Você está na página 1de 7

PROF.

GILBERTO SANTOS JR
BINÔMIO DE NEWTON

SUMÁRIO
1 . INTRODUÇÃO ......................................................................................................................... 1
2 . COEFICIENTES BINOMIAIS ...................................................................................................... 1
2.1 Definição .............................................................................................................................. 1
2.2 Casos particulares .................................................................................................................. 2
2.2.1 Quando 𝑝 = 0 ...................................................................................................................... 2
2.2.2 Quando 𝑝 = 1 ...................................................................................................................... 2
2.2.3 Quando 𝑝 = 𝑛 ...................................................................................................................... 2
3 . TEOREMA DE NEWTON ............................................................................................................ 2
4 . TERMO GERAL DE BINÔMIO ..................................................................................................... 3
5 . O TRIÂNGULO DE PASCAL........................................................................................................ 4
6 . PROPRIEDADES DOS NÚMEROS BINOMIAIS ............................................................................... 5
6.1 Binômios complementares....................................................................................................... 5
6.2 Relação de Stiffel ................................................................................................................... 5
6.3 A soma dos elementos de uma mesma linha no triângulo de Pascal .............................................. 5
7 . RESPOSTAS ........................................................................................................................... 7
Referências ................................................................................................................................. 7

1 . INTRODUÇÃO
Toda potência da forma (𝑥 + 𝑦)𝑛 , com 𝑥 ∈ ℝ, 𝑦 ∈ ℝ e 𝑛 ∈ ℕ, é conhecida como binômio de New-
ton.
O desenvolvimento do binômio de Newton pode ser feito pela multiplicação de expressões algébri-
cas, como os seguintes casos:
 (5𝑥 − 7)0 = 1
 (2𝑥 + 𝑦)1 = 2𝑥 + 𝑦
 (𝑥 + 𝑦)2 = (𝑥 + 𝑦)(𝑥 + 𝑦) = 𝑥 2 + 2𝑥 + 1
 (𝑥 + 𝑦)3 = (𝑥 + 𝑦)2 (𝑥 + 𝑦) = 𝑥 3 + 3𝑥 2 𝑦 + 3𝑥𝑦 2 + 𝑦 3
Casos como (𝑥 + 𝑦)7 , (2𝑥 − 𝑦)8 , (𝑥 + 𝑦)10 e outros daria um trabalho algébrico enorme para de-
senvolver por esse método, vamos utilizar – e esse é o objetivo desse estudo - um método que utiliza
combinação simples de análise combinatória.

2 . COEFICIENTES BINOMIAIS
2.1 Definição
Dados os números naturais, 𝑛 e 𝑝, com 𝑛 ≥ 𝑝, definimos o coeficiente binomial 𝑛 sobre 𝑝, e
𝑛 𝑛 𝑛!
indicamos por (𝑝 ) o número (𝑝 ) = = 𝐶𝑛,𝑝 .
𝑝!(𝑛−𝑝)!
𝑛
O número 𝑛 é dito numerador e o número 𝑝 é chamado denominador de (𝑝 ).
Exemplos: Determinar o valor de:
5 10
a) ( ) b) ( )
2 7
Resolução:
a) 5 5! 5! 5 ⋅ 4 ⋅ 3! 5 ⋅ 4 20
( )= = = = = = 10
2 2! (5 − 2)! 2! 3! 2! 3! 2 2
b) 10 10! 10! 10 ⋅ 9 ⋅ 8 ⋅ 7! 10 ⋅ 9 ⋅ 8 720
( )= = = = = = 120
7 7! (10 − 7)! 7! 3! 7! 3! 6 6
2.2 Casos particulares
2.2.1 Quando 𝒑 = 𝟎
𝑛 𝑛!
Segue que ( ) = = 1; ∀ 𝑛 ∈ ℕ.
0 0!𝑛!
Exemplos: (4) =1, (20) = 1.
0 0
2.2.2 Quando 𝒑 = 𝟏
𝑛 𝑛! 𝑛(𝑛−1)! 𝑛
Segue que ( ) = = = = 𝑛; ∀ 𝑛 ∈ ℕ.
1 1!(𝑛−1)! 1!(𝑛−1)! 1

Exemplos: (5) = 5, (9) = 9.


