Você está na página 1de 12

Terceira Edição

CAPÍTULO RESISTÊNCIA DOS


MATERIAIS
Ferdinand P. Beer
E. Russell Johnston, Jr.

Torção em
Seções Circulares
Resistência dos Materiais

Capítulo 3 – Torção em Seções Circulares

3.1 – Introdução
3.2 – Análise Preliminar das Tensões
3.3 – Deformações em Eixos Circulares
3.4 – Tensões no Regime Elástico
3.5 – Ângulo de Torção no Regime Elástico
3.6 – Projeto de Eixo de Transmissão

3- 2
Resistência dos Materiais
3.1 - Introdução
• Estudo das tensões e deformações de
estruturas de seção transversal circular
sujeitos à ação de conjugados ou torques;

• Exemplo: “eixos de transmissão”.


 A turbina exerce um torque T no eixo;
 O eixo transmite o torque no gerador;
 O gerador cria um torque igual e oposto T’,
chamado momento torçor.

Efeitos da torção:
• tensões de cisalhamento nas diversas seções transversais do eixo;
• deslocamento angular de uma seção transversal em relação à outra.

3- 3
Resistência dos Materiais

3.2 – Análise Preliminar das Tensões


• Resultante na seção de corte C:

T    dF     dA

• A resultante do torque é conhecida, mas a


distribuição das tensões ainda não o é.

• A determinação da distribuição das tensões de


cisalhamento é estaticamente indeterminada,
deve-se considerar as deformações do eixo
para a sua solução.

• A distribuição das tensões de cisalhamento


devido ao torque não é uniforme.

3- 4
Resistência dos Materiais
3.2 – Análise Preliminar das Tensões

• O torque aplicado na barra circular produz


tensões de cisalhamento nas faces
perpendiculares ao eixo axial.

• As condições de equilíbrio requerem a


existência de tensões iguais nas faces dos
dois planos que contêm o eixo da barra.

• A existência destas tensões pode ser


demonstrada, considerando que a barra é
feita de tiras axiais, conforme figura ao
lado.

• Uma lâmina desliza com relação a outra


quando torques iguais e opostos são
aplicados nas extremidades do eixo.
3- 5
Resistência dos Materiais

3.3 – Deformações em Eixos Circulares


• O ângulo de torção do eixo é proporcional ao
torque aplicado e ao comprimento do eixo.

 T
L

• O eixo circular é axissimétrico


 Toda seção circular do eixo permanece
plana e sem distorção quando a torção é
aplicada.

• Seções transversais de eixos não-circulares


são distorcidas quando sujeitas a torção.

3- 6
Resistência dos Materiais
3.3 – Deformações em Eixos Circulares

• Considere um elemento no interior de uma


seção de um eixo, submetido a um torque T.

• Desde que a extremidade do elemento


permanece plana, a deformação de
cisalhamento é proporcional ao ângulo de
torção.

 Então: 
AA  L e 
AA  

L   ou  
L
 Logo, a deformação de cisalhamento máxima
c 
será:
 max  e    max
L c
3- 7
Resistência dos Materiais

3.4 – Tensões no Regime Elástico


• Pela lei de Hooke para o cisalhamento,

  c1
  G  G max   max   min   max
c c c2
A tensão de cisalhamento varia linearmente com a
distância radial na seção.
J  12  c 4 • Como a soma dos momentos internos causados pela
tensão de cisalhamento deve ser igual ao torque
externo,
 
T    dA  max   2 dA  max J
c c
• Os resultados são conhecidos como fórmulas de
torção elástica,

J  12  c 24  c14  Tc Tc
 max  2 , min  1 e   
T
J J J
3- 8
Resistência dos Materiais
Exemplo 3.1

Para o eixo vazado de aço, determinar: (a) o maior momento de


torção T que pode ser aplicado para que as tensões de cisalhamento
não excedam 120 MPa; (b) o valor mínimo da tensão de
cisalhamento para resposta do item (a).

3- 9
Resistência dos Materiais

Tensões em Planos Ortogonais ao Eixo


• Elementos com faces perpendiculares e
paralelas ao eixo axial, estão submetidas a
cisalhamento puro.
• Para outras orientações tensões normais e
tensões de cisalhamento são encontradas.

• Considere um elemento a 45o do eixo axial,


F  2 max A0  cos 45   max A0 2
F  max A0 2
 45o     max
A A0 2

• a - cisalhamento puro.

• c - tração em duas faces e a compressão


nas outras duas.

3 - 10
Resistência dos Materiais
Falhas sob torção

• Materiais dúcteis geralmente falham


por cisalhamento. Materiais frágeis
são menos resistentes à tração (tensão
normal) que ao cisalhamento.
Tensões de tração e
compressão
Cisalhamento puro
• Quando submetidos a torção:
 os materiais dúcteis rompem no
plano de tensão de cisalhamento
máxima (perpendicular ao eixo
axial).
 os materiais frágeis rompem em
um plano que forma 45o com
eixo axial, isto é, o plano onde
ocorre a tensão normal máxima.
3 - 11
Resistência dos Materiais

Exemplo 3.2
O eixo BC é oco com diâmetro interno de 90 mm e diâmetro externo de
120 mm. Os eixos AB e CD são cheios e de diâmetro d. Para o
carregamento mostrado, determine:
(a) as tensões de cisalhamento mínima e máxima no eixo BC;
(b) o diâmetro d necessário para os eixos AB e CD, se a tensão
admissível ao cisalhamento para o material do eixo é de 65 MPa.

