Você está na página 1de 2

PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE

TUTOR: Rodolfo Antônio da Silva.


Tarefa 4
Aluno: Jorgimar Jesus Cardoso

Como profissional de segurança, saúde e meio ambiente tenho responsabilidade e


compromisso em coordenar, analisar os riscos das atividades laborais, assim como
assessorar o diretor da empresa quanto aos assuntos relativos a segurança, saúde e meio
ambiente.
O profissional EST de uma empresa conhecer os riscos ambientais, riscos laborais e os
riscos associados que afetem a comunidade das redondezas, no caso de uma empresa de
mineração é importante entender que a produção do minério gera resíduos, porém esses
resíduos decorrentes de fases de produção dá-se o nome de rejeitos, cujo
armazenamento é feito através de barragens.
As barragens de rejeitos são construídos com alteamentos sucessivos, com aumento do
volume do reservatório e a capacidade de disposição de rejeitos no método a montante (
nosso caso) os próprios rejeitos compõe o alteamento do dique, como EST preciso
mostrar a alta direção que o Decreto 46993/16 proíbe a construção de novas barragens a
montante isso porque elas são inseguras e frágeis exigindo um controle apurado e
responsável dos riscos associados.
Após conhecer os riscos envolvidos na atividade o profissional de EST tem o papel de
sensibilizar alta direção da empresa da importância de cumprir as normas relacionadas
as atividades operacionais, Cabe ao profissional mostrar através das tragédias de
Brumadinho e Mariana os resultados devastadores ( mortes de dezenas de pessoas ,
poluição devastadora do meio ambiente, contaminação de rios, contaminação de água
potável) da irresponsabilidade da direção de uma empresa em negligenciar as normas e
as recomendações técnicas e de segurança para o bom andamento dos processos.
É importante os diretores conhecerem a NR-22 que regula os requisitos técnicos e
obrigações da empresa ao que se refere a segurança na produção de minério, como
medidas de segurança proponho a empresa a criação do PGR ( Programa de
gerenciamento de risco) que avaliará os riscos, exposição dos trabalhadores,
implementação de medidas de controle e claro o risco de rompimento da barragem. Irei
propor um PAE (Plano de atendimento a Emergências) onde deva constar uma brigada
de emergência na empresa, rotas de fugas, sinalização adequadas, simulações de
emergência periódicas inclusive com evacuação de área para trabalhadores e
comunidades, exigir um plano de segurança de barragens e a declaração de condição de
estabilidade da barragem, todas essas ações visam garantir a funcionalidade da
barragem e minimizar perdas caso aconteça um evento indesejado.
A lei 12334/10 estabelece requisitos para classificação, monitoramento e fiscalização de
barragens que se enquadram em barragens com crista maior que 15metros, capacidade
de reservatório maior que 3.000.000m3 e dano potencial associado em termos
econômicos, sociais, ambientais ou perdas de vida, se a barragem da empresa em que
trabalho tem essas características preciso orientar os diretores sobre a importância de
fazer análise geotécnica da barragem, fazer instrumentação on line de nível de água da
barragem, carga de pressão, inclinação da superfície e subsuperfície da barragem, com
registro de dados para processamentos dos mesmos e interpretação posterior e implantar
tecnologia para redução de água dos rejeitos de mineração.
Cabe ao profissional de segurança lembrar ao diretor sobre o passivo ambiental que
corresponde a soma dos danos ao meio ambiente caso ocorra o acidente e
consequentemente a obrigação de repará-los. Hoje as multas ambientais são milionárias,
com recuperação das áreas afetadas e indenizações, a depender da dimensão do acidente
as multas podem inviabilizar a continuidade operacional. Além do prejuízo financeiro
existe a perda negativando a imagem da empresa, que rapidamente fica classificada
como uma empresa que contamina o meio ambiente e mata pessoas.