Você está na página 1de 5

Doutrinas básicas

Qual é a base da doutrina da comunhão para aqueles que são membros do corpo de
Cristo?

O que é que um cristão deve crer para ser considerado membro do corpo de Cristo?

Através dos séculos homens têm elaborado e estabelecido diversas declarações


doutrinárias e confissões de fé para alguém que é membro de determinada igreja e
denominação.

Essas declarações de fé muitas vezes fazem e dividir ao invés de unir os cristãos.

Entretanto, a Bíblia dá a sua própria declaração de fé. E nem todos os cristãos tem
conhecimento das doutrinas básicas e seus significados.

É interessante que é essa declaração que a Bíblia define como base doutrinária da
comunhão dos discípulos de Jesus.

2 João 9-10
9 Todo aquele que ultrapassa a ​doutrina de Cristo​ e nela não permanece não tem Deus; o
que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o Filho. 10 Se alguém vem ter
convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem lhe deis as boas-vindas.

Muitas igrejas elaboram confissões de fé deixando claro aos demais e aos membros no que
ela crê.

Esse texto entretanto, fala da doutrina de Cristo. Fala que quem não tem essa doutrina não
deve ser recebido como parte do corpo.

Qual é a doutrina de Cristo?

Hebreus 6:1-2
​ outrina de Cristo​, deixemo-nos
1 Por isso, pondo de parte os princípios elementares da d
levar para o que é perfeito, não lançando, de novo, a base do arrependimento de obras
mortas e da fé em Deus, 2 o ensino de batismos e da imposição de mãos, da ressurreição
dos mortos e do juízo eterno.

Esse texto fala de doutrinas básicas. São doutrinas que muitas vezes ignoramos e pouco
estudamos ou pregamos, mas a Bíblia diz que são doutrinas básicas.

De acordo com os versos 4-6 vemos que a doutrina de Cristo não é mera letra morta, mas
uma experiência apostólica. A doutrina de Cristo prove 5 coisas:
● Iluminação
● Provar o Dom celestial
● Participar do Espírito Santo
● Provar a boa palavra de Deus
● Os poderes do mundo vindouro.

Se alguém negá-los ou abandoná-los perdeu sua parte no corpo de Cristo. Nos versos 4-6
podemos ver que alguém pode até sinceramente desconhecer e ignorar esses princípios,
mas tentar intencionalmente mudá-los ou negá-los, mostram que estão caídos e
tornaram-se apóstatas.

Quais são as doutrinas básicas da fé cristã?

1. Arrependimento de obras mortas


O primeiro princípio da doutrina de Cristo que precisamos aprender é o arrependimento de
pecados, de obras mortas, de obras de mortos.
Crer em Jesus sem arrependimento não é o suficiente.
Jesus dizia aos religiosos que se arrependessem todos iriam perecer. Lucas 13:3
Somente através do sangue de cristo somos purificados das obras mortas para servir a
Deus. Hebreus 9:14
Serviço sem arrependimento é obra morta.
Precisamos ser primeiro purificados para depois o nosso serviço ser agradável a Deus.
A salvação não é por obras.
Nossas obras enquanto separamos de Deus são como trapos de imundicia.
Esta doutrina ajudou Lutero a restaurar a verdadeira fé na Igreja com a Reforma. A Igreja
medieval estava cheia de obras mortas. Ela orava aos santos, jejuava, mortificava o corpo,
contava o Rosário, comprava indulgência e fazia peregrinações no esforço de obter
salvação. Era tudo obra morta.
Sem arrependimento não há base para comunhão.

2. Fé em Deus
O próximo grande princípio da doutrina de Cristo é a fé em Deus.
A salvação é pela graça mediante a fé. Isso não vem de nós. É dom de Deus. Não é por
obras mortas.
O justo viverá pela fé.
Jesus ensinou que fé nele é fé em Deus. João 14:6

3. Ensino de Batismos
Veja que não é a doutrina do batismo, mas de batismos. Algumas pessoas acreditam no
batismo, não nos batismos.
Aqui fica claro que existe mais de um batismo que a Bíblia relata.

