Você está na página 1de 20

SATC – ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DA INDÚSTRIA CARBONÍFERA DE SANTA CATARINA

Plano de Aula - Aprendizagem Baseada em Problema


CURSO: Engenharia Mecânica
DISCIPLINA: Máquina de Fluxo CARGA HORÁRIA: 35 horas
PERÍODO: 2018-2
PROFESSOR: Elvys Mercado Curi _ 2018B

ABP – Máquina de Fluxo

PROBLEMA: O tema é sobre instalação de dois bombas hidráulica para abastecer com agua a 4 prédios.

Seleção da bomba de água


Válvula de globo aberto
Normas de referência: ∆

NBR 5626:1998 - Instalação predial de água fria;


NBR 12214:1992 Projeto de sistema de bombeamento de
água para abastecimento público;

1 andar + 1,2 m
NBR 13714 Sistemas de hidrantes e de mangotinhos para
combate a incêndio.

A figura 1 mostra um exemplo da instalação de uma bomba

Número de andares + térreo + 1 andar + 1,2 m


de 6 andares, com 4 apartamentos em cada andar e 3
dormitórios, assume-se que no térreo não há morador e em
cada apartamento moram 5 pessoas. No desenho mostra-
se o reservatório inferior e superior, os principais
elementos de conexão das tubulações da bomba são
mostrados para considerar as perdas de carga assim como
as medidas de cada andar e acima do prédio onde se
Número de andares + térreo

Registro de Gaveta
instala o reservatório superior. União soldável
Válvula de Retenção Luva de redução soldável
Curva de 90° 1m
Manômetro Redutor
1,2 m
Motor elétrico Flange
Bomba hidráulica
3m 1m
Curva de
90° 0,4 m
3m


Válvula de globo aberto Redutor
3m
Flange
= + s
Válvula
3m
= ℎ + ∆ℎ de Pé
Crivo
= ℎ + ∆ℎ

3m Figura 2 – Desenho da instalação da bomba


é a altura manométrica total;
é a altura de sução total;
3m
é a altura de recalque total;
ℎ é a altura de sução;
Registro de globo 3m ℎ é a altura de recalque;
aberto
Registro de
∆ℎ é a perda de carga no sução;
retenção Curva de 90°
1m
∆ℎ é a perda de carga no recalque.
3m
0,7 m Tabela 1.1 - Alturas de sução e recalque da bomba (m)
∆ ∆
Válvula de pé e crivo 0,7 Calcular ∆ℎ + ℎ Calcular Calcular ∆ℎ + ℎ +
Figura 1 - Exemplo de um dos prédios de 6 andares para Tabela 1.2 – Dimensões da tubulação de sução da bomba (m)
abastecer agua instalando uma bomba hidráulica.
0,3 0,4 Tabela de diâmetro de curva Calcular 0,4
A Fig. 2 mostra a instalação da bomba e seus respectivos Tabela 1.3 – Dimensões da tubulação de recalque da bomba (m)
componentes. As dimensões dependem das dimensões da
Fig. 1 e da tabela 1. 0,5 Calcular Tabela de diâmetro de curva Calcular Calcular Calcular
1. Consumo diário nas edificações 2. Reserva de água fria
Na ausência de informação, o cálculo do consumo diário De acordo com NBR 5626, o volume de água reservado
de uma edificação, utilizam-se tabelas apropriadas: * para uso doméstico deve ser, no mínimo, o necessário
verifica-se a taxa de ocupação de acordo com o tipo de para 24 horas de consumo normal no edifício, sem
uso do edifício e o consumo por pessoa (per capita). A considerar o volume de água para combate a incêndio.
tabela 3 mostra uma relação de consumo por prédio. O A Norma NBR 5626/98 estabelece que o volume total a ser
consumo diário (Cd) pode ser calculado pela seguinte armazenado não deve ser inferior a uma vez o Cd e nem
fórmula: superior a três vezes. Usualmente o valor de
= × (1) armazenamento para projetos é de 2 vezes o Cd, porém a
SANEPAR recomenda a utilização do máximo
Onde: estabelecido pela norma, ou seja 3 vezes o Cd. Do volume
Cd é o consumo diário (litros/dia); total 2/5 (40%) devem ser armazenados no reservatório
P é a população que ocupará a edificação e superior e 3/5 (60%) no inferior (cisterna),
q é o consumo por pessoa (litros/dia). quando da existência do mesmo.
Fonte apostila Sistemas Prediais Hidráulico-Sanitários - ÁGUA
Tabela 2 - Consumo predial diário (valores indicativos). FRIA. Prof. SELMA CUBAS. Departamento de Hidráulica e
Prédio Consumo q (litros/dia) Saneamento (DHS), Univers. Federal do Paraná, (2017)
Alojamento provisório 80 por pessoa
Ambulatórios 25 por pessoa 3. Capacidade dos reservatórios
Apartamentos 200 por pessoa A capacidade calculada refere-se a um dia de consumo.
Casas populares ou rurais 150 por pessoa Tendo em vista a intermitência do abastecimento da rede
Cavalariças 100 por cavalo pública, é recomendável dimensionar reservatórios com
Cinemas e teatros 2 por lugar
Creches 50 por pessoa
capacidade suficiente para dois dias de consumo.
Edifícios públicos ou comerciais 50 por pessoa CR = 2 × Cd (3)
Escolas (externatos) 50 por pessoa
Escolas (internatos) 150 por pessoa Onde:
Escolas (semi-internato) 100 por pessoa
CR é a capacidade total do reservatório (litros)
Escritórios 50 por pessoa
Garagens e posto de serviço 50 por automóvel/200 por Cd é o consumo diário (litros/dia)
caminhão
Hotéis(sem cozinha nem lavanderia) 120 por hóspede 3.1. Reserva técnica (rt)
Hotéis (com cozinha e lavanderia) 250 por hóspede A Reserva técnica se calcula seguindo as recomendações
Indústrias – uso pessoal 80 por operário
Indústrias – com restaurante 100 por operário da norma NBR 13714, usando a tabela 3 e 4 para cada
Jardins (rega) 1,5 por m² caso.
Lavanderias 30 por kg de roupa seca Para qualquer sistema de hidrante ou de mangotinho, o
Matadouro – animais de grande porte 300 por animal abatido
volume mínimo de água da reserva de incêndio deve ser
Matadouro – animais de pequeno porte 150 por animal abatido
Mercados 5 por m² de área determinado conforme indicado:
Oficinas de costura 50 por pessoa = . (4)
Orfanatos, asilos, berçários 150 por pessoa
Piscinas – lâmina de água 2,5 cm por dia Onde:
Postos de serviços para automóveis 150 por veículo
Quartéis 150 por pessoa Qr é a vazão de duas saídas do sistema aplicado,
Residência popular 150 por pessoa conforme a tabela seguinte, em litros por minuto;
Residência de padrão médio 200 por pessoa tr é o tempo de 60 min para sistemas dos tipos 1 e 2, e de
Residência de padrão luxo 250 por pessoa
30 min para sistema do tipo 3;
Restaurantes e outros similares 25 por refeição
Templos 2 por lugar Vr é o volume da reserva, em litros.
Obs.: Os valores são apenas indicativos, devendo ser verificada a
Tabela 3 - Tipos de sistemas
experiência local com os consumos reais e outros dados relativos.
Fonte: Roberto de Carvalho Júnior, Instalações Hidráulicas e o Projeto
de Arquitetura, Editora Edgard Blücher Ltda. 2013.

