/rev 90
Bomba do ventilador de arrefecimento
• Tipo Bomba de pistão do tipo placa de variação do ângulo
de inclinação da bomba e descarga variável
• Vazão cm3/rev 30
Sistema hidráulico

Bomba do sistema direcional de emergência


• Tipo Tipo de engrenagens
• Vazão cm3/rev 21
Tipo Pistão de ação dupla
Cilindro da

Diâmetro do cilindro mm 75
direção

Diâmetro externo da haste do pistão mm 45


Curso mm 442
Distância máxima entre os centros dos pinos mm 1.209
Distância mínima entre os centros dos pinos mm 767
Tipo Pistão de ação dupla
Cilindro de

Diâmetro do cilindro mm 130


elevação
Cilindros

Diâmetro externo da haste do pistão mm 90


Curso mm 713
Distância máxima entre os centros dos pinos mm 2.050
Distância mínima entre os centros dos pinos mm 1.337
Tipo Pistão de ação dupla
Cilindro da

Diâmetro do cilindro mm 150


caçamba

Diâmetro externo da haste do pistão mm 90


Curso mm 535
Distância máxima entre os centros dos pinos mm 1.690
Distância mínima entre os centros dos pinos mm 1.155

6 WA380-6
01 Especificações SEN00125-01

Denominação e tipo da máquina WA380-6


Número de série 65001 e acima
Válvula de controle do equipamento
Válvula de controle

de trabalho
• Tipo Tipo 2 carretéis
Sistema hidráulico

• Pressão de ajuste MPa {kg/cm²} 31,4 {320}


Válvula da direção
• Tipo Tipo de carretel
• Pressão de ajuste MPa {kg/cm²} 24,5 {250}
Motor do ventilador de arrefecimento
Motor

• Tipo Motor de pistão do tipo placa de variação do ângulo de


inclinação da bomba e cilindrada variável
• Capacidade do motor cm³/rev 28
Tipo de elo Elo simples
Equipamento
de trabalho

Formato da borda cortante da caçamba Borda cortante reta com BOC

a BOC: Abreviação de borda cortante parafusável

WA380-6 7
SEN00125-01 01 Especificações

Tabela de pesos
k Esta tabela de pesos serve de referência para o manuseio e transporte de componentes.

Unidade: kg
Denominação e tipo da máquina WA380-6
Número de série 65001 e acima
Motor (sem óleo e líquido de arrefecimento) 585
Conjunto do sistema de arrefecimento (sem óleo e líquido
de arrefecimento) 116
• Radiador 20
• Pós-resfriador 14
• Resfriador do óleo hidráulico 9
Resfriador do óleo do trem de força 21
Bomba do ventilador de arrefecimento 25
Motor do ventilador de arrefecimento 14
Transmissão (incluindo conversor de torque)
• Sem embreagem de bloqueio 790
• Com embreagem de bloqueio 835
Eixo de acionamento central 26
Eixo de acionamento dianteiro 22
Eixo de acionamento traseiro 13
Eixo dianteiro
• Com diferencial convencional 880
• Com diferencial dotado de limite de patinagem 890
Eixo traseiro
• Com diferencial convencional 820
• Com diferencial dotado de limite de patinagem 830
Pivô do eixo (eixo traseiro) 103
Roda [17,00-25WTB] (1 peça) 110
Pneu [20,5-25-16PR] (1 peça) 180
Bomba do trem de força 23
Bomba do equipamento de trabalho 39
Bomba do sistema direcional 38
Válvula de controle do equipamento de trabalho Válvula 64
PPC do equipamento de trabalho 4
Válvula dos freios 7
Válvula do sistema direcional 24
Motor do sistema direcional de emergência 13
Bomba do sistema direcional de emergência 3
Conjunto do cilindro da direção (1 peça) 23
Conjunto do cilindro de elevação (1 peça) 158
Conjunto do cilindro da caçamba 168
Armação dianteira 1.356
Armação traseira 1.380
Contrapeso 1.640
Conjunto do capô do motor 369
• Corpo do capô 191
• • Porta lateral (1 peça) 32
• Reservatório hidráulico (exceto óleo hidráulico) 178
Reservatório de combustível (exceto combustível) 178

8 WA380-6
01 Especificações SEN00125-01

Unidade: Kg
Denominação e tipo da máquina WA380-6
Número de série 65001 e acima
Braço de elevação (incluindo buchas) 1.074
Elo da caçamba 55
Manivela 316
Caçamba (2.905 mm largura, incluindo BOC) 1.606
Cabina do operador (incluindo conjunto do piso) 981
Assento do operador 35
Unidade do ar condicionado 5
Bateria (1 peça) 45
a BOC: Abreviação de borda cortante parafusável

WA380-6 9
SEN00125-01 01 Especificações

Tabela de combustível, líquido de arrefecimento e lubrificantes


a Para obter detalhes sobre as observações (Obs. 1 e 2...) indicadas na tabela, consulte o Manual de Operação e
Manutenção.
TEMPERATURA-AMBIENTE
FLUIDOS KOMATSU
RESERVATÓRIO TIPO DE FLUÍDO -22 -4 14 32 50 68 86 104 122ºF RECOMENDADOS
-30 -20 -10 0 10 20 30 40 50°C

(Nota.1) Komatsu EOS0W30

(Nota.1) Komatsu EOS5W40

Cárter de óleo
Óleo do motor Komatsu EO10W30DH
do motor

Komatsu EO15W40DH

Komatsu EO30DH

Caixa da Óleo do trem de


TO10
transmissão força (Obs. 2)
Óleo do trem de
TO10
força

Sistema Óleo hidráulico HO46-HM


hidráulico
Komatsu EO10W30DH
Óleo do motor
Komatsu EO15W40DH

Óleo do eixo
AXO80
(Obs. 3)
Eixo
Óleo do trem de
TO50
força (obs. 4)
Graxa Hyper
G2-T, G2-TE
Graxeira dos (Obs. 5)
pinos/buchas Graxa EP à base
G2-LI
de lítio
Supercoolant
Sistema de
AF-NAC (Obs. AF-NAC
arrefecimento
6)
ASTM Nº 1-D S15
Reservatório de ASTM Nº 1-D S500
Óleo diesel
combustível ASTM Nº 2-D S15
ASTM Nº 2-D S500

10 WA380-6
01 Especificações SEN00125-01

Unidade: l
WA380-6
Ponto de reabastecimento Capacidade de
Capacidade especificada
reabastecimento
Cárter de óleo do motor 25,5 23
Caixa da transmissão 147 38
Sistema do óleo hidráulico 210 139
Eixo (dianteiro/traseiro) 40/40 40/40
Reservatório de combustível 300 –
Sistema de arrefecimento 30,5 –

WA380-6 11
SEN00125-01

Carregadeira de rodas WA380-6


Formulário Nº SEN00125-01

© 2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil 10-08

12
Manual de Oficina SEN01028-00

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento
e padrões de manutenção
Motor e sistema de arrefecimento

Motor e sistema de arrefecimento ..................................................................................................................................... 2


Fixações do motor e fixações da transmissão............................................................................................................ 2
Sistema de arrefecimento ........................................................................................................................................... 3
Bomba do ventilador de arrefecimento ....................................................................................................................... 4
Motor do ventilador de arrefecimento ....................................................................................................................... 12

WA380-6 1
SEN01028-00 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Motor e sistema de arrefecimento


Fixações do motor e fixações da transmissão

Unidade: mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Folga entre suporte de fixação da
1 1 – 1,5 Ajustar
transmissão e parafuso de ajuste

2 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01028-00

Sistema de arrefecimento

1. Radiador 6. Resfriador de óleo do trem de força


2. Pós-arrefecedor 7. Tanque do reservatório
3. Resfriador de óleo 8. Ventilador de arrefecimento
4. Condensador 9. Motor do ventilador de arrefecimento
5. Filtro Acumulador/Secador

Especificações

Resfriador de Resfriador de óleo do


Radiador Pós-arrefecedor
óleo trem de força
Nome do modelo do núcleo AL WAVE-4 CF40-1 AL WAVE PTO-OL
*1
Passo das aletas (mm) 3.5/2 3.5/2 4.0/2
100 x 558 x 12-estágios
Superfície total de dissipação
52.40 4.28 x 2 17.69 1.291
de calor (m²)
Pressão de abertura da válvula 70 ± 15
— — —
de pressão (kPa {kg/cm2}) {0.7 ± 0.15}
Pressão de abertura da válvula 0–5
— — —
de vácuo (kPa {kg/cm2}) {0 – 0.05}
*1: Tamanho do elemento

WA380-6 3
SEN01028-00 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Bomba do ventilador de arrefecimento


Tipo: LPV30
PEPC PAEPC

RECALQUE

SUCÇÃO

P1: Pórtico de descarga da Bomba TO: Pórtico de dreno


PE: Pórtico de entrada da pressão do pistão de controle PEPC: Pórtico de entrada da pressão básica da válvula
PH: Pórtico de saída da pressão de descarga da Bomba EPC
PS: Pórtico de sucção da Bomba PAEPC: Plugue de medição da pressão de saída EPC

1. Servo-válvula
2. Sangrador de ar
3. Conector de entrada da corrente de comando

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01028-00

1. Eixo
2. Retentor de óleo
3. Carcaça
4. Placa de Inclinação
5. Sapata
6. Pistão
7. Bloco cilíndrico
8. Placa de controle
9. Mola
10. Servo-Pistão

WA380-6 5
SEN01028-00 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Função
• A rotação e torque do motor são transmitidos até o
eixo desta bomba. Desta forma, esta bomba converte
a rotação e o torque em energia hidráulica e recalca o
óleo de acordo com a carga aplicada a máquina.

• É possível alterar a vazão de saída alterando o ângulo


da placa de inclinação.

Estrutura
• O Bloco cilíndrico (7) está suportado pelo eixo (1)
através dos entalhes (a), a o eixo (1) está suportado
pelos mancais frontal e traseiro.
• A base do pistão (6) é uma esfera côncava, e a sapata
(5) está montada nele de modo que se torna um peça
única. Pistão (6) e a sapata (5) formam um mancal
esférico.
• A placa de inclinação (4) possui uma superfície plana
(A), onde as sapatas estão sempre pressionadas
contra esta superfície e deslizam em círculos. A placa
de inclinação (4) também desliza ao redor da esfera
(11) utilizando esta como pivô.
• Os pistões (6) executam um movimento relativo na
direção axial dentro de cada câmara de compressão
do Bloco cilíndrico (7).
• O Bloco cilíndrico (7) executa uma rotação relativa
à placa de controle (8) enquanto esta veda o óleo
pressurizado, e assegura que o balanço hidráulico
seja mantido corretamente.
• E o óleo de cada câmara de compressão do Bloco
cilíndrico (7) para sucção ou recalque é provido
através da placa de controle (8).

6 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01028-00

Operação • Quando a linha de centro (X) da placa de inclinação


(4) é a mesma da direção axial do bloco cilíndrico (7)
1. Operação da bomba [ângulo placa de inclinação = 0], a diferença entre
• O Bloco cilíndrico (7) rotaciona junto com o eixo (1) os volumes (E) e (F) dentro do bloco cilíndrico (7) é
e as sapatas(5) deslizam sobre o plano (A). Neste 0, então a bomba não succiona nem descarrega, e
momento, a placa de inclinação (4) movimenta-se nenhuma operação de bombeamento é executada.
ao redor da esfera (11), modificando o ângulo de [Atualmente o ângulo da placa de inclinação não é
inclinação (a) em relação a linha de centro (X) da placa ajustável até 0º].
de inclinação (4) na direção axial do Bloco cilíndrico • Em resumo, o ângulo da placa de inclinação (a) é
(7). Como resultado, cada pistão (6) succiona e proporcional à vazão entregue na saída da bomba.
comprime óleo de (F) – (E).
• Se o ângulo (a) for alterado dentro da linha de centro
(X) da placa de inclinação (4) e o eixo do bloco
cilíndrico (7), o plano (A) trabalhará como um came
para as sapatas (5).
• De acordo, pistão (6) desliza dentro do bloco cilíndrico
(7) é gerada uma diferença de volumes (E) e (F) dentro
do bloco cilíndrico (7). Como resultado, cada pistão (6)
succiona e comprime óleo de (F) – (E).
• Em outras palavras, o bloco cilíndrico (7) rotaciona, e
o volume na câmara (E) se torna menor, então o óleo
pressurizado e descarregado durante este processo.
Ao mesmo tempo, o volume na câmara (F) se torna
maior e o óleo é succionado neste processo. [Na figura
abaixo, a câmara (F) está no final do curso de sucção
e a câmara (E) está no final do curso de descarga].

WA380-6 7
SEN01028-00 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

2. Controle da vazão de saída


• Se o ângulo da placa de inclinação (a) estiver
diminuindo, a diferença de volumes (E) e (F) estará
diminuindo, e a vazão de saída (Q) também. O ângulo
da placa de inclinação (a) é alterado pelo servo-pistão
(10).
• O servo-pistão (10) responde de forma linear ao
sinal de pressão da servo-válvula. Esta resposta de
movimento linear é transmitida pela placa de inclinação
(4). Desta forma, a placa de inclinação (4) suportada
na esfera (11) desliza ao redor da esfera (11).

8 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01028-00

Servo-válvula

P: Pressão básica da válvula EPC


T: Dreno
PE: Pressão do pistão de controle
PH: Pressão de descarga da bomba

1. Plugue
2. Alavanca
3. Retentor
4. Assento
5. Carretel
6. Pistão
7. Luva

WA380-6 9
SEN01028-00 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Pressão de saída EPC

Função • A pressão de saída da válvula EPC é aplicada na


• A servo-válvula recebe o sinal de corrente da válvula câmara do pistão (6) de modo a empurrá-lo. O pistão
EPC e controla a vazão de saída (Q) da bomba, estes (6), por sua vez, empurra o carretel (5) até estar em
itens estão interligados conforme mostra o diagrama equilíbrio com a força da mola.
abaixo. • Então, o canal (PE) de passagem de pressão do
servo-pistão é conectado a passagem de descarga da
bomba através do chanfro do carretel (5) desta forma
a pressão de descarga é conduzida até ao servo-
pistão.
Vazão de saída da bomba Q

• O servo-pistão é aumentado pela placa de inclinação.


Então, o sinal de retorno da posição e aplicado,
movendo a alavanca e comprimindo a mola.
• Se o carretel (5) for empurrado de volta, o circuito de
descarga da bomba e o circuito do servo-pistão serão
desligados. A pressão no câmara do servo-pistão cairá
e a placa de inclinação retornará para a posição de
máximo ângulo.
• Estes processos serão repetidos até a placa de
inclinação ser fixada a uma posição onde, a saída EPC
Corrente EPC estiver em equilíbrio com a força da mola.
• Consequentemente, com a pressão de saída EPC
alta, o ângulo da placa de inclinação será diminuído.
Com a pressão de saída EPC baixa, o ângulo da placa
de inclinação será aumentado.

10 WA380-6
SEN01028-00 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Motor do ventilador de arrefecimento


Tipo: LMF28

P: Da bomba do ventilador
T: Do resfriador para o tanque
TC: Para o tanque

Especificações
Tipo: LMF28
Capacidade: 28.0 cc/rev
Faixa de rotação: 1,500 rpm
Taxa de vazão: 42 l/min
Pressão de abertura da válvula de retenção: 44.1 kPa {0.45 kg/cm2}

12 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01028-00

1. Eixo de saída 7. Tampa de fechamento


2. Carcaça 8. Mola central
3. Placa móvel 9. Válvula de retenção
4. Conjunto do pistão 10. Válvula piloto
5. Bloco do cilindro 11. Carretel para válvula reversível
6. Placa de controle 12. Válvula de segurança

Unidade = mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Tamanho padrão Limite de reparo
Comprimento
Comprimento Carga Comprimento Carga Se
Mola de retorno do livre x diâmetro
13 instalado instalada livre instalada danificada ou
carretel externo
deformada,
58.8 N 47.1 N substitua a
44.84 x 12 33 —
{6 kg} {4.8 kg} mola.
Mola da válvula de 1.96 N 1.57 N
14 13.0 x 6.5 9.5 —
retenção {0.2 kg} {0.16 kg}

WA380-6 13
SEN01028-00 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

1. Motor Hidráulico

Função
• Este motor hidráulico é chamado de motor de pistões
axiais com placa de inclinação. Este converte a
energia do óleo pressurizado enviado pela bomba
hidráulica em movimento de rotação.

Principio de operação
• O óleo enviado da bomba hidráulica flui através da
placa de controle (7) para dentro do bloco do cilindro
(5). Este óleo pode fluir em apenas uma direção da
linha (Y-Y) de conexão do centro do topo e do centro
da base do curso dos pistões (4).
• O óleo enviado para um lado do bloco do cilindro (5)
pressiona o pistão (4) [2 ou 3 peças], e gera um força
(F1) [F1=Px π@D²/4].
• Esta força é aplicada na placa móvel (2). Desde que
a placa móvel (2) esteja fixada em um ângulo de (a°)
graus com o eixo de saída (1), a força é dividida em
duas componentes (F2) e (F3).
• A componente radial (F3) gera o torque [T=F3 x ri]
contra a linha (Y-Y) de conexão do centro do topo e do
centro da base.
• O resultado deste torque [T = s(F3 x ri)] rotaciona o
bloco do cilindro (5) através dos pistões.
• Desde que este bloco do cilindro (5) esteja montado
(através de entalhes) ao eixo de saída, o eixo de saída
rotaciona para transmitir o torque.

Lado de
abastecimento
Lado de drenagem

14 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01028-00

2. Válvula de sucção 2) Quando a bomba é parada


• Se o motor for parado e as rotações de entrada
Função da bomba do ventilador diminuir até 0 rpm, o óleo
• Se a bomba do ventilador parar, o óleo pressurizado pressurizado da bomba não será fornecido ao pórtico
não fluirá para dentro do motor. Mesmo se o motor (P). Como o óleo não será mais fornecido ao lado (MA)
continuar girando devido à força de inércia, no entanto, do motor, a velocidade de giro do motor irá reduzir
a pressão no lado de saída do motor aumentará. gradualmente até parar.
• Quando o óleo parar de fluir para dentro do pórtico • Se o eixo do motor for rotacionado pela força de inércia
de entrada (P), a válvula de sucção (1) irá succionar enquanto o óleo em (P) estiver sendo reduzido, o óleo
o óleo na região externa e fornece-lo ao pórtico (MA) no pórtico (T) no lado de saída será enviado pela
onde não há óleo suficiente para prevenir a cavitação. válvula de sucção (1) para o lado (MA) para prevenir a
cavitação.
Operação

1) Quando a bomba é ligada


• Se o óleo pressurizado vindo da bomba for fornecido
ao pórtico (P) a pressão no lado (MA) aumentará e
iniciará a gerar o torque no motor, o motor iniciará
a girar. O óleo pressurizado na saída do motor lado
(MB) do motor retornará através do pórtico (T) para o
tanque. BOMBA DO
VENTILADOR

BOMBA DO
VENTILADOR

WA380-6 15
SEN01028-00 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

3. Operação da válvula de reversão

1) Quando a solenóide LIG/DESL for desenergizada. 2) Quando a solenóide LIG/DESL for energizada.
• Se a solenóide (1) for “desenergizada”, o óleo • Se a solenóide (1) for “energizada”, a válvula seletora
pressurizado vindo da bomba será bloqueado pela LIG/DESL irá alterar, fazendo com que o óleo
válvula seletora LIG/DESL (2), e o pórtico (C) abrirá pressurizado vindo da bomba flua através do pórtico
para o circuito de tanque. (C) para dentro da câmara do carretel (D).
• O carretel (3) será empurrado para a direita pela mola • O óleo pressurizado na câmara (D) empurra o carretel
(4). da válvula (3) para esquerda contra a mola (4).
• O pórtico do motor (MA) abrirá e o óleo pressurizado • O pórtico do motor (MB) abre e o óleo pressurizado
fluirá para dentro do motor rotacionando-o para frente flui para dentro do motor, fazendo-o girar no sentido
(sentido horário). reverso (anti-horário).

BOMBA DO LIGADO
VENTILADOR
BOMBA DO DESLIGADO
VENTILADOR

16 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01028-00

4. Válvula de segurança

BOMBA DO
VENTILADOR

Função
• Quando o motor for ligado, a pressão no pórtico (P) do
motor do ventilador estará alta em alguns casos.
• A válvula de segurança (1) está instalada para proteger
o circuito do sistema do ventilador.

Operação
• Se a pressão no pórtico (P) aumentar acima da
pressão de abertura da válvula de segurança (1), a
válvula (2) dentro da válvula de segurança (1) abre
para aliviar o óleo pressurizado para o pórtico (T).
• Através desta operação, previne-se contra a geração
de uma pressão anormal no pórtico (P).

WA380-6 17
SEN01028-00

Pá Carregadeira de Rodas WA380-6

Nº do formulário SEN01028-00

© 2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil 10-08 (01)

18
Manual de Oficina SEN01029-01

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento
e padrões de manutenção
Trem de força

Trem de força .................................................................................................................................................................... 3


Trem de força ............................................................................................................................................................. 3
Diagrama do sistema do trem de força....................................................................................................................... 4
Eixo de acionamento .................................................................................................................................................. 6
Diagrama da tubulação do trem de força ................................................................................................................... 7
Conversor de torque ................................................................................................................................................... 8
Transmissão ............................................................................................................................................................ 16
Válvula controladora de vazão ................................................................................................................................ 33
Conjunto de válvula .................................................................................................................................................. 34
ECMV ....................................................................................................................................................................... 35
Válvula de alívio principal e Válvula de alívio do conversor de torque ..................................................................... 42
Eixo .......................................................................................................................................................................... 44
Diferencial ................................................................................................................................................................ 46

WA380-6 1
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Diferencial com patinagem limitada .......................................................................................................................... 51


Comando final........................................................................................................................................................... 58

2 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

TREM DE FORÇA
Trem de força

1. Transmissão 5. Eixo de acionamento traseiro


2. Conversor de torque 6. Eixo de acionamento central
3. Motor 7. Eixo de acionamento dianteiro
4. Eixo traseiro 8. Eixo dianteiro

Descrição geral • A potência do eixo de saída da transmissão é


• A potência do motor (3) é transmitida através do transmitida através do eixo de acionamento central
volante do motor para o conversor de torque (2). (6), eixo de acionamento dianteiro (7), e eixo de
A turbina do conversor está conectada ao eixo de acionamento traseiro (5) ao eixo traseiro (4) e dianteiro
entrada da transmissão (1). (8), daí então transmitido através das rodas aos
• A transmissão possui 6 embreagens hidráulicas para pneus.
ajustar as 4 velocidades a frente e as 4 velocidades a ré.

WA380-6 3
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Diagrama do sistema do trem de força

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

1. Eixo dianteiro Descrição geral


2. Diferencial • A força do motor (15) é transmitida através do volante
3. Freio a disco múltiplo em banho de óleo do motor para o conversor de torque (16).
4. Comando final O conversor de torque converte o torque transmitido de
5. Eixo de acionamento dianteiro acordo com a oscilação da carga através da utilização
6. Eixo de acionamento central do óleo como meio de transmissão da potência para
7. Freio de estacionamento eixo de entrada da transmissão (8).
8. Transmissão A potência do motor também é transmitida aos
9. Eixo de acionamento traseiro acionamentos da bomba da direção (19), bomba do
10. Pneu traseiro ventilador de arrefecimento (20), bomba do trem de
11. Comando final força (17) e bomba do equipamento de trabalho (18)
12. Freio a disco múltiplo em banho de óleo através do conjunto de engrenagens do conversor de
13. Diferencial torque para acionar suas respectivas bombas.
14. Eixo traseiro • As 6 embreagens hidráulicas da transmissão (8)
15. Motor são operadas com a válvula da direção e válvula de
16. Conversor de torque mudança de marcha da válvula da transmissão para
17. Bomba do trem de força selecionar uma relação de transferência dentre as 4
18. Bomba do equipamento de trabalho velocidades de deslocamento a frente ou a ré.
19. Bomba do sistema direcional • O freio de estacionamento (7) é do tipo freio de disco
20. Bomba do ventilador de arrefecimento múltiplo em banho de óleo, o qual está instalado na
21. Mancal flangeado região dianteira do eixo de saída, sendo utilizado para
22. Pneu dianteiro parar a máquina. Este é operado através da válvula
solenóide que recebe o sinal quando o interruptor do
freio de estacionamento é atuado.
• A potência da transmissão (8) é transferida para os
eixos dianteiro e traseiro.
• No lado dianteiro, a potência é transmitida através do
eixo de acionamento central (6), mancal flangeado
(21), e eixo de acionamento dianteiro (5) até o eixo
dianteiro.
• No lado traseiro, a potência é transmitida através do
eixo de acionamento traseiro (9) até o eixo traseiro
(14).
• A potência transmitida para o eixo dianteiro(1) e eixo
traseiro (14) sofre redução de velocidade através dos
diferenciais (2) e (13), e então é transmitida para o eixo
da engrenagem solar.
• A força da engrenagem solar é reduzida em velocidade
pelos mecanismos de planetárias dos comandos finais
(4) e (11), e em seguida transmitida através do eixo e
das rodas para os pneus.

WA380-6 5
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Eixo de acionamento

1. Eixo de acionamento dianteiro Descrição geral


2. Mancal flangeado • A força do eixo de saída da caixa de transferência é
3. Eixo de acionamento central transmitida através do eixo de acionamento central
4. Eixo de acionamento traseiro (3), eixo de acionamento frontal (1) e do eixo de
acionamento traseiro (4) para o eixo dianteiro e eixo
traseiro.
• Quando a máquina é articulada ou recebe um
impacto do caminho durante o deslocamento, ou um
impacto de trabalho, a distância entre a transmissão
e os eixos dianteiro e traseiro se alteram. Os eixos de
acionamento podem ter seus ângulos e comprimentos
alterados por meio de juntas universais e mancais
flangeados (2), para que a força seja transmitida
sem danificar qualquer peça, mesmo quando as
posições dos componentes se alteram em função dos
impactos.

6 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Diagrama da tubulação do trem de força

1. Bomba do ventilador de arrefecimento 7. Transmissão ECMV


2. Bomba da direção 8. Bomba do equipamento de trabalho
3. Tanque hidráulico 9. Tubulação de enchimento de óleo
4. Resfriador do óleo do trem de força 10. Filtro de óleo
5. Bomba do trem de força 11. Conjunto da transmissão
6. Filtro de última chance

WA380-6 7
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Conversor de torque
Sem embreagem de travamento

1. Piloto 7. Bomba
2. Volante 8. Engrenagem do PTO
3. Carcaça de acionamento 9. Engrenagem de acionamento do PTO (Número de
4. Sobressalto dentes: 103)
5. Turbina 10. Eixo do estator
6. Estator 11. Eixo de entrada

Especificações
Tipo 3-elemento, 1-estagio, 1-fase
Razão de estol do torque 3.27

8 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Unid: mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Valor padrão Tolerância Limite de Reparo Repare
1 Diâmetro externo do piloto –0.010 através de
52 51.95
–0.040 um banho
Folga do engrenamento entre a de cromo
+0.035 duro ou
2 engrenagem de acionamento do 110 110.5
+0.035 substitua
PTO e a engrenagem do PTO
Diâmetro interno da superfície de
3 contato do anel de vedação da 0.17 – 0.45 Substitua
engrenagem do PTO

WA380-6 9
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Caminho de Transmissão da Potência Fluxo do óleo

A Potencia do motor • O óleo flui através da válvula de alívio principal


O fazendo a pressão reduzir abaixo da pressão ajustada
Volante (1) pela válvula de alívio do conversor de torque, e então
O o óleo flui através da porta de entrada (A) e pela
Carcaça de acionamento (2), bomba (3) e engrenagem de passagem de óleo do eixo do estator (1) até a bomba
acionamento do PTO (4) giram juntas (2).
O • O óleo é provido da força centrifuga da bomba (2) e flui
O óleo é utilizado como meio de transmissão para dentro da turbina (3) para transmitir sua energia à
O turbina (3).
Turbina (6) e sobressalto (7) • O óleo da turbina (3) é enviado para o estator (4) e
O flui para a bomba (2) novamente. No entanto, parte
Eixo de entrada da transmissão (8) do óleo passa entre a turbina (3) e o estator (4) sendo
enviado para a porta de saída (B) para resfriador de
• A potência transmitida à engrenagem de acionamento óleo de modo a ser arrefecido. Este óleo depois é
do PTO (4) é também utilizada como potência para utilizado para lubrificação da transmissão.
acionar a bomba após ser transmitida através das
engrenagens do PTO (5).

10 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Conversor de torque
Com embreagem de travamento

1. Piloto 10. Engrenagem de acionamento do PTO (Número de


2. Volante dentes: 103)
3. Carcaça da embreagem de travamento 11. Eixo do estator
4. Sobressalto 12. Guia
5. Turbina 13. Eixo de entrada
6. Carcaça de acionamento 14. Roda livre
7. Estator 15. Pista
8. Bomba 16. Disco da embreagem de travamento
9. Engrenagem do PTO 17. Pistão da embreagem de travamento

Especificações
Tipo 3-elemento, 1-estagio, 1-fase
Razão de estol do torque 2.98

WA380-6 11
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

12 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Unidade: mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Tamanho padrão Tolerância Limite de reparo
1 Diâmetro externo do piloto –0.010
52 51.95
–0.040 Repare através
Diâmetro interno da superfície de de um banho
+0.025 de cromo duro
2 contato do anel de vedação da 35 35.5
+0.025 ou substitua
embreagem
Diâmetro interno da superfície de +0.081
260 260.1
contato do anel de vedação do piloto +0.081
3 –0.01
Desgaste do anel de Largura 5 4.5
–0.04
vedação da carcaça Substitua
da embreagem Espessura 6 ±0.15 5.85
Diâmetro interno da superfície de
+0.089
4 contato do anel de vedação da 340 340.5
+0.089
carcaça da embreagem
Diâmetro interno da superfície de Repare através
contato do anel de vedação da +0.040 de um banho
5 120 120.5
engrenagem de acionamento do +0.040 de cromo duro
PTO ou substitua
Diâmetro interno da superfície de
+0.030
6 contato do anel de vedação do eixo 60 60.5
+0.030
do estator.
Diâmetro interno da superfície da
7 91.661 ±0.008 91.691
pista de transferência da roda livre
Diâmetro interno da superfície do
+0.008
8 eixo do estator de transferência da 72.661 72.631
–0.005
roda livre
Diâmetro interno da bucha +0.015
9 72.775 72.855
deslizante +0.015 Substitua
–0.1
10 Espessura da bucha deslizante 5 4.5
–0.1
11 Espessura do disco da embreagem 5 ±0.1 4.5
Folga do engrenamento entre a
12 engrenagem de acionamento do 0.17 – 0.45
PTO e a engrenagem do PTO

WA380-6 13
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Caminho de Transmissão da Potência

Quando a embreagem está “desacoplada” Quando a embreagem está “acoplada”

A carcaça de acionamento (3) está desconectada da flange A carcaça de acionamento (3) está conectada a flange (9)
(9) e da turbina (8) e o conversor de torque com travamento e a turbina (8) e o conversor de torque com travamento
trabalha como um conversor convencional. estará travado.

A Potencia do motor A Potencia do motor


O O
Volante (1) Volante (1)
O O
Carcaça de acionamento (3), bomba (5) e engrenagem de Carcaça de acionamento (3), bomba (5) e engrenagem de
acionamento do PTO (6) giram juntas acionamento do PTO (6) giram juntas
O O
O óleo é utilizado como meio de transmissão Embreagem de travamento (4)
O O
Turbina (8) e Flange (9) Sobressalto (9)
O O
Eixo de entrada da transmissão (10) Eixo de entrada da transmissão (10)

• A potência transmitida à engrenagem de acionamento • A potência transmitida à engrenagem de acionamento


do PTO (6) é também utilizada como potência para do PTO (6) é também utilizada como potência para
acionar a bomba após ser transmitida através das acionar a bomba após ser transmitida através das
engrenagens do PTO (7). engrenagens do PTO (7).

14 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Fluxo do óleo

• O óleo flui através da válvula de alívio principal


fazendo a pressão reduzir abaixo da pressão ajustada
pela válvula de alívio do conversor de torque, e então
o óleo flui através da porta de entrada (A) e pela
passagem de óleo do eixo do estator (1) e guia (2) até
a bomba (3).
• O óleo é provido da força centrifuga da bomba (3) e flui
para dentro da turbina (4) para transmitir sua energia à
turbina (4).
• O óleo da turbina (4) é enviado para o estator (5) e
então retorna à bomba (3) novamente. No entanto,
parte do óleo passa entre a turbina (4) e o estator
(5) sendo enviado para a porta de saída (B) para
resfriador de óleo de modo a ser arrefecido. Sendo
depois utilizado para lubrificação da transmissão.

WA380-6 15
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Transmissão
a A figura a seguir mostra uma máquina equipada com embreagem de travamento.

