Você está na página 1de 65

~

Adaptação Chefe de fase Especial Quadrinhos Conto


Os gigantes de Titanfall Ele está velho — ou seja, tem muita XP As primeiras informações de Império de Jade Lizzie e suas piratas contra a... Barbie? Um clássico de J. M. Trevisan

Dragao
Brasil

Toolbox
Fazendo histórias dramáticas

o mundo de Magic
O campeão mundial fala do jogo

Resenhas
Logan • The Flame Bearer • Dirk Gently’s

representatividade ela existe


na fantasia?
~
Adaptação Chefe de fase Especial Quadrinhos Conto
Os gigantes de Titanfall Ele está velho — ou seja, tem muita XP Diversidade na fantasia medieval Lizzie e suas piratas contra a... Barbie? Um clássico de J. M. Trevisan

Dragao
Brasil

Toolbox
Fazendo histórias dramáticas

o mundo de Magic
O campeão mundial fala do jogo

Resenhas
Logan • The Flame Bearer • Dirk Gently’s

Império de jade
as primeiras notícias
dO rpg mais
esperado do país!
EDITORIAL SUMÁRIO

IMPÉRIO
4 Notícias do Bardo 62 Mestre da Masmorra
A Wizards não desiste de suas plataformas online. Seu personagem morreu? Antes ele do que eu.

6 Pergaminhos dos Leitores 68 Diversidade na Fantasia


Recados importantes da Paladina. Ela existe? Ela importa? Vamos descobrir.
Eu não sei exatamente como nem quando começou, então, usando meus
poderes de contador de histórias, vou chutar: começou com a paixão do Cas- 10 Resenhas 78 Gabinete de Saladino
saro pela cultura oriental e aconteceu faz muito tempo. A ideia de ter uma www.jamboeditora.com.br Logan, The Flame Bearer e Dirk Gently’s. Esse cara tinha o talento Impostor!

14 Dicas de Mestre 82 Fantasia Espacial


representação fantástica de samurais, ninjas, monges e outros em Tormenta
Diretor Geral
talvez seja mais antiga até que o cenário. Ideia também casa perfeitamente com Guilherme Dei Svaldi
uma das filosofias implantadas pelo Cassaro no nosso game design e seguida Bandalhas! Big Bills! E outros apelidos mais usuais. Espadas nas estrelas.

20 Titanfall 86 Império de Jade


à risca até hoje: o jogador tem que se sentir a vontade para jogar do que bem Editor-Executivo
J.M. Trevisan
entender (caso contrário, vai acabar procurando outro cenário).
Tiro gigante, dano gigante, tudo gigante. Por incrível que pareça... Não é 1º de abril.
Assim nasceu Tamu-ra, a ilha destruída pela Tormenta, primeiro alvo da Conselho Editorial
tempestade rubra, e Ni-Tamura, refúgio dos sobreviventes da catástrofe na segu- Marcelo “Paladino” Cassaro, Rogerio
“Katabrok” Saladino, Leonel Caldela, 28 Toolbox 96 Chefe de Fase
rança do continente que abriga o Reinado. E aí algum dia pensamos que seria Gustavo “Calamis” Brauner
Unhé-unhé — hora de chorar. Cuidado com o vovô!

34 Gazeta do Reinado 100 Os Mundos de Magic


interessantíssimo termos um livro, um suplemento que tratasse só de Tamu-ra.
Seu nome seria Império de Jade. Colaboradores
Textos: Álvaro “Jamil” Freitas, Arton não para nunca! Conheça um pouco do maior card game do mundo.
Confesso que não lembro de algum dia termos anunciado uma data ou ano Alexandre “Lancaster” Soares, Bruno
para que o livro saísse, mas o caso é que a gente noticiou essa intenção alguma
vez, e os fãs jamais esqueceram. Foram tantos pedidos — que a gente hones-
“BURP” Schlatter, Carlos Romão,
Clarice França, Eduardo Caetano,
36 A Voz do Sabre 106 Lado B do RPG
Planetas fantasmas... cheios de Proscritos? Poderes psíquicos, amnésia e gente atrás de você!
tamente não pôde atender porque ainda não era hora — que o assunto virou João Paulo “Moreau do Bode” Pereira,
uma piada recorrente. Por muitos anos, no dia primeiro de abril, anunciavamos Leandropug, Marlon “Armagedon”
Teske, Thiago Rosa Shinken
38 Caverna do Saber 108 Quadrinhos
a chegada de Império de Jade em tom de brincadeira. A gente ria, vocês riam, Tire uma folga das aventuras. As piratas espaciais em missão de resgate.

44 Tesouros Ancestrais 112 Amigos de Klunc


o samurai não ria porque samurai não ri, todo mundo se divertia e ficava nisso. Arte: Camila Torrano, Eudetenis, Leonel
Domingos, Lobo Borges, Marcelo
Bem, a piada morre hoje — curiosamente, às portas do mês de abril. Império Cassaro, Sandro “Zambi” Zamboni State of Love and Trust, um conto por J. M. Trevisan. Conheça quem ajuda a Dragão Brasil a existir!
de Jade está sendo produzido e sairá este ano, e nesta edição vocês poderão
ver pela primeira vez um pouco do que Guilherme Dei Svaldi e Marcelo Cassaro Fundo de tela: Eudetenis
estão preparando. E esse é só o primeiro passo na estrada que leva aos 20 Edição do podcast: Ramon Mineiro

A CAPA
anos de Tormenta em 2019.
Mapa de batalha: Marco Morte
Podem afiar as espadas. A espera está prestes a terminar.
Diagramação
J.M. Trevisan J.M. Trevisan, Guilherme Dei Svaldi A tarefa (ou eu deveria dizer
Revisão honra?) de trazer à vida o
Gustavo Brauner Império de Jade na capa da
seu hobgoblin!
Quando sai o Dragão coube à dupla Eu-
suplemento da detenis, responsável tam-
aliança negra?
Apóie a Dragão Brasil bém pela arte do mangá Es-
quadrão Triunfo, baseado no
cenário de 3D&T, Brigada Li-
geira Estelar.
Ô diacho! Siga a Jambô Editora Lobo Borges, artista de
me estrepei,
maluco!
LEDD, também colaborou no
concept de personagens.

Dragão Brasil é © 2016-17 Jambô Editora.


Todos os direitos reservados.
2 3
Notícias do Bardo
Miniaturas de Tormenta, lobisomens nazistas e robôs filósofos!

Weird Wars II está em finan-


Niele, ciamento coletivo pela Retro-
Shivara punk, trazendo seu jogo de Savage
e Vladislav Worlds para uma versão ainda
pintados por
mais letal do conflito que definiu os
Lucas Massa
rumos da história contemporânea,
permitindo que você e seu grupo
deem socos na cara de nazistas
no melhor estilo Capitão América.
Você pode até jogar como os pra-
cinhas brasileiros e garantir que a
cobra vai fumar. Do PC para a mesa As novas aventuras jogadores encarnam robôs que vivem
no subterrâneo. Criados pela humani-
Pillars of Eternity é um sucessor es-
do dragão velho dade para construir suas máquinas de
Da mesa para o PC piritual de Baldur’s Gate, um RPG ele-
trônico ocidental, com visão isométrica, A Redbox Editora anunciou a linha
guerra, os robôs foram deixados para
trás quando os humanos perceberam
Já vimos várias tentativas de combate em tempo real com pausa, mui- Crônicas das Chamas. São aventuras que com a guerra nuclear não havia
integração entre tecnologia digital tas sidequests, sistema de reputação e épicas para Old Dragon, com tramas mais como viver no planeta. Os robôs
e Dungeons & Dragons, desde interação com os seus companheiros de poderosas e grandes reviravoltas. continuaram fazendo aquilo que lhes foi
Tormenta Guerra estranha com
sucessos como o Forgotten Realms grupo. O sucesso inevitavelmente levou ordenado, construindo armas. Mas al-
O primeiro livro será A Relíquia do
Interactive Atlas do AD&D até fracassos à campanha de financiamento coletivo Vale do Trovão. Dois reinos estão prestes guns deles começaram a apresentar um
em miniatura! monstros esquisitos completos como o Virtual Tabletop do
D&D 4e.
de uma continuação, Pillars of Eternity 2:
Deadfire, que arrecadou mais de quatro
a entrar em guerra e um grupo de aven-
tureiros iniciantes se envolve na bagunça
defeito grave recentemente: começaram
a perguntar “por quê?”.
É isso aí: você leu certinho! As minia- Você já deve saber que a Segunda Logo no lançamento da quinta edi- toda, revelando segredos e permitindo
milhões de dólares. E dentre as metas Se você ainda não conhece Mutant:
turas de Tormenta finalmente chegaram Guerra Mundial não foi o período mais ção de D&D, a Wizards of the Coast que os aventureiros revertam a maré de
atingidas durante a campanha estava Ano Zero, aproveite para encarnar
e estão a venda na Nerdz! Pedido agradável da história da Europa. Mor- havia anunciado algo neste sentido: acontecimentos ou só estraguem tudo
um RPG de mesa baseado no universo um mutante nesse mundo apocalíptico.
antigo dos fãs, só agora o projeto pôde reu um monte de gente de um monte de de uma vez por todas mesmo.
o projeto Morningstar — mas ele não de Pillars. Quando você terminar a sua campanha,
se tornar realidade. jeitos horríveis, ideologias obviamente saiu e a empresa responsável (Trapdoor Esta nova jornada no mundo de Eora Os textos são de Allana Dilene e é capaz de Mechatron já ter saído em
“Temos uma porção de projetos, negativas ganharam voz pelo mundo Technologies) acabou falindo. começa com um Starter’s Guide de 30 Franz Andrade, com edição de Elisa português!
mas não queremos apressar nada”, diz inteiro e um cara com um bigode horro-
Agora foi anunciado D&D Beyond, páginas, descrevendo regras novas de- Guimarães e diagramação de Flávia
Guilherme Dei SValdi. “No caso das roso aparecia no jornal todo dia.
que é um meio termo entre o D&D Insider senvolvidas por Josh Sawyer e pela Najar. O lançamento é previsto para o
miniaturas, precisávamos da pessoa Agora imagina o quão pior seria se segundo semestre de 2017.
da 4e (que funcionava) e o Morningstar. equipe de Pillars of Eternity. A sessão Notícias do Bardo é fei-
certa para esculpi-las com a qualidade além das táticas agressivas, da propa-
que os fãs merecem”. O escolhido, no Essa nova ferramenta visa aprimorar O jogo não segue o mesmo sistema ta pela equipe do RPG Notícias!
Além de
ganda feroz, do nacionalismo fanático
caso, foi Boris Woloszyn, conhecido seus jogos através de elementos como do jogo eletrônico nem adapta algum Clique abaixo e visite o site!
e dos tanques imbatíveis, o Eixo tivesse
entre os miniaturistas por prestar serviço um gerador de personagens, compên- já existente. Trata-se de um conjunto de
mutantes, robôs
monstros do lado deles. Zumbis, lobiso-
a várias empresas estrangeiras do ramo. mens, a coisa toda. Não é nem como dio de regras, suporte para material regras próprio.
A primeira leva traz Lady Shivara, se Hitler não tivesse tentado fazer isso caseiro, notícias e artigos sobre D&D e O financiamento acabou, mas você Foi financiado lá na gringa o jogo
soberana do Reinado de Arton, a no mundo real, o cara era (além do até mesmo um fórum. ainda por adquirir o Starter’s Guide (ou Mutant: Mechatron. Nesse terceiro
arquimaga elfa Niele e o necromante maior babaca do mundo) um tremendo Você pode se inscrever para o teste o próprio jogo completo) com um apoio jogo no universo de Mutant (os demais
Vladislav Tpish! fã de ocultismo. beta aqui. tardio. sendo Ano Zero e Genlab Alpha), os
4 5
PERGAMINHOS DOS LEITORES
1) Nos clãs ninjas sobreviventes de Tamu bem ajustes por idade avançada. Então, um 1) Nada tema! 3D&T é sistema aberto,
-ra, existem entre suas fileiras apenas mem- mashin poderia viver para sempre. pode publicar suas aventuras sem receio.
bros da classe ninja ou podem ser encontrados 4) Sim. Habilidades como essas foram 2) Normalmente é melhor distribuir no final
guerreiros, ladinos e monges também? apresentadas na DRAGÃO BRASIL 116. de cada sessão.
2) Com a destruição parcial dos clãs, em 3) Tormenta RPG já tem seu sistema base-
O jogador do necromante/guerreiro cons- Vai funcionar muito bem contra numerosos
média quantos membros um clã pequeno ou
grande teria nos tempos atuais?
Bardo Mestre... ado em D20, e também Tormenta Alpha para
3D&T. Não temos planos para adotar nenhum
truiu seu personagem de modo a conseguir oponentes. NÃO vai funcionar contra TODOS Saudações, queridos Paladinos e simi-
3) Como calcular a idade inicial de um outro conjunto de regras.
mais acertos críticos e causar muito dano. os oponentes. Seja em Arton ou na vida real, lares. Vou resumir introduções e adulações:
mashin? Alguma estimativa de tempo de vida Que suas canções e sua mesa de jogo
Mas ele vem reclamando que a maioria dos você nem sempre escolhe seus inimigos. Você sou um bardo desde 1996 e vocês são foda!
ou consideramos eles imortais? sigam harmoniosas, querido bardo!
adversários no caminho tem alguma proteção nem sempre vai enfrentar apenas adversários 1) Sou narrador e crio aventuras para meus
contra ataques corpo-a-corpo (imunidade vulneráveis às suas táticas. E sim, você vai ter 4) Os mashin podem utiliza-se do corpo
jogadores. Gostaria de publicar essas aventu-
a críticos, camuflagem, algum veneno debi- que lidar com isso. mecânico para incluir armas, como garras,
ras em um site/blog particular, referenciando ...e Bardo Prefeito
litante...). Não é verdade, não chegam a ser ganchos, correntes e etc ou mesmo tirar uma
É uma pena ver um RPGista desistir do regras para 3D&T. O que devo fazer para não Saudações! Este humilde bardo vos
metade dos oponentes. espada das costas (sem bainha).
hobby apenas porque as coisas se tornaram violar direitos autorias e não ser perseguido congratula pelo excelentíssimo trabalho
Ainda assim, durante a campanha, surgiu muito difíceis. Dizem que o verdadeiro valor de Estevão Costa, Recife/PE por algum paladino? realizado na nova era DB. Que dure muitos
uma área de Tormenta sobre o castelo onde um guerreiro não está em suas vitórias, mas Saudações, Estevão. Sim, Império de anos, para que nosso hobby seja cada vez
2) Em 3D&T, como faço para distribuir
Saudações loiras e rosadas a todos vocês, estava o grupo. Para o jogador, foi a gota em como ele se levanta após cair. Pense em Jade vai chegar, confira as notícias nesta mais difundido.
Pontos de Experiência? No final da sessão?
apoiadores da nova DRAGÃO BRASIL, seus d’água — TODOS os oponentes tinham TO- seus heróis favoritos, pense em quantas vezes edição. Então você acha que deveria haver No final da aventura? A cada 30 minutos? 1) Por que o Xerife de Azgher não foi refor­
lindos! Aqui fala a Paladina, guerreira sagra- DAS essas defesas, e mais (como demônios enfrentaram situações em que seus poderes um... Paladino Ninja?! Só espero não estar Quando os personagens param para descan- mulado para TRPG? Tenho alguns jogadores
da e empoderada. seraktrill tentando quebrar suas armas). No não funcionavam. Alguma vez você já viu o aqui quando acontecer...
fim, ele deixou de jogar. sar? Quando os jogadores me cobram? que adorariam usar armas de fogo sem serem
Não, não, o Paladino não está. Ele pediu Superman desistir de uma luta só porque o
1) Ninjas podem se aliar a membros des- 3) A Jambô tem interesse em usar a considerados criminosos.
uma folga. Disse que tinha alguma missão Minha pergunta é: eu deveria mudar vilão tinha kryptonita no bolso?
sas classes para missões específicas. Mas Apocalypse Engine, ou publicar algum hack? 2) Qual a chance de vocês publicarem
importante, alguma sidequest não resolvida. os desafios para que ele não tivesse que “Eu deveria mudar os desafios?” você apenas ninjas podem pertencer a um clã ninja. Joguei alguns dos títulos desses sistemas, uma Só Aventuras como o Volume 2 mas, em
Se querem saber, acho que ele está jogando enfrentar nada disso? Mesmo levando em pergunta. Como mestre, seu papel é entreter
conta que, mesmo com todos no grupo 2) Por volta de 1d10x10. Hoje, quase como Dungeon World e Urban Shadows e vez da temática élfica, sendo exclusiva para
Overwatch, isso sim! e divertir a todos (incluindo você mesmo).
passando pelos mesmos problemas, ele foi nenhum clã ninja deve exceder uma centena gostei muito do sistema. Queria ver algo pare- anões, ou quem sabe goblinoides?
Tornar o jogo interessante para os jogadores
Não importa. Faz SÉCULOS que não venho o único a reclamar? de membros. cido em Arton ou Moreania. 3) Em nome do Panteão, adaptem Chrono
é sua função. Mantê-lo desafiador TAMBÉM é
aqui responder os pergaminhos. Que saudade! 3) Construtos não envelhecem, nem rece- Peregrino Wernek Trigger ou Phantasy Star pra TRPG!
Thiago Dorneles sua função. Não há aventura sem risco, não
Já separei algumas mensagens, então podem
Nobre Thiago, você está com sorte. O há vitória satisfatória sem perigo. Um jogador
rolar Iniciativa para ver quem será respondido
Paladino nunca seria capaz de responder a que procura apenas oponentes fáceis, apenas
primeiro!
essa pergunta, ele foge de perigos como a inimigos vulneráveis a seus ataques... bem, esta dragão brasil já chega de personagens até euzinha? mas tá vai se
ele não quer desafios. Ele quer vitória fácil, tem um artigo muito femininas hipersexualizadas!
Frustração
sujeira foge do sabão! importante sobre não queremos só servir de
calor! acostumando!
vida fácil, sem problemas. Não vai encontrar diversidade enfeite para os meninos!
Seu problema é bastante comum.
Salve, Paladino! Venho procurar sua sabe- isso em Arton. Nem em qualquer outro mundo no rpg!
Aventureiros nunca sabem, com certeza, o
doria sobre um problema que tive esta semana, de campanha.
que vão enfrentar. Um grupo eficaz procura
e vem sendo recorrente em minha mesa. reunir habilidades diversas, para lidar com as
Eu e meus amigos estamos jogando uma situações mais variadas possíveis. Quando o Sobre Ninjas e Mashins 
campanha de Tormenta RPG há algum tempo, grupo aposta em uma única especialização, Grande Palada, saudações! Com os
o grupo está em nível 16. Os membros são é exatamente isso — uma aposta. Pode-se rumores que finalmente o tomo Império de
combatentes corpo-a-corpo (samurai, cava- ganhar ou perder. Jade vai sair, bem que o mais novo membro
leiro, necromante/guerreiro) e um curandeiro Seu grupo, e seu jogador frustrado, da liga dos paladinos podia ser um ninja ou
(samaritana de Lena). O grupo não dispõe, optaram por uma tática altamente especiali- samurai! Alguém para rivalizar as habilidades
portanto, de nenhuma forma de ataque à dis- zada: combate corpo-a-corpo e dano massivo do Capitão Ninja! E falando em Tamu-ra,
tância ou em área. Daí surge nosso problema. com acertos críticos. É ousado e arriscado. algumas dúvidas:

6 7
LENDAS LENDÁRIAS
4) Qual a opinião de vocês a respeito do 5) Gorendill fazia parte da antiga revista precisa imaginar aquilo que seu personagem
material não oficial Projeto Aliança Negra? Tormenta, era uma cidade de Arton construída sabe, e aquilo que ele não sabe. E respeitar
5) Gorendill, a cidade do leitor, volta? apenas com conteúdo enviado por leitores. esses limites.
Infelizmente tínhamos problemas com essa Você está certo. Muitas vezes o JOGADOR
Por enquanto é só. Agora, com licença, parte da revista — pouco material chegava,
devo preparar minha campanha de reeleição. vai suspeitar de algo que o PERSONAGEM
menos ainda era bom, e mesmo esse pouco não notaria. Ao encontrar um monstro da fer-
Que foi? Um bardo pode ser prefeito, não? era trabalhoso demais para corrigir e publicar. rugem, o jogador talvez tenha lido sobre ele
Victor Valdéz, prefeito honesto (sim, eles Talvez, hoje, as cosias fossem diferentes. no Bestiário de Arton. Saberá que ele destrói Príncipe Valente O ranger imita um pássaro para chamar a
existem, nunca nem furei fila ^^) Quem sabe não voltamos a essa ideia? itens metálicos. O guerreiro anão de 1º nível, atenção de um guarda próximo, que resolve
Em um grupo de D&D na Alemanha… ••••••••••
Hum... mas... que histórico interessante, no entanto, nunca viu a fera antes. Seria estra- investigar a moita. Com um ataque surpresa,
estimado Victor. Muito boa sorte em sua cam- Conhecimento nho esse guerreiro NÃO tentar atacá-lo, para Após muitas peripécias, o príncipe her-
deiro de Talatan, um personagem jogador,
os dois conseguem matar o guarda e puxar Preenchendo fichas de personagens
panha eleitoral. (Ou não.) evitar a perda de seu machado. o corpo para dentro. Então repetem o som, com a patroa:
Olá Paladino! É uma honra enviar uma car- finalmente um segredo: seu padrasto estava atraindo outro guarda, também eliminado com
1) As classes de prestígio em antigos ta digital para o senhor. Tenho uma pergunta Um bom jogador saberá interpretar, vai — Vou fazer uma ladina baseada em mim.
por trás dos misteriosos raptos de jovens de um golpe certeiro. Empolgados, conseguem
acessórios Tormenta acabam voltando, atua­li­ que sempre me interessou, sobre os limites fingir não saber. Caso isso não aconteça, o
famílias tradicionais. Estes seriam usados atrair, matar e esconder mais três guardas. — Mas você é Leal e Boa. O único jeito
zadas, em novos títulos. Ainda não aconteceu entre o que é regra e que é interpretação. mestre pode exigir um teste adequado. O
em sacrifícios que ocorriam à meia-noite de você ser ladina é se for uma PA-LADINA.
com o Xerife de Azgher, mas esteja certo de resultado dos dados será claro sobre quanto Chegando a testemunhar a última vítima
Lembro que, em D&D 3.5, um quadro falava para manter pulsando um coração de dra- — Boa! Serei uma ladina armada com
que ele voltará um dia. o anão sabe . E sim, o jogador deve aceitar sumindo na moita, os guardas restantes
sobre a perícia Conhecimento e como podia ser gão, escondido em uma ilhota próxima ao uma pá, então!
esse resultado e agir de acordo. fogem apavorados. A floresta passaria a
2) Uma grande saga envolvendo os anões explorada facilmente: se o jogador sabe de algo castelo da família.
— Monstro da ferrugem?! Hã, não tem ser evitada, devido a rumores sobre moitas L.Gustavo “Manchae” Pelatieri
tem sido cogitada. Há boas chances de que que um personagem no mundo de campanha O último jovem raptado foi Kalakor, per- devo­ra­doras de homens.
seu pedido se concretize. nunca saberia, é justo permitir que ele use esse nenhum desses por aqui, tem? Minha arma- ••••••••••
sonagem de um dos jogadores.
conhecimento na mesa de jogo? dura é de papelão, mas mesmo assim... Lucas Humberto
3) Adaptações nunca faltarão nas páginas — Quase meia-noite — avisa o mestre. Mestre: “Por que está rolando de novo?”
da DB! Suas sugestões são ótimas e não serão Eduardo Bailo, direto da Khubar — Paladino! Já voltou, lindo? Então, como
esquecidas! foi essa sua missão misteriosa?
— O que vocês vão fazer? Arma não tão Sagrada Jogador: “Porque caiu INDECISO.”
brasileira (Florianópolis)
— Voltar para o castelo e buscar a guar- O grupo enfrentava um mago poderoso Pedro Henrique , Mais de Mil Dados,
4) É sempre uma felicidade quando os Olá Eduardo! Separar o conhecimento jo- — Foi bem legal, tinha uma Mercy me
da real! — diz o príncipe. que tentava executar um ritual. Cambuci/RJ
fãs de Tormenta desenvolvem seu próprio gador/personagem é um dos primeiros desa- curando e... hã, digo, a missão foi bem-suce-
dida, mais uma vitória do bem contra o mal. — Tem certeza? É quase meia-noite! Paladino: “Mestre, o que vejo na câmara?” ••••••••••
material! Os autores querem ver mais projetos fios para qualquer RPGista — e também para
como esse! autores, escritores, roteiristas e outros. Você — Ahã... sei... — Sim! Segurança em primeiro lugar! Mestre: “Uma espécie de altar profano, — Está anoitecendo e vai esfriar muito
Sicher ist sicher! com velas, e um grande livro no centro.” — avisa o mestre. — Se não conseguirem
Chegando à ilhota com a guarda, o gru- um jeito de se aquecer, vão começar a perder
Paladino: “Eu pego o livro e ataco o mago
po encontra o corpo de Kalakor, jazendo sem 1d4 pontos de vida por hora.
com Destruir o Mal.”
vida no altar ensanguentado.  — Isso é fácil de resolver — o anão
então não podemos Assim nasceu Khan, o paladino que usa-
é isso aí, paladino! nesses anos todos, Pedron, o mestre impressionado paladino de Tanna-Toh. — Basta TROCAR
os jogos de rpg mudaram! agora os
mais deixar as minorias va a Bíblia Profana de Lamashtu como sua
sem representação você dizia...? com a valentia do príncipe CALOR COM AS ÁRVORES.
personagens têm mais diversidade!
nos pergaminhos! arma sagrada.
herdeiro de Talatan Wanderlei Souza
Caio César Viel
••••••••••
A Lenda da Moita ••••••••••
Mestre: “Role Sobrevivência.”
Devoradora de Petrynia “Não queremos criar confusão. Viemos
apenas libertar seus prisioneiros.” Jogador: “Mas estamos na cidade!”
Tormenta. Sorrateiramente invadindo o
acampamento inimigo, o ranger e o druida, — Paladino para o capitão da guarda, Mestre: “O taverneiro está furioso com
em forma de serpente (mas ainda com Força quando perguntado sobre o que fazia por seu truque de mágica e quer matar você!
22) escondem-se em uma grande moita estas bandas. ROLE SOBREVIVÊNCIA!”
enquanto o grupo dá a volta. Arthur Stark, O Paladino de Ferro Ivan Old, Mago Mendigo

8 9
RESENHAS RESENHAS

Logan
Salvando mutantes dentro e fora da tela
The Flame Bearer Batalhas cada vez mais épicas
Eu não tenho vergonha criança com poderes, que pode O escritor Bernard tino, Rei da Escócia, avança para
nenhuma de dizer que ser a salvação, o que culmina em Cornwell é um dos au- estabelecer o domínio das terras
duvidei de Logan. Pior um road movie cheio de perigos e tores mais prolíficos de ao sul, na fronteira com a Inglater-
obstáculos. Já vimos isso antes, em ra — e aproveita para fazer cerco
que isso, cometi um erro sua geração (e influência
filmes como Filhos da Esperança a Bebbanburg.
mortal, condenado vee- (Alfonso Cuarón, 2006) e games
confessa do nosso Leonel
mentemente na minha Os lordes ingleses começam
como The Last of Us (2013), mas Caldela em sua Trilogia
a tramar a derrocada dos di-
própria cartilha de rese- a falta de originalidade importa da Tormenta). Embora
namarqueses da Nortúmbria,
nhista e nerd moderno: nesse caso? Não. Porque não é aí tenha escrito histórias governada pelo genro de Uhtred,
julguei o filme por sinop- que Logan aposta suas fichas. que se passam em um e uma aliança com o desprezível
ses e imagens prévias. O sucesso vem justamente da único volume, ele é mais tio do protagonista. Se esses
Porque até então, a impressão não concretização da minha profe- conhecido por suas séries dois eventos parecem ofensivos e
que o filme me passava era mais cia crítica. Ao contrário do que eu longas — As Histórias de pessoais, é por que são mesmo:
ou menos a seguinte: “Bom, não pensava, o filme não funcionaria Sharpe, por exemplo, já Uhtred é odiado pelos lordes
tem mais o que fazer com esses sem Wolverine. Mesmo com toda saxões a quem a honra o obriga
conta com mais de vinte
mutantes, então que tal entrar na a influência de obras tão diferen- a auxiliar e proteger. Parece que
e quatro títulos!
onda de filme de herói adulto, tes, Logan é, essencialmente, um a precária paz da Bretanha logo
violento e cool, usando o Wolve- filme dos X-Men. Seu mais novo livro é The será transformada em uma guerra
rine só de isca mesmo, com uma Flame Bearer (traduzindo, “O de extermínio. E Uhtred está bem
As atuações fabulosas — e fa-
história que caberia em qualquer Portador do Fogo”), décimo título no centro da ação.
cilmente oscarizáveis num mundo
outro personagem durão? Parece de As Crônicas Saxônicas. A
em que a Academia não torcesse o As Crônicas Saxônicas é mi-
legal?”. Mesmo com a covardia série foca na formação da Ingla-
nariz para esse tipo de filme — de nha série preferida de Cornwell. E
de usar a versão de Johnny terra ao longo dos séculos IX e
Patrick Stewart (Charles Xavier) por dois motivos simples: o autor
Cash de Hurt no trailer, para X, usando como pano de fundo
e Dafne Keen (Laura/X-23), as é um grande contador de histórias
mim não parecia. Mas, felizmen- as invasões dinamarquesas e a
referências a arcos clássicos dos e Uhtred é o protagonista mais
te, como eu disse lá em cima, eu resistência dos saxões.
mutantes, a fidelidade aos per- parecido de todos com um perso-
estava errado. sonagens mesmo num ambiente O protagonista é Uhtred de nagem de RPG. Com The Flame
Comandado pelo diretor no- vier está mental e fisicamente debilita- tão diferente e, principalmente, a Bebbanburg, filho de um lorde sa- Bearer, Bernard Cornwell acerta
vaiorquino James Mangold — o do e o próprio Wolverine é apenas a violência explícita com a qual o protago- xão da Nortúmbria. Capturado e vernante dinamarquês da Nortúmbria e mais uma vez. Uhtred segue com
mesmo de Wolverine: Imortal (2013), nista é finalmente retratato, formam um criado por dinamarqueses, ele tem mais os saxões da Mércia concordaram em as maquinações para ludibriar seus inimi-
sombra do que já foi.
que eu não assisti porque o primeiro, X- alicerce tão firme que mesmo nas poucas em comum com os invasores do que com uma trégua. Com a Bretanha pacificada, gos e se manter à frente dos adversários,
Não há nada de épico na direção. derrapadas (estou olhando para você, os povos que habitam a Bretanha. Mas Uhtred pode finalmente voltar-se para e o livro tem algumas das batalhas mais
Men Origens: Wolverine (Gavin Hood,
O estilo lembra muito mais o de produ- inimigo surpresa), o filme se sustenta. juramentos e a honra o fazem lutar pelos seu sonho: reconquistar Bebbanburg, a épicas da saga.
2009) me traumatizou — Logan de
fato se distancia dos outros filmes da ções intimistas, como O Lutador (Darren ingleses. O nome do protagonista vem fortaleza ancestral de sua família. Mas
Logan pode não ser um clássico O romance ainda não saiu no Brasil,
franquia em vários aspectos. O clima Aronofsky, 2008), influência confessa de Uhtred, o Bravo, personagem históri- a viagem para o norte não será nem um
como Os Imperdáveis (Clint Eastwood, mas a Record, editora responsável pelas
é de derrota e despedida, até por se de Jackman, do que o carnaval sensorial co de quem Cornwell é descendente. pouco fácil.
1992), outra influência confessa, mas obras do autor no país, já confirmou o
tratar da última performance de Hugh tradicional dos filmes de super-herói. The Flame Bearer começa em meio a
em sua sensibilidade e excelência, é O tio de Uhtred, que usurpou Beb- lançamento da edição em português
Jackman na pele do canadense das A história em si não tem nada de bem mais que um simples filme de herói. uma paz indócil. Depois dos eventos do banburg, contratou mercenários para para o primeiro semestre de 2017.
garras de adamantium. Praticamente muito original: os mutantes estão conde- último título, um único reino permanece reforçar suas defesas e garantir a che-
não há mais mutantes, o Professor Xa- nados enquanto raça, mas surge uma J.M. Trevisan sob domínio dos invasores. Mas o go- gada de suprimentos via mar. Constan- Gustavo Brauner
10 11
RESENHAS

Dirk Gently’s Tudo está conectado


Holístico, adj. que bus- A principal delas é a ca-
ca um entendimento çada de Bart (Fiona Dourif),
integral dos fenôme- uma “assassina holística”, que
sabe que precisa encontrar e
nos, em oposição a
matar Dirk Gently, por alguma
tomar os componentes razão. Ela acaba recebendo
isoladamente. a ajuda relutante de Ken, um
Mais uma da nova onda de hacker covarde.
séries parcialmente bancadas Ao mesmo tempo, a polícia
pela plataforma de streaming de Seattle e Farah, a chefe de
Netflix, Dirk Gently’s Holistic segurança de Patrick String,
Detective Agency foi produ- procuram pela herdeira dele,
zida em conjunto com a BBC Lydia Spring, que foi sequestra-
America, e adapta o livro de da. Há também o esquisito e
mesmo nome de autoria de desagradável Gordon Rimmer,
Douglas Adams — mais co- de certa maneira o “vilão” da
nhecido por aqui como o pai história, que só quer seu cãozi-
da série de livros O Mochileiro nho corgi de volta.
das Galáxias. Os personagens são sim-
Embora não seja estritamen- páticos à sua própria maneira:
te fiel ao livro, a série traz de depois de alguns episódios,
maneira magistral seu clima: mesmo Gordon se torna com-
uma sensação constante de preensível em seus motivos e
confusão, por meio de cenas atitudes. O clima geral é de
entrecortadas, com altas doses uma ficção científica leve e
de humor negro e sarcasmo. sem muitas explicações, mais
Os personagens parecem ví- concentrada em contar uma
timas constantes de um acaso história do que em discorrer
quase cruel, mas que também sobre ciência porvir ou o com-
movem a história. portamento humano.
Infelizmente, é difícil Dirk Gently é uma série
redor, culminando com seu encontro
explicar o plot da série em poucas deliciosa e instigante que casaria per-
com o herói epônimo da série, o ma-
palavras. Elijah Wood, nosso eterno feitamente com uma aventura de RPG!
ravilhoso, simpático e completamente
Frodo, usando ao máximo sua cara de maluco Dirk Gently, o “detetive holís- Álvaro “Jamil” Freitas
cachorro abandonado, interpreta Todd tico”, vivido por Samuel Barnett.
Brotzmann, um carregador de malas O objetivo de Dirk é simples: resolver
de hotel. A história começa acompa- um mistério – o assassinato de Patrick
nhando mais um dia miserável de sua String – mas seus métodos são confusos
vidinha. Porém, uma série de aconteci- e incompreensíveis, e a história acaba
mentos esquisitíssimos se passa ao seu mostrando outras buscas paralelas.
12 13
DICAS DE MESTRE DICAS DE MESTRE
Como os apelões são vistos, depende de cada grupo. Há um arqueiro? Surgem inimigos distantes/voadores que
Para alguns, apelar é apenas normal — explorar as regras, o guerreiro não alcança. Nos quadrinhos, pouco importa a
tirar vantagem delas, faz parte da brincadeira. Os jogado- magnitude da ameaça cósmica, sempre há algo importante
res tentam construir personagens melhores que seus colegas, para o Arqueiro Verde e o Gavião Arqueiro flecharem.
encaram como uma competição de estratégia, querem ser E isso pode nem ser necessário. Alguns grupos, como
os mais espertos. E para outros, os apelões são uma praga aqueles habituados a games multijogador, assumem papéis
infernal que estraga tudo, acaba com toda a diversão. Após e agem em conjunto. Um tanque para receber dano, um
explorar toda a masmorra, quando o grupo finalmente alcan- atacante para causar dano, um curandeiro, um controlador
ça o covil do dragão vermelho... ele cai morto ao primeiro de área (alguém usando magias/armadilhas que afetam o
ataque do ranger/samurai/mestre iaijutsu combado. Aos campo de batalha). Para jo-
demais, só resta olhar. gadores assim, ter uma
Os primeiros são ok, mas os últimos, não. RPG deve ser máquina assassina
divertido para todos. Não só para o apelão. na equipe é apenas
parte da estraté-

Digo-te não!
gia vitoriosa.

JOGADOR APELÃO!
Primeiro, pergunte-se: o personagem é mesmo apelão?
Seu poder/manobra/magia é mesmo maior que outros
parecidos dentro do jogo? Ele sempre triunfa quando os
outros falham? Talvez ele apenas tenha sorte nos dados — e
sorte não dura para sempre. Talvez você esteja oferecendo
desafios fáceis demais. Como um teste rápido, compare as
rolagens do suposto combado com os outros jogadores,
sempre assumindo um resultado mediano nos dados (10 em
1d20). São muito diferentes?

Acredite, você ainda vai lidar com um desses


Confirmando o apelão, vale lembrar: ter um personagem
mais forte que os demais nem sempre é um problema. Há
muitos grupos de heróis com um membro desproporcional-
mente poderoso. Superman na Liga da Justiça, Thor e Hulk
nos Vingadores, Jean Grey nos X-Men, Dr. Manhattan em
Não é a primeira vez que a Dragão Brasil Ao mesmo tempo, os jogos buscam ser justos e equi- Watchmen, Ikki de Fênix em Cavaleiros do Zodíaco. Ao
fala sobre apelões, ou powergamers, ou librados, mas nem sempre conseguem. Deixam brechas, mesmo tempo, quase todos esses grupos também têm heróis
ainda overpowers, entre outros apelidos. deixam falhas. Mesmo após meses de testes com milhares muito mais “fracos”, humanos (quase) sem poderes. E mes-
de participantes, surge aquele jogador usando aquela ma- mo assim, funcionam. Exceto por uma ocasional rivalidade
Jogadores que vasculham as regras, encon-
nobra naquele momento, dizimando o time adversário ou Legolas/Gimli, um grupo de aventureiros não é um torneio
tram combinações improváveis, e conseguem
abatendo o chefão final na primeira rodada, sem chance para ver quem causa mais dano ou quem mata mais orcs.
aquele combo capaz de matar o NPC mais de defesa. Isso é ainda mais comum em RPGs, com sua vas- Aventureiros têm seus pontos fortes e compensam os pontos
forte do mundo de campanha. tidão de regulamentos, e uma população de jogadores e fracos dos companheiros. Isso é trabalho em equipe.
Mesmo descrito como um teatro de improviso, uma mestres transbordando criatividade. Quem não se lembra, Isso quer dizer que um personagem forte não ne-
arte dramática, um jeito divertido de contar histórias com na primeira versão de Dungeons & Dragons 3ª Edição, da cessariamente estraga o jogo — desde que os outros
os amigos, RPG ainda é um jogo. Tem regras. Tem muitas magia harm (doença plena), capaz de reduzir o alvo a 1d4 também tenham chance de brilhar. Cabe a você,
regras, que podem ser combinadas — fazer combos — de pontos de vida sem direito a teste de resistência?! Mesmo mestre, oferecer essas oportunidades. Enquanto o
infinitas maneiras. Como o advogado que busca vencer uma o jogo mais cuidadosamente planejado pode conter opor- apelão-máquina-de-matar se ocupa com o dragão/
ação, os jogadores exploram essas regras, tentam fazê-las tunidades para o apelão. Um traço racial, uma habilidade monstro/vilão, preencha a cena com desafios para Hulk:
funcionar a seu favor. Tentam construir um personagem mais de classe, um talento, uma magia — que, combinado a os outros jogadores. Há um clérigo? Esqueletos e apelão não.
eficiente naquilo que faz. Isso não é maldade, não é trapaça. outros, mesmo absolutamente dentro das regras, acaba zumbis erguem-se do chão. Há um ladino? Uma arma- Parte essencial
É natural. Ninguém joga para perder. chutando o balde. dilha é ativada é o teto começa a descer lentamente. da equipe!

