Você está na página 1de 947

MANUAL

DE

DIAGNÓSTICO

S30FT, S35FT, S40FTS [E010]; H1.6FT, H1.8FT, H2.0FTS (H30FT, H35FT, H40FTS) [F001]; S2.0-3.5FT (S40-70FT, S55FTS) [F187]; S4.0, 5.0, 5.50FT ([S80, 100, 120FT]; S80, 100, 120FTBCS; S120FTPRS) [G004] H2.0-3.5FT (H40-70FT) [L177] H4.0FT5/FT6; H4.5FTS5, H4.5FT6; H5.0-5.5FT (H80, 90, 100, 110, 120FT) [N005]

NORMAS DE SEGURANÇA PROCEDIMENTOS DE DIAGNÓSTICOS

Ao elevar peças ou um conjunto montado certifique-se que o sistema de içamento, correntes e cabos estejam corretamente atados e que o item a ser elevado esteja balanceado.

Certifique-se que o dispositivo de elevação, cabos e correntes tenham capacidade para suportar o peso da carga.

Não remova manualmente peças pesadas, utilize um dispositivo de elevação.

Use óculos de segurança.

DESCONECTE O CONECTOR DA BATERIA antes de efetuar qualquer serviço de manutenção ou reparo nas empilhadeiras elétricas. Desconecte o negativo da bateria nas empilhadeiras a combustão.

Sempre utilize os blocos corretos evitando que a empilhadeira deslize ou caia. Veja no item COMO COLOCAR

A

EMPILHADEIRA SOBRE BLOCOS no Manual do Operador ou na seção de Manutenção Periódica.

Mantenha a unidade e a área de trabalho limpas e em ordem.

Utilize as ferramentas corretas para o serviço a ser efetuado.

Mantenha as ferramentas limpas e em bom estado.

Ao efetuar reparos ou manutenção sempre utilize peças aprovadas Hyster ® .As peças de substituição devem atender às especificações do fabricante original do equipamento.

Certifique-se que todas as porcas, parafusos, anéis-trava e outros instrumentos de conexão (ligação) tenham sido removidos antes de remover as peças.

Ao efetuar reparos, ou quando a empilhadeira necessitar manutenção, sempre coloque um aviso NÃO OPERE

A

EMPILHADEIRA.

Certifique-se de sempre seguir os avisos de ALERTA e CUIDADO presentes nas instruções.

Gasolina, GLP, Gás Natural e Diesel são inflamáveis. Certifique-se e siga corretamente os procedimentos de segurança ao utilizá-los e quando efetuar manutenção nos sistemas de combustível.

As baterias emitem gás inflamável ao serem recarregadas. Mantenha fogo e fagulhas à distância da área de trabalho. Certifique-se que o local esteja bem ventilado.

IMPORTANTE: Os símbolos e palavras abaixo referem-se a avisos de segurança contidos neste manual:

ALERTAreferem-se a avisos de segurança contidos neste manual: Indica uma condição que pode causar morte imediata

Indica uma condição que pode causar morte imediata ou lesões permanentes.

CUIDADOcondição que pode causar morte imediata ou lesões permanentes. Indica uma condição que pode causar lesões

Indica uma condição que pode causar lesões ou danos.

Manual de Diagnósticos

CONTEÚDO

Conteúdo

SEÇÃO 9010 - PROCEDIMENTOS DE DIAGNÓSTICO OPERACIONAL Grupo 05 - Verificações Operacionais

9010-05-1

SEÇÃO 9020 - MOTOR Grupo 10 - Princípios de Operação

9020-10-1

Grupo 30 - Sintomas Observados

9020-30-1

Grupo 40 - Testes e Ajustes

9020-40-1

SEÇÃO 9030 - SISTEMA ELÉTRICO Grupo 03 - Manutenção Geral e Dados de Diagnóstico

9030-03-1

Tabela do Código de Falha (DTC)

9030-03-6

Grupo 10 - Princípios de Operação

9030-10-1

Grupo 20 - Códigos de Falha

9030-20-1

Grupo 30 - Sinais Observados

9030-30-1

SEÇÃO 9040 - TREM DE POTÊNCIA Grupo 10 - Princípios de Operação

9040-10-1

Grupo 30 - Sintomas Observados

9040-30-1

Grupo 40 - Verificações e Ajustes

9040-40-1

SEÇÃO 9050 - SISTEMAS HIDRÁULICOS Grupo 10 - Princípios de Operação

9050-10-1

Grupo 30 - Sintomas Observados

9050-30-1

Grupo 40 - Verificações e Ajustes

9050-40-1

SEÇÃO 9060 - COMPARTIMENTO DO OPERADOR Grupo 10 - Princípios de Operação

9060-10-1

SEÇÃO 9070 - EQUIPAMENTO FRONTAL (TORRE) E CHASSI Grupo 10 - Princípios de Operação

9070-10-1

Grupo 30 - Sintomas Observados

9070-30-1

SEÇÃO 9080 - DADOS SUPLEMENTARES Grupo 50 - Abreviações e Acrônimos

9080-50-1

Grupo 60 - Listagem das Ferramentas Especiais

9080-60-1

Grupo 70 - Referência no Indicador do Modo de Falha

9080-70-1

Grupo 80 - Especificações do Fornecedor

9080-80-1

Este Manual Refere-se aos Seguintes Modelos de Empilhadeiras:

S30FT, S35FT, S40FTS [E010]; H1.6FT, H1.8FT, H2.0FTS (H30FT, H35FT, H40FTS) [F001]; S2.0-3.5FT (S40-70FT, S55FTS) [F187]; S4.0, 5.0, 5.50FT ([S80, 100, 120FT]; S80, 100, 120FTBCS; S120FTPRS) [G004] H2.0-3.5FT (H40-70FT) [L177] H4.0FT5/FT6; H4.5FTS5, H4.5FT6; H5.0-5.5FT (H80, 90, 100, 110, 120FT) [N005]

Como Utilizar Este Manual

Manual de Diagnósticos

Como Utilizar Este Manual de Diagnósticos

INSTRUÇÕES GERAIS E INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

ALERTAINSTRUÇÕES GERAIS E INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA NÃO ALTERE ou modifique as configurações originais da

NÃO ALTERE ou modifique as configurações originais da empilhadeira. Qualquer modificação que afete a segura operação do equipamento não poderá ser efetuada sem a expressa autorização da HYSTER.

Qualquer modificação efetuada na empilhadeira, nos pneus ou em seus equipamentos podem alterar a capacidade da máquina. A capacidade da máquina deve seguir a sua configuração original, e a plaqueta de identificação deverá especificar a nova capacidade.

ALERTAde identificação deverá especificar a nova capacidade. O técnico deve estar ciente e seguir todos os

O técnico deve estar ciente e seguir todos os procedi-

mentos de segurança conforme descrito no Manual do Operador e observar estas instruções nas etiquetas de segurança presentes nas partes externa e interna da empilhadeira.

Antes de operar a empilhadeira, o técnico deve estar familiarizado com algumas regras, requisitos e instru- ções dos procedimentos de diagnósticos. A correta observância dos procedimentos de diagnósticos ajudará o técnico a executar seu trabalho de forma segura evitando danos à empilhadeira e aos equipa- mentos de suporte.

COMO UTILIZAR O MANUAL DE DIAGNÓSTICO

O Formato Deste Manual:

Seções: Este Manual é dividido em nove seções, cada uma composta pelo sistema principal, área funcional ou operação específica na empilhadeira, conforme abaixo:

9010 - Procedimentos de Diagnóstico Operacional

9020 - Motor

9030 - Sistema Elétrico

9040 - Trem de Potência

9050 - Sistema Hidráulico

9060 - Compartimento do Operador

9070 - Equipamento Frontal (Torre) e Chassi

9080 - Dados Suplementares

Grupos: Quando aplicável, as seções deste manual são ainda subdivididas em grupos, de forma a identificar funções, critérios operacionais ou procedi- mentos de manutenção.

01 - Introdução ao Manual de Diagnóstico

03 - Manutenção Geral/Dados de Diagnóstico

05 - Verificações Operacionais

10 - Princípios de Operação

20 - Código de Falha (DTC)

30 - Sintomas Observados

40 - Verificações e Ajustes

Para os tipos de Códigos de Falha (DTC) veja capítulo Manutenção Geral e Dados de Diagnóstico, Código de Falha na página 9030-03-6.

IMPORTANTE: Nem todos os grupos serão tratados em todas as seções.

Dados Suplementares: A seção de Dados Suplemen- tares do manual contém informações e dados que se aplicam a diversas outras seções ou grupos, e encon- tra-se presente neste manual para ser consultada por todos os usuários. Esta inclui, mas não se limita a tratar dos seguintes dados:

Abreviações e Acrônimos

Listagem das Ferramentas Especiais

Referência no Indicador do Modo de Falha

Especificações do Fornecedor

Manual de Diagnósticos

INSTRUÇÕES GERAIS

1. Familiarize-se com o conteúdo, o formato, e as informações disponibilizadas contidas neste manual. Isto irá aumentar sua eficiência e reduzir o tempo dispendido na solução de problemas.

