Você está na página 1de 389

Motor VWNGD-370

Edição - JUNHO/2008
Sumário

Este manual contem instruções de utilização da ferramenta


eletrônica VCO-950, bem como informações para a correção dos
códigos de falhas dos motores de 6 cilindros. O manual está dividido
em quatro blocos da seguinte forma:

PARTE A - Instrução de utilização VCO-950

PARTE B - Informações Gerais

PARTE C - Medições

PARTE D - Diagnóstico de Falhas

Serviços e assistência técnica - Caminhões


1a edição junho/2008
Proibida a impressão, reprodução e tradução parciais ou totais sem prévia autorização
por escrito da Volkswagen do Brasil Ltda. - Indústria de veículos automotores.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A-1


Página deixada em branco intencionalmente

A-2 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


PARTE A

Instrução de utilização
VCO-950

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A-3


Página deixada em branco intencionalmente

A-4 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


INSTRUÇÕES DE OPERAÇÕES E TESTES- VCO-950

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A-5


Índice

Introdução
Atenção ................................................................................................................. 7
Acessórios ............................................................................................................. 8
Ligação ................................................................................................................ 9
Operação ............................................................................................................ 10
Testes .................................................................................................................. 11
Atualização da versão VCO-950 ........................................................................ 14
Apagamento de memória ................................................................................... 18
Identificação do ECM .......................................................................................... 19
Tabela de aplicação ............................................................................................ 20
Dados técnicos ................................................................................................... 21
Orientação ........................................................................................................... 22
Habilitação do tipo de veículo ............................................................................ 28

Impressão
Impressão ........................................................................................................... 30
Impressão de relatórios ...................................................................................... 31
Exemplos de resultados de impressão .............................................................. 33

Manual de operações
Sistema de injeção eletrônica NGD 9.3 Diagnóstico ......................................... 35
Sistema de injeção eletrônica NGD 9.3 Programações .................................... 50

A-6 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

ATENÇÃO
A ferramenta de diagnóstico Volkswagen VCO-950, mostra no visor os códigos
de falhas detectados pela unidade de comando (ECM), e efetua leitura de valo-
res do sistema.

VCO-950

Visor

Movimenta para a Movimenta para a


“Esquerda” “Direita”

Tecla “Não” Tecla “Sim”

Volta ao Menu
Reinicia o aparelho

Conector de
alimentação (12V)
Conector para cabo
de comunicação
com impressora

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A-7


Introdução

ACESSÓRIOS

Cabo de Diagnóstico C26 Cabo DB9/Serial Db25


Adaptador OBDII

Gancho

Fonte de Alimentação 12V (bivolt)

Cabo de Alimentação

Cabos auxiliares para medição

Cabo de de Impressão

A-8 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

LIGAÇÃO
Atenção:
A alimentação do VCO-950 é feita pelo cabo de comunicação OBD2, como
mostra na figura.

Conexão do
VCO-950 no veículo
1 - Conecte o cabo OBD2
no VCO-950.
2 - Com a chave de partida
desligada, conecte o
VCO-950 no veículo.
3 - Para efetuar as leituras
ligue a chave de partida.
Localização do conector
de diagnóstico no veículo

Adaptador OBDII

Lado direito do painel na caixa


de relés e fusíveis
Retirar a tampa da caixa de relés
e fusíveis para ter acesso ao
conector OBDII

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A-9


Introdução

OPERAÇÃO
Escolha do veículo:
Após ligado, o VCO-950 apresentará a mensagem que identifica a versão do
software, e número de série do VCO-950:

VCO-950 Versao 01
NS: xxxxxx

e logo após a mensagem:

Pressione Pressione para


Outro Modelo? apagar os códigos de falha
NÃO SIM do teste anterior e escolher
para repetir a
outro veículo
última escolha

As teclas

Tipo de Veiculo Tipo de Veiculo selecionam o tipo de


XXX XXX veículo.

As teclas

Veiculo: Modelo: selecionam o


XXX XXX modelo.

As teclas

Motor: XXXXXXXXX Motor: XXXXXXXXX selecionam o


XXXXXXX XXXXXXX sistema.

Indica qual
Opcao: Utilize Conector conector deve ser
1. Teste? CXX utilizado

Opcao:
1. Teste?

A - 10 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

TESTES
O sistema NGD-370 permite executar funções de código de falha, leituras de
parâmetros e apagar memória de falha atuadores e ajustes para a Volksguard.

TESTE 1 - Códigos de Falha


Apresenta os códigos de falha armazenados na memória da ECM.

TESTE 2 - Leituras
Permite verificar várias condições do motor, com motor parado (ignição ligada),
funcionando ou veículo em movimento:

Apresentação no display:

O VCO-950, na forma de leituras, apresenta duas leituras simultâneas, na linha


superior e na linha inferior.
Para mudar o padrão de leituras, proceda da seguinte forma:

• Escolha a opção leituras e tecle : o VCO-950 apresentará duas leituras.

• As teclas e alternam os pares de leituras.

• Teclando , a leitura da linha inferior é fixada e as teclas e


alternam apenas a leitura da linha superior.

• Teclando novamente, a leitura da linha superior é fixada e as teclas


e passam a alternar a leitura da linha inferior.

• Teclando novamente, as teclas e alternam os pares de


leituras.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 11


Introdução

Teste:
2. Leituras?

As teclas
alternam as duas leituras.

LINHA SUPERIOR
LINHA INFERIOR

As teclas
alternam as leituras da
linha superior.

LINHA SUPERIOR
LINHA INFERIOR*

As teclas
alternam as leituras da
linha inferior.

LINHA SUPERIOR *
LINHA INFERIOR

As teclas
alternam as duas leituras.

LINHA SUPERIOR
LINHA INFERIOR

A - 12 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

Teste 3 - Atuadores
Permite realizar testes com o veículo

Teste 4 - Volksguard
Permite ajustar os parâmetros do Volksguard

Erro de comunicação: Sempre que ocorrer um erro de comunicação, como o


mostrador no visor:

! Atencao !
Erro Comunicacao

Aperte uma tecla qualquer e repita a operação. Se o problema persistir, desligue


o VCO-950 e verifique se as ligações dos cabos estão corretas ou se existe
algum problema nos cabos e conectores.
Siga corretamente a sequência d eligação e tente novamente.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 13


Introdução

ATUALIZAÇÃO DA VERSÃO VCO-950


É possível atualizar a versão do VCO-950 através do programa VCO-950X (X
é a versão do programa).
Para fazer a atualização, proceda da seguinte forma:

Obs.: O X no nome do arquivo (VCO-950vX.EXE) é o número da versão do


programa de atualização.

Os programas de atualização estão compactados com autodescompactador.


Para descompactá-los basta executar o arquivo (através do windows explorer
ou pelo menu iniciar-executar). Na seqüência será mostrada a seguinte tela:

Clique no botão “Unzip” para executar a descompactação e então será mostra-


da a seguinte tela:

Clique em “OK” e feche a janela de descompactação. Agora é só acessar a pasta


“c:\atualizaVCO950” e executar a carga do VCO-950 (VCO -950vX.EXE).

A - 14 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

Ligue o VCO-950 ao computador como mostra a figura abaixo.


O VCO-950 deverá permanecer na tela inicial. Não pressione as teclas do VCO-
950 durante o processo de atualização.

FONTE 12V

CABO SERIAL SAÍDA SERIAL

ADAPTADOR
CABO DE
SERIAL
DIAGNÓSTICO

• No campo “Porta Serial”,


escolha a saída serial à qual
o VCO-950 foi ligado.

• Digite a senha de atualiza-


ção e clique em “OK”.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 15


Introdução

• Confirme a atualização da versão do software de diagnóstico. Se essa tela não


aparecer, poderão existir problemas de conexão entre o VCO-950 e o computador.
Confirme se a porta serial selecionada é a correta e repita o procedimento.

• O programa iniciará a atualização da versão do VCO-950.


Obs.: Não pressione as teclas do VCO-950 durante o processo de atualização.
• A barra de progresso mostrará o andamento da atualização.

A - 16 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

• VCO-950 já pode ser desconectado da porta serial.

• A atualização foi completada.


• VCO-950 está pronto para ser utilizado.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 17


Introdução

APAGAMENTO DE MEMÓRIA
Esta função apagará as falhas armazenadas na memória do ECM.
Nota: Esta operação deverá ser executada somente após corrigidos as falhas
detectada pela ferramenta.
• “Defeitos Presentes”
• “Defeitos Passados”

Opcao: 3/4
3.Apagar_Memoria

Aguarde aproximadamente
10 segundos

Aguarde...

Apaga códigos de falhas


Apaga Memoria? passados armazenados na
nao sim memória

Memoria Para retornar, tecle


Apagada!

A - 18 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

IDENTIFICAÇÃO DO ECM

Opcao: 4/4
4.NumerodoModulo

Aguarde...

Numero_do_Modulo
0000000000

Teclando retorna ao menu anterior

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 19


Introdução

TABELA DE APLICAÇÃO
VOLKSWAGEN - CAMINHÕES

MODELOS SISTEMA UTILIZADO ANO FABR. CONECTOR


TIPO

SISTEMA DE INJEÇÃO

19-370 NGD-370 2007 –> OBD


25-370 NGD-370 2007 –> OBD
31-370 NGD-370 2007 –> OBD

A - 20 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

DADOS TÉCNICOS
Fornecimento Standard Equipamento VCO-950

Número de tipo VW F000 WA0 704


Cd-Rom com programa VW/ Versão F000 WA8 009
Licença (Programa VW/ Versão) F000 WA8 010

Inclui no fornecimento:

Fonte 12 Volts F000 WA4 001


Cabo de alimentação F000 WA0 154
Cabo serial DB9 - DB 25 F000 WA0 140
Gancho de fixação F000 WA5 024
Cabo de interface para impressora F000 WA0 144
Maleta F000 WA5 030
Manual de operação atualizado com versão F000 WA7 023

Características Técnicas do VCO-950:

Alimentação: 12 Volts a 24 Volts


Saída para impressora
Visor de cristal líquido com iluminação back light
Temperatura de funcionamento: 0 a 50 graus Celsius
Saída RS 232

Dimensões e medidas:

Peso:
VCO-950: aproximadamente 560 g
VCO-950 completo com cabos e maleta: 2,600 g
Medidas em mm:
VCO-950 sem a maleta (L x P x A): 100 x 40 x 230
Maleta: (L x P x A): 360 x 130 x 330

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 21


Introdução

Orientação
1 - Instruções Importantes
Antes de colocar em operação, conectar e operar aparelhos de
medição, é imprescindível estudar cuidadosamente o manual de
operação e principalmente as instruções de segurança. Isto eli-
minará dúvidas no manuseio dos equipamentos com relação aos
critérios de segurança, para preservação de sua própria integri-
dade física e evitar danos aos aparelhos.

1.1 Grupos de usuários


Este produto foi desenvolvido e fabricado para os técnicos capacitado, como
mecânicos, eletricistas, mestres, técnicos e engenheiros de automóveis, no
ramo automobilístico.

1.2 Acordo
Através do uso do produto você declara estar de acordo com as seguintes deter-
minações:

Direitos autorais (Copyright)


Software e dados são de propriedade da Volkswagen ou de seus fornecedores e
protegidos contra reprodução pela Lei de Direitos Autorais, contratos internacio-
nais e outros mecanismos legais. A reprodução ou entrega de dados e software
ou de parte destes a terceiros é prática proibida e expõe o infrator a sanções
legais. Em caso de violação a Volkswagen se reserva o direito de mover ação
processual e indenizatória.

Responsabilidade
Todos os dados neste programa baseiam-se em detalhes fornecidos pelos fabri-
cantes e importadores. A Volkswagen não se responsabiliza pela correção e
integridade do software e dos dados, nem assume responsabilidade por danos
decorrentes de erro ou falha do software ou dos dados. A responsabilidade da
Volkswagen limita-se ao preço efetivamente pago pelo cliente por este produto.
Esta exclusão de responsabilidade não se aplica a danos causados por omissão,
negligência ou imprudência por parte da Volkswagen.
Este aparelho de teste Volkswagen pode ser operado somente com o programa
liberado pela Volkswagen. Caso o aparelho de teste Volkswagen seja operado
com outro programa cessam todos os direitos de reclamação de garantia esta-
belecidos em nossas condições de fornecimento. Além disso, não podemos
assumir responsabilidade por danos diretos ou indiretos causados pelo uso de
sistema operacional não liberado.

A - 22 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

Orientação
2 - Instruções de segurança

Tensão da rede
Alta tensão

Tanto na rede elétrica quanto em sistemas elétricos de veículos automotivos,


ocorrem tensões perigosas. Ao tocar peças com tensão aplicada (por exemplo:
bobina de ignição), existe o risco de descarga elétrica em função de isolação
danificada (por exemplo: fissuras em cabos de ignição). Isto se aplica tanto ao
lado primário como secundário do sistema de ignição, ao chicote e respectivas
conexões, sistemas de iluminação (Litronic) e à conexão de aparelhos de teste.

Precauções:
· Conectar aparelhos de teste somente a tomadas devidamente protegidas e
aterradas.
· Usar somente os cabos de ligação que acompanham os aparelhos de teste.
· Usar somente extensões com contatos de segurança.
· Substituir os cabos com isolação danificada (por exemplo: cabos de ligação
à rede ou cabos de ignição).
· Conectar os analisadores primeiro à rede elétrica antes de conectá-lo ao
veículo.
· Substituir os cabos com isolação danificada (por exemplo: cabos de
ignição).
· Conectar o analisador à massa do motor ou da bateria (B) antes de ligar a
ignição.
· Fazer intervenções no sistema elétrico de veículos somente com a ignição
desligada. Intervenções são por exemplo: conexão de aparelhos de teste,
substituição de componentes do sistema de ignição, desmontagem de
elementos (por exemplo: alternadores), ligação de elementos em uma
bancada de teste etc.
· Quando possível, realizar trabalhos de teste e ajuste somente com a
ignição desligada e o motor parado.
· Nos trabalhos de teste e ajuste com a ignição ligada ou com o motor em
funcionamento, nunca tocar em peças condutoras de tensão. Isto vale tanto
para as ligações do aparelho de teste como ligações de elementos em
bancos de provas.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 23


Introdução

Orientação
· Fazer as conexões de teste somente com os elementos de ligação
apropriados.
· Encaixar corretamente os conectores de teste e atentar para uma perfeita
união.
· Nunca abrir a carcaça dos aparelhos de medição.

Risco de agressão ao aparelho respiratório

Na eliminação de resíduos de combustão, usar luvas de


neopreno ou PVC.

Na medição do gás de escape são empregadas mangueiras coletoras de gás


de escape que, em caso de aquecimento acima de 250 ºC ou em caso de incêndio,
liberam um gás altamente tóxico (fluoreto de hidrogênio) que pode agredir o
aparelho respiratório.

Risco de corrosão

Precauções:
Em caso de inalação procurar imediatamente um médico!
Neutralizar resíduos de combustão com solução hidróxido de cálcio. Serão
formados fluoretos de cálcio atóxicos, que podem ser lavados.
Ácidos e soluções alcalinas causam ferimentos graves na pele desprotegida.
Junto com a umidade (água) o fluoreto de hidrogênio forma o ácido fluorídrico.

O condensado que se acumula na mangueira coletora e no reservatório de


condensado também contém ácido.
Na substituição do sensor de medição de O2, observar que o sensor de medição
contém solução alcalina.

A - 24 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

Orientação
Na substituição do sensor de medição de NO, observar que o sensor de medição
contém ácido.
· Sensor de medição de NO e O2 é lixo especial que deve ser destinado em
separado. O setor de Equipamentos Técnicos Volkswagen providencia a
destinação adequada dos sensores de medição.
· Havendo vazamento de um cristal líquido de um display danificado, é
essencial evitar o contato direto com a pele, inalação ou ingestão desse
líquido!

Risco de asfixia

Precauções:
· Lavar cuidadosamente a pele e as roupas que entraram em contato com o
cristal líquido com água abundante e sabão.
· Procurar imediatamente um médico em caso de inalação ou ingestão.

Emissões veiculares contêm monóxido de carbono (CO), um gás incolor e inodoro.


Quando inalado, o monóxido de carbono provoca deficiência de oxigênio no orga-
nismo. É necessário um cuidado especial nos trabalhos em valetas, uma vez
que alguns elementos do gás de escape são mais pesados que o ar e se depositam
no fundo da valeta.

Risco de ferimento
Risco de esmagamento

Cuidado também com os sistemas de escape de veículos.


Precauções:
· Cuidar para que haja sempre uma boa ventilação e exaustão
(principalmente em valetas).
· Em ambientes fechados ligar e conectar sempre a exaustão.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 25


Introdução

Orientação
Em veículos sem trava de deslocamento existe por exemplo: o risco de ser
esmagado contra uma bancada. Nos motores em funcionamento ou mesmo
parados existem peças rotativas e móveis (por exemplo: polias), que podem
provocar ferimentos em dedos e braços. Principalmente em ventiladores elétricos
existe o risco de acionamento inesperado mesmo com o motor ou a ignição
desligados.
Existe ainda o risco de tropeço nos rolos salientes/ avançados, nos cabos de
ligação e cabo de ligação à rede elétrica para o sistema de teste.

Precauções:
· Travar o veículo contra deslocamento durante o teste. Posicionar a alavanca
do câmbio automático na posição de estacionamento (“Park”), puxar o freio
de mão ou bloquear as rodas com calços.

Risco de queimadura

· Não tocar em peças rotativas / móveis com o motor em funcionamento.


· Nos trabalhos em ou próximos a ventiladores elétricos, primeiro deixar o
motor esfriar, depois desconectar o plug do ventilador.
· Não deixar os cabos de ligação do aparelho de teste próximos à área de
peças rotativas.
· Instalar os cabos de modo a evitar tropeços.
· Travar as rodas do rack de transporte do sistema de teste para prevenir
deslocamento involuntário.

Risco de queimadura
Nos trabalhos junto ao motores quente existe risco de queimadura em caso de
contato ou aproximação de componentes como por exemplo: coletor de escape,
turbocompressor, sonda Lambda etc. Estes componentes podem atingir tempe-
raturas de centenas de graus centígrados. Dependendo da duração da medição
do gás de escape, também poderá haver um aquecimento da sonda coletora do
analisador de gás de escape.

A - 26 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

Orientação

Risco de incêndio
Risco de explosão

Precauções:
Usar equipamento de segurança, por exemplo: luvas.
Deixar o motor esfriar, o que também vale para aquecimento estacionário.
Não colocar os cabos de ligação dos aparelhos de teste sobre ou próximos a
peças quentes.
Não deixar o motor funcionando além do tempo necessário ao teste/regulagem.
Em trabalhos no sistema de injeção/preparação da mistura existe o risco de
incêndioee explosão devido à presença do combustível e dos vapores do
combustível.

Precauções:
· Desligar o sistema de ignição.
· Deixar o motor esfriar.
· Nenhuma chama aberta ou fontes de faísca.
· Não fumar.
· Recolher vazamentos de combustível.
· Assegurar boa ventilação e exaustão em ambientes fechados.

Ruído

Nas medições em veículos, principalmente com o motor em alta rotação, poderão


ocorrer níveis de ruído superiores a 70 dB(A). Níveis de ruído dessa intensidade
incidindo por um período prolongado sobre o ser humano podem provocar danos
auditivos.

Precauções:
· Caso necessário, os locais de trabalho próximos ao local de teste deverão
ser protegidos contra ruídos.
· Quando necessário, o operador deverá usar protetores auriculares.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 27


Introdução

HABILITAÇÃO DE TIPO DE VEÍCULO


Para habilitar um tipo de veículo, proceda da seguinte forma:

- Desligue o VCO-950.

- Mantenha as teclas pressionadas simultaneamente e ligue o VCO-


950
- O VCO-950 mostrará a opção “Habilita tipo de veículo?”
- Pressionando a tecla ,
- O VCO-950 acessará a lista de tipos de veículos que podem ser habilitados.

- Use as teclas para escolher o tipo de veículo desejado

- Pressionando a tecla ,
- O VCO-950 irá solicitar a senha para habilitar o tipo de veículo. A senha é o
número de cinco dígitos que deve ser digitado da seguinte forma:

–> Selecione o dígito a ser alterado com as teclas .

–> A tecla avança o próximo dígito, e a tecla retorna ao dígito anterior


(O dígito selecionado é indicado por um pequeno traço).

–> Com as teclas altere o valor do dígito selecionado.

–> Após alterar o último dígito, pressione a tecla .

A - 28 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

Versão XXX
NS: XXXXXX

Habilita tipo
de veículo?

As teclas alteram o
valor do dígito
Tipo de veí- selecionado. As
culo: XXX teclas fixam o valor
As teclas selecio-
escolhido e
nam o tipo do
selecionam outro
veículo
dígito

Digite a Se a senha for


senha: 00000 digitada correta-
mente, o VCO-950
habilita a escolha
de modelos.

Senha incor- Tipo de veí-


reta culo habili-
tado
Se a senha for
digitada incorreta-
mente, será Habilitar
outro tipo
necessário desli- de veículo?
gar o VCO-950 e
ligá-lo novamente

Outro modelo?
NÃO SIM

Pronto para iniciar os testes

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 29


Impressão

O VCO-950 está preparado para acionar impressoras do padrão ASCII. Impres-


soras com um padrão diferente deste, podem imprimir alguns caracteres estra-
nhos e diferentes dos esperados.
Ao conectar a impressora ao VCO-950, certifique-se de que a impressora esteja
desligada.
O VCO-950 pode ser desligado e levado até a impressora mais próxima, à qual
deve ser ligado novamente (utilize a fonte de 12 Volts DC fornecida no Kit da
maleta).
Ao tornar a ligar o VCO-950 com a finalidade de imprimir os resultados, na tela
que se lê “OUTRO MODELO - SIM ou NÃO” coloque a opção “NÃO” e vá para a
opção “IMPRESSÃO”.

Obs: Ao ligar a fonte de alimentação verificar a tensão 110 ou 220.

PARA FONTE 12 DC

CABO DE
ALIMENTAÇÃO

IMPRESSORA

CABO DE IMPRESSÃO

A - 30 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Impressão

IMPRESSÃO DE RELATÓRIOS

Opcao: 2/4
2.Impressao?

Imprime Data?
Nao Sim
Continua na página seguinte.

O cursor fica piscando em cima do dia.


Escolha Data A seta aumenta de 1 a 31
1/ 1/ 95 ea diminui.

A tecla fixa o dia.

O cursor fica piscando em cima do mês.


Escolha Data A seta aumenta de 1 a 12
1/ 1/ 95 ea diminui.

A tecla fixa o mês.

O cursor fica piscando em cima do ano.

Escolha Data A seta aumenta a partir de


1/ 1/ 95 95.

diminui.

A tecla fixa o ano.

Continua na página seguinte.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 31


Impressão

continuação
Imprime Placa?
Nao Sim

Escolha Placa O cursor fica piscando em cima do


primeiro digito.
0000
A seta aumenta de 0 a 9

ea diminui.

A tecla fixa o mês.


Escolha Placa
0000

Escolha Placa
0000

Escolha Placa
0000

Impressora
Ligada?

Imprimindo... Erro de Impress

Teclando retorna à página anterior.

A - 32 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Impressão

EXEMPLOS DE RESULTADOS DE IMPRESSÃO


a) Impressão apresentando somente códigos de erros presentes:

####################################################
SCANNER VCO-950
Data: 06 / 02 / 00
Placa: 1234
Sistema:
####################################################
CODIGOS DE DEFEITOS PASSADOS:
Nenhuma Falha Foi Detectada !!
CODIGOS DE DEFEITOS PRESENTES:
Cod. 523 Sensor Temp. Ar
Int/CC Vbat
Cod. 537 Regul. Temperatura óleo
Falha
RESPONSAVEL:

b) Impressão apresentando somente códigos de erros passados:

####################################################
SCANNER VCO-950
Data: 06 / 02 / 00
Placa: 1234
Sistema:
####################################################
CODIGOS DE DEFEITOS PASSADOS:
Cod. 523 Sensor Temp. Ar
Int/CC Vbat
Cod. 537 Regul. Temperatura óleo
Falha
CODIGOS DE DEFEITOS PRESENTES:
Nenhuma Falha Foi Detectada ! !
RESPONSAVEL:

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 33


Impressão

c) Impressão apresentando códigos de erros passados e presentes:

####################################################
SCANNER VCO-950
Data: 06 / 02 / 00
Placa: 1234
Sistema:
####################################################
CODIGOS DE DEFEITOS PASSADOS:
Cod. 530 Reg Valv. Marcha-lenta
Int/CC Vbat
CODIGOS DE DEFEITOS PRESENTES:
Cod. 518 Potenc. Pedal acelerador
Int/CC Vbat
RESPONSAVEL:

d) Impressão quando não são lidos os códigos de falha:

####################################################
VCO-950
Data: 06 / 02 / 00
Placa: 1234
Sistema:
####################################################
Teste Nao Executado

A - 34 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

SISTEMA DE INJEÇÃO ELETRÔNICA NGD 9.3 DIAGNÓSTICO


1 Menu Principal

Opcao: 1/4 Continua no item 2 deste


1.Teste? manual.

Opcao: 2/4 Imprime relatório dos


códigos de defeitos.
2.Impressão? Ver pág. 30

Opcao: 3/4 Apaga memória de


defeitos da ECM.
2.Apaga Memo? Ver pág. 18

Opcao: 4/4 Número de identificação


2.Numero ECM? da ECM. Ver pág. 19

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 35


Manual de Operações

2 Menu Testes

Teste: 1/4 Continua no item 3 deste


1.Cod. Defeitos? manual.

Efetua diversas leituras


Teste: 2/4 de parâmetros do
2.Leituras? sistema. Continua no item
4 deste manual.

Efetua diversas leituras


Teste: 3/4 de parâmetros do
2.LeitEspeciais? sistema. Continua no item
5 deste manual.

Teste: 4/4 Continua no item 6


2.Atuadores? deste manual.

3 Códigos de Defeito

Defeito: 1/2 Consulte a tabela de


1.Def.Presentes? defeitos.

Defeito: 2/2 Consulte a tabela de


1.Def.Passados? defeitos.

A - 36 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

Os códigos são apresentados como na tela abaixo:

Código (SPN) Sintoma(FMI) Contador

Cod.1800-01 01
Pisca Alerta

Mensagem

FMI=0 Dados válidos mas acima da faixa operacional normal


FMI=1 Dados válidos mas abaixo da escala operacional normal
FMI=2 Dados errados, intermitentes, ou incorretos
FMI=3 Tensão acima do normal, ou curto-circuitada à bateria
FMI=4 Tensão abaixo do normal, ou curto-circuitada à massa
FMI=5 Corrente abaixo do normal ou circuito aberto
FMI=6 Corrente acima do normal ou circuito aterrado
FMI=7 Sistema mecânico não responde ou fora do ajuste
FMI=8 Freqüência ou largura de pulso anormal
FMI=9 Taxa atualização anormal
FMI=10 Taxa de mudança anormal
FMI=11 Causa raiz desconhecida
FMI=12 Dispositivo ou componente inteligente ruim
FMI=13 Fora da calibração
FMI=14 Instruções especiais
FMI=15 Dados válidos mas acima da faixa operacional normal - nível pouco
severo
FMI=16 Dados válidos mas acima da faixa operacional normal - nível
moderadamente severo
FMI=17 Dados válidos mas abaixo da faixa operacional normal - nível
pouco severo
FMI=18 Dados válidos mas abaixo da faixa operacional normal - nível
moderadamente severo
FMI=19 Erro de dados recebido da rede
FMI=20 Reservado para atribuição do SAE
FMI=31 Não disponível ou condição inexistente

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 37


Manual de Operações

Tabela de códigos de defeito

Código Mensagem Descrição


70 InterrFreioEstac Interruptor do freio de estacionamento
84 SensorVelocidade Velocidade do veículo em relação a roda
91 Pedal Acelerador Posição do pedal do acelerador
94 PressaoCombustiv Pressão do combustível
97 SensorAguaCombus Indicador de água no combustível
100 SensorPressOleoM Pressão do óleo do motor
102 SensorPressTurbo Pressão do turbo
103 Atua1GeometTurbo Turbo de geometria variável
105 SensorTempArAdm Temperatura do ar de admissão
108 SensorPressAtmos Pressão atmosférica
110 SensorTemperAgua Temperat. do liquido de arrefecim. do motor
111 SensorNivelAgua Nível do líquido de arrefecimento do motor
164 PressaoInjecComb Controle de pressão de injeção
168 TensaoAlimentECM Tensão de bateria
175 SensorTempOleoMt Temperatura do óleo do motor
190 SobreRotacao Rotação acima do limite máximo
590 Idle Shutdown Estado do temporizador de desligamento
596 IntPTO/PilAut Habilitação do piloto automático e do PTO
597 Int.1.Ped.Freio Estado do interruptor do freio
1378 IntervaloServico Intervalo de serviço excedido
1442 PressaoInjecComb Controle de pressão de injeção
2791 Valvula EGR Posição da válvula EGR
7062 Retarder Retarder do veiculo
7121 Freio Motor Freio motor
7129 PresRetorEscape Pressão de retorno do escape
7136 Atua1GeometTurbo Turbo de geometria variável
7139 Freio Motor Controle de pressão do freio motor
7260 LampAdvertencia Lâmpada de advertência do motor
7261 Lamp Oleo / Agua Lâmpada de óleo e água
7269 DesabilitIgnicao Desabilitação do solenóide de Ignição

A - 38 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

Código Mensagem Descrição


7270 Luz InspecaoOleo Luz do intervalo de revisão do óleo
7271 SolenoidRadiador Solenóide do radiador (Radaitor Shutter)
7272 Ventilador Motor Controle do ventilador
8001 Cilindro 1 Cilindro 1
8002 Cilindro 2 Cilindro 2
8003 Cilindro 3 Cilindro 3
8004 Cilindro 4 Cilindro 4
8005 Cilindro 5 Cilindro 5
8006 Cilindro 6 Cilindro 6
8021 SensFaseComaValv Sensor do comando de válvula
8022 Driver Injecao IDM-Driver de injeção
8035 SolRegPressEscap Regulador de pressão de escape
8064 Sens. Rotacao Sensor de rotação
8146 Sistema EGR Modulo de comunicação do sistema EGR
8151 BancoCapacitor 1 Banco de capacitores 1
8152 BancoCapacitor 2 Banco de capacitores 2
8155 Bus de Dados CAN Comunicação CAN entre IDM2/ECM2
8221 Driver Injecao Relé do drive de injeção - IDM
8233 Driver Injecao Ignição do driver de injeção-IDM
8240 ParametProgramav Lista de parâmetros programáveis
Linha de comunicação entre motor e
8248 Comunicacao
transmissão
8250 Comunicacao Link de comunicação ATA
8252 MauFuncionameECM Configuração da EECM
8253 MauFuncionameECM Configuração da EECM
8254 MauFuncionameECM Configuração da EECM
8300 Pedal Acelerador Sinal da posição do acelerador
8301 PedalAcelerSens2 Sinal da posição do acelerador 2
8302 BotaoPartidRemot Botão de partida remota
8303 BotaoPartidRemot Botão de partida remota

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 39


Manual de Operações

4 Leituras
Mensagem Descrição
Bateria 0000.0V Tensão da bateria
CargaMotor 000% Porcentagem do torque atual na rotação atual
ConIn 0000.00L/h Média de consumo
EcoIns 000.0km/L Consumo instantâneo
EcoMed 000.0Km/L Consumo médio
Eixo2Vel 0000RPM Rotação do eixo de duas velocidades
Freio MotorAlto L Estado do freio na condição alta - L/D/E/N (ligado
desligado/erro/não disponível)
Freio MotorBaix L Estado do freio na condição baixa - L/D/E/N
(ligado/desligado/erro/não disponível)
IntAcel Piloto L Estado do interruptor "accelerate" do piloto
automático - L/D/E/N (ligado/desligado/erro/não
disponível)
IntCoast Pilot L Estado do interruptor "coast" do piloto automático
- L/D/E/N (ligado/desligado/erro/não disponível)
IntPilotoAuto L Estado da habilitação do piloto automático - L/D
E/N (ligado/desligado/erro/não disponível)
IntResumePil L Estado do interruptor "resume" do piloto
automático - L/D/E/N (ligado/desligado/erro/não
disponível)
IntSetPiloto L Estado do interruptor "set" do piloto automático -
L/D/E/N (ligado/desligado/erro/não disponível)
InterrEixo2Vel A Chave de duas velocidades - Sinal da chave que
indica a variação corrente do eixo - A/B/E/N (alto
baixo/erro/não disponível)
InterrEmbreag L Estado do interruptor da embreagem - L/D/E/N
(ligado/desligado/erro/não disponível)
InterruptFreio L Estado do interruptor do freio - L/D/E/N (ligado
desligado/erro/não disponível)
LimiteVelocida L Estado do limite de velocidade - L/D/E/N (ligado
desligado/erro/não disponível)
MLDesligaAutom L Estado do temporizador de marcha-lenta - L/D/E/N
(ligado/desligado/erro/não disponível)

A - 40 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

Mensagem Descrição
PTO Modo 00000 00000 Desligado
00001 Velocidade estável
00010 Velocidade estável pelo modo remoto
00011 Standby
00100 Remote Standby
00101 Set
00110 Coast
00111 Resume
01000 Accelerat
01001 Accelerator Override
Outros Não disponíveis
PTO Vel 0000RPM Rotação desejada para o PTO
Pedal Acel 000% Posição do pedal do acelerador
PilAutMi 000km/h Velocidade desejada pelo piloto automático
PilMnVel 000km/h Mínima velocidade do piloto automático
PilMxVel 000km/h Máxima velocidade do piloto automático
Piloto Auto 000 000 Desligado
001 Velocidade estável
010 Acelerando
011 Desacelerando
100 Resume - retomando o valor anterior
101 Set - Estabilizando o valor atual
110 Interrompido pelo acelerador
111 Não disponível
PrCombus 0.00bar Pressão do combustível
PrOleoMo 0.00bar Pressão do óleo do motor
PrRail 000bar Pressão no Rail
PreTurbo 0.00bar Pressão do turbo
PresAtm 0000mBar Pressão atmosférica
RotMxLiv 0000RPM Máxima rotação do motor
Rotacao 0000RPM Rotação do motor
TempAgua 000°C Temperatura da água
TempArAdm 000°C Temperatura do ar de admissão
TempOleoM 0000°C Temperatura do óleo do motor
VelIns 000.0km/h Velocidade do veículo em relação a roda
VelMax 000km/h Limite máximo de velocidade

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 41


Manual de Operações

5 Leituras especiais

Mensagem Descrição
Consumo Viagem 000L Consumo da viagem
DistProxRevisao
000000km Distância para a próxima revisão
Fabricante 0000 Fabricante
Modelo ECM 0000 Modelo
NroIdentificSoft 00000 Identificação do software
NroSerieMotor 00000 Número de série
Numero do Modulo
00000000 Número da ECU
TempoOperRevisao 000h Tempo operacional para a próxima revisão
TotalCombParado 000L Total combustível usado em marcha-lenta
TotalCombUsado 000L Total combustível usado
TotalDistRodada 000km Distância total do veículo
TotalHorasMotor 000h Total de horas do motor
TotalHorasParado 000h Total de horas em marcha-lenta

6 Atuadores

Motor Ligado

Mensagem Descrição
Teste Padrao Teste padrão
Sistema de Ar Sistema de ar
VNT Baixo Turbo baixo
VNT Medio Turbo médio
VNT Alto Turbo alto
CorteCilind.1 Corte cilindro 1
CorteCilind.2 Corte cilindro 2
CorteCilind.3 Corte cilindro 3
CorteCilind.4 Corte cilindro 4
CorteCilind.5 Corte cilindro 5
CorteCilind.6 Corte cilindro 6

A - 42 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

Corte de cilindro: Identifica desvios de potência individualmente para cada cilindro.


Portanto se algum cilindro indicar valores muito diferentes dos outros, significa
que o cilindro não está se comportando como os outros.
Os testes devem ser feitos com o motor ligado e aquecido. O primeiro teste
a ser realizado deve ser o “Teste Padrão”.

Teste Padrão/ Sistema de ar/ Turbo baixo / Turbo médio / Turbo alto

Atuador: 1/11
1.Teste Padrao

Aguarde...

Teste Terminado!

Volta para o
menu

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 43


Manual de Operações

Corte cilindro 1

Atuador: 6/11
1.CorteCilind.1

Aguarde... Aproximadamente uns


30 segundos nesta tela.

Rmax RPM Apresenta o menor e a


maior rotação durante o
Rmin RPM teste.

Volta para o
menu

Motor parado
Mensagem Descrição
Teste Padrao Teste padrão
Teste Injetor Teste injetor
TestSaidaBaixa Teste saída de ar baixa
TestSaidaAlta Teste saída de ar alta
Teste Compress Teste de compressão

A - 44 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

Teste padrão

Atuador: 1/1
1.Teste Padrao

Aguarde...

Teste Terminado!

Volta para o
menu

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 45


Manual de Operações

Teste injetor

Atuador: 5/5
1.Teste Compress

Aguarde...

Aperte a embreagem e
Ligue o Motor tente dar a partida no
motor até a aparecer a
tela seguinte

Cilindro1 XXX%
Cilindro2 XXX%

Cilindro3 XXX%
Cilindro4 XXX%

Cilindro5 XXX%
Cilindro6 XXX%

Volta para o
menu

A - 46 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

Teste injetor

Atuador: 2/5
2.Teste Injetor

Aguarde...
X.Atuador

<-L Ligado D-> <-L Deslig D->


X.Atuador X.Atuador

Volta para o
menu

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 47


Manual de Operações

Teste saída de ar baixa

Atuador: 3/5
3.TestSaidaBaixa

Aguarde...
X.Atuador

<-L Ligado D-> <-L Deslig D->


X.Atuador X.Atuador

Volta para o
menu

A - 48 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

Teste saída de ar alta

Atuador: 4/5
4.TestSaidaAlta

Aguarde...
X.Atuador

<-L Ligado D-> <-L Deslig D->


X.Atuador X.Atuador

Volta para o
menu

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 49


Manual de Operações

SISTEMA DE INJEÇÃO ELETRÔNICA NGD 9.3 PROGRAMAÇÕES


1 Menu Principal

Opcao: 1/1 Continua no item 2 deste


1.Teste? manual.

2 Menu Testes
Efetua diversas leituras
Teste: 1/2 de parâmetros do
1.LeitEspeciais? sistema. Continua no item
3 deste manual.

