Você está na página 1de 2

1536, Igreja Presbiteriana, Suiça, João Calvino x O Arminianismo recebeu este nome por

causa de Jacobus Arminius, teólogo holandês que viveu de 1560 a 1609. Adeptos Metodistas,
Batistas, Congregacionistas.

Presbiteriana Arminianismo

Sustenta depravação total do Depravação parcial (para os não


homem clássicos)

Ser humano incapaz de se Esses aspectos são contaminados pelo


aproximar de Deus por suas pecado, mas não ao ponto de privar o
próprias vontades, o pecado é algo ser humano de se colocar diante de
corrompe cada aspecto da Deus pela Fé. Embora o armianismo
humanidade clássico rejeita a depravação parcial, se
mantém próxima da visão depravação
total

Defende eleição incondicional, Defende a eleição condicional, pois a


Deus elege a pessoa para sua pessoa é elegida por pré-ciência que terá
salvação, segunda a vontade de a oportunidade de crer em Cristo para a
Deus. Uma vez eleito, eleito. salvação. Predestinação Condicional.
Predestinação Absoluta.

Defende expiação limitada. Jesus Defende a expiação ilimitada. Jesus


morreu apenas para os eleitos. morreu por todos. Essa morte terá efeito
quando a pessoa crer.

Defende a graça irresistível. Se Acreditam que a pessoa pode resistir a


alguém é chamado para salvação, graça da salvação. Deus chama a todos
será salva inevitavelmente. para a salvação. Defende graça
resistível, isto é, a pessoa pode rejeitar o
chamado.

Defende a perseverança dos A “salvação condicional” é a visão de que


santos, a pessoa que é eleita por um crente em Cristo pode, por seu livre
Deus irá perseverar em fé e nunca arbítrio, se desviar de Cristo e, assim,
negará a Cristo ou se desviar Dele perder a salvação. Observação: Muitos
arminianos negam a "salvação
condicional" e, em vez disso, adotam a
"segurança eterna".

Deus não determina ninguém para perdição


2 Pedro 3. 9O Senhor não retarda o
cumprimento de sua promessa, como
alguns pensam, mas usa da paciência
para convosco. Não quer que alguém
pereça; ao contrário, quer que todos se
arrependam.

Contrário ao pensamento de Calvino. A


chave é que Deus quer que todos se
arrependam, então não há como
corroborar com “eleitos” ou que há
“predestinados para a salvação.”