Você está na página 1de 4

Mitocôndrias

 Conformações diferentes em tipos celulares diferentes


 0.2 a 8 uM de comprimento
 Número variado por célula
 Se localizam onde há maior demanda energética
(por exemplo: células musculares)
 Muitas vezes, se associam a glóbulos de gordura, de forma a expor a
maior área possível de sua superfície, em contato com os lipídios e,
consequentemente aproveitar melhor os ácidos graxos resultantes da ação das lipases.

Composição
Membrana externa: 50% proteínas (porina) e 50% lipídios
 Apresenta maior fluidez em comparação à membrana interna, devido a maior quantidade de lipídios.
Além disso, apresenta a proteína porina, que forma canais transmembrânicos, permitindo a livre
passagem de íons e moléculas de até 100.000 daltons de peso molecular.

Membrana interna: 80% proteínas (componentes da cadeia respiratória, succinato desidrogenase, ATP
sintase) e 20% lipídios (cardiolipina)
 A grande quantidade de proteínas confere uma maior seletividade da membrana à entrada de
diferentes componentes.
 A membrana interna se invagina para o interior da mitocôndria, constituindo as cristas mitocondriais.
 Cristas mitocondriais: Invaginações que aumentam consideravelmente a área da membrana
interna, onde estão os componentes da cadeia respiratória e o complexo F1F0, responsável
pela síntese de ATP

Matriz (circundada pela membrana interna)


 DNA e RNA
 DNA e RNA polimerase
 ribonucleoproteínas e enzimas para a síntese proteica
 enzimas das reações do ciclo de Krebs
 enzimas da β-oxidação dos ácidos graxos
 enzimas do metabolismo dos compostos aminados
 enzimas para hidroxilação de intermediários da síntese de hormônios esteróides

Estudos bioquímicos
Em média de baixa osmolaridade o fluxo de água causa a lise da mitocôndria, quebrando o espaço
intermembrana. A membrana interna permanece intacta.
Centrifugação: conteúdo do espaço intermembrana (supernatante). O conteúdo é transferido para uma
osmolaridade alta, causando a deposição do material. O pellet será composto de vesículas mitocondriais.
A centrifugação com gradiente de densidade separa a membrana externa da matriz (densa) e sua membrana
interna. Disrupção e centrifugação separam a membrana interna dos componentes da matriz

Origem das mitocôndrias


Origem simbiótica: associação simbiótica entre um eucarioto anaeróbico e um procarioto aeróbico.
Origem não simbiótica: invaginação de membrana de um procarioto, contendo componentes da cadeia
respiratório e complexo ATP sintase, seguido do desprendimento daquele segmento de membrana e
subsequente incorporação do fragmento de molécula de DNA.

Argumentos favoráveis à hipótese simbiótica


 DNA mitocondrial é circular como o DNA das bactérias.
 A síntese proteica das mitocôndrias é inibida por cloranfenicol como ocorre com as bactérias.
 O coeficiente de sedimentação dos ribossomos de mitocôndrias (55S) é mais próximo de bactérias
(70S) do que de eucariotos (80S).
 A síntese proteica em mitocôndrias se inicia com formilmetionina como ocorre em bactérias.
Composição química
 Contem ácidos nucleicos e várias enzimas que participam do metabolismo de carboidratos, de ácidos
graxos e de compostos aminados.
 Molécula de DNA circular (semelhante a das bactérias) que corresponde a 1% do DNA contido no núcleo.
 Mitocôndria conte todo o mecanismo para a replicação, transcrição do DNA e tradução de proteínas.

Origem dos RNAs e proteínas mitocondriais

Importação de proteínas mitocondriais


Proteína -> ligação aos receptores de importação -> inserção na membrana pelo complexo TOM ->
translocação para a matriz pelo complexo TIM23 -> clivagem pela peptidase-sinal

Divisão mitocondrial: fissão ou fusão

Funcionamento da mitocôndria - Ciclo de Krebs (ciclo tricarboxílico)


 Degradação de aminoácidos, carboidratos e lipídios
 Piruvato: carboidrato sofre descarboxilação e desidrognação em um processo catalisado por um
complexo enzimático, chamado piruvato desigrogenase. Uma molécula de NADH+H+ é formada e o
radical acetil se liga à coenzima A, originando o acetil-CoA.
*a coenzima A: CoA-SH. O grupo -SH reage e se liga ao grupo acetil.
 Acetil-CoA; reage com o oxaloacetato, formando o ácido cítrico, dando início a uma sequência de
reações que regenera a molécula de ácido oxaloacético.

 Produtos da reação:
 4 pares de átomo de hidrogênio são liberados, sendo que 3 serão utilizados para reduzir 3
moléculas de NAD, resultando em NADH+H+, e 1 irá reduzir 1 FAD a FADH2.
 Molécula de ATP, produzida a partir de ADP e Pi, utilizando energia de hidrólise de GTP.