14 15
DICAS DE MESTRE DICAS DE MESTRE
Quando nerfar edição 3.5, distribuindo melhor suas habilidades. O talento
Grandão, visto pela primeira vez em Tormenta: Guia da
sonagem combado, estude suas habilidades, recalcule os
bônus. Investigue se o jogador está mesmo obedecendo ao
Pode combar, maaas...
Mas digamos que o apelão não é bem-vindo. Seus combos Trilogia, era forte demais; acabou nerfado (na verdade, material oficial. Acredite, quase todos os apelões têm a ca- Estamos sendo pessimistas, presumindo que o apelão
acabam com batalhas que deviam ser longas e empolgantes. ganhou pré-requisitos mais severos) no mais recente Ma- pacidade de “ignorar” ou “esquecer” detalhes que, quando nunca vai largar o osso. Quando fica claro para todos que
Os outros jogadores não passam de coadjuvantes para o nual das Raças. aplicados, fazem desmoronar o combo. E mesmo que esse ele está estragando o jogo, poucos insistem em continuar. E
apelão. São Guerreiros Z que só servem para apanhar até seja o caso, não o acuse de trapaça. O esquecimento pode quando o fazem, acabam misteriosamente “esquecidos”, não
Claro, você não precisa ficar esperando por uma atuali-
que Goku resolva tudo. ser legítimo. Ora, todos temos tendência natural a preferir convidados para as próximas sessões. Não culpe o grupo,
zação. Você é o mestre, tem a palavra final sobre equilíbrio
Há maneiras de lidar com isso. Aquela mais óbvia, claro, o que nos favorece e rejeitar o que nos prejudica. nem o mestre, nem o RPG! Ninguém gosta de desperdiçar
de regras, mesmo quando são oficiais e estão nos livros.
é nerfar o personagem combado — essa palavra nasceu seu tempo livre com gente irritante!
Você pode proibir esta ou aquela regra antes mesmo da O combo está ok? Comece a procurar contramedidas.
no game Ultima Online e refere-se às armas de brinquedo campanha começar, antes que os personagens sejam cons- Grande parte dos combos é baseada em usar muitos re- Uma vez revelado o combo desleal e seu dano (ao jogo,
Nerf, macias e inofensivas. Nerfar significa enfraquecer truídos. Vasculhe fóruns e comunidades, descubra se outros cursos para fortalecer uma única habilidade ou ataque, não aos monstros), fale com o jogador. Há várias soluções
ou banir uma habilidade, magia ou item, para balancear mestres acharam problemas. Tormenta tem um vasto fórum deixando o personagem ineficaz em tudo o mais — será possíveis:
as regras e permitir que outras habilidades/magias/itens para discussão de regras. fácil achar fraquezas. • Deixe que ele reconstrua o personagem retroativamente,
continuem interessantes. ou troque de personagem.
Infelizmente, poucos mestres conseguem examinar e ava- O apelão consegue rolar críticos com 13 ou mais? Au-
Quando percebem tais problemas, os próprios autores/ liar de antemão todo o material disponível para jogadores. mente a incidência de monstros imunes a acertos críticos, • Adicione uma limitação. Permita que o personagem
desenvolvedores de jogos cuidam disso. Novamente em Então é mais comum que o jogador esperto encontre a regra ou adversários com armaduras/talentos de fortificação. continue usando o combo, mas apenas em certas condi-
D&D 3E, o ranger ganhava muitas habilidades no 1º nível, apelativa primeiro, revelando-a apenas em jogo. Nesse caso, Sua classe de armadura vai a CA 50 e além? Que venham ções. Por exemplo, o combo só pode ser usado uma vez
mas nenhuma outra nos três níveis seguintes. Como resul- mestre, não proíba de imediato. Deixe que o apelão use sua magias e ataques de toque. Tem uma espada mágica mata- por dia, ou consumindo pontos de magia, ou mesmo um
tado, apelões (ou nem tão apelões) só pegavam um nível tática algumas vezes. Mas seja firme e avise: “Essa apela- dora? Espadas podem ser desarmadas ou até quebradas. ponto de ação.
de ranger e então trocavam de classe. Isso foi mudado na ção vai cansar!” Cuide para que o apelão e todos em volta Suas resistências chegam à Lua? Recorra a obstáculos am- • Equilibre a balança. O combo segue funcionando, mas
saibam que você fará algo a respeito. Muitas vezes, bientais, como um corredor estreito demais, impedindo um o personagem recebe algum tipo de maldição por possuir
isso já basta. Temendo perder seu combo, o jogador teste de Reflexos para esquivar-se do relâmpago. tamanho poder. Por exemplo, sofre algum dano, ou transfor-
deve moderar o uso da tática apelativa, guardando-a ma-se temporariamente em outra coisa.
“Isso é perseguição!” o apelão vai protestar. Claro,
apenas para momentos decisivos.
se o herói combado é uma máquina de disparar bolas de • Equilibre o grupo. Apelões são chatos porque roubam
Ou não. Sentindo-se esperto, amparado pelas fogo maximizadas/potencializadas, e todos os monstros a cena; simplesmente dê mais poder aos outros jogadores.
regras oficiais, talvez o jogador ainda insista em seu no caminho são imunes a fogo, será realmente injusto e Tome cuidado com essa solução, pois ela pode levar a uma
combo. sem sentido. Mas lembre-se, quanto mais os aventureiros corrida armamentista que pode acabar afundando o jogo
lutam, mais conhecidos se tornam. Bardos cantam sobre num mar de combos insustentável. A não ser que seu grupo
Outro elemental suas batalhas em tavernas lotadas. Mesmo que suas lutas
não sejam pessoalmente testemunhadas, ainda existe
realmente goste de regras.

do fogo?!
• Aproveite em campanha. Digamos que o combo não
magia divinatória. Um vilão poderoso, inteligente, com
funciona mais, mas o personagem descobre que há uma
recursos (o tipo de vilão que o apelão acredita vencer fá-
Talvez você não queira usar sua autoridade como maneira de reativá-lo. Será sua próxima aventura.
cil com seu combo), estará prevenido. Instruirá e equipará
mestre e apenas proibir o combo. Talvez prefira evitar seus capangas de acordo. Terá o item mágico exato para E mesmo quando tudo parece perdido, quando a cam-
um clima ruim. RPG é para ser divertido, afinal. Como a situação. panha parece arruinada por um combo, nunca se esqueça:
combater a apelação inesperada? é apenas um jogo. Um jogo sem competição, sem um único
Sobre exploração de fraquezas em apelões, a minissérie
Em primeiro lugar, não traga debates sobre regras vencedor. Uma reunião de amigos.
Odisseia Cósmica contém uma cena clássica para os fãs de
para a mesa de jogo. Discussões assim podem ser super-heróis (atenção, spoilers à frente). Ajax, o Marciano Não vale brigas. Não vale perder amizades.
desafiadoras, até empolgantes para alguns. Mas, na (ou J’onn J’onzz) e John Stwart, o Lanterna Verde, rumavam
maioria das vezes, apenas deixam o jogo parado — para o esconderijo de um vilão pronto para explodir um PALADINO
Dê um jeito e os outros jogadores entediados — enquanto vocês planeta habitado. Após alguns confrontos, o Lanterna deci-
no apelão folheiam livros e caçam materiais online atrás de ar- diu que J’onn era fraco demais, estava apenas atrasando-o.
como fizeram gumentos. Não faça isso. Não estrague o ritmo, não Prendeu o companheiro em uma bolha de energia e seguiu
com o Lanterna pare a aventura. sozinho. Qual não foi sua surpresa ao alcançar a bomba
em Odisseia Quando a sessão de jogo acabar, então é hora de juízo final... pintada de amarelo! A cor contra a qual seu
Cósmica de mergulhar nos livros. Confira a construção do per- anel energético não tinha efeito!

16 17
TIRO,
Corporação Manufatureira Interestelar (ou
A GUERRA DOS TITÃS IMC, na sigla em inglês), uma antiga subsidiária
No futuro, a humanidade chegou ao espaço, colo- da Hammond Robotics que cresceu e se tornou um
nizando diversos planetas e sistemas estelares. É nos grande império comercial, explorando os recursos da

PORRADA, limites deste universo colonizado que fica a região


conhecida como a Fronteira, formada por dezenas
de planetas habitados, e também incontáveis outros
Fronteira e usando de mercenários e forças paramili-
tares para abrir espaço onde encontra resistência.
Para enfrentar a IMC, a população de diversos
que seguem inexplorados.

BOMBA A maioria da humanidade jamais viajará tão lon-


ge do centro da civilização – mas ela é densamente
planetas formou as Milícias da Fronteira. Trata-
se de um grupo heterogêneo, formado por soldados
oriundos de diversas origens, de idealistas de planetas
povoada por pioneiros, exploradores, mercenários, idílicos lutando para preservar seu modo de vida até

E MUITOS foras-da-lei, piratas e outros tipos que busquem aven-


turas e oportunidades.
A Fronteira é muito rica em recursos naturais. Foi
piratas e bandoleiros atrás apenas de um bom saque
de cargas da IMC.
Para muitos, são um grupo terrorista, que ataca e

ROBÔS explorando tais recursos que a Hammond Robotics


desenvolveu a tecnologia dos titãs: grandes máqui-
nas humanoides de metal, descendentes distantes dos
destrói empreendimentos de uma grande corporação;
para outros, são a esperança possível contra a explo-
ração sem limites dos recursos da Fronteira.

GIGANTES
exoesqueletos experimentais do século XXI. A Guerra dos Titãs já começou. De que lado
Além dos óbvios usos militares, titãs também são você ficará?
usados em missões de resgate no espaço, na explo-
ração de ambientes inóspitos, além de indústrias
pesadas como transporte e construção civil. A CAMPANHA
Mas existe o outro lado. A exploração de recursos A campanha de Titanfall normalmente envolve a
leva ao esgotamento dos planetas, e a população guerra entre a IMC e as Milícias da Fronteira.
local nem sempre vê com bons olhos a presença de Pilotos de ambos os lados, bem como membros
grandes corporações mudando o modo de vida das de companhias mercenárias, devem ser a maior parte
suas comunidades. dos personagens.
Empresas com menos escrúpulos em geral pas- A pontuação recomendada é de 12 pontos. Des-
sam por cima de tais dificuldades, esmagando aque- tes, 5 devem ser gastos para cumprir as exigências
les que ficam em seu caminho. A maior destas é a do kit Piloto, descrito a seguir.

20 21
Piloto combate entre titãs. Apenas os melhores soldados de ser dada a outro titã, que recuperará
suas tropas conseguem esta certificação, sendo vistos imediatamente 5 PVs e PMs ou, se já
Exigências: Aceleração, Aliado Gigante (veja geralmente como a elite dos seus exércitos, a quem estiver com ambos no máximo, rece-
abaixo), Esporte. os jovens recrutas olham com admiração, desejo e berá um bônus de R+1 até o fim do
Função: dominante. mesmo um pouco de inveja. combate, aumentando também os seus
O piloto é o grande herói da Fronteira. Seja no Aliado Gigante (2 pontos). Você possui um PVs e PMs atuais. Um piloto só pode
comando de um titã da IMC, como um mercenário Aliado, com pontuação definida seguindo as regras carregar uma bateria roubada de cada
normais (Manual 3D&T Alpha, pág. 29), mas per- vez, e nenhum titã pode receber mais
contratado, ou um herói popular das Milícias, é fre-
tencente a uma escala superior à sua (Sugoi, no caso do que 1 ponto de Resistência bônus
quentemente a sua atuação que determina a vitória ou
de um personagem Ningen). por baterias extras.
derrota no campo de batalha.
Diferente de um piloto de mecha tradicional, um pi- Arpéu. Usando um cabo de aço com arpéu, você
loto de titã deve ser capaz de combater com a mesma é capaz de escalar superfícies à velocidade normal OS TITÃS
iniciativa e desenvoltura dentro e fora da sua máqui- sem precisar de testes de perícia. Além disso, pode se
Os titãs são os donos dos campos de
na. No meio da ação, ele deve ser capaz de descer balançar pelo ar à velocidade normal, como se esti-
batalha na Fronteira, usados tanto pe-
do cockpit rapidamente para cumprir um comando no vesse se movendo em terra firme, desde que existam
los mercenários contratados pela IMC,
chão, desviando de tiros e correndo por entre locais pontos altos no ambiente onde prender o gancho.
como pelas Milícias que os combatem.
fechados com técnicas avançadas de parkour, e então Mochila propulsora. O piloto possui uma mo- Durante uma batalha, eles são guarda-
às vozes sintéticas que ouvem quando estão na cabine
voltar rapidamente para a máquina a tempo de dar chila propulsora que o permite estender saltos e correr dos em naves de transporte na estratoesfera, onde são
de comando, tratando-as como um amigo íntimo.
prosseguimento ao combate de gigantes. pelas paredes. Sua distância máxima de salto é do- montados e equipados para o combate, aguardando
brada, e ele sempre sofre o dano mínimo em quedas o comando do piloto no chão para realizar a titanfall, Combatendo um titã. Todo titã é um construto
Pilotos são credenciados através de uma série de
(por exemplo, 3 se for uma queda de 3d). ou lançamento do titã — seu envio para o campo de pertencente à escala Sugoi. Isso quer dizer que seus
certificados, que garantem sua proficiência nas diver-
batalha. Uma vez chamado, o titã chegará no início ataques e defesas são multiplicados por 10 quando
sas áreas em que os titãs são utilizados. A mais pres- Parkour. O piloto não sofre penalidades por se
da próxima rodada do piloto. ele enfrenta personagens Ningen, inclusive pilotos fora
tigiosa destas certificações é a Certificação de Com- mover em terrenos difíceis, sempre podendo se movi-
de suas máquinas. É parte da razão porque são opo-
bate Completo, que, através de uma série de testes de mentar à velocidade máxima. Além disso, pode gastar O titã é otimizado para que o piloto seja capaz
nentes tão temidos: sua presença em meio a soldados
grande dificuldade, atesta a capacidade do piloto no um movimento para receber um bônus de H+2 em de entrar e sair rapidamente, sem prejudicar o fluxo
comuns leva à dizimação de tropas inteiras!
qualquer teste que envolva movimenta- da ação. Uma vez que a máquina esteja no chão,
ção (como esquivas ou fugas) durante basta uma ação para ele ser colocado pelo próprio Como é comum que um piloto entre e saia cons-
uma rodada. titã no cockpit e todos os sistemas de comando serem tantemente do seu titã, no entanto, ele se verá com
ativados. Do lado de dentro, o piloto é reconhecido alguma frequência batendo de frente com os gigantes
Rodeio. Usando uma ação
através de uma conexão neural; cada titã reconhece em combate. Para aumentar suas chances de sobrevi-
completa e passando em um teste de
apenas um piloto, travando os sistemas caso outro vência, você pode usar as seguintes regras.
Esporte, você pode escalar um titã ini-
migo (se tiver a habilidade arpéu, não tente comandá-lo. A troca do piloto reconhecido só Esquivas. Acertar um alvo tão pequeno é difícil
é necessário teste). Enquanto estiver no pode ser feita pelo piloto anterior, pelo comando quando se comanda uma máquina do tamanho de
topo, não pode somar a Habilidade da missão, ou invadindo e hackeando o sistema de um titã! Quando um piloto Ningen enfrenta um mecha
na FD nem se esquivar, e deve usar um alguma forma. Sugoi, ele recebe um bônus de H+5 nas suas jogadas
movimento e passar em outro teste de Todo titã conta com uma inteligência artificial rudi- de esquiva.
Esporte em toda rodada para não cair. mentar, capaz de se proteger de inimigos e oferecer Dano Gigante (+2 pontos, +10 PMs). Esta
Pode também usar sua ação para ata- apoio tático mesmo sem um piloto no comando, bem ampliação para Ataques Especiais pode ser usada
car o titã, que é considerado indefeso, como de fazer análises do campo de batalha e suges- para representar armas de grande porte, como lança-
mas mantém o bônus pela diferença tões de cursos de ação. Seu verdadeiro potencial, no foguetes e canhões de plasma, capazes de danificar
de escala; ou roubar a sua bateria entanto, só se revela quando há um piloto habilidoso titãs. Ela aumenta a escala do ataque em um nível: um
externa, fazendo-o perder 1 ponto de dentro do cockpit. Embora tratem-se de máquinas frias piloto Ningen utilizando um ataque com Dano Gigante
Resistência. A bateria roubada pode e sem emoções, não é incomum que pilotos se apeguem atingiria escala Sugoi; e um titã, se tiver um poder tão

22 23
destruidor que mereça o uso da vantagem, chegará autodestrói, é como se tivesse gasto 6 PMs na magia, F1 (esmagamento), H1, R3, A2, PdF2 (fogo)
até a escala Kiodai! causando H+3d de dano em todos à sua volta. 15 PVs, 25 PMs
Caso um titã esteja Perto da Morte, ele pode iniciar É comum que as naves de transporte carreguem Vantagens/Desvantagens: Mecha; Ataque
uma sequência de autodestruição para tentar levar diversos chassis de titãs, que podem ser montados Especial (PdF - Dano Gigante), PMs Extras, Reflexão.
junto inimigos próximos. O piloto é ejetado a uma e equipados rapidamente caso seja necessário.
distância segura, enquanto a máquina se desfaz em Assim, caso um titã seja destruído, o piloto, se tiver
uma grande explosão. Realizar a sequência de auto- sobrevivido, pode logo solicitar uma nova máquina. Legion
destruição requer uma ação completa, e possui um Ela ficará pronta em 1d rodadas, quando passará Legion é o peso pesado dos titãs, capaz de re-
efeito semelhante à magia Explosão (Manual 3D&T a aguardar o comando para realizar a titanfall. No sistir a uma grande quantidade de tiros com poucos
Alpha, pág. 94), considerando a quantidade de PMs entanto, titãs ainda são máquinas caras, e pedir que arranhões. É equipado com uma grande metralhado-
gastos como o dobro dos PVs restantes da máquina. um novo chassi seja equipado possui um custo alto ra giratória com um pequeno escudo de partículas
Por exemplo, se o titã estiver com 3 PVs quando se para o piloto: 5 PEs. sobre o cano, que permite a proteção contra ataques
Outras regras avançadas para usos de mechas frontais. Seus modos de tiro incluem tanto a rajada
em jogo podem ser encontradas nos livros Brigada como o de tiros únicos, feitos com todos os canos
Ligeira Estelar e Manual do Defensor. simultaneamente, para um dano maior. Também pos-
sui um sistema muito eficiente de mira automática.
Tanto poder, no entanto, vem com um preço: é um titã
CHASSIS DE TITÃS lento e desajeitado, facilmente vencido em disputas
Para melhor representar os titãs que aparecem no de mobilidade.
jogo, todos os modelos a seguir foram construídos F1 (esmagamento), H1, R4, A3, PdF2
com 15 pontos. O mestre tem a opção de permiti-los (perfuração)
da forma como estão, mesmo que a pontua-
ção dos personagens seja menor; ou pe- 20 PVs, 20 PMs
dir aos jogadores que os personalizem, Vantagens/Desvantagens: Mecha; Armadu-
retirando equipamentos e vantagens que ra Especial (A+1), Ataque Especial (PdF - Teleguiado),
achem desnecessários para chegar à Deflexão, Tiro Múltiplo, Ponto Fraco.
pontuação correta. Ronin
Northstar Ronin é o titã para os que querem trazer uma es-
Ion Northstar é o titã franco-atirador. Equipado com um
pada para uma briga de armas de fogo. É focado na
mobilidade, e especializado em flanquear inimigos e
“Lasers”: eis a melhor definição do titã Ion. Seus motor propulsor de voo, pode pairar pelo ar enquanto
realizar ataques surpresa de “bater e correr”. Possui
equipamentos e capacidades utilizam energia na sua mira seu rifle de energia, atingindo alvos distantes
forma mais pura, com resultados muitas vezes devas- uma espingarda de três canos de curto alcance; sua
com rajadas de extremo poder. Também possui lança-
tadores. Possui como arma principal um rifle de ener- arma mais característica, no entanto, é a gigantesca
mísseis nos ombros capazes de causar estragos rapi-
gia, e um canhão de laser concentrado como arma espada de aço que usa para desmontar titãs com po-
damente em um alvo que o ameace. É, no entanto, um
secundária. Como equipamento defensivo, utiliza um derosos ataques corporais, além de bloquear balas e
titã frágil, que resiste a poucos golpes antes de parar
escudo de vórtice energético que bloqueia projéteis projéteis. Ela possui ainda um núcleo de energia que
de funcionar. Para evitar que os inimigos se aproxi- pode ser usado para aumentar o poder dos golpes,
atirados contra ele, e então os joga de volta contra mem, conta com um sistema de discos-armadilha, que
o próprio adversário que os disparou! Sua arma ou para disparar uma rajada de energia cortante. É,
os prende ao chão com fortes cabos de aço. no entanto, um titã frágil, que depende da sua capa-
máxima, no entanto, é revelada quando ele abre o
F1 (esmagamento), H1, R2, A2, PdF3 (fogo) cidade de distorcer o espaço para escapar e evitar os
núcleo do torso, e dispara uma devastadora rajada
de energia contra os adversários na sua frente: um 10 PVs, 10 PMs ataques inimigos.
poder assustador, mas que só pode ser usado poucas Vantagens/Desvantagens: Mecha; Ataque F2 (corte), H1, R2, A2, PdF1 (esmagamento)
vezes por combate! Especial (PdF), Paralisia, Tiro Carregável, Voo. 10 PVs 10 PMs

24 25
Vantagens/Desvantagens: Mecha; Ataque Scorch
Especial (F – Perigoso), Ataque Especial (PdF – Pene-
trante), Deflexão, Teleporte. Scorch, cujo nome é uma abreviação de scorched
land (ou terra devastada), é um titã de controle de área
que utiliza o fogo tanto para o ataque quanto para
a defesa. Sua arma principal é um lança-granadas
incendiárias, seu arsenal secundário é composto por
bombas e armadilhas flamejantes, e mesmo seu
equipamento de defesa é um escudo de
plasma, que derrete as balas atiradas con-
tra ele e pode até mesmo ser usado para
atacar titãs que se aproximem demais!
F1 (esmagamento), H1, R3, A3,
PdF4 (fogo)
15 PVs, 15 PMs
Vantagens/Desvantagens: Mecha;
Ataque Especial (PdF), Deflexão, Toque
de Energia.

Tone
Um titã equilibrado entre ataque e defesa, as
habilidades de Tone são baseadas em detectar ini-
migos e eliminá-los com o máximo de eficiência.
Além de um poderoso rifle de cargas explosivas, é
equipado com um sonar e um conjunto de mísseis
teleguiados. Como medida defensiva, é capaz de
criar à sua frente uma resistente barreira de
partículas, que também pode ceder para
proteger aliados.
F1 (esmagamento), H1, R3, A2,
(4) PdF2 (esmagamento)
15 PVs, 15 PMs
Vantagens/Desvantagens:
Mecha; Armadura Especial (A+2),
Ataque Especial (PdF – Teleguiado),
Sentidos Especiais (Infravisão, Ra-
dar, Visão de Raio-X).

Bruno “Burp”
schlatter

26 27
3D&T
TOOLBOX TOOLBOX
3D&T
Artax, o cavalo de Atreyu, afundando está passando nesses momentos. Também (esperamos!) difi-
nos Pântanos da Tristeza, em A História cilmente já passou por momentos de pavor que assombram

Leonel
Você com Sem Fim. O monólogo de Roy Batty sobre as vítimas de uma história de terror. Mas todos já tivemos
certeza se momentos de perda, desesperança e talvez até mesmo tra-
“lágrimas na chuva”, em Blade Runner. A

Caldela
divertiu com gédia. Através do drama, conseguimos nos conectar de um
Supergirl morrendo nos braços do primo, modo muito mais real.
o momento mais
em Crise nas Infinitas Terras, a Deusa dos

ensina a
triste da vida O drama aproxima os protagonistas de nós. Após passar
do Super Elfos, recusando-se a defender seus filhos ou
alguns momentos reais e humanos com eles — ou seja, após
a si mesma, em O Terceiro Deus. Todos estes

arte do
experimentarmos na narrativa algumas situações de tristeza
momentos têm algo em comum: são tristes. e perda — até mesmo as sequências de ação, terror ou
Seu objetivo é nos deixar arrasados, nos comédia serão mais efetivas. Quando os personagens não

plot twist forçar a sofrer junto com os personagens,


talvez até arrancar algumas lágrimas.
têm qualquer tristeza ou vulnerabilidade emocional, nossa
tendência é achar, mesmo que de forma inconsciente, que
eles também não são vulneráveis fisicamente. O guerreiro
Sim, leitor, hoje vamos discutir como usar um dos truques
mais sujos no arsenal de um mestre de RPG ou escritor: o passa a ser visto como uma máquina de lutar, que nunca
drama! Peguem seus lencinhos e preparem a desculpa de será ferida. O mago é um mero canhão de bolas de fogo,
que é só um cisco no olho, pois desta vez nenhum coração e nunca estará em risco. Da mesma forma, personagens em
vai permanecer inteiro! histórias de terror serão só vítimas, ou só palhaços em histó-
rias de humor… Tudo tem mais emoção, mais adrenalina e
mais graça quando acontece com pessoas. E pessoas, sem
Hey, Jude, pra que chorar? exceção, passam por drama.
Vamos começar da maneira tradicional: perguntando por Certo, então já sabemos por que colocar nossos perso-
que usar este elemento em nossas histórias. Por que, afinal, nagens no moedor de carne emocional. Estamos prontos
alguém gostaria de sofrer emocionalmente? Por que ler ou para despejar um oceano de tragédias sobre os infelizes!
jogar algo que vai discutir algumas das piores faces da vida? Mas primeiro vamos perguntar: o que é drama? O que é
tragédia? Basta fazer eles contraírem doenças incuráveis,
A resposta é simples. Contamos histórias, na mesa de
perderem todos os amigos e familiares e ainda por cima
jogo ou na página escrita, para compartilhar experiências
serem mordidos por seu hamster de estimação? Tragédia,
e emoções. É claro, provavelmente você tem na cabeça
para funcionar, exige regras. Felizmente, pessoas bem mais
histórias que estão loucas para sair, e deseja mostrá-las ao
mundo. Mas pense bem: se você tirar todas as emoções des- inteligentes do que nós já se preocuparam com isso — entre
elas, um tal de Aristóteles, há mais de 2.000 anos. Vamos

FAZENDO DRAMA
sas histórias, elas continuam sendo especiais? Digamos que
você transforme as sagas que quer compartilhar em relatos ver o que ele tem a dizer.
factuais, sem explorar o que acontece internamente com os Para os gregos antigos, uma tragédia era uma narrativa
personagens. Provavelmente toda a graça foi embora, certo? que terminava pior do que começava. Embora nós não va-
Na minha opinião, o principal motivo para alguém criar mos seguir todas as diretrizes de Aristóteles e sua turma (e
narrativas é estabelecer conexões emocionais com outras nem transformar esta coluna num tratado pseudoacadêmico
pessoas. Como seres humanos, temos absoluta necessida- de teatro clássico), esta regra vai nos servir muito bem, pois
de disso — mesmo que tenhamos vontade de ficar o dia é prática e metódica.
inteiro em casa jogando videogame, em algum momento Se você quer criar drama em sua narrativa, faça um pla-
precisamos nos conectar, inclusive através de narrativas nejamento, ou até mesmo um gráfico, traçando a jornada
ficcionais. Aí entra o drama: enquanto aventura pode fazer pessoal dos protagonistas, e tenha certeza de tornar tudo
nosso coração acelerar e terror pode nos fazer temer pelos cada vez pior. Pode haver momentos de esperança e felici-
protagonistas, é através do drama que temos uma conexão dade, mas de modo geral deve haver um declínio no estado

Tragédia, tristeza e melancolia animando a sua história


mais real com os personagens e, através deles, com o autor. do personagem em relação ao começo. Isso é extremamente
A maioria das pessoas nunca passou pelo tipo de combates útil no RPG e na literatura fantástica porque elimina um dos
e correrias que são rotina para um herói de ação — assim, grandes problemas para criar drama nesses gêneros: a
nunca consegue entender exatamente aquilo pelo que ele escalada de poder dos heróis. No RPG, começamos como
28 29
3D&T
TOOLBOX TOOLBOX
3D&T
justo e poderoso, detendo a invasão. Tem um melhor sesperada desde O Inimigo do Mundo, o primeiro livro Acidentes, em qualquer tipo de narrativa, devem ser evita-
amigo (Lancelot, o melhor cavaleiro do mundo) e da Trilogia da Tormenta. Quando chegamos a O Terceiro dos — o protagonista contrai uma doença por puro azar,
uma esposa por quem é apaixonado (Guinevere). No Deus (o terceiro livro da trilogia), sabemos que a tristeza de é atropelado ou fulminado por um raio. Isso, infelizmente,
entanto, quando Camelot está no auge, Lancelot e Glórienn já provocou vários desastres, entre eles a chegada acontece na vida real. Mas a diferença entre a vida real e
Guinevere se apaixonam. Isso é uma tragédia para da própria Tormenta. Sabemos que ela está tão paralisada a ficção é que a ficção precisa fazer sentido. Então nossos
todos os envolvidos: na maior parte das versões da pela própria autopiedade que não consegue sair do buraco momentos dramáticos precisam estar ligados à trama.
história, nenhum dos amigos deseja trair o outro, mas onde se encontra. Então ela é atacada dentro de seu próprio Se você quer lidar com uma doença grave (tema pesado),
a paixão de Lancelot e Guinevere é incontrolável. Ao reino, onde é onipotente. Se Glórienn quisesse, ela poderia o melhor é inseri-la logo no início da narrativa, tornando-a
mesmo tempo, o filho ilegítimo de Arthur, Mordred, dizimar os inimigos com um pensamento. Mas sua tristeza, o status quo da história — ou seja, o “estado natural”, de
trama contra o pai. No final, com Camelot dilacerada passividade e melancolia impedem isso. No final, Glórienn é onde toda a trama parte. Uma doença que chega sem aviso
pelo triângulo amoroso, Arthur é morto pelo próprio obrigada a fugir, perdendo seu reino e deixando de ser uma no meio da trama muitas vezes é vista como traição pelo
filho. A Britânia não consegue resistir ao ataque dos deusa maior, abandonando todos os elfos. É algo egoísta e público, já que não há nenhum tipo de aviso ou qualquer
saxões sem a liderança do rei. Cortinas, fim — um fraco. Mas, segundo a trajetória dela, inevitável. meio de evitá-la. É por isso que, em histórias que lidam com
fim bem pior que o começo, com o garoto humilde se
Na tragédia grega costumava haver o “coro”: doenças, muitas vezes o personagem é mostrado
descobrindo rei.
um grupo de pessoas de baixa estirpe (escra- tossindo sangue logo no começo: é uma
As lendas arthurianas funcionam tão bem porque vos, cidadãos comuns, etc.) que notavam forma de mostrar ao público que nem
mostram que mesmo reis e cavaleiros estão vulnerá- os erros do protagonista trágico e co- tudo está bem com sua saúde, e evitar
veis aos mesmos eventos que perseguem as pessoas mentavam sobre ele. Contudo, como a sensação de traição quando ele
comuns: traições, fim de relacionamentos, erros do não tinham o mesmo status social morrer ou adoecer irremediavel-
passado que causam problemas no futuro. O Rei Ar- que os personagens principais (que mente. O mesmo vale para outros
thur nos ensina uma das melhores maneiras de usar costumavam ser reis, nobres e tipos de tragédias que chegam
tragédia em uma narrativa: ligar drama emocional heróis), nada podiam fazer para sem provocação: tente inserir
a uma derrota no mundo físico. Sem filho ilegítimo e deter o turbilhão. Esta técnica é uma semente logo no início. Di-
sem triângulo amoroso, Camelot não cairia. muito útil para deixar claro ao gamos que você simplesmente
seu público que o personagem precisa fazer seu protagonista
Caminho sem volta trágico está cometendo erros.
Que aquele comportamento não
ser atropelado. O melhor é
mostrar um motorista perigoso
Outra regra vinda dos gregos é que a tragédia é considerado “normal” pelo au- ou bêbado logo no início da his-
Gregos:
muitas vezes é provocada por personagens que come- tor. Mas lembre-se de colocar essa tória. Pelo menos assim o público
a culpa é
tem erros em sucessão, e logo se veem em situações percepção em personagens que não vai estar preparado.
sempre
sem saída. Pior: mesmo que notem o lamaçal onde podem fazer nada para ajudar! deles Tenha em mente que histórias nas
estão se enfiando, eles não podem evitar entrar ainda
mais fundo. Talvez o exemplo mais clássico seja a Talvez apenas o narrador, no caso de quais a tragédia chega sem que nin-
história de Édipo: sob a profecia de que iria matar um romance ou conto, note as bobagens dos guém tenha culpa em geral oferecem algum
panacas de 1º nível e acabamos como semideuses de nível
seu próprio pai e casar com sua mãe, Édipo é mandado protagonistas. Talvez, numa aventura de RPG, os tipo de redenção. São os famosos filmes e livros
épico. Na fantasia medieval, em geral vemos um protago-
para longe, ainda bebê. No entanto, volta anos depois, sem próprios jogadores notem as burradas de um personagem “água com açúcar”, nos quais o protagonista come o
nista ter um começo humilde e tornar-se um herói ou rei.
saber que aquela é sua terra natal. Encontra o rei do lugar do mestre, mas ele é um rei, herói épico ou arquimago, pão que o diabo amassou, mas dá a todos “uma lição de
No entanto, nada disso impede o drama: você só precisa e não dá bola para “meros novatos”. A sensação de ver vida”, mostrando-se grato pelos momentos de felicidade que
e mata-o, sem saber que ele era seu pai. Então casa-se com
fazer com que, a cada etapa de poder no mundo físico que alguém afundando numa situação dramática sem poder conseguiu ter, ou deixando claro o quanto a família e os
a rainha, sua mãe. Quando descobre a verdade, Édipo fica
o personagem conquiste, haja um “preço”, uma derrocada ajudar é angustiante. E, neste caso, queremos criar angústia amigos são importantes.
tão horrorizado que arranca os próprios olhos!
equivalente no mundo emocional/interior. no público!
Uma boa situação dramática está diretamente ligada Enquanto, numa tragédia provocada pelo personagem,
Vamos aos exemplos! Talvez a maior saga de toda a litera- aos personagens e suas personalidades, e é inevitável. O É claro que nem todas as situações dramáticas são o bom final é um final desesperador, numa tragédia sem cul-
tura heroica seja o ciclo do Rei Arthur. Contada e recontada modo como eles são dita os erros que cometerão. Na época provocadas pelos protagonistas, e nem todas exigem uma pados o bom final é aquele que mostra esperança. Imagine
milhares de vezes, a história de Camelot e dos Cavaleiros dos gregos antigos, esses erros em geral diziam respeito voragem de escolhas fatais até um final tenebroso. Muitas a história de alguém que adoece, fica triste e amargurado,
da Távola Redonda é uma tragédia perfeita. Em essência, a orgulho e desafio aos deuses, mas pode ser qualquer vezes, só queremos pontuar a narrativa com drama, e nossos não aprende lição nenhuma e depois morre em agonia. Se-
Arthur era um escudeiro que descobre ser o herdeiro por coisa. O destino trágico de Glórienn, em O Terceiro Deus, personagens não têm culpa de nada. Isso pode ser feito, é ria uma narrativa completamente sem sentido, tão sombria
direito do trono da Britânia, numa época em que os temidos é um exemplo disso (spoilers à frente!). Glórienn, a Deusa claro, mas é preciso tomar cuidado para não confundir uma que se tornaria inverossímil — mesmo que na vida real isso
saxões estão invadindo o reino. Ele cresce e se torna um rei dos Elfos, é mostrada como melancólica, deprimida e de- tragédia que não é culpa do personagem com um acidente. aconteça o tempo todo.
30 31
3D&T
TOOLBOX TOOLBOX
3D&T
Mapa da tragédia aventureiros que faz missões arriscadas demais. Tire tudo
que é pessoal seu, deixe só a emoção pura, e coloque outra
Certo, já temos alguns tipos de tragédias e já discutimos roupagem sobre ela.
sobre Aristóteles numa revista de RPG. Resta a pergunta mais
Por fim, lembre-se de colocar pelo menos alguns momen-
importante: como inserir isso numa narrativa? A resposta que
tos felizes na sua narrativa. Tragédia constante, além de ser
mais me agrada é uma variação do famoso ditado “escreva
cansativa, pode muito facilmente cair no ridículo. Existem
sobre aquilo que você conhece”. Para criar drama, vamos
obras que lidam com puro drama o tempo todo, mas em
achar o “mínimo denominador emocional comum” entre nós
geral são histórias sobre tragédias reais, que já nos deixam
e o público. Já explico o que vem a ser isso.
emocionados desde o começo, pois já estamos afetados por
Você precisa usar sua própria experiência — eis porque elas. Numa narrativa ficcional, se os seus personagens só
as histórias costumam ficar mais maduras à medida que nós sofrerem, o público vai identificá-los como “máquinas de
também amadurecemos. Tome alguma experiência que você sofrer” — de forma parecida com a “máquina de lutar” que
tenha tido e que tenha causado sofrimento, ou pelo menos discutimos no começo. Só existe empatia com um persona-
uma resposta emocional muito forte. Então tire dela abso- gem que passa por todos os lados da experiência humana. E
lutamente todos os elementos materiais e reais, deixando isso envolve rir, amar, divertir-se e ter algum tipo de sucesso,
apenas o âmago emocional. Exemplo: digamos que você além de apenas passar por tragédias.
passou pelo término de um relacionamento. A sensação de
A arte do drama é a arte do truque sujo. Você precisa
perda, abandono e talvez até traição é palpável. Agora tire
dar esperança ao seu público para poder puxar o tapete
toda a roupagem de relacionamentos e a história do casal,
de debaixo de seus pés. A lenda arthuriana só é trágica
deixando apenas as sensações que você experimentou:
porque Camelot chegou a ser gloriosa e o Rei Arthur parecia
primeiro uma ligação forte com alguém, depois um afasta-
capaz de salvar a Britânia. Se Camelot fosse um pardieiro e
mento gradual, então um rompimento abrupto, privando-o
Arthur fosse um covarde imbecil, sua queda seria previsível
do contato com essa pessoa.
e chata. E, pior ainda, não nos importaríamos com ela. Se,
Isso pode ser munição para uma história. Digamos que o na Trilogia da Tormenta, os heróis não triunfassem às vezes,
protagonista é muito ligado com sua mãe, mas ela começa nem temeríamos por Glórienn, só acharíamos que ela seria
a se interessar por magia negra. Quanto mais ela se inte- mais uma sofredora fracassada como todos os outros. Vol-
ressa, mais mãe e filho se afastam, pois o filho desaprova tando ao que falamos sobre contraste uns meses atrás: só
as ações da mãe. Isso progride até que um dia a mãe faz existe tragédia quando existe felicidade.
um ritual que não compreendia direito e é possuída por um

Final triste
demônio. Subitamente, o vínculo é rompido e o filho se vê
sozinho. É uma história muito simples, certo, mas não tem
nada a ver com o rompimento de um relacionamento, com- Agora você tem um bom conjunto de ferramentas para
partilhando da mesma bagagem emocional. É claro que criar grandes tragédias que vão durar milhares de anos,
você poderia criar essa história a partir do zero. Mas, como como os gregos. Ou pelo menos para fazer os jogadores
narrou-a a partir de uma experiência emocional real, isso sofrerem na sua campanha.
ressoará de forma bem mais profunda com o público. Você
Lembre-se apenas de que a tragédia pode ser injusta
estará tocando cada pessoa que já teve um afastamento e
com os protagonistas, mas não com o público. Se você fizer
rompimento com alguém — seja um namorado/a, seja um
uma bigorna cair em cima de um personagem, sem aviso
amigo ou mesmo um familiar. Você criará a conexão de
algum… Seus leitores ou jogadores podem pegá-lo, e então
que falamos lá no início.
talvez você sofra uma tragédia ou duas.
Procure afastar sua história da experiência real o máxi-
mo possível — de preferência, bem mais do que eu afastei LEONEL CALDELA
no meu exemplo. Se você vai partir da experiência de ter
perdido um amigo para as drogas, não faça com que o
protagonista perca alguém para uma droga mágica.
Em vez disso, faça com que um amigo do protagonista
se envolva num culto a deuses profanos ou num grupo de

32 33
Gazeta do Reinado O que é o Círculo?
P oucas semanas após o agitador Ahik Gravardes ser
preso em Portsmouth pelas tropas do Conde Ferren
Eranko, a Ferida
Aberta pela Tormenta
Tempos conturbados esses que vivemos. Desenhos misteriosos, navios que ressurgem após anos naufra-
gados. Cientistas loucos, candidatos a reis e campeões nas arenas de batalha. Ainda bem que podemos
Asloth, uma série de estranhos ataques têm sido regis-
trados em diversos lugares do reino. Entre eles, algo U m nome vem ganhando notoriedade nos vários
reinos que compõem a União Púrpura, alimentado
por histórias sobre batalhas terríveis contra os clãs
em comum: um círculo arcano com um olho no centro,
contar com a Gazeta para nos manter por dentro das últimas notícias do mundo de Arton! como uma espécie de assinatura do grupo terrorista. que procuram reerguer-se após a passagem do algoz da
Tormenta, o Crânio Negro, há alguns anos. Trata-se de
O bando, apelidado pelos membros da milícia como O Cír-
Eranko, a Ferida Aberta.
culo, faz uso não autorizado de magia no território do reino,
colocando em perigo a população que conta com a bondade e As descrições da real aparência de Eranko variam, mas uma
o zelo do Conde Asloth. característica é repetida em todos os relatos: um corte longo
que divide o tronco do guerreiro em dois, de onde se pode ver
Não há certeza sobre os objetivos ou a natureza dos ataques.
matéria vermelha pulsando sangue venenoso em torno de um
Teoriza-se que todos eles estejam de alguma forma ligados a
coração repleto de garras e presas.
um plano maior, ainda desconhecido. Outros defendem que
os temíveis bruxos estariam conjurando uma grande magia Não há um consenso sobre a real natureza de Eranko. Sabe-se
para libertar o líder Ahik dos calabouços do Castelo Wallach. que ele é nativo do reino de Atalaka, tanto que a maior parte
das vítimas de seus desafios são guerreiros do povo vizinho,
Porém, além dos desenhos místicos e de boatos de que membros Vírdia. Há uma possibilidade de que ele seja um lefou. Seu
do Círculo estariam recrutando aventureiros, nenhuma tentativa objetivo final é tão incerto quanto ele próprio. Suspeita-se que
real de ataque a capital ocorreu até o fechamento desta edição. Eranko estaria disposto a se tornar o grande líder de toda a
União Púrpura.
Novo campeão na
Arena Real de Tiberus Experimentos bizarros
preocupam autoridades
A Arena Real é a sede dos jogos de gladiadores de

H
Tiberus, capital do Império de Tauron. Com doze á alguns meses, noticiamos o desaparecimento de
eventos oficiais anuais, os minotauros sempre encon- pessoas e incidentes envolvendo bestas errantes
tram um pretexto para realização dos jogos, e dessa vez nos mais diversos locais do Reinado, acreditando tratar-
foi em comemoração ao aniversário da vitória do reino se de eventos isolados e sem ligação entre si. Porém,
nas Guerras Táuricas. um fator sugere uma ligação: trolls.

