Você está na página 1de 4

ECONOMIA

Módulo Euterpe – Aula 05

Questão 1:
Em uma economia aberta, a taxa de câmbio é uma variável fundamental para a determinação do produto. Com
base em seus conhecimentos a respeito do funcionamento do mercado cambial e seus impactos no PIB, avalie
as assertivas a seguir como C ou E:

I. Em um regime de câmbio flutuante, a taxa de câmbio é determinada pelo equilíbrio entre oferta e demanda por
divisas estrangeiras. Nesse regime, não é permitida a intervenção do governo no mercado cambial.
II. Uma apreciação da taxa de câmbio significa que o preço do dólar no Brasil aumentou.
III. Quanto maior a taxa de câmbio, maior será a oferta de dólares no mercado cambial.
IV. Uma moeda nacional mais fraca tem um efeito positivo sobre o PIB.

Questão 2:
A adoção de diferentes regimes cambiais impõem limitações e possibilidades à execução das políticas
macroeconômicas. A esse respeito, julgue se as assertivas a seguir estão corretas ou erradas:

I. Em um regime de taxas de câmbio flutuantes, a autoridade monetária tem capacidade de fazer política monetária
eficaz, já que a taxa de câmbio não precisa ser mantida e pode ajustar-se a um novo equilíbrio.
II. Um regime de taxa de câmbio flutuante permite um ajuste automático do balanço de pagamentos de um país,
com tendência a valorização em caso de déficit.
III. Em um regime de câmbio fixo, a taxa de câmbio pode ser utilizada como mecanismo de combate à inflação.
IV. Em um regime de câmbio fixo, a autoridade monetária deve agir como agente “price maker”, aumentando ou
reduzindo a quantidade de divisas por meio de compra ou venda, de forma a manter a taxa de câmbio fixa. Assim,
havendo pressões para a desvalorização da moeda local, por exemplo, as autoridades monetárias devem atuar
comprando divisas.

Questão 3:
Considere que dois países apresentem o mesmo nível de risco para o mercado financeiro internacional. De início,
a taxa de câmbio entre as moedas dos dois países é igual a 2,5. Ou seja, são necessárias 2,5 unidades monetárias
do país A para comprar uma unidade monetária do país B. No país A, a taxa de juros é de 10% ao ano. No país B,
a taxa de juros é de nula. Considerando um investidor que possua inicialmente 100 unidades monetárias do país
A, a taxa de câmbio que, no período de um ano, torna esse investidor indiferente entre aplicar seu dinheiro no
país A ou no país B é:

a. 2,5
b. 2,25
c. 2
d. 1
e. 2,75

Questão 4:

Com base em seus conhecimentos a respeito da relação de longo prazo entre câmbio e juros, avalie as assertivas
a seguir:

I. Sob a regra da paridade de juros, quanto maior a inflação, maior a expectativa de desvalorização da moeda e,
consequentemente, menores deverão ser os juros oferecidos dentro do país.
II. Um princípio básico do estabelecimento do preço de um ativo é que o valor corrente de um ativo depende de
seu poder de compra futuro esperado.
III. Para comparar as taxas esperadas dos rendimentos oferecidos pelos depósitos em euro ou dólares, o
rendimento dos depósitos em euro deve ser expresso em termos de dólares, adicionando à taxa de juros do euro
a taxa de apreciação esperada do euro em relação ao dólar.
IV. Desconsiderando diferenças de risco e custos de transação, se a inflação esperada no Brasil for o dobro da
inflação esperada nos Estados Unidos, então os juros nominais no Brasil deverão ser o dobro dos juros nos Estados
Unidos.

Questão 5:

Considerando a evolução histórica do sistema financeiro internacional e os diferentes padrões monetários


estabelecidos, indique se as assertivas a seguir estão corretas ou erradas:

I. O primeiro padrão monetário internacional formalmente organizado foi o padrão ouro. Segundo esse padrão, o
papel-moeda das diferentes nações deveria possuir um volume equivalente de reservas em ouro.
II. Os ajustes de balanços de pagamentos superavitários eram feitos automaticamente para países que funcionavam
dentro do padrão-ouro.
III. A proposta final do acordo de Bretton Woods criava um importante mecanismo para o apoio aos países
deficitários, de forma a evitar que o equilíbrio recessivo imposto pelo padrão-ouro levasse o conjunto das nações
a uma situação de recessão. Esse mecanismo era o Fundo Monetário Internacional.
IV. A credibilidade da paridade do dólar ao ouro manteve-se estável no mercado internacional durante todo o
período em que estiveram vigentes as regras de Bretton Woods.

