Você está na página 1de 12

3º Congresso de Arquitetura Turismo e Sustentabilidade – CATS

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE ACÚSTICA NO ENTORNO DO


COLÉGIO BRASILEIRO DE ALTOS ESTUDOS – UFRJ

Nayara Vasconcelos Gevú (1); Fernanda Chagas da Costa (2); Maria Lygia
Alves de Niemeyer (3)

(1) Arquiteta, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura da UFRJ,


nayaragevu@gmail.com


(2) Arquiteta, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura da UFRJ,


hollychagas@gmail.com

(3) Arquiteta, D. SC, Professora do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura da


UFRJ, lygianiemeyer@gmail.com


Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo,


Programa de Pós-graduação em Arquitetura, Av. Pedro Calmon, 550/sl. 433. Prédio da
Reitoria, Ilha do Fundão, Rio de Janeiro-RJ. CEP: 21941-590, Tel.: (21) 2598-1661 (21)
2598-1662

1
RESUMO
Um dos maiores problemas ambientais nas grandes cidades está relacionado à poluição
sonora e suas consequências para a qualidade de espaços livres e edifícios. Entre as
inúmeras fontes sonoras que provocam essa degradação na qualidade do meio ambiente
e o ruído de tráfego se apresenta como um dos mais comuns. O presente artigo propõe
uma análise do impacto do ruído emitido pelos veículos que trafegam pelas Avenidas Rui
Barbosa e Infante Dom Henrique (Aterro do Flamengo) sobre o Colégio Brasileiro de Altos
Estudos, da UFRJ. A metodologia da pesquisa envolveu as seguintes etapas: (1) pesquisa
bibliográfica; (2) visitas ao local para reconhecimento do edifício e identificação das fontes
sonoras externas ao edifício; (3) medição dos níveis de pressão e contagem classificada
de veículos e (4) análise crítica dos resultados.

Palavras Chave: ruído de tráfego, conforto acústico, poluição sonora.

ABSTRACT

One of the biggest environmental problems in major cities is related to noise pollution and
its consequences for the quality of free spaces and buildings. Among the numerous noise
sources that cause degradation in the quality of the environment, the traffic noise is
presented as one of the most common. This article proposes an analysis of the impact of
noise emitted by vehicles that travel by the Rui Barbosa and Infante Dom Henrique Avenues
(Aterro do Flamengo) on the Brazilian College for Advanced Studies, UFRJ. The research
methodology involved the following steps: (1) bibiographical research; (2) site visits to the
building recognition and identification of external sound sources to the building; (3)
measurement of pressure levels and classified counting of vehicles and (4) critical analysis
of the results.

Keywords: traffic noise, acoustic comfort, noise pollution.

1. INTRODUÇÃO

O Conjunto Arquitetônico da Avenida Rui Barbosa, abrange uma área de mais de 5.400m²
e foi construído em 1922 pela prefeitura do Rio de Janeiro como Hotel Sete de Setembro,
para sediar a Exposição Internacional em comemoração ao Centenário da Independência.
O conjunto sediou também o Internato da Escola de Enfermagem Anna Nery, de 1926 a
1973, a Casa do Estudante Universitário, de 1973 a 1995. Em 1989, o Conjunto
Arquitetônico teve tombamento definitivo pelo INEPAC. Em 2009, o Plano Diretor UFRJ-
2020, aprovado pelo Conselho Universitário, estabeleceu que o conjunto da Avenida Rui

2
Barbosa sediaria o Colégio Brasileiro de Altos Estudos (CBAE) da Universidade Federal
do Rio de Janeiro (UFRJ).

Às margens da enseada de Botafogo (fig. 1), com vista para o Morro do Pão de Açúcar e
o Aterro do Flamengo, esse conjunto, além da localização privilegiada, tem uma arquitetura
singular, tanto pelo partido arquitetônico quanto pelas circunstâncias especiais de sua
construção à época e pela sua tipologia balneária (HERMES, 2007).

Figura 1: Internato da Escola de Enfermagem Anna Nery, em 1926.


