Você está na página 1de 12

Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Curso de Graduação em Geologia


Disciplina: Química Geral e Inorgânica - Teórica
Alunos: Cibele Saudino, Gessylene Brasil e Mariana Ximenes

Termodinâmica
Química - 1ª Lei

Rio de Janeiro
2018
Para entender a Primeira lei da Termodinâmica, é preciso, inicialmente, compreender três
grandezas físicas importantes: o trabalho, o calor e a energia interna.

● Calor

q​ = quantidade de calor trocado com o meio


O calor é uma forma de energia em trânsito, que surge sempre que existe uma diferença de
temperatura entre as partes de um sistema. E ​q​ é um número positivo quanto o sistema
absorve calor do meio externo. Quando o fluxo de calor está na direção oposta, isto é, quando
o sistema perde calor para o meio externo, ​q​ é um número negativo. O processo pelo qual
um sistema absorve calor é chamado de endotérmico, e aquele no qual o sistema perde calor
chamado exotérmico. Em resumo:

Endotérmico (o sistema recebe calor) = Positivo → ​q > 0


Exotérmico (o sistema perde calor) = Negativo → ​q < 0

O calor flui naturalmente de um sistema mais quente (temperaturas mais elevadas) para um
sistema mais frio (temperaturas mais baixas). Entretanto, é possível “transferir” calor de um
meio mais frio para um mais quente e um gasto de energia é necessário para tal troca de calor
num sentido não-natura.

● ​Trabalho

Realizar trabalho sobre um sistema é uma maneira de aumentar a energia do sistema. O


trabalho é geralmente representado pelo símbolo ​w​, e é definido como:

w​ = movimento contra uma força oposta

O trabalho pode ser feito sobre o meio externo, ou o meio externo de um sistema pode
realizar trabalho sobre este. Para qualquer sistema, ​w​ é um número positivo quando as
vizinhanças realizam trabalho sobre o sistema e negativo quando o sistema realiza trabalho
sobre as vizinhanças. Resumindo:
Aumento da energia no sistema (o sistema recebeu trabalho)
→ ​w > 0
Redução da energia no sistema (o sistema realizou trabalho)
→ ​w < 0

É necessário destacar que, o trabalho pode ser exercido de duas maneiras: para ocorrer
expansão, o sistema precisa realizar o trabalho. Já para ocorrer compressão, o trabalho é feito
sobre o sistema.

Expansão (o sistema realiza trabalho)


→ ​Negativo: w < 0
Compressão (trabalho é feito sobre o sistema)
→ ​Positivo: w > 0

●​ ​Energia

A energia é geralmente representada pelo símbolo U. Ainda que a energia absoluta de um


sistema não possa ser medida, variações na energia de um sistema são mensuráveis. E a
variação na energia de um sistema se escreve como ΔU.
ΔU = U final - U inicial

ENERGIA INTERNA (U): capacidade de um sistema realizar trabalho


ΔU​ à Variação da energia interna do gás:
A energia interna aumenta, portanto, sua temperatura aumenta→ ​ΔU > 0
A energia interna diminui, portanto, sua temperatura diminui. → ​ΔU < 0

Considerações finais: ​ΔU​, Calor e Trabalho


o A energia não pode ser criada ou destruída;
o A energia (sistema + vizinhança) é constante;
o Toda energia retirada de um sistema deve ser transferida para as vizinhanças (e
vice-versa).
A partir da primeira lei da termodinâmica:
o Quando um sistema sofre qualquer mudança física ou química, a variação obtida em sua
energia interna, DU, é dada pelo:
❖ Calor adicionado ou liberado pelo sistema, q;
❖ O trabalho realizado pelo ou no sistema.

