Você está na página 1de 134

Boas Razões Para Estudar o Tabernáculo

"O Tabernáculo"

Lembra-se que os hebreus foram sujeitos à escravidão egípcia durante 430


anos? Em Êxodo Capítulo 3, Deus ouve o clamor do seu povo e chama um
homem chamado Moisés. Deus fala com Moisés na sarça ardente, e diz a
para que ele vá até Faraó, Rei do Egito e simplesmente lhe falar, "deixe o
meu povo ir ".

Êxodo 3:12 " E disse: Certamente eu serei contigo; e isto te será por sinal de que eu te enviei: Quando houveres
tirado este povo do Egito, servireis a Deus neste monte."

Note que Ele diz que será um sinal que eles servirão Deus no Monte Sinai. Assim Moisés
vai como o Senhor o instruiu, e depois de uma série de 10 pragas, os filhos de Israel
foram lançados do Egito. Eles foram conduzidos de dia no deserto por uma coluna de
nuvem e a à noite pela coluna de fogo. Quando eles vieram para o Mar Vermelho, o
Senhor dividiu as águas, e eles as atravessaram, e quando o exército egípcio tentou
atravessá-las, as águas desceram neles e eles todos se afogaram. O Senhor os proveu e
sustentou-os e então eles vieram ao Monte Sinai, exatamente como Deus disse a
Moisés, e algo acontece.

No capítulo 19 de Êxodo é que nós vemos a história. Todos os 2 ou 3 milhões de hebreus


estavam acampados ao pé de Monte Sinai, e Deus revela a sua glória, e diz que Ele quer
que eles se santifiquem durante três dias, para então virem e se colocarem diante d'Ele.
Assim eles fizeram, e Deus mostra a Sua força e Seu poder.

Êxodo 19:16 E aconteceu que, ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma
espessa nuvem, e um sonido de buzina mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial.

Eles tremeram da presença d'Ele, dizendo: "Não fale Deus a nós para que não
morramos," e eles não quiseram ir novamente diante d'Ele e assim eles elegeram Moisés
para ser o porta-voz permanente deles, embora o Senhor quisesse que eles fossem um
"reino de sacerdotes" (Ex. 19:6).

É assim, quando o Senhor lhes ordena que construam a estrutura chamada "o
tabernáculo".

Exod 25:1-9 Então o SENHOR falou a Moisés dizendo: "Fale aos filhos de Israel, que me tragam uma oferta
alçada: de todo o homem cujo coração se mover voluntariamente, dele tomarei a minha oferta alçada... E me
farão um santuário, e habitarei no meio deles. Conforme tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e
para modelo de todos os seus vasos, assim mesmo o fareis.

Veja como se parecia:


O Antigo Tabernáculo de Israel

O Tabernáculo era uma tenda portátil com uma armação de madeira, para dar
estabilidade. O santuário inteiro consistia em três partes:

1. um átrio exterior incluído por cortinas apoiadas em pilares. Era oblongo na sua forma,
e a entrada estava no lado oriental.

2. o altar de sacrifício (altar de bronze) estava dentro do átrio, em frente da entrada.

3. o próprio Tabernáculo, localizado à parte ocidental do átrio. O Tabernáculo foi dividido


por um véu ou cortina pendente em duas câmaras. A primeira câmara foi chamada o
Lugar Santo, continha a Mesa, o Candelabro, e o Altar de Incenso. Só os sacerdotes
eram permitidos nesta parte. A segunda câmara foi chamada de Santo dos Santos,
continha a Arca da Aliança. O Sumo Sacerdote entrava no Santo dos Santos uma só vez
no ano, o Santo dos Santos apenas uma vez ao ano, no Dia da Expiação.

Os objetos mais interiores para o Santo dos santos foram construídos de metais
preciosos e tecidos. Os objetos exteriores foram feitos de bronze e outros tecidos. O
Tabernáculo foi coberto por uma tenda, e revestido de tecidos adicionais.

A área de Tabernáculo era de 50 metros de comprimento e 25 metros de largura. Havia


uma cortina de 2,5 metros, feita de linho fino branco, que foi firmado em 60 suportes de
apoio de bronze, que cercavam, e com uma entrada pelo portão oriental. Dentro do átrio
exterior estavam dois artigos de mobília, o altar de bronze, onde tdo os sacrifícios eram
feitos, e a pia de bronze onde os sacerdotes lavaram as suas mãos e os pés.

O Tabernáculo construído estava ao fim do átrio ocidental e era uma estrutura de madeira
revestida de ouro, de 15 x 5 metros, divididos em duas partes por uma cortina pesada
chamada o "Véu". A entrada era uma cortina colorida suportada por 5 pilares. A maior
área construída do tabernáculo (10 x 5 m) , foi chamado "o Santo Lugar" e ali foi
colocado três artigos de mobília dourada. O candeeiro de ouro que iluminava os pães da
preposição à esquerda, a mesa de dos pães da preposição que representava o povo de
Deus à direita, e o altar dourado de incens na parte de trás, o que fala de fazer orações
continuamente. A menor parte construída, (5x 5) do tabernáculo foi chamada de "Santo
dos Santos " e continha apenas a arca da aliança (a arca que continha as duas tábuas da
Lei) e sua tampa, o propiciatório onde o sangue era aspergido uma vez por ano pelo
sumo sacerdote no Dia da Expiação.

Tudo no tabernáculo era portátil de modo que, se a nuvem de glória (Heb. Sh'chinah) se
movia, eles se moviam também a arca, deste modo:
Nm 10:33-36 Assim partiram do monte do SENHOR caminho de três dias; e a arca da aliança do SENHOR
caminhou diante deles caminho de três dias, para lhes buscar lugar de descanso. E a nuvem do SENHOR ia
sobre eles de dia, quando partiam do arraial. Acontecia que, partindo a arca, Moisés dizia: Levanta-te, SENHOR,
e dissipados sejam os teus inimigos, e fujam diante de ti os odiadores. E, pousando ela, dizia: Volta, ó SENHOR,
para os muitos milhares de Israel.

Eles precisavam aprender que era Yahweh quem estava acampado entre eles. Como os
Israelitas marcharam no deserto, os Levitas (tribo sacerdotal) desmontavam o
Tabernáculo, e, a arca era levada pelos sacerdotes, em duas varas, então eles iam com a
nuvem de glória sobre eles. Haviam três famílias procedentes da tribo de Levi que eram
responsáveis para o transporte dos artigos do tabernáculo. O povo de Deus tinha que
perceber que eles eram peregrinos aqui e quando Deus ordenasse que se movessem,
eles precisaram estar prontos. Há algumas coisas muito importantes para se notar
quanto à condição do homem ao estudar o tabernáculo.

Depois do colapso da fé deles, Deus criou algo que atrairia notavelmente os seus cinco
sentidos, assim eles se lembrariam de que eram o povo de Deus. Ao longo do Antigo
Testamento, Deus teve que estimular os sentidos, porque depois de Adão, e até o tempo
de Jesus, o homem estava espiritualmente morto. Deus é Espírito, e todo o homem
conhecia os cinco sentidos (com os quais ele poderia ver, tocar, provar, ouvir, e cheirar).
O Senhor começaria aqui no tabernáculo a entesourar o povo de Israel com cerimônias e
rituais de forma que eles se lembrariam d'Ele. Deus começaria a vincular um sentido ao
povo por Ele governado, com algo espiritual, de forma que eles teria fé simplesmente
pelo que eles viam. Se você pensa no pacto da circuncisão, cada vez que um homem ia
para o banheiro, ele se lembraria do pacto. E o que foi o pacto? Aquele que um dia viria,
o Messias, da nação que Deus iniciou, pelo primeiro hebreu, Abraão. O Messias seria o
salvador de todo o mundo.
Ele começou lhes dando uma estrutura física chamada o tabernáculo, com toda sua
mobília, e sacerdócio, e ofertas. Então Ele lhes daria sacrifícios diários (memoriais) e
orações, sábados semanais, banquetes e festas, alimentos limpos e imundos, e muitas
outras cerimônias e leis escolhidas, que seriam todas lembranças físicas que culminavam
para o Homem que viria, que seria o Messias. Deus lhes deu tantas cerimônias, que
quando Ele veio, eles não sentiriam sua falta. E o que aconteceu? Quando Ele veio eles
sentiram falta d'Ele. Eles eram tão envolvidos em suas tradições e rituais que, quando
Jesus veio, Ele que era a realização de todas as cerimônias, eles estavam
completamente em trevas e não O reconheceram, e acabaram forçando o governador
romano a crucificá-lO. Mas Deus, em Sua maravilhosa onisciência, soube disto e
planejou tudo desde o princípio. Por isso, Ele instituiu o sangue como o meio de
redenção.

Assim o tabernáculo era o princípio das lembranças visíveis de um Deus que é Espírito, e
de Seu plano. Tudo no tabernáculo era um tipo de Jesus. Por isso é que Deus era tão
específico sobre o que eles iam construir com isto. Eles não puderam usar uma mínimo
de imaginação humana "para que não morram". Ouro, prata, bronze, o linho branco fino,
as quatro cores, o óleo da unção, o incenso, tudo apontava Àquele que, "se tornou carne
e habitou (literalmente tabernaculou) entre nós ". Jesus disse, "eu não vim destruir a Lei e
os profetas mas os cumprir." Não é nenhuma maravilha que quando Jesus foi
trespassado Ele bradou, "está consumado". E o véu do templo foi rasgado pelo meio. O
que foi consumado? O cerimonial do Antigo Testamento inteiro, moral, e o direito civil, foi
pregado àquela cruz fora de Jerusalém. Ele veio ser a incorporação e realização da
própria Lei.

Note o que Jesus disse aos dois homens na estrada para Emaús depois de Sua morte:

Lucas 24:25-27 E ele lhes disse: Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!
Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na sua glória? E, começando por
Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras.

Também quando Jesus apareceu vivo aos discípulos dele depois da morte dele:

Lucas 24:44 E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se
cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos.

Se lembre do que a Palavra diz, "toda a Escritura é divinamente inspirada (inspiração de Deus) por
Deus... " Quando nós olharmos a Bíblia, lembre-mo-nos de que é completamente inspirada
por Deus. Quando nós olhamos cada Palavra, temos que nos lembrar que, toda Palavra
é divinamente inspirada. Isso era a visão de Cristo, quanto às Escrituras, que era a visão
dos apóstolos e que deve ser a nossa visão. Esta é a mesma Palavra de Deus. Não
apenas contém a Palavra de Deus, ou apenas uma experiência religiosa, ela é a Palavra
de Deus.

É então algo maravilhoso que cada e todo detalhe da Palavra sobre o tabernáculo tem
significado espiritual? Quando olhamos à estrutura do tabernáculo, e suas partes da
redenção, sem igual, vemos na mobília grande simbolismo e tipologia encontrados nelas.
Lembre-se, que tudo estava apontando o dedo para o Messias. O tabernáculo, como um
tipo, especificamente e em detalhes foi projetado por Deus, apontando ao caráter e
aspectos do ministério de Cristo. Quando Jesus estava acusando as autoridades judaicas
Ele disse, "Vocês transformaram da Casa de Meu Pai em um covil de ladrões," e dizendo,
" Meu Pai " eles souberam que Ele estava reivindicando autoridade Messiânica acima do
templo, e assim eles disseram, que sinal tu nos mostra para que faça essas coisas?" Veja
o que Ele disse:

João 2:19-21 "Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei. Disseram, pois,
os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este templo, e tu o levantarás em três dias? Mas ele falava do
templo do seu corpo."

Eles estavam olhando a estrutura física (Heb. Mikdash) do templo mas Ele disse,
"Destruam este templo" Ele usou a palavra hebraica "Mishkan" que era a palavra usada
no Antigo Testamento para referir a Presença que iluminou o Santo dos Santos, por
ocasião do Yom Kippur, no tabernáculo ou templo. Jesus disse que eu sou o templo
(Mishkan) de Deus. Quando a glória (Heb. Sh'chinah) viria abaixo como um tornado ou
como um funil por cima do Santo dos Santos, a Presença se manifestaria no propiciatório
entre os querubins depois do sangue ter sido aspergido, que era o mishkan. Aquela
Presença foi o que o Jesus disse que, habitava dentro d'Ele. E de fato o Paulo disse
sobre a igreja, não "Não sabeis que sois templo (Mishkan) de Deus?" Nós, como o Corpo
de Cristo, temos a mesma Presença, que habita em nós. Deus não mora agora em
edifícios, mas dentro do Seu povo . Romanos 10 diz que: "Se confessares com a tua
boca que Jesus Cristo é Yaweh (Senhor) e crê em seu coração que Deus O ressuscitou
dentre os mortos, serás salvo." Isto é fácil. A partir desse ponto você se torna o Mishkan
de Deus. Quando Deus disse-lhes "Deixe me fazer um santuário que eu possa habitar entre eles," Ele
disse literalmente "dentro" deles. O plano de Deus sempre foi habitar dentro dos que Lhe
pertencem (Jer. 31:31-33) e pôr o Espírito d'Ele dentro de nós. Quando você aceita
Jesus, você se torna o Mishkan de Deus.

Para você que começa este estudo rico e maravilhoso do tabernáculo, lembre-se que
tudo aponta à Jesus Cristo. Tudo é uma figura d'Ele. Se você pode, inicie agora este
tremendo estudo, que somará um elemento de nova força, e alegria em sua devoção
para com o Senhor.

João 1:12-14 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem
no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de
Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio
de graça e de verdade.
O estudo do tabernáculo é importante.
E uma vez estudado rende grandes recompensas.

A) '50 Capítulos Mencionam o Tabernáculo'

orque pelo menos 50 capítulos (13-Exôdo, 18-Levítico, 13-Números, 2-


Deuteronômio, 4-Hebreus) na Bíblia falam da construção, do ritual, do
sacerdócio, do transporte do tabernáculo, e de todo o seu significado. Também
muitos outros lugares na Escritura falam em linguagem figurada em relação ao
tabernáculo. O que me espanta é a freqüência com que este assunto é
negligenciado, e considerado insignificante.

B) ' Rasgando o Véu'

O próprio Deus pensou tanto na importância do tipo, como demonstrou rasgando do véu:

Mateus 27:50-51 "E Jesus, clamando outra vez com grande voz, rendeu o espírito. E eis que o o véu do templo
se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras;"

Se nós não entendermos na Escritura o significado do Santo dos Santos e do Véu, nós
perdemos informações de extrema importância naquilo que diz respeito ao que,
exatamente, a morte de Cristo significou ao gênero humano pecador.

C) O Tabernáculo é um Tipo de Cristo:

Se lembre do que a Palavra diz, " toda a Escritura é divinamente inspirada (inspiração de Deus) por
Deus... " Quando nós olhamos a Bíblia, nós temos que nos lembrar que ela é
completamente inspirada por Deus. Quando nós olhamos cada Palavra, temos que nos
lembrar que toda Palavra especificamente, é inspirada por Deus. Isso era a visão de
Cristo quando citou as Escrituras, e que era a visão dos apóstolos, e essa deve ser
nossa visão. Esta é a mesma Palavra de Deus. Não contém um pouco da Palavra de
Deus, ou apenas aponta para uma experiência religiosa. Esta é a Palavra de Deus.

É então algo espantoso notar que cada, e todo detalhe e Palavra sobre o tabernáculo
tem significado espiritual? Como nós olhamos à estrutura do tabernáculo, isto é, suas
partes sem igual de mobília remissória, há grande simbolismo e tipologia neles
encontrados. Lembre-se que tudo era o dedo apontando para o Messias. O tabernáculo,
como um tipo, especificamente, e em detalhes projetado por Deus, apontaria ao caráter e
aspectos do ministério de Cristo. Quanto mais nós ficamos familiarizados com o
tabernáculo, mais nós ficamos familiarizados com Cristo e tudo aquilo que Ele quer dizer
a nós. Isso que uma grande razão para ficar familiarizado com as Escrituras relacionadas
ao tabernáculo.

Hebreus 10:20 "Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne,"

Colossenses 2:17 "Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo."

João 1:14 "E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai,
cheio de graça e de verdade."
D) é uma Representação do Verdadeiro Tabernáculo no Céu:

O Senhor quer que nós estejamos atentos à Sua natureza e Seu caráter. Até mesmo os
anjos não entendem completamente a natureza e o caráter de Deus, mas eles aprendem
ao assistir os Seus procedimentos com a Sua igreja (Efésios 3). Coisas realmente estão
acontecendo na dimensão divina e o Senhor quer revelar a nós o que aconteceu no céu
depois da ressurreição de Cristo. Realmente há um tabernáculo real no Paraíso, e Cristo
apareceu diante do trono de céu como o Cordeiro de Deus (Apocalipse 5). Não há
nenhuma dúvida que algumas destas coisas são um mistério mas quanto mais nos
achegarmos de Deus e da Sua Palavra, mais Ele se aproxima de nós.

Hebreus 9:11 "Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo,
não feito por mãos, isto é, não desta criação,"

E) A Presença d'Ele no Santo dos Santos está na Igreja:

O Jesus disse que "eu sou o templo (Mishkan) de Deus." Quando a glória (Heb.
Sh'chinah) viria abaixo como um tornado ou direito do funil pelo telhado do Santo dos
Santos e a Presença se manifestaria no propiciatório entre os querubins depois que o
sangue foi aspergido, era o mishkan. Aquela Presença era o que Jesus disse que morava
dentro d'Ele. E de fato Paulo disse sobre a igreja, não "Não sabeis vós que sois o templo
(Mishkan) de Deus?" Nós, como o corpo de Cristo, temos a mesma Presença que habita
dentro de nós. Deus não mora agora em edifícios mas dentro do Seu Povo.

I Coríntios 6:19 " Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente
de Deus, e que não sois de vós mesmos? "

F) O Seu Ensino Cobre quase toda a Verdade Ensinada no Novo Testamento.

O estudo do tabernáculo é de tão rico significando ao cristianismo e tão cheio de


significado Messiânico que nós podemos gastar toda a nossa vida no estudo disto, e só
poderíamo começar a entender as riquezas e a profundidade da verdade que está dentro
do estudo do tabernáculo.

Romanos 15:4 "Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e
consolação das Escrituras tenhamos esperança."

G) Ao Estudar o Tabernáculo nossa fé será fortalecida na verdade Bíblica.

É possível assegurar que qualquer um que estudou os detalhes maravilhosos do


tabernáculo, confessará que a Bíblia é mais que apenas um livro. Nenhum homem
poderia ter imaginado isto. A Bíblia é a Palavra de Deus.

" toda a Escritura é divinamente inspirada por Deus..."


Os materiais foram exatamente especificados por Deus.
Qualquer desvio traria morte certa

Os Materiais usados
Os Materias Santos

ós temos que nos lembrar que os Israelitas saíram do Egito como o povo de
Deus. Eles eram os descendentes de Abraão, o primeiro hebreu. É importante
lembrar-nos do juramento que Deus fez quando Ele fez a aliança da
circuncisão com Abraão:

Gen 15:13-14 "Então disse a Abrão: Sabes, de certo, que peregrina será a tua descendência em terra alheia, e
será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos,mas também eu julgarei a nação, à qual ela
tem de servir, e depois sairá com grande riqueza.

E eles realmente saíram com grandes possessões, como diz:

Êxodo 3:20-22 " Porque eu estenderei a minha mão, e ferirei ao Egito com todas as minhas maravilhas que farei
no meio dele; depois vos deixará ir. E eu darei graça a este povo aos olhos dos egípcios; e acontecerá que,
quando sairdes, não saireis vazios, porque cada mulher pedirá à sua vizinha e à sua hóspeda jóias de prata, e
jóias de ouro, e vestes, as quais poreis sobre vossos filhos e sobre vossas filhas; e despojareis os egípcios."

Êxodo 12:35-36 " Fizeram, pois, os filhos de Israel conforme à palavra de Moisés, e pediram aos egípcios jóias
de prata, e jóias de ouro, e roupas. E o SENHOR deu ao povo graça aos olhos dos egípcios, e estes lhe davam o
que pediam; e despojaram aos egípcios."

Quando os Israelitas vieram ao Monte Sinai, o Senhor os instruiu sobre o que eles
deveriam trazer como oferta alçada (dar espontânea e voluntariamente) de maneira que
eles pudessem construir o tabernáculo. Note o que Deus falou a respeito do lugar da Sua
habitação - o Tabernáculo: (versos mais importantes)

Êxodo 25:1-9 " ENTÃO falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel, que me tragam uma oferta
alçada; de todo o homem cujo coração se mover voluntariamente, dele tomareis a minha oferta alçada. E esta é
a oferta alçada que recebereis deles: ouro, e prata, e cobre, e azul, e púrpura, e escarlata (carmesim), e linho
fino, e pêlos de cabras, e peles de carneiros tintas de vermelho, e peles de texugos, e madeira de acácia, azeite
para a luz, especiarias para o óleo da unção, e especiarias para o incenso, pedras de ônix, e pedras de engaste
para o éfode e para o peitoral. E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. Conforme a tudo o que eu te
mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus pertences, assim mesmo o fareis."

Estes materiais são relacionados exatamente como Deus havia especificado (nada mais
e nada menos) porque cada um deles tinha significado simbólico específico, relativo ao
verdadeiro Tabernáculo celestial e a Jesus Cristo. Em nada poderia haver o acaso ou a
imaginação humana, porque se o Senhor vai morar e lançar a sua tenda entre nós, como
homem, então o homem vai aproximar-se do modo d'Ele, e não há exceção. Os detalhes
de sua construção seriam um padrão temporal, daquilo Deus faria um dia
permanentemente por meio de Jesus Cristo. O Tabernáculo se tornaria um modelo visível
de como nós vemos a Deus por meio de Jesus. Olhemos os materiais a serem usados na
construção do Tabernáculo e lembremo-nos que agora temos que examinar o simbolismo
com um fundo hebraico. O Antigo Testamento está repleto de linguagem simbólica, que
pode ser interpretada na luz do contexto da Bíblia hebraica:

Materiais (ordenados por Deus)

'Ouro' (Divindade)

De acordo com Ex 38 eles deram 1269 Kg de ouro. O Ouro Puro ao longo das escrituras
fala da divindade, que não pode ser imitada pelo homem. Ouro é feito por Deus e vem de
Deus. Ouro fala da deidade de Jesus Cristo. Simboliza a glória divina do Senhor Jesus
como o "Filho de Deus" e "Deus, o Filho". De acordo com Ex 38 eles deram 1269 Kg de
ouro.
Jesus na sua carne em nada era diferente de Jeová. Ele é "Malach Yaweh," Jeová, o Rei.
Isaías viu o Senhor poderoso e exaltado nas alturas, como Rei, em toda a Sua glória.
João no Novo Testamento fala-nos que era Jesus quem ele viu:

João 12:41 "Isaías disse isto quando viu a sua glória e falou dele."

'Prata' (Redenção)

De Prata vieram 4350 Kg. Ao longo das Escrituras, a prata figuradamente fala de
redenção. Sempre era usada como preço de redenção:

Êxodo 30:16 " E tomarás o dinheiro das expiações dos filhos de Israel, e o darás ao serviço da tenda da
congregação; e será para memória aos filhos de Israel diante do SENHOR, para fazer expiação por vossas
almas. "

O tabernáculo estava apoiado em bases de prata. José e Jesus foram vendidos em preço
de prata. Judas foi pago com moedas de prata como dizem as Escrituras. Prata é preço
de redenção. Prata é símbolo da redenção realizada por Jesus Cristo. Isto prefigura a
preciosidade de Cristo como o resgate para os pecadores. Também note que não há
prata alguma mencionada no céu. As pessoas já terão sido redimidas.

Marcos 10:45 Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em
resgate de muitos. "

'Bronze' (Juízo)

Um total de 3035 kg de bronze foi empregado para uso em lugares onde se necessitava
de força excepcional, e a resistência ao calor eram importantes. O Bronze tem um ponto
de fusão a 1,985ºC. Era importante no altar onde o intenso calor estava presente. O
bronze é uma liga de cobre e zinco. Não é metal, pois é uma liga de cobre e zinco.

Bronze representa juízo. Quando Moisés fez a serpente de bronze, falou do poder da
serpente, que é julgada através de se elevar o Filho de Deus:

Num 21:9 " E Moisés fez uma serpente de metal, e pô-la sobre uma haste; e sucedia que, picando alguma
serpente a alguém, quando esse olhava para a serpente de metal, vivia. "

O Bronze representa juízo. Simboliza o caráter divino de Cristo que levou n'Ele o fogo da
ira de Deus, em santidade e justiça, se tornando oferta pelo pecado.

2 Cor 5:21 "Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de
Deus."

Mateus 27:46 " E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus
meu, Deus meu, por que me desamparaste? "

Azul (Céu)

Tecido de linho bordado com linhas de cor azul, purpúra, e escarlate. O hebreu usava
mariscos para extrair o azul. Uma tintura brilhante foi excretada deste molusco. Esta cor
luminosa sempre é mencionada primeiro. O homem precisou de algo que sugestionasse
a idéia de céu como um lugar no qual Deus se revela mais completamente do que na
terra. Então a cor azul representa o céu, a cor do céu. O azul sempre foi mencionado ao
longo do tabernáculo para lembrar o homem de que o seu destino é céu, e por causa de
nosso Redentor, nós somos destinados a estar na Presença de Deus. O azul fala
daquele que vem do alto ("do alto" é uma expressão judaica para o céu). Lembra-se
quando a mulher tocou a orla azul das vestes de Jesus? Nós vemos os versos de amor
em azul, na vida de nosso Senhor Jesus Cristo que não só era divino em sua origem,
mas em seus modos e natureza.