16 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

A: Da bomba do trem de força Descrição geral


B: Ponto de medição da pressão do óleo da embreagem
de 2º • A transmissão empregada consiste em um mecanismo
C: Ponto de medição da pressão do óleo da embreagem de engrenamentos constantes dispostos contra-eixo
de 1º e discos de embreagens que geram “4 velocidades
D: Ponto de medição da pressão do óleo de lubrificação avante e 4 velocidades a ré”.
da transmissão • A transmissão seleciona uma direção de rotação e
E: Do resfriador do óleo uma velocidade de engrenamento através da fixação
F: Ponto de medição da pressão do óleo da embreagem do tipo contra-eixo, mecanismos de engrenamentos
de 3º constante e 2 saídas dos 6 discos de embreagem
G: Ponto de medição da pressão do óleo da embreagem ajustáveis com a pressão do óleo provida pela
de 4º operação da ECMV.
H: Ponto de medição da pressão do óleo da embreagem • A transmissão transmite a potência do eixo de entrada
de travamento (se equipado) até o eixo de saída após selecionar uma velocidade
J: Para o resfriador de óleo única dentre as 4 velocidades disponíveis, ambas para
K: Ponto de medição da pressão do óleo da embreagem deslocamento avante e a ré. Neste caso, a alteração
Avante da direção é feita pelas embreagens de Avante (F) e de
ré (R) mais a combinação com uma das 4 embreagens
1. Ponto de montagem da bomba do ventilador e da de velocidade.
bomba da direção
2. Ponto de montagem da bomba do equipamento de
Número de placas e discos utilizado
trabalho e da bomba do trem de força
3. Carcaça da transmissão (traseira)
4. Conjunto de válvulas Número de Número de
N.ºda embreagem
5. Válvula de alívio principal e válvula de alívio do placas discos
conversor de torque Embreagem Avante 11 10
6. ECMV da embreagem de 2º Embreagem Ré 11 10
7. ECMV da embreagem de 1º
8. Carcaça da transmissão (dianteira) Embreagem 1º 7 6
9. Ponto de montagem da tubulação de preenchimento Embreagem 2º 9 8
do óleo Embreagem 3º 6 5
10. Indicador de nível do óleo
11. Filtro de óleo da transmissão Embreagem 4º 7 6
12. Bujão de dreno
13. Sensor de temperatura do óleo da transmissão
Combinação das embreagens na respectiva velocidade
14. ECMV da embreagem de 3º
e razão de redução
15. ECMV da embreagem de 4º
16. ECMV da embreagem de Travamento (se equipado) Embreagem Razão de
17. ECMV da embreagem de Avante Velocidade
utilizada redução
18. Respiro
1º Avante F x 1º 4.112
2º Avante F x 2º 2.311
3º Avante F x 3º 1.265
4º Avante F x 4º 0.711
Neutro — —
1º à Ré R x 1º 3.826
2º à Ré R x 2º 2.151
3º à Ré R x 3º 1.178
4º à Ré R x 4º 0.661

WA380-6 17
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Tabela de Operação da ECMV

ECMV
F R 1º 2º 3º 4º L/U
Velocidade

F1 Q Q
F2 Q Q
F3 Q Q Q
F4 Q Q Q
R1 Q Q
R2 Q Q
R3 Q Q Q
R4 Q Q Q

L/U: indica a ECMV da embreagem de travamento do


conversor (se equipado)

• O óleo da bomba flui através da válvula de controle


de fluxo e do filtro de óleo para a carcaça frontal
da transmissão. O óleo é então divergido para o
circuito de alívio principal e o circuito de atuação da
embreagem.
• A pressão do óleo enviado para circuito de atuação da
embreagem é regulado pela válvula de alívio principal,
e então utilizado para atuar a embreagem e freio de
estacionamento através do filtro de última chance. O
óleo aliviado pela válvula de alívio principal é fornecido
ao conversor de torque.
• Quando a marcha da transmissão é alterada, a
ECMV aumenta a pressão do óleo na embreagem
vagarosamente de acordo com o comando de corrente
elétrica do controlador da transmissão de modo a
reduzir os choques durante a mudança de marcha. A
ECMV também é capaz de manter a pressão constante
na embreagem durante o deslocamento.
• Se a ECMV de Avante, ré, ou 1º – 4º for selecionada, o
óleo pressurizado será fornecido para esta embreagem
para ajustar a transmissão na velocidade desejada.
• Na 3º e 4º velocidade de deslocamento, a ECMV
da embreagem de travamento (se equipada) opera
somente na velocidade acima do valor especificado
pelo controlador da transmissão.

18 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

a A figura a seguir mostra uma máquina equipada com embreagem de travamento.

1. Engrenagem A do PTO (Número de dentes: 94) 10. Embreagem de saída (Número de dentes: 62)
2. Engrenagem de acionamento do PTO (Número de 11. Freio de estacionamento
dentes: 103) 12. Acoplamento dianteiro
3. Conversor de torque 13. Eixo inferior
4. Eixo de entrada 14. Embreagem de 2º
5. Embreagem de Avante 15. Eixo superior
6. Embreagem de 4º 16. Embreagem de 1º
7. Embreagem de 3º 17. Embreagem de Ré
8. Acoplamento traseiro
9. Eixo de saída

WA380-6 19
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

a A figura a seguir mostra uma máquina equipada com embreagem de travamento.

392-441Nm
{40-45Kgm}

98-123Nm
{10-12.5Kgm}

490-608Nm
{50-62Kgm}

98-123Nm 98-123Nm
{10-12.5Kgm} {10-12.5Kgm}

20 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Unid:mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho Tolerância Folga Limite de
Folga entre Mancal da engrenagem padrão Eixo Furo padrão folga
A do PTO e a carcaça traseira –0.015 –0.006 –0.028 –
1 110 -
–0.015 –0.028 0.009
Folga entre Mancal da engrenagem A +0.021 –0.015 –0.036 –
60 -
do PTO e a engrenagem A do PTO. +0.002 –0.015 –0.002
Folga entre o mancal do eixo de –0.015 +0.030
2 100 0 – 0.045 -
entrada e carcaça dianteira –0.015 +0.030
Folga entre o mancal do eixo –0.015 +0.030
3 110 0 – 0.045 -
superior e a carcaça dianteira –0.015 +0.030
Folga entre o mancal do eixo –0.015 +0.030
4 120 0 – 0.045 -
superior e a carcaça traseira –0.015 +0.030
Folga entre o mancal do eixo inferior –0.015 +0.030
5 110 0 – 0.045 -
e a gaiola –0.015 +0.030
Folga entre o mancal do eixo inferior –0.015 +0.035
6 120 0 – 0.053 -
e a carcaça traseira –0.018 +0.030
Folga entre o mancal do eixo de saída –0.015 +0.035
7 110 0 – 0.053 -
e o retentor –0.018 +0.030
Folga entre o mancal do eixo de –0.015 –0.015 –0.040 –
120 -
saída e o eixo de saída –0.018 –0.040 0.003
8
Folga entre o mancal do eixo de saída +0.030 –0.015 –0.045 –
65 -
e a carcaça dianteira +0.011 –0.015 –0.011
Folga entre o mancal do eixo de saída –0.015 –0.018 –0.058 –
140 -
e a carcaça dianteira –0.020 –0.058 0.002
9
Folga entre o mancal do eixo de +0.030 –0.015 –0.045 –
65 -
saída e o eixo de saída +0.011 –0.015 –0.011
Diâmetro interno da superfície de Tamanho padrão Tolerância Limite de reparo
contato da vedação do eixo de +0.05
10 entrada (dianteiro) 55 55.1
+0.05
Largura do canal de assentamento da +0.076
3.2 3.5 Substitua
vedação do eixo de entrada (dianteiro) +0.076
Diâmetro interno da superfície de
+0.05
contato da vedação do eixo de 60 60.1
+0.05
11 entrada (traseiro)
Largura do canal de assentamento da +0.076
3.2 3.5
vedação do eixo de entrada (traseiro) +0.076
Diâmetro interno da superfície de
+0.05
contato da vedação do eixo superior 55 55.1
+0.05
12 (dianteiro)
Largura do canal de assentamento da +0.076
3.2 3.5
vedação do eixo superior (dianteiro) +0.076
Diâmetro interno da superfície de
+0.05
contato da vedação do eixo superior 50 50.1
+0.05
13 (traseiro)
Largura do canal de assentamento da +0.076
3.2 3.5
vedação do eixo superior (traseiro) +0.076
Diâmetro interno da superfície de
+0.03
contato da vedação do eixo inferior 60 60.1
+0.03
14 (dianteiro)
Largura do canal de assentamento da +0.076
3.2 3.5
vedação do eixo inferior (dianteiro) +0.076
Diâmetro interno da superfície de
+0.05
contato da vedação do eixo inferior 50 50.1
+0.05
15 (traseiro)
Largura do canal de assentamento +0.076
3.2 3.5
da vedação do eixo inferior (traseiro) +0.076
Diâmetro externo da superfície de
–0.074
16 contato da vedação do acoplamento 80 79.8
–0.074
dianteiro
Diâmetro externo da superfície de
–0.074
17 contato da vedação do acoplamento 80 79.8
–0.074
traseiro
Folga padrão Limite da folga
18 Folga entre a gaiola e a carcaça
1.19 – 1.95 (espessura do calço padrão 1.4) -
19 Folga entre o retentor e a carcaça 0.85 – 1.42 (espessura do calço padrão 1.0) -
Torque rotacional livre do eixo de
20 0.74 – 1.46 Nm {0.076 – 0.149kgm}
saída

WA380-6 21
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Unid:mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Tamanho Tolerância Folga Limite de
Folga entre o mancal da engrenagem padrão Eixo Furo padrão folga
B do PTO e a carcaça traseira –0.015 –0.006 –0.028 –
1 110 —
–0.015 –0.028 0.009
Folga entre o mancal da engrenagem +0.021 –0.015 –0.036 –
60 —
B do PTO e a engrenagem B do PTO +0.002 –0.015 –0.002
Folga entre o mancal engrenagem –0.016 –0.013 –0.040 –
2 80 —
guia de Ré e a carcaça dianteira –0.016 –0.040 0.003 Substitua
Folga entre o mancal engrenagem guia +0.050 –0.012 –0.062 –
3 50
de Ré e a engrenagem guia de Ré +0.040 –0.012 –0.040
Folga padrão Limite de folga
Torque rotacional livre da engrenagem
3 1.15 – 1.91
guia de Ré —
(espessura do calço padrão 1.35)

4 Folga entre a gaiola e a carcaça 0.49 – 0.98 Nm {0.05 – 0.1 kgm}

5. Engrenagem B do PTO (Número de dentes: 90)


6. Engrenagem guia de Ré (Número de dentes: 26)
7. Restrição
8. Sensor de temperatura do óleo do conversor de
torque
9. Válvula de controle de fluxo

A: Ponto de medição da pressão do óleo da saída do


conversor

22 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Embreagens de Avante e Ré
Sem embreagem de travamento

A: Porta de óleo da embreagem de Ré C: Porta do óleo de lubrificação


B: Porta de óleo da embreagem de avante

1. Engrenagem da embreagem de ré (Número de dentes: 4. Embreagem de avante


30) 5. Engrenagem da embreagem de avante (Número de
2. Embreagem de ré dentes: 38)
3. Cilindros de Avante e de ré 6. Eixo de entrada

Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho Tolerância Folga Limite de
Folga entre o mancal do eixo
padrão Eixo Furo padrão folga
7 de entrada e o eixo de entrada
(dianteiro) +0.034 0 –0.049 –
55 -
+0.024 –0.015 –0.024
Folga entre o mancal do eixo
+0.030 0 –0.045 –
8 de entrada e o eixo de entrada 60 -
+0.011 –0.015 –0.011
(traseiro)
Tamanho padrão Tolerância Limite de Reparo
9 Placa da embreagem Espessura 1.7 ±0.05 1.53
Tensão — 0.05 0.15
Disco da embreagem Espessura 2.2 ±0.08 1.82 Substitua
10
(Embreagem de ré) Tensão — 0.1 0.25
Disco da embreagem Espessura 2.2 ±0.08 1.82
11 (Embreagem de
avante) Tensão — 0.1 0.25

Carga da mola (Altura de teste: 1,010 N ±101 N 859 N


12
2.2mm) {103 kg} {±10.3 kg} {87.6 kg}
13 Empenamento da placa prato 1.4 ±0.2 1.2
14 Espessura da arruela de encosto 3 ±0.1 2.7

WA380-6 23
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Embreagens de Avante e Ré
Com embreagem de travamento

A: Porta de óleo da embreagem de Ré C: Porta do óleo de lubrificação


B: Porta de óleo da embreagem de avante

1. Engrenagem da embreagem de ré (Número de dentes: 4. Embreagem de avante


30) 5. Engrenagem da embreagem de avante (Número de
2. Embreagem de ré dentes: 38)
3. Cilindros de Avante e de ré 6. Eixo de entrada

Unid: mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Tamanho Tolerância Folga Limite de
Folga entre o mancal do eixo padrão padrão folga
Eixo Furo
7 de entrada e o eixo de entrada
(dianteiro) +0.034 0 –0.049 –
55 -
+0.024 –0.015 –0.024
Folga entre o mancal do eixo
+0.030 0 –0.045 –
8 de entrada e o eixo de entrada 60 -
+0.011 –0.015 –0.011
(traseiro)
Tamanho padrão Tolerância Limite de Reparo
9 Placa da embreagem Espessura 1.7 ±0.05 1.53
Tensão — 0.05 0.15
Disco da Espessura 2.2 ±0.08 1.82 Substitua
10 embreagem
(Embreagem de ré) Tensão — 0.1 0.25
Disco da embreagem Espessura 2.2 ±0.08 1.82
11 (Embreagem de
avante) Tensão — 0.1 0.25
Carga da mola (Altura de teste: 1,010 N ±101 N 859 N
12
2.2mm) {103 kg} {±10.3 kg} {87.6 kg}
13 Empenamento da placa prato 1.4 ±0.2 1.2
Espessura da arruela de
14 3 ±0.1 2.7
encosto

24 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Embreagens de 1º e 4º

A: Porta de óleo da embreagem de 4º C: Porta do óleo de lubrificação


B: Porta de óleo da embreagem de 1º

1. Eixo superior 5. Cilindros de 1º e 4º (Número de dentes: 49)


2. Engrenagem superior (Número de dentes: 36) 6. Embreagem de 4º
3. Engrenagem da embreagem de 1º (Número de dentes: 7. Engrenagem da embreagem de 4º (Número de dentes:
25) 62)
4. Embreagem de 1º

Unid: mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Tamanho Tolerância Folga Limite de
Folga entre o mancal do eixo padrão padrão folga
Eixo Furo
8 de entrada e o eixo de entrada
(dianteiro) +0.035 0 –0.050 –
55 -
+0.025 –0.015 –0.025
Folga entre o mancal do eixo
+0.039 0 –0.054 –
9 de entrada e o eixo de entrada 60 -
+0.020 –0.015 –0.020
(traseiro)
Tamanho padrão Tolerância Limite de Reparo
10 Placa da embreagem Espessura 1.7 ±0.05 1.53
Tensão — 0.05 0.15 Substitua
Disco da Espessura 2.2 ±0.08 1.75
11
embreagem Tensão — 0.1 0.25
Carga da mola (Altura de teste: 1,010 N ±101 N 859 N
12
2.2mm) {103 kg} {±10.3 kg} {87.6 kg}
Espessura da arruela de
13 3 ±0.1 2.7
encosto (embreagem de 1º)
Espessura da arruela de encosto
14 3 ±0.1 2.7
(embreagens de 1º e 4º)
15 Anel elástico Não é permitida a reutilização após desmontagem

WA380-6 25
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Embreagens de 2º e 3º

A: Porta de óleo da embreagem de 2º C: Porta do óleo de lubrificação


B: Porta de óleo da embreagem de 3º

1. Eixo inferior 5. Cilindros de 2º e 3º (Número de dentes: 63)


2. Engrenagem inferior A (Número de dentes: 49) 6. Embreagem de 3º
3. Engrenagem da embreagem de 2º (Número de dentes: 7. Engrenagem da embreagem de 3º (Número de dentes:
51) 38)
4. Embreagem de 2º 8. Engrenagem inferior B (Número de dentes: 27)

Unid: mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Tamanho Tolerância Folga Limite de
Folga entre o mancal do eixo padrão padrão folga
Eixo Furo
- de entrada e o eixo de entrada
(dianteiro) +0.055 0 –0.070 –
65 -
+0.045 –0.015 –0.045
Folga entre o mancal do eixo
+0.039 0 –0.054 –
10 de entrada e o eixo de entrada 60 -
+0.020 –0.015 –0.020
(traseiro)
Tamanho padrão Tolerância Limite de Reparo
11 Placa da embreagem Espessura 1.7 ±0.05 1.53
Tensão — 0.05 0.15 Substitua

Disco da Espessura 2.2 ±0.08 1.75


12
embreagem Tensão — 0.1 0.25
Carga da mola (Altura de teste: 1,010 N ±101 N 859 N
13
2.2mm) {103 kg} {±10.3 kg} {87.6 kg}
Espessura da arruela de encosto
14 3 ±0.1 2.7
(embreagens de 2º e 3º)
Espessura da arruela de
15 3 ±0.1 2.7
encosto (embreagem de 2º)

26 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Operação do disco da embreagem

Quando a embreagem é “acoplada” (fixada) Quando a embreagem é “desacoplada” (liberada)

• O óleo enviado da válvula ECMV flui através da • Quando o óleo enviado pela ECMV é cortado, a
passagem de óleo no eixo (1), pressionando a região pressão do óleo atuante na região traseira do pistão
traseira do pistão (2), e empurrando-o para a direita. (2) cai.
• O pistão (2) comprime as placas (3) e discos (4) e a • O pistão (2) é empurrado de volta para a esquerda
rotação dos discos (4) é cessada pela força de atrito pela força repulsiva das molas (7).
da fricção. • A força de fricção entre as placas (3) e discos (4) é
• Como os dentes internos do disco (4) estão ligados à eliminada, liberando o eixo (1) e a engrenagem da
engrenagem da embreagem (5), eixo (1) e engrenagem embreagem (5).
(5) transferem a potência como uma peça única. • Quando a embreagem é liberada, o óleo na região
• O óleo é drenado pelo furo de dreno (6), mas o total traseira do pistão é drenado pela força centrifuga
de óleo drenado é menor que o total de óleo fornecido, através do furo de dreno (6) para prevenir que a
então não há influência na atuação da embreagem. embreagem permaneça parcialmente acoplada.

a O furo de dreno (6) é feito somente para as embreagens


de 1º, 2º, 3º e 4º marcha.

WA380-6 27
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Caminho de Transmissão da Potência


Velocidade de 1º Avante

Embreagem de Avante (3) e embreagem de 1º (10) são fixadas hidraulicamente.


A potência do conversor de torque o (da base da coluna à esquerda) o (da base da coluna central)
O O O
Eixo de entrada (1) Embreagem de 1º (10) Engrenagem de saída (23)
O O O
Cilindros de Avante e Ré (2) Engrenagem da embreagem Eixo de saída (24)
O de 1º (12)
Embreagem de Avante (3) O
O Cilindros de 2º e 3º (14)
Engrenagem da embreagem O
de Avante (5) Eixo inferior (21)
O O
Cilindros de 1º e 4º (8) Engrenagem inferior A (22)
O O
(Para o topo da coluna central) (Para o topo da coluna à direita)

28 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Velocidade de 2º Avante

Embreagem de Avante (3) e embreagem de 2º (18) são fixadas hidraulicamente.


A potência do conversor de torque o (da base da coluna à esquerda) (da base da coluna central)
O O O
Eixo de entrada (1) Engrenagem Superior (15) Engrenagem de saída (23)
O O O
Cilindros de Avante e Ré (2) Engrenagem da embreagem de 2º Eixo de saída (24)
O (16)
Embreagem de Avante (3) O
O Embreagem de 2º (18)
Engrenagem da embreagem O
de Avante (5) Cilindros de 2º e 3º (14)
O O
Cilindros de 1º e 4º (8) Eixo inferior (21)
O O
Eixo superior (9) Engrenagem inferior A (22)
O O
(Para o topo da coluna central) (Para o topo da coluna à direita)

WA380-6 29
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Velocidade de 3º Avante

Embreagem de Avante (3) e embreagem de 3º (19) são fixadas hidraulicamente.


A potência do conversor de torque o (da base da coluna à esquerda)
O O
Eixo de entrada (1) Embreagem de 3º (19)
O O
Cilindros de Avante e Ré (2) Cilindros de 2º e 3º (14)
O O
Embreagem de Avante (3) Eixo inferior (21)
O O
Engrenagem da embreagem Engrenagem inferior A (22)
de Avante (5) O
O Engrenagem de saída (23)
Cilindros de 1º e 4º (8) O
O Eixo de saída (24)
Engrenagem da embreagem de
3º (17)
O
(Para o topo da coluna central)

30 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Velocidade de 4º Avante

Embreagem de Avante (3) e embreagem de 4º (11) são fixadas hidraulicamente.


A potência do conversor de torque o (da base da coluna à esquerda)
O O
Eixo de entrada (1) Engrenagem da embreagem de 4º
O (13)
Cilindros de Avante e Ré (2) O
O Engrenagem inferior B (20)
Embreagem de Avante (3) O
O Engrenagem inferior B (21)
Engrenagem da embreagem de O
Avante (5) Engrenagem inferior A (22)
O O
Cilindros de 1º e 4º (8) Engrenagem de saída (23)
O O
Embreagem de 4º (11) Eixo de saída (24)
O
(Para o topo da coluna central)

WA380-6 31
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Velocidade de 1º a Ré

Embreagem de Ré (4) e embreagem de 1º (10) são fixadas hidraulicamente.


A potência do conversor de torque o (da base da coluna à esquerda) o (da base da coluna central)
O O O
Eixo de entrada (1) Engrenagem Superior (15) Eixo inferior (21)
O O O
Cilindros de Avante e Ré (2) Eixo Superior (9) Engrenagem inferior A (22)
O O O
Embreagem de Ré (4) Cilindros de 1º e 4º Engrenagem de saída (23)
O O O
Engrenagem da embreagem de Embreagem de 1º (10) Eixo de saída (24)
Ré (6) O
O Engrenagem da embreagem de
Engrenagem guia de Ré (7) 1º (12)
O O
(A rotação de saída é revertida através Cilindros de 2º e 3º (14)
da engrenagem guia de ré (7)) O
O (Para o topo da coluna à direita)
(Para o topo da coluna central)

32 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Válvula controladora de fluxo

Unid: mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Tamanho Tolerância Folga Limite
Folga entre Válvula padrão padrão da folga
Eixo Furo
1 controladora de
fluxo e luva -0.020 +0.013
25 0.020 - 0.043 0.063
-0.030 0
Tamanho padrão Limite de reparo Substitua
Comprimento Comprimento Carga Comprimento Carga
Mola da válvula
livre instalado instalada livre instalada
2 controladora de
fluxo 79.5 N
75.5 N
63.8 47 {8.11 kg} 61.9
{7.7 kg}

3. Carcaça da transmissão (dianteira) Operação


4. Válvula controladora de fluxo • Conforme o óleo flui da bomba para a o circuito de
5. Luva válvulas da transmissão excede o nível necessário, a
válvula controladora de fluxo (4) se move para dividir
parte do óleo fornecido pela bomba com o circuito de
lubrificação da transmissão.

WA380-6 33
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Conjunto de válvulas
(ECMV da embreagem de ré, filtro de última chance e válvula solenóide do freio de estacionamento).

, , , ,
, , , ,

, , ,

A: Para o circuito do freio de estacionamento 1. ECMV da embreagem de Ré


B: Ponto de medição da pressão de óleo da embreagem 2. Ponto de montagem do interruptor de pressão do freio
de ré de estacionamento
3. Válvula solenóide do freio de estacionamento
4. Filtro de última chance
5. Válvula de retenção

34 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

ECMV
a ECMV: Abreviação de Válvula de modulação controlada eletronicamente (Eletronic Control Modulation Valve)

Para as embreagens de Ré, 1º e 2º


a Não tente desmontar as válvulas desde que ajustes para manutenção do desempenho sejam necessários.

A: Para a embreagem *1:


P: Da bomba
Impressão na placa de
T: Dreno Embreagem empregada
identificação
DR: Dreno
P1: Ponto de medição da pressão do óleo da embreagem R, 1º e 2º L*******

1. Conector do interruptor de enchimento


2. Conector do solenóide proporcional
3. Válvula detectora de pressão
4. Interruptor de enchimento
5. Solenóide proporcional
6. Válvula controladora de pressão
7. Placa de identificação (*1)

WA380-6 35
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Para as embreagens de Avante, 3º, 4º e travamento


a Não tente desmontar as válvulas desde que ajustes para manutenção do desempenho sejam necessários.

A: Para a embreagem *1:


P: Da bomba
Impressão na placa de
T: Dreno Embreagem empregada
identificação
DR: Dreno
P1: Ponto de medição da pressão do óleo da embreagem F, 3º e 4º M*******
Travamento U*******
1. Conector do solenóide proporcional
2. Conector do interruptor de enchimento
3. Válvula medidora da pressão do óleo
4. Interruptor de enchimento
5. Solenóide proporcional
6. Válvula controladora de pressão
7. Placa de identificação (*1)

36 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

ECMV das embreagens de velocidade ECMV e Solenóide proporcional


• Cada ECMV da máquina possui 1 solenóide
Descrição geral da ECMV proporcional.
• A ECMV consiste de 1 válvula controladora de pressão A solenóide proporcional gera uma força conforme
e 1 interruptor de pressão. mostrado abaixo de acordo com o comando da
• Válvula controladora de pressão corrente do controlador.
Esta válvula recebe a corrente enviada pelo controlador A força gerada pelo solenóide proporcional é aplicada
da transmissão através do solenóide proporcional, e ao carretel da válvula controladora de pressão
então converte internamente em pressão do óleo. gerando a pressão de óleo conforme mostrado na
• Interruptor de enchimento figura abaixo. Conseqüentemente, a força é alterada
Este interruptor detecta se a embreagem está cheia pelo comando de corrente do controlador operando a
com óleo e também possui as seguintes funções: válvula controladora de pressão de modo a regular a
1. Envia um sinal de saída (sinal de enchimento) para o vazão e a pressão do óleo.
controlador para avisar que o enchimento de óleo da
embreagem está completo. Corrente – Força de acionamento característica do
2. Mantém a o sinal de saída (sinal de enchimento) para solenóide proporcional
o controlador avisando se a pressão do óleo está
aplicada ou se a pressão do óleo não está aplicada à
embreagem.

Força de acionamento (N{kg})


Corrente de comando do
solenóide proporcional (A)

Corrente

(Seg)
Tempo Força de acionamento – Pressão hidráulica
características do solenóide proporcional
Pressão de entrada
da embreagem

Pressão hidráulica (Mpa{kg/cm²})

(Seg)
Sinal de saída do interruptor

Tempo
de enchimento (V)

Força de acionamento (N{kg})

LIGADO
(Seg)
Tempo
ECMV e Interruptor de enchimento
• Cada ECMV da máquina possui 1 interruptor de
Faixa A: Antes da mudança de marcha (Drenando) enchimento.
Faixa B: Durante enchimento Se a embreagem é preenchida com óleo, o interruptor
Faixa C: Regulagem da pressão de enchimento é acionado, posição “ON”, pela pressão
Faixa D: Durante enchimento (Durante ativação) de óleo da embreagem. A pressão do óleo é gerada de
Faixa E: Início do enchimento acordo com o este sinal.
Faixa F: Final do enchimento
a A lógica do controlador é feita de modo a não
reconhecer o enchimento completo sempre que o
interruptor de enchimento é acionado, posição “ON”,
durante a ativação (Faixa D).

WA380-6 37
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Operação da ECMV Antes da mudança de marcha (Drenando)


• A ECMV é controlada com pela corrente de comando (Faixa A do gráfico)
enviada pelo controlador para o solenóide proporcional
e com o sinal de saída do interruptor de enchimento.
As relações entre a corrente de comando do solenóide
proporcional da ECMV, pressão de entrada da
embreagem e o sinal de saída do interruptor de
enchimento estão exibidas abaixo.
Corrente de comando do
solenóide proporcional (A)

(Seg)
Tempo
Pressão de entrada
da embreagem

(Seg)
Sinal de saída do interruptor

Tempo
de enchimento (V)

• Sobre a condição onde nenhuma corrente é enviada


para solenóide proporcional (1), a válvula controladora
de pressão (3) drena o óleo da porta (A) da embreagem
LIGADO
(Seg) através da porta de dreno (T).
Tempo Ao mesmo tempo, o interruptor de enchimento (5) é
desligado, posição “OFF”, pois a pressão do óleo não
está aplicada na válvula detectora de pressão (4)
Faixa A: Antes da mudança de marcha (Drenando)
Faixa B: Durante enchimento
Faixa C: Regulagem da pressão
Faixa D: Durante enchimento (Durante ativação)
Faixa E: Início do enchimento
Faixa F: Final do enchimento
a A lógica do controlador é feita de modo a não
reconhecer o enchimento completo sempre que o
interruptor de enchimento é acionado, posição “ON”,
durante a ativação (Faixa D).

38 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Durante enchimento (Faixa B do gráfico) Regulagem da pressão (faixa C do gráfico)

• Se corrente for aplicada ao solenóide proporcional (1) • Conforme a corrente é conduzida ao solenóide
sem nenhum óleo na embreagem, a força da pressão proporcional (1), o solenóide gera um força de
do óleo equilibrado com a força do solenóide é aplicada acionamento proporcional a corrente. A pressão é
a câmara (B) e empurra a válvula controladora de ajustada conforme o equilíbrio do somatório de forças
pressão (3) para a esquerda. Desta forma, a porta da atuantes, força atuante do solenóide, força gerada
bomba (P) e a porta da embreagem (A) são ligadas e pela pressão do óleo na porta da embreagem e a força
óleo é fornecido a embreagem. repulsiva da mola da válvula controladora de pressão
Quando a embreagem estiver preenchida com óleo, a (2).
válvula detectora de pressão (4) é atuada acionando o
interruptor de pressão (5).

WA380-6 39
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

ECMV da Embreagem de travamento Operação


Em deslocamentos dentro da faixa do conversor de
Descrição geral torque
• Esta válvula é utilizada para mudar a embreagem de
modo a regular a pressão do óleo da embreagem com
a pressão ajustada.
Desde de que a forma de onda da modulação for
utilizada como característica da aplicação da pressão
na embreagem, a ECMV será capaz de conectar
suavemente a embreagem de travamento, desta
forma reduzindo os choques resultantes da mudança
de marcha. Também previne a geração de picos de
torque no trem de força. Estes arranjos deixam a
máquina mais confortável para o operador e aumentar
a durabilidade do trem de força.

Quando alterado de conversor de torque para conexão


direta
Pressão do óleo de travamento

(Seg)
Tempo

• Quando em deslocamento dentro da faixa do conversor


de torque, nenhuma corrente é fornecida ao solenóide
proporcional (1). A válvula controladora de pressão (3)
drena o óleo da porta (A) da embreagem através da
porta de dreno (T), e a embreagem de travamento é
“liberada”.
Ao mesmo tempo, o interruptor (5) é desligado, pois a
pressão do óleo não é aplicada a válvula detectora de
pressão (4).

40 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Quando em deslocamento em linha reta


(conversor de torque o conexão direta)
Durante o fornecimento Regulagem da pressão

• Quando estiver deslocando na faixa de conexão • Conforme a corrente é conduzido ao solenóide


direta (travado), a corrente é fornecida para o proporcional (1), o solenóide gera uma força de
solenóide proporcional (1), a força da pressão do acionamento proporcional a corrente. A pressão é
óleo em equilíbrio com a força do solenóide aplicada ajustada conforme o equilíbrio do somatório de forças
na câmara (B) empurram a válvula controladora de atuantes, força atuante do solenóide, força gerada
pressão (3) para a esquerda. Desta forma, a porta da pela pressão do óleo na porta da embreagem e a força
bomba (P) e a porta da embreagem (A) são ligadas e repulsiva da mola da válvula controladora de pressão
óleo é fornecido a embreagem. (2).
Quando a embreagem estiver preenchida com óleo, a
válvula detectora de pressão (4) é atuada acionando o
interruptor de pressão (5).

WA380-6 41
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula de alívio principal e válvula de alívio do conversor de torque

Unid: mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Folga entre a Tamanho Tolerância Folga Limite
válvula de alívio padrão Eixo Furo padrão da folga
1
principal e o corpo –0.035 +0.013 0.035 –
da válvula 28 0.078
–0.045 0 0.058
Folga entre a
válvula de alívio do –0.035 +0.013 0.035 –
2 22 0.078
conversor de torque –0.045 0 0.058
e o corpo da válvula
Tamanho padrão Limite de reparo
Mola da válvula Comprimento Comprimento Carga Comprimento Carga Substitua
3 de alívio principal livre instalado instalada livre instalada
(externa) 380 N 362 N
122 82.5 118.3
{38.8 kg} {36.9 kg}
Mola da válvula
314 N 298 N
4 de alívio principal 108 82.5 104.8
{32.0 kg} {30.4 kg}
(interna)
Mola da válvula de
153 N 145 N
5 alívio do conversor 50 42 48.5
{15.6 kg} {14.8 kg}
de torque

6. Corpo A: Dreno (alívio do conversor de torque)


7. Pistão B: Dreno
8. Válvula de alívio do conversor de torque C: Da bomba
9. Pistão D: Dreno
10. Válvula de alívio principal E: Para o conversor de torque
P1: Ponto de medição da pressão de alívio principal
P2: Ponto de medição da pressão de alívio do conversor
de torque

42 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Descrição geral Operação da válvula de alívio principal

Válvula de alívio do conversor de torque


• A válvula de alívio do conversor de torque regula
constantemente a pressão interna do circuito do
conversor de torque abaixo da pressão ajustada
de modo a proteger o conversor de torque contra
pressões anormais.
Pressão ajustada: 0.91 MPa {9.31 kg/cm2}
(Pressão de abertura)

Válvula de alívio principal


• A válvula de alívio principal regula a pressão dentro
da transmissão e no circuito hidráulico do freio de
estacionamento para a pressão ajustada.
Pressão ajustada: 2.87 MPa {29.3 kg/cm2}
(Na rotação nominal do motor)

Operação • O óleo da bomba hidráulica flui para a câmara (F)


através do filtro, o pórtico (C) da válvula de alívio e o
Operação da válvula de alívio do conversor de torque orifício (a) da válvula de alívio principal (1).

• O óleo da válvula de alívio principal é conduzido • Como a pressão do óleo no circuito aumenta acima da
para o conversor de torque através da porta (E) e ao pressão ajustada, o óleo é conduzido para a câmara (F)
mesmo tempo, também é conduzido para a câmara empurrando o pistão (2) e a força resistente do carretel
(G) através do orifício (b) até a válvula de alívio do (1) para a esquerda, abrindo os pórticos (C) e (E).
conversor e torque (3). As operações acima conduzem o óleo do pórtico (E)
• Conforme a pressão do óleo do conversor de torque para o conversor de torque
aumenta acima da pressão ajustada, o óleo conduzido
à câmara (G) empurra o pistão (4) e a força resistente
empurra a válvula de alívio do conversor de torque (3)
para a direita, abrindo os pórticos (E) e (A).
Como resultado, o óleo na porta (E) é drenado através
da porta (A).

