Você está na página 1de 12

VIGAS PROTENDIDAS

INTRODUÇÃO

As estruturas com vigas protendidas são utilizadas, em geral, para grandes construções. O
baixo custo do concreto frente ao aço torna essa estrutura muito competitiva, além de trazer
benefícios a longo prazo com menor manutenção.
AÇÃO DE CARGAS

Sob a ação de cargas, uma viga protendida sofre flexão, alterando-se as tensões de
compressão aplicadas previamente. Quando a carga é retirada, a viga volta a sua posição original
e as tensões prévias são restabelecidas.
COMPORTAMENTO

O Comportamento das Vigas Protendidas, sob ação das cargas, pode ser resumido em
duas propriedades básicas:

• A protensão retarda a fissuração do concreto, de modo que, para uma parte do carregamento, a
viga se comporta como um material homogêneo.

• Após a fissuração do concreto, o comportamento é análogo ao do concreto armado, com


algumas propriedades melhoradas pela protensão.
VANTAGENS DO USO

• Reduz as tensões de tração provocadas pela flexão e pelos esforços cortantes;

• Reduz a incidência de fissuras;

• Com a protensão, é possível melhorar a capacidade de utilização da peça estrutural e controlar


de modo mais eficiente a fissuração, podendo, em alguns casos, até eliminá-la;

• Reduz as quantidades necessárias de concreto e de aço devido ao emprego eficiente de


materiais de maior resistência;

• Permite vencer vãos maiores que o concreto armado convencional.


DESVANTAGENS DO USO

• Reduz as tensões de tração provocadas pela flexão e pelos esforços cortantes;

• Reduz a incidência de fissuras;

• Com a protensão, é possível melhorar a capacidade de utilização da peça estrutural e controlar


de modo mais eficiente a fissuração, podendo, em alguns casos, até eliminá-la;

• Reduz as quantidades necessárias de concreto e de aço devido ao emprego eficiente de


materiais de maior resistência;

• Permite vencer vãos maiores que o concreto armado convencional.


ARMADURAS

As armaduras de vigas protendidas são de dois tipos:

• Armaduras Ativas (protendidas);

• Armaduras Passivas (não protendidas).


VIGA PROTENDIDA COM ADERÊNCIA INICIAL

(Armadura de protensão pré-tracionada).

A protensão com aderência inicial é muito empregada na fabricação de pré-moldados de


concreto protendido. Nas pistas de protensão, a armadura ativa é posicionada, ancorada em
blocos nas cabeceiras e tracionada.
VIGA PROTENDIDA COM ADERÊNCIA

(Armadura de protensão pós-tracionada).

Neste caso, a protensão é aplicada sobre uma peça de concreto já endurecido e a


aderência se dá posteriormente, através da injeção de uma calda de cimento no interior das
bainhas, com o auxílio de bombas injetoras.
VIGA PROTENDIDA SEM ADERÊNCIA

(Armadura de protensão pós-tracionada).

A protensão é aplicada sobre uma peça de concreto já endurecido não havendo,


entretanto, aderência entre os cabos e o concreto. A inexistência de aderência refere-se somente à
armadura ativa, já que a armadura passiva sempre deve estar aderente ao concreto.
REFERÊNCIAS
Vigas Protendidas: Comportamento e benefícios. AWA Comerical, 2018. Disponível em:
<http://awacomercial.com.br/blog/vigas-protendidas-comportamento-e-beneficios/>. Acesso em: mar/2019.

PFEIL, Walter – Concreto Protendido, Introdução, Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., volume 1, 1985.

VERÍSSIMO, Gustavo de Sousa; JR, Kléos M Lenz César. Concreto Protendido: Fundamentos Básicos. 4ª edição. Viçosa,
Universidade Federal de Viçosa – Departamento de Engenharia Civil, Novembro de 1998. Disponível em
<http://wwwp.feb.unesp.br/lutt/Concreto%20Protendido/CP-vol1.pdf>. Acesso em Mar/2019.

CARVALHO, Roberto Chust. Estruturas em concreto protendido: pré-tração, póstração, cálculo e detalhamento. São Paulo:
PINI, 2012.
Curso de Engenharia Civil
Fundamentos do Concreto Protendido

REFERÊNCIAS
HANAI, João Bento de. Fundamentos do Concreto Protendido. São Carlos, Universidade de São Paulo – Departamento de
Engenharias de Estruturas, 2005. E-book. Disponível em:
<http://www.set.eesc.usp.br/mdidatico/protendido/arquivos/cp_ebook_2005.pdf>. Acesso em: Mar/2019.