2. Refira-se a todas as seções deste manual para as informações necessárias sobre o sistemaem questão.

3. Uma vez iniciado o procedimento de diagnóstico, não pule etapas.

4. Caso você termine um procedimento sem solucionar o problema e não seja direcionado para um outro pro- cedimento, contacte o Serviço de Engenharia Local através do Sistema de Administração de Contatos.

5. Não meça esforço pessoal e lembre-se de fazer uso de sua experiência e conhecimentos na solução de problemas, mas sem comprometer a segurança na tarefa executada.

6. A maioria das referências cruzadas serão relacio- nadas eletronicamente para um rápido e fácil aces- so. Utilize o mecanismo de link sempre que o cursor oferecer esta opção de link.

Como exemplo desta opção de link:

Como Utilizar Este Manual

Assuma que durante um procedimento ou teste, seja ne- cessário referir-se a uma outra seção no manual. Neste caso, a verificação do circuito das luzes, na seção Verifica- ções Operacionais deste manual. A instrução será:

“verifique” ou “veja” seguido do texto identificando a refe- rência (para instruções impressas, uso manual). Quando

o cursor for posicionado em cima do texto ele irá indicar esta referência, e um click à esquerda do cursor irá redirecioná-lo diretamente à referência em questão.

Tente fazer este procedimento com base no processo

abaixo:

Refira-se ao Verificações Operacionais, Verificação dos Circuito das Luzes, página 9010-05-2.

Uma vez revisado o documento de referência ou manual,

e caso seja necessário retornar para aos Procedimentos

de Diagnóstico, o botão “VOLTAR” possibilitará este retorno.

SEÇÃO 9010 PROCEDIMENTOS DE DIAGNÓSTICOS OPERACIONAIS

CONTEÚDO

Grupo 05 - Verificações operacionais Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

9010-05-1

Verificação do Código de Falha (DTC)

9010-05-2

Verificação do Circuito da Buzina

9010-05-2

Verificação do Circuito das Luzes

9010-05-2

Verificação do Limpador de Pára-Brisa (caso equipado)

9010-05-2

Verificação do Sistema de Aquecimento (caso equipado)

9010-05-3

Verificação da Luz do Teto (caso equipado)

9010-05-3

Verificação do Ventilador (acessório, caso equipado)

9010-05-3

Verificação do Acionamento das Luzes Indicadoras

9010-05-4

Verificação da Presença do Operador no Assento

9010-05-5

Verificação do Indicador Problema no Motor

9010-05-5

Verificação de Partida a Frio (Motores Diesel Yanmar e Cummins)

9010-05-5

Verificação do Pedal do Freio

9010-05-6

Verificação do Alarme de Marcha a Ré (caso equipado)

9010-05-6

Verificação da Trava de Segurança Hidráulica do Apoio do Braço (caso equipado)

9010-05-6

Verificação do Sensor da Trava da Tampa do Motor (caso equipado)

9010-05-7

Verificação do Pedal do Freio e Inching

9010-05-7

Verificação do Sensor do Freio de Estacionamento

9010-05-7

Verificação do Freio de Estacionamento

9010-05-8

Verificação da Limitação de Rolagem da Transmissão (Apenas na Transmissão Duramatch TM )

9010-05-8

Verificação da Rotação do Motor

9010-05-8

Verificação da Potência do Motor

9010-05-9

Verificação do Conjunto de Embreagens da Transmissão

9010-05-9

Verificação da Transmissão

9010-05-10

Verificação da Alavanca da Velocidade da Transmissão (caso equipado)

9010-05-10

Verificação do Arraste do Freio e Eixo

9010-05-10

Verificação do Fluxo da Bomba Hidráulica

9010-05-11

Verificação da Válvula Divisora de Fluxos Prioritários

9010-05-11

Verificação da Válvula de Alívio da Direção - Baixa Pressão

9010-05-12

Verificação da Válvula de Alívio da Direção - Alta Pressão

9010-05-12

Verificação da Válvula de Controle da Válvula de Retenção de Carga (Válvula Manual)

9010-05-12

Verificação da Função de Inclinação da Válvula de Inclinação

9010-05-13

Verificação do Deslizamento da Função de Elevação

9010-05-13

Verificação do Deslizamento da Função de Inclinação

9010-05-14

Verificação do Amortecedor da Torre (todos tipos exceto torre 2-estágios)

9010-05-14

Verificação dos Ajustes das Funções Elevação/Inclinação da Torre

9010-05-14

Verificação do Grau de Inclinação

9010-05-15

Verificação do Ajustes da Corrente e Base da Mangueira

9010-05-15

Verificação da Montagem (Instalação) da Torre

9010-05-16

Verificação das Vigas da Torre

9010-05-16

Verificação do Ajuste do Carro-Suporte (Deslocador)

9010-05-17

Verificação da Roldana da Corrente

9010-05-17

Verificação da Parada do Carro-Suporte

9010-05-17

9010-1

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Verificações Operacionais

Grupo 05 Verificações Operacionais

Estes procedimentos foram estabelecidos de forma a possibilitar que os técnicos de manutenção possam efetuar uma verificação rápida a respeito da operação da máquina a partir do assento do operador.

da operação da máquina a partir do assento do operador. ALERTA Leia os avisos de ALERTA

ALERTA

Leia os avisos de ALERTA antes de efetuar os proce- dimentos de verificação.

ALERTAALERTA antes de efetuar os proce- dimentos de verificação. USE O CINTO DE SEGURANÇA antes de

USE O CINTO DE SEGURANÇA antes de operar a empilhadeira.

USE O CINTO DE SEGURANÇA antes de operar a empilhadeira. ALERTA Existem uma série de operações

ALERTA

Existem uma série de operações que, caso não sejam efetuadas com cuidado, poderão causar o tombamento da empilhadeira. Caso não tenha lido a página de avisos de ALERTA no início do Manual do Operador, faça-o AGORA. Enquanto estudar as informações a seguir a respeito de como operar adequadamente uma empilhadeira, lembre-se dos avisos de ALERTA.

uma empilhadeira, lembre-se dos avisos de ALERTA. ALERTA As torres são pesadas e podem se mover.

ALERTA

As torres são pesadas e podem se mover. As distân- cias entre as partes móveis são pequenas. Ferimentos graves ou morte podem ocorrer caso parte do corpo seja atingida por peças da torre ou carro- suporte.

Nunca mantenha partes do seu corpo dentro ou sob a torre ou carro-suporte, ao menos que os garfos estejam completamente abaixados ou que uma corrente de segurança tenha sido insalada. Certifique-se também que o motor da empilhadeira esteja desligado e que a chave de contato tenha sido removida. Coloque no compartimento do operador um aviso de “NÃO OPERAR”.

Mantenha-se distante dos garfos. Quando a torre estiver elevada os garfos podem estar em uma posição possível de causar ferimentos.

NÃO tente subir na torre ou na empilhadeira diretamente. Utilize uma escada ou plataforma de segurança para efetuar manutenções na torre.

NÃO utilize blocos para apoiar as partes móveis da torre, nem para restringir seus movimentos.

Reparos na torre exige o desmonte e remoção de peças, e pode ser necessário a remoção da própria torre ou carro-suporte. Siga os procedimentos de manutenção e reparos da torreconforme Manual de Manutenção.

É necessário espaço suficiente para operar e efetuar verificações na empilhadeira. Algumas verificações exigem que tanto o motor, quanto outros importantes componentes da máquina, estejam na temperatura de operação.

da máquina, estejam na temperatura de operação. Antes de efetuar as Verificações Operacionais verifique a

Antes de efetuar as Verificações Operacionais verifique a INSPEÇÃO PRÉ-OPERAÇÃO no Manual do Operador.

a INSPEÇÃO PRÉ-OPERAÇÃO no Manual do Operador. Antes de iniciar as Verificações Operacionais fale com o

Antes de iniciar as Verificações Operacionais fale com o operador da máquina e verifique o Código de Falha (DTC) através do Painel de Instrumentos (DSC). Veja o item Manutenção Geral/Dados de Diagnóstico, Diretrizes e Procedimentos de Diagnóstico na página 9030-03-1. Todos os problemas devem ser solucionados e os códigos de falhas eliminados antes do início das verificações.

Não há necessidade de ferramentas especiais ou relógio indicador. Inicie a seqüência sempre pelo lado esquerdo até o direito. Antes de fetuar cada teste, leia-o atentamente.

9010-05-1

Verificações Operacionais

Ao término de cada teste, uma pergunta será feita:

Caso a resposta indique que a verificação está OK, você será instruído a passar para o próximo teste.

Caso a resposta indique que a verificação não está OK, você receberá uma instrução conforme o Manual de Serviços ou ser direcionado a efetuar um teste.

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Quando um problema for encontrado, interrompa as verificações operacionais, e efetue o reparo antes de passar para o próximo teste. Repita o teste após o reparo, e confirme sua efetivação antes de dar continuidade aos próximos testes.

VERIFICAÇÃO

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação do Código de Falha (DTC)

1. Gire a chave de contato para a posição ligada, ou pressione o botão ligar/desligar.

SIM: Consulte Código de Falha, página 9030-20-1.