WA380-6 43
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Eixo
Eixo dianteiro

1. Diferencial
2. Comando final
3. Semi-eixo
4. Carcaça do eixo
5. Freio de discos múltiplos do tipo em banho de óleo
6. Acoplamento
7. Filtro de óleo e bujão de nível
8. Bujão de dreno

44 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Eixo traseiro

1. Diferencial
2. Comando final
3. Semi-eixo
4. Carcaça do eixo
5. Freio de discos múltiplos do tipo em banho de óleo
6. Acoplamento
7. Filtro de óleo e bujão de nível
8. Bujão de dreno

WA380-6 45
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Diferencial
Diferencial dianteiro

1. Pinhão (número de dentes: 12)


2. Eixo
3. Engrenagem cônica (número de dentes: 41)
4. Eixo da engrenagem solar
5. Pinhão cônico (número de dentes: 10)
6. Engrenagem lateral (número de dentes: 24)

46 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Diferencial traseiro

1. Pinhão (número de dentes: 12)


2. Eixo
3. Engrenagem cônica (número de dentes: 41)
4. Eixo da engrenagem solar
5. Pinhão cônico (número de dentes: 10)
6. Engrenagem lateral (número de dentes: 24)

WA380-6 47
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Folga do engrenamento das
7 0.13 – 0.18
engrenagens do diferencial
Ajustar
Torque inicial da engrenagem
8 13.7 – 37.2 Nm {1.4 – 3.8 kgm} (Externo da engrenagem cônica)
cônica
Espessura da arruela do Tamanho padrão Tolerância Limite de Reparo
9
pinhão 3 ±0.08 2.8
Ajustar
Espessura da arruela da
10 4 ±0.05 3.8
engrenagem lateral
Espessura do calço do
11 carrier do mancal lateral do 0.3 – 1.25
diferencial (um lado)
Folga do engrenamento da
12 0.25 – 0.41
engrenagem cônica Substitua
13 Folga máxima do pinhão 0.08
Espessura do calço da
14 carcaça do diferencial e 1.05±0.35
conjunto da gaiola

48 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Descrição Geral Durante a manobra


• A potência do motor é transmitida para os eixos • Quando se altera a direção da máquina, a velocidade
dianteiros e traseiros através do conversor de torque, de rotação das rodas esquerda e direita é diferente,
transmissão e eixo de acionamento. assim a engrenagem do pinhão (4) e a engrenagem
• Em cada eixo, a potência é transmitida em 90º e lateral (3), dentro do diferencial, transmitem a força do
reduzida em velocidade pelo pinhão cônico (1) transportador (6) para o eixo da engrenagem solar (2)
e engrenagem cônica (5). Sendo transmitida em enquanto a rotação está de acordo com a diferença
seguida pela engrenagem do pinhão (4) para o eixo da entre as velocidades de rotação direita e esquerda.
engrenagem solar (2).
• A força da engrenagem solar é reduzida mais pelo
comando final do tipo engrenagem planetária e é
transmitida ao eixo e às rodas.

Durante o deslocamento em linha reta


• Ao se deslocar em linha reta, a velocidade de
rotação das rodas direita e esquerda é a mesma,
assim a engrenagem do pinhão (4), dentro do
conjunto do diferencial, não é rotacionada. A força do
transportador (6) passa pela engrenagem do pinhão
(4) e pela engrenagem lateral (3), e é transmitida
proporcionalmente aos eixos esquerdo e direito da
engrenagem solar (2).

WA380-6 49
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Diferencial com patinagem limitada


(Se equipado)

1. Placa
2. Disco
3. Pinhão
4. Arruela
5. Engrenagem lateral
6. Engrenagem cônica
7. Eixo
8. Anel de pressão
9. Carcaça

WA380-6 51
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho padrão Tolerância Limite de reparo
1 Espessura das arruelas 2
±0.03 1.8
2.1
3.1
2 Espessura das placas ±0.02 3.0
3.2
3 Espessura dos discos 3.2 ±0.07 3.1
Tamanho Tolerância Folga Limite de
Folga entre cruzeta e pinhão do padrão Eixo Furo padrão folga
4
diferencial –0.110 +0.05 0.110 –
30 0.3
–0.160 0 0.210
Secção do conjunto do pistão
–0.110 +0.081 0.110 –
5 na carcaça do diferencial 290.5 -
–0.191 0 0.272
(carcaça e pistão)
Secção do conjunto do pistão
–0.110 +0.081 0.110 –
6 no rolamento do suporte (pistão 311 -
–0.191 0 0.272
e suporte)
Pista 0. –0.045 –0.085 –
150 -
Folga do mancal externa –0.018 –0.085 –0.027 Substitua
7
lateral do diferencial Pista +0.059 0 –0.079 –
100 -
interna +0.037 –0.020 –0.037
Pista 0 –0.054 –0.071 –
Folga do mancal no externa 150 -
–0.020 –0.071 –0.034
8 eixo do pinhão da
engrenagem lateral Pista 70
+0.039 0 –0.054 –
-
interna +0.020 –0.015 –0.020
Folga do mancal Pista 0 –0.054 –0.082 –
140 -
no eixo do pinhão externa –0.018 –0.082 –0.036
9
no lado do Pista +0.039 0 –0.054 –
acoplamento 65 -
interna +0.020 –0.015 –0.020
10 Folga da carcaça e da placa 0 – 0.4
Folga entre disco e placa (ambos
11 0.2 – 0.75
lados)
Folga da engrenagem lateral e
12 0.13 – 0.36
disco
Folga acumulada da engrenagem
13 0.15 – 0.35
lateral na direção axial (um lado)

WA380-6 53
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Eixo traseiro

54 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho padrão Tolerância Limite de reparo
1 Espessura das arruelas 2
±0.03 1.8
2.1
3.1
2 Espessura das placas ±0.02 3.0
3.2
3 Espessura dos discos 3.2 ±0.07 3.1
Tamanho Tolerância Folga Limite de
Folga entre cruzeta e pinhão do padrão Eixo Furo padrão folga
4
diferencial –0.110 +0.05 0.110 –
30 0.3
–0.160 0 0.210
Secção do conjunto do pistão
–0.110 +0.081 0.110 –
5 na carcaça do diferencial 290.5 -
–0.191 0 0.272
(carcaça e pistão)
Secção do conjunto do pistão
–0.110 +0.081 0.110 –
6 no rolamento do suporte (pistão 311 -
–0.191 0 0.272
e suporte)
Pista 0. –0.045 –0.085 –
150 -
Folga do mancal externa –0.018 –0.085 –0.030 Substitua
7
lateral do diferencial Pista +0.059 0 –0.079 –
100 -
interna +0.037 –0.020 –0.037
Pista 0. –0.048 –0.088–
Folga do mancal no externa 140 -
–0.018 –0.088 –0.030
8 eixo do pinhão da
engrenagem lateral Pista 65
+0.039 0 –0.054 –
-
interna +0.020 –0.015 –0.020
Folga do mancal Pista 0 –0.041 –0.076 –
120 -
no eixo do pinhão externa –0.018 –0.076 –0.026
9
no lado do Pista +0.039 0 –0.054 –
acoplamento 55 -
interna +0.020 –0.015 –0.020
10 Folga da carcaça e da placa 0 – 0.4
Folga entre disco e placa (ambos
11 0.2 – 0.75
lados)
Folga da engrenagem lateral e
12 0.13 – 0.36
disco
Folga acumulada da engrenagem
13 0.15 – 0.35
lateral na direção axial (um lado)

WA380-6 55
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Operação do diferencial com limite de patinagem Durante o deslocamento em linha reta


A força é transmitida da engrenagem cônica (6) para a 1. Quando as forças de acionamento das rodas
caixa (9), anel de pressão (8), eixo (7), pinhão (3) e para esquerda e direita estão equilibradas.
a engrenagem (5), e é dividida para os eixos direito e Quando não há desequilíbrio entre a força de acionamento
esquerdo. das rodas direita e esquerda [a condição de superfície do
O sistema de freios, consistindo de 2 discos (2) e pratos caminho (coeficiente de fricção) e carga para as rodas
(1) está instalado na face posterior da engrenagem lateral direita e esquerda são uniformes e a carga na caçamba
(5). Um torque de freio é gerado de forma proporcional ao está perfeitamente centralizada]
torque transmitido pelo anel de pressão (8) ao eixo (7). A força é dividida com igualdade para a esquerda e direita
Esse torque dos freios atua para limitar a rotação em pela engrenagem do diferencial. Neste caso, o limite de
relação à engrenagem lateral (5) e à caixa (10), por isso patinagem das rodas direita e esquerda é igual, assim,
é difícil para as engrenagens laterais direita e esquerda mesmo que a força advinda do motor exceda o limite
(5) rotacionarem mutuamente, limitando a operação do de patinagem das rodas, ambas as rodas patinarão e o
diferencial. diferencial não entrará em atividade.
Não há carga nos freios na face posterior das engrenagens
Mecanismo de geração de torque dos freios das laterais.
engrenagens laterais direita e esquerda (5).
O eixo (7) é suportado pela superfície do came cortada em
superfícies dos anéis de pressão direito e esquerdo (8).
A força (torque) transmitida dos anéis de pressão (8) para
o eixo (7) é transmitida à superfície do came, mas a força
Fa separando os anéis de pressão esquerdo e direito (8)
é gerada proporcionalmente ao torque transmitido, de
acordo com o ângulo dessa superfície do came.
Essa carga de separação Fa atua sobre os freios na face
posterior das engrenagens laterais direita e esquerda (5) e
gera o torque dos freios.

Visto a partir de Z
Da transmissão

56 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

2. Quando as forças de acionamento das rodas Diferença na força de acionamento da roda para cada tipo
esquerda e direita estão equilibradas. de diferencial quando há o deslizamento da roda em um
Quando não há desequilíbrio entre a força de acionamento dos lados
das rodas direita e esquerda [a condição de superfície do
caminho (coeficiente de fricção) e a carga para as rodas Força de acionamento das rodas
direita e esquerda não são uniformes, possibilitando a (com a patinagem de uma das rodas)
patinagem de uma roda em algum dos lados] R o d a e m Roda Total
Exemplo 1. Ao escavar, e uma roda em um dos lados está patinagem bloqueada (rotação)
sobre uma superfície macia.
Exemplo 2. Ao remover a neve, e uma roda em um dos Diferencial
3,64
lados está sobre a neve e a do outro lado está com limite de 1 2,64
(1,82)
sobre o asfalto. patinagem
Exemplo 3. Ao trabalhar em um declive, e houver Diferencial
1 1 2 (1)
desequilíbrio entre a carga nas rodas direita e esquerda. normal
A força é igualmente dividida para a esquerda e direita
pela engrenagem do diferencial. Contudo, quando a força Em caminhos cuja superfície pode propiciar a patinagem da
de acionamento excede o limite de patinagem da roda, roda em dos lados, o diferencial com limite de patinagem
a quantidade de força excedente ao limite de patinagem aumenta a força de acionamento em uma proporção 1,53
passa pelos freios e pela caixa na face posterior da vezes maior que o diferencial de torque proporcional.
engrenagem lateral e é transmitida aos freios no lado
oposto (lado bloqueado) e enviada para a roda no lado Durante a manobra
bloqueado. As engrenagens do diferencial embutidas em um diferencial
Se essa porção de excesso da força de acionamento se com limite de patinagem são as mesmas das utilizadas
tornar maior que a força de frenagem, o diferencial passará em um diferencial normal, de forma que as diferenças na
a trabalhar. rotação entre as rodas internas e externas ao se girar a
máquina possam ser geradas com suavidade.

Torque de freio

Pneu externo Pneu interno


(rotação mais rápida) (rotação mais lenta)

Lado de Lado de
patinagem bloqueio da
da roda roda

Da transmissão

WA380-6 57
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Comando Final
a A figura mostra o eixo dianteiro

1. Suporte Planetário
2. Eixo da engrenagem solar (Número de dentes: 15)
3. Semi-eixo
4. Engrenagem anelar (Número de dentes: 69)
5. Engrenagem planetária (Número de dentes: 26)

58 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01029-01

Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho Tolerância Limite de
Folga padrão
Folga entre mancal do pinhão padrão Eixo Furo folga
6
e eixo +0.013 0 –0.025 –
40 - Substitua
+0.002 –0.012 –0.002
Folga entre carcaça do eixo e +0.100 +0.100 –0.100 –
7 358 -
engrenagem anelar +0.030 0 0.070
Folga entre a vedação de óleo
8 Max. 0.2 Ajuste
e a carcaça
Porção de +0.500 +0.072 –0.050 –
Alojamento 215 -
encaixe por +0.300 0 –0.228
9
pressão do 0 –0.300 –0.500 –
Eixo 180 -
vedador do eixo –0.063 –0.500 –0.0237
Folga na porção Pista 180
0 –0.045 –0.085 –
-
de encaixe por externa –0.025 –0.085 –0.020
10 Substitua
pressão do Pista +0.045 0 –0.065 –
mancal do eixo 120 -
interna +0.023 –0.020 –0.023
Folga na porção Pista 157.162
+0.025 –0.012 –0.077 –
-
de encaixe por externa 0 –0.052 0.012
11
pressão do Pista +0.059 +0.025 –0.059 –
mancal do eixo 98.425 -
interna +0.037 0 –0.012
12 Folga terminal do eixo 0 – 0.1 Ajuste
+0.025 +0.207 0.120 –
13 Folga do pino guia 12 - Substitua
+0.007 +0.145 0.200

WA380-6 59
SEN01029-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Descrição geral
• O comando final reduz por fim a velocidade da
força transmitida pelo motor aumentando a força de
acionamento.

• A engrenagem anelar (4) é encaixada por pressão ao


alojamento do eixo e presa na posição por um pino.

• A força transmitida pelo diferencial e que atravessa


o eixo da engrenagem solar (5) tem sua velocidade
reduzida pelo mecanismo da engrenagem planetária,
aumentando a força de acionamento.
• A força de acionamento aumentada passa pelo
transportador planetário (2) e pelo eixo (3), sendo por
fim transmitida para as rodas.

60 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção. SEN01029-01

WA380-6 61
SEN01029-01

Pá Carregadeira de Rodas WA380-6

Nº do formulário SEN01029-01

© 2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil 10-08

62
Manual de Oficina SEN01030-01

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento
e padrões de manutenção
Sistema da direção

Sistema da direção ............................................................................................................................................................ 3


Diagrama da tubulação da direção.................................................................................................................................... 3
Coluna da direção ............................................................................................................................................................. 4
Bomba da direção ............................................................................................................................................................. 5
Válvula da direção ........................................................................................................................................................... 17
Válvula Orbit-roll .............................................................................................................................................................. 32
Válvula de paradas ......................................................................................................................................................... 36
Válvula de alívio da direção............................................................................................................................................. 37
Cilindro da direção........................................................................................................................................................... 38
Motor emergencial da direção ........................................................................................................................................ 40
Bomba emergencial da direção ....................................................................................................................................... 41
Mecanismos do Joystick da direção ................................................................................................................................ 42
Alavanca elétrica da direção ........................................................................................................................................... 43

WA380-6 1
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula EPC do Joystick.................................................................................................................................................. 44

2 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Sistema da direção
Diagrama da tubulação da direção

1. Cilindro da direção (direito) 7. Tanque hidráulico


2. Válvula da direção 8. Motor emergencial da direção (se equipado)
3. Válvula Orbit-roll 9. Válvula de alívio da direção (se equipado)
4. Válvula de parada (direita) 10. Válvula de parada (esquerda)
5. Bomba do ventilador de arrefecimento 11. Acumulador (Para o circuito da PPC)
6. Bomba da direção 12. Bomba emergencial da direção (se equipado)
13. Cilindro da direção (esquerdo)

WA380-6 3
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Coluna da direção

1. Volante da direção
2. Coluna da direção
3. Alavanca de regulagem da inclinação
4. Coluna curta
5. Válvula Orbit-roll
Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho Tolerância Folga Limite
Folga entre o eixo padrão padrão da folga
Eixo Furo
6 da direção e a Substitua
bucha da coluna 0 +0,15 0,05 –
19 0,4
-0,08 +0,05 0,23

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Bomba da direção
Tipo: LPV63

RECALQUE

SUCÇÃO

P1: Porta de descarga da bomba PD2: Bujão de dreno


PD: Porta de dreno PEN: Ponto de medição da pressão de controle
PS: Porta de sucção da Bomba PLS: Porta de entrada da pressão de carga
P1C: Ponto de medição da pressão da bomba POP: Porta de entrada da pressão piloto externa
P1L: Porta de entrada da pressão da bomba

1. Unidade da Bomba 2. Servo válvula 3. Sangria do ar

WA380-6 5
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

1. Unidade da bomba

RECALQUE

SUCÇÃO

PA: Porta de saída da pressão básica de controle


PD4: Porta de dreno
PD5: Porta de dreno
PE: Porta de entrada da pressão de controle

6 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

1. Mancal
2. Eixo
3. Carcaça
4. Placa de inclinação
5. Sapata
6. Pistão
7. Bloco cilíndrico
8. Válvula placa de controle
9. Tampa
10. Retentor da sapata
11. Servo pistão
12. Mola
13. Vedação de óleo
14. Esfera

WA380-6 7
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

2. Servo válvula

P1: Porta da pressão de descarga da bomba


PE: Porta de saída da pressão de controle
T: Porta de dreno

8 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Válvula PC Válvula LS
T: Dreno PA: Entrada de pressão da bomba
PA: Entrada de pressão da bomba PE: Pressão do pistão de controle
PPL: Pressão de saída da válvula PC PLS: Entrada de pressão LS
PPL: Pressão de saída da válvula PC
PPLS: Entrada de pressão LS da bomba

1. Alavanca 10. Porca


2. Mola 11. Placa
3. Retentor 12. Bujão
4. Assento 13. Mola
5. Carretel 14. Assento
6. Luva 15. Bujão
7. Pistão 16. Carretel
8. Vedação 17. Bujão
9. Pistão

WA380-6 9
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção.

Função
• A bomba converte a rotação do motor transmitida
para seu eixo em vazão de óleo e entrega o óleo
pressurizado correspondente a carga.
• É possível alterar a descarga de saída da bomba
através da alteração do ângulo da placa de
inclinação.

Estrutura
• Bloco cilíndrico (6) é suportado pelo eixo (1) através
do entalhado (a). O eixo (1) é suportado nos mancais
dianteiro e traseiro.
• No final dos pistões (5) existe uma conexão esférica
que é combinada com a sapata (4). Pistão (5) e sapata
(4) formam um mancal esférico.
• A placa de inclinação (3) é suportada na carcaça (2)
e na esfera (9) e possui um plano (A). A sapata (4)
é mantida pressionada contra o plano da placa de
inclinação (3) e desliza em movimentos circulares. A
sapata (4) guia o óleo de alta-pressão como forma de
pressão estática do rolamento e deslizamento.
• O pistão (5) em cada cilindro do bloco cilíndrico (6) se
move relativamente na direção axial.
• O bloco cilíndrico (6) rotaciona relativamente contra
a válvula placa de controle (7), vedando o óleo
hidráulico. O balanço hidráulico na válvula placa é
mantido apropriado.
• O óleo em cada cilindro do bloco cilíndrico (6) pode ser
succionado e recalcado através da válvula placa de
controle (7).

10 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Operação • Quando a linha de centro (X) da placa de inclinação


(3) é a mesma da direção axial do bloco cilíndrico (6)
1. Operação da bomba [ângulo placa de inclinação = 0], a diferença entre
• O Bloco cilíndrico (6) rotaciona junto com o eixo (1) os volumes (E) e (F) dentro do bloco cilíndrico (6) é
e as sapatas (4) deslizam sobre o plano (A). Neste 0, então a bomba não succiona nem descarrega, e
momento, a placa de inclinação (3) movimenta-se ao nenhuma operação de bombeamento é executada.
redor da esfera (9), modificando o ângulo de inclinação [Atualmente o ângulo da placa de inclinação não é
(a) em relação a linha de centro (X) da placa de ajustável até 0º].
inclinação (3) na direção axial do Bloco cilíndrico (6). • Em resumo, o ângulo da placa de inclinação (a) é
proporcional à vazão entregue na saída da bomba.

• Se o ângulo (a) for alterado dentro da linha de centro


(X) da placa de inclinação (3) e o eixo do bloco
cilíndrico (6), o plano (A) trabalhará como um came
para as sapatas (4).
• De acordo, pistão (5) desliza dentro do bloco cilíndrico
(6) é gerada uma diferença de volumes (E) e (F) dentro
do bloco cilíndrico (6). Como resultado, cada pistão
succiona e comprime óleo de (F) – (E).
• Em outras palavras, o bloco cilíndrico (6) rotaciona, e
o volume na câmara (E) se torna menor, então o óleo
pressurizado e descarregado durante este processo.
Ao mesmo tempo, o volume na câmara (F) se torna
maior e o óleo é succionado neste processo. [Na figura
abaixo, a câmara (F) está no final do curso de sucção
e a câmara (E) está no final do curso de descarga].

WA380-6 11
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

2. Controle da vazão de saída Válvula LS


• Se o ângulo da placa de inclinação (a) estiver
diminuindo, a diferença de volumes (E) e (F) estará Função
diminuindo, e a vazão de saída (Q) também. O ângulo • A válvula LS controla a vazão de saída da bomba de
da placa de inclinação (a) é alterado pelo servo-pistão acordo com o curso da alavanca de controle, ou o fluxo
(11). demandado pelo atuador.
• O servo-pistão (11) responde de forma linear ao sinal de • A válvula LS detecta o fluxo demandado para o
pressão da servo-válvula. Esta resposta de movimento atuador através do diferencial de pressão (ΔPLS)
linear é transmitida pela placa de inclinação (3). Desta entre a pressão de entrada da válvula de controle
forma, a placa de inclinação (3) suportada na carcaça (PPLS) e a pressão de saída da válvula de controle
(2) desliza ao redor da esfera (9). (PLS) controlando assim, a vazão de saída da bomba
principal (Q). ((PPLS) é chamado de pressão LS da
Bomba, (PLS) é a pressão LS e (ΔPLS) é o diferencial
de pressão LS.
• Em outras palavras, a perda de pressão causada
pelo fluxo de óleo através da abertura do carretel da
válvula de controle (= ΔPLS pressão do diferencial LS)
é detectado, e então a vazão de saída da bomba (Q) é
controlada para manter a perda de pressão constante
e fornecer vazão a saída da bomba de acordo com a
demanda de fluxo de cada atuador.
• A pressão de descarga da bomba principal (PP),
pressão LS da bomba (PPLS), e pressão LS (PLS)
são controladas pela válvula LS. A relação entre o
diferencial de pressão LS (ΔPLS) e a vazão de saída
da bomba (Q) altera conforme mostrado abaixo.

(l/min)
Descarga da bomba Q

EPLS Diferencial de pressão LS

12 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Válvula PC • Como resultado, a pressão na porta (C) aumenta e a


pressão do pistão é aumentada e o servo pistão (6)
Função para movendo-se para a esquerda.
• A válvula PC limita a vazão de óleo para um certo nível
(de acordo com a pressão de saída) sempre se o curso 3. Quando a pressão da bomba (PA) está alta
da válvula de controle é aumentado abusivamente • A força de pressão do carretel (5) é aumentada e o
fazendo com que a potência absorvida pela bomba carretel (3) está um pouco para a esquerda (Fig. 2).
exceda a potência do motor, tanto quanto a pressão de Neste momento, os pórticos (C) e (B) são conectados
descarga da bomba (PA) é aumentada. e a pressão na válvula LS é a pressão da bomba
• Em outras palavras, a válvula PC diminui a vazão de (PA).
saída da bomba quando a carga é aumentada e a • Neste momento, as portas (F) e (G) da válvula LS são
pressão de descarga da bomba cresce, e aumenta a conectadas. Como resultado, a pressão na porta (J) se
vazão quando a carga é diminuída. torna a pressão da bomba (PA) e o servo-pistão (6) se
• A relação entre a pressão da bomba e a vazão de move para direita.
saída é mostrada abaixo. • Conseqüentemente, a vazão de saída da bomba é
diminuída.
• Como o servo-pistão (6) move, a alavanca (1)
movimenta para a direita e a mola (2) comprime,
aumentando a carga da mola. Conseqüentemente
Descarga da bomba Q

o carretel (3) move para a direita desconectado as


portas (C) e (B) e conectando as portas de (D) e (C).
• Como resultado, a pressão na porta (C) diminui e a
pressão do pistão é diminuída e o servo pistão (6) para
movendo-se para a direita.
• Conseqüentemente, a posição de parada (=vazão da
bomba) do servo pistão (6) é controlada pela posição
onde a pressão causada por (PA) aplicado ao carretel
(5) está balanceada com a força da mola (2) aplicada
Pressão PA da bomba através do carretel (3). (Fig. 3)

Operação

1. Operação da mola
• A mola de carga na mola (2) na válvula PC é
comandada pela posição da placa de inclinação.
• Se o servo-pistão (6) mover-se para a direita, a mola
(2) é comprimida através da alavanca (1) e a carga da
mola se altera.

2. Quando a pressão da bomba (PA) está baixa


• A força de pressão do carretel (5) é diminuída e o
carretel (3) está um pouco para a direita (Fig. 1). Neste
momento, os pórticos (C) e (D) são conectados e a
pressão na válvula LS é drenada (PT).
• Neste momento, as portas (F) e (G) da válvula LS
são conectadas. Como resultado, a pressão na porta
(J) é drenada (PT) e o servo-pistão (6) move para
esquerda.
• Conseqüentemente, a vazão de saída da bomba é
aumentada.
• Como o servo-pistão (6) move, a alavanca (1)
movimenta para a esquerda e a mola (2) expande,
enfraquecendo a carga da mola, desconectado as
portas (C) e (D) e conectando as portas de descarga
da bomba (B) e (C).

WA380-6 13
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Quando a carga é leve (Fig. 1)

Válvula de
pilotagem Pressão piloto

Para a válvula
Capacidade de controle
Grande

Válvula Bomba da
LS direção

Motor
Sinal de pressão
de óleo da válvula Bomba do
principal ventilador

Quando a carga é pesada (Fig. 2)

Válvula de
pilotagem Pressão piloto

Para a válvula
Capacidade de controle
Pequena

Válvula Bomba da
LS direção

Motor
Sinal de pressão
de óleo da válvula Bomba do
principal ventilador

14 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Quando em equilíbrio (Fig. 3)

Válvula de
pilotagem Pressão piloto

Para a válvula
Capacidade de controle
Grande Pequena

Válvula Bomba da
LS direção

Motor

Sinal de pressão Bomba do


de óleo da válvula ventilador
principal

WA380-6 15
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Válvula da direção

P: da bomba da direção
Pr: Para porta P1L da bomba da direção
Pa: Para a válvula de parada (esquerda)
Pb: Para a válvula de parada (direita)
A: Para o cilindro da direção
B: Para o cilindro da direção
T1: Dreno
T2: Dreno

WA380-6 17
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

18 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

1. Válvula de alívio
2. Carretel controlador de luxo
3. Válvula de alívio da direção
4. Carretel da direção
5. Válvula de alívio de sobrecarga
Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho padrão Limite de reparo
Comprimento Comprimento Carga Comprimento Carga
Mola de retorno do
6 livre instalado instalada livre instalada
carretel da direção
56.9 N 45.5 N
37.2 32.0 -
{5.80 kg} {4.64 kg}
8.8 N 7.0 N
7 Mola gatilho 20.9 13.2 -
{0.9 kg} {0.72 kg}
Substitua
Mola de retorno do
147.1 N 117.7 N
8 carretel controlador 69.65 68.5 -
{15.0 kg} {12.0 kg}
de fluxo
Mola de válvula de 182 N 145.6 N
9 24.0 22.2 -
alívio da direção {18.6 kg} {14.8 kg}
Mola da válvula de 55.3 N 44.2 N
10 29.75 26.5 -
alívio {5.64 kg} {4.51 kg}

WA380-6 19
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Operação do amplificador de vazão

Quando o carretel estiver em neutro


(Quando a válvula Orbit-roll não é operada)

• Desde que ambas portas (Pa) e (Pb) estiverem conectadas, através da válvula Orbit-roll, com o circuito de dreno, o
carretel da direção (1) será mantido na posição de neutro pelas molas de retorno direita e esquerda (2).

Quando o carretel estiver em operação


(Quando o óleo flui na porta (Pa))

• A pressão na porta (Pa) aumenta e o carretel da direção (1) comprime a mola de retorno da esquerda (2)
movimentando-se para a esquerda.
• O óleo na porta (Pa) flui através do furo do assento da mola (3) e pelo orifício (a) da do carretel da direção (1) para a
porta (Pb).
• Como a porta (Pb) é conectada através da válvula Orbit-roll com o circuito de dreno, o óleo na porta (Pb) é drenado.
• Como a pressão gerada na porta (Pa) é proporcional a razão do fluxo de óleo, o carretel da direção (1) movimenta-
se para a posição onde a pressão do óleo é reduzida pelo orifício (a) estando em equilíbrio com a força repulsiva da
mola de retorno (2).

20 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Quando o carretel é retornado


(Quando volante da direção é parado)

• Como ambas portas (Pa) e (Pb) estão conectadas através da válvula Orbit-roll com circuito de dreno, o carretel da
direção (1) é guiado de volta para neutro pela mola de retorno (2).

WA380-6 21
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Operando o carretel controlador de vazão

Quando o carretel direcional está na posição neutro

• O óleo da bomba da direção flui até a porta (P). • Se a pressão do óleo na porta (Pr) aumentar acima da
• Desde que os entalhes (e) estiverem fechados, a pressão ajustada, o ângulo da placa de inclinação da
pressão do óleo na porta (P) aumentará e então será bomba da direção será reduzido, reduzindo a vazão de
conduzido pelo orifício (a) para a câmara receptora de saída.
pressão (X) movendo o carretel controlador de fluxo • Se a pressão do óleo na porta (P) continuar
(1) para a esquerda. aumentando depois da vazão da bomba ter sido
• O óleo na câmara receptora de pressão (Y) é drenado minimizada, o carretel controlador de fluxo (1) se
pela porta (T1) através do orifício (b) e entalhe (f). moverá para mais para a esquerda.
• Se a pressão do óleo na câmara (X) aumentar acima • Se a pressão do óleo na câmara receptora de pressão
da pressão ajustada, o carretel controlador de fluxo (1) (X) aumentar acima da pressão ajustada, o entalhe
se moverá para a esquerda abrindo os entalhes (c). (d) abrirá e o óleo na porta (P) será drenado através
• O óleo na porta (P) fluirá através dos entalhes (c) e da destes entalhes (d) através da porta (T1).
porta (Pr) até a válvula LS da bomba da direção.
• A porta (Pr) é conectada através do orifício (j) até a
porta (T2).
• A pressão do óleo na porta (Pr) está ajustada entre a
pressão da bomba e a pressão de dreno da porta (T2)
devido a resistência de passagem dos entalhes (c) e
orifício (j).

22 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Quando o carretel direcional é operado

• Se o carretel direcional (2) é operado, o entalhe (f) • O óleo excessivo da bomba da direção será drenado
fechará e a pressão da câmara receptora de pressão através do entalhe (d) e da porta (T1).
(Y) e a porta (T1) são conectados e o entalhe (e) é • O óleo retornando do cilindro da direção é drenado
aberto. através do orifício (g) e da porta (T1).
• A pressão do óleo na câmara receptora de pressão • Sempre depois do carretel controlador de fluxo (1)
(Y) aumenta e o carretel controlador de fluxo se move movimentar-se para a direita fechando o entalhe (d), este
para a direita e a área aberta do entalhe (d) reduz. se moverá mais para a direita, quanto maior a pressão
• O óleo antes do entalhe (e) é conduzido até a câmara antes do entalhe (e) será menor a pressão ajustada.
receptora de pressão (X) e o óleo depois do entalhe (e) é • Quando a área aberta do entalhe (c) reduz, a vazão de
encaminhado até a câmara receptora de pressão (Y). óleo dentro da porta (Pr) será reduzida e a pressão do
• Se a pressão do óleo na câmara (Y) aumentar muito óleo na porta (Pr) diminuirá.
acima do que a porta (A), o óleo fluindo pelo orifício (h) • Se a pressão do óleo na porta (Pr) reduzir, a válvula LS
empurrará e abrirá a válvula de retenção de carga (3) da bomba da direção aumentará a vazão de saída da
para a esquerda. bomba para manter a pressão de óleo na porta (Pr) na
• Desde que o óleo do entalhe (e) flua através da porta (A) pressão ajustada.
para o cilindro da direção, um diferencial de pressão será • O carretel controlador de fluxo (1) é mantido na
criado entre antes e depois do entalhe (e). posição onde a pressão na porta (P) se equilibra com
• O carretel controlador de fluxo (1) funciona de modo a a pressão na porta (Pr), deste modo a vazão de saída
manter o diferencial de pressão entre antes e depois da bomba é mantida constante.
do entalhe (e) na pressão ajustada, desta forma, o • Se a taxa de abertura do entalhe (e) mudar, a bomba
óleo será descarregado para o cilindro da direção de da direção descarregará o total de óleo correspondente
acordo com a taxa de abertura do entalhe (e). à esta taxa de abertura de modo a manter a pressão
na porta (Pr) constante.

WA380-6 23
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Operação da válvula da direção

Em neutro

• Quando o volante da direção não é operado, o carretel


da direção (1) não se move.

• O óleo da bomba da direção flui até a porta (P).

• Se a pressão do óleo na porta (P) aumentar, o carretel


controlador de fluxo (2) moverá para esquerda e o óleo
da bomba da direção será drenado através do entalhe
(a) e da porta (T1).