Jo 3:31 "Aquele que vem de cima é sobre todos; aquele que vem da terra é da terra e fala da terra. Aquele que
vem do céu é sobre todos."

'Púrpura' (Realeza)

Os hebreus obtinham esta cor ao misturar o azul e a escarlata juntos. Esta intensa cor
vermelho-purpúrea era uma cor de realeza (Real).

Juízes 8:26 E foi o peso dos pendentes de ouro, que pediu, mil e setecentos siclos de ouro, afora os
ornamentos, e as cadeias, e as vestes de púrpura que traziam os reis dos midianitas, e afora as coleiras que os
camelos traziam ao pescoço.

A cor púrpura simboliza a Jesus como Rei dos reis e Senhor dos senhores, mas há outra
importante verdade. A mistura de azul e escarlata. Azul fala do que vem do alto, e
escarlata, como nós veremos, representa sangue e morte, sacrifício. Púrpura é uma
combinação de ambos, que falam de Cristo como Deus e Homem, o Homem que veio de
céu para morrer. De algum modo misterioso Ele levou consigo a semelhança de carne
pecadora.

Isaías 33:17 Os teus olhos verão o rei na sua formosura, e verão a terra que está longe.

'Fio de escarlata' (Sacrifício)


A escarlata era extraída de um inseto Oriental (verme) que infesta certas árvores. Eram
juntadas, esmagadas, secadas, e transformadas em um pó que produzia uma matiz
carmesim brilhante. Escarlata fala de sacrifício e simboliza a Cristo em seus sofrimentos.
O Salmo 22, de crucificação traz citações de Jesus, como dizendo - "eu sou um verme".
Deus, de alguma maneira deu a Ele mesmo, um corpo de carne e sangue, e então
morreu, e dá a Sua vida como um resgate por nós todos, sendo esmagado nos moinhos
da justiça de Deus

Efésios 5:2 " E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e
sacrifício a Deus, em cheiro suave. "

Hebreus 9:26 " De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas
agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.
"

'Linho Fino' (Pureza)

O linho era muito interessante. Feito de um linho egípcio, foi tecido finamente, branco
resplandescente, e levou um nome especial, "byssus ". Este material era usado para
artigos de vestuário para a realeza e pessoas de posição, e foi achado nas tumbas dos
Faraós. Foi encontrado em uma tumba, linho com 152 linhas por polegada na urdidura e
72 linhas por polegada no tecido. Linho branco sempre fala de pureza e retidão:

Apocalipse 15:6 "E os sete anjos que tinham as sete pragas saíram do templo, vestidos de linho puro e
resplandecente, e cingidos com cintos de ouro pelos peitos."

Apocalipse 3:5 "O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do
livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos."

Apocalipse19:14 " E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e
puro. "

Os tecido de linho fino branco fala de retidão e simboliza Jesus, o Filho de Homem,
imaculado, puro, e sem pecado.

I João 3:3-5 " E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro.
Qualquer que comete pecado, também comete iniqüidade; porque o pecado é iniqüidade. E bem sabeis que ele
se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado."
Pêlos de Cabras (Oferta pela maldição do pecado)

As cabras eram comuns naqueles dias, e eles usavam o leite, a carne, a pele era usada
para muitas coisas como garrafas de água, etc., e o pêlo delas que era muito longo,
escuro e liso, era trançado e tecido em pano. Davi tinha cabelos como pêlos negros de
cabra.
A cabra era um animal sacrificial. A coberta de pêlos de cabra era a primeiro cortina sobre
o tabernáculo. Esta cor desbotada nos fala de Jesus na sua humildade e pobreza. Peles
de cabra eram usados pelos pobres, e ao longo da Bíblia representa pobreza extrema.

Hebreus 11:37 Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de
ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados

Lucas 9:58 E disse-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do homem não tem
onde reclinar a cabeça.

E o pêlo fala de Cristo como separado, da mesma maneira que o pêlo teve de ser
separado da cabra, assim Cristo teve que sacrificar a Si mesmo, tirando das suas vestes
para prover vestes para outros.

Outro ponto interessante sobre a cabra, é que ela era usada no Dia da Expiação. Depois
que o sumo sacerdote levasse o sangue aspergido no Santo dos santos, ele entraria no
átrio do tabernáculo e poria as mãos dele na cabeça do bode expiatório e confessaria em
cima dele os pecados do povo. O bode era conduzido então, por um homem já
preparado, ao deserto, e lá era deixado livre, significando que lá foram levados os
pecados de Israel, que Deus havia perdoado. Isto nos faz lembrar de Jesus, humilde e
pobre, se tornando por nós maldição, e, que podemos ter os nossos pecados lançados
fora, na terra do esquecimento.

2 Coríntios 5:21 Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça
de Deus.

Peles de Carneiro tingidas de vermelho (Sacrifício Substitutivo)

Estas estavam costuradas juntamente com tiras de couro para formar a camada protetora
seguinte da cobertura do tabernáculo. Um carneiro é uma ovelha masculina crescida, e o
líder do rebanho. Um pastor pode ter um ou dois carneiros em um rebanho de ovelhas
para que haja uniformidade. O carneiro sempre está para os olhos do judeu como um
animal substituto, fiel até a morte. Por isto, é claro porque Deus proveu um carneiro como
um substituto para Isaque, naquele dia quando a fé de Abraão foi manifesta.

Gênesis 22:12-13 Então disse: Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei
que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único filho. Então levantou Abraão os seus olhos e olhou;
e eis um carneiro detrás dele, travado pelos seus chifres, num mato; e foi Abraão, e tomou o carneiro, e
ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho.

As peles de carneiro foram tingidas de vermelho para representar o sacrifício de um


substituto. Assim Jesus como o cabeça do gênero humano, o último Adão, sacrificou a
Sua própria vida, como um substituto, para todos os que n'Ele creêm.

Hebreus 2:9 Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os
anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.
Hebreus 2:17 Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo
sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo.

João 1:29 No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o
pecado do mundo.

Peles de texugo (aparência exterior sem atrativo)

Peles de texugo eram a coberta final, a cobertura exterior que todos viam. Elas eram
resistentes e duráveis e muito simples em sua aparência. Mas como isto fala de Cristo?
Fala de Cristo como homem. Não havia nenhuma beleza externa no tabernáculo, e assim
era Cristo quando Ele veio para a terra, quando Ele montou o Seu tabernáculo entre os
homens. Como o profeta predisse:

Isaías 53:1-2 QUEM deu crédito à nossa pregação? E a quem se manifestou o braço do SENHOR? Porque foi
subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando
nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.

O que Jesus foi para aos judeus? Nada mais que alguém que passou, uma pele de
texugo dura. O que é Jesus para o mundo hoje? Nada mais que alguém que passou,
uma pele de texugo dura. Mas para nós, que abriram seus corações a Ele, Ele é muito,
muito mais. Ele é o Único digno de louvor, Ele é a " Rosa de Sarom ", o " Lírio dos Vales",
e o " mais Formoso entre os 10.000 " para nossas almas. Se qualquer um desejar olhar
além da carne exterior que o cobre, verá a transfiguração da glória de Cristo. Alguma
coisa boa pode vir de Nazaré "? e Jesus diz, " Vem e vê ".

João 1:10-14 Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu,
e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus,
aos que crêem no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do
homem, mas de Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do
unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.

Madeira de Acácia (a humanidade Incorruptível) também chamada de Madeira de Cetim

A árvore de Shittah cresce nos desertos do Sinai, e nos desertos ao redor do


Mar Morto. A madeira é dura, muito pesada, indestrutível por insetos, e é fina,
de belo grão . É notavelmente exuberante em lugares secos e às vezes
atinge uma altura de vinte pés. Tem amáveis flores amarelas e resistentes a
insetos, sendo que, a madeira da Acácia era usada para fazer caixões para
múmias.

A madeira de Acácia fala sem dúvida, da humanidade incorruptível de Cristo, porque nos
é dito que a humanidade dele nunca viu a corrupção.
Salmo 16:10 Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.

Ele era o verdadeiramente humano, "Cristo Jesus, homem ". A Bíblia o chama de , "o filho
de Maria", e o "filho do homem ". Um corpo foi preparado para Ele:

Hebreus 10:5 "Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, Mas corpo me preparaste;"

E aquele corpo, Ele ainda possui, em uma forma glorificada. "Este mesmo Jesus" volta
agora dos céus para nós, e também nos glorificará:

1 João 3:2 "Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas
sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos."

Romanos 8:18-21 "Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para
comparar com a glória que em nós há de ser revelada. Porque a ardente expectação da criatura espera a
manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa
do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para
a liberdade da glória dos filhos de Deus."

'Óleo' (A Unção do Espírito)

O óleo era obtido ao esmagar os frutos da oliveira na terra. Óleo, como nós sabemos, era
o líquido usado quando eram ungidos o profeta, o sacerdote, e o rei nos dias do Antigo
Testamento. E em passagens como estas:

1 João 2:20 "E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo."

1 Samuel 16:13 "Então Samuel tomou o chifre do azeite, e ungiu-o no meio de seus irmãos; e desde aquele dia
em diante o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi; então Samuel se levantou, e voltou a Ramá."

Isaías 32:15 " Até que se derrame sobre nós o espírito lá do alto; então o deserto se tornará em campo fértil, e o
campo fértil será reputado por um bosque. "

Nós temos base bíblica para ver o óleo como um tipo do Espírito Santo. Na Bíblia a
árvore de Oliveira é simbolo de muitas coisas:

a) Beleza

Oséias 14:6 " Estender-se-ão os seus galhos, e a sua glória será como a da oliveira, e sua fragrância como a do
Líbano. "
b) Fertilidade

Salmo 52:8 " Mas eu sou como a oliveira verde na casa de Deus; confio na misericórdia de Deus para sempre,
eternamente."

c) Riqueza

Juízes 9:9 " Porém a oliveira lhes disse: Deixaria eu a minha gordura, que Deus e os homens em mim prezam, e
iria pairar sobre as árvores?"

O Espírito Santo, então, como o óleo de oliva, é o que possui tudo aquilo o homem
precisa para a vida e a piedade. Riqueza, fertilidade, e beleza são todos Seus, em uma
medida abundante. Jesus foi ungido por Deus como profeta, sacerdote, e rei. Tudo o que
Cristo fez estava cheio de riqueza, fertilidade, e beleza porque Ele é o templo do Espírito
Santo e cheio de toda a plenitude:

João 3:34 " Porque aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus; pois não lhe dá Deus o Espírito por
medida."

É interessante que as azeitonas não eram batidas ou apertadas, mas esmagadas. Assim
Jesus foi esmagado no Jardim de Getsêmani (Heb. Prensa de Óleo) e então, pela
mesma ira de Deus em uma cruz romana, como as Escrituras dizem:

Isaías 53:10 " Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por
expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do SENHOR prosperará na
sua mão. "

O óleo da unção era restringido apenas para uso no tabernáculo, qualquer um que
violasse a ordem seria morto. O óleo de oliva devia ser puro e nada mais que puro,
porque representa o Espírito Santo de Cristo. A palavra o "Cristo" é a fórmula grega para
o hebraico "Mashiach" (Messias) os quais significam " o Ungido", literalmente "o que é
coberto com óleo". O óleo também foi usado para ungir o Santo Tabernáculo e a sua
mobília, e iluminar o candeeiro de ouro.

Especiarias para o óleo e incenso (Doce e suave fragrância para Deus)

Havia três especiarias para serem adicionadas ao puro incenso e ao óleo:

Ex 30:34 Disse mais o SENHOR a Moisés: Toma especiarias aromáticas, estoraque, e onicha, e gálbano; estas
especiarias aromáticas e o incenso puro, em igual proporção;

a) Estoraque
Um pó das gotas de uma resina endurecida e fragrante encontrada na cortiça do arbusto
de Mirra. A palavra significa " uma gota ".

b) Onicha
Um pó da cobertura córnea da concha de um molusco idêntico a um marisco encontrado
no Mar Vermelho. Quando queimado, este pó libera um aroma penetrante. A palavra
hebraica para - concha aromática". O Mar Vermelho é um bolsão de água morna isolada
do Oceano Índico e é conhecido por suas subespécies peculiares de molucos.

c) Gálbano
Uma resina pungente, castanha que aparece na parte mais baixa do talo de uma planta
de Ferula. Esta erva encontrada no Mar Mediterrâneo com talos espessos, flores
amarelas, e verde como folhas de samambaia. Tem um cheiro almiscarado, pungente e é
valioso porque preserva o odor de um perfume misturado, e permite a sua distribuição
por um período longo de tempo.

Nestas especiarias ou perfumes nós vemos a Jesus como o doce aroma, que traz alegria
para o coração do Pai. Quando misturado com o óleo de oliva, nós vemos o iluminante e
doce trabalho do Espírito de Cristo, e quando misturado com o puro incenso nós vemos a
doçura da oração como um "doce aroma aspirado pelas narinas de Deus." Estes
perfumes apropriadamente apontam à Cristo.

Jo 8:29 " E aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe
agrada."

Ef 5:2 "E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e
sacrifício a Deus, em cheiro suave."

2 Cor 2:15-16 " Porque para Deus somos o bom perfume de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem.
Para estes certamente cheiro de morte para morte; mas para aqueles cheiro de vida para vida. E para estas
coisas quem é idôneo?"
Tipologia
A Escritura e os Números
As Quatro Cores
As Vestes Sacerdotais

Sl 111:2 Grandes são as obras do SENHOR, procuradas por todos os que nelas tomam prazer.

s obras do Senhor são temerosas e examiná-las de perto é um dos maiores


prazeres que qualquer um pode experimentar. As obras do homem, quanto
mais são examinadas, rapidamente causam enfado. Com o tempo podem
ser entendidas.

As obras de Deus, quanto mais nós as examinamos e as olhamos, nos atraem ainda
mais. Qualquer coisa na criação de Deus - a terra, o ar, as estrelas, o quanto mais nós as
estudamos, mais teremos que admitir que não sabemos nada.

As pequenas e as mais minúsculas coisas revelam a obra das mãos de Deus. Um inseto
pequeno ou um pequeno floco de neve revela arte surpreendente. E a Palavra de Deus,
da mesma forma, é obra das mãos de Deus. Totalmente inesgotável. Olhar na superfície
é uma coisa, olhar nos detalhes é outra. Nós podemos nos gastar estudando isto toda a
vida e apenas podemos começar a aprender as suas riquezas e criatividade. Até mesmo
as partes mais isoladas revelam a mesma perfeição. A grande beleza de toda a Bíblia
revelar a pessoa e a obra de Jesus Cristo. Ele é a chave da Escritura. Ele é a uma
grande idéia da Bíblia. Conheça a Cristo, entenda os pensamentos de Deus sobre Ele, e
você entenderá a Bíblia.

Rom 15:4 Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e
consolação das Escrituras tenhamos esperança.

2Tim 3:16-17 Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir,
para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa
obra.

De fato, os tipos são um conjunto de quadros, diretamente da mão de Deus pelo qual Ele
ensinaria para o Seu povo coisas incompreensíveis.

Se nós sabemos a realidade, nós podemos compreender a representação, e quanto mais


conhecemos a realidade, maior será a habilidade para entender o quadro. Eu ouvi dizer,
"Nós podemos explicar um pouco sobre como uma máquina trabalha, mas o engenheiro,
que está familiarizado com todo parafuso e porca, poderia mostrar exatamente todos os
detalhes". Como nós estudamos o tabernáculo, estaremos examinando os tipos e as
sombras, e o seu significado em relação à Cristo e a sua obra. Antes de nos movermos,
olhemos um pouco de teologia.

Um pouco de Teologia

O Tabernáculo era uma representação e uma cópia do verdadeiro Tabernáculo no céu e


um tipo de Cristo.

Isto nos leva para um muito importante e muitas vezes mal entendido método de
interpretação bíblica conhecido como 'tipologia'. O termo é derivado da palavra grega f
'typos' que significa 'modelo' ou ' figura'. Paulo disse:

Rom 5:14 No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à
semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir.

Note diz que o Adão era uma "figura"(um tipo) d'Aquele que havia de vir. Um 'tipo' pode
ser definido como:

'um evento, pessoa ou objeto que por sua natureza e significado prefigura ou prenuncia
algum evento posterior, pessoa ou objeto'.

Os Tipos sempre se originam na realidade e histórico, e eles são proféticos em natureza


e apontam adiante a alguma pessoa ou evento que hão de vir. Eles são todos dirigidos
para o "Mashiach " (Heb. para Messias). Os judeus sabiam que o seu Messias era o
"Haba" ou "O que vem" e todos os seus profetas falaram d'Ele. Mas pensando bem,
agora nós podemos ver mais claramente como cada dos tipos figurativos e sombras
apontavam ao Messias.
O tipo nos ajuda a entender o que é pensado acerca do cordeiro que o Israelita oferecia
como um sacrifício para o pecado que ele havia cometido:

Lev 4:32 Mas, se pela sua oferta trouxer uma cordeira para expiação do pecado, sem defeito trará.

Centenas de anos depois, aquele cordeiro poderia ser reconhecido como sendo um 'tipo'
de Jesus Cristo porque apontou adiante Àquele a quem João Batista identificou
distintamente como , 'o Cordeiro de Deus':

João 1:29 No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o
pecado do mundo.

O significado de qualquer tipo no Antigo Testamento poderia não ser aparente até que o
'antitipo' ou a realização tivessem vindo. É importante notar que tudo no Antigo
Testamento é um tipo do qual algo no Novo Testamento é o antitipo. Um exemplo disto é
a experiência de Jonas com a qual Cristo usou um 'tipo' da sua própria ressurreição.

Mat 12:40 "Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem
três dias e três noites no seio da terra. "

No caso do Tabernáculo e o seu padrão de aproximação de Deus, nós estamos em solo


firme, e de nenhum modo lendo no texto considerando isto como um tipo do que há de
vir. O livro de Hebreus no Novo Testamento torna isto muito claro quando trata do
assunto do sacrifício:

Heb 9:23-24 De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem;
mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes. Porque Cristo não entrou num
santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a
face de Deus;

Nesta passagem o Tabernáculo é chamado 'uma figura (uma cópia)' do que realizou o
Messias. Então nós temos o Tabernáculo chamado 'uma cópia' (ou tipo) de Jesus Cristo,
o verdadeiro sacrifício. Novamente em Hebreus, nos é falado sobre o serviço dos
sacerdotes na terra:

Heb 8:4-6 "Ora, se ele estivesse na terra, nem tampouco sacerdote seria, havendo ainda sacerdotes que
oferecem dons segundo a lei, Os quais servem de exemplo e sombra das coisas celestiais, como Moisés
divinamente foi avisado, estando já para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o
modelo que no monte se te mostrou. Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador
de uma melhor aliança que está confirmada em melhores promessas."

Eles servem em um santuário que é uma cópia (exemplo) e sombra do que está no céu.
Note a expressão, 'um exemplo e uma sombra. ' Estas palavras falam sobre um tipo da
realidade final. O escritor discute as ações do Sumo Sacerdote no dia da expiação, que
tinha que ser repetido ano após ano no tabernáculo, em Hebreus 9:9:

Heb 9:9 " Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à
consciência, não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço; "

Assim nós temos autoridade bíblica para uma interpretação tipológica deste assunto que
fala de numerosas 'cópias, sombras e ilustrações do que há vir.'
Também é interessante notar que quando João fala de Cristo na introdução do seu
evangelho ele diz:

João 1:14 "E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai,
cheio de graça e de verdade."

Ele usa um verbo grego que corresponde ao substantivo 'tabernáculo' de forma que em
sua declaração, ele declara literalmente: 'o Verbo se fez carne, e tabernaculou (ou lançou
a sua tenda) entre nós'.

Tipologia
A Escritura e os Números
As Quatro Cores
As Vestes Sacerdotais

a mente judaica o assunto dos números é de grande importância. Ao longo


das Escrituras há referências óbvias a números específicos que eram
habilmente colocados lá pelo Espírito Santo por causa de algum significado
especial. Patrick Fairbairn disse:

"Se Deus deu para todas as coisas o seu significado, e definiu os seus limites de acordo com tempo, espaço,
poder, e número, e se Ele designou certas medidas para regular coisas e tempos, os números Bíblicos devem
ser simbólicos, e são merecedores de nosso estudo; e como um assunto apto para estudo, as leis pelas quais
este simbolismo de números é controlado, deve ser averiguado ".

O intento de interpretar precisamente o simbolismo de quaisquer destes números, em


uma passagem bíblica, geralmente não satisfaz todos os intérpretes, mas algumas
interpretações asseguram a verdade em muitos casos.

O Número 3

O número 3 parece representar tríades de perfeição na Bíblia. Às vezes de bem e às


vezes de mal. Por exemplo:

O Trino Deus - o Pai, Filho, e Espírito Santo.


A trindade do mal - O dragão, anticristo, e o falso profeta.
A trindade da bênção - graça, misericórdia, e paz.
A trindade da maldade - O mundo, a carne, e o diabo.
Céu, terra, e o inferno.
Começo, meio, e fim.
A advertência em Tessalonicenses a todas as declarações de três dobras.

A trindade das Escrituras - A lei, os profetas, e escritos.


Jesus subiu no terceiro dia.
Note o que Paulo menciona sobre Salvação:

II Coríntios 1:10 "O qual nos livrou de tão grande morte, e livra; em quem esperamos que também nos livrará
ainda"

O Homem é espírito, alma e corpo.


O Tempo é passado, presente, e futuro.
O espaço é tridimensional: comprimento, largura, e altura.
O universo é espaço, tempo, e matéria.

Semelhantemente na Bíblia, muitos rituais são levados a cabo em três dias, orações e
jejuns anuais. O Três também é freqüentemente associado com o sacrifício de animais,
que teve que ter três anos (Gênesis 15:9); O fruto que não seria colhido até três anos
depois da árvore ser plantada (Levítico 19:23).

O Número 4

O Número 4 dá a idéia de representar o controle absoluto de Deus sobre o planeta.


As 4 direções na terra (norte, sul, leste, e oeste).
As 4 estações (verão, outono, inverno, e primavera).
Os 4 elementos que compõem o universo (tempo, energia, espaço, e matéria).
As 4 principais provisões para homem (terra, ar, fogo, e água).
As 4 divisões do dia (manhã, meio-dia, tarde, e meia-noite).
OS 4 ventos (Mateus 24:31)

A Bíblia menciona o número 4 muitas vezes: (Aqui só algumas)

João 11:17 "Chegando, pois, Jesus, achou que já havia quatro dias que estava na sepultura."

João 19:23 "Tendo, pois, os soldados crucificado a Jesus, tomaram as suas vestes, e fizeram quatro partes,
para cada soldado uma parte; e também a túnica. A túnica, porém, tecida toda de alto a baixo, não tinha
costura."

Apocalipse 7:1 "E depois destas coisas vi quatro anjos que estavam sobre os quatro cantos da terra, retendo os
quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem contra árvore
alguma"

Apocalipse 9:13 "E tocou o sexto anjo a sua trombeta, e ouvi uma voz que vinha das quatro pontas (chifres) do
altar de ouro, que estava diante de Deus"

Apocalipse 21:16 "E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E
mediu a cidade com a cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais."

* Note todas as vezes em que o 4 é usado em Provérbios 30


* O quarto homem na fornalha ardente.
* Os 4 generais que assumiram reino de Alexandre (quebrado por Deus).
* Os 4 impérios mundiais (bestas) de Daniel
* Os 4 chifres (poderes gentis) de Zacarias

O Quatro parece representar a ordem do universo, como nas quatro fases da lua, os
quatro pontos cardeais, os quatro rios do Paraíso (Gênesis 2:10), os quatro ventos de
céu (Jeremias 49:36), os quatro guardiães do trono de Deus, e assim sucessivamente.

Mas o número quatro também pode representar quando Deus que traz calamidades, por
exemplo, os Quatro Cavaleiros que trazem calamidade na terra (Apocalipse 6:1-8) e os
quatro decretos de Julgamento (espada, escassez, bestas más, e pestilência) com que
Deus condena os idólatras de Jerusalém (Ezequiel 14:21).

O Número 5

Porque o homem tem 5 dedos, 5 dedos do pé, e 5 sentidos, o número 5 parece ser o
número da fraqueza humana. Ele é considerado fraco e dependente. O número 5 pode
falar da fraqueza e inabilidade do homem, ou a força e a habilidade de Deus. Alguns
exemplos interessantes:

* Os 5 pães não eram bastante para alimentar a grande multidão.


* Os 5 irmãos em Lucas 16 não puderam se salvar a si mesmos do lado de fora do
hades.
* Os 5 maridos não puderam satisfazer a mulher do poço.

O Número 6

É visto que o número 6 representa a pecaminosidade e a fraqueza do homem e a


inabilidade para alcançar a perfeição. Por causa do pecado, o homem tem que trabalhar
durante 6 dias para se lembrar do seu pecado. Também pode ser visto o 6 como o
número do mal e seu desenvolvimento pleno. A rebelião correrá seu curso completo com
o homem da iniqüidade e o número do nome dele, 666.

O Número 7

O número 7 fala da perfeição ou plenitude. A provisão completa de Deus nos seus


procedimentos para com os homens.