Ajusta parâmetros do
Teste: 2/2 Volksguard.
Obs.: Necessita de senha.
2.VOLKSGUARD? Continua no item 4 deste
manual.

3 Leituras especiais

Mensagem Descrição
LimiteRotacaoPTO
Limite superior de rotação do PTO
XXXXXRPM
MaxRotacSelcPTO
Máxima rotação selecionada do PTO
XXXXRPM
MaxVelocidadVeic Máxima velocidade do veículo com limite
XXXkm/h habilitado
Modelo Veiculo
Nome do modelo do veiculo
XXXXXXXXXXXXXX
NroChassiVeic
Número do chassi do veiculo
XXXXXXXXXXXX

A - 50 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

4 Volksguard
Procedimentos para realização dos ajustes (o motor deve estar desligado):
Depois de ajustar as funções do Volksguard é necessário teclar "Retorna" até voltar
para o menu "Opção" e desligar a ignição por no mínimo 10 segundos.
Quando ligar a ignição os ajustes serão concluídos.

Mensagem Descrição
AjustTemporML Ajuste do tempo para o temporizador da marcha-lenta
Ano Ano do veículo
MaxVelocidade Ajuste da máxima velocidade do veículo
Modo TemporML Seleciona o modo de operação do temporizador da
marcha-lenta
MxVelHabilita Habilita da máxima velocidade do veículo
Nome Nome de identificação do veículo
PTO Habilita Habilita o PTO
PTO LimRotac1 Ajuste do valor do nível 1 da rotação
PTO LimRotac2 Ajuste do valor do nível 2 da rotação
PTO LimRotac3 Ajuste do valor do nível 3 da rotação
PTO MxVelVeic Máxima velocidade do veiculo com o PTO ativado
PTOHabEmbreag Habilita a embreagem para as condições de ativação
do PTO
PTOHabFreiEst Habilita o freio de estacionamento para as condições
de ativação do PTO
PTOHabFreio Habilita o freio para as condições de ativação do PTO
PTOHabLimPeda Habilita o limite do pedal do acelerador quando
ativado o PTO
PTOInibeAcele Inibe o pedal do acelerador quando o PTO estiver
acionado
PTOMnRotMotor Mínima rotação do motor com o PTO
PTOMxRotMotor Máxima rotação do motor com o PTO
PTOTaxaIncrem Taxa de incremento do PTO
RotMax semVSS Máxima rotação sem o sensor de velocidade
VIN VW Identificação Volkswagen
Volksnet Habilita a interrupção remota Volksnet

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 51


Manual de Operações

Modo temporizador da marcha-lenta

Volksguard: 1/21
1.Modo TemporML

Deseja Ajustar
o VOLKSGUARD?

Procedimento VW
Foi Consultado?

<- - Valor + ->


Modo0

Aguarde...

Ajuste Realizado

Volta para o
menu

A - 52 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

Ajuste temporário da marcha-lenta

Volksguard: 2/21
2.AjustTemporML

Deseja Ajustar
o VOLKSGUARD?

Procedimento VW
Foi Consultado?

<- - Valor + ->


xxxmin

Aguarde...

Ajuste Realizado

Volta para o
menu

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 53


Manual de Operações

Máxima velocidade de habilitação/ PTO Habilita/ PTOHabEmbreag/


PTOHabFreiEst/ PTOHabFreio/ PTOHabLimPeda/ PTOInibeAcele/ Volksnet

Volksguard: 3/21
3.MxVelHabilita

Deseja Ajustar
o VOLKSGUARD?

Procedimento VW
Foi Consultado?

O Fabricante PTO
Foi Consultado?

<-D Funcao H-> <-D Funcao H->


Habilitada Desabilitada

Aguarde...

Ajuste Realizado

Volta para o
menu

A - 54 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

PTO máxima velocidade do veículo

Volksguard:11/21
4.PTO MxVelVeic

Deseja Ajustar
o VOLKSGUARD?

Procedimento VW
Foi Consultado?

O Fabricante PTO
Foi Consultado?

<- - Valor + ->


xxxkm/h

Aguarde...

Ajuste Realizado

Volta para o
menu

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 55


Manual de Operações

PTO de limite de rotação 1/ PTO de limite de rotação 2/ PTO de limite de


rotação 3/ PTOMnRotMotor/ PTOMxRotMotor/ RotMax semVSS
Volksguard:12/21
12.PTO LimRotac1

Deseja Ajustar
o VOLKSGUARD?

Procedimento VW
Foi Consultado?

O Fabricante PTO
Foi Consultado?

<- - Valor + ->


xxxRPM

Aguarde...

Ajuste Realizado

Volta para o
menu

A - 56 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

PTO de taxa de incrementação

Volksguard:17/21
17.PTOTaxaIncrem

Deseja Ajustar
o VOLKSGUARD?

Procedimento VW
Foi Consultado?

O Fabricante PTO
Foi Consultado?

<- - Valor + ->


xxxRPM/seg

Aguarde...

Ajuste Realizado

Volta para o
menu

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 57


Manual de Operações

Ano

Volksguard: 7/21
7.Ano

Deseja Ajustar
o VOLKSGUARD?

Procedimento VW
Foi Consultado?

<- - Valor + ->


xxxx

Aguarde...

Ajuste Realizado

Volta para o
menu

A - 58 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Manual de Operações

VIN VW

Volksguard: 8/21
8.VIN VW

Deseja Ajustar
o VOLKSGUARD?

Procedimento VW
Foi Consultado?

VIN: XXXXXXXXX
XXXXXXXXXXX

Aguarde...

Ajuste Realizado

Volta para o
menu

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ A - 59


Manual de Operações

Nome

Volksguard: 9/21
9.Nome

Deseja Ajustar
o VOLKSGUARD?

Procedimento VW
Foi Consultado?

Nome: XXXXXXXXX
XXXXXXXXXXX

Aguarde...

Ajuste Realizado

Volta para o
menu

A - 60 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Parte B

Informações gerais
Página deixada em branco intencionalmente

B-2 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Índice

Ìndice

Introdução ................................................................................................... 4
Informações Gerais ..................................................................................... 9

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ B - 3


Introdução

Luzes de advertência, alarme e códigos de falhas

Luzes de aviso
• LUZES DE AVISO VERMELHAS INDICAM ADVERTÊNCIA IMPORTANTE
PARA O MOTORISTA OU UMA FALHA GRAVE NO VEÍCULO.
O VEÍCULO NÃO DEVE SER POSTO EM MOVIMENTO COM QUALQUER
UMA DESTAS LUZES DE AVISO ACESA. CASO SE ACENDA COM O
VEÍCULO EM MOVIMENTO, PARE ASSIM QUE AS CONDIÇÕES DE
TRÂNSITO OFERECEREM SEGURANÇA E PROCURE CORRIGIR O
PROBLEMA.
• LUZES AMARELAS INDICAM QUE ALGUM DISPOSITIVO AUXILIAR FOI
ACIONADO OU QUE ALGUMA FALHA LEVE ESTÁ OCORRENDO (ÁGUA
NO COMBUSTÍVEL, RESTRIÇÃO NO FILTRO DE AR, ETC). EM CASO DE
FALHA LEVE, NÃO É NECESSÁRIO PARAR O VEÍCULO
IMEDIATAMENTE, MAS A FALHA DEVE SER CORRIGIDA NA PRIMEIRA
OPORTUNIDADE.
• LUZES VERDES/AZUL INDICAM ACIONAMENTO DE ILUMINAÇÃO
EXTERNA.

Alarme sonoro
O alarme sonoro, em conjunto com os instrumentos do painel, a tela de display
e as luzes de aviso, forma um sistema de alarme múltiplo, ou seja, qualquer
anormalidade em algum dos sistemas indicados abaixo pode ser identificada
pelo alarme sonoro e confirmados através dos instrumentos e das luzes de
aviso. O alarme sonoro soa nas seguintes condições:
• BAIXA PRESSÃO DO ÓLEO DO MOTOR
• SUPERAQUECIMENTO DO MOTOR
• PRESSÃO BAIXA NO SISTEMA DE FREIO
• CABINA DESTRAVADA
• NÍVEL BAIXO DO LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO

B-4 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

Tela de display do computador de bordo

A tela de display no centro do painel de instrumentos possui uma série de


símbolos permitindo a visualização e identificação rápida de qualquer anor-
malidade nos sistemas do veículo, sendo utilizada também com mostrador
digital do computador de bordo.

Luzes de aviso do Display

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ B - 5


Introdução

B-6 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Introdução

Sistema de autoproteção do motor

O motor eletrônico informa, através das luzes de aviso no painel, possíveis


falhas em seus componentes ou sistemas.
As luzes amarelas de advertência indicam que uma falha leve está ocorrendo.
Não é necessária a parada imediata do veículo.
Dirija-se a um Concessionário Volkswagen Caminhões na primeira oportunidade
para corrigir a falha e apagá-la da memória do ECM.
Algumas falhas podem iniciar o despotenciamento do motor, ou seja, o motor
começa a perder potência.
O sistema de autoproteção é ativado para:
• Superaquecimento do motor
• Baixo nível do líquido de arrefecimento
• Baixa pressão do óleo lubrificante.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ B - 7


Introdução

Quando ocorrer qualquer anormalidade ou falha no veículo, o computador de


bordo notifica o motorista através do símbolo correlacionado a luzes de aviso
que sobrepõem às telas de informações juntamente com o alarme sonoro.
Exemplo de notificação de baixa prioridade:
1) Símbolo de falha leve
2) Falha no motor

B-8 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Informações Gerais

Apresentação dos sensores e atuadores

Sensor de rotação (CKP)

• Está localizado na carcaça do volante.


• É um sensor indutivo, que portanto, gera a própria
tensão, através de uma roda dentada de 60 -2 dentes.
informando ao ECM a velocidade do volante.
• Este sinal é utilizado para cálculo de início de injeção,
ângulo de injeção e RPM do motor.

Sensor de fase (CMP)

• Está localizado na tampa dianteira do motor.


• É um sensor indutivo, que portanto, gera a própria
tensão, através de um pino instalado da engrenagem
do eixo comando, informando a posição do 1º cilindro.
• Este sinal é utilizado para determinar em qual cilindro
ocorrerá a injeção.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ B - 9


Informações Gerais

Sensor de temperatura de óleo lubrificante (EOT)

• Está localizado na parte traseira da tampa frontal do


motor.
• É um sensor do tipo termistor, alimentado pelo ECM
com 5 Volts.
• Monitora a temperatura do óleo lubrificante, para a
estratégia de segurança, em caso de
superaquecimento do óleo lubrificante.

Sensor de temperatura do líquido de


arrefecimento (ECT)

• Está localizado no suporte do alternador, no canal


de passagem de água do aquecedor.
• É um sensor do tipo termistor, alimentado pelo ECM
com 5 Volts.
• Monitora a temperatura do líquido refrigerante, para
a estratégia de segurança, em caso de
superaquecimento do líquido refrigerante do motor.

Sensor de temperatura do ar admitido (MAT)

• Está localizado à direita no coletor de admissão.


• É um sensor do tipo termistor, alimentado pelo ECM
com 5 Volts.
• Monitora a temperatura do ar admitido.
• O ECM utiliza esse sinal para cálculo do tempo de
injeção.

B - 10 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Informações Gerais

Sensor de pressão de óleo lubrificante (EOP)

• Está localizado no bloco do motor, à esquerda do


alojamento do filtro de combustível.
• É um sensor de capacitância variável, que monitora
a pressão no sistema de lubrificação.

Sensor de controle de pressão de injeção (ICP)

• Está localizado no tubo do rail, a esquerda da válvula


de corte do freio motor.
• É um sensor de capacitância variável alimentado com
5 Volts pelo ECM.
• Monitora a pressão do óleo lubrificante que aciona
os injetores de combustível.

Sensor de controle de pressão do freio motor

• Está localizado na parte frontal do tubo do rail.


• É um sensor de capacitância variável alimentado com
5 Volts pelo ECM.
• Monitora a pressão do óleo lubrificante que aciona
os pistões do freio motor.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ B - 11


Informações Gerais

Sensor de pressão de combustível do motor


(EFP)

• Está localizado na parte traseira do conjunto do filtro


de combustível.
• É um sensor de capacitância variável, alimentado
com 5 Volts pelo ECM.
• Monitora a pressão de combustível no sistema,
informando ao ECM a necessidade de alimentação.

Sensor de pressão absoluta (MAP)

• Está localizado a esquerda do sensor de temperatura


do ar admitido (MAT).
• É um sensor de capacitância variável, alimentado
pelo ECM com 5 Volts.
• Monitora a pressão absoluta no coletor de admissão,
informando ao ECM que utiliza esse sinal para cálculo
do tempo de injeção.

Sensor de contra pressão de escape (EBP)

• Está localizado no suporte do alternador.


• É um sensor de capacitância variável, alimentado
pelo ECM com 5 Volts.
• Monitora a contrapressão de escape e envia sinal
para o ECM que os utiliza para acionamento do
atuador do turbo.

B - 12 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Informações Gerais

Sensor de presença de água no


combustível (WIF)

• Está instalado na base do filtro de combustível.


• Monitora a presença de água no combustível.

Válvula reguladora da pressão de injeção (IPR)

• Está localizada na parte traseira da bomba de óleo


de alta pressão.
• A válvula reguladora da pressão de injeção (IPR),
trabalha com sinal PWM.
• Comandada pelo ECM, realiza a abertura da
passagem do óleo para o tubo do rail, conforme a
necessidade de pressão.

Módulo de controle do turboalimentador

• Está localizado em um suporte, fixado na carcaça


do turbo alimentador.
• É comandado pelo ECM, através de sinais PWM,
realizando a abertura ou fechamento dos vanes do
turbo.
• Atua também quando da solicitação do freio motor.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ B - 13


Parte C

Medições
Página deixada em branco intencionalmente

C-2 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Índice

Medições

Especificações mínimas do multímetro ..................................................... 04


Uso de pontas de provas especiais ........................................................... 04
Como medir a amperagem ......................................................................... 05
Como medir a tensão ................................................................................ 06
Como medir resistência ............................................................................ 07
Como fazer o teste de continuidade ........................................................... 08
Verificação nos pinos ................................................................................. 09
Pinos corroídos .......................................................................................... 09
Pinos tortos ou expandidos ....................................................................... 11
Medições do sensor de velocidade do veículo .......................................... 13
Medições no sensor de pressão de combustível (common rail) ................. 14
Medições no pedal do acelerador .............................................................. 15

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ C-3


Medições

Especificações mínimas do multímetro

Tensão DC = 500 mV a 600 V


Tensão AC = 5 V a 600 V
Corrente DC = 320 micro A até 10 A
Corrente AC = 320 micro A até 10 A
Resistência Ohm = 320 micro A até 32 Mohm
Teste de diodo
Continuidade audúvel
Temperatura (sensor termopar)

Uso de pontas de provas especiais

Para reduzir a possibilidade de danos aos pinos e ao chicote, use as pontas de


este do kit de ferramenta VCO-950 ao efetuar a medição

NOTA: Quando efetuar medidas na massa de um bloco, use uma superfície de metal
limpa e sem pintura para obter medidas precisas.

C-4 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Medições

Como medir amperagem

Certifique-se de que as pontas de prova estejam conectadas nos termi-


nais do multímetro. Consulte as instruções do fabricante do multímetro.

Abra o circuito no ponto em que a corrente deve ser medida.


Selecione a função de corrente CA(A~) ou CC (A-) no medido
Ligue a tensão no circuito sendo medido
Coloque as pontas de prova do medidor entre as extremidades do circuito aberto
para medir a amperagem e leia a medição exibida.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ C-5


Medições

Como medir tensão

Certifique-se de que as pontas de prova estejam conectadas nos termi-


nais do multímetro. Consulte as instruções do fabricante do multímetro.

Selecione a função de tensão CA (V~) ou CC (V-) no medidor


Ligue a tensão no circuito sendo medido
Encoste a ponta de prova positiva (+) do multímetro no terminal ou pino em que
está sendo medido. Encoste a outra ponta em uma superfície metálica limpa sem
pintura, que esteja conectada à massa ou ao terminal negativo (-) da bateria e leia
a medição exibida.

C-6 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Medições

Como medir resistência

Selecione a função resistência no medidor.


Certifique-se de que não haja tensão nos componentes sendo testados.
Desconecte ambas as extremidades do circuito ou do componente a ser
medido. Encoste uma das pontas de prova em uma extremidade do circuito ou
a um terminal do componente ou a ao outro terminal do componente e leia a
medição exibida

Utilize as pontas de teste apropriadas para reduzir a possibilidade de da-


nos nos pinos do conector

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ C-7


Medições

Como fazer o teste de continuidade

Selecione a função de continuidade no medidor (normalmente marcada com um


símbolo de diodo)
Certifique-se de que não exista tensão aplicada no componente sendo testado
Desconecte ambas extremidades do circuito ou do componente a ser medido.
Encoste uma ponta de prova em uma extremidade do circuito ou no outro
terminal do componente. Leia a medição exibida
Se houver um circuito aberto, o medidor não emitirá o “beep”

Utilize as pontas de teste apropriadas para reduzir a possibilidade de da-


nos nos pinos do conector

C-8 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Medições

Verificação dos pinos dos conectores

Ao desconectar os conectores durante o diagnóstico de falhas, os pinos devem


sempre ser inspencionados para certificar-se que estes não sejam a causa de
uma conexão incorreta. Você deve verificar se existem pinos tortos, corroídos
ou torcidos para trás, bem como se faltam vedações ou se estas estão
danificadas.

Umidade no conector

A umidade em um conector também pode ser a causa de problemas de


performance do sistema. Muitas vezes torna-se difícil inspencionar um conector
quanto à presença de umidade. No caso de suspeita de umidade, o conector de
ser secado com a aplicação de um limpador de contatos. Também pode ser
usado um soprador de ar quente ajustado em baixo calor para não danificar o
componente ou os fios.

NOTA: Não aplique ar comprimido nas portas do ECM ou no conector. O ar


comprimido pode conter umidade devido a condensação.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ C-9


Medições

Pinos corroídos

Inspencione ambos terminais, macho e fêmea quanto a corrosão, a qual poderá


provocar uma conexão elétrica deficiente dentro do conector. Se houver pinos
corroídos, estes deverão ser substituídos. Consulte a seção de reparos para o
conector específico.

Pinos empurrados para trás

Inspencione ambos os terminais, macho e fêmea quanto a existência de pinos


que não possam estabelecer contato por estarem empurrados para trás no
conector.
Para efetuar o reparo, empurre o pino no corpo do conector pela parte traseira
deste. Certifique-se de que este fique travado no lugar. Substitua o pino se não
houver travamento. Consulte a seção de reparos para o conector específico.

C - 10 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Medições

Pinos tortos ou expandidos

Inspencione os terminais machos do conector. Se qualquer terminal estiver


torto ou expandido de forma a não encaixar facilmente com o outro lado do
conector, o pino deverá ser substituído. Consulte a seção de reparos para o
conector específico.

O curto circuito com a massa é uma condição em que existe uma conexão
indevida de um circuito com a massa.

O procedimento para verificação de um curto circuito com a massa é o seguin-


te:
1- Desligue a chave de ignição
2- Desconecte os conectores que necessitem ser testados
a- Ao testar um sensor, desconecte-o do conector do chicote
b- Ao testar o chicote do conector ECM, desconecte também o conector do chicote
no sensor ou nos sensores múltiplos

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ C - 11


Medições

3- Identifique os pinos que necessitem ser testados


4- Inspencione os pinos do conector
5- Ajuste o multímetro para medição de resistência
6- Encoste uma das pontas de prova do multímetro no pino correto a ser
testado
7- Encoste a outra ponta de prova do multímetro no bloco do motor

Utilize as pontas de teste apropriadas para reduzir a possibilidade de da-


nos nos pinos do conector

C - 12 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Medições

Medições do sensor de velocidade do veículo

Utilizar um multímetro para executar as medições

Entre pinos A e B ou C e D
- à 25°C= 1500 à 3500 Ω
Entre pinos A ou B com C ou D
- sem continuidade

Utilize as pontas de teste apropriadas para reduzir a possibilidade de da-


nos nos pinos do conector

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ C - 13


Medições

Medições no sensor de pressão de combustível (common rail)

Utilizar um multímetro para executar as medições

Temperatura (°C) Ω)
Resistência (Ω
0 0,50
40000 (400) 1,39
70000 (700) 2,06
100000 (1000) 2,72
140000 (1400) 3,61
180000 (1800) 4,5

Utilize as pontas de teste apropriadas para reduzir a possibilidade de da-


nos nos pinos do conector

C - 14 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Medições

Medições no pedal do acelerador

Utilizar um multímetro para executar as medições

Entre pinos 2 e 3 = 1,2 K Ω

Entre pinos 1 e 5 = 1,7 K Ω

Utilize as pontas de teste apropriadas para reduzir a possibilidade de da-


nos nos pinos do conector

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ C - 15


Parte D

Diagnóstico de Falhas
Página deixada em branco intencionalmente

D-2 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Índice por Índice
Códigos de Falhas

Relação de Códigos de Falhas por Ordem Alfabética ...........................4


Índice por Códigos de Falhas .............................................................. 11
Recomendações para Diagnósticos .................................................... 15

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D-3


Relação Cód. de Falhas por Ordem Alfabética

A
Alta Tensão no Relé do IDM ----------------------------------------------- D-255
American Trucking Association (ATA) Data Link ---------------------- D-271
Atuador de Recirculação dos Gases de Escape (EGR) ----------- D-127
Atuador do Turbo Compressor de Geometria Variável (TGV) ----- D-167

B
Baixa Tensão no IDM -------------------------------------------------------- D-259
Baixa Tensão no Relé do IDM --------------------------------------------- D-257

C
Capacitor do Obturador ----------------------------------------------------- D-181
Chave de Comando de Partida Remota -------------------------------- D-297
Chave de Comando de Partida Remota -------------------------------- D-299
Chave de Comando do Controle de Velocidade (SCCS) ---------- D-115
Circuito Aberto no Banco 1 dos Injetores ------------------------------ D-245
Circuito Aberto no Banco 2 dos Injetores ------------------------------ D-249
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 1 -------------------------------------- D-187
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 2 -------------------------------------- D-193
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 3 -------------------------------------- D-199
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 4 -------------------------------------- D-205
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 5 -------------------------------------- D-211
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 6 -------------------------------------- D-217
Circuito do Freio de Estacionamento -------------------------------------- D-17
Controle do Ventilador do Motor------------------------------------------- D-183
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto do Bico Injetor nº 1 -- D-189
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto do Bico Injetor nº 2 -- D-195

D-4 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Relação Cód. de Falhas por Ordem Alfabética

Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto do Bico Injetor nº 3 -- D-201


Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto do Bico Injetor nº 4 -- D-207
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto do Bico Injetor nº 5 -- D-213
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto do Bico Injetor nº 6 -- D-219
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 1 ---------------- D-185
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 2 ---------------- D-191
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 3 ---------------- D-197
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 4 ---------------- D-203
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 5 ---------------- D-209
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 6 ---------------- D-215

D
Despotenciamento do Motor por Temperatura Acima da Faixa ----- D-83

E
ECM Instalada Incorretamente -------------------------------------------- D-223
Erro na Parametrização do ECM / EFRC ------------------------------ D-275

F
Falha de Comunicação entre o ECM e o Módulo da EGR --------- D-243
Falha de Reinicialização do ECM Inesperada ------------------------ D-287
Falha Detectada Durante Teste (AMS) ---------------------------------- D-125
Falha Interna no IDM -------------------------------------------------------- D-285
Falha na Chave do Circuito do Freio de Serviço --------------------- D-117
Falha na Comunicação entre Módulos ---------------------------------- D-253
Falha na Memória Flash ---------------------------------------------------- D-283
Falha na Memória ROM ----------------------------------------------------- D-261
Falha no Autoteste da Memória RAM ----------------------------------- D-289

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D-5


Relação Cód. de Falhas por Ordem Alfabética

Falha no Autoteste no Motor ----------------------------------------------- D-269


Falha no Autoteste OCC da Lâmpada Água / Óleo -------------------- D-41
Falha no Autoteste OCC da Lâmpada Água / Óleo ------------------ D-175
Falha no Autoteste OCC da Lâmpada de Aviso do Motor --------- D-173
Falha no Autoteste OCC do Freio Motor -------------------------------- D-137
Falha no Sistema do Freio Motor ----------------------------------------- D-143

I
Inativação do Sinal CKPO do IDM --------------------------------------- D-233
Inativação do Sinal CMPO ------------------------------------------------- D-235
Inibição de Partida do Motor ----------------------------------------------- D-177
Intervalo de Serviço Excedido -------------------------------------------- D-119

L
Lado Baixo do Banco 1 em Curto ---------------------------------------- D-247
Lado Baixo do Banco 2 em Curto ---------------------------------------- D-251
Lâmpada Indicadora de Troca de Óleo ---------------------------------- D-179
Lista de Parâmetros Programáveis do ECM Incompatíveis ------- D-265
Lista de Parâmetros Programáveis na RAM -------------------------- D-263

N
Nível de Calibração Incompatível ECM -------------------------------- D-281
Nível Refrigerante do Motor ------------------------------------------------- D-85

P
Parametrização de Campo do Motor ------------------------------------ D-267
Posição da Válvula EGR --------------------------------------------------- D-133
Pressão de Controle de Injeção (ICP) ------------------------------------ D-89

D-6 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Relação Cód. de Falhas por Ordem Alfabética

Pressão de Controle de Injeção (ICP) ------------------------------------ D-91


Pressão de Controle de Injeção (ICP) ------------------------------------ D-97
Pressão de Controle de Injeção (ICP) ------------------------------------ D-99
Pressão de Controle de Injeção (ICP) ---------------------------------- D-101
Pressão de Controle do Freio do Motor Abaixo do
Valor Esperado ---------------------------------------------------------------- D-141
Pressão de Controle do Freio Motor Acima do Esperado ---------- D-139
Pressão de Exaustão do Regulador ------------------------------------- D-237
Pressão de Retorno de Exaustão ---------------------------------------- D-145
Pressão no Retorno de Exaustão ---------------------------------------- D-157

R
Recirculação de Gases de Exaustão ----------------------------------- D-135
Regulador de Pressão de Injeção (IPR) -------------------------------- D-121
Retorno de Pressão de Exaustão ---------------------------------------- D-153
Retorno de Pressão de Exaustão ---------------------------------------- D-155
Rotação Acima do Normal no Turbocompressor ----------------------- D-61

S
Sem Sinal de Pressão de Retorno (EGR) ----------------------------- D-147
Sensor de Água no Combustível ------------------------------------------- D-39
Sensor de Contrapressão de Escape (EBP) ------------------------- D-149
Sensor de Contrapressão de Escape (EBP) ------------------------- D-151
Sensor de Controle da Pressão de Injeção (ICP) --------------------- D-93
Sensor de Controle da Pressão de Injeção (ICP) --------------------- D-95
Sensor de Controle de Pressão do Freio Motor (BCP) ------------- D-169
Sensor de Controle de Pressão do Freio Motor (BCP) ------------- D-171
Sensor de Fase do Eixo Comando de Válvulas ---------------------- D-221

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D-7


Relação Cód. de Falhas por Ordem Alfabética

Sensor de Fase do Eixo Comando de Válvulas ---------------------- D-225


Sensor de Fase do Eixo Comando de Válvulas ---------------------- D-227
Sensor de Nível do Líquido Refrigerante do Motor -------------------- D-87
Sensor de Posição do Acelerador (APS) ------------------------------ D-291
Sensor de Posição do Pedal do Acelerador (APS) -------------------- D-25
Sensor de Posição do Pedal do Acelerador (APS) -------------------- D-27
Sensor de Posição do Pedal do Acelerador (APS) -------------------- D-29
Sensor de Pressão Absoluta Barométrica (BAP) ---------------------- D-69
Sensor de Pressão Absoluta Barométrica (BAP) ---------------------- D-71
Sensor de Pressão Absoluta Freio Motor -------------------------------- D-59
Sensor de Pressão Absoluta no Coletor de Admissão --------------- D-55
Sensor de Pressão Absoluta no Coletor de Admissão --------------- D-57
Sensor de Pressão de Combustível do Motor (EFP) ----------------- D-35
Sensor de Pressão de Combustível do Motor (EFP) ----------------- D-37
Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) --------------------------- D-43
Sensor de Pressão do Óleo do Motor (EOP) --------------------------- D-45
Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) --------------------------- D-47
Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) --------------------------- D-49
Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) --------------------------- D-51
Sensor de Rotação do Motor ---------------------------------------------- D-239
Sensor de Rotação do Motor (CKP) ------------------------------------- D-111
Sensor de Rotação do Motor (CKP) ------------------------------------- D-241
Sensor de Temperatura do Ar no Coletor de Admissão (MAT) ----- D-65
Sensor de Temperatura do Ar no Coletor de Admissão (MAT) ----- D-67
Sensor de Temperatura do Líquido Refrigerante (ECT) -------------- D-77
Sensor de Temperatura do Líquido Refrigerante (ECT) -------------- D-79
Sensor de Temperatura do Óleo do Motor (EOT) -------------------- D-107

D-8 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Relação Cód. de Falhas por Ordem Alfabética

Sensor de Temperatura do Óleo do Motor (EOT) -------------------- D-109


Sensor de Velocidade do Veículo (VSS) ---------------------------------- D-19
Sensor de Velocidade do Veículo (VSS) ---------------------------------- D-21
Sensor de Velocidade do Veículo (VSS) ---------------------------------- D-23
Sensor do Pedal do Acelerador (APS) ---------------------------------- D-293
Sensor do Pedal do Acelerador (APS) ---------------------------------- D-295
Sinal de Alta Pressão de Combustível no Motor ----------------------- D-31
Sinal de Baixa Pressão de Combustível no Motor --------------------- D-33
Sinal de Posição Incorreto ------------------------------------------------- D-123
Sinal de Posição Incorreto ------------------------------------------------- D-129
Sinal de Tensão Alta no ECM ---------------------------------------------- D-103
Sinal de Tensão Baixa no ECM ------------------------------------------- D-105
Sinal do Sensor de Pressão ----------------------------------------------- D-165
Sinal Incorreto do CMPO --------------------------------------------------- D-229
Sinal Incorreto no CKPO --------------------------------------------------- D-231
Sinal Não-Plausível no MAP ------------------------------------------------ D-53
Sistema de Gerenciamento de Ar do Motor (AMS) ------------------ D-159
Sobrecarga no Turboalimentador (TGV) -------------------------------- D-161
Sobrecarga no Turbocompressor (TGV) ------------------------------- D-163
Software do ECM e IDM Não-Compatíveis---------------------------- D-273

T
Temperatura do Líquido Refrigerante do Motor ------------------------- D-73
Temperatura do Líquido Refrigerante do Motor ------------------------- D-75
Temperatura do Líquido Refrigerante do Motor ------------------------- D-81
Temporizador de Desligamento em Marcha Lenta ------------------- D-113
Turbocompressor Incapaz --------------------------------------------------- D-63

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D-9


Relação Cód. de Falhas por Ordem Alfabética

V
Valores de Parametrização ------------------------------------------------ D-277
Valores de Parametrização ------------------------------------------------ D-279
Válvula EGR ------------------------------------------------------------------- D-131

D - 10 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Índice por Códigos de Falhas

70/02 -------------------------------------------------------------------------------- D-17


84/03 -------------------------------------------------------------------------------- D-19
84/04 -------------------------------------------------------------------------------- D-21
84/08 -------------------------------------------------------------------------------- D-23
91/02 -------------------------------------------------------------------------------- D-25
91/03 -------------------------------------------------------------------------------- D-27
91/04 -------------------------------------------------------------------------------- D-29
94/00 -------------------------------------------------------------------------------- D-31
94/01 -------------------------------------------------------------------------------- D-33
94/03 -------------------------------------------------------------------------------- D-35
94/04 -------------------------------------------------------------------------------- D-37
97/04 -------------------------------------------------------------------------------- D-39
97/11 -------------------------------------------------------------------------------- D-41
100/00 ------------------------------------------------------------------------------ D-43
100/01 ------------------------------------------------------------------------------ D-45
100/03 ------------------------------------------------------------------------------ D-47
100/04 ------------------------------------------------------------------------------ D-49
100/07 ------------------------------------------------------------------------------ D-51
102/02 ------------------------------------------------------------------------------ D-53
102/03 ------------------------------------------------------------------------------ D-55
102/04 ------------------------------------------------------------------------------ D-57
102/07 ------------------------------------------------------------------------------ D-59
103/00 ------------------------------------------------------------------------------ D-61
103/01 ------------------------------------------------------------------------------ D-63
105/03 ------------------------------------------------------------------------------ D-65
105/04 ------------------------------------------------------------------------------ D-67
108/03 ------------------------------------------------------------------------------ D-69
108/04 ------------------------------------------------------------------------------ D-71
110/00 ------------------------------------------------------------------------------ D-73
110/01 ------------------------------------------------------------------------------ D-75
110/03 ------------------------------------------------------------------------------ D-77
110/04 ------------------------------------------------------------------------------ D-79
110/07 ------------------------------------------------------------------------------ D-81
110/14 ------------------------------------------------------------------------------ D-83
111/01 ------------------------------------------------------------------------------ D-85
111/02 ------------------------------------------------------------------------------ D-87
164/00 ------------------------------------------------------------------------------ D-89
164/01 ------------------------------------------------------------------------------ D-91

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 11


Índice por Códigos de Falhas

164/03 ------------------------------------------------------------------------------ D-93


164/04 ------------------------------------------------------------------------------ D-95
164/07 ------------------------------------------------------------------------------ D-97
164/10 ------------------------------------------------------------------------------ D-99
164/13 -----------------------------------------------------------------------------D-101
168/03 -----------------------------------------------------------------------------D-103
168/04 -----------------------------------------------------------------------------D-105
175/03 -----------------------------------------------------------------------------D-107
175/04 -----------------------------------------------------------------------------D-109
190/00 -----------------------------------------------------------------------------D-111
590/14 -----------------------------------------------------------------------------D-113
596/02 -----------------------------------------------------------------------------D-115
597/02 -----------------------------------------------------------------------------D-117
1378/31 ----------------------------------------------------------------------------D-119
1442/11 ----------------------------------------------------------------------------D-121
2791/00 ----------------------------------------------------------------------------D-123
2791/02 ----------------------------------------------------------------------------D-125
2791/03 ----------------------------------------------------------------------------D-127
2791/07 ----------------------------------------------------------------------------D-129
2791/08 ----------------------------------------------------------------------------D-131
2791/10 ----------------------------------------------------------------------------D-133
2791/11 ----------------------------------------------------------------------------D-135
7062/04 ----------------------------------------------------------------------------D-137
7121/00 ----------------------------------------------------------------------------D-139
7121/01 ----------------------------------------------------------------------------D-141
7121/07 ----------------------------------------------------------------------------D-143
7129/00 ----------------------------------------------------------------------------D-145
7129/01 ----------------------------------------------------------------------------D-147
7129/03 ----------------------------------------------------------------------------D-149
7129/04 ----------------------------------------------------------------------------D-151
7129/07 ----------------------------------------------------------------------------D-153
7129/10 ----------------------------------------------------------------------------D-155
7129/13 ----------------------------------------------------------------------------D-157
7136/02 ----------------------------------------------------------------------------D-159
7136/05 ----------------------------------------------------------------------------D-161
7136/06 ----------------------------------------------------------------------------D-163
7136/10 ----------------------------------------------------------------------------D-165
7136/11 ----------------------------------------------------------------------------D-167

D - 12 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Índice por Códigos de Falhas

7139/03 ----------------------------------------------------------------------------D-169
7139/04 ----------------------------------------------------------------------------D-171
7260/11 ----------------------------------------------------------------------------D-173
7261/11 ----------------------------------------------------------------------------D-175
7269/01 ----------------------------------------------------------------------------D-177
7270/11 ----------------------------------------------------------------------------D-179
7271/11 ----------------------------------------------------------------------------D-181
7272/11 ----------------------------------------------------------------------------D-183
8001/04 ----------------------------------------------------------------------------D-185
8001/05 ----------------------------------------------------------------------------D-187
8001/06 ----------------------------------------------------------------------------D-189
8002/04 ----------------------------------------------------------------------------D-191
8002/05 ----------------------------------------------------------------------------D-193
8002/06 ----------------------------------------------------------------------------D-195
8003/04 ----------------------------------------------------------------------------D-197
8003/05 ----------------------------------------------------------------------------D-199
8003/06 ----------------------------------------------------------------------------D-201
8004/04 ----------------------------------------------------------------------------D-203
8004/05 ----------------------------------------------------------------------------D-205
8004/06 ----------------------------------------------------------------------------D-207
8005/04 ----------------------------------------------------------------------------D-209
8005/05 ----------------------------------------------------------------------------D-211
8005/06 ----------------------------------------------------------------------------D-213
8006/04 ----------------------------------------------------------------------------D-215
8006/05 ----------------------------------------------------------------------------D-217
8006/06 ----------------------------------------------------------------------------D-219
8021/02 ----------------------------------------------------------------------------D-221
8021/07 ----------------------------------------------------------------------------D-223
8021/08 ----------------------------------------------------------------------------D-225
8021/12 ----------------------------------------------------------------------------D-227
8022/02 ----------------------------------------------------------------------------D-229
8022/08 ----------------------------------------------------------------------------D-231
8022/11 ----------------------------------------------------------------------------D-233
8022/12 ----------------------------------------------------------------------------D-235
8035/11 ----------------------------------------------------------------------------D-237
8064/02 ----------------------------------------------------------------------------D-239
8064/12 ----------------------------------------------------------------------------D-241
8146/07 ----------------------------------------------------------------------------D-243

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 13


Índice por Códigos de Falhas

8151/05 ----------------------------------------------------------------------------D-245
8151/06 ----------------------------------------------------------------------------D-247
8152/05 ----------------------------------------------------------------------------D-249
8152/06 ----------------------------------------------------------------------------D-251
8155/07 ----------------------------------------------------------------------------D-253
8221/03 ----------------------------------------------------------------------------D-255
8221/04 ----------------------------------------------------------------------------D-257
8233/04 ----------------------------------------------------------------------------D-259
8240/02 ----------------------------------------------------------------------------D-261
8240/11 ----------------------------------------------------------------------------D-263
8240/13 ----------------------------------------------------------------------------D-265
8240/14 ----------------------------------------------------------------------------D-267
8248/11 ----------------------------------------------------------------------------D-269
8250/02 ----------------------------------------------------------------------------D-271
8252/01 ----------------------------------------------------------------------------D-273
8252/13 ----------------------------------------------------------------------------D-275
8253/00 ----------------------------------------------------------------------------D-277
8253/01 ----------------------------------------------------------------------------D-279
8253/14 ----------------------------------------------------------------------------D-281
8254/02 ----------------------------------------------------------------------------D-283
8254/06 ----------------------------------------------------------------------------D-285
8254/08 ----------------------------------------------------------------------------D-287
8254/12 ----------------------------------------------------------------------------D-289
8300/02 ----------------------------------------------------------------------------D-291
8300/07 ----------------------------------------------------------------------------D-293
8301/02 ----------------------------------------------------------------------------D-295
8302/02 ----------------------------------------------------------------------------D-297
8303/02 ----------------------------------------------------------------------------D-299

D - 14 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Recomendações para Diagnósticos

Atenção Antes de iniciar o roteiro para solução da falha:


– Verificar se os cabos de bateria estão apertados, sem sinal de
violação ou ligação incorreta;
– Verificar se a bateria está carregando corretamente e os bornes
estão ausentes de impurezas;
– Verificar se a amperagem da bateria está de acordo com as
especificações da aplicação;
– Verificar o estado geral do alternador (regulador de tensão, ca-
bos, etc) quanto a sinais de violação ou ligação incorreta.