1.1. Cálculo do número de pessoas:


= . . / (2)

Onde:
é o número de andares no prédio;
é o número de apartamentos por andar;
/ é o a média de número de pessoas que mora em
cada apartamento.
 As vazões da tabela 3 correspondem a esguichos tipo 6. Volume dos reservatórios
regulável na posição de maior vazão para sistema tipo Para os casos comuns de reservatórios domiciliares,
1, jato compacto de 16 mm para sistema tipo 2 e jato recomenda-se a seguinte distribuição, a partir do valor do
compacto de 25 mm para sistema tipo 3. reservatório total (CR):
 Para o sistema tipo 1 a mangueira semi-rígida deve – Volume do reservatório inferior: 60% CR:
estar na posição enrolada. = 0,6 (5)
çã

Para cada ponto de hidrante ou de mangotinho, são − Volume do reservatório superior: 40% CR.
obrigatórios os materiais descritos na tabela 4. çã = 0,4 + (6)
Tabela 4 – Componentes para cada hidrante simples ou Esses valores são fixados para aliviar a carga da estrutura,
mangotinho pois a maior reserva (60%) fica no reservatório inferior,
próximo ao solo. A reserva de incêndio, usualmente, é
colocada no reservatório superior, que deve ter sua
capacidade aumentada para comportar o volume referente
à reserva técnica.
Os tanques são separados geralmente em 4, sendo 2 na
parte inferior do prédio, que servem para o
Para a seleção da mangueira e o tipo de saída e engate se armazenamento, e 2 na parte superior que fazem a
realiza um estudo de custo e benefício. distribuição de água para cada andar. Os Tanques
superiores são abastecidos através de uma bomba que
4. Tipos de reservatório joga água do tanque inferior para o superior.
A quantidade de água deve estar de acordo com o projeto,
Ex. 1: Um prédio de 6 andares tem 4 apartamentos por
assegurando a reserva de emergência e de incêndio nas
andar que dispõe de 3 dormitórios cada o permite ter a
células instaladas dentro do reservatório.
média de 5 pessoas por apartamento. Para estes dados
Os reservatórios de concreto devem ser executados de determine:
acordo com a NBR 6118 - Projeto de Estruturas de
a) a quantidade de pessoas que moram no prédio.
Concreto - Procedimento. Para Impermeabilização -
Seleção e Projeto, se deve consultar a NBR 9575. b) O consumo por dia no prédio
NBR 5626 Toda a tubulação que abastece o reservatório c) Volume mínimo do reservatório;
deve ser equipada com torneira de bóia, ou qualquer outro d) Volume de reserva técnica.
dispositivo com o mesmo efeito no controle da entrada da e) Volume de um compartimento do reservatório de sução
água e manutenção do nível desejado. O dispositivo de e de recalque em litro e m³.
controle da entrada deve ser adequado para cada
aplicação, considerando a pressão de abastecimento da Solução:
água. Quando uma torneira de bóia é usada ela deve estar 1.1 Cálculo do número de pessoas no prédio:
conforme a NBR 10137 = . . /
As instalações elevatórias devem possuir no mínimo duas = 6 × 4 × 5 → = 120 Rta a)
unidades de elevação de pressão, independentes, com
vistas a garantir o abastecimento de água no caso de falha 1.2 Cálculo do consumo por dia:
de uma das unidades. = . → = 120 × 200 → = 24000 /
A Fig. 3 apresenta um reservatório com as tubulações de = → = 24
entrada e saída que condiciona uma parte para o uso
doméstico no nível do tubo e outra na parte inferior do 1.3 Cálculo da quantidade total de água a ser armazenada:
tanque para o uso da reserva. = 2 × → = 2 × 24000 → = 48000 /
= → = 48

1.4 Cálculo do volume da reserva técnica:


Se o esguicho é regulável do tipo 1, temos:
Qr = 100 l/min; tr = 60 min e Eq. (4)
= . → = 100 × 60 → = 6000
= → =6

1.5 Volume total do reservatório:


= + → = 48000 + 6000 → = 54000

Fig. 3 - Reservatório de concreto moldado in loco (no local) = → = 54


1.6 Cálculo de um dos reservatórios de sução: é o tempo de funcionamento da bomba (h).
, . , ×
çã = → çã =
A vazão da bomba em sução e em recalque é a mesma e
çã = 14400 → çã = depende da velocidade e o diâmetro da tubulação:
.
çã = 14,400 = . (8)
.
1.7 Cálculo de um dos reservatórios de recalque: = . (9)
Neste se considera o volume de reserva
, , ×
Onde:
= → =
é a velocidade na tubulação de recalque;
= 12600 → = → = 12,6 é o diâmetro da tubulação de recalque;
é a velocidade na tubulação de sução;
A Fig. 4 mostra um desenho dos reservatórios
é o diâmetro da tubulação de sução;

8. Velocidade máxima da água


A NBR 5626 recomenda que as tubulações sejam dimen-
sionadas de modo que a velocidade da água, em qualquer
trecho, não ultrapasse valores superiores a 3 m/s.
Acima desse valor, ocorre um ruído desagradável na
tubulação, devido à vibração das paredes ocasionada
Fig. 4 - Exemplo de reservatórios pela ação do escoamento da água. A tabela 5 apresenta
a condição limite de velocidade do fluído.
Um componente usado nas instalações prediais de água
fria pode ser fabricado com materiais distintos (por Tabela 5. Velocidade limite
exemplo, caixas de descarga em material plástico ou em Funcionamento Sução Recalque
fibrocimento (cimento amianto). Independentemente do Velocidade <3 / <3 /
material com o qual sejam fabricados, os componentes
abaixo listados devem obedecer às respectivas normas: 9. Diâmetro econômico de descarga ou recalque (dr)
a) caixa de descarga........................ NBR 11852; Esse é o encanamento que irá descarregar a vazão da
bomba, ou seja, é por onde a água será enviada até
b) chuveiro elétrico .......................... NBR 12483;
chegar nos tanques superiores. Se aplica a fórmula da
c) hidrômetros .................................. NBR 8193;
ABNT (NBR-5626/1998). Recomendada para
d) torneira de bóia ............................ NBR 10137; funcionamento intermitente ou não contínuo:
e) torneira de pressão ...................... NBR 10281;
f) válvula de descarga ...................... NBR 12904. = 1,3. .( ) (10)