1 1
2.2.3 Quando 𝒑 = 𝒏
𝑛 𝑛!
Segue que ( ) = = 1; ∀ 𝑛 ∈ ℕ.
𝑛 𝑛!0!
Exemplos: (6) = 1 e (14) = 1.
6 14
3 . TEOREMA DE NEWTON
Os coeficientes binomiais tem aplicação no estudo do desenvolvimento de (𝑎 + 𝑏)𝑛 , como vere-
mos adiante.
Observe a partir dos exemplos a seguir:
1º) (𝑥 + 𝑦)2 = 𝑥 2 + 2𝑥 + 1 =
= 1𝑥 2 𝑦 0 + 2𝑥 1 𝑦 1 + 1𝑥 0 𝑦 2 =
2 2 2
= ( ) 𝑥 2 𝑦 0 + ( ) 𝑥1𝑦1 + ( ) 𝑥 0 𝑦 2
0 1 2
2º) (𝑥 + 𝑦)3 = 𝑥 3 + 3𝑥 2 𝑦 + 3𝑥𝑦 2 + 𝑦 3 =
= 1𝑥 3 𝑦 0 + 3𝑦 1 + 3𝑥 1 𝑦 2 + 1𝑥 0 𝑦 3 =
3 3 3 3
= ( ) 𝑥 3 𝑦 0 + ( ) 𝑥 2𝑦1 + ( ) 𝑥1 𝑦 2 + ( ) 𝑥 0𝑦 3
0 1 2 3
3º) (𝑥 + 𝑦)4 = 𝑥 4 + 4𝑥 3 𝑦 + 6𝑦 2 + 4𝑥𝑦 3 + 𝑦 4 =
= 1𝑥 4 𝑦 0 + 4𝑥 3 𝑦 1 + 6𝑥 2 𝑦 2 + 4𝑥 1 𝑦 3 + 1𝑥 0 𝑦 4 =
4 4 4 4 4
= ( ) 𝑥 4 𝑦 0 + ( ) 𝑥 3𝑦1 + ( ) 𝑥 2 𝑦 2 + ( ) 𝑥1𝑦 3 + ( ) 𝑥 0 𝑦 4
0 1 2 3 4
Generalizando, ∀ 𝑥, 𝑦 ∈ ℝ e 𝑛 ∈ ℕ
𝑛 𝑛 𝑛 𝑛
(𝑥 + 𝑦)𝑛 = ( ) 𝑥 𝑛 𝑦 0 + ( ) 𝑥 𝑛−1 𝑦 1 + ⋅⋅⋅ + ( ) 𝑥1𝑦 3 + ( ) 𝑥 0 𝑦 4
0 1 𝑛−1 𝑛
Exemplos: Efetuar o desenvolvimento de:
a) (𝑥 + 5)5 b) (2𝑥 − 𝑎)4
Resolução:
5 5 5 5 5 5
a) (𝑥 + 5)5 = ( ) 𝑥 5 𝑎0 + ( ) 𝑥 4 𝑎1 + ( ) 𝑥 3 𝑎2 + ( ) 𝑥 2 𝑎3 + ( ) 𝑥 1 𝑎4 + ( ) 𝑥 0 𝑎5
0 1 2 3 4 5
5 4 3 2 2 3 1 4 5
= 𝑥 + 5𝑥 𝑎 + 10𝑥 𝑎 + 10𝑥 𝑎 + 5𝑥 𝑎 + 𝑎
2
b) (2𝑥 − 𝑎)4 = [2𝑥 + (−𝑎)]4
4 4 4 4 4
= ( ) (2𝑥)4 (−𝑎)0 + ( ) (2𝑥)3 (−𝑎)1 + ( ) (2𝑥)2 (−𝑎)2 + ( ) (2𝑥)1 (−𝑎)3 + ( ) (2𝑥)0 (−𝑎)4
0 1 2 3 4
4 3 2 2 3 4
= 1 ⋅ 16𝑥 + 4 ⋅ 8𝑥 (−𝑎) + 6 ⋅ 4𝑥 𝑎 + 4 ⋅ 2𝑥(−𝑎) + 1𝑎
= 16𝑥 4 − 32𝑥 3 𝑎 + 24𝑥 2 𝑎2 − 8𝑥𝑎3 + 𝑎4

EXERCÍCIOS PROPOSTOS
1) Efetue o desenvolvimento dos seguintes binômios:
1 5 1 3 4 5
a) (𝑥 + 2)5 c) (𝑥 + ) e)(3𝑥 − ) g) (1 + √3) i) g) (√5 − √3)
3 3
1 6 1 4 1 6
b) (𝑎 − 3)4 d) (𝑥 − ) f) (𝑥 2 − 1)7 h) (1 + ) j) ( − 𝑥)
2 𝑥 2

2) Resolva o sistema:

2a + 3b = 9
 5 4 3 2 2 3 4 5

a + 5a b + 10a b + 10a b + 5ab + b = 1 024

4 . TERMO GERAL DE BINÔMIO


No desenvolvimento de (𝑥 + 𝑦)𝑛 vimos que:
𝑛 𝑛 𝑛 𝑛 𝑛
(𝑥 + 𝑦)𝑛 = (⏟ ) 𝑥 𝑛 𝑦 0 + (⏟ ) 𝑥 𝑛−1 𝑦 1 + (⏟ ) 𝑥 𝑛−2 𝑦 2 + … + (⏟ ) 𝑥 𝑛−𝑘 𝑦 𝑘 + … + (⏟ ) 𝑥 1 𝑦 𝑛
0 1 2 𝑘 𝑛
𝑇1 𝑇2 𝑇3 𝑇𝑘+1 𝑇𝑛+1

Assim, ∀ 𝑥, 𝑦 ∈ ℝ e 𝑛, 𝑘 ∈ ℕ o termo geral é dado por:


𝑛
𝑇𝑘+1 = ( ) 𝑥 𝑛−𝑘 𝑦 𝑘
𝑘 ;

sendo (𝑘 + 1) termos.

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS
1º) Qual é o 5º termo do desenvolvimento de (𝑥 + 3)5 , de acordo com as potências decrescente de x?
Resolução:
Procuramos o valor de T5 . Como 𝑘 + 1 = 5 ⟹ 𝑘 = 4, temos:
5 5!
𝑇5 = ( ) 𝑥 5−4 ⋅ 34 = 𝑥 ⋅ 81 = 405𝑥
4 4! 1!
Portanto, o 5º termo de (𝑥 + 3)5 é 405𝑥 .

2º) Qual é o 6º termo do desenvolvimento de (𝑥 − 2)7 ?


Resolução:
Procuramos o valor de T6 . Como 𝑘 + 1 = 6 ⟹ 𝑘 = 5, temos:
7 7!
𝑇6 = ( ) 𝑥 7−5 ⋅ (−2)5 = − ⋅ 32𝑥 2 = −672𝑥 2
5 5! 2!
Portanto, o 6º termo de (𝑥 − 3)7 é −672𝑥 2 .
1 6
3º) Calcule o termo independente de 𝑥 no desenvolvimento de (𝑥 + ) .
𝑥
Resolução:
Procuramos o valor de T6 . Como 𝑘 + 1 = 6 ⟹ 𝑘 = 5, temos:
𝑘
6 6−𝑘 1 6 6
𝑇𝑘+1 = ( ) 𝑥 ⋅ ( ) = ( ) 𝑥 6−𝑘 ⋅ 𝑥 −𝑘 = ( ) 𝑥 6−2𝑘
𝑘 𝑥 𝑘 𝑘
0
O termo independente de 𝑥 é o de 𝑥 , ou seja, 6 − 2𝑘 = 0 ⟹ 𝑘 = 3.

Logo, o termo independente de 𝑥 é:


6 6!
𝑇4 = ( ) 𝑥 6−2⋅3 = ⋅ 𝑥 0 = 20 ⋅ 1 = 20
3 3! 3!
4º) Qual é o termo médio (central) no desenvolvimento do binômio (𝑥 − 3)6 ?
Resolução:

3
Como o binômio está elevado á 6ª potência, o desenvolvimento tem 7 termos. Procuramos então o 4º
terno:
𝑘+1 = 4 ⟹ 𝑘 =3
6 6!
𝑇4 = ( ) 𝑥 6−3 ⋅ (−3)3 = − ⋅ 27𝑥 3 = −20 ⋅ 27𝑥 3 = −540𝑥 3
3 3! 3!
Portanto, o termo médio é −540𝑥 3 .

5º) No desenvolvimento de (𝑥 − 2)50 , determine o coeficiente do penúltimo termo.


Resolução:
Como 𝑛 = 50, então o desenvolvimento do binômio tem 51, portanto o penúltimo termo é T50 , então
𝑘 + 1 = 50 ⟹ 𝑘 = 49.
50 50−49 (−2)49
𝑇50 = ( )𝑥 ⋅ = −50 ⋅ 249 𝑥
49
Portanto, o penúltimo termo é −50 ⋅ 249 .

EXERCÍCIOS PROPOSTOS
3) Determine:
a) O 7º termo do desenvolvimento de (𝑥 − 1)9 ;
b) O 6º termo do desenvolvimento de (𝑥 − 2𝑎)10 ;
c) O 2º e o penúltimo termos do desenvolvimento de (𝑥 − 1)20 .