Questão 6:

Divergências em relação à gestão do câmbio têm sido cada vez mais frequentes no cenário internacional. A esse
respeito, avalie os itens abaixo:

I. Diversos países afetados pela crise financeira de 2008, em especial os Estados Unidos, assumiram como estratégia
de retomada de suas economias políticas macroeconômicas de enfraquecimento de suas moedas.
II. A alta nos preços das commodities provoca inflação e uma desvalorização do câmbio nos países exportadores
desses bens.
III. A expansão da oferta de dólares aumentou o poder de compra da moeda brasileira nos Estados Unidos.
IV. Em uma guerra cambial, os países esforçam-se para manter suas taxas nominais de câmbio relativamente
desvalorizadas, mantendo a taxa real de câmbio estável.

Questão 7:

O recente reavivamento da crise na Grécia deflagrou uma onda de questionamentos a respeito da


sustentabilidade do euro. A esse respeito, avalie se as afirmativas a seguir estão corretas ou erradas:

I. Países como Itália, Grécia, Portugal e Espanha possuíam, antes do euro, moedas fracas (lira, dracma, escudo e
pesetas, respectivamente). Esses países tiveram seu câmbio real valorizado com o euro e perderam
competitividade.
II. Quando o balanço de pagamentos de um país da zona do euro fica negativo, o conjunto dos países é obrigado a
desvalorizar o câmbio para equilibrar o fluxo externo do bloco.
III. Os ganhos de produtividade na Alemanha contribuíram para uma valorização real ainda maior do câmbio deste
país.
IV. Antes da crise de 2008, alguns países puderam manter níveis de gastos superiores a sua poupança interna em
função dos grandes fluxos externos que eram atraídos pela estabilidade do euro.
Questão 8:

Com base em seus conhecimentos sobre a atual situação do balanço de pagamentos brasileiro, julgue C ou E os
itens a seguir:

I. Nos últimos anos, transações correntes têm apresentado tendência negativa.


II. A balança comercial é deficitária desde o início do governo Dilma.
III. O saldo da conta capital e financeira é superado pelo saldo da conta de transações correntes.
IV. O Brasil tem volume substantivo de reservas internacionais capaz de oferecer um colchão de proteção contra
eventuais oscilações das contas externas.

Questão 9:

Com base em seus conhecimentos acerca do QE europeu, avalie:

I. O programa de QE, que consiste na aquisição tanto de dívida privada como pública, é essencialmente semelhante
aos programas conduzidos pelos Estados Unidos e Japão, em que os bancos centrais perspectivam que estas
transações reduzem as taxas de juro de longo prazo e conferem mais li quidez a ativos de maior risco.
II. Um dos principais argumentos a favor do QE é o aumento do preço dos ativos e a geração de maior riqueza que
será, ainda que em parte, transferida para a economia real.
III. Se a compra de dívida por parte do BCE não for acompanhada por um aumento da pressão regulamentar no
sentido de forçar os bancos a fornecerem liquidez a empresas do sector privado, o QE poder á não se traduzir
necessariamente no aumento desejável do investimento privado.
IV. Há uma diferença comportamental importante entre o investidor americano e o europeu: os americanos
culturalmente têm uma maior exposição ao mercado acionista, o que faz com que os efeitos do QE sejam mais
visíveis

Questão 10:

Com base em seus conhecimentos sobre macroeconomia, avalie as assertivas abaixo:

I. O fato de o Brasil ser devedor líquido contribui para que o produto interno bruto do país seja maior que o produto
nacional bruto.
II. Ao contrário dos fluxos de investimentos diretos, os fluxos de capitais de curto prazo são contabilizados como
“transações correntes” no Balanço de Pagamentos.
III. O aumento de importações, fretes e seguros provoca um aumento da renda líquida enviada ao exterior.
IV. Os juros sobre a dívida pública não são contabilizados como parte da renda disponível.
GABARITO:

1. EECC
2. CECE
3. Letra E
4. ECCC
5. CCCE
6. CECE
7. CEEC
8. CEE
9. CCCC
10. EEEE