O reservatório para água potável não deve ser apoiado no Onde


solo, ou ser enterrado total ou parcialmente, tendo em é o diâmetro interior do tubo de descarga (m);
vista o risco de contaminação proveniente do solo, face à é a vazão da bomba (m3/s);
permeabilidade das paredes do reservatório ou qualquer X é o número de horas de funcionamento diário
falha que implique a perda da estanqueidade. Nos casos Fonte: Damião Justino, Élcio Nogueira. Dimensionamento do
em que tal exigência seja impossível de ser atendida, o Sistema de Recalque para abastecimento de água da
reservatório deve ser executado dentro de compartimento comunidade de Macundú, distrito de São João Marcos,
município de Rio Claro, Rio de Janeiro. Cadernos UniFOA
próprio, que permita operações de inspeção e
Edição nº 18 - Abril/2012.
manutenção, devendo haver um afastamento, mínimo, de
60 cm entre as faces externas do reservatório (laterais, 9.1 Tempo de consumo por dia ou relação X:
fundo e cobertura) e as faces internas do compartimento. Leva em conta o tempo de funcionamento por dia ( )
7. Vazão da bomba (Qb) e número de vezes que funciona a bomba durante o dia
( ) em 24 h de funcionamento.
A vazão é calculada pelo quociente do volume total de
.
consumo diário com o tempo de funcionamento da bomba. = (11)
= (7) Onde:
.

X é o valor do tempo em um dia de funcionamento da


Onde:
bomba (h/dia).
é a vazão da bomba;
í é número de vezes que funciona em 1 dia (24 h).
é o consumo por dia;
é o tempo de funcionamento da bomba (h)
é o número de vezes que funciona a bomba em 1 dia.
10. Diâmetro econômico e velocidade econômica Tabela 9 - Velocidade econômica em regime turbulento
Considera a viscosidade absoluta ou dinâmica e a Escoamento Turbulento em função de densidade
densidade para um regime de escoamento específico. A ρ (kg/m3) 12 800 1000 1200
velocidade varia em função da densidade, quando o v (m/s) 3,2 - 4,0 1,6 - 2,0 1,0 - 1,6 0,79 - 1,0
escoamento é turbulento e da viscosidade, quando o
escoamento é laminar. As propriedades da agua são afetados pela temperatura.
Valores de velocidade econômica para tubos com Na tabela 10 se mostra valores de viscosidade e
diâmetro igual ou inferior a 4 polegadas são mostrados na densidade.
tabela 6 e 7.
Tabela 10 - Propriedades da agua
Tabela 6 - Velocidade econômica em regime laminar. Temperatura °C 20 40 60 80 100
Escoamento Laminar em função da Viscosidade μ (cP ou mPa.s) 1,002 0,653 0,466 0,354 0,282
óleo Líquido viscoso ρ (kg/m3) 998,2 992,2 983,2 971,8 958,4
μ (cP ou mPa.s) 10 100 1000
11. Dimensões comerciáveis de tubos de PVC
v (m/s) 1 0,3 - 0,8 0,1 - 0,24
Catálogo de dimensões dos tubos da empresa Tigre, o
Tabela 7 - Velocidade econômica em regime turbulento dimensionamento é mostrado na Figura 5 seus valores
para tubos de 3 m na tabela 11 e para tubos de 6 m de
Escoamento Turbulento em função de densidade
comprimento na tabela 12.
ρ (kg/m3) 0,12 1,2 12 800 1200
v (m/s) 12,5 - 15,5 5,5 - 7,7 3,2 - 4,0 1,6 - 2,0 0,79 - 1,0 B

e
O diâmetro que corresponde â velocidade se calcula com D
a eq. (8) ou (9)
L
= (12)
.

Figura 5. Dimensionamento dos Tubos Soldáveis


Onde:
é o diâmetro econômico de recalque. Tabela 11 - Dimensões dos tubos solváveis de 3 m de
é a velocidade econômica selecionada da tabela 5 o 6. comprimento
Dados Dimensões (mm)
Fonte: Prof. Felipe Corrêa, apostila da disciplina de Cotas 20 25 32 40 50 60
Fenômenos de Transporte: Diâmetro Econômico B 32 32 32 40 50 60
maio/2016. D 20 25 32 40 50 60
e 1,5 1,7 2,1 2,4 3,0 3,3
O tipo de escoamento se determina com a equação de
L 3000 3000 3000 3000 3000 3000
Reynolds (13) e a tabela 8.
Código 10121744 10121787 10121817 10121841 10121876 10121906
. .
= (13)
Tabela 12 - Dimensões dos tubos solváveis de 6 m de
Onde: comprimento
é o número de Reynolds; Dados
Dimensões (mm)
é o diâmetro interno do tubo (m); Cotas 20 25 32 40 50 60 75 85 110
é a densidade do fluído (kg/m3); B 32 32 32 40 50 60 70 77 91
é a viscosidade dinâmica (Pa.s). D 20 25 32 40 50 60 75 85 110
e 1,5 1,7 2,1 2,4 3,0 3,3 4,2 4,7 6,1
Tabela 8 - Regime de escoamento e número de Reynolds L 6000 6000 6000 6000 6000 6000 6000 6000 6000
Código 10120209 10120250 10120322 10120403 10120500 10120608 10120756 10120853 10121035
Laminar Turbulento
Laminar Transição 11.1 Diâmetro interno
Re > 4000
Re ≤ 2000 2000 < Re ≤ 4000
Os dados da tabela do catálogo de tubos fornecem o
Interpola-se a tabela 6 para determinar valores de diâmetro exterior (D) e a espessura interior (e), o cálculo
velocidade econômica para a densidade da agua em do diâmetro interno é:
escoamento turbulento. Os valores da interpolação são
= −2 (14)
mostrados na tabela 9.

d
12 Dimensões comerciáveis de curvas de PVC Para = 1; = 6 ℎ e Eq. (11) temos:
Catálogo de dimensões das curvas da empresa Tigre, o =
.
→ =
×
→ = 0,25
dimensionamento é mostrado na Fig. 6, seus valores na
tabela 13. Realmente recomenda-se: ≤ 0,25. Rta a)
Curva de 90° soldável 1.9 Cálculo da vazão da bomba
= 6ℎ → = 6 × 3600 → = 21600
Para = 1; = 18600 e Eq. (7) temos:
= → = → = 0,0011 / Rta b)
.