24 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Virando a esquerda

• Se o volante da direção for virado a esquerda, a


pressão de saída da válvula Orbit-roll entrará pela
porta (Pa) e o carretel da direção (1) será empurrado
para a direita.
• O óleo da bomba da direção flui até a porta (P), e
então flui através do carretel da válvula de controle (2)
até o carretel da direção (1).
• A válvula de retenção de carga (3) é empurrada para
esquerda e aberta, conduzindo o óleo do lado do
cabeçote do cilindro da direção do lado esquerdo até
o lado inferior do cilindro da direção do lado direito,
virando a maquina para a esquerda.
• O óleo de retorno dos cilindros da direção do lado
esquerdo e direito é drenado através da válvula de
retenção de carga (4) e a porta (T1).

WA380-6 25
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Virando a direita

• Se o volante da direção for virado a esquerda, a


pressão de saída da válvula Orbit-roll entrará pela
porta (Pb) e o carretel da direção (1) será empurrado
para a esquerda.
• O óleo da bomba da direção flui até a porta (P), e
então flui através do carretel da válvula de controle (2)
até o carretel da direção (1).
• A válvula de retenção de carga (4) é empurrada
para direita e aberta, conduzindo o óleo do lado do
cabeçote do cilindro da direção do lado direito até o
lado inferior do cilindro da direção do lado esquerdo,
virando a maquina para a direita.
• O óleo de retorno dos cilindros da direção do lado
esquerdo e direito é drenado através da válvula de
retenção de carga (3) e a porta (T1).

26 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Válvula de alívio da direção 1. Parafuso de ajuste


2. Mola
3. Bujão
4. Gatilho piloto
5. Assento da válvula

Função
• A válvula de alivio da direção é instalada na válvula
da direção. Esta mantém a pressão do óleo dentro
do circuito da direção na pressão ajustada durante
manobras.

WA380-6 27
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Operação da válvula de alivio da direção

• Se a pressão do óleo do circuito da direção aumentar


até o nível ajustado pelo parafuso (1) e mola (2), o
gatilho piloto (3) abrirá e o óleo será drenado através
da porta (T1).
• O equilíbrio de pressão entre as câmaras receptoras
(X) e (Y) estiver desorientada e o carretel controlador
de fluxo (4) se moverá para a esquerda.
• Assim que o carretel controlador de fluxo (4) é
operado, o óleo da bomba da direção é drenado e a
pressão no circuito da direção é mantida abaixo da
pressão ajustada.

28 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Válvula de alivio de sobrecarga Operação


Operação da válvula de alívio

• Porta (A) e porta (B) são conectadas ao circuito do


cilindro e circuito do dreno, respectivamente.
• O óleo flui através do furo do gatilho (1) até o lado
interno do gatilho da válvula de alivio (2).
• O gatilho da válvula de retenção (3) e o gatilho da
válvula de alivio (2) estão assentadas seguramente
pela diferença de área entre os diâmetros (d1) e (d2).

1. Gatilho
2. Gatilho da válvula de alivio
3. Gatilho da válvula de retenção
4. Gatilho piloto
5. Mola

Função • Se a pressão do óleo na porta (A) aumenta acima da


• A válvula de alívio de sobrecarga está instalada na pressão ajustada na válvula de alivio, o gatilho piloto
válvula da direção. Protege o circuito do cilindro contra (4) é empurrado e aberto para a direita.
altas pressões anormais que podem ser geradas • O óleo flui através do gatilho piloto (4) e do furo da
devido a impactos aplicados nos cilindros enquanto a porta (B).
válvula da direção estiver na posição neutra.
• Se uma pressão anormal for gerada no lado do cilindro,
a válvula de alivio de sobrecarga funciona como uma
válvula de segurança para prevenir a quebra do
cilindro e da tubulação hidráulica.
• Se a pressão gerada for negativa no lado do cilindro,
a válvula de alivio de sobrecarga trabalha como uma
válvula de segurança prevenindo a quebra do cilindro
e da tubulação hidráulica.

WA380-6 29
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção.

Operação da válvula de sucção

• Com o gatilho piloto (4) aberto, a pressão de óleo


dentro do gatilho (1) cai.
• Gatilho (1) movimenta-se para a direita até o assento • Se uma pressão negativa for gerada na porta (A), esta
do gatilho piloto (4). atuará no diferencial de área entre os diâmetros (d3)
e (d4) e empurrará abrindo o gatilho da válvula de
retenção (3) para a direita.
• O óleo flui através da porta (B) até a porta (A)
prevenindo a ocorrência de vácuo no circuito.

• A pressão de óleo dentro do gatilho da válvula de alívio


(2) torna-se menor que a pressão do óleo na porta
(A).
• O óleo empurra e abre o gatilho da válvula de alívio (2)
para a direita e flui através da porta (A) para a porta
(B), deste modo o circuito está protegido contra altas
pressões anormais.

30 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Válvula de alívio 1. Bujão


2. Mola
3. Válvula
4. Assento da válvula

Função
• A válvula de alívio está instalada na válvula da direção.
Se a pressão do óleo na porta (Pr) aumentar acima da
pressão ajustada, a válvula de alivio descarrega o óleo
para proteger o circuito LS da bomba da direção contra
altas pressões anormais.

WA380-6 31
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula Orbit-roll

P: Da válvula de carga 1. Gerotor


T: Dreno 2. Corpo da válvula
L: Para a válvula de parada esquerda 3. Eixo de acionamento
R: Para a válvula de parada direita 4. Mola centralizadora
5. Rolamento agulha
6. Mancal
7. Pino central
8. Luva
9. Carretel
10. Calço
11. Tampa final

32 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Descrição geral Estrutura

• A válvula orbit-roll está diretamente conectada ao • A parte superior (A) do carretel (9) está conectada
eixo do volante de direção. Ela alterna o fluxo de óleo ao eixo de acionamento da coluna da direção e
da bomba da direção para os cilindros esquerdo e conectada mais adiante à luva (8) pelo pino central (7)
direito da direção, a fim de determinar a direção de (que não está em contato com o carretel (9) enquanto
deslocamento da máquina. volante de direção está na posição neutra) e pela mola
• A válvula orbit-roll, falando em termos gerais, consiste centralizadora (2).
dos seguintes componentes: carretel do tipo rotatório • A parte superior (B) do eixo de acionamento (3) está
(9) e luva (8), que possuem a função de selecionar a engatada ao pino central (7) e combinada com a luva
direção, e o conjunto do gerotor (5) (uma combinação (8) em um único corpo, e a parte inferior se encontra
de rotor (5a) e estator (5b)), que atua como um motor engatada com o entalhado do rotor (5a) do conjunto do
hidráulico durantes as operações normais da direção, gerotor (5).
e como uma bomba manual (na verdade, a força de • O corpo da válvula (4) possui 4 portas, que estão
operação do volante de direção é muito alta, por isso conectadas ao circuito da bomba, ao circuito do
não é possível operá-la) quando a bomba da direção reservatório, ao circuito da direção esquerda, circuito
ou o motor apresentam falhas e o suprimento de óleo da direção direita, respectivamente. As portas no lado
é interrompido. da bomba e no lado do reservatório estão conectadas
pela válvula de retenção localizada no corpo. Se a
bomba ou o motor falhar, o óleo poderá ser sugado
por essa válvula de retenção diretamente do lado do
reservatório.

WA380-6 33
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

CONEXÃO ENTRE A BOMBA MANUAL E A LUVA

• O diagrama acima mostra as conexões com as portas • O ajuste do volume de descarga é realizado de acordo
da luva utilizadas para conectar as portas P de sucção com o ângulo de giro do volante de direção.
e descarga do gerotor.
• Se o volante de direção for girado para a direita, as
portas (a), (c), (e), (g), (i) e (k) serão conectadas pelas
ranhuras verticais no carretel para o lado da bomba.
Ao mesmo tempo, as portas (b), (d), (f), (h), (j) e (l) se
encontram conectadas à extremidade da cabeça do
cilindro direito da direção, de maneira similar.
Na posição da Fig. 1, as portas (1), (2) e (3) são as
portas de descarga do conjunto do gerotor e elas estão
conectadas às portas (l), (b) e (d), de forma que o
óleo seja enviado para o cilindro da direção. As portas
(5), (6) e (7) estão conectadas e o óleo flui a partir da
bomba.
Se o volante de direção for girado em 90º, as
condições se alteram para as condições mostradas na
Fig.2. Nesse caso, as portas (2), (3) e (4) são portas
de sucção e estão conectadas às portas (k), (a) e (c).
As portas (5), (6) e (7) são portas de descarga, e se
conectam às portas (d), (f) e (h).
• Dessa forma, as portas que atuam como portas de
descarga do gerotor estão conectadas às portas que
se dirigem ao cilindro da direção, enquanto as portas
que atuam como portas de sucção estão conectadas
ao circuito da bomba.
• Para cada 1/7 de giro do volante de direção, os dentes
internos do gerotor avançam um dente, e o óleo
advindo da bomba é descarregado em um volume
equivalente a esse movimento.

34 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Função da mola centralizadora

• A mola centralizadora (2) é composta de 4 molas de


lâminas moldadas em X e 2 molas de lâminas planas,
e é instalada entre o carretel (3) e a luva (5), conforme
mostra a figura.
• Quando o volante de direção é girado, o carretel (9)
comprime a mola centralizadora (2) e um deslocamento
angular é criado entre o carretel (9) e a luva (8).
• Como resultado, as portas do carretel (9) e da luva
(8) se conectam e o óleo é enviado para o cilindro da
direção. Quando o volante de direção pára o seu giro,
o gerotor também pára. Assim, o óleo não é enviado
para o cilindro da direção e a sua pressão aumenta.
Para evitar isso, quando o volante de direção pára
de girar, é retornado pela força de reação da mola
centralizadora (2) em direção à posição neutra pelo
deslocamento angular do carretel (9) e da luva (8).

WA380-6 35
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula de parada

A: Da válvula do Orbit-roll 1. Coifa


B: Da válvula da direção 2. Limpador
DR: Dreno 3. Vedação
4. Gatilho
5. Mola
6. Carretel
7. Mola

36 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Válvula de alívio da direção


(Se equipado)

P1: Da bomba da direção Descrição geral


P2: Da bomba da direção emergencial • A válvula de alívio da direção está instalada no lado
T: Dreno direito da transmissão e é utilizada para manter a
S1: Interruptor de pressão do óleo da bomba da direção pressão do óleo da direção na pressão ajustada.
(Lo) Pressão ajustada: 1.96 MPa {20 kg/cm2}
S2: Interruptor de pressão do óleo da bomba da direção (Pressão de abertura a 0.5 l/min)
(Hi)
S3: Interruptor de pressão do óleo da direção emergencial

1. Bloco
2. Válvula de alívio
3. Orifício

WA380-6 37
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Cilindro da direção

Unidade: mm
Nº Item a ser verificado Critério Solução
Folga entre o pino Tamanho
Tolerância Folga padrão Folga limite
de montagem e a padrão
1 bucha na conexão Eixo Furo
entre o chassi e a 0.080 –
50 0 +0.142 —
haste do cilindro 0.167
–0.025 +0.080
Folga entre o pino
de montagem e a
0 +0.142 0.080 –
2 bucha na conexão 50 —
–0.025 +0.080 0.167
entre o chassi e o Substitua
fundo do cilindro
Conexão entre o
Largura do Largura do Folga padrão
3 cilindro da direção e
ressalto mancal (Folga de a + b)
o chassi traseiro
Max. 0.5
Conexão entre o 60 66
(após calços de ajuste)
4 cilindro da direção e
o chassi dianteiro Max. 0.5
60 63
(após calços de ajuste)

38 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Unidade: mm
Nº Item a ser verificado Critério Solução
Tamanho
Folga entre a haste Tolerância Folga padrão Folga limite
1 padrão
do pistão e a bucha Substitua
Eixo Furo o pino e a
0.021 – bucha
Torque de aperto da 45 –0.025 +0.141 0.505
2 0.205
cabeça do cilindro –0.064 –0.004

3 Torque de aperto do 569 ± 57.0 Nm {58 ± 5.8 kgm}


pistão do cilindro
Torque de aperto 785 ± 78.5 Nm {80 ± 8.0 kgm} (Width across flats: 46 mm) Reaperte
4 do bujão do lado da
cabeça do cilindro 9.8 – 12.74 Nm {1.0 – 1.3 kgm}

WA380-6 39
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Motor emergencial da direção


(Se equipado)

1. Terminal E Função
2. Terminal M • Quando a pressão do óleo no circuito da direção cai
de forma anormal, o motor emergêncial da direção
comanda a bomba da direção de emergência
respondendo ao sinal do controlador da transmissão

Especificações
Nome do modelo Motor de Corrente Continua
Faixa de tensão 24 V
Faixa de saída 0.9 kW

40 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Bomba emergencial da direção


(Se equipado)
Tipo: SBL (1) 21

Unidade: mm
Nº Item a ser verificado Critério Solução
Folga padrão Folga limite
1 Folga lateral
0.10 – 0.15 0.19
Folga entre o
diâmetro interno do
2 mancal e o diâmetro 0.060 – 0.119 0.20 Substitua
externo do eixo de
acionamento
Profundidade do
3 Tamanho padrão Tolerâncial Limite de reparo
pino guia
–0
Torque no entalhe
4 10 –0.5 —
do eixo motriz

2.0 – 4.9 Nm {0.2 – 0.5 kgm}


Saída Pressão de Vazão —
Óleo descarregado: Rotação(rpm) descarga (MPa padrão Vazão permissível (l/min)
— SAE10WCD {kg/cm²}) (l/min)
Temperatura do
óleo: 45 – 55°C 20.6
3,500 {210} 67.6 62.4

Função
• A bomba emergencial da direção é instalada junto
com o motor da direção de emergência no lado direito
da transmissão. Quando o motor para ou a pressão
do óleo no circuito da direção cai abaixo do nível
especificado, a bomba da direção emergencial fornece
óleo para o circuito da direção

WA380-6 41
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Mecanismos do Joystick da direção


(Se equipado)

1. Alavanca do Joystick da direção 10. Almofada


2. Interruptor seletor de ALTO/BAIXO 11. Alavanca de inclinação do console
3. Alavanca de trava do ajuste de altura e inclinação do 12. Bloco
descanso de braço 13. Válvula EPC do Joystick
4. Alavanca de ajuste frente/trás do console 14. Válvula Orbit-roll
5. Interruptor de LIG/ DESL do Joystick 15. Interruptor FNR
6. Trava 16. Interruptor da buzina
7. Cabo de trava 17. Interruptor de marcha baixo
8. Interruptor de trava da direção 18. Interruptor de marcha cima
9. Alavanca elétrica da direção

42 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01030-01

Alavanca elétrica da direção


(Se equipado)

1. Corpo Função
2. Pistão • A alavanca elétrica da direção está instalada no lado
3. Alavanca esquerdo console e está conectada a alavanca do
4. Disco joystick da direção
5. Retentor • Se o joystick da direção for operado, o disco (4)
6. Alavanca rotaciona e empurra o pistão (2) para baixo, e o
7. Potenciômetro potenciômetro (7) rotaciona consequentemente.
8. Conector • O potenciômetro (7) percebe o angulo de operação
(curso) da alavanca da direção e gera um sinal de
saída para o controlador do equipamento de trabalho.
• O potenciômetro está instalado na direção lateral
e é capaz de gerar dois sinais opostos de tensão,
conforme mostrado na figura acima.

WA380-6 43
SEN01030-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula EPC do Joystick


(Se equipada)

Função
• A válvula EPC do joystick seleciona o circuito da
direção esquerdo ou direito e ajusta a faixa de vazão
de acordo com a operação do joystick da direção.
• O solenóide da válvula EPC recebe o sinal de tensão
do controlador do equipamento de trabalho conforme
o ângulo de operação (curso) da alavanca elétrica
da direção e ajusta a faixa de vazão no circuito da
direção.
• A taxa de vazão no circuito da direção é decidida pelo
sinal de tensão do controlador do equipamento de
trabalho.

44 WA380-6
SEN01030-01

Carregadeira de Rodas WA380-6

Nº do formulário SEN01030-01

© 2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil 10-08

46
Manual de Oficina SEN01031-01

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento
e padrões de manutenção
Sistema de freio

Sistema de freio................................................................................................................................................................. 2
Diagrama da tubulação de freio.................................................................................................................................. 2
Válvula de carga ......................................................................................................................................................... 3
Válvula do freio ......................................................................................................................................................... 10
Acumulador (para o freio) ......................................................................................................................................... 15
Freio.......................................................................................................................................................................... 16
Controle do freio de estacionamento ........................................................................................................................ 21
Freio de estacionamento .......................................................................................................................................... 22
Válvula solenóide do freio de estacionamento ......................................................................................................... 24
Válvula emergencial de alívio do freio de estacionamento....................................................................................... 26

WA380-6 1
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Sistema de freio
Diagrama da tubulação de freio

1. Válvula do freio 7. Válvula solenóide do freio de estacionamento


2. Acumulador (traseiro) 8. Freio de estacionamento
3. Acumulador (dianteiro) 9. Válvula emergencial de alívio do freio de
4. Bomba do ventilador de arrefecimento estacionamento
5. Tanque hidráulico 10. Válvula de carga
6. Freio traseiro 11. Freio dianteiro

2 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Válvula de carga

P: Da bomba
A: Para o motor do ventilador de arrefecimento
PPC: Para a válvula PPC
ACC1: Para a porta PA da válvula de freio
ACC2: Para a porta PB da válvula de freio
T: Dreno
S1: Interruptor de pressão do óleo do freio (Baixo)
S2: Interruptor de pressão do óleo do freio de emergência
G: Ponto de medição da pressão de carga do acumulador

WA380-6 3
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

1. Corpo da válvula Função


2. Válvula de seqüência (H1) • A válvula de carga mantém a pressão do óleo da
3. Válvula de alívio (R2) bomba ajustando a pressão e armazenando-a dentro
4. Válvula Compensação (S1) do acumulador.
5. Válvula de prioridade • Se a pressão for armazenada no acumulador, o
6. Válvula de alívio da PPC (R3) circuito do motor do ventilador de arrefecimento abrirá
7. Válvula de alívio principal (R1) e o óleo fornecido pela bomba será enviado a pressão
de comando do motor do ventilador de arrefecimento.
• Conforme a pressão do óleo aumenta acima da
pressão ajustada, o óleo da bomba é direcionado para
o circuito de dreno para reduzir a carga na bomba.
• A válvula de carga reduz a pressão do óleo da bomba
e elimina a pressão básica do circuito de pilotagem.

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Operação

Quando o óleo não é fornecido ao acumulador (Estado de corte)

• Quando a pressão na passagem de óleo (B) é maior


que a pressão ajustada na válvula de alívio (1), o
pistão (2) é empurrado para a direita pela pressão do
óleo vindo da passagem de óleo (B).
• Válvula de alívio (1) abrirá e a passagem de óleo (C)
estará conectada a porta (T).
• O óleo vindo da bomba flui através dos orifícios (a) e
(b) e da passagem de óleo (C) para a porta (T).
• Quando a pressão do óleo é reduzida antes e depois
do orifício (a), o diferencial de pressão é criado entre
as câmaras receptoras de pressão (D) e (E).
• Se a pressão na câmara receptora de pressão (D)
se tornar maior que a pressão ajustada da válvula de
prioridade (5), a válvula de prioridade (5) comprime a
mola (6) e movimenta-se para a direita.
• A área aberta no lado da porta (P) e do orifício (C)
é reduzida e a porta (P) é conectada a porta (A)
gradativamente.
• O óleo da bomba flui através da porta (P), válvula
seqüencial (7), a porta (A) para o motor do ventilador
de arrefecimento.

WA380-6 5
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Quando o óleo é fornecido ao acumulador


1. Estado de corte

• Se a pressão na passagem de óleo (B) cair abaixo


da pressão ajustada na válvula de alívio (1), a válvula
de alívio (1) é retornada para a esquerda pela força
repulsiva das molas (3) e (4).
• A válvula de alívio (1) fecha a passagem de óleo (C)
sendo desconectada da porta (T).
• Quando a passagem de óleo (C) é desconectada da
porta (T), a pressão flui através do orifício (a) sendo
reduzida e o diferencial de pressão entre as câmaras
de pressão (D) e (E) é reduzido.
• A válvula de prioridade (5) é movimentada para a
esquerda pela força repulsiva da mola (6).
• A área aberta no lado da porta (P) e do orificio (c) é
aumentada e a porta (P) é desconectada da porta (A)
gradativamente.
• Se a pressão do óleo da bomba tornar-se maior que a
pressão nas portas (ACC1) e (ACC2), esta empurrará
a válvula de retenção (8), iniciando o aumento
da pressão das portas (ACC1) e (ACC2) para os
acumuladores.
• O óleo da especifica quantidade ajustada pelo tamanho
(área) do orifício (c) e pelo diferencial de pressão entre
eles (equivalente a carga da mola (6)) é fornecido as
portas (ACC1) e (ACC20 dos acumuladores. O óleo
em excesso flui pelas portas (A) e (PPC).

6 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

2. Quando a pressão de corte é alcançada

• Se a pressão na passagem de olé (C) alcança a


pressão ajustada na válvula de alívio (1), a válvula de
alívio (1), é empurrada para a direita pela pressão do
óleo vindo da passagem (C).
• A válvula de alívio (1) abre e a passagem de óleo (C) é
conectada a porta (T).
• Um diferencial de pressão é gerado entre o lado
direito e o lado esquerdo do pistão (2), e o pistão (2)
movimenta-se para a direita e abre a válvula de alívio
(1) violentamente.
• Quando a câmara receptora de pressão (E) da válvula
de prioridade (5) é também conectada a passagem de
óleo (C), a pressão na câmara receptora (E) é ajustada
para a pressão de dreno.
• Quando a pressão na câmara receptora (D) também
cai abaixo do nível equivalente a carga da mola (6), o
óleo fornecido para a passagem (B) é cessado.

WA380-6 7
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula de alívio principal (R1) Válvula de alívio da PPC (R3)

• Se a pressão na porta (P) (pressão da bomba) • Se a pressão da porta (PPC) (pressão piloto)
aumentar acima da pressa ajustada, esta irá comprimir aumentar acima da pressão ajustada, o óleo da bomba
a mola (1) e moverá a esfera (2) para esquerda. irá comprimir a mola (1) movendo a esfera (2) para a
• A pressão do óleo da bomba será reduzida através esquerda.
do orifício (a), e o diferencial de pressão resultante • A pressão do óleo vinda da bomba é reduzida quando
comprime a mola (3) movendo a válvula (4) bastante o óleo flui pelo orifício (a), e este diferencial de pressão
para a esquerda. comprime a mola (3) movendo a válvula (4) para a
• A porta (P) sendo conectada a porta (T) drena a esquerda.
pressão da bomba e desta forma, regula a pressão • Quando a área aberta entre a porta (C) e a porta (P) é
máxima no circuito de carga protegendo o circuito. reduzida e a pressão resultante cai, a pressão na porta
(P) esta no nível atual sem nada abaixando a pressão
ajustada da válvula de alívio.
• A pressão na porta (PPC) é ajustada no especificado
nível desejado de acordo com a área aberta entre
a porta (PPC) e a porta (P) e fornece como pressão
básica ao circuito de pilotagem.
• Se alguma pressão anormal for gerada na porta (PPC),
esta porta será conectada a porta (T) para aliviar esta
pressão anormal e proteger o circuito de pilotagem.

8 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Válvula de seqüência (H1) Válvula de compensação (S1)

• A pressão na porta (P) (pressão da bomba) é aplicada • Quando a pressão na porta (ACC1) está maior que
na extremidade esquerda da válvula seqüencial (1) e a a porta (ACC2), a válvula de compensação (1) move
pressão de dreno é aplicada na extremidade direita. para esquerda desconectando a porta (ACC1) da
• Se a pressão da bomba aumentar acima da pressão passagem de óleo (B).
ajustada da mola (2), a válvula seqüencial (1) moverá • A área aberta entre a porta (ACC2) e a passagem
para a direita e a porta (P) será conectada a porta (A). de óleo (B) é aumentada e o óleo é fornecido para o
• O óleo da bomba flui através da válvula de prioridade acumulador pelo lado da porta (ACC2).
(3) e porta (A) para o motor do ventilador de • Quando a pressão no lado da porta (ACC2) e a
arrefecimento e é utilizado como acionamento do passagem de óleo (B) são aumentadas e o óleo
motor. é fornecido para o acumulador no lado da porta
• Sempre quando a pressão de acionamento do motor (ACC2).
do ventilador estiver baixa, a pressão da bomba será • Quando a pressão na porta (ACC2) é maior que a
mantida acima da ajustada na mola (2) protegendo a porta (ACC1), o óleo é fornecido para a porta do
pressão de carga do acumulador e a pressão básica acumulador lado (ACC1).
do circuito de pilotagem de caírem. • O óleo da bomba é fornecido primeiramente para o
lado de baixa-pressão dos 2 sistemas.

WA380-6 9
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Brake valve 1

PA: Da porta ACC1 da válvula de carga TA: Bujão


PB: Da porta ACC2 da válvula de carga TB: Dreno
A: Para o freio traseiro SA: Interruptor de pressão do óleo da lâmpada de parada
B: Para o freio dianteiro SB: Bujão

1. Pistão 4. Carretel (dianteiro)


2. Carretel (traseiro) 5. Cilindro (dianteiro)
3. Cilindro (traseiro)

10 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Descrição geral
• A válvula de freio está instalada sob a parte dianteira
do assento do operador. Se algum dos pedais de freio
for pressionado, o óleo fluirá para o pistão de freio para
que o freio funcione.
• Ambos os pedais de freio estão conectados
mecanicamente entre si. Qualquer um que seja
pressionado, o outro também se moverá.
• Conforme o pedal de freio é pressionado, o sensor de
pressão do óleo de corte da transmissão é operado,
enviando um sinal para o controlador da transmissão,
como resultado, a transmissão é ajustada eletricamente
em neutro.

Operação
Quando o pedal de freio é pressionado

• Quando o pedal de freio (1) é pressionado, a força


é transmitida através da haste (2), do pistão (3) e da
mola (4) para o carretel (5).
• Se o carretel (5) for empurrado para a direita, a porta
(TA) será fechada e o óleo proveniente da bomba
fluirá pelo acumulador e pelas portas (PA) e (A) para o
pistão de freio traseiro, ativando o freio traseiro.
• Ao mesmo tempo em que o carretel (5) é empurrado
para a direita, o carretel (6) também é empurrado
para a direita, para fechar a porta (TB). Como
conseqüência, o óleo proveniente da bomba flui pelo
acumulador, pelas portas (PB) e (B) para o pistão de
freio dianteiro, para ativar o freio dianteiro.

WA380-6 11
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Quando apenas um dos freios funcionar (ocorrer falha em um dos freios)

• Mesmo que apenas um dos freios funcione em função


de vazamento de óleo, etc, no sistema de freios
dianteiro ou traseiro, a força de pressão do pedal de
freio (1) move os carretéis (5) e (6) mecanicamente
para a direita.
Dessa forma, o óleo proveniente da bomba flui
normalmente para o pistão de freio do sistema normal,
ativando o freio e parando a máquina. Com esse
mecanismo, confere-se um aumento nas condições de
segurança.

12 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Quando em equilíbrio

• Se o pistão de freio traseiro estiver cheio de óleo e a


pressão de óleo entre as portas (PA) e (A) aumentar,
o óleo fluindo através do orifício c do carretel (5) para
a câmara (E) empurrará o carretel (5) de volta para a
esquerda, contra a mola (4), e fechará as portas (PA)
e (A). Já que a porta (TA) é mantida fechada nesse
momento, o óleo que fluiu para o pistão de freio é
mantido e o freio continua em operação.
• No momento em que o carretel (5) é empurrado para
a esquerda, o pistão de freio dianteiro é preenchido de
óleo e a pressão entre as portas (PB) e (B) aumenta.
Com isso, o óleo fluindo através do orifício (d) do
carretel (6) para a câmara (F) empurra o carretel (6) de
volta para a esquerda pela distância de movimentação
do carretel (5), fechando as portas (PB) e (B). Já que
a porta (TB) se mantém fechada, o óleo que fluiu
para o pistão de freio é mantido e o freio continua em
operação.
• A pressão de óleo no circuito de freio traseiro (no lado
da porta (A)) é equilibrada com a força de pressão do
pedal de freio. A pressão de óleo no circuito de freio
dianteiro (no lado da porta B) é equilibrada com a
pressão de óleo no circuito de freio traseiro (no lado da
porta A).
• Se os carretéis (5) e (6) se moverem para o final do
curso direito, as passagens entre as portas (PA) e (A)
e entre as portas (PB) e (B) serão totalmente abertas
e a pressão de óleo nos circuitos de freio dianteiro
e traseiro ficará igual à pressão de óleo proveniente
da bomba. Conseqüentemente, o operador poderá
ajustar a força de frenagem com o pedal de freio até
que os carretéis (5) e (6) se movimentem até o final do
curso direito.

WA380-6 13
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Quando o pedal de freio é liberado

• Com a liberação do pedal de freio (1), a força de


pressão do pedal aplicada ao carretel (5) é perdida.
• O carretel (5) é empurrado de volta para a esquerda
pela pressão de retorno do pistão de freio traseiro e
pela força de reação da mola (7). Conseqüentemente,
a porta (PA) é fechada e o óleo no pistão de freio
traseiro flui através das portas (A) e (TA) para o
reservatório hidráulico, liberando o freio traseiro.
• No momento em que o carretel (5) se move para a
esquerda, o carretel (6) também é empurrado de volta
para a esquerda pela pressão de retorno do pistão
do freio dianteiro e pela força de reação da mola (7).
Conseqüentemente, a porta (PB) é fechada e o óleo
no pistão do freio dianteiro flui através das portas (B)
e (TB) para o reservatório hidráulico, liberando o freio
traseiro.

14 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Acumulador (para o freio) 1 1. Válvula


2. Tampa superior
3. Cilindro
4. Pistão livre

Função
• O acumulador está instalado entre a válvula de carga
e a válvula de freio. O espaço entre o seu cilindro (3)
e o pistão livre (4) é preenchido com gás nitrogênio. A
pressão do óleo de freio é armazenada nesse espaço,
graças à alta capacidade de compressão do gás
nitrogênio e utilizada como a fonte de pressão para
acionar os freios.

Especificações
Gás utilizado: Gás Nitrogênio
Volume de gás: 2,850 cc
Pressão de carga: 3.43 ± 0.1 MPa
{35 ± 1.0 kg/cm2} (At 20°C)
Pressão Max. Utilizável: 20.6 MPa {210 kg/cm2}

WA380-6 15
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Freio
Dianteiro

1. Carcaça do diferencial
2. Suporte do mancal
3. Pistão
4. Mola
5. Anel interno
6. Eixo da engrenagem solar
7. Carcaça do semi-eixo
8. Anel externo
9. Disco (3 peças)

16 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho padrão Tolerância Limite de Reparo
10 Espessura da placa 6 6±0.1 15.5
3.2 ±0.1 2.7
Espessura do disco de freio 6.5 ±0.15 5.7
11 Profundidade do canal da lona 0.8 (Min.) — 0.4
Substitua
Espessura da lona 1.0 0.9 (Min.) —
Tamanho padrão Limite de reparo
Altura instalada Carga instalada Carga instalada
12 Carga da mola
1,870 N 1,730 N
6.5
{191 kg} {176 kg}

Descrição geral
• Os freios possuem uma estrutura de discos múltiplos
em banho de óleo, e consistem de pistão (3), anel
interno (5), disco (9), anel externo (8) e mola (4).
• O cilindro de freio consiste do alojamento do diferencial
(1), do Suporte do mancal (2) e do pistão (5), que são
nele montados.
• O anel interno (5) e o anel externo (8) estão juntos na
porção entalhada na carcaça do semi-eixo (7).
• O disco (9) possui uma lona presa aos dois lados. É
montado entre o anel interno (5) e o anel externo (8),
unidos pela entalhe do eixo da engrenagem solar (6).

WA380-6 17
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Traseiro

1. Carcaça do diferencial
2. Suporte do mancal
3. Pistão
4. Mola
5. Anel interno
6. Eixo da engrenagem solar
7. Carcaça do semi-eixo
8. Anel externo
9. Disco (3 peças)

18 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho padrão Tolerância Limite de Reparo
10 Espessura da placa 6 ±0.1 5,5
3.2 ±0.1 2.7
Espessura do disco de freio 6.5 ±0.15 5.7
11 Profundidade do canal da lona 0.8 (Min.) — 0.4
Substitua
Espessura da lona 1.0 0.9 (Min.) —
Tamanho padrão Limite de reparo
Altura instalada Carga instalada Carga instalada
12 Carga da mola
1,870 N 1,730 N
6.5
{191 kg} {176 kg}

Descrição geral
• Os freios possuem uma estrutura de discos múltiplos
em banho de óleo, e consistem de pistão (3), anel
interno (5), disco (9), anel externo (8) e mola (4).
• O cilindro de freio consiste do alojamento do diferencial
(1), do Suporte do mancal (2) e do pistão (5), que são
nele montados.
• O anel interno (5) e o anel externo (8) estão juntos na
porção entalhada na carcaça do semi-eixo (7).
• O disco (9) possui uma lona presa aos dois lados. É
montado entre o anel interno (5) e o anel externo (8),
unidos pela entalhe do eixo da engrenagem solar (6).

WA380-6 19
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Operação
Quando o freio é aplicado Quando o freio é liberado
• Quando o freio de pedal é pressionado, a pressão • Quando a pressão de óleo é aliviada, o pistão (2)
de óleo (P) parte do reservatório hidráulico através retorna para a sua posição original pela força da mola
da bomba e da válvula de carga do freio. Ela atua no (8), uma folga é formada entre o anel interno (3) e o
pistão que está dentro do cilindro de freio, fazendo o anel externo (5), tornando os discos (4) livres. São
pistão (2) deslizar. encontradas ranhuras em forma de treliça na lona
Assim, o pistão (2) interrompe a rotação dos discos (4) presa ao disco (4), e quando o disco (4) é rotacionado,
encaixados entre o anel interno (3) e o anel externo o óleo flui pelas ranhuras, promovendo o arrefecimento
(5), e o freio é aplicado à máquina. da lona.