Primeira Lei da Termodinâmica

Ao referirmos à primeira lei da termodinâmica podemos dizer que ela nada mais é do que a
lei da conservação de energia e pode ser aplicado em quaisquer processos em que a energia
de um sistema é trocado com o meio externo na forma de calor e trabalho, ou seja, em um
processo termodinâmico, a energia total de um sistema se conserva.
O entendimento da termodinâmica impulsionou e foi impulsionado pela 1ª Revolução
Industrial, na qual máquinas utilizavam calor para fornecer trabalho mecânico (as máquinas a
vapor) dando origem aos motores e refrigeradores de hoje.
Assim temos enunciada a primeira lei da termodinâmica: a variação de energia interna ​ΔU
de um sistema é igual à diferença entre o calor ​q​ trocado com o meio externo e o trabalho ​w
por ele realizado durante uma transformação.
Assim, podemos expressar a primeira lei da termodinâmica, em termos matemáticos, da
seguinte maneira:

Q = T + ΔU
Conceito de Entalpia
Como vimos anteriormente, ​a ​primeira lei da termodinâmica indica que a quantidade
de calor que é absorvida ou liberada pelo sistema durante uma variação depende de como a
variação ocorre. Em outras palavras, depende de quanto trabalho é feito durante o processo.
Caso o sistema seja impedido de se expandir ou de se contrair, ou seja, caso seja mantido em
volume constante, não poderá fazer trabalho nem pode ser feito trabalho sobre ele durante
qualquer transformação. Em processos em que nenhum trabalho de expansão pode ser feito, a
primeira lei mostra que:
q = Δ U - w = Δ .U – 0 = Δ U (a volume constante).
O que significa que o calor absorvido durante um processo a volume constante é igual
à variação da energia do sistema.
● A entalpia
No laboratório, a maioria dos processos são conduzidos à pressão constante, ou quase
constante, e não a volume constante, como ressaltamos anteriormente. A quantidade de calor,
q​, absorvido durante o processo tem um valor fixo. Da primeira lei vemos que:

O calor absorvido durante o processo é igual ao aumento na energia do sistema


menos qualquer trabalho realizado sobre o sistema. O calor absorvido sob condições de
pressão constante é representado de um modo especial. É chamado ​variação de entalpia​, Δ
H, do sistema.
Em outras palavras, a energia não pode ser criada nem destruída, apenas transformada
de um tipo em outro. Toda substância guarda determinada quantidade de energia química,
que se transforma em calor ao reagir. O total de energia armazenada nos reagentes e nos
produtos de uma reação chama-se ​entalpia (H)​, medida em quilojoule (​kJ​).
Numa reação química, a entalpia dos produtos e a dos reagentes varia. ​A
variação de entalpia​ é dada por:
ΔH = H p − H r , em que:
● Δ H​ é a variação de entalpia;
● Hp ​é a entalpia dos produtos;
● Hr ​é a entalpia dos reagentes.
Resumindo, variação de entalpia, Δ H, é uma quantidade usada para indicar o total de
calor absorvido ou liberado durante um processo realizado à pressão constante.
Observe o seguinte exemplo:
Uma certa reação acontece a uma pressão constante. Durante todo o processo, o
sistema absorve das vizinhanças 145 kJ de calor, e como o sistema expande-se no decorrer
reação, ele realiza um trabalho de 25 kJ sobre as vizinhanças. Calcule o valor de q, w, Δ U,
ΔH do sistema.
Solução: Temos que:
q = 145 kJ
w = -25 kJ
Como o processo se realiza à pressão constante,
Δ H = q = 145 kJ
Da primeira lei, temos que:
Δ U = q+ w​ = 145 kJ + (-25 kJ) = 120 kJ.