1.10 Cálculo do diâmetro e econômico de recalque:


Para = 0,25 ; = 0,00111 / e Eq. (10)

= 1,3. .( ) → = 1,3. √0,00111 × (0,25)


Figura 6. Dimensões dos Curvas de 90° Soldáveis
= 0,0306 → = 30,6
Tabela 13 - Diâmetro das curvas.
1.11 Cálculo dos diâmetros interiores do tubo de PVC:
Dados Dimensões (mm)
Na última linha da tabela 14 foi calculado o diâmetro
Cotas 20 25 32 40 50 60 75 85 110
A 56 68,5 86 106 131 156 175 245 300 interior (di) da lista de diâmetros que se dispõe
D 20 25 32 40 50 60 75 85 110 comercialmente do catálogo da tabela 10, usando a Eq.
R 40 56,3 64 90,55 110,45 135,83 117,5 112 131 (14)
Código 22120204 22120255 22120328 22120409 22120506 22120603 22120751 22120859 22121030
= −2

13. Diâmetro de sucção (ds e Ds) Tabela 14 - Dimensões dos tubos de 6 m


A sucção é a parte do encanamento que fica antes da Dados Dimensões (mm)
bomba. O cálculo de maneira prática é o diâmetro de Cotas 20 25 32 40 50 60 75 85 110
recalque mais 10mm.
D 20 25 32 40 50 60 75 85 110
Com o valor do diâmetro interno: e 1,5 1,7 2,1 2,4 3,0 3,3 4,2 4,7 6,1
= + 10 (15)
di 17 21,6 27,8 35,2 44 53,4 66,6 75,6 97,8
Ou com o valor do diâmetro externo:
= + 10 (16) 1.12 Seleção do diâmetro interior e exterior do tubo para
o recalque:
Ex. 2: Se requer instalar uma bomba que subministre A seleção do diâmetro do tubo em função do diâmetro de
agua aos reservatórios de 4 prédios, considerando os recalque calculado se realiza considerando:
dados do Ex. 1 e 2, ou seja que cada prédio é de 6 andares ≤ sempre que <3 /
tem 4 apartamentos por andar e cada um dispõe de 3 = 30,6
dormitórios, com 5 pessoas por apartamento. A
temperatura da agua é 20 °C. Determine: Da tabela de dados de diâmetro temos:
a) O valor da relação X; = 35,2 → = 40
b) A vazão da bomba para preencher no reservatório o 1.13 Cálculo da velocidade na tubulação de recalque:
consumo de um dia
Para = 0,00111 / ; = 0,0352 e Eq. (8):
c) O diâmetro de recalque econômico. . . × ,
= . → = → =
d) O diâmetro interior e exterior do tubo a ser usados no . ×( , )

recalque e no sução = 1,14 /


e) A velocidade de sução e de recalque do fluído; < 3 / Por tanto, satisfaz a condição da norma NBR
5626 (ABNT) apresentado na tabela 4.
Solução:
1.8 Cálculo do tempo de consumo por dia: 1.14 Cálculo do número de Reynolds
Se uma bomba teria que subministrar o fluido nos As propriedades da agua na temperatura de ambiente de
reservatórios em um dia (24 h) o recomendável seria que 20 °C são extraídos da tabela 9
a bomba funcione 1 vez cada 6 horas como tempo = 998,2 / = 1,002 × 10 .
máximo, durante um dia ou também 2 vezes cada 3 horas. Para = 0,0352 ; = 1,14 / e Eq. (13)
= → = → = 6ℎ . . , × , × ,
= → = , ×
→ = 40038,222
Da tabela 7 se observa que se Re > 4000 o escoamento
Curva de 90° 1m
é turbulento. A tabela 8 mostra que para a densidade
1,2 m
próxima de = 1000 / a velocidade econômica
estaria compreendido de 1 a 1,6 m/s. 3m 1m
Por tanto pelos dois métodos se tem um resultado Curva de
satisfatório do diâmetro de recalque econômico no valor 90°
3m
de = 0,0352 .. Rta c)

1.15 Cálculo do diâmetro de sucção


3m
O cálculo prático é o diâmetro de recalque mais 10 mm.
= + 10 ou = + 10
3m
= + 10 → = 35,2 + 10 → = 45,2
44 < 45,2 < 53,4 do catálogo de tubos:
3m
= + 10 → = 40 + 10 → = 50
1.16 Cálculo da velocidade na tubulação de sução:
. 3m
= Com o diâmetro de sução Eq. (9)
.

Avaliando diâmetros em função da velocidade econômica. Registro de globo 3m


aberto
Registro de
= 44 e = 50 = 53,4 e = 60 retenção Curva de 90°
× , × , 1m
= )
= )
3m
×( , ×( ,
0,7 m
= 0,7307 / = 0,4961 /
Válvula de pé e crivo
Velocidade pouco afastada Velocidade afastada da
da velocidade econômica velocidade econômica Figura 11 - Exemplo de um dos prédios de 6 andares
para abastecer agua instalando uma bomba hidráulica.
Pela velocidade mais próxima a 1 m/s o diâmetro interior
seria = 44 e = 44 13. Determinação do ponto de funcionamento:
Para determinar o ponto de funcionamento do gerador de
Este valor pode ser melhorado se for assumido um tempo
fluxo em uma instalação, é necessário:
menor a 6 h no tempo de funcionamento, aproximando a
1,6 m/s a velocidade do diâmetro de recalque e a 1 m/s a  Conhecer a energia que a máquina será capaz de
velocidade de sução. A justificação é que ≤ 6. fornecer.
 Saber qual será a energia requerida pelo sistema
1.17. Recalculando os valores de tempo de onde a máquina está instalada para recalcar uma
funcionamento, X, vazão da bomba Qb, diâmetro determinada vazão.
econômico de recalque e sução e velocidade econômica
com um programa em Excel. A figura 12, mostra os elementos a ser usados para
calcular a energia por unidade de massa que o fluido
Para um tempo de 4,5 h se tem os seguintes resultados: precisa receber da máquina para se deslocar do ponto 2
ao ponto 9 é obtida aplicando a 1a lei da termodinâmica:
Tabela 11.2 Valores reformulados para instalar a bomba.
X Qb = + ( − )+ + + (17)
h dia m3/s mm m/s mm m/s
A representação gráfica da equação acima é denominada
4,5 0,1875 0,00148 35,2 1,52 44 0,975
curva característica do sistema (canalização).
Pode-se melhorar mais ainda estes valores de modo que A situação mais usual é considerar c2 = 0, e designando:
se encaixa os valores das velocidades entre 1 a 1,6 m/s,
= + ( − ) (18)
porem, requer realizar mais simulações no programa em
Excel, realizando-se cálculos de forma automática se = + (19)
existe um programa que introduze os dados e opera com = . ∆ℎ (20)
as fórmulas propostas calculando valores para cada caso.
= . ∆ℎ (21)
Depois de ter calculado os valores de vazão, diâmetros e
velocidades de sução e de recalque se calcula o valor do é a energia dinâmica do sistema.
salto energético usando os dados das figuras 1 e 2.
A Figura 11 mostra o prédio de 6 andares com as Fonte: Érico Lopez Henn. Máquina de Fluido, Editora
dimensões do prédio e as tubulações de forma geral. UFSM, 2006.
14. Cálculo das Alturas de Sucção perda de carga. Tabela 1.1a - Alturas de sução e recalque da bomba (m)
Analisa-se as alturas e perdas das instalações da Bomba ∆ ∆
hidráulica apresentada nas figuras 11 e 12. 0,8 Calcular ∆ℎ + ℎ Calcular Calcular ∆ℎ + ℎ Calcular

15. Cálculo da altura de recalque e de sução.


Válvula de globo aberto
∆ As dimensões da altura de recalque e de sução se calcula
com os dados do desenho figura 11 e 12.
Dos dados dos desenhos temos:
1 andar + 1,2 m