Atenção Para evitar danos aos pinos e ao chicote:


– Use pontas de prova próprias para o teste quando fizer uma me-
dição;
– Nunca aplique a ponta do multímetro direto no terminal em teste;

Atenção Antes de qualquer verificação no ECM:


– Inspecionar os pinos conectores dos chicotes e do ECM quanto a
corrosão, pinos tortos ou presença de umidade;
– Usar somente pontas de prova próprias para o teste ao fazer a
medição;
– Verificar todos os códigos de falha ativos.

MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 15


Recomendações para Diagnósticos

Atenção Antes de substituir o bico injetor ou reparar/substituir o chicote


elétrico:
– Inspecionar os pinos conectores dos chicotes e do ECM quanto a
corrosão, pinos tortos ou presença de umidade;
– Usar somente pontas de prova próprias para o teste ao fazer me-
dição;
– Verificar todos os códigos de falha ativos;
– Certificar que as porcas do chicote estejam apertadas nos termi-
nais do solenóide do injetor, conforme o valor correto de torque
– Inspecionar as porcas com terminal dos injetores e certificar de
que não há curto circuito com a massa entre os fios e qualquer
parte metálica sob a tampa de válvulas.

Antes de substituir qualquer componente do sistema de alta pres-


são de combustível:
Atenção – Inspecionar os pinos conectores dos chicotes e do ECM quanto a
corrosão, pinos tortos ou presença de umidade;
– Usar somente pontas de prova próprias para o teste ao fazer a
medição;
– Verificar todos os códigos de falha ativos

Antes de substituir sensores e/ou reparar/substituir o chicote elé-


trico:
Atenção – Inspecionar os pinos conectores dos chicotes e do ECM quanto a
corrosão, pinos tortos ou presença de umidade;
– Usar somente pontas de prova próprias para o teste ao fazer a
medição;
– Verificar todos os códigos de falha ativos

D - 16 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Circuito do Freio de Estacionamento 70/02
Generalidades

O Sistema de Freio de Estacionamento visa a segurança de pessoas bem como do


próprio veículo.É um recurso à disposição do condutor, que deve ser acionado toda
vez que o veículo for estacionado.Falhas no circuito elétrico de acionamento do freio
motor são armazenadas pelo ECM e podem ser acessadas por meio da ferramenta
VCO 950.

Causa
Falha na chave de circuito de freio de estacionamento.
Descrição da Falha
O SPN 70-2 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Falha no circuito da chave de freio de estacionamento.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 17
Códigos de Falhas
70/02 Circuito do Freio de Estacionamento

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico do interruptor do freio de
- Verificar fusível F1 de 5A do relé linha 15;
estacionamento desconectado; NÃO - Trocar, se necessário;
- Medir tensão de alimentação no pino 1 do
- Apagar o código de falhas;
conector do interruptor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deverá ser 24V.
- Está ok?
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada, chicote
elétrico do ECM e lado interruptor do freio de - Chicote interrompido.
estacionamento desconectado; NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico do - Apagar o código de falhas;
sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deverá ter continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do ECM e interruptor do freio de - Chicote elétrico em curto ao terra do veículo.
estacionamento desconectados; NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade entre o chicote elétrico - Apagar o código de falhas;
do interruptor e o terra do veículo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com o veículo estacionado e a chave de
ignição ligada; - Interruptor de acionamento do freio do
- Acionar o interruptor de freio de NÃO estacionamento com defeito.
estacionamento; - Trocar o interruptor do freio de acionamento;
- Desligar e ligar novamente a chave de ignição; - Apagar o código de falhas;
- A luz de anomalia não deve indicar falha da - Refazer o teste e liberar o veículo.
chave de estacionamento.
- Está ok?
SIM

- Interruptor de freio de estacionamento ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 18 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Velocidade do Veículo (VSS) 84/03
Generalidades
O VSS é um sensor de relutância magnética composto de um ímã permanente envolvido por
uma bobina captora. O ímã produz um campo magnético que atravessa o enrolamento da
bobina continuamente. Quando um metal é colocado próximo da extremidade da bobina, o
campo magnético gerado pelo ímã é aterrado. Essa alteração do campo induz uma tensão
elétrica nos enrolamentos da bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em
sentido contrário. Nesse momento, a tensão induzida é invertida.
O sensor está posicionado solidário a uma roda dentada no interior da transmissão ao girar.
Cada vez que um dente passa à frente do sensor, a relutância magnética diminui (quando não
houver passagem de dentes, a relutância magnética aumenta). Com o movimento da roda
dentada, é criado um fluxo magnético que induz uma tensão alternada na bobina captora. A
intensidade da tensão induzida depende da velocidade de rotação da roda dentada.
O ECM utilizará o sinal de sensor de velocidade para calcular a velocidade do veículo.
O VSS está ligado ao tacógrafo do veículo, através dos terminais 1, 2, 3 e 4 do conector 1
(pinos 1, 2, 3 e 4 do sensor de veloc.). É alimentado com 8V no pino 1 através do terminal 1 do
conector do tacógrafo e é aterrado no pino 2 através do terminal 2 do conector do tacógrafo.
O VSS envia sinal de velocidade para os terminais 3 e 4 do conector do tacógrafo através dos
pinos 3 e 4 do sensor.
Causa
Alta tensão no sinal do circuito do sensor de velocidade.
Descrição da Falha
O SPN 84-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- O sinal do sensor de veloc. permanecer acima do range especificado para aquele limite de veloc.;
- Curto ao positivo no circuito do sensor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o controle do piloto automático (se o veículo possuir);
- Limitará a velocidade do veículo.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 19
Códigos de Falhas
84/03 Sensor de Velocidade do Veículo (VSS)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote - Verificar: no ECM


elétrico do lado sensor desconectado; - Fusíveis F1 35A, F31 10A e F32 25A;
- Medir tensão entre os pinos 1 e 2 do chicote NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
elétrico do VSS e o terra do veículo; - Aterramento nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá ser 8V. - Reparar, se necessário.
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote interrompido.
sensor; NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico.
- Medir continuidade no chicote elétrico do VSS;
- Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no VSS;
- Com o veículo funcionando e rodando em
baixa velocidade; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar a VCO e verificar através da tela de
leitura se o sinal de velocidade está ok. - Apagar o código de falhas;
- Deverá indicar sinal de velocidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 20 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Velocidade do Veículo (VSS) 84/04
Generalidades
O VSS é um sensor de relutância magnética composto de um ímã permanente envolvido por
uma bobina captora. O ímã produz um campo magnético que atravessa o enrolamento da
bobina continuamente. Quando um metal é colocado próximo da extremidade da bobina, o
campo magnético gerado pelo ímã é aterrado. Essa alteração do campo induz uma tensão
elétrica nos enrolamentos da bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em
sentido contrário. Nesse momento, a tensão induzida é invertida.
O sensor está posicionado solidário a uma roda dentada no interior da transmissão ao girar.
Cada vez que um dente passa à frente do sensor, a relutância magnética diminui (quando não
houver passagem de dentes, a relutância magnética aumenta). Com o movimento da roda
dentada, é criado um fluxo magnético que induz uma tensão alternada na bobina captora. A
intensidade da tensão induzida depende da velocidade de rotação da roda dentada.
O ECM utilizará o sinal de sensor de velocidade para calcular a velocidade do veículo.
O VSS está ligado ao tacógrafo do veículo, através dos terminais 1, 2, 3 e 4 do conector 1
(pinos 1, 2, 3 e 4 do sensor de velocidade). É alimentado com 8V no pino 1 através do terminal
1 do conector do tacógrafo. É aterrado no pino 2 através do terminal 2 do conector do tacógrafo.
O VSS envia sinal de velocidade para os terminais 3 e 4 do conector do tacógrafo através dos
pinos 3 e 4 do sensor.

Causa
Baixa tensão do sinal do circuito do sensor de velocidade.
Descrição da Falha
O SPN 84-4 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Circuito do sensor de velocidade em aberto;
- Curto ao terra no circuito do sensor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o controle do piloto automático (se o veículo possuir);
- Limitará a velocidade do veículo.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 21
Códigos de Falhas
84/04 Sensor de Velocidade do Veículo (VSS)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico do lado do sensor desconectado; - Fusíveis F1 35A, F31 10A e F32 25A;
- Medir tensão entre os pinos 1 e 2 do chicote NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
elétrico do VSS e o terra do veículo; - Aterramento nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá ser 8V. - Reparar, se necessário.
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote interrompido.
sensor; NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico.
- Medir continuidade no chicote elétrico do VSS;
- Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no VSS;
- Com o veículo funcionando e rodando em
baixa velocidade; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar o VCO e verificar através da tela de
leitura se o sinal de velocidade está ok. - Apagar o código de falhas;
- Deverá indicar sinal de velocidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 22 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Velocidade do Veículo (VSS) 84/08
Generalidades
O VSS é um sensor de relutância magnética composto de um ímã permanente envolvido por
uma bobina captora. O ímã produz um campo magnético que atravessa o enrolamento da
bobina continuamente. Quando um metal é colocado próximo da extremidade da bobina, o
campo magnético gerado pelo ímã é aterrado. Essa alteração do campo induz uma tensão
elétrica nos enrolamentos da bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em
sentido contrário. Nesse momento, a tensão induzida é invertida.
O sensor está posicionado solidário a uma roda dentada no interior da transmissão ao girar.
Cada vez que um dente passa à frente do sensor, a relutância magnética diminui (quando não
houver passagem de dentes, a relutância magnética aumenta). Com o movimento da roda
dentada, é criado um fluxo magnético que induz uma tensão alternada na bobina captora. A
intensidade da tensão induzida depende da velocidade de rotação da roda dentada.
O ECM utilizará o sinal de sensor de velocidade para calcular a velocidade do veículo.
O VSS está ligado ao tacógrafo do veículo, através dos terminais 1, 2, 3 e 4 do conector 1
(pinos 1, 2, 3 e 4 do sensor de velocidade). É alimentado com 8V no pino 1 através do terminal
1 do conector do tacógrafo. É aterrado no pino 2 através do terminal 2 do conector do tacógrafo.
O VSS envia sinal de velocidade para os terminais 3 e 4 do conector do tacógrafo através dos
pinos 3 e 4 do sensor.
Causa
Alta freqüência no sensor de velocidade do veículo.
Descrição da Falha
O SPN 84-8 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Interferência do sinal no circuito;
- Sensor fora de posição;
- Sensor com defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o piloto automático;
- Limitará a velocidade do veículo.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 23
Códigos de Falhas
84/08 Sensor de Velocidade do Veículo (VSS)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico do lado do sensor desconectado; - Fusíveis F1 35A, F31 10A e F32 25A;
- Medir tensão entre os pinos 1 e 2 do chicote NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
elétrico do VSS e o terra do veículo; - Aterramento nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá ser 8V. - Reparar, se necessário.
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote interrompido.
sensor; NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico.
- Medir continuidade no chicote elétrico do VSS;
- Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no VSS;
- Com o veículo funcionando e rodando em
baixa velocidade; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar o VCO e verificar através da tela de
leitura se o sinal de velocidade está ok. - Apagar o código de falhas;
- Deverá indicar sinal de velocidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 24 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Posição do Pedal do Acelerador (APS) 91/02
Generalidades

O sensor de posição do acelerador (APS) é constituído de um potenciômetro linear


solidário à haste móvel de acionamento do pedal do acelerador do veículo.
Quando o pedal é acionado pelo condutor, solidariamente é acionado um cursor
deslizante sobre uma pista dupla de resistência variável internamente ao sensor. As
diferentes posições do cursor resultam em diferentes níveis de tensão que informam
ao ECM a posição momentânea do pedal do acelerador.
De posse desses dados, o ECM ajusta o tempo de injeção fornecendo o combustível
necessário à potência requerida pelo condutor.
O APS é suprido com um sinal de 5V de referência nos pinos A-1 e A-2 (X4-4 ECM)
e é aterrado no pino A-3 e A-5 ao terminal (X4-24 ECM). O sensor informa a tensão
de resposta da posição do pedal do acelerador através do pino A-4 e A-6 ao terminal
(X4-18 e X4-23 ECM).
Causa
Implausibilidade no sinal de posição do acelerador.
Descrição da Falha
O SPN 91-2 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Falha no sinal de resposta no APS (sensor de posição do acelerador).
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Limitará a rotação e a carga do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 25
Códigos de Falhas
91/02 Sensor de Posição do Pedal do Acelerador (APS)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote


- Verificar no ECM:
elétrico desconectado no lado sensor;
- Fusíveis F1, F31 e F32 ;
- Verificar tensão de alimentação nos terminais NÃO - Tensão nos terminais X3-3 , X4-1 e X4-2 ;
A-1 e A-2 do chicote do sensor;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- O valor deverá ser de 5V.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
- Medir continuidade no chicote elétrico do
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
sensor nos terminais A-1, A-2, A-3, A-4, A-5 - Apagar o código de falhas;
e A-6; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote em curto com o terra do veículo;
sensor;
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o cabo de resposta do sensor nos terminais - Refazer o teste e liberar o veículo.
A-4 e A-6;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Sensor com defeito.
elétrico do sensor conectado; NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Apagar o código de falhas;
- Ligar o motor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Verificar através da ferramenta a resposta
elétrica do sensor APS;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo. Pino A-4 do Pino A-6 do
- Está ok? conector do pedal conector do pedal
SIM Posição
do Pedal Tensão de Resposta Tensão de Resposta
% Potenciômetro 1 Potenciômetro 2
- Sensor APS ok.
- Apagar o código de falhas; 0 0,76 V 0,38 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 20 1,38 V 0,69 V
40 1,92 V 0,93 V
60 2,52 V 1,26 V
80 3,10 V 1,55 V
100 4,60 V 2,30 V

D - 26 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Posição do Pedal do Acelerador (APS) 91/03
Generalidades
O sensor de posição do acelerador (APS) é constituído de um potenciômetro linear solidário à
haste móvel de acionamento do pedal do acelerador do veículo.
Quando o pedal é acionado pelo condutor, solidariamente é acionado um cursor deslizante
sobre uma pista dupla de resistência variável internamente ao sensor. As diferentes posições
do cursor resultam em diferentes níveis de tensão que informam ao ECM a posição momentânea
do pedal do acelerador.
De posse desses dados, o ECM ajusta o tempo de injeção fornecendo o combustível necessário
à potência requerida pelo condutor.
O APS é suprido com um sinal de 5V de referência nos pinos A-1 e A-2 (X4-4 ECM) e é aterrado
no pino A-3 e A-5 ao terminal (X4-24 ECM). O sensor informa a tensão de resposta da posição
do pedal do acelerador através do pino A-4 e A-6 ao terminal (X4-18 e X4-23 ECM).

Causa
Tensão alta no circuito do sensor de posição do pedal do acelerador (APS).
Descrição da Falha
O SPN 91-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,55V por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao positivo no cabo de resposta elétrica do sensor;
- Chicote elétrico aberto no sensor APS;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do APS;
- Continuará operando o motor com rotação e carga reduzidas;
- A resposta elétrica do sensor ficará limitada a 50% de sua capacidade de aceleração.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 27
Códigos de Falhas
91/03 Sensor de Posição do Pedal do Acelerador (APS)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote


- Verificar no ECM:
elétrico desconectado no lado sensor;
- Fusíveis F1, F31 e F32 ;
- Verificar tensão de alimentação nos terminais NÃO - Tensão nos terminais X3-3 , X4-1 e X4-2;
A-1 e A-2 do chicote do sensor;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- O valor deverá ser de 5V.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
- Medir continuidade no chicote elétrico do
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
sensor nos terminais A-1, A-2, A-3, A-4, A-5 - Apagar o código de falhas;
e A-6; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote em curto com o terra do veículo;
sensor;
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o cabo de resposta do sensor nos terminais - Refazer o teste e liberar o veículo.
A-4 e A-6;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Sensor com defeito.
elétrico do sensor conectado; NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Apagar o código de falhas;
- Ligar o motor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Verificar através da ferramenta a resposta
elétrica do sensor APS;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo. Pino A-4 do Pino A-6 do
- Está ok? conector do pedal conector do pedal

SIM Posição
do Pedal Tensão de Resposta Tensão de Resposta
% Potenciômetro 1 Potenciômetro 2
- Sensor APS ok.
- Apagar o código de falhas; 0 0,76 V 0,38 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 20 1,38 V 0,69 V
40 1,92 V 0,93 V
60 2,52 V 1,26 V
80 3,10 V 1,55 V
100 4,60 V 2,30 V

D - 28 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Posição do Pedal do Acelerador (APS) 91/04
Generalidades
O sensor de posição do acelerador (APS) é constituído de um potenciômetro linear solidário à
haste móvel de acionamento do pedal do acelerador do veículo.
Quando o pedal é acionado pelo condutor, solidariamente é acionado um cursor deslizante
sobre uma pista dupla de resistência variável internamente ao sensor. As diferentes posições
do cursor resultam em diferentes níveis de tensão que informam ao ECM a posição momentânea
do pedal do acelerador.
De posse desses, dados o ECM ajusta o tempo de injeção fornecendo o combustível
necessário à potência requerida pelo condutor.
O APS é suprido com um sinal de 5V de referência nos pinos A-1 e A-2 (X4-4 ECM) e é aterrado
no pino A-3 e A-5 ao terminal (X4-24 ECM). O sensor informa a tensão de resposta da posição
do pedal do acelerador através do pino A-4 e A-6 ao terminal(X4-18 e X4-23 ECM).

Causa
Tensão baixa no sensor de posição do pedal do acelerador (APS).
Descrição da Falha
O SPN 91-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 147 mV por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao terra do veículo no cabo de resposta elétrica do sensor;
- Chicote elétrico aberto no sensor APS;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do APS;
- Continuará operando o motor com rotação e carga reduzidas;
- A resposta elétrica do sensor ficará limitada a 50% de sua capacidade de aceleração.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 29
Códigos de Falhas
91/04 Sensor de Posição do Pedal do Acelerador (APS)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote


- Verificar no ECM:
elétrico desconectado no lado sensor;
- Fusíveis F1, F31 e F32 ;
- Verificar tensão de alimentação nos terminais NÃO - Tensão nos terminais X3-3 , X4-1 e X4-2;
A-1 e A-2 do chicote do sensor;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- O valor deverá ser de 5V.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
- Medir continuidade no chicote elétrico do
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
sensor nos terminais A-1, A-2, A-3, A-4, A-5 - Apagar o código de falhas;
e A-6; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote em curto com o terra do veículo;
sensor;
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o cabo de resposta do sensor nos terminais - Refazer o teste e liberar o veículo.
A-4 e A-6;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Sensor com defeito.
elétrico do sensor conectado; NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Apagar o código de falhas;
- Ligar o motor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Verificar através da ferramenta a resposta
elétrica do sensor APS;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo. Pino A-4 do Pino A-6 do
- Está ok? conector do pedal conector do pedal

SIM Posição
do Pedal Tensão de Resposta Tensão de Resposta
% Potenciômetro 1 Potenciômetro 2
- Sensor APS ok.
- Apagar o código de falhas; 0 0,76 V 0,38 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 20 1,38 V 0,69 V
40 1,92 V 0,93 V
60 2,52 V 1,26 V
80 3,10 V 1,55 V
100 4,60 V 2,30 V

D - 30 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal de Alta Pressão de Combustível no Motor 94/00
Generalidades
O sensor de pressão de combustível do motor (EFP) é um sensor de capacitância variável,
ou seja, apresenta características técnicas de um capacitor. À medida que ocorrem
variações de pressão no ambiente a que está submetido, o EFP internamente modifica suas
propriedades físicas.
Deste modo, quando varia a pressão do óleo combustível no filtro de óleo, ocorre variação
da capacitância do sensor EFP e conseqüentemente da tensão de resposta do sensor.
O EFP é suprido com 5V de referência no pino 2 terminal (X1-14 ECM) e é aterrado no pino
1 terminal (X1-6 ECM). O ECM monitora o sinal de resposta do sensor através do pino 3
terminal (X2-16 ECM).
O sinal de resposta do EFP será utilizado pelo ECM para determinar a pressão do óleo
combustível no interior do filtro combustível do motor.

Causa
Sinal de alta pressão de combustível no motor.
Descrição da Falha
O SPN 94-0 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Sinal de alta pressão de combustível no motor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 31
Códigos de Falhas
94/00 Sinal de Alta Pressão de Combustível no Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote - Verificar no ECM:


elétrico do sensor desconectado; - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Medir a tensão de alimentação nos terminais NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
1 e 2 do chicote do sensor EFP; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá estar entre 4,6 e 5V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e o chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
- Medir continuidade no chicote elétrico do
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Cabo de sinal de resposta do sensor em curto
sensor; NÃO com o terra do veículo.
- Medir continuidade entre o chicote do sensor - Reparar ou trocar o chicote;
e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor EFP;
- Instalar a VCO no veículo; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar o multímetro no cabo de sinal de
resposta do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Ligar o motor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir a tensão entre os pinos 1 e 3 do sensor;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo.
- Está ok?
SIM TENSÃO X PRESSÃO
0,66 V 0,05 bar
- Sensor EFP ok. 1,65 V 0,09 bar
- Apagar o código de falhas; 3,13 V 3,45 bar
- Refazer o teste e liberar o veículo. 4,10 V 4,83 bar

D - 32 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal de Baixa Pressão de Combustível no Motor 94/01
Generalidades
O EFP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as mesmas características
técnicas de um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente a que está
submetido, o EFP internamente modifica suas propriedades físicas.
Deste modo, quando varia a pressão do óleo combustível do filtro, ocorre variação da
capacitância do sensor EFP e conseqüentemente da tensão de resposta do sensor.
O EFP é suprido com 5V de referência no pino 2 terminal (X1-14 ECM) e é aterrado no
pino 1 terminal (X1-6 ECM). O ECM monitora o sinal de resposta do sensor através do pino 3
terminal (X2-16 ECM).
O sinal de resposta do EFP será utilizado pelo ECM para determinar a pressão do óleo
combustível no interior do filtro combustível do motor.

Causa
Sinal de baixa pressão de combustível no motor.
Descrição da Falha
O SPN 94-1 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Sinal de baixa pressão de combustível no motor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 33
Códigos de Falhas
94/01 Sinal de Baixa Pressão de Combustível no Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote - Verificar no ECM:


elétrico do sensor desconectado; - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Medir a tensão de alimentação nos terminais NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
1 e 2 do chicote do sensor EFP; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá estar entre 4,6 e 5V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e o chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Cabo de sinal de resposta do sensor em curto
sensor; NÃO com o terra do veículo.
- Medir continuidade entre o chicote do sensor - Reparar ou trocar o chicote;
e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor EFP;
- Instalar a VCO no veículo; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar o multímetro no cabo de sinal de
resposta do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Ligar o motor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir a tensão entre os pinos 1 e 3 do sensor;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo.
- Está ok?
SIM TENSÃO X PRESSÃO
0,66 V 0,05 bar
- Sensor EFP ok. 1,65 V 0,09 bar
- Apagar o código de falhas; 3,13 V 3,45 bar
- Refazer o teste e liberar o veículo. 4,10 V 4,83 bar

D - 34 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão de Combustível do Motor (EFP) 94/03
Generalidades
O EFP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta características técnicas
de um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente a que está
submetido, o EFP internamente modifica suas propriedades físicas.
Deste modo, quando varia a pressão do óleo combustível no filtro de óleo, ocorre variação
da capacitância do sensor EFP e conseqüentemente da tensão de resposta do sensor.
O EFP é suprido com 5V de referência no pino 2 terminal (X1-14 ECM) e é aterrado no
pino 1 terminal (X1-6 ECM). O ECM monitora o sinal de resposta do sensor através do pino 3
terminal (X2-16 ECM).
O sinal de resposta do EFP será utilizado pelo ECM para determinar a pressão do óleo
combustível no interior do filtro combustível do motor.

Causa
Sinal de tensão alta no sensor de pressão de combustível do motor.
Descrição da Falha
O SPN 94-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,9V por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao positivo no sinal de resposta do sensor EFP;
- Rompimento do chicote elétrico do sensor (Circuito aberto);
- Sensor EFP apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor quando o valor da leitura estiver incorreto ou o sinal
estiver fora do range.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 35
Códigos de Falhas
94/03 Sensor de Pressão de Combustível do Motor (EFP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote - Verificar no ECM:


elétrico do sensor desconectado; - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Medir a tensão de alimentação nos terminais NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
1 e 2 do chicote do sensor EFP; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá estar entre 4,6 e 5V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e o chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Cabo de sinal de resposta do sensor em curto
sensor; NÃO com o terra do veículo.
- Medir continuidade entre o chicote do sensor - Reparar ou trocar o chicote;
e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor EFP;
- Instalar a VCO no veículo; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar o multímetro no cabo de sinal de
resposta do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Ligar o motor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir a tensão entre os pinos 1 e 3 do sensor;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo.
- Está ok?
SIM TENSÃO X PRESSÃO
0,66 V 0,05 bar
- Sensor EFP ok. 1,65 V 0,09 bar
- Apagar o código de falhas; 3,13 V 3,45 bar
- Refazer o teste e liberar o veículo. 4,10 V 4,83 bar

D - 36 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão de Combustível do Motor (EFP) 94/04
Generalidades
O EFP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta características técnicas
de um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente a que está
submetido, o EFP internamente modifica suas propriedades físicas.
Deste modo, quando varia a pressão do óleo combustível no filtro de óleo, ocorre variação
da capacitância do sensor EFP e conseqüentemente da tensão de resposta do sensor.
O EFP é suprido com 5V de referência no pino 2 terminal (X1-14 ECM) e é aterrado no
pino 1 terminal (X1-6 ECM). O ECM monitora o sinal de resposta do sensor através do pino 3
terminal (X2-16 ECM).
O sinal de resposta do EFP será utilizado pelo ECM para determinar a pressão do óleo
combustível no interior do filtro combustível do motor.

Causa
Sinal de baixa pressão de combustível no motor.
Descrição da Falha
O SPN 94-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 39 mV por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao terra no sinal de resposta do sensor EFP;
- Rompimento do chicote elétrico do sensor (Circuito aberto);
- Sensor EFP apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor quando o valor da leitura estiver incorreto ou o sinal
estiver fora do range.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 37
Códigos de Falhas
94/04 Sensor de Pressão de Combustível do Motor (EFP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote - Verificar no ECM:


elétrico do sensor desconectado; - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Medir a tensão de alimentação nos terminais NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
1 e 2 do chicote do sensor EFP; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá estar entre 4,6 e 5V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e o chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Cabo de sinal de resposta do sensor em curto
sensor; NÃO com o terra do veículo.
- Medir continuidade entre o chicote do sensor - Reparar ou trocar o chicote;
e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor EFP;
- Instalar a VCO no veículo; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar o multímetro no cabo de sinal de
resposta do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Ligar o motor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir a tensão entre os pinos 1 e 3 do sensor;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo.
- Está ok?
SIM TENSÃO X PRESSÃO
0,66 V 0,05 bar
- Sensor EFP ok. 1,65 V 0,09 bar
- Apagar o código de falhas; 3,13 V 3,45 bar
- Refazer o teste e liberar o veículo. 4,10 V 4,83 bar

D - 38 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Água no Combustível 97/04
Generalidades
O sensor de água no combustível (WIF) é um dispositivo importante para prevenir contra
danos ao motor resultantes do contato da água em meio ao óleo combustível nos componentes
do motor.
Está instalado na parte inferior do filtro de combustível, localizado próximo ao dispositivo
de levantamento de cabine. Havendo aumento do nível de água no óleo combustível, o sensor
informa ao ECM, que por sua vez acende a luz de água no óleo no painel de instrumentos.

Causa
Alta tensão no sensor de água no combustível.
Descrição da Falha
O SPN 97-4 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Circuito aberto;
- Curto ao positivo.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 39
Códigos de Falhas
97/04 Sensor de Água no Combustível

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico do sensor desconectado;
- Medir continuidade entre o chicote elétrico - Chicote em curto ao terra do veículo.
NÃO - Reparar o chicote;
do sensor e o terra do veículo;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado;
- Chicote em curto com o positivo da bateria.
- Medir continuidade entre o chicote elétrico NÃO - Reparar o chicote;
do sensor e o positivo da bateria;
- Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor;
- Drenar toda a água existente na parte inferior
do filtro de combustível; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Após drenado o filtro, a falha deverá
desaparecer. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 40 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha no Autoteste OCC da Lâmpada Água / Óleo 97/11
Generalidades
A luz indicadora de água no combustível do motor instalada no painel de instrumentos do
veículo sinaliza para o condutor que o nível de água presente na parte inferior do filtro de
combustível precisa ser drenada. Na parte inferior do filtro existe um dreno para remover a
água controlada no mesmo.
Quando o nível máximo permitido de água no fundo do filtro é atingido, um sensor de nível
informa o ECM, e o mesmo acende a luz indicadora de água no filtro do óleo no painel de
instrumentos. Logo após a água ser drenada, a luz automaticamente é apagada.

Causa
Falha no autoteste OCC da lâmpada indicadora de presença de água no combustível.
Descrição da Falha
O SPN 97-11 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito da lâmpada água/óleo em aberto;
- Curto ao terra no cabo de sinal elétrico para a lâmpada água/óleo;
- Lâmpada queimada.
Estratégia
Não há estratégia prevista.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 41
Códigos de Falhas
97/11 Falha no Autoteste OCC da Lâmpada Água / Óleo

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado;
- Medir continuidade no chicote elétrico da - Chicote elétrico rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
lâmpada água/óleo;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado;
- Chicote elétrico em curto com o terra do
- Medir continuidade entre o chicote elétrico e NÃO veículo.
o terra do veículo;
- Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Não deve haver continuidade.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado;
- Remover a lâmpada de água/óleo;
- Realizar teste na mesma, fora do veículo; - Lâmpada queimada.
NÃO - Trocar a lâmpada indicadora de água no óleo;
- Deverá funcionar corretamente.
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Lâmpada ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 42 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) 100/00
Generalidades
O sensor de pressão do óleo do motor (EOP) é um sensor de capacitância variável, ou seja,
apresenta as mesmas características técnicas de um capacitor. À medida que ocorrem
variações de pressão no ambiente a que está submetido, o EOP internamente modifica suas
propriedades físicas. Deste modo,quando varia a pressão do óleo do motor, ocorre variação
da capacitância do sensor EOP e conseqüentemente varia a tensão de resposta do sensor.
O EOP é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 (X1-14 ECM) e é aterrado no
pino 1 (X1-6 ECM), o sensor produz sinal de resposta no pino 3 (X2-7 ECM).

Causa
Pressão do óleo do motor acima do especificado.
Descrição da Falha
O SPN 100-0 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A pressão do óleo do motor permanecer acima de 30PSI por mais de 8 segundos com a chave
de ignição ligada e o motor parado;
- Curto ao terra do veículo ao cabo de resposta de sinal do sensor;
- O sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Reduzirá a rotação do motor a uma razão proporcional à pressão de óleo lida pelo sensor EOP.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 43
Códigos de Falhas
100/00 Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote rompido.
sensor; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
- Apagar o código de falhas;
sensor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico em curto-circuito.
sensor;
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico do sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o positivo da bateria
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM
- Verificar no ECM:
- Fusíveis F1 5A, F31 10A F32 25A;
- Chicote elétrico ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
elétrico conectado no sensor; - Reparar se necessário;
- Medir alimentação elétrica do sensor EOP; - Apagar o código de falhas;
- A alimentação deverá estar entre 4,6 e 5V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado;
- Sensor com defeito.
- Instalar o multímetro na escala de tensão no NÃO - Trocar o sensor;
cabo de resposta do sensor;
- Apagar o código de falhas;
- Instalar a VCO e verificar através da tela de
- Refazer o teste e liberar o veículo.
leituras o comportamento do sensor EOP;
- Ligar o motor e comparar a tensão lida pelo
multímetro com a pressão e a rotação lidos
na VCO; Tensão
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo. Pressão Rotação lida no
- Está ok? lida na VCO lida na VCO multímetro
SIM 2,80 bar 700 rpm 2,1 a 2,5V
3,80 bar 950 rpm 1,6 a 1,7V
- Sensor ok. 4,10 bar 1250 rpm 1,4 a 1,5V
- Apagar o código de falhas; 4,30 bar 1500 rpm 1,3 a 1,35V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 4,70 bar 2000 rpm 1,1 a 1,18V

D - 44 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão do Óleo do Motor (EOP) 100/01
Generalidades
O sensor de pressão do óleo do motor (EOP) é um sensor de capacitância variável, ou seja,
apresenta as mesmas características técnicas de um capacitor. À medida que ocorrem
variações de pressão no ambiente a que está submetido, o EOP internamente modifica suas
propriedades físicas. Deste modo, quando varia a pressão do óleo do motor, ocorre variação
da capacitância do sensor EOP e conseqüentemente varia a tensão de resposta do sensor.
O EOP é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 (X1-14 ECM) e é aterrado no
pino 1 (X1-6 ECM), o sensor produz sinal de resposta no pino 3 (X2-7 ECM).

Causa
Sinal de baixa pressão do óleo lubrificante do motor.
Descrição da Falha
O SPN 100-1 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- O sinal de resposta do sensor permanecer abaixo de 39 mV por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao terra no cabo de resposta do sensor;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desligará o motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 45
Códigos de Falhas
100/01 Sensor de Pressão do Óleo do Motor (EOP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e o chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote rompido.
sensor; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
- Apagar o código de falhas;
sensor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico em curto-circuito.
sensor;
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico do sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o positivo da bateria
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM
- Verificar no ECM:
- Fusíveis F1 5A, F31 10A F32 25A;
- Chicote elétrico ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
elétrico conectado no sensor; - Reparar se necessário;
- Medir alimentação elétrica do sensor EOP; - Apagar o código de falhas;
- A alimentação deverá estar entre 4,6 e 5V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado;
- Sensor com defeito.
- Instalar o multímetro na escala de tensão no NÃO - Trocar o sensor;
cabo de resposta do sensor;
- Apagar o código de falhas;
- Instalar a VCO e verificar através da tela de
- Refazer o teste e liberar o veículo.
leituras o comportamento do sensor EOP;
- Ligar o motor e comparar a tensão lida pelo
multímetro com a pressão e a rotação lidos
na VCO; Tensão
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo. Pressão Rotação lida no
- Está ok? lida na VCO lida na VCO multímetro
SIM 2,80 bar 700 rpm 2,1 a 2,5V
3,80 bar 950 rpm 1,6 a 1,7V
- Sensor ok. 4,10 bar 1250 rpm 1,4 a 1,5V
- Apagar o código de falhas; 4,30 bar 1500 rpm 1,3 a 1,35V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 4,70 bar 2000 rpm 1,1 a 1,18V

D - 46 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) 100/03
Generalidades
O sensor de pressão do óleo do motor (EOP) é um sensor de capacitância variável, ou seja,
apresenta as mesmas características técnicas de um capacitor. À medida que ocorrem
variações de pressão no ambiente a que está submetido, o EOP internamente modifica suas
propriedades físicas. Deste modo,quando varia a pressão do óleo do motor, ocorre variação
da capacitância do sensor EOP e conseqüentemente varia a tensão de resposta do sensor.
O EOP é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 (X1-14 ECM) e é aterrado no
pino 1 (X1-6 ECM), o sensor produz sinal de resposta no pino 3 (X2-7 ECM).

Causa
Alta tensão no circuito de pressão de óleo do motor.
Descrição da Falha
O SPN 100-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- O sinal de resposta do sensor permanecer acima de 4,9V por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao terra no cabo de resposta do sensor;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Acenderá a lâmpada vermelha de óleo e acionará o alarme sonoro;
- Desligará o motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 47
Códigos de Falhas
100/03 Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote rompido.
sensor; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
- Apagar o código de falhas;
sensor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico em curto circuito.
sensor;
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico do sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o positivo da bateria
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM
- Verificar no ECM:
- Fusíveis F1 5A, F31 10A F32 25A;
- Chicote elétrico ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
elétrico conectado no sensor; - Reparar se necessário;
- Medir alimentação elétrica do sensor EOP; - Apagar o código de falhas;
- A alimentação deverá estar entre 4,6 e 5V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado;
- Sensor com defeito.
- Instalar o multímetro na escala de tensão no NÃO - Trocar o sensor;
cabo de resposta do sensor;
- Apagar o código de falhas;
- Instalar a VCO e verificar através da tela de
- Refazer o teste e liberar o veículo.
leituras o comportamento do sensor EOP;
- Ligar o motor e comparar a tensão lida pelo
multímetro com a pressão e a rotação lidos
na VCO; Tensão
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo. Pressão Rotação lida no
- Está ok? lida na VCO lida na VCO multímetro
SIM 2,80 bar 700 rpm 2,1 a 2,5V
3,80 bar 950 rpm 1,6 a 1,7V
- Sensor ok. 4,10 bar 1250 rpm 1,4 a 1,5V
- Apagar o código de falhas; 4,30 bar 1500 rpm 1,3 a 1,35V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 4,70 bar 2000 rpm 1,1 a 1,18V

D - 48 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) 100/04
Generalidades
O sensor de pressão do óleo do motor (EOP) é um sensor de capacitância variável, ou seja,
apresenta as mesmas características técnicas de um capacitor. À medida que ocorrem
variações de pressão no ambiente a que está submetido, o EOP internamente modifica suas
propriedades físicas. Deste modo, quando varia a pressão do óleo do motor, ocorre variação
da capacitância do sensor EOP e conseqüentemente varia a tensão de resposta do sensor.
O EOP é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 (X1-14 ECM) e é aterrado no
pino 1 (X1-6 ECM), o sensor produz sinal de resposta no pino 3 (X2-7 ECM).

