Você está na página 1de 18

Como funciona sua memória e()como

melhorá-la?
Última atualização 11 de julho de 2015 Por Professor Piccini
(http://estudareaprender.com/author/leandro/)

& 433 " 33 $ 5 / + 466


COMPART.

Você já teve um “branco”? Quando


você mais precisa de uma informação
ela simplesmente desaparece em sua
mente. Esse problema é muito comum
e também fácil de resolver. Tudo está
ligado a seus hábitos e a maneira como
você utiliza sua memória.

No artigo de hoje vou te explicar


como funciona sua memória e de que
forma as informações se fixam em sua mente e cérebro. Também vou te
ensinar como resolver vários problemas ligados a memória como o
“branco”. No final vou passar várias dicas para melhorar sua memória e sua
memorização.

& 433 " 33 $ 5


Mas afinal, o que é Memória?
A utilizamos o tempo todo para tudo. Sem memória não haveria
aprendizado e talvez nem soubéssemos quem nós somos. A memória foi
crucial para o desenvolvimento da humanidade e para que aprendêssemos
com nossos erros. Talvez você não se desse conta do quanto a memória é
importante, por isso escrevi essas palavras acima, para que você
compreenda a importância do assunto desse artigo.

Para uma definição mais cientifica, vou utilizar a explicação da Dra. Silvia
Helena Cardoso sobre o que é a memória
(http://www.cerebromente.org.br/n01/memo/memoria.htm):

“ “A memória é uma faculdade cognitiva extremamente


importante porque ela forma a base para a aprendizagem. Se
não houvesse uma forma de armazenamento mental de
representações do passado, não teríamos uma solução para tirar
proveito da experiência.

Assim, a memória envolve um complexo mecanismo que abrange


o arquivo e a recuperação de experiências, portanto, está
intimamente associada à aprendizagem, que é a habilidade de
mudarmos o nosso comportamento através das experiências que
foram armazenadas na memória; em outras palavras, a
aprendizagem é a aquisição de novos conhecimentos e a
memória é a retenção daqueles conhecimentos aprendidos.”

& 433 " 33 $ 5


compreender e fixar corretamente uma informação. Mais abaixo vou te
ensinar alguns hábitos para manter uma memória “saudável”, mas antes
quero que você descubra como funciona sua memória.

As duas memórias. Declarativa e de Procedimentos.

Existem dois tipos de memória, os neurocientistas as definem como


memória de procedimentos (ou não declarativa) e memória declarativa (ou
explícita). Cada uma delas é responsável por ações específicas em nosso
cotidiano e estão localizadas em áreas distintas do cérebro. Para entender
um pouco mais leia abaixo:

• Memória de procedimentos (ou não declarativa): É a memória dos


procedimentos ou das ações que você realiza em seu dia a dia. Ela não
pode ser declarada, você não sabe, mas a está usando o tempo todo. É
a memória dos hábitos. Todas as vezes que você escova os dentes,
dirige, anda de bicicleta e escreve é essa memória que está em ação.
Ela é mais estável e mais durável, pois sua ações cotidianas dependem
dessa memória.

• Memória declarativa (ou explícita): É a memória que você é capaz de


evocar por palavras ou ações. Todas as vezes que você se recorda de
fatos ou informações ela entra em ação. Essa é a memória que você
vai mais utilizar em seus estudos. Ela também está dividida em
memória imediata, de curto prazo e de longo prazo. Vou explicar sobre
isso mais abaixo.

& 433 " 33 $ 5


respeito desses conceitos, muito se avançou, mas ainda tem muito a ser
descoberto.

Agora que você já sabe que tem dois tipos de memória e que a memória
declarativa é a que você mais vai utilizar em sua vida de estudante ou
concurseiro, é importante saber de que forma uma informação se
transforma em memória.

Como a memória é armazenada?


O cérebro como já expliquei no artigo sobre como o seu cérebro aprende
(http://estudareaprender.com/como-seu-cerebro-aprende/), trabalha com
sinais químicos e elétricos. Ao ler esse texto seu cérebro está produzindo
diversas reações elétricas em seus neurônios que produzem reações
químicas essas reações produzem novamente reações elétricas e assim
sucessivamente.