Fonte: A Escola de Enfermagem Anna Nery Sua História Nossas Memórias

O CBAE integra o Fórum de Ciência e Cultura (FCC|UFRJ), voltado para o fomento da


pesquisa e da interação interdisciplinares, e para tanto, é necessária além de uma estrutura
física e didática, a qualidade dos espaços através do conforto ambiental para as atividades
desenvolvidas. O edifício anexo foi integralmente restaurado e atualmente se encontra em
pleno funcionamento, passando apenas por etapas de conservação (fig. 2). Dispõe de dois
grandes salões de múltiplo uso, que tem como uso principal o funcionamento como
auditório, além de salas de trabalho e administração. Já o edifício principal encontra-se em
processo de restauração e prevê, além do uso de bar/cozinha e áreas de estar, salas de
conferência (fig. 3). Ambas as edificações possuem varandas como áreas nobres, que
funcionam como extensões dos espaços internos, possibilitando um maior conforto térmico
através da ventilação, como também expondo esses espaços sensíveis internos ao ruído.
Essa interferência de ruídos externos é prejudicial ao conforto dos usuários das salas de
conferência, espaços de trabalho e estar.

3
Figuras 2 e 3: Edifício anexo e edifício principal do CBAE.
Fonte: Nayara Gevú (julho/2016)

Atualmente, como ocorre com frequência com outros bens tombados, o edifício encontra-
se inserido em um contexto urbano completamente diferente do original, tendo sua fachada
frontal paralela às vias de tráfego intenso. Construídas na década de 60 sobre sucessivos
aterros na Baía de Guanabara, as vias do Aterro do Flamengo fazem parte de uma
importante ligação entre o Centro e a Zona Sul da Cidade, estendendo-se do Aeroporto
Santos-Dumont até a Praia de Botafogo. Essas vias eram interligadas ao Elevado da
Perimetral, que foi derrubado em razão das reformulações viárias às quais a Cidade do Rio
de Janeiro vem sofrendo em decorrência dos grandes eventos do seu calendário, no caso
a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016. Também neste ano, em
substituição ao Elevado, as vias voltaram a receber diretamente o fluxo de veículos da
Avenida Brasil e da Ponte Rio-Niterói, através da inauguração do túnel Marcelo Allencar,
apontado como o maior túnel rodoviário urbano do país (DAVID, 2016). Na Avenida Ruy
Barbosa, embora menos intenso, o tráfego de veículos de serviço e ambulâncias do
Hospital Fernandes Figueira provoca variações súbitas no nível de ruído local.

2. OBJETIVO

Este trabalho tem por objetivo apresentar a analise do impacto do ruído de tráfego sobre o
edifício do CBAE. Os resultados poderão ser usados como subsídio para o projeto de
arquitetura e restauro do edifício principal e para adequação acústica do auditório em
funcionamento.

3. MATERIAIS E MÉTODOS

3.1. Parâmetros de conforto acústico


4
O nível de ruído no entorno imediato do edifício deve atender às recomendações da norma
ABNT NBR-10151/2000 (Avaliação do Ruído em Áreas Habitadas Visando o Conforto da
Comunidade), utilizada como referência para controle da poluição sonora pela Resolução
CONAMA 01/90. No município do Rio de Janeiro, os níveis máximos de ruído são definidos
pela Lei 3268 (29/08/2001) em função do zoneamento de uso e ocupação do solo, por
similaridade com a NBR-10151 (quadro 1).

Quadro 1: Zoneamento Sonoro da cidade do Rio de Janeiro, por similaridade com a NBR 10151/2000.

Período
Tipos de Áreas Zoneamento Municipal (RJ)
Diurno Noturno

Zonas de preservação e conservação de unidades


45 40 ZCVS, ZPVS, Áreas Agrícolas.
de conservação ambiental e zonas agrícolas

Residencial urbano 55 50 ZRU, ZR 1, ZR 2, ZR 3, ZRM, ZOC

ZR 4, ZR 5, ZCS, CB, ZUM, ZT, ZIC,


Zonas de negócios, comércio, administração 65 60
ZP, ZC, AC

Área predominantemente industrial 70 65 ZPI, ZI

O CBAE está localizado no Bairro do Flamengo, na Zona Sul do município do Rio de


Janeiro, situado em Zona Residencial Urbana (ZR2), onde o limite máximo de ruído é 55
dB(A) no período diurno e 50 dB(A) no período noturno, de acordo com a Lei 3268/2001
(fig. 4).