Navio ataca na costa de wynlla


Após duas semanas de combates e apresentações, Oxnard, Pouco ainda se sabe sobre o povo conhecido como finntroll,
o Terrível, sagrou-se campeão do torneio, cuja premiação in- ou Trolls Nobres, que habitam os subterrâneos de Arton. Ape-
cluía além de vastas riquezas, um harém. O símbolo da vitória sar de estarem em guerra contra os anões de Doherimm des-
foi entregue a ele em uma cerimônia que contava com a pre-
U ma antiga embarcação naufragada próximo a Kresta, na costa de Wynlla, ressurgiu recentemente tripulada por de o Chamado às Armas, quase nenhum deles havia afetado
dezenas de homens-peixe. O navio, uma galé movida a remos chamada Prógono, afundou há mais de dez anos, sença do próprio Imperator Aurakas. Há ainda aqueles que diretamente os demais habitantes dos reinos da superfície.
especulam que por essa conquista, Oxnard tenha recebido o
quando foi envolvida pelos efeitos de uma rara área de Magia Caótica surgida em pleno oceano. E embora o casco O Doutor Vriikslask Trésmiðitroll parece ser um dos maiores
título de Campeão do Reino, um costume ancestral há muito
continue arruinado, ela voltou a navegar. entusiastas quanto a esse tipo de estudo. Renomado feitor
não visto em Arton.
O novo capitão da Prógono, que atende pelo título de Vice-Cônsul de Apnéia, Rodóstomo IV, não parece ter intenções hostis de trolls e oficial militar da raça finntroll, ele estaria produ-
Oxnard é um minotauro grande até mesmo para os padrões zindo trolls híbridos com poderes únicos graças a macabras
contra o povo de Kresta, apesar de que alguns homens-peixe já tenham sido vistos rondando a região portuária, envolvidos em
táuricos, com a pele totalmente negra e os pelos avermelha- experiências. Trolls com olhos exóticos como dos nativos
brigas e outras escaramuças menores. Um ataque coordenado dessas criaturas não foi completamente descartado pela milícia.
dos, coloração que ele atribui ao banho de sangue nos quais de Collen, ou contaminados pela Praga Coral de Lomatubar,
Contudo, o próprio Vice-Cônsul, em entrevista exclusiva para a Gazeta, descartou esses boatos. Ele afirma que suas intenções transforma todas as suas lutas. Também chama a atenção os são apenas alguns dos espécimes que sua mente doentia
são as melhores possíveis, e que ele ficará muito feliz em realizar grandes feitos nesta que é a cidade portuária mais importante chifres completamente brancos e afiados, apontados para estaria arquitetando.
da região. Como Vectora não passa por Wynlla, o porto de Kresta é o principal exportador de itens mágicos, poções e pergami- frente e a tatuagem de um demônio vermelho com a cabeça
nhos do reino da magia. em chamas que carrega nas costas. GOBLINS DE VALKARIA

34 35
BRIGADA LIGEIRA ESTELAR BRIGADA LIGEIRA ESTELAR

combate. Eses modelos dificilmente serão comparáveis a A própria Brigada Ligeira Estelar está envolvida
hussardos mais modernos, mesmo com material interno nas buscas porque o jovem Hugo reuniu um poder de
substituído, mas serão úteis assim mesmo —  e perigosos. fogo assustador e não irá se conter — e caso as forças
Além disso, é difícil saber que tipo de informaçõe regenciais entrem em ação, a bomba vai estourar no
estas máquinas ainda carregam. Dependendo do estado colo do Príncipe-Regente. Há quem tema um verdadeiro
de conservação, pode-ser ter acesso a conteúdo sobre genocídio capaz de incendiar o planeta inteiro — ou ao
notas de rodapé perdidas da história, como localização menos, os lugares aonde os Homens-Azuis marcam sua
de certas batalhas, bases abandonadas ou lugares esque- presença. E em um momento no qual Ottokar está sob
ataque proscrito, esse é o pior dos cenários possíveis.
cidos. Ninguém pode esquecer: foi assim que a TIAMAT
Há quem diga que ela foi vendida para um Senhor
reuniu equipamento e locais para agir e crescer.
da Guerra em um dos enclaves surgidos nos territórios
De quebra, muitos desses aparelhos têm partes pro- desvastados; outros dizem que ela ainda é prisioneira
duzidas com o mineral asterita, abandonado pelo esgo- dos homens-azuis, esperando a situação esfriar para
tamento do extrativismo relacionado à ele dois séculos revendê-la; há também a tese de que ela estaria apri-
Olá, aqui é Fides Antevorte  de volta e re- do Império por causa disso. Ainda não há registros de
que algum grupo de piratas tenha se instalado em um atrás no planeta Viskey —  e com isso, valioso nos dias sionada entre a nobreza, pronta para ser morta apenas
cuperando-se do desfalque de um membro de hoje. Ninguém sabe o que foi feito desses robôs até
desses locais ocultos —  mas há um esforço em se ocultar quando as buscas cessassem e o cerco se afrouxasse,
em nossa equipe. Mas a vida continua, es- agora, mas as buscas aparentemente se intensificaram
isso das autoridades a qualquer custo, ainda mais quan- sendo a acusação contra os Homens Azuis uma farsa;
tamos nos re-equipando e mais uma vez, mais do que seria esperado. Fica o registro. e há até quem creia que ela esteja fora do planeta.
do são necessárias todas as frentes de defesa possíveis
estamos no ar! contra a Invasão Proscrita. O grau de desinformação é muito grande nesse caso,
O fato é: o Quadrângulo é um meio de caminho, e Barril de Pólvora e talvez todas essas possibilidades estejam erradas. O
Em Busca dos ocupar qualquer asteroide de bom tamanho já permite Hugo Welandaz, 16 anos, é o filho mais velho e her-
que importa é encontrá-la enquanto há tempo — ou pelo
menos segurar o herdeiro dos Welandaz antes que uma
a longo prazo fazer as bases para um entreposto tão
Planetas Fantasmas importante quanto Schulman ou a Estação Parlamentar.
deiro de um rico Visconde de um ramo menor dos We-
landaz (originalmente de Winch Oriental) em Ottokar.
tragédia aconteça…
Até a próxima, e que o Universo proteja a todos nós.
Uma das lendas urbanas mais conhecidas entre os Muitos creem, de acordo com nossos informes, na possi- Após complicadas negociações, ele con-
navegantes espaciais que trafegam pelo Quadrângulo bilidade dos Proscritos já estarem instalados em alguns seguiu a mão da jovem e bela Amira Ta-
Negro é a dos “Planetas Fantasmas”. Seriam planetói- deles e fazendo suas investidas contra o Fio do Sabre a batabai (14) — uma jovem bastarda al-
des que orbitam anãs marrons — corpos celestes sem partir desse ponto… çada à nobreza menor graças a alguns
massa suficiente para virar uma estrela, mas ainda assim arranjos prévios com os nobres de um dos
grandes o bastante para serem orbitadas por um monte
desses planetoides. Consta que o quadrângulo negro O Museu Roubado principais clãs do planeta, permitindo as-
sim o casório. Agora ela foi raptada por
pode ter um punhado desses “sóis natimortos” que nunca Poucas pessoas teriam coragem de efetuar uma in- Homens Azuis mercadores de escravos e
alcançaram tamanho pleno para gerar reações de fusão vestida contra o Museu dos Robôs de Luddendorf, em ninguém sabe aonde eles estão.
e pairam no espaço com seus “sistemas incompletos” de Bismarck, mas esta não é a única entidade a exibir robôs
O jovem Hugo está compreensivelmen-
planetoides um tanto invisíveis. Para encontrar esses pla- de combate antigos em seu acervo. Um dos mais notá-
te possesso. Parece que ela foi raptada de
netas é necessário estar bem próximo (astronomicamente veis nesse sentido é o Museu das Armadas de Ferro, em
dentro do próprio solar de sua família e
falando). Por isso, eles escapam das buscas de satélites Mallorqui (no Grão-Domínio de Monterrey, em Montal- não se sabe quem foram os responsáveis
e sondas por séculos a fio. Graças à insuficiência de bán) — que abriga talvez a maior coleção de robôs de por colocar os Homens Azuis lá dentro,
massa estelar, eles tendem a arranjos binários e trinários combate de três a cinco séculos atrás em um único local. sobrando acusações entre os Welandaz
de planetas, o que também não facilita nada suas buscas. Ninguém imaginaria que ele seria alvo de um saque locais e famílias cujos nomes nos foram
Mas a coisa é séria: parece ter havido durante o Gran- nessas proporções. ocultados —  há suspeitos dos dois lados.
de Vazio um mapeamento inicial dos potenciais sistemas A preocupação faz sentido. Muitos temem que eles Em todo caso, o rapaz não vai ficar pa- Os robôs
fantasmas do Quadrângulo Negro. Aparentemente, a in- sejam alvo de overhauling, não apenas descaracterizan- rado e está reunindo tanto os cavaleiros do museu
formação vem circulando entre piratas espaciais e houve do o material original, mas sendo usado por grupos mili- regenciais a seu serviço quanto mercená- roubado
um aumento dos conflitos entre eles e corsários a serviço cianos em uma forma “barata” de agregar um efetivo de rios de todos os cantos.

36 37
CAVERNA DO SABER CAVERNA DO SABER
Narrativa em off Um jeito de entender: se sua campanha fosse um filme, as

O que os A opção mais simples. Entre uma aventura e outra, você


aventuras seriam as cenas normais, e o tempo entre elas,
uma montagem.

aventureiros simplesmente arbitra o que acontece: “Depois de salvar o


reino da ameaça dos trolls pintados, vocês passam um mês
Também há uma questão prática, aqui: entre as aventu-

fazem em
ras, o grupo muitas vezes estará separado — cada joga-
festejando na capital, aproveitando a fama e a fortuna re-
dor estará jogando solo. Se o mestre demorar a resolver a
sultantes de uma missão bem-sucedida. Até que, certa noite,

seu (raro)
ação de cada um, os outros ficarão muito tempo parados,
um velhinho entra na taverna em que vocês estão...”.
o que é chato.

tempo livre?
Você pode — e deve — levar em conta as peculiaridades
Mas como ter um conjunto de regras simples e, ao
dos personagens para descrever esses eventos. Por exem-
mesmo tempo, capaz de resolver todos os tipos de ações
plo, se o grupo é formado por um guerreiro, um ladino e
que os jogadores podem querer realizar entre aventuras?
um mago, talvez o guerreiro e o ladino passem seu tempo
A resposta está em abstrair. Exija poucos testes, fazendo
farreando nas tavernas, mas o mago parta para estudar com
com que cada um determine o resultado de um evento
um mestre, convenientemente voltando justo na noite em que
inteiro. Por exemplo, resolva um combate com uma só
o velhinho entra na taverna.
jogada de ataque, e uma infiltração a uma base inimiga
Essa opção funciona quando os personagens não têm com um único teste de Furtividade.
objetivos específicos (comum com jogadores iniciantes ou
A seguir, apresentamos um sistema para ações entre
personagens com históricos simples) ou em campanhas
aventuras para Tormenta RPG. Neste sistema, os jogadores
novas, quando os personagens ainda não estabeleceram
podem escolher o que irão fazer no tempo entre aventuras

ENTRE AVENTURAS
relações com o mundo. Nesses casos, é melhor que o mestre
dentro de duas opções: treinamento ou busca.
tome as rédeas do tempo entre aventuras e simplesmente
descreva o que está acontecendo. Treinamento. Quando o mestre diz “Vocês têm um
tempo livre, o que vão fazer?”, 16 de cada 10 jogadores
Narrativas em off também são boas para longos saltos
dizem “Vou treinar para ficar mais poderoso!”. Esta ação
temporais, nos quais você não quer que nada aconteça.
traz mecânicas para isso.
Por exemplo, o grupo derrotou um grande vilão e terminou
um arco de histórias. Você quer que eles tenham uma sen- Busca. Um grande “guarda-chuva” para qualquer coisa
sação de vitória, então não quer que a próxima aventura que o jogador queira fazer, com exceção de treinar. Ou
— e, consequentemente, o próximo problema — aconteça seja, qualquer ação cujo objetivo não seja adquirir poder
Em aventuras de RPG, os personagens inva- de história que um camponês inexperiente torne-se um cam- logo na sequência! Em vez disso, você diz “Cinco anos se pessoal puro é uma busca.
dem masmorras, enfrentam vilões, conquistam peão lendário em meros 20 dias? passam. Graças à vitória de vocês contra o terrível necro- Os personagens podem fazer uma ação por mês de
tesouros. Mas o que acontece entre uma aventura Outro exemplo: suponha que, na sua campanha, as mante, são anos de paz e prosperidade. Mas então, no tempo de jogo. De acordo com o mestre, este tempo pode
e outra? O que os heróis fazem quando não estão ações do grupo desencadearam uma guerra entre reinos. primeiro dia do sexto ano...”. Esse tipo de salto se presta ser diminuído para uma ação por semana, para campa-
salvando o mundo? Seria interessante ver o desenrolar dessa trama, certo? para ser apenas descrito. Afinal, é um tempo de inativida- nhas mais “corridas”, ou aumentado, para uma ação por
Em campanhas simples, nas quais as aventuras se resu- Mas guerras levam tempo — meses, anos até. Para ver de, na qual todos estarão aproveitando a vitória, e não estação (três meses) ou até um ano, para campanhas que
mem ao velho matar-pilhar-destruir, você pode evitar esta tal conflito, você vai precisar que muito tempo se passe no procurando encrenca. se estendam por longos períodos — talvez até por toda a
pergunta. Ora, entre as aventuras, os heróis simplesmente mundo de jogo. vida dos personagens.

Jogando solos
ficam se divertindo na taverna enquanto esperam o próximo Além disso, em campanhas complexas, os personagens Independentemente da medida temporal que escolher,
ancião com um problema. podem ter seus próprios objetivos (além de acumular poder evite saltos que forneçam muitas ações por pausa — lembre-
Mas, se você estiver jogando uma campanha complexa e ouro) e se envolver com o mundo, estabelecendo relações A segunda opção é mais complexa. Em vez de o mestre se que você quer resolver essa parte rapidamente, para che-
— isto é, querendo contar uma saga épica, em vez de ape- com PdMs e organizações. descrever o que acontece, os jogadores escolhem o que que- gar logo na aventura. O tempo entre aventuras é o aperitivo
nas jogar aventuras isoladas e sem consequência —, mais Com isso, muitas vezes os próprios jogadores irão que- rem fazer. Mas isso não é exatamente o que se faz durante da campanha, não o prato principal.
cedo ou mais tarde esse questionamento irá surgir. rer ter um tempo para seus personagens, para fazer o que uma aventura normal? Sim. A diferença aqui está no nível
de detalhamento.
Nesse tipo de campanha, você precisa de tempo entre
as aventuras para que os personagens e as tramas possam
quiserem. Para resolverem suas próprias tramas, em vez
de apenas reagirem às tramas dos vilões. Como conduzir Aventuras são a parte principal da campanha; são des- Treinamento
“respirar” e se desenvolver de forma verossímil. Um persona- essa parte da campanha? Há duas opções para o mestre critas em detalhes e resolvidas com as regras completas do A vida de aventuras é perigosa; faz sentido que em
gem que entre numa masmorra por dia poderia, em termos escolher. Para conhecê-las, prepare-se para mais uma visita jogo. Já o tempo entre aventuras é a parte secundária, por seu tempo livro os personagens pratiquem para ficar mais
de regras, subir um nível por dia. Mas faz sentido em termos a Caverna do Saber. isso é menos detalhado e resolvido com regras simplificadas. poderosos.
38 39
CAVERNA DO SABER CAVERNA DO SABER
O jogador deve descrever como seu personagem irá • Bônus base de ataque equivalente ao seu próximo nível aventura de verdade, mas a investigação pode ser resolvida Com os três testes definidos (lembrando: o primeiro es-
treinar, e então escolher uma das seis habilidades básicas de classe (note que dependendo da classe e do nível esta em uma busca solo. colhido pelo jogador, o segundo pelo mestre e o terceiro
— Força, Destreza, Constituição, Inteligência, Sabedoria ou escolha não dará bônus algum). Para resolver uma busca, o jogador descreve o que aleatoriamente), é hora de rolar. Todos os testes têm CD 20
Carisma — que tenha relação com o treinamento descrito. • Uma habilidade de classe do seu próximo nível de planeja fazer em linhas gerais. Dizer que vai “investigar + metade do nível do personagem (heróis mais poderosos se
Por exemplo, um guerreiro que treine fazendo exercícios classe. o paradeiro do vampiro” é pouco. Dizer
físicos pode usar Força, enquanto que um mago que treine que vai perguntar entre os camponeses do
estudando numa biblioteca pode usar Inteligência.
Você pode treinar múltiplas vezes, mas deve escolher um
benefício diferente a cada treinamento. Quando sobe de reino, procurar nas criptas da região ou Tabela de Desafios e Perícias
O personagem então deve fazer três testes da habilidade nível, recebe quaisquer benefícios não escolhidos, tornando- contratar um mago para usar vidência é
escolhida, com CD 10 + metade do nível. Se for bem-suce- suficiente. É importante ter uma ideia do 1d20 Teste Exemplo de desafio
se um personagem normal daquele nível.
dido em pelo menos dois deles, recebe um benefício de seu que o personagem vai fazer, mas não é
Sim, isto faz com que na prática você perca os benefí- necessário detalhar. 1 Acrobacia Andar sobre telhados.
próximo nível de personagem, à sua escolha. Caso contrário,
cios do treinamento quando sobe de nível. Isso evita que
nada acontece — o personagem não sofre nenhuma penali- O jogador então escolhe uma perícia 2 Adestrar Animais Lidar com uma fera selvagem.
personagens fiquem com poder muito acima do seu nível.
dade por falhar no treinamento, além do tempo perdido. (de acordo com o mestre, também pode
Mas você ainda terá tido um benefício em todas as sessões
A lista abaixo resume quais benefícios podem ser esco- escolher uma jogada de ataque ou uma re- 3 Atletismo Escalar um penhasco.
de jogo entre o treinamento e o próximo nível.
lhidos. sistência). A escolha deve estar relacionada
De acordo com o mestre, benefícios de treinamento po- com a descrição da busca. Por exemplo, se 4 Conhecimento Entender um fenômeno sobre-
• +1 ponto numa habilidade básica, se o seu próximo dem se manter entre os níveis. Isto é, se você tem um benefí- (arcano) natural.
o jogador disse que vai perguntar entre os
nível for par. Em outras palavras, você pode escolher este cio de treinamento e sobe de nível, automaticamente ganha camponeses do reino sobre o paradeiro do
benefício se estiver num nível ímpar. um benefício do próximo nível. Se em qualquer momento 5 Conhecimento Obedecer a uma demanda dos
vampiro, Obter Informação seria coerente.
• +1 talento, se o seu próximo nível for ímpar. o personagem acumular cinco benefícios de treinamento, Intimidação também poderia ser usada (religião) deuses.
• +1 graduação em perícias treinadas. Se o seu próximo perde todos eles e sobe um nível imediatamente. — mas nesse caso o personagem estaria
6 Cura Tratar um veneno.
nível for par, você também recebe +1 graduação em perícias Isso pode fazer com que personagens do mesmo grupo usando de força ou medo para interrogar as
não treinadas. fiquem com níveis diferentes. Se os jogadores não se im- pessoas, o que poderia ter consequências 7 Diplomacia Negociar com um nobre.
portarem com isso, é uma opção interessante — em termos mais tarde. Já, digamos, Atletismo, não teria
• +1 em classe de armadura e testes de resistência, se o
de história, pelo menos, faz sentido que personagens muito nenhuma relação com a ideia do jogador, e 8 Enganação Participar de uma intriga.
seu próximo nível for par.
focados em adquirir poder pessoal sejam, no fim das con- não poderia ser usada.
• +1 em jogadas de dano, se o seu próximo nível for par. 9 Furtividade Infiltrar-se num lugar.
tas, mais poderosos que seus colegas mais interessados em Após o jogador escolher uma perícia,
• Pontos de vida equivalentes ao seu próximo nível de outras coisas. é a vez do mestre. Assim como o jogador,
personagem. 10 Iniciativa Perseguir um bandido.
O mestre pode exigir que os personagens tenham acesso ele deve levar em conta a descrição da
a algum elemento de história para poder treinar, como aces- busca. No exemplo anterior, o mestre po- 11 Intimidação Negociar com um criminoso.
so a um mestre ou tomos com conhecimento ancestral, ou deria escolher Diplomacia, para o guerreiro

Trabalho paguem por seu treinamento em uma escola. Uma sessão de convencer as pessoas de que não é um 12 Intuição Decifrar um enigma.
treinamento deve custar 100 TO por nível de personagem assecla do vampiro; ou Intuição, para que
Existe uma terceira ação que personagens podem atual. O preço deve ser pago independentemente do treina- ele conseguisse discernir informações úteis 13 Obter Informação Descobrir uma localização.
fazer. Esta separada porque é menos usual — pelo mento ser bem-sucedido ou não. de boatos e superstições.
menos, para aventureiros. Para pessoas comuns, é 14 Percepção Evitar uma emboscada.
Por fim, o jogador rola 1d20 na Tabela
a ação mais básica! Com “trabalho”, o personagem
Busca
de Desafios e Perícias, para definir a terceira 15 Sobrevivência Atravessar os ermos.
usa seu tempo para ganhar dinheiro ou fabricar um e última perícia. A tabela traz exemplos de
item. As regras são as mesmas da perícia Ofício desafios relacionados a cada perícia, mas o 16 Fortitude Tolerar clima ruim.
Com esta ação, o personagem pode tentar executar qual-
(Tormenta RPG, Capítulo 4). mestre pode inventar outros.
quer tarefa à sua escolha, limitado apenas pelo bom-senso.
De acordo com o mestre, outras perícias podem Se na última aventura o grupo encontrou um item mágico No exemplo do vampiro, se o jogador 17 Reflexos Evitar um desmoronamento.
ser usadas para ganhar dinheiro, desde que o jo- misterioso, talvez após a aventura o mago queira pesquisar rolasse 15 (teste de Sobrevivência), o mestre
gador apresente uma explicação convincente. Por 18 Vontade Resistir a uma maldição.
para descobrir o que o item faz. Se o histórico do guerreiro poderia descrever que as pistas indicam
exemplo, Conhecimento poderia ser usado para diz que ele teve sua família morta por um vampiro, ele pode que o vampiro atacou uma aldeia dentro 19 Jogada de ataque Enfrentar um monstro.
trabalhar como conselheiro na corte, Sobrevivência usar seu tempo livre para investigar o paradeiro do morto- de um pântano. Para chegar lá e interrogar
para trabalhar como caçador, etc. vivo, para que um dia possa ter sua vingança. Nesse último os camponeses, o personagem precisará 20 Teste de nível Enfrentar um aventureiro rival.
exemplo, note que a luta contra o vampiro merece ser uma atravessar essa região difícil.
40 41
CAVERNA DO SABER CAVERNA DO SABER
Castigos, e com três sucessos, 1d3+1 recompensas. Tesouro. Você ganha um bem material. Role na tabela Ferimento. Você perde um ponto num atributo (role 1d6,
Tabela de Consequências Isso é útil se o personagem está apenas se aventu- de Tesouros (Tormenta RPG, Capítulo 10), na coluna de sendo 1 para Força, 2 para Destreza e assim por diante).
rando sem um objetivo específico. A tabela ao lado riquezas, de equipamento ou em ambas, de acordo com o Apenas desejo ou milagre podem recuperar o ponto perdido.
Sucessos Consequência resume essas informações. valor rolado na tabela de Recompensas e Castigos, na linha Maldição. Você sofre um efeito da magia rogar maldi-
Em missões solo, os jogadores podem querer usar correspondente a seu nível. ção, na próxima aventura. Nada pode evitar isso.
0 1 castigo
outras habilidades no lugar dos testes definidos pela Complicação. Você sofre uma complicação, que irá Perda. Você perde dinheiro ou itens, à sua escolha,
1 Nenhuma mecânica. Evite isso. O sistema funciona melhor se afetá-lo em algum momento de sua carreira. Você pode ter em valor equivalente a um quarto (perda menor) ou metade
for simples, para resolver as missões rapidamente. feito um inimigo poderoso, contraído uma doença mágica, (perda maior) do dinheiro inicial do seu nível (Tormenta
2 1 recompensa Lembre-se que cada teste não representa uma única etc. Cabe ao mestre definir os detalhes exatos dessa com- RPG, Capítulo 7). Por exemplo, um personagem de 5º nível
ação, mas sim uma sequência de eventos. plicação, baseando-se nos parâmetros das outras penali- (dinheiro inicial 2.000 TO) perde 500 TO em uma perda
3 1d3+1 recompensa dades dessa lista.
Por exemplo, um mago poderia querer substituir menor, ou 1.000 TO em uma perda maior. Se você não tiver
um teste de Furtividade por invisibilidade. Mas esse Derrota. Você sofre uma derrota que abala sua con- como “pagar”, sofre uma derrota (veja acima).
teste pode representar uma infiltração de horas ou fiança. Durante a próxima aventura, você não pode usar
mesmo dias, e a magia dura apenas um minuto! pontos de ação. Guilherme Dei Svaldi
Tabela de Recompensas e Castigos Por isso, não poderia substituir o teste. Um mestre
bonzinho poderia dar um bônus de +2 no teste de
1d6 Recompensa Castigo Furtividade para um mago capaz de lançar a magia. Às vezes um
1 Tesouro (riqueza) Ruína (menor) Habilidades que permitem substituir um teste por herói tem que
outro, como o talento Impostor, podem ser usadas se aventurar
2 Favor Derrota apenas uma vez durante a busca, independentemen- sem ninguém
te de quantos usos o personagem tiver. Além disso,
3 Tesouro (equipamento) Complicação se a habilidade for utilizada na busca, não poderá
ser usada durante a próxima sessão de jogo.
4 Informação Ferimento
Regra opcional: o jogador pode se aventurar de
5 Tesouro (ambos) Maldição forma cautelosa ou ousada. Se escolher ser cauteloso,
recebe um bônus de +5 num dos testes (escolhido an-
6 Poder Ruína (maior) tes de rolar o dado), mas se tiver três sucessos, recebe
uma recompensa a menos. Se escolher ser ousado,
envolvem em missões mais difíceis, ou atraem a atenção de aumenta a CD de todos os testes em +5, mas se tiver
dois ou três sucessos, recebe uma recompensa a mais.
inimigos mais poderosos).
Favor. Você recebe um favor ou a promessa de um favor
A quantidade de sucessos acumulados determina o resul-
futuro, à sua escolha, de um PdM ou organização. Exemplos
tado da busca. Se o personagem não tiver nenhum sucesso
de favores incluem uma “carona” para um local distante
(ou seja, se falhar nos três testes), não consegue o que queria
(através de navio, tapete voador, teletransporte, etc.), uma
— e ainda sofre um “castigo” (um ferimento, perda de um
magia lançada em seu nome, o empréstimo de tropas ou de
item, etc.). Isso pode ser definido pelo mestre, ou rolado na um item mágico para uma cena, etc. Você decide o favor,
Tabela de Recompensas e Castigos. Se tiver um sucesso, não mas cabe ao mestre aprová-lo ou não, de acordo com as
consegue o que queria, mas também não sofre nenhuma necessidades da campanha.
penalidade. Se tiver dois sucessos, consegue o que queria
Informação. Você recebe uma informação específica,
(por exemplo, a localização do covil do vampiro).
como a localização de um tesouro, a identidade do traidor
Por fim, se tiver três sucessos, consegue o que queria na corte, a resposta para um enigma mágico, a cura para
e mais alguma coisa — o que, exatamente, fica a critério um veneno sobrenatural, etc. Você decide a informação,
do mestre. Por exemplo, além da localização do covil do mas cabe ao mestre aprová-la ou não, de acordo com as
vampiro, uma fraqueza específica do monstro. necessidades da campanha.
Como opção, com dois sucessos o personagem recebe Poder. Você recebe poder pessoal. Em termos de jogo,
uma recompensa aleatória, da Tabela de Recompensas e recebe um benefício de treinamento, escolhido aleatoriamente.
42 43
State of Love And Trust
por J.M. Trevisa
n Art e : C a m i l a t o r r a n o Era mais ou menos duas da manhã. As portas não
do fechadas tanto tempo assim, mas o calor tor
quente e abafada. Isso e o cheiro de carne
tinham fica-
nava a atmosfera
apodrecendo que
Os dois corpos
parecia querer tomar o lugar a qualquer custo.
o sangue havia
pendurados ainda balançavam de vez em quando e
orrer e começa
chegado naquele maldito estado em que deixa de esc
de uma torneira
a pingar de leve, fazendo o mesmo barulho chato
ta com a arma na
mal fechada. David continuava ali, parado na por
strada de cobrir
mão, enquanto Jack continuava sua tentativa fru
os rastros e evidências.

tumava tocar com uma


Jack era o tipo de garotinho punk revoltado. Cos
meia boca no subúrbio.
banda de hardcore no Live and Let Die, um barzinho
ás, odeio esse tipo de
The Army. The Enemies. Um desses nomes idiotas. Ali
rdes, arranja um bando
coisa. O cara rouba uma guitarra, aprende três aco
da garagem dos pais e
de amigos desocupados, soca a turma toda dentro
foi à escola ele diz
quando a mãe pergunta onde ele estava e por que não
Depois eles gravam uma
que formou uma banda e que estava fazendo música.
e o primo de um colega
demo, levam até o estúdio de um amigo que conhec
go! Está pronto o mais
do sobrinho do dono de uma gravadora e então... bin
verão.
novo expoente do rock n’ roll. Pelo menos por um

era só um idiotinha
Mas esse não era o caso do nosso amigo Jack. Ele
sozinho além de se mas-
sem a menor capacidade de fazer qualquer coisa
pouco a mim mesmo no
turbar ou limpar o próprio traseiro. Lembrava um
mais em David do qu
e em Jack, ocupado
cuspir as lascas dos demais com a hilari
ta leste. Muito poten- ante tarefa de
tempo em que fiz parte do bando de Floyd, na cos dentes quebrados). Er
a uma chama fraca, ma
Isso até eu mostrar s existia.
cial, pouco cérebro. para eles que era um
vampiro.

os sabia se vestir. Você devia ter vist


David era diferente. Se não era educado, pelo men o a cara daqueles do
is. Sem a mínima id
de ter no e gravata, onde quer estava acontecendo, eia do que
Tinha um pouco mais de cla sse . Andava sem pre paralisados de medo
os olhos esbugalhad e espanto, borrando as
m acessórios indispen- calças com
que fosse. O cigarro na boca e os óculos escuros era os e as bocas aberta
s num grito mudo. E
ha assistido a Cães de fiz? Sentei-me no ch sabe o que eu
sáveis. Às vezes me perguntava quantas vezes ele tin ão e comecei a rir.
Ri como o mais aluc
mas todos nós sabíamos de nossos membros. inado e louco
Aluguel. Era um pouco confiante demais, é verdade, Ri por ter mostrado
com tanta facilidade
fiz o possív el e o impossível humanidade é frágil. o quanto a
que um dia iss o o levari a à ruí na. Eu mes mo
que todos nós fizemos o
para que ele entendesse. Nesse ponto posso dizer
e mai s pop ular ent re os nossos, se é Quando terminei meu
máximo . Hum ildade nun ca foi a vir tud acesso repentino de
estavam ali, imóveis alegria espontânea
como dois postes. Ja eles ainda
que você me entende. ck ainda teve uma re
to quanto inesperada ação um tan-
, atirando no meu pe
inativos pulmões, ma ito e perfurando um
ndo vi os dois pela de meus dois
Não sei direito como se conheceram mas lembro qua s era exatamente is
so o que eu queria.
tro vel ho, durante um show certeza que eles sa Queria ter a
primei ra vez . Foi num a cas a not urn a no cen beriam exatamente o
suas raivas e anseio quanto eram insignif
a em frente a minha, icantes. Que
do Rancid. Jack estava sentado com David numa mes uma cadela no cio do
s representavam tant
o para mim quanto os
a muito elaborado. Os pensamentos de
planejando um assalto a banco. Não parecia nad saberiam exatamente
rmindo com fome numa
esquina ao lado de um
que pudessem carregar. mendigo. Que
dois pretendiam entrar no lugar e levar tudo o um de nós. Que aquela
o que estariam deixan
do para trás quando
sui cid a tam bém . Ent ão se levantaram e seria a última e derr se tornassem
Simple s ass im. E ext rem ame nte adeira humilhação de
e medíocres vidas mo suas pobres
saíram do clube. rtais. Que entendes
quando aquela noite sem exatamente o qu
chegasse ao fim. e se tornariam
vigias mortos e uma
Observei toda a operação. Saldo total? Quatro
Pro mis sor , não ? Pois é, foi exa- E só quando tive cert
quanti a con sid erá vel em not as nov as. eza de tudo isso dei-
dos imortais. lhes o restrito aces
ceber que eles tinham so ao clube
tamente o que pensei. Qualquer idiota podia per
to pot enc ial bru to. Alé m dis so, em tem pos de guerra não há muito
um cer
encurralar os dois num
tempo a perder: pega-se o que tem. Não foi difícil * * *
dentes do Jack quando
beco qualquer. Menos difícil ainda foi quebrar os
es que ele tentasse a Bem, como todos deve
acertou um tiro no meu ombro ou desarmar David ant serem preenchidas.
m ter notado, havia
ainda algumas formal
Ninguém se torna um idades a
mesma besteira. pelos rituais de cria va mp iro de verdade se nã
ção. Afinal de contas o passar
realmente somos, não? , são eles que nos to
div ert ind o mui to. Mes mo dep ois do que eu havia rnam o que
É cla ro que eu est ava me
chance de reação. Dava
feito, os dois ainda achavam que tinham alguma
os dos infelizes (muito Aliás, essa parte da
para ver uma certa fagulha de esperança nos olh história é sempre a
mais interessante.
Cada um
reage à sua própria maneira aos rituais. Alguns arrebentam seus caixões e
o é que Jack era só um mol equ e nor mal com um grande potencial para se
O fat
escavam o caminho de volta até a superfície na mesma noite e permanecem assass ino . Um potenc ial que des can sava sossegado num canto
tornar um grande
inalterados. Outros choram ao perceber o que se tornaram e se recusam a gar oto com tal ent o par a se tor nar um grande desenhista
escuro e esquecido. Um
admitir o inevitável (destes, poucos sobrevivem ou tornam-se úteis). Jack so enq uan to não tiv er um láp is na mão e uma folha de papel
nunca irá saber dis
e David não foram diferentes. Os rituais transformaram e uniram os dois de
nte . Jack jamais sab eri a que tin ha voc ação para matar se não tivessem
na fre
uma forma irreversível. para servir de alvo.
lhe dado uma arma na mão e colocado alguém

David levantou do caixão ofegante, tomou cerca de três litros de sangue ia com que eu vis se aqu ele idi ota quase como um filho.
Tudo isso faz
e acendeu um cigarro como se nada tivesse acontecido. Sua primeira frase
que iss o não é mui to com um ou aco nse lhável entre os membros de nossa
Sei
foi: “Onde estão meus óculos escuros?”. Jack só acordou dois dias depois, o que eu pod ia faz er? Com o iri a adi vinhar o que aconteceria
“família”, mas
louco como um fumante sem cigarros. Durante quase uma semana não foi capaz
mais tarde?
de dizer nada além de grunhidos e palavrões ininteligíveis.

mai s est ran ho é que , mes mo com tud o iss o, Jack não representava o menor
O
Alguns vampiros recém criados não agüentam o impacto psicológico imposto hav ia pas sad o por tod os os pro ble mas que ele “vivia” e sabia
perigo. Eu já
pelos rituais e passam a ter flutuações de humor e comportamento, depois ente sob controle.
como combatê-los. Jack estava absolutam
tornam-se paranoicos em potencial e psicopatas com fortes e legítimas
tendências homicidas. Com direito a carteirinha de sócio do Clube Inter-
O problema era David.
nacional dos Assassinos Seriais e tudo mais. Jack era um desses. Até aí
tudo bem, eu também era. Acontece que o problema com Jack era um pouco mais * * *
complicado. Traumas de infância ou complexos escondidos no vaso sanitário
que costumamos chamar de cérebro costumam voltar com força total durante
id ou Dave, como já est ava me aco stu man do a chamá-lo, estava muito longe
Dav
o sepultamento. A coisa funciona mais ou menos como se você resolvesse no estere óti po comum de ser hum ano , aquele tipo normal que você
de se encaixar
dar um enorme festa na sua cabeça, não tivesse convidado os caras e eles ado pro curand o a seção de produtos light ou lavando o
encontra no supermerc
aparecessem de surpresa na maior cara de pau. Lembro que quando passei pelo de cas a tod os os dom ing os à tar de. Muito pelo contrário.
carro em frente
ritual vi umas quinhentas vezes o dia em que meu velho espancou a cadelinha
de estimação que tinhamos em casa só porque ela não parava de latir. Jack r, Dav e já era ban did o ant es mes mo de se tornar vampiro.
Só para com eça
deve ter passado por alguma coisa bem parecida. A única diferença é que,
rdo com os méd ico s do ref orm ató rio em que esteve na adolescência, ele
De aco
até onde sei, ele nunca teve uma cadelinha.
o de dis fun ção cer ebr al que cau sav a alucinações e tremores no
tinha um tip
ndo se sub met ia a mom ent os de gra nde tensão. Por isso ficou imóvel
corpo qua
Apesar de todos os fatores, Jack não havia se tornado um grande crimi- i os doi s naq uel e bec o. Dav e est á na lista dos mais procurados
quando ataque
noso. Nunca tinha ido muito mais longe do que roubar uns toca-fitas para
pel o men os cin co est ado s. Est eve em todos os jornais na época em que
em
financiar sua dose diária de pó. Pelo menos até aquele assalto a banco.
uel e cas o de seq ües tro mai s ou men os uns três anos atrás. Foi
se meteu naq
Talvez ele nunca tivesse passado disso se não tivesse conhecido David. Este de ado les cen tes no Méx ico , tra bal hou com tráfico de
líder de uma gangue
sim, seu verdadeiro guia turístico em sua viagem pelo submundo.
cra ck e coc aín a e fez par te de um gru po que administrava cerca
drogas como
pr os tí bu lo s da co st a oe st e. Pa ssou dois anos na Dave e Jack haviam,depois de tudo, se tor
nado grandes amigos. Não eram
de setenta por cento dos
ia de um as sa lt o ma l su ce di do . Ouvi falar que tem pelos como irmãos, mas tinham um elo significa
tivo demais para passar desperce-
cadeia, consequênc
ed it ad as em se u cu rr íc ul o e qu atro processos por bido. Era um sentimento de cumplicidade
. Ao mesmo tempo, ambos conquista-
menos seis mortes não cr
Ju st iç a. Di ze m qu e do is ca rt éi s colombianos estão à sua ram rapidamente um respeito considerável
entre nosso bando. Não que todos
agressão rolando na adorassem os dois, mas a dupla havia
e qu e “d es ap ar ec eu ” co m um ca rr egamento de armas. provado seu valor em combates pela
procura desd nossa causa, e isso sempre significou
muito entre os nossos. Por isso,
ov áv el qu e me ta de di ss o se ja apenas boato, mas cerca de um ano após o renascimento, meu
s amigos já eram considerados os
Claro, é muito mais pr
id ad o o no tá ve l cu rr íc ul o de no sso adorável rapaz, fica dois membros mais importantes de nossa
pequena “família”.
analisando com cu
cr ít ic o na hi st ór ia to da . Da ve era o demônio en-
fácil notar qual o ponto
se co nh ec ia po r ge nt e. Di fí ci l imaginar o que pode ter Como eu disse, estava tudo indo muito
bem. Mas havia uma tempestade se
carnado desde que
da , ma s a ve rd ad e é qu e em al gu m momento o rapaz aproximando. E das grandes.
dado tão errado em sua vi
ei ta li nh a qu e se pa ra os no rm ai s dos completamente insa-
ultrapassou a estr
lt ar — se é qu e pe ns ou — já er a tarde demais. * * *
nos e quando pensou em vo

se es pe ra r qu e a tr an sf or ma çã o em vampiro fosse Aqueles eram tempos um tanto quanto dif