15.1 Altura de sução:


Dado fornecido na Fig. 1 e na tabela 1.1
ℎ = 0,7 ; Diâmetro interno = 44
Número de andares + térreo + 1 andar + 1,2 m

15.2 Altura de recalque:


Dado fornecido na Fig. 1 e na tabela 1.2
ℎ = − 0,4 + ( + 1). ℎ +ℎ
ℎ = 3 − 0,4 + (6 + 1) × 3 + 1,2
Número de andares + térreo

ℎ = 24,8 ; Diâmetro interno = 35,2


Registro de Gaveta União soldável
Tabela 1.1b - Alturas de sução e recalque da bomba
Válvula de Retenção Luva de redução soldável
Manômetro ∆ ∆
Redutor
0,7 Calcular ∆ℎ + ℎ 24,8 Calcular ∆ℎ + ℎ +
Motor elétrico Flange
Bomba hidráulica Para preencher a tabela é necessário calcular a perda de
carga de sução e de recalque.
0,4 m
16. Perda de carga:
Para o cálculo da perda de carga existem diversos

Válvula de globo aberto
métodos, neste caso se apresenta 2 métodos;
Redutor
Flange
s
16.1 Fórmula de Hazen-Williams
Válvula
de Pé A fórmula é mais usada nos países de influência
Crivo americana. Ela originou-se de um trabalho experimental
com grande número de tratamentos e repetições. Ela deve
ser utilizada para escoamento de água à temperatura
Figura 12 – Desenho da instalação da bomba
ambiente, para tubulações com diâmetro maior ou igual a
A altura total: 2” ou 50 mm e para regime turbulento. Ela possui várias
= + (22) apresentações:
, ,
= ℎ + ∆ℎ (23) = 0,355. . . (28)
= ℎ + ∆ℎ (24)
, ,
Ou = (29)
= + + (25) ,

∆ℎ = . (30)
≅ ≅

= + (26) Onde:
V - Velocidade, m.s-1;
. = + (27)
D - Diâmetro da canalização, m;
Onde: Q - Vazão, m3 s-1;
é a altura manométrica total; ∆ℎ – Perda contínua de carga, m;
é a altura de sução total; J - Perda unitária de carga, m m-1; e
é a altura de recalque total; C - Coeficiente que depende da natureza das paredes e
ℎ é a altura de sução; estado de conservação das paredes internas.
ℎ é a altura de recalque;
A Tabela 15 apresenta valores sugeridos para diversos
∆ℎ é a perda de carga no sução;
materiais.
∆ℎ é a perda de carga no recalque;
H é a altura total da bomba.
Tabela 15 - Valores do coeficiente C da fórmula de Tabela 17 - Perdas de carga em acessórios.
Hazen-Williams (apresentados por E. T. Neves). Referente em mm 25 32 40 50 60 75 85 110 120
Tipo de conduto C CONEXÃO MATERIAL 3/4" 1" 1 1/4" 1 1/2" 2" 2 1/2" 3" 4" 5"
Aço corrugado 60 PVC 0,5 0,6 0,7 1,2 1,3 1,4 1,5 1,6 1,9
Curva 90°
Metal 0,4 0,5 0,6 0,7 0,9 1,0 1,3 1,6 2,1
Aço com juntas “loc-bar”, novas 130 Curva 45° PVC 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1,0 1,1
Aço com juntas “loc-bar”, usadas 90-100
Metal 0,2 0,2 0,3 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,9
Aço galvanizado 125
Joelho 90° PVC 1,2 1,5 2,0 3,2 3,4 3,7 3,9 4,3 4,9
Aço rebitado, novo 110 Metal 0,7 0,8 1,1 1,3 1,7 2,0 2,5 3,4 4,2
Aço rebitado, usado 85-90 Joelho 45° PVC 0,5 0,7 1,0 1,3 1,5 1,7 1,8 1,9 2,5
Aço soldado, novo 130 Metal 0,3 0,4 0,5 0,6 0,8 0,9 1,2 1,5 1,9
Tê de PVC 0,8 0,9 1,5 2,2 2,3 2,4 2,5 2,6 3,3
Aço soldado, usado 90-100 passagem
Aço soldado com revestimento especial 130 direta Metal 0,4 0,5 0,7 0,9 1,1 1,3 1,6 2,1 2,7
Tê de saída PVC 2,4 3,1 4,6 7,3 7,6 7,8 8,0 8,3 10,0
Aço zincado 140-145 lateral
Metal 1,4 1,7 2,3 2,8 3,5 4,3 5,2 6,7 8,4
Alumínio 140-145 Tê de saída PVC 2,4 3,1 4,6 7,3 7,6 7,8 8,0 8,3 10,0
Cimento-amianto 130-140 bilateral
Metal 1,4 1,7 2,3 2,8 3,5 4,3 5,2 6,7 8,4
Concreto, com bom acabamento 130 União PVC 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,15 0,2 0,25
Concreto, com acabamento comum 120 Metal 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 0,02 0,03 0,04
Ferro fundido, novo 130 Saída de PVC 0,9 1,3 1,4 3,2 3,3 3,5 3,7 3,9 4,9
canalização
Ferro fundido, usado 90-100 Metal 0,5 0,7 0,9 1,0 1,5 1,9 2,2 3,2 4,0
Luva de PVC 0,3 0,2 0,15 0,4 0,7 0,8 0,85 0,95 1,2
Plástico 140-145 redução (*)
Aço 0,29 0,16 0,12 0,38 0,64 0,71 0,78 0,9 1,07
PVC rígido 145-150 Registro de PVC 0,2 0,3 0,4 0,7 0,8 0,9 0,9 1,0 1,1
gaveta ou
esfera Metal 0,1 0,2 0,2 0,3 0,4 0,4 0,5 0,7 0,9
16.2 Fórmula de Flamant aberto
Registro de
A fórmula de Flamant deve ser aplicada para água à globo Metal 6,7 8,2 11,3 13,4 17,4 21,0 26,0 34,0 43,0
temperatura ambiente, em instalações domiciliares e aberto
Registro de
tubulações com diâmetro variando de 12,5 a 100 mm. ângulo Metal 3,6 4,6 5,6 6,7 8,5 10,0 13,0 17,0 21,0
Inicialmente foram desenvolvidas as equações para ferro aberto
Válvula de PVC 9,5 13,3 15,3 18,3 23,7 25,0 26,8 28,8 37,4
fundido e aço galvanizado. Posteriormente, foi obtido o pé com
coeficiente para outros materiais. crivo Metal 5,6 7,3 10,0 11,6 14,0 17,0 22,0 23,0 30,0
Válvula de
,
= (31) Retenção Metal 2,4 3,2 4,0 4,8 6,4 8,1 6,3 6,4 10,4
, Horizontal
, Válvula de
ou ∆ℎ = , . (32) Retenção Metal 2,7 3,2 4,2 5,2 1,6 2,1 9,7 12,9 16,1
Vertical
Onde “Ke” assume os valores propostos para alguns
Observações
materiais na tabela 16.
a - Os valores da tabela 17 estão de acordo com a NBR
Tabela 16 – Valores do coeficiente Ke 5626/82 e Tabela de Perda de Targa da Tigre para PVC
rígido e cobre, e NBR 92/80 e Tabela de Perda de Carga
PVC Ferro fundido Ferro fundido Cimento Chumbo
Tupy para ferro fundido galvanizado, bronze ou latão.
e aço novos e aço usados amianto b - (*) Os diâmetros indicados referem-se à menor bitola
0,0008240,001133 0,0014 0,00095 0,00086 de reduções concêntricas, com fluxo da maior para a
menor bitola, sendo a bitola maior uma medida acima da
Fonte: Prof. Daniel Fonseca de Carvalho e Prof. Leonardo menor. Ex.: 1.1/4" x 1" - 1.1/2" x 1.1/4"
Duarte Batista da Silva, IT 503 – Fundamentos de
17. Cálculo da perda de carga em recalque e sução.
Hidráulica Agosto/2011.
Para calcular a perda de carga em sução e recalque é
A tabela 17 mostra uma relação de valores de perdas de necessário conhecer suas dimensões. As reduções são
carga localizados em diferentes conexões, considerando- ao diâmetro mais próximo. Os elementos estão expostos
se os comprimentos equivalentes em metros de na Fig. 12 e na tabela 1.2.
canalização. Tabela 11.2 Valores reformulados para instalar a bomba.

