Você está na página 1de 41

ERGONOMIA

Eduardo Marcatto
Eng.Ind.Mec. e Seg.Trab.
Espec. Ergonomia 1
ERGONOMIA

“Adaptar o Trabalho às Pessoas”


Ergonomia : Definição

“Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e seu


trabalho, equipamento e ambiente e, particularmente, a
aplicação dos conhecimentos de anatomia, psicologia e
fisiologia na solução dos problemas surgidos desse
relacionamento”

“Ergonomia é o conjunto dos conhecimentos científicos


relacionados ao homem e necessários à concepção de
instrumentos, máquinas, dispositivos que possam ser
utilizados com o máximo de conforto, segurança e eficiência”
(Wisner 1987).

“Ergonomia é arte na qual são utilizados o saber


tecnocientífico e o saber dos trabalhadores sobre sua
própria situação de trabalho” (Wisner 1994).
ERGONOMIA

17.1. Esta Norma Regulamentadora visa a


estabelecer parâmetros que permitam a adaptação
das condições de trabalho às características
psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a
proporcionar um máximo de conforto, segurança e
desempenho eficiente.

4
Campos da Ergonomia
• Físico
– Saúde do corpo
• Cognitivo
– Saúde da mente
• Organizacional
– Organização do Trabalho para
Saúde x Produtividade 5
Obrigações, Motivações e
Repercussões

6
CREA/
OIT CONSTITUIÇÃO CRM
FEDERAL
ACORDOS
CLT COLETIVOS

CÓDIGO
MPT
PENAL
POLÍCIA

CÓDIGO LEGISLAÇÃO/
INSS
CIVIL MOTIVAÇÃO
esocial
FUNDACENTRO

DECISÕES
JUDICIAIS
MTE/NRs

CIPA/CF
PROTOCOLOS
ANVISA CORPORAT. ABNT
COVISA NORMAS
PNSST INTERNAC.
Estado e CEREST
Município NRP / CRP ISO SINDICATO
Constituição Federal
CAPÍTULO II - DOS DIREITOS SOCIAIS
• Art.. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, o
lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e
à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta
Constituição.
• Art.. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de
outros que visem à melhoria de sua condição social :
XXII redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de
normas de saúde, higiene e segurança;
XXIII adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres
ou perigosas, na forma da lei;
XXVIII seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do
empregador, em excluir a indenização a que este está
obrigado, quando incorrer
em dolo ou culpa;
CLT - Legislação de Segurança e
Medicina do Trabalho
• LEI Nº 6.514, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1977
Altera o Capítulo V do Título II da Consolidação
das Leis do Trabalho, relativo à Segurança e
Medicina do Trabalho.

• PORTARIA MTB Nº 3.214, DE 08 DE JUNHO


DE 1978
Aprova as Normas Regulamentadoras - NR -
do Capítulo V, Título II, da Consolidação das
Leis do Trabalho, relativas a Segurança e
Medicina do Trabalho.
CÓDIGO PENAL
• Contravenção penal – § 2.º art. 19 da Lei
8.213/91
• Deixar de cumprir as normas de segurança e
higiene do trabalho;
• Pena de multa.
• Crime – art. 132 do CP – ―perigo para a vida
ou a saúde de outrem – Expor a vida ou a
saúde de outrem a perigo direto e iminente‖.
• Pena: detenção de 3 meses a 1 ano, se o fato
não constituir crime mais grave.
CÓDIGO CIVIL
• Art. 186 do Novo Código Civil – ―Aquele
que, por ação ou omissão
voluntária, negligência ou imprudência, violar
direito e causar dano a outrem, ainda que
exclusivamente moral, comete ato ilícito‖