íceis. Nossa seita estava se
Com tudo isso, seria de
e pi ra ss e de ve z. Ma s nã o fo i o que aconteceu. Após os expandindo rapidamente, é verdade, mas
havia alguma coisa muito errada.
a gota d’água e el
um ho me m ca lm o e di sc re to . Su as ações eram extre- Havíamos banido ou exterminado cerca de
setenta por cento dos vampiros que
rituais, Dave se tornou
e pl an ej ad as . A di sf un çã o qu e ta nto o atormentara parecia se recusavam a aceitar nossa mensagem de
salvação. A cidade era praticamen-
mamente comedidas
ra da , en ce rr an do de ve z os tr em ores e alucinações te nossa. O problema eram os outros tri
nta por cento. Pelas nossas contas,
ter sido completamente cu
a vi da mo rt al . To rn ou -s e fr io e manteve sua indiferença os que faltavam eram exatamente os mais
antigos, uma corte de puxa-sacos e
que sofrera em su
re s hu ma no s, ma s fo ra is so er a um cara como qual- capachos empoeirados.
quanto à vida de outros se
po qu e se vê la va nd o o ca rr o to do domingo à tarde.
quer outro. Do ti Invadimos cada cemitério, procuramos em
cada toca de rato, cada buraco
ou vala aberta e não encontramos absolu
* * * tamente ninguém. Deixamos o mais
importante por último e, mesmo assim, nad
a. Nossa conclusão foi que haviam
se ac os tu ma nd o à vi da de va mp ir o e se divertia com isso. partido da cidade com o rabo entre as per
nas, tentando evitar a morte de-
Jack já estava
en do at rá s de pe ss oa s co m as pr esas e garras ex- finitiva. Imaginamos cada um deles enfiad
os em seus caixões em algum lugar
Vi-o mais de uma vez corr
-a s em al gu m be co es cu ro co mo jamais teria coragem de longe dali, sonhando com os velhos tempos
, ignorando o pesadelo em que seu
postas, encurralan do
mo rt al . Po r ou tr o la do , os in te grantes de sua banda pequeno reino havia se transformado. Gar
galhamos, achando graça de nosso
fazer em seus tempos de
si na is de ca ns aç o. Ce rt o di a, os três fizeram uma pequena próprio raciocínio. E quando a última gar
galhada morreu, eles surgiram.
começavam a dar
pu ls á- lo do gr up o. E na ma nh ã seguinte, os todos
reunião e resolveram ex
ra do s mo rt os nu m be co pr óx im o ao Live and Let. Na parede Eram sete vampiros, caindo das árvores
secas como frutos podres e sur-
eles foram encont
um a fr as e cr u e de po uc a in sp ir ação poética: “Vão preendendo a todos nós como um bando de
amadores idiotas. Se você já viu
estava pixada com sangue algum filme sobre o Vietnã, onde mostra
Lúcifer”. m os soldados americanos completa-
pro Inferno e toquem a canção de
mente perdidos enquanto os vietcongues atiram sabe se lá de onde, deve ter
ênc ia ali . O Sis tem a hav ia sid o der rot ado. As fúteis leis dos Anti-
resist
uma leve noção do que aconteceu naquela noite. vento.
gos, rasgadas, queimadas e atiradas ao

O caso é que, entre mortos e feridos, só ficamos eu e Dave. É difícil o ess e dis cur so ana rqu ist a par ece exc essivamente panfletário,
Sei que tod
fazer com que os outros acreditem, mas fomos mais do que suficiente. Ali- ass im que nos sa ide olo gia fun cio nav a e ainda funciona. Alguns de
mas era
mentados por nosso ódio, destroçamos todos os antigos, nos alimentamos de ent usi asm ado s e se ent reg ava m de cor po e alma (figurati-
nós eram mais
seus sangue e dedicamos cada cabeça arrancada a cada um dos nossos que havia
e fal and o). E Jac k, com o tem po, se tornou um deles. Isso fez com
vament
tombado. Jack havia sido um deles. Salvo por muito pouco, seu estado ainda nte ass umi sse a lid era nça de nos so ban do. Era parte de nossa
que naturalme
era bastante crítico e talvez não resistisse mais do que um ou dois dias. dos nos sos ass umi sse o com and o. Por mim, tudo bem.
filosofia que o melhor

Dave foi bastante afetado por isso. Aliás, este foi o exato momento em orm ado . Est ava bem lon ge de ser aqu ele moleque imbecil
Jack havia se transf
que entendi a verdadeira extensão da amizade existente entre os dois. Era mij ado na pri mei ra vez em que nos enc ontramos. Agora era forte
que havia se
mais do que cumplicidade ou um simples elo. Era um vínculo de sangue pessoal,
idi do, mas tam bém lou co e des cui dad o. E tudo começou principalmente
e dec
intransferível e muito forte. Mais forte ainda que aquele que os membros de e par tiu . Tal vez fos se con seq uên cia do rompimento do elo que
depois que Dav
nossos bandos firmam uns com os outros durante os rituais de criação. s hav iam com par til had o, mas ind epe nde ntemente de qual fosse o caso,
os doi
que Jac k tin ha ace sso s cad a vez mai s frequentes de violência
a verdade era
Ele permaneceu ao lado de Jack durante a primeira noite inteira enquanto fos se alg o mui to for a do com um ent re os membros
injustificada. Não que
eu e os membros que não haviam participado do último ataque saímos para a, mas há uma dif ere nça gra nde em seguir nossos preceitos e
de nossa raç
caçar. Quando voltamos, Dave havia partido. De início, achávamos que ele
colocar tudo a perder.
havia saído para se alimentar, mas depois de exatos dois dias nos demos
conta de que não voltaria nunca mais. Ao contrário do que pensávamos, k mat ou sei s pol ici ais , dua s pro sti tut as, três marginais e uma dança-
Jac
Jack se recuperou rapidamente. Menos de uma semana depois da batalha, de dua s sem ana s. E iss o atr aía a ate nção. A imprensa sensa-
rina em menos
os ferimentos haviam praticamente sumido e ele já tinha voltado a andar, o cas o do mis ter ios o ass ass ino ser ial que rondava
cionalista já noticiava
mesmo que com alguma dificuldade. Em pouco tempo poderia voltar às ruas e per seg uiç ão mac iça por par te da pol ícia era a última coisa
a cidade. E uma
caçar seu próprio alimento. Quando contamos sobre Dave ele apenas sorriu mos pod ero sos , mas não inv enc íve is, e nossa força
que precisávamos. Éra
de leve e disse:
residia justamente em saber disso.

“Eu sei”. s mai s dos nos sos , rec rut amo s nov os membros, selecionamos um
Convocamo
dar da cid ade e par tim os. Cla ro, não era nada
grupo confiável para cui
* * * xar par a tra z tud o o que hav íam os con quistado, mas era hora.
agradável dei
tir e rep eti r o pro ces so. Era ass im que funcionáva-
Conquistar, tomar, par
Dois anos se passaram desde nossa grande rebelião. A cidade era incon- im que agí amo s. A exc ent ric ida de san guinária de Jack só havia
mos, era ass
testavelmente nossa e cada vez mais vampiros descontentes com o estado
ler ado o pla no. A ide ia era seg uir de uma cidade pequena para outra até
ace
natural das coisas ingressavam em nossas fileiras. Não havia mais nenhuma ita l, ond e pod erí amo s nos est abe lec er definitivamente. No fim,
chegar à cap
qu at ro me mbros: eu, Jack, cido, descobri o endereço do
iv el me nt e de do ze pa ra apartamento de Floyd e lá um
nosso bando diminuíra sens anotações sobre os últimos me caderno cheio de
a es tr an ho , ma s ao me sm o te mp o interessante. Era quase ses.
Layton e Carlos. Er
como voltar aos velhos tempos. Um vampiro novo tinha chegad
o em San Juan, vindo sabe-s
e se isolou num celeiro aban e Deus de onde,
* * * donado na parte rural da cida
entrou em contato com o band de. Um mês depois,
o de Floyd convidando-os para
refúgio, uma prática até ce uma visita ao seu
em os no ss a pr im ei ra pa ra da nu ma cidadezinha inte- rto ponto comum, como prova
Jack sugeriu que fizéss vontade. Aquele parecia um bo de respeito e boa
n Ju an ou co is a pa re ci da . É en graçado como gostam e dar m negócio para os rapazes, ca
riorana chamada Sa tas naquele fim de mundo. Um rentes de recru-
Po rq ue a ge nt e nu nc a vê ci da de s com nomes legais braço a mais, já experiente,
nome de santo às cidades. calhar. Depois disso a narrat talvez viesse a
rg at ór io ? O ca so é qu e no s ho sp edamos num hotel podre, iva terminava. Floyd era brut
como Tártaro ou Pu sabia liderar. Mas não era mu o, brigava bem e
di nd o o qu ar to co m dú zi as de baratas e outros ito esperto.
de quinta categoria, divi
ss e qu e de ví am os te r pe di do a su íte presidencial e todos
insetos. Layton di Resolvi voltar ao hotel, reun
sf ei to s. Co mo eu di ss e, le mb ra va os velhos tempos. ir meus companheiros e ir at
rás do vampiro
rimos sati renegado que havia massacrado
Floyd e seu bando, mas não ha
lá. Havia apenas um pequeno pe via mais ninguém
ca ça da qu e en co nt re i Fl oy d se nt ado num sarjeta em daço de papel retangular. Um
Foi em minha primeira para uma reunião de confrate convite amigável
lo ca l. Fl oy d er a um me mb ro an ti go, que havia feito parte rnização entre vampiros da
frente ao mercado celeiro abandonado, na parte mesma seita num
rc a de de z an os an te s. Te ve qu e sumir depois de rural da cidade. E embaixo, as
do mesmo bando que eu, ce bem pequenas, estava o nome sinado em letras
ob st in ad o gr up o de ca ça do re s. Por isso nem ele e nem seu do ilustre anfitrião.
virar alvo de um
um av am se es ta be le ce r pe rm an en temente em lugar nenhum.
bando cost Era Dave.

nã o no s ví am os , ma s ai nd a me le mbrava muito bem


Fazia muito tempo que
le ga l de sd e qu e se ev it as se qu alquer tipo de discussão. * * *
dele. Era um cara
s ca ix as do s no vo s ce re ai s ma ti nais da Kellogg’s
Desde algo sobre a cor da Confesso que fiquei sem ação
do úl ti mo jo go do s La ke rs , Fl oyd tinha sérios problemas . A crueldade era compreensí
até o resultado não entendia era o porque de vel, o que eu
e qu al qu er op in iã o co nt rá ri a à dele. Por isso, a tudo aquilo. Conheci Dave po
para aceitar amistosament te para saber que não era o r tempo suficien-
se mp re co nc or da r co m pr at ic am en te tudo o que dissesse. tipo do cara que agia sem um
melhor tática era o poder dele havia aumentad bom motivo. Que
o já tinha ficado claro. Ne
idade que ele tinha seria ca nhum vampiro com a
ro xi ma va , pe rg un te i on de es ta va m seus companheiros, mas paz de acabar com o bando de
Enquanto me ap facilidade. A não ser que Floyd com tanta
d fo i en tã o ao me u en co nt ro . Si lencioso, abatido e tivesse mudado completament
não houve resposta. Floy tornado algo totalmente dife e, que tivesse se
um ve lh o as má ti co pr es te s a da r o último suspiro, disse rente. Algo realmente malign
falando baixo como o.
rtos”. E tombou.
uma única frase: “Estão todos mo Duas opções bem nítidas surg
iram na minha mente. Eu po
interferir, exercendo meu di dia fugir sem
ha vi a ac on te ci do e Fl oy d ha vi a escapado por pouco. reito de criador de deixar
Alguma coisa terrível arcassem com as consequência que minhas crias
a o qu e pa re ci a. De ci di do a de svendar o que havia aconte- s de sua própria estupidez ou
Ou pelo menos er ir até lá e li-
E enquanto os corpos secavam ali, pendurados com
vrar a cara daqueles que, querendo ou não, eram também meus parceiros. Na o gados num frigorí-
fico, Jack e Dave sentaram-se calmamente e con
dúvida, escolhi ambas. versaram sobre os velhos
tempos e sobre tudo que havia acontecido durante
o tempo em que estiveram
separados. Falaram das pessoas que encontraram,
Quando cheguei até o celeiro entrei por uma janela, me escondi usando das novas experiências,
dos inimigos que haviam destruído no caminho e de
meus poderes e pude observar tudo. coisas banais e idiotas,
como se fossem só dois amigos se encontrando para
um bate papo inocente num
* * * bar no meio do inferno. E de certa forma era mai
s ou menos isso.

Foi quando viram as luzes dos faróis, fantasmag


O lugar era estranho e horrível até mesmo para mim. Havia crânios e mem- óricos olhos gigantes
vindos da estrada chegando cada vez mais perto.
bros espalhados por todo o lugar, sangue colhido em taças enfileiradas em Eram duas caminhonetes
grandes, trazendo cerca de vinte pessoas. Dave peg
cima de um enorme altar negro e um gigantesco pentagrama desenhado no chão. ou a arma e seguiu até a
porta pensando como os malditos colombianos tinham
Já deu para entender, não? Ele havia mesmo se tornado algo terrível. Algo -no achado naquele fim de
mundo. Jack passou a tentar esconder alucinadamen
que até mesmo nós vampiros abominamos. Dave pretendia usar seus antigos te qualquer instrumento
ou objeto que pudesse relacioná-los a algum cul
amigos como matéria-prima para algum ritual. Um grande ritual. Talvez uma to satanista, pensando em
como os Antigos haviam descoberto tudo.
evocação ou coisa parecida.

Então os dois trocaram um olhar e ambos entendera


Dave parecia ter se tornado um servo do demônio, o tipo de fanático cuja m. Até aquele momento
haviam compartilhado tudo o que tinham e arriscado
existência eu só havia ouvido falar, mas nunca havia comprovado. Ou havia a vida inúmeras vezes
em nome do outro. Se tinham que enfrentar mais est
ficado louco o suficiente para acreditar que era um. Na prática, dava tudo e obstáculo, fariam como
sempre haviam feito. Juntos.
na mesma. Jack e os outros já estavam lá dentro, bem em frente a Dave. Ele
disse algo que não consegui ouvir e tanto Carlos quanto Layton sacaram as
No fim das contas, não eram nem os colombianos ou
armas. Jack não fez nada. tão pouco os Antigos.
Eram os caçadores que haviam perseguido Floyd por
tanto tempo, descendo das
caminhonetes cuidadosamente, de arma em punho,
Só quando Layton deu o primeiro tiro em Dave, Jack se mexeu e sacou sua surpreendidos pelo ataque
suicida de Jack e Dave.
arma. E não foi para proteger o amigo. Muito pelo contrário. Rápido como
sempre, deu um tiro bem entre os olhos de Layton. Carlos seria o próximo se
O que veio a seguir aconteceu rápido demais. Foram
não fugisse dali depressa. E não fugiu. Estava furioso e surpreso demais para balas e lâminas e as
garras, punhos e dentes dos dois vampiros. Tudo
correr. Como prêmio por seu ato corajoso e imbecil, foi alvejado no pescoço, o que sei é que no final
sobraram três caçadores gravemente feridos, jogado
a cabeça pendendo por uma tira fina de carne. Esses eram os meus garotos. s entre o que havia so-
brado dos outros dezessete. E mesmo eles talvez
não durassem mais do que
duas ou três horas se fossem deixados ali. Quanto
E então restaram só Jack e Dave. Os dois sozinhos naquele teatro de a Dave e Jack...
horrores. Juntos, os dois amarraram e penduraram os corpos por uma corda
Os dois devem estar mortos, até que se prove o con
grossa para que todo o sangue escorresse numa enorme bacia. Era o que pre- trário. Permanentemen-
te, quero dizer. Não encontrei sinal de ambos,
cisavam para o ritual final. mas acho quase impossível
que tenham sobrevivido. Não vi os ferimentos, mas vi a quantidade de balas
que os caçadores gastaram. E não foram poucas.

A não ser, é claro, que de algum modo eles tivessem chegado a algum lugar
seguro, onde poderiam se abrigar da luz do sol e esperar que os ferimentos
cicatrizassem. Talvez esquecer toda aquele história idiota de ritual e
retomar a vida como se nada tivesse acontecido. Quem sabe até iniciando um
novo bando, em uma nova cidade. É difícil, mas pode ter acontecido, se é
que você me entende.

Mesmo assim, os dois se tornaram uma espécie de lenda entre os vampiros


mais jovens. Mais do que qualquer outro de nossos membros, Jack e Dave
haviam entendido. E me orgulho disso. Hoje entendo que mesmo que quisesse
não poderia ter interferido nos acontecimentos dentro daquele celeiro.
Quando os criei, eles já não pertenciam a mim. Pertenciam a si mesmos. A
liberdade era o principal preceito de nossa seita e isso valia para cada
um de nós. Para cada vampiro. Por isso deixei que escolhessem seu próprio
caminho. Que arcassem com suas próprias consequências.

Qualquer que fosse ele. Quaisquer que fossem elas.

* * *

Quanto aos caçadores, disse que três estavam feridos mas haviam sobre-
vivido. Tinha que se dar um desconto para os pobres rapazes. Era um bando
de humanos imbecis contra dois vampiros e, numa situação dessas, a própria
sobrevivência já deve ser considerada um prêmio.

Apesar disso,qualquer idiota podia perceber que eles tinham um certo


potencial. Além disso, eu ainda tinha uma cidade para tomar. E, como já
disse antes, em tempos de guerra não há muito tempo a perder: pega-se o
que se tem.

E foi o que fiz.


3D&T DA MASMORRA
MESTRE MESTRE DA MASMORRA
3D&T
Guilda do Macaco! A mesa oficial de Tormen- o foco de RPGs antigos era o desafio extremo, o de jogos

Como
ta, acompanhada por vários RPGistas brasi- modernos é a continuidade da história.
leiros. Trata-se de uma stream dos autores Os desafios existem e são difíceis, mas são parte da
do cenário, que vai ao ar duas vezes por narrativa, não um fim em si. A morte está ali rondando,

lidar com
mês na Twitch, sempre nas terças-feiras, e mas não aparece cada vez que você revista uma sala ou
influencia a história de Arton. abre um baú do tesouro. A satisfação sádica de exterminar
personagens foi trocada pelo prazer lúdico de contar uma

a morte
Se você acompanha a Guilda, já deve saber de uma
história em grupo.
triste novidade: meu personagem, o elfo Calamis, pereceu
em batalha. Por isso há mais chances de recuperar pontos de vida,

do seu
seja por magia, descanso, habilidades de classe ou me-
A morte é um risco de quem se aventura. Viajar em con-
ta-habilidades como Pontos de Ação. Isso não é nem um
dições nem sempre favoráveis, enfrentar hordas de adversá-
pouco ruim — e falo como um mestre que perdeu várias
rios, desbravar masmorras inóspitas e postar-se contra vilões

personagem
campanhas porque os personagens morreram logo nas
perigosos faz parte de uma carreira de aventuras — e os
primeiras aventuras.
heróis nem sempre se dão bem. Seja por decisões erradas,
seja por azar nos dados, eles às vezes sucumbem.
Embora triste, a morte de um personagem não precisa O mestre também rola 20
ser o fim. Na verdade, pode servir de força motriz para os Mestrar dá trabalho. Exige tempo e preparação. Por mais
sobreviventes, seja pela lembrança do companheiro caído, detalhado que seja um cenário de RPG, não há suplementos
seja para uma nova leva de aventuras com um recém-chega- para descrever cada cantinho de um mundo. É normal que
do. E RPG é sobre aventura! A campanha não pode parar. o mestre passe dias escrevendo histórias, mapeando mas-
morras, criando NPCs, estabelecendo intrigas, selecionando
0 PV ou menos monstros, preparando vilões e escolhendo tesouros. E é mais
do que normal que ele se apegue a esse material — isso é
Uma das maiores diferenças entre os RPGs de mesa e até esperado. Acredite: nenhum mestre quer ver todo o seu
os games é a morte dos personagens. Enquanto num game trabalho ir pelo ralo.
você volta para o último save, no RPG de mesa você não
tem essa possibilidade. A morte costuma ser o fim, e a única Mas o RPG, como o próprio nome diz, é um jogo. E, como
alternativa é rolar um novo personagem. tal, tem regras. Algumas dessas regras envolvem combate,
pontos de vida, acertos críticos e também a morte. O mestre,
Antigamente, a morte era uma constante cruel. As mas-
como os jogadores, rola dados para saber o resultado de
morras eram projetadas para testar tanto os personagens

Quando Heróis
monstros e vilões. Da mesma forma que os heróis conseguem
quanto seus jogadores, e era normal que mais da metade
acertos críticos, seus inimigos também podem obtê-los. E, às
do grupo perecesse em qualquer exploração. Cada jogador
vezes, isso se mostra fatal.
costumava ter um ou dois heróis reservas para quando o
titular morresse. O personagem mais comum dos velhos tem- Foi o que aconteceu na Guilda do Macaco. O mestre
pos era o irmão, sobrinho ou parente que, inspirado pelo rolou um acerto crítico para seu gigante e acertou meu elfo
Calamis em cheio. Apesar de algumas reviravoltas que man-

SUCUMBEM
herói falecido, seguia sua carreira de aventuras. Usando as
mesmas estatísticas, até o nome costumava ser parecido — tiveram o herói vivo por algum tempo, um segundo golpe
pois era uma questão simples de apagar o antigo nome da enterrou de vez o personagem.
ficha e escrever outro para continuar no jogo. E as partidas Quando as rolagens são abertas (o mestre rola os dados
seguiam daí, com o novo personagem normalmente um nível à vista dos jogadores), não há muito o que fazer; os dados
abaixo do nível geral do grupo ou do herói caído, represen- não mentem. Este tipo de jogo costuma ter uma taxa de
tando sua experiência ainda em construção. letalidade mais alta, porque o mestre não tem como salvar
Em jogos atuais, a morte foi atenuada. É mais difícil os personagens — o que pode acontecer quando rola em
morrer em RPGs modernos. Mas diferente do que muitos ve- segredo (atrás do escudo). É um ônus desse tipo de jogo,
teranos afirmam, os jogos de hoje não são feitos para bebês mas também um bônus; afinal, todos sempre sabem o que
chorões — apenas trazem uma filosofia diferente. Enquanto está acontecendo e porquê.
62 63
3D&T DA MASMORRA
MESTRE MESTRE DA MASMORRA
3D&T
O “1” vem para todos que exigiria todos os recursos do grupo, mas era factível.
No entanto, a probabilidade mais alta era de que os heróis
Essa solução é ótima caso pelo menos algum membro
do grupo sobreviva. Mas o que acontece quando o grupo
Mas, como eu disse antes, mestrar dá trabalho, exige tempo
e preparação. Então, por que trilhar o caminho mais fácil?
Culpar o mestre pela morte de um personagem é fácil. falhassem. Simplesmente havia adversários demais para inteiro morre? Vamos dar ao público o que ele quer: razões para se sentir
Mas rolar acertos críticos faz parte do jogo, e acontece para personagens de 1º nível. No final, o grupo decidiu fugir surpreendido!

A morte é apenas o começo


os dois lados. Às vezes, no entanto, não é o mestre que tem com o Barão resgatado e seguir a campanha. Se meu elfo Em nenhum momento você deve revelar o verdadeiro teor
sorte, mas os jogadores que têm azar. — e talvez o grupo todo — tivesse morrido ali, não seria do jogo. Tudo deve acontecer da maneira mais corriqueira
Explorando uma masmorra, o grupo de heróis se depa- de maneira nenhuma culpa do mestre, mas de uma decisão Uma opção pouco explorada é jogar com os persona- possível. Os heróis seguem suas aventuras como se estivessem
ra com uma armadilha. Coisa simples, como um fosso ou errada dos jogadores. gens mortos. Ou, melhor, mortos-vivos. Derrotados em vida, jogando apenas mais uma campanha. Alguns níveis depois,
armadilha de fogo. A Classe de Dificuldade é relativamente eles agora têm uma segunda chance de cumprir a missão. durante a exploração de uma masmorra ou de um combate
O show deve continuar
baixa. Mas um dos personagens rola seu teste de resistência Mas que missão seria essa? Quem os reanimou e por quê? contra um vilão, o (in)esperado acontece: eles morrem. Essa
e então… Falha miseravelmente! Embora o dano não seja E que tipo de regras vamos usar para os heróis mortos-vivos? parte costuma ser a mais complexa. Um inimigo inatingível
alto, é suficiente para sepultar um herói que já havia sobrevi- Independentemente do motivo, personagens de RPG às Uma campanha que só começa quando os personagens pode deixar os jogadores com raiva de você. O ideal é usar
vido a alguns encontros e outras armadilhas durante aquela vezes morrem. É um momento de abatimento, claro, mas morrem pode exigir um pouquinho mais de trabalho por uma situação típica de campanha, como uma emboscada
mesma aventura. não precisa de maneira nenhuma ser o fim do jogo. parte do mestre. É claro que se o grupo quer apenas jogar ou armadilha para a qual parece haver uma saída, mas o
Quando o mestre prepara uma partida, espera que os Quando um único personagem ou alguns heróis morrem, com um conjunto diferente de regras, todo o necessário é vilão impede os heróis de a explorarem. E, se eles fugirem,
personagens consigam vencer os desafios, por mais difíceis a solução é fácil. Eles podem ser trazidos de volta com magias um simples “em algum ponto de suas carreiras prévias vocês faz parte do jogo! Daqui a algumas sessões o vilão retorna
que sejam. Não é o objetivo de ninguém matar os heróis como ressurreição e reviver os mortos. Ressurreição mágica morreram, mas isso não foi o fim, apenas o começo…”. com um plano melhor.
arbitrariamente; se fosse assim, todas aquelas horas de pre- pode ser fácil ou difícil de obter, mas normalmente depende
paração não serviriam para nada. Lembre-se de que o mestre apenas dos recursos de que o grupo dispõe. Mundos de
está tão interessado em ver a história se desenrolar quanto fantasia, como Tormenta, contam com clérigos de nível alto. Ninguém
os jogadores — e talvez até mais: ele conhece os plot twists Um pagamento simples — ainda que caro — é o suficiente imaginava que
que vêm por aí. Mas, às vezes, os dados são implacáveis. para resolver a questão. o gigante traria
Ou os jogadores simplesmente tomam a decisão errada. a morte de Calamis.
Embora o pagamento pela ressurreição seja a saída mais
Durante muito tempo, fui o tipo de mestre que não alivia- fácil, nem sempre é a mais interessante. Como todos vocês Nem o ilustrador
va para o lado dos personagens. Se os jogadores tomassem que assistiram a O Poderoso Chefão sabem, é muito melhor
uma decisão errada, azar o seu. Eu inclusive tinha meus para a história quando alguém fica devendo um favor. Esse
Mandamentos da Campanha, e um deles dizia: “Não favor pode ser qualquer coisa, mas o mais importante é que
culpe o mestre por suas decisões. Se os personagens viaja- seja oportunidade de aventura. Recuperar relíquias, localizar
rem até a região assinalada no mapa como DOMÍNIO DO um santo, resgatar textos sagrados, desacreditar um herege,
DRAGÃO, encontrarem um dragão e morrerem, a culpa é invadir um templo adversário, destruir um inimigo da fé…
única e exclusivamente dos jogadores”. Não foram poucas Opções não faltam. O herói morto pode não participar da
as vezes que os jogadores foram verificar se o tal dragão missão, mas um personagem reserva pode ser usado para
existia mesmo… que nenhum jogador fique de fora da aventura.
Esse tipo de coisa acontece o tempo todo. Não porque Agora imagine que o clérigo que realizou a ressurreição
os jogadores querem implicar com o mestre, mas porque não era Bondoso. Ou, melhor, que era um clérigo Maligno
uma decisão questionável em momentos de calmaria parece passando-se por Bondoso. Tática apropriada para seguido-
acertada no calor do momento. Vamos para mais um exemplo res de Sszzaas— os heróis agora devem um favor para um
da Guilda do Macaco. Logo na primeira sessão, fomos até clérigo do Deus da Traição! E podem até mesmo ficar presos
uma torre em ruínas resgatar o Barão Abelard. Aos poucos, num ritual conjurado durante a ressurreição: “Se vocês não
a torre foi sendo cercada por inimigos que não paravam cumprirem uma missão para mim dentro de sete dias, seu
de chegar. A missão era simplesmente encontrar o Barão e amigo morrerá — e sua alma sofrerá para sempre em Ve-
trazê-lo de volta, o que fizemos sem problemas. Mas com nomia!”. Para salvar a alma do amigo, os jogadores terão
todos aqueles inimigos dando sopa e uma torre bastante bastantes coisas para resolver: cumprir a missão ou ludibriar
defensável, Calamis só pensou em uma coisa: por que não o vilão, dar o troco no clérigo Maligno, resgatar a alma do
matar todos os inimigos e livrar o feudo dessa ameaça? companheiro em um dos Mundos dos Deuses… Muito
Havia a possibilidade de o grupo conseguir defender mais divertido que jogar uma bolsa com Tibares para os
a torre e exterminar os inimigos. Era uma chance pequena clérigos e deixar o troco de gorjeta.
64 65
3D&T DA MASMORRA
MESTRE MESTRE DA MASMORRA
3D&T
Esse tipo de campanha também exige que o mestre res- ameaças ou companheiros para os heróis. Os heróis e vilões
ponda certas perguntas antes de os personagens se tornarem também são outros, assim como os governantes. O Plano Para aqueles que querem um elemento diferente de regras, aqui vai uma sugestão de modelo: os deathlin. De
mortos-vivos. Quem os reanimou? E por quê? No excelente conta com raças próprias. Seus habitantes duvidam da exis- acordo com o mestre, personagens com este modelo ficam impossibilitados de evoluir em suas antigas classes e podem
Planescape: Torment, game baseado em AD&D, o protago- tência de outros Planos, pois quem passa muito tempo aqui ganhar apenas níveis de deathlin (veja abaixo).
nista era um imortal que ressuscitava algum tempo depois esquece como era seu mundo de origem. É possível retornar

Criando um deathlin
de morrer. Mas esquecia todas as suas “vidas” prévias. à vida prévia, mas é claro que isso exige algumas missões…
O game envolvia a busca para recuperar suas memórias. E aí o mestre tem que definir quem tem o poder de devolver
Spoilers: em certo ponto, o protagonista descobre que tinha os heróis à sua existência anterior. Deathlin são almas presas entre o mundo dos vivos e o vazio pós-morte. Habitam o corpo que tinham antes de morrer,
cometido atos terríveis em sua primeira vida e, por isso, A última pergunta a ser respondida é; que tipo de regras mas não são mais criaturas vivas. Para aplicar o modelo deathlin, escolha uma criatura viva e faça as alterações abaixo.
havia procurado uma bruxa para se tornar imortal e jamais usar? Não precisa ser nada muito drástico, na verdade. • Nenhum bônus ou penalidade nas habilidades. Deathlin mantêm os mesmos valos de habilidade que
ter de enfrentar a danação eterna. Basta uma consulta rápida ao Bestiário de Arton Vol. 1. possuíam em vida, exceto por Constituição (veja abaixo).
Sua campanha não precisa ser exatamente assim, mas a Veja o box na próxima página para sugestões.
• Constituição nula. Deathlin nunca recebem bônus ou penalidades de Constituição (modificador +0). Nunca
imortalidade é uma ideia a ser explorada. Talvez os heróis
fazem testes de Fortitude, exceto contra efeitos que também afetam objetos.
Existe vida após a morte
da sua campanha também tenham realizado atos terríveis em
uma vida prévia, mas se arrependeram e pediram perdão • Limite Zero. Deathlin são destruídos quando seus PV chegam a 0.
aos deuses. No entanto, eles só poderão descansar depois Tanto em grupos com uma pegada moderna quanto em • Tendência. Permanece a mesma. Entretanto, veja existência negativa, abaixo.
de cumprir uma penitência, na forma de uma missão espe- jogos old school, campanhas existem para serem jogadas. • Existência Negativa. Independentemente de sua tendência verdadeira, deathlin reagem a habilidades (como
cífica. Ou talvez o contrário tenha acontecido. Os heróis destruir o mal dos paladinos) e magias (como proteção contra o mal) como se fossem Malignos.
A morte é uma ameaça constante, mas não precisa de
foram amaldiçoados por uma divindade maligna e a única
maneira nenhuma ser o fim da diversão. Na verdade, ela • Morto-Vivo. Deathlin não são mais humanoides, sendo imunes a magias e efeitos que afetam apenas estas
forma de encontrar descanso é acabando com ela. Claro
pode adicionar toda uma nova dimensão à campanha: de criaturas. Também não são afetados pelas magias reviver os mortos e ressurreição. A magia ressurreição verdadeira
que isso exigirá várias aventuras menores e ganhar muitos
personagens mortos-vivos a um Plano de Existência até então pode transformar um deathlin na criatura que era quando vivo, à critério do mestre (de acordo com as necessidades
níveis para derrotar o vilão — talvez até mesmo uma divin-
desconhecido. Tudo o que sua campanha post mortem pre- da campanha).
dade — quando se aproximarem do nível 20 ou entrarem
cisa é de algumas decisões. De um jogo rápido com regras
nos níveis épicos. • Imunidades. Deathlin são imunes a atordoamento, dano de habilidade (apenas Força, Destreza ou Constituição),
diferentes a um território inteiro para exploração, a parte
Outra opção é causar algumas mudanças não apenas mais importante é manter a campanha em andamento. dano não-letal, doenças, encantamento, fadiga, paralisia, necromancia, sono e veneno.
nos personagens, mas também no cenário. Imagine que os • Necessidades Nulas. Deathlin não precisam respirar, alimentar-se e dormir.
A morte é apenas o início de uma nova e grande aventura.
personagens morrem. Mas, em vez de a morte ser o fim, o • Não-Vivo. Deathlin sofrem dano por magias de cura e recuperam pontos de vida com magias de necromancia.
mundo inteiro mudou! Eles acordam exatamente como eram, GUSTAVO BRAUNER Um deathlin pode recuperar pontos de vida sugando a energia vital de uma criatura viva. Contra alvos involuntários,
mas em um mundo totalmente sem cor. O que existem são a única maneira de fazer isso é mantendo o alvo imobilizado. Para tanto, todo deathlin desenvolve a capacidade de
tons de cinza, e a luz ou sua ausência indica a presença lançar a magia imobilizar pessoas um número de vezes por dia igual ao seu bônus de Carisma (mínimo 1), com CD
do bem, do mal ou de um grande poder. Eles podem ver 10 + metade do nível + mod. Car. A cada turno imobilizado, o alvo perde 1d6 PV + metade do nível do deathlin, e o
o mundo ao qual pertenciam, mas interagir com ele exige deathlin recupera esse mesmo valor. Um deathlin pode se alimentar de animais, vegetais e outras criaturas vivas, mas
habilidades que eles ainda não têm ou que ainda não des- recupera apenas a metade do dano causado. Criaturas e plantas muito pequenas podem não fornecer mais que 1d6
cobriram (provavelmente magias, itens mágicos ou talentos). de energia vital antes de secarem e morrerem.
Esse novo mundo pode ser uma espécie de purgatório: • Visão no escuro. Deathlin ignoram camuflagem (incluindo camuflagem total) por escuridão. Eles enxergam
uma dimensão intermediária entre o Plano Material Primário normalmente no escuro, embora apenas em preto e branco.
onde os personagens viviam e os Mundos dos Deuses para
onde suas almas deveriam ir para descansar. Ou simples- ND: +0.
mente trata-se de tudo o que existe depois da morte, e as
religiões estão erradas ou mentindo! Como qualquer outro Deathlin como classe
Plano, esse também tem geografia própria ou é uma espécie • Pontos de Vida: 6 por nível.
de reflexo do Plano Material Primário — mas com elementos
próprios, inclusive e especialmente em sua geografia. • Bônus Base de Ataque: +1/2 por nível.
As fronteiras também podem ser outras, e de natureza • Magia: criaturas mágicas por natureza, os deathlin ganham níveis de magia de acordo com uma de suas classes
diferente. Enquanto o Rio dos Deuses divide o Reinado de Thyatis: conjuradoras de quando estava vivos, à sua escolha. Caso não tivessem nenhuma, começam a ganhar magias como
Tapista, uma barreira feita de almas separa os territórios Deus da um feiticeiro.
daqui. Esse novo mundo também tem criaturas exclusivas, Ressurreição

66 67
Diversidade na
Cassandra, Dorian
e Vivienne: há mais
na fantasia que
homens brancos
e héteros

Fantasia Medieval
Há espaço para minorias na fantasia? De acordo com Dragon Age, sim.
A representação de minorias na mídia Em todos os jogos de Dragon Age, o jogador pode
tem sido muito discutida ultimamente, controlar um homem ou uma mulher. Independentemente A bruxa da floresta Morrigan, uma das
inclusive em obras de ficção, como livros, do gênero, podemos escolher qualquer classe para nos- personagens mais icônicas da franquia:
sos personagens. Infelizmente, é comum que em jogos de apresentada em Dragon Age: Origins, volta
filmes e games. Dentro dessas obras, o
fantasia medieval as opções de armaduras para mulheres com um papel importante em Inquisition
gênero da fantasia medieval é um que
sejam sexualizadas, mas em Dragon Age sua guerreira
apresenta grandes controvérsias. vai usar o mesmo tipo de armadura que o guerreiro.
Quando falamos desse gênero, sempre que a falta Vamos analisar cada jogo da franquia, usando-os como
de minorias é criticada em alguma obra, um argumento exemplo de como é possível escrever histórias com repre-
específico costuma ser sacado para justificá-la. O conhe- sentatividade — e também para aprender a fazer o mesmo.
cido “Naquela época era assim” ou “Naquela época
não tinha isso” é usado para tentar calar as pessoas que
criticam o padrão homem-branco-hétero-cis, que ainda é
a maioria nesse gênero (assim como em muitos outros).
Dragon Age: Origins
A franquia começa com Dragon Age: Origins,
Mesmo quando respondemos que “aquela época” lançado em 2009. Sem contar os personagens
da fantasia medieval nunca existiu (afinal, nossa Idade bônus e o mabari (uma raça de cães inteligen-
Média não tinha magos, elfos ou dragões), e que por tes), o grupo principal possui
isso não faz sentido exigir com- sete membros. Desses, três
promisso com fidelidade histórica, são mulheres.
ainda há pessoas que acreditam Nenhuma delas está
que essas minorias não possuem Apesar de fisicamente não se-
espaço nesses gêneros, ou que na história apenas rem diversas, todas as persona-
gens femininas possuem passados
não estão dispostas a colocá-las como par romântico
em suas obras. Aí fica a pergun- interessantes e passam por desen-
ta: existe ou não espaço para mi-
ou muleta para algum volvimento de personagem. Ne- Os romances dentro dos jogos da Bioware são muito em questão. Quando a Bioware coloca dois personagens
norias na fantasia medieval? De personagem homem. nhuma delas está na história ape- famosos, e costumam cumprir um papel importante na bissexuais diferentes um do outro, que inclusive lidam
acordo com a franquia Dragon nas como par romântico ou muleta representatividade da história. O jogador pode escolher com sua sexualidade de forma diferente, ela melhora a
Age, existe — e é mais do que para um personagem homem. ter uma relação amorosa com algum dos personagens representatividade e aumenta as opções de identificação.
possível construir uma história convincente e interessante Morrigan, uma bruxa da floresta, é uma das perso- de seu grupo. Em Origins, dois dos romances são com Dragon Age: Origins possui exemplos bons, mas
ao mesmo tempo em que se busca fugir do padrão. nagens mais importantes do jogo. Ela é parte crucial de personagens bissexuais: Leliana e Zevran. ainda pecava em outros aspectos. O único personagem
Dragon Age é uma série de jogos da Bioware, empre- muitos dos momentos mais relevantes de Origins. Por Infelizmente, a representatividade de personagens que não era branco, dentre os principais, era Zevran (ou
sa canadense fundada em 1995. Em 2009, ela lançou mais que passe a ideia do estereótipo da personagem bissexuais na mídia ainda precisa melhorar muito, mas o próprio protagonista, que pode ter a aparência que
Dragon Age: Origins, o primeiro jogo da franquia. Com “durona”, nas opções de diálogo e missões é possível Dragon Age: Origins trata isso de uma forma interessan- o jogador escolher). Além disso, todos os personagens
o sucesso obtido, em 2011 foi lançado Dragon Age 2, perceber que o time de roteiristas se preocupou em dar te. Zevran é um tipo de estereótipo: o homem bissexual eram cis e as mulheres eram bem padronizadas (apesar
que até hoje divide opiniões de críticos e fãs. O título profundidade para Morrigan. Há jogos que vão incluir que quer pegar todo mundo. Mas, para evitar que seja de Wynne ser mais mais velha que o resto do grupo).
mais recente da série é Dragon: Age Inquisition, lançado mulheres, mas elas serão personagens completamente só um clichê, a Bioware faz um trabalho interessante com