2. Verifique no Painel de Instrumentos algum Código de Falha (DTC). Veja na Manutenção Geral e Dados de Diagnóstico, o Código de Falha, página 9030-03-6.

NÃO: DTC’s estão OK. Proceda com a próxima verificação.

 

Há algum DTC apresentado no visor?

Verificação do Circuito da Buzina

 

SIM: A buzina está OK. Proceda com a próxima verificação.

Acione a buzina. A Buzina emite algum som?

NÃO: Consulte Código de Falha, página 9030-20-1.

Verificação do Circuito das Luzes

1. Gire a chave de contato para a posição ligada ou pressione o botão ligar/desligar.

SIM: As luzes estão OK. Proceda com a próxima verificação.

2. Acione o interruptor dos faróis dianteiros e traseiros para a posição ligada.

NÃO: Verifique o fusível. Caso esteja OK, verifique o Painel de Instrumentos e certifique se os faróis estão ligados.Verifique as lâmpadas, veja “Funções Elétricas Não Funcionam”.

Os faróis foram ligados?

Verificação do Limpador do Pára-Brisa (caso equipado)

IMPORTANTE: Não acione os limpadores de pára- brisa quando o pára-brisa estiver seco. Sujeira e partículas sólidas podem riscar o vidro. Caso o pára- brisa esteja seco, acione o lavador do vidro antes de efetuar as verificações nas palhetas, ou levante-as do vidro colocando-as na posição travada.

SIM: A função de lavagem dos pára-brisas está OK. Dê conti- nuidade a este procedimento.

NÃO: Verifique nível de fluído no reservatório de lavagem do pára-brisa. Consulte os Pro- cedimentos de Diagnósticos para o Número Indicativo do Tipo de Falha, SPN 524240. Veja Manutenção Geral e Dados de Diagnóstico (9030-03-1) para o Gráfico do Código de Falha.

SIM: O funcionamento dos limpadores está OK. Dê conti- nuidade a este procedimento.

1.

Gire a chave de contato para a posição ligada, ou pressione o botão ligar/desligar.

2. Aperte o botão para acionar o lavador.

A

água flui continuamente nos pára-brisas dianteiro

e

traseiro?

Continue:

3.

Terminado o ciclo de operação da lavagem, levante as palhetas dos pára-brisas dianteiros e traseiros colocando-as na posição travada. Acione os limpadores dianteiros e traseiros através dos botões no Painel de Intrumentos.

Os limpadores dianteiros e traseiros funcionam

NÃO: Consulte os Procedi- mentos de Diagnósticos para o Número Indicativo do Tipo de Falha, SPN 524237 ou 524238. Veja Manutenção Geral e Dados de Diagnóstico (9030-03-1) para o Gráfico do Código de Falha.

normalmente?

9010-05-2

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Verificações Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

AÇÃO

 

Continue:

SIM: O temporizador do limpador dianteiro funciona adequadamente. Deslique os limpadores dianteiros. Dê continuidade a este procedimento.

4. Com os limpadores do pára-brisa operando, pressione e segure o botão de acionamento do limpador dianteiro por mais de 1 segundo.

5. No Painel de Instrumentos, utilize o botão de rolagem para cima, e ajuste o temporizador do limpador dianteiro para 10 segundos (de 5 a 6 níveis mostrados no visor).

NÃO: Consulte os Procedimentos de Diagnósticos para o Númu- ro Indicativo do Tipo de Falha, SPN 524237 ou 524238. Veja Manutenção Geral e Dados de

Diagnóstico (9030-03-1) para o Gráfico do Código de Falha.

Os limpadores dianteiros operam agora com intervalos de aproximadamente 10 segundos?

Continue:

SIM: O sistema do limpador fucio- na adequadamente. Desligue os limpadores, e caso estejam na posição travada, retorne-os à posição original. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Consulte os Procedimentos de Diagnósticos para o Núme- ro Indicativo do Tipo de Falha, SPN 524237 ou 524238. Veja Manutenção Geral e Dados de Diagnós-tico (9030-03-1) para o Gráfico do Código de Falha.

6. Com os limpadores do pára-brisa operando, pressione e segure o botão de acionamento do limpador traseiro por mais de 1 segundo.

7. No Painel de Instrumentos, utilize o botão de rolagem para cima, e ajuste o temporizador do limpador traseiro para 10 segundos (de 5 a 6 níveis mostrados no visor).

Os limpadores traseiros operam agora com intervalos de aproximadamente 10 segundos?

Verificação do

1. Gire a chave de contato para a posição ligada, ou pressione o botão ligar/desligar.

2. Verifique se os dutos de ar à direita da porta da cabine estão abertos.

SIM: A função ar quente está OK. Ajuste o botão do ventilador do aquecedor para a posição dese- jada. Dê continuidade a este procedimento.

NÃO: Consulte Sinais Observados, Fluxo de Ar do Aquecedor Não Atinge Temperatura Desejada.

Sistema de

Aquecimento

(caso equipado)

3. Acione o ventilador do aquecedor selecionando, através do botão, uma das três velocidades dis- poníveis.

A velocidade do ventilador aumenta para cada

uma das três posições, e a velocidade do fluxo

 

de ar aumenta como consequência?

IMPORTANTE: Caso o motor esteja na temperatura padrão de operação, continue até o Passo 4. Caso

o

motor esteja frio, espere até que o mesmo atinja

sua temperatura padrão de operação então, continue até

o

Passo 4.

Continue:

4.

Gire o controle de temperatura do aquecedor no sentido anti-horário para a posição de calor máximo.

O ar quente flui através dos dutos do aquecedor?

Verificação da Luz do Teto (Caso equipado)

1.

Acenda a luz do teto do compartimento do operador.

luz do teto funciona?

SIM: O funcionamento

luz do teto

A

está OK. Proceda com a próxima verificação.

   

NÃO: Consulte Sinais Observados, Luz do Teto Não Funciona.

Verificação do

1.

Acione o botão do ventilador

SIM: O funcionamento do ventilador

Ventilador

O

ventilador funciona?

(Acessório, caso

equipado)

 

está OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Consulte Sinais Observados, Ventilador (Acessório, caso equipado) não Funciona

9010-05-3

Verificações Operacionais

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

VERIFICAÇÃO

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação do

Verificação do SIM : O acionamento do visor está OK. Dê continuidade a este procedimento.

SIM: O acionamento do visor está OK. Dê continuidade a este procedimento.

Acionamento das

Luzes Indicadoras

NÃO: Verifique fusível F8 no Módulo de Distribuição de Potência (PDM). Caso o fusível esteja OK, o Gerenciador do Sistema Veicular (VSM) está sem potência. Veja Sinais Observados, A Empilhadeira Não Liga na página 9030-30-22. Caso alguma das luzes não acenda, substitua o Painel de Instrumentos.

A. Visor de Cristal Líquido (LCD)

B. Luzes de Alerta e Indicadores

1. Sinal à Esquerda

2. Problema no Sistema

3. Problema no Motor

4. Restrição no Filtro de Ar

5. Alternador

6. Temperatura do Óleo da Transmissão

7. Sinal à Direita

8. Pressão do Óleo do Motor

9. Nível do Líquido de Arrefecimento

10. Seleção de 1 a . Marcha

11. Nível do Combustível

12. Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor

13. Freio de Estacionamento

14. Nível do Fluído de Freio

15. Aviso do Cinto de Segurança

16. Indicador de Mudança de Direção

Gire a chave de contato para a posição ligada, ou pressione o botão ligar/desligar com o freio de estacionamento ativado.

As seguintes luzes de alerta e indicadores se acendem?

Alternador (5), Pressão do Óleo do Motor (8), Freio de Estacionamento (13), Aviso do Cinto de Segurança (15), Indicador de Mudança de Direção

SIM: O visor do Painel de Instrumentos está OK.

(16).

NÃO: Substitua o visor.

IMPORTANTE: A luz indicadora de aviso do cinto de segurança apagar-se-á após 10 segundos.

Continuando:

Os itens a seguir aparecem no visor (A) do Painel de Instrumentos?

Relógio e Horímetro

9010-05-4

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Verificações Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação da Presença do Operador no Assento

IMPORTANTE: Este procedimento requer Senha de Serviço.

SIM: Dê continuidade a este procedimento.

IMPORTANTE: O sensor de presença do operador requer um peso mínimo de 45,4Kg (100 lb) para ser acionado.

NÃO: Verifique o Painel de Ins- trumentos para o Código de Falha SPN 524245 e o diagnós- tico para cada procedimento. Veja Manutenção Geral, Dados de Diagnóstico, Código de Fa- lha, página 9030-03-6.

 

1.

Sentado no assento do operador, dê a partida no motor.

2.

No Painel de Instrumentos, entre no Menu Principal e proceda com a rolagem para a opção de Diagnósticos, tecle Botão “Enter”, proceda com a rolagem até Visor Dados Gerais.

3.

Proceda com a rolagem até que o sensor do assento do operador apareça no visor. Leia a mensagem.

 

O

visor mostra uma voltagem de 4,0 volts ou menor?