• Não cumprimento das normas relativas à


segurança e medicina do trabalho; das normas
coletivas, do contrato individual de trabalho, das
medidas propostas no
PCMSO, PPRA, PCMAT, etc.
Ministério Público do Trabalho
• TAC: Termo de ajuste de conduta
– Compromisso entre MPT e Empresa na
implementação de ações:
• Melhorias dos postos de trabalho
• Introdução de pausas
• Revezamento de tarefas
• Redução HE
• Etc...
Ação Civil Pública
Campinas (SP) – O juiz Henrique Macedo Hinz, da 9ª Vara do Trabalho de
Campinas, condenou a EMPRESA, multinacional americana que produz terminais
elétricos, ao pagamento de R$ 1 milhão por danos morais coletivos, em
decorrência da exposição de funcionários a riscos ergonômicos e à insalubridade. O
ex-profissional da empresa também foi sentenciado a pagar R$ 200 mil de
indenização, por sonegar a emissão de CAT´s (Comunicações de Acidente de
Trabalho), emitindo laudos que não condiziam à realidade, e também pela prática de
assédio moral.
A condenação se deu nos autos da ação civil pública movida pelo Ministério Público
do Trabalho (MPT), que instaurou inquérito para investigar denúncias de más
condições de segurança e medicina do trabalho na fábrica da multinacional em
Campinas.
No decorrer da investigação, o Ministério do Trabalho e Emprego e o CEREST
(Centro de Referência em Saúde do Trabalhador) produziram laudos técnicos que
comprovaram a total inadequação dos postos e rotinas de trabalho da EMPRESA
às normas vigentes, de modo que foram registrados inúmeros casos de doença
ocupacional na planta, todos relacionados a lesões por movimentos repetitivos
(LER/Dort) e outras ocorrências ósteo-musculares.
13
Ação Civil Pública
• A reportagem é de Carlos Juliano Barros, da Repórter Brasil em 12/08/2013
• O Ministério Público do Trabalho denunciou a gigante sul-coreana por infrações trabalhistas
na fábrica da empresa na Zona Franca de Manaus . Em 2012, 2.018 pessoas pediram
afastamento por problemas de saúde.
• Na fábrica erguida no coração da maior floresta tropical do planeta uma televisão é colocada
em uma caixa de papelão a cada 4,8 segundos. A montagem de um smartphone, feita por
dezenas de trabalhadores dispostos ao longo da linha de produção, leva 85 segundos. Já
um ar-condicionado split fica pronto em menos de dois minutos.
• Os dados que poderiam inspirar uma versão amazônica de "Tempos Modernos", do cineasta
Charles Chaplin, constam de uma Ação Civil Pública (ACP) ajuizada na última sexta-feira
(10) contra a empresa pela Procuradoria Regional do Trabalho da 11ª Região do Ministério
Público do Trabalho (MPT). Mas os problemas não param por aí. O MPT flagrou diversos
empregados que trabalham até dez horas em pé, assim como um funcionário cuja
jornada extrapolou 15 horas em um dia e um empregado que acumulou 27 dias de
serviço sem folga.
• Por conta dos riscos à saúde de seus empregados imposto pelo ritmo intenso e pela
atividade repetitiva da linha de montagem, eles cobram uma indenização por danos morais
coletivos de, no mínimo,R$ 250 milhões da companhia. Procurada, a empresa
não se manifestou até o fechamento desta reportagem.
DECISÕES JUDICIAIS

• Reintegração de funcionários
• Indenizações
• Interdições
• Pensão vitalícia
• Dano Material
• Dano Moral
DECISÕES JUDICIAIS
JUSTIÇA DO TRABALHO RECONHECE QUE A EMPRESA
.................... VEM GERANDO UMA LEGIÃO DE LESIONADOS EM
RAZÃO DAS PRECÁRIAS CONDIÇÕES DE TRABALHO *

Segundo a Juíza do Trabalho de ... "a empresa não vem promovendo


medidas suficientes e adequadas à eliminação dos fatores de risco para
desenvolvimento de LER/DORT".

A Juíza do Trabalho, ressaltou que já "instruiu e mais de 300 ações


indenizatórias em razão de doenças adquiridas e/ou agravadas pelas
condições de trabalho que estavam submetidas, a grande maioria em
razão de patologias conhecidas por LER/DORT".

A decisão consignou que a atual situação da empresa que se nega a


adotar pausas de recuperação de fadiga, nos termos do item 17.6.3 da
NR 17, configura "iniquivocamente, que a requerida vem
praticando, concorrência desleal/dumping social".
(cont)
DECISÕES JUDICIAIS
• Constatada doença profissional, empregado tem
direito a estabilidade mesmo sem ter recebido
auxílio-doença acidentário.

Pelo entendimento expresso em decisão da 1ª Turma


do TRT-MG, desde que constatada a doença
profissional e o nexo de causalidade com a atividade
desenvolvida na empresa, o empregado tem direito à
estabilidade decorrente de acidente de
trabalho, ainda que não tenha se afastado por mais
de 15 dias e, conseqüentemente, não tenha recebido
o auxílio-doença acidentário (previsto como um dos
requisitos para o direito à estabilidade provisória de
que trata o artigo 118 da Lei nº 8.213/91).
DECISÕES JUDICIAIS
com pedido de medida liminar,
...
Deve ser ressaltado ... vem sendo fiscalizada e ... pelo Min. Trabalho e pelo M PT há
mais de três anos, sem ... solução para os problemas reiteradamente apontados.

Observe-se .. as irregularidades relativas ao meio-ambiente de trabalho, objeto da


presente ação, foram levantadas pela própria empresa através do Programa de Prevenção
de Riscos Ambientais (doc. 8), do qual faz parte o Relatório de Monitoramento e Controle
dos Riscos Físicos, Químicos, Biológicos e Ergonômicos (doc. 5). Também foi a própria ré
quem fixou, nos referidos documentos, os prazos para execução das ações reparatórias e/ou
preventivas.