Dragon Age 2
em 2014 e muito bem recebido, sendo eleito em várias rasas, o que não é o caso de Dragon Age. Podemos seu arco de personagem, e assim ele não tem nenhum
premiações como o melhor jogo do ano. Apesar de cada criticar o fato de sua roupa ser sexualizada, apesar de o aspecto raso em sua construção. Além disso, a Biowa-
título contar uma história diferente, todos são RPGs de jogador poder trocá-la durante o jogo. re não o coloca como o único personagem bissexual. Em 2011, a Bioware lançou Dragon Age 2,
fantasia medieval que se passam no mundo de Thedas. Além das personagens mais próximas do jogador, há Leliana também é — e está longe de ser o estereótipo um jogo recebido com bastante polêmica, mas
A Bioware ficou conhecida por vários motivos − um também mulheres NPCs (personagens não jogáveis) de de mulher bissexual sexualizada. Assim como Zevran, é que ainda assim mostrou mais avanços na re-
deles é exatamente buscar ouvir os fãs e incluir mais re- peso na história. Flemeth, a mãe de Morrigan, é uma das uma personagem complexa, além de mais tarde se tornar presentatividade de minorias.
presentatividade em seus jogos. Quando comparamos personagens mais importantes de toda a franquia. Há muito importante para a história do jogo como um todo. Tirando conteúdos bônus, temos sete personagens,dos
o primeiro e o último jogo da franquia, dá para notar também a rainha Anora, que é mostrada pelo jogo como O problema com os estereótipos das minorias é quais três (ou quatro, dependendo das suas escolhas)
que cada vez mais há uma preocupação maior com uma das maiores estrategistas políticas de Ferelden, o que normalmente eles são os únicos representados na são mulheres. Dessa vez, a customização de armaduras
essa questão. país onde Dragon Age: Origins se passa. mídia, criando uma imagem preconceituosa do grupo é limitada, então as roupas dos personagens continuam

70 71
sendo as mesmas ao longo do jogo. Mesmo isso sendo nessa decisão, mas, mesmo que talvez sem querer, a Ao falar sobre o machismo que enfrentou quando ainda
muito criticado, dá para ver que o design das roupas Bioware acabou trazendouma representação interes- tinha seu navio, Isabela reclama que, para os homens, as
conversa com a personalidade de cada personagem, sante de personagens bissexuais. mulheres precisam “trabalhar o dobro para ter a metade Dicas para a sua aventura
inclusive das mulheres, ao contrário de outros jogos que A letra B do LGBT+ muitas vezes fica apagada na mí- do respeito”.
Estamos acostumados a imaginar os persona-
sexualizam todas para o olhar masculino. Aveline, por dia e, quando aparece,ainda é usada como estereótipo No final do jogo, a grande vilã é uma mulher: Mere- gens que criamos da forma mais padrão possível.
exemplo, é uma guerreira que usa uma armadura que, de “indeciso” e “promíscuo”. Em Dragon Age 2 temos dith, a líder dos templários de Kirkwall. Primeiro, é inte- Quando criar um Guardião Cinzento, pergunte-se:
vejam só, de fato protege seu corpo! quatro personagens bissexuais completamente diferentes ressante o cargo de líder dos templários ser ocupado por “Esse personagem precisa ser um homem branco?
As personagens mulheres, tanto as que são da sua uns dos outros, mostrando o que devia ser óbvio: pes- uma mulher− em outros universos de fantasia medieval, E se ele for negro? E se for uma mulher? E se for um
equipe como as NPCs, possuem personalidades diferen- soasbissexuais não são estereótipos ambulantes, e sua esse cargo seria de um homem. Meredith é uma guerreira, homem trans?”.
tes e relevância para a história do jogo. Dragon Age 2 sexualidade é apenas uma parte de um todo. que, assim como Aveline, de fato usa uma armadura que
Não existe nada na história de Thedas que
não usa estereótipos para construir suas personagens mu- Há mais personagens não brancos em Dragon Age a protege e que não é sexualizada. A personagem possui
indique que as instituições não aceitam mulheres
lheres− o jogo dá a elas profundidade, da mesma forma 2 do que em Origins, e uma das representações mais camadas e tem espaço para ser má. Parte da representa-
ou negros; portanto, não é ilógico que na sua
que faz com os personagens homens, o que infelizmente interessantes é Isabela. Ela é uma pirata negra e bisse- tividade feminina na ficção é que as mulheres possam ser
aventura haja diversidade de pessoas. Sabemos
não acontece em todos os jogos atualmente. xual, sendo a única que usa mais da sua sensualidade. vilãs; afinal, mulheres também podem ser más.
pelo jogo que algumas cortes nobres não aceitam
Dragon Age 2 também fez que todos os seus ro- Podemos criticar que justo a mulher negra da equipe seja pessoas LGBT+, como em Orlais ou Tevinter, o que
mances fossem bissexuais (sem contar Sebastian, que é
conteúdo bônus do jogo). Essa decisão causou polêmica
essa personagem, mas ao mesmo tempo há pontos posi-
tivos em sua construção. Isabela é uma das personagens
Dragon Age: Inquisition não significa que eles não possam ser colocados
nessas posições − basta ver os exemplos de Dorian,
na época. A Bioware decidiu que todos os personagens mais bem desenvolvidas do jogo, com várias camadas Finalmente, em 2014 a Bioware lançou Maevaris e Celene.
seriam bissexuais para que não houvesse restrições nos que a tornam complexa; inclusive com muitos discursos Dragon Age: Inquisition, o jogo mais recente
da franquia até o momento — e que trouxe Personagens fora do padrão não precisam ter
romances, como existiam em Dragon Age:Origins, o feministas. Quando questionada se não se incomoda
muitas mudanças. arcos que foquem apenas no preconceito que en-
que muitos gostaram, mas também pode atrapalhar a com o jeito como alguns homens do jogo a tratam, ela
frentam; afinal de contas, pessoas são muito mais
representação de outras sexualidades. Há o que criticar responde: “Eles não me conhecem, eu me conheço”. Por um lado, dos nove membros da equipe que podem
que seu gênero, cor ou sexualidade. Caso você
ir para o combate, apenas três são mulheres. Quando
queira construir uma história que critique precon-
pensamos no círculo interno completo da Inquisição, os
ceitos, Dragon Age dá bastante espaço para isso.
números vão para cinco mulheres em um grupo de doze. Em Thedas, elfos e magos são oprimidos, e uma
Por mais que não sejam metade, as mulheres estão mais narrativa focada nesses grupos pode ser usada
diversas e continuam tendo construções bem feitas, além como metáfora para criticar o sistema de opressões
de termos NPCs femininas muito cativantes. da nossa sociedade.
Normalmente, na fantasia medieval, quando acontece
uma reunião de guerra para debater estratégias, a maioria
dos personagens envolvidos são homens. Em Dragon Age:
As mulheres NPC também são marcantes para a his-
Inquisition, se não contarmos o personagem do jogador,
tória. Morrigan volta com um papel muito importante,
em todas as reuniões da mesa de guerra a maioria dos
assim como Flemeth. Entre as personagens novas, temos a
personagens são mulheres. Há a diplomata, a espiã e, em
batedora Harding, uma anã que trabalha para a Inquisi-
certos momentos, uma guerreira ou uma maga.
ção. Dependendo do caminho que escolhemos, podemos
Há mulheres em todas as classes, além de, fisicamen- conhecer Fiona, uma maga elfa poderosa, ou Calpernia,
te, serem diferentes. Duas personagens são negras, e que pode ser uma das antagonistas do jogo, uma maga
ambas em posições importantes: Vivienne é uma maga
de Tevinter que começa a servir Corypheus, o vilão.
com muita influência política em Orlais, ao passo que
Josephine é a embaixadora da Inquisição, que, apesar Dragon Age: Inquisition é o jogo com mais diversidade
de ser a única das mulheres que não luta, não deixa LGBT+ até agora. Das oito opções de romance, mesmo
de ser importante para a instituição e relevante para a quatro personagens sendo hétero, temos um personagem
história do jogo. Leliana, que já apareceu em Dragon gay, uma lésbica, uma bissexual e um pansexual no círcu-
Marian ou Garret: Age: Origins, possui um arco muito interessante, com lo interno da Inquisição. Houve polêmicas por causa da
a escolha é sua mudanças que casam com as decisões que o jogador fez sexualidade de alguns desses personagens. Quando foi
ao longo da franquia. revelado que Dorian Pavus, um mago de Tevinter, era gay,

72 73
alguns fãs ficaram incomodados, acusando a Bioware de de Sera, uma elfa lésbica, não tem relação com a sua
estar se rendendo ao “politicamente correto” e que um sexualidade, mas conversa com a construção da perso- Isabela: flagelo de dois mares,
game não devia se importar com isso. Mesmo quando nagem de outras formas. quatro reinos e incontáveis
falamos de um jogo inclusivo, a comunidade gamer ainda A imperatriz de Orlais, Celene, também é uma mu- tavernas!
tem dificuldade em aceitar personagens fora do padrão. lher lésbica. A história dela é mais explorada no quarto
Na missão pessoal de Dorian, o jogador descobre que romance da série Dragon Age, mas o jogo nos mostra
seu pai tentou usar magia de sangue — um tipo de magia exatamente o quão poderosa Celene é. Além disso, temos
proibida e perigosa — para fazer o filho virar hétero. Esse também Briala, uma elfa que teve um caso secreto com a
é um excelente exemplo de como é possível sim falar de imperatriz, já que a corte de Orlais veria isso como um
assuntos LGBT+ em um contexto de fantasia medieval, in- escândalo. Briala é tão importante quanto Celene para
clusive como críticas para a nossa sociedade. Ao mesmo a história, e mesmo em um mundo em que humanos são
tempo em que o arco se encaixa com o contexto do jogo, opressores e elfos oprimidos, Briala é uma das pessoas
também conversa com os jogadores, principalmente com que mais sabem jogar o jogo político de Orlais.
aqueles que se identificam com Dorian de alguma forma.
No terceiro jogo da franquia, Dragon Age nos apre-
A representação não precisa, porém, ser necessaria- sentou Krem, um homem trans que luta no grupo do Touro
mente sobre os personagens que são minorias enfren- de Ferro. Apesar de ser um coadjuvante, Krem ganhou o
tando preconceito. Ao mesmo tempo em que a missão amor dos fãs. Se o jogador conversar com Krem, ele fala
pessoal de Dorian tem relação com ele ser gay, a missão sobre ser um homem trans em Thedas. Esse é um bom
exemplo de como a fantasia medieval pode sim ter espa-
ço para pessoas trans, que ainda têm uma representação
muito pequena nesse gênero (e em muitos outros).
O que fazer em suas histórias... Fora dos jogos, os livros e quadrinhos também falam
• Colocar armadura de verdade nas guerreiras! de diversidade. Dois dos cinco romances possuem prota-
• Incluir mais de uma pessoa fora do padrão. gonistas mulheres e mesmo os que não têm apresentam Ela é uma mulher, negra e bissexual, com grande re- assassino perigoso que é contratado para matar o Guar-
personagens mulheres interessantes. Como já foi mencio- levância para a história de Dragon Age 2. Dependendo dião Cinzento, protagonista de Dragon Age Origins.
• Dar papéis relevantes para minorias, não apenas
nado, a relação de Celene e Briala foi apresentada nos das escolhas do jogador, Isabela pode ficar ao lado de
de coadjuvantes. Além de ser um personagem que pode ser recrutado,
livros. Nos quadrinhos, tivemos a primeira personagem
• Fujir dos estereótipos perpetuados pela mídia. Hawke, o protagonista do jogo, quando seria muito mais Zevran é um homem bissexual. No começo do relaciona-
trans da franquia — a maga Maevaris, que possui uma
conveniente para ela se apenas fugisse. Além de um de- mento com o Guardião Cinzento, ele aparenta ser uma
• Ouvir o que as minorias têm a dizer sobre posição poderosa na política de Tevinter.
senvolvimento interessante de personagem, ela também pessoa que não leva nada a sério, mas à medida que o
representatividade.
se posiciona contra situações machistas que já teve que jogador interage com o personagem, percebe que Zevran
Personagens diversos encarar na vida. usa sua personalidade como mecanismo de defesa por
...e o que NÃO fazer! A seguir estão três exemplos de personagens conta das inúmeras dificuldades que enfrentou ao longo
• Usar “fidelidade histórica” como desculpa para de Dragon Age que fogem do padrão, mas não Zevran Arainai da vida. Uma vez que o Guardião Cinzento consegue
excluir minorias da sua história. se resumem a isso. sua lealdade, Zevran lutará até o fim pelo jogador.
Zevran é um elfo de
• Hipersexualizar personagens mulheres. Antiva, um país ao nor-
• Colocar minorias como “muletas” para o cresci- Isabela te de Thedas. Ele faz par- Dorian Pavus
mento do personagem homem padrão. Isabela é uma pirata que foi parar em Kirkwall depois te dos “Corvos”, a maior Dorian é um altus — um mago da alta sociedade de
• Fetichizar personagens LGBT+. de libertar um grupo de elfos escravos. Ela é originalmen- guilda de assassinos do Tevinter, um império que fica ao norte de Thedas. Mesmo
te de Rivain, um país ao norte de Thedas, e foi forçada a continente. Zevran foi tendo muitos privilégios na vida, Dorian nunca foi o mo-
• Resumir a personalidade de um personagem vendido para a guilda
se casar com um homem que não conhecia por volta dos delo ideal esperado de alguém da sua posição. Além de
que pertença a uma minoria à esse aspecto (por
dezenove anos. Depois de passar anos infelizes ao lado quando tinha por volta não se importar tanto com os costumes nobres, Dorian é
exemplo, fazer resumir a personalidade de um
do marido, ela escapou dessa situação e começou sua de sete anos. Sobreviven- gay, o que é considerado um absurdo na alta sociedade
personagem gay ao fato dele ser gay).
vida de pirata. Na época de Dragon Age 2, Isabela já do a um treinamento rigo- de Tevinter, tanto que seu pai tentou usar magia de sangue
atuava como capitã havia cerca de dez anos. roso, Zevran se torna um para mudar a sexualidade do filho.

74 75
Nesse contexto, Do- O Instituto Geena Davis de Gênero na Mídia tem
rian sai de Tevinter e aca- o slogan: “Se ela pode ver, pode ser” porque a mídia, Um grupo de aventureiros ideal:
ba se juntando à Inqui- incluindo a de entretenimento e cultura pop, pode influen- pessoas de todos os tipos
sição. A missão pessoal ciar a vida das pessoas. Quanto mais diversidade, mais
dele é relacionada à ho- incluídas as pessoas fora do padrão vão se sentir.
mofobia que sofreu por De um ponto de vista do mercado, parece lógico que
parte de seu pai. A crítica as empresas publiquem histórias com diversidade, pois
que é feita com a missão isso aumenta o público potencial de seus produtos.
de Dorian é muito bem
construída. O escritor do A mídia é uma ótima forma de perpetuar ou quebrar
personagem, David Gai- estereótipos. Quando uma obra de ficção insiste em só
der, que também é ho- ter personagens homens padrão, ou quando mostra mi-
mossexual, admitiu que teve que ressuscitar alguns fantas- norias apenas com estereótipos preconceituosos, cria-se
mas de suas próprias experiências para escrever Dorian. uma imagem errada desses grupos oprimidos que ajuda
a perpetuar preconceitos na sociedade.

Por que isso importa? Pessoalmente falando, sempre amei fantasia medieval,
mas Dragon Age é uma das minhas histórias preferidas
Por que a Bioware devia gastar tanto tempo porque nela eu consigo me ver. Não são apenas homens
com isso? A grande questão é que a represen- padrão que consomem games, apesar de ainda haver
tatividade é sim importante. É perigoso que só pessoas que acreditem nisso, e obras de ficção também
tenhamos um tipo de história, sempre sobre precisam conversar com minorias. Estamos repetindo
um protagonista homem branco, cis e hétero. padrões e o mesmo tipo de histórias há anos, só que há
Existem outros tipos de pessoas no mundo e muitas outras narrativas igualmente interessantes esqueci- Dragon Age não é perfeito. A franquia já cometeu
nós queremos nos ver na mídia. das porque não são parte desse padrão. erros e com certeza há como melhorar. Dá para entender
que, por ser um jogo de uma grande empresa, as mu- Produtos da franquia
danças não sejam imediatas. Existe resistência por parte
Leliana: mulher bissexual, Dragon Age surgiu como um game para PC,
do público e os jogos AAA (de grande orçamento) ainda
mas muito mais que isso XBox e PlayStation. Mas, desde então, esse rico
apostam muito no padrão. É por isso que é importante
universo invadiu os livros, os quadrinhos e o RPG de
que nos manifestemos por mais diversidade. Existem
mesa. No Brasil, a Jambô Editora publica Dragon
companhias que já estão começando a ouvir essas vo-
Age RPG, e recentemente anunciou o lançamento de
zes, afinal isso pode afetar os lucros, e a Bioware é uma
O Trono Usurpado, primeiro romance da franquia.
dessas empresas. Principalmente entre os lançamentos de
Dragon Age 2 e Dragon Age: Inquisition, a Bioware ouviu
muito os fãs em relação ao que eles queriam, incluindo a Dragon Age RPG
questão da representatividade de minorias. O RPG de mesa oficial do universo, vencedor
Não há razão para continuar insistindo em histórias dos ENnies de Melhor Jogo e Melhor Arte em 2016.
que só dão espaço para o que é padrão, e também não Ideal para jogadores interessados numa fantasia
dá mais para usar uma suposta fidelidade histórica como medieval mais sombria e adulta. Já disponível.
argumento para validar fantasias medievais que insistem
em não sair da caixinha. Há sim lugar para minorias em O Trono Usurpado
todos os gêneros de ficção, incluindo a fantasia medie-
val: basta ver Dragon Age e como em cada jogo novo a O primeiro romance da franquia, detalha os
franquia busca melhorar esse aspecto. acontecimentos que precedem Dragon Age: Ori-
gins, com a história da Rainha Rebelde e seu filho,
Clarice França Maric. Previsto para o primeiro semestre de 2017.
redatora do Collant sem Decote

76 77
ver alemães pedindo para um espanhol mudar de nome
O lobisomem e outros monstros
A história
por conta da facilidade de pronúncia…). Jacinto adotou
então o nome artístico de Paul (em homenagem ao Papa A filmografia de Naschy é imensa, com mais de 100
da época) Naschy (uma versão meio americanizada do filmes em que interpretou não só seu lobisomem, mas

de Paul
nome Imre Nagy, um halterofilista que ele adorava), praticamente todos os monstros clássicos do cinema...
nome pelo qual ficaria conhecido como o maior ator de e mais algumas coisas teoricamente não classificadas
como monstros, mas que são bichos bem ruins: uma mú-

Naschy, o
terror do cinema espanhol.
mia, Jack, o Estripador, Drácula, o Corcunda, o Monstro
Naschy criou Waldemar Daninsky, seu persona- de Frankenstein, o Fantasma da Ópera, o Senhor Hyde,
gem mais famoso (e mais recorrente), um homem de

Lobisomem
Rasputin, Doutor Moreau, um bruxo, um zumbi, um in-
origem polonesa que é amaldiçoado a se transformar quisidor medieval, um serial killer e até mesmo o próprio
em lobisomem nas noites de lua cheia. Ao todo, foram Diabo. Isso o torna certamente um dos atores que mais
11 filmes com o personagem (e mais um que teria sido

Espanhol
interpretou personagens conhecidos e clássicos do terror
literalmente perdido). na história do cinema. Não é pouca coisa.
Os filmes não têm uma cronologia ou sequência O Rei do Terror Espanhol também era roteirista, diretor
entre eles, os fatos que acontecem em um não afetam e produtor, numa carreira que se confunde com a história
os outros, podendo ser vistos em qualquer ordem. São do cinema de terror hibérico. Seu período áureo foi a
histórias diferentes, onde o lobisomem morre, mas está década de 1970, onde esteve envolvido, de alguma
vivo e saudável no outro filme… para morrer de novo. forma, em 28 filmes. Em 1972, escreveu e atuou em sete

OEOutro Homem de Mil Faces


A própria origem de Waldemar Daninsky muda de filmes (lembre que estamos falando de doze meses)!
filme pra filme: em alguns, o coitado é amaldiçoado por Nos anos seguintes não parou de trabalhar, conti-
crimes feitos por um antepassado; no outro, nasceu de nuando a produzir, dirigir e atuar em filmes de terror,
uma família de licantropos ou se tornou um lobisomem policiais, humor e (tentativas de) drama. Mas, infelizmen-
depois de ser mordido por um yeti no Himalaia (isso mes- te, a década de 1980 não foi muito boa para Naschy.
mo, mordida de yeti causa licantropia, você não sabia?). Sua produtora, a Aconito, faliu em 1984, depois de uma

ntre os atores famosos dos monstros lista. Naschy (ou Jacinto) ficou muito impressionado com
clássicos do cinema, o genial Lon Cha- os clássicos filmes de terror de Hollywood, principalmente
ney era conhecido como “O Homem Frankenstein Encontra o Lobisomem (Frankenstein meets
the Wolf Man, de 1943, com Lon Chaney Jr.) que assistiu
de Mil Faces”, por seus papéis totalmen-
aos 11 anos e que influenciou, segundo o próprio, toda
te diferentes, como o Corcunda de Notre
sua carreira.
Dame, o Fantasma da Ópera, o hipnotiza-
Molina alternava trabalhos como ator (figuração na
dor vampiro, o imigrante chinês, o palha-
maioria das vezes) com sua carreira como halterofilista,
ço, o atirador de facas sem braço…
até que um roteiro de sua autoria foi filmado (La Marca
Além da atuação, Chaney fazia a própria maquiagem, del Hombre Lobo, 1968). O papel principal seria de Lon
tornando-se praticamente irreconhecível de um filme para Chaney Jr., mas o ator acabou ficando de fora por motivo A terrível
outro. Ele apavorou e inspirou muitos atores depois dele. de doença. No último instante, Molina aceitou ele mesmo transformação
Incluindo Paul Naschy, o “Lon Chaney Espanhol”. fazer o papel, mas os produtores alemães pediram que do lobisomem
Nascido Jacinto Molina Álvares em 1934, este dedi- mudasse seu nome para que fosse mais fácil de pronun- de Naschy
cado ator espanhol começou sua carreira como halterofi- ciar no mercado internacional (deve ter sido engraçado

78 79
tentativa fracassada de fazer uma comédia de espiona- como uma celebridade, como o ícone do terror que real- Vamos lembrar que Naschy co-
gem, Operation Mantis. No mesmo ano, o pai de Naschy mente era. Se não se dava importância para ele no meio meçou fazer seus filmes em 1968, Sim, é uma
morreu, o que levou o cineasta a um longo período de empresarial do cinema, os fãs e cineastas influenciados altamente influenciado pelos mons- múmia boladona
depressão, encerrado apenas em 1987, quando lançou por seu trabalho mantiveram o ânimo e a força de Nas- tros clássicos do estúdio Universal.
El Aullido del Diablo, que além dele tinha no elenco seu chy em suas últimas décadas de vida. Jacinto Molina se E vamos lembrar também que Nas-
filho Sergio Molina e os ícones do terror Howard dedicou ao cinema até o último suspiro, escrevendo e chy não tinha exatamente lá muita
Vernon e Caroline Munro. Mesmo assim, o filme teve atuando até 2009, quando morreu devido a um câncer experiência como ator ou roteirista.
um retorno financeiro muito fraco. no pâncreas, aos 75 anos. Seus primeiros papéis eram em
A década de 1990 começou com Naschy sofrendo Mas uma coisa tão trivial como a morte não seria filmes de baixo orçamento, onde
um ataque cardíaco que quase o matou. Em 1996 lan- suficiente para impedi-lo de continuar trabalhando nos fil- os efeitos especiais não eram tão
çou Licantropo, que deveria ser sua grande volta, mas mes de terror que tanto amava. Naschy ainda apareceria especiais assim e o roteiro era uma
novamente o retorno foi muito aquém do esperado. O em quatro produções póstumas: La Herencia Valdemar desculpa para se fazer cenas que
estilo dos filmes e o tipo de atuação de Naschy não esta- (2010) e La herencia Valdemar II: La Sombra Prohibida (assim se esperava) empolgassem a
vam agradando as audiências mais modernas e, somado (2011), filmes que usam a mitologia de H.P. Lovecraft audiência. A maquiagem do lobiso-
a uma quantidade imensa de problemas com estúdios, para contar a história de uma casa assombrada, Empusa mem era uma cópia (mal feita) da
distribuidoras e produtores, o Rei do Terror espanhol (2011) e O Apóstolo (2012), uma animação de terror. clássica maquiagem do Lobisomem
finalmente encarou seu declínio. Ele ainda fazia partici- Sua voz gravada ainda foi usada no filme Wax (2014) criada por Jack Pierce. E eu já
pações pequenas em outros filmes, mais pelo reconhe- em autômatos de monstros clássicos. disse que era uma cópia mal feita?
cimento de seu papel no cinema do que qualquer outra Em algumas cenas, parece que o lo-
coisa. Suas próprias produções e projetos na Espanha bisomem está rindo o tempo todo…
não decolavam e não atingiam o mínimo necessário de A estética “Trem Fantasma” Em muitos casos, a fotografia
retorno financeiro. A pergunta que todo leitor faz é “mas Saladino, os e a cenografia eram boas e vários aspectos técnicos Naschy tinha uma paixão enorme por filmes de terror.
Mesmo assim, fora de seu país, em convenções e filmes desse Paul Naschy são bons?”, e a resposta mais destoavam pela sua qualidade. Muitos atores espanhóis Ele adorava os personagens que criava, adorava inter-
eventos dedicados ao terror, Naschy sempre foi tratado honesta é… não. excelentes contracenavam com Naschy, alguns inclusive pretar os monstros clássicos do terror, mesmo que não
descobertos por ele. Havia certa preocupação em deixar ficasse muito bem nos papéis. Mesmo que sequer se pa-
o filme pelo menos visualmente agradável. recesse com algumas criaturas. O cara era halterofilista!
Já imaginou uma múmia ou um zumbi marombado?
Um lobisomem muito Louco... na Amazônia? As películas de seu famoso Waldemar Daninsky
tinham mais buracos no roteiro do que uma rede de Mas a paixão e o ímpeto de Naschy passava por
Sempre descontente com o cenário cinematográfico espanhol, Naschy procurava pesca! Um dos meus favoritos é Doctor Jekyll y el Hom- cima de tudo isso. Dedicou sua vida a fazer filmes, per-
parcerias no exterior, e não era raro que participasse de filmes em outros países. Ele bre Lobo, onde um médico, descendente do famoso Dr. deu muito dinheiro com cinema (no final de sua vida,
até mesmo atuou… no Brasil! Henry Jekyll (que também se chama Henry Jekyll) tem ele estava praticamente falido), mas foi o seu legado de
A convite do diretor Ivan Cardoso, conhecido por filmes de terror com humor, um plano para curar a licantropia: aplicar o soro do filmes e papéis que o manteve vivo nos seus últimos anos.
como O Segredo da Múmia (1982) e As Sete Vampiras (1986), Naschy participou de Mister Hyde em Daninsky numa noite de lua cheia, pois Os filmes de Naschy não eram exatamente bons, mas
Um Lobisomem na Amazônia (2005). Naschy faz o papel do Dr. Moreau, que vem para o soro combateria as células de lobo no sangue. O que o carinho, o ânimo e o entusiasmo do halterofilista que
a floresta brasileira com um assistente corcunda, para continuar suas experiências. poderia dar errado? Er... TUDO! queria ser ator são evidentes em todos os seus trabalhos,
Um grupo de adolescentes em viagem pela área é sistematicamente atacado por uma Mesmo com todos esses aspectos negativos, há algo o que acaba tornando seus filmes muito divertidos e en-
selvagem criatura meio homem, meio lobo, enquanto procura “novas experiências”. que faz o espectador continuar assistindo. Costumo dizer graçados. Uma força e dedicação inspirou mais de 30
A trama ainda envolve amazonas, conspirações políticas e o cantor Sidney Magal que é a estética Trem Fantasma, onde a coisa é ruim, ca- anos de cinema de terror espanhol.
como um guia espiritual inca. penga, mas você quer ver. Nunca é realista, por vezes é Naschy pode não ser o lobisomem mais assustador
Um Lobisomem na Amazônia é uma comédia com toques de terror, nonsense e forçado, mas sempre é divertido. Como o Doutor Moreau do cinema, mas certamente é um dos mais divertidos.
participações de atores e atrizes bem improváveis, numa trama ainda mais imprová- na Amazônia. Claro que você sabe que ele nunca foi E se você não gostar do lobisomem dele, ainda tem o
vel e desconexa. Uma homenagem de Ivan Cardoso a um dos seus ídolos no cinema pra lá, mas você quer ver o filme pra saber o que ele vai Drácula, a Múmia, o Mister Hyde… Só escolher.
de terror. Clique aqui para assistir ao trailer! fazer lá. O filme pode não ser coerente ou mesmo fazer
sentido, mas é divertido. E como! Rogerio Saladino

80 81
ESPECIAL TOOLBOX
ESPECIAL
3D&T

A Fantasia e o Espaço
nada que você não possa apenas fingir que não está lá Mas é claro que a idade de ouro das histórias de viagens
sem grandes consequências. espaciais provavelmente só viria com a ficção científica mo-
Mas é claro que, se eu estou escrevendo uma coluna derna, pelo menos desde Da Terra À Lua de Jules Verne.
especificamente sobre fantasia espacial, eu vou tentar con- É interessante notar como, nos primórdios desses gêneros
modernos, as barreiras entre eles não eram assim tão rígi-
vencê-lo de que escolhê-la pode ser a opção mais legal, não
das quanto costumamos imaginar hoje. Se hoje é muito fácil
é? Ao contrário do que possa parecer, a proximidade entre
pensar na fantasia, na ficção científica e no terror como

Distintos à primeira
a fantasia e o universo espacial é muito mais profunda e
gêneros separados, por exemplo, na virada do século XIX
antiga do que se pode imaginar.
para o XX as coisas não eram assim tão bem definidas.
Desde muito cedo a humanidade olhava para o céu

vista, estes dois


Um bom exemplo disso pode ser a clássica série de
e imaginava o que haveria lá longe, no espaço entre as Edgar Rice Burroughs, que conta as aventuras de John
estrelas. Embora sem necessariamente um tom de ficção Carter no planeta Marte, ou, como os próprios habitantes
científica, você vai encontrar lugar em algumas mitologias

ingredientes
locais o chamam nos livros, Barsoom (sim, é a mesma série
para essa especulação — penso, por exemplo, nas várias que deu origem recentemente ao filme John Carter — que
interpretações para a natureza do sol, na minha opinião foi bem legal,
desde a carruagem de fogo do deus

podem ser dar


apesar das críticas). Para além das
grego Apolo até o deus-falcão egíp- óbvias extrapolações científicas que
cio Amon-Rá, que cruzava os céus do hoje soam fantasiosas (como, por

muito bem juntos


amanhecer ao fim do dia. A mitologia exemplo, Marte ser habitado por toda
hindu, em especial, é muito prolífica uma civilização de seres espaciais),
nesse respeito, e poemas épicos como o próprio clima das histórias tinha
o Ramayana descrevem toda sorte um certo tom de aventura e ação que
de maquinário fantástico capaz de parecem muito mais propícios a uma

N
cruzar o espaço. Em outras histórias, série de fantasia.
ão é mais novidade o conceito de habitantes espaciais é Não por acaso, um subgênero
para ninguém agora, mais evidente: no folclore japonês, por derivado delas acabou recebendo o
mas, em Mundo dos exemplo, você encontrará a história nome de sword & planet (“espada &
Deuses, optou-se por dar a Arton da princesa Kaguya (que recentemen- planeta”), em referência ao sword &
uma abordagem diferente da cos- te foi transformada em animação pelo sorcery (“espada & feitiçaria”) de sé-
estúdio Ghibli), enviada para a Terra ries como Conan (e isso levando-se em
mologia planar mais tradicional de
por um povo habitante da Lua. consideração, claro, que as primeiras
D&D. Ao invés dos tradicionais planos
A Lua, aliás, até pela sua proximi- histórias de John Carter foram publi-
de existência como discos sobrepostos
dade com a Terra, sempre foi fruto de cadas vinte anos antes dos primeiros
quase (ou algumas vezes de fato) infinitos, contos do bárbaro cimério!).
muita especulação, tanto propriamen-
os mundos dos deuses agora são como te científica quanto meramente filosó- Para além de Burroughs, se desen-
planetas ou satélites orbitando ao redor de o livro reconhecer as duas possibilidades de cosmologia, fica ou satírica. Desde a antiguidade volveu nas décadas de 1920 e 1930 toda uma geração
Arton — um verdadeiro universo de fanta- como teorias conflitantes apoiadas por diferentes estudio- até a idade moderna, há praticamente um gênero próprio de autores identificados como “weird fiction”, ou ficção
sia espacial! A inspiração é um dos cená- sos, para cada um escolher a que preferir; e, apesar de o de viagens fantástica à Lua e o contato com seus habitantes estranha, que publicava em revistas baratas como a famosa
rios clássicos do velho AD&D, Spelljammer, ambiente espacial ser citado eventualmente em um mundo alienígenas. Já no século II, Luciano de Samósata escreveu Weird Tales. O próprio Robert E. Howard, criador de
que talvez seja melhor definido por um ou outro (a corruptosfera em Nivenciuén, o formato cúbico uma obra assim, chamada Vera Historia, ou a História Ver- Conan, fazia parte deste grupo de autores, que também
daqueles velhos pôsteres desmotivacionais de Al-Gazara visto do espaço, etc.), a verdade é que em dadeira, e foi seguido por nomes das áreas mais diversas, continha nomes como H. P. Lovecraft, Fritz Leiber e
apenas um dos 22 mundos presentes no livro a descrição como o físico Johannes Kepler, o escritor Cyrano de outros tantos. É talvez neles que podemos ver como estas
da internet que destacava:
do cenário realmente o obriga a adotá-lo de alguma for- Bergerac e o filósofo Voltaire. Na Idade Média mesmo barreiras entre os gêneros não eram assim tão definitivas:
“Dungeons & Dragons encontra Star Trek: é como porno- ma — Skerry, o conjunto de asteroides que hoje existe tivemos ainda o filósofo Giordano Bruno, que foi além e os próprios mitos de Cthulhu de Lovecraft, por exemplo,
grafia para nerds”. onde antes havia o mundo de Tillian. Se quiser usá-lo de especulou sobre todo um universo infinito, preenchido por possuíam muitos temas de ficção científica, com seus deuses
Spelljammer é um cenário polêmico, apesar de clássico, qualquer jeito, você pode facilmente assumir que ser um infinitos mundos habitados por vida inteligente, o que foi alienígenas (o próprio termo, aliás, é bem claro) e seres de
e é claro que não queremos obrigar ninguém a adotar esta “mundo espacial” faz parte das características peculiares considerado uma heresia e resultou na sua condenação à Plutão ou do espaço ainda mais distante, de forma que o seu
abordagem em suas mesas. Tivemos o cuidado de fazer causadas pela queda do deus; para os outros, não há morte na fogueira. estilo é muito propriamente chamado de “horror cósmico;” e
82 83
ESPECIAL
3D&T 3D&T
mesmo nas histórias de Howard você encontrará lá a citação pequena onda de histórias assim — desde pérolas trash como
ao Nyarlathotep e outros seres-que-não-deveriam-existir em o filme Krull e a adaptação cinematográfica de Flash Gor-
meio a uma aventura de espada e feitiçaria do Conan. don, até outras que hoje são consideradas clássicas, como os
É este ambiente original, em que os gêneros se confun- desenhos animados Thundercats e He-Man e os Mestres do
diam e misturavam e eram basicamente a mesma coisa, que, Universo (o quê? Vai dizer que você nunca reparou que eles
no começo deste século, tentou ser resgatado no movimento tinham castelos medievais e naves espaciais?)
da literatura de gênero chamado new weird (“novo estra- Eu poderia ir além. Mal falei dos quadrinhos de super-he-
nho”), de nomes que ficaram relativamente famosos como rois, por exemplo, outro universo essencialmente fantástico e
China Miéville, Jeff VanderMeer e Ekaterina Sedia. que se expandiu de forma muito criativa e única em direção
Na minha experiência pessoal com eles, no entanto, a im- ao espaço — talvez possa citar apenas o Starlord, hoje
pressão que tive é que estavam muito mais interessados no um personagem famoso graças a Guardiões da Galáxia,
intercâmbio do horror com os outros gêneros do que entre a mas que começou num ambiente muito mais sword & pla-
ficção científica e fantasia, por exemplo. net quando foi criado na década de 1970. Videogames
Para encontrarmos esta mistura específica, talvez tenha- também aproveitaram bastante a ideia de fantasia espacial,
mos que recuar um pouco mais no tempo, até uma certa com séries clássicas como Phantasy Star e Star Ocean, ou
galáxia muito distante habitada por forças místicas sobrena- jogos um pouco mais recentes, como Rogue Galaxy.
turais e a ordem de cavaleiros monásticos que as dominam. O importante é deixar claro que misturar fantasia e
Ora, não se faça de surpreso. Há uma polêmica mui- espaço não é assim uma coisa tão absurda ou tirada da
to antiga no mundo nerd sobre se Star Wars seria, afinal, cartola como poderia parecer em um primeiro momento.
ficção científica ou mera fantasia espacial. Não quero me Há muita história e referências bacanas que você pode
posicionar aqui; o importante é destacar que ela possui, sim, buscar para tirar inspiração. E em última instância, bem,
muitas influências da fantasia, desde a Força como elemento é a oportunidade que você tem de ser um astronauta e um
sobrenatural até a própria ordem de monges-cavaleiros com cavaleiro caçador de dragões. Ao mesmo tempo.
código de conduta, oriundas talvez do projeto do George Pra mim, é o bastante.
Lucas de criar uma mitologia moderna baseada na obra de
Joseph Campbell. Posso citar também uma das minhas Bruno “BURP” Schlatter
cenas favoritas da trilogia original,
em O Império Contra-Ataca, em que
os personagens fogem a bordo da
Millenium Falcon de um gigantesco
verme espacial em um meteoro — a
própria noção de monstros espaciais
é essencialmente fantástica e, na
minha opinião, boa demais para
ser simplesmente ignorada (não por
acaso, criar os monstros do vazio en-
tre-mundos de Mundos dos Deuses,
incluindo os novos demônios lefeu,
foi uma das partes mais divertidas
do processo de escrita para mim).
Até por estar novamente em voga
graças à nova trilogia, Star Wars é A nova
talvez o melhor exemplo de como cosmologia
fantasia no espaço pode ser legal e artoniana,
divertida. Na década de 1980, muito mas só se
influenciada pelo sucesso estrondoso você quiser
dos primeiros filmes, houve toda uma
84 85
ESPECIAL ESPECIAL

M
uito se falou sobre certa reunião, em certo apartamento, presen-
ciada por certa gata branca e abastecida com certa Coca-Cola e
certo pão de torresmo. O dia em que o Trio Tormenta original —
J.M.Trevisan, Rogério Saladino e eu — decidimos as bases fundamentais
daquele que é, hoje, o maior mundo de campanha no RPG brasileiro.
Não é segredo, queríamos que Arton fosse como os cenários de nosso amado Advanced
Dungeons & Dragons. Algo como Forgotten Realms, Dragonlance, Ravenloft. Um mundo de
fantasia medieval moderna, com todos os ingredientes clássicos: guerreiros e magos, anões
e elfos, orcs e dragões. Ao mesmo tempo, queríamos que fosse original, que tivesse suas
diferenças marcantes, únicas.
Em algum momento, fizemos a pergunta: Tormenta terá um “reino oriental”? Um Japão feudal
fantástico?
Forgotten Realms já tinha uma região de cultura asiática, um sub-cenário chamado Kara-Tur.
Seria fácil fazer o mesmo — mas não seria original. Seria ainda mais fácil não fazer o mesmo, não
incluir um reino assim. Mas queríamos samurais e ninjas. Qualquer RPGista ama samurais e ninjas!
Como tê-los no jogo, sem a cultura de onde vieram?
Lembro-me de ter pensado: se o Japão deixasse de existir hoje, a maior comunidade japonesa
no mundo seria o bairro da Liberdade, em São Paulo. Partindo dessa ideia, a resposta veio simples.
Havia Tamu-ra, o Império de Jade. Terra de samurais honrados, monges sábios e ninjas furtivos.
Mas, no passado recente, esse mundo exótico teria sido destruído. Devastado pela Tormenta, a
ameaça principal do cenário. Restou apenas Nitamu-ra, distrito étnico na grande capital Valkaria.
Então tínhamos ninjas, samurais, monges, gueixas, origami, teatro kabuki, rolinho primavera...
tudo que a fantasia asiática podia oferecer, sem a necessidade (e nem o trabalhão) de mapear um
novo reino. A melhor resposta. A solução ideal. Tudo resolvido. Tudo perfeito.
Coisa nenhuma.