 Qual a necessidade de tantas reações para decompor um radical tão pequeno como o acetil?
O grupo acetil é altamente resistente a oxidação. Um caminho mais simples foi encontrado pela natureza
quando o radical acetil reagiu com uma molécula de oxaloacetato, produzindo um composto mais suscetível a
oxidação.

*NADH+H+: doador de elétrons


NADH – complexo NADH desidrogenase – ubiquinona – complexo citocromo b-c1 – citocromo c – complexo
citocromo oxidase – O2

- Afinidade por elétrons +

Obs.: sem O2 a cadeia para de funcionar. O2 recebe os elétrons, devido a sua alta afinidade, e forma H2O.

O gradiente de prótons é aproveitado pela ATP sintase para a produção de ATP (elétron de fora para dentro
– elétrons bombeados para fora o espaço intermembrana)

ATP sintase X ATP hidrólise


Elétron de fora para dentro (a favor do gradiente) de dentro(matriz) para fora (espaço intermembrana)
Pi + ADP -> ATP 3 moléculas de ATP -> Pi + ADP

Gradientes de pH e de voltagem controlam a troca de metabólitos na mitocôndria


Termogenina – função de gerar calor
 Proteína transmembranar encontrada na mitocôndria do tecido adiposo marrom. Ela torna a membrana
permeável aos prótons desacoplando o transporte de elétrons da síntese de ATP. A energia liberada
durante o transporte de elétrons é perdida na forma de calor.
 Comum em recém-nascidos e animais hibernantes
 Grande número de mitocôndrias
 Tecido adiposo marrom: cervical, supraclavicular, paravertebral. Bebês: perirenal e interscapular

Produção de hormônio esteroide


O colesterol produzido no retículo endoplasmático é lançado no citoplasma, atravessa a mitocôndria e, na
sua membrana interna, é transformado em pregnenolona, que então retorna ao retículo onde é transformado
em testosterona.

Inibidores mitocondriais: Ácido beta-Nitropropionic – micotoxina; Cianeto, Azide, Atovaquone; Compostos


fungicidas e antiparasíticos inibidores da citocromo oxidase c

Doenças mitocondriais
 Causadas por mutações no DNA mitocondrial (15% dos casos) ou no DNA genômico (85%)
 Ocorrem em 1:1000 nascimentos
 DNA mitocondrial humano codifica 13 proteínas mitocondriais, enquanto o DNA nuclear é responsável
pela produção de 1500 proteínas ou outros componentes mitocondriais
 Geralmente hereditárias, mas podem ser causadas por drogas ou infecções
 Sintomas neuromusculares (miopatia mitocondrial).
 O que é afetado por defeitos mitocondriais? Coração, olho, fígado, rim, pâncreas, sangue, cólon,
cérebro, músculo esquelético (geralmente tecidos que necessitam de alta demanda energética).

Síndrome de Leigh
 Crianças geralmente nascem saudáveis; estão bem até algum dia do primeiro ano de vida.
 Após uma doença viral, ocorre uma regressão, significando que a criança perde as habilidades que
havia adquirido.
 As crianças desenvolvem lesões típicas em uma área do cérebro conhecida como gânglios da base
ou tronco cerebral.
 Pode progredir rapidamente ou lentamente, mas muitas crianças têm tônus muscular baixo, atraso
no desenvolvimento e podem ter problemas para engolir ou respirar sozinhas.

Síndrome de Alper-Hutternlocher (doença de alpers)


 Causada por mutações na DNA polimerase mitocondrial (gama)
 Características incluem atrofia cerebral, epilepsia e regressão neurológica. Outros órgãos que
podem ser afetados incluem os olhos, fígado e músculos.

Crianças com 3 pais biológicos


Embrião dos pais possui mitocôndrias não saudáveis, sendo preciso um embrião doado e a destruição de seu
núcleo para inserção do núcleo dos pais.
 Embrião da doadora -> subsitui o núcleo da célula pelo da mãe

Resumo de mitocôndrias
 Não podem ser vistas com detalhes no microscópio ótico;
 Tem duas membranas sendo que a interna é bem mais seletiva do que a externa
 Tem DNA, RNA e ribossomos
 Origem: Teoria Simbiótica
 Funções: Respiração celular aeróbica, síntese de ATP, β-oxidação de ácidos graxos, participa da
síntese de hormônios esteróides, participa do ciclo da uréia
 Piruvato Desidrogenase: Piruvato é descaboxilado e desidrogenado gerando AcetilCoA
 Ciclo de Krebs: Acetil-CoA entra no ciclo de Krebs. Várias reações ocorrem resultando em 3 NADH
+ H+ e 1 FADH2 , 1 ATP e 2 descarboxilações, para cada acetil-CoA que entra no ciclo de Krebs
 NADH + H+ e FADH2 cedem seus elétrons para a cadeia respiratória resultando em ejeção de
prótons e redução de O2 que então resulta em formação de água
 Fosforilação oxidativa do ADP formando ATP
 10.β-oxidação de ácidos graxos resulta em liberação de Acetil-CoA, que entra no ciclo de Krebs
 Rendimento de produção de ATP por molécula de glicose: 30 ou 32 moléculas de ATP.