20 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Controle do freio de estacionamento

1. Interruptor do freio de estacionamento


2. Conjunto da válvula
3. Válvula solenóide do freio de estacionamento
4. Freio de estacionamento
5. Válvula emergencial de alivio do freio de
estacionamento

Descrição geral
• O freio mecânico de estacionamento (4) é um freio do • Enquanto o freio de estacionamento é “aplicado”
tipo disco múltiplo em banho de óleo incorporado à (Enquanto a válvula solenóide estiver desligada), o
caixa de transferência. Este é instalado no mancal do sinal do controlador da transmissão para a válvula
eixo de saída e é operado mecanicamente pela força solenóide é cortado pelo sinal neutralizador mantendo
das molas e liberado hidraulicamente. a transmissão em neutro.
• Quando o interruptor do freio de estacionamento • A válvula emergencial de alivio do freio de
(1), instalada no assento do operador, é acionada, a estacionamento (5) está instalada para movimentar
válvula solenóide (3) instalada no conjunto de válvula a máquina quando está estiver parada (e o freio de
(2) corta a pressão de óleo e o freio de estacionamento estacionamento aplicado) devido a problemas no
é aplicado. motor ou sistema de comando.
• Quando o interruptor do freio de estacionamento (1) é
desligado, a força hidráulica no cilindro libera o freio de
estacionamento.

WA380-6 21
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Freio de estacionamento

1. Eixo de saída Descrição geral


2. Parafuso de ajuste para alivio manual do freio de • O freio de estacionamento é um freio do tipo
estacionamento disco múltiplo em banho de óleo sendo operado
3. Placa mecanicamente com as molas (7) e (8) ao eixo de
4. Disco saída (1).
5. Mola Plana • A força repulsiva das molas (7) e (8) pressiona o disco
6. Pistão (4) contra a placa (3) com o pistão (6) para parar o eixo
7. Mola (externa) de saída (1).
8. Mola (interna) • Quando o freio é liberado, a pressão do óleo é
aplicada nas costas do pistão (6) separando as placas
(3) e discos (4). Como resultado, o eixo de saída (1) é
liberado.

22 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Unid: mm

Nº Item de verificação Critério Solução


Tamanho padrão Limite de reparo
Comprimento Comprimento Carga Comprimento Carga
Mola do freio de
9 livre instalado instalada livre instalada
estacionamento (externo)
981 N 932 N
78.6 56.4 76.2
{100 kg} {95 kg}
Mola do freio de 517 N 491 N
10 74.5 56.4 72.3
estacionamento (interno) {52.7 kg} {50.1 kg} Substitua
Tamanho padrão Tolerância Limite de reparo
11 Placa Espessura 4.0 ±0.05 3.9
Tensão — 0.05 0.6
12 Disco Espessura 3.2 ±0.08 2.97
Carga da mola plana 1,106 N ±57 N 940 N
13
(Altura de Teste: 3.2 mm) {112.8 kg} {±5.8 kg} {95.9 kg}

WA380-6 23
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula solenóide do freio de estacionamento

1. Conjunto da válvula
2. Bobina (Tipo LIG/DESL)
3. Pino de empurrar
4. Mola
5. Carretel
6. Assento da válvula
7. Válvula de retenção

24 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01031-01

Operação

Quando o freio de estacionamento é aplicado Quando o freio de estacionamento é liberado


(Quando a solenóide e desenergizada) (Quando a solenóide é energizada)

• Ajustando o interruptor do freio de estacionamento • Ajustando o freio de estacionamento para “DESL”


para “LIG” ajuste a bobina (1) para “DESL”. Como ajuste a bobina (1) para “LIG”, movimentando o
resultado, o carretel (2) é empurrado para trás pela carretel (2) para frente.
força repulsiva da mola (3). • O óleo pressurizado da bomba flui para a o freio
• A porta da bomba (P) é desconectada da porta (A) de estacionamento através da porta (P), dentro do
do freio de estacionamento, cessando o fluxo de carretel (2) e da porta (A). Ao mesmo tempo, a porta
óleo da bomba para o freio de estacionamento. Ao (T) é fechada e o óleo não é drenado.
mesmo tempo, o óleo que era utilizado com pressão • Como a pressão do óleo é aplicada nas costas do
de sustentação do freio de estacionamento é drenado pistão, este comprime a mola, separando a placa dos
através da porta (A) e da porta (T). discos, Como resultado o freio de estacionamento está
• Como a pressão de sustentação do pistão é drenada, liberado.
o pistão sendo empurrado de volta pela mola toca a
placa e o disco acionando o freio de estacionamento.

WA380-6 25
SEN01031-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula emergencial de alivio do freio de estacionamento

A: Do acumulador
B: Para a válvula solenóide do freio de estacionamento
1 Trava
2. Válvula

Função
• A válvula emergencial de alívio do freio de
estacionamento é instalada entre o acumulador e
a solenóide do freio de estacionamento no circuito
do freio. Quando o fornecimento da pressão do
óleo da bomba do trem de força é cortada devido
a um problema no motor, etc. abrindo a válvula
manualmente permite a condução da pressão de
carga do acumulador no circuito de freio para o cilindro
do freio de estacionamento.

26 WA380-6
SEN01031-01

Carregadeira de Rodas WA380-6

Nº do formulário SEN01031-01

© 2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil 10-08

28
MANUAL DE OFICINA SEN01032-00

CARREGADEIRA DE RODAS
WA380-6

Modelo da Máquina Número de Série


WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento e
padrões de manutenção
Material rodante e armação
Material rodante e armação................................................................................................................................................. 2
Fixação do eixo e pino da articulação central............................................................................................................... 2
Pneus ............................................................................................................................................................................................................................6

WA380-6 1
SEN01032-00 10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção

Material rodante e armação

Fixação do eixo e pino da articulação central

1. Eixo dianteiro
Apresentação geral
2. Armação dianteira
• A armação dianteira (2) e a armação traseira (4) estão
3. Eixo traseiro
acopladas uma à outra por meio do mancal, com o
4. Armação traseira
pino de articulação central entre ambas. Os cilindros
direito e esquerdo do sistema direcional conectam a
armação dianteira à armação traseira, e ajustam o
ângulo de curvatura do raio de giro da armação de
acordo com a movimentação do cilindro.

2 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção SEN01032-00

Unidade: mm
No. Item a ser verificado Critério Solução
Tam. Padrão Tolerância Limite de reparo
1 Espessura do prato de escora
22 ±0,5 –
+ 0,3
2 Espessura do prato de desgaste 5 –
– 0,1
Tolerância Folga Limite de
Tam padrão Substituir
Folga entre o eixo e o orifício no lado do Eixo Orifício padrão folga
3
suporte dianteiro
– 0,050 + 0,472 0,050 –
190 –
– 0,122 0 0,594
Folga entre o eixo e o orifício no lado do –0,005 +0,522 0,055 –
4 170 –
suporte traseiro –0,124 +0,050 0,646

WA380-6 3
SEN01032-00 10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção SEN01032-00

Unidade: mm
No. Item a ser verificado Critério Solução

Tam padrão Tolerância Folga


Limite de folga
Folga entre o pino da articulação Eixo Orifício padrão
1
superior e a armação traseira
–0,030 +0,071 0,066 –
80 —
–0,049 +0,036 0,120
Folga entre o pino da articulação –0,030 +0,060 0,060 –
2 80 —
superior e o espaçador (pequeno) –0,049 +0,030 0,109

Folga entre o pino da articulação 0,015 –


3 80 –0,030 –0,015 —
superior e o mancal 0,049
–0,049 –0,015

Folga entre o pino da articulação


4 80 –0,030 +0,30 0,072 – —
superior e o espaçador (grande)
–0,049 +0, 036 0,142

Folga entre a armação traseira e o +0,071 -0,088-


5 95 –0,036 —
espaçador (grande) +0,036 -0,023
–0,071
–0,048
Folga entre a armação dianteira e o 0 –0,057 –
6 130 –0,088 —
mancal da articulação superior –0,025 –0,043 Substituir
Folga entre o pino da articulação
–0,030 +0,067 0,057 –
7 inferior e a bucha da armação 80 —
–0,076 +0,027 0,076
traseira
Folga entre o pino da articulação –0,030 0 0,015 –
8 80 —
inferior e o mancal –0,076 –0,015 0,076
Folga entre a armação dianteira e o 0 –0,048 –0,088 –
9 130 —
mancal da articulação inferior –0,025 –0,088 –0,023
Folga entre a armação traseira e a +0,089 +0,054
10 95 –0,089 – 0 —
bucha +0,054 0
Folga no pino da articulação inferior
+0,17 +0,054 –0,17 –
11 e na peça de encaixe por pressão do 105 —
+0,08 0 –0,026
retentor

Altura do espaçador da articulação Tam. Padrão Tolerância Limite de reparo


12
superior (pequeno) 25,5 ± 0,1 —
Altura do espaçador da articulação
13 56 ± 0,1 —
superior (grande)
Espessura padrão do calço entre a
14 2.5
articulação superior e o retentor
Espessura padrão do calço entre a
15 2.5
articulação inferior e o retentor
Torque de aperto do parafuso de
16 fixação do retentor da articulação 2
superior Ajustar
Torque de aperto do parafuso de 20 ± 2 Nm {2 ± 0,2 kgm} (quando o calço é ajustado)
17 fixação do retentor da articulação
inferior 98 – 123 Nm {10 – 12,5 kgm} (valor final)
Torque de aperto do parafuso de 20 ± 2 Nm {2 ± 0,2 kgm} (quando o calço é ajustado)
18 fixação do retentor da articulação
superior 98 – 123 Nm {10 – 12,5 kgm} (valor final)

WA380-6 5
SEN01032-00 10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção

Pneus
Os pneus radiais (item opcional) desta máquina possuem as seguintes características:
• Ampla força de aderência • Alto grau de conforto para o operador • Menor ocorrência de rupturas
• Redução de desgaste irregular • Melhora no consumo de combustível • Vida útil prolongada
• Menos danos causados à máquina • Menor geração de calor

Comparação das estruturas e características dos pneus

Pneu radial Pneu de trama oblíqua

Estrutura Estrutura
• As tramas da carcaça (1) são dispostas perpendi- • As tramas da carcaça (1) são dispostas oblíquamente
cularmente à linha central da banda de rodagem (T) a partir da linha central da banda de rodagem (T).
(radialmente). • A parede lateral (W) e a banda de rodagem (T) são
• A banda de rodagem (T) é estabilizada e protegida por componentes integrais.
várias cintas de força (2).
• A parede lateral (W) e a banda de rodagem (T) são
independentes uma da outra.

Características de contato com o solo


Características de contato com o solo • Se o pneu sofrer deformação sob aplicação da carga,
• peso excessivo de uma determinada carga, não se a superfície de contato com o solo também ficará
moverão aleatoriamente em contato com o solo e deformada, gerando movimentos imprecisos. Como
manterão uma superfície de contato firme e estável. resultado, essa superfície de contato se torna instável.

Características de deformidade
Características de deformidade • A parede lateral (W), que recebe carga, e a banda de
• Somente a parede lateral (W) sofre deformação sob rodagem (T) se movem como uma única unidade.
aplicação da carga, enquanto a banda de rodagem (T),
feita de cintas de força (2) mantém a estabilidade de
maneira independente.

6 WA380-6
SEN01032-00

Carregadeira de rodas WA380-6


Nº do formulário SEN01032-00

2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil

8
Manual de Oficina SEN01033-01

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento e
padrão de manutenção.
Sistema hidráulico, Parte 1
Sistema hidráulico, Parte 1................................................................................................................................................ 2
Diagrama da tubulação hidráulica .............................................................................................................................. 2
Articulações da alavanca de controle do equipamento de trabalho ........................................................................... 5
Tanque hidráulico....................................................................................................................................................... 8
Bomba do trem de força .......................................................................................................................................... 10
Bomba do equipamento de trabalho .........................................................................................................................11
Válvula de controle do equipamento de trabalho .................................................................................................... 22
CLSS ........................................................................................................................................................................ 36
Funcionamento e operação de cada válvula ........................................................................................................... 40

WA380-6 1
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Sistema hidráulico, Part 1


Diagrama da tubulação hidráulica

2 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

WA380-6 3
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção.

1. Válvula estabilizadora Descrição geral


2. Válvula de controle do equipamento de trabalho • O sistema hidráulico consiste do circuito do equipa-
3. Cilindro da caçamba mento de trabalho e do circuito da direção. O circuito
4. Válvula da direção do equipamento de trabalho controla e opera a caçam-
5. Bomba do ventilador de arrefecimento ba e implementos
6. Válvula PPC do equipamento de trabalho • O óleo vindo do tanque hidráulico (8) é enviado pela
7. Bomba da direção bomba do equipamento de trabalho (13) para a vál-
8. Tanque hidráulico vula de controle do equipamento de trabalho (2). Se
9. Tampa do filtro de óleo e Respiro os carretéis da caçamba e de elevação do braço da
10. Resfriador de óleo válvula do equipamento de trabalho estão na posição
11. Resfriador de óleo do trem de força MANTER, o óleo é enviado através do circuito de dre-
12. Bomba do trem de força no da válvula de controle do equipamento de trabalho,
13. Bomba do equipamento de trabalho filtrado pelo filtro no tanque hidráulico, e retornando ao
14. Acumulador PPC tanque.
15. Válvula de carga • Se a alavanca do de controle do equipamento de
16. Acumulador ECSS (se equipado) trabalho é operada, o carretel da caçamba ou de
17. Cilindro da direção elevação do braço da válvula PPC do equipamento
18. Cilindro de elevação de trabalho (6) movimenta-se para operar hidraulica-
19. Bomba emergencial da direção (se equipado) mente cada carretel da válvula de controle do equipa-
20. Motor emergencial da direção (se equipado) mento de trabalho (2). Então, o óleo flui da válvula de
21. Motor do ventilador de arrefecimento controle do equipamento de trabalho para o cilindro de
elevação (18) ou cilindro da caçamba (3), de modo a
movimentar o braço ou a caçamba.
• A pressão máxima do circuito hidráulico é controlada
pela válvula de alívio situada na válvula de controle
do equipamento de trabalho (2). O circuito do cilindro
da caçamba é equipado com a válvula de sucção e
segurança para proteção do circuito.
• O acumulador da PPC (14) é instalado no circuito piloto
da PPC, fazendo com que o braço de elevação possa ser
baixado ao chão sempre que o motor estiver desligado.
• O tanque hidráulico (8) é pressurizado, fechado, e
equipado com a tampa do filtro de óleo e respiro (9)
como válvula de alívio. Certa pressão é aplicada ao
tanque para prevenir a geração de pressão negativa
no tanque e cavitação da bomba.
• Esta maquina é equipada com um sistema direcional
de emergência. Se a máquina não puder virar
normalmente devido a problemas no motor, um
problema na bomba da direção, vazamento de óleo da
tubulação, etc... o motor emergencial da direção (200
comandado pela bomba emergencial da direção (19) faz
com que a máquina possa ser manobrada. (Se equipado).
• Motor do ventilador de arrefecimento (21) instalado no
radiador é comandado hidraulicamente e variavelmente
pela bomba do ventilador de arrefecimento (5).

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Articulações da alavanca de controle do equipamento de trabalho


Tipo alavanca-2

1. Alavanca de controle de elevação do braço


2. Alavanca de controle da caçamba
3. Alavanca de trava do equipamento de trabalho
4. Descanso de braço
5. Válvula PPC do equipamento de trabalho
6. Alavanca de ajuste para frente / alavanca de ajuste para trás
7. Alavanca de trava da altura e ângulo do descanso de braço

WA380-6 5
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Tipo de alavanca-única multi-função


(Se equipado)
a A figura abaixo mostra a maquina equipada com alavanca de controle auxiliar.

1. Alavanca de controle auxiliar


2. Alavanca de controle do equipamento de trabalho
3. Descanso de braço
4. Válvula solenóide de corte da PPC do equipamento de trabalho
5. Válvula PPC do equipamento de trabalho
6. Válvula PPC do implemento
7. Alavanca de trava da altura e ângulo do descanso de braço
8. Interruptor de trava do equipamento de trabalho
9. Alavanca de ajuste para frente / alavanca de ajuste para trás

6 WA380-6
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Tanque hidráulico

8 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

1. Tampa do filtro de óleo e respiro Respiro


2. Tanque hidraulico
3. Válvula de dreno
4. Bujão de dreno
5. Indicador visual
6. Restrição
7. Elemento filtrante
8. Válvula Bypass
9. Restrição da sucção

Especificações
Capacidade do tanque hidráulico (l) 232
Quantidade de óleo no tanque
139
hidráulico (l)
Pressão ajustada da válvula bypass 0.15 ± 0.03
(MPa {kg/cm²}) {1.53 ± 0.31} 1. Elemento filtrante
2. Placa inferior
3. Vedação
4. Válvula de junção
5 Mola

Prevenção contra pressão negativa no tanque


• Sendo o tanque pressurizado e fechado, se o nível do
óleo baixar, uma pressão negativa será gerada.
Neste momento, a válvula de junção (4) é aberta pelo
diferencial de pressão entre o tanque pressurizado e a
pressão atmosférica prevenindo a geração da pressão
negativa
(Pressão ajustada da válvula de admissão de ar:
0 – 5.1 kPa {0 – 0.05 kg/cm²})

Prevenção contra aumento de pressão no tanque


• Enquanto o circuito hidráulico estiver em operação, o
nível de óleo no tanque aumenta conforme os cilindros são
operados, e a temperatura aumenta. Conseqüentemente, a
pressão no tanque aumenta, também.
Se a pressão no tanque aumenta acima do nível ajus-
tado, a placa inferior (2) é empurrada para cima ali-
viando a pressão do tanque e então previne o aumento
de pressão no tanque.
(Pressão ajustada da válvula de exaustão:
75 ± 15 kPa {0.76 ± 0.15 kg/cm²})

WA380-6 9
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Bomba do trem de força


Tipo: SDL(30)80

Unid: mm
No. Item a ser verificado Critério Solução
Tipo Folga padrão Folga limite
1 Folga lateral
SDL (30) 80 0.16 – 0.20 0.24
Folga entre o diâmetro interno do
2 mancal e o diâmetro externo do SDL (30) 80 0.06 – 0.13 0.20
eixo da engrenagem Substitua
Tamanho
Tipo Tolerância Limite de reparo
Profundidade de acionamento padrão
3
do pino 0
SDL (30) 80 10 —
–0.5
Torque do giro no entalhado do
4 6.9 – 11.8 Nm {0.7 – 1.2 kgm}
eixo
Pressão de Descarga Descarga
Descarga Rotação —
Tipo descarga padrão permissível
— Descarga de óleo: SAE10W (rpm)
(MPa {kg/cm²}) (l/min) (l/min)
Temperatura do óleo: 45 – 55ºC
SDL (30) 80 2,500 2.94 {30} 192.5 170.4

Descrição geral
a A bomba do trem de força está instalada no eixo do
PTO do conversor de torque e comandada pelo eixo
fornece óleo para o conversor de torque e circuitos da
transmissão.

10 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Bomba do equipamento de trabalho


Tipo: LPV90

Vazão de
saída

Vazão de
entrada
POP

PEN

P1: Porta de descarga da bomba PEN: Ponto de medição da pressão de controle


P1L: Porta de entrada da pressão de descarga da bomba PLS: Porta de entrada da pressão de carga
PD: Porta de dreno POP: Porta de entrada da pressão piloto externa
PD2: Bujão de dreno PS: Porta de sucção da bomba

1. Unidade da Bomba 2. Servo-válvula 3. Respiro de ar

WA380-6 11
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

1. Unidade da Bomba
PEPC PDE

Vazão de
saída

Vazão de
entrada

PA: Porta de saída de pressão básica


PD4 : Porta de dreno
PD5 : Porta de dreno
PDE : Porta de dreno da EPC
PE: Porta de entrada da pressão de controle
PEPC: Porta de entrada da pressão básica EPC

12 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

1. Mancal
2. Eixo
3. Carcaça
4. Placa de inclinação
5. Sapata
6. Pistão
7. Bloco cilíndrico
8. Placa de controle
9. Tampa posterior
10. Retentor da sapata
11. Servo-pistão
12. Mola
13. Vedação de óleo
14. Esfera

WA380-6 13
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

2. Servo-válvula

T: Porta de dreno
IM: Corrente seletora do modo PC
P1: Porta de descarga da bomba
PD: Porta de dreno
PE: Porta de entrada de pressão do pistão de controle
PDE: Porta de dreno da EPC
PEPC: Porta de entrada de pressão básica da EPC

1. Respiro de ar

14 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

PDE: Dreno da EPC 1. Válvula EPC

Válvula PC 2.Alavanca Válvula LS 11. Carretel


PA: Pressão de des- 3. Mola PA: P r e s s ã o d e 12. Bujão
carga da bomba 4. Retentor descarga da bomba 13. Assento
PM : Pressão seletora 5. Assento PE: Pressão do pistão 14. Mola
do modo PC 6. Carretel de controle 15. Porca
PPL: Pressão de saída 7. Luva PLS: Entrada de pressão LS 16. Bujão
da válvula PC 8. Pistão PPL: Pressão de saída da
T: Dreno 9. Vedação válvula PC
10. Pistão PPLS: Entrada de pressão da
LS na bomba
T: Dreno

WA380-6 15
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Função
• A rotação e torque do motor são transmitidos até o
eixo desta bomba. Desta forma, esta bomba converte
a rotação e o torque em energia hidráulica e recalca o
óleo de acordo com a carga aplicada a máquina.
• É possível alterar a vazão de saída alterando o ângulo
da placa de inclinação.

Estrutura
• O Bloco cilíndrico (6) está suportado pelo eixo (1)
através dos entalhes (a), a o eixo (1) está suportado
pelos mancais frontal e traseiro.
• A base do pistão (5) é uma esfera côncava, e a sapata
(5) está montada nele de modo que se torna um peça única.
Pistão (6) e a sapata (5) formam um mancal esférico.
• A placa de inclinação (3) é suportada na carcaça (2)
e na esfera (9) e possui uma superfície plana (A),
onde as sapatas estão sempre pressionadas contra
esta superfície e deslizam em círculos. A placa de
inclinação (3) também desliza ao redor da esfera (11)
utilizando esta como pivô.
• Os pistões (5) executam um movimento relativo na
direção axial dentro de cada câmara de compressão
do Bloco cilíndrico (6).
• O Bloco cilíndrico (6) executa uma rotação relativa
à placa de controle (7) enquanto esta veda o óleo
pressurizado, e assegura que o balanço hidráulico
seja mantido corretamente.
• E o óleo de cada câmara de compressão do Bloco
cilíndrico (6) para sucção ou recalque é provido
através da placa de controle (7).

16 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Operação • Quando a linha de centro (X) da placa de inclinação


(3) é a mesma da direção axial do bloco cilíndrico (6)
1. Operação da bomba [ângulo placa de inclinação = 0], a diferença entre
• O Bloco cilíndrico (6) rotaciona junto com o eixo (1) os volumes (E) e (F) dentro do bloco cilíndrico (7) é
e as sapatas (4) deslizam sobre o plano (A). Neste 0, então a bomba não succiona nem descarrega, e
momento, a placa de inclinação (3) movimenta-se ao nenhuma operação de bombeamento é executada.
redor da esfera (9), modificando o ângulo de inclinação [Atualmente o ângulo da placa de inclinação não é
(a) em relação a linha de centro (X) da placa de ajustável até 0º].
inclinação (3) na direção axial do Bloco cilíndrico (6). • Em resumo, o ângulo da placa de inclinação (a) é
proporcional à vazão entregue na saída da bomba.

• Se o ângulo (a) for alterado dentro da linha de centro


(X) da placa de inclinação (3) e o eixo do bloco
cilíndrico (6), o plano (A) trabalhará como um came
para as sapatas (4).

• De acordo, pistão (5) desliza dentro do bloco cilíndrico


(6) é gerada uma diferença de volumes (E) e (F) dentro
do bloco cilíndrico (6). Como resultado, cada pistão
succiona e comprime óleo de (F) – (E).

• Em outras palavras, o bloco cilíndrico (6) rotaciona, e


o volume na câmara (E) se torna menor, então o óleo
pressurizado e descarregado durante este processo.
Ao mesmo tempo, o volume na câmara (F) se torna
maior e o óleo é succionado neste processo. [Na figura
abaixo, a câmara (F) está no final do curso de sucção
e a câmara (E) está no final do curso de descarga].

WA380-6 17
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

2. Controle da vazão de saída Válvula LS


• Se o ângulo da placa de inclinação (a) estiver diminuin-
do, a diferença de volumes (E) e (F) estará diminuindo, Função
e a vazão de saída (Q) também. O ângulo da placa de • A válvula LS controla a vazão de saída da bomba de
inclinação (a) é alterado pelo servo-pistão (11). acordo com o curso da alavanca de controle, ou o fluxo
• O servo-pistão (11) responde de forma linear ao sinal de demandado pelo atuador.
pressão da servo-válvula. Esta resposta de movimento • A válvula LS detecta o fluxo demandado para o
linear é transmitida pela placa de inclinação (3). Desta atuador através do diferencial de pressão (ΔPLS)
forma, a placa de inclinação (3) suportada na carcaça entre a pressão de entrada da válvula de controle
(2) desliza ao redor da esfera (9). (PPLS) e a pressão de saída da válvula de controle
(PLS) controlando assim, a vazão de saída da bomba
principal (Q). ((PPLS) é chamado de pressão LS da
Bomba, (PLS) é a pressão LS e (ΔPLS) é o diferencial
de pressão LS.
• Em outras palavras, a perda de pressão causada
pelo fluxo de óleo através da abertura do carretel da
válvula de controle (= ΔPLS pressão do diferencial LS)
é detectado, e então a vazão de saída da bomba (Q) é
controlada para manter a perda de pressão constante
e fornecer vazão a saída da bomba de acordo com a
demanda de fluxo de cada atuador.
• A pressão de descarga da bomba principal (PP),
pressão LS da bomba (PPLS), e pressão LS (PLS)
são controladas pela válvula LS. A relação entre o
diferencial de pressão LS (ΔPLS) e a vazão de saída
da bomba (Q) altera conforme mostrado abaixo.
Descarga da bomba Q (ℓ/min)

ΔPLS Diferencial de pressão LS

18 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Válvula PC • Neste momento, as portas (F) e (G) da válvula LS são


conectadas. Como resultado, a pressão na porta (J) é
Função drenada (PT) e o servo-pistão (6) move para esquerda.
• A válvula PC limita a vazão de óleo para um certo nível • Conseqüentemente, a vazão de saída da bomba é
(de acordo com a pressão de saída) sempre se o curso aumentada.
da válvula de controle é aumentado abusivamente • Como o servo-pistão (6) move, a alavanca (1) movi-
fazendo com que a potência absorvida pela bomba menta para a esquerda e a mola (2) expande, enfra-
exceda a potência do motor, tanto quanto a pressão de quecendo a carga da mola, desconectado as portas
descarga da bomba (PA) é aumentada. (C) e (D) e conectando as portas de descarga da
• Em outras palavras, a válvula PC diminui a vazão de bomba (B) e (C).
saída da bomba quando a carga é aumentada e a • Como resultado, a pressão na porta (C) aumenta e a
pressão de descarga da bomba cresce, e aumenta a pressão do pistão é aumentada e o servo pistão (6)
vazão quando a carga é diminuída. para movendo-se para a esquerda.
• A relação entre a pressão da bomba e a vazão de
saída é mostrada abaixo. 3. Quando a pressão da bomba (PA) está alta
• Se o comando corrente (x) enviado para a válvula EPC • A força de pressão do carretel (5) é aumentada e o
é aumentado, a relação entre a bomba de pressão carretel (3) está um pouco para a esquerda (Fig. 2).
(PA) e (Q) é traduzida proporcionalmente à força de Neste momento, os pórticos (C) e (B) são conectados
pressão da válvula solenóide EPC. e a pressão na válvula LS é a pressão da bomba (PA).
• Em outras palavras, desde que a força de pressão • Neste momento, as portas (F) e (G) da válvula LS são
da válvula solenóide EPC seja somada a força de conectadas. Como resultado, a pressão na porta (J) se
pressão do lado esquerdo, causada pela bomba de torna a pressão da bomba (PA) e o servo-pistão (6) se
pressão direcionada ao carretel (6), a relação entre a move para direita.
bomba de pressão (PA) e (Q) é traduzida de [1] para • Conseqüentemente, a vazão de saída da bomba é
[2] assim como (x) é ampliado. diminuída.
• Como o servo-pistão (6) move, a alavanca (1) movi-
menta para a direita e a mola (2) comprime, aumentan-
do a carga da mola. Conseqüentemente o carretel (3)
move para a direita desconectado as portas (C) e (B) e
Descarga da bomba Q

conectando as portas de (D) e (C).


• Como resultado, a pressão na porta (C) diminui e a
pressão do pistão é diminuída e o servo pistão (6) para
movendo-se para a direita.
• Conseqüentemente, a posição de parada (=vazão da
bomba) do servo pistão (6) é controlada pela posição
onde a pressão causada por (PA) aplicado ao carretel
Pressão PA da bomba (5) está balanceada com a força da mola (2) aplicada
através do carretel (3). (Fig. 3)

4. Quando a pressão seletora do modo PC aumenta


Operação ou diminui
• A PC-EPC muda a pressão de saída (PM) com a
1. Operação da mola corrente de entrada do controlador de forma silimilar
• A mola de carga na mola (2) na válvula PC é quando a força do carretel (8) muda e (PA) aumenta
comandada pela posição da placa de inclinação. ou diminui.
• Se o servo-pistão (6) mover-se para a direita, a mola
(2) é comprimida através da alavanca (1) e a carga da
mola se altera.

2. Quando a pressão da bomba (PA) está baixa


• A força de pressão do carretel (5) é diminuída e o
carretel (3) está um pouco para a direita (Fig. 1). Neste
momento, os pórticos (C) e (D) são conectados e a
pressão na válvula LS é drenada (PT).

WA380-6 19
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Quando a carga é leve


(Fig. 1)

Válvula de pilotagem Pressão piloto

Para a válvula
de controle

Motor
Capacidade Bomba da
Grande direção
Bomba do
ventilador

Válvula
LS
Válvula

Sinal de pressão
de óleo da vál- controle da Bomba
vula principal

Quando a carga é pesada


(Fig. 2)

Válvula de pilotagem Pressão piloto

Para a válvula de
controle

Motor
Bomba da
Capacidade direção Bomba do
Pequena
ventilador

Válvula LS

Sinal de pressão
de óleo da vál- controle da Bomba
vula principal

20 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Quando em equilíbrio
(Fig. 3)

Válvula de pilotagem Pressão piloto

Motor
Capacidade Bomba da
Pequena direção Bomba do
Grande
ventilador

Válvula LS

Válvula

Sinal de pressão
controle da Bomba
de óleo da válvu-
la principal

WA380-6 21
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula de controle do equipamento de trabalho


Descrição geral

As válvulas de controle podem configuradas de 2 formas


• Válvula de 3 carretéis (Sem válvula de serviço)
• Válvula de 4 carretéis (Válvula de 3 carretéis + válvula de serviço)
a Cada válvula de serviço é do tipo modular, é possível posteriormente adicioná-la ou removê-la.

Conforme as vistas externas e as vistas em corte, apenas a válvula de 4 carretéis (válvula de 3 carretéis + válvula de
serviço) é mostrada.