As irregul... comprovadas ... laudo técnico (doc. 6) do ... Médico e Fiscal da SDT de
Campinas. ... gozam da presunção de veracidade inerente aos atos administrativos.
...
Dada a gravidade dos fatos ... preenchidos os requisitos legais, e ... a injustificada
protelação da empresa em adotar as medidas preventivas e corretivas necessárias, requer o
Parquet, com fundamento no art. 12 da Lei nº 7.347/85, medida liminar de
interdição das atividades dos seguintes setores ... é iminente o risco de
danos à saúde dos trabalhadores :
Ministério do Trabalho interdita setores de unidade
da XXX Aves em Montenegro (19/02/2014)
Ministério do Trabalho interdita setores de unidade da XXX Aves em Montenegro
Flávio Wornicov Portela/MPT
Diversas máquinas e atividades foram paralisadas após inspeção realizada nesta terça e quarta-feira
Fiscais do MPT e do Ministério do Trabalho realizaram inspeção no frigorífico nesta terça e quarta-feira.
Após inspeção de uma força-tarefa realizada nesta terça e quarta-feira, o Ministério do Trabalho e Emprego
(MTE) determinou a paralisação de diversas máquinas e atividades da unidade da XXX Aves, localizada no
município de Montenegro. De acordo com comunicado do Ministério Público do Trabalho do Rio Grande do Sul
(MPT-RS), que integrou o grupo de fiscalização, o motivo da interdição foi a falta de segurança e os riscos à
saúde dos funcionários.
Conforme o MPT, embora a planta tenha apresentado melhorias em comparação a setembro de 2012 — data
da última inspeção —, revelou possuir falhas no sistema de gestão de saúde e segurança. Ainda segundo o
órgão, os fiscais que realizaram a inspeção identificaram diversas reclamações de funcionários relativas ao
ritmo intenso do trabalho e dores causadas pelas atividades que são executadas.
"As interdições são resultado da falta de organização no trabalho e de compromisso da empresa com a saúde
dos trabalhadores", afirmou o MPT na nota.
O órgão também criticou os programas de prevenção de riscos e de assistência médica oferecidos aos
trabalhadores, classificando-os como "vagos e genéricos".
"Essa realidade conduz ao ainda elevado número de adoecimentos e às situações de risco que culminaram
com as interdições", disse no comunicado. O MPT também destaca que, durante a paralisação, os empregados
devem receber os salários normalmente.

Contraponto
A XXX informou, em nota, que entrará com um pedido para liberar, ainda nesta quarta-feira, algumas áreas da
unidade e que tomará medidas nos próximos dias para garantir que o frigorífico esteja com a situação
totalmente regularizada até o domingo.
Link: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/economia/noticia/2014/02/ministerio-do-trabalho-interdita-setores-de-
unidade-da-jbs-aves-em-montenegro-4424587.html
INSS
• PPP - Perfil Profissiográfico
Previdenciário
• Emissão de CAT na suspeita
• NTEP, SAT (1,2 ou 3 %) e FAP (0,5 a 2)
• Ações Regressivas: cobrar na Justiça os
gastos com pagamento de benefícios
previdenciários decorrentes de acidentes
de trabalho provocados por negligência
das empresas
Ações Regressivas
INSS quer recuperar o que gastou com acidente de trabalho

Procuradoria-Geral Federal já propôs 1.085 ações regressivas contra


empresas

Não são só as mudanças na legislação do Seguro Acidente do Trabalho


(SAT) que estão deixando as empresas apreensivas. Além de terem que
arcar com um aumento no valor da contribuição em 2010, elas correm o
risco de responder na Justiça por ocorrências com os trabalhadores. O
Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) colocou um time de 140
procuradores federais em campo só para investigar acidentes e ajuizar
ações regressivas para buscar o que foi pago aos segurados. Um total de
1.085 processos está em tramitação. Causas que somam R$ 83,7 milhões.

Já foram proferidas 84 sentenças. Deste total, só 12 são desfavoráveis ao


INSS. Em 72 casos, os processos foram julgados procedentes (66 ou
78,5% do total) ou parcialmente procedentes (6 ou 7,1% do total). E muitos
deles foram mantidos ou revertidos em segunda instância, segundo
Caravaca.
Ações regressivas
NTEP
Visão Geral:
O Nexo Epidemiológico estabelecido pela
Previdência afirma que, se determinada
doença é mais freqüente em determinada
atividade econômica, todo caso
identificado deve ser considerado como
doença ocupacional.
Pressupõe dano ocupacional pela simples
associação entre duas variáveis.
0
2.000
4.000
6.000
8.000
10.000
12.000
14.000
jan/06
fev/06
mar/06
abr/06
mai/06
jun/06
jul/06
ago/06
set/06
out/06
nov/06
dez/06