Alguns exemplos:

7 dias fazem uma semana completa


7 cores fazem um espectro perfeito
7 grandes massas de terra fazem a terra completa
7 notas fazem uma escala perfeita
7 grandes corpos de água formam um oceano completo

Houve os 7 dias de criação como também muitos outros exemplos ao longo das
Escrituras:

Zacarias 3:9 "Porque eis aqui a pedra que pus diante de Josué; sobre esta pedra única estão sete olhos; eis que
eu esculpirei a sua escultura, diz o SENHOR dos Exércitos, e tirarei a iniqüidade desta terra num só dia."

Apocalipse 1:4 "João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e
que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono;"
Para o judeu todo 7º dia era um Sabbath.
Todo 7º ano era um ano Sabático.
Depois que do 7º ano de Sabático era o ano de Jubileu.
Todo 7º mês era santo e tinha 3 festas.
Havia 7 semanas entre a Páscoa e Pentecostes.
A Festa da Páscoa durava 7 dias.
A Festa dos Tabernáculos durava 7 dias.
Na Páscoa, 14 cordeiros (Duas vezes 7) eram oferecidos diariamente.
Na Festa dos Tabernáculos 14 cordeiros (Duas vezes 7) e foram oferecidos 70 bois.
No Pentecoste foram oferecidos 7 cordeiros.
O tempo de luto por um morto foi fixado em 7 dias.

e assim por diante...

O Sete continua tendo proeminência simbólica no Novo Testamento, com Jesus


revelando a Pedro que não é bastante que ele perdoe o irmão que havia pecado contra
ele sete vezes, mas "setenta vezes sete" (Mateus 18:21-22). Sete também é o número
dos cristãos de fala grega designados pelos Doze Apóstolos em Atos 6:3.

O Novo Testamento conclui em uma "grande onda de setes, com sétuplos, explícitos e
implícitos, se mostrando em muitos versos ".

No Livro de Apocalipse havia:


As 7 cartas para as 7 Igrejas.
Os 7 Selos de Juízos
Os 7 Trombetas de Juízos
Os 7 Taças de Juízos
O 7 Candelabros Dourados
As 7 Estrelas
Os 7 Anjos
Os 7 Espíritos de Deus
O Cordeiro com 7 Chifres e 7 Olhos.
As 7 Lâmpadas de Fogo
Os 7 Trovões
O Dragão Vermelho Ardente com 7 cabeças e 7 Coroas.
O Leopardo como Besta com 7 cabeças.
A Besta cor de Escarlate com 7 cabeças.
Os 7 Montes
Os 7 Reis
Tradição Judaica

De acordo com tradição judaica a criação do primeiro homem foi completada em 7 horas:

" Como Adão foi criado? Na primeira hora foi foi ajuntado o pó; na segunda foi criada a sua forma; na terceira
ele se tornou uma massa informe; na quarto foram unidos os seus membros; na quinta foram abertos os seus
orifícios; na sexta ele recebeu a sua alma; na sétimo ele se levantava sobre seus pés. . ." [O Talmude]

O Número 8

É visto que o Número 8 representa o número dos novos começos. Uma criança
masculina era circuncidada ao 8º dia. O Sábado sagrado durou 7 dias e o 8º dia era o dia
de Senhor, o novo dia . O número 8 fala de Jesus, e a Nova Aliança. A Igreja se
encontrava no 8º dia, ou o primeiro dia, o novo dia.

O Número 10

O número 10 é um número muito significante na Bíblia. Examinando os usos do número


10 nas Escrituras, isto parece representar o fracasso humano e a provisão de Deus. Por
exemplo:

- Os 10 espias não viram Deus dar poder e provisão, assim eles trouxeram um mau
relatório:

Números 13:32 "E infamaram a terra que tinham espiado, dizendo aos filhos de Israel: A terra, pela qual
passamos a espiá-la, é terra que consome os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de
grande estatura."

- As 10 tribos falharam em andar com Deus e fazer a Sua vontade. Então, eles
estabeleceram um reino separado dado à idolatria:

I Reis 11:31 "E disse a Jeroboão: Toma para ti os dez pedaços, porque assim diz o SENHOR Deus de Israel: Eis
que rasgarei o reino da mão de Salomão, e a ti darei as dez tribos."

II Reis 17:22-23 "Assim andaram os filhos de Israel em todos os pecados que Jeroboão tinha feito; nunca se
apartaram deles; Até que o SENHOR tirou a Israel de diante da sua presença, como falara pelo ministério de
todos os seus servos, os profetas; assim foi Israel expulso da sua terra à Assíria até ao dia de hoje."

- Diante de Daniel os mágicos e astrólogos eram 10 vezes mais fracos e insuficientes:

Dan 1:20 "E em toda a matéria de sabedoria e de discernimento, sobre o que o rei lhes perguntou, os achou dez
vezes mais doutos do que todos os magos astrólogos que havia em todo o seu reino."

- Os 10 leprosos estavam impossibilitados se curar, eles precisaram de Jesus:

Lucas 17:12 " E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de
longe; "
O Número 12

Ao que parece o número 12 representa o número do governo de Deus.

A Bíblia conta que Jacó-Israel teve 12 filhos (Gênesis 35:22-27) e que cada um destes se
tornou o fundador de uma das Doze Tribos de Israel, o povo de Deus (Gênesis 49:28).
Jesus escolheu Doze Apóstolos (Mateus 10:2-4) para o início da Igreja. Haviam 24
classes de sacerdotes e levitas (I Crônicas 24:4) e 48 cidades de levitas (Numeros 35:7).

E novamente no Livro de Apocalipse, o número 12 fica muito evidente por simbolizar a


salvação do povo de Deus. Há 24 anciões ao redor do trono de Deus e 144.000 dos
salvos (Apocalipse 4:4; 7:4). é vista a perfeição da Nova Jerusalém em seus 12 portões,
com cada "uma única pérola," e 12 fundamentos, cada um adornado com jóias. Sua
circunferência é de 12.000 estádios, e seus muros são de 144 cúbitos de altura
(Apocalipse 21:10-21; Ezequiel 48:30-35).

O Número 40

O número 40 aparece como um número arredondado na Escritura, que denota uma


geração. Alguns dos juízes julgaram durante 40 anos (Otniel, Débora, Baraque, e
Gideão). Saul, Davi, e Salomão que reinaram cada um como rei durante 40 anos.

As Escrituras falam freqüentemente do número 40:


As chuvas do Dilúvio duraram 40 dias e 40 noites
Moisés esteve 40 anos no Egito , 40 anos em Midiã, e no Monte 40 dias.
Israel vagou no deserto 40 anos.
Os espiões estiveram em Canaã por 40 dias.
Elias jejuou 40 dias.
Foram dados 40 dias a Nínive.
Jesus jejuou 40 dias
Jesus esteve com os seus discípulos durante 40 dias após a sua ressurreição (Atos 1:3).

O Sacerdote
A Consagração dos Sacerdotes
As Vestes Sacerdotais

Clique ao redor da imagem do Sumo Sacerdote


'As Vestes Sacerdotais

'O Vestuário do Sumo Sacerdote' (Cap. 28)

sta seção está principalmente preocupada com a descrição das vestes


cerimoniais do sumo sacerdote conhecidos como os ornamentos de glória e
beleza. Nas cores e estilos, as vestes dos sacerdotes eram ricas em
significados porque elas descreviam as belezas maravilhosas de Cristo, o
Sumo Sacerdote e também os privilégios e deveres de todos os sacerdotes
de Deus, sejam os do
Antigo Testamento ou todos os crentes do Novo Testamento. Nas suas vestes de glória e
beleza, Arão se tornou tipicamente aquilo que Jesus Cristo era de modo intrínseco em
todo o seu ser, em pureza e santidade.

'O Éfode' (28:6-14, 39:2-7)

As roupas dele tiveram que ser feitas especialmente por aqueles que tinham sido
dotados de habilidade particular para a tarefa. Por cima de um manto de trabalho, o
Sumo Sacerdote usava uma vestimenta chamada de 'éfode', feito de linho com ouro,
azul, purpúra e escarlata. Estendia-se para a frente e para atrás do corpo, em duas
partes que foram apertadas junto ao ombro através de duas pedras de ônix fixadas em
ouro. Em cada uma destas foram gravadas os nomes das doze tribos de Israel. Foram
colocados seis nomes, em ordem de nascimento, em um ombro e seis no outro. Isto
significa que todas as vezes que o Sumo Sacerdote entrava no Santo Lugar, ele levava
os nomes das tribos diante do Senhor, e de acordo com o caráter de sacerdote, ele
representava estas diante de Deus.

Exod 28:6-14 E farão o éfode de ouro, e de azul, e de púrpura, e de carmesim, e de linho fino torcido, de obra
esmerada. Terá duas ombreiras, que se unam às suas duas pontas, e assim se unirá.
E o cinto de obra esmerada do seu éfode, que estará sobre ele, será da sua mesma obra, igualmente, de ouro, de
azul, e de púrpura, e de carmesim, e de linho fino torcido.
E tomarás duas pedras de ônix, e gravarás nelas os nomes dos filhos de Israel, seis dos seus nomes numa
pedra, e os outros seis nomes na outra pedra, segundo as suas gerações; Conforme à obra do lapidário, como o
lavor de selos lavrarás estas duas pedras, com os nomes dos filhos de Israel; engastadas ao redor em ouro as
farás.
E porás as duas pedras nas ombreiras do éfode, por pedras de memória para os filhos de Israel; e Arão levará
os seus nomes sobre ambos os seus ombros, para memória diante do SENHOR.
Farás também engastes de ouro, e duas cadeiazinhas de ouro puro; de igual medida, de obra de fieira as farás; e
as cadeiazinhas de fieira porás nos engastes. "

De modo geral, um éfode era um manto ou xale, mas para o Sumo Sacerdote era um
artigo de vestuário exterior particular, no estilo de uma túnica ou avental. Foi feito de linho
azul, purpúra e escarlata e havia linhas douradas tecidas nele. Foi feito em dois pedaços
unidos junto aos ombros com ganchos dourados. Cada gancho era fixo com uma pedra
de ônix gravada.

Tradição Judaica

De acordo com Josefo, as pedras de ônix gravadas foram projetadas nos ombros de forma que os nomes dos
seis filhos primogênitos foram gravado na pedra à direita do ombro, e os seis filhos mais jovens na pedra no
ombro esquerdo.

O éfode como um todo, com suas cores diferentes e materiais, simboliza a Cristo em seu
ministério de Sumo Sacerdote. Cristo, o Sumo Sacerdote leva o seu povo nos seus
ombros, o lugar de força e assento de poder. Os ombros também falam de levar um
fardo, Cristo, o Sumo Sacerdote leva todo o fardo.

'A Faixa ou Cinto'

A frente e atrás do éfode foi feito como as vestes, uma faixa ou cinto que foram
colocados sobre a cintura do sacerdote . E era de linho azul, purpúra, e escarlate
entrelaçado com linhas douradas. No linguagem da Escritura o sacerdote devia ser
'cingido' com este cinto, para que ele fosse vestido completamente nos seus vestuários
dele e preparado e pronto para servir.

'O Peitoral' (28:15-29, 39:8-21)

Por cima do éfode, o Sumo Sacerdote usava um peitoral que era uma bolsa de
aproximadamente 22 cm2 feito de material formosamente tecido. Na frente do peitoral
foram firmadas as doze pedras preciosas em quatro filas de três. Em cada uma destas
pedras foi gravado o nome de uma das tribos de Israel:

Êxodo 28:15-29 " Farás também o peitoral do juízo de obra esmerada, conforme à obra do éfode o farás; de ouro,
de azul, e de púrpura, e de carmesim, e de linho fino torcido o farás.
Quadrado e duplo, será de um palmo o seu comprimento, e de um palmo a sua largura.
E o encherás de pedras de engaste, com quatro ordens de pedras; a ordem de um sárdio , de um topázio, e de
uma esmeralda; esta será a primeira ordem; e a segunda ordem será de uma turquesa, de uma safira, e de um
diamante; e a terceira ordem será de um jacinto, de uma ágata, e de uma ametista; e a quarta ordem será de um
berilo, e de um ônix, e de um jaspe; engastadas em ouro serão nos seus engastes.
E serão aquelas pedras segundo os nomes dos filhos de Israel, doze segundo os seus nomes; serão esculpidas
como selos, cada uma com o seu nome, para as doze tribos.
Também farás para o peitoral cadeiazinhas de igual medida, obra trançada de ouro puro.
Também farás para o peitoral dois anéis de ouro, e porás os dois anéis nas extremidades do peitoral.
Então porás as duas cadeiazinhas de fieira de ouro nos dois anéis, nas extremidades do peitoral;
E as duas pontas das duas cadeiazinhas de fieira colocarás nos dois engastes, e as porás nas ombreiras do
éfode, na frente dele.
Farás também dois anéis de ouro, e os porás nas duas extremidades do peitoral, na sua borda que estiver junto
ao éfode por dentro.
Farás também dois anéis de ouro, que porás nas duas ombreiras do éfode, abaixo, na frente dele, perto da sua
juntura, sobre o cinto de obra esmerada do éfode.
E ligarão o peitoral, com os seus anéis, aos anéis do éfode por cima, com um cordão de azul, para que esteja
sobre o cinto de obra esmerada do éfode; e nunca se separará o peitoral do éfode.
Assim Arão levará os nomes dos filhos de Israel no peitoral do juízo sobre o seu coração, quando entrar no
santuário, para memória diante do SENHOR continuamente. "

O peitoral era de feito um pedaço de tecido elaborado, acabado do mesmo material que o
éfode. Eram duas tiras dobradas, em si mesmas para formar uma bolsa quadrada na
qual foram colocados o Urim e Tumim. O peitoral estava fixo em seu lugar por cadeias
douradas presas aos ganchos do ombro, de ônix e também por tiras azuis que
prenderam o peitoral ao éfode. Evidentemente, havia um anel dourado pequeno preso a
cada canto do peitoral para qual em troca foram conectadas as cadeias douradas e as
tiras. As pedras no peitoral representaram as doze tribos de Israel, e eles foram levados
continuamente diante do Senhor como um memorial. Já que as doze pedras estavam em
um peitoral, eles falam da unidade do povo de Deus; enquanto a posição deles no peito
de Arão fala do afeto de Deus para com o seu povo. Os nomes no peitoral sempre
estavam perto do coração de Arão da mesma maneira que com Cristo e os seus
queridos.

Tradição Judaica

Em tempos modernos os rolos da Torah da sinagoga são embrulhados freqüentemente em veludo azul ou
purpúreo ou em tecido de seda. Um lâmina de peito (peitoral) adorna o rolo, e são colocadas uma coroa ou
coroas de prata e ouro com sinos à tinir em seus rolos; estes recordam alguns dos artigos do vestuário do
Sumo Sacerdote.

'Urim e Tumim' (28:30, cf. Num. 27:21, 1 Sam.28:6)

Não se sabe com certeza o que o Urim e Tumim realmente eram, mas provavelmente
eles podem ter sido duas pedras preciosas, possivelmente pedras preciosas que eram
idênticas em sua forma. Um ou o outro poderia ser tirado da bolsa para prover um sim ou
não, em resposta ao buscar o Senhor para direção.
Exod 28:30 " Também porás no peitoral do juízo Urim e Tumim, para que estejam sobre o coração de Arão,
quando entrar diante do SENHOR: assim Arão levará o juízo dos filhos de Israel sobre o seu coração diante do
SENHOR continuamente."

Na Escritura foi citado explicitamente que o Urim e Tumim estavam no peitoral,


parecendo que eles estavam separados das doze pedras montadas no lado de fora. O
nome Urim quer dizer "luzes", enquanto Tumim quer dizer "perfeições"; e estes
significados conduziram alguns para colocá-las como sendo talvez pedras flamejadas de
um modo particular para indicar "sim" ou "não".

"Nós não podemos tirar nenhuma outra conclusão senão a de que o Urim e Tumim sejam considerados como um meio,
dado pelo Senhor ao seu povo, através do qual, sempre que a congregação necessitasse da iluminação divina para guiar
suas ações, esta iluminação estaria garantida. Quando Deus estava descontente com o seu povo em uma história uma
pouco mais recente, Ele recusou permitir o Urim e Tumim funcionar como meio de direção. Aparentemente quando faltou
ao homem a maioria da revelação da Palavra de Deus, este requereu alguma outra fonte de informação da vontade
divina. "

Keil e Delitzsch - Comentário do Antigo Testamento

Num 27:21 " E apresentar-se-á perante Eleazar, o sacerdote, o qual por ele consultará, segundo o juízo de Urim,
perante o SENHOR; conforme a sua palavra sairão, e conforme a sua palavra entrarão, ele e todos os filhos de
Israel com ele, e toda a congregação."

1 Sam 28:6 E perguntou Saul ao SENHOR, porém o SENHOR não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim,
nem por profetas. "

Não há nenhum registro deste método usado para descobrir a direção de Deus depois do
tempo de Davi e do ministério dos profetas.

'O Manto do Éfode' (28:31-35, 39:22-26)

Debaixo do éfode do Sumo Sacerdote havia um manto azul. Foram presos sinos
(campainhas) dourados à orla e romãs do mesmo material penduradas entre os sinos.

Exod 28:31-35 " Também farás o manto do éfode, todo de azul. E a abertura da cabeça estará no meio dele; esta
abertura terá uma borda de obra tecida ao redor; como abertura de cota de malha será, para que não se rompa.
E nas suas bordas farás romãs de azul, e de púrpura, e de carmesim, ao redor das suas bordas; e campainhas
de ouro no meio delas ao redor. Uma campainha de ouro, e uma romã, outra campainha de ouro, e outra romã,
haverá nas bordas do manto ao redor, e estará sobre Arão quando ministrar, para que se ouça o seu sonido,
quando entrar no santuário diante do SENHOR, e quando sair, para que não morra."

O manto do éfode era um vestuário feito de tecido azul sem manga azul usado
diretamente em baixo do éfode e estendendo-se algumas polegadas, provavelmente
debaixo dele. Aparentemente havia uma fila de romãs bordados na orla (veja Ex 39:24)
intercalados com tinir de sinos dourados que soavam quando o sacerdote se movia. Os
sinos falam de escutar a Deus enquanto se está em seu serviço, e a sua música traz uma
certa alegria. As romãs falam de frutificação (sementes abundantes) e é um símbolo da
Palavra de Deus como alimento espiritual doce e agradável. O som dos sinos poderia ser
ouvido quando Arão entrava no Santo Lugar diante do Senhor, e o seu povo ao escutar
saberia que ele não tinha sido morto na presença de Deus, mas que a sua oferta por eles
havia sido aceita por Deus.

Exod 28:35 " E estará sobre Arão quando ministrar, para que se ouça o seu sonido, quando entrar no santuário
diante do SENHOR, e quando sair, para que não morra."

'A Mitra e Coroa' (28:36-38, 39:30, 31)

Na sua cabeça, o Sumo Sacerdote usava um turbante ou mitra de linho fino que era
ligado ao redor da cabeça em rolos, como um turbante ou tiara. Na frente da mitra na
testa de Arão, presa por uma tira azul, havia a lâmina dourada gravada SANTIDADE AO
SENHOR. Esta era uma lembrança constante da aliança de santidade para o povo de
Israel e para o Sumo Sacerdote em seu chamado. O Senhor disse a Moisés, 'Fala a toda
a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Santos sereis, porque eu, o SENHOR
vosso Deus, sou santo. ' (Lev. 19:2).

Exod 28:36-38 " 36 Também farás uma lâmina de ouro puro, e nela gravarás como as gravuras de selos:
SANTIDADE AO SENHOR. E atá-la-ás com um cordão de azul, de modo que esteja na mitra, na frente da mitra
estará; E estará sobre a testa de Arão, para que Arão leve a iniqüidade das coisas santas, que os filhos de Israel
santificarem em todas as ofertas de suas coisas santas; e estará continuamente na sua testa, para que tenham
aceitação perante o SENHOR. "

Estando marcado em seu interior, o Sumo Sacerdote simbolizava a verdadeira santidade


na terra, na qual só Israel poderia ser aceito diante de Deus. Ele verdadeiramente era o
homem mais importante na Terra. A posição distinta da lâmina dourada na testa de Arão
deu significado especial e caráter a todos os artigos de vestuário e para o seu ofício. Se
praticando a santidade, Arão poderia ser assegurado de que ele estava qualificado para o
serviço divino e foi aceito por Deus como um mediador entre Deus e o povo de Israel.
'As Vestimentas comuns do Sacerdote' (28:39-43, 39:27-29)

Exod 28:39-43 "Também farás túnica de linho fino; também farás uma mitra de linho fino; mas o cinto farás de
obra de bordador. Também farás túnicas aos filhos de Arão, e far-lhes-ás cintos; também lhes farás tiaras, para
glória e ornamento. E vestirás com eles a Arão, teu irmão, e também seus filhos; e os ungirás e consagrarás, e
os santificarás, para que me administrem o sacerdócio. Faze-lhes também calções de linho, para cobrirem a
carne nua; irão dos lombos até as coxas. E estarão sobre Arão e sobre seus filhos, quando entrarem na tenda da
congregação, ou quando chegarem ao altar para ministrar no santuário, para que não levem iniqüidade e
morram; isto será estatuto perpétuo para ele e para a sua descendência depois dele."

Os sacerdotes que ministravam no Santo Lugar usaram estas vestimentas: Uma túnica
longa (o casaco bordado) com mangas de linho branco, tecido ao longo, sem costura,
compridas calças brancas do quadril até a coxa, um quepe de linho branco ou mitra,
como um turbante, masde forma cônica, e uma faixa ou cinto tecidos do mesmo material
que o véu (Ex 39:29).

Tradição Judaica

De acordo com fontes judaicas, ambas as extremidades do cinto cobriam o solo, exceto quando o sacerdote
estava ministrando, quando eles eram lançados por cima do seu ombro esquerdo. A faixa ou cinto eram de
várias metros de comprimento e eram passados muitas vezes ao redor do corpo entre as axilas e os quadris.
Uma tradição interessante declara que as vestes velhas dos sacerdotes eram desfiadas e com os fios foram
feitos pavios para as luminárias do tabernáculo e do templo.
Como sacerdotes ordenados, embora em vestes simples e de status secundário, os filhos
de Arão falam dos crentes de hoje; enquanto Arão, o Sumo Sacerdote, nas suas
vestimentas de beleza e glória, fala de Cristo nosso grande Sumo Sacerdote.

O SACERDOTE

Israelita arrependido que tinha levado até o portão do tabernáculo o seu


sacrifício, havia alcançado o altar de bronze, e somente até aqui onde ele
poderia se aproximar de Deus. Depois daqui, era de responsabilidade dos
sacerdotes irem por ele, e concluir os ofícios sacerdotais no Lugar Santo.

Isto eles faziam como representantes do povo. Era um grande privilégio o seu chamado
para o servir ao Senhor mais próximos do que o restante da congregação de Israel, ou
daquilo que foi designado aos levitas.

A definição universal de um sacerdote é:

Um ministro autorizado de uma deidade, que, em nome de um povo ,


oficia ao altar, e em outros ritos, agindo como um mediador entre a deidade e o homem ".

A definição Bíblica de um sacerdote é:

"Um oficial escolhido, ou um príncipe, habilitado por Deus, para se aproximar de Deus para ministrar em favor
do povo. Ele é responsável para oferecer os sacrifícios divinamente ordenados por Deus, para executar os
diferentes ritos e cerimônias referentes à adoração a Deus, e por ser um mediador entre Deus e o homem".

Um sacerdote é alguém que faz os sacrifícios, realiza os rituais e age como um mediador
entre Deus e o homem. Isto significa que ele é responsável por oferecer aquilo para o
qual foi divinamente designado por Deus, para executar os diferentes ritos e cerimônias
referentes à adoração a Deus, e ser um mediador entre Deus e homem.

Como nós vimos, os Levitas foram escolhidos como esses, para servir ao Senhor, e eram
tomados da tribo de Levi, da qual os sacerdotes eram escolhidos. Eles se originaram de
uma família, a de Arão e de seus quatro filhos dele, Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar. Mas
devido à morte de Nadabe e Abiú, a sucessão sacerdotal passou para Eleazar e Itamar,
de cuja linhagem vieram os sacerdotes em Israel.

Os seus deveres estavam divididos em funções. (Serviço, Ensino, e Oração)

1) o primeiro era ministrar no santuário, que nesta época era o tabernáculo, mas quando
Israel se tornou uma nação povoada foi o templo.

2) Em segundo, os sacerdotes eram responsáveis para ensinar ao povo a lei de Deus.


3) Por fim, quando a nação buscava a Deus, eram os sacerdotes que oravam para
pedindo direção.

Algo da importância do sacerdote na adoração do Antigo Testamento pode ser visto do


fato de que no hebraico a palavra para sacerdote 'kohen' ocorre quase 800 vezes. É
interessante que o verbo kahan (da mesma raiz de kohen) é usado no Antigo Testamento
para descrever o noivo que se enfeita com ornamentos.

Os Sacerdotes usavam roupas distintas sempre que eles estavam ministrando no altar ou
entravam no Santo Lugar. A roupa deles tinha que estar limpa e pura antes de se
aproximar de Deus.