A2 : Para a base do cilindro de elevação PA3: Da válvula válvula PPC de inclinação da caçamba
A3 : Para a base do cilindro da caçamba PA4: Da válvula PPC de serviço
A4 : Para o atuador de serviço PB2: Da válvula PPC de descida do braço
ACC: Para o acumulador ECSS PB3: Da válvula PPC de despejo da caçamba
B2 : Para o cabeçote do cilindro de elevação PB4: Da válvula PPC de serviço
B3 : Para o cabeçote do cilindro da caçamba PP: Para a bomba principal
B4 : Para o atuador de serviço PRE: Da válvula PPC de descida do braço
C: Para o controlador PT : Da válvula PPC de descida do braço
LS : Para a porta LS da bomba principal T: Para o tanque
P: Da bomba principal TS : Para o tanque
PA2: Da válvula PPC de elevação do braço TS2: Para o tanque

1. Válvula de carga do acumulador 6. Válvula da caçamba


2. Válvula de regeneração do braço 7. Válvula do braço
3. Válvula de retenção do braço 8. Válvula de controle ECSS
4. Tampa posterior 9. Bloco da porta PT
5. Válvula de serviço

a Torque de perto das porcas (10) da tampa superior (4) em 3 vezes nesta ordem [1], [2], [3], e [4].
1º torque de aperto: 58.8 – 68.6 Nm {6 – 7 kgm}
2º torque de aperto: 78.5 – 88.3 Nm {8 – 9 kgm}
3º torque de aperto: 98.1 – 113 Nm {10 – 11.5 kgm}

22 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Válvula de 4-carretéis

WA380-6 23
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Vista em corte
(1/7)

24 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

1. Válvula de sucção (Base do braço)


2. Válvula de sucção e segurança (Base da caçamba)
3. Válvula de sucção e segurança (Atuador de serviço)
4. Válvula de sucção e segurança (Atuador de serviço)
5. Válvula de sucção e segurança (Cabeçote da caçamba)
6. Válvula de sucção (Cabeçote do braço)
7. Válvula de pressão posterior variável (Válvula de retenção do braço)

Unid: mm
No. Item de verificação Critério Solução
Tamanho padrão Limite de reparo
Comprimento
Comprimento Carga Se danificada
Mola da válvula de livre x Diâmetro Comprimento livre Carga instalada
8 instalado instalada ou deformada,
sucção externo
substitua a mola
5.50 N 4.40 N
46.8 x 7.5 40.6 —
{0.56 kg} {0.45 kg}

WA380-6 25
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

(2/7)

26 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

1. Válvula de alívio principal


2. Carretel (Controle ECSS)
3. Carretel (Braço)
4. Carretel (Caçamba)
5. Carretel (Serviço)
Unid: mm
No. Item de verificação Critério Solução
Tamanho padrão Limite de reparo
Comprimento
livre x Comprimento Carga Comprimento Carga
6 Mola de retorno do carretel (Serviço) Diâmetro instalado instalada livre instalada
externo
230 N 184 N
45.6 x 28 43 —
{23.5 kg} {18.8 kg}

125 N 100 N
7 Mola de retorno do carretel (Caçamba) 47.8 x 27.4 45 —
{12.7 kg} {10.2 kg}
Se danificada
136 N 109 N ou deformada,
8 Mola de retorno do carretel (Braço) 50.2 x 36 47 —
{13.9 kg} {11.1 kg} substitua a
263 N 210 N mola
9 Mola de retorno do carretel (Braço) 53.2 x 17.2 36.8 —
{26.8 kg} {21.4 kg}
114 N 91 N
10 Mola de retorno do carretel (Caçamba) 47.1 x 27.4 45 —
{11.6 kg} {9.28 kg}
162 N 129 N
11 Mola de retorno do carretel (Braço) 56.6 x 25.5 54 —
{16.51 kg} {13.2 kg}
55.9 N 44.7 N
12 Mola de retorno do pistão (Braço) 77.1 x 34.7 21 —
{5.7 kg} {4.56 kg}
83.6 N 66.9 N
13 Mola de retorno do carretel (ECSS) 61.3 x 28 45 —
{8.52 kg} {6.82 kg}

WA380-6 27
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

(3/7)

28 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

1. Válvula compensadora de pressão F (Braço de elevação)


2. Válvula compensadora de pressão F (Caçamba)
3. Válvula compensadora de pressão F (Serviço)
4. Válvula compensadora de pressão R (Serviço)
5. Válvula compensadora de pressão R (Caçamba)
6. Válvula compensadora de pressão R (Braço de elevação)

F: Válvula de controle de fluxo


R: Válvula redutora de pressão Unid: mm

No. Item de verificação Critério Solução


Tamanho padrão Limite de reparo
Comprimento
Comprimento Carga Comprimento Carga
Mola da válvula controladora de livre x Diâmetro
7 instalado instalada livre instalada
fluxo externo
24.5 N 19.6 N
33.2 x 9.5 26 — Se danificada
{2.5 kg} {2.0 kg}
ou deformado,
Mola da válvula controladora de 24.5 N 19.6 N substitua a mola.
8 45.7 x 9.5 35 —
fluxo {2.5 kg} {2.0 kg}

Mola da válvula redutora de 17.7 N 14.1 N


9 27.5 x 14.2 18 —
pressão {1.8 kg} {1.44 kg}

WA380-6 29
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

(4/7)

1. Ponto de medição da pressão LS


2. Bujão LS de bypass
3. Ponto de medição da pressão da bomba

30 WA380-6
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

(5/7)

32 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

1. Válvula de alívio principal


2. Válvula de pressão posterior variável (Válvula de
retenção do braço)
3. Carretel (Válvula de controle ECSS)
4. Bujão de alivio de pressão do acumulador
5. Válvula de carga do acumulador
6. Válvula de regeneração do braço
7. Carretel (Válvula de regeneração do braço)
Unid: mm
No. Item de verificação Critério Solução
Tamanho padrão Limite de reparo
Comprimento
Comprimento Carga Comprimento Carga
livre x Diâmetro
8 Mola (Válvula de retenção do braço) externo instalada livre instalada
externo
10.4 N 8.34 N
34.04 x 21 32 —
{1.06 kg} {0.85 kg}
Se danificada
Mola (Válvula de regeneração do 45.1 N 36.1 N
9 41.71 x 19.2 40.5 — ou deformada,
braço) {4.6 kg} {3.68 kg}
substitua a mola
2.94 N 2.35 N
10 Mola (Válvula de retenção) 20.3 x 13.7 16 —
{0.3 kg} {0.24 kg}
5.9 N 4.71 N
11 Mola (Válvula de retenção) 41.5 x 8.5 31.5 —
{0.6 kg} {0.48 kg}
19.6 N 15.7 N
12 Mola 19.15 x 7.2 16.05 —
{2 kg} {1.6 kg}

WA380-6 33
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

(6/7)

1. Válvula de sucção 8. Carretel (Caçamba)


2. Válvula de sucção e segurança 9. Válvula de derivação
3. Carretel (Braço) 10. Válvula compensadora de pressão F
4. Válvula compensadora de pressão R 11. Válvula compensadora de pressão R
5. Válvula compensadora de pressão F
6. Válvula de sucção e segurança F: Válvula controladora de fluxo
7. Válvula de sucção e segurança R: Válvula redutora de pressão

34 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

(7/7)

1. Válvula de sucção e segurança F: Válvula de controle de fluxo


2. Válvula de sucção e segurança R: Válvula redutora de pressão
3. Carretel (Serviço)
4. Válvula compensadora de pressão F
5. Válvula compensadora de pressão R
6. Válvula de descarga

WA380-6 35
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

CLSS
Descrição geral do CLSS

Atuadores

PLS
Válvula de controle

Válvula PC

Válvula LS

PP

Servo-Pistão

Caracteristicas
CLSS definido por Sistema Sensor de carga de centro
fechado, possui as seguintes características.

• Controle fino
• CLSS stands for Closed center Load Sensing System,
and has the following features.
• Controle fino não influenciado pela carga
Controlabilidade para escavação no modo de controle fino
Desempenho otimizado pela divisão da vazão em
função da área de abertura do carretel no curso de
operações combinadas.
• Economia de energia mediante o controle variável
da bomba

Estrutura
• O CLSS é consiste na bomba de pistões de capacidade
variável, válvula de controle, e seus respectivos
atuadores.
• A bomba consiste na bomba principal, válvula PC e
válvula LS.

36 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Principios básicos • Como o diferencial de pressão (ΔPLS) menor que a


pressão ajustada na válvula LS (pressão de carga do
1. Controle do angulo da placa de inclinação da bomba atuador alta), a placa de inclinação da bomba aumenta.
• O ângulo da placa de inclinação da bomba (vazão de Se o diferencial de pressão (ΔPLS) aumentar mais que
saída) é controlado de forma a manter o diferencial de a pressão ajustada na válvula LS (pressão de carga do
pressão LS (ΔPLS), o qual é o diferencial de pressão atuador alta), a placa de inclinação da bomba diminui.
entre a pressão de descarga da bomba (PP) e a
pressão LS (PLS) (a pressão de carga no atuador) Pressão diferencial LS (ΔPLS) e ângulo de inclinação
na saída da válvula de controle, sendo um valor da bomba
constante.
[pressão diferencial LS (ΔPLS) = Pressão de descarga
da bomba (PP) – Pressão LS (PLS)]

Ângulo de inclinação da bomba Q


Máx.

Atuador

Pressão diferencial
ajustada na válvla
LS
Min.

Válvula de controle
Pressão diferencial LS (ΔPLS)

a Para maiores detalhes da operação, ver “bomba do


Passagem LS
Passagem da bomba equipamento de trabalho”

Bomba Principal

Servo-Pistão

Válvula LS

Diferencial de pressão Diferencial de pressão pe-


grande (alto) queno (baixo)

Válvula PC

Pressão da bomba Pressão da bomba


grande pequena

WA380-6 37
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

2. Controle de compensação de pressão

Carga Carga

Atuador Atuador

Válvula Válvula
compensadora compensadora
de pressão de pressão

Bomba

• As válvulas (válvula compensadora de pressão)


para balanceamento da carga estão instaladas nas
portas de saída da válvula de controle. Com estas
válvulas, quando múltiplos atuadores são operados
simultaneamente, o diferencial de pressão (ΔP) entre
o lado montante (entrada) e o lado jusante (saída)
de cada válvula é mantido constante, respeitando a
carga (pressão). Conseqüentemente, o fluxo de óleo
da bomba é dividido (compensado) na proporção das
áreas abertas (S1) e (S2) das respectivas válvulas.

38 WA380-6
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Funcionamento e operação de cada válvula


Diagrama do circuito hidráulico e denominação das válvulas

LS Porta de verificação da
Porta de verificação pressão LS
da pressão da bomba

Porta sensor
de pressão
PP

Serviço

DUMP

Caçamba

Descer Braço Flutuar


Elevar

PRE

Porta de verificação
de pressão

40 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

1. Válvula de descarga
Pressão ajustada: 2.35 MPa {24.0 kg/cm²}
2. Válvula de sucção e segurança
Pressão ajustada: 38.2 MPa {390 kg/cm²}
3. Válvula de sucção e segurança
Pressão ajustada: 34.3 MPa {350 kg/cm²}
4. Válvula de sucção e segurança
Pressão ajustada: 20.1 MPa {205 kg/cm²}
5. Válvula compensadora de pressão
6. Válvula de sucção
7. Válvula de alívio principal
Pressão ajustada: 31.4 MPa {320 kg/cm²}
8. Válvula de retenção do braço variável

WA380-6 41
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula de descarga

1. Quando a válvula de controle está em neutro

T: Circuito do tanque (pressão) 1. Válvula de descarga


PP: Circuito da bomba (pressão) 2. Luva
PLS:Circuito LS (pressão) 3. Mola
4. Carretel
Função
• Quando a válvula de controle está em neutro, a vazão Operação
de saída (Q) está no ângulo mínimo de inclinação da • A pressão de descarga da bomba (PP) é aplicada no
bomba sendo aliviado para o circuito de tanque. Neste lado esquerdo do carretel (4) e a pressão LS (ΔPLS) é
instante, a pressão de descarga da bomba (PP) é aplicada no lado direito.
ajustada em 1.77 MPa {18.0 kg/cm²} pela mola (3) da • Quando a válvula de controle está em neutro, a
válvula. (Pressão LS (PLS) é 0 MPa {0 kg/cm²}) pressão LS (ΔPLS) é 0. Conseqüentemente, apenas a
pressão de descarga da bomba PP é aplicada, sendo
ajustada apenas na carga da mola (3).
• Se a pressão de descarga da bomba (PP) aumenta
e atinge a carga da mola (3) de 1.77 MPa {18.0 kg/
cm2}, o carretel (4) move-se para direita e o circuito
da bomba (PP) é conectado ao circuito de tanque (T)
através do furo (a) da luva (2).
• Mediante esta operação, a pressão de descarga (PP)
é ajustada em 1.77 MPa {18.0 kg/cm²}.

42 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Válvula de descarga

2. Quando a válvula de controle está controle fino

T: Circuito de tanque (pressão) 1. Válvula de descarga


PP: Circuito da Bomba (pressão) 2. Luva
PLS:Circuito LS (pressão) 3. Mola
4. Carretel
Função Operação
• Quando a válvula de controle é submetida a controle • Se a válvula de controle é controlada em modo fino, a
fino, com a demanda de vazão do atuador abaixo da pressão LS (PLS) é gerada e aplicada no lado direito
vazão útil definida pelo ângulo mínimo da placa de in- do carretel (4). Como a área de abertura do carretel da
clinação da bomba, a pressão de descarga da bomba válvula de controle está estrangulada neste momento,
(PP) é ajustada para pressão LS (PLS) + 1.77MPa o diferencial entre a pressão LS (PLS) e a pressão de
{18.0 kg/cm2}. descarga da bomba (PP) é maior.
Se o diferencial de pressão entre a pressão de • Se o diferencial de pressão entre a pressão de des-
descarga (PP) e pressão LS (PLS) torna-se igual à carga da bomba (PP) e pressão LS (PLS) alcança a
carga da mola (3) (1.77MPa {18.0 kg/cm²}), a válvula carga da mola (1.77 MPa {18.0 kg/cm2}), o carretel (4)
de descarga abre. move-se para a direita e o circuito da bomba (PP) é
Conseqüentemente, o diferencial de pressão LS conectado ao circuito de tanque (T).
(ΔPLS) torna-se igual a 1.77 MPa {18.0 kg/cm²}. • A pressão de descarga da bomba (PP) é ajustada para
a força da mola (1.77 MPa {18.0 kg/cm²}) + pressão LS
(PLS) e o diferencial de pressão LS (ΔPLS) torna-se
igual a 1.77 MPa {18.0 kg/cm²}.

WA380-6 43
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

3. Quando a válvula de controle está em operação

T: Circuito de tanque (pressão) 1. Válvula de descarga


PP: Circuito da Bomba (pressão) 2. Luva
PLS:Circuito LS (pressão) 3. Mola
4. Carretel

Função Operação
• Quando a válvula de controle é operada e a • Se a válvula de controle é operada em grande escala,
demanda de vazão do atuador ultrapassa a vazão a pressão LS (PLS) é gerada e aplicada no lado direito
útil estabelecida pelo ângulo mínimo da placa de do carretel (4). Neste momento, como a área aberta da
inclinação da bomba, o fluxo para o circuito do válvula de controle está grande, o diferencial entre a
reservatório (T) é interrompido e toda a vazão útil (Q) pressão LS (PLS) e a pressão de descarga da bomba
da bomba é fornecida para o circuito do atuador. (PP) é pequena.
• Como o diferencial de pressão entre a pressão de
descarga da bomba (PP) e a pressão LS (PLS) não
alcança a carga de 1.77 MPa {18.0 kg/cm²} da mola (3),
o carretel (4) é empurrado para esquerda pela mola (3).
• O circuito da bomba (PP) é desconectado do circuito
do tanque (T) e toda a vazão da bomba (Q) é fornecida
ao circuito dos atuadores.

44 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Geração da pressão LS

1. Válvula do equipamento de trabalho (Braço de elevação)

Função
• A pressão LS significa a pressão de carga no atuador • Neste momento, o circuito LS (PLS) é conectado ao
na porta de saída da válvula de controle. circuito de tanque (T) através do bujão LS de bypass (4).
• Na válvula do equipamento de trabalho, na verdade, a • Ambos os lados da válvula redutora de pressão (3)
válvula redutora de pressão (3) da válvula compensa- tem a mesma área (SA) = (SLS). A pressão do circuito
dora de pressão reduz a pressão de descarga da bom- do atuador (PA) = (A) que é aplicada no lado (SA) e
ba (PP) para o nível de pressão do circuito do atuador a pressão reduzida de descarga da bomba (PP) é
(A), e fornece-a ao circuito LS (PLS). aplicada no lado (SLS).
• Conseqüentemente, a válvula redutora de pressão (3)
Operação está em balanço na posição onde a pressão do circuito
• Se o carretel (1) é operado, a pressão de descarga do atuador (PA) e a pressão na câmara da mola
da bomba (PP) flui através da válvula de controle da (PLS1) tornam-se a mesma. A pressão de descarga da
bomba (2) e do entalhe (a) do carretel até o circuito do bomba (PP) sendo diminuída pelo entalhe (d) estará
atuador (A). fornecendo como pressão ao circuito do atuador (A)
• A válvula redutora de pressão (3) também se movi- pelo o circuito LS (PLS).
menta para a direita neste momento, a pressão de
descarga da bomba (PP) é reduzida pela perda de pressão
no entalhe (d) e é fornecida ao circuito LS (PLS), e então
auxilia no acionamento da câmara da mola (PLS1).

WA380-6 45
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

2. Válvula do equipamento de trabalho (Caçamba e serviço)

Função • A pressão do circuito do atuador (A) é aplicada no lado


• A pressão LS representa a pressão de carga do esquerdo da válvula redutora de pressão (3) e a pressão
atuador na saída da válvula de controle. da bomba reduzida (PP) é aplicada no lado oposto.
• Na verdade, a válvula redutora de pressão (3) da • A válvula redutora de pressão (3) está em equilíbrio
válvula compensadora de pressão reduz a pressão quando a pressão do circuito do atuador (A) e a
da bomba (descarga) (PP) até o nível de pressão do pressão na câmara da mola (PLS) tornam-se a
circuito do atuador (PA) = (A), e então a fornece ao mesma. A pressão de descarga da bomba (PP) sendo
circuito LS (PLS). diminuída pelo entalhe (a) é fornecida como a pressão
do circuito do atuador (A) ao circuito LS (PLS).
Operação
• Se o carretel (1) é operado, a pressão de descarga
da bomba (PP) flui através da válvula controladora de
fluxo (2), pelo entalhe (a) do carretel e pela interligação
(b) até o circuito LS (PLS).
• A válvula redutora de pressão também se move
para a direita neste momento, a pressão da bomba
(PP) é reduzida pela perda de pressão no entalhe
(c) e fornece ao circuito LS (PLS), e então auxilia no
acionamento da câmara da mola (PLS1).
• Neste momento, o circuito LS (PLS) é conectado ao
circuito de tanque (T) através do bujão LS de bypass
(4). (Veja a secção do bujão LS de bypass)

46 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Bujão LS de bypass

T: Circuito do tanque (Pressão)


PLS:Circuito LS (Pressão)

1. Bujão LS de bypass

Função
• O bujão LS de bypass libera a pressão LS residual (PLS).
• A velocidade de incremento da pressão LS (PLS)
é reduzida e o fluxo descartado na restrição para a
redução efetiva da pressão diferencial LS, e aumentar
a estabilidade.

Operação
• O óleo pressurizado no circuito LS (PLS) flui através
da abertura do filtro (a) formada pela abertura entre o
bujão LS de bypass (1) e o corpo da válvula, e então
fluir através do orifício (b) até o circuito de tanque (T).

WA380-6 47
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula compensadora de pressão

48 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Função

• Em operações combinadas, se a pressão de carga de


um atuador se tornar menor que a pressão de outro
e a razão de fluxo começar a aumentar, a válvula
compensadora de pressão compensa a pressão.
[Neste momento, a pressão de carga no outro atuador
operado em conjunto (lado superior), ultrapassa a
pressão de carga nesse lado (lado inferior)].

Operação
• Na mesma operação, se a pressão de carga no outro
atuador (no lado superior) tornar-se alta, a razão de
vazão no circuito do atuador (Aa) neste lado (lado
inferior) começa a aumentar.
• Neste caso, a pressão LS (PLS) no outro atuador
é aplicada a câmara da mola (PLS1) empurrando a
válvula redutora de pressão (1) e a válvula controladora
de fluxo (2) para a esquerda.
• A válvula controladora de fluxo (2) reduz a área aberta
entre o circuito da bomba (PP) e o carretel montante
(PPA), produzindo uma queda de pressão entre a linha
(PP) e (PPA).
• A válvula controladora de fluxo (2) e a válvula redutora
de pressão (1) são detidas em uma posição onde
a diferença de pressão entre (PA) e (PLS) aplicada
a ambas as extremidades da válvula redutora de
pressão (1) iguala-se à queda de pressão verificada na
linha entre (PP) e (PPA) nas partes anterior e posterior
da válvula controladora de fluxo (2).
• Como resultado, a diferença de pressão entre a
pressão a montante (PPA) e a pressão jusante (PA)
em ambos os carretéis acionados na operação
combinada tornam-se iguais. Então, o fluxo da bomba
é distribuído proporcionalmente a área de abertura no
entalhe (a) de cada carretel.

WA380-6 49
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Razão de áreas da válvula compensadora de pressão

Função Razão da área (S1):(S2) e características de compensação


• A válvula compensadora de pressão ajusta finamente • Na situação igual a 1,00:
a razão da área esquerda (S1) da válvula controladora A relação abaixo torna-se válida.
de fluxo (2) com a área direita (S2) da válvula [Pressão da Bomba (descarga) (PP) – Pressão montante
redutora de pressão (1) e decide a característica de no entalhe do carretel (PPB)] C [Pressão do circuito LS
compensação de acordo com a características de (PLS) – Pressão do circuito do atuador (PA) = (A)].
cada atuador. E o óleo se divide conforme a razão de área aberta dos
carretéis.
S1: Área da válvula controladora de fluxo (2) – Área do • Na situação acima a 1,00:
pistão (3) (PP) – (PPB) > (PLS) – (PA) = (A) e menos óleo é
S2: Área da válvula redutor de pressão (1) – Área do pistão (3) fornecido para o lado compensado pela razão de área
do carretel.
• Na situação abaixo de 1,00:
(PP) – (PPB) > (PLS) – (PA) = (A) e mais óleo é
fornecido para o lado compensado pela razão de área
do carretel.

50 WA380-6
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Circuito de regeneração do braço

1. Quando o braço é abaixado

Pressão PPC de
ABAIXAR braço

Válvula da lança

Válvula ECSS

52 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

A: Circuito da base (pressão)


B: Circuito do cabeçote (pressão)
PP: Circuito da Bomba (pressão)

1. Cilindro de elevação
2. ‘Carretel do braço
3. Carretel de regeneração do braço
4. Válvula de retenção

Função
• ‘Quando a pressão da base (A) do cilindro de elevação
(1) é maior que a pressão no cabeçote (B) e o braço
é abaixado pelo seu próprio peso, este circuito envia
o óleo de retorno do lado da base para o lado do
cabeçote aumentando a velocidade do cilindro pelo
montante total.

Operação
• Enquanto o braço está sendo abaixado pelo seu
próprio peso, a pressão (A) no lado da base do cilindro
de elevação (1) se torna maior que a pressão (B) no
lado do cabeçote.
• Parte deste óleo de retorno do lado da base flui
através da passagem de regeneração (a) do carretel
de regeneração do braço (3) até o lado do cabeçote
empurrando a válvula de retenção (4).
• Resultando assim no aumento da velocidade de
descida do braço.

WA380-6 53
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula de retenção variável do braço


Pressão PPC
d e d e s p e j o d a Pressão PPC de
caçamba elevação do braço

Função • Quando o óleo de retorno de descida do braço flui de


• Para prevenir a ocorrência de vácuo no lado do (A) para o tanque (T), este empurra o pequeno carretel (1)
cabeçote do cilindro e aquecimento resultante do para a direita. O pistão pequeno (1) determina a área aberta
diesel em operação de abaixamento do braço e de (B) na posição onde a pressão de (A) é equilibrado com
despejo da caçamba, a pressão ajustada posterior a mola (3), então a pressão posterior é gerada.
da válvula é aumentada com o pressão da PPC de
elevação do braço e despejo da caçamba. 2. Quando uma operação diferente de abaixar braço e
despejar caçamba é operada.
Operação (Elevar o braço e inclinar a caçamba)
• A pressão piloto não é aplicada na porta piloto (PT)
1. Quando são acionadas as operações de abaixar enquanto uma outra operação diferente de abaixar o
braço e despejar caçamba. braço e despejar a caçamba é acionada.
• Com a pressão PPC acionando a descida do braço ou • Sob esta condição, quando o pistão pequeno (1) e o
despejo da caçamba, qualquer que seja maior, a porta pistão grande (2) são movidos para a direita pela pressão
de entrada (PT), pistão grande (2) e o pistão pequeno (A), a pressão posterior da válvula não funciona.
(1) se movem para esquerda.

54 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Válvula de controle ECSS

Função • Enquanto a velocidade de deslocamento estiver abai-


• O controlador automaticamente liga / desliga a carga xo de 5 km/h, o sinal não é enviado para a válvula
do acumulador com gás sob alta pressão de acordo solenóide (2) e o carretel (1) está em neutro. Neste
com a condição de deslocamento. momento, a linha de (PR) para o acumulador (ACC) é
• A válvula de controle ECSS proporciona elasticidade aberta e o acumulador (ACC) é carregado.
para o movimento vertical do equipamento de traba- • Se o acumulador (ACC) é carregado para a pressão
lho e reduz os choques do corpo da máquina durante ajustada, a válvula de retenção (5) é fechada e a pres-
o deslocamento em alta velocidade melhorando o são no acumulador (ACC) não aumenta mais.
conforto do operador e prevenindo derramamento de
material para maior eficiência operacional. Válvula de alívio de pressão do acumulador
• Se a pressão no acumulador (ACC) precisar ser alivia-
Operação da para manutenção da máquina, etc..., desaperte o
• Se a velocidade de deslocamento exceder 5 km/h, bujão (3) e a porca (4) para abrir o circuito (PR) e (TS)
o sinal é enviado para a válvula solenóide (2) e a e aliviar a pressão no acumulador (ACC).
pressão é aplicada em (a).
• O carretel (1) move-se para a direita.
• Como o carretel (1) move-se, a linha de (PR) para o
acumulador (ACC) é fechada e as linhas de (A2) para
o acumulador (ACC) e de (B2) para (T) são abertas.
Resultando no acionamento do sistema ECSS.

WA380-6 55
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Restrição no curso de elevação do braço

56 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

Função
• Se o braço é elevado e a caçamba é operada simul-
taneamente, o curso do carretel de elevação do braço
(3) é restringido e mais óleo flui para a caçamba.
Resultando no aumento da velocidade de inclinação
(despejo) da caçamba.

Operação

1. Operação simples
• Quando o braço está sendo elevado, a pressão PPC
é fornecida para (PA2) e o carretel do braço (3) e o
pistão (5) move para a direita.

2. Operação Combinada
• Quando o braço é elevado, se a caçamba está despe-
jando (PB3) é acionada, (PA3) está conectada através
da válvula PPC até (T).
• Conseqüentemente, a esfera (2) da válvula de com-
pensação (1) é empurrada para a esquerda, conduzin-
do a pressão de (PB3) para a passagem (a).
• A pressão de (PB3) fornecida para a passagem (a) em-
purra o pistão (5) para a esquerda com a força da pressão
recebida na área do pistão (5) [π/4 (Фd² - Фc²) x (PB3)].
• Conseqüentemente, o carretel do braço (3) é empurra-
do para a esquerda e então é equilibrado no curso onde
a força é ajustada para o seguinte valor. [Фb2 π/4 x (PA2)]
= [(Фd2 - Фc2) π/4 x (PA3)] + Força das molas (4) e (6)].
• Como resultado, a área aberta do entalhe (e) é re-
duzida e menos óleo é fornecido para a porta (A2). A
pressão óleo excessiva flui para (B3) e a velocidade de
despejo é aumentada.

WA380-6 57
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula de carga do acumulador

P: Da bomba principal 1. Parafuso


PR1 Para o acumulador ECSS 2. Gatilho (Válvula de segurança)
PR2: Para a pressão básica da válvula solenóide 3. Mola (Válvula de segurança)
TS1: Para tanque 4. Mola (Válvula redutora de pressão principal)
TS2: Para tanque 5. Válvula redutora de pressão
TS3: Para tanque 6. Gatilho (Válvula de retenção)
TS4: Para tanque 7. Mola (Válvula de retenção)

58 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

PONTO DE VERIFICAÇÃO DE
PRESSÃO

WA380-6 59
SEN01033-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

1. Quando a válvula está em neutro e (P) está baixo

Função
• Esta válvula reduz a pressão de descarga da bomba
principal e fornece-a como pressão de controle as
válvulas solenóides, válvula PPC, etc.

Operação
• O gatilho (2) é pressionado pela mola (3) contra o as-
sento e a linha da porta (P) para a porta (T) é fechada.
• O gatilho (6) é pressionado para a esquerda e a linha
da porta (P) para a porta (PR2) é aberta.
• O gatilho (6) é movido para a direita pela pressão (PR) e
a linha de (PR) para (ACC) é aberto. Como (PR) < (ACC)
resulta, o gatilho (6) é pressionado a esquerda pela mola
(7) e a abertura entre (PR) para (ACC) é fechado.

60 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01033-01

2. Quando a pressão de carga (P) é alta

Operação
• Se a pressão (PR) aumenta acima da pressão ajus-
tada, o gatilho (3) abre e o óleo hidráulico flui através
da porta (P), o furo (a) no carretel (5), a abertura do
gatilho (2), e a porta do tanque (T).
• Conseqüentemente, a pressão diferencial é gerada
antes e depois do furo (a) no carretel (5) e o carretel
(5) move fechando a abertura entre a porta (P) e (PR).
A pressão (P) é reduzida para a pressão correta (a
pressão ajustada) pela área aberta neste momento e
fornecido como pressão (PR).

WA380-6 61
Manual de Oficina SEN01034-01

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento e
padrão de manutenção.
Sistema hidráulico, Parte 2
Sistema hidráulico, Parte 2................................................................................................................................................ 2
Válvula PPC ............................................................................................................................................................... 2
Válvula estabilizadora ................................................................................................................................................. 8
Acumulador (para circuito da PPC) .......................................................................................................................... 13
Acumulador (para ECSS) ........................................................................................................................................ 14
Válvula solenóide de corte da PPC do equipamento de trabalho ........................................................................... 15

WA380-6 1
SEN01034-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Sistema hidráulico, Parte 2


Válvula PPC
Válvula PPC do equipamento de trabalho

P: Da válvula de carga P3: Para a válvula do braço (Subir)


P1: Para válvula da caçamba (inclinar) P4: Para a válvula da caçamba (despejar)
P2: Para a válvula do braço (abaixar, flutuar) T: Para o tanque hidraulico

2 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01034-01

Caçamba Braço

1. Carretel
2. Mola dosadora
3. Mola centralizadora
4. Haste
5. Alavanca
6. Anel
7. Prato
8. Pistão
9. Retentor
10. Corpo

WA380-6 3
SEN01034-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Operação

1. Quando em posição neutro

1) Válvula PPC da caçamba (2) Válvula PPC do braço

Válvula de controle Válvula de controle

• As portas (PA) e (PB) da válvula de controle da • As portas (PA) e (PB) da válvula de controle do braço
caçamba e as portas (P1) e (P4) da válvula PPC estão e as portas (P2) e (P3) da válvula PPC da válvula PPC
conectadas pelo orifício de controle de precisão (f) do estão conectadas pelo orifício de controle de precisão
carretel (1) à câmara de dreno (D). (f) do carretel (1) à câmara de dreno.

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01034-01

2. Quando em modo de controle de precisão • Dessa forma, o carretel da válvula de controle se move
(Neutro → controle de precisão) para um ponto no qual a pressão na câmara (PB) (que
é igual à pressão na porta (P1)) é equilibrada com a força
da mola de retorno do carretel da válvula de controle.

3. Quando em modo de controle de precisão (quando a


alavanca de controle é retornada)

Válvula de controle

• Quando a haste (4) e o pistão (8) são empurrados


pela alavanca (5), o retentor (9) também é empurrado,
e o carretel (1) é empurrado para baixo pela mola Válvula de controle
dosadora (2).
• Conseqüentemente, o orifício de controle de precisão
(f) é desconectado da câmara (D) de dreno e • Quando a alavanca (5) é retornada um pouco, o
conectado à câmara (PP) de pressão da bomba quase carretel (1) é empurrado para cima pela força da mola
simultaneamente. Em seguida, o óleo hidráulico piloto centralizadora (3) e pela pressão na porta (P1).
da bomba principal flui através do orifício de controle • Dessa forma, o orifício de controle de precisão (f) se
de precisão (f) e da porta (P1) para a porta (PB). conecta a câmara (D) de dreno para liberar o óleo
• Quando a pressão na porta (P1) aumenta, o carretel hidráulico através da porta (P1).
(1) é empurrado de volta e o orifício de controle • Quando a pressão na porta (P1) diminui muito, o carretel
de precisão (f) é desconectado da câmara (PP) de (1) é empurrado para baixo pela mola dosadora (2) e
pressão da bomba e conectado à câmara (D) de dreno o orifício de controle de precisão (f) é desconectado
quase simultaneamente para liberar a pressão na da câmara (D) de dreno e conectado à câmara (PP)
porta (P1). de pressão da bomba quase simultaneamente para
• Conseqüentemente, o carretel (1) se movimenta suprir a pressão da bomba, até que a pressão na porta
verticalmente para que a força da mola dosadora (P1) volte novamente a subir até o nível equivalente à
(2) seja equilibrada com a pressão na porta (P1). A posição da alavanca.
relação posicional entre o carretel (1) e o corpo (10) (o • Quando o carretel da válvula de controle retorna, o óleo
orifício de controle de precisão (f) está localizado entre na câmara (D) de dreno flui na câmara (PA) através do
a câmara (D) de dreno e a câmara (PP) de pressão orifício de controle de precisão (f) da válvula que não
da bomba) não se altera até que o retentor (9) atinja o está se movendo e da porta (P4).
carretel (1).
• Já que a mola dosadora (2) é comprimida em propor-
ção ao curso da alavanca de controle, a pressão na
porta (P1) também aumenta proporcionalmente em
relação ao curso da alavanca de controle.

WA380-6 5
SEN01034-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

4. Quando a alavanca é movida para o final do curso 5. Quando o braço de elevação está em “flutuação”

Válvula de controle Válvula de controle

• A alavanca (5) e a haste (4) empurram o pistão (8) para • Quando a haste (4) e o pistão (8) da porta (P3) são
baixo, e o retentor (9), por sua vez, também empurra empurrados um pouco abaixo da posição BAIXAR
o carretel (1) para baixo, para desconectar o orifício pela alavanca (5), eles são movidos para a posição de
de controle de precisão f da câmara (D) de dreno e FLUTUAÇÃO, batente inicia a operação antes do fim de
conectá-lo à câmara PP de pressão da bomba. curso (o esforço de operação da alavanca se torna maior).
• Conseqüentemente, a pressão hidráulica piloto • A haste (4) no lado oposto é empurrada para baixo,
proveniente da bomba principal flui pelo orifício de uma trava mecânica é operada de modo a manter o
controle de precisão (f) e pela porta (P1) até a câmara braço no estado de flutuação mesmo que a alavanca
(PB) para empurrar o carretel da válvula de controle. seja liberada.
• O óleo retornando da câmara (PA) flui pela porta (P2) • Nesse momento, a válvula de controle também é movida
e pelo orifício de controle de precisão (f) até a câmara para a posição de “flutuação” e mantida nessa posição.
(D) de dreno.

6 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01034-01

6. Quando a “flutuação” do braço de elevação é


restabelecida
• Quando a alavanca (5) é liberada da posição de
FLUTUAÇÃO empurrando-a para baixo com a foca
maior que a força de atração do solenóide.
• O estado de “flutuação” também pode ser restabelecido
e alavanca pode ser retornada a posição “neutra”
desligado a corrente no solenóide (dezenergizando o
solenóide).