● Diagramas de Entalpia
A variação de entalpia pode ser representadas em diagramas. Observe os seguintes
exemplos de diagrama de entalpia para uma reação exotérmica e endotérmica:

No primeiro diagrama temos uma reação exotérmica, e no segundo, endotérmica. Nos


diagramas, a medida de entalpia está sendo indicada no eixo vertical. O ponto Hr representa a
entalpia dos reagentes. Note que essa entalpia permanece constante enquanto a reação não
tem início. Quando a reação se completa, a entalpia dos produtos (Hp) está num ponto
diferente, no eixo vertical, acima ou abaixo do ponto Hr. Logo, isso signica que a entalpia
variou. A diferença de altura entre as duas retas indica a medida da variação de entalpia (∆H)
de cada uma das reações, e o sentido dessa variação mostra se a reação é exotérmica ou
endotérmica.
● Entalpia de combustão
Qualquer combustão é uma reação na qual um combustível reage com o comburente
oxigênio (O2) liberando energia, ou seja, toda combustão é uma reação exotérmica. A
combustão completa de uma substância orgânica acontece quando, na reação com o oxigênio
do ar, formam-se gás carbônico (CO2) e água (H2O). A combustão incompleta libera menos
calor que a completa: para uma mesma quantidade de combustível, a combustão incompleta
produz menos energia.
❏ Combustão completa:
CH4(g) + 2 O2(g) →CO2(g) + 2 H2O(g)
∆H = – 802 kJ/mol
❏ Combustão incompleta:
CH4(g) + 3/2 O2(g)→ CO(g)+ 2 H2O(g)
∆H = – 520 kJ/mol
● Entalpia padrão
Em um laboratório, apenas conseguimos medir a variação de energia de uma reação.
Para prevermos o quanto de calor será absorvido ou liberado de uma reação, os químicos
criaram um padrão e, a partir dele, uma escala relativa: ​a entalpia-padrão( H 0 )​. A partir
dessa escala, podemos definir a energia química de cada substância.
Numa reação de combustão, definimos em entalpia-padrão de combustão. Nas reações
que formam uma substância composta a partir de substâncias simples, falamos em
entalpia-padrão de formação. A entalpia-padrão é sempre dada para a substância em seu
estado físico mais comum nas condições-padrão. Por convenção, as substâncias simples
(compostas de um único elemento químico, como C(s), O2(g), H2(g) e Fe(s)) têm entalpia
zero.

● Entalpia de formação
Os gases hidrogênio (H2) e oxigênio (O2) são substâncias simples ou seja, têm
entalpia-padrão zero. Mas, ao reagir, os dois gases produzem água. A seguir, temos uma
reação exotérmica:

H2(g) +½ O2 (g)→ H2O(l) ΔH 0 = – 286 kJ


Como a água é o único produto formado pela reação, concluímos que toda a entalpia
está nas moléculas de água. Esse valor é chamado ​entalpia-padrão de formação ​( ΔH f0 ). O
valor da entalpia-padrão de formação é sempre calculado para um mol da substância
produzida. Todas as substâncias têm a entalpia de formação medida em laboratório. A seguir,
entalpia-padrão de formação de algumas delas:
● Capacidade Calorífica

A capacidade calorífica determina a quantidade calor que um corpo precisa receber


para alterar sua temperatura em uma unidade. Cada corpo comporta-se de forma diferente ao
receber uma determinada quantidade de calor, e um exemplo em que podemos perceber isso
facilmente ocorre na praia. A areia e a água do mar estão submetidas à mesma fonte de calor,
o sol, mas a areia fica muito mais quente do que a água. Isso acontece porque a areia e a água
possuem capacidades térmicas diferentes.
Sendo assim, a capacidade térmica é uma grandeza que depende da quantidade de calor
recebida e da variação de temperatura sofrida por um corpo. Ela pode ser definida da seguinte
forma:

“​A capacidade térmica (C) é a razão entre a quantidade de calor (Q) recebida por um corpo
e a variação de temperatura (ΔT) sofrida por ele.”

C = ​Q

ΔT

A unidade de medida da capacidade térmica no Sistema Internacional é calorias por grau


Celsius (cal/ºC).

A capacidade térmica é uma propriedade dos corpos que depende apenas de sua
massa, sendo assim, dois corpos feitos do mesmo material podem sofrer variações de
temperatura diferentes ao receberem a mesma quantidade de calor se suas massas são
diferentes.