Continuando:

SIM: O sensor do assento do

Posicionado fora da máquina, dê a partida no motor.

visor mostra uma voltagem de 4,0 volts ou maior?

IMPORTANTE: ANTES DE INICIAR A PRÓXIMA VERIFICAÇÃO, RETORNE AO ASSENTO E COLOQUE O CINTO DE SEGURANÇA.

O

operador está OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: O sensor do assento do operador apresentou falha.

Substitua o sensor. Veja Sistema Elétrico 2200 SRM

1142.

Verificação do Indicador Problema no Motor

1. Dê a partida no motor e acelere até atingir rotação governada por 5 segundos.

SIM: Proceda com a manu- tenção do problema no motor. Proceda com a Manutenção Geral, Dados de Diagnóstico, Código de Falha, página

9030-03-6.

2. Desacelere o motor até marcha lenta.

 

3. Verifique no Painel de Instrumentos luzes indicadoras de alerta do motor.

Alguma das luzes de alerta do motor estão acesas?

NÃO: Luzes indicadoras estão OK. Proceda com a próxima verificação.

Verificação de Partida a Frio (Motores Diesel Yanmar e Cummins)

IMPORTANTE:

O circuito de partida a frio deve ser

SIM: Proceda com a próxima verificação.

verificado com o motor frio.

Gire a chave de contato para a posição ligada, ou pressione o botão ligar/desligar.

NÃO: Dê continuidade a este procedimento.

 

O

Indicador de Partida a Frio acende?

Continuando:

SIM: Motor encontra-se em temperatura suficiente para não exigir auxílio da Partida a Frio.

Gire a chave de contato para a posição Partida ou pressione o botão Partida.

O

motor funciona normalmente?

NÃO: Verifique o Painel de Instrumentos para SPN 524195 e o diagnóstico para cada procedimento. Se o Código de Falha não aparecer no visor, contacte a Manutenção Autorizada a fim de verificar o circuito de partida a frio.

9010-05-5

Verificações Operacionais

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

VERIFICAÇÃO

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação do Pedal do Freio

1. Com o motor em marcha lenta, solte os freios de estacionamento.

1. Com o motor em marcha lenta, solte os freios de estacionamento.

SIM: Os ajustes do freios estão OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Ajuste os freios. Veja “Sistema de Freios”. Para as empilhadeiras de 1 – 3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumá- ticos. Para as empilhadeiras de 4 – 5,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, veja Sistema de Freio 1800 SRM 1247.

2. Pressione para baixo e segure o pedal do freio com uma força aproximada de 45,4kg (100lb).

3. Meça a distância do pedal do freio ao piso da empilhadeira conforme ilustração acima (medição efetuada da parte inferior do pedal do freio ao piso).

IMPORTANTE: Normalmente nas empilhadeiras equipadas com o pedal Monotrol® a velocidade do motor será aumentada com a liberação do freio de estacionamento.

O pedal do freio ficou ao menos a 25mm (1 pol.) do piso?

Verificação do Alarme de Marcha a Ré

1. Com o motor em funcionamento, acione o freio de estacionamento.

SIM: O alarme de ré está OK. Proceda com a próxima verificação.

2. Solte o freio de estacionamento.

 

3. Mude a transmissão para marcha a ré.

NÃO: Verifique primeiramente a fiação. Caso as conexões estejam OK, verifique Painel de Instrumentos para SPN 522755 e o diagnóstico para cada procedimento. Veja Manutenção Geral, Dados de Diagnóstico, Código de Falha, Página 9030-03-6.

O alarme sonoro disparou?

Verificação da Trava de Segurança Hidráulica do Apoio do Braço (caso equipado)

1. Com o motor em funcionamento e sentado no assento do operador, levante o apoio de braço.

SIM: Inspecione o interruptor e a fiação. Veja Sinais Observados, Funções Eletro-Hidráulicas Funcionam com Apoio do Braço do Assento do Operador Elevado Página 9030-30-19.

2. Tente efetuar alguma das funções hidráulicas (com o apoio levantado).

 

As funções hidráulicas funcionam com o apoio de braço levantado?

NÃO: O interruptor está OK. Proceda com a próxima verificação.

9010-05-6

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Verificações Operacionais

VERIFICAÇÃO

PROCEDIMENTO

 

AÇÃO

Verificação do Sensor da Trava da Tampa do Motor (caso equipado)

1. Acione o freio de estacionamento.

SIM:

O

sensor

está

OK.

2. Com o motor em funcionamento, destrave a tampa do motor e levante o capô.

Proceda

com

a

próxima

verificação.

 
 

O motor pára?

NÃO: Verifique no Painel de Instrumentos se o Sensor da Trava da Tampa do Motor está acionado no Gerenciador do Sistema Veicular (VSM). Caso a Trava da Tampa do Motor esteja acionada, veja Sinais Observados, Motor Continua a Operar Mesmo com o Capô do Compartimento do Motor Levan- tado, Página 9030-30-1.

Verificação do Pedal do Freio e Inching

1. Com o motor em funcionamento pressione totalmente o pedal do Inching.

SIM: A função Inching está OK. Proceda com a próxima verificação.

2. Solte o freio de estacionamento.

 

3. Mude de sentido de direção para a frente e acelere para rotação governada.

NÃO: Calibre o pedal do Inching através do Painel de Instrumentos ou instale uma Ferramenta PC (PC Service Tool). Veja Procedimentos de Calibração 8000 SRM 1134.

IMPORTANTE: Não há um procedimento operacional padrão para a função Inching, exceto de que a transmissão deva ser desengatada. O Inching pode ser ajustado pelo Painel de Instrumentos de acordo com a preferência do operador para as aplicações às quais a máquina se destina.

O motor atinge gradualmente a rotação governada?

 

Verificação do

 

SIM: O freio de estaciona-

Sensor do Freio de Estacionamento

1. Com o motor em funcionamento, solte o freio de estacionamento.

2. Lentamente aplique o freio de estacionamento e verifique o acionamento da Luz de aviso do freio de estacionamento.

A luz de aviso se acende antes da alavanca do freio

mento está OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Ajuste o sensor do freio de estacionamento. Veja Sistema de Freio 1800 SRM 1135. Para as empilhadeiras de 1 – 3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos. Para as empilhadeiras de 4 – 5,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumá- ticos, veja Sistema de Freio 1800 SRM 1247.

de estacionamento efetuar o primeiro “click” de

engrenamento?

9010-05-7

Verificações Operacionais

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

VERIFICAÇÃO

PROCEDIMENTO

 

AÇÃO

Verificação do Freio de Estacionamento

ALERTA
ALERTA
ALERTA

SIM: O freio de estacio- namento está OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Ajuste o freio de esta- cionamento. Veja Sistema de Freio 1800 SRM 1135. Para as empilhadeiras de 1 – 3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumá- ticos. Para as empilhadeiras de 4 – 5,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, veja Sistema de Freio 1800 SRM

1247.

Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre for inclinada totalmente para a frente.

1. Pare a empilhadeira com sua carga nominal em um plano inclinado para cima com 15% de graduação ou menos, e note se a máquina mantém-se estática.

 

2. Desligue o motor e note se a máquina mantém-se estática.

3. Ligue o motor e remova a carga nominal.

4. Pare a empilhadeira em um plano inclinado para baixo com 15% de graduação ou menos, e note se

máquina mantém-se estática. Aplique o freio de estacionamento.

a

5. Desligue o motor e verifique se a empilhadeira mantém-se estática.

A empilhadeira mantém-se estática nos planos inclinados em ambas as direções?

Verificação da Limitação de Rolagem da Transmissão (Apenas na

Transmissão Duramatch TM )

1. Dirija a empilhadeira em um plano inclinado com 15%

SIM: A função limitação de

de

graduação ou menos para frente.

2. Pare a empilhadeira selecionada a função movimento para frente em marcha lenta.

3. Solte o pedal dos freios e o freio de estacionamento.

IMPORTANTE: A empilhadeira terá seu movimento de rolagem limitado para menos de 10%. A empilhadeira efetua movimento de rolagem limitado para menos de 10%. A empilhadeira efetua movimento de rolagem no plano inclinado a uma taxa controlada de 76 mm (3,0 pol) por segundo?

rolagem está OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Verifique a calibração da transmissão (TRANS) no Painel de Instrumentos (DSC) ou instale uma Ferramenta PC (PC Service Tool). Veja Proce- dimentos de Calibração 8000 SRM 1134.

Verificação da Rotação do Motor

1. No Painel de Instrumentos (DSC) proceda com a rolagem até ROT. MOTOR (RPM).

SIM: A rotação do motor está OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Ajuste a rotação do motor.

2. Mantenha o motor na marcha lenta. Marque as rotações por minuto.

3.

Mantenha o motor em rotação governada. Marque as rotações por minuto (RPM).

Veja

Procedimentos

de

Calibração 8000 SRM 1134.

As rotações do motor (RPM) encontram-se nas especificações abaixo?

Marcha lenta 800 + ou - 25 RPM

Rotação governada 2.700 + ou - 25 RPM

9010-05-8

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Verificações Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação da Potência do Motor

1.