Fonte da tabela 17: Manual técnico de bombas Schneider. X Qb


h dia m3/s mm mm m/s mm mm m/s
4,5 0,1875 0,00148 35,2 40 1,52 44 50 0,975
C
Figura 13 - Dimensões dos tubos de 6 m de 17.2. Cálculo do tubo horizontal de sução
comprimento e curvas de 90° soldaveis na tabela 12. Da figura 1 se observa que a medida total é 1 m
B + + =1 → =1− −
e = 1 − 0,4 − 0,131 → = 1 − 0,4 − 0,131
D = 0,469
L Tabela 1.2b – Dimensões da tubulação de sução (m)
Tabela 14b - Dimensões dos tubos de 6 m
Dados Dimensões (mm) 0,3 0,4 0,11045 0,469 0,4
Cotas 20 25 32 40 50 60 75 85 110
20 25 32 40 50 60 75 85 110 17.3 Comprimento do tubo de sução:
D
e 1,5 1,7 2,1 2,4 3,0 3,3 4,2 4,7 6,1 = + → = 0,4 + 0,469
di 17 21,6 27,8 35,2 44 53,4 66,6 75,6 97,8 = 0,869

Tabela 13a - Dimensões das curvas de 90° solváveis 17.4. Relação de elementos na tubulação de recalque
Dados Dimensões da curva (mm) Os elementos compreendidos na tubulação de recalque
Cotas 20 25 32 40 50 60 75 85 110 estão expostos na Fig. 16 e na tabela 1.3. As reduções
A 56 68,5 86 106 131 156 175 245 300
são respeito ao diâmetro mais próximo.
D 20 25 32 40 50 60 75 85 110
R 40 56,3 64 90,55 110,45 135,83 117,5 112 131 Tabela 1.3 – Dimensões da tubulação de recalque (m)
Tabela 1.2 – Dimensões da tubulação de sução (m)
0,5 Calcular Tabela de diâmetro de curva Calcular Calcular Calcular
0,3 0,4 Tabela de diâmetro de curva Calcular 0,4 0,5 Calcular 0,106 Calcular Calcular Calcular
0,3 0,4 0,131 Calcular 0,4
Com os valores conhecidos se construí a tabela de
dados e dimensões da Fig. 15, com o objetivo de Válvula de globo aberto

determinar o comprimento do tubo reto de sução.
1 andar + 1,2 m

0,4 m


Válvula de globo aberto Redutor
Número de andares + térreo + 1 andar + 1,2 m

Flange
s
Válvula
de Pé
Crivo
Número de andares + térreo

Figura 15 – Desenho da instalação de sução da bomba


Registro de Gaveta
17.1. Relação de elementos na tubulação de sução União soldável
Válvula de Retenção Luva de redução soldável
Quant. Descrição Diâmetro Compri- Compreen-
Manômetro
Exterior mento (m) dido em Redutor
Motor elétrico
1 Crivo 60 Flange
Bomba hidráulica
1 Válvula de pé 60
0,30
1 Flange 60 0,4 m
1 Redutor 60/50 60/50
1 Tubo vertical 50 0,4 ∆