86
UM NOVO IMPÉRIO O mais esperado título
de Tormenta será um
jogo completo! 87
ESPECIAL ESPECIAL

O Império Da mesma forma, Império também usará as mesmas


mecânicas, também existirá no mundo de Arton — mas
Contra-Ataca explorando um lado muito diferente desse mundo.
“Nhé, então vai ser só copiar/colar” reclama alguém.
Desde aquela certa reunião, Tormenta cresceu, cresceu
Errado. Império de Jade não vem para repetir, vem para
muito. Contrariando até as expectativas mais otimistas de
acrescentar. Nova construção de personagens. Novas
seus autores, tornou-se o maior mundo de campanha no
raças, classes, talentos. Novas mecânicas para uso de
país. Aqui, rivalizou com os icônicos universos que o ha-
habilidades. Novo sistema de magia. Novos itens má-
viam inspirado. Venceu. Virou sinônimo de RPG.
gicos. E mesmo assim, ainda compatível com Tormenta
Arton cresceu em público e tamanho. Ganhou vinte RPG. Você poderá misturar, combinar partes. Seu grupo
deuses, hoje entre seus personagens mais marcantes. Ga- de heróis do Reinado poderá explorar Tamu-ra. Seu sentai
nhou mais de trinta reinos — um Reinado vasto, represen- imperial poderá aventurar-se em Deheon. Seu paladino
tando apenas sua parte mais populosa, mais civilizada. de Khalmyr poderá pertencer à raça mashin, e seu elfo
Ganhou grandes aventuras, desde a libertação de uma poderá ser um conjurador wu-jen.
deusa até a derrota de seu maior vilão. Ganhou grandes
sagas em livros e quadrinhos. Ganhou livros de referência
sobre raças, classes, monstros. Mas seu público sempre foi A Grande
faminto. Seu público sempre queria mais.
O público queria o Império de Jade. Pouco importava
Reconstrução
sua destruição, pouco importava não existir mais — que- Após os eventos ocorridos em O Terceiro Deus —
riam um mundo de fantasia asiática, um Japão feudal último romance da Trilogia Tormenta —, a tempestade
fantástico. Mesmo que fosse sediado no passado de aberrante foi finalmente expulsa de Tamu-ra. Uma lenta
Arton. Como autores, resistimos. Alegamos que, por sua e dolorosa reconstrução começa. O povo tamuraniano,
natureza cósmica, a Tormenta destruiu até o passado de determinado como nenhum outro, luta para reconquistar definir quantas vezes pode ser usada. Um paladino pode construir personagens com rapidez); ou mecanicamente
Tamu-ra. Chegamos a fazer planos, nunca concretizados. a vasta ilha e restaurar sua cultura. Os horrendos lefeu destruir o mal, curar pelas mãos e conjurar magias. O complexos, com táticas baseadas em talentos.
O lançamento de “Império de Jade” foi até brincadeira desapareceram, mas sua corrupção ainda persiste. A re- uso de destruir o mal é ligado ao nível do personagem Império vai usar um sistema de magia totalmente
de 1º de abril. Muitas vezes. gião próxima ao antigo Coração da Tormenta ainda pulsa (um paladino de 7º nível pode destruir o mal três vezes novo — não compatível com Tormenta. Será baseado nos
energias aberrantes, ainda produz monstros antinaturais. por dia). O uso de cura pelas mãos é ligado ao Caris-
Mas era uma batalha perdida. No fim, os jogadores elementos, ou chackra e jutsus, ou amuletos de papel...
Goblins, ogres e oni rondam mais numerosos, ocupam ma do personagem. E o uso de magias, claro, depende
— verdadeiros heróis de Arton — sempre vencem. Sempre vamos guardar essa surpresa. Essa magia ainda usará o
as antigas aldeias humanas. Contra eles, o Império envia de quantos pontos de magia o personagem tem. É uma
conseguem o que querem. Então, finalmente, Tormenta Sistema D20, mas não vai interagir, “conversar” com a
seus sentai — como são chamados aqui os grupos de bagunça, forçando o jogador a ser contador, controlar
teria um acessório sobre Tamu-ra? Um título descrevendo regra padrão. Um mago do Reinado não poderá dissipar
aventureiros. diferentes usos de diferentes habilidades.
seu território, sua cultura, seus heróis e monstros? magia contra um wu-jen de Tamu-ra, e vice-versa. Para o
Império de Jade será sediando na atual Tamu-ra pós- Império será diferente. Não apenas conjuradores jogador, será como encontrar adversários (ou aliados)
Não. Tivemos uma ideia ainda melhor. Um jogo Tormenta, uma terra devastada, onde pouco restou do usarão pontos de magia; todos os personagens terão com novos e misteriosos poderes, que nem mesmo os
completo. resplandecente Império. Ainda infestada de monstros, PM, que serão usados para ativar todas as habilidades bardos conhecem. Por enquanto, essas melhorias serão
Império de Jade não será apenas mais um acessório entre clássicos da mitologia oriental e novos horrores especiais. Será como a maioria dos videogames de RPG, aplicadas apenas em Império de Jade. Mais tarde, con-
para Tormenta RPG. Será também um livro básico, inde- aberrantes. A humanidade tomará seu lar de volta. Uma e também em 3D&T. Não é ideia nova, mas ainda é forme seu desempenho, podem ser implementadas em
pendente. Ainda compatível, ainda seguindo as regras aldeia por vez.Não apenas Tamu-ra será reconstruída, inovadora dentro do Sistema d20. toda a linha Tormenta RPG.
padrão, mas com elementos novos. Poderá ser usado mas também o próprio sistema de jogo. Império vai trazer Outra mudança simples, pequena, mas com enorme
sozinho, ou complementando seu jogo-irmão. numerosas melhorias mecânicas, maneiras de tornar as
Não é ideia nova, claro. Mais de vinte anos atrás, regras ainda mais claras, rápidas, descomplicadas — mas
impacto no jogo. Em Tormenta RPG, você ganha um ponto
de habilidade a cada nível par, e um talento a cada nível As Raças
Vampiro, Lobisomem, Mago e outros também nasceram ainda com a preocupação de manter a compatibilidade. ímpar. Em Império, a cada nível, você poderá escolher se Império, como Tormenta, terá oito raças para persona-
como títulos isolados, mas compartilhando o mesmo sis- Um exemplo. No Sistema D20 usado em Tormenta, prefere um ponto ou um talento. Isso significa personagens gens jogadores. Exceto pelos humanos, mecanicamente
tema Storyteller, sediados no mesmo Mundo das Trevas. cada habilidade especial tem sua própria regra para muito simples, com habilidades mais altas (ótimo para iguais aos do Reinado, todas as outras são originais:

88 89
ESPECIAL ESPECIAL

Kensei. Guerreiro profundamente devotado ao do- Honra é uma medida de bondade, dignidade, cora-
mínio de uma única arma. Você vai encontrar a classe gem e outras virtudes. Na prática, ser honrado é o mes-
completa mais adiante. mo que ser Leal e Bondoso, enquanto ser desonrado é o
Monge. Mudará pouco em relação a Tormenta. Será mesmo que ser Caótico e Maligno. A grande diferença é
mais espiritual, enquanto o simples artista marcial será que Honra tem um valor numérico (como as habilidades
representado pelo kensei. Força, Destreza, Inteligência...) que pode subir ou cair,
conforme as ações do personagem. Ao mesmo tempo, a
Ninja. Similar à versão do Manual do Malandro, Honra também atua como os Pontos de Ação em Tormen-
mas com habilidades adaptadas ao novo sistema de ma- ta; um personagem honrado recebe bônus especiais em
gia. Em Tamu-ra, um ninja é a coisa mais desonrada que suas rolagens, entre outros benefícios.
existe; usar uma arma ou técnica ninja já causa perda de
Honra (veja adiante). Ser honrado é vantajoso, confere prestígio social e
bônus em testes. Mas uma Honra elevada é também difí-
Onimusha. Caçador de monstros que adquire po- cil de ser mantida — quanto mais honrado você é, mais
deres aberrantes. Um tipo de ranger contaminado pela limitado em suas opções. Para certas classes, manter um
Tormenta. valor mínimo de Honra será vital. Quando a Honra do
Samurai. Também não deve mudar muito, mas ga- samurai cai abaixo de certo limite, algumas habilidades
nhará novas habilidades — e limitações — baseadas em de classe começam a ser “desligadas”. Por exemplo, suas
Honra (veja adiante). espadas ancestrais perdem o poder mágico, tornando-se
Shinkan. Conjurador divino ligado ao mundo dos armas comuns. A busca por um caminho honrado será
espíritos. Parecido com o druida mas, além de poderes desafio constante para os jogadores.
naturais, também tem habilidades contra mortos-vivos. Em Império, honra e religião são quase um só. Honra é
Shugenja. Conjurador divino a serviço de Lin-Wu e mais importante que a vida. O povo de Tamu-ra acredita-
Hanyô. Ou meio-youkai, são equivalentes aos qareen você conhece os termos bishoujo e bishounen, já sabe o sua Família Celestial. Tipo de clérigo aristocrata, com o se que a honra foi trazida a este mundo por Lin-Wu, e por
de Tormenta — descendentes de seres sobrenaturais, com que esperar. mesmo status social do samurai, e também honra elevada. isso o culto ao Deus Dragão é a religião principal na ilha.
grande potencial para manifestar magia. São impulsivos, Os outros deuses de Arton são considerados divindades
Vanara. Povo-macaco eremita, de grande inteligên- Wu-jen. Conjurador arcano caótico e rebelde. En-
enérgicos, caóticos. Pense em Inu-yasha. menores, coletivamente formando a igreja da Família Ce-
cia e sabedoria. Pacíficos, mas ótimos como monges. quanto os magos do Reinado são prestigiados, em Tamu-ra lestial. A terceira religião mais importante é o Bushintau,
Henge. Ou hengeyoukai, são pequenos animais eles são temidos e proscritos, vivendo como andarilhos.
Como em Tormenta, as raças são classificadas em ver- culto aos espíritos que habitam todas as coisas.
inteligentes, capazes de mudar para uma forma bípede. Yakuza. Fora-da-lei cheio de truques. Enquanto
sáteis (humanos, mashin), combatentes (kaijin, ryuujin),
Pode ser um cão, gato, raposa, lebre, guaxinim, texugo, o ninja é um ladino com melhor poder de combate, o
carpa, pardal ou garça. Perfeitos para ladinos.
conjuradoras (hanyô, vanara) e ladinas (hengeyoukai,
nezumi). yakuza tem mais habilidade social, contatos e recursos. O Fim da Espera
Kaijin. São como os lefou, meio-demônios da Tor- Este novo livro básico será em cores, com tratamento
menta. Em Tamu-ra, são ainda mais fortes e horrendos, gráfico diferenciado. Mas Império de Jade não vem ape-
lembrando monstros de tokusatsu. Kamen Rider, Guyver, As Classes Jogo de Honra nas trazer mais um mapa colorido — vem começar uma
Garo… escolha à vontade. Império deve trazer dez classes. Três delas — samurai, No Oriente, não existe o bem e o mal. Ou melhor, nova fase. Caso bem aceito por seu público, este não
Mashin. Construtos inteligentes e quase vivos, de monge, ninja — já existiam. Embora estejam voltando não existe o maniqueísmo, a eterna batalha entre o bem será o último acessório-livro-básico sediado em Tormen-
fabricação tamuraniana, criados para servir ao Império. e o mal. Aqui acredita-se na harmonia entre os opostos, ta. Outros lugares, outros aspectos de Arton, podem se
com diferenças mecânicas, devem manter as mesmas
Já foram vistos nas revistas DB 115 e 116 e na Guilda acredita-se na coexistência entre positivo e negativo, luz tornar jogos completos. Qualquer grupo poderá escolher
habilidades de classe, para não prejudicar a compatibili-
do Macaco. e trevas, yin e yang — pois as metades formam o todo. adotar apenas um deles, ou somar todos em um vasto
dade com o Manual do Combate, Manual do Malandro
Portanto, Império de Jade não vai usar o tradicional siste- multiverso de opções.
Nezumi. Povo-rato selvagem, antes inimigos do Im- e outros acessórios.
ma de tendências (bem, mal, ordem, caos) conhecido em Você esperou com paciência e serenidade. Sua es-
pério, hoje seus aliados. Pequenos, mas muito resistentes Bushi. Lutador rústico, mestre da resistência e sobre- Tormenta. Em vez disso, teremos a Honra. Regras para pera será, enfim, recompensada. Império de Jade tem
e agressivos. Pense em Wolverine. vivência. Equivale ao bárbaro, mas menos agressivo e Honra foram vistas recentemente na Dragão Brasil 116, lançamento previsto para o segundo semestre de 2017.
Ryuujin. São os meio-dragões de Tamu-ra, belos, mais tanque. Derrubá-lo será muito difícil; pense em heróis na coluna Caverna do Saber. Essa mesma mecânica será
elegantes e honrados, abençoados pelo deus Lin-Wu. Se de anime que apanham muito, mas sempre se levantam. usada em Império de Jade, com pequenas modificações. PALADINO

90 91
ESPECIAL ESPECIAL

Honra. É importante para o kensei ser leal e honrado, Pontos de Magia: um kensei começa com 3 pontos
O Mestre da Espada pelo menos em situações de combate. Ele lutará limpo de magia e ganha 1 PM por nível seguinte.

K
ensei será uma das novas classes para mostrar o poder de sua técnica, a maestria em sua Perícias Treinadas: 2 + modificador de Inteligência.
básicas em Império de Jade — arma eleita. Mas nem todo kensei cultiva a honra na vida
diária — alguns são criminosos, mercenários, assassinos. Perícias de Classe: Adestrar Animais (Des), Atle-
provavelmente o melhor atacante
Duelam até a morte com oponentes fortes, pouco impor- tismo (For), Cavalgar (Des), Iniciativa (Des), Intimidação
no jogo, aquele que causa mais dano em
tando se merecem morrer ou não. Provar sua força é tudo. (Car), Intuição (Sab), Ofício (Int), Percepção (Sab).
combate. Ele aparece aqui adaptado para
uso em Tormenta RPG; sua versão final em Religião. Buscar harmonia completa com sua arma, Talentos Adi­cionais: Usar Armaduras (leves e
Império será diferente para levar em conta treinar e meditar todas as horas do dia, deixam pouco médias), Usar Armas (simples e marciais), Foco em Arma
novas mecânicas. lugar na vida para devoção religiosa legítima — para o (veja adiante), Reflexos Rápidos.
kensei, sua arma é seu deus. Kensei acreditam no mundo
Kensei 剣生 material, acreditam na força do aço. Alguns, no entanto,
aceitam que o Bushintau (ou algum de seus muitos espíri-
Habilidades
O povo tamuraniano é famoso por seu ca- tos) também habita sua arma escolhida. de Classe
pricho, seu esmero. Da cerimônia do chá ao Arma Eleita: no 1º nível, o kensei recebe Foco em
cultivo de bonsai, devotam-se a artes e técnicas Histórico. Assim como os samurais, kensei treinam
em escolas, ou com mestres. Quando sentem que não há Arma para sua arma escolhida (ou ataque desarmado).
com uma dedicação que impressiona os povos Você também recebe uma arma desse tipo em versão
do Reinado. Não se contentam com menos que mais nada a aprender ali, partem em busca de novos
aprendizados — não sendo raro que, por sua ambição obra-prima, sem pagar por ela (se escolheu ataque desar-
a perfeição. Por isso, apenas em Tamu-ra po- mado, em vez disso recebe o talento Ataque Desarmado
deria existir um guerreiro como o kensei. sem limites, também acabem expulsos por seus mestres.
Muitos servem ao Império, acreditando ser a melhor for- Aprimorado). O kensei não precisa manter essa arma
Enquanto outros lutadores são mais ou menos bons ma de empregar suas habilidades. Outros vendem seus para sempre, podendo trocá-la — mas suas habilidades
em usar certo número de armas, o kensei é um especia- funcionam apenas com armas de mesmo tipo. Você tam-
serviços a quem pagar melhor.
lista extremo. Ele escolhe uma única arma para tornar-se bém pode possuir e/ou usar mais de uma arma desse
mestre absoluto em seu manejo. Treina todos os dias, Raças. Uma vez disposto a dedicar todos os dias da tipo (por exemplo, ao lutar com duas armas).
durante dias inteiros. Busca união perfeita com a arma, vida ao domínio de sua arma eleita, um membro de qual-
quer raça pode ser kensei. Por sua ambição, persistência Lembre-se que, caso sua arma eleita seja exótica, você
faz com que se torne parte de seu corpo. Para o kensei,
e busca por desafios, humanos são os mais frequentes. ainda deve escolher o talento Usar Arma Exótica para
realizar as mais impressionantes manobras é tão simples
Curiosamente, henge acabam se tornando ótimos ken- ela (você não recebe Usar Arma Exótica como talento
e intuitivo quanto respirar.
sei — Tamu-ra tem várias lendas sobre algum pequeno adicional; deve comprá-lo normalmente).
Embora esse nome signifique “mestre da espada” —
animal que encontra uma arma perdida e, fascinado, Técnica de Luta: no 1º nível, e a cada 3 níveis
e muitos de fato escolham essa arma —, um kensei na
treina com ela até a maestria. Por outro lado, hanyô são seguintes, você recebe um talento de combate. Talentos
verdade pode adotar qualquer arma como sua eleita.
os menos inclinados, por sua falta de disciplina. que exigem escolha de armas (como Especialização em
Quase todos preferem armas de combate corporal,
Outras Classes. Kensei e samurais costumam ser Arma) sempre devem ser escolhidos para sua arma eleita.
embora também existam mestres em arquearia e outras
armas de projéteis. Há ainda aqueles que nem usam grandes companheiros e rivais, sempre desafiando um ao Poder Marcial: a partir do 2º nível, a energia do
armas, aplicando suas técnicas a ataques desarmados, outro. Por sua dedicação às artes marciais, monges também kensei fortalece seus ataques. Ao realizar um ataque com
tornando-se artistas marciais extraordinários. podem ser ótimos colegas. Kensei não toleram trapaça em a arma eleita, você pode gastar 1 ponto de magia para
Aventuras. Para o kensei, a vida é um eterno treina- combate e, por isso, desprezam os ninjas e yakuza. aumentar em +2 seu bônus de ataque ou dano. O kensei
mento, uma eterna jornada em busca da técnica perfeita. pode usar quantos PM quiser e distribuir os bônus como
quiser (por exemplo, 2 PM para ataque +1 e dano +3),
Ele buscará oponentes fortes para provar sua perícia, Características mas nenhum aumento pode ser maior que seu BBA. Você
buscará desafios cada vez mais difíceis. Com sua arma
escolhida, levará assombro e terror aos inimigos do de Classe deve anunciar o uso desta habilidade antes de rolar o
Império. Construirá uma reputação, será admira- Pontos de Vida: um kensei começa com 20 pontos ataque e/ou dano.
do e temido em toda a ilha. Ser “o melhor do de vida (+ modificador de Constituição) e ganha 5 PV (+ Chegando ao 12º nível, para cada 1 PM gasto, você
mundo” é o objetivo final do kensei. mod. Con) por nível seguinte. recebe +4 de bônus.

92 93
ESPECIAL ESPECIAL

Versado em Arma: poucos conhecem armas Caso a segunda rolagem seja uma falha, o alvo ain-
específicas como um kensei. No 3º nível, você recebe da sofre o dano de um acerto crítico. Criaturas imunes a Kensei
+2 em todos os testes de perícia ligados a armas de acertos críticos também são imunes a este efeito.
mesmo tipo da sua arma eleita. Por exemplo, testes de Chegando ao 15º nível, o kensei ativa esta habilidade Nível BBA Habilidade de Classe
Iniciativa ao lutar com elas, Ofício para consertá-las, com um acerto crítico (não apenas com um 20 natural).
Diplomacia para barganhar seu preço, Conhecimento Ele ainda precisa de uma segunda rolagem para confir- 1 +1 Arma Eleita, Técnica de Luta
para saber sua história ou quem as utiliza, Enganação mar o golpe de misericórdia.
para ocultá-las, e assim por diante. Esse bônus aumenta 2 +2 Poder Marcial +2
Chegando ao 20º nível, o kensei não precisa mais
para +4 no 9º nível.
de uma segunda rolagem para confirmar o golpe de 3 +3 Versado em Arma +2
Arma Polivalente: no 5º nível, o kensei desfere gol- misericórdia.
pes eficazes com qualquer parte da arma. Você escolhe
livremente o tipo de dano (esmagamento, corte, perfuração
Crítico Superior: no 17º nível, ao rolar um acerto 4 +4 Técnica de Luta
crítico com a arma eleita, você pode gastar 5 PM para
ou não letal) de seus ataques com a arma eleita.
aumentar o multiplicador do ataque em 1. Por exemplo, 5 +5 Arma Polivalente
Meditação: no 6º nível, o kensei pode meditar para em um crítico, uma katana multiplica o dano x2. Gastan-
recuperar energia, curar-se de ferimentos e purificar seu do 2 PM, o kensei pode multiplicar esse dano x3. 6 +6 Meditação (2h)
corpo. Para efeito de recuperação de PV e PM, 2 horas
Arma Indestrutível: no 18º nível, sua própria alma
de meditação são iguais a 8 horas de sono. O kensei
fortalece a arma, tornando-a quase inquebrável. Quando 7 +7 Técnica de Luta
também é considerado sob cuidados prolongados, tratar
você empunha sua arma eleita, sua RD é dobrada, e
doenças e tratar venenos (veja a perícia Cura).
seus pontos de vida são iguais a metade dos PV totais
8 +8 Arma Amada
O kensei pode ver e ouvir normalmente durante o tran- do kensei. Se escolheu ataque desarmado, em vez disso
se, mas não pode falar ou mover-se. Se sofrer qualquer recebe +4 para evitar manobras de atropelar.
9 +9 Versado em Arma +4
distração, deve ser bem-sucedido em testes de
Vontade (veja em “Condições para Lançar uma
10 +10 Técnica de Luta
Magia”, Tormenta RPG, página 146) para evitar
11 +11 Golpe Final (20 natural)
que o transe seja interrompido e os benefícios,
perdidos. O kensei também deve ter sua arma
12 +12 Poder Marcial +4
eleita consigo para conseguir meditar.
O tempo de meditação é reduzido para 1 13 +13 Técnica de Luta
hora no 14º nível.
Arma Amada: no 8º nível, separar você 14 +14 Meditação (1h)
de sua arma eleita não é fácil. Você recebe +4
em jogadas de ataque para evitar manobras de 15 +15 Golpe Final (crítico)
desarmar, e +8 em testes de Percepção para
evitar seu roubo. 16 +16 Técnica de Luta
Se escolheu ataque desarmado, em vez disso 17 +17 Crítico Superior
recebe +4 para evitar manobras de agarrar.
Golpe Final: no 11º nível, ao rolar um 20 18 +18 Arma Indestrutível
natural em seu ataque com a arma eleita, o ken-
sei pode fazer uma segunda rolagem de ataque. 19 +19 Técnica de Luta
Em caso de acerto, o ataque será um golpe de
misericórdia — além de sofrer dano crítico, o 20 +20 Golpe Final (rolagem única)
oponente deve ser bem-sucedido em um teste de
Vontade (CD 10 + dano sofrido) ou morrerá.

94 95
CHEFE DE FASE CHEFE DE FASE

Ele está velho, E


le viveu por muito tempo. Muito mais de mutantes quando ajuda a jovem Vampira a fugir da
tempo do que outras pessoas. Viu Irmandade de Mutantes. Encontrando relutantemente um
demais, viveu demais, sofreu demais. lar na escola de Charles Xavier, Logan ajuda a deter os

cansado e
Já foi fugitivo, soldado, cobaia, mons- planos de Magneto repetidas vezes, enquanto procura
respostas sobre seu passado. Nesse período ele adota o
tro e herói. Sua longa jornada pode estar
codinome Wolverine.
chegando ao fim, mas ele vai lutar até o

doente, mas
Os anos se passam e seu fator de cura se enfraquece,
último segundo.
deixando-o mais envelhecido e cansado. Em 2029, Logan
Seu nome é Logan, e ele é o melhor naquilo que faz. viverá uma aventura que pode ser sua última: buscando
E o que ele faz não é nada bonito de se ver... proteger um idoso Charles Xavier e uma garota de 11

as garras
anos chamada Laura, ele vai cruzar os Estados Unidos
Através das eras em busca de um lugar seguro… ou morrer tentando.
Este histórico representa os fatos conhecidos sobre
James Howlett nasceu em 1832 em algum lugar no

continuam
Logan de acordo com a franquia de filmes dos X-Men
Canadá. Aos 12 anos de idade, teve seus poderes mu-
e seus spinoffs (e não de acordo com os quadrinhos).
tantes despertados no momento em que testemunhou o
Em alguns trechos, escolhas foram feitas para esconder
assassinato de seu pai por Thomas Logan, o guarda-caça
pontos importantes de alguns dos filmes – especialmente
das terras dos Howlett. Garras ósseas rasgaram a pele

afiadas!
o mais recente, Logan, ou retcons que aconteceram por
entre seus dedos e, enfurecido, ele matou o homem, que
manipulações temporais.
em seu último suspiro lhe revelou ser seu pai biológico.
A pele rasgada se regenerou, revelando outro de seus Já as fichas de personagens apresentadas a seguir
poderes — um fator de cura aceleradíssimo — e o meni- mostram Logan em um momento genérico de sua carreira:
no fugiu em companhia de Victor Creed, seu meio-irmão na maior parte do tempo, são fiéis o suficiente.
com poderes similares.

3D&T Alpha
Pelo século seguinte, os quase imortais James e Victor
viajaram pelo mundo, lutando em guerras por toda parte:
a Guerra da Secessão Americana, a Primeira e Segunda

Logan 30N

LOGAN
Guerras Mundiais, e mesmo a Guerra do Vietnã. Lá, após
serem “executados” por matarem um oficial superior,
foram recrutados pela unidade especial do então Major F2 (corte), H3, R6, A3, PdF0, 56 PVs, 25 PMs.
William Stryker. Usando o nome Logan a partir dali, ele Kit: Selvagem* (combate primal, experimento X, fúria
trabalhou com a Equipe X até abandonar o grupo alguns de combate, regeneração aprimorada).
anos depois.
Vantagens: Ataque Especial II (F, Cansativo*, Dano
Logan seguiu com sua vida — até que o passado ba- Gigante*, Penetrante, Perigoso, Poderoso, Tempestade
teu à porta e o arrastou de volta para a vida de batalhas de Golpes*), Ataque Múltiplo, Duro de Matar, Pontos de
e traições. O mutante aceitou a ajuda de Stryker, que Vida Extras, Regeneração, Sentidos Especiais (Audição
reforçou seu esqueleto e garras com o metal adamantium, Aguçada, Faro Aguçado, Visão Aguçada).
praticamente indestrutível. O processo só foi possível
graças ao seu fator de cura. No entanto, Logan foi traído Desvantagens: Amnésia I* (o mestre deve escolher
e acabou levando uma bala de adamantium na cabeça, 5 pontos entre as desvantagens Fúria, Insano, Má Fama,
perdendo uma grande porção de suas memórias. Sanguinário*, Segredo*).
Ao final dos anos 1990, de volta ao Canadá, ele se vê Perícias: Sobrevivência, Investigação.
mais uma vez atraído de volta às intrigas e conspirações * Veja Mega City ou o Manual do Defensor.

96 97
CHEFE DE FASE CHEFE DE FASE

M&M Tormenta RPG


Agarrar e Esfaquear: se tiver uma mão livre e uma Sanguinolência: se estiver em fúria e fizer um acerto
arma leve na outra mão, Logan pode fazer um teste de crítico, pode gastar 3 rodadas de fúria como uma ação
agarrar (bônus +24). Se conseguir agarrar seu oponente, livre e aumentar o multiplicador do crítico em +1.
pode realizar um ataque com sua outra mão como uma
Logan Logan ação livre.
Trocação: sempre que acerta um ataque desarma-
do, Logan pode fazer outro ataque desarmado imediato
Nível de Poder 11 Moreau do urso venerável, bárbaro 4/ranger 2/ Conhecimento Anatômico: sempre que faz um contra o mesmo alvo. Se fizer isso, após o ataque deverá
guerreiro 2/lutador 5/ladino (capanga) 7, N; ND 20; ataque furtivo brutal com uma garra feroz, Logan aumen- fazer um teste de Fortitude (CD 15 + 5 para cada teste já
For 16 (+3), Des 14 (+2), Con 30/19 (+10),
Médio, desl. 12m; PV 306; CA 36 (+10 nível, +3 Des, ta a margem de ameaça para 16-20 e o multiplicador de realizado no combate). Se falhar, ficará fatigado e não
Int 14 (+2), Sab 16 (+3), Car 10 (+0)
+11 Casca Grossa, +2 item); corpo-a-corpo: ataque de- crítico para x4. poderá mais usar esta habilidade até o fim do combate.
Resistência +15, Fortitude +10, Reflexo +8, sarmado com garra feroz afiada +25 (2d6+15, 18-20/ Cicatrizar: se estiver em fúria, Logan pode gastar
Vontade +8 x3) ou 4 ataques desarmados com garras ferozes afiadas Álvaro “Jamil” Freitas
2 rodadas de fúria como uma ação livre e ganhar cura
Perícias: Acrobacia 8 (+10), Arte da Fuga 4 (+6), +21 (2d6+15, 18-20/x3); hab. agarrar e esfaquear, acelerada 4 até o final da fúria.
Conhecimento (história) 2 (+4), Conhecimento (tática) 4 ataque furtivo brutal +4d10, briga (1d8), cara feia +4, Degolar: Logan pode gastar 3 PE para aumentar a
(+6), Dirigir 4 (+6), Escalar 7 (+10), Furtividade 6 (+8), durão +1, empatia selvagem +2, esquiva sobrenatural, margem de ameaça e o multiplicador de crítico de seu
Idiomas 3, Intimidar 15 (+15), Intuir Intenção 7 (+10), esquiva sobrenatural aprimorada, evasão, faro 9m, próximo ataque em +1.
Medicina 2 (+5), Nadar 7 (+10), Notar 12 (+15), Procu- flanquear aprimorado +4, fúria 2/dia, golpe poderoso,
Duro de Ferir: Logan ignora o primeiro dano que
rar 7 (+10), Sobrevivência 12 (+15). golpe relâmpago, inimigo predileto (humanoides +2),
sofre a cada combate.
Feitos: Ambidestria, Assustar, Ataque Acurado, Ata- instinto selvagem, malandragem (trocação), movimento
rápido, rápido e rasteiro +8; Fort +24, Ref +14, Von +15 Faro Discriminatório: quando percebe a presença
que Furtivo, Ataque Imprudente, Ataque Poderoso, Crí- de criaturas, Logan pode dizer seu tipo (animal, cons-
tico Aprimorado (garras) 4, Especialização em Ataque (+4 contra medo e Intimidação); For 18, Des 17, Con
30, Int 14, Sab 16, Car 10. truto, espírito, humanoide, monstro ou morto-vivo), mas
(garras), Foco em Ataque (corpo-a-corpo) 3, Fúria, Golpe não pode dizer quantas ou quais. Logan pode tentar
Crítico (humanos e mutantes), Iniciativa Aprimorada 2, Perícias & Talentos: Atletismo +27, Cura +26, Enga- identificar o tipo de uma criatura específica (por exem-
Oponente Favorito (humanos e mutantes), Quebrar Arma, nação +23, Iniciativa +27 (+35 na primeira rodada), plo, um monstro disfarçado de humano) com um exame
Rastrear, Tolerância. Intimidação +29, Intuição +17, Ofício +12 (+14 para cuidadoso. Isso exige uma ação completa e um teste de
Poderes: avaliação), Percepção +26, Sobrevivência +26 (+30 Percepção (CD 15). A criatura deve estar adjacente.
para rastrear usando o faro); Aventureiro Nato, Ataque
• Esqueleto de Adamantium (Constituição Aumen- Fúria: como uma ação livre, Logan pode entrar em fú-
Desarmado Aprimorado, Ataque Furtivo Aprimorado,
tada 11 e Proteção 5) ria. Suas estatísticas mudam para CA 32; corpo-a-corpo:
Basta!, Casca Grossa, Combater com Duas Armas,
ataque desarmado com garra feroz afiada +27 (2d6+17,
• Garras de Adamantium (Golpe 4 [ataque dividido, Combater com Duas Armas Aprimorado, Conhecimen-
18-20/x3) ou 4 ataques desarmados com garras ferozes
pujante; penetrante]) to Anatômico, Conhecimento de Golpes (golpe duplo, afiadas +23 (2d6+17, 18-20/x3); redução de dano 1.
• Fator de Cura (Regeneração 11 [crescimento de degolar; 3 PE), Chuva de Golpes, Duro de Ferir, Duro Além disso, não pode executar nenhuma ação que exige
membros, duradouro, abatido 1, desabilitado 4, ferido 4, de Matar, Faro Discriminatório, Fintar Aprimorado, paciência ou concentração. A fúria dura 15 rodadas (mas
machucado 1, ressurreição 1] e Imunidade 5 [acertos Fortitude Maior (x2), Gritos de Poder (cicatrizar, san- você pode terminá-la antes, se quiser). Quando termina,
críticos, envelhecimento, doenças, venenos]) guinolência), Herança do Urso, Rastrear, Reflexos de você fica fatigado (Força –2, Destreza –2 e não pode
Combate, Saque Rápido, Usar Arma Exótica (garra correr ou fazer investida) durante um minuto. Logan só
• Supersentidos 5 (faro [estendido, exato, radial]) feroz), Vontade de Ferro. pode entrar em fúria uma vez por encontro.
Combate: Ataque +8 (garras +10), Dano +3, Defe- Desvantagem: Cabeça Quente. Golpe Duplo: se gastar 1 PE, pode fazer um ataque
sa +7, Iniciativa +10.
Equipamento: botas de couro, jaqueta de couro, desarmado com seu melhor bônus de ataque; se acertar,
Desvantagens: Vulnerável (magnetismo; incomum, túnica, 2 garras ferozes afiadas maciças de adamante, causa o dano somado de dois ataques desarmados. O velho
maior). anel da regeneração, amuleto da saúde +6, braçadeiras Rápido e Rasteiro: durante a primeira rodada de Logan na
Habilidades 29 + Perícias 25 (100 gradua- da armadura +2, cinto de força +4, luvas da destreza combate, Logan recebe +8 em Iniciativa, CA e jogadas versão dos
ções) + Feitos 24 + Poderes 49 + Combate 30 + +4. Ele também recebeu os benefícios de alguns tomos e de ataque e dano. Sua primeira rodada de combate dura quadrinhos
Salvamentos 11 – Desvantagens 3 = 165 PP. manuais de aumento de habilidade. até você agir pela segunda vez.

98 99
CARD GAMES CARD GAMES

Final de tarde do dia 4 de


setembro de 2016, em Seattle,
nos Estados Unidos. O clima
está nublado e, dentro do The
Paramount Theatre, no palco
central, o português Marcio
Carvalho enfrenta o norte-
americano Brian Braun-Duin
em uma partida de Magic: The
Gathering.
Os dois não estão disputando apenas uma
partida do maior card game já lançado, mas
sim o título de campeão mundial de Magic e
um prêmio de setenta mil dólares. Mais de vin-
te mil espectadores estão assistindo à partida
ao vivo pelo canal oficial do jogo na Twitch
e escutando a narração e os comentários de
uma equipe especializada em transmitir os
campeonatos profissionais de Magic. Ao final
da partida, que demorou mais de uma hora,
o norte-americano superou o português e foi

Conheça os mundos de...


coroado o novo campeão mundial.
Esses dois jogadores percorreram um lon-
go caminho para chegar nessa final e tiveram
que superar os melhores durante o ano todo.
Isso acontece porque Magic tem um circuito
profissional de eventos ao redor do mundo —
o que também possibilita que pessoas possam
viver exclusivamente do jogo.
No mundo de Magic, os protagonistas são
os planeswalkers (ou “planinautas”), podero-
sos magos capazes de viajar entre os planos.
Na vida real, para alguns Magic pode ser
apenas um hobby jogado na mesa da cozi-
nha. Mas, para outros, pode ser uma profissão
capaz de levá-los a viajar o mundo — mais ou
menos como os próprios planeswalkers fazem.