Certifique-se que a transmissão e o motor da empilhadeira encontram-se em temperatura de operação de 66 O C (150 O F)

SIM: A potência do motor está OK. Proceda com a próxima ve- rificação.

ALERTA

ALERTA

NÃO: A fim de diagnosticar esta falha verifique Verificações e Ajustes, Teste stall do Conversor de Torque, página 9040-40-4.

Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre for inclinada totalmente para a frente.

2. Coloque a carga nominal de forma segura nos garfos da empilhadeira.

 

3. Encoste os garfos contra um objeto imóvel, como uma mureta de concreto.

4. No Painel de Instrumentos (DSC) proceda com a rolagem até mostrar ROT. MOTOR (RPM).

5. Selecione a função movimento para a frente e mantenha o motor em rotação governada. Marque

 

a

rotação máxima por minuto (rpm) atingida com a

transmissão engatada no período de 10 segundos, depois marque a rotação máxima por minuto (rpm) atingida com a transmissão desengatada após 10 segundos. Repita este procedimento três vezes para coletar os melhores resultados.

A rotação mínima do motor está dentro destas

especificações? Para as especificações das rotações

mínimas dos motores vide tabela 9040-40-4, Página

9040-40-4

IMPORTANTE: Caso a rotação do motor esteja baixa, verifique se a luz indicadora de restrição no filtro de ar está acesa. Um filtro de ar bloqueado baixará rotações mínimas.

Verificação do Conjunto de Embreagens da Transmissão

ALERTA Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre

ALERTA

Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre for inclinada totalmente para a frente.

SIM: O conjunto de embrea- gens da transmissão não está patinando. Proceda com a pró- xima verificação.

NÃO: O conjunto de embrea- gens da transmissão está pa- tinando. Veja Verificações e Ajustes, Verificação do Arraste de Embreagens da Transmis- são, Página 9040-40-3.

1.

Coloque a carga nominal de forma segura nos garfos da empilhadeira.

2.

Posicione os garfos contra um objeto imóvel, como uma mureta de concreto.

3.

Certifique-se que a transmissão e o motor da empilhadeira encontram-se em temperatura de operação.

 

4.

No Painel de Instrumentos (DSC) proceda com a rolagem até mostrar o Sensor de Rotação de Entrada da Transmissão (TISS) rpm.

5.

Coloque o conversor de torque em stall em marcha

frente na velocidade máxima governada e note as rpm mínima após 10 segundos.

à

6.

Vire a empilhadeira para direção oposta.

7.

Coloque o conversor de torque em stall em marcha

ré na velocidade máxima governada e note as rpm mínima após 10 segundos.

a

O

Sensor de Rotação de Entrada da Transmissão

(TISS) mede zero rpm em ambas as direções?

9010-05-9

Verificações Operacionais

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação da

IMPORTANTE: Certifique-se que a área esteja livre para

SIM: A frenagem através do conjunto de embreagens está OK. Proceda com a próxima verificação.

Transmissão

a execução deste teste.

1. Conduza a empilhadeira em rotação governada por uma curta distância.

2. Desacelere e mude o sentido de direção. Observe as mudanças na direção que a empilhadeira executa.

NÃO: Instale uma Ferramenta PC (PC Service Tool). Veja Procedimentos de Calibração 8000 SRM 1134.

3. Repita os procedimentos acima por 3 vezes e observe as rotações (rpm) do motor e a aderência do pneu na mudança de direção.

A empilhadeira executa suaves mudanças de direção sem execessivo atraso ou exigir do motor?

 

Verificação da Alavanca da Velocidade da Transmissão (caso equipado)

IMPORTANTE: Certifique-se que a área esteja livre para

SIM: A velocidade do Sensor De Rotação De Saída (TOSS) está OK. Proceda com a próxima verificação.

a execução deste teste.

1. Verifique no Painel de Instrumentos (DSC) se a luz indicadora de Seleção de 1 a Marcha está desligada.

 

2. Veja no menu de Diagnósticos no DSC e selecione a velocidade em kmh ou mph.

NÃO: Verifique o Selecionador de 1 a Marcha. Veja Sinais Obser- vados, ATransmissão Não Muda Para À Frente Alta, Página 9040-

30-33

3. Conduza a empilhadeira em direção à frente e aumente a velocidade até que a transmissão mude para alta velocidade.

A empilhadeira executa mudança de marcha para a

 

marcha alta a mais de 8km/h (5 mph)?

Verificação do Arraste do Freio e Eixo

IMPORTANTE: Direcione a empilhadeira para um local com superfície plana antes de executar os próximos passos.

SIM: Efetue o reparo dos freios. Veja Sistema de Freio 1800 SRM 1135. Para as empilhadeiras de 1 – 3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos. Para as empilhadeiras de 4 – 5,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumá-ticos, veja Sistema de Freio 1800 SRM 1247. NÃO: Os freios estão OK. Proceda com a próxima verificação. SIM: O eixo está OK. Reajuste o freio de estacionamento. Proceda com a próxima verificação. NÃO: Para as empilhadeiras de 1 – 3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Sistema de Freio 1800 SRM 1135. Para as empilhadeiras de 4 – 5,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, veja Sistema de Freio 1800 SRM 1247. Caso a roda oposta não esteja girando, há defeito no diferencial. Remova a capa do diferencial e inspecione-o. Para as empilhadeiras de 1 – 2 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Eixo de Tração e Reparo do Conjunto Diferencial 1400 SRM 1206. Para as empilhadeiras de 2 – 3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) veja Eixo de Tração e Reparo do Conjunto Diferencial 1400 SRM 1132. Para as empilhadeiras de 2 – 3,5 ton com pneus pneumáticos veja Eixo de Tração e Reparo do Conjunto Diferencial (Freio Convencional) 1400 SRM 1214 ou Reparo do Eixo de Tração (Freio em Banho de Óleo) 1400 SRM 1215.

1. Eleve a empilhadeira até que as rodas dianteiras estejam fora do solo. Mantenha-a nesta posição conforme procedimento adequado. (Veja “Como Elevar as Rodas Dianteiras” no Manual do Operador).

2. Desligue o motor e solte o freio de estacionamento.

3. Execute ajuste da alavanca manual do freio de estacionamento.

4. Verifique o deslizamento dos freios.

Há deslizamento dos freios da empilhadeira?

Continuando:

Gire um dos pneus manualmente.

O

pneu gira com velocidade moderada enquanto que

o

outro gira em direção contrária?

9010-05-10

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Verificações Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação do Fluxo da Bomba Hidráulica

Verificação do Fluxo da Bomba Hidráulica ALERTA SIM : A vazão da Bomba Hi-

ALERTA

SIM: A vazão da Bomba Hi-

 

Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre for inclinada totalmente para a frente.

1. Coloque carga nominal de segurança nos garfos da empilhadeira.

dráulica está OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Se a carga se eleva apenas com rotação gover- nada, a vazão da bomba está baixa. Veja Verificações e Ajustes, Verificação do Fluxo da Bomba Hidráulica, página

2. Com o motor em funcionamento em marcha lenta, eleve os garfos a aproximadamente 1 m (3 pés) do piso.

9050-40-6.

A carga se eleva em marcha lenta?

Verificação da Válvula Divisora de Fluxos Prioritários

IMPORTANTE: Observe o movimento da moldura lateral do carro-suporte conforme figura (1) durante as duas seguintes operações:

SIM: Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Se não tiver direção, a

 
  Válvula Divisora de Fluxos está travada. Remova-a, limpe e inspecione. Veja Válvula de Controle Principal

Válvula Divisora de Fluxos está travada. Remova-a, limpe e inspecione. Veja Válvula de Controle Principal 2000 SRM

1137.

1.

Com o motor em funcionamento em marcha lenta, gire o volante até o batente à direita e de volta ao batente à esquerda enquanto a carga é elevada.

A velocidade de elevação do carro-suporte diminui enquanto efetua o movimento do volante?

Continuando:

2.

Solte o volante de direção.

A velocidade de elevação do carro-suporte au- menta enquanto não há movimento do volante?

SIM: A Válvula Divisora de Fluxos está OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Inspecione e limpe a Válvula Divisora de Fluxos Prioritários da direção. Veja manutenção na Unidade de Controle de Direção (SCU), Bomba Hidráulica de Engrenagens 1900 SRM 1136.

9010-05-11

Verificações Operacionais

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

 

AÇÃO

Verificação da Válvula de Alívio da Direção - Baixa Pressão

1. Com o motor em funcionamento em marcha lenta.

SIM: A pressão de alívio está OK.

2. Posicione as rodas do eixo de direção de forma centralizada para iniciar a verificação.

Proceda

com

a

próxima

verificação.

 

3. Gire o volante de direção de batente a batente.

NÃO: Se as rodas do eixo de direção não giram de batente a batente, a pressão está muito baixa. Ajuste pressão de alívio da direção. Veja Verificações e Ajustes, Verificações e Ajustes da Pressão de Alívio da Direção, página 9050-40-13.

As rodas do eixo de direção giram de batente a batente sem parar?

Verificação da Válvula de Alívio da Direção - Alta Pressão

1.

Com o motor em funcionamento gire o volante de direção ao batente e continue a forçá-lo mode- radamente.

