Você está na página 1de 23

HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA

GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva


Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

HIDROLOGIA

É a ciência que trata da água na Terra, sua


ocorrência, circulação e distribuição, suas
propriedades físico-­químicas, e sua relação com o
meio ambiente, incluindo sua relação com as
formas vivas (Chow, 1959). A hidrologia aplicada
está voltada para os diferentes problemas que
envolvem a utilização dos recursos hídricos,
preservação do meio ambiente e ocupação da
bacia.

1
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

O CICLO HIDROLÓGICO é o enfoque central da hidrologia. É o fenômeno


global de circulação fechada da água entre a superfície terrestre e a
atmosfera, impulsionado pela energia solar associada à gravidade e à rotação
terrestre.

O ciclo não tem começo ou fim estritamente definidos, e os diversos


processos envolvidos ocorrem de forma contínua e dinâmica.

Como é representado na figura, a água evapora dos espelhos d´água e solos,


fazendo então parte da atmosfera;; o vapor d´água é transportado e elevado
na atmosfera até condensar-­se e precipitar-­se sobre as superfícies líquidas e
solo;; a precipitação pode ser interceptada pela vegetação, ficar retida em
depressões do solo ou estruturas existentes, pode se transformar em
escoamento superficial, infiltrar no solo, escoar através do solo como
escoamento subsuperficial e ser descarregada direta ou indiretamente nos
cursos/espelhos d´água.

2
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

CICLO HIDROLÓGICO (continuação)

Parte da precipitação interceptada e transportada


superficialmente retorna à atmosfera através da
evaporação. A parte infiltrada no solo pode percolar
profundamente e recarregar os lençóis subterrâneos,
depois emergindo em nascentes ou aflorando nos
cursos d´água, formando escoamento superficial, e
finalmente escorrer em direção ao mar ou evaporando
de volta à atmosfera a medida que o ciclo continua
(Chow et al., 1988).

3
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

• A  circulação  da  água  na  Natureza  pode  ser  encarada  


conceitualmente  como  um  ciclo  contínuo com  entradas,  saídas e  
armazenamentos  interligados,  dentro  da  ótica  de  um  sistema  
natural.

• As  águas  terrestres  deslocam-­se  de  forma  contínua,  passando  por  


diferentes  estados  e  fases,  permanecendo  durante  períodos  
variados em  cada  fase  e  local.

• Essa  movimentação  da  água pode  ser  imaginada  como  uma  


troca  de  volumes  hídricos entre  dois  grandes  reservatórios:  um  
terrestre (a  superfície  da  Terra)  e  outro  aéreo (a  atmosfera),  que  
transferem  água  entre  si,  dando  origem  a  dois  dos  mais  
importantes  processos  hidrológicos,  como  são  a  precipitação e  a  
evaporação.

4
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

5
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Fluxos  superficiais
para  os  rios
32  bilhões  de  m3/ano

Vazõea  dos  rios


45  bilhões  de  m3/ano

6
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

7
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Ciclo Hidrológico Global

ü Energia  do  sol  que  atua  sobre  o  sistema  terrestre:  36%  


de  toda  a  energia que  chega  a  terra  é  utilizada  para  a  
evaporação  da  terra  e  do  mar;;
ü A  água  evaporada  para  a  atmosfera  fica  em  média  dez  
dias  na  atmosfera;;
ü O  fluxo  sobre  a  superfície  terrestre  é  positivo,  ou  
seja  a  precipitação  é  maior  que  a  
evapotranspiração,  resultando  nas  vazões  dos  rios;;
ü Nos  oceanos  o  fluxo  é  negativo,  já  que  ocorre  maior  
evaporação  sobre  superfícies  líquidas  do  que  
precipitação
8
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

ÁGUA  NO  PLANETA

9
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

O  CICLO  HIDROLÓGICO  COMO  UM  SISTEMA

PRECIPITAÇÃO EVAPORAÇÃO

ÁGUA INTERCEPÇÃO Σ
ATMOSFERA

TRANSPIRAÇÃO

ÁGUA EXCESSO VAZÃO VAZÃO  RIOS


SUPERFICIAL INFILTRAÇÃO SUPERFICIAL OCEANOS

VAZÃO Σ
INFILTRAÇÃO
SUBSUPERFICIAL
ÁGUA  SUBSUPERFICIAL  E
SUBTERRÂNEA

RECARGA VAZÃO
LENÇOL SUBTERRÂNEO

DIAGRAMA  DE  BLOCOS  DO  SISTEMA  HIDROLÓGICO  (Chow  et  al.,  1988)

10
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Processos hidrológicos terrestre

11
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.
Processos Hidrológicos Verticais

ü Precipitação
ü Interceptação
ü Evapotranspiração
ü Evaporação
ü Infiltração
ü Percolação

12
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Interceptação
13
Potencial de Interceptação da Arborização
GRHIP
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Urbana
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.
Precipitação Interna x Interceptação x Escoamento
Planejamento  de  Recursos  Hídricos

Precipitação Interna (PI): Precipitação que atinge o solo


HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Escoamentos na bacia

Q
Hortoniano
Parte da chuva
infiltra e não
retorna a superfície

Áreas de saturação:
Existem áreas de recarga onde a
precipitação infiltra e a jusante
áreas em que parte deste volume
retorna a superfície.