• As operações de elevação do braço e inclinação da


caçamba são executadas similarmente as descritas acima.

WA380-6 7
SEN01034-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Válvula estabilizadora

A: Para carcaça da mola


B: Da válvula PPC

1. Retentor
2. Carretel
Unid: mm
No. Item de verificação Critério Solução

Tamanho padrão Limite de reparo

Tamanho
padrão x Comprimento Carga Comprimento Carga
Mola de retorno do
3 diâmetro instalado instalada livre instalada Se danificada
carretel
externo ou deformada,
69.2 N substitua a mola
88.6 N
20.2 x 12 18.2 — {7.06 kg}
{8.83 kg}

Mola de retorno do 28.3 N 22.7 N


4 18.4 x 11.5 12.5 —
carretel {2.89 kg} {2.31 kg}

Função • Quando a temperatura está baixa, a válvula estabilizadora


• A válvula estabilizadora calça o circuito de retorno do abre o circuito de retorno do carretel principal (9) para redu-
carretel principal (9) para reduzir os choques na qual é zir o atraso na resposta do equipamento de trabalho.
gerado durante a parada do equipamento de trabalho.

8 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01034-01

1. Quando em neutro

Operação

• O carretel (4) está ajustado na posição neutra pelas


molas (2) e (6) e retentores (3) e (5).

WA380-6 9
SEN01034-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

2. Quando o carretel principal (9) é movimentado da posição neutra para posição de operação.

Operação
• Se a pressão PPC é aplicada na porta (A), o óleo
pressurizado flui através das passagens (c) e (d), e o
orifício (e) para passagem (g).
• Neste momento, a perda de pressão é criada no orifício
(e). Se o diferencial de pressão entre as pressões (A)
e (B) excederem a carga na mola (2), o carretel (4)
movimenta para a esquerda e o entalhe (a) abre.
• Se o entalhe (a) abre, o óleo pressurizado da PPC
flui através das passagens (c) e(d), entalhe (a), e
passagens (f) e (g) para o lado direito do carretel
principal (9).

10 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01034-01

3. Quando o carretel principal (9) é movimentado da posição de operação para a posição neutra.

Válvula de controle

Vávula PPC

Operação
• Quando o carretel principal (9) é operado, o carretel
(4) é pressionado para a esquerda pelo diferencial de
pressão entre antes e depois do entalhe (a).
• Se a alavanca de controle (10) é retornada, a pressão
(A) cai e o carretel (4) movimenta para a direita até a
posição neutra.
• Durante esta operação, o óleo pressurizado na
carcaça da mola da válvula de controle flui através das
passagens (g) e (f), entalhe (a), e passagens (d) e (c)
até o circuito da PPC até o entalhe (a) fechar.
• Se o carretel (4) movimenta para a direita e o entalhe
(a) fecha, o óleo pressurizado na carcaça da mola flui
através da passagem (g), orifício (e), e passagens (d)
e (c) até o circuito da PPC.
• Como resultado, a linha entre a carcaça da mola e o cir-
cuito da PPC é calçado e os choques criados durante a
parada do equipamento de trabalho é reduzido.

WA380-6 11
SEN01034-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

4. Quando o carretel principal (9) é movimentado da posição de operação para posição neutra.
(a baixa temperatura)

Válvula de controle

Operação

• Quando o carretel principal (9) é operado, o carretel (4)


é pressionado a esquerda pelo diferencial de pressão
entre antes e depois do entalhe (a).
• Se a alavanca de controle (10) é retornada, a pressão
(A) cai e o carretel (4) movimenta para a direita até a
posição neutra.
• Durante esta operação, o óleo pressurizado na
carcaça da mola da válvula de controle flui através das
passagens (g) e (f), o entalhe (a), e passagens (d) e (c)
até o circuito da PPC até o entalhe (a) fechar.
• Se o carretel (4) movimenta para a direita e o entalhe
(a) fecha, o óleo pressurizado na carcaça da mola flui
através da passagem (g), orifício (e), e passagens (d)
e (c) até o circuito da PPC.
• Quando a temperatura está baixa e a viscosidade do
óleo hidráulico está alta, se o diferencial de pressão
entre antes e depois do orifício (e) excede a carga da
mola (6), carretel (4) movimenta para a direita ainda
mais e o entalhe (b) abre.
• Se o entalhe (b) abre, o óleo pressurizado na carcaça
da mola flui através das passagens (g) e (f), entalhe
(b), e passagem (d) até passagem (c).
• Como resultado, a linha entre a carcaça da mola e
o circuito da PPC é calçado e o atraso no tempo de
resposta do equipamento de trabalho é reduzido.

12 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01034-01

ACUMULADOR (PARA O CIRCUITO PPC) 1. Bujão de gás


2. Gatilho
3. Fixador
4. Raspador
5. Filme
6. Carcaça
7. Porta de óleo

Descrição geral
• O acumulador está instalado entre a bomba de carga
HST e a válvula PPC do equipamento de trabalho.
Mesmo que o motor seja desligado com o equipamen-
to de trabalho elevado, a pressão do gás nitrogênio
comprimido no acumulador enviará a pressão do óleo
piloto para a válvula de controle do equipamento de
trabalho, para que a válvula entre em operação e o equi-
pamento de trabalho seja baixado pelo seu próprio peso.

Especificações
Gás utilizado: gás nitrogênio
Volume de gás: 500 cm³
Pressão de carga: 1,18 MPa {12 kg/cm²} (a 80ºC )
Pressão máxima utilizada: 3,92 MPa {40 kg/cm²}

WA380-6 13
SEN01034-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

ACUMULADOR (PARA E.C.S.S.) 1. Válvula


2. Tampa superior
(Se equipado) 3. Cilindro
4. Pistão livre

Função
• O acumulador está instalado no circuito do fundo do
cilindro de elevação e o espaço entre o cilindro (3)
e o pistão livre (4) é preenchido com gás nitrogênio
comprimido. Os pulsos hidráulicos gerados no lado do
fundo do cilindro de elevação durante o deslocamento
são absorvidos pelo gás nitrogênio comprimido,
aumentando o desempenho no deslocamento e o
desempenho das operações.

Especificações
Gás utilizado: Gás nitrogênio
Volume de gás: 4000 cc
Pressão de carga: 2,94 MPa {30 kg/cm²}
(a 20ºC)
Pressão máxima de operação 40 MPa {408 kg/cm²}

14 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01034-01

Válvula solenóide de corte da PPC do equipamento de trabalho


(Se equipado)

P: Da válvula de carga
A: Para a porta P da válvula PPC do equipamento de Descrição geral
trabalho • A válvula solenóide de corte da PPC do equipamento
T: Dreno de trabalho está instalada entre a válvula de carga e a
válvula PPC do equipamento de trabalho. Se o inter-
1. Bobina (Tipo Lig/Desl) ruptor de trava do equipamento de trabalho estiver na
2. Pino de acionamento posição “TRAVADA”, o solenóide estará “DEZENER-
3. Carretel GIZADO” cortando o óleo fluindo da válvula PPC do
4. Mola equipamento de trabalho, então o operador não pode
5. Bloco operar o equipamento de trabalho.

WA380-6 15
SEN01034-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Operação Quando o solenóide é “ENERGIZADO”


Quando o solenóide é “DESENERGIZADO” (Quando o circuito é conectado)
(Quando o circuito é desconectado)

• Enquanto o sinal de corrente não está fluindo na • Se o sinal de corrente flui na bobina (1) para o lado
bobina (1) para o lado externo, a bobina (1) está externo, a bobina (1) está energizada.
desenergizada. • O carretel (2) é empurrado para direita pelo pino de
• O carretel (2) é empurrado de volta para a esquerda acionamento (4).
através da mola (3). • As portas (P) e (A) são conectados e a pressão piloto flui da
• As portas (P) e (A) são desconectados e a pressão porta (A) até a válvula PPC do equipamento de trabalho.
piloto não flui da porta (A) até a válvula PPC do Neste momento, a porta (T) é fechada e o óleo da
equipamento de trabalho. válvula PPC do equipamento de trabalho não flui para
Neste momento, a porta (T) é aberta e o óleo da válvu- dentro do tanque hidráulico.
la PPC do equipamento de trabalho flui para dentro do
tanque hidráulico.

16 WA380-6
SEN01034-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção.

Carregadeira de Rodas WA380-6


Nº do formulário SEN01034-01

© 2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil 10-08

®
18
Manual de Oficina SEN01035-01

CARREGADEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento e
padrão de manutenção.
Equipamento de trabalho
Equipamento de trabalho ................................................................................................................................................. 2
Articulação do equipamento de trabalho ................................................................................................................... 2
Caçamba ................................................................................................................................................................... 4
Posicionador da caçamba e limitador da lança .......................................................................................................... 5
Cilindro do equipamento de trabalho .........................................................................................................................11

WA380-6 1
SEN01035-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Equipamento de trabalho
Articulação do equipamento de trabalho

2 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01035-01

1. Caçamba
2. Alavanca de inclinação
3. Cilindro da caçamba
4. Cilindro de elevação
5. Braço de elevação
6. Articulação da caçamba
Unid: mm
Nº Item a ser verificado Critério Solução

Tamanho Tolerancia Folga Folga


Folga entre a bucha e o pino em cada extremi- padrão Eixo Furo padrão limite
7
dade da articulação da caçamba
–0.036 +0.207 0.156 –
85 1.0
–0.090 +0.120 0.297
Folga entre a bucha e o pino da junta do braço –0.036 +0.207 0.156 –
8 85 0.297 1.0
de elevação e da caçamba –0.090 +0.120

Folga entre a bucha e o pino da junta do braço –0.036 +0.207 0.156 –


9 95 0.297 1.0
de elevação e do chassi –0.090 +0.120
Substituir (se o
Folga entre a bucha e o pino da junta do fundo do –0.036 +0.207 0.156 – pino apresentar
10 110 0.297 1.0
cilindro da caçamba e do chassi –0.090 +0.120 marca de des-
gaste)
Folga entre a bucha e o pino da junta da haste do –0.036 +0.207 0.156 –
11 110 0.297 1.0
cilindro da caçamba e da alavanca de inclinação –0.090 +0.120

Folga entre a bucha e o pino da junta da ala- –0.036 +0.245 0.181 –


12 120 1.0
vanca de inclinação e do braço de elevação –0.090 +0.145 0.335

Folga entre a bucha e o pino da junta da haste –0.036 +0.207 0.156 –


13 95 0.297 1.0
do cilindro de elevação e do braço de elevação –0.090 +0.120

Folga entre a bucha e o pino da junta do fundo –0.036 +0.207 0.156 –


14 95 0.297 1.0
do cilindro de elevação e do chassi –0.090 +0.120
Largura do ressalto Largura da articulação
Folga
Tamanho Tamanho padrão
15 Junta do cilindro da caçamba e do chassi Tolerância Tolerância
padrão padrão
0
110 114 ±1.5 2.5 – 6.0
–0.5 Ajuste com cal-
ços em ambos os
+3 lados para que a
16 Junta do braço de elevação e do chassi 122 — 126 4.0 – 7.0
+0 folga seja de 1,5
+1.5 mm, ou inferior,
17 Junta do braço de elevação e da caçamba 106 — 108 2.0 – 3.5 em cada lado.
+0.0
Junta da caçamba e da articulação da caçam- +2.8 +1.5
18 112.5 116 0.7 – 5.5
ba –0.5 +0.0
0 +3
19 Junta do cilindro de elevação e do chassi 90 96 6.0 – 9.5
–0.5 +0
Junta da alavanca de inclinação e da articula- +2.8
20 112.5 117 ±1.5 0.2 – 6.5
ção da caçamba –0.5
Substituir
Junta da alavanca de inclinação e do braço de +2
21 220 223 ±0.5 0.5 – 3.5
elevação +0
Junta do cilindro da caçamba e da alavanca 0 Ajustar a folga
22 110 117 ±1.5 5.5 – 9.0
de inclinação –0.5 em cada lado
Junta do braço de elevação e do cilindro de para 1,5 mm ou
23 100 — 106 ±1.5 4.5 – 7.5 menos
elevação

WA380-6 3
SEN01035-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Caçamba

1. Caçamba
2. Placa de desgaste
3. Borda cortante parafusada (BOC)
4. Dente da caçamba (opcional)

No. Item de verificação Critério Solução Unid: mm


Tamanho padrão Limite de reparo
5 Desgaste do dente da caçamba Substitua
50 18.5
Folga entre as peças montadas do
6 Max. 0.5 — Ajuste ou substitua
dente da caçamba
7 Desgaste da borda cortante 93 — Inverta ou substitua

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01035-01

POSICIONADOR DA CAÇAMBA E LIMITADOR DA LANÇA

1. Interruptor de proximidade
2. Cilindro da caçamba
3. Angulador
5. Braço de elevação
6. Prato
Unid: mm
No. Item de verificação Critério Solução
Folga entre o interruptor de proxi-
6 midade da posição da caçamba e o 3–5
angulador. Ajustar
Folga entre o interruptor de proximi-
7 3–5
dade do batente e o prato.

WA380-6 5
SEN01035-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Posicionador da caçamba Limitador da lança

• O posicionador da caçamba é acionado eletricamente. • O limitador da lança é acionado eletricamente. Quan-


Quando a caçamba é retornada em um ângulo a partir do o braço de elevação é elevado em um ângulo ante-
da posição de DESPEJO para a posição de INCLINA- rior à sua posição máxima, o limitador da lança retorna
ÇÃO, o posicionador da caçamba retorna a alavanca a alavanca de controle do equipamento de trabalho
de controle do equipamento de trabalho (caçamba) da (braço de elevação) da posição de ELEVAÇÃO para a
posição de INCLINAÇÃO para a posição MANTER, posição MANTER, a fim de parar automaticamente o
a fim de parar automaticamente a caçamba em um braço de elevação na posição atual.
ângulo de escavação apropriado. • O prato (5) é preso ao braço de elevação (4). O inter-
• O angulador (3) é parafusado à haste do cilindro ruptor de proximidade (1) é fixado ao chassi dianteiro.
da caçamba (4). O interruptor de proximidade (1) é • Quando a alavanca de controle do equipamento de
parafusado ao cilindro. trabalho (braço de elevação) é movida da posição
• Quando a alavanca de controle do equipamento de de BAIXAR para a posição de ELEVAR, o braço de
trabalho (caçamba) é movida da posição de DESPEJO elevação (4) é elevado.
para a posição de INCLINAÇÃO, a haste do cilindro da • Quando o prato (5) parte do interruptor de proximidade
caçamba (2) se move em direção à parte dianteira da (1), o interruptor de proximidade (1) opera para retornar
máquina. a alavanca de controle do equipamento de trabalho
• Quando o angulador (3) parte do interruptor de proximi- (braço de elevação) para a posição MANTER.
dade (1) em um certo ponto, o interruptor de proximidade
(1) atua para retornar a alavanca de controle do equipa-
mento de trabalho (caçamba) para a posição MANTER.

6 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01035-01

OPERAÇÃO DO INTERRUPTOR DE PROXIMIDADE

Quando a caçamba é inclinada

• Enquanto a caçamba é despejada além da posição • Quando a alavanca de controle do equipamento de


definida pelo posicionador da caçamba, o angulador trabalho (caçamba) (7) é movida para a posição de
(2) se encontra sobre a face de leitura do interruptor INCLINAÇÃO, o carretel de despejo da caçamba (8)
de proximidade (1), cuja luz se acende. se movimenta para cima e se mantém nessa posição
Nesse instante, o relé do posicionador da caçamba em função da bobina magnetizada pela solenóide
(4) é acionado e uma corrente flui pela solenóide do detentor (6). Com isso, a alavanca de controle do
do detentor (6) da válvula PPC do equipamento de equipamento de trabalho (caçamba) (7) é mantida na
trabalho (5) para magnetizar a bobina. posição de INCLINAÇÃO e a caçamba é inclinada.

WA380-6 7
SEN01035-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

a A fonte de energia para operação do solenóide detentor


(6) é acionada ou desligada pelo rele do alternador (11).
O circuito do solenóide detentor (6) é cortado desde
que o sinal L do alternador (10) não estiver sendo
enviado para o rele do alternador (11) tão logo o motor
seja parado.
Como resultado, a alavanca de controle da caçamba
(7) não pode ser movimentada sendo mantida na
posição de inclinação tão logo o angulador (2) seja
posicionado na face sensorial do interruptor de
proximidade (1).

FUNÇÃO DO INTERRUPTOR DE PROXIMIDADE

Quando o objeto de leitura estiver sobre a face de


leitura do interruptor de proximidade

Luz do interruptor de proximidade LIG


Relé do posicionador da caçamba LIG
Circuito do solenóide detentor da válvula
LIG
PPC do equipamento de trabalho
Solenóide detentor da válvula PPC do
Energizado
equipamento de trabalho

Quando o objeto de leitura estiver distante da face de


leitura do interruptor de proximidade
Luz do interruptor de proximidade DESL
Relé do posicionador da caçamba DESL
Circuito do solenóide detentor da válvula
DESL
PPC do equipamento de trabalho
Solenóide detentor da válvula PPC do
Desenergizado
equipamento de trabalho

• Quando a caçamba é inclinada e parte da posição


definida pelo posicionador da caçamba, ou se o
angulador (2) parte de uma posição sobre a face
de leitura do interruptor de proximidade (1), a luz do
interruptor de proximidade (1) se apaga e o relé do
posicionador da caçamba (4) é desligado.
Conseqüentemente, o circuito da solenóide do detentor
(6) da válvula PPC do equipamento de trabalho (5) é
desligado para desmagnetizar a bobina. O carretel
(8) de despejo da caçamba, mantido na posição de
INCLINAÇÃO recebe a força de reação da mola (9)
e retorna a alavanca de controle do equipamento de
trabalho (caçamba) (7) para a posição neutra.

8 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01035-01

Quando o braço de elevação é elevado

• Enquanto o braço de elevação (3) está abaixo da • Quando a alavanca de controle do equipamento
posição definida pelo limitador da lança, o prato (2) de trabalho (braço de elevação) (7) é movida para
se encontra sobre a face de leitura do interruptor de a posição de ELEVAR, o carretel de abaixamento
proximidade (1), cuja luz se acende. do braço de elevação (8) se movimenta para cima
Nesse instante, o relé do limitador da lança (4) é e se mantém nessa posição em função da bobina
acionado e a corrente flui na solenóide do detentor magnetizada pelp solenóide do detentor (6). Com isso,
(6) da válvula PPC do equipamento de trabalho (5), a alavanca de controle do equipamento de trabalho
magnetizando a bobina. (braço de elevação) (7) é mantida na posição de
ELEVAR e o braço de elevação (3) é elevado.

WA380-6 9
SEN01035-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

a A fonte de energia para operação do solenóide detentor


(6) é acionada ou desligada pelo rele do alternador (11).
O circuito do solenóide detentor (6) é cortado desde
que o sinal L do alternador (10) não estiver sendo en-
viado para o rele do alternador (11) tão logo o motor
seja parado.
Como resultado, a alavanca de controle de elevação do
braço (7) não pode ser movimentada sendo mantida na
posição de elevação tão logo a placa (2) seja posicionada
na face sensorial do interruptor de proximidade (1).

FUNÇÃO DO INTERRUPTOR DE PROXIMIDADE

Quando o objeto de leitura estiver sobre a face de


leitura do interruptor de proximidade
Luz do interruptor de proximidade DESL
Relé do batente da caçamba DESL
Circuito do solenóide detentor da válvula PPC
LIG
do equipamento de trabalho
Solenóide detentor da válvula PPC do
Energizado
equipamento de trabalho

Quando o objeto de leitura estiver distante da face de


leitura do interruptor de proximidade
Luz do interruptor de proximidade LIG
Relé do batente da caçamba LIG
Circuito do solenóide detentor da válvula PPC
DESL
do equipamento de trabalho
Solenóide detentor da válvula PPC do
Desenergizado
equipamento de trabalho

• Quando o braço de elevação (3) é elevado e parte da


posição definida pelo limitador, ou se o prato (2) parte
de uma posição sobre a face de leitura do interruptor
de proximidade (1), a luz do interruptor de proximidade
(1) se acende e o relé do limitador da lança (4) é ligado.
Conseqüentemente, o circuito do solenóide do detentor
(6) da válvula PPC do equipamento de trabalho (5) é
desligado para desmagnetizar a bobina.
O carretel (8) de elevação do braço de elevação
recebe a força de reação da mola (9) e retorna a
alavanca de controle do equipamento de trabalho
(braço de elevação) (7) para a posição neutra.

10 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01035-01

CILINDRO DO EQUIPAMENTO DE TRABALHO


CILINDRO DE ELEVAÇÃO

CILINDRO DA CAÇAMBA

Unid: mm
Nº Item de verificação Critério Solução
Nome do Tamanho Tolerância Folga Limite de
cilindro padrão Eixo Furo padrão folga
Folga entre a haste do –0.036 +0.257 0.084 –
1 Elevação 90 0.647 Substituir bucha
pistão e a bucha –0.090 +0.048 0.347
–0.036 +0.257 0.084 –
Caçamba 90 0.647
–0.090 +0.048 0.347
Torque de aperto do Elevação 270 ± 39.2 Nm {27.5 ± 4.0 kgm}
2
cabeçote do cilindro Caçamba 530 ± 78.5 Nm {54.0 ± 8.0 kgm}
Torque de aperto do Elevação 294 ± 29.4 Nm {30 ± 3.0 kgm}
3 Apertar novamente
pistão do cilindro Caçamba 294 ± 29.4 Nm {30 ± 3.0 kgm}
Torque de aperto do Elevação 58.9 – 73.6 Nm {6.0 – 7.5 kgm}
4 parafuso de trava do
pistão do cilindro Caçamba 58.9 – 73.6 Nm {6.0 – 7.5 kgm}

WA380-6 11
SEN01035-01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção.

Carregadeira de Rodas WA380-6


Nº do formulário SEN01035-01

© 2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil 10-08

12
Manual de Oficina SEN01036-01

CARREGDEIRA DE RODAS

WA380-6

Modelo da máquina Número de série

WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento e
padrão de manutenção.
Cabine e seus acessórios
Cabine e seus acessórios ................................................................................................................................................. 3
Cabine ........................................................................................................................................................................ 3
Ar condicionado ......................................................................................................................................................... 4

WA380-6 1
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01036-01

Cabine e seus acessórios


Cabine

1. Faróis dianteiros de trabalho


2. Porta (esquerda)
3. Filtro de ar externo do ar condicionado
4. Para-brisa dianteiro
5. Limpador dianteiro
6. Antena de comunicação do KOMTRAX (opcional)
7. Antena GPS do KOMTRAX (opcional)
8. Antena do Radio
9. Porta (direita)
10. Limpador traseiro

WA380-6 3
SEN01036 -01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Ar condicionado
(se equipado)

Diagrama da tubulação do ar condicionado

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01036-01

1. Tubulação de saída de água quente Especificações


2. Resfriador de óleo do trem de força
3. Condensador Refrigerante utilizado R134a
4. Filtro Secador
5. Tubulação de retorno de água quente Nível de enchimento do refrigerante (g) 950
6. Compressor
7. Tubulação do Refrigerante
8. Sensor de radiação solar
(Máquinas equipadas com sistema de ar condicionado
automático)
9. Filtro de ar externo
10. Válvula de mudança do ar externo / interno
11. Unidade sopradora
12. Unidade de ar condicionado
13. Interruptor de pressão dupla
14. Duto de saída de ar
15. Caixa de aquecimento e resfriamento
16. Filtro de ar interno

WA380-6 5
SEN01036 -01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Diagrama do circuito refrigerante

1. Motor
2. Compressor
3. Condensador
4. Filtro Secador
5. Unidade do ar condicionado
6. Interruptor de pressão dupla

Tabela de torque de aperto para adaptadores da tubulação refrigerante


Unid: Nm{kgm}
No. Item de verificação Critério Solução
Lado de entrada do refrigerante da unidade 12 – 15 {1.2 – 1.5}
7
do ar condicionado (Tamanho do parafuso: M16 x 1.5)
Lado de saída do refrigerante da unidade do 30 – 35 {3.1 – 3.6}
8
ar condicionado (Tamanho do parafuso: M24 x 1.5)
Parafuso de ajuste da tubulação do filtro 8 – 12 {0.8 – 1.2}
9
secador do refrigerante (Tamanho do parafuso: M16 x 1.0)
Reaperte
Parafuso de trava da tubulação refrigerante 20 – 25 {2.0 – 2.6}
10
do compressor (Tamanho do parafuso: M8 x 1.25)
Lado de entrada do refrigerante no 12 – 15 {1.2 – 1.5}
11
condensador (Tamanho do parafuso: M16 x 1.5)
Lado de saída do refrigerante no 20 – 25 {2.0 – 2.6}
12
condensador (Tamanho do parafuso: M22 x 1.5)

6 WA380-6
SEN01036 -01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Unidade do ar condicionado
Ar condicionado Manual

Ar condicionado Automático

8 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01036-01

A: Do filtro secador Descrição geral


B: Para compressor • A unidade vertical do ar condicionado onde está o
C: Entrada de água quente evaporador (1) e o núcleo de aquecimento (2) é sincro-
D: Saída de água quente nizada com o soprador e a unidade de admissão para
gerar ar frio e quente.
1. Evaporador • A temperatura é ajustada no interruptor no painel do
2. Núcleo aquecedor ar condicionado controlando a válvula de mistura de ar
3. Válvula de mistura de ar (superior) (3) e (4) ajustando a temperatura de saída do ar.
4. Válvula de mistura de ar (inferior)
5. Válvula de expansão Resfriador
6. Controlador do soprador • O Circuito resfriador faz circular refrigerante através do
7. Relê do motor do soprador evaporador (1) causando troca de calor (desumidifica-
8. Relê da embreagem do compressor ção e resfriamento).
9. Atuador da válvula de mistura de ar • O ar tomado do soprador e da unidade de admissão
10. Sensor de temperatura do evaporador é resfriado com o evaporador (1) e então soprado para
11. Interruptor de pressão dupla dentro da cabine através das grelhas presas aos dutos.
12. Atuador da válvula de seleção do modo
(máquina equipada com sistema de ar condicionado Aquecedor
automático) • O circuito aquecedor faz circular liquido refrigerante
13. válvula de seleção do modo (máquina equipada com do motor no núcleo aquecedor (2) causando troca de
sistema de ar condicionado automático) calor (aquecimento).
• O ar tomado do soprador e da unidade de admissão é
aquecido com o núcleo aquecedor (2) e então soprado para
dentro da cabine através das grelhas presas aos dutos.

WA380-6 9
SEN01036 -01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Funções dos componentes importantes Atuador da válvula seletora de modo (Máquinas equi-
Evaporador padas com sistema de ar condicionado automático)
• As aletas do evaporador são resfriadas pela baixa- • Recebendo o sinal de corrente do painel do ar condi-
pressão, baixa-temperatura do gás refrigerante sendo cionado, o atuador inicia o motor embutido para abrir
enviado pela válvula de expansão. O ar do motor so- ou fechar a válvula seletora do modo através da haste
prador é resfriado e desumidificado quando passado do mecanismo.
através das aletas. • A direção de rotação do motor é determinada pelo in-
terruptor seletor do modo no painel do ar condicionado.
Núcleo aquecedor • A rotação do motor é interrompida conforme o contato,
• As aletas do núcleo aquecedor são aquecidas pela o qual está movendo o intertravamento com o motor,
água quente (água de arrefecimento) sendo enviada movendo contra ou sinal de corrente do painel do ar
do motor. O ar do motor do soprador é aquecido con- condicionado é desligado.
forme o ar passa através das aletas.
Sensor de temperatura do evaporador
Válvula de expansão • A fim de prevenir o congelamento do evaporador, é
• Esta válvula converte liquido refrigerante sob alta- monitorado a temperatura do evaporador e envia o sinal
pressão e alta-temperatura vinda do filtro secador em liquido necessário para o painel do ar condicionado.
refrigerante misto de baixa-pressão e baixa-temperatura O sinal enviado para o painel do ar condicionado é utilizado
através da função de estrangulamento da válvula. para controlar o compressor. Como resultado, a temperatura
Controla a taxa de vazão do refrigerante pela mudança do ar soprado nas grelhas é ajustado dependendo do
de nível do estrangulamento dependendo na carga volume do refrigerante circulado no evaporador.
térmica na cabine do operador.
Interruptor de pressão dupla
Controlador do soprador • Se de forma anormal a pressão subir ou cair no circuito
• Este controla a velocidade do motor soprador receben- de circulação do refrigerante, este interruptor libera a
do o sinal de corrente do painel do ar condicionado. embreagem magnética do compressor para proteger
os equipamentos de sérios danos.
Rele do motor do soprador
• O sinal de corrente do painel do ar condicionado con-
Sinal de saída do interruptor de

Lado de baixa Lado de alta


trola a bobina do rele. Como a bobina do rele é energi- LIG pressão pressão
zado e o contato é acionado, a energia é fornecida ao
motor soprador.

Rele da embreagem do compressor


• O sinal de corrente do interruptor de pressão dupla do
pressão dupla

painel do ar condicionado é utilizado para controlar a DESL


bobina do rele. Conforme a bobina do rele é energiza-
da e o contato é acionado, a embreagem magnética do Pressão média de
compressor é conectada. resfriamento

Atuador da válvula de mistura de ar


• Este inicia no motor embutido recebendo o sinal de LA : 0.20 MPa {2 kg/cm²}
corrente do painel do ar condicionado a fim de abrir ou LB : 0.02 MPa {0.2 kg/cm²}
fechar a válvula de mistura de ar através da haste do HA : 3.14 MPa {32 kg/cm²}
mecanismo. HB : 0.59 MPa {6 kg/cm²}
• A direção de rotação do motor é determinada pelo
painel do ar condicionado lendo a posição do po- Sensor de radiação solar (máquinas equipadas com
tenciômetro embutido no atuador.Esta leitura é feita sistema de ar condicionado automático)
conforme a temperatura a ser alcançada é ajustada • O sensor de radiação solar é instalado no canto superior
no interruptor de ajuste de temperatura no painel do ar esquerdo acima do painel.
condicionado. • Monitorando a intensidade dos raios solares, este sensor
• A rotação do motor é interrompida conforme o contato, envia o sinal correspondente para o painel do ar condicio-
o qual está movendo o intertravamento com o motor, nado. O sinal enviado para o painel do ar condicionado é
movendo contra ou sinal de corrente do painel do ar utilizado para controlar o motor soprador e compressor.
condicionado é desligado.

10 WA380-6
SEN01036 -01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Unidade de admissão e soprador


Ar condicionado manual

Ar condicionado automático

12 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01036-01

1. Conjunto do motor soprador Funções dos componentes principais


2. Atuador da válvula de mudança de ar externo / interno Conjunto do motor soprador
3. Válvula de mudança de ar externo / interno • Este succiona o ar através da rotação das pás insta-
4. Sensor de temperatura do ar interno (máquinas equi- ladas no motor soprador. E é também utilizado para
padas com sistema de ar condicionado automático) absorver e enviar o ar vindo do evaporador e núcleo
5. Sensor de temperatura do ar externo (máquinas equi- de aquecimento.
padas com sistema de ar condicionado automático)
Atuador da válvula de mudança de ar externo / interno
• Recebendo o sinal de corrente do painel do ar condicio-
nado, este aciona o motor da válvula de mudança de ar
externo / interno através da haste do mecanismo.
• A direção de rotação do motor é determinada pelo in-
terruptor de mudança de ar externo / interno no painel
do ar condicionado.
• A rotação do motor é parada conforme o contato, na
qual é movido para travar internamente com o motor,
movimenta contra ou o sinal de corrente do painel do
ar condicionado é desligado.

Sensor de temperatura do ar interno


Sensor de temperatura do ar externo
(Máquina equipada com ar condicionado automático)
• Monitorando a temperatura de ar externo e interno o
sensor envia o sinal correspondente para o painel do
ar condicionado. O sinal enviado para o painel do ar
condicionado é utilizado para controlar o compressor.
Como resultado, a temperatura do ar soprado na gre-
lhas é ajustada dependendo do volume de refrigerante
circulado no evaporador.

WA380-6 13
SEN01036 -01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Compressor

A: Da unidade do ar-condicionado Função


B: Para o condensador • Além de circular o refrigerante, este comprime o gás
refrigerante do evaporador para um refrigerante misto
de alta-pressão e alta-temperatura então poderá
ser facilmente regenerado (liquefeito) a temperatura
normal.
• A embreagem magnética embutida liga ou desliga
dependendo da temperatura do evaporador e a
pressão do refrigerante.

Especificações
Numero de cilindros – Diâmetro x
7 – 29.3 x 27.4
Curso(mm)
Capacidade do pistão(cc/rev) 129.2
Velocidade máxima permissível
4,000
(rpm)
Óleo refrigerante utilizado Sanden: SP-10
Volume de óleo para enchimento
135
refrigerante (cc)

14 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01036-01

Condensador

A: Para o evaporador Função


B: Para o filtro secador • Este resfria e liquefaz o misto refrigerante sob alta-
temperatura e alta-pressão do compressor.

a Se as aletas são amassadas ou estiverem entupidas


com sujeira, a eficiência de troca de calor é degradada
e a liquefação completa do refrigerante se torna
indisponível, como resultado, a pressão no circuito de
circulação do refrigerante será aumentada, aplicando
uma carga extra ao motor ou degradando o efeito de
resfriamento. Então, cuidados devem ser tomados no
seu manuseio e na inspeção diária do condensador.

Especificações
Passo das aletas (mm) 1.5
Superfície total de dissipação de calor (m²) 6.55
Máxima pressão utilizada (MPa {kg/cm²}) 3.6 {36}

WA380-6 15
SEN01036 -01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Filtro Secador

A: Do condensador Função
B: Para a unidade do ar-condicionado • Este é utilizado para armazenar o misto de refrigerante
1. Visor liquefeito sob alta-temperatura e alta-pressão do
condensador, é capaz de liquefazer completamente o
refrigerante sempre que bolhas estiverem contidas no
refrigerante devido a más condições do condensador
na dissipação de calor.
• Ele elimina as substancias estranhas em circulação e
a água contida no refrigerante devido ao filtro embutido
e ao agente dessecativo.
• O visor (1) permite a inspeção do fluído refrigerante.