Causa
Baixa tensão no circuito de pressão de óleo do motor.
Descrição da Falha
O SPN 100-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- O sinal de resposta do sensor permanecer abaixo de 39 mV por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao terra no cabo de resposta do sensor;
- Sensor apresentar defeito;
- Circuito aberto.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Acenderá a luz vermelha de óleo e acionará o alarme sonoro;
- Desligará o motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 49
Códigos de Falhas
100/04 Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote rompido.
sensor; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
- Apagar o código de falhas;
sensor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico em curto ao terra.
sensor;
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico do sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o positivo da bateria
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM
- Verificar no ECM:
- Fusíveis F1 5A, F31 10A F32 25A;
- Chicote elétrico ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
elétrico conectado no sensor; - Reparar se necessário;
- Medir alimentação elétrica do sensor EOP; - Apagar o código de falhas;
- A alimentação deverá estar entre 4,6 e 5V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado;
- Sensor com defeito.
- Instalar o multímetro na escala de tensão no NÃO - Trocar o sensor;
cabo de resposta do sensor;
- Apagar o código de falhas;
- Instalar a VCO e verificar através da tela de
- Refazer o teste e liberar o veículo.
leituras o comportamento do sensor EOP;
- Ligar o motor e comparar a tensão lida pelo
multímetro com a pressão e a rotação lidos
na VCO; Tensão
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo. Pressão Rotação lida no
- Está ok? lida na VCO lida na VCO multímetro
SIM 2,80 bar 700 rpm 2,1 a 2,5V
3,80 bar 950 rpm 1,6 a 1,7V
- Sensor ok. 4,10 bar 1250 rpm 1,4 a 1,5V
- Apagar o código de falhas; 4,30 bar 1500 rpm 1,3 a 1,35V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 4,70 bar 2000 rpm 1,1 a 1,18V

D - 50 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) 100/07
Generalidades
O sensor de pressão do óleo do motor (EOP) é um sensor de capacitância variável, ou seja,
apresenta as mesmas características técnicas de um capacitor. À medida que ocorrem
variações de pressão no ambiente a que está submetido, o EOP internamente modifica suas
propriedades físicas. Deste modo,quando varia a pressão do óleo do motor, ocorre variação
da capacitância do sensor EOP e conseqüentemente varia a tensão de resposta do sensor.
O EOP é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 (X1-14 ECM) e é aterrado no
pino 1 (X1-6 ECM), o sensor produz sinal de resposta no pino 3 (X2-7 ECM).

Causa
Sinal de pressão do óleo lubrificante do motor abaixo do nível crítico.
Descrição da Falha
O SPN 100-7 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- O sinal de resposta do sensor permanecer abaixo de 39 mV por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao terra no cabo de resposta do sensor;
- Sensor apresentar defeito;
- Circuito aberto.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Acenderá a luz vermelha de óleo e acionará o alarme sonoro;
- Desligará o motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 51
Códigos de Falhas
100/07 Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote rompido.
sensor; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
- Apagar o código de falhas;
sensor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico em curto circuito.
sensor;
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico do sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o positivo da bateria
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM
- Verificar no ECM:
- Fusíveis F1 5A, F31 10A F32 25A;
- Chicote elétrico ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
elétrico conectado no sensor; - Reparar se necessário;
- Medir alimentação elétrica do sensor EOP; - Apagar o código de falhas;
- A alimentação deverá estar entre 4,6 e 5V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado;
- Sensor com defeito.
- Instalar o multímetro na escala de tensão no NÃO - Trocar o sensor;
cabo de resposta do sensor;
- Apagar o código de falhas;
- Instalar a VCO e verificar através da tela de
- Refazer o teste e liberar o veículo.
leituras o comportamento do sensor EOP;
- Ligar o motor e comparar a tensão lida pelo
multímetro com a pressão e a rotação lidos
na VCO; Tensão
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo. Pressão Rotação lida no
- Está ok? lida na VCO lida na VCO multímetro
SIM 2,80 bar 700 rpm 2,1 a 2,5V
3,80 bar 950 rpm 1,6 a 1,7V
- Sensor ok. 4,10 bar 1250 rpm 1,4 a 1,5V
- Apagar o código de falhas; 4,30 bar 1500 rpm 1,3 a 1,35V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 4,70 bar 2000 rpm 1,1 a 1,18V

D - 52 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal Não-Plausível no MAP 102/02
Generalidades
O MAP é um sensor de capacitância variável e está instalado no coletor de admissão.
Seu princípio de funcionamento consiste em 2 placas de alumínio, separadas por material
isolante contendo vácuo no seu interior. O conjunto forma uma câmara aneróide que
apresenta as características elétricas de um capacitor.
Quando sujeito a variações de pressão no coletor de admissão, o deslocamento da haste
provoca uma alteração da área sobreposta das placas do capacitor. A alteração da capacitância
do circuito altera a corrente circulante de resposta.
A pressão no coletor de admissão é reconhecida pelo ECM através da variação de
freqüência do capacitor. Pressão alta é igual à freqüência alta e pressão baixa é igual à
freqüência baixa. Internamente, o ECM converte o sinal de freqüência em sinal de tensão.
O ECM alimenta o MAP com 5V de referência no pino 2 (X1-14) e sinal de aterramento no pino
1(X1-6), o sensor usa essa tensão para produzir um sinal analógico de resposta através do
pino 3 (X2-3) para indicar a pressão do ar no coletor de admissão.

Causa
Falha no sinal do sensor de pressão absoluta no coletor de admissão.
Descrição da Falha
O SPN 102-2 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,9V por mais de 400 milisegundos;
- Curto-circuito ao positivo no chicote elétrico de resposta do sensor;
- Circuito aberto no chicote elétrico do sensor;
- O sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor;
- Continuará operando o motor com base em valores estimados pelo software.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 53
Códigos de Falhas
102/02 Sinal Não-Plausível no MAP

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar:


elétrico do sensor desconectado; - Os fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Medir a tensão de alimentação do sensor; NÃO - A tensão de alimentação do ECM nos
- A tensão deverá estar entre 4,6V e 5V. terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Está ok? - O aterramento nos terminais X3-6 e X3-7;
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação do sensor ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - O chicote elétrico está em curto.
- Medir continuidade entre o chicote elétrico NÃO - Com o positivo da bateria, reparar ou trocar o
do sensor e o positivo da bateria; chicote do sensor;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Com a chave de ignição ligada e o chicote


elétrico do sensor conectado;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro no cabo de resposta do - Sensor com defeito.
sensor; - Trocar o sensor MAP;
NÃO - Refazer o teste;
- Ligar o motor;
- Verificar o funcionamento do MAP, - Se o defeito persistir, trocar o ECM;
simultaneamente na tela da VCO e no visor - Apagar o código de falhas;
do multímetro e comparar com a tabela abaixo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Sensor ok. Pressão do Ar no


Tensão de Resposta
- Apagar o código de falhas; Coletor de Admissão
- Refazer o teste e liberar o veículo. 0,90 V0 bar
1,70 V0,55 bar
2,70 V1,20 bar
3,70 V 1,91 bar
Dependendo da altitude, em relação ao nível do mar, os
valores medidos podem sofrer alterações

D - 54 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão Absoluta no Coletor de Admissão 102/03
Generalidades
O MAP é um sensor de capacitância variável e está instalado no coletor de admissão.
Seu princípio de funcionamento consiste em 2 placas de alumínio, separadas por material
isolante contendo vácuo no seu interior. O conjunto forma uma câmara aneróide que
apresenta as características elétricas de um capacitor.
Quando sujeito as variações de pressão no coletor de admissão, o deslocamento da haste
provoca uma alteração da área sobreposta das placas do capacitor. A alteração da capacitância
do circuito altera a corrente circulante de resposta.
A pressão no coletor de admissão é reconhecida pelo ECM através da variação de
freqüência do capacitor. Pressão alta é igual à freqüência alta e pressão baixa é igual à
freqüência baixa. Internamente, o ECM converte o sinal de freqüência em sinal de tensão.
O ECM alimenta o MAP com 5V de referência no pino 2 (X1-14) e sinal de aterramento no pino
1(X1-6), o sensor usa essa tensão para produzir um sinal analógico de resposta através do
pino 3 (X2-3) para indicar a pressão do ar no coletor de admissão.

Causa
Sinal de tensão alta no sensor de pressão absoluta no coletor de admissão (MAP).
Descrição da Falha
O SPN 102-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,9V por mais de 400 milisegundos;
- Curto-circuito ao positivo no chicote elétrico de resposta do sensor;
- Circuito aberto no chicote elétrico do sensor;
- O sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor;
- Continuará operando o motor com base em valores estimados pelo software.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 55
Códigos de Falhas
102/03 Sensor de Pressão Absoluta no Coletor de Admissão

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar:


elétrico do sensor desconectado; - Os fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Medir a tensão de alimentação do sensor; NÃO - A tensão de alimentação do ECM nos
- A tensão deverá estar entre 4,6V e 5V. terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Está ok? - O aterramento nos terminais X3-6 e X3-7;
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação do sensor ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - O chicote elétrico está em curto.
- Medir continuidade entre o chicote elétrico NÃO - Com o positivo da bateria, reparar ou trocar o
do sensor e o positivo da bateria; chicote do sensor;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Com a chave de ignição ligada e o chicote


elétrico do sensor conectado;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro no cabo de resposta do - Sensor com defeito.
sensor; - Trocar o sensor MAP;
NÃO - Refazer o teste;
- Ligar o motor;
- Verificar o funcionamento do MAP - Se o defeito persistir, trocar o ECM;
simultaneamente na tela da VCO e no visor - Apagar o código de falhas;
do multímetro e comparar com a tabela abaixo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Sensor ok. Pressão do Ar no


Tensão de Resposta
- Apagar o código de falhas; Coletor de Admissão
- Refazer o teste e liberar o veículo. 0,90 V0 bar
1,70 V0,55 bar
2,70 V1,20 bar
3,70 V 1,91 bar
Dependendo da altitude, em relação ao nível do mar, os
valores medidos podem sofrer alterações

D - 56 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão Absoluta no Coletor de Admissão 102/04
Generalidades
O MAP é um sensor de capacitância variável e está instalado no coletor de admissão.
Seu princípio de funcionamento consiste em 2 placas de alumínio, separadas por material
isolante contendo vácuo no seu interior. O conjunto forma uma câmara aneróide que
apresenta as características elétricas de um capacitor.
Quando sujeito a variações de pressão no coletor de admissão, o deslocamento da haste
provoca uma alteração da área sobreposta das placas do capacitor. A alteração da capacitância
do circuito altera a corrente circulante de resposta.
A pressão no coletor de admissão é reconhecida pelo ECM através da variação de
freqüência do capacitor. Pressão alta é igual à freqüência alta e pressão baixa é igual à
freqüência baixa. Internamente, o ECM converte o sinal de freqüência em sinal de tensão.
O ECM alimenta o MAP com 5V de referência no pino 2 (X1-14) e sinal de aterramento no pino
1 (X1-6), o sensor usa essa tensão para produzir um sinal analógico de resposta através do
pino 3 (X2-3) para indicar a pressão do ar no coletor de admissão.

Causa
Sinal de tensão baixa no sensor de pressão absoluta no coletor de admissão (MAP).
Descrição da Falha
O SPN 102-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,9V por mais de 400 milisegundos;
- Curto-circuito ao positivo no chicote elétrico de resposta do sensor;
- Circuito aberto no chicote elétrico do sensor;
- O sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor;
- Continuará operando o motor com base em valores estimados pelo software.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 57
Códigos de Falhas
102/04 Sensor de Pressão Absoluta no Coletor de Admissão

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Verificar:
- Com a chave de ignição ligada e o chicote
- Os fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico do sensor desconectado;
- A tensão de alimentação do ECM nos
- Medir a tensão de alimentação do sensor; NÃO terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- A tensão deverá estar entre 4,6V e 5V.
- O aterramento nos terminais X3-6 e X3-7 do
- Está ok?
ECM;
SIM - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação do sensor ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - O chicote elétrico está em curto.
- Medir continuidade entre o chicote elétrico NÃO - Com o positivo da bateria, reparar ou trocar o
do sensor e o positivo da bateria; chicote do sensor;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Com a chave de ignição ligada e o chicote


elétrico do sensor conectado;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro no cabo de resposta do - Sensor com defeito.
sensor; - Trocar o sensor MAP;
NÃO - Refazer o teste;
- Ligar o motor;
- Verificar o funcionamento do MAP - Se o defeito persistir, trocar o ECM;
simultaneamente na tela da VCO e no visor - Apagar o código de falhas;
do multímetro e comparar com a tabela abaixo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM
Pressão do Ar no
- Sensor ok. Tensão de Resposta
Coletor de Admissão
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo. 0,90 V0 bar
1,70 V0,55 bar
2,70 V1,20 bar
3,70 V 1,91 bar
Dependendo da altitude, em relação ao nível do mar, os
valores medidos podem sofrer alterações

D - 58 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão Absoluta Freio Motor 102/07
Generalidades
O MAP é um sensor de capacitância variável e está instalado no coletor de admissão.
Seu princípio de funcionamento consiste em 2 placas de alumínio, separadas por material
isolante contendo vácuo no seu interior. O conjunto forma uma câmara aneróide que
apresenta as características elétricas de um capacitor.
Quando sujeito as variações de pressão no coletor de admissão, o deslocamento da haste
provoca uma alteração da área sobreposta das placas do capacitor. A alteração da capacitância
do circuito altera a corrente circulante de resposta.
A pressão no coletor de admissão é reconhecida pelo ECM através da variação de freqüência
do capacitor. Pressão alta é igual à freqüência alta e pressão baixa é igual à freqüência
baixa. Internamente, o ECM converte o sinal de freqüência em sinal de tensão.
O ECM alimenta o MAP com 5V de referência no pino 2 (X1-14) e sinal de aterramento no pino
1 (X1-6), o sensor usa essa tensão para produzir um sinal analógico de resposta através
do pino 3 (X2-3) para indicar a pressão do ar no coletor de admissão.

Causa
Rotação acima do normal no turbocompressor.
Descrição da Falha
O SPN 102-7 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Rotação acima do normal no turbocompressor em relação à rotação do motor;
- Circuito aberto;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria do veículo.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 59
Códigos de Falhas
102/07 Sensor de Pressão Absoluta Freio Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor MAP com defeito.


121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor MAP ok. - Sensor EBP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 341; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor EBP ok.


- Verificar possível emperramento da EGR; - EGR emperrada.
- Não deve haver emperramento no mecanismo
NÃO - Reparar ou trocar a EGR;
da EGR. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- EGR ok.
- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - TGV com defeito.
261; NÃO - Reparar ou trocar o VGT;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 60 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Rotação Acima do Normal no Turbocompressor 103/00
Generalidades
A característica da chave do turboalimentador de geometria variável (TGV) é o acionamento
dos vanes na carcaça da turbina. Os vanes modificam características de fluxo dos gases de
escape, através da carcaça da turbina. O benefício é a capacidade de controlar a pressão
interna para as várias rotações do motor, bem como para as várias condições de carga,
reduzindo o nível de emissões de gases.
O TGV é um sistema de circuito fechado que utiliza um sensor de contrapressão de
escape para fornecer um retorno ao ECM. O ECM utiliza o sinal do sensor EBP para monitorar
continuamente a pressão do freio motor e ajustar o ciclo de trabalho ao TGV, de modo a
atender as exigências do motor.
O módulo de controle do TGV recebe um sinal modulado do ECM e um micro chip controla o
motor de passo de acordo com a posição desejada. O motor gira uma alavanca de manivelas,
controlando a posição do vane. Vanes de acionamento são montados ao redor da circunferência
interna da carcaça da turbina e um único anel une todos os vanes. Quando este anel é
movido, todos os vanes são movidos para a mesma posição. O movimento do anel ocorre
quando a alavanca de manivela no módulo de controle é movida. O fluxo de gases de escape
pode ser regulado dependendo da contrapressão requerida para a rotação e carga do motor.

Causa
Rotação acima do normal no turbocompressor.
Descrição da Falha
O SPN 103-0 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Rotação acima do normal no turbocompressor em relação à rotação do motor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 61
Códigos de Falhas
103/00 Rotação Acima do Normal no Turbocompressor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor BAP com defeito.


151; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor BAP ok. - Sensor MAP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor MAP ok.


- Efetuar os testes previstos no DTC 341; - O sensor EBP está com defeito.
- Os resultados deverão estar de acordo.
NÃO - Trocar o sensor;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor EBP ok. - Sensor ICP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 124; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor ICP ok. - EGR com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 164; NÃO - Trocar EGR;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- EGR ok. - TGV com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 261; NÃO - Trocar TGV;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 62 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Turbocompressor Incapaz 103/01
Generalidades
A característica da chave do turboalimentador de geometria variável (TGV) é o acionamento
dos vanes na carcaça da turbina. Os vanes modificam características de fluxo dos gases de
escape, através da carcaça da turbina. O benefício é a capacidade de controlar a pressão
interna para as várias rotações do motor, bem como para as várias condições de carga,
reduzindo o nível de emissões de gases.
O TGV é um sistema de circuito fechado que utiliza um sensor de contra-pressão de
escape para fornecer um retorno ao ECM. O ECM utiliza o sinal do sensor EBP para monitorar
continuamente a pressão do freio motor e ajustar o ciclo de trabalho ao TGV, de modo a
atender as exigências do motor.
O módulo de controle do TGV recebe um sinal modulado do ECM e um micro chip controla o
motor de passo de acordo com a posição desejada. O motor gira uma alavanca de manivelas,
controlando a posição do vane. Vanes de acionamento são montados ao redor da circunferência
interna da carcaça da turbina e um único anel une todos os vanes. Quando este anel é
movido, todos os vanes são movidos para a mesma posição. O movimento do anel ocorre
quando a alavanca de manivela no módulo de controle é movida. O fluxo de gases de escape
pode ser regulado dependendo da contra-pressão requerida para a rotação e carga do motor.

Causa
Turbocompressor incapaz de fornecer pressão suficiente no retorno de exaustão.
Descrição da Falha
O SPN 103-1 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Turboalimentador incapaz de fornecer pressão suficiente no retorno de exaustão.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 63
Códigos de Falhas
103/01 Turbocompressor Incapaz

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor BAP com defeito.


151; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor BAP ok. - Sensor MAP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor MAP ok.


- Efetuar os testes previstos no DTC 341; - O sensor EBP está com defeito.
- Os resultados deverão estar de acordo.
NÃO - Trocar o sensor;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor EBP ok. - Sensor ICP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 124; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor ICP ok. - EGR com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 164; NÃO - Trocar EGR;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- EGR ok. - TGV com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 261; NÃO - Trocar TGV;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 64 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Temperatura do Ar no Coletor de Admissão
(MAT) 105/03
Generalidades
O sensor MAT é um termistor, ou seja, um resistor variável do tipo NTC (coeficiente negativo
de temperatura) está instalado no coletor de admissão do motor.
O sensor MAT utilizará a tensão de alimentação para produzir um sinal analógico de tensão
para indicar a temperatura do ar na entrada do coletor de admissão.
Por ser do tipo NTC, o MAT modifica a resistência quando exposto às diferentes temperaturas.
Desta forma, quando a temperatura do ar de admissão estiver baixa, a resistência elétrica do
sensor e a tensão de resposta estarão altas. Quando estiver alta, a resistência elétrica e
a tensão de referência estarão baixas.
A variação da tensão de referência do sensor MAT será utilizada pelo ECM para
determinar a temperatura do ar admitido, a fim de calcular a massa de ar.
O sensor é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 terminal (X2-14 ECM) e terra no
pino 1 terminal (X1-6 ECM).

Causa
Sinal de tensão alta no sensor de temperatura do ar no coletor de admissão.
Descrição da Falha
O SPN 105-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,58V por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao positivo da bateria do veículo;
- O sensor MAT apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor MAT;
- Adotará o valor de 25ºC para a temperatura do ar admitido.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 65
Códigos de Falhas
Sensor de Temperatura do Ar no Coletor de Admissão
105/03 (MAT)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote elétrico em curto circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO
- Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- E entre o positivo da bateria e o chicote - Refazer o teste e liberar o veículo.
elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok. - Verificar no ECM:


- Com a chave de ignição ligada e chicote - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico desconectado no sensor;
- Medir a tensão de alimentação nos pinos 1 e
NÃO - Alimentação nos terminais X3-3, X4-1 e X4-
2;
2 do sensor; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- A tensão deverá estar entre 4,6 e 5V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado;
- Medir resistência do sensor;
- Instalar a ferramenta VCO 950; - Sensor MAT com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar o multímetro para medir a resistência;
- Ligar o motor e comparar a curva de - Apagar o código de falhas;
resistência x temperatura através da VCO e - Refazer o teste e liberar o veículo.
do multímetro;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo.
- Está ok?
Temperatura (°C) Resistência (ohm)
SIM
09 1K
- Sensor MAT ok. 20 25K
- Apagar o código de falhas; 40 12,6K
- Refazer o teste e liberar o veículo. 60 5,3K

D - 66 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Temperatura do Ar no Coletor de Admissão
(MAT) 105/04
Generalidades
O sensor MAT é um termistor, ou seja, um resistor variável do tipo NTC (coeficiente negativo
de temperatura) está instalado no coletor de admissão do motor.
O sensor MAT utilizará a tensão de alimentação para produzir um sinal analógico de tensão
para indicar a temperatura do ar na entrada do coletor de admissão.
Por ser do tipo NTC, o MAT modifica a resistência quando exposto às diferentes temperaturas.
Desta forma, quando a temperatura do ar de admissão estiver baixa, a resistência elétrica do
sensor e a tensão de resposta estarão altas. Quando estiver alta, a resistência elétrica e a
tensão de referência estarão baixas.
A variação da tensão de referência do sensor MAT será utilizada pelo ECM para determinar a
temperatura do ar admitido, a fim de calcular a massa de ar.
O sensor é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 terminal (X2-14 ECM) e terra no
pino 1 terminal (X1-6 ECM).

Causa
Tensão baixa no sensor de temperatura do ar no coletor de admissão.
Descrição da Falha
O SPN 105-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 98 mV por mais de 350 milisegundos;
- Curto ao terra do veículo no cabo de resposta do sensor;
- Sensor com defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor MAT;
- Adotará o valor de 25ºC para a temperatura do ar admitido.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 67
Códigos de Falhas
Sensor de Temperatura do Ar no Coletor de Admissão
105/04 (MAT)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar,se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote elétrico em curto circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO
- Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- E entre o positivo da bateria e o chicote - Refazer o teste e liberar o veículo.
elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok. - Verificar no ECM:


- Com a chave de ignição ligada e chicote - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico desconectado no sensor;
- Medir a tensão de alimentação nos pinos 1 e
NÃO - Alimentação nos terminais X3-3, X4-1 e X4-
2;
2 do sensor; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- A tensão deverá estar entre 4,6 e 5V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado;
- Medir resistência do sensor;
- Instalar a ferramenta VCO 950; - Sensor MAT com defeito.
NÃO - Trocar o sensor;
- Instalar o multímetro para medir a resistência;
- Ligar o motor e comparar a curva de - Apagar o código de falhas;
resistência x temperatura através da VCO e - Refazer o teste e liberar o veículo.
do multímetro;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo.
- Está ok?
Temperatura (°C) Resistência (ohm)
SIM
09 1K
- Sensor MAT ok. 20 25K
- Apagar o código de falhas; 40 12,6K
- Refazer o teste e liberar o veículo. 60 5,3K

D - 68 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão Absoluta Barométrica (BAP) 108/03
Generalidades
O BAP é um sensor do tipo barométrico e está instalado interno ao ECM. Tem a função de
indicar a pressão atmosférica de forma constante, para o ECM identificar a que altitude geográfica
o veículo está operando.
De acordo com o sinal de altitude percebido pelo ECM através do sensor BAP, a unidade faz a
correção de débito de diesel para o motor.
Falhas no sinal do sensor BAP resultam na emissão de fumaça preta no escapamento, à
medida que avança em direção à altitudes maiores.

Causa
Sinal do circuito de pressão barométrica com tensão acima do normal.
Descrição da Falha
O SPN 108-3 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- O sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará a informação do BAP e a substituirá pelo sinal do sensor MAP;
- No caso do MAP estar com defeito, o ECM adotará o valor padrão de pressão correspondente
aquela ao nível do mar (recurso interno do software).

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 69
Códigos de Falhas
108/03 Sensor de Pressão Absoluta Barométrica (BAP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

Não há roteiro, pois o sensor BAP é interno ao ECM.

D - 70 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Pressão Absoluta Barométrica (BAP) 108/04
Generalidades
O BAP é um sensor do tipo barométrico e está instalado interno ao ECM. Tem a função de
indicar a pressão atmosférica de forma constante, para o ECM identificar a que altitude geográfica
o veículo está operando.
De acordo com o sinal de altitude percebido pelo ECM através do sensor BAP, a unidade faz a
correção de débito de diesel para o motor.
Falhas no sinal do sensor BAP resultam na emissão de fumaça preta no escapamento, à
medida que avança em direção à altitudes maiores.

Causa
Sinal do circuito de pressão barométrica com tensão abaixo do normal.
Descrição da Falha
O SPN 108-4 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- O sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará a informação do BAP e a substituirá pelo sinal do sensor MAP;
- No caso do MAP estar com defeito, o ECM adotará o valor padrão de pressão correspondente
aquela ao nível do mar (recurso interno do software).

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 71
Códigos de Falhas
108/04 Sensor de Pressão Absoluta Barométrica (BAP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

Não há roteiro, pois o sensor BAP é interno ao ECM.

D - 72 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Temperatura do Líquido Refrigerante do Motor 110/00
Generalidades
O sensor ECT é um termistor, ou seja, um resistor variável do tipo NTC (coeficiente negativo
de temperatura) e está localizado no suporte do alternador no canal de passagem de água do
aquecedor.
O ECM alimenta o sensor com tensão de referência de 5V através do terminal X1-8 (pino 2 do
sensor) e sinal de massa (terra) através do terminal X1-6 (pino 1 do sensor).
O sensor ECT utiliza a tensão de alimentação para produzir um sinal analógico de tensão para
indicar a temperatura do líquido refrigerante do motor.
Por ser do tipo NTC, o ECT modifica a resistência quando exposto às diferentes temperaturas.
Quando a temperatura do líquido refrigerante estiver baixa, a resistência elétrica do sensor e
a tensão de referência estarão altas. Quando estiver alta, a resistência elétrica e a tensão de
referência estarão baixas.
A variação da tensão de referência do sensor ECT será utilizada pelo ECM para determinar o
ângulo de injeção, a temperatura do motor, o cálculo da massa do ar admitido e o débito mínimo
e máximo de injeção em todas as etapas do funcionamento do motor.

Causa
Temperatura do líquido refrigerante acima do nível de alerta de temperatura alta do motor.
Descrição da Falha
O SPN 110-0 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Temperatura do líquido refrigerante estiver acima de 10ºC.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Acionará um sinal sonoro de alerta ao condutor;
- Causará despotenciamento do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 73
Códigos de Falhas
110/00 Temperatura do Líquido Refrigerante do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar os ítens abaixo e corrigir, se


elétrico do sensor ECT desconectado; necessário:
- Medir a tensão de alimentação entre os NÃO - Tensão da bateria;
terminais 1 e 2 do chicote elétrico do sensor; - Relé principal do ECM;
- A tensão deverá estar entre 4,8 e 5,2V; - Fusíveis de alimentação do ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Tensão de alimentação do ECT ok;


- Com a chave de ignição desligada e chicote - Chicote elétrico rompido.
elétrico do sensor ECT desconectado no lado NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico, se
ECM e lado do sensor; necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do ECT; - Apagar o código de falhas;
- Tem continuidade? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Tem continuidade.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado do sensor ECT;
- Medir a resistência elétrica do sensor entre - Sensor com defeito.
NÃO - Efetuar a troca do sensor ECT;
os terminais 1 e 2;
- A resistência deverá estar de acordo com a - Apagar o código de falhas;
tabela abaixo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Resistência do sensor ECT ok.


- Reinstalar o chicote elétrico no sensor ECT; - ECM com defeito.
NÃO - Trocar o ECM;
- Com a ferramenta VCO 950 instalada no
veículo; - Apagar o código de falhas;
- Verificar através da ferramenta, a curva de - Refazer o teste e liberar o veículo.
temperatura x tensão e comparar com a tabela
abaixo;
- Está ok?
Resistência
Temperatura (°C) Tensão (V)
(Ohm)
SIM
0 °C 91 K 3,86 V
20 °C 36 K 3,05 V
- ECM ok.
30 °C 24 K 2,6 V
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo. 40 °C 16 K 2,2 V
50 °C 11 K 1,7 V
60 °C 8K 1,4 V
70 °C 5,3 K 1,05 V
80 °C 4K 0,87 V
90 °C 3K 0,65 V
96 °C 2,4 K 0,53 V

D - 74 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Temperatura do Líquido Refrigerante do Motor 110/01
Generalidades
O sensor ECT é um termistor, ou seja, um resistor variável do tipo NTC (coeficiente negativo
de temperatura) e está instalado no lado esquerdo da parte frontal do motor.
O ECM alimenta o sensor com tensão de referência de 5V através do terminal X1-8 (pino 2 do
sensor) e sinal de massa (terra) através do terminal X1-6 (pino 1 do sensor).
O sensor ECT utilizará a tensão de alimentação para produzir um sinal analógico de tensão
para indicar a temperatura do líquido refrigerante do motor.
Por ser do tipo NTC, o ECT modifica a resistência quando exposto a diferentes temperaturas.
Quando a temperatura do líquido refrigerante estiver baixa, a resistência elétrica do sensor e
a tensão de referência estarão altas. Quando estiver alta, a resistência elétrica e a tensão de
referência estarão baixas.
A variação da tensão de referência do sensor ECT será utilizada pelo ECM para determinar o
ângulo de injeção, a temperatura do motor, o cálculo da massa do ar admitido e o débito mínimo
e máximo de injeção em todas as etapas do funcionamento do motor.

Causa
Alta temperatura do líquido refrigerante do motor.
Descrição da Falha
O SPN 110-1 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 127 mV por um período maior que 300
milisegundos;
- Um curto ao terra do veículo no cabo elétrico de resposta do sensor;
- O sensor ECT apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Causará o despotenciamento do motor;
- Assim que a temperatura retornar às condições normais, o motor retornará novamente ao seu
funcionamento.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 75
Códigos de Falhas
110/01 Temperatura do Líquido Refrigerante do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar os ítens abaixo e corrigir, se


elétrico do sensor ECT desconectado; necessário:
- Medir a tensão de alimentação entre os NÃO - Tensão da bateria;
terminais 1 e 2 do chicote elétrico do sensor; - Relé principal do ECM;
- A tensão deverá estar entre 4,8 e 5,2V; - Fusíveis de alimentação do ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Tensão de alimentação do ECT ok;


- Com a chave de ignição desligada e chicote - Chicote elétrico rompido.
elétrico do sensor ECT desconectado no lado NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico, se
ECM e lado do sensor; necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do ECT; - Apagar o código de falhas;
- Tem continuidade? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado do sensor ECT;
- Medir a resistência elétrica do sensor entre - Sensor com defeito.
NÃO - Efetuar a troca do sensor ECT;
os terminais 1 e 2;
- A resistência deverá estar de acordo com a - Apagar o código de falhas;
tabela abaixo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Resistência do sensor ECT ok.


- Reinstalar o chicote elétrico no sensor ECT; - ECM com defeito.
NÃO - Trocar o ECM;
- Com a ferramenta VCO 950 instalada no
veículo; - Apagar o código de falhas;
- Verificar através da ferramenta, a curva de - Refazer o teste e liberar o veículo.
temperatura x tensão e comparar com a tabela
abaixo;
- Está ok?
Resistência
Temperatura (°C) Tensão (V)
(Ohm)
SIM
0 °C 91 K 3,86 V
20 °C 36 K 3,05 V
- ECM ok.
30 °C 24 K 2,6 V
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo. 40 °C 16 K 2,2 V
50 °C 11 K 1,7 V
60 °C 8K 1,4 V
70 °C 5,3 K 1,05 V
80 °C 4K 0,87 V
90 °C 3K 0,65 V
96 °C 2,4 K 0,53 V

D - 76 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Temperatura do Líquido Refrigerante (ECT) 110/03
Generalidades
O sensor ECT é um termistor, ou seja, um resistor variável do tipo NTC (coeficiente negativo
de temperatura) está instalado no lado esquerdo da parte frontal do motor.
O ECM alimenta o sensor com tensão de referência de 5V através do terminal X1-8 (pino 2 do
sensor) e sinal de massa (terra) através do terminal X1-6 (pino 1 do sensor).
O sensor ECT utiliza a tensão de alimentação para produzir um sinal analógico de tensão para
indicar a temperatura do líquido refrigerante do motor.
Por ser do tipo NTC, o ECT modifica a resistência quando exposto às diferentes temperaturas.
Quando a temperatura do líquido refrigerante estiver baixa, a resistência elétrica do sensor e
a tensão de referência estarão altas. Quando estiver alta, a resistência elétrica e a tensão de
referência estarão baixas.
A variação da tensão de referência do sensor ECT será utilizada pelo ECM para determinar o
ângulo de injeção, a temperatura do motor, o cálculo da massa do ar admitido e o débito de
injeção em todas as etapas do funcionamento do motor.

Causa
Tensão alta no sensor de temperatura do líquido refrigerante.
Descrição da Falha
O SPN 110-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,6V por mais de 300 milisegundos;
- Abertura do circuito elétrico do sensor;
- Curto-circuito ao positivo do sensor ECT;
- O sensor ECT apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor ECT;
- Adotará o valor de -4ºC durante a partida do motor e 82ºC durante o seu funcionamento.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 77
Códigos de Falhas
110/03 Sensor de Temperatura do Líquido Refrigerante (ECT)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar os ítens abaixo e corrigir, se


elétrico do sensor ECT desconectado; necessário:
- Medir a tensão de alimentação entre os NÃO - Tensão da bateria;
terminais 1 e 2 do chicote elétrico do sensor; - Relé principal do ECM;
- A tensão deverá estar entre 4,8 e 5,2V; - Fusíveis de alimentação do ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Tensão de alimentação do ECT ok;


- Com a chave de ignição desligada e chicote - Chicote elétrico rompido.
elétrico do sensor ECT desconectado no lado NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico, se
ECM e lado do sensor; necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do ECT; - Apagar o código de falhas;
- Tem continuidade? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado do sensor ECT;
- Medir a resistência elétrica do sensor entre - Sensor com defeito.
NÃO - Efetuar a troca do sensor ECT;
os terminais 1 e 2;
- A resistência deverá estar de acordo com a - Apagar o código de falhas;
tabela abaixo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Resistência do sensor ECT ok.


- Reinstalar o chicote elétrico no sensor ECT; - ECM com defeito.
NÃO - Trocar o ECM;
- Com a ferramenta VCO 950 instalada no
veículo; - Apagar o código de falhas;
- Verificar através da ferramenta, a curva de - Refazer o teste e liberar o veículo.
temperatura x tensão e comparar com a tabela
abaixo;
- Está ok? Resistência
Temperatura (°C) Tensão (V)
(Ohm)
SIM 0 °C 91 K 3,86 V
20 °C 36 K 3,05 V
- ECM ok. 30 °C 24 K 2,6 V
- Apagar o código de falhas; 40 °C 16 K 2,2 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 50 °C 11 K 1,7 V
60 °C 8K 1,4 V
70 °C 5,3 K 1,05 V
80 °C 4K 0,87 V
90 °C 3K 0,65 V
96 °C 2,4 K 0,53 V

D - 78 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Temperatura do Líquido Refrigerante (ECT) 110/04
Generalidades
O sensor ECT é um termistor, ou seja, um resistor variável do tipo NTC (coeficiente negativo
de temperatura) e está localizado no suporte do alternador no canal de passagem de água do
aquecedor.
O ECM alimenta o sensor com tensão de referência de 5V através do terminal X1-8 (pino 2 do
sensor) e sinal de massa (terra) através do terminal X1-6 (pino 1 do sensor).
O sensor ECT utiliza a tensão de alimentação para produzir um sinal analógico de tensão para
indicar a temperatura do líquido refrigerante do motor.
Por ser do tipo NTC, o ECT modifica a resistência quando exposto às diferentes temperaturas.
Quando a temperatura do líquido refrigerante estiver baixa, a resistência elétrica do sensor e
a tensão de referência estarão altas. Quando estiver alta, a resistência elétrica e a tensão de
referência estarão baixas.
A variação da tensão de referência do sensor ECT será utilizada pelo ECM para determinar o
ângulo de injeção, a temperatura do motor, o cálculo da massa do ar admitido e o débito de
injeção em todas as etapas do funcionamento do motor.

Causa
Tensão baixa no sensor de temperatura do líquido refrigerante.
Descrição da Falha
O SPN 110-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 127 mV por um período maior que 300
milisegundos;
- Um curto ao terra do veículo no cabo elétrico de resposta do sensor;
- O sensor ECT apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor ECT;
- Adotará o valor de -4ºC durante a partida do motor e 82ºC durante o funcionamento.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 79
Códigos de Falhas
110/04 Sensor de Temperatura do Líquido Refrigerante (ECT)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar os ítens abaixo e corrigir, se


elétrico do sensor ECT desconectado; necessário:
- Medir a tensão de alimentação entre os NÃO - Tensão da bateria;
terminais 1 e 2 do chicote elétrico do sensor; - Relé principal do ECM;
- A tensão deverá estar entre 4,8 e 5,2V; - Fusíveis de alimentação do ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Tensão de alimentação do ECT ok;


- Chicote elétrico rompido.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do sensor ECT desconectado no lado NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico, se
necessário;
ECM e lado do sensor;
- Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade no chicote elétrico do ECT;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Tem continuidade?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado do sensor ECT; - Sensor com defeito.
- Medir a resistência elétrica do sensor entre NÃO - Efetuar a troca do sensor ECT;
os terminais 1 e 2; - Apagar o código de falhas;
- A resistência deverá estar de acordo com a - Refazer o teste e liberar o veículo.
tabela abaixo;
- Está ok?
SIM

- Resistência do sensor ECT ok.