Figura 4: Localização do edifício em função do zoneamento.


Fonte: http://mapas.rio.rj.gov.br/

5
Para a análise do ruído ambiental da área foram realizadas medições de ruído de tráfego,
bem como a contagem classificada de veículos. As análises foram feitas apenas no período
diurno, em função dos horários das atividades dos prédios, que são relacionadas à
pesquisa e estudos.

A norma ABNT NBR-10152/1987 (Níveis de Ruído para Conforto Acústico) estabelece os


limites de conforto para ambientes internos da edificação, indispensáveis para evitar a
interferência negativa do ruído de fundo principalmente em compartimentos destinados ao
repouso ou às atividades que exijam solicitação intelectual e concentração (quadro 2).

Quadro 2: Níveis de ruído para conforto acústico (NBR 10152/2000).

Locais dB(A) NC

Salas de Conferências, Cinemas, Salas de Uso Múltiplo 35 - 45 30 – 35

Restaurantes 40 - 50 35 – 45

Salas de Reunião 30 – 40 25 – 35

Salas de Gerência, Salas de Projetos e de Administração 35 – 45 30 – 40

Os espaços propostos para o CBAE são, além de salas de conferência, salas de múltiplo
uso, salas de trabalho e administração e necessitam atender aos níveis de ruído
recomendados pela norma, por se tratarem de espaços sensíveis.

Os sistemas de vedações, elementos construtivos responsáveis pelo isolamento de ruídos


aéreos, devem garantir que o nível de ruído de fundo no interior do edifício esteja em
conformidade com a norma NBR 10152 e que a emissão de ruído para o entorno não
ultrapasse os limites definidos pela NBR 10151 e pela legislação municipal.

3.2. Trabalho de campo

3.2.1. Medições de Nível de Pressão Sonora (NPS)

As medições de Nível de Pressão Sonora (NPS) foram realizadas simultaneamente à


contagem de veículos, entre às 10:00 e 13:00, por períodos de 5 minutos, com um medidor
integrador digital Instrutemp/modelo ITDEC4080 e calibrador Instrutemp/modelo
ITCAD5000, com função para cálculo automático de Nível de Ruído Equivalente na curva
"A" (LAeq) e do ruído de Pico na curva "C" (LCpk). Os níveis foram medidos na escala A,
expressa em dB(A) e utilizou-se o tempo de ponderação fast (rápido) do medidor (fig. 5).

6
Figura 5: Equipamento de medição.
Fonte: Nayara Gevú (julho/2016)

As medições seguiram os procedimentos recomendados pela norma ABNT NBR


10151/2000 (Acústica-Avaliação do Ruído em Áreas Habitadas Visando o Conforto da
Comunidade), com aferição do equipamento dentro dos padrões determinados para o
ensaio e com o posicionamento a 1,20m acima do piso e afastado em pelo menos 2,00m
do limite de qualquer superfície refletora, tais como paredes, muros, etc. Foram definidos
para a realização das medições quatro pontos estratégicos da Avenida Rui Barbosa (fig.
6) e dois pontos da Avenida Infante Dom Henrique (fig. 7).

Figuras 6 e 7: Proximidade da Avenida Rui Barbosa com o CBAE e Avenida Infante Dom Henrique.
Fonte: Nayara Gevú e Fernanda Chagas (julho/2016)

7
3.2.2. Contagem de veículos
A contagem dos veículos foi feita de forma classificada entre leves e pesados
(considerando leves como automóveis e utilitários e pesados sendo caminhões, ônibus, e
também motos, devido ao nível de pressão sonora produzido). A contagem foi realizada
em uma sexta-feira, dia 29 de julho de 2016, das 10:00 às 11:00 na Avenida Rui Barbosa
e das 11:00 às 13:00 na Avenida Infante Dom Henrique (fig. 8).

Figura 8: Equipamento de contagem.