A. Batismo nas águas


Jesus ensinou que aquele que crê e for batizado será salvo.
Marcos 16:16
Pedro ensinou que o batismo nas águas é uma figura ou símbolo de uma obra interna, uma
boa consciência. 1Pedro 3:21. O batismo é a indagação de uma boa consciência perante
Deus.
O batismo é um símbolo externo da iniciação no corpo de Cristo.
Paulo proibiu que o batismo fosse usado para dividir o corpo de Cristo. Ele recusou-se a
batizar em Corinto para que esse ato não dividisse a igreja. 1Corintios 11:13,17

B. Batismo no Corpo
Além do batismo nas águas e no Espírito Santo, existe o batismo no corpo.
Esse batismo se dá no novo nascimento.
Passamos a fazer parte do corpo de Cristo. 1Corintios 12:13,27

Ceia do Senhor
Assim como o batismo nas águas simboliza ser batizado, no Corpo, participar do pão
simboliza permanecer batizado em Cristo e Cristo em nós.
Participar da ceia significa dizer que permanecemos em Cristo e Cristo permanece em nós.
Fazer parte de seu corpo é uma de suas grandes doutrinas. Porém muitas pessoas que
estava seguindo Jesus até por um bom tempo não puderam aceitar essa doutrina. Quando
eles a ouviram, viraram-lhe as costas e feriram embora. João 6:53-56,66

C. Batismo no Espírito Santo


Junto com o batismo nas águas existe o batismo no Espírito Santo.
Anunciado por Cristo. Atos 1:5
Concretizado no Pentecostes. Atos 2:39
Seu propósito é conceder poder para evangelizar o mundo. Atos 1:8
Esse batismo purifica ou destrói. Mateus 3:11-12

4. Ensino da imposição de mãos


Esse ensino tem até sido praticado por muito tempo pela igreja, porém sem entendimento,
sem fé e sem unção. Nesse caso não passou de mera cerimônia.

Qual o propósito bíblico para a imposição de mãos?

A. Ministrar cura
Jesus começou seu ministério terreno de curas impondo as mãos sobre os enfermos.
Marcos 6:5
Na grande comissão, Cristo disse aos seus discípulos que impusessem as mãos sobre os
enfermos e eles seriam curados. Marcos 16:18
Os apóstolos deram continuidade a essa pratica. Atos 5:12
Paulo voltou a ver através da imposição de mãos de Ananias. Atos 9:17-18

B. Ministrar batismo no Espírito Santo


A Bíblia mostra em duas ocasiões o Espírito Santo sendo derramado sobra as pessoas
espontaneamente. Porém nas demais ocorrências, os fiéis receberam o Espírito Santo
através da imposição de mãos.
Em Samaria por João e Pedro. Atos 8:14-17
Em Éfeso por Paulo. Atos 19:1,6
Paulo por Ananias. Atos 9:17.
Esse último caso mostra que este ministério não foi reservado apenas para os apóstolos.
C. Separação para o ministério
Paulo e Barnabe, depois de terem esperado no Senhor com oração e jejum. Atos 13:2-3
Timóteo pelo presbitério. 1Timoteo 4:14
Timóteo pelo próprio Paulo. 2Timoteo 1:6

A imposição de mãos e um cooperar da igreja com Deus.


Não devemos impor precipitadamente as mãos sobre ninguém. 1Timoteo 5:22
Paulo conhecia Timóteo, era seu pai na fé, ele tinha autoridade para impor as mãos sobre
ele. 2Timoteo 1:5

A imposição de mãos é um cooperar com Deus para o reconhecimento do dom ministerial


que está sobre a vida de determinado irmão.

5. Ressurreição dos mortos


Este glorioso evento tem lugar semelhante com a vinda do Senhor.
Jesus fala da ressurreição dos mortos em João 5:28-29
Falou também em Mateus 24:30-31. A ressureição dos mortos está diretamente ligada ao
arrebatamento da igreja e a segunda vinda de Jesus.

Paulo traz mais luz sobre o assunto em 1Tessalonissenses 4:13-17


Assim como Cristo ressuscitou, nós iremos ressuscitar também! 1Corintios 15:12

6. Juízo eterno
A verdade do juízo eterno é parte essencial da doutrina de Cristo.
Jesus ensinou claramente sobre a realidade da condenação eterna. Marcos 3:29
Existe um fogo eterno preparado para o Diabo e seus anjos e para os perversos. Mateus
24:41
Aqueles que negam essa verdade estão no mesmo espírito de engano que satanás no
jardim do Éden quando disse a primeira mentira: "Certamente não morreras."

7. A busca pela perfeição


O escritor de hebreus declarou que esses seis princípios não estavam completos.
Havia mais um. Os cristãos devem prosseguir para a perfeição.
Eles devem avançar ou morrer.
Embora ninguém seja perfeito, todos devem avançar para o alvo, para o prêmio da
soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.

O prêmio da soberana vocação.


Filipenses 3:12-14

CONCLUINDO
É evidente que a própria igreja primitiva não era uniforme na sua crença em vários
assuntos, como por exemplo na circuncisão (Atos 15:1). Cada um tinha sua liberdade de
consciência no assunto, mas a ninguém era permitido dar um parecer.
Em outros assuntos, a igreja tinha liberdade de consciência para posicionar-se, porém sem
deixar a liberdade dividir o corpo.
Entretanto, na doutrina de Cristo, nas doutrinas básicas, todos deviam ter o mesmo
entendimento.

Enviado do meu iPhone