Cristo Nosso Sacerdote

Os sacerdotes de Israel eram apenas sombras do nosso Grande Sumo Sacerdote , o


Senhor Jesus Cristo. Algumas passagens nos dão uma compreensão da perfeição
encontrada no caráter sacerdotal de Cristo:

(1) Cristo como Sacerdote foi designado e escolhido por Deus


Hebreus 5:5 "Assim também Cristo não se glorificou a si mesmo, para se fazer sumo sacerdote, mas aquele que
lhe disse: Tu és meu Filho, Hoje te gerei.".

(2) Ele foi consagrado com um juramento


Hebreus 7:20-22 "E visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram
feitos sacerdotes, mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu
és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque), de tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador."

(3) Ele não tem pecado


Hebreus 7:26 " Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e
feito mais sublime do que os céus;"

(4) O Seu sacerdócio é inalterável.


Hebreus 7:23-24 "E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram
impedidos de permanecer, mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo."

(5) O Seu oferecimento é perfeito e definitivo.


Hebreus 9:25-28 " Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano
entra no santuário com sangue alheio; De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a
fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado
pelo sacrifício de si mesmo. E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,
Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem
pecado, aos que o esperam para salvação."

(6) Ele Intercede continuamente


Hebreus 7:24-25 " Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo. 25 Portanto, pode
também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles."
(7) Ele é o único Mediador
I Timóteo 2:5 "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem."

A CONSAGRAÇÃO DO SACERDOTE

A Consagração dos Sacerdotes (Ch. 29)

sacerdócio de Israel foi outorgado à família de Arão, da tribo de Levi, e o ofício


era hereditário, de forma que somente por nascimento alguém podia ganha
entrada. Os primeiros sacerdotes eram: Arão, Nadabe, Abiú, Eleazar, e Itamar.
Hoje, todos os crentes são os sacerdotes, pois o novo nascimento, nos inclui
neste privilégio de compromisso espiritual.

O Novo Testamento dá base para que o crente considere a Cristo o seu Sumo Sacerdote.
Hebreus 3:1 "Por isso, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e
sumo sacerdote da nossa confissão."

O Senhor ordenou cerimônias e sacrifícios específicas para consagrar um sacerdote, nos


quais eram levados sete dias. A cerimônia envolvia o oferecimento de um boi e dois
carneiros juntos, com pães sem fermento, e uma oferta de bebida, de vinho. Há menção
específica da unção de Arão com óleo, e o fato de que cada um dos sacerdotes
participava impondo as mãos no sacrifício para identificar-se com ele. Também, cada
sacerdote eleito participou de uma porção do sacrifício em um banquete cerimonial. O
sacerdote eleito foi lavado cuidadosamente com água (como um tipo de pureza pessoal
ou santificação), e eles também foram aspergidos com sangue (como um tipo de pureza
legal ou justificação).
Antes de que qualquer sacerdote pudesse cumprir o seu chamado, ele tinha que passar
por um ritual solene que durava sete dias. As instruções dadas por Deus começaram com
a declaração:
Exôdo 29:1 "Isto é o que lhes hás de fazer, para os santificar, para que me administrem o sacerdócio..."

O que segue é um ato de consagração para o serviço e para 'santificar', ou seja,


'estabelecer algo ou separar alguém' para o serviço particular de Deus. A cerimônia foi
ministrada por Moisés e aconteceu à entrada do tabernáculo dentro do pátio.

A Purificação

Em primeiro lugar, era preciso uma limpeza simbólica, lavando o corpo inteiro, esse foi o
primeiro ato.

Depois, quando levando a cabo a sua tarefa, o sacerdote freqüentemente teria que lavar
as suas mãos e pés na Pia de bronze, o que simboliza a sua necessidade de constante
limpeza, no que as suas mãos fizeram, e onde os seus pés foram.

A Unção

Depois disto, os sacerdotes foram vestidos nas suas vestimentas características, e as


suas cabeças ungidas com óleo de oliva, misturado com especiarias:
Êxodo 30:22-30 " Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: Tu, pois, toma para ti das principais especiarias, da
mais pura mirra quinhentos siclos, e de canela aromática a metade, a saber, duzentos e cinqüenta siclos, e de
cálamo aromático duzentos e cinqüenta siclos, e de cássia quinhentos siclos, segundo o siclo do santuário, e
de azeite de oliveiras um him. E disto farás o azeite da santa unção, o perfume composto segundo a obra do
perfumista: este será o azeite da santa unção. E com ele ungirás a tenda da congregação, e a arca do
testemunho, e a mesa com todos os seus utensílios, e o candelabro com os seus utensílios, e o altar do
incenso. E o altar do holocausto com todos os seus utensílios, e a pia com a sua base. Assim santificarás estas
coisas, para que sejam santíssimas; tudo o que tocar nelas será santo. Também ungirás a Arão e seus filhos, e
os santificarás para me administrarem o sacerdócio. "

Falando da Arca da Aliança que é levada ao templo em Jerusalém, muitos anos depois,
no Salmo 132:9 diz:
Salmo 132:9 " Vistam-se os teus sacerdotes de justiça, e alegrem-se os teus santos. "

A mensagem é que, depois que fosse limpo espiritualmente, se vestissem de justiça, e a


unção que vem do Espírito Santo, é derramada no sacerdote, para o preparar para o
serviço especial de Deus.

As Ofertas

No âmago da cerimônia de iniciação estava a oferta pelo pecado. Os homens que


representariam as pessoas diante de Deus têm que ter os seus próprios pecados
perdoados em primeiro lugar. Diariamente durante sete dias eles ofereciam um novilho.
Como com a oferta pelo pecado, o novilho tinha que ser morto, e seu sangue aplicado
nos quatro chifres do altar antes de ser vertido para fora, e partes de seu corpo eram
queimadas.

Um cordeiro foi oferecido então em um ato de dedicação. Esta era uma oferta queimada
no qual o sacrifício em sua totalidade foi consumido nas chamas de altar.
Finalmente, diariamente durante sete dias, um carneiro era oferecido para os sacerdotes
e uma cerimônia especial foi feita depois deste último sacrifício. Depois que as mãos
deles tivessem sido postas no animal, e o cordeiro morto, Moisés levou um pouco de seu
sangue e o aplicou nos lóbulos das orelhas direitas de Arão e de seus filhos, também nos
dedos polegares das suas mãos direitas, e finalmente no dedão do pé direito deles.
Exôdo 29:20 " E imolarás o carneiro e tomarás do seu sangue, e o porás sobre a ponta da orelha direita de Arão,
e sobre as pontas das orelhas direitas de seus filhos, como também sobre os dedos polegares das suas mãos
direitas, e sobre os dedos polegares dos seus pés direitos; e o restante do sangue espalharás sobre o altar ao
redor."

Esta era a cerimônia de consagração, destes homens que estavam separados para o
serviço de Deus.

O Tabernáculo era uma tenda portátil com uma armação de madeira para dar estabilidade. O santuário inteiro
consistia em três partes: (1) um átrio externo cercado por cortinas apoiadas em colunas. Era oblongo em sua
forma, e a sua entrada estava ao lado oriental. (2) o altar de holocausto (altar de bronze) estava dentro do átrio,
em frente à entrada. (3) o próprio Tabernáculo foi localizado à parte ocidental do átrio. O Tabernáculo foi dividido
por um véu ou cortina pendente em duas câmaras. A primeira câmara chamada de Lugar Santo, contendo a
Mesa, o Candelabro, e o Altar de Incenso. Só os sacerdotes eram permitidos nesta seção. A segunda câmara
chamada o Santo dos Santos, contendo a Arca da Aliança. O Sumo Sacerdote adentrava somente uma vez ao
ano no Santo dos Santos, no Dia da Expiação. Os objetos reservados para o Santo dos Santos foram construídos
de metais preciosos e tecidos. Os destinados às áreas mais externas foram feitos de bronze e tecidos e materiais
comuns. O Tabernáculo foi coberto por uma tenda e coberturas de tecido.

'O Átrio Exterior'


santuário do tabernáculo estava ao lado ocidental, sendo a metade de um
pátio retangular, cujas dimensões eram 100 x 50 cúbitos (50 x 25 metros). O
tabernáculo estava situado de Leste para Oeste, tendo a entrada ao Leste. A
nuvem da Glória de Deus desceu no tabernáculo:

Exod 40:38 Porquanto a nuvem do SENHOR estava de dia sobre o tabernáculo, e o fogo estava de noite sobre
ele, perante os olhos de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas.

Qualquer israelita poderia entrar nos átrios, mas só a tribo sacerdotal poderia ir, no
Tabernáculo, e apenas o Sumo Sacerdote poderia ir além, no Santo dos Santos, uma vez
por ano no dia do Yom Kippur, O Dia da Expiação.

A Aproximação de Deus

As palavras de Deus para Moisés eram muito claras acerca da maneira como eles
deveriam se aproximar de Deus. Eles nunca tinham se aproximado Deus enquanto eram
escravos no Egito, mas se sentaram à mesa com Ele por ocasião da libertação, comeram
a Páscoa apressadamente em suas casas, pois eles estavam deixando a terra de
escravidão e estavam preparando-se para a jornada à terra prometida. Mas enquanto
isso, Deus tinha se revelado em Sua santidade no Monte Sinai e, eles completamente
horrorizados, foram conscientizados de que nenhum homem poderia se aproximar de
Deus, a não ser seu líder Moisés. Mas Deus quis que eles fossem um reino sacerdotal, e
aproximar-se-iam d'Ele, e teriam uma relação contínua da mesma maneira que o marido
e a mulher.

Então Deus lhes revelou um padrão de adoração que era consistente com a Sua
santidade, tornando possível para o homem pecador entrar em Sua presença . Este
padrão de adoração estava no tabernáculo inteiro, e Deus começou a lhes revelar que
tudo aquilo estava envolvido no sangue de um sacrifício expiatório, com o qual eles
estavam identificados, mas não completamente.

Começou com a consciência de pecado na vida de cada indivíduo. Assim quando um


Israelita reconhecia que ele havia pecado, e que isto o separou de Deus, se ele quisesse
ser perdoado, iria buscar o seu lugar junto a Deus no tabernáculo.

Quando ele (o pecador) se aproximava, achava uma parede de linho branco formando
uma barreira contra ele. Tendo ao redor 300 cúbitos (150 metros) exceto em uma
extensão de 20 cúbitos (10 metros) onde era diferente. Era conhecida como A Porta de
Entrada. Não era formada de linho branco mas era multi-colorido em tecido branco, azul,
purpúra e carmesim. Era distinto, e destacado o modo pelo qual o pecador poderia ter
acesso para o átrio da casa de Deus. (Veja A Porta de Entrada).

Sl 84:2 A minha alma está desejosa, e desfalece pelos átrios do SENHOR; o meu coração e a minha carne
clamam pelo Deus vivo.

Sl 84:10 Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a
habitar nas tendas dos ímpios.
Clique ao redor da imagem abaixo

OCIDENTE
MANASSÉS BENJAMIM
EFRAIM
GERSONITAS

GADE NAFTALI

RÚBEN DÃ

COATITAS MERARITAS

SUL SIMEÃO ASER NORTE

.......................... .........................
MOISÉS...ARÃO...SACERDOTES

ISSACAR JUDÁ ZEBULOM

ORIENTE

'O Acampamento de Israel'

< de Escritos os com acordo>Moisés haviam aproximadamente 600.000


homens e também mulheres e crianças que deixaram o Egito no êxodo. Eles
saíram do Egito em grau e registraram como foram as suas jornadas no deserto
e o acampamento das doze tribos ao redor do Tabernáculo, em locais
especificados pelo Senhor.

<Ex 12:37-38 "Assim partiram os filhos de Israel de Ramessés para Sucote, cerca de seiscentos mil a pé,
somente de homens, sem contar os meninos. E subiu também com eles muita mistura de gente, e ovelhas, e
bois, uma grande quantidade de gado."

As Doze Tribos

Cada uma das doze tribos teve uma área específica do acampamento para habitar.
Quando os seus antepassados tinham partido ao sul rumo ao Egito aproximadamente
400 anos antes, eles tinham constituído uma família de doze tribos, cada uma
encabeçada por um dos filhos de Jacó, que foi chamado por Deus de Israel. Enquanto
eram escravos no Egito, eles preservaram as suas divisões familiares, e durante os anos
as famílias dos doze filhos transformaram-se em famílias tribais ou tribos. Um bom
exemplo está em Josué:

Js 7:14 " Amanhã, pois, vos chegareis, segundo as vossas tribos; e será que a tribo que o SENHOR tomar se
chegará, segundo as famílias; e a família que o SENHOR tomar se chegará por casas; e a casa que o SENHOR
tomar se chegará homem por homem."

As suas Posições

As doze tribos, em grupos de três, eram divinamente colocadas a uma certa distância ao
redor do tabernáculo. Quatro das tribos - Judá, Rúben, Efraim e Dã - foram reconhecidas
como líderes tribais. Cada uma teve seu próprio estandarte ou bandeira que os
identificava como cabeça das tribos, enquanto as outras tribos tiveram suas insígnias,
uma bandeira menor.

É importante notar que o Jacó (o patriarca das 12 tribos) tinha profetizado que a posição
sênior em sua família pertenceria à tribo de Judá:

Gen 49:10 "O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se
congregarão os povos."

Judá ocupou a maior área que estava na face oriental da entrada do tabernáculo, atrás
das tendas de Arão. À sua direita, estava a tribo de Issacar e ao outro lado Zebulom. O
próprio tabernáculo sempre foi encontrado no centro do acampamento, com as tendas
das várias tribos dispostas à uma certa distância. Judá (com Issacar e Zebulom)
numerou 186.400 homens. Rúben (com Simeão e Gade) estava ao sul com 151.450
homens. À Oeste estava Efraim (com Manassés e Benjamim) numerando 108.100
homens. Ao norte estava Dã (com Aser e Naftali) numerando 157.600 homens. Isto
trouxe uma soma total de 603.550 homens acima de vinte anos. Não incluindo a tribo de
Levi.

Num 2:2 "Os filhos de Israel armarão as suas tendas, cada um debaixo da sua bandeira, segundo as insígnias da
casa de seus pais; ao redor, defronte da tenda da congregação, armarão as suas tendas."

Cada tribo teve uma bandeira específica:

A Tradição Judaica

A Tradição Judaica acredita que as bandeiras das tribos eram como se segue:

Judá- Leste (Leão de ouro com fundo escarlate).


Efraim - Oeste (Boi negro em fundo dourado).
Rúben- Sul (Homem em dourado).
Dã- Norte (Águia dourada em fundo azul).

A Tribo de Levi (A Tribo Consagrada)


Embora existam as doze tribos de Israel, nós notamos que existem treze nomes quando
identificamos as suas posições no acampamento. Isso é por causa do privilégio especial
dado à tribo de Levi quando eles apoiaram Moisés e se colocaram ao seu lado e "ao lado
do Senhor", quando Israel se rebelou. Daquele momento em diante eles foram ordenados
separados para o serviço do Senhor e estabelecidos como a tribo sacerdotal.

Isto teria deixado apenas onze tribos, mas a grande tribo de José que consistia em seus
filhos Efraim e Manassés, foi dividida em duas. Cada um foi considerado como uma tribo
individual. A tribo de Levi não só fôra leal, ao envolver-se em um ato de dedicação, mas
também em um de substituição. Naquela noite de terror no Egito, quando foram mortos
os primogênitos de todas as famílias egípcias, os primogênitos dos filhos de Israel foram
preservados porque um cordeiro morreu em substituição para com eles. Assim que isto
aconteceu, Deus chamou Moisés para consagrar todos os primogênitos, e os que
nasceriam no futuro, para o serviço d'Ele. Eles tinham sido salvos da morte enquanto
aqueles ao redor deles haviam morrido. Dali em diante, eles seriam separados para o
serviço de Deus.

Mas quando os Levites foram escolhidos como a tribo consagrada, eles tomaram o lugar
de cada primogênito das famílias de Israel, em um ato de substituição.

Moisés e o seu irmão Arão dele pertenciam à tribo de Levi, o terceiro filho de Jacó. Levi
teve três filhos; Gerson, Coate, e Merari. Moisés e seu irmão vieram da família de Coate.
Tendo escolhido Moisés para ser o líderdo Seu povo, Deus deu uma maior honra à
família de Coate, escolhendo Arão para ser o primeiro dos seus sacerdotes, e em
seguida somente os descendentes de Arão poderiam servir como sacerdotes e
representar o povo de Deus.

O restante dos homens de Levi, conhecidos como Levitas, foram encarregados com o
cuidado do santuário. Esta era uma tarefa santa que ninguém mais em Israel pôde
participar. Apenas os Levitas poderiam levar o tabernáculo e a sua mobília quando o
acampamento estava em marcha. Quando eles repousavam, somente eles trabalhavam
para montar o santuário, e ajudar os sacerdotes (os filhos de Arão) em seu trabalho.

O Acampamento dos Levitas


Acampados logo após o tabernáculo estavam as tendas dos Levitas. O Levitas
executavam os deveres sacerdotais e então eram mediadores entre Deus e o povo. A
tribo de Levi foi dividida em quatro famílias. As suas tendas ficavam entre o tabernáculo e
o povo, uma família em cada lado. Os Coatitas no lado sul com 8.600 homens. Os
Gersonitas ao ocidente com 7.500 homens. O Meraritas ao lado norte com 6.200
homens. Ao lado oriental estavam as tendas de Moisés, Arão o sumo sacerdote, e os
sacerdotes, filhos de Arão.

Deus estava acampado no centro

Um Tipo de Cristo e do seu povo


Deus acampa com o seu povo. O plano de Deus sempre foi de morar em nós e ser o
nosso Deus. Ele nos conduz, ele nos quer e Ele fala a nós com a voz suave de um
marido que está desesperadamente apaixonado pela sua noiva. As bandeiras de cada
tribo apontavam para a real bandeira de Deus, Jesus Cristo. As quatro faces e as quatro
cores falam d'Ele. Ele é o nosso estandarte. O Senhor é chamado Jeová Nissi (O Senhor
é a nossa bandeira). Como o Levitas se levantavam entre o homem e Deus, assim Jesus
Cristo se levanta entre o homem e um Deus santo e irado, para ser um Mediador, e
trocar a vingança pela clemência. O cristão nunca verá a ira da parte de Deus. Ele é
nosso Pai, nosso Marido e nosso Amigo.

João 17:22-23 " E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um.
Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me
enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim."

João 6:28-29 "Disseram-lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus? Jesus respondeu, e disse-
lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou. "

Heb 7:22-25 " De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador. E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em
grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer, mas este, porque permanece eternamente,
tem um sacerdócio perpétuo. Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus,
vivendo sempre para interceder por eles."

"Israel em Marcha"

uando chegou o tempo o povo continuar a sua jornada, o sinal para levantar o
acampamento era dado (pelos sacerdotes ) que sopravam o alarme em duas
trombetas de prata batida, juntamente com o Shofar (chifre de carneiro).
Analisando depois as suas representações encontradas em moedas judaicas,

e esculpidas no Arco de Tito em Roma, era possível dizer que o Shofar era uma tuba de
metal cintilante tendo em média 1,20m de comprimento. Uma série de pequenos sons
seria o sinal para as tribos se moverem em sua ordem pré-estabelecida.
O Shofar ou o Chifre de carneiro (à direita) e o alarme das trombetas de prata batida (à esquerda)

De acordo com tradição judiaica Rosh Ha-Shanah, o shofar serve proclamar Deus como Rei (Heb. Melech) do
universo. O shofar aclama a Sua coroação (Heb. tashlikh), a cerimônia onde os judeus vão para um córrego ou
um corpo de água. Isto vem de um costume no qual os reis foram coroados no mar para proclamar que o seu
domínio se estende por sobre todas as águas e por toda a terra.

Embalando a Mobília Santa

Coatitas

Os Coatitas estavam encarregados de levar a mobília do tabernáculo. Quando o


acampamento era levantado, Arão e seus filhos tinham a tarefa de desmontar e embalar
os objetos sagrados. Aos Coatitas não era permitido tocar estes objetos, ou até mesmo
vê-los, para que eles não morressem.

Nm 4:1-16 " 1 E FALOU o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo: Fazei a soma dos filhos de Coate, dentre os
filhos de Levi, pelas suas famílias, segundo a casa de seus pais; Da idade de trinta anos para cima até aos
cinqüenta anos, será todo aquele que entrar neste serviço, para fazer o trabalho na tenda da congregação. Este
será o ministério dos filhos de Coate na tenda da congregação, nas coisas santíssimas.
Quando partir o arraial, Arão e seus filhos virão e tirarão o véu da tenda, e com ele cobrirão a arca do
testemunho; E pôr-lhe-ão por cima uma coberta de peles de texugos, e sobre ela estenderão um pano, todo azul,
e lhe colocarão os varais. Também sobre a mesa da proposição estenderão um pano azul; e sobre ela porão os
pratos, as colheres, e as taças e os jarros para libação; também o pão contínuo estará sobre ela. Depois
estenderão em cima deles um pano de carmesim, e com a coberta de peles de texugos o cobrirão, e lhe
colocarão os seus varais. Então tomarão um pano azul, e cobrirão o candelabro da luminária, e as suas
lâmpadas, e os seus espevitadores, e os seus apagadores, e todos os seus vasos de azeite, com que o servem.
10 E envolverão, a ele e a todos os seus utensílios, na coberta de peles de texugos; e o colocarão sobre os
varais. E sobre o altar de ouro estenderão um pano azul, e com a coberta de peles de texugos, o cobrirão, e lhe
colocarão os seus varais. Também tomarão todos os utensílios do ministério, com que servem no santuário; e
os colocarão em um pano azul, e os cobrirão com uma coberta de peles de texugo e os colocarão sobre os
varais. E tirarão as cinzas do altar, e por cima dele estenderão um pano de púrpura. E sobre ele colocarão todos
os seus instrumentos com que o servem: os seus braseiros, os garfos e as pás, e as bacias; todos os pertences
do altar; e por cima dele estenderão uma coberta de peles de texugos, e lhe colocarão os seus varais. Havendo,
pois, Arão e seus filhos, ao partir do arraial, acabado de cobrir o santuário, e todos os instrumentos do
santuário, então os filhos de Coate virão para levá-lo; mas no santuário não tocarão para que não morram; este
é o cargo dos filhos de Coate na tenda da congregação. Porém o cargo de Eleazar, filho de Arão, o sacerdote,
será o azeite da luminária e o incenso aromático, e a contínua oferta dos alimentos, e o azeite da unção, a cargo
de todo o tabernáculo, e de tudo que nele há, o santuário e os seus utensílios."

Objeto de atenção especial era a Arca da Aliança. Em primeiro lugar os sacerdotes


tiravam o véu e usaram-no para cobrir a arca. Depois disto cobriram-na com peles de
texugo e acima de tudo, estendiam um sólido tecido azul. Ao terminar, os levitas
colocavam os varais.

Os outros itens também receberam três cobertas diferentes, mas neles a impermeável
pele de texugo estava por último. Somente a Arca da Aliança na salientava o azul, e que
todo o povo poderia identificá-la com o Senhor que os conduziu.

Depois que os procedimentos de cobertura fossem completados, o Coatitas removiam a


mobília sob a supervisão do sacerdote Eleazar que tinha o encargo do santuário, e era
responsável pelos levitas que lá trabalhavam.

Gersonitas

Feito isto, vinham então os Gersonitas para desmontar os objetos do tabernáculo. Eles
removiam as cortinas e cobertas que cobriam o santo lugar, juntamente com todas as
peças da cerca de linho:

Nm 4:24-28 " Este será o ministério das famílias dos gersonitas no serviço e no cargo. Levarão, pois, as cortinas
do tabernáculo, e a tenda da congregação, e a sua coberta, e a coberta de peles de texugos, que está por cima
dele, e a cortina da porta da tenda da congregação, e as cortinas do pátio, e a cortina da porta do pátio, que está
junto ao tabernáculo, e junto ao altar em redor, e as suas cordas, e todos os instrumentos do seu ministério,
com tudo o que diz respeito a eles, para que sirvam. Todo o ministério dos filhos dos gersonitas, em todo o seu
cargo, e em todo o seu trabalho, será segundo o mandado de Arão e de seus filhos; e lhes designareis as
responsabilidades do seu cargo. Este é o ministério das famílias dos filhos dos gersonitas na tenda da
congregação; e a sua guarda será debaixo da mão de Itamar, filho de Arão, o sacerdote."

Isto era feito sob a supervisão do filho de Arão, Itamar.

Meraritas

O Meraritas desmontavam as armações do tabernáculo - as suas tábuas e barras. Então


eles removiam todos os postes, as estacas, e as cordas que apoiavam a cerca de linho
ao redor do átrio exterior.

A MARCHA
Por este tempo todo o povo estava pronto para viajar de um modo muito organizado.
A Arca conduzia a jornada.