SIM: O ajuste da válvula de alí- vio da direção de alta pressão está OK. Proceda com a próxi- ma verificação.

NÃO: O volante de direção não dá uma endurecida quando a função de inclinação vai ao seu limite pois a válvula de alívio de direção está calibrada a uma maior pressão. Veja Verifi- cações e Ajustes, Verificações e Ajustes daPressão de Alívio da Direção, página 9050-40-13.

2.

Observe a reação do volante de direção quando a função de inclinação for ao seu limite. Repita diversas vezes.

O

volante de direção dá uma endurecida sempre

que a função de inclinação for ao seu limite?

IMPORTANTE: É normal que o volante de direção dê uma endurecida quando a função de inclinação for ao seu limite pois a válvula de alívio secundária está a uma maior pressão que a válvula de alívio de direção.

Continuando:

 

A

rotação do motor (rpm) cai quando a função de

SIM: A válvula de alívio secun-

inclinação vai ao seu limite?

dária está OK. Proceda com a próxima verificação.

NÃO: Proceda com Verificações e Ajustes, Verificação e Ajustes da Válvula de Alívio Secundária, página 9050-40-4.

Verificação da Válvula de Controle da Válvula de Retenção de Carga (Válvula Manual)

Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre for inclinada totalmente para a frente.

SIM: Proceda com a manuten- ção da válvula de retenção de carga da função movimentada. Veja Válvula de Controle Prin- cipal 2000 SRM 1137.

NÃO: Válvulas de Retenção de Carga estão OK. Proceda com a próxima verificação.

1. Coloque carga nominal de segurança nos garfos da empilhadeira e eleve-os a aproximadamente 1m (3 pés) do solo, inclinando-os levemente para frente.

2. Pare o motor.

 

3. Mova a Alavanca de Inclinação para frente e observe a velocidade.

 

4. Com o motor em funcionamento em marcha lenta, e incline a carga para trás e observe o movimento.

Os garfos efetuaram movimento de descida ou de inclinação à frente?

9010-05-12

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Verificações Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação da

 
ALERTA

ALERTA

SIM: A Válvula de Inclinação está OK. Proceda com a próxi- ma verificação.

Função de

Inclinação da

 

Válvula de

Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre for inclinada totalmente para a frente.

NÃO: Proceda com a manu- tenção da válvula de inclina- ção. Veja Válvula de Controle Principal 2000 SRM 1137.

Inclinação

1. Coloque carga nominal de segurança nos garfos da empilhadeira e eleve-os a aproximadamente 1m (3 pés) do solo.

2. Opere o motor em marcha lenta e incline a carga o máximo para trás.

 

3. Mova a Alavanca de Inclinação para frente e observe a velocidade de inclinação.

A velocidade de inclinação pode ser controlada?

Verificação do Deslizamento da Função de Elevação

Certifique-se das seguintes condições antes de iniciar o procedimento a seguir:

SIM: Veja Verificações e Ajustes, Verificação de Vazamento do Cilindro de Elevação, página 9050-40-15 para diagnosticar se

problema está no cilindro ou na válvula de controle.

NÃO: A operação de desliza- mento do conjunto do cilindro está OK. Dê continuidade a este procedimento.

o

Empilhadeira operando em uma superfície plana.

 

Óleo hidráulico em temperatura operacional.

 
ALERTA

ALERTA

Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre for inclinada totalmente para a frente.

Coloque carga nominal de segurança nos garfos.

 

1. Instale um transferidor na torre e posicione-a em um ângulo de 90 graus com o solo.

2. Eleve a torre até que apareça aproximadamente 75mm (3 pol) da haste do cilindro de elevação principal. Efetue a medição.

3. Pare o Motor.

4. Depois de 5 minutos, meça a descida do cilindro de elevação da torre.

A haste do cilindro de elevação principal retrai-se

SIM: Veja Verificações e Ajustes, Verificação de Vazamento do Cilindro de Elevação, página 9050-40-15 para diagnosticar se

mais do que 50 mm (2 pol)?

Continuando:

5.

 

Eleve o cilindro de elevação isoladamente a 75mm (3 pol) e marque sua haste para efetuar a medição de seu movimento.

problema está no cilindro ou na válvula de controle.

NÃO: A operação de desli- zamento do cilindro está OK. Dê continuidade a este proce- dimento.

o

6.

Depois de 5 minutos, meça a descida do cilindro de elevação da torre.

O

cilindro de elevação retrai-se mais do que 50 mm

(2 pol)?

 

9010-05-13

Verificações Operacionais

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação do Deslizamento da Função de Inclinação

Certifique-se das seguintes condições antes de iniciar

SIM: Veja Verificações e Ajustes, Verificação de Vaza- mento do Cilindro de Elevação, Página 9050-40-15 para con- firmar o vazamento no cilindro ou na válvula de controle.

o

procedimento a seguir:

Empilhadeira operando em uma superfície plana.

 

Óleo hidráulico em temperatura operacional.

Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre for inclinada totalmente para a frente.

NÃO: A operação de desli- zamento do cilindro está OK. Proceda com a próxima veri- ficação.

Coloque carga nominal de segurança nos garfos.

1. Eleve a torre até aproximadamente 300 mm (12 pol) do solo.

2. Instale um transferidor na torre e posicione-a em um ângulo de 90 graus com o solo.

3. Pare o Motor.

4. Depois de 5 minutos, meça o ângulo da torre, e compare com medição original.

A torre inclina-se mais do que 2 graus em 5 minitos?

Verificação do Amortecedor da Torre (todos tipos exceto torre 2-estágios)

Certifique-se das seguintes condições antes de iniciar

SIM: Válvula amortecedora está OK. Proceda com a próxima verificação.

o

procedimento a seguir:

Empilhadeira operando em uma superfície plana.

Vãos superiores livres o suficiente para possibilitar elevação máxima da torre.

NÃO: Inspecione e limpe a válvula amortecedora. Veja

Repado do Cilindro 2100 SRM

 
ALERTA

ALERTA

1139.

Certifique-se que a carga esteja segura evitando que esta se mova quando a torre for inclinada totalmente para a frente.

Coloque carga nominal de segurança nos garfos.

1. Opere o motor em marcha lenta e eleve os garfos a máxima altura possível dos cilindros de elevação.

2. Abaixe os grafos o mais rápido possível e observe a haste dos cilindros quando os cilindros de elevação principal atingem base da torre.

A velocidade de descida dos garfos diminue, e um

barulho de assovio sai dos cilindros na base da

 

torre?

Verificação dos Ajustes das Funções Elevação/ Inclinação da Torre

Certifique-se das seguintes condições antes de iniciar

SIM: Calce os cilindros de ele- vação. Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneu- máticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilhadeiras de 4-5,5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneu- máticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250.

o

procedimento a seguir:

Empilhadeira operando em uma superfície plana.

 

Vãos superiores livres o suficiente para possibilitar elevação máxima da torre.

Não há carga nos garfos.

1.

Opere o motor em rotação governada e eleve os garfos a máxima altura possível.

Alguma das duas hastes do topo da torre inclinam- se para algum lado na elevação máxima?

NÃO: O ajuste do cilindro de elevação está OK. Dê continui- dade a este procedimento.

9010-05-14

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Verificações Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

AÇÃO

 

Continuando:

SIM: Calce e ajuste a torre. Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilhadeiras de 4-5,5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250. NÃO: O calço da torre está OK. Proceda com a próxima verificação.

2.

Reduza a rotação do motor para marcha lenta. Incline a torre o máximo para a frente e depois o máximo para trás, e observe o seu movimento.

Alguma das duas hastes do topo da torre fazem algum barulho durante o movimento de inclinação ou mesmo movimentam-se excessivamente?

Verificação do Grau de Inclinação

Incline a torre lentamente para trás até sua completa parada.

SIM: A parada da inclinação está ajustada. Proceda com a próxima verificação.Veja Ajuste da Torre, Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM

1148.

As duas hastes da torre param igualmente?

 

NÃO: Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilha- deiras de 4-5,5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250.

Verificação do Ajustes da Corrente e Base da Mangueira

Certifique-se das seguintes condições antes de iniciar o procedimento a seguir:

SIM: Ajuste as correntes de elevação. Veja Ajustes das Correntes de Elevação. Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilhadeiras de 4-5,5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250. NÃO: As correntes estão ajus- tadas. Dê continuidade a este procedimento. SIM: Ajuste as mangueiras. Veja Ajustes das Mangueiras. Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilhadeiras de 4-5,5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250. NÃO: A tensão das mangueiras está adequada. Dê conti- nuidade a este procedimento. SIM: Ajuste as mangueiras. NÃO: O ajuste das mangueiras está adequado. Proceda com a próxima verificação.

Empilhadeira operando em uma superfície plana.

Óleo hidráulico em temperatura operacional.

 

Não há carga nos garfos.

1.

Instale um transferidor na torre e posicione-a em um ângulo de 90 graus com o solo.

2. Efetue os movimentos completos de elevação e abaixamento dos garfos.

3.

Abaixe os garfos completamente.