3 - 12
Resistência dos Materiais
Exemplo 3.3
O projeto preliminar de um eixo de transmissão levou à escolha de uma
barra de seção vazada, com diâmetro interno de 100 mm e diâmetro
externo de 150 mm. Pede-se determinar o máximo torque que poderá
ser transmitido, sendo a tensão admissível do material 83 MPa, nas
seguintes situações: (a) do projeto preliminar; (b) supondo um eixo
sólido maciço de mesmo peso daquele do anteprojeto.

3 - 13
Resistência dos Materiais

3.5 – Ângulo de Torção no Regime Elástico


• Sabemos que o ângulo de torção e a
deformação de cisalhamento estão relacionadas
por: c
 max 
L
• Pela lei de Hooke para o cisalhamento:
 Tc
 max  max 
G JG
• Igualando as equações e resolvendo para o
ângulo de torção, encontramos:
TL

JG
• Se o torque, a seção, o material ou o compri-
mento variam ao longo do eixo:
Ti Li
 
i J i Gi

3 - 14
Resistência dos Materiais
Exemplo 3.4

Determine o valor do momento de torção que deve ser aplicado à


extremidade do eixo circular mostrado de modo que o ângulo de
torção produzido seja de 2º. Dado: G = 80 GPa.

3 - 15
Resistência dos Materiais

Exemplo 3.5

Para o eixo de seção vazada cujo material tem G = 80 GPa, calcular


o valor do ângulo de torção que provoca uma tensão de
cisalhamento de 70 MPa na face interna do eixo.

3 - 16
Resistência dos Materiais
Eixos Estaticamente Indeterminados
• São aqueles, onde o número de incógnitas a
encontrar é maior que o número de equações
da estática aplicáveis.
• Ex: Dado o eixo da figura, desejamos
determinar os torque reativos em A e B.
• Da análise do diagrama de corpo livre do
eixo: TA  TB  90 lb  ft (1)
• Dividindo o eixo em duas partes, as quais
precisam ter compatibilidade de deformações,
TA L1 TB L2 LJ
  1  2   0 TB  1 2 TA
J1G J 2G L2 J1
• Substituindo na equação de equilíbrio,
LJ
TA  1 2 TA  90 lb  ft (2)
L2 J1
3 - 17
Resistência dos Materiais

Exemplo 3.6
Dois eixos sólidos de aço são conectados por engrenagens. Sabendo
que o material dos eixos tem G = 11,2 x 106 psi e tensão admissível
ao cisalhamento de 8 ksi, determine: (a) o torque máximo T0 que
pode ser aplicado em A; (b) o correspondente ângulo de torção em A.

3 - 18
Resistência dos Materiais
SOLUÇÃO:
• Análise de equilíbrio estático nos dois • Análise da cinemática para relacionar
eixos para encontrar uma relação a rotação angular das engrenagens.
entre TCD e T0 .

rBB  rCC
M B  0  F  0,875in.  T0
B 
rC
C 
2, 45in.
C
M C  0  F  2, 45in.  TCD rB 0,875in.
TCD  2,8 T0 B  2,8C

3 - 19
Resistência dos Materiais

SOLUÇÃO:
(a) Encontre T0 para a tensão máxima admissível em cada eixo – escolha o menor
deles.
• Eixo AB:
TAB c T  0.375in.
 max  8000 psi  0
2  0.375in.
 4
J AB
T0  663lb  in

• Eixo CD
TCD c 2.8 T0  0.5in.
 max  8000 psi 
 
 4
J CD 2 0.5in.
T0  561lb  in

• O menor valor: T0  561lb  in

3 - 20
Resistência dos Materiais
SOLUÇÃO:
(b) Encontre o ângulo de torção em cada eixo e a rotação da extremidade A.

• Eixo AB:

 A/ B 
TAB L

 561lb  in. 24in.
2  0.375in. 11.2  10 psi 
 4 6
J AB G
 0.387 rad  2.22o

• Eixo CD
TCD L 2.8  561lb  in. 36in.
C / D  
J CD G 2  0.5in.4 11.2  106 psi 
 0.514 rad  2.95o
• Partindo do ponto D
fixo:
D  0 B  2.8C  2.8  2.95o   8.26o
 A  10.48o
C  C / D  2.95o  A  B   A/ B  8.26  2.22
o o

3 - 21
Resistência dos Materiais

3.6 – Projeto de Eixo de Transmissão


• O projeto de eixos de transmissão (árvores) baseia-se na Potência
transmitida e na Velocidade de rotação do eixo.
• O projetista precisa selecionar o material e calcular adequadamente a
seção do eixo, sem que exceda a tensão admissível do material e o ângulo
de torção máximo permitido para a aplicação.
• A seção do eixo é encontrada,
igualando-se a tensão máxima à
• O torque aplicado é uma função tensão admissível do material,
da potência e da velocidade de
rotação, Tc 
max   c  max J
J T
P  T   2 f T  W  J  3 T
 c   eixo sólido 
P P max
T   N.m c 2
 2 f  4 4
J

c2 2c2
 c2  c1  
T
max
 eixo oco 

3 - 22
Resistência dos Materiais
Exemplo 3.7

Determinar o diâmetro que deve ser usado para o eixo do rotor de


uma máquina de 5 hp, operando a 3600 rpm, se a tensão de
cisalhamento não pode exceder 59 MPa.

Exemplo 3.8

Um eixo é construído por um tubo de aço de 50 mm de diâmetro


externo e deve transmitir 100 kW de potência a uma frequência de
20 Hz. Determinar a espessura do tubo para que a tensão máxima
de cisalhamento não exceda 60 MPa.

3 - 23
Resistência dos Materiais

3 - 24