Em primeiro lugar a Arca da Aliança sendo o símbolo do comando divino foi levantada. As
varas descansaram nos ombros dos Coatitas que então marchavam à frente do povo,
com a arca sobre os ombros. Alguns textos das Escrituras:

Nm 10:33-36 " Assim partiram do monte do SENHOR caminho de três dias; e a arca da aliança do SENHOR
caminhou diante deles caminho de três dias, para lhes buscar lugar de descanso. E a nuvem do SENHOR ia
sobre eles de dia, quando partiam do arraial. Acontecia que, partindo a arca, Moisés dizia: Levanta-te, SENHOR,
e dissipados sejam os teus inimigos, e fujam diante de ti os odiadores. E, pousando ela, dizia: Volta, ó SENHOR,
para os muitos milhares de Israel. "

Js 3:3-4 " E ordenaram ao povo, dizendo: Quando virdes a arca da aliança do SENHOR vosso Deus, e que os
sacerdotes levitas a levam, partireis vós também do vosso lugar, e seguireis. Haja contudo, entre vós e ela, uma
distância de dois mil côvados; e não vos chegueis a ela, para que saibais o caminho pelo qual haveis de ir;
porquanto por este caminho nunca passastes antes."

Na jornada conduzida pela coluna de nuvem, os Coatitas que levavam a arca, e o povo
seguiram. A tribo de Judá , em primeiro lugar assumiu sua posição e marchou à direita,
atrás da arca. À seguir, no centro estava Issacar e à esquerda, Zebulom.

Vinham então, as famílias dos Levitas, de Gérson e Merari que estavam utilizando os
carros de boi para transportar toda a estrutura e as cobertas do tabernáculo. Os
Gersonitas tinham dois carros cobertos, puxados por quatro bois, enquanto que os
Meraritas com a sua carga mais pesada, tinham quatro carros e oito bois.

Eles foram seguidos por Rúben, Simeão e Gade, . Atrás deles vinham os Coatitas que
traziam em seus ombros os artigos santos da mobília (exceto a arca). Então, na marcha,
a mobília do tabernáculo estava ao centro com e as seis tribos restantes que seguiam
atrás como você pode ver na ilustração:
Única Entrada

'O Portão de Entrada'


Como nós vimos na última seção, quando um Israelita aproximava-se do tabernáculo, ele
via à sua frente uma parede de linho branco ao redor da área do tabernáculo, formando
uma barreira ao redor , tendo 300 cúbitos (135 metros) somente em uma extensão de 20
cúbitos (9 metros) isto era diferente. Era conhecido como O Portão de Entrada. Não era
de linho branco, mas era multi-colorido em tecido branco, azul, púrpura e carmesim, e as
cortinas estavam apoiadas em quatro pilares. O portão de entrada era claramente um
sinal de que havia um único meio pelo qual o pecador poderia ter acesso para o átrio da
casa de Deus.

Este portão de 9 metros era a entrada. Quando um Israelita entrava no portão no átrio
exterior com o seu sacrifício, ele estava entrando em "solo" santo. É importante notar que
este portão, pois depois estaremos discutindo sobre dois outros portões ou cortinas. O
portão de entrada tinha 20 cúbitos (9 metros). era uma cortina ou tela feita de material
ricamente tecido:
Ex 27:16 " E à porta do pátio haverá uma cortina de vinte côvados, de azul, e púrpura, e carmesim, e de linho
fino torcido, de obra de bordador; as suas colunas colunas quatro, e as suas bases quatro."

Não haviam querubins representados nesta cortina ao ar livre. Os querubins só eram


vistos dentro do Santo Lugar.
Esta cortina com a sua mistura de branco, azul, purpúra e carmesim estava idêntica
àquela na entrada para o tabernáculo. Mas era muito diferente da cerca de linho branca
que dava entrada para o átrio. Pense na beleza que o Israelita veria quando ele se
aproximava do portão do Tabernáculo. Os raios luminosos do sol estariam
resplandecendo nas quatro cores do portão.

Este era o único meio pelo qual os homens e mulheres poderiam se achegar a Deus. Era
a única entrada em todo o tabernáculo. Não havia nenhum outro meio. Seja um
sacerdote que fosse ministrar, ou um pecador arrependido buscando perdão, teriam que
entrar por aquele portão.

Ninguém poderia entrar por qualquer outro lugar a não ser por este portão.Qualquer
Israelita que se aproximava do Tabernáculo trazendo o seu sacrifício, e desejando a
expiação, sabia que não havia nenhuma maneira de alcançar o altar de bronze, a não ser
pelo portão no lado oriental.
Nm 2:3 "Os que armarem as suas tendas do lado do oriente, para o nascente, serão os da bandeira do exército
de Judá, segundo os seus esquadrões."

O Portão estava sempre aberto, nunca impedido, sem que houvesse proibição para
aquele que queria adorar a Deus. Mas a pessoa tem que fazer uma decisão pessoal,
para entrar se ele quiser receber.

Um Tipo de Cristo
Jesus se revelou como a única entrada para Deus. O portão oriental apontava para Ele.
Todo outro meio possível foi barrado pela justiça de Deus, mas por causa do sangue de
Cristo nós temos um meio de aproximação. A tribo de Judá acampava fora do portão
oriental, a tribo real, e a tribo que significa louvor. Jesus se assenta como rei com tudo
debaixo sob seus pés. Ele é Mlach Yaweh (O Senhor nosso Rei). A adoração de
multidões incontáveis será para Ele por toda a eternidade. O belo portão revela como o
Jesus é belo. Ele é completamente adorável. N'Ele não há nenhuma falha. Ele é perfeito
em caráter. Ao ver a face d'Ele, veremos um olhar de amor que sempre nos fortalece.
João 14:6 "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim."

Ap 5:5 "Disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para
abrir o livro e desatar os seus sete selos."

Sl 22:28-29 " Porque o reino é do SENHOR, e ele domina entre as nações. Todos os que na terra são gordos
comerão e adorarão, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele; e nenhum poderá reter viva a sua
alma.

Is 44:6 "Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, e seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro, e eu
sou o último, e fora de mim não há Deus. "

Ap 5:11-14 "E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos; e era o
número deles milhões de milhões, e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que
foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças. E ouvi toda a
criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e a todas as coisas que neles há,
dizer: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e
poder para todo o sempre. E os quatro animais diziam: Amém. E os vinte e quatro anciãos prostraram-se, e
adoraram ao que vive para todo o sempre."
O átrio exterior era composto de cortinas volumosas de 5 cúbitos (2,25 metros) de altura.

'Linho Branco e Fino'

Os Pilares (Ex 27:9-19)

qui haviam 60 pilares nos quais a parede de cortina era pendurada em 10


pilares ao leste e oeste e 20 pilares no norte e sul. Nada é dito acerca da
natureza destes pilares, embora é dito que eles foram feitos de madeira de
acácia.

Os pilares de madeira tinham um capitel (um topo ornamental) de prata. Os pilares foram
colocados e fixados por cordas amarradas a estacas cravadas no solo.

Os pilares verticais eram colocados em uma cova, em uma base de bronze. Eles tinham
5 cúbitos de altura e 5 cúbitos entre um e outro. Passando de pilar a pilar estava uma
barra, e nestes estavam ganchos prateados no qual eram pendurados as cortinas de
linho fino.

Ex 27:9-19 " Farás também o pátio do tabernáculo, ao lado meridional que dá para o sul; o pátio terá cortinas de
linho fino torcido; o comprimento de cada lado será de cem côvados. Também as suas vinte colunas e as suas
vinte bases serão de cobre; os colchetes das colunas e as suas faixas serão de prata. Assim também para o
lado norte as cortinas, no comprimento, serão de cem côvados; e as suas vinte colunas e as suas vinte bases
serão de cobre; os colchetes das colunas e as suas faixas serão de prata, e na largura do pátio para o lado do
ocidente haverá cortinas de cinqüenta côvados; as suas colunas dez, e as suas bases dez. Semelhantemente a
largura do pátio do lado oriental para o levante será de cinqüenta côvados. De maneira que haja quinze côvados
de cortinas de um lado; suas colunas três, e as suas bases três. E quinze côvados das cortinas do outro lado;
as suas colunas três, e as suas bases três. E à porta do pátio haverá uma cortina de vinte côvados, de azul, e
púrpura, e carmesim (escarlata), e de linho fino torcido, de obra de bordador; as suas colunas quatro, e as suas
bases quatro. Todas as colunas do pátio ao redor serão cingidas de faixas de prata; os seus colchetes serão de
prata, mas as suas bases de cobre. O comprimento do pátio será de cem côvados, e a largura de cada lado de
cinqüenta, e a altura de cinco côvados, as cortinas serão de linho fino torcido; mas as suas bases serão de
cobre. No tocante a todos os vasos do tabernáculo em todo o seu serviço, até todos os seus pregos, e todos os
pregos do pátio, serão de cobre."

As cortinas formavam uma barreira ao redor da casa de Deus.

As Cortinas de Linho Fino (Ex 27:9-15)

O átrio exterior era formado por cortinas volumosas que tinham 5 cúbitos (2,25m) de
altura e 67,5 m ao redor nos lados norte e sul, e 33,5 metros ao oeste, e 20,5 m ao leste,
deixando o espaço para o portão. As cortinas foram tecidas de linho fino e foram
suspendidas nos pilares que também eram colocados a cada 5 cúbitos.

Foram suspensas cinco cortinas separadas circulando o pátio. Duas delas colocadas ao
longo do lado maior com 100 cúbitos. Ao lado ocidental com 50 cúbitos enquanto haviam
dois pequenos pilares ao lado da entrada dianteira, tendo a cortina 15 cúbitos de
comprimento.

A cortina de linho fino formava uma barreira ao redor da Casa de Deus. Nenhum Israelita
poderia passar casualmente ao redor do Tabernáculo ou poderia passear no pátio.

O material que formava esta cortina era linho branco fino, que simboliza retidão. O
simbolismo é revelado no Livro de Apocalipse, onde, no casamento de Cristo com a Sua
noiva (a igreja), que se preparou para o casamento. O vestido de casamento dela será
feito de linho fino:

Ap 19:8 " E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças
dos santos."

A cortina de linho fino ao redor do tabernáculo apresentava uma barreira para aqueles
cujos atos não eram "íntegros diante de Deus" , que, por isso, eles não teriam acesso
para o átrio. E, simbolicamente, isto excluiria todos em Israel.

As Estacas de Bronze e as suas Cordas (Ex 35:18)

Ex 35:18 " As estacas do tabernáculo, e as estacas do pátio, e as suas cordas,"

Estas eram para o tabernáculo e o átrio. As estacas de bronze estavam fincadas no solo,
nas quais as cordas eram fixas. Elas somavam força e protegiam do vento, etc. A Bíblia
menciona estas estacas e cordas dentro do santuário de Deus.

Ed 9:8 " E agora, por um pequeno momento, se manifestou a graça da parte do SENHOR, nosso Deus, para nos
deixar alguns que escapem, e para dar-nos uma estaca no seu santo lugar; para nos iluminar os olhos, ó Deus
nosso, e para nos dar um pouco de vida na nossa servidão."

Is 22:23 " E fixá-lo-ei como a um prego num lugar firme, e será como um trono de honra para a casa de seu pai."

Is 54:2 " Amplia o lugar da tua tenda, e estendam-se as cortinas das tuas habitações; não o impeças; alonga as
tuas cordas, e fixa bem as tuas estacas."

Um Tipo de Cristo
A cerca de linho branco e fino nos fala que a justiça de Deus mantém os homens do lado
de fora. Jesus Cristo é a justiça de Deus. A lei era determinada como um padrão para
mostrar ao homem que tudo o que não for perfeito e qualquer menos que a perfeição é
pecado e injustiça. Deus descreve a justiça própria como trapos imundos (um artigo de
vestuário feminino usado no período menstrual). Jesus disse, "eu não vim abolir a lei mas
cumprí-la". Quando Ele estava aqui Ele era um exemplo vivo de uma vida sem pecado.
Morrendo por nós e levando o nosso pecado Ele se torna o substituto pelo qual nós, em
troca, recebemos a Sua vida perfeita. Nosso pecado foi levado por Ele, e a Sua vida
perfeita nos é imputada. Então, quando Deus nos vê, Ele vê o retidão de Jesus Cristo.
"Quão perfeito alguém deve ser para entrar no céu?" A resposta é "tão perfeito quanto
Deus." Isso é, porque nós temos a sua justiça, imputado a nós pela fé. Jesus Cristo
cumpriu a lei. Ele não tinha pecado. Até mesmo quando os líderes judeus quiseram
apedrejá-lO, Ele lhes perguntou, "por qual das obras quereis me apedrejar? e eles
responderam, "porque você sendo um homem se faz como Deus". Se um homem fosse
contemplar o interior da arca da aliança erguendo o propiciatório, que ele estaria cara a
cara com a lei de Deus e sem o sangue. Isto era morte imediata. Os anjos do juízo
estavam no propiciatório onde o sangue seria aspergido. O homem em toda a sua
injustiça teria que se aproximar de Deus do modo por Ele estabelecido, e não do modo
de Caim. A lei de Deus matava, não porque era má, mas porque revela o pecado do
homem. O homem perfeito, Jesus Cristo, nunca tendo pecado, foi aceito em nosso lugar,
de forma que nós podemos receber a retidão de Deus. Como nos diz a Palavra: "assim
como pela desobediência de um homem muitos foram feitos pecadores, tão somente
pela obediência de único Homem muitos serão feitos justos".

Lc 23:4 " E disse Pilatos aos principais dos sacerdotes, e à multidão: Não acho culpa alguma neste homem. ".

Mt 27:4 " Dizendo: Pequei, traindo o sangue inocente. Eles, porém, disseram: Que nos importa? Isso é contigo."

Mt 27:19 " E, estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Não entres na questão desse
justo, porque num sonho muito sofri por causa dele."

Mt 27:24 " Então Pilatos, vendo que nada aproveitava, antes o tumulto crescia, tomando água, lavou as mãos
diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue deste justo. Considerai isso. "

Lc 23:39-41 " E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-
te a ti mesmo, e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus,
estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos
mereciam; mas este nenhum mal fez."
Lc 23:47 " E o centurião, vendo o que tinha acontecido, deu glória a Deus, dizendo: Na verdade, este homem era
justo."

Jo 8:29 " E aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe
agrada."

Mt 3:17 " E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo."

Rm 5:18-19 " Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim
também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida. Porque, como
pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão
feitos justos."

O altar de bronze era de 5 cúbitos quadrados x 3 cúbitos de altura.


Foi feito de madeira de cetim revestido de bronze com chifres em cada canto.

'O Altar de Bronze' (Êx 27:1-5)


Quando o Israelita se aproximava do tabernáculo com o seu sacrifício e atravessava
aquele portão de entrada ele encontrava entre ele e o tabernáculo um altar com um
sacerdote ao lado. O altar de forma quadrada. Sua largura e comprimento era
exatamente igual à altura da cerca de linho branco ao redor do átrio com 5 cúbitos (2,25
metros). Sua altura era de 3 cúbitos (1,35 metros) e foi feito de madeira de acácia
revestida com bronze com chifres em cada canto.

Ex 27:1-5 " FARÁS também o altar de madeira de acácia; cinco côvados será o comprimento, e cinco côvados a
largura (será quadrado o altar), e três côvados a sua altura. E farás as suas pontas nos seus quatro cantos; as
suas pontas serão do mesmo, e o cobrirás de cobre. Far-lhe-ás também os seus recipientes, para recolher a sua
cinza, e as suas pás, e as suas bacias, e os seus garfos e os seus braseiros; todos os seus utensílios farás de
cobre. Far-lhe-ás também um crivo de cobre em forma de rede, e farás a esta rede quatro argolas de metal nos
seus quatro cantos. E as porás dentro da borda do altar para baixo, de maneira que a rede chegue até ao meio
do altar."

Este era o altar no qual os sacrifícios eram feitos conforme descreve Lv.1:9, como um
doce sabor para o Senhor. Era onde o sangue era derramado e o pecador era perdoado.
Não importa quão boa pessoa fosse, sem o derramamento de sangue não havia nenhum
perdão.
Lv 17:11 " Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação
pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma."

Fora do altar de bronze não havia outro modo de se aproximar de Deus. A aliança com
Yahweh, era uma aliança de sangue e então o animal inocente representava o pecador, e
tomava o lugar dele no altar. É por isso que se colocava as mãos na vítima inocente, a
seguir o violento corte na garganta. Uma imagem que faria sua pele se arrepiar, que
trazia uma incrível consciência do pecado, e do seu salário que é a morte. Só então ele
seria aceito e declarado limpo. O sangue do animal cobriria até o próprio Deus (O
Cordeiro de Deus) que levaria o pecado de uma vez por todas.

O sacerdote então pegaria o sangue em uma bacia, e despejava o sangue ao pé do altar,


e fazia o sacrifício, e o pecador iria para casa perdoado até o próximo pecado. Eram
feitos sacrifícios ao longo do ano, mas o sacrifício anual era feito pelo sumo sacerdote no
Dia da Expiação (Yom Kippur), uma vez por ano .para expiar os pecados da nação.

Seus Sete Nomes

Êx 27:1 " Farás também o altar de madeira de acácia..."

Êx 38:30 " E dele fez as bases da porta da tenda da congregação e o altar de bronze, e o crivo de bronze e todos
os utensílios do altar."

Êx 35:16 "O altar do holocausto (ofertas queimadas), e o crivo de bronze, os seus varais, e todos os seus
pertences, a pia e a sua base,"

Êx 29:12 " Depois tomarás do sangue do novilho, e o porás com o teu dedo sobre as pontas do altar, e todo o
sangue restante derramarás à base do altar."

Lv 1:5 " Depois degolará o bezerro perante o SENHOR; e os filhos de Arão, os sacerdotes , oferecerão o sangue,
e espargirão o sangue em redor sobre o altar que está diante da porta da tenda da congregação."

Ml 1:7 " Ofereceis sobre o meu altar pão imundo, e dizeis: Em que te havemos profanado? Nisto que dizeis: A
mesa do SENHOR é desprezível." (compare com Lv 21:6,22)

Mal 2:13 " Ainda fazeis isto outra vez, cobrindo o altar do SENHOR de lágrimas, com choro e com gemidos; de
sorte que ele não olha mais para a oferta, nem a aceitará com prazer da vossa mão."

Altar

Um antigo altar

Hoje, enquanto a palavra portuguesa 'altar', em nossa tradução foi formado do adjetivo latino que significa 'alto' esta é
uma derivação eclesiástica recente, e não tem qualquer ligação com o significado hebraico. Em hebraico a palavra está
baseada em um verbo que significa 'sacrificar' e 'altar' significa 'um lugar onde o sacrifício é feito'. O que significa
'levantado'. O sacrifício era levantado, e então descia na grade de bronze pelo sacerdote onde permanecia levantado
acima da terra. Também significa o sacrifício que é levantado para cima, na forma de fumaça para o Senhor. Antes do
tabernáculo esses que quisessem agradar a Deus construíam um altar e invocavam o nome do SENHOR:

Gn 4:4 " E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para
Abel e para a sua oferta."

Gen 4:25-26 "E tornou Adão a conhecer a sua mulher; e ela deu à luz um filho, e chamou o seu nome Sete;
porque, disse ela, Deus me deu outro filho em lugar de Abel; porquanto Caim o matou. E a Sete também nasceu
um filho; e chamou o seu nome Enos; então se começou a invocar o nome do SENHOR."

Gn 8:20 " E edificou Noé um altar ao SENHOR; e tomou de todo o animal limpo e de toda a ave limpa, e ofereceu
holocausto sobre o altar."

Gn 12:7 " E apareceu o SENHOR a Abrão, e disse: À tua descendência darei esta terra. E edificou ali um altar ao
SENHOR, que lhe aparecera."

Gn 12:8 "E moveu-se dali para a montanha do lado oriental de Betel, e armou a sua tenda, tendo Betel ao
ocidente, e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao SENHOR, e invocou o nome do SENHOR."

Gn 26:25 " Então edificou ali um altar, e invocou o nome do SENHOR, e armou ali a sua tenda; e os servos de
Isaque cavaram ali um poço."

Gen 33:20 " E levantou ali um altar, e chamou-lhe: Deus, o Deus de Israel."

Gn 35:2-3 Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos, que há
no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes. E levantemo-nos, e subamos a Betel; e ali farei um
altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia, e que foi comigo no caminho que tenho andado. "

Seu Tamanho
Êx 27:1 "Farás também o altar de madeira de acácia; cinco côvados será o comprimento, e cinco côvados a
largura "

Não é possível reproduzir o desenho do Altar de Holocausto ou altar de bronze


exatamente (como era conhecido) mas uma idéia geral pode ser tirada das descrições no
texto.

- Era quadrado (ilimitado)

- Era de 5 cúbitos quadrados (incapacidade humana)

- Era de 3 cúbitos de alto (Completa e total Provisão de Deus)

(Veja A Escritura e os Números)

- Observe que era o maior vaso. (o sacrifício torna o resto possível) O altar era grande
bastante para conter o resto.

Sua Natureza

- Foi feito de madeira de acácia (indestrutível)

- Era coberto de bronze (juízo)

- Era da terra (não artificial)

Êx 20:24 " Um altar de terra me farás, e sobre ele sacrificarás os teus holocaustos, e as tuas ofertas pacíficas, as
tuas ovelhas, e as tuas vacas; em todo o lugar, onde eu fizer celebrar a memória do meu nome, virei a ti e te
abençoarei."

- Não tinha degraus (A nudez humana seria exposta) feitos pelo homem.
Ex: 20:26 " Também não subirás ao meu altar por degraus, para que a tua nudez não seja descoberta diante
deles."

Seus 4 Chifres (O Poder ilimitado) (universal)

Ex 27:2 "E farás as suas pontas nos seus quatro cantos; as suas pontas serão do mesmo, e o cobrirás de
cobre."

O Chifre

O chifre simbolizava poder.

O chifre sempre foi simbolizado como a força de um animal. Ou o poder de uma pessoa ou nação.

Sl 89:17 "Pois tu és a glória da sua força; e no teu favor será exaltado o nosso poder."

Lm 2:3 "No furor da sua ira cortou toda a força de Israel; retirou para trás a sua destra de diante do inimigo; e
ardeu contra Jacó, como labareda de fogo que consome em redor."

Examinando o verso vemos nós que o altar e seus chifres eram um. Da mesma maneira
o Senhor e o seu poder são inseparavelmente ligados . Não há limites para o poder de
Deus quando um sacrifício é feito. Note o que também é ensinado em relação aos
chifres:

Ex 29:12 "Depois tomarás do sangue do novilho, e o porás com o teu dedo sobre as pontas do altar, e todo o
sangue restante derramarás à base do altar."

Havia poder ilimitado no sangue aspergido nos chifres. Também porque o sangue
representa vida, e o sacrifício era um substituto, a vida de pecadores redimidos se
tornaria uma com Deus. Havia uma união de sangue entre o altar, os chifres, e o pecador.

Também é vista a misericórdia de Deus aqui. É importante notar que sendo um lugar de
sacrifício onde foram usados os quatro chifres para amarrar o animal para o sacrifício,
também era um lugar de refúgio. Um homem que foi acusado falsamente de assassinato
poderia correr lá para segurança e agarrar-se nos chifres. Se ele fosse inocente eles o
protegeriam.

Êx 21:12-14 "Quem ferir alguém, de modo que este morra, certamente será morto. Porém se lhe não armou
cilada, mas Deus lho entregou nas mãos, ordenar-te-ei um lugar para onde fugirá. Mas se alguém agir
premeditadamente contra o seu próximo, matando-o à traição, tirá-lo-ás do meu altar, para que morra."

Um exemplo é Adonias. Temendo a ira do jovem Rei Salomão, Adonias, seu irmão mais
velho, foi e agarrou-se nas pontas do altar para refugiar-se.
I Rs 1:50 "Porém Adonias temeu a Salomão; e levantou-se, e foi, e apegou-se às pontas do altar."

Outro exemplo é Joabe, por toda a sua vida, chefe de exército de Davi,:

I Rs2:28 " E chegou a notícia até Joabe (porque Joabe tinha se desviado seguindo a Adonias, ainda que não
tinha se desviado seguindo a Absalão), e Joabe fugiu para o tabernáculo do SENHOR, e apegou-se às pontas do
altar. "

Os sacrifícios também foram amarrados com cordas aos chifres:

Sl 118:27 " Deus é o SENHOR que nos mostrou a luz; atai o sacrifício da festa com cordas, até às pontas do
altar. "

Os Utensílios

Êx 27:3-5 " Far-lhe-ás também os seus recipientes, para recolher a sua cinza, e as suas pás, e as suas bacias, e
os seus garfos e os seus braseiros; todos os seus utensílios farás de cobre. Far-lhe-ás também um crivo de
cobre em forma de rede, e farás a esta rede quatro argolas de metal nos seus quatro cantos. E as porás dentro
da borda do altar para baixo, de maneira que a rede chegue até ao meio do altar."

(1) as Bacias para receber as Cinzas

- Era tomado grande cuidado com as cinzas.

- Elas não eram levadas para fora do acampamento e lançadas em qualquer lugar. Mas
só em um lugar limpo.

- Elas eram preciosas porque elas falavam da aceitação de Deus.

Cinzas
As Cinzas também eram um símbolo da completa destruição, e por causa disso, as pessoas sentavam-se em cinzas e
lançavam cinzas em suas cabeças, ou vestiam-se a si mesmos de saco e cinzas como um sinal de pesar e lamentação,
dizendo "Deus, eu não sou nada, socorra-me, por favor!".
As Cinzas também serviam para a limpeza e purificação:

Num 19:17 "Para um imundo, pois, tomarão da cinza da queima da expiação, e sobre ela colocarão água
corrente num vaso."

(2) pás

- Eram usadas para tirar as cinzas do altar e colocá-las na bacia.