Um exemplo que pode ser aplicado na geologia é:

Uma massa de 50 gramas do mineral Biotita e uma massa de 1Kg do mesmo mineral,
se aquecidos, perdem a água da sua estrutura formando um novo mineral, vermiculita. A
quantidade de calor necessária para aquecer a massa de 50 gramas do mineral biotita será
maior que para aquecer a massa de 1Kg

Podemos concluir, portanto, que a capacidade térmica é proporcional à massa dos


corpos. Essa proporcionalidade é definida por uma grandeza denominada ​calor específico
(c)​, que é determinado pela razão constante entre a capacidade térmica e a massa de uma
substância, sendo expresso matematicamente pela equação:

C
c= m
A unidade de medida do calor específico é cal/g.ºC. Essa grandeza define a
quantidade de calor que deve ser fornecida ou retirada de cada 1 grama de um material para
variar sua temperatura em 1ºC.

A capacidade térmica e o calor específico dos materiais podem ser determinados com
o uso de um calorímetro um aparelho com isolação térmica utilizado para estudar as trocas de
calor entre corpos de diferentes temperaturas.
Exercícios

1) ​Uma quantidade de ar é expandida e realiza 5,0 kJ de trabalho. Quanto calor é fornecido ao


ar se a energia do ar aumenta em 2,0 kJ?
2) ​Se um corpo recebe 1000 cal e aumenta sua temperatura em 20ºC, sua capacidade térmica
é?
3) ​Qual é o calor envolvido na obtenção de gás hidrogênio pela reação entre água e gás
metano? Indique se esta reação é endotérmica ou exotérmica.
Dados: A equação: CH4 (g) + H2O(g)→ CO(g) + 3 H2(g).
❏ ∆H dos compostos:
❖ CH4(g) = –75 kJ/mol
❖ H2O(g) = –286 kJ/mol
❖ CO(g) = –108 kJ/mol

4)​ Defina Entalpia


Gabarito

1) ​O ar é expandido, então o trabalho é negativo:


ΔU = q + w
2=q- 5
q =7 kJ

2)​ ​C = ​Q ​= ​1.000​ = 50 cal/ºC


ΔT 20
3)
● A entalpia dos reagentes é a soma da entalpia da água e a do metano:
Hr = – 286 – 75 = –361

● A entalpia dos produtos é a soma da entalpia do CO e a do gás hidrogênio:


Hp = –108 + 0 = –108

● A variação de entalpia é:
∆H = Hp– Hr
Logo,
∆H = –108 – (–361) = 253 kJ
● Como o valor da entalpia é positivo, logo esta reação é endotérmica.

4) ​Toda substância guarda determinada quantidade de energia química, que se transforma em


calor ao reagir. O total de energia armazenada nos reagentes e nos produtos de uma reação
chama-se ​entalpia (H)
Bibliografia

RUSSELL, J.B. Química geral: volume I. 2ed. Pearson, 1994. 738p.

DALMOLIN, C. Primeira Lei da Termodinâmica Trabalho, Calor e Energia Entalpia.


Disponível em:
<​http://www.joinville.udesc.br/portal/professores/carlad/materiais/09_TermodinamicaI.pdf​>.
Acesso em: 27 de Maio de 2018, 10:28.

BISQUOLO, P. A. Termodinâmica (1): Calor, trabalho e rendimento. Disponível em:


<​https://educacao.uol.com.br/disciplinas/fisica/termodinamica-1-calor-trabalho-e-rendimento.
htm​>. Acesso em 27 de Maio de 2018, 10:28.

DOS SANTOS, J.C.F. Termodinâmica. Disponível em:


<​http://educacao.globo.com/fisica/assunto/termica/termodinamica.html​>. Acesso em: 27 de
Maio de 2018, 10:29.

TOFFOLI,L. Primeira Lei da Termodinâmica. Disponível em:


<​https://www.infoescola.com/fisica/primeira-lei-da-termodinamica/​>. Acesso em: 27 de Maio
de 2018, 10:29.

TEIXEIRA, Mariane Mendes. "Capacidade térmica"; ​Brasil Escola.​ . Acesso em 18 de junho


de 2018.