Você está na página 1de 20

Centro Universitário de Patos de Minas – UNIPAM

Curso de Nutrição
Disciplina: Nutrição Materno-Infantil
Profa: Dr. Danielle Raquel Gonçalves

Aleitamento materno
 Recomendações da OMS

- 0 a 4 meses – aleitamento exclusivo no seio (ou ordenhado)

- 4 a 6 meses – se necessário, introduzir a alimentação complementar

- 6 a 12 meses – introdução da alimentar complementar ao leite materno

- 12 a 24 meses – se possível, manter o aleitamento materno

Aleitamento materno exclusivo X predominante


2
Vantagens do aleitamento materno

— Imediatamente disponível
— Está na concentração ideal, não precisa ser misturado, diluído
— Segurança microbiológica
— Fácil digestão pelo bebê → regula o apetite
— Reduz incidência de inflamações, infecções e alergias
— Variabilidade biológica (atende bebês a termo e prematuros)
— Diminui as taxas de morbimortalidade infantil
— Evita gastos adicionais (mamadeira, fórmulas lácteas, leite animal)
— Aumenta laços afetivos entre mãe e filho (desenvolvimento cognitivo)

3
 Vantagens maternas do aleitamento materno

- Controle dietético (↑ perda de peso e ↓ obesidade)

- Involução mais rápida do útero, ↓ perda sanguínea pós-parto (ocitocina)

- Supressão da ovulação (prolactina) – Lactational Amenorrhea Method

- Proteção contra câncer de mama (passagem de anticorpos do leite e INF)

4
Técnicas de amamentação

5
Técnicas de amamentação

Correto Incorreto 6
 Comportamentos indicativos de saciedade

- Solta o mamilo e afasta a cabeça

- Quando o mamilo é reintroduzido, fecha os lábios com força

- Morde o mamilo, enruga os lábios ou sorri

- Adormece

- Irrita-se ou chora

Recém-nascido: 10 a 12 mamadas/dia – 2 a 3 horas durante o dia


– 4 a 5 horas durante a noite
7
 Quando precisar interromper a mamada:

• Colocar o dedo mínimo na


comissura labial da criança

• Evitar a regurgitação após a mamada:

8
Cuidados com as mamas

 Após cada mamada, massagear as mamas

 Se necessário, retirar o excesso de leite (ordenha)

Higiene – hábitos diários são suficientes 9


Dificuldades e problemas mais comuns
na amamentação

• Ingurgitamento mamário:

- Aumento da quantidade de sangue e fluidos no tecido (2-5 dias pós-parto)


- Causa congestão vascular e retenção do leite na glândula

- Consequências: edema das mamas – volumosas, dolorosas, quentes,


vermelhas, brilhantes e tensas

- Queixa materna: dor na axila e febre (febre-do-leite)

- Prevenção: amamentar em livre demanda desde o parto

- Alívio: massagem pós mamada, compressa fria, fazer ordenha (dor intensa)
10
• Mastite:

- Inflamação – acúmulo de leite, devido ausência da ordenha de alívio


- 2 a 3 semanas após o parto (complicações do ingurgitamento)

- Sintomas: rubor, febre, dor a palpação e presença de secreção purulenta

- Tratamento: compressas úmidas e frias, antes e entre as mamadas, até


sensação de alívio (5 a 10 minutos).

- Alívio: alternar as mamas, iniciando pelo seio menos ferido

- Atenção: orientação médico para o uso de medicamentos


11
• Fissuras no mamilo:

- Devido pega inadequada, mamadas inadequadas (frequência e duração)

- Prevenção: atentar às técnicas e cuidados da amamentação, banho de sol


nos seios, usar sutiã de algodão com orifício na região dos mamilos

- Alívio: aumentar a frequência do banho de sol entre as mamadas, aplicar


banho de luz (40 watts; 20 cm distância; 10 min/mama; 3 vezes/dia)

- Cicatrização: próprio leite materno,


mudar posição do aleitamento

12
• Mamilos invertidos:

- Mamilos que se retraem quando a aréola é apertada

- Recursos: fazer um pequeno orifício no sutiã, ou utilizar moldes sob a


roupa (anel plástico para compressão da aréola – empurra os mamilos)

• após o parto – utilizar bomba de ordenha ou


outro dispositivos de sucção suave
(antes da mamada)

13
 Mitos relacionados à alimentação

“Dar de mamar faz os seios caírem”


- Gravidez – mudança no tamanho e forma dos seios

- Cuidados: uso de sutiãs com tecido resistente, lateral larga e firme,


durante a gravidez e lactação
- evitar ganho de peso excessivo
- seguir as técnicas adequadas de amamentação

14
“Meu leite é fraco”
- Não existe leite fraco
Como observar: teste da fralda, ganho de peso bebê

- Independentemente do EN: todas as mulheres produzem leite na


quantidade e qualidade adequada ao recém-nascido — 6º mês de vida

“Meu leite não sustenta o bebê e ele chora de fome”


- Choro é o único meio de comunicação

- Outras causas: frio, calor, sono, cólica, falta de carinho


15
“Criança prematura ou com baixo peso não deve ser amamentada”
- Bebês com < 1.800 kg não conseguem sugar

- Cuidados: ofertar leite ordenhado (mãe ou banco): sonda ou utensílios


estimular a sucção no seio materno

“Mãe que trabalha fora não pode amamentar”


- Amamenta enquanto está em casa

- Atenção: ordenhar o leite para estocar em casa


oferecer o leite ordenhado na colher ou copinho
16
• Cuidados com o leite ordenhado e armazenado em casa:

— Colocar em frasco esterilizado

— Armazenar em geladeira por até 24 horas

— Se armazenado em freezer/congelador, usar em até 15 dias

• Antes de oferecer à criança:

- Aquecer em banho-maria
- Deixar em temperatura ambiente para descongelamento
- Nunca ferver o leite
17
 Relactação
Restabelecimento do processo de produção de leite em
mulheres que suspenderam provisoriamente a amamentação

• Principais motivos:

- Atraso no início da amamentação devido a doença materna ou do bebê

- Suspendeu a amamentação, por falta de orientação adequada

- Bebê apresentou intolerância ao aleitamento artificial


18
- Tempo demandado depende:

- se a mãe já amamentou
- idade do bebê (se ele suga ou não) – produção de prolactina
- tempo do início: 12 a 14 dias → restabelece em 3 a 4 semanas

• Longos períodos – uso de medicamentos: metoclopramida ou ocitocina

- Lactação adotiva: mulher que nunca engravidou, mas


adotou uma criança e deseja amamentá-la
19
 Técnicas de relactação:

*Utilizar material esterilizado

- Quando o processo já está restabelecido, mas ainda insuficiente:

1) Colocar a criança no peito 8 a 10 vezes/dia, durante 5 a 10 min


2) Complementar a refeição com leite materno (colher ou copo)
20

Interesses relacionados