(3) as Bacias

- O sacerdote colocava o sangue em uma bacia e o usava isto para aspergir, e despejar
no fundo do altar.

(4) Garfos
- O garfo era um instrumento com três pontas e usado para colocar os pedaços da oferta
no
altar.

1Sm 2:13 " Porquanto o costume daqueles sacerdotes com o povo era que, oferecendo alguém algum sacrifício,
estando-se cozendo a carne, vinha o moço do sacerdote, com um garfo de três dentes em sua mão;"

(5) Braseiros

- levavam o fogo (brasas) do altar no Lugar Santo para o serviço no altar de incenso. O
altar de bronze sustenta o altar de incenso.

Lv 16:12 "Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do SENHOR, e os seus
punhos cheios de incenso aromático moído, e o levará para dentro do véu

- Não havia nenhuma dúvida que os braseiros eram usados para levar o fogo na
caminhada.

(6) A Grade de Bronze

- Havia uma grade de bronze que parecia estar sobre uma borda interna do altar onde os
animais sacrificados eram colocados amarrado a argolas e então consumidos. Permitia
que a gordura gotejasse abaixo e as cinzas caíssem abaixo.

- O sacrifício portanto estava então no altar e não nisto.

- A grade era da altura do solo como o propiciatório. (A misericóridia e juízo são iguais):

Sl 101:1 "Cantarei a misericórdia e o juízo; a ti, SENHOR, cantarei."

Rm 11:22 " Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para
contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado."

Seu Fogo

O fogo no altar foi aceso originalmente por Deus e nunca poderia ser apagado:

Lv 9:24 " Porque o fogo saiu de diante do SENHOR, e consumiu o holocausto e a gordura, sobre o altar; o que
vendo todo o povo, jubilaram e caíram sobre as suas faces."

Lv 6:12-13 " O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele
cada manhã, e sobre ele porá em ordem o holocausto e sobre ele queimará a gordura das ofertas pacíficas. O
fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará. "

Fogo
(1) O fogo era o símbolo da presença do Senhor, e o instrumento do Seu poder, ou o seu modo de aprovação ou
de destruição:

Êx 14:24 " E aconteceu que, na vigília daquela manhã, o SENHOR, na coluna do fogo e da nuvem, viu o campo
dos egípcios; e alvoroçou o campo dos egípcios. "
Num 11:1 " E ACONTECEU que, queixou-se o povo falando o que era mal aos ouvidos do SENHOR; e ouvindo o
SENHOR a sua ira se acendeu; e o fogo do SENHOR ardeu entre eles e consumiu os que estavam na última
parte do arraial. "

O Senhor apareceu na sarça ardente no Monte Sinai:

Êx 3:2 "E apareceu-lhe o anjo do SENHOR em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a
sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia."

Êx 19:18 " E todo o monte Sinai fumegava, porque o SENHOR descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subiu
como fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia grandemente. "

O Senhor também se revelou no meio do fogo para muitos, como Isaías, Ezequiel, e João. Note como Ele virá em sua
segunda vinda:

2 Ts 1:7-9 " E a vós, que sois atribulados, descanso conosco, quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu
com os anjos do seu poder, como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que
não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; os quais, por castigo, padecerão eterna perdição,
ante a face do Senhor e a glória do seu poder, "

Deus castiga o pecado com o fogo de Sua ira:

Ez 21:31 " E derramarei sobre ti a minha indignação, assoprarei contra ti o fogo do meu furor, entregar-te-ei nas
mãos dos homens brutais, inventores de destruição. "

Hb 12:29 "Porque o nosso Deus é um fogo consumidor."

(2) O fogo também é figura de outras coisas na Bíblia:

- A Palavra de Deus

Jr 5:14 " Portanto assim diz o SENHOR Deus dos Exércitos: Porquanto disseste tal palavra, eis que converterei
as minhas palavras na tua boca em fogo, e a este povo em lenha, eles serão consumidos. "

Jr 23:29 " Porventura a minha palavra não é como o fogo, diz o SENHOR, e como um martelo que esmiúça a
pedra?"

- O Espírito Santo

Is 4:4 " Quando o Senhor lavar a imundícia das filhas de Sião, e limpar o sangue de Jerusalém, do meio dela,
com o espírito de justiça, e com o espírito de ardor. "

Atos 2:3-4 " E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um
deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo
lhes concedia que falassem. "

- Anjos

Sl 104:4 " Faz dos seus anjos espíritos, dos seus ministros um fogo abrasador."

- Luxúria

Pv 6:27-28 " Porventura tomará alguém fogo no seu seio, sem que suas vestes se queimem? Ou andará alguém
sobre brasas, sem que se queimem os seus pés?"
- Maldade

Is 9:18 " Porque a impiedade lavra como um fogo, ela devora as sarças e os espinheiros; e ela se ateará no
emaranhado da floresta; e subirão em espessas nuvens de fumaça. "

- A Língua

Pv 16:27 " O homem ímpio cava o mal, e nos seus lábios há como que uma fogueira."

Tg 3:6 " A língua também é um fogo; como mundo de iniqüidade, a língua está posta entre os nossos membros,
e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno."

- Os hipócritas

Is 50:11 " Eis que todos vós, que acendeis fogo, e vos cingis com faíscas, andai entre as labaredas do vosso
fogo, e entre as faíscas, que acendestes. Isto vos sobrevirá da minha mão, e em tormentos jazereis."

- Perseguição

Lc 12:49-53 " Vim lançar fogo na terra; e que mais quero, se já está aceso? Importa, porém, que seja batizado
com um certo batismo; e como me angustio até que venha a cumprir-se! Cuidais vós que vim trazer paz à terra?
Não, vos digo, mas antes dissensão; Porque daqui em diante estarão cinco divididos numa casa: três contra
dois, e dois contra três. O pai estará dividido contra o filho, e o filho contra o pai; a mãe contra a filha, e a filha
contra a mãe; a sogra contra sua nora, e a nora contra sua sogra."

- Juízos

Ez 39:6 " E enviarei um fogo sobre Magogue e entre os que habitam seguros nas ilhas; e saberão que eu sou o
SENHOR."

Gn 19:24 " Então o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra; "

Is 66:24 " E sairão, e verão os cadáveres dos homens que prevaricaram contra mim; porque o seu verme nunca
morrerá, nem o seu fogo se apagará; e serão um horror a toda a carne."

- Purificações

1 Co 3:12-15 " E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira,
feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta;
e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse
receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo
fogo."

Também não poderia haver NENHUM fogo estranho no altar

Lv 10:1-3 " E os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário e puseram neles fogo, e
colocaram incenso sobre ele, e ofereceram fogo estranho perante o SENHOR, o que não lhes ordenara. Então
saiu fogo de diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR. E disse Moisés a Arão: Isto é o
que o SENHOR falou, dizendo: Serei santificado naqueles que se chegarem a mim, e serei glorificado diante de
todo o povo. Porém Arão calou-se."

Suas varas
As varas eram longas barras feitas de de madeira de Acácia cobertas com bronze. Foram
usadas para transportar o altar sempre que o acampamento se movia. Quando o
acampamento se movia, foi coberto com pele de texugo e com um tecido púrpura, e
levado pelos sacerdotes (Coatitas). O altar sempre estava com eles, não importa para
onde viajassem ou estivessem na terra prometida. Eles eram estranhos e peregrinos no
deserto, mas a provisão pelo sangue sempre estava disponível.

No templo de Ezequiel que é um quadro da reino milenar em Israel, o altar não tem
nenhuma vara ou argolas (Ez 43).

Seu Caráter Santo

- O Altar foi consagrado (santísssimo)

Êx 29:44 " E santificarei a tenda da congregação e o altar; também santificarei a Arão e seus filhos, para que me
administrem o sacerdócio."

Êx 40:10 " Ungirás também o altar do holocausto, e todos os seus utensílios; e santificarás o altar; e o altar será
santíssimo."

- O Altar foi ungido com óleo

Lv 8:10-11 " Então Moisés tomou o azeite da unção, e ungiu o tabernáculo, e tudo o que havia nele, e o
santificou; E dele espargiu sete vezes sobre o altar, e ungiu o altar e todos os seus utensílios, como também a
pia e a sua base, para santificá-las."

- O Altar santificava o pecador

Lv 20:7 " Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o SENHOR vosso Deus."

Nm 4:15 " Havendo, pois, Arão e seus filhos, ao partir do arraial, acabado de cobrir o santuário, e todos os
instrumentos do santuário, então os filhos de Coate virão para levá-lo; mas no santuário não tocarão para que
não morram; este é o cargo dos filhos de Coate na tenda da congregação."

- No Altar só serviam os sacerdotes (os filhos de Arão)

Nm 18:2-3 " E também farás chegar contigo a teus irmãos, a tribo de Levi, a tribo de teu pai, para que se ajuntem
a ti, e te sirvam; mas tu e teus filhos contigo estareis perante a tenda do testemunho. E eles cumprirão as tuas
ordens e terão o encargo de toda a tenda; mas não se chegarão aos utensílios do santuário, nem ao altar, para
que não morram, tanto eles como vós."

- O povo trazia as suas ofertas ao Altar

Mt 5:23-24 " Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa
contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e
apresenta a tua oferta."

- O Altar santificava todas as ofertas

Mt 23:18-19 " E aquele que jurar pelo altar isso nada é; mas aquele que jurar pela oferta que está sobre o altar,
esse é devedor. Insensatos e cegos! Pois qual é maior: a oferta, ou o altar, que santifica a oferta?"

- Nada profano ou impuro seria colocado no Altar

Lev 22:22 " O cego, ou quebrado, ou aleijado, o verrugoso, ou sarnoso, ou cheio de impigens, estes não
oferecereis ao SENHOR, e deles não poreis oferta queimada ao SENHOR sobre o altar. "
Sem o altar nenhum pecador poderia ser reconciliado, nem poderia estar lá para oferecer a sua adoração a
Deus. Todas as manhãs um cordeiro era oferecido no altar. Em dias de festas especiais e rituais anuais o Altar
de Holocausto era o ponto central para as várias cerimônias.

Quais os animais utilizados para o sacrifício? Podemos olhar na seção As Cinco Ofertas
Levíticas, mas basta dizer que os animais a serem sacrificados poderiam variar de um
touro jovem para o pecado do sacerdote ou da congregação, um bode para o pecado de
um príncipe, uma cabra ou cordeiro para o povo. Isto significa que o altar poderia ser
usado em nome de toda a congregação de Israel ou simplesmente para suprir a
necessidade do pecador que tinha achado o seu caminho pelo portão de entrada ,e tinha
se aproximado com o cordeiro do sacrifício, para buscar o perdão de Deus. Ele colocava
as suas mãos na cabeça da vítima inocente, para que se identificasse com ela, que
estava prestes a morrer. Então ele matava o cordeiro inocente. A morte do cordeiro
acontecia em lugar da morte do pecador.
Era a morte de um substituto. Aquele que não tinha pecado teve que morrer pelo
pecador. O sangue do inocente teve que ser derramado para que a alma do pecador
pudesse ser preservada:

Ez 18:20-22 A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade
do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele. Mas se o ímpio se converter
de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e proceder com retidão e justiça,
certamente viverá; não morrerá. De todas as transgressões que cometeu não haverá lembrança contra ele; pela
justiça que praticou viverá."

Hb 9:22 "E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não
há remissão."

Naquele momento o sacerdote levava com o dedo o sangue da oferta pelo pecado até às
pontas do altar de holocausto e despejava o resto do sangue à base do altar.

Lv 4:34 " Depois o sacerdote com o seu dedo tomará do sangue da expiação do pecado, e o porá sobre as
pontas do altar do holocausto; então todo o restante do seu sangue derramará na base do altar."

A gordura do animal era removida e queimada no altar.

A Expiação tinha sido realizada, e o pecado do homem fôra perdoado. O pecado tinha
causado separação entre o homem e Deus. Este homem então, saía de sua tenda, e
caminhava pelo arraial, rumo ao tabernáculo, entrava pela cortina multi-colorida e pelo
átrio, levando a vítima expiatória e se apresentado ao sacerdote, como um homem que
precisa de perdão, e então confessou o seu pecado. O próximo passo, era que ele tinha
que se identificar com o seu sacrifício, pondo as mãos na cabeça do cordeiro. Ele
também soube que o seu pecado não seria perdoado a menos que o sangue fosse
derramado. Deus tinha sido muito claro sobre isso.

Lev 17:11 " Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação
pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma."

Como o sangue do cordeiro foi derramado e a sua vida se esvaiu do seu corpo, o
Israelita teve o entendimento do fato que: A alma que pecar, esta morrerá. Deus tinha
permitido a morte de um cordeiro substituto para que o pecador não fosse morto.
Como vimos, o Israelita exercitou a sua fé e que tendo sido obediente à maneira de Deus
perdoar, o seu pecado tinha sido perdoado de fato. As últimas palavras de Deus para o
povo de Israel relativo a este ritual eram estas:

Lv 4:35 "... assim o sacerdote por ele fará expiação dos seus pecados que cometeu, e ele será perdoado."

Aceitando as palavras de Deus pela fé, este homem voltou à sua tenda crendo que a
separação entre ele e Deus tinha sido removida. Mas, como poderia ser removida pela
vida de um animal em favor da vida de um homem, era algo que ele não pôde entender.
Ele só soube que ele tinha feito o que Deus havia ordenado.

No decorrer da revelação de Deus, depois ficou claro que foram cobertos os pecados de
todos os que tiveram fé no sistema expiatório, e foram definitivamente pagos pelo sangue
de Cristo. Como uma dívida renegociada ano a ano (através de cheques trocados), em
troca do perdão, mas que um dia precisa ser paga por completo. Como um banco, o céu,
por exemplo, teve que pagar todos esses cheques. No céu (que é um banco), Cristo, o
Cordeiro de Deus, pagou por completo toda a dívida. O livro de hebreu deixa isto muito
claro:

Heb 10:4-10 " Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados. Por isso, entrando no
mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, Mas corpo me preparaste; holocaustos e oblações pelo pecado não
te agradaram. Então disse: Eis aqui venho (No princípio do livro está escrito de mim), Para fazer, ó Deus, a tua
vontade. Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te
agradaram (os quais se oferecem segundo a lei).Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade.
Tira o primeiro, para estabelecer o segundo. Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de
Jesus Cristo, feita uma vez."

Jesus morreu no altar da cruz.

Um Tipo de Cristo
O próprio Jesus sofreu o fogo de ira de Deus no altar da cruz. Jesus disse, " Ninguém
toma a minha vida, mas eu de mim mesmo a dou. Ele escolheu ir para o lugar de
abandono e humilhação total e se oferecer pelo pecado, o alvo de toda a ira de Deus. Os
seus discípulos fugiram, e as multidões gritaram, "Crucifica-o, " a aristocracia judaica
tinha escarnecido dele e O tinha desprezado, os soldados romanos riram d'Ele, o mundo
inteiro meneou suas as cabeças, e para que o plano de Deus se cumprisse, Ele teve que
O abandonar naquele momento. Ele foi consumido completamente, de modo que Ele
poderia ganhar para Ele uma noiva, e pagar a dívida por completo. O fogo de ira de Deus
tinha alcançado Jesus, e de boa vontade, de braços abertos Ele disse, "está consumado"
que era um grito de vitória dos romanos em guerra. Desde o tempo de Adão, o diabo
recebeu de Adão o domínio (Lc 4) por causa de Adão e da mulher, e o poder da morte
entrou neste mundo, porque o salário do pecado é a morte. Quando Jesus morreu, era a
morte de um Homem inocente, porque Ele nunca tinha pecado. Quando Satanás e a
morte mataram a Jesus, mal sabiam que cometeram suicídio. Jesus desceu às
profundezas, e legalmente tomou as chaves de morte e do hades, do diabo, e libertou
aos que haviam crido n'Ele em todos os tempos. Ele morreu para que nós pudéssemos
viver. No altar da cruz aconteceu uma grande troca. O inocente pelo culpado. Ele
suportou nosso castigo e nós descobrimos a sua inocência e a sua retidão. Então, nós
temos a retidão de Cristo pela fé. Isto era o que Deus planejou desde o princípio. Que
Ele morreria para aqueles que Ele ama. Ele sofreu o que nós merecíamos sofrer.

Hb 12:2 "Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a
cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus."

Jo 1:29 " No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o
pecado do mundo."

Hb 13:10 "Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo."

Hb 2:14 "E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas,
para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo;"

I Pe 1:19 "Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado."

Hb 2:9 "Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os
anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos."

Ef 5:2 "E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e
sacrifício a Deus, em cheiro suave."

Jo 19:18-19 "Onde o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio. E Pilatos escreveu
também um título, e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS."

Cl 1:20-22 "E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo
mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus. A vós também, que noutro
tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou no
corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis."

Rm 12:1 "ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício
vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional."

A Pia foi feita com os espelhos de bronze das mulheres


'A Pia de Bronze' (Ex 30:17-21)

Era aqui, na Pia de bronze que os sacerdotes lavavam as suas mãos e seus
pés antes de entrarem e saírem do Santo Lugar. A Pia foi feito com os
espelhos de bronze das mulheres, e enchidas de água, para limpeza
constante dos sacerdotes que ministravam na Casa do Senhor.

Êx 30:17-21 "E falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Farás também uma pia de cobre com a sua base de cobre,
para lavar; e a porás entre a tenda da congregação e o altar; e nela deitarás água. E Arão e seus filhos nela
lavarão as suas mãos e os seus pés. Quando entrarem na tenda da congregação, lavar-se-ão com água, para
que não morram, ou quando se chegarem ao altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao SENHOR.
Lavarão, pois, as suas mãos e os seus pés, para que não morram; e isto lhes será por estatuto perpétuo a ele e
à sua descendência nas suas gerações."

Seu Nome

A palavra "pia" significa um lavador, ou bacia de lavagem que contém água para
lavagem. Os sacerdotes judeus foram ordenados a lavar as suas mãos e pés
continuamente durante o serviço do tabernáculo.

Sua Posição

A pia foi colocada entre a porta do Santo Lugar e o altar.

(1) Ela estava depois do altar (primeiro o sacrifício)

O sacerdote em serviço, que entrava no portão do átrio exterior, tinha à frente o altar
onde ele sacrificava como qualquer outro Israelita. Uma vez além do altar ele estava
pronto para agir como sacerdote, pois na pia ele se preparou para o serviço de Deus.
Então ele poderia ministrar no altar ou no Santo Lugar porque ele estava limpo.

O altar sempre veio primeiro para o sacerdote. Salvação e então o serviço. Deus se
aproximou por meio do sangue e da água.

(2) Ela estava antes da porta (lave-se antes de entrar)

Dentro da porta do Santo Lugar haviam vasos que representavam o próprio Deus.
Nenhum sacerdote ousaria entrar com qualquer rastro de impureza. " Sede santos como
eu sou santo " foi ordenado aos sacerdotes.

(3) Ela vinha logo após a saída do Santo Lugar (lave-se antes de sair)

No átrio exterior tudo era de bronze. Dentro do Santo Lugar tudo era de ouro. Como o
sacerdote saía da Presença de Deus após o serviço ele se lavava na pia.

Seu tamanho (Imensurável)


Nenhuma instrução acerca da medida, ou da forma e do tamanho são determinadas
sobre a pia. A única coisa mencionada é que tinha uma base (Êx 31:9) o que facilitava o
lavar, e foi feita de bronze sólido, sem nenhuma madeira. Também foi feito de espelhos:

Ex 38:8 " Fez também a pia de cobre com a sua base de cobre, dos espelhos das mulheres que se reuniam, para
servir à porta da tenda da congregação."

(1) não teve nenhuma vara

Como a pia era transportada não nos é informado. O altar e os outros vasos tinham varas
e anéis pelos quais eles eram transportados, mas nada é mencionado sobre a pia. Talvez
havia uma borda ao redor da extremidade superior como na ilustração.

Era aqui que os sacerdotes lavavam as suas mãos e pés

Seu propósito

A pia tinha um grande propósito, lavar e purificar o sacerdote de toda a corrupção.

(1) Era só era para os sacerdotes

Ninguém em Israel ou de todo o mundo poderia lavar nesta pia. Isso era um privilégio
apenas para a tribo de Levi.

(2) Moisés só lavou uma vez Arão e seus filhos:

Êx 40:11-16 " Então ungirás a pia e a sua base, e a santificarás. Farás também chegar a Arão e a seus filhos à
porta da tenda da congregação; e os lavarás com água. E vestirás a Arão as vestes santas, e o ungirás, e o
santificarás, para que me administre o sacerdócio. Também farás chegar a seus filhos, e lhes vestirás as
túnicas, e os ungirás como ungiste a seu pai, para que me administrem o sacerdócio, e a sua unção lhes será
por sacerdócio perpétuo nas suas gerações. E Moisés fez conforme a tudo o que o SENHOR lhe ordenou, assim
o fez."

Aqui a palavra "lavarás" significa lavar por completo. Isto foi feito uma única vez por
Moisés. Lá foram lavados primeiro seus corpos, e então a sua roupa.

(3) os sacerdotes lavavam apenas as suas mãos e seus pés.

Ex 30:19-20 " E Arão e seus filhos nela lavarão as suas mãos e os seus pés. Quando entrarem na tenda da
congregação, lavar-se-ão com água, para que não morram, ou quando se chegarem ao altar para ministrar, para
acender a oferta queimada ao SENHOR.
Certamente as mãos dos sacerdotes ficariam sujas de imediato se depois de lavar eles
ministrassem no altar. E também os seus pés delas (pois eles estavam descalços) ficaria
sujo a partir do momento que eles tocassem o chão depois de se lavar (lá não havia
nenhum tapete). Então qual era o sentido de lavar os pés e as mãos?

(1) As Mãos

As mãos falam do que eles faziam, o seu ministério, o seu trabalho, tudo eles puseram as
mãos era importante, e assim as suas mãos precisavam ser limpas sempre, diariamente.
A limpeza inicial só era uma vez acabado, o limpar diariamente era continuamente
acabado.

(b) Os Pés

Os pés representavam onde eles iam, suas vidas e caminhos. O seu andar tinha que ser
um andar santo, assim os seus pés eram sempre eram lavados, todos os dias.

Um Tipo de Cristo
Como as pontas do altar apontavam para a morte de Jesus, assim a pia apontava para a
sua vida. O Sangue fala de uma vida tomada e a água fala de uma vida dada. A água na
pia fala de Jesus, a Palavra Viva de Deus que entra em nós e nos dá a vida eterna.
Jesus disse que nós estamos limpos por causa da Sua Palavra e que o conhecimento de
Deus que é passado a nós pela Sua Palavra é vida eterna e é descrito com a mesmo
termo em hebraico para a união sexual de um homem com a sua esposa. Como o
sacerdote lavava as suas mãos e os seus pés enquanto entrava na Presença de Deus
(ouro) e atrás, o mundo (bronze) assim nós estamos sendo limpos continuamente da
corrupção deste mundo pela Palavra de Deus. Quando o líder judeu chamado
Nicodemos veio a Jesus para perguntar sobre o reino de Deus, Jesus respondeu, "
Quem não nascer da água e do espírito (linguagem hebraica - "nascido do alto") não
entrará no reino de Deus ". Água traz vida para o mundo físico e a água espiritual (a
Palavra de Deus) a vida de Deus para nós. Quando Jesus conversou com a mulher no
poço, ele disse a ela: " Jesus respondeu, e disse-lhe: Qualquer que beber desta água
tornará a ter sede; Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede,
porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida
eterna." Quando Jesus se pôs em pé clamou, " Se alguém tem sede, venha a mim, e
beba." estava no grande dia da festa dos tabernáculos quando os líderes judeus estavam
vertendo a água da piscina de Siloé (Heb. Enviado) sobre o pavimento do templo, o que
simboliza que umdia, Deus derramará a verdadeira água do céu sobre o seu povo, como
prometeu pelo profeta Ezequiel.

Ez 36:25-27 " Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de
todos os vossos ídolos vos purificarei. E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e
tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu
Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis."

Ef 5:25-26 " Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou
por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra"
NOTA: O grego da palavra "lavar" aqui é o mesmo de "pia".

Jo 15:3 " Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado."

Tito 3:5 "Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela
lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo"

Hb 10:22 " Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da
má consciência, e o corpo lavado com água limpa"

Jo 7:38 " Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre."

'O Santo Lugar'

gora, nós faremos nossa entrada no Santo Lugar, e examinaremos a porta, a


armação, as cobertas, e os artigos internos. Quando o sacerdote entrava no
Lugar Santo, ele estava entrando na estrutura do tabernáculo.

A tenda do tabernáculo era a característica principal do complexo. Era uma estrutura


retangular que mede 30 cúbitos (15 metros) de extensão e 10 cúbitos (5 metros) de altura
e largura.

A Estrutura

O Santo Lugar era onde os sacerdotes partiam o pão da Preposição. Era um quarto de
20 cúbitos de extensão, por 10 cúbitos de largura e 10 cúbitos de altura (10 x 5 x 5
metros). Seus lados eram formados por armações verticais douradas. A bela cortina de
linho com seu molde (bordado) de querubim, poderia ser vista pela armação na frente e
no teto. Havia quatro colunas douradas à entrada e na parte de trás do quarto, e atrás do
véu santo estava a arca da aliança. Dentro do quarto cada detalhe de mobília santa era
dourado. O castiçal dourado na esquerda, a mesa de pães à direita, e o altar dourado de
incenso na parte de trás, antes do véu. (Veja A Porta)
O Santo lugar - esboço de um artista.
Clique na figura para ver as definições.