Fonte: Nayara Gevú (julho/2016)

4. RESULTADOS

De acordo com a NBR-10151, no bairro estudado, considerado uma área residencial


urbana, o Nível Critério de Avaliação (NCA) para ambientes externos é de 55dB(A) no
período diurno e 50 dB(A) no período noturno. Considerando a média aritmética dos dados
coletados em relação ao nível de pressão sonora, nível de pressão sonora equivalente,
observa-se pelos dados levantados que no período diurno todos os pontos medidos (fig. 9)
nas vias apresentaram níveis fora dos recomendados pela referida norma (quadro 3).

8
N
A

D
F

Figura 9: Pontos de medição


Fonte: Google Earth - adaptado (julho/2016)

Nível de Pressão Sonora Equivalente (LAeq) é, por definição, “o nível que, na hipótese de
poder ser mantido constante durante o período de medição, acumularia a mesma
quantidade de energia acústica que os diversos níveis variáveis acumulam no mesmo
período” (NBR 10151/2000).

Quadro 3: Resumo das medições (29 de julho 2016).

Pontos Local Principais fontes sonoras LAEq

A Avenida Rui Barbosa, nº 430 Veículos leves e pesados 70,1

B Avenida Rui Barbosa, nº 636 Veículos leves e pesados 69,3

C Avenida Rui Barbosa, nº 716 Veículos leves e pesados 70,4

D Avenida Rui Barbosa, nº 830 Veículos leves e pesados 70,6

E Avenida Infante Dom Henrique Veículos leves e pesados 78,4

F Avenida Infante Dom Henrique Veículos leves e pesados 79,0

Os pontos D e C apresentam os maiores níveis LAEq da Avenida Rui Barbosa justificando


a proximidade com os acessos à Avenida Infante Dom Henrique e ao sinal de trânsito
9
localizado em frente ao hospital, e consequente maior aceleração e frenagem dos veículos
(quadro 4).

Existem também os chamados índices estatísticos, calculados a partir de uma série de


registros de pressão sonora instantânea, em um determinado intervalo de tempo.
Admitindo-se como independentes entre si os valores encontrados, são traçadas curvas
de distribuição estatística dos níveis registrados. Os critérios para escolha da amostra
devem garantir que esta seja representativa e que a distribuição de probabilidades se
aproxime da realidade. Entre os níveis estatísticos, dois são de particular interesse:

(L90) é nível ultrapassado em 90% do tempo de medição, usado para estimar o nível de
ruído de fundo;

(L10) é o nível sonoro ultrapassado em 10% do tempo de medição, usado na avaliação do


nível de ruído de pico (NIEMEYER, 2007).

Quadro 4: Medições (29 de julho 2016).

Pontos Local LAEq L10 L90 Início Fim Interferências / outras fontes

A Avenida Rui Barbosa 70,1 72,4 61,8 10:23 10:28 Carrinho passando

B Avenida Rui Barbosa 69,3 72,3 61,0 10:33 10:38

C Avenida Rui Barbosa 70,4 73,6 62,1 10:41 10:46 Furadeira/Pessoa gritando

D Avenida Rui Barbosa 70,6 74,1 63,8 10:48 10:53 Porta de carro batendo

E Av. Inf. D. Henrique 78,4 81,6 71,9 11:00 11:05

F Av. Inf. D. Henrique 79,0 82,0 74,5 11:36 11:41 Buzina/Sirene

Através da contagem classificada de veículos, observa-se a relação direta entre o nível de


pressão sonora medido em dB(A) com o volume do tráfego, principalmente comparando
as vias da Avenida Infante Dom Henrique com a Avenida Rui Barbosa (quadro 5).

Quadro 5: Contagem de veículos (29 de julho de 2016)

Via de tráfego Veículos leves/h Veículos pesados/h Total/h

Av. Rui Barbosa 1249 (83,7%) 244 (16,3%) 1493

Av. Infante Dom Henrique (Sentido Zona Sul) 2514 (86,0%) 408 (14,0%) 2922

Av. Infante Dom Henrique (Sentido Centro) 2358 (89,1%) 288 (10,9%) 2646

10
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A poluição sonora é um dos maiores problemas ambientais nos grandes centros urbanos
e, por muitas vezes, ignorada dentro do campo da Arquitetura e Urbanismo. Essa poluição
ocorre quando o som altera a condição normal de audição em um determinado ambiente
e, embora não se acumule no meio ambiente como outros tipos de poluição, causa vários
danos à qualidade de vida das pessoas, tornando-se um problema de saúde pública
mundial. Através desse trabalho é possível diagnosticar os impactos causados pelas
sonoridades que o trecho urbano onde insere-se o objeto desse estudo têm durante o dia.
Além disso, fornece subsídios para soluções projetuais futuras tanto na escala
arquitetônica quanto na escala urbana.