Especificações
Capacidade cúbica efetiva (cm³) 578
Peso do agente dessecante (g) 300

16 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01036-01

Painel do ar condicionado
Especificação do ar condicionado manual

Unidade do mostrador
Categoria de Cor do
No. Itens exibidos Faixa exibida Método de exibição Observação
mostradores mostrador

Temperatura do Todos os segmentos abaixo aplicáveis com o


1 Veja figura abaixo
ar soprado nível (medidor de 8 níveis)
Medidores
Volume de ar Todos os segmentos abaixo aplicáveis com o
2 Veja figura abaixo
soprado nível (medidor de 4 níveis)

Circulação de Quando esta cir- O mostrador indica que está neste momento
ar interno e culando o ar inter- acionado – circulação de ar interno ou introdução Visor de cristal
3 Preto
introdução de ar no e introduzindo de ar externo – respondendo a operação do liquido
externo ar externo. interruptor de mudança de ar externo / interno.
Indicadores
Quando o
interruptor do ar O interruptor do ar condicionado ligado, está
4 Ar condicionado
condicionado é lâmpada acende.
acionado

Bloco de interruptores
No. Tipo Função Operação
È utilizado para seleção de circulação de ar interno ou introdu-
Circulação de ar interno
Interruptor de mudança de ar ção de ar externo
5 I O
interno / externo (O indicador mostra na unidade de mostradores variações Introdução de ar externo
dependendo do ajuste dado.)
Este liga ou desliga o resfriamento e desumidificação função
6 Interruptor do ar condicionado Desl i o Lig
de aquecimento
Este interruptor liga ou desliga a força principal do ar condicionado.
Liga: A unidade do mostrador indica o ajuste especificado enquan-
7 Interruptor de força principal Desl i oLig
to a força não for desligada.
Desliga: Desliga a unidade do mostrador e para os ventiladores.
Controla o volume de ar enviado pelo ventilador (Ajustável em
8 Interruptor do ventilador Baixo i o Alto
4 níveis [LO, M1, M2, HI])
Baixa temperatura
É utilizado para controlar a temperatura do ar expelido.
9 Interruptor de ajuste da temperatura I O
(Ajustável em 8 níveis)
Alta temperatura

WA380-6 17
SEN01036 -01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Painel do ar condicionado
Especificação do ar condicionado manual

Unidade do mostrador
Categoria de Método de exibição Cor do Observação
No. Itens exibidos Faixa exibida
mostradores mostrador
Painel mostrador Temperatura do
Exibe a temperatura de saída do ar
(Temperatura do ar ar (0 – 99ºC)
1 Mostrador
expelido e códigos [*1] Código de Se um atuador ou sensor falhar, 3 caracteres
de anormalidade) anormalidade alfanuméricos (código de falha) serão exibidos.
Volume de ar Veja figura Todos os segmentos abaixo aplicáveis com o
2 Medidores
soprado abaixo nível (medidor de 4 níveis)
Quando esta O mostrador indica que está neste momento
Circulação de ar circulando o acionado – circulação de ar interno ou
3 interno e introdução ar interno e introdução de ar externo – respondendo a
de ar externo introduzindo ar operação do interruptor de mudança de ar
externo. externo / interno.
Quando o
interruptor do ar Com o interruptor do ar condicionado ligado
4 Ar condicionado Visor de
condicionado é está lâmpada acende. Preto
acionado cristal liquido
Quando o
interruptor do
Indicadores Ar condicionado Com o interruptor do ar condicionado
5 ar condicionado
automático automático ligado, está lâmpada acende.
automático é
acionado
Quando o
Ar do interruptor do Com o interruptor do desembaçador ligado,
6
desembaçador desembaçador está lâmpada acende.
é acionado
Quando o modo
de saída de ar O indicador Face ou Pé é aceso dependendo do
7 Mudança de modo
na Face ou Pés modo selecionado no interruptor seletor de modo.
é acionado

*1: Para detalhes dos códigos de anomalia, veja a seção de testes e ajustes aplicável.

18 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção SEN01036-01

Bloco de interruptores

No. Nome Função Operação


É utilizado para seleção de circulação de ar interno ou introdu-
Circulação de ar interno
Interruptor de mudança de ar interno / ção de ar externo
8 I O
externo (O indicador mostra na unidade de mostradores variações de-
Introdução de ar externo
pendendo do ajuste dado).
Este liga ou desliga o resfriamento e o aquecimento desumidi-
9 Interruptor do ar condicionado Desl i o Lig
ficador.
Este interruptor liga ou desliga a força principal do ar condicionado.
Liga: A unidade do mostrador indica o ajuste especificado enquanto a
10 Interruptor de força principal Desl i o Lig
força não for desligada.
Desliga: Desliga a unidade do mostrador e para os ventiladores.
Controla o volume de ar enviado pelo ventilador (Ajustável em 4
11 Interruptor do ventilador Baixo i o Alto
níveis [LO, M1, M2, HI])
Baixa temperatura
I O
12 Interruptor de ajuste da temperatura É utilizado para controlar a temperatura do ar expelido. (0 – 99, 9ºC)
Alta temperatura

Interruptor do ar condicionado
13 Desliga ou liga o resfriamento e o aqecimento desumidificador Desl i o Lig
automático
Alterna o modo de saída de ar entre Face e pé (o indicador na
14 Interruptor seletor de modo Face i o Pe
unidade mostrador varia conforme do ajuste dado).
15 Interruptor do desembaçador Liga ou desliga a saída de ar do desembaçador. Desl i o Lig

WA380-6 19
SEN01036 -01 10 Estrutura, funcionamento e padrão de manutenção

Descrição geral

• A CPU (unidade de processamento central) instalada


no painel processa os sinais de entrada dos respectivos
sensores e opera os sinais do painel de interruptores
do mostrador e aciona-os.
• A função de auto-diagnostico da CPU faz análise de
falha ser mais fácil.

Sinais de entrada e saída

JAE IL-AG5-14P [CN-C48]


JAE IL-AG5-22P [CN-C47]
Pin Sinais de Sinais de
Nome do sinal
No. entrada e saída Pin No. Nome do sinal entrada e
1 Terra — saída

2 Sensor de terra — 1 NC —
Válvula de mudança de ar interno / 2 NC —
3 Entrada
externo Limitador do atuador
3 Rele do motor do soprador Entrada
4 Sensor de temperatura do ar externo Entrada
Válvula de mudança de ar externo / interno
4 Saída
5 Sensor de temperatura do evaporador Entrada Saída do atuador 1
6 Sensor de temperature do ar interno Entrada Válvula de mudança de ar externo / interno
5 Saída
Saída do atuador 2
7 Interruptor de partida (LIG) Entrada
6 Saída do atuador seletor de modo 2 Saída
8 Sinal da lâmpada noturna Entrada
7 Saída do atuador seletor de modo 1 Saída
9 NC —
Saída do atuador da válvula de mistura
10 NC — 8 Saída
de ar 2
11 NC — 9 Saída do atuador da válvula de mistura de ar 1 Saída
12 NC — Fornecimento de energia do potenciômetro
13 Sensor de luz do dia 2 Entrada 10 do atuador —
(5 V)
14 Sensor de luz do dia 1 Saída
11 NC —
12 NC —
13 NC —
14 NC —
15 Embreagem magnética Entrada
Limitador do atuador da válvula de mistura
16 Entrada
do ar
17 Limitador do atuador seletor de modo Entrada
Potenciômetro do atuador da válvula de
18 Entrada
mistura do ar
19 Potenciômetro do atuador seletor de modo Entrada
20 Porta soprador Entrada
21 Realimentação do soprador Entrada
22 Terra do potenciômetro do atuador —

20 WA380-6
SEN01036-01

WA380-6 Carregadeira de rodas


Formulário nº. SEN01036-01

© 2008 KOMATSU
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil 10-08

22
MANUAL DE OFICINA SEN01037-01

CARREGADEIRA DE RODAS
WA380-6

Modelo da Máquina Número de Série

WA380-6 65001 e acima

10 Estrutura, funcionamento e
padrões de manutenção
Sistema elétrico, Parte 1
Sistema elétrico, parte 1 ...................................................................................................................................................... 2
Sistema monitor da máquina ........................................................................................................................................ 2
Monitor da máquina ...................................................................................................................................................... 6

WA380-6 1
SEN01037-01 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção

Sistema elétrico, Parte 1


Sistema monitor da máquina
Linhas gerais
• No sistema monitor da máquina, cada controlador na
4. Além do exposto, existem as seguintes funções de
rede monitora e controla a condição da máquina com
ajuste de exibição e regulagens ajustes usando-se o
os sensores instalados em diversas partes da máqui-
display de caracteres e o interruptor seletor de modo
na, em seguida envia o resultado como informação de
monitor da máquina, que é o interruptor de operação
rede ao monitor da máquina, que exibe as informações
do display de caracteres.
para notificar o operador sobre a condição da máquina.
1) Display do odômetro.
2) Reajusta o tempo de substituição do filtro ou do óleo.
• O monitor da máquina exibe as informações no modo
3. Introduz o número do telefone.
do operador ou no modo de serviço.
4. Seleciona o idioma.
5). Ajusta o brilho da iluminação noturna do monitor
• O modo do operador é usado para exibir as informa-
da máquina.
ções normalmente ao operador. As funções principais
6) Função seletora da exibição da velocidade de
usadas no modo de serviço são as seguintes.
deslocamento/do motor.
1. Itens exibidos sempre
7) Função para ajustar a exibição/não-exibição da
• Medidores (Velocímetro ou tacômetro)
velocidade de deslocamento ou da velocidade do
• Indicadores (indicador de temperatura do líquido de
motor no display de caracteres.
arrefecimento do motor, indicador de temperatura do
8) Exibição do medidor de carga
óleo do conversor de torque, indicador de tempera-
• Troca do modo de exibição do medidor de
tura do óleo hidráulico e indicador de combustível)
carga
• Indicadores-piloto
• Calibragem do peso da máquina carregada/
• Medidor de serviço
vazia
Os itens a seguir são exibidos conforme o estado
• Reset da calibragem
ajustado da função seletora do dispositivo opcional.
• Mudança do modo de saída para impressora
• Indicação da velocidade de deslocamento ou da
(caso equipada)
velocidade do motor no display de caracteres
9) Regulagem do horário no relógio (Máquinas equi-
• Peso calculado pelo medidor de carga (Máquinas
padas com medidor de carga)
equipadas com medidor de carga)
• Relógio (Máquinas equipadas com medidor de carga)

2. Itens exibidos quando alguma anormalidade é detectada


• Luzes de atenção
• Código de ação (enquanto um código de ação é
exibido, se o interruptor seletor de modo da má-
quina (>) for pressionado e liberado, é exibido o
código de falha (6 dígitos)).

3. No período de troca de um filtro ou de óleo, o display


de caracteres exibe aquele o filtro ou o óleo (Função
de monitoramento de manutenção).

2 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção SEN01037-01

• A função do modo de serviço está instalada para 11. Função de seleção de modelo
facilitar o diagnóstico de falhas dos controladores Introduz a informação do modelo da aplicação.
na rede (incluindo o próprio monitor da máquina). As
funções principais usadas no modo de serviço são as 12. Função Inicializar
seguintes. Essa função é usada para ajustar o monitor da
1. Função de exibição do histórico de falhas do sistema máquina para a condição ajustada quando a máquina
elétrico. foi fornecida.
As falhas do sistema elétrico de cada controlador salvo
no monitor da máquina são exibidas. As informações
dessas falhas também são apagadas com essa
função.

2. Função de exibição do histórico de falhas do sistema


mecânico.
As falhas do sistema mecânico de cada controlador
salvo no monitor da máquina são exibidas.

3. Função de monitoramento em tempo real.


Os sinais de entrada e saída reconhecidos por meio de
cada controlador na rede são exibidos em tempo real.

4. Função de cilindro reduzido do motor


Esta função é usada com a finalidade de especificar
cilindros que tenham combustão defeituosa por
interrupção da injeção de combustível para cada
cilindro pelo injetor de combustível.

5. Função de arranque sem combustível


Antes de reiniciar o motor após um longo período de
estacionamento da máquina, essa função é usada
para lubrificar internamente o motor.

6. Função de ajuste
Funções são previstas para corrigir e ajustar erros de
instalação e dispersão de fabricação dos sensores,
válvulas solenóides, etc. Uma função para a alteração
de características de controle pode ser instalada por
solicitação do usuário.

7. Função de monitoramento da manutenção


Altera o período de troca do filtro ou do óleo e faz a
seleção ON-OFF da função.

8. Função de exibição de informações de operação


Exibe o consumo de combustível por hora de operação.

9. Função de exibição do dispositivo opcional


Verifica a instalação de dispositivos opcionais ou altera
seus ajustes.

10. Função de introdução do número de série da máquina


Introduz o número de série da máquina para identificar
a máquina.

WA380-6 3
SEN01037-01 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção

Diagrama do circuito do sistema

4 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção SEN01037-01

WA380-6 5
SEN01037-01 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção

Monitor da máquina
Especificação do velocímetro

1. Indicador de temperatura do óleo do conversor de


torque 21. Luz-piloto do freio de estacionamento
2. Luz de atenção da temperatura do óleo do conversor 22. Luz de atenção da temperatura do óleo de freio
de torque 23. Luz-piloto da rotação reversa do ventilador de
3. Indicador de temperatura do líquido de arrefecimento resfriamento
do motor 24. Luz de atenção de manutenção
4. Luz de atenção da temperatura do líquido de arrefeci- 25. Luz de atenção do nível de eletrólitos da bateria (*1)
mento do motor 26. Luz de atenção do circuito de carga da bateria
5. Velocímetro ou tacômetro do motor 27. Luz de atenção da pressão do óleo da direção (*2)
6. Luz-piloto do sinal de seta (esquerda) 28. Luz-piloto da direção de emergência (*2)
7. Luz-piloto do farol alto 29. Luz-piloto do display do medidor
8. Luz-piloto do sinal de seta (direita) 30. Display de caracteres
9. Luz de atenção da temperatura do óleo hidráulico 31. Luz-piloto do modo de energia
10. Indicador da temperatura hidráulica 32. Luz-piloto de escavação semi-automática (*2)
11. Luz de atenção do nível de combustível 33. Luz-piloto do pré-aquecimento
12. Indicador de combustível 34. Luz-piloto do auto-engraxamento (*2)
13. Luz centralizada de aviso 35. Luz-piloto do joystick (*2)
14. Luz de atenção da pressão do óleo de freio 36. Luz-piloto do seletor direcional (*2)
15. Luz de atenção da pressão do óleo do motor 37. Luz-piloto da operação econômica
16. Luz de atenção do separador de água 38. Indicador de mudanças
17. Luz de atenção do nível de óleo do motor 39. Luz-piloto da mudança automática
18. Luz de atenção do nível de líquido de arrefecimento do 40. Luz-piloto do travamento do conversor de torque (*2)
radiador 41. Luz-piloto de manter mudança de marchas
19. Luz de atenção de entupimento do filtro de óleo da 42. Luz-piloto de posição da alavanca de mudanças
transmissão (*1)
20. Luz de atenção de entupimento do purificador de ar
(Máquinas equipadas com KOMTRAX)

*1: Não usado nesse modelo


*2: Caso equipado

6 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção SEN01037-01

Especificação do medidor de carga (caso equipado)

1. Indicador de temperatura do óleo do conversor de 27. Luz de atenção da pressão do óleo da direção (*2)
torque 28. Luz-piloto da direção de emergência (*2)
2. Luz de atenção da temperatura do óleo do conversor 29. Luz-piloto do display do medidor
de torque 30. Display de caracteres
3. Indicador de temperatura do líquido de arrefecimento 31. Luz-piloto do modo de energia
do motor 32. Luz-piloto de escavação semi-automática (*2)
4. Luz de atenção da temperatura do líquido de arrefeci- 33. Luz-piloto do pré-aquecimento
mento do motor 34. Luz-piloto do auto-engraxamento (*2)
5. Velocímetro ou tacômetro do motor 35. Luz-piloto do joystick (*2)
6. Luz-piloto do sinal de seta (esquerda) 36. Luz-piloto do seletor direcional (*2)
7. Luz-piloto do farol alto 37. Luz-piloto da operação econômica
8. Luz-piloto do sinal de seta (direita) 38. Indicador de mudanças
9. Luz de atenção da temperatura do óleo hidráulico 39. Luz-piloto da mudança automática
10. Indicador da temperatura hidráulica 40. Luz-piloto do travamento do conversor de torque (*2)
11. Luz de atenção do nível de combustível 41. Luz-piloto de manter mudança de marchas
12. Indicador de combustível 42. Luz-piloto de posição da alavanca de mudanças
13. Luz centralizada de aviso 43. Luz-piloto ECSS (*1)
14 Luz de atenção da pressão do óleo de freio 44. Luz de atenção da temperatura da embreagem de
15. Luz de atenção da pressão do óleo do motor modulação (*1)
16. Luz de atenção do separador de água 45. Display do carregamento da caçamba
17. Luz de atenção do nível de óleo do motor 46. Display do objeto de trabalho
18. Luz de atenção do nível de líquido de arrefecimento 47. Modo de adição: Display de carregamento total
do radiador Modo de redução: Display do nível
19. Luz de atenção de entupimento do filtro de óleo da 48. Display do modo de adição/redução
transmissão (*1)
20. Luz de atenção de entupimento do purificador de ar
(Máquinas equipadas com KOMTRAX)
21. Luz-piloto do freio de estacionamento
22. Luz de atenção da temperatura do óleo de freio
23. Luz-piloto da rotação reversa do ventilador de resfriamento
24. Luz de atenção de manutenção
25. Luz de atenção do nível de eletrólitos da bateria (*1)
26. Luz de atenção do circuito de carga da bateria

*1: Não usado nesse modelo


*2: Caso equipado

WA380-6 7
SEN01037-01 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção

Lista dos itens exibidos no monitor


Condição para julgar se o motor está funcionando:
Quando um ou ambos dos seguintes itens 1 e 2 está ou foi sondado, o monitor da máquina julga se o motor está
funcionando.
1. A velocidade do motor está acima de 500 rpm.
2. Existe tensão R do alternador e existe entrada C de terminal após o interruptor de partida ser colocado em “ON”.

Q : ON
w : Piscando (1,6 segundos, 50% de carga)
A :Intermitente (Período: 240 mseg., “ON”: 80 mseg., “OFF”: 160 mseg.)
E : Conforme condição de ajuste em separado.

Prioridade de soar alarme sonoro: Contínua (w) > Intermitente (A) > Cancelamento da operação > Verificação da
aceitação da operação.
Tempo de Condição operacional
detecção
(seg) Motor parado Motor em funcionamento

Cor do display
Item de
Cate- Dispo- Condição
Nº. verificação Observações

Alarme sonoro

Display ind.

Display ind.
goria sitivo operacional

Display da

Display da
Luz centr.

Luz centr.
Detecção

Alarme
Reset

Colocado em ON com
erros (E03 e E02) de
cada controladora,
Quando o erro é cometido E E E E E E E E
simultaneamente

Vermelho
Luz central de exibindo a mensagem no
13 Aviso central LED
aviso display de caracteres

Para outros diferentes do acima,


vide “Condição operacional, luz - - - - - -
central de aviso” de outros itens

Branco
Quando o interruptor de luz não
Luz traseira - Luz traseira LED - - - - - -
está em “OFF”

Outro que o abaixo - - - - - - Faixa branca: 50 – 120°C


Faixa vermelha: 120
Alarme: Mín. 120°C 10 1 - Q - - Q - – 135°C
Quando o sensor está
Ponteiro: aterrado
Temperatura Movimento Máx.
Vermelho
1 do óleo do Quando o sensor está
Alarme: Mín 130°C 10 1 w Q Q B@CENS w Q Q B@CENS
2 conversor de Luzes de desconectado ou em
torque atenção:LED curto-circuito quente
Mín.

Quando a anormalidade é
detectada (fora da faixa do sinal 20 5 - - - DGT1KX - - - DGT1KX
de entrada)

Outro que o abaixo - - - - - - Faixa branca: 50 – 102°C


Faixa vermelha: 102
Alarme mín. 102°C 3 0 - Q - - Q - – 135°C
Ponteiro:
Quando o sensor está
Vermelho

Temperatura Movimento Alarme mín. 105°C B@BCNS B@BCNS


3 w Q Q w Q Q aterrado
do líquido de Luzes de
4 Máx.
arrefecimento atenção: LED Quando a anormalidade é
- - - CA 144 - - - CA 144 Quando o sensor está
detectada (alta temperatura)
desconectado ou em
Quando a anormalidade é curto-circuito quente
Indicadores e - - - CA 145 - - - CA 145
detectada (baixa temperatura) Mín.
medidores

Velocidade do Quando é selecionado display da (Selecionável com o


- - - - - -
motor (SPM) velocidade do motor ajuste do monitor da
Ponteiro:
máquina)
Movimento
Velocidade de Exibe “0” quando ocorre
Quando é selecionado display da
deslocamento - - - - - - um erro na comunicação
velocidade de deslocamento
(SPM)

Quando é selecionado display da


velocidade do motor
Velocidade do
Número de dígitos exibidos: 4 - - - - - -
motor (LDM)
(0 - 3990)
Preto

5 Quando ocorre erro


(O número de unidades é fixado em 0) de comunicação, é
Quando é selecionado display da exibido “0”
Velocidade de
velocidade do motor
deslocamento LCD - - - - - -
Número de dígitos exibidos: 2 (0 - 99)
(LDM)
(Central são usados 2 de 4 dígitos)

Ângulo de
Quando é exibido o ângulo de ajuste Exibido durante 3 segundos
ajuste do
do posicionador de basculamento quando o sinal é recebido
posicionadordo - - - - - -
Número de dígitos exibidos: 2 (-5 -5) da controladora do equipa-
basculamento
(Central são usados 2 de 4 dígitos) mento de trabalho
(LDM)

8 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção SEN01037-01

Tempo de Condição operacional


detecção

Cor do display
(seg) Motor parado Motor em funcionamento
Item de
Cate- Dispo- Condição
Nº. verificação Observações

Display ind.

Display ind.
goria sitivo operacional

Display da

Display da
Luz centr.

Luz centr.
Detecção

Alarme

Alarme
sonoro
Reset
Outro que o abaixo - - - - - - Faixa branca: 50 – 100°C
Faixa vermelha: 100
– 125°C
B@
Ponteiro: Alarme: Mín 100°C 10 1 w Q Q B@CENS w Q Q Quando o sensor está
HANS

Vermelho
Movimento aterrado
9 Temperatura do óleo
Lâmpadas de Máx.
10 hidráulico
atenção: LED Quando o sensor está
Quando a
desconectado ou em
anormalidade é
20 5 - - - DGT1KX - - - DGH2KX curto-circuito quente
detectada (fora da faixa
Indicadores e Mín.
do sinal de saída)
medidores
Outro que o abaixo - - - - - - Máx.: 10 Ω
Mín.: 85 Ω
Ponteiro: Quando o sensor está
Movimento aterrado
11

Preto
Nível de combustível Lâmpadas de Cheio
12 Mín. 80 Ω 10 1 - - - -
atenção: LED Q Q Quando o sensor está
desconectado ou em
curto-circuito quente
Vazio

Opera quando
carregando
Medidor de serviço - - - - - -
normalmente a 1 : 1
com o relógio de horas Exibe diversos códigos
Display de

Verde
e itens conforme a
30 LCD Converte o pulso
caracteres condição da máquina e
da velocidade de operação do interruptor.
Odômetro deslocamento - - - - - -
em distância de
deslocamento

x 100 r/min
Quando é selecionado

Verde
(Selecionável com o
Velocidade do motor display da velocidade 0 0 - Q - - Q -
ajuste do monitor da
do motor
máquina)
Unidade 29 LED
Km/h ou MPH.
Quando é selecionado
Velocidade de (Selecionável com o

Preto
display da velocidade 0 0 - Q - - Q -
deslocamento ajuste do monitor da
de deslocamento
máquina)

No neutro, a velocidade
da marcha não é exibida.
Lado esquerdo: F, N, R
Caso ocorra um erro na
Velocidade real da LCD de 9 Lado direito: velocidade Verde
38 - - - - - - comunicação, a condição
marcha segmentos da marcha
é mantida até que o
interruptor de partida seja
colocado em “OFF”

Quando é selecionada Caso ocorra um erro na


0 0 - Q - - Q -
auto-mudança comunicação, a condição
Verde

39 Auto-mudança LED é mantida até que o


Outro que o acima - - - - - - interruptor de partida seja
colocado em “OFF”

Quando o travamento Caso ocorra um erro na


0 0 - - - - - -
opera comunicação, a condição
Travamento do
Verde

40 LED é mantida até que o


conversor de torque
Outro que o acima - - - - - - interruptor de partida seja
colocado em “OFF”

Quando é selecionada Caso ocorra um erro na


auto-mudança ou comunicação, a condição
0 0 - Q - - Q -
Laranja

Manter mudança de manter mudança de


41 LED é mantida até que o
marchas marchas interruptor de partida seja
Itens
Outro que o acima - - - - - - colocado em “OFF”
relacionados
à mudança
Quando é selecionado
de marchas
F (Quando o motor
Verde

F LED 1 0 A Q Q - Q -
é parado, é exibida
segurança neutra)

Posição da
Laranja

Quando é selecionado
alavanca N LED 0 0 - Q - - Q -
N
direcional

Quando é selecionado
R (Quando o motor
Verde

R LED 1 0 A Q Q - Q - Caso ocorra um erro na


é parado, é exibida
comunicação, a condição
segurança neutra)
42 é mantida até que o
Quando é selecionada a 4ª. interruptor de partida seja
Verde

4 LED 0 0 - Q - - Q - colocado em “OFF”


engrenagem

Posição da Quando é selecionada


Verde

alavanca 3 LED 0 0 - Q - - Q -
a 3ª. engrenagem
de
mudança Quando é selecionada a
Verde

de 2 LED 0 0 - Q - - Q -
2ª. engrenagem
marchas

Quando é selecionada a
Verde

1 LED 0 0 - Q - - Q -
1ª. engrenagem

WA380-6 9
SEN01037-01 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção

Tempo de Condição operacional


detecção
(seg) Motor parado Motor em funcionamento

Cor do display
Item de
Cate- Dispo- Condição
Nº. verificação Observações

Alarme sonoro

Display ind.

Display ind.
goria sitivo operacional

Display da

Display da
Luz centr.

Luz centr.
Detecção

Alarme
Reset
A luz de perigo opera
Quando a alavanca do sinal de seta
6 Sinal de

Verde
quando o interruptor
LED e o sinal do interruptor da luz de 0 0 - Q - - Q -
8 conversão de partida é colocado
perigo são introduzidos
em “OFF”

Quando o farol é colocado em alto.


(Quando o farol e o interruptor

Azul
7 Farol alto LED 0 0 - Q - - Q -
atenuador de luminosidade são
colocados “ON”

Pressão normal do óleo (FECHADO) - - - - - -

Abaixo da pressão do óleo ajustada


(dianteira) (ABERTO) (O tempo de
detecção continua) e 30 segundos 5 1 - Q - w Q Q 2G42ZG
Outros após a partida (sem tempo de
símbolos detecção)

Abaixo da pressão do óleo ajustada


(traseira) (ABERTO) (O tempo de
5 1 - Q - w Q Q 2G43ZG
detecção continua) e 30 segundos após a

Vermelho
Pressão do óleo partida (sem tempo de detecção)
14 LCD
de freio
Abaixo da pressão do óleo ajustada
(dianteira) (ABERTO) (O tempo de
detecção continua) e 30 segundos 1 1 - Q - w Q Q
após a partida (sem tempo de
detecção)

Abaixo da pressão do óleo ajustada


(traseira) (ABERTO) (O tempo de
detecção continua) e 30 segundos 1 1 - Q - w Q Q
após a partida (sem tempo de
detecção)

Pressão normal do óleo (FECHADO) - - - - - -

Vermelho
Pressão do óleo
15 LED
do motor
Baixa pressão do óleo (ABERTO) w Q Q B@BAZG w Q Q B@BAZG

Normal - - - - - -

Vermelho
Separador de
16 LED
água Água misturando com combustível - - CA418 - - CA418
Q Q

Nível normal de óleo (FECHADO) - - - - - - Caso seja detectado


nível baixo quando o
interruptor de partida
é colocado em “ON”, o
Vermelho

alarme continua mesmo


Nível do óleo do
17 LED B@ após a partida até que
motor Baixo nível de óleo (ABERTO) 2 1 - - - - -
Q o nível adequado de
BAZK
óleo seja atingido. Não
verifique o nível do óleo
durante 300 segundos
após parar o motor.
Vermelho

Nível normal do líquido de


- - - - - -
arrefecimento (FECHADO)
Nível do líquido
18 de arrefecimento LED
do radiador
Vermelho

Baixo nível do líquido de


Outros 30 1 - Q - B@BCZK - Q - B@BCZK
arrefecimento (ABERTO)
símbolos

Normal (FECHADO) - - - - - -
Vermelho

Entupimento do LED
20
purificador de ar
Entupimento (ABERTO) 2 1 - - - - Q - AA1ANX

Operação (ABERTO) - Q - - Q -
Vermelho

Liberado (FECHADO) - - - - - -
Freio de
21 LED
estacionamento
Motor está funcionando, o freio
de estacionamento está ON e a 0 0 - - - A Q Q
alavanca direcional não está em “N”

Outro que o abaixo - - - - - -

Aumento da temperatura (temperatura


5 5 - Q - - Q -
do óleo: Mín. 120°C (alarme)

Aumento da temperatura (1 ou 2) A ser liberado caso


1. Temperatura do óleo: Mín. 130°C a temperatura
Vermelho

Temperatura do 2. Temperatura do óleo: Mín. 5 5 w Q Q B@C7NS w Q Q B@C7NS seja detectada


22 LED
óleo de freio 125°C e velocidade mínima de consecutivamente
deslocamento 35 km/h abaixo de 125°C durante
5 segundos
Quando a anormalidade é detectada
- - - DGR2KA - - - DGR2KA
(desconexão)

Quando a anormalidade é detectada


- - - DRG2KX - - - DRG2KX
(fora da faixa do sinal de entrada)

10 WA380-6
10 Estrutura, funcionamento e padrões de manutenção SEN01037-01

Tempo de Condição operacional


detecção

Cor do display
Item de (seg) Motor parado Motor em funcionamento
Cate- Dispo- Condição
Nº. verificação Observações

Display da

Display da
goria sitivo operacional

Luz centr.

Luz centr.
Detecção

Display

Display
Alarme

Alarme
sonoro
Reset

ind.

ind.
Normal 0 0 - - - - - -
Rotação

Laranja
inversa do
23 LED Inversa 0 0 - Q - Observações - Q - Observações
ventilador de
resfriamento
Seleção da rotação inversa 0 0 - w - - w -

Comum - - - - - -

Vermelho
A mensagem é exibida
Monitor de
24 LED 30 horas ou menos antes da simultaneamente no
manutenção
manutenção ou do momento da - Q - E - Q - E display de caracteres
manutenção

Tensão normal - - - - - - Caso seja detectada


uma anormalidade
O motor está funcionando, a tensão quando o interruptor
do alternador está em curto e não é 30 1 - - - - - - AB00MA de partida é colocado
introduzido sinal C de partida “ON”, o alarme continua

Vermelho
Circuito de
mesmo após a partida.
26 carga da LED
bateria
,Histerese de tensão>
Quando a anormalidade é detectada Anormal J Julgamento
3 1 w Q Q AB00L6 - - -
(Condição do motor e sinal divergentes) normal: Mín. 12 V
Normal J Julgamento
anormal: Máx. 5 V

A função de direção de
Normal (ABERTO) 1 1 - - - - - -
emergência somente
pode ser habilitada
quando estiver

Vermelho
Observações

Pressão do selecionado “ADD” para


27 LED A pressão do óleo da direção está
óleo da direção o item “13 EMERG S/T”
baixa (FECHADO) e a velocidade do 3 1 - - w Q Q DDS5L6
usando o dispositivo
motor está acima de 500 rpm
opcional que seleciona
funções no monitor da
máquina.

Operação (por mais de 1 min) A função de direção de


1 1 w Q Q w Q Q emergência somente
(ABERTO)
pode ser habilitada
Operação (por menos de 1 min) quando estiver
1 1 - Q - - Q -
Direção de (ABERTO)

Verde
selecionado “ADD” para
28 LED
emergência o item “13 EMERG S/T”
usando o dispositivo
Parar (FECHADO) - - - - - - opcional que seleciona
funções no monitor da
Outros máquina.
símbolos
Interruptor seletor de modo de
0 0 - Q - - Q -
Modo de energia “Modo P”
Verde

31 LED
energia Interruptor seletor de modo de
- - - - - -
energia “Modo E”

Interruptor de semi-auto-escavação
Escavação - - - - - - Não deve ser exibido
LED “OFF”
Verde

32 semi- quando ocorre erro na


automática Interruptor de semi-auto-escavação comunicação
0 0 - Q - - Q -
“SOFT” ou “HARD”

Outro que o abaixo - - - - - -


Vermelho

33 Pré-aquecedor LED
Quando o pré-aquecedor é colocado
0 0 - Q - - Q -
“ON”

Não em operação - - - - - -

Operação 1 1 - Q - - Q -
Auto-
Verde

34 LED
engraxamento w w
Reservatório vazio 3 1 - - - -
1 Hz 1 Hz

w w
Anormal 3 1 - - - -
2 Hz 2 Hz

Quando usando o volante da direção - - - - - - A função de direção


com joystick somente
Quando o joystick está operando 0 0 - Q - - Q - pode ser habilitada