A bela cortina multicor foi chamada de porta.


Era de 10 cúbitos de comprimento x 10 cúbitos de largura com 5 pilares.

'A Porta do Tabernáculo' (Ex 26:36-37)


Ex 26:36-37 " Farás também para a porta da tenda, uma cortina de azul, e púrpura, e carmesim, e de linho fino
torcido, de obra de bordador. E farás para esta cortina cinco colunas de madeira de acácia, e as cobrirás de
ouro; seus colchetes serão de ouro, e far-lhe-ás de fundição cinco bases de cobre."

Somente os sacerdotes (os filhos de Arão) poderiam entrar no santo lugar e poderiam
ministrar dentro do tabernáculo. Logicamente, ele tinha que lavar as mãos e os pés na
pia de bronze antes de entrar. A bela cortina bordada, que foi chamada de porta revelava
a santidade de Deus, vigiada pelos querubins, bordados por toda a cortina.
- A porta do tabernáculo tinha 10 cúbitos de comprimento x 10 cúbitos de largura (O
portão de entrada tinha 20 x cúbitos, e o véu tinha 10 cúbitos quadrados. É muito
interessante notar que todas as três entradas somavam 100 cúbitos cada uma.)

- Tinha 5 pilares (madeira de acácia revestida com ouro) com as suas 5 encaixes de
bronze:
Sl 97:2 " Nuvens e escuridão estão ao redor dele; justiça e juízo são a base do seu trono."

- Cada pilar tinha um capitel (coroa) de ouro:


Ex 36:38 " Com as suas cinco colunas e os seus colchetes; e as suas cabeças e as suas molduras cobriu de
ouro; e as suas cinco bases eram de cobre."

- Nestes 5 pilares haviam argolas de ouro para a cortina. A cortina foi feita de azul,
purpúra, escarlata, bordadas em linho fino, obra de bordador (hábil no trabalho com
agulhas)
Sl 139:15 " Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas
da terra."

Um Tipo de Cristo
Jesus disse, "eu sou a porta ". Quando o sacerdote vinha ao altar e fazia a expiação por
ele, ele poderia se achegar da porta do tabernáculo, mas só depois se lavaria na pia. Na
nova aliança, o crente (que é um sacerdote) tem que se reconciliar primeiro (buscar o
perdão dos seus pecados) no altar da cruz, antes adentrar à Presença de Deus. Nós
temos uma porta que sempre está aberta, e nós podemos adorar e podemos ter
comunhão a qualquer hora com o Senhor . Isso porque Jesus é a porta de aproximação,
e nós podemos estar seguros que somos aceitáveis aos Seus olhos. A Palavra de Deus
nos diz, " Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos
alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno".
Jo 10:7-9 "Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas.
Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta;
se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens."

2 Pedro 1:11 " Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e
Salvador Jesus Cristo."

João 14:6 "Disse Jesus: eu sou o caminho, a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim."
A coberta de pele de texugo era grosseira e sem atrativo.
Era a única coberta visível do lado de fora.

'As Cortinas da Cobertura' (Ex 26:1-14)

Tabernáculo tinha quatro cobertas, a primeiro era de linho, a segunda era de


pelos de cabras, a terceira era de pele de carneiro tingida de vermelho, e a
quarto era de peles de texugos. A pele de texugo a única coberta que era vista
do lado de fora, era grosseira e sem atrativo.

Ex 26:1-14 "E o tabernáculo farás de dez cortinas de linho fino torcido, e azul, púrpura, e carmesim; com
querubins as farás de obra esmerada. O comprimento de uma cortina será de vinte e oito côvados, e a largura
de uma cortina de quatro côvados; todas estas cortinas serão de uma medida. Cinco cortinas se enlaçarão uma
à outra; e as outras cinco cortinas se enlaçarão uma com a outra. E farás laçadas de azul na orla de uma cortina,
na extremidade, e na juntura; assim também farás na orla da extremidade da outra cortina, na segunda juntura.
Cinqüenta laçadas farás numa cortina, e outras cinqüenta laçadas farás na extremidade da cortina que está na
segunda juntura; as laçadas estarão presas uma com a outra. Farás também cinqüenta colchetes de ouro, e
ajuntarás com estes colchetes as cortinas, uma com a outra, e será um tabernáculo. Farás também cortinas de
pêlos de cabras para servirem de tenda sobre o tabernáculo; onze cortinas farás. O comprimento de uma cortina
será de trinta côvados, e a largura da mesma cortina de quatro côvados; estas onze cortinas serão da mesma
medida. E juntarás cinco destas cortinas à parte, e as outras seis cortinas também à parte; e dobrarás a sexta
cortina à frente da tenda. E farás cinqüenta laçadas na borda de uma cortina, na extremidade, na juntura, e
outras cinqüenta laçadas na borda da outra cortina, na segunda juntura. Farás também cinqüenta colchetes de
cobre (bronze), e colocarás os colchetes nas laçadas, e assim ajuntarás a tenda, para que seja uma. E a parte
que sobejar das cortinas da tenda, a saber, a metade da cortina que sobejar, penderá de sobra às costas do
tabernáculo. E um côvado de um lado, e outro côvado do outro, que sobejará no comprimento das cortinas da
tenda, penderá de sobra aos lados do tabernáculo de um e de outro lado, para cobri-lo. Farás também à tenda
uma coberta de peles de carneiro, tintas de vermelho, e outra coberta de peles de texugo em cima."

A Primeira Coberta (Uma Cortina)

A primeira coberta consistia em linho entrelaçado (finamente trançado) juntamente com


material azul, purpúra e escarlate. As cores foram tingidas no linho. A palavra para 'linho
finamente tecido' como no texto grego, vem do egípcio. O Egito era na ocasião famoso
pela produção de linho e especialmente 'linho entrelaçado' no qual toda linha era
trançada de muitos fios.

Esta cortina extravagante também foi decorada com figuras de querubins que foram
bordados habilmente. Só eram vistos querubins nesta cortina e no véu. Então, somente
no santo lugar ou no Santo dos Santos os Querubins eram vistos pela armação da
cortina interior e no véu.
(Veja O Querubim )

Querubins (que é o plural de querubim) eram seres angelicais celestiais do reino


espiritual. Eles sempre estão associados com a santidade de Deus. Quando Adão pecou
foram colocados querubins na entrada do Jardim do Éden para guardar o caminho para a
Árvore de Vida.

- Eles representam o governo justo de Deus, e são os executores da justiça de Deus.

Como os sacerdotes ministravam no santo Lugar, eles viram sobre eles e ao redor deles
a toda hora - os quatro Querubins, que eram lembranças visuais da santidade de Deus.
O Senhor os lembrou continuamente:
Lv 11:44-45 " Porque eu sou o SENHOR vosso Deus; portanto vós vos santificareis, e sereis santos, porque eu
sou santo; e não vos contaminareis com nenhum réptil que se arrasta sobre a terra; Porque eu sou o SENHOR,
que vos fiz subir da terra do Egito, para que eu seja vosso Deus, e para que sejais santos; porque eu sou santo."

Estas belas cortinas com seus querubins bordados ajuntadas com os colchetes formaram
o tabernáculo e faziam dele uma só peça:
Ex 26:6 " Farás também cinqüenta colchetes de ouro, e ajuntarás com estes colchetes as cortinas, uma com a
outra, e será um tabernáculo. "

Haviam 10 cortinas juntas. Cada uma delas tinha 28 côvados (12,5 m) por 4 côvados de
largura, assim um único conjunto é pendurado em cima na cobertura, e abaixo, a
armação estava elevada a 1 côvado (45 cm) acima do solo por todos os lados. De fato
elas não foram penduradas individualmente, mas foram unidas em grupos de cinco, para
fazer dois conjuntos grandes, com 28 por 20 côvado.

Para manter estas duas cortinas juntas, cinqüenta são trançadas com linha azul, cosidas
no lado de uma cortina e no mesmo lado de outra cortina. Cinqüenta colchetes de ouro
unem as cortinas, como as instruções diziam, 'o tabernáculo será um'
Ex 26:1-6 "E o tabernáculo farás de dez cortinas de linho fino torcido, e azul, púrpura, e carmesim; com
querubins as farás de obra esmerada. O comprimento de uma cortina será de vinte e oito côvados, e a largura
de uma cortina de quatro côvados; todas estas cortinas serão de uma medida. Cinco cortinas se enlaçarão uma
à outra; e as outras cinco cortinas se enlaçarão uma com a outra. E farás laçadas de azul na orla de uma cortina,
na extremidade, e na juntura; assim também farás na orla da extremidade da outra cortina, na segunda juntura.
Cinqüenta laçadas farás numa cortina, e outras cinqüenta laçadas farás na extremidade da cortina que está na
segunda juntura; as laçadas estarão presas uma com a outra.Farás também cinqüenta colchetes de ouro, e
ajuntarás com estes colchetes as cortinas, uma com a outra, e será um tabernáculo.
É interessante que isto reunido e feito um, há pouco, é igual as palavras que Jesus usou
quando Ele orou pelos seus seguidores:
Jo 17:20-22 " E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim;
Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que
o mundo creia que tu me enviaste. E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós
somos um."

Da mesma maneira, não deve haver nenhuma possibilidade de separação, ou separar-se


as cortinas, que cobriam o santo lugar, assim o corpo de Cristo (a Sua Igreja) deve ser
um e não poderia se dividir.

A Segunda Coberta (Pelo de Cabras)

Por cima desta primeira tenda havia uma segunda tenda colocada que era ligeiramente
maior em tamanho. Foi feito de pelo de cabras pretas entrelaçadas. Em vez de começar
com dez cortinas estreitas, eram usadas onze, cada deles com 30 côvados por 4
côvados. Isto significa, porque era 2 côvados mais longos, que a cortina de linho, cobria
por primeiro.

Foram unidos seis destas cortinas para fazer uma cortina grande e permaneciam cinco,
para formar outro. As duas cortinas (menos preciosas) grandes estavam tão unidas, e
estas cortina envolviam a área Santa, os ganchos que a seguram são 50, e eram feitos
de bronze e não de ouro.

O princípio era o mesmo ao longo do tabernáculo inteiro. O mais se afastava do Santo


dos Santos, menor era a preciosidade dos materiais usados. E a lição disso para nós, é
que, na presença de Deus há beleza e pureza (ouro) e fora, no mundo só há juízo
(bronze) e uma necessidade de se limpar continuamente.

A cortina, era de 44 côvados(20 metros) por 30 côvados (13,5 metros), e usados para
fazer uma dobra na frente, sobre a entrada, e também para cobrir a cortina debaixo, ao
redor, dos lados e na parte de trás da tenda.
Ex 26:9 " E juntarás cinco destas cortinas à parte, e as outras seis cortinas também à parte; e dobrarás a sexta
cortina à frente da tenda. "

Isso também significava, que as duas cortinas (este aqui e a debaixo) poderia ser coberta
de tal modo que as suas junções não coincidiram.

A Terceira Coberta (Peles de Carneiro tingidas de vermelho)

A terceira coberta era de peles de carneiro tingidas de vermelho. Era a primeira das duas
cobertas resistentes às intempéries
Ex 26:14 " Farás também à tenda uma coberta de peles de carneiro, tintas de vermelho, e outra coberta de peles
de texugo em cima. "

Os carneiros eram usados para o sacrifício, no acontecimento com Abraão e Isaque, e o


vermelho sempre representa sangue para a expiação.

(Veja Expiação pelo Sangue)

É interessante notar que nenhuma medida foi dada para esta coberta.
(4) a Quarta Coberta (Peles de Texugo)

A quarta coberta foi feita das peles de texugo, e novamente nenhuma medida foi
determinada.

A palavra hebraica para peles de texugo ' tachash' pode se referir a um texugo ou um
"Dugong" ou boi marinho. Um Dugong é um mamífero aquático que se achava nadando
ao longo das praias do Mar Vermelho, e que agora está quase extinto.

Uma vez mais no tabernáculo, havia uma progressão do mais bonito para o menos
atraente. Da primeira coberta de linho branco tecida com azul, purpúra e escarlata e
decorada com querubins, à pele de texugo sem atrativo que cobria no lado de fora.

A cobertura final de peles de texugo não tinha nada de bonita. Imagine o que um
estrangeiro que passava deve ter pensado ao ver esta tenda sem atrativos como o ponto
central da adoração a Yaweh. Mas, como com tudo no reino de Deus, quanto mais
profundamente nós buscamos as coisas de Deus, mais beleza e esplendor nós
encontramos.

Um Tipo de Cristo
Cada uma das cobertas do tabernáculo apontavam a Jesus Cristo. A cortina íntima com
suas quatro cores e os querubins tecidos no linho branco e fino, a segunda coberta de
pelo de cabras falam de Jesus Cristo e o seu sacrifício. Lembre-se do bode expiatório
que levou os pecados da nação para o deserto. A terceira coberta, de peles de carneiros
tingidas de vermelho, apontam para Jesus como nosso substituto, da mesma maneira
que o carneiro era o substituto para Isaque, quando seu pai Abraão estava levantando o
cutelo. Mas a última coberta era de peles de texugo. Também apontam a Jesus Cristo.
Como as peles de texugo não tinham nenhuma atrativo exterior na sua aparência, assim
Jesus era um Israelita normal, um homem com nada atraente, nada que fizesse pensar
que fosse o Rei de reis. Ele era humilde em caráter. Ninguém tinha qualquer idéia do que
o Jesus se parecia, a não ser que Ele tinha uma barba, porque Isaías falou da sua barba
sendo arrancada. Ele era um judeu e tinha uma barba, e isso é tudo aquilo pode ser
extraído da Bíblia e da história. Mas a sua aparência era a mesma de qualquer Israelita.

Em todo o tabernáculo havia uma clara semelhança com Jesus Cristo. A pessoa que olha
para a sua aparência exterior ou aparência física, jamais percebem a maravilhosa beleza
que estão em Jesus.

Como Isaías profetizou:


Is 53:2 "Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem
formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos."

Isaías falou de Cristo:


Is 33:17 " Os teus olhos verão o rei na sua formosura..."

Ele realmente era uma oferta pelo pecado


2 Co 5:21 " Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de
Deus."

Mt 27:46 " E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu,
Deus meu, por que me desamparaste?"

Ele é o nosso substituto


Hb 2:9 " Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os
anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos."

Jo 1:29 " No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o
pecado do mundo."

Is 53:6 "Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o
SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos."

Is 53:2-3 " Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem
formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.Era desprezado, e o
mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os
homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum."

Mt 13:13 Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem
compreendem.'

Mt 13:16-17 " Mas, bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem, e os vossos ouvidos, porque ouvem.
Porque em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir
o que vós ouvis, e não o ouviram."

'As Tábuas' (Ex 26:15-16)

armação central do tabernáculo tinha uma série de cortinas que eram


colocadas em cima da armação para formar a tenda completa. Para construir
esta estrutura portátil, primeiro era necessário colocar 48 tábuas na vertical
cada uma tendo 10 côvados (4,5 metros) de comprimento e 11,5 côvados
(5,20 metros) de largura.

Ex 26:15-16 " Farás também as tábuas para o tabernáculo de madeira de acácia, que serão postas verticalmente.
O comprimento de uma tábua será de dez côvado, e a largura de cada tábua será de um côvado e meio."

Nota: A palavra hebraica origina "qereshim" foi encontrada em um tablete cananeu que descreve a 'sala de trono do
Deus El que foi construído de armações."

Ex 26:26-28 " Farás também cinco travessas de madeira de acácia, para as tábuas de um lado do tabernáculo, e
cinco travessas para as tábuas do outro lado do tabernáculo; como também cinco travessas para as tábuas do
outro lado do tabernáculo, de ambos os lados, para o ocidente. E a travessa central estará no meio das tábuas,
passando de uma extremidade até à outra."
Eles não eram pranchas, mas tábuas emolduradas.

As tábuas do tabernáculo não eram pranchas sólidas de madeira, mas armações


compostas de duas tábuas longas que eram ligadas no topo, no meio e no pé, através de
trilhos cruzados. Aparte do fato que a árvore da acácia no Sinai não cresce o suficiente
para prover uma prancha de 70 centímetros de largura, as armações levavam vantagens
sobre as pranchas sólidas. Eles eram muito mais leves quando erguidas. Também, a
construção aberta permitiria a cortina interna com seu material fino e figuras de querubins
serem vistas de dentro. Estas armações foram cortadas, tratadas, secas, e então
revestidas com puro ouro. (Não adornou a beleza natural delas, mas com aquele ouro
precioso, eles eram revestidas de algo externo, o ouro divino). Quando estas armações
foram colocadas na posição vertical haviam 20 ao longo, no lado norte e 20 ao sul,
considerando que a parede traseira tinha apenas 8 armações, duas a menos que aquelas
usadas nos cantos ocidentais como um tipo de contrapeso.

O Material das cortinas era vistos através das tábuas.

Ex 26:22-23 " E ao lado do tabernáculo para o ocidente farás seis tábuas. Farás também duas tábuas para os
cantos do tabernáculo, de ambos os lados. "

A frente do tabernáculo não tinha nenhuma armação, e esta era a entrada, apoiada por
cinco pilares de madeira de acácia revestidos com ouro e foram fixadas em bases de
bronze.
Ex 26:36-37 " Farás também para a porta da tenda, uma cortina de azul, e púrpura, e escarlata, e de linho fino
torcido, de obra de bordador. E farás para esta cortina cinco colunas de madeira de acácia, e as cobrirás de
ouro; seus colchetes serão de ouro, e far-lhe-ás de fundição cinco bases de cobre."

Cada tábua foi colocada em duas bases de prata, cada uma das quais pesando
aproximadamente 35 kg. Cada cova foi projetada de tal modo que uma extensão do
braço lateral da armação pudesse se encaixar como uma espiga. Estas bases prateadas
formaram uma fundação contínua então ao redor dos três lados da armação.
É interessante notar que foram mencionadas as bases de prata primeiro.

Elas eram extremamente valiosas (um talento de prata cada, era muito caro) e apoiou o
Santo Lugar e o Santo dos Santos. Deus determinou que este metal precioso deveria ser
a fundação para a estrutura. Considerando que a fundação prateada foi enterrada na
terra, que não podia ser vista através de olhos humanos (o Homem não pode ver o valor
total da redenção).

Na nova aliança, o apóstolo Paulo diz que, como um experiente construtor, ele estava
pondo um fundamento. Então ele diz que o fundamento não é um sistema de convicções,
mas uma Pessoa:
1 Co 3:11 " Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo."

Não facilmente reconhecido o alto preço do fundamento no qual está edificada a Igreja.
De fato, o próprio Jesus indicou que a maioria do mundo não reconheceria.

A fila de tábuas foi unida através de argolas dourados no topo, no pé e no meio da


armação, apoiada por barras de madeira de acácia encaixadas.

Cinco barras eram usadas em cada lado, com a barra mediana que ia desde o começo
até ao final de um dos lados. As outras duas barras usavam as argolas no topo, e as
argolas no pé percorriam até o meio de cada lado, e deste modo a parede ficava sólida.
Ex 26:26-30 " Farás também cinco travessas de madeira de acácia, para as tábuas de um lado do tabernáculo, e
cinco travessas para as tábuas do outro lado do tabernáculo; como também cinco travessas para as tábuas do
outro lado do tabernáculo, de ambos os lados, para o ocidente. E a travessa central estará no meio das tábuas,
passando de uma extremidade até à outra. E cobrirás de ouro as tábuas, e farás de ouro as suas argolas, para
passar por elas as travessas; também as travessas as cobrirás de ouro. Então levantarás o tabernáculo
conforme ao modelo que te foi mostrado no monte."

Eles eram colocadas juntas (as tábuas não eram divididas, mas colocadas juntas e se
mantiveram juntas pelas suas barras, anéis, e bases , e elas verdadeiramente eram um).

Cada uma das 48 tábuas tinha duas bases ao pé. Como elas eram exatamente, não é
mencionado. A palavra hebraica usada significa "mãos" ou " espigas". Possivelmente eles
eram duas armações que se esparramam como duas mãos, uma de cada lado, atrás de
cada tábua. Elas eram firmadas dentro das covas prateadas.

Enquanto no lugar santo tudo que não era visível, estava abaixo do nível de solo, era de
prata, e tudo que poderia ser visto sobre o solo era dourado, embora a armação fosse de
madeira de acácia revestida com ouro.

Nós já notamos que armações não estavam na frente, porque era a entrada. Tinha cinco
pilares revestidos de ouro e uma cortina pendurada. Em dois terços no edifício, somente
o véu era pendurado, mas aqui só quatro pilares estavam usados e estes foram apoiados
em bases de prata. Isto formou a divisão interna entre o Santo Lugar e o Santo dos
Santos.
1 Pe 1:18-19 " Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da
vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo,
como de um cordeiro imaculado e incontaminado."
Foi chamada de Mesa da Presença.

'A Mesa dos Pães da Proposição' (Ex 25:23-30)

gora nós atravessaremos a porta do tabernáculo e entraremos no Santo


Lugar. O sacerdote tinha à sua mão direita, a mesa dos pães da proposição
ou também chamada de mesa da presença. Foi feita de madeira de acácia
revestida com puro ouro. Seu tamanho era de 2 côvados (90 cm) de
comprimento por 1 côvado (45 cm) de largura,

com uma altura de 1 1/2 côvados (70 cm). Ao redor da mesa estava uma borda de ouro, e
um pouco mais adiante, no topo de mesa, uma borda adicional que seguraria os pães no
lugar. A mesa tinha quatro pernas, e duas varas de ouro foram encaixadas por argolas
douradas presas às pernas para transportar.

Ex 25:23-30 "Também farás uma mesa de madeira de acácia; o seu comprimento será de dois côvados, e a sua
largura de um côvado, e a sua altura de um côvado e meio. E cobri-la-ás com ouro puro; também lhe farás uma
coroa de ouro ao redor. Também lhe farás uma moldura ao redor, da largura de quatro dedos, e lhe farás uma
coroa de ouro ao redor da moldura. Também lhe farás quatro argolas de ouro; e porás as argolas aos quatro
cantos, que estão nos seus quatro pés. Defronte da moldura estarão as argolas, como lugares para os varais,
para se levar a mesa. Farás, pois, estes varais de madeira de acácia, e cobri-los-ás com ouro; e levar-se-á com
eles a mesa. Também farás os seus pratos, e as suas colheres, e as suas cobertas, e as suas tigelas com que se
hão de oferecer libações; de ouro puro os farás. E sobre a mesa porás o pão da proposição perante a minha
face perpetuamente."

O propósito desta mesa era colocar os 12 pães feitos de flor de farinha. Eles foram
colocados lá em duas filas de seis, cada pão representa uma das tribos de Israel (Lv.
24:8).
Lev 24:5-9 " Também tomarás da flor de farinha, e dela cozerás doze pães; cada pão será de duas dízimas de um
efa. E os porás em duas fileiras, seis em cada fileira, sobre a mesa pura, perante o SENHOR. E sobre cada fileira
porás incenso puro, para que seja, para o pão, por oferta memorial; oferta queimada é ao SENHOR. Em cada dia
de sábado, isto se porá em ordem perante o SENHOR continuamente, pelos filhos de Israel, por aliança
perpétua. E será de Arão e de seus filhos, os quais o comerão no lugar santo, porque uma coisa santíssima é
para eles, das ofertas queimadas ao SENHOR, por estatuto perpétuo."

O historiador Josefo, indica que o pão era sem fermento. Este pão às vezes é chamado
de 'pão da preposição', porque seu significado literal é 'pão da face', isto é, pão partido
diante da face ou presença de Deus.
Esta é a primeira menção da palavra " mesa " (comunhão & companheirismo) na Bíblia.
(comentário)

A Mesa

Foi feita de madeira de acácia revestida com ouro.

Tinha 2 côvados de comprimento, 1 côvado de largura e 1 1/2 côvados de altura. (a arca


era da mesma altura).

Tinha uma moldura de ouro (coroa) ao redor.

- o molde era da largura de uma mão (segurar o pão)

Tinha uma argola de ouro em cada perna de canto, para as varas (madeira revestida com
ouro).

As Quatro vasilhas

Haviam 4 vasilhas de puro ouro na mesa com o pão:

Pratos (louça para o pão)

Panelas ou Colheres (borrifar o incenso)

Jarras (para ofertas líquidas)

Tigelas (vasilhas que continham o incenso)

Cada um dos 12 pães representava uma das tribos de Israel.

O Pão da Proposição

- o propósito da mesa era mostrar os pães que eram 12, pequenos e achatados e
redondos, postos em ordem, para serem exibidos.
Lv 24:5-6 " Também tomarás da flor de farinha, e dela cozerás doze pães; cada pão será de duas dízimas de um
efa. E os porás em duas fileiras, seis em cada fileira, sobre a mesa pura, perante o SENHOR."
* Flor de Farinha (da terra)

* Assados (agonia e sofrimento)

* Sem fermento (nada artificial)

* Dois-décimos (duas porções de dez)

* Borrifados com puro incenso.


Lv 24:7 "E sobre cada fileira porás incenso puro, para que seja, para o pão, por oferta memorial; oferta queimada
é ao SENHOR."