- Reinstalar o chicote elétrico no sensor ECT; - ECM com defeito.
NÃO - Trocar o ECM;
- Com a ferramenta VCO 950 instalada no
veículo; - Apagar o código de falhas;
- Verificar através da ferramenta, a curva de - Refazer o teste e liberar o veículo.
temperatura x tensão e comparar com a tabela
abaixo;
- Está ok?

SIM Resistência
Temperatura (°C) Tensão (V)
(Ohm)
0 °C 91 K 3,86 V
- ECM ok.
- Apagar o código de falhas; 20 °C 36 K 3,05 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 30 °C 24 K 2,6 V
40 °C 16 K 2,2 V
50 °C 11 K 1,7 V
60 °C 8K 1,4 V
70 °C 5,3 K 1,05 V
80 °C 4K 0,87 V
90 °C 3K 0,65 V
96 °C 2,4 K 0,53 V

D - 80 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Temperatura do Líquido Refrigerante do Motor 110/07
Generalidades
O sensor ECT é um termistor, ou seja, um resistor variável do tipo NTC (coeficiente negativo
de temperatura) e está localizado no suporte do alternador no canal de passagem de água do
aquecedor.
O ECM alimenta o sensor com tensão de referência de 5V através do terminal X1-8 (pino 2 do
sensor) e sinal de massa (terra) através do terminal X1-6 (pino 1 do sensor).
O sensor ECT utiliza a tensão de alimentação para produzir um sinal analógico de tensão para
indicar a temperatura do líquido refrigerante do motor.
Por ser do tipo NTC, o ECT modifica a resistência quando exposto às diferentes temperaturas.
Quando a temperatura do líquido refrigerante estiver baixa, a resistência elétrica do sensor e
a tensão de referência estarão altas. Quando estiver alta, a resistência elétrica e a tensão de
referência estarão baixas.
A variação da tensão de referência do sensor ECT será utilizada pelo ECM para determinar o
ângulo de injeção, a temperatura do motor, o cálculo da massa do ar admitido e o débito mínimo
e máximo de injeção em todas as etapas do funcionamento do motor.

Causa
Temperatura do líquido refrigerante do motor acima do nível crítico.
Descrição da Falha
O SPN 110-7 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- A temperatura do líquido refrigerante estiver acima de 112,5 ºC.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Acionará um sinal sonoro de alerta ao condutor;
- Causará o despotenciamento do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 81
Códigos de Falhas
110/07 Temperatura do Líquido Refrigerante do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar os ítens abaixo e corrigir, se


elétrico do sensor ECT desconectado; necessário:
- Medir a tensão de alimentação entre os NÃO - Tensão da bateria;
terminais 1 e 2 do chicote elétrico do sensor; - Relé principal do ECM;
- A tensão deverá estar entre 4,8 e 5,2V; - Fusíveis de alimentação do ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Tensão de alimentação do ECT ok;


- Chicote elétrico rompido.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do sensor ECT desconectado no lado NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico, se
necessário;
ECM e lado do sensor;
- Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade no chicote elétrico do ECT;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Tem continuidade?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado do sensor ECT; - Sensor com defeito.
- Medir a resistência elétrica do sensor entre NÃO - Efetuar a troca do sensor ECT;
os terminais 1 e 2; - Apagar o código de falhas;
- A resistência deverá estar de acordo com a - Refazer o teste e liberar o veículo.
tabela abaixo;
- Está ok?
SIM

- Resistência do sensor ECT ok.


- Reinstalar o chicote elétrico no sensor ECT; - ECM com defeito.
NÃO - Trocar o ECM;
- Com a ferramenta VCO 950 instalada no
veículo; - Apagar o código de falhas;
- Verificar através da ferramenta, a curva de - Refazer o teste e liberar o veículo.
temperatura x tensão e comparar com a tabela
abaixo;
- Está ok?

SIM Resistência
Temperatura (°C) Tensão (V)
(Ohm)
0 °C 91 K 3,86 V
- ECM ok.
- Apagar o código de falhas; 20 °C 36 K 3,05 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 30 °C 24 K 2,6 V
40 °C 16 K 2,2 V
50 °C 11 K 1,7 V
60 °C 8K 1,4 V
70 °C 5,3 K 1,05 V
80 °C 4K 0,87 V
90 °C 3K 0,65 V
96 °C 2,4 K 0,53 V

D - 82 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Despotenciamento do Motor por Temperatura
Acima da Faixa 110/14
Generalidades
Com o propósito de proteger o motor contra danos causados por falhas no controle do sistema
refrigerante, o ECM é dotado de estratégias que visam entre outras coisas, optar por reduzir
sistematicamente o volume de combustível dispensado do motor.
Quando a temperatura do motor ultrapassar 102ºC, automaticamente o ECM inicia a rotina de
despotenciamento, até que as condições retornem à normalidade.

Causa
Despotenciamento do motor.
Descrição da Falha
O SPN 110-14 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- O sistema de controle de temperatura exceder 102ºC.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Reduzirá a quantidade de combustível para o motor;
- Para cada grau Celsius acima do ideal, o ECM reduzirá a quantidade de combustível em 6%;
- Quando a temperatura voltar ao normal, o volume de combustível do motor se normalizará.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 83
Códigos de Falhas
Despotenciamento do Motor por Temperatura
110/14 Acima da Faixa

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e motor frio;


- Reservatório trincado.
- Verificar o nível do líquido de arrefecimento
- Com as mangueiras soltas ou com nível abaixo
do motor; NÃO do valor mínimo;
- O nível deverá estar de acordo com o
- Reparar ou completar o nível;
indicador de nível no reservatório.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Nível do líquido de arrefecimento ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do terminal 19 - Chicote rompido.
NÃO
do conector C da LU e lado sensor; - Reparar o chicote ou trocar,se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do terminal 19 - Chicote elétrico em curto circuito.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
do conector C da LU e lado sensor;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico do sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok. - Verificar no ECM:


- Com a chave de ignição ligada e chicote - Fusíveis de alimentação da LU;
elétrico conectado; NÃO - Tensão nos terminais X1-3, X4-1 e X4-2;
- Medir tensão de alimentação no chicote elétrico; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá estar entre 4,6 e 5V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; - Sensor com defeito.
- Com a VCO, verificar se o SPN 111-1 está NÃO - Trocar o sensor;
presente; - Apagar o código de falhas;
- Não deverá estar presente. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 84 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Nível Refrigerante do Motor 111/01
Generalidades
O líquido refrigerante do motor é um composto de 93% água e 7% aditivo Volkswagen. Deve ter
PH (potencial hidrogeniônico) neutro.
O PH de uma solução é o que determina se ela é ácida ou alcalínica numa escala que varia de
0 a 14. O neutro da escala está situado entre 6,8 e 7,3 aproximadamente. Os extremos do PH
da solução são prejudiciais às partes metálicas e alumínicas do motor.
O sensor está instalado no reservatório de expansão do veículo no lado direito (acima do farol
direito). No reservatório estão instalados dois sensores, um superior (o que está medindo o
nível do líquido refrigerante) e um inferior que indica condição “vazio” à LU (logic unit) instalada
acima da central elétrica do veículo.

Causa
Nível do líquido refrigerante do motor abaixo do nível de alerta/crítico.
Descrição da Falha
O SPN 111-1 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito do sensor de nível do líquido refrigerante em curto ao terra do veículo;
- Nível do reservatório de fluído refrigerante baixo.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Causará o despotenciamento do motor;
- Acionará um sinal sonoro de alerta ao condutor do veículo.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 85
Códigos de Falhas
111/01 Nível Refrigerante do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e motor frio;


- Reservatório trincado.
- Verificar o nível do líquido de arrefecimento
- Com as mangueiras soltas ou com nível abaixo
do motor; NÃO do valor mínimo;
- O nível deverá estar de acordo com o
- Reparar ou completar o nível;
indicador de nível no reservatório.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Nível do líquido de arrefecimento ok.


- Com a chave de ignição desligada a chicote
elétrico desconectado no lado do terminal 19 - Chicote rompido.
NÃO
do conector C da LU e lado sensor; - Reparar o chicote ou trocar,se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do terminal 19 - Chicote elétrico em curto-circuito.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
do conector C da LU e lado sensor;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico do sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok. - Verificar no ECM:


- Com a chave de ignição ligada e chicote - Fusíveis de alimentação da LU;
elétrico conectado; NÃO - Tensão nos terminais X1-3, X4-1 e X4-2;
- Medir tensão de alimentação no chicote elétrico; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá estar entre 4,6 e 5V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; - Sensor com defeito.
- Com a VCO, verificar se o SPN 111-1 está NÃO - Trocar o sensor;
presente; - Apagar o código de falhas;
- Não deverá estar presente. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 86 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Nível do Líquido Refrigerante do Motor 111/02
Generalidades
O líquido refrigerante do motor é um composto de 93% água e 7% aditivo Volkswagen. Deve ter
PH (potencial hidrogeniônico) neutro.
O PH de uma solução é o que determina se ela é ácida ou alcalínica numa escala que varia de
0 a 14. O neutro da escala está situado entre 6,8 e 7,3 aproximadamente. Os extremos do PH
da solução são prejudiciais às partes metálicas e alumínicas do motor.
O sensor está instalado no reservatório de expansão do veículo no lado direito (acima do farol
direito). No reservatório estão instalados dois sensores, um superior (o que está medindo o
nível do líquido refrigerante) e um inferior que indica condição “vazio” à LU (logic unit) instalada
acima da central elétrica do veículo.

Causa
Sinal do circuito do sensor de nível do líquido refrigerante do motor fora da faixa de trabalho.
Descrição da Falha
O SPN 111-2 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Tensão maior que 3,4V ou menor que 4,3V no terminal 19 (conector C da LU) por mais de 2
segundos;
- Curto ao terra do veículo no cabo correspondente ao terminal 19 (conector C da LU).
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 87
Códigos de Falhas
111/02 Sensor de Nível do Líquido Refrigerante do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada a chicote


elétrico desconectado no lado da LU e lado - Chicote rompido.
sensor; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do - Apagar o código de falhas;
sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado da LU e lado
sensor; - Chicote elétrico em curto circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; - Verificar:
NÃO - Fusíveis de alimentação da LU.
- Medir tensão de alimentação no chicote
elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deverá estar entre 4,6 e 5V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; - Sensor com defeito.
- Com a ferramenta VCO, verificar se o SPN
NÃO - Trocar o sensor;
111-2 está presente; - Apagar o código de falhas;
- Não deverá estar presente. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 88 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão de Controle de Injeção (ICP) 164/00
Generalidades
O ICP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente ao qual está submetido,
o ICP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando a pressão do óleo
varia, ocorre variação na capacitância do ICP e conseqüentemente na tensão de resposta do
sensor.
O ICP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do ICP através do pino 3 (ICP), por meio do terminal X1-20 do
ECM.
O sinal de resposta do ICP é utilizado pelo ECM para monitorar continuamente a pressão de
controle de injeção e ajustar o ciclo de trabalho da válvula IPR, de forma a atender as exigências
do motor.

Causa
Sinal de pressão do controle de injeção acima da faixa de trabalho do sistema.
Descrição da Falha
O SPN 164-0 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A pressão de controle de injeção (ICP) estiver acima de 271 bar por mais de 1,5 segundos;
- Defeito no sensor ICP.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal do controle do sensor ICP;
- Passará a controlar a válvula IPR baseado em estratégia pré-estabelecida pelo software do
ECM.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 89
Códigos de Falhas
164/00 Pressão de Controle de Injeção (ICP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico desconectado no lado sensor ICP; - Fusíveis F1, F15A, F31 10A e F32 25A do
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO ECM sob porta-luvas;
entre X1-6 e X1-14; - Tensão nos terminais X4-1 e X4-2;
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V. - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Está ok? - Reparar, se necessário.
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do ICP está em curto ao
sensor ICP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do ICP e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor ICP; ao chicote elétrico do sinal de resposta do
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3
NÃO sensor.
do chicote elétrico do ICP (X1-14 e X1-20 do - Reparar ou trocar o chicote;
ECM); - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e
lado sensor ICP;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro para medir a tensão de - Sensor com defeito.
resposta do sensor ICP;
NÃO - Trocar ICP;
- Ligar o motor; - Apagar o código de falhas;
- Verificar por meio da ferramenta e - Refazer o teste e liberar o veículo.
simultaneamente através da tela do
multímetro, o funcionamento dinâmico do ICP;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo;
- Está ok?
RPM Tensão de resposta
do sensor
SIM
700 1,30 V
1000 2,30 V
- Sensor ICP ok. 1300 2,40 V
- Apagar o código de falhas; 1500 2,52 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 2000 2,74 V

D - 90 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão de Controle de Injeção (ICP) 164/01
Generalidades
O ICP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente ao qual está submetido,
o ICP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando a pressão do óleo
varia, ocorre variação na capacitância do ICP e conseqüentemente na tensão de resposta do
sensor.
O ICP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do ICP através do pino 3 (ICP), por meio do terminal X1-20 do
ECM.
O sinal de resposta do ICP é utilizado pelo ECM para monitorar continuamente a pressão de
controle de injeção e ajustar o ciclo de trabalho da válvula IPR, de forma a atender as exigências
do motor.

Causa
Pressão de controle de injeção incapaz de suprir a carga durante a partida do motor.
Descrição da Falha
O SPN 164-1 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A pressão de injeção estiver baixa durante a partida do motor.
Estratégia
Não há estratégia prevista.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 91
Códigos de Falhas
164/01 Pressão de Controle de Injeção (ICP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico desconectado no lado sensor ICP; - Fusíveis F1, F15A, F31 10A e F32 25A do
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO ECM sob porta-luvas;
entre X1-6 e X1-14; - Tensão nos terminais X4-1 e X4-2;
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V. - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Está ok? - Reparar, se necessário.
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do ICP está em curto ao
sensor ICP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do ICP e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor ICP; ao chicote elétrico do sinal de resposta do
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3
NÃO sensor.
do chicote elétrico do ICP (X1-14 e X1-20 do - Reparar ou trocar o chicote;
ECM); - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e
lado sensor ICP;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro para medir a tensão de - Sensor com defeito.
resposta do sensor ICP;
NÃO - Trocar ICP;
- Ligar o motor; - Apagar o código de falhas;
- Verificar por meio da ferramenta e - Refazer o teste e liberar o veículo.
simultaneamente através da tela do
multímetro, o funcionamento dinâmico do ICP;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo;
- Está ok?
RPM Tensão de resposta
do sensor
SIM
700 1,30 V
1000 2,30 V
- Sensor ICP ok. 1300 2,40 V
- Apagar o código de falhas; 1500 2,52 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 2000 2,74 V

D - 92 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Controle da Pressão de Injeção (ICP) 164/03
Generalidades
O ICP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente ao qual está submetido,
o ICP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando a pressão do óleo
varia, ocorre variação na capacitância do ICP e conseqüentemente na tensão de resposta do
sensor.
O ICP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do ICP através do pino 3 (ICP), por meio do terminal X1-20 do
ECM.
O sinal de resposta do ICP é utilizado pelo ECM para monitorar continuamente a pressão de
controle de injeção e ajustar o ciclo de trabalho da válvula IPR, de forma a atender as exigências
do motor.

Causa
Tensão alta no sensor de controle de pressão do óleo da bomba de alta pressão.
Descrição da Falha
O SPN 164-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,9V por mais de 100 milisegundos;
- Ocorrer curto ao terra no sinal do sensor;
- Ocorrer curto-circuito entre o positivo e o cabo de sinal de resposta do sensor;
- O sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor ICP;
- Continuará operando o motor com base em valores estimados pelo software do ECM.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 93
Códigos de Falhas
164/03 Sensor de Controle da Pressão de Injeção (ICP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico desconectado no lado sensor ICP; - Fusíveis F1, F15A, F31 10A e F32 25A do
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO ECM sob porta-luvas;
entre X1-6 e X1-14; - Tensão nos terminais X4-1 e X4-2;
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V. - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Está ok? - Reparar, se necessário.
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do ICP está em curto ao
sensor ICP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do ICP e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor ICP; ao chicote elétrico do sinal de resposta do
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3
NÃO sensor.
do chicote elétrico do ICP (X1-14 e X1-20 do - Reparar ou trocar o chicote;
ECM); - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e
lado sensor ICP;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro para medir a tensão de - Sensor com defeito.
resposta do sensor ICP;
NÃO - Trocar ICP;
- Ligar o motor; - Apagar o código de falhas;
- Verificar por meio da ferramenta e - Refazer o teste e liberar o veículo.
simultaneamente através da tela do
multímetro, o funcionamento dinâmico do ICP;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo;
- Está ok?
RPM Tensão de resposta
do sensor
SIM
700 1,30 V
1000 2,30 V
- Sensor ICP ok. 1300 2,40 V
- Apagar o código de falhas; 1500 2,52 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 2000 2,74 V

D - 94 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Controle da Pressão de Injeção (ICP) 164/04
Generalidades
O ICP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente ao qual está submetido,
o ICP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando a pressão do óleo
varia, ocorrem variações na capacitância do ICP e conseqüentemente na tensão de resposta
do sensor.
O ICP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do ICP através do pino 3 (ICP), por meio do terminal X1-20 do
ECM.
O sinal de resposta do ICP é utilizado pelo ECM para monitorar continuamente a pressão de
controle de injeção e ajustar o ciclo de trabalho da válvula IPR, de forma a atender as exigências
do motor.

Causa
Tensão baixa no sensor de pressão do óleo da bomba de alta pressão.
Descrição da Falha
O SPN 164-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 390 mV por mais de 100 milisegundos;
- Ocorrer curto ao terra no sinal do sensor;
- Ocorrer curto-circuito entre o positivo e o cabo de sinal de resposta do sensor;
- O sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de resposta do sensor ICP;
- Continuará operando o motor com base em valores estimados pelo software do ECM.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 95
Códigos de Falhas
164/04 Sensor de Controle da Pressão de Injeção (ICP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico desconectado no lado sensor ICP; - Fusíveis F1, F15A, F31 10A e F32 25A do
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO ECM sob porta-luvas;
entre X1-6 e X1-14; - Tensão nos terminais X4-1 e X4-2;
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V. - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Está ok? - Reparar, se necessário.
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do ICP está em curto ao
sensor ICP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do ICP e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor ICP; ao chicote elétrico do sinal de resposta do
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3
NÃO sensor.
do chicote elétrico do ICP (X1-14 e X1-20 do - Reparar ou trocar o chicote;
ECM); - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e
lado sensor ICP;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro para medir a tensão de - Sensor com defeito.
resposta do sensor ICP;
NÃO - Trocar ICP;
- Ligar o motor; - Apagar o código de falhas;
- Verificar por meio da ferramenta e - Refazer o teste e liberar o veículo.
simultaneamente através da tela do
multímetro, o funcionamento dinâmico do ICP;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo;
- Está ok?
RPM Tensão de resposta
do sensor
SIM
700 1,30 V
1000 2,30 V
- Sensor ICP ok. 1300 2,40 V
- Apagar o código de falhas; 1500 2,52 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 2000 2,74 V

D - 96 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão de Controle de Injeção (ICP) 164/07
Generalidades
O ICP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente ao qual está submetido,
o ICP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando a pressão do óleo
varia, ocorre variação na capacitância do ICP e conseqüentemente na tensão de resposta do
sensor.
O ICP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do ICP através do pino 3 (ICP), por meio do terminal X1-20 do
ECM.
O sinal de resposta do ICP é utilizado pelo ECM para monitorar continuamente a pressão de
controle de injeção e ajustar o ciclo de trabalho da válvula IPR, de forma a atender as exigências
do motor.

Causa
Pressão de controle de injeção com baixa performance.
Descrição da Falha
O SPN 164-7 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Diferença entre o sinal medido pelo ICP e o sinal desejado do ICP igual a 1300 PSI por mais de
3 segundos.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal do controle do sensor ICP;
- Controlará o IPR com valores baseados na estratégia do software do ECM.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 97
Códigos de Falhas
164/07 Pressão de Controle de Injeção (ICP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico desconectado no lado sensor ICP; - Fusíveis F1, F15A, F31 10A e F32 25A do
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO ECM sob porta-luvas;
entre X1-6 e X1-14; - Tensão nos terminais X4-1 e X4-2;
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V. - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Está ok? - Reparar, se necessário.
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do ICP está em curto ao
sensor ICP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do ICP e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor ICP; ao chicote elétrico do sinal de resposta do
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3
NÃO sensor.
do chicote elétrico do ICP (X1-14 e X1-20 do - Reparar ou trocar o chicote;
ECM); - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e
lado sensor ICP;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro para medir a tensão de - Sensor com defeito.
resposta do sensor ICP;
NÃO - Trocar ICP;
- Ligar o motor; - Apagar o código de falhas;
- Verificar por meio da ferramenta e - Refazer o teste e liberar o veículo.
simultaneamente através da tela do
multímetro, o funcionamento dinâmico do ICP;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo;
- Está ok?
RPM Tensão de resposta
do sensor
SIM
700 1,30 V
1000 2,30 V
- Sensor ICP ok. 1300 2,40 V
- Apagar o código de falhas; 1500 2,52 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 2000 2,74 V

D - 98 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão de Controle de Injeção (ICP) 164/10
Generalidades
O ICP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente ao qual está submetido,
o ICP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando a pressão do óleo
varia, ocorre variação na capacitância do ICP e conseqüentemente na tensão de resposta do
sensor.
O ICP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do ICP através do pino 3 (ICP), por meio do terminal X1-20 do
ECM.
O sinal de resposta do ICP é utilizado pelo ECM para monitorar continuamente a pressão de
controle de injeção e ajustar o ciclo de trabalho da válvula IPR, de forma a atender as exigências
do motor.

Causa
Pressão de controle de injeção acima/ abaixo do nível desejado.
Descrição da Falha
O SPN 164-10 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A pressão medida não se igualar com a pressão desejada;
- O valor da pressão estiver menor ou maior que 362 PSI da pressão desejada por um período
maior que 7 segundos.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal de retorno do ICP;
- Controlará a IPR com valores baseados na estratégia do software do ECM.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒ D - 99
Códigos de Falhas
164/10 Pressão de Controle de Injeção (ICP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico desconectado no lado sensor ICP; - Fusíveis F1, F15A, F31 10A e F32 25A do
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO ECM sob porta-luvas;
entre X1-6 e X1-14; - Tensão nos terminais X4-1 e X4-2;
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V. - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Está ok? - Reparar, se necessário.
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do ICP está em curto ao
sensor ICP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do ICP e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor ICP; ao chicote elétrico do sinal de resposta do
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3
NÃO sensor.
do chicote elétrico do ICP (X1-14 e X1-20 do - Reparar ou trocar o chicote;
ECM); - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e
lado sensor ICP;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro para medir a tensão de - Sensor com defeito.
resposta do sensor ICP;
NÃO - Trocar ICP;
- Ligar o motor; - Apagar o código de falhas;
- Verificar por meio da ferramenta e - Refazer o teste e liberar o veículo.
simultaneamente através da tela do
multímetro, o funcionamento dinâmico do ICP;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo;
- Está ok?
RPM Tensão de resposta
do sensor
SIM
700 1,30 V
1000 2,30 V
- Sensor ICP ok. 1300 2,40 V
- Apagar o código de falhas; 1500 2,52 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 2000 2,74 V

D - 100 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão de Controle de Injeção (ICP) 164/13
Generalidades
O ICP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrem variações de pressão no ambiente ao qual está submetido,
o ICP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando a pressão do óleo
varia, ocorre variação na capacitância do ICP e conseqüentemente na tensão de resposta do
sensor.
O ICP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do ICP através do pino 3 (ICP), por meio do terminal X1-20 do
ECM.
O sinal de resposta do ICP é utilizado pelo ECM para monitorar continuamente a pressão de
controle de injeção e ajustar o ciclo de trabalho da válvula IPR, de forma a atender as exigências
do motor.

Causa
Pressão de controle de injeção acima do especificado com o motor desligado.
Descrição da Falha
O SPN 164-13 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Sinal de tensão do ICP acima do especificado com a ignição ligada e motor parado (KOEO);
- Curto ao terra do veículo no cabo de resposta do ICP;
- Curto ao positivo da bateria do veículo no cabo de resposta do ICP.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal do sensor ICP;
- Operará o IPR com valores baseados na estratégia do software do ECM.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 101
Códigos de Falhas
164/13 Pressão de Controle de Injeção (ICP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico desconectado no lado sensor ICP; - Fusíveis F1, F15A, F31 10A e F32 25A do
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO ECM sob porta-luvas;
entre X1-6 e X1-14; - Tensão nos terminais X4-1 e X4-2;
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V. - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Está ok? - Reparar, se necessário.
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do ICP está em curto ao
sensor ICP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do ICP e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor ICP; ao chicote elétrico do sinal de resposta do
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3
NÃO sensor.
do chicote elétrico do ICP (X1-14 e X1-20 do - Reparar ou trocar o chicote;
ECM); - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e
lado sensor ICP;
- Instalar a ferramenta VCO 950;
- Instalar o multímetro para medir a tensão de - Sensor com defeito.
resposta do sensor ICP;
NÃO - Trocar ICP;
- Ligar o motor; - Apagar o código de falhas;
- Verificar por meio da ferramenta e - Refazer o teste e liberar o veículo.
simultaneamente através da tela do
multímetro, o funcionamento dinâmico do ICP;
- Deverá estar de acordo com a tabela abaixo;
- Está ok?
RPM Tensão de resposta
do sensor
SIM
700 1,30 V
1000 2,30 V
- Sensor ICP ok. 1300 2,40 V
- Apagar o código de falhas; 1500 2,52 V
- Refazer o teste e liberar o veículo. 2000 2,74 V

D - 102 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal de Tensão Alta no ECM 168/03
Generalidades
O ECM requer uma tensão de 24V para seu correto funcionamento. Para que isso ocorra, ele
recebe 24V no terminal X3-3 através do pino 87 do relé linha 15, passando pelo fusível F1 de
5A. Nessa condição, o ECM aterra o pino 86 do relé de potência, através do terminal X3-5.
Desta forma, o relé de potência fornece 24V através do terminal 87, passando pelo fusível F31
de 10A aos terminais X4-1 e X4-2 do ECM. Através do fusível F32 de 25A, o relé fornece 24V
ao terminal 1 do módulo de controle da EGR.
O ECM é aterrado através do pólo negativo da bateria nos terminais X3-6 e X3-7.
O ECM monitora continuamente a tensão da bateria. Caso ocorra um nível de tensão inferior a
22V ou superior a 27V, um código de falha será gerado.

Causa
Sinal de tensão alta no ECM.
Descrição da Falha
O SPN 168-3 aparecerá quando ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de referência for maior que 27V, por um tempo maior que 400 milisegundos;
- Houver falha no sistema de carga do alternador;
- O ECM apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia do painel de instrumentos será acionada;
- Não haverá alteração na rotina dos sensores e atuadores.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 103
Códigos de Falhas
168/03 Sinal de Tensão Alta no ECM

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e o chicote


elétrico dos pólos positivo e negativo da - A bateria está com deficiência de carga.
bateria desconectado;
NÃO - Recarregar ou trocar a bateria, se necessário;
- Medir a tensão da bateria; - Apagar o código de falhas;
- A tensão deverá estar entre 23V e 27V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Bateria ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Remover o alternador;
- Reinstalar o chicote elétrico nos pólos da
bateria; NÃO - Fazer revisão;
- Reinstalar o alternador;
- Ligar o veículo,com o multímetro verificar a
- Apagar o código de falhas;
tensão do alternador;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deverá estar entre 23V e 27V.
- Está ok?
SIM
- Verificar:
- O alternador está ok. - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Com a chave de ignição ligada e chicote - Relé principal;
elétrico desconectado; NÃO - Aterramento do motor;
- Verificar tensão no ECM nos terminais X3-3, - Aterramento do câmbio;
X4-1 e X4-2; - Aterramento do chassi do veículo.
- Deverá ser 24V. - Reparar, se necessário;
- A tensão está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Tensão de alimentação ok. - Verificar:


- Verificar aterramento nos terminais X3-6 e - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
NÃO - Relé principal;
X3-7 do ECM;
- Deverá ter sinal de terra. - Aterramento do motor;
- Está ok? - Aterramento do câmbio;
- Aterramento do chassi do veículo.
- Reparar, se necessário;
SIM - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Aterramento ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 104 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal de Tensão Baixa no ECM 168/04
Generalidades
O ECM requer uma tensão de 24V para seu correto funcionamento. Para que isso ocorra, ele
recebe 24V no terminal X3-3 através do pino 87 do relé linha 15, passando pelo fusível F1 de
5A. Nessa condição, o ECM aterra o pino 86 do relé de potência, através do terminal X3-5.
Desta forma, o relé de potência fornece 24V através do terminal 87, passando pelo fusível F31
de 10A aos terminais X4-1 e X4-2 do ECM. Através do fusível F32 de 25A, o relé fornece 24V
ao terminal 1 do módulo de controle da EGR.
O ECM é aterrado através do pólo negativo da bateria nos terminais X3-6 e X3-7.
O ECM monitora continuamente a tensão da bateria. Caso ocorra um nível de tensão inferior a
22V ou superior a 27V, um código de falha será gerado.

Causa
Sinal de tensão baixa no ECM.
Descrição da Falha
O SPN 168-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de referência for menor que 22V, por um tempo maior que 400 milisegundos;
- Houver falha no sistema de carga do alternador;
- O ECM apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia do painel de instrumentos será acionada;
- Não haverá alteração na rotina dos sensores e atuadores.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 105
Códigos de Falhas
168/04 Sinal de Tensão Baixa no ECM

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada;


- Desconectar o chicote elétrico dos pólos - A bateria está com deficiência de carga.
positivo e negativo da bateria;
NÃO - Recarregar ou trocar a bateria, se necessário;
- Medir a tensão da bateria; - Apagar o código de falhas;
- A tensão deverá estar entre 23V e 27V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Bateria ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Remover o alternador;
- Reinstalar os chicotes elétricos nos pólos da
bateria; NÃO - Fazer revisão;
- Reinstalar o alternador;
- Ligar o motor do veículo e verificar a tensão
- Apagar o código de falhas;
fornecida pelo alternador;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- A tensão deverá estar entre 23V e 27V;
- Está ok?
SIM
- Verificar:
- O alternador está ok. - Fusíveis;
- Com a chave de ignição ligada e chicotes - Relé principal;
elétricos desconectados; NÃO - Aterramento do motor;
- Verificar tensão do ECM nos terminais X3-3, - Câmbio;
X4-1 e X4-2. - Chassi do veículo.
- A tensão está ok? - Reparar, se necessário;
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Tensão ok.
- Verificar aterramento nos terminais X3-6 e - Verificar:
X3-7 e relés 11 e 12 sob porta-luvas do - Fusíveis;
NÃO - Relé principal;
veículo;
- Deverá ter sinal de terra negativo e a tensão - Aterramento do motor;
deverá estar maior que 23V. - Câmbio;
- Estão ok? - Chassi do veículo.
- Reparar, se necessário;
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 106 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Temperatura do Óleo do Motor (EOT) 175/03
Generalidades
O sensor EOT é um termistor, ou seja, um resistor variável do tipo NTC. Está instalado na parte
traseira da tampa frontal, à esquerda do conjunto da bomba de óleo de alta pressão. O ECM
alimenta o EOT com uma tensão de 5V de referência através do terminal (X2-1 ECM) pino 2 do
sensor e é aterrado através do terminal (X1-6 ECM) pino 1 do sensor.
O sensor EOT utiliza a tensão de alimentação para produzir um sinal analógico que indicará a
temperatura do óleo do motor.
Por ser do tipo NTC (coeficiente negativo de temperatura), o EOT modifica sua resistência
quando exposto a variações de temperatura. Quando a temperatura do óleo do motor é baixa,
a resistência e a tensão de referência do sensor EOT são altas. Quando a temperatura do óleo
do motor é alta, a tensão de referência e a resistência do EOT são baixas. A variação da tensão
de referência será utilizada pelo ECM para determinar a temperatura de óleo do motor.
A temperatura de óleo é uma variável que permite ao ECM e ao IDM compensar as diferenças
na viscosidade do óleo, a fim de assegurar que a potência e o torque do motor estejam
disponíveis para todas as condições de operação.

Causa
Alta tensão do sensor de temperatura do óleo do motor.
Descrição da Falha
O SPN 175-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Sinal de resposta do sensor permanecer acima de 4,8V por mais de 300 milisegundos;
- Curto ao terra do veículo no cabo de resposta do sensor EOT;
- Circuito aberto;
- Sensor EOT apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal EOT e assumirá um valor de temperatura do óleo do motor de -4ºC durante
a partida e 100ºC durante o funcionamento do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 107
Códigos de Falhas
175/03 Sensor de Temperatura do Óleo do Motor (EOT)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado do lado ECM e lado - Chicote elétrico rompido.
EOT;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico do - Apagar o código de falhas;
sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote elétrico em curto.
EOT; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e
- Apagar o código de falhas;
o sensor EOT;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o sensor EOT e o
positivo da bateria;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM
- Verificar:
- Chicote elétrico ok. - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Com a chave de ignição ligada e chicote - Tensão nos terminais X3-1, X4-1 e X4-2;
elétrico do EOT desconectado; NÃO - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Medir tensão de alimentação do EOT; - Reparar se necessário;
- Deverá estar entre 4,6 e 5V. - Se estiver ok, trocar ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do sensor desconectado; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor EOT;
- Medir a resistência entre os pinos 1 e 2 do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deverá estar conforme a tabela abaixo. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM
Temperatura Resistência do
do Óleo Sensor
- Sensor EOT ok. 0 °C 90 K ohm
- Apagar o código de falhas; 20 °C 33 K ohm
- Refazer o teste e liberar o veículo. 95 °C 1,98 K ohm

D - 108 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Temperatura do Óleo do Motor (EOT) 175/04
Generalidades
O sensor EOT é um termistor, ou seja, um resistor variável do tipo NTC. Está instalado na parte
traseira da tampa frontal, à esquerda do conjunto da bomba de óleo de alta pressão. O ECM
alimenta o EOT com uma tensão de 5V de referência através do terminal (X2-1 ECM) pino 2 do
sensor e é aterrado através do terminal (X1-6 ECM) pino 1 do sensor.
O sensor EOT utiliza a tensão de alimentação para produzir um sinal analógico que indicará a
temperatura do óleo do motor.
Por ser do tipo NTC (coeficiente negativo de temperatura), o EOT modifica sua resistência
quando exposto a variações de temperatura. Quando a temperatura do óleo do motor é baixa,
a resistência e a tensão de referência do sensor EOT são altas. Quando a temperatura do óleo
do motor é alta, a tensão de referência e a resistência do EOT são baixas. A variação da tensão
de referência será utilizada pelo ECM para determinar a temperatura do óleo do motor.
A temperatura do óleo é uma variável que permite ao ECM e ao IDM compensar as diferenças
na viscosidade do óleo, a fim de assegurar que a potência e o torque do motor estejam
disponíveis para todas as condições de operação.

Causa
Baixa tensão do sensor de temperatura do óleo do motor.
Descrição da Falha
O SPN 175-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Sinal de resposta do sensor permanecer abaixo de 200 mV por mais de 300 milisegundos;
- Curto ao terra do veículo no cabo de resposta do sensor EOT;
- Sensor EOT apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal EOT e assumirá um valor de temperatura do óleo do motor de -4ºC durante
a partida e 100ºC durante o funcionamento do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 109
Códigos de Falhas
175/04 Sensor de Temperatura do Óleo do Motor (EOT)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado do lado ECM e lado - Chicote elétrico rompido.
EOT;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico do - Apagar o código de falhas;
sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote elétrico em curto.
EOT; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e
- Apagar o código de falhas;
o sensor EOT;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o sensor EOT e o
positivo da bateria;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM
- Verificar no ECM:
- Chicote elétrico ok. - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Com a chave de ignição ligada e chicote - Tensão nos terminais X3-1, X4-1 e X4-2;
elétrico do EOT desconectado; NÃO - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Medir tensão de alimentação do EOT; - Reparar se necessário;
- Deverá estar entre 4,6 e 5V. - Se estiver ok, trocar ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do sensor desconectado; - Sensor com defeito.
NÃO - Trocar o sensor EOT;
- Medir a resistência entre os pinos 1 e 2 do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deverá estar conforme a tabela abaixo. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM
Temperatura Resistência do
do Óleo Sensor
- Sensor EOT ok. 0 °C 90 K ohm
- Apagar o código de falhas; 20 °C 33 K ohm
- Refazer o teste e liberar o veículo. 95 °C 1,98 K ohm

D - 110 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Rotação do Motor (CKP) 190/00
Generalidades
O CKP é um sensor de relutância magnética composto de um ímã permanente e uma bobina
captora. O ímã produz um campo magnético que atravessa o enrolamento da bobina
continuamente. Quando um metal é colocado próximo à extremidade da bobina, o campo
magnético gerado pelo ímã é aterrado. Essa alteração do campo induz uma tensão elétrica nos
enrolamentos da bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em sentido
contrário. Nesse momento, a tensão induzida é invertida.
O sensor está instalado na parte superior esquerdo da carcaça do virabrequim do motor. O
volante do motor possui uma roda fônica de 60 menos 2 dentes. À medida que os dentes da
roda fônica passam na frente do sensor CKP, o mesmo gera uma tensão alternada através da
qual o ECM reconhece a rotação do motor. A ausência de 2 dentes serve como referência para
o ECM reconhecer o PMS do primeiro cilindro do motor.
O CKP está ligado ao ECM através do terminal (X1-1 ECM) pino 1 do sensor e terminal (X1-2
ECM) pino 2 do sensor, possui malha de aterramento ligada ao terminal (X1-11 ECM).

Causa
Alta rotação do motor, acima da faixa normal de operação, para aquela marcha selecionada.
Descrição da Falha
O SPN 190-0 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Troca de marcha inadequada pelo condutor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 111
Códigos de Falhas
190/00 Sensor de Rotação do Motor (CKP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e motor


funcionando;
- Com o auxílio de um condutor habilitado para
conduzir veículos dessa parte; - Falha operacional.
- Fazer um teste de estrada efetuando a troca NÃO - Reiniciar o teste, respeitando os critérios de
de marchas dentro de respectivas dirigibilidade do veículo;
velocidades; - Apagar o código de falhas;
- A transmissão deverá funcionar de acordo - Refazer o teste e liberar o veículo.
com a rotação do motor.
- Está ok?