4) Determine, quando existir, o termo independente de 𝑥:


2 8 2 5 1 6
a) (𝑥 5 + ) b) (𝑥 + ) c)(𝑥 − )
𝑥 𝑥 𝑥

5) Determine o termo central no desenvolvimento de:


1 10
a) (𝑥 − 2)8 b) (𝑥 + )
3

6) Qual é o valor do produto dos coeficientes do 2º e do penúltimo termo do desenvolvimento de


(𝑥 − 1)80 ?

EXERCÍCIO DE VESTIBULAR
6
7)(UFOP-MG) No desenvolvimento de (𝑥 + 31𝑥) , calcule a ordem e o coeficiente do termo 𝑥 2 .

5 . O TRIÂNGULO DE PASCAL
Os coeficientes dos desenvolvimentos de:
(𝑥 + 𝑦)0=1
(𝑥 + 𝑦)1 = 1𝑥 + 1𝑦
(𝑥 + 𝑦)2 = 1𝑥 2 + 2𝑥 + 1𝑦 2
(𝑥 + 𝑦)3 = 1𝑥 3 + 3𝑥 2 𝑦 + 3𝑥𝑦 2 + 1𝑦 3
(𝑥 + 𝑦)4 = 1𝑥 4 + 4𝑥 3 𝑦 + 6𝑥 2 𝑦 2 + 4𝑥𝑦 3 + 1𝑦 4

podem ser colocados nas formas “triangulares”:

1 1
1 1 1 1
1 2 1 1 2 1
1 3 3 1 ou 1 3 3 1
1 4 6 4 1 1 4 6 4 1
1 5 10 10 5 1 1 5 10 10 5 1
… …
ou ainda:

4
0
(𝑥 + 𝑦)0 : ( )
0
1 1
(𝑥 + 𝑦)1 : ( ) ( )
0 1
2 2 2
(𝑥 + 𝑦)2 : ( ) ( ) ( )
0 1 2
3 3 3 3
(𝑥 + 𝑦)3 : ( ) ( ) ( ) ( )
0 1 2 3
4 4 4 4 4
(𝑥 + 𝑦)4 : ( ) ( ) ( ) ( ) ( )
0 1 2 3 4
… … … … … …
𝑛 𝑛 𝑛 𝑛 𝑛
(𝑥 + 𝑦)𝑛 : ( ) ( ) ( ) ( ) … ( )
0 1 2 3 𝑛
Essa maneira de dispor tais coeficientes é conhecida por triângulo de Pascal.

6 . PROPRIEDADES DOS NÚMEROS BINOMIAIS


Observando o triângulo Pascal podemos tirar algumas propriedades.

6.1 Binômios complementares


Os números binômios equidistantes aos extremos são iguais, observe:
3 3
a) ( ) = ( )
1 2
4 4
b) ( ) = ( )
1 3
5 5
c) ( ) = ( )
2 3
𝑛 𝑛
De um modo geral, (𝑝 ) = (𝑛 − 𝑝) → 𝑝 + (𝑛 − 𝑝) = 𝑛
Dizemos que dois números binomiais de mesmo numerador são chamados de binômios com-
plementares quando a soma de seus denominadores é igual ao numerador.

6.2 Relação de Stiffel


A partir da 2ª linha, notamos que cada elemento (com exceção do 1º e do último) é igual à soma
de dois elementos imediatamente acima da linha anterior, conforme esquema abaixo:
1
1 1
1 2 1
1 3
⏟ + 3 1

1 4 6
⏟ + 4 1

1 5 10 10 5 1

3 3 4
a) ( ) + ( ) = ( )
1 2 2
3 3 4
b) ( ) + ( ) = ( )
2 3 3
4 4 5
c) ( ) + ( ) = ( )
2 3 3
𝑛−1 𝑛−1 𝑛
De um modo geral, ( )+( ) = (𝑝 )
𝑝−1 𝑝
6.3 A soma dos elementos de uma mesma linha no triângulo de Pascal
A soma dos números binomiais da linha 𝑛 (mesma linha) é igual a 2𝑛 . Observe abaixo:
0
( ) = 1 = 20
0
1 1
( ) + ( ) = 1 + 1 = 2 = 21
0 1
2 2 2
( ) + ( ) + ( ) = 1 + 2 + 1 = 4 = 22
0 1 2
5
3 3 3 3
( ) + ( ) + ( ) + ( ) = 1 + 3 + 3 + 1 = 8 = 23
0 1 2 3
4 4 4 4 4
( ) + ( ) + ( ) + ( ) + ( ) = 1 + 4 + 6 + 4 + 1 = 16 = 24
0 1 2 3 4
… … … … … …
De um modo geral,
𝑛 𝑛 𝑛 𝑛 𝑛 𝑛
( ) + ( ) + ( ) + ( ) + ⋯+ ( ) + ( ) = 2𝑛
0 1 2 3 𝑛−1 𝑛
EXERCÍCIOS PROPOSTOS
8) Calcule o valor das expressões, usando as propriedades do triângulo de Pascal:
5 5 5 5 5 5 4 4
a) ( ) + ( ) + ( ) + ( ) + ( ) + ( ) d) ( ) + ( )
0 1 2 3 4 5 3 4
8 8 9 9
b) ( ) + ( ) e) ( ) + ( )
6 2 5 4
5 5 8 8 8 8
c) ( ) + ( ) f) ( ) + ( ) + ( ) + ( )
3 4 0 1 2 3
9) Simplifique:
10 10 11 12
( )+( )+( )+( )
7 8 9 10
13
( )
10
𝑥 𝑥 𝑥+1
10) Sabendo-se que (𝑦) = 28 e (𝑦 + 1) = 56, qual o valor de (𝑦 + 1).
𝑝 𝑝 𝑝+1
11) Sabendo-se que (𝑞 + 1) = 15 e (𝑞 + 2) = 6, qual o valor de (
𝑞+2
).