15
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Caminhos preferenciais
Perfil do Solo
do escoamento

Lençol
freático
ü Em  bacias  menores  a  água,  ao  infiltrar,  percola  
para  o  subterrâneo,  mas  parte  do  volume  cria  
caminhos   preferenciais   que  podem  gerar  
fluxos  superficiais a  jusante.

16
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Escoamento em rios e reservatórios


ü Escoamento  dentro  de  um  sistema  definido,  
depende  do  deslocamento  da  água  ao  longo  
de  um  leito  definido.  Dois  efeitos  principais:  
armazenamento e  gravidade/rugosidade  
(dinâmica  do  fluxo).  

17
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

No  Brasil,  o  fornecimento  de  água para  as  


atividades  econômicas  é,  na  grande  
maioria,  proveniente  de  rios  e  
reservatórios e  nas  regiões  mais  habitadas  
já  estão  ocorrendo  sérios  problemas  de  
fornecimento,  como  em  São  Paulo  e  no  Rio  
de  Janeiro,  que  já  apresentam  um  quadro  
próximo  de  um  colapso.  

18
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Balanço  Hídrico  Simplificado  nos  Continentes:

19
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Efeitos Antrópicos
Alterações  produzidas  pelo  homem  sobre  o  
ecossistema  pode  alterar  parte  do  ciclo  hidrológico
quanto  a  quantidade e  a  qualidade da  água.

¡ A  nível  global:  emissões  de  gases  para  a  atmosfera  


produz  aumento  no  efeito  estufa,  alterando  as  
condições  das  emissões  da  radiação  térmica,  poluição  
aérea,  etc;;
¡ A  nível  local:  obras  hidráulicas atuam  sobre  o  rios,  
lagos  e  oceanos;;  desmatamento atua  sobre  o  
comportamento  da  bacia  hidrográfica;;  a  urbanização
também  produz  alterações  localizadas  nos  processos  
do  ciclo  hidrológico  terrestre,  contaminação  das  águas,  
etc.  
20
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

ü Para  se  entender  a  importância  científica  e  prática  


da  Hidrologia,  deve-­se  atentar  para  a  interação  da  
água  com  as  propriedades  físicas,  químicas  e  
biológicas do  meio,  ou  seja,  é  absolutamente  
necessária  a  interação  com  outras  ciências uma  
vez  que  a  água  apresenta-­se  em  3 estados  físicos  
da  matéria  e  influencia  a  maioria  dos  processos  
naturais.
ü Hidráulica
Modelagem  do  comportamento  da  água
ü Drenagem
ü Geologia
ü Meteorologia   Previsões  hidrológicas

21
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Dinâmica do Ciclo Hidrológico

Às  vezes,  a  natureza  parece  trabalhar  


horas  extras  para  proporcionar  as  
chuvas  torrenciais que  podem  
provocar  inundações.  Em  outras  
ocasiões,  parece  que  a  maquinaria  
do  ciclo  parou  por  completo  e  com  
ela,  a  precipitação  e  os  escoamentos  
superficiais.  Em  áreas  adjacentes,  as  
variações  do  ciclo  podem  ser  
totalmente  diferentes.
São  precisamente  nesses  casos  
extremos,  de  inundações e  secas,  
que  frequentemente  maior  interessa  
ao  hidrólogo.  
22
HIDRÁULICA  APLICADA  &  HIDROLOGIA
GRHIP Prof.  Luciene   Pimentel  da  Silva
Grupo  de  Estudos  de  Hidrologia  &
Planejamento  de  Recursos  Hídricos Prof.  Alfredo  Akira  Ohnuma  Jr.

Ações  de  preservação  ambiental  dos  recursos  


naturais  em  áreas  densamente  urbanizadas:  
uso  e  ocupação  do  solo  e  água.

ü redução  da  parcela  que  atinge  diretamente  a  superfície  


do  solo  pela  manutenção  de  uma  cobertura  vegetal
adequada   ao  solo  e  relevo  existentes;;  
ü redução  do  escoamento  superficial  direto (cobertura  
vegetal,  práticas  conservacionistas  mecânicas  e  
vegetativas);;  
ü aumento  da  parcela  de  água  que  infiltra (pelo  
aumento  do  tempo  de  concentração  da  água  na  
superfície  para  que  a  infiltração  se  processe).  

23