SIM

- Dirigibilidade ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 112 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Temporizador de Desligamento em Marcha Lenta 590/14
Generalidades
O IST é um recurso opcional que permite ao ECM desligar o motor quando o mesmo estiver
funcionando em marcha lenta por um tempo prolongado. O temporizador de marcha lenta pode
ser programado pelo proprietário para desligar automaticamente o motor após 120 minutos ou
2 horas de funcionamento.
Antes de ocorrer o desligamento, a lâmpada de advertência (vermelha) se acenderá no painel
de instrumentos, sinalizando para o operador que o tempo de funcionamento do motor está
chegando ao fim e que será desligado automaticamente.

Causa
Sistema temporizador de desligamento do motor ou marcha lenta.
Descrição da Falha
O SPN 590-14 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Desligamento em marcha lenta.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Nota: “Roteiro para Localização das Falhas” não está previsto por razão do SPN 590-14 não
interferir no controle eletrônico do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 113
Códigos de Falhas

Roteiro para localização e Solução de Falhas

Página deixada em branco intencionalmente

D - 114 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Chave de Comando do Controle de Velocidade (SCCS) 596/02
Generalidades
O SCCS é um sistema de controle de velocidade do veículo (piloto automático), a partir do
acionamento do interruptor do piloto automático (cruise control). O ECM reconhece se o
controle de velocidade está ou não ativado. O desligamento da função cruise control se dá pelo
acionamento do pedal da embreagem ou do pedal do freio do veículo.

Causa
Falha no controle do cruise control.
Descrição da Falha
O SPN 596-2 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Falha do interruptor;
- Curto ao terra;
- Curto ao positivo.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a função cruise control.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 115
Códigos de Falhas
596/02 Chave de Comando do Controle de Velocidade (SCCS)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico lado ECM e lado interruptor cruise - Chicote interrompido.
control desconectado; NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade no chicote elétrico do - Apagar o código de falhas;
interruptor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deverá ter continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico lado ECM e lado interruptor - Chicote elétrico em curto ao terra.
desconectado; NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade entre o chicote do - Apagar o código de falhas;
interruptor e o terra do veículo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote - Verificar fusível F1 5A;
elétrico desconectado no lado interruptor; NÃO - Reparar se necessário;
- Medir tensão de alimentação do interruptor; - Apagar o código de falhas;
- Deverá ter 24V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Com o veículo funcionando e em movimento; - Interruptor cruise control com defeito.


- Ativar a função cruise control; NÃO - Trocar o interruptor;
- O piloto automático deverá entrar em - Apagar o código de falhas;
funcionamento. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Interruptor cruise control ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 116 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha na Chave do Circuito do Freio de Serviço 597/02
Generalidades
A chave do circuito do freio de serviço do veículo é ativada quando o condutor aciona o pedal
do freio do veículo.
A informação da chave é utilizada pelo ECM para ativar estratégias de controle do débito de
injeção e freio do motor.

Causa
Falha na chave do circuito do freio de serviço.
Descrição da Falha
O SPN 597-2 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Defeito da chave.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 117
Códigos de Falhas
597/02 Falha na Chave do Circuito do Freio de Serviço

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado; - Posicionar corretamente a chave na pedaleira
- Verificar o posicionamento da chave na haste do freio do veículo (o interruptor do pedal
superior da posição de descanso do pedal do
NÃO
possui haste ajustável);
freio do veículo, sob a pedaleira; - Apagar o código de falhas;
- A chave deverá estar devidamente - Refazer o teste e liberar o veículo.
posicionada.
- Está ok?

SIM

- Posicionamento da haste da chave do circuito


do freio de serviço ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote - Chicote aberto.
elétrico da chave desconectado; NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade no chicote elétrico da - Apagar o código de falhas;
chave; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote - Chave com defeito.
elétrico conectado; NÃO - Trocar a chave;
- Causar o acionamento do freio de serviço; - Apagar o código de falhas;
- A chave deverá funcionar. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?
SIM

- Chave ok.
- Apagar o código de testes;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 118 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Intervalo de Serviço Excedido 1378/31
Generalidades
Não há texto de generalidades previsto para este SPN.

Causa
Não há causa prevista para este SPN.
Descrição da Falha
Não há descrição prevista para este SPN.
Estratégia
Não há estratégia prevista para este SPN.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 119
Códigos de Falhas

Roteiro para localização e Solução de Falhas

Página deixada em branco intencionalmente

D - 120 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Regulador de Pressão de Injeção (IPR) 1442/11
Generalidades
O regulador de pressão da injeção é um atuador que controla a pressão de controle da injeção.
O atuador é uma válvula de posição variável sujeita ao controle do ECM.
A pressão de injeção regulada pelo IPR realiza o acionamento dos injetores de combustível. O
ECM controla o regulador por comutar o terra do componente.
O IPR recebe tensão de 24V, proveniente da chave de ignição no pino 1 e é chaveado pelo
ECM no pino 2 através do terminal X1-12 ECM.

Causa
Falha no autoteste do regulador de controle da pressão de injeção OCC.
Descrição da Falha
O SPN 1442-11 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Mau contato no chicote elétrico da bobina do IPR;
- Regulador IPR apresentar defeito;
- Curto ao terra;
- Curto ao positivo;
- Circuito aberto.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal ICP e controlará o motor com base em estratégias pré-estabelecidas pelo
software do ECM.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 121
Códigos de Falhas
1442/11 Regulador de Pressão de Injeção (IPR)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado do lado ECM e lado
IPR; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico IPR;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico do IPR;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM
- Verificar no ECM:
- Chicote elétrico ok. - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Com a chave de ignição ligada e chicote - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
elétrico conectado; NÃO - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Medir tensão no pino 1 do IPR; - Reparar se necessário;
- Deverá ter o valor de ignição (24V). - Se estiver ok, trocar ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote - IPR com defeito.
elétrico desconectado; NÃO - Trocar o IPR;
- Medir a resistência do IPR; - Apagar o código de falhas;
- Deverá estar entre 5 e 20 ohms. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- IPR ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 122 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal de Posição Incorreto 2791/00
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Sinal de posição incorreto da válvula EGR.
Descrição da Falha
O SPN 2791-0 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 300 mV por mais de 100 milisegundos;
- Curto ao terra do veículo no cabo elétrico de resposta do sensor EGRP;
- O sensor EGRP apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Aplicará uma estratégia de corte de alimentação de combustível para fins de controle de emissões.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 123
Códigos de Falhas
2791/00 Sinal de Posição Incorreto

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado módulo de
controle da EGR e lado sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar,se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
atuador e do sensor EGRP; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado módulo de
controle da EGR e lado sensor; - Chicote elétrico em curto circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Verificar:
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A do ECM;
elétrico conectado no sensor;
- Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
EGRP;
- Reparar se necessário;
- A tensão deverá ser 24V no atuador e de 4,6
- Apagar o código de falhas;
a 5V no sensor EGRP.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor;
- Ligar o motor e criar as condições necessárias
NÃO - Trocar o EGRP;
- Apagar o código de falhas;
para o acionamento do sistema EGRP; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EGRP deverá funcionar.
- Está ok?

SIM

- EGRP ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 124 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha Detectada Durante Teste (AMS) 2791/02
Generalidades
A característica da chave do turboalimentador de geometria variável (TGV) é o acionamento
dos vanes na carcaça da turbina. Os vanes modificam características de fluxo de gases de
escape, através da carcaça da turbina. O benefício é a capacidade de controlar a pressão
interna para as várias rotações do motor, bem como para as várias condições de carga,
reduzindo o nível de emissões de gases.
O TGV é um sistema de circuito fechado que utiliza um sensor de contrapressão de escape
EBP para fornecer um retorno ao ECM. O ECM utiliza o sinal do sensor EBP para monitorar
continuamente a pressão do freio do motor e ajustar o ciclo de trabalho ao TGV, de modo a
atender as exigências do motor.
O módulo de controle do TGV recebe um sinal modulado do ECM e um micro chip controla o
motor de passo de acordo com a posição desejada. O motor gira uma alavanca de manivelas,
controlando a posição do vane. Vanes de acionamento são montados ao redor da circunferência
interna da carcaça da turbina e um único anel une todos os vanes. Quando este anel é movido,
todos os vanes são movidos para a mesma posição. O movimento do anel ocorre quando a
alavanca de manivela no módulo de controle é movida. O fluxo de gases de escape pode ser
regulado dependendo da contrapressão requerida para a rotação e carga do motor.

Causa
Falha detectada durante testes no sistema de gerenciamento de ar do motor (AMS).
Descrição da Falha
O SPN 2791-2 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Sinal de resposta do EBP para o ECM não corresponder com a pressão desejada.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 125
Códigos de Falhas
2791/02 Falha Detectada Durante Teste (AMS)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor MAP com defeito.


121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor MAP ok. - Sensor EBP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 341; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor EBP ok. - EGR emperrada.


- Verificar possível emperramento da EGR; NÃO - Reparar ou trocar a EGR;
- Não deve haver emperramento no mecanismo - Apagar o código de falhas;
da EGR. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- EGR ok. - TGV com defeito.


- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC NÃO - Repararou trocar o TGV;
261; - Apagar o código de falhas;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 126 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Atuador de Recirculação dos Gases de Escape (EGR) 2791/03
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Alta tensão no sensor de posição da válvula EGR.
Descrição da Falha
O SPN 2791-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,5V por mais de 100 milisegundos;
- Curto ao positivo da bateria do veículo;
- O sensor EGRP apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Aplicará uma estratégia de corte de alimentação de combustível para fins de controle de emissões.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 127
Códigos de Falhas
2791/03 Atuador de Recirculação dos Gases de Escape (EGR)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado módulo controle
EGR e lado sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
atuador e do sensor EGRP; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado módulo controle
EGR e lado sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- E entre o positivo da bateria e o chicote - Refazer o teste e liberar o veículo.
elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico conectado no sensor;
- Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
EGRP;
- Reparar se necessário;
- A tensão deverá ser 24V no atuador e de 4,6
- Apagar o código de falhas;
a 5V no sensor EGRP.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor;
- Ligar o motor e criar as condições necessárias
NÃO - Trocar o EGRP;
- Apagar o código de falhas;
para o acionamento do sistema EGRP; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EGRP deverá funcionar.
- Está ok?

SIM

- EGRP ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 128 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal de Posição Incorreto 2791/07
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Sinal de posição incorreto, quando se espera que a válvula EGR esteja fechada.
Descrição da Falha
O SPN 2791-7 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Sinal de posição da EGR incorreto.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a válvula EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 129
Códigos de Falhas
2791/07 Sinal de Posição Incorreto

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado módulo controle
da EGR e lado sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
atuador e do sensor EGRP; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado módulo controle
da EGR e lado sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok. - Verificar no ECM:


- Com a chave de ignição ligada e chicote - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A ;
elétrico conectado no sensor; - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
EGRP; - Reparar se necessário;
- A tensão deverá ser 24V no atuador e de 4,6 - Se estiver ok, trocar ECM;
a 5V no sensor EGRP. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor;
- Ligar o motor e criar as condições necessárias
NÃO - Trocar o EGRP;
- Apagar o código de falhas;
para o acionamento do sistema EGRP; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EGRP deverá funcionar.
- Está ok?

SIM

- EGRP ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 130 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Válvula EGR 2791/08
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Válvula EGR operando fora da calibração esperada.
Descrição da Falha
O SPN 2791-8 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- EGR operando fora da calibração esperada.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 131
Códigos de Falhas
2791/08 Válvula EGR

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor BAP com defeito.


151; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor BAP ok. - Sensor MAP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor MAP ok. - O sensor EBP está com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 341; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor EBP ok. - Sensor ICP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 124; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor ICP ok. - EGR com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 164; NÃO - Trocar EGR;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- EGR ok. - TGV com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 261;
NÃO - Trocar TGV;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas,
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 132 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Posição da Válvula EGR 2791/10
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Posição da válvula EGR acima/ abaixo do nível desejado.
Descrição da Falha
O SPN 2791-10 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Posição da válvula EGR acima ou abaixo do nível desejado.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 133
Códigos de Falhas
2791/10 Posição da Válvula EGR

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado módulo de
controle da EGR e lado sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
atuador e do sensor EGRP; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado módulo de
controle da EGR e lado sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico conectado no sensor;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
EGRP;
- Reparar se necessário;
- A tensão deverá ser 24V no atuador e de 4,6
- Apagar o código de falhas;
a 5V no sensor EGRP.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor;
- Ligar o motor e criar as condições necessárias
NÃO - Trocar o EGRP;
- Apagar o código de falhas;
para o acionamento do sistema EGRP; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EGRP deverá funcionar.
- Está ok?

SIM

- EGRP ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 134 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Recirculação de Gases de Exaustão 2791/11
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Falha no autoteste OCC da recirculação dos gases de exaustão.
Descrição da Falha
O SPN 2791-11 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 300 mV por mais de 100 milisegundos;
- Curto ao terra do veículo no cabo elétrico de resposta do sensor EGRP;
- O sensor EGRP apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Aplicará uma estratégia de corte de alimentação de combustível para fins de controle de emissões.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 135
Códigos de Falhas
2791/11 Recirculação de Gases de Exaustão

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado módulo controle
EGR e lado sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
atuador e do sensor EGRP; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado módulo controle
EGR e lado sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- E entre o positivo da bateria e o chicote - Refazer o teste e liberar o veículo.
elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico conectado no sensor;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
EGRP;
- Reparar se necessário;
- A tensão deverá ser 24V no atuador e de 4,6
- Apagar o código de falhas;
a 5V no sensor EGRP.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor;
- Ligar o motor e criar as condições necessárias
NÃO - Trocar o EGRP;
- Apagar o código de falhas;
para o acionamento do sistema EGRP; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EGRP deverá funcionar.
- Está ok?

SIM

- EGRP ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 136 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha no Autoteste OCC do Freio Motor 7062/04
Generalidades
O BCP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente ao qual está submetido,
o BCP internamente modifica suas propriedades físicas.
Deste modo, quando a pressão do óleo no interior do tubo rail varia, ocorre variação da
capacitância do BCP, e conseqüentemente, ocorrem variações da tensão de resposta do
sensor.
O BCP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do BCP através do pino 3 do sensor (X2-11 ECM).
O sinal de resposta do BCP é utilizado pelo ECM para determinar a pressão do óleo no tubo rail
de alta pressão.

Causa
Falha no autoteste OCC da habilitação do freio motor do veículo.
Descrição da Falha
O SPN 7062-4 aparecerá sempre que ocorrer as condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 39 mV por mais de 350 milisegundos;
- Ocorrer curto ao terra no cabo de resposta de sinal do sensor BCP;
- Ocorrer curto-circuito entre os cabos elétricos (positivo e de sinal de resposta) do sensor;
- Circuito aberto;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Simultaneamente, piscarão as duas lâmpadas do freio motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 137
Códigos de Falhas
7062/04 Falha no Autoteste OCC do Freio Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e o chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico desconectado no lado sensor BCP;
- Medir a tensão de alimentação do sensor;
NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V.
- Reparar, se necessário.
- Está ok?
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do BCP está em curto ao
sensor BCP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do BCP e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor BCP; NÃO ao chicote elétrico negativo do sensor.
- Medir continuidade entre os terminais 1 e 2 o - Reparar ou trocar o chicote;
chicote elétrico do BCP (X1-14 e X1-6 do - Apagar o código de falhas;
ECM); - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e - Sensor com defeito.
lado sensor BCP; NÃO - Trocar BCP;
- Instalar a ferramenta VCO 950; - Apagar o código de falhas;
- Refazer o autoteste do freio motor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deverá estar ok.
- Está ok?

SIM

- Sensor BCP ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 138 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão de Controle do Freio Motor Acima do Esperado 7121/00
Generalidades
O BCP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as mesmas características
técnicas de um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente ao qual
está submetido, o BCP internamente modifica suas propriedades físicas.
Deste modo, quando a pressão do óleo no interior do tubo rail varia, ocorrem variações da
capacitância do BCP, e conseqüentemente, variações da tensão de resposta do sensor.
O BCP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do BCP através do pino 3 do sensor (X2-11 ECM).
O sinal de resposta do BCP é utilizado pelo ECM para determinar o valor da pressão do óleo no
tubo rail de alta pressão.

Causa
Sinal de pressão de controle do freio motor acima do valor esperado.
Descrição da Falha
O SPN 7121-0 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 39 mV por mais de 350 milisegundos;
- Ocorrer curto ao terra no cabo de resposta de sinal do sensor BCP;
- Ocorrer curto-circuito entre os cabos elétricos (positivo e de sinal de resposta) do sensor;
- Circuito aberto;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Simultaneamente, piscarão as duas lâmpadas do freio motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 139
Códigos de Falhas
7121/00 Pressão de Controle do Freio Motor Acima do Esperado
Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e o chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico desconectado no lado sensor BCP;
- Medir a tensão de alimentação do sensor
NÃO - Tensão nos terminais X3-3, XX4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7.
entre os terminais 1 e 2 (X1-6 e X1-14 ECM);
- Reparar, se necessário.
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V.
- Se estiver ok, trocar o ECM;
- Está ok?
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do BCP está em curto ao
sensor BCP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do BCP no terminal 3 (X2-11 ECM) e - Apagar o código de falhas;
o terra do veículo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor BCP; NÃO ao chicote elétrico negativo do sensor.
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3 - Reparar ou trocar o chicote;
do chicote elétrico do BCP (X1-14 e X2-11 do - Apagar o código de falhas;
ECM); - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada; - Sensor com defeito.
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e NÃO - Trocar BCP;
lado sensor BCP; - Apagar o código de falhas;
- Instalar a ferramenta VCO 950; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Realizar teste de rodagem com o veículo;
- Está ok?

SIM

- Sensor BCP ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 140 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão de Controle do Freio do Motor
Abaixo do Valor Esperado 7121/01
Generalidades
O BCP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as mesmas características
técnicas de um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente ao qual
está submetido, o BCP internamente modifica suas propriedades físicas.
Deste modo, quando a pressão do óleo no interior do tubo rail varia, ocorrem variações da
capacitância do BCP, e conseqüentemente, variações da tensão de resposta do sensor.
O BCP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do BCP através do pino 3 do sensor (X2-11 ECM).
O sinal de resposta do BCP é utilizado pelo ECM para determinar o valor da pressão do óleo no
tubo rail de alta pressão.

Causa
Sinal de pressão de controle do freio motor abaixo do esperado.
Descrição da Falha
O SPN 7121-1 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 39 mV por mais de 350 milisegundos;
- Ocorrer curto ao terra no cabo de resposta de sinal do sensor BCP;
- Ocorrer curto-circuito entre os cabos elétricos (positivo e de sinal de resposta) do sensor;
- Circuito aberto;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Simultaneamente, piscarão as duas lâmpadas do freio motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 141
Códigos de Falhas
Pressão de Controle do Freio do Motor
7121/01 Abaixo do Valor Esperado

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e o chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico desconectado no lado sensor BCP;
- Medir a tensão de alimentação do sensor
NÃO - Tensão nos terminais X3-3, XX4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7.
entre os terminais 1 e 2 (X1-6 e X1-14 ECM);
- Reparar, se necessário.
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V.
- Se estiver ok, trocar o ECM;
- Está ok?
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do BCP está em curto ao
sensor BCP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do BCP no terminal 3 (X2-11 ECM) e - Apagar o código de falhas;
o terra do veículo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor BCP; NÃO ao chicote elétrico negativo do sensor.
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3 - Reparar ou trocar o chicote;
do chicote elétrico do BCP (X1-14 e X2-11 do - Apagar o código de falhas;
ECM); - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada; - Sensor com defeito.
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e NÃO - Trocar BCP;
lado sensor BCP; - Apagar o código de falhas;
- Instalar a ferramenta VCO 950; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Realizar teste de rodagem com o veículo;
- Está ok?

SIM

- Sensor BCP ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 142 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha no Sistema do Freio Motor 7121/07
Generalidades
O BCP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as mesmas características
técnicas de um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente ao qual
está submetido, o BCP internamente modifica suas propriedades físicas.
Deste modo, quando a pressão do óleo no interior do tubo rail varia, ocorrem variações da
capacitância do BCP, e conseqüentemente, variações da tensão de resposta do sensor.
O BCP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do BCP através do pino 3 do sensor (X2-11 ECM).
O sinal de resposta do BCP é utilizado pelo ECM para determinar o valor da pressão do óleo no
tubo rail de alta pressão.

Causa
Falha no sistema do freio motor.
Descrição da Falha
O SPN 7121-7 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 39 mV por mais de 350 milisegundos;
- Ocorrer curto ao terra no cabo de resposta de sinal do sensor BCP;
- Ocorrer curto-circuito entre os cabos elétricos (positivo e de sinal de resposta) do sensor;
- Circuito aberto;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Simultaneamente, piscarão as duas lâmpadas do freio motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 143
Códigos de Falhas
7121/07 Falha no Sistema do Freio Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e o chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico desconectado no lado sensor BCP;
- Medir a tensão de alimentação do sensor
NÃO - Tensão nos terminais X3-3, XX4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7.
entre os terminais 1 e 2 (X1-6 e X1-14 ECM);
- Reparar, se necessário.
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V.
- Se estiver ok, trocar o ECM;
- Está ok?
- Apagar o código de falhas;
SIM - Refazer o teste e liberar o veículo.

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - O cabo de resposta do BCP está em curto ao
sensor BCP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do BCP no terminal 3 (X2-11 ECM) e - Apagar o código de falhas;
o terra do veículo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor BCP; NÃO ao chicote elétrico negativo do sensor.
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3 - Reparar ou trocar o chicote;
do chicote elétrico do BCP (X1-14 e X2-11 do - Apagar o código de falhas;
ECM); - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada; - Sensor com defeito.
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e NÃO - Trocar BCP;
lado sensor BCP; - Apagar o código de falhas;
- Instalar a ferramenta VCO 950; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Realizar teste de rodagem com o veículo;
- Está ok?

SIM

- Sensor BCP ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 144 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão no Retorno de Exaustão 7129/00
Generalidades
O EBP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente a que está submetido,
o EBP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando variar a pressão
no escape, ocorrerá variação da capacitância do sensor EBP e conseqüentemente, variação
da resposta de tensão do sensor.
O sensor EBP é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 (X1-14 ECM) e é aterrado
no pino 1 (X1-6 ECM). O sensor retorna um sinal de tensão variável através do pino 3 ao
terminal (X2-8 ECM).

Causa
Pressão de retorno da exaustão excessiva.
Descrição da Falha
O SPN 7129-0 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- O retorno da pressão de exaustão estiver maior que 37,7 bar;
- Sinal de tensão alta no EBP;
- Sinal de tensão baixa no EBP.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a válvula EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 145
Códigos de Falhas
7129/00 Pressão no Retorno de Exaustão

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado módulo de - Chicote rompido.
controle da EGR e lado sensor;
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do - Apagar o código de falhas;
atuador e do sensor EGRP; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado módulo de
- Chicote elétrico em curto circuito.
controle da EGR e lado sensor; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e
- Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico do sensor;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o positivo da bateria
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 2A e F32 25A;
elétrico conectado no sensor;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
EGRP;
- Reparar se necessário;
- A tensão deverá ser 12V no atuador e de 4,6
- Apagar o código de falhas;
a 5V no sensor EGRP.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor;
NÃO - Trocar o EGRP;
- Ligar o motor e criar as condições necessárias - Apagar o código de falhas;
para o acionamento do sistema EGRP; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EGRP deverá funcionar.
- Está ok?

SIM

- EGRP ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 146 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sem Sinal de Pressão de Retorno (EGR) 7129/01
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Sem sinal de pressão de retorno da exaustão.
Descrição da Falha
O SPN 7129-1 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Retorno da pressão de exaustão com valor menor que o esperado.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 147
Códigos de Falhas
7129/01 Sem Sinal de Pressão de Retorno (EGR)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor MAP com defeito.


121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor MAP ok. - Sensor EBP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 341; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor EBP ok.


- Verificar possível emperramento da EGR; - EGR emperrada.
- Não deve haver emperramento no mecanismo NÃO - Reparar ou trocar a EGR;
da EGR. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- EGR ok.
- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - TGV com defeito.
NÃO - Reparar ou trocar o TGV;
261;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 148 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Contrapressão de Escape (EBP) 7129/03
Generalidades
O EBP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente a que está submetido,
o EBP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando variar a pressão
no escape, ocorrerá variação da capacitância do sensor EBP e conseqüentemente, variação
da resposta de tensão do sensor.
O sensor EBP é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 (X1-14 ECM) e é aterrado
no pino 1 (X1-6 ECM). O sensor retorna um sinal de tensão variável através do pino 3 ao
terminal (X2-8 ECM).

Causa
Alta tensão do sinal de pressão de retorno de exaustão.
Descrição da Falha
O SPN 7129-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao positivo da bateria no cabo de sinal de resposta do sensor;
- Circuito aberto;
- Tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,9V por mais de 100 milisegundos.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a válvula EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 149
Códigos de Falhas
7129/03 Sensor de Contrapressão de Escape (EBP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico deconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconetado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o chicote elétrico e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote elétrico e - Refazer o teste e liberar o veículo.
o positivo da bateria;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok. - Verificar no ECM:


- Com a chave de ignição ligada e chicote - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico desconectado; NÃO - Tensão nos terminais X3-1, X4-1 e X4-2;
- Medir a tensão de alimentação do sensor; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá estar entre 4,6 e 5,2V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado;
- Instalar a ferramenta VCO 950 no veículo;
- Instalar o multímetro no cabo de resposta e NÃO - Sensor EBP com defeito.
medir a tensão no EBP; - Trocar o sensor;
- Checar o funcionamento do EBP por meio de - Apagar o código de falhas;
teste de rodagem; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EBP deverá funcionar normalmente.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 150 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Contrapressão de Escape (EBP) 7129/04
Generalidades
O EBP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente a que está submetido,
o EBP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando variar a pressão
no escape, ocorrerá variação da capacitância do sensor EBP e conseqüentemente, variação
da resposta de tensão do sensor.
O sensor EBP é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 (X1-14 ECM) e é aterrado
no pino 1 (X1-6 ECM). O sensor retorna um sinal de tensão variável através do pino 3 ao
terminal (X2-8 ECM).

Causa
Baixa tensão do sinal de pressão de retorno de exaustão.
Descrição da Falha
O SPN 7129-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito aberto no chicote elétrico do sensor;
- Curto ao terra do veículo no chicote do sensor;
- Falha no sensor;
- Tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 390 mV por mais de 100 milisegundos.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a válvula EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 151
Códigos de Falhas
7129/04 Sensor de Contrapressão de Escape (EBP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico deconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconetado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o chicote elétrico e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote elétrico e - Refazer o teste e liberar o veículo.
o positivo da bateria;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok. - Verificar no ECM:


- Com a chave de ignição ligada e chicote - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico desconectado; NÃO - Tensão nos terminais X3-1, X4-1 e X4-2;
- Medir a tensão de alimentação do sensor; - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Deverá estar entre 4,6 e 5,2V. - Reparar se necessário;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado;
- Instalar a ferramenta VCO 950 no veículo;
- Instalar o multímetro no cabo de resposta e NÃO - Sensor EBP com defeito.
medir a tensão no EBP; - Trocar o sensor;
- Checar o funcionamento do EBP por meio de - Apagar o código de falhas;
teste de rodagem; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EBP deverá funcionar normalmente.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 152 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Retorno de Pressão de Exaustão 7129/07
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Pressão no retorno de exaustão abaixo do nível esperado em altas rotações.
Descrição da Falha
O SPN 7129-7 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Válvula EGR aberta;
- Vazamento no sistema de exaustão;
- Sensor com defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 153
Códigos de Falhas
7129/07 Retorno de Pressão de Exaustão

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado módulo de
control da EGR e lado sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
atuador e do sensor EGRP; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado módulo de
controle da EGR e lado sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico conectado no sensor;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
EGRP;
- Reparar se necessário;
- A tensão deverá ser 24V no atuador e de 4,6
- Apagar o código de falhas;
a 5V no sensor EGRP.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor;
NÃO - Trocar o EGRP;
- Ligar o motor e criar as condições necessárias - Apagar o código de falhas;
para o acionamento do sistema EGRP; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EGRP deverá funcionar.
- Está ok?

SIM

- EGRP ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 154 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Retorno de Pressão de Exaustão 7129/10
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Pressão no retorno da exaustão acima/abaixo do nível desejado.
Descrição da Falha
O SPN 7129-10 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Válvula EGR aberta;
- Vazamento no sistema de exaustão;
- Pressão acima do esperado;
- Pressão abaixo do esperado.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 155
Códigos de Falhas
7129/10 Retorno de Pressão de Exaustão

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado módulo de
control da EGR e lado sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
atuador e do sensor EGRP; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado módulo de
controle da EGR e lado sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico do sensor;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Verificar no ECM:
- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
elétrico conectado no sensor;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
EGRP;
- Reparar se necessário;
- A tensão deverá ser 24V no atuador e de 4,6
- Apagar o código de falhas;
a 5V no sensor EGRP.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado no sensor;
NÃO - Trocar o EGRP;
- Ligar o motor e criar as condições necessárias - Apagar o código de falhas;
para o acionamento do sistema EGRP; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- O EGRP deverá funcionar.
- Está ok?

SIM

- EGRP ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 156 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão de Retorno de Exaustão 7129/13
Generalidades
O EBP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta características técnicas de
um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente a que está submetido,
o EBP internamente modifica suas propriedades físicas. Deste modo, quando variar a pressão
no escape, ocorrerá variação da capacitância do sensor EBP e conseqüentemente, variação
da resposta de tensão do sensor.
O sensor EBP é suprido com tensão de 5V de referência no pino 2 (X1-14 ECM) e é aterrado
no pino 1 (X1-6 ECM). O sensor retorna um sinal de tensão variável através do pino 3 ao
terminal (X2-8 ECM).

Causa
Pressão de retorno da exaustão acima do especificado.
Descrição da Falha
O SPN 7129-13 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A pressão de exaustão for maior que o especificado com a chave de ignição desligada;
- Curto ao terra do veículo;
- Sensor com defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilita a válvula EGR.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 157
Códigos de Falhas
7129/13 Pressão de Retorno de Exaustão

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico deconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconetado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote elétrico em curto-circuito.
- Medir continuidade entre o chicote elétrico e NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote elétrico e - Refazer o teste e liberar o veículo.
o positivo da bateria;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Verificar no ECM:
- Chicote elétrico ok.
- Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico desconectado; NÃO - Tensão nos terminais X3-1, X4-1 e X4-2;
- Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Medir a tensão de alimentação do sensor;
- Reparar se necessário;
- Deverá estar entre 4,6 e 5,2V.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado;
- Instalar a ferramenta VCO 950 no veículo; - Sensor EBP com defeito.
- Instalar o multímetro no cabo de resposta e
NÃO - Trocar o sensor;
medir a tensão no EBP; - Apagar o código de falhas;
- Checar o funcionamento do EBP por meio de - Refazer o teste e liberar o veículo.
teste de rodagem;
- O EBP deverá funcionar normalmente.
- Está ok?
SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 158 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sistema de Gerenciamento de Ar do Motor (AMS) 7136/02
Generalidades
A característica da chave do turboalimentador de geometria variável (TGV) é o acionamento
dos vanes na carcaça da turbina. Os vanes modificam características de fluxo de gases de
escape, através da carcaça da turbina. O benefício é a capacidade de controlar a pressão
interna para as várias rotações do motor, bem como para as várias condições de carga,
reduzindo o nível de emissões de gases.
O TGV é um sistema de circuito fechado que utiliza um sensor de contrapressão de escape
EBP para fornecer um retorno ao ECM. O ECM utiliza o sinal do sensor EBP para monitorar
continuamente a pressão do freio motor e ajustar o ciclo de trabalho ao TGV, de modo a atender
as exigências do motor.
O módulo de controle do TGV recebe um sinal modulado do ECM e um micro chip controla o
motor de passo de acordo com a posição desejada. O motor gira uma alavanca de manivelas,
controlando a posição do vane. Vanes de acionamento são montados ao redor da circunferência
interna da carcaça da turbina e um único anel une todos os vanes. Quando este anel é movido,
todos os vanes são movidos para a mesma posição. O movimento do anel ocorre quando a
alavanca de manivela no módulo de controle é movida. O fluxo de gases de escape pode ser
regulado dependendo da contrapressão requerida para a rotação e carga do motor.

Causa
Falha detectada durante teste do sistema de gerenciamento de ar do motor (AMS).
Descrição da Falha
O SPN 7136-2 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Sinal de resposta do EBP para o ECM não corresponder com o valor de pressão desejado.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 159
Códigos de Falhas
7136/02 Sistema de Gerenciamento de Ar do Motor (AMS)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor MAP com defeito.


121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor MAP ok. - Sensor EBP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 341; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor EBP ok.


- EGR emperrada.
- Verificar possível emperramento da EGR; NÃO - Reparar ou trocar a EGR;
- Não deve haver emperramento no mecanismo
- Apagar o código de falhas;
da EGR.
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- EGR ok.
- VGT com defeito.
- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC NÃO - Repararou trocar o VGT;
261;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- VGT ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 160 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sobrecarga no Turboalimentador (TGV) 7136/05
Generalidades
A característica da chave do turboalimentador de geometria variável (TGV) é o acionamento
dos vanes na carcaça da turbina. Os vanes modificam características de fluxo dos gases de
escape, através da carcaça da turbina. O benefício é a capacidade de controlar a pressão
interna para as várias rotações do motor, bem como para as várias condições de carga,
reduzindo o nível de emissões de gases.
O TGV é um sistema de circuito fechado que utiliza um sensor de contrapressão de escape
para fornecer um retorno ao ECM. O ECM utiliza o sinal do sensor EBP para monitorar
continuamente a pressão do freio motor e ajustar o ciclo de trabalho ao TGV, de modo a atender
as exigências do motor.
O módulo de controle do TGV recebe um sinal modulado do ECM e um micro chip controla o
motor de passo de acordo com a posição desejada. O motor gira uma alavanca de manivelas,
controlando a posição do vane. Vanes de acionamento são montados ao redor da circunferência
interna da carcaça da turbina e um único anel une todos os vanes. Quando este anel é movido,
todos os vanes são movidos para a mesma posição. O movimento do anel ocorre quando a
alavanca de manivela no módulo de controle é movida. O fluxo de gases de escape pode ser
regulado dependendo da contrapressão requerida para a rotação e carga do motor.

Causa
Sobrecarga no turbocompressor causando compensação positiva.
Descrição da Falha
O SPN 7136-5 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Sobrecarga no turboalimentador.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 161
Códigos de Falhas
7136/05 Sobrecarga no Turboalimentador (TGV)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor BAP com defeito.


151; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor BAP ok. - Sensor MAP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor MAP ok.


- O sensor EBP está com defeito.
- Efetuar os testes previstos no DTC 341; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor EBP ok. - Sensor ICP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 124; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor ICP ok.


- EGR com defeito.
- Efetuar os testes previstos no DTC 164; NÃO - Trocar EGR;
- Os resultados deverão estar de acordo.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- EGR ok.
- TGV com defeito.
- Efetuar os testes previstos no DTC 261; NÃO - Trocar TGV;
- Os resultados deverão estar de acordo.
- Apagar o código de
- Está ok?

SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 162 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sobrecarga no Turbocompressor (TGV) 7136/06
Generalidades
A característica da chave do turboalimentador de geometria variável (TGV) é o acionamento
dos vanes na carcaça da turbina. Os vanes modificam características de fluxo dos gases de
escape, através da carcaça da turbina. O benefício é a capacidade de controlar a pressão
interna para as várias rotações do motor, bem como para as várias condições de carga,
reduzindo o nível de emissões de gases.
O TGV é um sistema de circuito fechado que utiliza um sensor de contrapressão de escape
para fornecer um retorno ao ECM. O ECM utiliza o sinal do sensor EBP para monitorar
continuamente a pressão do freio motor e ajustar o ciclo de trabalho ao TGV, de modo a atender
as exigências do motor.
O módulo de controle do TGV recebe um sinal modulado do ECM e um micro chip controla o
motor de passo de acordo com a posição desejada. O motor gira uma alavanca de manivelas,
controlando a posição do vane. Vanes de acionamento são montados ao redor da circunferência
interna da carcaça da turbina e um único anel une todos os vanes. Quando este anel é movido,
todos os vanes são movidos para a mesma posição. O movimento do anel ocorre quando a
alavanca de manivela no módulo de controle é movida. O fluxo de gases de escape pode ser
regulado dependendo da contrapressão requerida para a rotação e carga do motor.

Causa
Sobrecarga no turbocompressor causando compensação negativa.
Descrição da Falha
O SPN 7136-6 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Sobrecarga no turbocompressor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 163
Códigos de Falhas
7136/06 Sobrecarga no Turbocompressor (TGV)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor BAP com defeito.


151; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor BAP ok. - Sensor MAP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor MAP ok.


- O sensor EBP está com defeito.
- Efetuar os testes previstos no DTC 341; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor EBP ok. - Sensor ICP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 124; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor ICP ok.


- EGR com defeito.
- Efetuar os testes previstos no DTC 164; NÃO - Trocar EGR;
- Os resultados deverão estar de acordo.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- EGR ok.
- TGV com defeito.
- Efetuar os testes previstos no DTC 261; NÃO - Trocar TGV;
- Os resultados deverão estar de acordo.
- Apagar o código de
- Está ok?

SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 164 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal do Sensor de Pressão 7136/10
Generalidades
O MAP é um sensor de capacitância variável e está instalado no coletor de admissão.
Seu princípio de funcionamento consiste em 2 placas de material alumínio, separadas por
material isolante contendo vácuo no seu interior. O conjunto forma uma camada aneróide que
apresenta as mesmas características elétricas de um capacitor.
Quando sujeito a variações de pressão no coletor de admissão, ocorrem variações na
capacidade do capacitor e conseqüentemente ocorrem variações de freqüência.
A pressão no coletor de admissão é reconhecida pelo ECM através da variação de freqüência
do capacitor, pressão alta é igual à freqüência alta e pressão baixa é igual à freqüência baixa.
O ECM converte o sinal de freqüência em sinal de tensão.
O ECM alimenta o MAP com 5V de referência, e o sensor usa essa tensão para produzir um
sinal analógico de resposta para indicar a pressão do ar no coletor de admissão.
O sensor é alimentado com 5V no pino 2 do sensor (X1-14 ECM) e terra no pino 1 do sensor
(X1-6 ECM) e produz sinal de resposta no pino 3 do sensor (X2-3 ECM).