Veja esse vídeo de 6 segundos mostrando de que maneira as moléculas


se transformam em memórias, é fascinante:

& 433 " 33 $ 5


Neurocientistas ainda não conseguiram definir de que forma as memórias
se formam, mas sabemos que as reações químicas são importantes tanto
para a sua formação quando sua evocação. De acordo com os professores
Mello e Rubin: (http://www.comciencia.br/reportagens/memoria/17.shtml)

“ “Isto não significa que codificamos a memória de longa duração


em proteínas, mas que a formação da memória depende de
eventos relacionados à síntese proteica, particularmente de
proteínas específicas, chamadas ‘proteínas de adesão celular’”.

Pode se dizer que tudo o que você aprende se transforma em reações


químicas no seu cérebro. Ainda não há uma definição de como
conseguimos codificar e resgatar uma informação na memória, mas é certo

& 433 " 33 $ 5


Onde a memória é armazenada?
Não há um lugar específico onde a
memória é armazenada. Cada área do
cérebro armazena um tipo de
memória. O que sabemos ao certo é
que o hipocampo está mais envolvido
com as memórias declarativas, ou
seja, aquelas que você vai usar para
relembrar fatos e informações.

De acordo com John H. Byrne, Ph.D. do departmento de Neurobiologia e


Anatomia do UT Medical School at Houston
(http://neuroscience.uth.tmc.edu/s4/chapter07.html). O hipocampo está
mais envolvido na formação de novas memórias, mas as memórias antigas
podem ser armazenadas em outras áreas como o córtex frontal. Veja a
seguir onde a memória é armazenada:

• Lobo temporal medial e hipocampo: Memória declarativa.


• Corpo estriado: memória de habilidades e hábitos.
• Neocortex: Primming (Pré-ativação).
• Amígdala: Memória emocional.
• Cerebelo: Aprendizagem associativa.

& 433 " 33 $ 5


hipocampo, quando pratica o que aprende envolve o corpo estriado, o
neocortex e o cerebelo. Quando estuda com emoção você trabalha com a
amígdala.

Memória de curto prazo e memória de longo


prazo
Dentro da memória declarativa existem mais dois tipos, a memória de
curto prazo e a memória de longo prazo. Existe ainda outra memória
chamada de memória operacional que é utilizada para resolução de
problemas. Nesse artigo vamos nos atentar somente para a memória de
curto prazo e a de longo prazo, pois ambas têm um papel especial no
aprendizado. Vou começar definindo-as:

• Memória de curto prazo: Esta memória age no momento em que uma


informação está sendo adquirida, ela fica armazenada por um curto
tempo até ser decidido se a informação merece ser guardada ou
descartada. Ela é essencial para dados de cunho declarativo.
Dependendo da quantidade de ação bioquímica no cérebro uma
informação é armazenada ou descartada.

• Memória de longo prazo: Tudo o que é armazenado de forma


definitiva fica na memória de longo prazo. Para que isso aconteça é
necessário que uma informação de curto prazo seja transformada em
longo prazo. De acordo com o neurocirurgião Roberto Godoy a
capacidade da memória de longo prazo é praticamente ilimitada.
(http://drauziovarella.com.br/corpo-humano/memoria/)

& 433 " 33 $ 5


uma informação uma vez assimilada poderá sempre ser acessada
através da memória declarativa.

O processo de passagem de uma memória de curto prazo, para memória


de longo prazo é chamado de consolidação. A consolidação ocorre
quando uma informação se torna definitivamente armazenada em uma
determinada área do cérebro.

“ “Experiências repetidas convertem memória de curto prazo em


memória de longo prazo” (Erick Kandel – Princípios da
Neurociência)

Dica Prática: Como estudante sua principal missão é consolidar as


informações que você estuda, ou seja, transformar as informações de
curto prazo em longo prazo. Para você fazer isso você deve além de estudar
com atenção, praticar e também revisar seus estudos.

Todas as vezes que terminar uma sessão de estudos, pratique e resolva


questões sobre o tema, isso vai fazer com que sua mente e cérebro
consolide a informação que você acabou de aprender. Faça dessa prática
um hábito.