No caso do CBAE, o conforto ambiental é fundamental para o desenvolvimento das


atividades inerentes ao seu uso atual: um Colégio de Altos Estudos. A partir dos resultados
obtidos através das medições e das contagens de veículos, é possível afirmar que essas
vias de tráfego intenso causam influência sonora externa acima dos limites considerados
ideais, impactando significativamente no conforto acústico do ambiente de entorno do
edifício. Importante destacar que o projeto do Aterro do Flamengo, por sua configuração
paisagística composta por massa vegetal densa e diferentes texturas de recobrimento,
auxilia na dissipação do som e/ou como barreira acústica (NIEMEYER; CORTÊS; AGUIAR;
CHAVES, 2015), amenizando o impacto sonoro que poderia ser ainda maior não fossem
essas características do Parque. A paisagem sonora da Avenida Infante Dom Henrique
apresenta uma diversidade de sons que difere da encontrada na Avenida Rui Barbosa,
além de apresentar níveis de pressão sonoras mais elevados e maior quantidade de
veículos que circulam por ela. O fluxo também intenso de veículos da Avenida Rui Barbosa
e a movimentação gerada pelo Hospital vizinho são as principais fontes de impacto de
ruído das imediações do Colégio. Tendo em vista as características do Aterro do Flamengo
e sua importância para a Cidade, e considerando que esse contexto externo não pode ser
modificado em função das necessidades acústicas do CBAE, recomenda-se a melhor
adaptação do próprio edifício em relação à nova realidade da configuração urbana do seu
entorno, visando ao atendimento dos valores ideais de qualidade sonora que os espaços
necessitam.

6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10.151: Avaliação


do nível do ruído em áreas habitadas visando o conforto da comunidade. Rio de
Janeiro, 2000.

11
______. NBR 10.152: Níveis de Ruído para Conforto Acústico. Rio de Janeiro, 1987.

CORTÊS, Marina Medeiros; HOLANDA, Claudia; NIEMEYER, Maria Lygia. Integração de


critérios qualitativos à avaliação sonora da Pedra do Sal e seu entorno, Rio de
Janeiro, Brasil. In: ENCAC/ELACAC 2015 - XIII Encontro Nacional e IX Encontro Latino-
americano de Conforto no Ambiente Construído, 2015, Campinas, São Paulo. Anais do XIII
Encontro Nacional e IX Encontro Latino-americano de Conforto no Ambiente Construído,
2015.

DAVID, Flavia. Prefeitura entrega o novo Túnel Prefeito Marcello Alencar na Região
Portuária. Disponível em: <http://www.rio.rj.gov.br/web/guest/exibeconteudo?id=6214944
>. Data de acesso: 29/08/2016.

HERMES, Maria Helena da Fonseca. O antigo Hotel Balneário Sete de Setembro:


arquitetura eclética de tendência clássica. III Encontro de História da Arte, UNICAMP,
2007.

INEPAC. Casa do Estudante Universitário. Arquivo do Departamento de Pesquisa e


Documentação. Pesquisa feita em 06/01/2016.

NIEMEYER, Maria Lygia; CORTÊS, Marina Medeiros; AGUIAR, Felipe Machado de;
CHAVES, Maria Luiza C. de Niemeyer S. C.. Metodologia para avaliação acústica de
espaços livres (Parque do Aterro do Flamengo, RJ). In: Euro-ELECS 2015 - Latin-
American and European Conference on Sustainable Buildings and Communities, 2015,
Guimarães, Portugal. Connecting People and Ideas. Proceedings of EURO ELECS 2015,
2015. v. 2. p. 981-990.

12

Você também pode gostar