12) Resolva a equação ( 5 ) = ( 5 ).


2𝑥 𝑥+2

13) Resolva a equação (8) + (8) = ( 9 ).


6 7 𝑥+3
EXERCÍCIOS DE VESTIBULARES
1 150
14)(FMJ-SP) No desenvolvimento do binômio (2𝑥 3 +
𝑥2
) segundo as potências decrescentes de 𝑥 , o
termo independente de 𝑥 é o:
a) 71º b) 85º c) 91º d) 100º e) 121º

6
7 . RESPOSTAS
1) a) 𝑥 5 + 10𝑥 4 + 40𝑥 3 + 80𝑥 2 + 80𝑥 + 32
b) 𝑎4 − 12𝑎3 + 54𝑎2 − 108𝑎 + 81
5 10 10 5 1
c) 𝑥 5 + 3 𝑥 4 + 𝑥 3 + 27 𝑥 2 + 81 𝑥 + 243
9
15 5 15 3 1
d) 𝑥 6 − 3𝑥 5 + 𝑥 4 − 2 𝑥 3 + 16 𝑥 2 − 16 𝑥 + 64
4
1
e) 27𝑥 3 − 9𝑥 2 + 𝑥 − 27
f) 𝑥 14 − 7𝑥 12 + 21𝑥 10 − 35𝑥 8 + 35𝑥 6 − 21𝑥 4 + 7𝑥 2 −
1
g) 28 + 16√3
4 1
h) 𝑥 4 + 4𝑥 2 + 6 + 𝑥 2 + 𝑥 4
i) 220√5 − 284√3
1 3𝑥 15 5𝑥 3 15𝑥 4
j) − 16 + 16 𝑥 2 − + − 3𝑥 5 + 𝑥 6
64 2 4

2) 𝑎=3 e𝑏=1

3) a) 84𝑥 3
5
b) −8 064𝑥 5𝑎
c) 𝑇2 = −20𝑥19 e 𝑇20 = −20𝑥

4) a) Não existe o termo independente de 𝑥, pois


𝑘∉ℕ
b) Não existe o termo independente de 𝑥, pois
𝑘∉ℕ
c) T4 = −20

5) a) T5 = 1 120𝑥 4
28
b) T6 = 27 𝑥 5

6) 6 400

7) 4º termo e o coeficiente é 20.


“Você constrói a sua vitória.”
8) a) 32 “A perseverança alimenta a esperança.”
b) 56
c) 15
d) 5 Nunca deixe que lhe digam:
e) 252 Que não vale a pena
Acreditar no sonho que se tem
f) 93
Ou que seus planos
9) 1 Nunca vão dar certo
Ou que você nunca
10) 84 Vai ser alguém...
Renato Russo
11) 21
Atualizada em 28/07/2017
12) 𝑥 ′ = ou 𝑥" = 2
1
Gostou da Apostila? Você a encontra no
2
site:
13) 𝑥 = −1 http://gilsilva10.wixsite.com/inicio/apostilas-
de-matematica
14) Alternativa c) Link! Dê uma olhada.

Referências
DANTE, L.R. Matemática: Contexto & Aplicações. 1. Ed. São
Paulo: Ática, 2000, v.2.
IEZZI, G.; DOLCE, O. DEGENSZAJN, D.; PÉRIGO, R.; AL-
MEIDA, N. Matemática: Ciências e Aplicações. 1. Ed. São
Paulo: Atual, 2001, v.2.
7

Você também pode gostar