& 433 " 33 $ 5


que não conseguem memorizar, pois logo que terminam uma leitura já não
recordam de mais nada. Só que o problema não está na memória e sim
em sua atenção.

Seu cérebro é uma maquina extremamente eficiente, para ele qualquer


perda de energia desnecessária deve ser resolvida, e se ele perceber que
uma informação não deve ser armazenada ele a descarta. Imagina se você
armazenasse todas as informações que chegassem até você? Com certeza
você enlouqueceria. Esquecer é parte essencial da memória.

O problema é que muitas vezes acabamos por nos esquecer de coisas


importantes, como por exemplo, o que você estudou para uma prova ou
até mesmo a data do seu aniversário de casamento (esse é o tipo de
esquecimento fatal ). Se essas coisas são importantes porque você as
esquece? Por vários motivos, desde o estresse até a falta de atenção.

Veja agora alguns motivos do seu esquecimento:


DESUSO DA INFORMAÇÃO: Um dos principais problemas relativos ao
esquecimento é o desuso da informação. Quando entraram em contato
comigo alegando esquecimento eu pergunto quantas vezes a pessoa
estuda o conteúdo, geralmente me respondem que apenas uma vez!

Somente uma pessoa muito acostumada a estudar é capaz de


memorizar o conteúdo em apenas uma leitura. Ao contrário de outras
profissões práticas a vida de um estudante exige que ele faça várias leituras
e estudos em um determinado conteúdo para que ele possa ser
memorizado.

& 433 " 33 $ 5


memorizá-la.

UM NOVO APRENDIZADO INTERFERE: Toda nova informação que você


aprender provoca uma alteração na informação que você já havia
assimilado. As novas conexões sinápticas formadas com o seu novo
conhecimento faz com que informações antigas passem a se tornar
obsoletas. Para evitar isso você deve sempre estar usando tanto as
informações novas quanto as antigas.

Dica prática: Mesmo que você esteja aprendendo algo novo lembre-se de
revisar os conteúdos antigos. Muitas estudantes e concurseiros esquecem
os conteúdos antigos justamente porque não revisam. A revisão é a sua
arma contra o esquecimento dos conteúdos.

INTERESSE PESSOAL: Olha eu já estou cansado de brigar com


concurseiros e estudantes que vivem escrevendo “não gosto de estudar”.
Isso é a pior coisa a ser escrita ou dita, pois o interesse pessoal tem um
impacto grande na sua memorização. Lembre-se o que acabei de dizer seu
cérebro trabalha com sinais bioquímicos, quando você estudar com
entusiasmo e interesse a química do seu cérebro produz reações que
facilitam seu aprendizado, atenção e memorização.

“O interesse pessoal sobre determinado assunto faz com que uma pessoa
possa quase decorar o assunto com apenas uma leitura” (Roberto Godoy –
Neurocirurgião)

& 433 " 33 $ 5


certeza já têm os objetivos definidos conforme ensinei no artigo sobre
como se motivar a estudar. (http://estudareaprender.com/como-ter-
motivacao-para-estudar/)

Esse objetivo que você tem é o que manterá entusiasmado a estudar e


também vai fazer com que você produza a química cerebral ideal para
ajudar em seus estudos.

Os inimigos da memorização: Ansiedade e


Estresse.
Não leve a mal quando escrevo inimigos
da memorização. Tanto a ansiedade
quanto o estresse são formas de defesa
do corpo humano, o problema é que
ambos atrapalham sua memória. Eles
não interferem em sua memória em si,
mas em sua atenção a porta de entrada
para que você memorize algo.
Ansiedade e estresse quando em níveis
muito altos provocam os chamados
“brancos”.

A proteína quinase C ou PKC


(http://pt.wikipedia.org/wiki/Prote%C3%ADna_quinase_C) produzida em
situações de estresse e ansiedade prejudica a memória de curto prazo, logo
ela que é o primeiro passo para que uma informação se consolide e passe

& 433 " 33 $ 5


Se durante seus estudos você está calmo, não tem problema. Você
conseguirá assimilar todas as informações e memorizá-las desde que siga a
técnica correta. Porém, se durante uma prova ou concurso você começar a
aumentar seu nível de ansiedade e estresse podem ocorrer os “brancos”. O
elevado nível de cortisol provoca um bloqueio em sua memória,
impossibilitando o resgate de uma determinada informação.