Causa
Sinal de controle EVRT, MAP e EBP fora do nível desejado.
Descrição da Falha
O SPN 7136-10 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Erro no range do sinal EBP;
- Erro no range do sinal MAP.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 165
Códigos de Falhas
7136/10 Sinal do Sensor de Pressão

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Efetuar os testes previstos no roteiro do DTC - Sensor BAP com defeito.


151; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor BAP ok. - Sensor MAP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 121; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor MAP ok.


- O sensor EBP está com defeito.
- Efetuar os testes previstos no DTC 341; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor EBP ok. - Sensor ICP com defeito.


- Efetuar os testes previstos no DTC 124; NÃO - Trocar o sensor;
- Os resultados deverão estar de acordo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Sensor ICP ok.


- EGR com defeito.
- Efetuar os testes previstos no DTC 164; NÃO - Trocar EGR;
- Os resultados deverão estar de acordo.
- Apagar o código de falhas;
- Está ok?
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- EGR ok.
- TGV com defeito.
- Efetuar os testes previstos no DTC 261; NÃO - Trocar TGV;
- Os resultados deverão estar de acordo.
- Apagar o código de
- Está ok?

SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 166 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Atuador do Turbo Compressor de Geometria Variável
(TGV) 7136/11
Generalidades
A característica da chave do turboalimentador de geometria variável (TGV) é o acionamento
de vanes na carcaça da turbina. Os vanes modificam características de fluxo dos gases de
escape, através da carcaça da turbina. O benefício é a capacidade de controlar a pressão
interna para as várias rotações do motor, bem como para as várias condições de carga,
reduzindo o nível de emissões de gases.
O TGV é um sistema de circuito fechado que utiliza um sensor de contrapressão de escape
para fornecer um retorno ao ECM. O ECM utiliza o sinal do sensor EBP para monitorar
continuamente a pressão do freio motor e ajustar o ciclo de trabalho ao TGV, de modo a atender
as exigências do motor.
O módulo de controle do TGV recebe um sinal modulado do ECM e um micro chip controla o
motor de passo de acordo com a posição desejada. O motor gira uma alavanca de manivelas,
controlando a posição do vane. Vanes de acionamento são montados ao redor da circunferência
interna da carcaça da turbina e um único anel une todos os vanes. Quando este anel é movido,
todos os vanes são movidos para a mesma posição. O movimento do anel ocorre quando a
alavanca de manivela no módulo de controle é movida. O fluxo de gases de escape pode ser
regulado dependendo da contrapressão requerida para a rotação e carga do motor.

Causa
Falha no autoteste OCC do turbo de geometria variável.
Descrição da Falha
O SPN 7136-11 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito aberto;
- Curto ao terra do veículo no chicote elétrico do TGV;
- Curto ao positivo no chicote elétrico do TGV;
- O módulo TGV apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desprezará o sinal do sensor EBP;
- Continuará operando o motor com base em estratégias pré-estabelecidas pelo software do
ECM.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 167
Códigos de Falhas
Atuador do Turbo Compressor de Geometria Variável
7136/11 (TGV)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote elétrico rompido.
atuador; NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico do - Apagar o código de falhas;
atuador (TGV); - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
atuador; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote do atuador NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
e o terra do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o atuador e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM
- Verificar no ECM:
- Chicote elétrico ok. - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Com a chave de ignição ligada e chicote - Tensão nos terminais X1-3, X4-1 e X4-2;
elétrico desconectado no lado TGV; NÃO - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Medir tensão de alimentação do atuador; - Reparar se necessário;
- A tensão deverá ser 24V. - Se estiver ok, trocar ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e motor
- TGV com defeito.
funcionando; NÃO - Trocar o TGV;
- Realizar teste de rodagem e causar o
funcionamento do TGV; - Apagar o código de falhas;
- Deverá funcionar. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 168 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Controle de Pressão do Freio Motor (BCP) 7139/03
Generalidades
O BCP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as mesmas características
técnicas de um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente ao qual
está submetido, o BCP internamente modifica suas propriedades físicas.
Deste modo, quando a pressão do óleo no interior do tubo rail varia, ocorrem variações da
capacitância do BCP, e conseqüentemente variações da tensão de resposta do sensor.
O BCP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do BCP através do pino 3 do sensor (X2-11 ECM).
O sinal de resposta do BCP é utilizado pelo ECM para determinar o valor da pressão do óleo no
tubo rail de alta pressão.

Causa
Sinal de tensão alta no sensor de controle da pressão do freio motor (BCP).
Descrição da Falha
O SPN 7139-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer acima de 4,9V por mais de 390 milisegundos;
- Curto ao positivo no cabo de resposta de sinal sensor BCP;
- Curto ao terra no cabo de resposta de sinal do sensor BCP;
- Curto-circuito entre os cabos elétricos (positivo e de sinal de resposta) do sensor;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Simultaneamente, piscarão as duas lâmpadas do freio motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 169
Códigos de Falhas
7139/03 Sensor de Controle de Pressão do Freio Motor (BCP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico desconectado no lado sensor BCP; - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Tensão nos terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
entre os terminais 1 e 2 (X1-6 e X1-14 ECM); - Terra nos terminais X3-6 e X3-7.
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V. - Reparar, se necessário.
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- O cabo de resposta do BCP está em curto ao
sensor BCP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta
- Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do BCP no terminal 3 (X2-11 ECM) e
- Apagar o código de falhas;
o terra do veículo;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor BCP;
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3 NÃO ao chicote elétrico negativo do sensor.
- Reparar ou trocar o chicote;
do chicote elétrico do BCP (X1-14 e X2-11 do
- Apagar o código de falhas;
ECM);
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Sensor com defeito.
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e NÃO - Trocar BCP;
lado sensor BCP;
- Instalar a ferramenta VCO 950; - Apagar o código de falhas;
- Realizar teste de rodagem com o veículo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Sensor BCP ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 170 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Controle de Pressão do Freio Motor (BCP) 7139/04
Generalidades
O BCP é um sensor de capacitância variável, ou seja, apresenta as mesmas características
técnicas de um capacitor. À medida que ocorrerem variações de pressão no ambiente ao qual
está submetido, o BCP internamente modifica suas propriedades físicas.
Deste modo, quando a pressão do óleo no interior do tubo rail varia, ocorrem variações da
capacitância do BCP, e conseqüentemente variações da tensão de resposta do sensor.
O BCP é suprido com 5V de referência no pino 2 através do chicote elétrico da junta da tampa
de válvulas (X1-14 ECM) e é aterrado no pino 1 através do terminal (X1-6 ECM). O ECM
monitora o sinal de resposta do BCP através do pino 3 do sensor (X2-11 ECM).
O sinal de resposta do BCP é utilizado pelo ECM para determinar o valor da pressão do óleo no
tubo rail de alta pressão.

Causa
Sinal de tensão baixa no sensor de controle da pressão do freio motor (BCP).
Descrição da Falha
O SPN 7139-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- A tensão de resposta do sensor permanecer abaixo de 39 mV por mais de 350 milisegundos;
- Ocorrer curto ao terra no cabo de resposta de sinal do sensor BCP;
- Ocorrer curto-circuito entre os cabos elétricos (positivo e de sinal de resposta) do sensor;
- Circuito aberto;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Simultaneamente, piscarão as duas lâmpadas do freio motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 171
Códigos de Falhas
7139/04 Sensor de Controle de Pressão do Freio Motor (BCP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e o chicote - Verificar no ECM:


elétrico desconectado no lado sensor BCP; - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Medir a tensão de alimentação do sensor NÃO - Tensão nos terminais X3-3, XX4-1 e X4-2;
entre os terminais 1 e 2 (X1-6 e X1-14 ECM); - Terra nos terminais X3-6 e X3-7.
- A tensão deverá estar entre 4,6 a 5V. - Reparar, se necessário.
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- O cabo de resposta do BCP está em curto ao
sensor BCP; NÃO terra do veículo.
- Medir continuidade entre o cabo de resposta
- Reparar ou trocar o chicote elétrico;
elétrica do BCP no terminal 3 (X2-11 ECM) e
- Apagar o código de falhas;
o terra do veículo;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote elétrico positivo do sensor em curto
sensor BCP;
- Medir continuidade entre os terminais 2 e 3 NÃO ao chicote elétrico negativo do sensor.
- Reparar ou trocar o chicote;
do chicote elétrico do BCP (X1-14 e X2-11 do
- Apagar o código de falhas;
ECM);
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada;
- Sensor com defeito.
- Reinstalar o chicote elétrico no lado ECM e NÃO - Trocar BCP;
lado sensor BCP;
- Instalar a ferramenta VCO 950; - Apagar o código de falhas;
- Realizar teste de rodagem com o veículo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Sensor BCP ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 172 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha no Autoteste OCC da Lâmpada
de Aviso do Motor 7260/11
Generalidades
A lâmpada de aviso do motor é um dispositivo que visa proteger o motor contra danos causados
por eventuais faltas de condições necessárias para garantir o perfeito funcionamento do
mesmo.
Antes que o agravamento de uma condição ocorra, a lâmpada de aviso do motor sinaliza para
que o condutor possa tomar atitudes, incluindo às vezes até a parada do veículo e desligamento
do motor.

Causa
Falha no autoteste OCC da habilitação do freio motor do veículo.
Descrição da Falha
O SPN 7260-11 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito aberto;
- Curto ao terra do veículo;
- Falha na lâmpada.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 173
Códigos de Falhas
Falha no Autoteste OCC da Lâmpada
7260/11 de Aviso do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico do ECM e lâmpada de aviso do motor - Chicote elétrico aberto.
desconectado; NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade no chicote; - Apagar o código de falhas;
- Deverá ter continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do ECM e da lâmpada de aviso - Chicote em curto ao terra do veículo.
desconectado; NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade entre o chicote e o terra - Apagar o código de falhas;
do veículo; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
- Chicote elétrico em curto ao positivo da
elétrico do ECM e da lâmpada de aviso
desconectado; NÃO bateria.
- Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo
- Apagar o código de falhas;
da bateria;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição ligada e chicote
- Lâmpada queimada.
elétrico conectado; NÃO - Trocar a lâmpada;
- Causar o acendimento da lâmpada de aviso
do motor; - Apagar o código de falhas;
- A lâmpada deverá acender. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Lâmpada ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 174 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha no Autoteste OCC da Lâmpada Água / Óleo 7261/11
Generalidades
A lâmpada de água no óleo combustível do motor no painel de instrumentos do veículo, sinaliza
para o condutor que o nível de água presente na parte inferior do filtro de combustível precisa
ser drenada. Na parte inferior do filtro existe um dreno para remover a água.
Quando o nível máximo permitido de água no fundo do filtro é atingido, o sensor de nível informa
o ECM, e o mesmo acende a lâmpada de água no óleo no painel de instrumentos. Logo após a
água ser drenada, a lâmpada automaticamente é apagada.

Causa
Falha no autoteste OCC da lâmpada água no óleo.
Descrição da Falha
O SPN 7261-11 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito da lâmpada de água/óleo em aberto;
- Curto ao terra no cabo de sinal elétrico para a lâmpada de água/óleo;
- Lâmpada queimada.
Estratégia
Não há estratégia prevista.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 175
Códigos de Falhas
7261/11 Falha no Autoteste OCC da Lâmpada Água / Óleo

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado; - Chicote elétrico rompido.
- Medir continuidade no chicote elétrico da NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
lâmpada água/óleo; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado; - Chicote elétrico em curto com o terra do
- Medir continuidade entre o chicote elétrico e NÃO veículo.
o terra do veículo; - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado; - Lâmpada queimada.
- Remover a lâmpada de água/óleo; NÃO - Trocar a lâmpada água/óleo;
- Realizar teste na mesma fora do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Deverá funcionar corretamente. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Lâmpada ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 176 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Inibição de Partida do Motor 7269/01
Generalidades
O inibidor de partida do motor é um recurso utilizado pelo ECM para impedir que o motor de
arranque seja acionado enquanto o motor do veículo estiver em funcionamento. Toda vez que
o condutor solicitar uma partida do motor, o ECM somente atenderá a solicitação após verificar
que o motor não está em funcionamento.
Uma das estratégias que o ECM utiliza para permitir nova partida é verificar se a transmissão
do veículo está desengrenada (ponto morto).
Uma vez que a partida solicitada esteja liberada, o ECM aterrará o pino 85 do relé de partida
através do terminal X3-23, permitindo o acionamento do motor de arranque do veículo.

Causa
Falha no autoteste OCC de inibição de partida do motor.
Descrição da Falha
O SPN 7269-1 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Falha no autoteste OCC de inibição de partida do motor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 177
Códigos de Falhas
7269/01 Inibição de Partida do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada, chicote


elétrico do ECM e relé de partida
desconectados; - Chicote rompido (aberto).
NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o pino 85 do relé de
ignição e o terminal X3-3 do ECM; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição ligada, transmissão
desengrenada e pedal do acelerador - Interruptor neutro da transmissão com defeito.
desacionado; NÃO - Trocar o interruptor;
- Acionar a partida do veículo; - Apagar o código de falhas;
- A partida deverá ser acionada. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Partida ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 178 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Lâmpada Indicadora de Troca de Óleo 7270/11
Generalidades
A lâmpada indicadora de troca de óleo no painel de instrumentos tem por objetivo sinalizar para
o condutor do veículo a necessidade de troca de óleo lubrificante do motor.

Causa
Falha no autoteste OCC da lâmpada indicadora de troca de óleo.
Descrição da Falha
O SPN 7270-11 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra;
- Lâmpada queimada.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 179
Códigos de Falhas
7270/11 Lâmpada Indicadora de Troca de Óleo

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado; - Chicote elétrico rompido.
- Medir continuidade no chicote elétrico da NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
lâmpada; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
- Chicote elétrico em curto.
elétrico desconectado; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o chicote e o terra
- Apagar o código de falhas;
do veículo;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok. - Lâmpada queimada.


- Com a chave de ignição ligada e chicote NÃO - Trocar a lâmpada;
elétrico conectado; - Apagar o código de falhas;
- Efetuar o autoteste da lâmpada; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Lâmpada ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 180 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Capacitor do Obturador 7271/11
Generalidades
O RSE provê uma condição de “ligado” ou “desligado” no controle de habilitação do obturador
do radiador do motor.
O propósito do RSE é prover uma lógica correta para determinar os momentos em que o
obturador estaria aberto ou fechado para a seqüência correta do acionamento ou
desacionamento do relé do motor do ventilador do radiador.
O obturador reduz ou fecha completamente o fluxo de ar para o radiador, de modo a prover o
controle de temperatura, sobretudo em climas de temperaturas muito baixas.

Causa
Falha no autoteste OCC do capacitor do obturador.
Descrição da Falha
O SPN 7271-11 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Falha na habilitação do obturador do radiador.
Estratégia
Não há estratégia prevista

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 181
Códigos de Falhas
7271/11 Capacitor do Obturador

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e relé do


ventilador do radiador desconectado;
- Medir continuidade no chicote elétrico dos - Chicote elétrico rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
pinos 86, 85, 30, 87 e 87A do relé do motor
do ventilador; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veiculo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e relé do motor - Verificar fusíveis de alimentação;
do ventilador desconectado; NÃO - Apagar o código de falhas;
- Medir tensão nos pinos 85 e 30 do relé; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- A tensão deverá ser 24V.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e relé do motor - Motor do ventilador com defeito.
do ventilador desconectado; NÃO - Trocar o motor;
- Instalar um JUMP entre os terminais 30 e - Apagar o código de falhas;
87A do soquete do relé do motor do ventilador; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deverá ligar.
- Está ok?

SIM

- Ventilador do radiador ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 182 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Controle do Ventilador do Motor 7272/11
Generalidades
O ventilador do motor tem a função de promover a troca de calor entre o fluído refrigerante
aquecido presente no interior do radiador e o ar ambiente, quando necessário. A estratégia de
acionamento do ventilador pelo ECM é a partir do sensor de temperatura do líquido refrigerante
(ECT).
O ECM monitora continuamente o ECT. Caso ocorra falha do sensor, como estratégia o ECM
mantém o ventilador do motor permanentemente ligado até que a falha seja sanada.

Causa
Falha no acionamento do ventilador do motor.
Descrição da Falha
O SPN 7272-11 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Falha no acionamento do ventilador do radiador do motor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 183
Códigos de Falhas
7272/11 Controle do Ventilador do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e relé do


ventilador desconectado;
- Medir continuidade no chicote elétrico dos - Chicote elétrico rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
pinos 86, 85, 30, 87 e 87A do relé do
ventilador do motor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veiculo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição ligada e relé do motor - Verificar fusíveis de alimentação;
do ventilador desconectado; NÃO - Apagar o código de falhas;
- Medir tensão nos pinos 86 e 30 do relé; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deverá ser 24V.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e relé do motor - Motor do ventilador com defeito.
do ventilador desconectado; NÃO - Trocar o motor;
- Instalar um JUMP entre os terminais 30 e - Apagar o código de falhas;
87A do soquete do relé do motor do ventilador; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deverá ligar.
- Está ok?

SIM

- Ventilador do radiador ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 184 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 1 8001/04
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno da solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa do bico injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8001-4 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Curto no injetor entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 185
Códigos de Falhas
8001/04 Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 1

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá ser
- Refazer o teste e liberar o veículo.
2,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá ser
2,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 186 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 1 8001/05
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno da solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Circuito aberto no chicote elétrico ou no enrolamento da bobina do bico injetor nº 1.
Descrição da Falha
O SPN 8001-5 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito aberto no chicote elétrico da bobina do bico injetor;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria do veículo;
- Injetor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 187
Códigos de Falhas
8001/05 Circuito Aberto no Bico Injetor nº 1

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 188 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
do Bico Injetor nº 1 8001/06
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito com o terra do veículo ou com o positivo da bateria no lado alto da bobina do bico
injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8001-6 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra do veículo no lado alto da bobina do bico injetor;
- Curto ao positivo da bateria no lado alto da bobina do bico injetor;
- Falha no injetor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 189
Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
8001/06 do Bico Injetor nº 1

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá ser
- Refazer o teste e liberar o veículo.
XX ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá ser
XX ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 190 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 2 8002/04
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa do bico injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8002-4 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Curto no injetor entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 191
Códigos de Falhas
8002/04 Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 2

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá ser
- Refazer o teste e liberar o veículo.
2,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá ser
2,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 192 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 2 8002/05
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Circuito aberto no chicote elétrico ou no enrolamento da bobina do bico injetor nº 2.
Descrição da Falha
O SPN 8002-5 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito aberto no chicote elétrico da bobina do bico injetor;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria do veículo;
- Injetor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 193
Códigos de Falhas
8002/05 Circuito Aberto no Bico Injetor nº 2

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 194 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
do Bico Injetor nº 2 8002/06
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito com o terra do veículo ou com o positivo da bateria no lado alto da bobina do bico
injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8002-6 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra do veículo no lado alto da bobina do bico injetor;
- Curto ao positivo da bateria no lado alto da bobina do bico injetor;
- Falha no injetor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 195
Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado
8002/06 Alto do Bico Injetor nº 2

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá ser
- Refazer o teste e liberar o veículo.
XX ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá ser
XX ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 196 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 3 8003/04
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa do bico injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8003-4 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Curto no injetor entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 197
Códigos de Falhas
8003/04 Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 3

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá ser
- Refazer o teste e liberar o veículo.
2,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá ser
2,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 198 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 3 8003/05
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Circuito aberto no chicote elétrico ou no enrolamento da bobina do bico injetor nº 3.
Descrição da Falha
O SPN 8003-5 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito aberto no chicote elétrico da bobina do bico injetor;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria do veículo;
- Injetor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 199
Códigos de Falhas
8003/05 Circuito Aberto no Bico Injetor nº 3

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 200 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
do Bico Injetor nº 3 8003/06
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito com o terra do veículo ou com o positivo da bateria no lado alto da bobina do bico
injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8003-6 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra do veículo no lado alto da bobina do bico injetor;
- Curto ao positivo da bateria no lado alto da bobina do bico injetor;
- Falha no injetor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 201
Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
8003/06 do Bico Injetor nº 3

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 202 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 4 8004/04
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa do bico injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8004-4 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Curto no injetor entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 203
Códigos de Falhas
8004/04 Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 4

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 204 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 4 8004/05
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Circuito aberto no chicote elétrico ou no enrolamento da bobina do bico injetor nº 4.
Descrição da Falha
O SPN 8004-5 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito aberto no chicote elétrico da bobina do bico injetor;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria do veículo;
- Injetor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 205
Códigos de Falhas
8004/05 Circuito Aberto no Bico Injetor nº 4

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 206 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
do Bico Injetor nº 4 8004/06
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito com o terra do veículo ou com o positivo da bateria no lado alto da bobina do bico
injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8004-6 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra do veículo no lado alto da bobina do bico injetor;
- Curto ao positivo da bateria no lado alto da bobina do bico injetor;
- Falha no injetor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 207
Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
8004/06 do Bico Injetor nº 4

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 208 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 5 8005/04
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa do bico injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8005-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto no injetor entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 209
Códigos de Falhas
8005/04 Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 5

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 210 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 5 8005/05
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Circuito aberto no chicote elétrico ou no enrolamento da bobina do bico injetor nº 5.
Descrição da Falha
O SPN 8005-5 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito aberto no chicote elétrico da bobina do bico injetor;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria do veículo;
- Injetor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 211
Códigos de Falhas
8005/05 Circuito Aberto no Bico Injetor nº 5

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 212 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
do Bico Injetor nº 5 8005/06
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito com o terra do veículo ou com o positivo da bateria no lado alto da bobina do bico
injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8005-6 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra do veículo no lado alto da bobina do bico injetor;
- Curto ao positivo da bateria no lado alto da bobina do bico injetor;
- Falha no injetor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 213
Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
8005/06 do Bico Injetor nº 5

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 214 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 6 8006/04
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa do bico injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8006-4 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Curto no injetor entre as bobinas do lado de alta e lado de baixa.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 215
Códigos de Falhas
8006/04 Curto-Circuito entre as Bobinas do Bico Injetor nº 6

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 216 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Circuito Aberto no Bico Injetor nº 6 8006/05
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Circuito aberto no chicote elétrico ou no enrolamento da bobina do bico injetor nº 6.
Descrição da Falha
O SPN 8006-5 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Circuito aberto no chicote elétrico da bobina do bico injetor;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria do veículo;
- Injetor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 217
Códigos de Falhas
8006/05 Circuito Aberto no Bico Injetor nº 6

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 218 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
do Bico Injetor nº 6 8006/06
Generalidades
O IDM é o módulo de controle dos bicos injetores, que recebe sinal do sensor de rotação e do
sensor de fase do motor, a fim de determinar o PMS do 1º cilindro e o momento da abertura da
válvula de admissão também do 1º cilindro do motor.
Quando as bobinas dos injetores precisam ser energizadas, o IDM liga o lado de baixa e o lado
de alta do circuito elétrico do injetor e regula a corrente dos injetores numa média de 20A. Ele
desliga o lado de alta quando a corrente elétrica atinge 24A e liga novamente quando a corrente
atinge 16A.
As bobinas do injetor são alternadas através do circuito de retorno do lado de baixa, que é
monitorado pelo IDM. O IDM monitora o sinal de retorno do lado de baixa com o propósito de
diagnosticar e utilizar a corrente de retorno do solenóide do injetor para auxiliar no controle de
carga dos capacitores internos ao IDM.

Causa
Curto-circuito com o terra do veículo ou com o positivo da bateria no lado alto da bobina do bico
injetor.
Descrição da Falha
O SPN 8006-6 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra do veículo no lado alto da bobina do bico injetor;
- Curto ao positivo da bateria no lado alto da bobina do bico injetor;
- Falha no injetor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o bico injetor que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 219
Códigos de Falhas
Curto ao Terra ou ao Positivo no Lado Alto
8006/06 do Bico Injetor nº 6

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado IDM e lado do - Chicote interrompido.
bico injetor;
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado do
bico injetor; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria do veículo;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado do bico injetor;
- Bobinas com defeito.
- Medir a resistência do lado de baixa e do lado
de alta das solenóides do bico injetor; NÃO - Trocar o bico injetor;
- Apagar o código de falhas;
- Entre os pinos 1 e 4, a resistência deverá
- Refazer o teste e liberar o veículo.
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Entre os pinos 2 e 3, a resistência deverá
estar entre 0,7 e 1,5 ohms.
- Está ok?

SIM

- Bobinas ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 220 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Fase do Eixo Comando de Válvulas 8021/02
Generalidades
O CMP é um sensor de relutância magnética indutivo composto de um ímã permanente e uma
bobina captora. O ímã produz um campo magnético que atravessa o enrolamento da bobina
continuamente.
Quando um metal é colocado próximo da extremidade da bobina, o campo magnético gerado
pelo ímã é aterrado. Esta alteração do campo induz uma tensão elétrica nos enrolamentos da
bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em sentido contrário, nesse momento
a tensão induzida é invertida.
O sensor está instalado solidário à engrenagem do comando de válvulas e está localizado na
tampa dianteira do motor. Na engrenagem existe um ressalto que estrategicamente corresponde
ao tempo de admissão do primeiro cilindro do motor. A passagem do ressalto pelo sensor induz
um nível de tensão que é captado pelo ECM. A partir desse sinal, o ECM reconhece a fase do
motor.
O CMP está ligado ao ECM através do terminal (X1-9 ECM) pino 1 do sensor e (X1-10 ECM)
pino 2 do sensor, possui malha de aterramento proveniente do terminal (X1-11 ECM).

Causa
Leitura incorreta do sinal do CMP.
Descrição da Falha
O SPN 8021-2 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Sinal incorreto do sensor CMP;
- Circuito aberto no chicote elétrico do sensor;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Se a falha ocorrer com o motor em funcionamento, o motor será desligado;
- Se a falha ocorrer com o motor parado, não será possível a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 221
Códigos de Falhas
8021/02 Sensor de Fase do Eixo Comando de Válvulas

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado - Chicote rompido.
sensor; NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do - Apagar o código de falhas;
sensor; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote em curto.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário.
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado sensor; - Sensor com defeito.
- Medir a resistência os pinos 1 e 2 do sensor NÃO - Trocar o sensor;
CMP; - Apagar o código de falhas;
- A resistência deverá estar entre 350 e 450 - Refazer o teste e liberar o veículo.
ohms.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 222 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
ECM Instalada Incorretamente 8021/07
Generalidades
O ECM (Módulo de Controle Eletrônico) é o controlador do sistema eletrônico do veículo. Nele
constam os dados do motor, a configuração do software de gerenciamento e os dados das
memórias RAM e ROM. Para funcionar, é necessário ser alimentado com tensão de 24V e
aterramento apropriados.
O ECM é aterrado através dos terminais X3-6 e X3-7 e recebe 24V no terminal X3-3. Após
alimentado, o ECM gerencia o motor a partir dos sinais de entrada provenientes dos sensores,
e aplicando comandos através dos atuadores. No software do ECM constam os dados referentes
à sua parametrização de EFRC.

Causa
ECM instalada incorretamente para giro CAMP.
Descrição da Falha
O SPN 8021-7 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- ECM instalada incorretamente.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 223
Códigos de Falhas
8021/07 ECM Instalada Incorretamente

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote - Verificar fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A
elétrico conectado; do ECM;
- Medir a tensão de alimentação do ECM nos
NÃO
- Trocar os fusíveis do ECM;
terminais X3-3, X4-1 e X4-2; - Apagar o código de falhas;
- Deverá ter 12V. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote - Chicote rompido ou com parafusos de fixação
elétrico conectado; NÃO no chassi solto.
- Medir aterramento do ECM nos terminais X3- - Reparar o chicote;
6 e X3-7; - Apagar o código de falhas;
- Deverá ser negativo. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e ECM
desconectado;
Verificar se o ECM pertence ao motor do NÃO - Trocar o ECM;
veículo; - Apagar o código de falhas;
- O ECM deve ser compatível com o motor do - Refazer o teste e liberar o veículo.
veículo.
- Está ok?

SIM

- ECM ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 224 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Fase do Eixo Comando de Válvulas 8021/08
Generalidades
O CMP é um sensor de relutância magnética indutivo composto de um ímã permanente e uma
bobina captora. O ímã produz um campo magnético que atravessa o enrolamento da bobina
continuamente.
Quando um metal é colocado próximo da extremidade da bobina, o campo magnético gerado
pelo ímã é aterrado. Esta alteração do campo induz uma tensão elétrica nos enrolamentos da
bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em sentido contrário, nesse momento
a tensão induzida é invertida.
O sensor está instalado solidário à engrenagem do comando de válvulas e está localizado na
tampa dianteira do motor. Na engrenagem existe um ressalto que estrategicamente corresponde
ao tempo de admissão do primeiro cilindro do motor. A passagem do ressalto pelo sensor induz
um nível de tensão que é captado pelo ECM. A partir desse sinal, o ECM reconhece a fase do
motor.
O CMP está ligado ao ECM através do terminal (X1-9 ECM) pino 1 do sensor e (X1-10 ECM)
pino 2 do sensor, possui malha de aterramento proveniente do terminal (X1-11 ECM).

Causa
Detectado ruído no sinal CMP.
Descrição da Falha
O SPN 8021-8 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Ruído no sinal do CMP;
- Sinal incorreto do sensor CMP;
- Circuito aberto no chicote elétrico do sensor;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Se a falha ocorrer com o motor em funcionamento, o motor será desligado;
- Se a falha ocorrer com o motor parado, não será possível a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 225
Códigos de Falhas
8021/08 Sensor de Fase do Eixo Comando de Válvulas

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote em curto.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário.
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado sensor;
- Medir a resistência os pinos 1 e 2 do sensor NÃO - Sensor com defeito.
CMP; - Trocar o sensor;
- A resistência deverá estar entre 350 e 450 - Apagar o código de falhas;
ohms. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 226 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Fase do Eixo Comando de Válvulas 8021/12
Generalidades
O CMP é um sensor de relutância magnética indutivo composto de um ímã permanente e uma
bobina captora. O ímã produz um campo magnético que atravessa o enrolamento da bobina
continuamente.
Quando um metal é colocado próximo da extremidade da bobina, o campo magnético gerado
pelo ímã é aterrado. Esta alteração do campo induz uma tensão elétrica nos enrolamentos da
bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em sentido contrário, nesse momento
a tensão induzida é invertida.
O sensor está instalado solidário à engrenagem do comando de válvulas e está localizado na
tampa dianteira do motor. Na engrenagem existe um ressalto que estrategicamente corresponde
ao tempo de admissão do primeiro cilindro do motor. A passagem do ressalto pelo sensor induz
um nível de tensão que é captado pelo ECM. A partir desse sinal, o ECM reconhece a fase do
motor.
O CMP está ligado ao ECM através do terminal (X1-9 ECM) pino 1 do sensor e (X1-10 ECM)
pino 2 do sensor, possui malha de aterramento proveniente do terminal (X1-11 ECM).

Causa
Sinal do sensor CMP inativo.
Descrição da Falha
O SPN 8021-12 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Sinal incorreto do sensor CMP;
- Circuito aberto no chicote elétrico do sensor;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Se a falha ocorrer com o motor em funcionamento, o motor será desligado;
- Se a falha ocorrer com o motor parado, não será possível a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 227
Códigos de Falhas
8021/12 Sensor de Fase do Eixo Comando de Válvulas

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
sensor; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote em curto.
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário.
o chicote elétrico do sensor; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Refazer o teste e liberar o veículo.
e o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado sensor;
- Medir a resistência os pinos 1 e 2 do sensor NÃO - Sensor com defeito.
CMP; - Trocar o sensor;
- A resistência deverá estar entre 350 e 450 - Apagar o código de falhas;
ohms. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 228 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal Incorreto do CMPO 8022/02
Generalidades
O CMP é um sensor de relutância magnética indutivo composto de um ímã permanente e uma
bobina captora. O ímã produz um campo magnético que atravessa o enrolamento da bobina
continuamente.
Quando um metal é colocado próximo da extremidade da bobina, o campo magnético gerado
pelo ímã é aterrado. Esta alteração do campo induz uma tensão elétrica nos enrolamentos da
bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em sentido contrário, nesse momento
a tensão induzida é invertida.
O sensor está instalado solidário à engrenagem do comando de válvulas e está localizado na
tampa dianteira do motor. Na engrenagem existe um ressalto que estrategicamente corresponde
ao tempo de admissão do primeiro cilindro do motor. A passagem do ressalto pelo sensor induz
um nível de tensão que é captado pelo ECM. A partir desse sinal, o ECM reconhece a fase do
motor.
O CMP está ligado ao ECM através do terminal (X1-9 ECM) pino 1 do sensor e (X1-10 ECM)
pino 2 do sensor, possui malha de aterramento proveniente do terminal (X1-11 ECM).

Causa
Sinal incorreto do CMPO.
Descrição da Falha
O SPN 8022-2 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Sinal incorreto do sensor CMP;
- Circuito aberto no chicote elétrico do sensor;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Se a falha ocorrer com o motor em funcionamento, o motor será desligado;
- Se a falha ocorrer com o motor parado, não será possível a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 229
Códigos de Falhas
8022/02 Sinal Incorreto do CMPO

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário;
- Medir continuidade no chicote do sensor;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Chicote em curto.
o chicote elétrico; NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário.
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Apagar o código de falhas;
e o chicote elétrico; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado sensor;
- Medir a resistência os pinos 1 e 2 do sensor
CMP; NÃO - Sensor com defeito.
- A resistência deverá estar entre 350 e 450 - Trocar o sensor;
ohms. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 230 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sinal Incorreto no CKPO 8022/08
Generalidades
A comunicação entre os módulos IDM e ECM ocorre basicamente de 2 maneiras: através do
barramento CAN2 e do sinal dos sensores CKP e CMD.
Os módulos estão continuamente em comunicação, ambos compartilham as informações dos
sensores de rotação e fase do motor (CKP e CMP) para a determinação do cálculo de rotação
e controle de tempo de injeção.
O CAN2 é uma linha de comunicação serial entre o IDM e o ECM, que controla as estratégias
de operações, informação dos sensores, e a configuração dos SPNs.
Caso ocorra falha no sensor CKP, CMD e CAN2, não será possível colocar o motor em
funcionamento.
A interligação dos módulos IDM e ECM ocorre através dos terminais: (X3-5 IDM CKP+ ao X1-
19 ECM), (X3-10 IDM CMP ao X1-24 ECM), (X3-30 IDM CAN2+ ao X2-6 ECM), (X3-31 IDM
CAN2- ao X2-13 ECM) e (X3-32 IDM CAN2 SD ao X2-12 ECM).

Causa
Sinal incorreto do CKPO do IDM.
Descrição da Falha
O SPN 8022-8 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Conexão insuficiente entre o IDM e o ECM;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a partida do veículo.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 231
Códigos de Falhas
8022/08 Sinal Incorreto no CKPO

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico do IDM e ECM desconectados;
- Medir continuidade no chicote elétrico entre - Chicote interrompido (circuito aberto).
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
os módulos;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico do IDM, ECM, CMP e CKP
desconectados; - Chicote em curto ao terra do veículo.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Não deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico dos sensores CKP e CMD - Chicote em curto ao positivo da bateria.
desconectados; NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Apagar o código de falhas;
da bateria; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição ligada e chicote - ECM e IDM com defeito.
elétrico do ECM e IDM conectado; NÃO - Trocar os dois módulos;
- Colocar o motor em funcionamento; - Apagar o código de falhas;
- Verificar se o código de defeito persiste; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deverá persistir.
- Está ok?

SIM

- Módulos ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 232 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Inativação do Sinal CKPO do IDM 8022/11
Generalidades
O CKP é um sensor de relutância magnética composto de um ímã permanente e uma bobina
captora. O ímã produz um campo que atravessa o enrolamento da bobina continuamente.
Quando um metal é colocado próximo à extremidade da bobina, o campo magnético gerado
pelo ímã é aterrado. Essa alteração do campo induz uma tensão elétrica nos enrolamentos da
bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em sentido contrário. Nesse
momento, a tensão induzida é invertida.
O sensor está instalado na parte superior esquerda da carcaça do volante do motor. O volante
possui uma roda fônica de 60 menos 2 dentes. À medida que os dentes da roda fônica passam
na frente do sensor CKP, o mesmo gera uma tensão alternada através da qual o ECM reconhece
a rotação do motor. A ausência de 2 dentes serve como referência para o ECM reconhecer o
PMS do primeiro cilindro do motor.
O CKP está ligado ao ECM através do terminal (X1-1 ECM) pino 1 do sensor e terminal (X1-2
ECM) pino 2 do sensor.

Causa
Inativação do sinal CKPO do IDM.
Descrição da Falha
O SPN 8022-11 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Ausência de sinal do sensor;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Se a falha ocorrer com o motor em funcionamento, o motor será desligado;
- Se ocorrer com o motor parado, não será possível a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 233
Códigos de Falhas
8022/11 Inativação do Sinal CKPO do IDM

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do CKP;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote em curto.
sensor;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário.
- Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o positivo da bateria
e o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
- Sensor com defeito.
elétrico desconectado no lado sensor; NÃO - Trocar o sensor;
- Medir a resistência elétrica do sensor CKP;
- Apagar o código de falhas;
- A resistência deverá estar entre 800 ohms e
- Refazer o teste e liberar o veículo.
11Kohms.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 234 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Inativação do Sinal CMPO 8022/12
Generalidades
O CMP é um sensor de relutância magnética composto de um ímã permanente e uma bobina
captora. O ímã produz um campo magnético que atravessa o enrolamento da bobina
continuamente.
Quando um metal é colocado próximo da extremidade da bobina, o campo magnético gerado
pelo ímã é aterrado. Esta alteração do campo induz uma tensão elétrica nos enrolamentos da
bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em sentido contrário, nesse momento
a tensão induzida é invertida.
O sensor está instalado solidário à polia do comando de válvulas. Na polia existe um ressalto
que estrategicamente corresponde ao tempo de admissão do primeiro cilindro do motor. A
passagem do ressalto pelo sensor induz um nível de tensão que é captado pelo ECM. A partir
desse sinal, o ECM reconhece a fase do motor.
O CMP está ligado ao ECM através do terminal (X1-9 ECM) pino 1 do sensor e (X1-10 ECM)
pino 2 do sensor.