1 Curva de φ 50 50 0,131
Comprimento Horizontal 0,831
0 Curva de φ 50 50 0,131
1 Tubo horizontal 50 Calcular
1 Redutor e flange 50/40 0,4 Figura 16 – Desenho da instalação da tubulação de
sução da bomba
Comprimento Vertical 1
17.5. Cálculo do comprimento total da conexão vertical 1: 17.10 Cálculo do comprimento do tubo vertical superior:
Da figura 11 e 12 se observa a relação de elementos e a + + = 4,2 → = 4,2 − 2.
medida do eixo da bomba até último andar: Se = 0,106
×ℎ +ℎ = 0,4 + + + = 4,2 − 2 × 0,106 → = 3,988
+ + = ×ℎ +ℎ − 0,4
17.11 Cálculo do comprimento do tubo horizontal 2:
+ + = 6 × 3 + 3 − 0,4
Da Fig. 11 e 12 se tem a medida da conexão horizontal:
+ + = 20,6
+ =1 → =1−
17.6. Cálculo do comprimento total da conexão vertical 2: Se = 0,106 → = 1 − 0,106 → = 0,894
Da figura 11 e 12 se observa a medida do último andar Tabela 1.3b – Dimensões da tubulação de recalque (m)
até a altura do reservatório superior.
ℎ +ℎ = + +
0,5 19,994 0,106 0,788 3,988 0,894
+ + = 3 + 1,2 → + + = 4,2
= 4,2 − 2. 17.12 Comprimento do tubo de recalque:
= + + +
Com os comprimentos vertical e horizontal se construí a = 19,994 + 0,788 + 3,988 + 0,894 → = 25,664
tabela de dados parciais com o objetivo de determinar o
comprimento do tubo reto de recalque. Tabela 17a - Perdas de carga localizados em conexões
Referente em mm 25 32 40 50 60 75 85 110 120
17.7. Relação de elementos na tubulação de recalque
CONEXÃO MATERIAL 3/4" 1" 1 1/4" 1 1/2" 2" 2 1/2" 3" 4" 5"
Quant. Descrição Diâmetro Compri- Compreen- PVC 0,5 0,6 0,7 1,2 1,3 1,4 1,5 1,6 1,9
Exterior mento (m) dido em Curva 90°
Metal 0,4 0,5 0,6 0,7 0,9 1,0 1,3 1,6 2,1
1 Na saída da bomba 40 Curva 45° PVC 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1,0 1,1
1 Redutor e Flange 40/50
0,50 Metal 0,2 0,2 0,3 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,9
1 Válvula de retenção 40 Joelho 90° PVC 1,2 1,5 2,0 3,2 3,4 3,7 3,9 4,3 4,9
1 Registro de gaveta 40 Metal 0,7 0,8 1,1 1,3 1,7 2,0 2,5 3,4 4,2
1 Tubo vertical 1 40 Calcular Joelho 45° PVC 0,5 0,7 1,0 1,3 1,5 1,7 1,8 1,9 2,5
1 Curva de φ 40 mm 40 0,106 Metal 0,3 0,4 0,5 0,6 0,8 0,9 1,2 1,5 1,9
Tê de PVC 0,8 0,9 1,5 2,2 2,3 2,4 2,5 2,6 3,3
Comprimento do tubo Vertical 1 20,6 passagem
0 Curva de φ 40 mm 40 0,106 direta Metal 0,4 0,5 0,7 0,9 1,1 1,3 1,6 2,1 2,7
Tê de saída PVC 2,4 3,1 4,6 7,3 7,6 7,8 8,0 8,3 10,0
1 Tubo horizontal 50 Calcular lateral Metal 1,4 1,7 2,3 2,8 3,5 4,3 5,2 6,7 8,4
1 Curva de φ 40 mm 40 0,106 Tê de saída PVC 2,4 3,1 4,6 7,3 7,6 7,8 8,0 8,3 10,0
Comprimento do tubo Horizontal 1 1 bilateral
Metal 1,4 1,7 2,3 2,8 3,5 4,3 5,2 6,7 8,4
0 Curva de φ 40 mm 40 0,106 União PVC 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,15 0,2 0,25
1 Tubo vertical 2 50 Calcular Metal 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 0,020,030,04
1 Curva de φ 40 mm 40 0,106 Saída de PVC 0,9 1,3 1,4 3,2 3,3 3,5 3,7 3,9 4,9
canalização Metal 0,5 0,7 0,9 1,0 1,5 1,9 2,2 3,2 4,0
Comprimento Vertical superior 2 4,2
Luva de PVC 0,3 0,2 0,15 0,4 0,7 0,8 0,850,95 1,2
0 Curva de φ 40 mm 40 0,106 redução (*) Aço 0,290,16 0,12 0,38 0,64 0,71 0,78 0,9 1,07
1 Tubo horizontal 2 50 Calcular Registro de PVC 0,2 0,3 0,4 0,7 0,8 0,9 0,9 1,0 1,1
Comprimento do tubo Horizontal 2 1 gaveta ou
esfera Metal 0,1 0,2 0,2 0,3 0,4 0,4 0,5 0,7 0,9
17.8. Cálculo do comprimento do tubo vertical que está aberto
conectado com o registro de gaveta: Registro de
globo Metal 6,7 8,2 11,3 13,4 17,4 21,0 26,034,043,0
Se = 0,5 aberto
+ + = 20,6 → + = 20,6 − Registro de
ângulo Metal 3,6 4,6 5,6 6,7 8,5 10,0 13,0 17,0 21,0
+ = 20,6 − 0,5 → + = 20,1 aberto
Se = 0,106 → = 20,1 − Válvula de PVC 9,5 13,3 15,3 18,3 23,7 25,0 26,828,837,4
pé com
= 20,1 − 0,106 → = 19,994 crivo Metal 5,6 7,3 10,0 11,6 14,0 17,0 22,023,030,0
17.9 Cálculo do comprimento do tubo horizontal inferior: Válvula de
Retenção Metal 2,4 3,2 4,0 4,8 6,4 8,1 6,3 6,4 10,4
Da figura 11 e 12 se observa a medida da conexão. Horizontal
+ + =1 → =1−2 Válvula de
Retenção Metal 2,7 3,2 4,2 5,2 1,6 2,1 9,7 12,9 16,1
Se = 0,106 → = 1 − 2 × 0,106 → = 0,788 Vertical
Os elementos com perdas de carga em sução são: Substituindo dados:
, , ,
17.13. Perda equivalente de comprimento na sução: =( ) ,
→ = 0,0729
,
Elemento Diâm. Quant. Perda Perda total Da Eq. (30) se tem:
Válvula de pé e crivo 50 1 18,3 18,3 ∆ℎ = . → ∆ℎ = 0,0729 × 37,764
Redutor 60/50 mm 50 1 0,4 0,4 ∆ℎ = 1,871
Curva de 90° 50 1 1,2 1,2 17.17. Cálculo da altura de sução total Eq. (23):
Redutor e Flange 50 1 0,4 0,4 = ℎ + ∆ℎ → = 0,7 + 0,398 → = 1,098
Tubo 50 1 0,869 0,869
17.18 Cálculo da altura de recalque total Eq. (24):
Comprimento equivalente de sução em m. 16,169
= ℎ + ∆ℎ → = 24,8 + 1,871
= 26,6
17.14 Perda equivalente de comprimento em recalque:
Elemento Diâm. Quant. Perda Perda 17.19. Cálculo da altura manométrica total Eq. (22):
total = + → = 1,098 + 26,671
Válv. de retenção vertical 40 1 4,2 7,4 = 27,769
Registro de gaveta 40 1 0,4 0,4 Tabela 1.1b - Alturas de sução e recalque da bomba e
Válvula de boia (saída na 40 1 1,4 1,4 velocidade de recalque
canalização)
∆ ∆
Curva de 90° 40 3 0,7 2,1 m m m m m m m m/s
Redutor ou adaptador 40 2 0,4 0,8 0,7 0,398 1,098 24,8 1,871 26,671 27,769 1,52

Tubo 40 1 25,664 25,664 18. Cálculo da altura total da bomba.


Comprimento equivalente de recalque em m. 37,764 Da eq. (7) se tem
. = + → = + (33)
Tabela 11.2b Valores calculados para instalar a bomba
( , )
Qb = 28,169 + → = 28,287 /
× ,
m3/s mm mm m/s mm mm m/s m m
0,00148 35,2 40 1,52 44 50 0,975 16,169 37,764 19. Potência total fornecida ao líquido em HP:
. .
17.15. Cálculo da perda de carga de sução com o = (34)
método de Hazen-Williams da Eq. (29):
, , Onde:
= ,
é o peso específico da água o qual é 1000 kg/m3;

Onde: Qb é a vazão da bomba em m3/s;


Para tubulações de PVC rígido C = 145 Hman é a altura manométrica em m.