Como recuperar uma informação em caso de


“branco”?
Vou te passar agora uma dica prática para conseguir recuperar uma
informação em caso de “branco”. Use essa dica caso você tenha um
“branco” em uma prova ou concurso. Siga os passos:

1. Relaxe: A primeira coisa a ser feita é relaxar. Se você tem uma branco
na hora da prova é porque seus níveis de ansiedade e estresse
aumentaram. Tente pensar um pouco em outra coisa, algo que te
acalme. A melhor coisa a ser feita é se imaginar em um local que você
se sente tranquilo, fique com essa imagem mental por uns minutos, e
fique tranquilo, 5 minutos de relaxamento não vão te prejudicar na
prova, o pior é você deixar a ansiedade tomar conta não conseguir
responder nada.
2. Siga as pistas: Confie em sua memória. Vamos ao exemplo dos
nomes, de repente você se esquece do nome da sua esposa (Meu
amigo, se você esquecer o nome da esposa é porque a coisa ta feia),
mas enfim nesse dia você se esqueceu do nome dela. Então surge em

& 433 " 33 $ 5


Você agora tem a primeira letra do nome que pode te ajudar saber qual o
nome certo. Fique muito atento as pistas que sua memória dá a respeito
das informações que você se esqueceu, pode ser uma letra, conceito ou
informação.

3. Relacione: A partir desse ponto comece a reunir o máximo de fatos


possíveis a respeito do que você pretende se lembrar. Digamos que
você ainda não tenha se lembrado do nome da sua esposa, então você
começa a lembrar de todos os fatos a respeito dela, do quanto ela é
especial ao seu lado, veja o rosto dela em sua imaginação, pense nos
momentos de alegria que passaram juntos. Quanto mais fatos você
conseguir relacionar a algo que deseja lembrar é mais fácil de
recordá-lo.
4. Esqueça: Se ao final dos 3 passos você ainda sim não conseguir
recordar uma informação valiosa na hora da prova, esqueça. Passe
para outra questão e esqueça definitivamente a outra. Você vai ver
que como num passe de mágica de repente você vai recordar o que
queria daí é só voltar e marcar a alternativa correta.

Essas dicas tem um efeito maior quando você estuda com regularidade,
pois as informações estarão em sua memória, o problema é que a
ansiedade o impediu de acessá-las. Siga cada passo corretamente e se ao
final de cada um, você ainda não tiver se lembrado, então siga para o
próximo.

Dicas para melhorar sua memória e sua


memorização.

& 433 " 33 $ 5


saúde de sua memória. Ter uma
memória saudável longe de agentes que
a prejudicam vai te ajudar a fixar um
conteúdo mais fácil em sua mente.

1. Concentração: Como já escrevi logo


acima, a concentração é a porta de
entrada para que você consiga fixar uma informação em sua memória.
Uma leitura ou estudo sem concentração é o mesmo que não fazer
nada. Portanto você deve estar muito concentrado em seus estudos
para conseguir tirar o máximo proveito e memorizar tudo.

Dica prática: Estude visualizando o que você lê. Uma ótima maneira de se
concentrar é usar sua imaginação. Enquanto você lê observe bem as letras,
a cada informação nova visualize a ação ou o objeto de sua leitura.
Aprofunde-se na leitura não deixe que ela seja só uma leitura desatenta.

2. Alimentação adequada: Ao comer evite alimentos pesados, eles te


prejudicam na concentração e também não fornecem os nutrientes
que ajudam sua memória. Prefira alimentos que contenham vitamina
B12, ácido fólico e Tiamina. Alimentar-se com bastante frutas e
vegetais irá te ajudar a estar alimentado com vitaminas e ainda evitar
problemas causados por alimentos processados.
3. Sono: Um dos processos que mais ajudam na consolidação de
informação na memória é um bom sono. Não estude com sono e
jamais deixe de descansar adequadamente.