100 101
CARD GAMES CARD GAMES
Neste artigo em duas partes vou explicar
como funciona esse universo que atrai
Prix Rio de Janeiro em 1998. O Grand Prix é um torneio que
faz parte do calendário profissional, porém num nível menor
apitar nos seus eventos internacionais. Hoje temos um grupo
de juízes brasileiros de primeira linha que apitam torneios
Os Grand Prix
que o Pro Tour. Ao longo do artigo irei explicar como cada ao redor do mundo. Como você pode ver, Magic e viagens Os Grand Prix são torneios de grande porte que acontece
pessoas de todos os países. Antes de
um desses torneios funcionam. estão conectados! regularmente ao redor do mundo. Praticamente durante toda
começarmos, vou me apresentar: meu nome semana temos um Grand Prix acontecendo em um ou mais
é Carlos Romao, mais conhecido no meio Com o surgimento de vários torneios, foi necessário que A DCI foi se aperfeiçoando ao longo dos anos, assim como
sua metodologia. Um dos pontos mais impactantes que a DCI países, e o Brasil é ponto de parada obrigatório para esse
como Jaba e, assim como o nosso amigo a Wizards of the Coast tivesse um braço que conseguisse
tem em relação ao jogo é o banimento de cartas. Algumas torneio — pelo menos uma vez por ano recebemos esse tipo
organizar e controlar os torneios. Esse órgão também preci-
Brian Braun-Duin, fui Campeão Mundial cartas passam despercebidas durante o desenvolvimento de de evento. Os países que tem maior frequência de realiza-
sava ter autonomia para tomar decisões que poderiam ser
de Magic (em 2002). Desde então tenho radicais, e precisava de “soldados” que pudessem fiscalizar uma coleção e, quando são lançadas, as grandes mentes ção são Estados Unidos e Japão. Obviamente, os jogadores
participado do mundo profissional do jogo. e punir quem quisesse prejudicar a essência do jogo. Foi do jogo utilizam para construir baralhos muito poderosos, desses países têm uma vantagem sobre o resto do mundo,
assim que a DCI (Duelist Convocation International) nasceu. que acabam causando um dano grave ao “ecossistema” dos mas isso não impede que os brasileiros consigam viajar e
Minha profissão me deu a oportunidade de conhecer
eventos (também chamado de “metajogo”). Para que o jogo ganhar alguns desses torneios. Eu tenho quatro títulos de
dezenas de países, fazer amizade com pessoas de inúme-
Grand Prix, sendo que dois deles foram conquistados fora
A DCI
ras nacionalidades, conhecer costumes e ideias totalmente possa continuar sendo equilibrado e mutável, é necessário
diferentes das minhas e autografar várias cartas (momento que algumas cartas sejam banidas dos torneios. do Brasil (Holanda e Estados Unidos).
humildade). Fui o primeiro brasileiro a conseguir entrar no A DCI é a mão de ferro da Wizards of the Coast. É a Por último, a DCI cuida do registro e do ranking de Ma- O Grand Prix é um torneio semiprofissional — possui
circuito profissional — mas, hoje, temos vários jogadores organização responsável por definir os procedimentos que gic: The Gathering. Todas as partidas de torneios são com- premiação em dinheiro, mas é aberto — ou seja, qualquer
que conseguem competir em nível mundial, sem dever nada serão seguidos nos campeonatos de Magic: The Gathering putadas e se transformam em pontos no ranking e, quanto pessoa que tenha interesse em jogar pode se inscrever.
para o resto do mundo. e, se necessário, punir pessoas que não cumprem as regras maior a sua pontuação, mais benefícios você terá em alguns Isso se reflete nos números de jogadores. A média de um
estabelecidas. Como temos incontáveis torneios ao redor do torneios. Com certeza, o cenário competitivo não existiria Grand Prix é de mil jogadores, sendo que em 2013 tive-

As origens mundo, a DCI criou um sistema de certificação de juízes que sem essa organização que está sempre zelando para que mos um Grand Prix realizado na cidade de Las Vegas nos
se tornaram os seus fiéis soldados. Graças a esse programa nosso jogo continue limpo e interessante. Estados Unidos que reuniu mais de sete mil jogadores. Esse
Magic: The Gathering foi criado por um matemático ame- e aos juízes, é possível realizar torneios em todos os cantos
ricano chamado Richard Garfield em 1993. Você talvez do mundo sem que a Wizards of the Coast precise mandar
já tenha ouvido falar desse designer de jogos que assinou um representante da empresa e, assim, possibilitar que qual- Jace Beleren, um dos
vários outros produtos, como o card game Netrunner e o quer jogador de Magic alcance o circuito profissional. planeswalkers de Magic:
board game King of Tokyo. descubra os segredos do
Além de permitirem que torneios regionais aconteçam Multiverso com ele
Originalmente, o jogo se chamava Mana Clash e nem em todo o mundo, os juízes também possibilitam a existência
mesmo era um jogo que Garfield tinha interesse em publicar. do circuito profissional. Imagine um cenário onde mais de
Em uma visita a empresa Wizards of The Coast, ele ofereceu duzentos jogos estão acontecendo simultaneamente, entre
um jogo chamado Robo Rally. Porém, os donos da empresa jogadores de diferentes nacionalidades. Durante o decorrer
não estavam procurando outro board game. Eles queriam dessas partidas, várias dúvidas sobre as regras irão apare-
algo novo e perguntaram se o designer tinha outro jogo. cer. Para piorar, os jogadores terão problema de comuni-
Sem muita empolgação, Garfield apresentou o Mana Clash, cação, já que falarão idiomas diferentes. Por fim, como as
um jogo que usava apenas cartas, com o intuito de que partidas valem dinheiro, alguns oportunistas poderão tentar
pudesse ser carregado em uma mochila ou no bolso e joga- utilizar meios ilícitos para obter vantagem. Todos esses casos
do em praticamente qualquer lugar. O Mana Clash foi bem estarão sendo observados e serão resolvidos pelos juízes.
aceito e depois se tornou o sucesso Magic: The Gathering. Às vezes, devido de acordo com a gravidade da infração
O lançamento oficial foi feito na feira de jogos Origins nos cometida, serão necessárias medidas mais drásticas, como
Estados Unidos e as suas primeiras edições se esgotaram a exclusão do jogador do cenário competitivo. A DCI tem
rapidamente nas lojas especializadas. uma política muito rígida quanto ao roubo dentro do jogo e
Com o passar do tempo, os jogos individuais se tornaram jogadores infratores são duramente punidos.
campeonatos e, em 1996, a Wizards of the Coast resolveu Se você acha que a parte estratégica não é a sua praça,
realizar o primeiro evento profissional da história do Magic. ser um juiz de Magic: The Gathering é uma oportunidade
Batizado de Pro Tour, o torneio foi realizado em Nova York muito boa para que você consiga viajar e conhecer novos
e iniciou o que se tornaria, vinte anos mais tarde, um grande lugares. Como disse anteriormente, o programa de juízes
show com espectadores ao redor do mundo. O primeiro está presente em todos os países que realizam eventos com-
contato brasileiro com o circuito profissional foi o Grand petitivos e a DCI sempre esta recrutando os melhores para
102 103
CARD GAMES CARD GAMES
Grand Prix Porto Alegre,
de 2015: centenas de jogadores
disputando um prêmio de
milhares de dólares

foi o maior torneio de card game já realizado até hoje no porta de entrada para os torneios maiores. Para jogar um
mundo. Como você pode ver a combinação de uma cidade Pro Tour, é necessário que você seja convidado e esse con-
com a mística de Las Vegas e um jogo como Magic pode vite pode ser conseguido ganhando ou terminando entre os
atrair multidões. melhores do Grand Prix. Caso você consiga sair vitorioso
de um torneio com mais de mil jogadores, você irá ganhar
Um fato curioso sobre esses torneios é o valor total de
o convite e uma passagem para ir jogar o Pro Tour, além de
cartas circulando durante os dias de evento. Em um Grand
uma premiação em dinheiro que chega a cinco mil dólares.
Prix onde era permitido utilizar quase todas as cartas lan-
Acredito que isso seja mais do que suficiente para que você
çadas, foi feito uma conta superficial levando por base a passe bons momentos em um pais estrangeiro!
média dos preços das cartas em cada baralho e se chegou
ao montante total de três milhões de dólares. Cada vez Na parte 2 do artigo, irei falar sobre os maiores torneios
mais o jogo prova com números a sua capacidade e domi- do circuito — os Pro Tour e o Campeonato Mundial —, so-
bre equipes e rotinas de treinamento, e sobre um pouco da
nância no setor.
minha experiência pessoal de viagens com o jogo. Até o
O valor de premiação desses eventos é menor que os mês que vem!
valores distribuídos nos Pro Tour e no Mundial. Isso se deve
pela frequência do evento e porque o Grand Prix é uma Carlos “Jaba” Romao

104 105
Sua coluna sobre o que jogo é justamente desvendar esse mistério. Além de pos- ou 2) tendem a deixar a cargo dos outros jogadores (mas
há de mais interessante sibilitar o divertido “jogar para ver o que acontece”, esta também algumas vezes do mestre) a responsabilidade
e desafiador no mundo escolha de design desperta uma qualidade latente muito de narrar as consequências destes aspectos. Assim, o
dos jogos indie! bacana. Ela funciona como uma “carta de amor” dos jogador está empoderado para determinar se vai ou não
jogadores ao mestre, informando que tipo de conteúdo se ferir, se alcançou ou não seus objetivos, se lembrou-se

Telepatas, Amnésia e Perseguições


cada jogador individualmente deseja ver na história. de algo importante ou não, etc., ou se vai delegar este
Psi*Run é um jogo sobre identidade, através da “des- controle narrativo aos outros participantes.
coberta” de seus personagens. Esta mecânica incorpora praticamente toda a estruturo
do jogo, e ela é tão eficiente que se tornou a base para

O dilema nos Riscos


S
o conceito de Move de Apocalypse World e dos demais
e sistemas de RPG
fossem motores
FUJA! jogos movidos pela mesma engine.
As regras do jogo são bastante simples, mas não
Psi*Run foi lançado pela Se-
de motocicletas,
poderíamos dizer que
cular Games, que decidiu trazer
menos eficientes. Basicamente, sempre que alguém
decidir agir de maneira significativa na história (isto é,
No encalço!
o jogo de Meguey Baker por A Trilha é um recurso relativamente secundário em
os jogos mais tradicio- quando as consequências forem potencialmente duvido-
acreditar que ele ofereceria uma Psi*Run, mas que funciona como um proto-board-mapa
nais oferecerem uma sas, arriscadas, violentas ou catastróficas) este jogador
experiência singular ao jogador abstrato de jogo. Seu papel consiste tanto em registrar
lança os dados. Sua ficha exibe uma lista de condições
experiência semelhante brasileiro. Dizer que a autoria é o posicionamento das personagens desde o acidente
ordenadas sutilmente em uma escala de gravidade que,
à de pilotar uma Harley apenas de Meguey é uma injus- incial, quanto em ser um medidor de proximidade dos
se atendidas, garantem que o jogador tome um d6 nas
Davidson. Parrudos, tiça, uma vez que ela retomou o Perseguidores em relação aos PCs. Para traçar a Tri-
trabalho inicialmente “abando- mãos para rolar. Tentar conseguir algo importan-
pesados, potentes. te, usar um Poder Psíquico, arriscar ser pego lha, basta o mestre anotar em um cartão o nome da
nado” de mais dois designers, localidade em que se encontram, bem como possíveis
Conseguem te manter Chris Moore e Michael Ling- pelos Perseguidores ou ter chance de ferir-se
em movimento por mui- são exemplos de condições que disponibilizam dados a rastros deixados pelos fugitivos, e alocá-lo ao lado do
ner, ao ver o potencial daquela cartão com o cenário da última cena. Adicionando
to tempo na estrada. joia bruta. Lapidando o conceito serem rolados.
sobre os cartões marcadores simples para identificar
Permitem carregar uma e as mecânicas originais, Baker Após lançados, os dados devem ser alocados sobre personagens e Perseguidores, evidencia-se visualmente
quantidade considerá- conseguiu produzir um jogo con- uma Folha de Risco, à maneira que o jogador desejar. a sensação de urgência e a emoção da perseguição
vel de bagagem. ciso, acessível, frenético e muito Este é momento em que escolhas significativas impac- frenética. A cada rolagem de dados é possível sentir o
divertido. tam mais contundentemente na narrativa e, portanto, quão próximos estão os Perseguidores!
Mas existem aqueles momentos o momento mais divertido do jogo. Pois a Folha de
em que tudo o que você quer é O conceito de Psi*Run é sim- Psi*Run é um RPG esperto, com uma simplicidade
ples. As personagens dos joga- Risco oferece um arcabouço de alternativas: diferentes
dar um passeio de bike pelo par- consequências, para diferentes aspectos importantes da brilhante, folgadamente condensado nas 60 páginas de
dores são pessoas com poderes sua brochura. Ideal para apresentar o hobby a iniciantes,
que. Contemplar a paisagem, ficção, os quais diferentes jogadores serão incumbidos
psíquicos extraordinários, perse- presentear seu mestre no aniversário, levar para eventos
exercitar-se um pouco, e garantir de narrar. Aspectos como saber se o personagem
guidos por terem fugido de um acidente estabelecido ou sessões one-shots — além de ser uma ótima alternativa
que você tenha controle sobre a tração. alcançou seu objetivo, se alguma memória é
no início da aventura. Um último detalhe previamente de jogo para quando falta um camarada.
Ultimamente, alguns jogos oferecem uma experiência pré-estabelecido é o de que estes personagens, por al- revelada, se os perseguidores se aproximam,
tão simples, direta e original, que poderiam ser conside- gum motivo, sofrem de amnésia. Esse bang que dispara se seus Poderes causam problemas ou se al- O jogo encontra-se disponível no site da Secular
rados um gênero em si mesmos, dentre o vasto universo a aventura é um recurso que incrementa a acessibilida- guém será ferido são responsabilidades diferentes Games. Pegue a sua bike e dá uma passeada por lá!
de possibilidades dos RPGs. São como bicicletas num de do jogo, uma vez que a preparação inicial é prati- que deverão ser atribuídas ao Mestre, aos outros jo-
encontro de motoqueiros. É o que acontece, por exemplo, camente zero. gadores ou ao próprio jogador que lançou os dados, Eduardo Caetano
com Fiasco, A Penny for my Thoughts ou Psi*Run. dependendo da forma na qual este jogador aloca os visite sua página no Patreon
A criação de personagem é das mais simples. Além de
Uns são uma delícia para passear. Outros, ideais nome, idade aparente e definição de que tipo de Poder resultados obtidos na rolagem.
para fazer manobras radicais. Mas caso esteja precisan- Psíquico ele possui, a ficha concentra-se primordialmente Resultados mais altos (5 ou 6) tendem a ser positivos e
do fugir montanha lamacenta abaixo, é a este último que na elaboração de um breve questionário sobre quem, estarem sob responsabilidade do jogador em questão ou
você recorreria! e o que eles potencialmente podem ser: o propósito do do mestre. Consequentemente, resultados mais baixos (1

106 107
AMIGOS DE KLUNC
Danilo Souza
Danilo Steigenberger
Donizete Sn
Douglas Marques
Para ter seu nome aqui, seja um
Danilo Vieira Battistini Douglas Marthim apoiador da DRAGÃO BRASIL em nível
Aventureiro ou Conselheiro-Mór
Danyel Pablo Batista Muniz Douglas Ramos Da Silva
Dartagnan Quadros Douglas Toseto Marçal De Oliveira

Aventureiros Álvaro Da Rosa Cunha Artur Augusto Bracher Capute Davi Cunha Dutra Santana Longo
Álvaro Ferreira Artur De Figueirêdo Davi Mascote Domingues Eberson Lima Spadoni
Abraão Aires Urquiza De Carvalho Fábio Procópio Filipe Muller Lohn Gisele Sena Bertolazo
Alyson Marques Araújo Melo Mariz Davi Roberto Limeira Ed Carlos Bicudo
Adalbero Marinho Da Silva Júnior Fabio Rezende Filipe Rodrigues Cavalcante Giuliano Bortolassi
Alysson Lago Ásbel Torres Da Cunha David Acioli Eddie Junior
Ademir Nistrador Fabricio De Souza Lopes Filipe Silva Dos Santos Giuseppe Cernicchiaro Palermo
Amauri Matos De Jesus Augusto Baptista David Sousa Edimar Barbosa Miranda Junior
Adolfo Correa Fabricio Macieira Filipe Wilbert Glauber Monteiro
Ana Lucia Lieuthier Augusto Chagas Pedroso Dayan Kirsten Edina Arouca
Adriano Cleber Tume Fabricio Maciel Filippe Spósito Glauco Theodoro
Anderson Corte Augusto Gama Soares Deivid Santos Edison De Souza Garcia
Adriano Fernandes Da Silva Fagner Tineli Baer Fillipe Pereira Sibioni
Anderson Evangelista Augusto Montauriol Eduardo Cesar Silva Gobira Diego
Adriano Ferreira Araujo Delso Vital Junior
Anderson Fortes De Oliveira Augusto Santos Eduardo Luciano Camolez Felipe Antonio Da Silva Malandrin Flávio Alfonso Jr Gregório De Almeida Fonseca
Adriano Jesus Demian Machado
Anderson Lima Oliveira Aureo Gonçalves Dias Neto Eduardo Mendes Marcucci Felipe Bicca Flávio Fernandes Da Silva Gregory Pereira Barbosa
Adriano Tavares Deniêre Martins
André Bonfim Bergson Ferreira Do Bonfim Eduardo Rafael Schmidt Felipe Campelo Sabbado Flávio Karpinscki Gerab Grupo Da Fortuna
Adyson Ricardo Da Silveira Abreu Denis G Santana
Andre Da Silva Barbosa Bernardo Wermuth Cadu Facina Cláudio Alê Eduardo Souto Da Silva Herter Felipe Campos Flavio Lopes Guilherme Aguiar
Aggeu Luna Denis Roberto Macedo Da Silva
André David Sitowski Bruce Azkan Caio Alexandre Consorti Paixão Clayton Varela Eduardo Tavares Machado Felipe Della Corte Flávio Nogueira Guilherme Amato Marinho
Airton Luiz Tulio Júnior Dennys Laubé
André Felipe Menezes Dos Santos Bruno Alves De Souza Caio Capella Cleder Sampaio Coelho Elder Dolinski Felipe Dias Flavio Simões Guilherme Andrade
Aislan Torres Dettmann Mendes
André Luís Bruno B. Soraggi Caio Cruz Cleison Rafael Da Silva Ferreira Eliel Junior Felipe Eleuterio Hoffman Francisco J. R. Santos Guilherme Barbero Alves
Alan De França Santana Dheyrdre Machado
Andre Luiz Nunes Bruno Baère Pederassi Caio Favero Cleiton Chaves Elisa Rocha Felipe Fernandes Francisco Sedrez Warmling Guilherme Barreira Rodrigues
Alan Fred Diego Aparecido Alves
André Luiz Soares Lomba De Araujo Caio Henrique Bellini De Mello Cleytton Cartanoly Gomes Figueira Elton Rigotto Genari Felipe Ferreira De Oliveira Francisco Soares Guilherme Borges
Albano Francisco Schmidt
André Nazareth De Almeida Bruno Bertuga Carlos “Grande Castor” Gonçalves Cristhian Heck Diego Barboza Elton Rodriguez Felipe Lara Francisco Yago Aguiar Sobreira Guilherme Da Silva Alves
Alberto M. Ticianelli
André P. Bogéa Bruno Bonfim Carlos “Meio-Elfo” Netto Cristian Drovas Diego Bernardo Chumah Elton Silvério Felipe Leonardo De Mattos Frank Wallace Guilherme Duarte Rodrigues
Aleksander Sanandres
André Peres Bruno Da Silva Assis Carlos Alberto Schwarzer Junior Cristiano Alberti Linhares Diego C. De Souza Emanuel Guilherme Felipe Lippelt Vieira Fred França Guilherme Fernandes Rocha
Alessandro Barreto Miranda
André Tepedino Bruno Daniel Carlos Augusto Boson Cristiano Lopes Lima Diego Dal Bianco Emanuel Mineda Carneiro Felipe Lyra Esteves Frederico De Faria E Silva Guilherme Furtado
Alex Myller Duarte Lima
André Turtelli Poles Bruno De Jesus Farias Silva Carlos Bergonzini Cristiano Motta Antunes Diego Domingos Emily Matias Felipe Sousa Frederico Fetter Guilherme Henrique
Alex Rodrigo Rezende
André Vieira Bruno De Meira Leite Filho Carlos Daniel Dan Cruz Diego Dos Santos Emir Beltrao Da Silva Neto Felipe Torres Brigeiro Gabriel Arthur Militzer Guilherme Lacombe
Alex Saraiva Mamedes
Andrei Fernandes Bruno De Mello Pitteri Carlos F. Dos Santos Dan Migueis Gonçalves Pacheco Enrico Tomasetti Felipe Wagner Gabriel Cesar Duarte Oliva Da Fonseca
Alexander De Franco
Angelo Castelan Bruno Della Ripa Rodrigues Assis Carlos Fharia Daniel Araujo Gomes Diego Fernandes Santos Eric M. Souza Fellipe Da Silva Gabriel Fernandes Sarmento Guilherme Lopes Vitoriano
Alexandre Esperança
Angelo Gabriel Mari Bruno Eron Carlos G C Da Cruz Daniel Baz Dos Santos Diego Goncalves Erick Faria Teves Fellipe De Paula Campos Gabriel Foratori Guilherme Martins Rocha Pimenta
Alexandre Ferreira Da Silveira
Antonio Arleudo Costa Bruno Groposo Pavão Carlos José Gurgel Xavier Daniel De Andrade Lima Diego Kober Ericki Haras Fernando Afonso Gabriel Guimarães Stein Guilherme Paiva
Alexandre Ling
Antonio Cardinal Bruno Henrique Cardoso Carlos Junior Daniel De Paula Ferreira Nascimento Diego Noura Érico De Paula Lima Campos Fernando Augusto Iwata Yamamoto Gabriel Kolbe Teixeira Guilherme Pinto Reis
Alexandre Lunardi
Antonio Figuero Bruno Lira De Oliveira Carlos Leandro Gomes Batista Daniel Lucas Scolaro Diego Rodrigues Pereira Erimar Lopes Fernando Cabuto Gabriel Lima Guilherme Strejewitsch Oliveira
Alexandre Yukio Harano
Antonio Lucas Da Silva Loureiro Bruno Lopes Cotrim Carlos Mendes Daniel Marques Diego Santos Esley Da Silva Barboza Fernando De Castro Assis Gabriel Lopes Dos Santos Guilherme Zanchetta
Alexsandro Alves
Argus Fernandes Bruno Machado Carlos Pereira Daniel Pellucci Diego Silveira Martins Marques Evandro Gurgel Fernando Del Valle Gabriel Marquardt Müller Gustavo Amâncio Costa
Alisson Figueredo
Arielton Brito Bruno Meneghetti Cauã Roca Antunes Daniel Poleti Diogo Augusto De Barros Lopes Everton Belo Santos Fernando Do Nascimento Gabriel Martins De Oliveira Gustavo Boeing
Allan Adann Caires
Marcelino Da Silva Aroni Da Luz De Oliveira Bruno Messias Silva Santos Cedrick Cremonez Faria Daniel Sevidanes Alves Diogo Becker Fabiano Ahnert Fernando Frontera Gabriel Pacheco Da Silva Gustavo Cassiano Peres
Allan Cardozo Arthur De Andrade Arend Bruno Nascimento Celso Antonio Martins Daniel Sugui Diogo Fernandes Fabiano Martins Caetano Fernando Junior Gabriel Reis De Meira Gustavo Creutzberg
Allan Melo De Brito Arthur Electo De Moura Lima Bruno Parolini Celso Guedes De Jesus Daniel Viana Rodrigues Diogo Kawer De Lima Carneiro Fabiano Pasqualotto Soares Fernando Sanches George Leandro Luna Bonfim Gustavo Da Rocha Pereira
Allan Oliveira Arthur Goulart Bruno Stoy Locatelli Charles Chu Danilo Bensi Diogo Diogo Luiz Barcellos Volpi Fabio Casanova Fernando Simões Giancarlo Santos Gustavo De Oliveira Ceragioli
Allan Razuk De Oliveira Arthur Lotuz Bruno Trentini Christian Medalha Justino Danilo Carlos Martins Diogo Peres Dos Santos Fábio F Lorena Fernando Takao Gilmar Pereira Do Lago Gustavo Lander
Allan Rodrigo Dias Arthur Sarmento Bruno Trombin Christopher Kastensmidt Danilo Domingues Quirino Diogo Rodrigues Fábio Gicquel Fernando Xavier Gilmar Rocco Gustavo Maiorini
Allec Ribeiro Arthur Silva De Paula Bruno Venancio Lopes Ciro Fraga De Souza Danilo Machado Diogo Simas Machado Fabio Melo Filipe Itagiba Gimgim Rodrigo Martins Gustavo Martinez
Allisson Oliveira Arthur Vinicius Soares De Araujo Bruno Vinicius Da Silva -= Zaba =- Claudiapink Pinkmanicomio Danilo Simonetti Dominaria Ilg Fabio Piazzaroli Longobardi Filipe Muller Giovanne Bittar Da Costa Gustavo Nobre Wotikoski
Haniel Ferreira João Ciocca Karl Fontes Lucas Rodrigues Marcelo Oho Max Fischer Paulo Vitor Rafael Santiago Dantas Robson De Braga Castelo Sócrates Moura Santos Júnior
Heber Marcos Queiros João Eugênio Córdova Brasil Kássio José Lara De Rezende Lucas Sampaio Magalhães Marcelo Perin Max Freitas Pedro Arthur Pinto Bravo Durão Rafael Schreiber De Souza Branco Junior Solar Entretenimento
Heitor De Almeida Francisco João Freitas Kaue Amaral Monteiro Lucas Serra Marcelo Seara Mendonça Maykol Ronne Pedro Cagnoni Parma De Melo Rafael Silva Rodolfo Angeli Soren Francis De Rezende Santos
Heitor Fontes Joao Gabriel De Oliveira Kauê Rodrigues Lucas Silva De Deus Marcio Dias Mayra Farias Silva Pedro Cesar Bento Mendes Rafael Soares Da Costa Rodolfo Araujo Rodrigues Suko D. Lemon
Helder Poubel João Paulo Silva Kellisson Felipe Lucas Teixeira Da Cunha Marcio Moreira Guimarães Michael Wevanne Xavier Pedro Curcio Ramiro Alba Alba Filho Rodolfo Caravana Sulleman Silva Martiniano
Helton Medeiros João Pedro Dos S. Thomé Kevin Braathen De Carvalho Lucas Zanotti Marco Antonio Fogaça De Santiago Pedro Da Costa Novaes Ramon Aranha Da Cruz Rodolfo Moreira Cavalcante Tales De Azevedo E Vasconcellos
Henrik Chaves Gregorio João Rodrigues Lázaro Júnior Lucca Bonachela Marcone Francisco Lira Barbosa Micheli Rick Dos Passos Pedro Henrique Canova Mosele Ranniery Jesuino Rodolfo Santos Jeronimo Tales Pereira
Henrique Da Costa Gallo Neto João Soares Leandro Dos Santos Mota Lucian Botelho Matias Campos Marcos André Macedo Martins Miguel Peters Pedro Henrique Estumano Gomes Rannyere Xavier Rodrigo Aparecido De Toledo Talles Magalhães
Henrique Jamal Borges João Trindade Leandro Ferraro Luciano Portella Rodovalho Marcos Borges Mikael Maraschin Pedro Henrique Guimarães Raphael Batista Rodrigo Bina Tayara De Paula Fernandez
Henrique Julio Rizzi João Victor Mendes De Oliveira Leandro Moraes Luis Augusto De Lara Cavalcanti Marcos Farias Mike Ewerton Alves Jorge Ramos Pires Raphael Bezerra Rodrigo Borges De Castro Thales Campelo
Henrique Meurer Jofran Cesar Leilton Luna Luís Felipe Hussin Bento Marcos Goulart Lima Mitae Do Mato Pedro Henrique Rodrigues Loureiro Raphael Carlos Rodrigo Canalle De Freitas Thales Coletti Gagliardi
Henrique Miguel Jonathan Alves Mota Leo Lionhard Luis Guilherme B G Ruas Marcos Junqueira Braga Mitelus Morion Pedro Henrique Seligmann Soares Raphael Everton Gonçalves Da Silva Rodrigo Chaves Thauan Lobianco Rodrigues
Herick Pinho Jonathan Fried Leo Martins Luis Paulo Silva Marcos Mazo Muriel Ventura Pedro Lunaris Raphael Galimbertti Rodrigo Colts Theógenes Rocha
Heristhon Max Moreira Libânio Jonathan Goularte Silva Leonardo Almeida Luiz Alberto Flores Junior Marcos Rodolfo Murilo Mendes Pedro Mansur Raphael Martinelli Barbosa Rodrigo Da Silva Santos Thiago Barz
Hernani Ilek Jonathan Pinheiro Dos Santos Leonardo Almeida Luiz Alves Araújo Neto Marcos Santos Murilo Vieira Guidoni Pedro Morhy Borges Leal Raphael S. Nunes Rodrigo D’Amico Thiago Colás
Higor Matheus Luvizotto Deni Jonylson Pontes Leonardo Arcuri Florencio Luiz Cláudio Marcus Antônio Santana Santos Muryllo Araujo Costa Pedro Netto Raphael Soma Rodrigo Lopes Thiago Costa
Hiromi Honda Jorge Gomez Leonardo Augusto Garcia Leme Luiz Claudio Reis Marcus Araujo Matildes Naldo Master Pedro Paulo Silva Pimentel Raquel Gutierrez Rodrigo Lopes Thiago De Oliveira Goncalves
Hudson Ornelas Jorge Monteiro Pedrosa Leonardo Bacchi Fernandes Luiz Felipe Ribeiro Palmeira Marcus Botelho Nando Machado Pedro Victor Da Silva Ferreira Raul Galli Alves Rodrigo Marques Thiago Destri Cabral
Hugo Rosa José Carlos Viana Filho Leonardo Brocco Luiz Felipe Siqueira Marcus Leopoldino Narciso Dos Santos Filho Pedro Vitor Schumacher Raul Guimarães Sampaio Rodrigo Mokepon Thiago Duarte De Souza
Humberto Meale José Eduardo Da Silva Leonardo Dias Pesqueira Luiz Fernando Maehana Marcus Vinicius De Mello Oliveira Nathan Arocha Péricles Vianna Migliorini Raul Pinheiro Rodrigo Montecchio Thiago Façanha
Hunind Ander Lima Lopes José Everton Guimarães De Oliveira Leonardo Dos Santos Gedraite Luiz Fernando Taddeo Mario Felipe Rinaldi Nathasha Paixao Peterson Lopes Raul Santana Lopes Rodrigo Moreira Araujo Thiago Henrique
Iago Miranda De Freitas Jose Manoel Santos De Santana Leonardo Henrique Nunes Vieira Marlon Ricardo Nefhar Rocha Dos Santos Philippe Pittigliani Magnus Reginaldo Santiago Rodrigo Soares De Cerqueira Thiago Justo Ceolin Da Cruz
Luiz Geraldo Dos Santos Junior
Ícaro Das Neves Augusto José Moacir De Carvalho Leonardo Maciel Martinez Crizel Nunes Nehru Moreira De Sousa Phillipe Ferreira De Lyra Renan Nicastri Ivo Roger Guidi Thiago Moura
Luiz Guilherme Mercurio
Igor Araujo Araújo Júnior Leonardo Menzani Silva Mateus Neilson Soares Cabral Pitterson Marcus De Paula Reis Renata C B Lzz Rogério Fabiano Dos Passos Thiago Nicolas Szoke
Luiz Rafael
Inácio Fëanor José Ozorio Costa Leonardo Neves Mateus Fuzzato Neirimar Humberto Rafael 47 Renato Cabral Lemos Ronald Luis Silva Siqueira Thiago Ozório
Luiz Wanderley Santos Gomes
Informática Para A Vida José Paulo Leonardo S. Paula Mateus Guida Kochhan Coradini Rafael Artur Renato Da Cunha Silva Ronaldo Akio Thiago Pacheco
Lutero Cardoso Strege
Iran Eduardo José Rafael Batista Lebre Ferreira Leonardo Silveira Matheus Cardozo Nelson Nascimento Rafael Bezerra Renato De Faria Cavalheiro Ronaldo Rodrigues De Thiago Paulino Dos Santos
Lyonn Jarrie
Isaac Barbosa Jose Ricardo Da Silva Leonardo Vaccaro Matheus Carolino Melo Nicolas Haagsma Haschaurek Rafael Blotta Renato Motta Araujo Dos Santos Thiago Pkm
Mackson Silva
Isabelle Viana Felix Joseph Oliveira Lex Bastos Matheus Coelho Nicolas Lima Pacini Rafael Cmb Renato Paulo Nicácio Pedrosa Roque Francisco Thiago Roberto
Maicon Hackenhaar De Araujo
Isac Marcos Josue Borges Da Cunha Lídia Granemann Gemo Montovani Matheus De Mattos Ribeiro Nicolle Mathias De Almeida Rafael Da Costa Bezerra Renato Venturini Matrangolo Rubens Mateus Padoveze Thiago Zenark Reis
Maicon Nunes Rodrigues
Ítalo Oliveira Jota Sobreiro Lincoln Ruteski Dos Santos Matheus Francisco De Souza Nikolas Martins Brandão Oliveira Rafael Da Silva Moreira Renzo Rosa Reis Sairo Santos Thomas Delfino Soares
Manoel Moura Da Silva Neto
Ivan Barion Jowilson Ribas Nunes Lipe Ragazzi Matheus Henrique Reis De Aleluia Nikos Elefthérios Rafael Da Silveira Melo Devera Rhenan Pereira Santos Samuel Filizzola Thyago Athayde
Manoel Mozzer
Ivan Barros Jozieli Weber Luan Leme Silva Matheus Hobit Pablo Henrique Marques Soares Rafael De Andrade Teixeira Ricardo César Ribeiro Dos Santos Sanderson Átomo Tiago Alexandrino
Marcel Chamcham
Ivo Bruno Gomes Araújo Juan Fenando De Moura Silva Luana Costa Matheus K. Steinbach Panda Vital Rafael De Oliveira Lima Ricardo Da Silva Ramada Sandro Da Silva Cavalheiro Tiago Alves Araujo
Marcel Garibaldi
Jadson Alves Cordeiro Juliano Cataldo Lucas Alvarez Matheus Macedo Patrick Zanon Rafael Ferraz Ricardo Dall’Olio Sasukerdg Mendes Tiago Barbosa Da Fonseca
Marcel Gomes
Jaime Das Neves Calmon Juliano De Miranda Lucas Arruda Matheus Peixoto Paulo Augusto Galembeck Rafael Lichy Ricardo De Oliveira Souza Saulo Cavalcanti Tiago Cubas
Marcel Pinheiro
Jeann Paulo Klauss Juliano Lopes Lucas Danez Matheus Peregrina Hernandes Paulo C. Holanda Rafael Louriçal Ricardo Maia Sávio Batista Tiago Magalhães Lyrio
Marcelo Barandela Abio
Jeferson Corrêa Da Silva Julio Cesar Araújo Lucas Gellerth Famelli Mathias Barbato Bloch Paulo Fernando Gomes Velloso Rafael Miranda Ricardo Mallen Machado De Souza Sebastião Augusto Pedroso Tiago Monnerat De F. Lopes
Marcelo Batista De
Jeferson Dantas Julio Cesar Da Silva Barcellos Lucas Gerei Andrade Fernandes Matos Cr Paulo Henrique Rafael Monteiro Ricardo Pereira Ramalho Sérgio Augusto Rodrigues Junior Tiago Moura
Jeferson De Oliveira Julio Cesar Vieira Baltazar Lucas Gomes Marcelo Cardoso Mauricio Bomfim Paulo Henrique Da Silva Pedro Rafael Nicoletti Ricardo Santos Sérgio Gomes Tiago Rafael Vieira
Jefferson Alencar Da Silva Júlio N. S. Filho Lucas Henrique Martins Faria Marcelo Drudi Miranda Maurício Carneiro Paulo Henrique Nunes Rafael Panczinski De Oliveira Ricardo Telino Neves Sergio Henrique Mello Tiago Reis Dutra
Jefferson Araujo Dutra Jurandir Aquino Dos Santos Junior Lucas Mamede Barbalho Marcelo Falchetti Mauricio Martins Jorge João Paulo Herique Dihl Rafael Portella Richard Sassoon Sérgio Pinheiro Tiago Soares
Jéssica Reinaldo Pereira Kaede Kisaragi Lucas Marques De Camargos Marcelo Jose Dos Anjos Mauricio Mendes Da Rocha Paulo Ítalo Medeiros Rafael Ricardo Martinho Vigil Roberto Levita Seuraul Tom Azevedo
Jhonny Barros Kaio Henrique Bernardo Falcão Lucas Oliveira Marcelo Monteiro De Mauricio Michel Klagenberg Paulo Ramon Nogueira De Freitas Rafael Rocha Cespedes Roberto Marinho Oliveira Shoyos, O Molho Tomás Troppmair
Joanderson Ferreira Da Silva Kalaires Lucas Pina Aquino Bertazzo Maurício Silva Araujo Paulo Roberto De Faria Junior Rafael Sangoi Robertson Schitcoski Shur Stephano Tony D’Avila De Souza
Uelerson Canto Wesley Francisco Da Silva Alexandre Lins De Albuquerque Lima Antônio Henrique Botticelli Caio Motta Ribeiro Daniel Paes Cuter Éder Dzr Fialho Fábio Rodrigues Dos Santos Gabriel Madeira Pessoa Henrique Fabres
Valdo Nóbrega Will Alexandre Nunes Armando Candido Bueno Neto Caio Torrentes Daniel Ramos Eder Lage Fabricio De Matos Gabriel Moreira Henrique Jean Duarte
Vevé Leon William Halter Batista Alexandre Pytel Artur Barroso Mirço Caio Vinicius Daniel Serafim Éder Mark Filo-Creão Lima Fabrícius Viana Maia Gabriel Novaes Henrique Kpta
Vicente Fonseca Willian Viana Neves Alexandre Santos Artur Duduch Caique Felipe Serafim Dos Santos Danillo Roger Ribeiro Edgar Cutar Junior Fábul Henrique Gabriel Paiva Rega Henrique Santos
Victor Alexsandro Willian Vitorino Alexandre Sarmento Athus Ferreira Calleu Fuzi Danilo Costa Neves Paoliello Edney “Interney” Souza Felipe Asfora Gabriel Portugal Henrique Soares Silva
Victor Hugo Carneiro Ferreira Wilson Do Monte Cerqueira Junior Alexandre Silva Dias Augusto César Duarte Rodrigues Calvin Semião Danilo Cruz Edu Costa Felipe Baía Gabriel Queiroz De Sousa Henry Christian Moreira
Victor Hugo Martins Woney Andrade Nunes De Souza Alexandro Barros Azrael Lima Camila Gamino Da Costa Danilo M. Lemos Eduardo Bailo Felipe Barreto Gabriel Rocha Bittencourt De Castro Herbert Aragão
Victor Hugo Simões Santos Www.Rpgesus.Club Alexsandro Teixeira Cuenca Banzo Bruno Camilo Torres Danilo Menezes Eduardo Batista Dos Santos Saigh Felipe Castilho De Camargo Gabriel Scarssi Krupp Hermann Oliveira
Victor Miranda Rangel Silva Wying Yang Alfredo Santos Júnior Basic Mountain Game Shop Carine Ribeiro Danilo Sales Barbosa Eduardo Braga Felipe Daguano Geliard Barbosa Higor Rodrigues
Vinicio Felix Justino Xerxes Lins Alisson Belém Bernardo Pires Caron Carlo Marcelo Revoredo Da Silva Danilo Sarcinelli Eduardo Da Silva Cardoso Felipe Damorim George Carlos Gonçalves Da Silva Hugo Rebonato
Vinicius Camargos Yanes Tomaszewski De Souza Allan José Da Silva Pinto Bernardo Stamato Carlos Castro Dante Souza E Souza Eduardo Damacena Manhães Felipe Intasqui Geraldo Abílio Humberto Gs Junior
Vinicius Cesar Bellina Yargo Reis Allan Vieira Bianchi Nogueira Teixeira Carlos Dalben Davi A. Sodré Rocha Eduardo De Souza Mascarenhas Felipe Leite Gian Felipe Duarte Reinoso Humberto Moreno Tacca
Vinicius Dinofre Ygor Vieira Alonso Marinho Horta Braz Dias Carlos Eduardo Souza Davi De Abreu Costa Eduardo Felix Quintella Felipe Massao T. Masutani Gilberto Arthur Humberto Villela
Vinicius Eduardo Yuri Nóbrega Alysson Cunha Breno Costa Fernandes Carlos Frederico Veiga Davi Freitas Eduardo Fernandes Augusto Felipe Nunes Porto Gilberto Eiji Yoshida Hyago Pereira
Vinícius Ferreira Zai De Baixo Alysson Silveira Breno D. Coimbra Carlos Gomes Davi Marcos Eduardo Ferreira Dos Santos Felipe Parzianello Zampieri Gilvan Gouvêa Ícaro Cardoso Da Silva
Vinicius Freitas Amanda Mattos Della Lucia Bruna Alencar Carlos Laurentino Daviane Moreira E Silva Eduardo Galvão Zolin Felipe R. Brasil Giordanni Ferreira Soares Icaro Issa
Vinicius Freitas Conselheiros Amauri Silva Lima Filho Bruno Belloc Nunes Schlatter Carlos Rosas David De Andrade Nunes Eduardo Kadosh Felipe Rizardi Tomas Giovani Gomes Igleson Freire De Figueredo
Vinicius Gomes Alfama Abelardo Dantas Álvares Ana Cristina Rodrigues Bruno Bianco Melo Carlos Victor Rodrigues Lopes David José Neves Baldi Eduardo Kikuchi Itiama Felipe Silva Giuliano Soares Gonçalves Igor Andre
Vinicius Lacerda Ademilson Terto Ana Passos Bruno Carvalho De Paula Castilho Sousa Oliveira David Ramalho Eduardo Lafraya Felippe Moreira Rodrigues Giuliano Vieira Sant’Anna Igor Daniel Côrtes Gomes
Vinicius Rodrigues Adriano Anjos De Jesus Anderson Almeida Bruno Cobbi Silva Cavaleiro Morto Davyson Vieira Rocha Eduardo Maciel Ribeiro Felizz Alcantara Givanio Jose De Melo Igor De Morais Alexandre
Vinícius Rodrigues De Freitas Adriano Guido Anderson Costa Soares Bruno Cury Célio Júnior Denis Carvalho Eduardo Silva Araujo Fellipe Denser Gláucio José Magalhães Igor Pignaton
Vinicius Rodrigues Gonçalves Adriano José Teixeira Andre Andrade Bruno De Oliveira Sales Celso Giordano Tonetti Denison Martinelli Eduardo Sirangelo Fernando Abdala Tavares Glauco Lessa Igor Silva
Vinicius Romano Adriano Neves Quaresma Da Silva André Bessa Bruno Fávaro Piovan Celso Gonçalves Derek Moreira Eduardo Zimerer Fernando Borges Glauco Madeira De Toledo Ilidio Junhior
Vitor Gabriel Etcheverry Adriano Nogueira André Centeno De Oliveira Bruno Fernandes Celso Jesus Desertneo Legends Elisio Viana Junior Fernando Modesto Dutra Gorgônio Bulhões Iracema Caroline Doge
Vitor Godoi Mendes Adriano Peres Andre Cesar Lino Bruno Gabriel Pereira Cesar Haggstron Desmond Le Avner Quevedo Elvis De Lima Pereira Fernando Oliveira Munhoz Gregório Tkotz Ismael Alcântara Da Silva
Vitor Hugo Moura Do Carmo Agamenon Nogueira Lapa André Dorte Dos Santos Bruno Gomes Da Fonseca Cesar Hitos Araujo Dickson Luz Elvys Da Silva Benayon Fernando Severiano Gugu De Abreu Ismael Marinho
Vitor Kern Agostinho Bartolomeu André Duarte De Ávila Ribeiro Bruno Leão Pereira Cesar Renato Silva Dos Santos Diego Bonfiglio Enzo Venturieri Gomes Rodrigues Guilherme Augusto Figueiredo Italo Henrique Silvestre
Vitor Oliveira Nascimento Alan Santos André Faccas Bruno Pozzi Cezar Martins Diego Figliero Erich Chaves Filipe Caetano Da Silva G. De Moura Italo Marinho
Vitor Zel Calderaro Alberto Pereira De Paiva Filho André Lima Dos Santos Bruno Ruaro Confortin Cj Saguini Diego Lira Erick Lucena Filipe Luiz Guilherme Aurélio Da Silva Arantes Iuri Gelbi Silva Londe
Vitto Giancristoforo Dos Santos Alcione Cardoso André Luiz Bruno Ruas Meirelles De Fraga Clarissa Sant´Anna Da Rosa Diego Moreira Erick Nunes Flávio Haag Guilherme Batista Das Dores Iury De Paula Lopes
Viviane Barbosa Alcyr Neto Andre Luiz Da Fonseca Junior Bruno Ruppert Cláudio Oliveira Diego Pereira Estevão Costa Flávio Martins De Araújo Guilherme Carneiro Ivan Ivanoff De Oliveira
Viviane Pereira Silva Aldenor C. Madeira Neto Andre Luiz Jacintho Bruno Soares Cleber E Morellato Diego Toniolo Do Prado Etimar De Moura Crescêncio Flavio Rodrigo Sacilotto Guilherme Correa Virtuoso Ivanildo Nascimento Dos
Wagner Armani Alessandra Rodrigues André Martuscelli Do Amaral Bruno Teixeira Cleber Junior Dimitrius H. Alves Evandro Silveira De Pontes Flavio Valladão Ferreira Guilherme Da Mota Martinez Santos Junior
Wagner Azambuja Alessandro Souza De Oliveira Andre Nuñez Bruno Teixeira Maia Clênio Paulo Resende Diogo Couto Oliveira Evelini Cruz Andrade Francis Biazon Guilherme De Souza Pimentel Jaime Daniel Rodríguez Cancela
Wagner Chiba Alex Angelo Andre Ramos Bruno Trejes Cristiano “Leishmaniose” Diogo Mathias Everton Mochetti Segura Francisco José Marques Guilherme Rodrigues Da Silva Pinto Jaime De Andruart
Wagner Rodero Junior Alex Azevedo Andre Roberto Felipe Bruno Vieira Cavalcante Diogo Souza Da Silva Fabiano Sampaio Sales Francisco Menezes Guilherme Teixeira Jairo Neto Araujo De Almeida
Wallace Garradini Alex Eustáquio Gontijo André Soares Brunuz Cristiano Cristo Diosh Smith Fabiano Silveira Francisco Simões Porto Guilherme Tsuguio Tanaka Jamerson Azevedo Da Silva
Wallison Viana De Carvalho Alex Farias De Lima André Vazzios Cadu Fernandes Dan De Paula Dmitri Gadelha Fábio Alexandre Da Silva Francisco Villalva Neto Gustavo Degering Jean Blaskoski
Wanderson Teixeira Barbosa Alex Frey Andre Veras Melo Caesar Ralf Franz Hoppen Daniel Bard Doc Lagoon Fabio Bompet Machado Franco Guglielmoni Gustavo Nader Jean Felipe Giacomoni
Warnei Oliveira Alex Pongitori Andrey Catellan Caio Andrade Daniel Carlos Doug Floriano Fabio Carvalho Frederico Jose Ribeiro Franca Haniel Ferreira De Paiva Jean Felsky
Wefferson David De Souza Silva Alexander Ischaber Xavier Anesio Vargas Junior Caio Cesar Mazon Daniel Chaves Macedo Douglas Camillo-Reis Fábio Gicquel Silveira Frederico Moreira Harley Lucas Gonçalves Jean Ricieri
Wel Rodrigues Alexander Rodrigues Oliveira Angelo José De Oliveira Caio César Viel Daniel Duran Galembeck Da Silva Douglas Dos Santos Silva Fábio Moraes Gabriel Americano Rezende Filho Harry Carvalho Jeferson Marques
Wellington Poi Alexandre Andrade Zimmermann Caio Delgado Daniel Martins Ferreira Douglas Faquin Bueno Fabio Navarro Gabriel Braga E Braga Helio Paiva Neto Jefferson Anderson Ferreira
Welson Pereira Dos Santos Alexandre Bonnamain Antonio Eduardo Pires Martins Caio Fernandes Daniel Nalon Douglas Vieira Dias Fabio Ramalho Almeida Gabriel Cholodovskis Machado Helio Rodrigues Jefferson Floyd Conz
Werneck De Sá Alexandre Dos Santos Andrade Antonio Henrique Caio Guerrero Daniel Nogueira Dyego Freire Fabio Roberto Leite De Souza Gabriel Lopes Helton Garcia Cordeiro Jefferson Frias
Jefferson Neves Karlane Fernandes Teixeira Lucas Fowl Marcio Jose De Oliveira Castro Miguel Souza Silva De Mesquita Martins Raphael Montero Rodrigo Sávio Thamires Dos Santos Pereira Victor Leir Bethonico De Souza
Jefferson Ramos Ouvidor Kayser Martins Feitosa Lucas Humberto Márcio Kubiach Mr.Frank Pedro Ribeiro Martins Raphael Ribeiro Rodrigo Silveira Pinto Theo Ribeiro De Barros Victor T Melo
Jessé Adriano Dias Kelvin Sammer Gonçalves Marques Lucas Pereira Baumgartner Marcio Sidney Lino Junior Murilo Melleiro Pedro Santos Rariel Clay Jaras De Lima Rodrigo Tadeu Thiago Alduini Mizuno Victor Tamura
Jessé Ulisses Kelvyn Kalyl Araujo Mota Lucas Porto Lopes Marco Bym Veloso Natasha Jorge Freitas Pedro Tasman Raul Dantas Mafaldo Rocha Rogê Antônio Thiago Barbosa Ferreira Vinicios Neves
Jéssica Zamarian Keyler Queiroz Cardoso Lucas Sandrini Bezerra Marco Fischer Nathan Gurgel Péricles Da Cunha Lopes Rauldouken O’Bedlam Roger Andressa Lewis Thiago Da Silva Moreira Vinícius Alexandre Squinelo
Jhonas Diego Le Seigneur Des Faits Lucas Santos Borba De Araujo Marco Menezes Neidilson Soares Galvão Pietro Vicari Rayser Kevin Roger Firak Zorzi Thiago Elias Vieira Pereira Lopes Zanetti
Jim Anotsu Leandro Bitencourt Lucas Silva De Deus Marco Paulo Brito De Newton Rocha Porfírio Ferreira De Queiroz Reinan Tk Reis Rogerio Carvalhaes Thiago Freitas Vinicius Cipolotti
João Antonio Leandro Candeia Fiamenghi Lucas Tanaka Almeida Mainart Nicholas Lemos Possidônio Cunha Rogerio Epp Quintana Vinícius De Souza Leal
Renan Carvalho Thiago Henrique Righetti E Silva
João Henrique Pereira De Almeida Leandro Casanova Lucas Tessari Marcos Felipe Nicolas Lanza Flores Prof.Zeh Rogers Ribeiro Gonçalves Vinicius França Basto
Renan Da Annunciação Thiago Lemos D’Avila
João Lira Leandro Ferreira De Jesus Lucas Viana Marcos Gerlandi De Sousa Nicole Mezzasalma Rafa Juri Barbosa Romullo Assis Dos Santos Vinicius Gutheil Schmitt
Renan Rodrigues Cação Thiago Massimino Suarez
João Lucas Roriz Leandro Franco Miranda Lucian Ks Marcos Neiva Nikolas Jorge Santiago Carneiro Rafa Rossetti Rômulo Gonçalves Ribeiro Vinícius Lemos
Renato Bartilotte M. Oliveira Thiago Mello
João Paulo Da Silva Leandro Godoy Luciana Cruz Bianco Marcos Pincelli Nivaldo Pereira De Oliveira Junior Rafael Araujo Romulo Jorge Martins Vinícius Matioli Marconi
Renato Bruno Faria De Oliveira Thiago Miller
João Pedro Andrade Leandro L. C. E Rodrigues Luciano Del Monaco Marcus Andrade Norberto Silva Rafael Baquini Bueno Vinícius Nery Cordeiro
Renato Flores Lima Rômulo Ribeiro Thiago Morani
Joao Pereira Leandro Lima Dos Santos Luciano Jorge De Jesus Marcus Balla Odmir Fortes Rafael Beckmann Genú Vinicius Oliveira
Renato Potz Ronald Santos Gois Da Silva Thiago Rafael Becker
João Queiróz Gonçalves Leandro Pugliesi Luciano Oliveira Marcus Rocher Pablo Raphael Rafael Cardoso Vinicius Soares Lima
Renê Sbrissa Ronaldo Filho Thiago Santos Dos Santos
João Renato Paulon Leandro Sardim Luciano Vellasco Marcus Sant’Anna Pablo Urpia Vinícius Weizenmann
Rafael Costa Ricardo Ferreira Gerlin Ruan Pablo Thiago Silva
João Ricardo Bittencourt Leandro Silva Cavalcanti Luciano Viana Marcus Souza Vitor Abreu Marques
Patrick Escobar Rafael Delboni Ribeiro Ricardo Gambaro Ruy Lopes De Barros Thiérri Parmigiani
João Rodolfo Paschoaletto Possani Leo Aguiar Luigi Doria Marcus Vinicius De Souza Lima Vitor Albani
Patrick Maciel Campos Rafael Duarte Collaço Ricardo Junior Muller Ryan Henrique Bezerra Cardozo Thomas A. De Souza
João Victor Gomes Lopes Leon Cleveland Luis Oliveira Marcus Vinicius Domingues Vitor Alves Patriarcha
Paulo Guimarães Rafael Freire Ricardo Okabe Sadon França Tiago Carvalho Oaks
Das Chagas
João Victor Lessa Nunes Leon Santos Luiz Aparecido Gonçalves Paulo Halliwell Rafael Guimarães Roberto Chu Salvio Batista Tiago César Oliveira Vitor Augusto Joenk
Marcus Vinicius Lemos
João Zonzini Leonardo Avena Rodrigues Luiz Benedito Aidar Gavioli Paulo Henrique Rafael Ishikawa Dos Santos Robson Araujo Samuel Hamilton Belém Cruz Tiago Garcia Vítor Lucena
Marcus Vinicius Pretti
Joaquim Silva Leonardo Falcão Luiz Castro Paulo Henrique Farias Dos Santos Rafael Klauz Robson Luciano Pinheiro Sandro Ripoll Tiago Lima Vitor Matias Chaves
Marina Ferreira De Oliveira
Joderlan Oliveira Leonardo Léo Luiz Eduardo Teixeira Paulo Henrique Procopio Da Silva Rafael Lima Ferreira Dos Santos Pereira Sarah Helena Bedeschi De Camargo Tiago Martins Chamuinho Bastos Wander Luiz Martins Da Silva
Mário Bastos
Jonas Farias Leonardo Marques Luiz Filipe Carvalho Paulo Ribeiro Da Silva Rafael Lohmann Rodney Mendonça Venâncio Sascha Borges Lucas Tiago Ribeiro Wander Souza
Mario Costa
Jorge Alberto Carvalho Sena Leonardo Mendes Luiz Gustavo Pelatieri Teixeira Paulo Roger Rafael Machado Saldanha Rodolfo Santos Entringer Saulo Alves De Brito Tiago Sollero Lang Washington Alencar
Mario Eduardo Cioffi
Jorge Botelho Leonardo Mota Luiz Henrique Moreira Paulo Teixeira Rafael Monte Rodolfo Xavier Sávio Luiz Leite Barros Tomaz Santa Rosa Wellington Barros Moraes
Mario Maclir
Jorge Caffé Leonardo Oliveira Luiz Junior Paulo Tuppy Rafael Padilha Rodolpho Rangel De Barros Sérgio Henrique Silva Aguiar Tulio Marcos Gonçalves Wellington Silva
Marlos C. Machado
Jorge Eduardo Dantas De Oliveira Leonardo Peixoto Luiz Otavio Silva Santos Paulo Victor Martins Rafael Peixoto De Moraes Pereira Rodolpho Rodrigues Almeida Sérgio Martin Aguiar Uberlan Rodrigues Pimenta Wellington Vieira
Mateus Trigo
Jorge Vieira Leonardo Rafael De Bairos Rezende Luiz Tanure Paulo Weber Louvem Gomes Rafael Rafindio Rodrigo Arraes De Abreu Sérgio Meyer Vassão Ugo Portela Pereira Wellington Vieira Ferreira
Mateus Winck
José Alexandre Buso Weiller Leonardo Renner Koppe Mamute Felipe De Lucca Pedro Almeida Rafael Schmitt Wilhelms Rodrigo Basso Shade Graves Uriel Maia Wesley Rossi Yamauti
Matheus Back Almeida
José Elso Leonardo Ribeiro Dantas Manoel Carlos Alves Dos Reis Junior Pedro Anselmo Rafael Silveira Da Silva Rodrigo Corrêa De Godoy Camargo Shane Morgan Baraboskin Standen Valdir Rafael Chagas Wil Gouvea
Matheus Borges Ziderich
José Emygdio Leonardo Valente Manoel D’Mann Martiniano Pedro Henrique Crogite Pohren Rafael Sirotheau Rodrigo Costa De Almeida Sidinei Lander Da Silva Pereira Valmir Matias Dos Santos Wiliam Fonseca Lino
Matheus Esser Schneider
José Fontenele Liano Batista Marcel Godoy Pedro Henrique Goulart Machado Rafael Souza Oliveira Rodrigo Da Silva Santa Rita Silvia Helena De Oliveira Vanderlei Bastelli Filho Willame Fonseca Dos Santos
Matheus Faria
José Guilherme De Souza Silva Lincoln Ribeiro Marcello Bicalho Pedro Henrique Martins Rafael Tota Rodrigo Dani Silvino Pereira De Amorim Neto Vandersson Carvalho Willians Alexandre
Matheus Farina
Jose Gustavo Loureiro C. Silva Livia Andrade Marcello Duarte Crescencio Pedro Henrique Monteiro Pires Rafael Weiss Rodrigo De Salles Sócrates Melo Vandir Ferreira Dutra Junior Wolley Guedes Coimbra
Matheus Feron
José Ribeiro Junior Loanda Andrade Marcelo Castro Pedro Kranz Costa Rafael Werneck Rodrigo Falleiro Stefano Calis Vasco Sagramor Ygor Medeiros
Matheus Martins De Oliveira
José Roberto Froes Da Costa Lobinhu Costamilan Marcelo Cecconi Portes Pedro Lima Ramon Alberto Machado Costa Rodrigo Fittipaldi Tadeu Augusto Bustamante Dias Vicente Gomes Pinto Yudi Ohara
Matheus Primo
Joshua Raiser Lobo Lancaster Marcelo Menezes Pedro Lopes Ramon Couto Rodrigo Gama Tadeu Macena Victor B. Cavalcante Yuri Duarte Porto
Matheus Ramos
Judson Jeferson Pereira Moraes Lourenço Vilar Marcelo Menezes Pedro Machado Ramon Marques Borges Rodrigo Henriques Tamires Lazaretti De Souza Victor Cabral Xavier Sarmento Yuri Kleiton Araujo Sanches
Maximiliano Rohrer
Juliano Azzi Dellamea Luana De Pinho Zenha Marcelo Miguel Pedro Maranhão Pinheiro Meireles Rangele Guimarães Rodrigo Keiji Tarcísio Nunes De Figueiredo Yuri Lima
Maycon Diogenes Dos
Juliano Torena Hernández Lucas Almeida Marcelo Prates Figueiredo Santos Da Silva Pedro Panhoca Da Silva Raoni Godinho Rodrigo L Provietti Taynara Miorim Noronha Victor Castro De Sa Yuri Marques Rodrigues
Julierme Lucas Arsolino Marcelo T Tomita Mega Sonidow Pedro R De Jesus Raphael Alves Moure Rodrigo Nassar Cruz Teresa Augusto Victor Hernandes Yuri Saiyé Da Rocha Miranda
Júlio César Eiras Lucas B. Mattos Marcelo Zem Mia Alexandra Pedro Rafael De Paula Raphael Araujo Rodrigo Paneghine Thadeu Silva Victor Hugo Celoni Gnatkovski Yves Souza
Julio Cezar Silva Carvalho De Toledo Lucas Bernardo Monteiro Marcio Augusto Silva De Souza Michael Lennon De Moura Pedro Rafahel Lobato Raphael Barros Rodrigo Quaresma De Andrade Thalles Oliveira Victor Lagoas Yves Souza Dos Santos
Karina Edith Castro Sander Morais Lucas Bogard Márcio Henrique Carvalhal Mickhail Seraph Pedro Ramises Leopoldino Raphael Estevao Borges De Oliveira Rodrigo Santos Da Silva Thalles Rezende Victor Leal ザイテス ウォーカー
EXTRAS EXTRAS