Diâmetro da sução = 0,044 ; Nota: 1 kW = 0,736 HP

Vazão da bomba = 0,00148 / =


. .
→ =
× , × ,

,
= 0,5587
, ,
=( ) ,
→ = 0,024595 = 0,5587 × 736 → = 411,244 .
,

Da Eq. (30) se tem: = 0,411


∆ℎ = . → ∆ℎ = 0,024595 × 16,169 20. Seleção da bomba usando o dado de vazão e
∆ℎ = 0,398 altura total da bomba
O dado de vazão se converte em m3/h
17.16. Cálculo da perda de carga do recalque com o
método de Hazen-Williams da Eq. (29): = 0,00148 / → = 0,00148 × 3600
, , = 5,33 /
= , = 28,287 /
Onde: m.c.a significa “Metros de Coluna de água, indica qual
Para tubulações de PVC rígido C = 145 a pressão que a água exerce sobre determinada
Diâmetro da recalque = 0,0352 ; altura.
Ou seja, 1 m.c.a = 1 metro de altura.
Vazão da bomba = 0,00148 /
Figura 17 – Cartas de aplicação do fabricante Imbil, modelo APN, para realizar a primeira seleção da
bomba.
As coordenadas de vazão (Qb) x Altura (H) seleccionam DENOMINAÇÃO
um grupo de bombas para as cartas de aplicação que
esta dividido em 2 mapas de velocidade de rotação do
grupo: n1 = 3550 rpm na parte superior é para a
velocidade de n2 = 1750 rpm na parte inferior.
A nomenclatura 1,5x1x6@3550 é uma primeira opção a
explorar. A nomenclatura 2x1x10@1750 é outra opção
a explorar. Avalia-se que tenha a maior eficiencia
óssivel neste grupo de bombas. A nomenclatura do
fabricante é mostrado na Fig. 18.

Dados complementares da bomba são mostrados na tabela 18.


Tabela 18 - Dados técnicos do catalogo de bombas centrífuga.

A nomenclatura 1,5x1x6@3550 é avaliada na figura 18, o resultado é uma bomba de 3500 rpm com 30% de rendimento
de diâmetro exterior de φ115 mm.

Figura 18 - Curva da bomba 1,5x1x6@3550 e coordenadas de vazão e altura da bomba procurada.


A nomenclatura 1,5x1x6@3550 de rendimento 30%, diâmetro de saída de φ 115 mm e NPSHb (NPHSR) menor que
0,6 m são as carateristica desta primeira avaliação. O valor do rendimento e de NPSHb é baixo e não satisfaz os
requerimentos para um bom funcionamento.
A nomenclatura 2x1x10@1750 é avaliada na figura 19, o resultado é uma bomba de 3500 rpm com 30% de rendimento
de diâmetro exterior de φ115 mm.

Figura 19 - Curva da bomba 2x1x10@1750 e coordenadas de vazão e altura da bomba procurada.

A nomenclatura 2x1x10@1750 de rendimento 25%, diâmetro de saída de φ 228 mm e NPSHb (NPHSR)


0,48 é pior que a curva da bomba 1,5x1x6@3550.
Procura-se outro modelo de bomba nesta vez o modelo ANSI B73.1 será avaliada. Na figura 20 mostra-se a carta de
aplicação para pasar pelo primeiro filtro de seleção de bomba
Figura 20 – Cartas de aplicação do fabricante Imbil, modelo Ansi B73.1, para realizar a seleção da bomba.

A nomenclatura 25-250@1750 é a única opção. Na figura 21 se coloca os valores das coordenadas de vazão e altura
e avalia-se seu resultado.

Figura 21 - Curva da bomba 25-250@1750 e coordenadas de vazão e altura da bomba procurada.

A nomenclatura 25-250@1750 de rendimento 25% diâmetro de saída de φ 228 mm e NPSHb (NPHSR)


0,48 é pior que a curva da bomba 1,5x1x6@3550.
A continuação se avalia as bombas modelo ITAP da firma Imbil, as cartas de aplicação e suas respectivas curva de
bombas são analisados na Fig. 22. A avaliação das posibilidades são observado na Fig. 23 e 24.
Figura 22 – Cartas de aplicação do fabricante Imbil, modelo ITAP, para realizar a seleção da bomba.

Figura 23 - Curva da bomba ITAP 32-120 de 3500 rpm com coordenadas de vazão e altura da bomba procurada.

Este resultado não satisfaçe a altura requerida, por tanto não é considerado como opção.
Outro analises da curva da bomba é observado para o modelo ITAP 40-120 de 3500 rpm na Fig. 24
Figura 24 - Curva da bomba ITAP 40 -120 de 3500 rpm com coordenadas de vazão e altura da bomba procurada.

A nomenclatura ITAP 40 -120 de 3500 rpm com rendimento de 40%, diâmetro de saída de φ 125 mm e potência 6 kW
é uma proposta que satisfaz alguns requisitos. O rendimento seria melhor se teria maior vazão e menor altura. A
potencia está alta, quase 10 vezes a calculada.
Procura-se de novo outro modelo de bomba nesta vez o modelo BEW é avaliado. Na figura 25 mostra-se a carta de
aplicação para seleçionar algum tipo de bomba. Na Fig. 26 se analisa a curva da bomba selecionada na carta de
aplicação.

Figura 25 – Cartas de aplicação modelo BEW marca Imbil.


Figura 25 - Curva da bomba modelo BEW -32 de 3500 da marca Imbil é analisada.

A nomenclatura BEW -32 de 3500 rpm com rendimento de 45%, diâmetro de saída de φ 105 mm e potência 0,9 kW é
uma proposta que satisfaz melhor os requisitos, por ter o mais alto rendimento e menor consumo de energia.
Avaliação.
Para quatro prédios semelhante ao do exemplo, mas de 8 andares com 4 apartamentos em cada andar e 2
dormitórios, assume que no térreo não há morador e em cada apartamento moram 4 pessoas. Determine
a) A volume necessário dos reservatórios superior e inferior. (0,5 pto)
b) A vazão que a bomba de agua deve funcionar. (0,5 pto)
c) A dimensões de comprimento das tubulações. (0,5 pto)
d) O diâmetro do tubo de sução e recalque. (0,5 pto)
e) A perda de carga em sução e recalque. (0,5 pto)
f) Cálculo da potência do sistema (0,5 pto)
g) Selecione a bomba através de catálogos ( 0,5 ptos)
h) cálculo da velocidade de rotação específica da bomba ( 0,5 ptos)
i) Determine o rendimento da bomba usando o catálogo (0,5 pto)
j) Determine sua NPSHb e NPSHd (0,5 ptos)
k) Conclusões e revisão de cálculos na planilha de Excel com o programa de cálculo automático para outros dados
de prédio, como número de andar, número de pessoas que moram, número de apartamento e apontes altura do
prédio. (1,5 ptos)
l) Apresentação do trabalho (1,5 pto).
l) Prova escrita (2 pto).

Avaliações:

Peso Instrumento de Avaliação


5,0 (MD) Material descritivo da atividade.
(PC) Planilha de Cálculo em Excel.
Critérios
1,5 (SA) Seminário de Apresentação
1,5 (SR) Simulação de resultados mudando dado.
2 (PE) Prova Escrita

Ainda sobre os Instrumentos de Avaliação:

As avaliações dos seminários de apresentação serão realizadas individualmente, de modo que somada ao material
descritivo, irá gerar uma nota.

Recursos para Aprendizagem:

Para a realização das atividades, estão disponíveis os diversos recursos didáticos pedagógicos da
instituição, como por exemplo:

 Biblioteca da SATC;
 Conteúdos disponibilizados sobre o tema, via moodle;
 Internet.