IMPORTANTE: A posição de ajuste da altura padrão dos garfos é de aproximadamente 6 mm (0,25 pol) do solo.

As pontas dos garfos tocam o solo?

Continuando:

4.

Verifique as operações das mangueiras sobre as roldanas.

As mangueiras estão sendo comprimidas?

Verifique se as mangueiras tocam a viga inferior, encosto da carga ou roldanas.

As mangueiras se encostam na viga inferior ou no encosto da carga?

9010-05-15

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

Verificações Operacionais

VERIFICAÇÃO

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação

1. Abaixe a torre e desligue o motor.

SIM: Inspecione e efetue reparos na montagem da torre. Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilha- deiras de 4-5,5Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250.

NÃO: A montagem da torre está OK. Proceda com a próxima verificação.

da Montagem

2. Inspecione as peças de montagem no eixo.

(Instalação) da

Torre

3. Do lado de fora da empilhadeira, empurre o topo da torre com as mãos e perceba se a empilhadeira se moveu.

IMPORTANTE: Se há peças soltas na montagem da torre, a torre irá se mover, mas não o carro suporte.

A montagem da torre está frouxa?

Verificação das Vigas da Torre

IMPORTANTE: Esta deve ser uma verificação visual da torre a fim de determinar se peças estão gastas ou necessitando ajustes.

SIM: Proceda com a manu- tenção das vigas. Para empi- lhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilha- deiras de 4-5,5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250.

1. Eleve a torre sem carga até sua altura máxima e desligue o motor.

2. Inspecione as vigas internas e externas, superfícies deslizantes e pistas rolantes, para verificar se estão gastas.

3. Abaixe os garfos.

4. Inpecione as vigas internas superfícies deslizantes para verificar se estão gastas.

As vigas apresentam sinais de estarem exces- sivamente gastas?

NÃO: O estado de uso da torre está adequado. Dê continuidade a esta verificação.

Continuando:

5. Inspecione o espaço entre as vigas.

Os espaços apresentam a mesma medida em ambos os lados da torre?

 

SIM: Os espaços entre as vigas da torre estão adequados. Proceda com a próxima verifi- cação.

NÃO: Proceda com o ajuste ou manutenção das torres. Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilhadeiras de 4-5,5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250.

9010-05-16

Verificações Operacionais

Procedimentos de Diagnósticos Operacionais

VERIFICAÇÃO

 

PROCEDIMENTO

AÇÃO

Verificação do Ajuste do Carro-Suporte (Deslocador)

1.

Desligue o motor e abaixe a torre a uma distância de 50mm (2 pol) do solo.

SIM: Ajuste ou efetue a manutenção dos rolamentos dos carros-suportes. Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilhadeiras de 4-5,5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumá- ticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250.

NÃO: O ajuste dos carros suportes está OK. Proceda com a próxima verificação.

2.

Movimente com força a estrutura do carro-suporte.

O

carro move-se mais que 0,5mm (0,02 pol) no seu

 

limite máximo?

Verificação

1. Desligue o motor e abaixe os garfos.

SIM: As roldanas das correntes estão OK. Proceda com a próxima verificação.

da Roldana

2. Verifique o estado de uso das roldanas das correntes.

da Corrente

As roldanas apresentam um padrão adequado de uso sem estarem gastas lateralmente?

NÃO: Substitua as roldanas da corrente. Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilha- deiras de 4-5,5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneumáticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250.

Verificação da Parada do Carro-Suporte

1. Desligue o motor e abaixe os garfos.

SIM: As correntes não estão ajustadas. Para empilhadeiras de 1-3,5 ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneu- máticos, Veja Reparo da Torre de 2, 3 e 4 Estágios 4000 SRM 1148. Para as empilha-deiras de 4-5.5 Ton com pneus elásticos (Tipo Cushion) ou pneus pneu- máticos veja Reparo da Torre de 2 e 3 Estágios 4000 SRM 1250.

NÃO: Verificação completa.

2. Verifique o estado de uso da parada do carro suporte.

 

A parada do carro-suporte apresenta algum sinal

de peças gastas?

9010-05-17

SEÇÃO 9020

MOTOR

CONTEÚDO

Grupo 10 - Princípios de Operação Motor - Informações Básicas

9020-10-1

Terminologia Geral

9020-10-1

Teoria da Combustão

9020-10-1

Componentes do Motor - Bloco do Cilindro

9020-10-2

Conjunto Eixo Comando das Válvulas e Conjunto Correia Dentada

9020-10-3

Montagem do Cabeçote do Bloco dos Cilindros

9020-10-3

O Conjunto do Corpo da Válvula

9020-10-3

Filtro de Ar

9020-10-3

Carburação

9020-10-3

Injeção Eletrônica de Combustível (EFI)

9020-10-3

Ventilação Positiva do Cárter (PCV)

9020-10-4

Motor - Sistema Elétrico

9020-10-4

Introdução

9020-10-4

Estrutura da Bateria

9020-10-4

Bateria Padrão Convencional

9020-10-5

Bateria Livre de Manutenção

9020-10-5

Carregamento (Carga) da Bateria

9020-10-5

Carregamento Rápido da Bateria

9020-10-6

Carregamento Lento da Bateria

9020-10-6

Princípios de Operação do Sistema de Partida

9020-10-6

Componentes do Sistema de Partida - Ignição

9020-10-7

Componentes do Sistema de Partida - Solenóide de Partida

9020-10-7

Componentes do Sistema de Partida - Volante e Cremalheira

9020-10-7

Componentes do Sistema de Partida - Motor de Partida e Bendix

9020-10-7

Sistema de Carga - Geral

9020-10-8

Sistema de Carga - Regulador

9020-10-8

Sistema de Carga - Teoria

9020-10-8

Motor - Sistema de Combustível/Descarga e Emissões

9020-10-9

Introdução

9020-10-9

Componentes do Sistema a Gasolina - Tanque de Combustível

9020-10-9

Injeção Eletrônica de Combustível (EFI) - Descrição Geral

9020-10-9

Componentes do Sistema de Injeção Multiponto de Combustível - ECU

9020-10-9

Componentes do Sistema de Injeção Multiponto de Combustível - Bomba de Combustível/Filtro

9020-10-9

Componentes do Sistema de Injeção Multiponto de Combustível - Galeria de Combustível

9020-10-9

Componentes do Sistema de Injeção Multiponto de Combustível - Regulador de Pressão

9020-10-9

Componentes do Sistema de Injeção Multiponto de Combustível - Injetores de Combustível

9020-10-10

Informação Geral dos Sistemas a GLP

9020-10-10

Propriedades do GLP

9020-10-10

Botijão de GLP

9020-10-10

Sistema AISAN de Emissões Controladas

9020-10-11

Filtro/Corte e Regulador

9020-10-11

Carburador

9020-10-11

Modo de Partida

9020-10-11

Modo de Marcha Lenta

9020-10-12

9020-1

Seção 9020

Motor

CONTEÚDO (Continuação)

Modo de Direção

9020-10-12

Solenóide de Corte Principal de Combustível

9020-10-12

Solenóide Injetora de Combustível

9020-10-12

Sensor de Oxigênio

9020-10-12

Unidade de Controle do Motor (ECU)

9020-10-12

Conversor Catalítico/Silencioso

9020-10-12

Controle do Motor

9020-10-12

Introdução

9020-10-12

Sistema de Ignição e Ponto de Ignição - Vela de Ignição Convencional

9020-10-12

Componentes - Bobinas de Ignição

9020-10-13

Componentes - Distribuidor

9020-10-13

Ponto de Ignição

9020-10-13

Componentes - Cabos da Ignição

9020-10-13

Componentes - Velas

9020-10-13

Velas de Ignição com Falhas ou Sujas

9020-10-14

Controle Eletrônico do Sistema Governor - Motor Mazda GLP

9020-10-14

Motor - Identificação

9020-10-15

Motor Cummins Diesel

9020-10-17

Descrição

9020-10-17

Sistema de Combustível Diesel

9020-10-18

Princípio de Operação

9020-10-18

Bomba Injetora de Combustível e Governor

9020-10-19

Descrição

9020-10-19

Princípios de Operação

9020-10-20

Cummins Diesel – Controles do Motor

9020-10-21

Sensor de Rotação do Motor (RPM)

9020-10-22

Sensor de Posição do Acelerador

9020-10-23

Atuador Eletrônico do Acelerador

9020-10-24

Sensor de Pressão do Óleo

9020-10-24

Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor

9020-10-24

Sensor de Restrição de Entrada de Ar

9020-10-25

Filtro de Combustível/Separador de Água

9020-10-25

Sensor do Nível de Combustível

9020-10-25

Sistema Elétrico do Motor

9020-10-26

Válvula Magnética (Solenóide de Parada do Motor)

9020-10-26

Alternador

9020-10-26

Aquecedor

9020-10-26

Avanço de Injeção de Partida a Frio (Bomba Injetora)

9020-10-26

Motor Mazda - Visão Geral

9020-10-27

Descrição

9020-10-27

Sistema de Combustível

9020-10-27

Unidade de Controle do Motor (ECU) e Emissões

9020-10-27

Sistema de Refrigeração

9020-10-27

Sistema de Ignição

9020-10-27

Mazda a GLP - Controles do Motor

9020-10-28

Sistema GLP (Aisan / E-Controls - Mecânico)