O filme “perdido” do lobisomem As várias faces


O próprio Paul Naschy atestava ter feito doze filmes com seu personagem Waldemar Daninsky, mas um deles Há muitas piadas internas na produção da Dragão Brasil. Somos amigos de longa
nunca chegou a ser exibido. Aliás, há quem questione se esse filme realmente existe! data, nos conhecemos bem e por isso brincamos bastante, mesmo levando a produção
A única pessoa que lembrava de Las Noches del Hombre Lobo era Naschy. Segundo ele, a película havia sido da revista muito a sério.
filmada em Paris, no ano de1968, mas o lançamento nunca aconteceu. Ainda de acordo com Naschy, o diretor do Quando o Rogerio Saladino me enviou as fotos do ator e diretor Paul Naschy, tema da coluna dele nesta edição,
filme, René Govar, morreu num acidente de carro uma semana depois do término das filmagens, e como ninguém o fez colocando algumas legendas peculiarmente engraçadas. Eu não podia usar todas as imagens na matéria nem
foi buscar (e pagar) a revelação dos rolos de filme, o laboratório reteve os originais e acabou se desfazendo deles. colocar as legendas, mas aqui no extras, caros leitores, QUASE tudo é permitido. Que sirva de homenagem ao bom
O problema: não existe nenhum outro registro do filme além das próprias lembranças do ator. Os atores com humor do meu grande amigo e editor!
quem Naschy teria contracenado, Monique Brainville e Peter Beaumont, não existem (ou ninguém nunca
ouviu falar deles). Há rumores e teorias de que Naschy poderia ter se confundido e trocado os nomes, devido ao J.M. Trevisan
seu estado de saúde (a entrevista em que Las Noches del Hombre Lobo foi citado teria acontecido quando Naschy
estava se recuperando de um longo período de depressão) o que dificultaria muito a verificação das informações.
Ainda existem teorias de que Naschy inventou a história toda, para aumentar a sua experiência cinematográfica e
sua (já imensa) filmografia.
Las Noches del Hombre Lobo seria o segundo filme da série do Homem Lobo. Informação razoavelmente inútil, já
que as histórias não tem a menor relação entre si. Isso é, se o filme realmente existir...

A saga de Waldemar Daninsky, o Homem Lobo


Os filmes a seguir não tem exatamente uma ordem lógica em termos de história. Ou de sentido. Além disso,
foram lançados com vários nomes diferentes. Abaixo eles aparecem com os nomes originais.
1 – La Marca del Hombre Lobo (1968)
2 – Las Noches del Hombre Lobo* (1968)
3 – Los Monstruos del Terror (1969)
Naschy Bombadão Naschy Cramulhão Naschy Galã
4 – La Furia del Hombre Lobo (1970)
5 – La Noche de Walpurgis (1970)
6 – Dr. Jekyll y el Hombre Lobo (1971)
7 – El Retorno de Walpurgis (1972)
8 – La Maldicion de la Bestia (1975)
9 – El Retorno del Hombre Lobo (1980)
10 – La Bestia y la Espada Magica (1983)
11 – Licántropo (1996)
12 -–Tomb of the Werewolf (2004)
*Filme perdido ou inexistente
Obs.: Naschy fez mais quatro filmes onde interpretava um lobisomem, mas não era o personagem Waldemar
Daninsky: Buenas Noches, Señor Monstruo (1982), El Aullido del Diablo (1987), Aqui Huele A Muerto (Pues Yo No
He Sido) (1990) e Um Lobisomem na Amazônia (2005).
Naschy Bruxo Boladão Naschy Não Tão Velhinho Naschy Velhinho
Rogerio Saladino

120 121
EXTRAS EXTRAS

O DILEMA DA TENDÊNCIA Bondoso é definido pelo que ele é: Bondoso e ponto. ele
não precisa se dedicar a outra causa que não a do Bem.
Por outro lado, se não enquadrarmos tudo em
algum tipo de padrão, como iríamos orgainizar
O herói Leal precisa de leis, regras e diretrizes. O Caótico nosso próprio conhecimento sobre tudo?
Você tem seu grupo de RPG, certo?
se recusa a segui-las. O Neutro é só bondoso.
Vocês se reúnem, jogam, são amigos, se
Bondoso por ser Bondoso. GUILHERME: Eu tenho uma teoria de porque
divertem, e aí, durante a semana, jogam
a ordem é vista como uma coisa “mais do Bem”
conversa fora num chat em grupo em
que o caos.
alguma rede social, acertei? GUILHERME: Isso tudo é algum tipo de explicação
elaborada para me convencer a te deixar jogar com um Caos é o estado intrínseco da natureza. E a na-
Pois é! Nós da Guilda do Macaco também! Além de tureza não é boa. A bondade surge da ordem.
planejar o futuro de Tormenta, não raro nos envolvemos paladino Neutro e Bondoso na Guilda?
Sem ordem, tudo se resume à lei natural. E ela
em discussões profundas e filosóficas sobre nosso hobby não tem espaço para bondade (nem para a
favorito. Como esta, sobre alinhamentos (ou tendências)! GUSTAVO: Não, pior que não! Só discutindo filosofia maldade).
Tem algo a acrescentar? Acha que alguém falou bes- heróica. Meu ponto é que entre as três tendências bon-
teira? Mande um e-mail para o Pergaminho dos Leitores! dosas, existe uma MAIS bondosa: Neutro e Bondoso.
Porque o personagem dessa tendência é Bondoso por GUSTAVO: Esse argumento sustenta ainda
mais o meu ponto de que Neutro e Bondoso é Lobo: sem Ordem
si só, enquanto as outras duas EXIGEM certos requisitos:
GUSTAVO: Se você parar para pensar, é interessante “Liberdade pra eu fazer o Bem do jeito que eu quero” e o “mais bondoso” de todos os alinhamentos/
que de repente o paladino tradicional, Leal e Bondoso, “Leis pra definir o que é fazer o Bem”. tendências. A natureza é Neutra.
não é “O” campeão do bem. Ele é só UM campeão do ROGERIO: Raios, o que vocês tomaram? Bem e Ordem
bem, na verdade. Por isso, o paladino NÃO seria o maior dos heróis, ao são coisas separadas. O Bem não deriva da Ordem.
contrário do que a gente se acostumou a pensar. GUILHERME: Não sustenta. Porque caindo a ordem, na
O campeão de um tipo bem específico de Bem. O Bem
sequência cai a necessidade de ser bom.
Leal, que exige regras, leis, diretrizes, uma conduta espe- GUSTAVO: O Bem não precisa ser entendido como algo
cífica e condizente com isso. GUILHERME: A questão é: se Ordem e Caos não são Sem ordem, tenderíamos à neutralidade. Ao se manter a que deriva da civilização ou da Ordem. Pode ser salgo
intrinsicamente bons ou maus, porque consideramos LB ordem, TAMBÉM mantemos o Bem. independente. Tu pode, claro, entender assim, mas isso
Acho que o maior campeão do bem seria um personagem
NEUTRO e BONDOSO. Ele é livre do caos e da lei. Ele “mais bondoso” que CB? nçao é uma necessidade
é BOM além e apesar desses dois extremos GUSTAVO: Só se tu entender que Bem e Ordem são a
GUSTAVO: Para o cara LB, se o Bem não for do jeito mesma coisa, que não é como eu entendo. Eu realmente GUILHERME: Me diz um exemplo de Bem fora da civi-
que prega o código dele, então NÃO é Bem. E é aí é que separo os eixos Bem-Mal e Caos-Ordem. No teu argu- lização. Sem ordem não há sem civilização. A ausência
GUILHERME: Nossa, da onde surgiu isso?
tá: talvez LB NÃO seja mais Bondoso que CB. Ambos são mento, claro, faz sentido mas, no meu, não de ordem é igual ao estado padrão da Natureza.
Bondosos por igual, mas por uma questão de tradição A Natureza é neutra. Ergo, se não temos ordem, temos
GUSTAVO: Tava pensando sobre a questão e na roupa- temos que o Caos é menos Bondoso que a Lei/Ordem. neutralidade.
TREVISAN: Pfff. Tô com o Gustavo! Mesmo porque, em
gem disso nos últimos tempos. Até questiono o quanto o
termos malignos, o mais terrível é o Neutro e Maligno,
paladino é mesmo o campeão mais exemplar do Bem.
GUILHERME: Mas será que não tem um fundo de ver- não o Caótico e Maligno.
Ele é cada vez mais um cruzado/campeão de uma igre- GUSTAVO: O cachorro do Facebook que se jogou
dade nisso? Ele não mede esforços, seja dentro ou fora das leis e numa inundação para salvar um gato e foi levado pela
ja/religião e menos campeão do Bem pelo Bem.
regras de conduta, para fazer o Mal. correnteza.
GUSTAVO: Se tu ler os textos clássicos, sempre há a É um exemplo de bondade na natureza.
GUILHERME: Por essa lógica, o melhor paladino é o iniciativa de trazer ordem ao caos. O que isso significa? GUILHERME: Eu não disse que Bem e Ordem são a
que tem o talento favorito do Cassaro, Alma Livre. Porque Dar nomes para as coisas, classificá-las, identificá-las, mesma coisa. Eu disse que o Bem deriva da Ordem. o GUILHERME: Mas cães são animais ULTRA ordeiros!
ele PODERIA não ser bom, mas escolhe ser! conhece-las. Bem derivar da Ordem não é uma necessidade, é uma
Isso pode ser entendido como “bom”. Será que o caos por interpretação. Existe Bem sem o conceito de Bem? E o
GUSTAVO: No teu exemplo, tu tá definindo o perso- si só, sem interferência, não funcionaria sozinho? Será próprio conceito de Bem não surge da civilização? E a GUSTAVO: Só que o que ele fez não foi ordeiro. Foi
nagem pelo que ele NÃO é. Mas um herói Neutro e que tudo precisa necessariamente de uma organização? civilização não surge da ordem? altruísta. Foi bom. Bondoso.

122 123
EXTRAS EXTRAS

GUILHERME: Mas é cachorro, né? Cachorro não conta.


Falando sério: um lobo teria o mesmo comportamento?
LEONEL: Na minha opinião tem dois lados: realidade
e a ficção. Na realidade eu vejo a Ordem como uma ADEUS, CALAMIS! nhor dos Anéis — mas admito que Gandalf me atrai mais
pelo lado sábio e viajante do que pelo lado conjurador.
Porque cachorro é lobo mais Ordem. influência corruptora. Este texto contém SPOILERS da Guilda do Gosto de conjuradores pelo mesmo motivo que prefiro
Tu pode começar com o Bem, mas a ordem engessa, Macaco. Se você ainda não assistiu ao Episódio ranger a outras classes voltadas para o combate: suas
deixa tudo estagnado e invariavelmente corrompe. To- #16, talvez seja melhor deixar esta leitura para habilidades de classe, especialmente as magias, deixam
ROGERIO: Que frase linda! “Porque cachorro é lobo depois. o personagem mais versátil.
das as tradições acabam por oprimir/explorar alguma
mais Ordem”.
parcela de pessoas. Porque eu não acho que o Bem seja Se você acompanha a Guilda do Macaco, já
um estado que se mantenha sem mudança. E mudança sabe que Calamis, o elfo, pereceu em combate. Personalidade
GUSTAVO: Nada impede que um animal FINJA ou é caos. Como ele era o meu personagem, acho que sou
A personalidade de Calamis tem grande influência
IMITE um comportamento, como uma criatura inteligente Para mim não existe Bem na tradição imutável. A mu- uma das pessoas que mais sentiu sua perda.
de Robin Hood, com pitadas de Merlin (especialmente
(Int 3+ em termos de jogo), claro. dança é necessária, é preciso romper com o antigo para Este texto é sobre Calamis, minha ligação com
o do filme Excalibur), Aragorn e Gandalf. Curto heróis
Mas também não há nada que impeça esse animal de ser manter o Bem funcionando. Isso na vida real. ele, sua participação na Guilda e a interação
com personalidade forte, porém leve, com uma pitada de
Bondoso, a meu ver. Lembrando que na minha interpreta- com o público. Tem momentos trágicos, mas
Na ficção as tradições são resilientes. O reino bondoso ironia e que não perdem o bom humor mesmo frente à
ção, os alinhamentos dos eixos Bem-Mal e Ordem-Caos outros bem mágicos.
fica bondoso mil anos depois (ou pelo menos pode ficar). morte. Gosto de heróis um pouco mais cultos ou com pelo
são independentes Então pra mim na ficção o bem maior é Leal e Bom, por- Calamis não é meu personagem mais antigo, mas é menos alguns conhecimentos além de combate. Também
que é o Bem que quer manter a sua própria existência. de longe o meu favorito. Para mim, ele não é apenas um valorizo personagens sábios, que têm a palavra certa
O paladino do reino bondoso luta para manter esse Bem personagem, mas um conceito. De certa maneira, todos para a hora certa.
GUILHERME: Ninguém questiona que são independen- por mais tempo. os arqueiros-espadachins-conjuradores com quem joguei
tes. Ninguém questiona que o cachorro que o Rogerio Calamis é e sempre foi aventureiro e explorador.
antes tinham um pouquinho dele.
postou é muito fofo. Gosta de viajar e conhecer novos povos e terras. Eu
ROGERIO: Podemos voltar pra cachorros e curto aventuras no estilo dungeoncrawl (talvez mais
lobos? Inspiração como mestre do que como jogador) e isso se reflete na
Cachorro: Minha inspiração maior para Calamis são os heróis personalidade dele. Em qualquer game, uma das coisas
Lobo de capa e espada, especialmente de filmes e séries de que mais gosto de fazer é fuçar pelo cenário, explorando
mais GUILHERME: É sempre melhor falar de ca- aventura como Zorro, Os Três Mosqueteiros, Conan, cada pedacinho do mundo de jogo. Passo mais tempo
Ordem chorro do que de QUALQUER outro assunto. Krull e, é claro, Star Wars. Mas a inspiração mais forte desbravando cenários do que resolvendo quests…
Mesmo RPG tem aqueles dias que tu só rola talvez seja Robin Hood (especialmente dos filmes com
1.O Leonel sabe. Além de brincalhão, Calamis também é um pouco im-
Errol Flynn e Douglas Fairbanks). plicante. Normalmente gosta de fazer troça com qualquer
Gosto do conceito do herói que sabe se virar no um muito cheio de si ou que leve a si mesmo muito a sério.
LEONEL: Gato é melhor. E gato é caótico. corpo-a-corpo, especialmente um espadachim, mas que
também usa arco (ou besta, ou pistola…). Vale lembrar
que em suas primeiras aventuras, Luke Skywalker pos-
Nome
GUILHERME: OK. Decidimos pelo menos uma “Calamis” é um nome inventado por mim. Eu cos-
suía um sabre de luz, mas também atirava de blaster!
coisa depois dessa discussão toda. Gato = Caó- tumava fazer listas e mais listas de nomes, tanto para
Também curto heróis que tenham múltiplas habilidades e
tico. Cachorro = Ordeiro. personagens do mestre quanto para heróis aventureiros
que saibam fazer muitas coisas além de dar porrada. Em
Tormenta RPG, isso encaixa bem com a classe ranger. e “Calamis” era um deles. Curiosidade: o nome imedia-
tamente abaixo de “Calamis” em uma das minhas listas
Calamis tem influência da literatura. Ele tem seme-
era “Mitelus”, o líder da Vingança Élfica (que você acom-
lhanças com Legolas (elfo, arqueiro…) mas Aragorn é
panha na Só Aventuras Vol. 2).
uma influência ainda mais forte (ambos de O Senhor dos
Anéis). Outro herói também me influenciou bastante foi
Tanis Meio-Elfo, das Crônicas de Dragonlance, que, por Visual
coincidência — ou não — também é ranger. O visual de Calamis sempre teve três inspirações prin-
O lado conjurador de Calamis vem de Merlin, das cipais: Robin Hood, Warcraft e Tanis Meio-Elfo. Depois
histórias do Rei Artur, e também de Gandalf, de O Se- sofreu influência de O Senhor dos Anéis (lembrem-se

124 125
EXTRAS EXTRAS

que Calamis nasceu antes dessa trilogia de filmes), mas (espécie de ranger) de Lothlórien — e vive aventuras na de Thwor Ironfist. Mas isso é mera coincidência! Um … e o histórico que não foi
principalmente de ilustrações de RPG. Terra-Média há mais de dez anos. elfo se encaixa melhor no histórico que criei para esta
encarnação. Por curiosidade, ninguém me cobrou jogar Guilherme e eu chegamos a considerar que Calamis
Na Guilda do Macaco, Calamis também era um Calamis passou por quase todos os sistemas de RPG pudesse ser Maligno. E não apenas um violãozinho qual-
conjurador e, por isso, seu visual não exiia armadura que joguei, especialmente os de fantasia. Suas encarna- de minotauro, sendo que eu escrevi as Guerras Táuricas!
Vai saber… quer… Mas um servo fiel de Sszzaas, Deus da Traição!
(compensada com Destreza alta e magias como armadu- ções mais memoráveis são de AD&D, D&D, Star Wars,
ra arcana e escudo arcano). Por normalmente ser ranger, Dungeoneer, GURPS… E, agora, ele chega de forma Seu histórico seria um pouquinho diferente — ele tam-
dou preferência para motivos silvestres, com detalhes no oficial a Tormenta RPG (onde já apareceu como PdM em O histórico que foi… bém teria sido seduzido pelo Deus da Traição, quando
este se aproximou de Galron. Não vendo mal nenhum nas
formato de galhos e folhas. Para a Guilda, aproveitei minhas campanhas). Na encarnação da Guilda do Macaco, Calamis era
trajes e acessórios do Manual do Malandro, como palavras do Grande Corruptor, Calamis teria se tornado
filho de um eiradaan, raça que deu origem aos elfos de um de seus seguidores. Nesta versão ele também estaria
traje camuflado, máscara bucal e tapa-olho.
Guilda do Macaco Arton. Ele fazia parte de uma das primeiras gerações de fora de Vitália quando Galrasia foi jogada em Arton, mas
O tapa-olho é recente, e surgiu em The Lord of the transição dos eiradaan para os elfos. Seu pai servia a teria sido expulso em seu retorno pois estava obedecendo
A mais nova encarnação de Calamis é a da Guilda do
Rings Online, meu MMO preferido, mas apenas como Galron, responsável por administrar Vitália, Mundo de ordens de Sszzaas. Sem ter para onde ir e reconhecido
Macaco, stream da campanha de RPG com os principais
um item cosmético. Diz mais sobre a personalidade de Lena, a Deusa da Vida. Galron foi seduzido por Sszzaas como um agente do Mal, acabou indo para Arton. Daí
autores de Tormenta.
Calamis do que sobre sua saúde e condição física. Capa e deixou de estar à altura de suas funções. então, as coisas seriam mais ou menos as mesmas: ele
e capuz completam o visual quintessencial desse perso- Quando começamos a decidir os personagens,
Guilherme, o mestre, disse para jogarmos com nossos Quando a porção de terra que daria origem a Galrasia teria ido para Wynlla e teria sido acolhido por lá. Che-
nagem inspirado em Aragorn e Robin Hood. foi arrancada de Vitália e jogada em Arton, Calamis não guei a considerar que ele havia mesmo se apaixonado
personagens preferidos (ou, pelo menos, com nosso con-
estava lá. Naquela época já era um viajante e explorador, e, apesar de Maligno, se aventurava em busca desse
ceito preferido de personagem). Pensei em Calamis de
Em RPG imediato. Já tinha até o build pronto: ranger/mago. Mas
conversando com Guilherme sobre meu background,
e estava desbravando os Mundos dos Deuses. Mas quando
retornou ao Reino da Deusa da Vida, foi expulso por sua
amor. Outra ideia era de que tudo sobre o passado de
Calamis fosse mentira, e que ele apenas jogava com a
Calamis teve diversas encarnações. Como eu disse, ligação com os eiradaan e, de certa forma, também com ingenuidade daqueles que encontrava — afinal, quem
concordamos que ranger/feiticeiro se encaixaria melhor.
ele é mais um conceito do que um único personagem. Galron. Vagou um tempo até chegar a Arton. Seu destino não se deixa levar por uma história de amor impossível?
Escolhi a raça elfo para o build inicial (ranger/mago),
Para mim, ele é o herói quintessencial de capa, espada em nosso mundo foi Wynlla, o Reino da Magia.
mas ela também se encaixa em meu ranger/feiticeiro. Se Calamis tivesse sido Maligno, em algum momento
e arco. Em Wynlla, Calamis era visto como uma curiosidade. ele se voltaria contra seus companheiros. Mas não exe-
Decidi pegar a classe variante patrulha dos arquei-
Joguei inúmeras aventuras com ele. Calamis já foi hu- Não vinha de Lenórienn e não tinha nada a ver com os cutaria uma traiçãozinha qualquer, não. Ele iria se postar
ros porque acho que se encaixa melhor no histórico do
mano, elfo e meio-elfo. Já foi guerreiro, guerreiro/mago, elfos de Arton, com a Aliança Negra ou com Glórienn. contra eles e dobrá-los através do combate, para então
personagem. Nessa encarnação, Calamis não é um
guerreiro/clérigo, ranger, ranger/mago, ranger/clérigo Era mantido como um convidado na corte. assumir a liderança do grupo através da força. Guilher-
ranger clássico, mas um patrulheiro e protetor do Reino
e até Jedi. Acho que ele esteve em mais universos de da Deusa da Vida. Nesse sentido, feiticeiro também se Esta talvez seja a parte mais incompreendida do me e eu chegamos a planejar como seria o golpe: atacar
fantasia do que consigo lembrar — de cenários caseiros encaixa melhor no histórico do que mago. Mesmo que eu personagem. A maior parte do público parecia acredi- um a um. Os alvos preferidos eram Kadeem e Klunc, a
a oficiais. usasse um mago com a regra variante Sem Preparação tar que Calamis era mais um elfo amargurado vindo de inocência e o Bem ingênuo do grupo.
Uma das campanhas mais memoráveis de RPG com (do Manual do Arcano), acho que ser inerentemente Lamnor, quando isso nunca foi verdade. Calamis não só Mesmo na perspectiva de Calamis ser um vilão, decidi
Calamis foi em GURPS, mestrada por Roger Medei- mágico fecha mais com meu background. Mago oferece jamais foi amargurado, como também achava a história não pegar linhagem ofídica, porque isso daria bandei-
ros, ilustrador de Tormenta RPG. Naquela encarnação, mais magias e, assim, mais versatilidade, mas o histórico dos elfos de Arton bastante curiosa, já que ele só ficou ra demais. Nosso público é esperto e logo descobriria
Calamis era um elfo espadachim/arqueiro/ranger/ se sobrepõe às regras. Também do Manual do Arca- sabendo dela quando chegou aqui. a verdadeira natureza do personagem. Mas, no final,
mago, discípulo do Grande Mago da Floresta de Outrora no, a linhagem primordial pareceu a escolha natural, Na corte, se apaixonou pela filha de um dos prin- nada disso se realizou e decidi jogar com um Calamis
(chamada “Floresta de Yore” em traduções mais antigas). mostrando a ligação do personagem com as energias cipais conselheiros do reino. Mas ele não queria saber seguidor do Bem.
A campanha se passava no mundo de Titã, cenário da que criaram Arton. “E o que faz Calamis ser um devoto de sua filha envolvida com um elfo, mesmo que vindo Optei pelo Bem por um motivo muito simples: apesar
maioria dos livros-jogos da série Fighting Fantasy (publi- de Allihanna, não de Lena?”, alguém poderia perguntar. dos Mundos dos Deuses, então impôs uma condição a de todas as suas encarnações, Calamis sempre foi um
cados pela Jambô). Ainda hoje relembramos “causos” Infelizmente, Calamis pereceu antes de esta questão ser Calamis: ele só poderia se casar com sua filha quando herói. Quando eu pensava em transformá-lo em vilão,
daquela campanha. respondida no jogo. Mas temos este texto de bastidores, acabasse com a Tormenta! era como se ele falasse comigo: “Não faça isso!”. Preferi
Também jogo com Calamis em MMOs, como Ultima então vamos aproveitar. Mesmo que soubesse o que diabos era a tal da Tor- ser fiel a Calamis, apesar de a perspectiva de jogar com
Online, World of Warcraft, Guild Wars e Star Wars: The Muitos associam o fato de Calamis ser elfo com o menta, Calamis não teria agido diferente; por amor, teria um vilão ser bastante interessante.
Old Republic. Mas minha encarnação preferida dele é em fato de eu ter escrito a Vingança Élfica, saga sobre o partido com a mesma determinação para acabar com a
The Lord of the Rings Online — onde ele é um elfo hunter contra-ataque dos elfos de Arton contra a Aliança Negra ameaça alienígena. Gustavo Brauner

126 127