Causa
Inativação do sinal CMPO do IDM.
Descrição da Falha
O SPN 8022-12 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Sinal incorreto do CMP;
- Circuito aberto no chicote elétrico do sensor CMP;
- Sensor CMP apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Se a falha ocorrer com o motor em funcionamento, o motor continuará funcionando;
- Se a falha ocorrer com o motor parado, não será possível a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 235
Códigos de Falhas
8022/12 Inativação do Sinal CMPO

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário;
- Medir continuidade no chicote do sensor;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote em curto.
sensor;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário.
- Apagar o código de falhas;
o chicote elétrico;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o positivo da bateria
e o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado sensor;
- Sensor com defeito.
- Medir a resistência os pinos 1 e 2 do sensor NÃO - Trocar o sensor;
CMP;
- Apagar o código de falhas;
- A resistência deverá estar entre 300 e 400
- Refazer o teste e liberar o veículo.
ohms.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 236 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Pressão de Exaustão do Regulador 8035/11
Generalidades
A característica chave do turboalimentador de geometria variável (TGV) é o acionamento dos
vanes na carcaça da turbina. Os vanes modificam características do fluxo dos gases de
escape, através da carcaça da turbina. O benefício é a capacidade de controlar a pressão
interna para as várias rotações do motor, bem como para as várias condições de carga,
reduzindo o nível de emissões de gases.
O TGV é um sistema de circuito fechado que utiliza um sensor de contrapressão de escape
para fornecer um retorno ao ECM. O ECM utiliza o sinal do sensor EBP para monitorar
continuamente a pressão do freio motor e ajustar o ciclo de trabalho ao TGV, de modo a atender
as exigências do motor.
O módulo de controle do TGV recebe um sinal modulado do ECM e um micro chip controla o
motor de passo de acordo com a posição desejada. O motor gira uma alavanca de manivelas,
controlando a posição do vane. Vanes de acionamento são montados ao redor da circunferência
interna da carcaça da turbina e um único anel une todos os vanes. Quando este anel é movido,
todos os vanes são movidos para a mesma posição. O movimento do anel ocorre quando a
alavanca de manivela no módulo de controle é movida. O fluxo de gases de escape pode ser
regulado dependendo da contrapressão requerida para a rotação e carga do motor.

Causa
Falha no autoteste OCC da pressão de exaustão do regulador.
Descrição da Falha
O SPN 8035-11 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Falha no autoteste OCC da pressão de exaustão do regulador.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 237
Códigos de Falhas
8035/11 Pressão de Exaustão do Regulador

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
atuador; - Chicote elétrico rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote elétrico do
atuador (TGV); - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
- Chicote elétrico em curto.
atuador; NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
- Medir continuidade entre o chicote do atuador
- Apagar o código de falhas;
e o terra do veículo;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Medir continuidade entre o atuador e o positivo
da bateria;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM
- Verificar no ECM:
- Chicote elétrico ok. - Fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A;
- Com a chave de ignição ligada e chicote - Tensão nos terminais X1-3, X4-1 e X4-2;
elétrico desconectado; NÃO - Terra nos terminais X3-6 e X3-7;
- Medir tensão de alimentação do atuador; - Reparar se necessário;
- Deverá ser 24V. - Se estiver ok, trocar ECM;
- Está ok? - Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e motor
funcionando; - TGV com defeito.
- Realizar o teste de rodagem e provocar o
NÃO - Trocar o TGV;
acionamento do TGV; - Apagar o código de falhas;
- Deverá funcionar. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- TGV ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 238 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Rotação do Motor 8064/02
Generalidades
O CKP é um sensor de relutância magnética composto de um ímã permanente e uma bobina
captora. O ímã produz um campo que atravessa o enrolamento da bobina continuamente.
Quando um metal é colocado próximo à extremidade da bobina, o campo magnético gerado
pelo ímã é aterrado. Essa alteração do campo induz uma tensão elétrica nos enrolamentos da
bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em sentido contrário. Nesse
momento, a tensão induzida é invertida.
O sensor está instalado na parte superior esquerda da carcaça do volante do motor. O volante
possui uma roda fônica de 60 menos 2 dentes. À medida que os dentes da roda fônica passam
na frente do sensor CKP, o mesmo gera uma tensão alternada através da qual o ECM reconhece
a rotação do motor. A ausência de 2 dentes serve como referência para o ECM reconhecer o
PMS do primeiro cilindro do motor.
O CKP está ligado ao ECM através do terminal (X1-1 ECM) pino 1 do sensor e terminal (X1-2
ECM) pino 2 do sensor, possui malha de aterramento proveniente do terminal (X1-11 do ECM).

Causa
Leitura incorreta do sinal do sensor CKP.
Descrição da Falha
O SPN 8064-2 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Sinal incorreto do sensor;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Se a falha ocorrer com o motor em funcionamento, o motor será desligado;
- Se ocorrer com o motor parado, não será possível a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 239
Códigos de Falhas
8064/02 Sensor de Rotação do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do CKP;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Chicote em curto.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário.
o chicote elétrico;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Apagar o código de falhas;
e o chicote elétrico; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado sensor; - Sensor com defeito.
- Medir a resistência elétrica do sensor CKP; NÃO - Trocar o sensor;
- A resistência deverá estar entre 800 ohms e - Apagar o código de falhas;
1100 ohms. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 240 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Sensor de Rotação do Motor (CKP) 8064/12
Generalidades
O CKP é um sensor de relutância magnética composto de um ímã permanente e uma bobina
captora. O ímã produz um campo que atravessa o enrolamento da bobina continuamente.
Quando um metal é colocado próximo à extremidade da bobina, o campo magnético gerado
pelo ímã é aterrado. Essa alteração do campo induz uma tensão elétrica nos enrolamentos da
bobina. Ao afastar o metal, a perturbação do campo ocorre em sentido contrário. Nesse
momento, a tensão induzida é invertida.
O sensor está instalado na parte superior esquerda da carcaça do volante do motor. O volante
possui uma roda fônica de 60 menos 2 dentes. À medida que os dentes da roda fônica passam
na frente do sensor CKP, o mesmo gera uma tensão alternada através da qual o ECM reconhece
a rotação do motor. A ausência de 2 dentes serve como referência para o ECM reconhecer o
PMS do primeiro cilindro do motor.
O CKP está ligado ao ECM através do terminal (X1-1 ECM) pino 1 do sensor e terminal (X1-2
ECM) pino 2 do sensor, possui malha de aterramento proveniente do terminal (X1-11 do ECM).

Causa
Sinal do sensor CKP inativo.
Descrição da Falha
O SPN 8064-12 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Ausência de sinal do sensor;
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria;
- Sensor apresentar defeito.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Se a falha ocorrer com o motor em funcionamento, o motor será desligado;
- Se ocorrer com o motor parado, não será possível a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 241
Códigos de Falhas
8064/12 Sensor de Rotação do Motor (CKP)

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário;
- Medir continuidade no chicote elétrico do CKP;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor;
- Medir continuidade entre o terra do veículo e - Chicote em curto.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário.
o chicote elétrico;
- Medir continuidade entre o positivo da bateria - Apagar o código de falhas;
e o chicote elétrico; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado sensor; - Sensor com defeito.
- Medir a resistência elétrica do sensor CKP; NÃO - Trocar o sensor;
- A resistência deverá estar entre 800 ohms e - Apagar o código de falhas;
11Kohms. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Sensor ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 242 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha de Comunicação entre o ECM
e o Módulo da EGR 8146/07
Generalidades
O atuador da EGR tem função de ativar uma abertura para a passagem de parte dos gases do
coletor de escape em direção ao coletor de admissão do motor e também controla o fluxo dos
gases de escape no duto de entrada e no misturador EGR.
Possui um motor elétrico (atuador) para controlar a posição da válvula, e um sensor para
fornecer um sinal de retorno para o módulo de acionamento EGR. A tensão de alimentação e o
controle do motor são obtidos através do módulo de acionamento EGR, comandado pelo ECM
para atender as exigências do motor.

Causa
Falha de comunicação entre o ECM e o módulo de controle da EGR.
Descrição da Falha
O SPN 8146-7 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Falha de comunicação entre o ECM e o módulo de controle da EGR.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 243
Códigos de Falhas
Falha de Comunicação entre o ECM
8146/07 e o Módulo da EGR

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
IDM;
- Medir continuidade entre os pinos (X3-5 IDM - Chicote rompido.
NÃO - Reparar o chicote ou trocar,se necessário;
e X1-19 ECM), (X3-10 IDM e X1-24 ECM),
(X3-30 IDM e X2-6 ECM), (X3-31 IDM e X2-13 - Apagar o código de falhas;
ECM) e (X3-32 IDM e X2-12 ECM); - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado ECM e lado
IDM; - Chicote elétrico em curto.
- Medir continuidade entre o chicote e o terra NÃO - Reparar o chicote ou trocar, se necessário;
do veículo; - Apagar o código de falhas;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Refazer o teste e liberar o veículo.
da bateria;
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 244 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Circuito Aberto no Banco 1 dos Injetores 8151/05
Generalidades
O banco 1 dos injetores corresponde ao circuito elétrico de controle de acionamento dos bicos
1, 5 e 6.
O IDM faz o controle de acionamento dos bicos injetores a partir de 2 bancos ao banco 1
corresponde aos cilindros 1, 5 e 6, e ao banco 2, os cilindros 3, 2 e 4.

Causa
Circuito aberto no banco 1 dos injetores.
Descrição da Falha
O SPN 8151-5 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Circuito aberto no banco 1 dos injetores.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o banco que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 245
Códigos de Falhas
8151/05 Circuito Aberto no Banco 1 dos Injetores

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico dos bicos 1, 5 e 6 desconectados;
- Medir continuidade no chicote elétrico dos - Chicote interrompido (circuito aberto).
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
bicos injetores;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado
bico injetor;
- Medir continuidade entre o chicote elétrico - Chicote elétrico do banco 1 em curto ao terra
NÃO do veículo.
dos bicos correspondentes ao banco 1 e terra
do veículo; - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico do banco 1 ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do lado IDM e lado dos bicos 1, 5 e 6
desconectados; - Chicote elétrico do banco 1 em curto ao
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo NÃO positivo da bateria.
da bateria; - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico do banco 1 ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 246 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Lado Baixo do Banco 1 em Curto 8151/06
Generalidades
O banco 1 dos injetores corresponde ao circuito elétrico de controle de acionamento dos bicos
1, 5 e 6.
O IDM faz o controle de acionamento dos bicos injetores a partir de 2 bancos ao banco 1
corresponde aos cilindros 1, 5 e 6, e ao banco 2, os cilindros 3, 2 e 4.

Causa
Lado baixo do banco 1 em curto com o terra do veículo ou o positivo da bateria.
Descrição da Falha
O SPN 8151-6 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria do veículo.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o banco que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 247
Códigos de Falhas
8151/06 Lado Baixo do Banco 1 em Curto

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico dos bicos 1, 5 e 6 desconectados;
- Medir continuidade no chicote elétrico dos - Chicote interrompido (circuito aberto).
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
bicos injetores;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado
bico injetor;
- Medir continuidade entre o chicote elétrico - Chicote elétrico do banco 1 em curto ao terra
NÃO do veículo.
dos bicos correspondentes ao banco 1 e terra
do veículo; - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico do banco 1 ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do lado IDM e lado dos bicos 1, 5 e 6
desconectados; - Chicote elétrico do banco 1 em curto ao
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo NÃO positivo da bateria.
da bateria; - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico do banco 1 ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 248 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Circuito Aberto no Banco 2 dos Injetores 8152/05
Generalidades
O banco 1 dos injetores corresponde ao circuito elétrico de controle de acionamento dos bicos
1, 5 e 6.
O IDM faz o controle de acionamento dos bicos injetores a partir de 2 bancos ao banco 1
corresponde aos cilindros 1, 5 e 6, e ao banco 2, os cilindros 3, 2 e 4.

Causa
Circuito aberto no banco 2 dos injetores.
Descrição da Falha
O SPN 8152-5 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Circuito aberto no banco 1 dos injetores.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o banco que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 249
Códigos de Falhas
8152/05 Circuito Aberto no Banco 2 dos Injetores

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico dos bicos 1, 5 e 6 desconectados;
- Medir continuidade no chicote elétrico dos - Chicote interrompido (circuito aberto).
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
bicos injetores;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado
bico injetor;
- Medir continuidade entre o chicote elétrico - Chicote elétrico do banco 1 em curto ao terra
NÃO do veículo.
dos bicos correspondentes ao banco 1 e terra
do veículo; - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico do banco 1 ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do lado IDM e lado dos bicos 1, 5 e 6
desconectados; - Chicote elétrico do banco 1 em curto ao
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo NÃO positivo da bateria.
da bateria; - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico do banco 1 ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 250 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Lado Baixo do Banco 2 em Curto 8152/06
Generalidades
O banco 1 dos injetores corresponde ao circuito elétrico de controle de acionamento dos bicos
1, 5 e 6.
O IDM faz o controle de acionamento dos bicos injetores a partir de 2 bancos ao banco 1
corresponde aos cilindros 1, 5 e 6, e ao banco 2, os cilindros 3, 2 e 4.

Causa
Lado baixo do banco 2 em curto com o terra do veículo ou o positivo da bateria.
Descrição da Falha
O SPN 8152-6 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria do veículo.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o banco que apresentar defeito.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 251
Códigos de Falhas
8152/06 Lado Baixo do Banco 2 em Curto

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico dos bicos 1, 5 e 6 desconectados;
- Medir continuidade no chicote elétrico dos - Chicote interrompido (circuito aberto).
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
bicos injetores;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico desconectado no lado IDM e lado
bico injetor;
- Medir continuidade entre o chicote elétrico - Chicote elétrico do banco 1 em curto ao terra
NÃO do veículo.
dos bicos correspondentes ao banco 1 e terra
do veículo; - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico do banco 1 ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico do lado IDM e lado dos bicos 1, 5 e 6
desconectados; - Chicote elétrico do banco 1 em curto ao
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo NÃO positivo da bateria.
da bateria; - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Não deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote elétrico do banco 1 ok.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 252 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha na Comunicação entre Módulos 8155/07
Generalidades
A comunicação entre os módulos IDM e ECM ocorre basicamente de 2 maneiras: através do
barramento CAN2 e do sinal dos sensores CKP e CMD.
Os módulos estão continuamente em comunicação, ambos compartilham as informações dos
sensores de rotação e fase do motor (CKP e CMP) para a determinação do cálculo de rotação
e controle de tempo de injeção.
O CAN2 é uma linha de comunicação serial entre o IDM e o ECM, que controla as estratégias
de operações, informação dos sensores e a configuração dos SPNs.
Caso ocorra falha no sensor CKP, CMD e CAN2, não será possível colocar o motor em
funcionamento.
A interligação dos módulos IDM e ECM ocorre através dos terminais: (X3-5 IDM ao X1-19
ECM) correspondente ao CKP+, (X3-10 IDM ao X1-24 ECM) correspondente ao CMP, (X3-30
IDM ao X2-6 ECM) correspondente ao CAN2+, (X3-31 IDM ao X2-13 ECM) correspondente ao
CAN2- e (X3-32 IDM ao X2-12 ECM) correspondente ao CAN2 SD.

Causa
Falha de comunicação entre os módulos IDM e ECM.
Descrição da Falha
O SPN 8155-7 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Curto ao terra do veículo;
- Curto ao positivo da bateria;
- Circuito aberto.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desligará e não permitirá nova partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 253
Códigos de Falhas
8155/07 Falha na Comunicação entre Módulos

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico do IDM e ECM desconectados;
- Medir continuidade no chicote elétrico entre - Chicote interrompido (circuito aberto).
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
os módulos;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico do IDM, ECM, CMP e CKP
- Chicote em curto ao terra do veículo.
desconectados; NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade entre o chicote e o terra
- Apagar o código de falhas;
do veículo;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico dos sensores CKP e CMD - Chicote em curto ao positivo da bateria.
desconectados; NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Apagar o código de falhas;
da bateria; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico do ECM e IDM conectado; - ECM e IDM com defeito.
- Colocar o motor em funcionamento;
NÃO - Trocar os dois módulos;
- Verificar se o código de defeito persiste; - Apagar o código de falhas;
- Não deverá persistir. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Módulos ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 254 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Alta Tensão no Relé do IDM 8221/03
Generalidades
O relé principal do IDM é composto por 5 pinos sendo que: 30 (positivo constante da bateria
24V), 86 (positivo inconstante da bateria pós-ignição), 85 (negativo inconstante pós-chave), 87
(saída para o módulo IDM) e 87A (sobra).
O acionamento do relé principal ocorre logo que o IDM recebe 24V no terminal X3-7 proveniente
do pino 87 do relé da ignição. De posse do sinal de tensão, o IDM aterra através do terminal X3-
27, o pino 85 do relé principal. Visto que os pinos 30 e 86 estão alimentados com 24V da bateria,
ocorre o fechamento (atraque) do circuito elétrico do relé principal e conseqüentemente o IDM
é alimentado através do pino 87 do relé principal.

Causa
Alta tensão no relé do IDM.
Descrição da Falha
O SPN 8221-3 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Tensão de alimentação do IDM estiver acima de 16V;
- Falha na carga do alternador.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 255
Códigos de Falhas
8221/03 Alta Tensão no Relé do IDM

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e relé


principal do IDM desconectado;
- Medir a tensão de alimentação do relé entre - Bateria com defeito.
NÃO - Reparar ou trocar a bateria;
os pinos 30 e 86 do relé e o terra do veículo;
- Não deverá ser maior que 27V. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Tensão da bateria ok.


- Com a chave de ignição ligada e relé principal
do IDM conectado; - Alternador carregando acima do limite de carga.
- Ligar o motor do veículo e medir a tensão do NÃO - Reparar ou trocar o aternador do veículo;
alternador; - Apagar o código de falhas;
- Deverá estar entre 24 e 27V, não poderá ser - Refazer o teste e liberar o veículo.
maior.
- Está ok?

SIM

- Alternador ok.
- Com a chave de ignição ligada, relé principal
do IDM e chicote elétrico conectado; - Relé principal com defeito.
- Medir a tensão de alimentação do módulo NÃO - Trocar o relé principal;
IDM; - Apagar o código de falhas;
- O valor deverá estar entre 24 e 27V, não - Refazer o teste e liberar o veículo.
poderá ser maior.
- Está ok?

SIM

- Relé ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 256 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Baixa Tensão no Relé do IDM 8221/04
Generalidades
O relé principal do IDM é composto por 5 pinos sendo que: 30 (positivo constante da bateria
24V), 86 (positivo inconstante da bateria pós-ignição), 85 (negativo inconstante pós-chave), 87
(saída para o módulo IDM) e 87A (sobra).
O acionamento do relé principal ocorre logo que o IDM recebe 24V no terminal X3-7 proveniente
do pino 87 do relé da ignição. De posse do sinal de tensão, o IDM aterra através do terminal X3-
27, o pino 85 do relé principal. Visto que os pinos 30 e 86 estão alimentados com 24V da bateria,
ocorre o fechamento (atraque) do circuito elétrico do relé principal e conseqüentemente o IDM
é alimentado através do pino 87 do relé principal.

Causa
Baixa tensão no relé do IDM.
Descrição da Falha
O SPN 8221-4 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Tensão no relé do IDM abaixo de 7V.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desligará o motor do veículo.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 257
Códigos de Falhas
8221/04 Baixa Tensão no Relé do IDM

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e relé


principal do IDM desconectado;
- Medir a tensão de alimentação do relé entre - Bateria com defeito.
NÃO - Reparar ou trocar a bateria;
os pinos 30 e 86 do relé e o terra do veículo;
- Não deverá ser maior que 27V. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Tensão da bateria ok.


- Com a chave de ignição ligada e relé principal
do IDM conectado; - Alternador carregando acima do limite de carga.
- Ligar o motor do veículo e medir a tensão do NÃO - Reparar ou trocar o aternador do veículo;
alternador; - Apagar o código de falhas;
- Deverá estar entre 24 e 27V, não poderá ser - Refazer o teste e liberar o veículo.
maior.
- Está ok?

SIM

- Alternador ok.
- Com a chave de ignição ligada, relé principal
do IDM e chicote elétrico conectado; - Relé principal com defeito.
- Medir a tensão de alimentação do módulo NÃO - Trocar o relé principal;
IDM; - Apagar o código de falhas;
- O valor deverá estar entre 24 e 27V, não - Refazer o teste e liberar o veículo.
poderá ser maior.
- Está ok?

SIM

- Relé ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 258 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Baixa Tensão no IDM 8233/04
Generalidades
O IDM (Módulo de Controle dos Injetores) é alimentado com 24V da bateria através do relé
principal quando é ligada a chave de ignição.
O IDM é aterrado através do negativo da bateria nos terminais X3-1, X3-2, X3-3, X3-22 e X3-
26. Com a chave de ignição ligada, o IDM recebe 24V no terminal X3-7. Nesta condição, o
módulo alimenta com sinal negativo o pino 85 do relé principal, através do terminal X3-27 do
IDM. Após ter sido aterrado no pino 85, ocorre o fechamento do contato do relé correspondente
aos pinos 30 (direto da bateria) e 87 (saída de tensão do relé). Dessa forma alimentam os
terminais X3-4, X3-23, X3-24 e X3-25, além do X3-8 do módulo IDM.

Causa
Baixa tensão no IDM.
Descrição da Falha
O SPN 8233-4 aparecerá sempre que ocorrer alguma das condições abaixo:
- Tensão de alimentação estiver abaixo de 7V;
- Mal contato no chicote elétrico entre o relé principal e o IDM.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desligará o motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 259
Códigos de Falhas
8233/04 Baixa Tensão no IDM

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada, chicote


elétrico desconectado no lado IDM e relé
principal desconectado; - Chicote interrompido.
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
- Medir continuidade no chicote entre o relé
principal e o IDM; - Apagar o código de falhas;
- Deve haver continuidade. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Bateria com carga baixa ou danificada.
- Com a chave de ignição ligada e relé principal NÃO - Recarregar ou trocar a bateria;
desconectado;
- Apagar o código de falhas;
- Medir tensão nos pinos 30 e 86 do relé
- Refazer o teste e liberar o veículo.
principal;
- Deverá ter 12V.
- Está ok?

SIM

- Tensão de alimentação no relé ok.


- Coma chave de ignição ligada, chicote elétrico
do IDM e relé principal conectados; NÃO - IDM com defeito.
- Checar se tem sinal negativo no pino 85 do - Apagar o código de falhas;
relé principal proveniente do terminal X3-27 - Refazer o teste e liberar o veículo.
do IDM;
- Deverá ser negativo.
- Está ok?

SIM

- Aterramento do relé principal ok.


- Com a chave de ignição ligada, chicote elétrico - Relé principal com defeito.
do IDM e relé principal conectados;
NÃO - Trocar o relé;
- Medir a tensão de saída do relé principal do - Apagar o código de falhas;
terminal 87; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deverá ter 12V.
- Está ok?

SIM

- Relé ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 260 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha na Memória ROM 8240/02
Generalidades
O ECM (Módulo de Controle Eletrônico) é o controlador do sistema eletrônico do veículo. Nele
constam os dados do motor, a configuração do software de gerenciamento e os dados das
memórias RAM e ROM. Para funcionar, é necessário ser alimentado com tensão de 24V e
aterramento apropriados.
O ECM é aterrado através dos terminais X3-6 e X3-7 e recebe 24V no terminal X3-3. Após
alimentado, o ECM gerencia o motor a partir dos sinais de entrada provenientes dos sensores,
e aplicando comandos através dos atuadores. No software do ECM constam os dados referentes
à sua parametrização de EFRC.

Causa
Falha na memória ROM.
Descrição da Falha
O SPN 8240-2 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Falha do ECM.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 261
Códigos de Falhas
8240/02 Falha na Memória ROM

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote


elétrico conectado;
- Medir a tensão de alimentação do ECM nos - Verificar fusíveis F1 e F2 ECM;
NÃO - Trocar os fusíveis do ECM;
terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Deverá ter 12V. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; - Chicote rompido ou com parafusos de fixação
- Medir aterramento do ECM nos terminais X3- NÃO no chassi solto.
6 e X3-7; - Reparar o chicote;
- Deverá ser negativo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e ECM
desconectado;
Verificar se o ECM pertence ao motor do
veículo; NÃO - Trocar o ECM;
- Apagar o código de falhas;
- O ECM deve ser compatível com o motor do
- Refazer o teste e liberar o veículo.
veículo.
- Está ok?

SIM

- ECM ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 262 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Lista de Parâmetros Programáveis na RAM 8240/11
Generalidades
O ECM (Módulo de Controle Eletrônico) é o controlador do sistema eletrônico do veículo. Nele
constam os dados do motor, a configuração do software de gerenciamento e os dados das
memórias RAM e ROM. Para funcionar, é necessário ser alimentado com tensão de 24V e
aterramento apropriados.
O ECM é aterrado através dos terminais X3-6 e X3-7 e recebe 24V no terminal X3-3. Após
alimentado, o ECM gerencia o motor a partir dos sinais de entrada provenientes dos sensores,
e aplicando comandos através dos atuadores. No software do ECM constam os dados referentes
à sua parametrização de EFRC.

Causa
Parâmetros programáveis na RAM.
Descrição da Falha
O SPN 8240-11 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Parametrização do ECM inadequada.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o funcionamento do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 263
Códigos de Falhas
8240/11 Lista de Parâmetros Programáveis na RAM

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote


elétrico conectado;
- Medir a tensão de alimentação do ECM nos - Verificar fusíveis F1 e F2 ECM;
NÃO - Trocar os fusíveis do ECM;
terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Deverá ter 12V. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; - Chicote rompido ou com parafusos de fixação
- Medir aterramento do ECM nos terminais X3- NÃO no chassi solto.
6 e X3-7; - Reparar o chicote;
- Deverá ser negativo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e ECM
desconectado;
Verificar se o ECM pertence ao motor do
veículo; NÃO - Trocar o ECM;
- Apagar o código de falhas;
- O ECM deve ser compatível com o motor do
- Refazer o teste e liberar o veículo.
veículo.
- Está ok?

SIM

- ECM ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 264 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Lista de Parâmetros Programáveis
do ECM Incompatíveis 8240/13
Generalidades
O ECM (Módulo de Controle Eletrônico) é o controlador do sistema eletrônico do veículo. Nele
constam os dados do motor, a configuração do software de gerenciamento e os dados das
memórias RAM e ROM. Para funcionar, é necessário ser alimentado com tensão de 24V e
aterramento apropriados.
O ECM é aterrado através dos terminais X3-6 e X3-7 e recebe 24V no terminal X3-3. Após
alimentado, o ECM gerencia o motor a partir dos sinais de entrada provenientes dos sensores,
e aplicando comandos através dos atuadores. No software do ECM constam os dados referentes
à sua parametrização de EFRC.

Causa
Parâmetros programáveis do ECM incompatíveis.
Descrição da Falha
O SPN 8240-13 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Parametrização do ECM inadequada.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o funcionamento do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 265
Códigos de Falhas
Lista de Parâmetros Programáveis
8240/13 do ECM Incompatíveis

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote


elétrico conectado;
- Medir a tensão de alimentação do ECM nos - Verificar fusíveis F1 e F2 ECM;
NÃO - Trocar os fusíveis do ECM;
terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Deverá ter 12V. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; - Chicote rompido ou com parafusos de fixação
- Medir aterramento do ECM nos terminais X3- NÃO no chassi solto.
6 e X3-7; - Reparar o chicote;
- Deverá ser negativo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e ECM
desconectado;
Verificar se o ECM pertence ao motor do
veículo; NÃO - Trocar o ECM;
- Apagar o código de falhas;
- O ECM deve ser compatível com o motor do
- Refazer o teste e liberar o veículo.
veículo.
- Está ok?

SIM

- ECM ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 266 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Parametrização de Campo do Motor 8240/14
Generalidades
O ECM (Módulo de Controle Eletrônico) é o controlador do sistema eletrônico do veículo. Nele
constam os dados do motor, a configuração do software de gerenciamento e os dados das
memórias RAM e ROM. Para funcionar, é necessário ser alimentado com tensão de 24V e
aterramento apropriados.
O ECM é aterrado através dos terminais X3-6 e X3-7 e recebe 24V no terminal X3-3. Após
alimentado, o ECM gerencia o motor a partir dos sinais de entrada provenientes dos sensores,
e aplicando comandos através dos atuadores. No software do ECM constam os dados referentes
à sua parametrização de EFRC.

Causa
Valores de parametrização de campo do motor foram selecionados.
Descrição da Falha
O SPN 8240-14 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Parametrização do ECM inadequada.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará a partida do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 267
Códigos de Falhas
8240/14 Parametrização de Campo do Motor

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote


elétrico conectado;
- Medir a tensão de alimentação do ECM nos - Verificar fusíveis F1 e F2 ECM;
NÃO - Trocar os fusíveis do ECM;
terminais X3-3, X4-1 e X4-2;
- Deverá ter 12V. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; - Chicote rompido ou com parafusos de fixação
- Medir aterramento do ECM nos terminais X3- NÃO no chassi solto.
6 e X3-7; - Reparar o chicote;
- Deverá ser negativo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e ECM
desconectado;
Verificar se o ECM pertence ao motor do
veículo; NÃO - Trocar o ECM;
- Apagar o código de falhas;
- O ECM deve ser compatível com o motor do
- Refazer o teste e liberar o veículo.
veículo.
- Está ok?

SIM

- ECM ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 268 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Falha no Autoteste no Motor 8248/11
Generalidades
Trata-se de ação interna ao ECM.

Causa
Falha no autoteste OCC da linha de transferência de dados do motor.
Descrição da Falha
O SPN 8248-11 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Falha no autoteste OCC da linha de transferência de dados do motor.
Estratégia
Ao reconhecer a falha no sensor, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 269
Códigos de Falhas

Roteiro para localização e Solução de Falhas

Página deixada em branco intencionalmente

D - 270 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
American Trucking Association (ATA) Data Link 8250/02
Generalidades
O ATA Data Link é um sinal de 0 ou 5V que habilita a comunicação serial entre o ECM e o
conector de diagnóstico do veículo.
O ECM comunica-se com o conector de diagnose através do conector do ATA Data Link.
O ATA Data Link usa um chicote elétrico composto de 2 fios entrelaçados. Em caso de reparos
no chicote Data Link, terá de ser mantido o entrelaçamento original. O chicote é composto de
duas fases, um dos fios é positivo e o outro é negativo. Jamais se deve inverter a posição dos
fios com risco de interromper a comunicação.
As seguintes funções estão ligadas através do ATA Data Link:
- Transmissão dos parâmetros do motor;
- Ajustes dos SPNs;
- Diagnóstico e apagamento de memória de erros;
- Execução e programação dos valores dos parâmetros;
- Programação de dados do veículo e do motor;
- Programação e calibração de estratégias internas ao IDM e ao ECM.
O ATA Data Link positivo interliga o terminal (X4-20 ECM) e (X3-28 IDM) ao pino 2 do conector
de diagnose. O ATA Data Link negativo interliga o terminal (X4-21 ECM) e (X3-29 IDM) ao pino
10, conector de diagnose.

Causa
Erro de comunicação ao acessar dados do ECM / IDM via ATA Data Link.
Descrição da Falha
O SPN 8250-2 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Dificuldade de acesso ao ECM ou IDM por meio da ferramenta VCO 950.
Estratégia
O aparecimento deste SPN não resulta em nenhuma estratégia pelo ECM.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 271
Códigos de Falhas
8250/02 American Trucking Association (ATA) Data Link

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico desconectado no lado ECM e lado
sensor; - Chicote rompido.
- Medir continuidade entre os terminais (X4-20 NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário;
e X4-21) e (X3-28 e X3-29) e o pino F e G do - Apagar o código de falhas;
conector de diagnose. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e chicote - Chicote em curto.
elétrico do IDM/ECM desconectado; NÃO - Reparar ou trocar o chicote, se necessário.
- Medir continuidade entre os terminais X4-20 - Apagar o código de falhas;
do ECM e X3-28 do IDM; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; NÃO - ECM / IDM com defeito.
- Com a ferramenta VCO 950 acessar - Reparar ou trocar ECM / IDM;
novamente a memória do ECM/ID; - Apagar o código de falhas;
- Deverá estar acessível. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Acesso realizado com sucesso.


- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 272 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Software do ECM e IDM Não-Compatíveis 8252/01
Generalidades
A comunicação entre os módulos IDM e ECM ocorre basicamente de 2 maneiras: através do
barramento CAN2 e do sinal dos sensores CKP e CMD.
Os módulos estão continuamente em comunicação, ambos compartilham as informações dos
sensores de rotação e fase do motor (CKP e CMP) para a determinação do cálculo de rotação
e controle de tempo de injeção.
O CAN2 é uma linha de comunicação serial entre o IDM e o ECM, que controla as estratégias
de operações, informação dos sensores e a configuração dos SPNs.
Caso ocorra falha no sensor CKP, CMD e CAN2, não será possível colocar o motor em
funcionamento.
A interligação dos módulos IDM e ECM ocorre através dos terminais: (X3-5 IDM CKP+ ao X1-
19 ECM), (X3-10 IDM CMP ao X1-24 ECM), (X3-30 IDM CAN2+ ao X2-6 ECM), (X3-31 IDM
CAN2- ao X2-13 ECM) e (X3-32 IDM CAN2 SD ao X2-12 ECM).

Causa
Software do ECM e do IDM não compatíveis.
Descrição da Falha
O SPN 8252-1 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Desacordo entre os softwares do ECM e do IDM.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará as seguintes estratégias:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada;
- Desabilitará o funcionamento do motor.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 273
Códigos de Falhas
8252/01 Software do ECM e IDM Não-Compatíveis

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico do IDM e ECM desconectados;
- Medir continuidade no chicote elétrico entre - Chicote interrompido (circuito aberto).
NÃO - Reparar ou trocar o chicote elétrico;
os módulos;
- Deve haver continuidade. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Com a chave de ignição desligada e chicote


elétrico do IDM, ECM, CMP e CKP
- Chicote em curto ao terra do veículo.
desconectados; NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade entre o chicote e o terra
- Apagar o código de falhas;
do veículo;
- Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição desligada e chicote
elétrico dos sensores CKP e CMD - Chicote em curto ao positivo da bateria.
desconectados; NÃO - Reparar ou trocar o chicote;
- Medir continuidade entre o chicote e o positivo - Apagar o código de falhas;
da bateria; - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Não deve haver continuidade.
- Está ok?

SIM

- Chicote elétrico ok.


- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico do ECM e IDM conectado; - ECM e IDM com defeito.
- Colocar o motor em funcionamento;
NÃO - Trocar os dois módulos;
- Verificar se o código do defeito persiste; - Apagar o código de falhas;
- Não deverá persistir. - Refazer o teste e liberar o veículo.
- Está ok?

SIM

- Módulos ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 274 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Erro na Parametrização do ECM / EFRC 8252/13
Generalidades
O ECM (Módulo de Controle Eletrônico) é o controlador do sistema eletrônico do veículo. Nele
constam os dados do motor, a configuração do software de gerenciamento e os dados das
memórias RAM e ROM. Para funcionar, é necessário ser alimentado com tensão de 24V e
aterramento apropriados.
O ECM é aterrado através dos terminais X3-6 e X3-7 e recebe 24V no terminal X3-3. Após
alimentado, o ECM gerencia o motor a partir dos sinais de entrada provenientes dos sensores,
e aplicando comandos através dos atuadores. No software do ECM constam os dados referentes
à sua parametrização de EFRC.

Causa
Erro na parametrização da ERFC/ECM.
Descrição da Falha
O SPN 8252-13 aparecerá sempre que ocorrer a condição abaixo:
- Erro na parametrização.
Estratégia
Ao reconhecer a falha, o ECM automaticamente adotará a seguinte estratégia:
- A luz de anomalia no painel de instrumentos será acionada.

Leia com atenção as recomendações da D-17


ATENÇÃO ATENÇÃO
MOTOR VWNGD-370 – 1ª edição 06/2008 ⇐=======⇒D - 275
Códigos de Falhas
8252/13 Erro na Parametrização do ECM / EFRC

Roteiro para localização e Solução de Falhas

- Com a chave de ignição ligada e chicote


elétrico conectado; - Verificar fusíveis F1 5A, F31 10A e F32 25A
- Medir a tensão de alimentação do ECM nos
NÃO do ECM;
terminais X3-3, X4-1 e X4-2; - Trocar os fusíveis do ECM;
- Deverá ter 24V. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Alimentação ok.
- Com a chave de ignição ligada e chicote
elétrico conectado; - Chicote rompido ou com parafusos de fixação
- Medir aterramento do ECM nos terminais X3- NÃO no chassi solto.
6 e X3-7; - Reparar o chicote;
- Deverá ser negativo. - Apagar o código de falhas;
- Está ok? - Refazer o teste e liberar o veículo.

SIM

- Chicote ok.
- Com a chave de ignição desligada e ECM
desconectado;
Verificar se o ECM pertence ao motor do NÃO - Trocar o ECM;
veículo; - Apagar o código de falhas;
- O ECM deve ser compatível com o motor do - Refazer o teste e liberar o veículo.
veículo.
- Está ok?

SIM

- ECM ok.
- Apagar o código de falhas;
- Refazer o teste e liberar o veículo.

D - 276 ⇐=======⇒ 1ª edição 06/2008 – MOTOR VWNGD-370


Códigos de Falhas
Valores de Parametrização 8253/00
Generalidades
O ECM (Módulo de Controle Eletrônico) é o controlador do sistema eletrônico do veículo. Nele
constam os dados do motor, a configuração do software de gerenciamento e os dados das
memórias RAM e ROM. Para funcionar, é necessário ser alimentado com tensão de 24V e
aterramento apropriados.
O ECM é aterrado através dos terminais X3-6 e X3-7 e recebe 24V no terminal X3-3. Após
alimentado, o ECM gerencia o motor a partir dos sinais de entrada provenientes dos sensores,
e aplicando comandos através dos atuadores. No software do ECM constam os dados referentes
à sua parametriza