& 433 " 33 $ 5


perceber que já está com sono, deite-se e pense um pouco no que estudou
isso vai te ajudar na memorização.

4. Relaxar: Não custa nada repetir para você a importância de estar


relaxado tanto para recordar algo quanto para fixar algo em sua
mente. Não faça dos seus estudos um martírio, tire tempo para
descansar e aproveite os momentos de folga. São nesses momentos
que sua memória está trabalhando com as informações que você
estudou, ajudando a consolidá-las.
5. Imaginação: Imaginação é sua principal arma para facilitar a
memória. A imaginação é a capacidade que a humanidade possui de
dar cor e imagem a informações que estão simplesmente no papel ou
em sua mente. Quando você utiliza a imaginação você cria imagens e
seus sentidos reconhecem como reais, isso faz com que várias áreas
do cérebro entrem em ação, fazendo com que a informação se fixe em
sua mente.

Encerrando…
O texto de hoje foi longo e mesmo assim ainda tem muita coisa sobre
memória para eu escrever para você. Mas espero ter conseguido sintetizar
as informações mais importantes, ou pelo menos aquelas que lhe ajudarão
em sua vida de estudante ou concurseiro.

Assim como para um halterofilista seus músculos são importantes, para


você sua memória e seu cérebro são os mais importantes, por isso cuide
deles tendo bons hábitos de vida e de estudo. Uma memória saudável é
sua aliada para sucesso em provas e concursos.

& 433 " 33 $ 5


Próximos passos…

1 – Deixe um comentário, sua participação é importante.

2 – Deixe pronto uma série de exercícios sobre seu tema de estudo e


responda-os assim que terminar de estudar.

3 – Tenha um cronograma de revisão de conteúdos.

E ai gostou? Então clique abaixo e compartilhe esse artigo com seus


amigos, obrigado!

& 433 " 33 $ 5 / 466


+ COMPART.

Continue aprendendo...

& 433 " 33 $ 5


Sobre Professor Piccini
Especialista em aprendizagem e desenvolvimento pessoal.
Escritor, palestrante e mentor de aprendizagem. Já ajudei
mais de 2 mil pessoas a vencerem nos estudos através de meus livros, cursos
e Mentorias de Aprendizado

30 Comentários Estudar e Aprender 


1 Entrar

Ordenar por Mais votados


 Recomendar 20 ⤤ Compartilhar

Participe da discussão...

FAZER LOGIN COM OU REGISTRE-SE NO DISQUS ?

Nome

Alexsandra Souza Fernandes • 4 meses atrás


Excelente texto, muito bem explicado. Gostaria de uma informação.Quando tempo de
estudo precisa para que ocorra a aprendizagem sobre determinado assunto?Vejo muitas
postagens de concurseiros que estudar num período de 25 minutos no horário de
almoço, onde logo preciso sair pra trabalhar acontece a aprendizagem, pode acontecer
essa aprendizagem neste momento de curso tempo e sobre pressão de minutos para
chegar ao trabalho?
2 • Responder • Compartilhar ›

Leandro Piccini > Alexsandra Souza Fernandes • 4 meses atrás


Olá Alexsandra tudo bem?

Não existe um tempo certo, a aprendizagem acontece no ritmo de cada um. Com
relação a sua dúvida sobre aprender em 25 minutos, é possível sim, desde que a
pessoa consiga se concentrar e mantenha o ritmo sempre.

Geralmente em pouco tempo assim eu oriento os meus alunos a fazerem


revisões, que é muito mais eficaz para tempos curtos.

Agradeço novamente, abraços e bons estudos.


• Responder • Compartilhar ›

Noêmia Fernanda • um ano atrás


Estou estudando no mestrado e tenho tido dificuldades na memorização... Foram
433bem pertinentes,
&orientações " com33uma correlação direta
$ entre teoria científica5e a prática
cotidiana!!! Adorei!!!
ZAN UĖUN\ Cnl n Erst c `q O`q` Oqnu`r d Cnmbt qrnr bnl dâ`mc n c n
YEQN!
Copyright © 2018 · PICCINI APRENDIZAGEM - Vença nos estudos e na vida!

& 433 " 33 $ 5