9020-10-28

Descrição

9020-10-28

Princípios de Operação

9020-10-29

Sistema de Controle

9020-10-31

Sensor de Oxigênio

9020-10-32

9020-2

Seção 9020

Motor

CONTEÚDO (Continuação)

Tanque de Combustível

9020-10-32

Vaporizador (Regulador)

9020-10-32

Modo de Partida

9020-10-33

Modo de Marcha Lenta

9020-10-33

Modo de Direção

9020-10-33

Ressonador

9020-10-35

Carburador

9020-10-35

Modo de Partida

9020-10-35

Modo de Marcha Lenta

9020-10-36

Modo de Direção

9020-10-36

Governor - Unidade de Controle do Governor

9020-10-36

Sistema a GLP (E-Controls)

9020-10-37

Descrição

9020-10-37

Princípios de Operação

9020-10-38

Pressão Absoluta do Coletor de Admissão

9020-10-38

Sensor de Posição do Acelerador

9020-10-39

Sensor de Oxigênio

9020-10-39

Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor

9020-10-39

Temperatura de Entrada de Ar

9020-10-39

Unidade de Controle do Motor

9020-10-39

Sensor Eletrônico de Posição do Pedal do Acelerador

9020-10-39

Conversor Catalítico de Três Vias

9020-10-39

Sensor de Posição do Eixo Comando das Válvulas

9020-10-40

Sistema de Controle Eletrônico do Governor

9020-10-41

Sensor Eletrônico do Governor

9020-10-41

Motor Mazda a Gasolina - Controles do Motor

9020-10-42

Sistema a

Gasolina 9020-10-42

Descrição

9020-10-42

Princípios de Operação

9020-10-43

Sistema de Controle

9020-10-45

Sensor de Posição do Eixo Comando das Válvulas (Came)

9020-10-46

Sensor de Temperatura de Entrada de Ar

9020-10-47

Sensor do Fluxo de Ar

9020-10-48

Sensor de Posição do Acelerador

9020-10-49

Sensor Eletrônico do Governor

9020-10-50

Sistema Eletrônico do Governor

9020-10-51

Sensor de Pressão Absoluta no Coletor/Boost Sensor

9020-10-51

Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor

9020-10-52

Sistema de Entrada de Ar

9020-10-53

Carburador

9020-10-53

Válvula de Controle de Marcha Lenta

9020-10-53

Sistema de Combustível

9020-10-54

Injetor de Combustível

9020-10-54

Regulador de Pressão

9020-10-55

Sistema de Escapamento

9020-10-55

Sensor de Oxigênio

9020-10-55

Conversor Catalítico de Três Vias

9020-10-55

Motor GM a GLP - Controles do Motor

9020-10-57

Sistema de Controle

9020-10-57

Sistema de Controle do Motor - Visão Geral

9020-10-57

Princípios de Operação

9020-10-58

Sistema de Controle

9020-10-59

9020-3

Seção 9020

Motor

CONTEÚDO (Continuação)

 

9020-10-59

Sistema de Controle - Localização do Componente do Motor GM/TGFI 2.4L (4-Cilindros) Sistema de Controle - Localização do Componente do Motor GM/TGFI 4.3L (6-Cilindros)

9020-10-60

Sistema a GLP do Motor GM/TGFI 2.4L (4-Cilindros)

9020-10-61

Tanque de Combustível

9020-10-65

Unidade de Controle do Motor

9020-10-65

Conjunto Eletrônico do Acelerador / Sensor de Posição do Acelerador

9020-10-66

Sensor da Pressão Absoluta no Coletor / Temperartura do Ar

9020-10-66

Injetores de GLP

9020-10-67

Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor

9020-10-68

Sensor de Oxigênio

9020-10-68

Sensor de Posição do Virabrequim (Sensor de Rotação do Motor)

9020-10-68

Sensor de Pressão do Óleo

9020-10-69

Engate do Relê

9020-10-69

Sensor de Posição do Eixo Comando das Válvulas do Motor GM 2.4L

9020-10-70

Módulo de Ativação dos Injetores

9020-10-70

Sensor de Posição do Eixo Comando das Válvulas do Motor GM 4.3L

9020-10-70

Vaporizador / Regulador

9020-10-71

Sensor de Posição do Pedal do Acelerador

9020-10-74

Conversor Catalítico de Três Vias

9020-10-74

Sistema de Ignição

9020-10-75

Bobina de Ignição

9020-10-75

Módulo do Sistema de Ignição sem Distribuidor

9020-10-75

Sinais Eletrônicos de Partida

9020-10-76

Sistema de Ignição com Distribuidor (DI)

9020-10-77

Sensor de Posição do Eixo Comando das Válvulas (CMP)

9020-10-77

Bobina de Ignição e Módulo de Controle da Ignição (ICM)

9020-10-77

Componentes da Ignição Secundária

9020-10-77

Motor GM 2.4L a Gasolina (4-Cilindros) - Controles do Motor

9020-10-78

Sistema de Controle do Motor

9020-10-78

Sistema de Controle do Motor GM 4.3L (6 Cilindros)

9020-10-79

Sistema de Controle do Motor - Visão Geral

9020-10-80

Princípios de Operação

9020-10-80

Sistema de Controle

9020-10-80

Sistema de Controle - Localização do Componente do Motor GM/TGFI 2.4L (4-Cilindros)

9020-10-80

Sistema de Controle do Motor GM/TGFI 4.3L (6-Cilindros) – Localização do Componente

9020-10-82

Sistema a Gasolina GM/TGFI 2.4L (4-Cilindros)

9020-10-83

Sistema a Gasolina GM/TGFI 4.3L (6-Cilindros)

9020-10-85

Unidade de Controle do Motor

9020-10-87

Conjunto Eletrônico do Acelerador / Sensor de Posição do Acelerador

9020-10-87

Sensor da Pressão Absoluta no Coletor / Temperartura do Ar

9020-10-88

Injetor de Combustível

9020-10-89

Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor

9020-10-89

Sensor de Oxigênio

9020-10-89

Sensor de Posição do Virabrequim (Sensor de Rotação do Motor)

9020-10-91

Sensor de Pressão do Óleo

9020-10-91

Engate do Relê

9020-10-91

Sensor de Posição do Eixo Comando das Válvulas

9020-10-91

Sensor de Posição do Pedal do Acelerador

9020-10-92

Conversor Catalítico de Três Vias

9020-10-92

9020-4

Seção 9020

Motor

CONTEÚDO (Continuação)

Sistema de Ignição

9020-10-93

Bobina de Ignição

9020-10-93

Módulo do Sistema de Ignição sem Distribuidor

9020-10-93

Ignição Eletrônica

9020-10-94

Motor Yanmar Diesel

9020-10-95

Descrição

9020-10-95

Sistema do Combustível Diesel

9020-10-96

Princípios de Operação

9020-10-96

Bomba Injetora de Combustível e Governor

9020-10-97

Princípios de Operação

9020-10-99

Avanço de Injeção

9020-10-100

Bomba Alimentadora de Palhetas

9020-10-100

Válvula Reguladora

9020-10-101

Pistão da Bomba Injetora

9020-10-101

Processo de Sucção

9020-10-103

Processo de Injeção

9020-10-103

Final da Injeção de Combustível

9020-10-104

Processo de Pressão Uniforme

9020-10-104

Mecanismo de Prevenção de Rotação Reversa

9020-10-105

Mecanismo de Ajuste da Injeção de Combustível

9020-10-105

Conjunto da Válvula Alimentadora

9020-10-105

Suporte da Válvula Alimentadora com Válvula de Amortização

9020-10-106

Governor de Velocidade

9020-10-107

Na Partida do Motor

9020-10-109

Em Marcha Lenta

9020-10-110

Em Máxima Rotação - Carga Total

9020-10-111

Em Máxima Rotação - Sem Carga

9020-10-112

Mecanismo de Ajuste com Carga Total

9020-10-113

Estrutura e Operação do Avanço de Injeção

9020-10-114

Avanço de Injeção Automático - Tipo Padrão

9020-10-114

Motor Yanmar - Controles do Motor

9020-10-115

Sensor de Rotação do Motor (RPM)

9020-10-116

Sensor de Posição do Acelerador

9020-10-116

Atuador Eletrônico do Acelerador

9020-10-117

Sensor de Pressão do Óleo do Motor

9020-10-117

Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento

9020-10-118

Sensor de Restrição do Filtro de Ar

9020-10-118

Filtro de Combustível/Separador de Água

9020-10-119

Sensor do Nível de Combustível

9020-10-119

Sistema Elétrico do Motor

9020-10-119

Válvula Magnética (Solenóide de Parada do Motor)

9020-10-119

Alternador

9020-10-120

Vela Aquecedora

9020-10-120

Avanço de Injeção de Partida a Frio (Bomba de Injetora)

9020-10-120

Sistema de Refrigeração - Todos os Motores

9020-10-121

Descrição

9020-10-121

Radiador

9020-10-121

Radiador Combi-Cooler ou Convencional