Média: 1.581
jan/07
fev/07
mar/07
abr/07
mai/07
NTEP

jun/07
jul/07
ago/07
set/08
out/07
nov/07
dez/07
jan/08
fez/08
mar/08
abr/08
mai/08
Cenário Brasil

jun/08
jul/08
ago/08
set/08
out/08
nov/08
dez/08
jan/09
fev/09
Média: 9.637

509%

mar/09
abr/09
mai/09
jun/09
jul/09
Benefícios B91 série “M”

Fonte: site da Previdência Social

ago/09
NTEP
Benefícios B91 série “F”

Média: 1.040

Média: 48 2049%

28
FAP
Fator Acidentário
Previdenciário
Multiplicador (0,5 à 2) sobre a alíquota
(1%, 2% ou 3%) correspondente ao
enquadramento da empresa na classe
do Código Nacional de Atividade
Econômica-CNAE
Anexo V do Decreto nº 3048/99
FAP
• Trata-se de um número por
empresa, compreendido entre 0,5 e 2, que
multiplica as atuais alíquotas de 1%, 2% e 3%
com base em indicador de desempenho
calculado a partir da:
• Freqüência (NTEP): número de eventos
previdenciários num determinado tempo
• Gravidade: tempo de duração do benefício
• Custo dos acidentes: dimensão monetária dos
acidentes/doenças;
FAP

Periodicidade e Divulgação dos Resultados

A periodicidade de cálculo dos


coeficientes será anual, para fins do
FAP e uma vez a cada 03 anos, para fins
de revisão de enquadramento do risco
Legislação de Segurança e
Medicina do Trabalho

• NR 17 (AET - Manual de aplicação da NR-17)


• Anexo I – Trabalho Operadores de Check-out
• Anexo II – Trabalho em Teleatendimento /
telemarketing
• NR 31 – 31.10 Ergonomia
• NR 12
• NR 36 exclusiva para o Setor de Abatedouros
A Análise Ergonômica do Trabalho

AET - Manual de Aplicação da NR-17

1- Análise da Demanda
2- Análise global da empresa.
3- Análise da população de trabalhadores.
4- Definição das situações de trabalho à
estudar
5- Descrição das tarefas
6- Estabelecimento de um pré-diagnóstico.
A Análise Ergonômica do Trabalho
AET - Manual de Aplicação da NR-17
7- Observância Sistemática da Atividade.
8- O diagnóstico ou diagnósticos.
9- Validação do Diagnóstico.
10- O projeto de Modificações/alterações.
11- O Cronograma da implementação das
modificações / alterações
12- O Acompanhamento das modificações /
alterações.
PNSST – VISAT
h) Incorporação, pelas equipes de vigilância sanitária dos
Estados e Municípios, de práticas de avaliação, controle e
vigilância dos riscos ocupacionais nas empresas e
estabelecimentos, observando as atividades produtivas
presentes no território;

l) Estímulo à participação dos trabalhadores e suas


organizações, sempre que pertinente, no acompanhamento
das ações de vigilância epidemiológica, sanitária e em saúde
ambiental, além das ações específicas de VISAT; e

Ministério da Saúde
Gabinete do Ministro
PORTARIA Nº 1.823, DE 23 DE AGOSTO DE 2012
Institui a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora.

35
Acordos Coletivos

• Estabilidade por acidente do trabalho


por mais 12 meses
• Redução de horas extras
• Introdução de pausas
Normas ABNT

• NBR 5413 – Iluminância de


Interiores (Antiga)
• ABNT NBR ISO/CIE 8995-1 –
Iluminação de Ambientes de Trabalho
(21/04/2013);
• NBR 10152 – Ruído
• + de 90 normas
Certificações e Normas
Internacionais
• ISO 9000
• ISO 14000
• OHSAS 18000
• NIOSH
• EN 1005 - 5
• ISO
• ABNT …
PROTOCOLOS CORPORATIVOS

• Programa corporativo:
– Saúde
– Segurança
– Meio ambiente
– Higiene Industrial
– Ergonomia
– Responsabilidade Social
Dúvidas
• Temos instrumentos para aplicar
ergonomia com baixo custo e curto
prazo, considerando o cenário atual?
• Como caracterizar a relação entre
trabalhadores realmente doentes e o
trabalho?
• Como obter o reconhecimento das
condições de trabalho da Empresa pelo
INSS, entidades sindicais, Saúde Pública
e Privada?
Dúvidas
• Estamos preparados tecnicamente
para construir ou reconstruir trabalho
saudável utilizando métodos
científicos?
• Os interesses
econômicos, ideológicos, corporativos
e pessoais seriam esquecidos em
benefício da saúde dos trabalhadores
e de uma análise técnica científica?
Eng. Eduardo José Marcatto

eduardomarcatto@yahoo.com.br