Lv 24:8-9 " Em cada dia de sábado, isto se porá em ordem perante o SENHOR continuamente, pelos filhos de
Israel, por aliança perpétua. será de Arão e de seus filhos, os quais o comerão no lugar santo, porque uma coisa
santíssima é para eles, das ofertas queimadas ao SENHOR, por estatuto perpétuo."

- todo sétimo dia (sabbath), pães quentes e frescos eram colocados por Arão. Os
sacerdotes foram intitulados para comer os pães anteriores enquanto estavam no Santo
Lugar.

- o incenso puro que era removido a cada semana era como uma oblação especial
(oferta) para Deus.

- Os 12 pães eram do mesmo material, do mesmo tamanho, e peso (nenhuma


parcialidade).

-conforme Levítico 22, se um sacerdote estivesse imundo, ele não podia comer dos pães
da proposição. Nenhum leigo, ou a filha casada com um leigo, ou um empregado
contratado poderia comer do pão da proposição. Mas um escravo comprado, ou nascido
em sua casa podia.

- conforme a tradição, 8 sacerdotes seguraram os pães nas mãos, quando eles trocavam
os pães, e o passavam para o companheiro.

- eles eram santificados por causa do pão


Lev 21:6 " Santos serão a seu Deus, e não profanarão o nome do seu Deus, porque oferecem as ofertas
queimadas do SENHOR, e o pão do seu Deus; portanto serão santos."

Ninguém se sentava

Embora o pão estivesse em uma mesa, nenhum sacerdote poderia se assentar àquela
mesa ou em qualquer outro lugar no tabernáculo. Os sacerdotes sempre estavam de pé,
enquanto eles levaram a cabo os seus misteres. Não havia nenhum lugar para se
assentar, nenhuma provisão para isto, neste lugar de adoração, e nenhuma sugestão de
que a tarefa deles estava completada.
Hb 10:11-14 " E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos
sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados; mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício
pelos pecados, está assentado à destra de Deus, daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam
postos por escabelo de seus pés. Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são
santificados."

Viajando
Nm 4:5-8 " Quando partir o arraial, Arão e seus filhos virão e tirarão o véu da tenda, e com ele cobrirão a arca do
testemunho; E pôr-lhe-ão por cima uma coberta de peles de texugos, e sobre ela estenderão um pano, todo azul,
e lhe colocarão os varais. Também sobre a mesa da proposição estenderão um pano azul; e sobre ela porão os
pratos, as colheres, e as taças e os jarros para libação; também o pão contínuo estará sobre ela. Depois
estenderão em cima deles um pano de escarlata, e com a coberta de peles de texugos o cobrirão, e lhe
colocarão os seus varais."

Um Tipo de Cristo
A mesa da proposição era chamada de mesa da Presença. Deus mostra sempre o seu
brilhono seu povo. Os 12 pães assados mostravam que Deus era um com o Seu povo, e
que os sacerdotes se uniam para comer os pães, e se tornarem um. Jesus se referiu a
Ele mesmo como o Pão da Vida e disse que se nós comermos este pão, nós sempre
viveremos. A natureza do pão é prover alimento físico, e quando você come o pão e o
digere, ele se torna parte de você. Da mesma forma, a Palavra de Deus provê alimento
espiritual, e se torna parte de nossa natureza. Da mesma forma que a mesa sempre fala
de companheirismo e comunhão, assim a mesa da proposição aponta para Jesus que
fez uma aliança constituída de superiores promessas, e nos dando Sua carne como
alimento e o Seu sangue como bebida, para que nós sejamos um com Ele na pessoa no
Espírito Santo.
Jo 6:35 "E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim
nunca terá sede."

Jo 6:51-58 "Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que
eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo. Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como
nos pode dar este a sua carne a comer? Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não
comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem
come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha
carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe
o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim,
quem de mim se alimenta, também viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos
pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre."

Jo 6:63 "O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e
vida."

Só a obra de Cristo como grande sumo sacerdote em nome do seu povo foi uma obra
concluída. O Seu sacrifício foi completo e definitivo. Nenhum sacerdote poderia se
assentar, mas depois do grande brado, "está consumado", Jesus Cristo deixou o altar de
Calvário e se sentou à destra do Todo Poderoso.
O Candelabro de ouro foi feito de uma peça ouro batido (martelado).

'O Candelabro Dourado' (Ex 25:31-40)


Ex 25:31-40 " Também farás um candelabro de ouro puro; de ouro batido se fará este candelabro; o seu pé, as
suas hastes, os seus copos, os seus botões, e as suas flores serão do mesmo. E dos seus lados sairão seis
hastes; três hastes do candelabro de um lado dele, e três hastes do outro lado dele. Numa haste haverá três
copos a modo de amêndoas, um botão e uma flor; e três copos a modo de amêndoas na outra haste, um botão e
uma flor; assim serão as seis hastes que saem do candelabro. Mas no candelabro mesmo haverá quatro copos a
modo de amêndoas, com seus botões e com suas flores; e um botão debaixo de duas hastes que saem dele; e
ainda um botão debaixo de duas outras hastes que saem dele; e ainda um botão debaixo de duas outras hastes
que saem dele; assim se fará com as seis hastes que saem do candelabro. Os seus botões e as suas hastes
serão do mesmo; tudo será de uma só peça, obra batida de ouro puro. Também lhe farás sete lâmpadas, as
quais se acenderão para iluminar defronte dele. Os seus espevitadores e os seus apagadores serão de ouro
puro. De um talento de ouro puro os farás, com todos estes vasos. Atenta, pois, que o faças conforme ao seu
modelo, que te foi mostrado no monte."

o Santo Lugar não havia nenhuma janela ou local para entrar a luz. Foi
iluminado por um candelabro de ouro glorioso, que estava colocado no lado
oposto à mesa ao lado sul no Santo Lugar. Feito de um pedaço de ouro sólido
batido, que pesou aproximadamente 43 kg. Em hebraico é conhecido como
'menorah' e um dos símbolos mais comuns do Judaísmo.

O Menorah que está do lado de fora do parlamento de Israel, o Knesset.

O menorah dentro do Santo Lugar do tabernáculo era uma obra de beleza extraordinária
e consistia em três partes principais: a base, a haste principal e as hastes filiais. Acima da
base surgia uma haste vertical e dos dois lados desta haste, saíam três hastes filiais que
se encurvam para o lado e acima.

Cada uma das seis hastes filiais e a haste central terminavam em um pote feito em forma
de uma flor de amêndoa aberta. No mesmo topo as pétalas abertas da flor seguravam
uma luminária de óleo. Foram decoradas habilmente a haste central as filiais com aquele
mesmo desenho de flor de amêndoa abertos com três em cada haste e quatro na haste
central.

Cada das seis hastes filiais terminavam em um pote feito de uma flor de amêndoa aberta.

As sete luminárias de óleo que descansam


nas pétalas de flor eram como pequenos potes.

A decoração era tão primorosa e detalhada, que Deus ordenou que somente artesãos
altamente qualificados e ungidos pelo Espírito Santo poderiam fazer isto. Nenhuma
medida é determinada acerca do seu tamanho exato (quem pode medir a luz de Deus?).
As sete luminárias de óleo que descansam nas pétalas de flor estavam como pequenos
potes. Uma linha ou pavio de linho eram colocados na luminária, e o fogo nunca poderia
apagar (Lv. 24:2).

Duas vezes diariamente, manhã e à tarde, um sacerdote trocava um pavio, e enchia as


luminárias com puro azeite de oliveira batido para as luminárias (Ex 30:7).
Ex 27:20-21 " Tu pois ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido, para o
candeeiro, para fazer arder as lâmpadas continuamente. Na tenda da congregação, fora do véu que está diante
do testemunho, Arão e seus filhos as porão em ordem, desde a tarde até a manhã, perante o SENHOR; isto será
um estatuto perpétuo para os filhos de Israel, pelas suas gerações."

A Tradição Judaica

Ainda hoje os judeus usam o puro azeite de oliva (zayit de shemen) para iluminar o menorah no Hanukkah, pois
é o melhor óleo encontrado. A palavra shemen é o significado para:
shemen - óleo
mizayit - de azeitonas
nivhar - escolhido
A primeira consoante hebraica de cada palavra se soletra shemen.

Somente o sumo sacerdote poderia trocar o óleo da luminária. Ele era responsável pelo
trabalho com as luminárias.
Lv 24:3 " Arão as porá em ordem perante o SENHOR continuamente, desde a tarde até à manhã, fora do véu do
testemunho, na tenda da congregação; estatuto perpétuo é pelas vossas gerações."

Todo dia e toda a noite, estas sete luminárias constantemente iluminaram a glória do
Santo Lugar e especialmente na mesa dos pães da proposição, como uma lembrança de
que Presença de Deus sempre está com o seu povo.

O menorah com sete hastes em uma moeda Hasmoneana.

A Tradição Judaica

Os Rabinos interpretam a luminária como um símbolo de Israel cuja missão é se tornar uma "luz às nações" (Is
42:7). Na sinagoga de hoje há artigos religiosos semelhantes. A arca estava localizada na parede oriental da
sinagoga; contém os rolos de papel de Torah. Sobre a arca, uma luminária eterna continua queimando. Ao lado
da arca estava um menorah com sete hastes.

Em hebraico é conhecido como 'menorah' e se tornou um dos símbolos mais usados pelo Judaísmo.

A Amêndoa

A palavra Amêndoa em hebraico significa "despertando", porque a amendoeira era a primeira árvore que despertava do
inverno e florescia. Falava da luz veloz e poderosa.
Gn 43:11 " Então disse-lhes Israel, seu pai: Pois que assim é, fazei isso; tomai do mais precioso desta terra em
vossos vasos, e levai ao homem um presente: um pouco do bálsamo e um pouco de mel, especiarias e mirra,
terebinto e amêndoas."

Ec 12:5 " Como também quando temerem o que é alto, e houver espantos no caminho, e florescer a amendoeira,
e o gafanhoto for um peso, e perecer o apetite; porque o homem se vai à sua casa eterna, e os pranteadores
andarão rodeando pela praça;"

Jr 1:11-12 "Ainda veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Que é que vês, Jeremias? E eu disse: Vejo uma
vara de amendoeira. E disse-me o SENHOR: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para cumpri-la."

nota: Veja também A Escritura e os Números sobre o número 7

Aqui você vê num detalhe do Arco triunfal de Tito, em Roma, celebrando a vitória
romana sobre os judeus. Os soldados romanos, carregam o Menorah do Templo.
Jerusalém caiu em 70 D.C. pelo célebre Tito Vespasiano, como uma grande vitória,
e com um arco comemorativo erguido em Roma para marcar a ocasião.

Um Tipo de Cristo
O candelabro de ouro era a única fonte de luz no Santo Lugar. Seu propósito primário era
dar a luz ali. Era mostrar a mesa dos pães da proposição e nunca ser mostrado. Nunca
era deixava de iluminar. Esta era uma lembrança constante de que Deus estava com o
seu povo. A Bíblia diz que Deus é luz, e n'Ele não há treva alguma. Quando o apóstolo
João disse, " Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.

E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam", ele estava se


referindo a Jesus que veio ao mundo. Jesus fez o mundo, criou a vida e veio trazer a vida
de Deus para o homem caído, mas como o homem está em trevas, aparte de Jesus, que
eles não puderam compreender a luz que tem a vida de Deus. O candelabro dourado
iluminava os pães da proposição, e assim Deus ilumina o seu povo. O Espírito de Deus
ilumina a mente entenebrecida do homem para o trazer o conhecimento de Deus, e para
a vida espiritual. João disse, " Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem
que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o
conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o
receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu
nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do
homem, mas de Deus." O Homem é cego aparte de Jesus. O homem não pode conhecer
a Deus aparte de Jesus. Deus veio para os seus, para a sua casa, mas o homem foi
incapaz de perceber qualquer luz espiritual, porque a escuridão o encobriu. O candelabro
de ouro fala de Jesus como a luz do mundo.
Jo 9:5 " Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. "

Is 49:6 " Disse mais: Pouco é que sejas o meu servo, para restaurares as tribos de Jacó, e tornares a trazer os
preservados de Israel; também te dei para luz dos gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da
terra."

Is 4:2 " Naquele dia o renovo do SENHOR será cheio de beleza e de glória;"

Is 11:1-2 "Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. E repousará
sobre ele o Espírito do SENHOR, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de
fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do SENHOR."

Sl 27:1 "O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei ? O SENHOR é a força da minha vida; de
quem me recearei?

Sl 119:105 "Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra e luz para o meu caminho."

Mt 4:16 " O povo, que estava assentado em trevas, Viu uma grande luz; E, aos que estavam assentados na
região e sombra da morte, A luz raiou."

Jo 1:4-5 " Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a
compreenderam."

Jo 3:19-21 " E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz,
porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as
suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam
manifestas, porque são feitas em Deus."

Jo 8:12 " Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em
trevas, mas terá a luz da vida."

Ef 5:8 " Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no SENHOR; andai como filhos da luz"

Ef 5:14 " Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá."

Fl 2:15 " Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração
corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo;"

Mt 5:16 " Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem
a vosso Pai, que está nos céus."

1Pe 2:9 " Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis
as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz"

1Jo 1:7 " Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de
Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado."

Mt 5:14 " Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;"
O Altar Dourado de Incenso tinha 2 côvados de altura.
Tinha 1 côvado quadrado com uma coroa de ouro
ao redor e ao topo tinha 4 chifres dourados

'O Altar de Incenso' (Ex 30:1-10)


O Altar de Incenso estava para frente, antes do véu, a terceira peça de mobília no Santo
Lugar no qual o santo incenso foi queimado. Foi feito de madeira de acácia revestida com
puro ouro e estava mais alto do que qualquer outro artigo no lugar santo, 2 côvados (90
cm) de altura. Tinha um côvado quadrado e tinha ao redor, no topo, uma coroa de ouro.
Tinha quatro chifres dourados da mesma maneira que o altar de bronze no pátio. Abaixo,
em cada lado tinha anéis dourados para inserir as varas para o transporte.
Ex 30:1-10 " E farás um altar para queimar o incenso; de madeira de acácia o farás. O seu comprimento será de
um côvado, e a sua largura de um côvado; será quadrado, e dois côvados a sua altura; dele mesmo serão as
suas pontas. E com ouro puro o forrarás, o seu teto, e as suas paredes ao redor, e as suas pontas; e lhe farás
uma coroa de ouro ao redor. Também lhe farás duas argolas de ouro debaixo da sua coroa; nos dois cantos as
farás, de ambos os lados; e serão para lugares dos varais, com que será levado. E os varais farás de madeira de
acácia, e os forrarás com ouro. E o porás diante do véu que está diante da arca do testemunho, diante do
propiciatório, que está sobre o testemunho, onde me ajuntarei contigo. E Arão sobre ele queimará o incenso das
especiarias; cada manhã, quando puser em ordem as lâmpadas, o queimará. E, acendendo Arão as lâmpadas à
tarde, o queimará; este será incenso contínuo perante o SENHOR pelas vossas gerações. Não oferecereis sobre
ele incenso estranho, nem holocausto, nem oferta; nem tampouco derramareis sobre ele libações. E uma vez no
ano Arão fará expiação sobre as suas pontas com o sangue do sacrifício das expiações; uma vez no ano fará
expiação sobre ele pelas vossas gerações; santíssimo é ao SENHOR."

- Tinha 4 chifres de ouro, um chifre em cada canto. (4-acampamentos - leste- Judá, sul -
Ruben, oeste - Efraim, norte - Dã, todo o povo de Deus)

O altar dourado era usado com incenso ardente, que duas vezes por dia era oferecido
pelo sacerdote, depois que ele tivesse acendido o pavio e abastecido de azeite as
luminárias santas. Seus chifres também foram aspergidos com o de sangue da oferta
pelo pecado.

O incenso era uma mistura de três especiarias ricas e raras, que não foram identificadas
até hoje. Estas eram misturadas com o puro incenso, moídas e misturadas com sal. Esta
fórmula foi totalmente proibida para ser cheirada por qualquer indivíduo. Só podia ser
usada na adoração a Deus no Santo Lugar.
Ex 30:34-38 " Disse mais o SENHOR a Moisés: Toma especiarias aromáticas, estoraque, e onicha, e gálbano;
estas especiarias aromáticas e o incenso puro, em igual proporção; E disto farás incenso, um perfume segundo
a arte do perfumista, temperado, puro e santo; E uma parte dele moerás, e porás diante do testemunho, na tenda
da congregação, onde eu virei a ti; coisa santíssima vos será. Porém o incenso que fareis conforme essa
composição, não o fareis para vós mesmos; santo será para o SENHOR. O homem que fizer tal como este para
cheirar, será extirpado do seu povo."

O incenso era queimado com pedaços de brasa que o sacerdote removia com um
incensário ou vasilha do altar de holocausto no pátio. Um incensário era uma tigela rasa
ou panela com uma manivela. Também era usado para remover as cinzas do altar, ou
recolher as partes queimadas do pavio do candelabro.

O altar dourado era usado para queimar o incenso

Se despejado nas brasas, o incenso produzia um delicioso aroma no Santo Lugar. Era a
oferta da pessoa cujos pecados tinham sido perdoados através do sangue, e então, foi
em expressar esta fragrância de amor, e adorar, em gratidão a Deus.

O Altar Dourado nos fala da adoração de Jesus Cristo e do Seu povo para Deus. Ele é
nosso Sumo Sacerdote e mediador. Somente com base do um sacrifício de Jesus no
altar da cruz que a adoração é possível. As brasas que acendiam o incenso vieram do
altar de sacrifício para o altar de incenso.

Embora o sacerdote queimasse estas especiarias santas no altar por mais de 700 vezes
ao um ano, ele saia que nenhum sacerdote a não ser o Sumo Sacerdote poderiam ir
além daquele ponto, e apenas no Dia da Expiação.
Lv 16:12 " Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do SENHOR, e os seus
punhos cheios de incenso aromático moído, e o levará para dentro do véu."

- O doce incenso era queimado continuamente.

- Estava antes do véu, do trono de Deus (Jesus por nós)

Em Viagem
Num 4:11 " E sobre o altar de ouro estenderão um pano azul, e com a coberta de peles de texugos, o cobrirão, e
lhe colocarão os seus varais."

O Exemplo da intercessão de Moisés:


Nm 16:41-50 " 41 Mas no dia seguinte toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra
Arão, dizendo: Vós matastes o povo do SENHOR. E aconteceu que, ajuntando-se a congregação contra Moisés e
Arão, e virando-se para a tenda da congregação, eis que a nuvem a cobriu, e a glória do SENHOR apareceu.
Vieram, pois, Moisés e Arão perante a tenda da congregação. Então falou o SENHOR a Moisés, dizendo:
Levantai-vos do meio desta congregação, e a consumirei num momento; então se prostraram sobre os seus
rostos, e disse Moisés a Arão: Toma o teu incensário, e põe nele fogo do altar, e deita incenso sobre ele, e vai
depressa à congregação, e faze expiação por eles; porque grande indignação saiu de diante do SENHOR; já
começou a praga. E tomou-o Arão, como Moisés tinha falado, e correu ao meio da congregação; e eis que já a
praga havia começado entre o povo; e deitou incenso nele, e fez expiação pelo povo. E estava em pé entre os
mortos e os vivos; e cessou a praga. E os que morreram daquela praga foram catorze mil e setecentos, fora os
que morreram pela causa de Coré. E voltou Arão a Moisés à porta da tenda da congregação; e cessou a praga."
Um Tipo de Cristo
O altar de incenso nos fala do ministério de Jesus como nosso intercessor, cujas orações
em nosso favor, nunca deixam de subir a Deus. Jesus disse à Pedro, "eu orei por você".
Os quatro chifres falam do ministério de Cristo que se estende aos quatro cantos da
terra. Ele sempre orará pelos seus, não importa onde estão. Ele pode interceder em
nosso favor por causa da obra de reconciliação na cruz do Calvário. O incenso era
abastecido pelo fogo do altar. Não é qualquer um que ora por nós, mas o Rei, portanto,
Ele é representado pela coroa de ouro. Ele conhece nossas fraquezas e nossas falhas, e
Ele sempre está intercedendo por nós.
Sl 141:2 " Suba a minha oração perante a tua face como incenso, e as minhas mãos levantadas sejam como o
sacrifício da tarde."

Jo 17:9-10 " Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus.

10 E todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e nisso sou glorificado."

Lc 22:31-32 " Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo;
Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos."

Jo 17:15 " Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal."

Hb 7:25 " Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para
interceder por eles."

1Jo 2:1 " Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um
Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo."

Rm 8:26-27 " E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que
havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele
que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos."

Sl 121:4 " Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel."

Hb 4:16 " Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar
graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno."

Rm 8:34 " Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o
qual está à direita de Deus, e também intercede por nós."

Atos 6:4 " Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra."

Hb 13:15 " Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que
confessam o seu nome."

Lc 1:8-10 " E aconteceu que, exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma, segundo o
costume sacerdotal, coube-lhe em sorte entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso.E toda a multidão
do povo estava fora, orando, à hora do incenso."

Ap 5:8 " E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do
Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos."

Ap 8:3-4 " E veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso,
para o pôr com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro, que está diante do trono. E a fumaça do
incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus."
'O Santo dos Santos'
Vamos agora para o Santo dos Santos, um pequeno cômodo de 10 cúbitos x 10 cúbitos
(5 x 5m) separado do Santo Lugar pelo véu. Ali havia uma peça da mobília remissória, a
Arca da Aliança, com seu propiciatório. Ali não havia nenhuma luz natural como a do sol,
e nenhuma luz artificial, mas a própria Glória de Deus a "Shekinah " iluminava o Lugar
Santíssimo.

Não havia ali nenhum assento para o homem, aqui, Jeová sentou-se só, no trono de
glória e justiça. Como o Sumo Sacerdote entrava uma vez ao ano, ele entrava com
cabeça curvada, pés descalços, e sinos. Nenhuma voz humana era ouvida, só a voz de

Deus.
Querubins (plural de querubim) são seres angelicais do reino celestial.
Eles são sempre associados com a santidade de Deus. Quando Adão pecou, Deus colocou querubins na entrada
do Jardim do Éden para guardar o caminho para a Árvore da Vida. Eles representam o justo governo de Deus, e
são executores da justiça de Deus e dos seus santos julgamentos. Os Querubins são revelados por Ezequiel no
capítulo 1:5-10 como quatro seres viventes, cada um tendo 4 diferentes faces, a face de um homem, leão , boi, e
águia.

'O Querubim'
Querubins (plural de querubim) são seres angelicais espirituais do reino celestial.
Eles são sempre associados com a santidade de Deus. Quando Adão pecou, Deus
colocou querubins na entrada do Jardim do Éden para guardar o caminho para a Árvore
da Vida.

- Eles representam o governo justo de Deus, e são os executores da justiça de Deus.

Gen 3:22-24 .."Então disse o SENHOR Deus: ..Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora,
para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente; o SENHOR
Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado. E havendo lançado fora o
homem, pôs querubins ao oriente do jardim .do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para
guardar o caminho da árvore da vida."

A sua representação no tecido, ao redor e acima do Santo dos Santos, salienta a justiça
de Deus, e aqueles que O servem em perfeita santidade.

- Ezequiel dá uma descrição dos querubins em sua visão:


Ez 1:4-14 " Olhei, e eis que um vento tempestuoso vinha do norte, uma grande nuvem, com um fogo revolvendo-
se nela, e um resplendor ao redor, e no meio dela havia uma coisa, como de cor de âmbar, que saía do meio do
fogo. E do meio dela saía a semelhança de quatro seres viventes. E esta era a sua aparência: tinham a
semelhança de homem. E cada um tinha quatro rostos, como também cada um deles quatro asas. E os seus pés
eram pés direitos; e as plantas dos seus pés como a planta do pé de uma bezerra, e luziam como a cor de
bronze polido. E tinham mãos de homem debaixo das suas asas, aos quatro lados; e assim todos quatro tinham
seus rostos e suas asas. Uniam-se as suas asas uma à outra; não se viravam quando andavam, e cada qual
andava continuamente em frente. E a semelhança dos seus rostos era como o rosto de homem; e do lado direito
todos os quatro tinham rosto de leão, e do lado esquerdo todos os quatro tinham rosto de boi; e também tinham
rosto de águia todos os quatro. Assim eram os seus rostos. As suas asas estavam estendidas por cima; cada
qual tinha duas asas juntas uma a outra, e duas cobriam os corpos deles. E cada qual andava para adiante de si;
para onde o espírito havia de ir, iam; não se viravam quando andavam. E, quanto à semelhança dos seres
viventes, o seu aspecto era como ardentes brasas de fogo, com uma aparência de lâmpadas; o fogo subia e
descia por entre os seres viventes, e o fogo resplandecia, e do fogo saíam relâmpagos; E os seres viventes
corriam, e voltavam, à semelhança de um clarão de relâmpago."

Ez 10:1 " DEPOIS olhei, e eis que no firmamento, que estava por cima da cabeça dos querubins, apareceu sobre
eles uma como pedra de safira, semelhante a forma de um trono."

- João em Apocalipse também relata uma visão dos querubins:


Ap 4:6-8 " E havia diante do trono como que um mar de vidro, semelhante ao cristal. E no meio do trono, e ao
redor do trono, quatro animais cheios de olhos, por diante e por detrás. E o primeiro animal era semelhante a
um leão, e o segundo animal semelhante a um bezerro, e tinha o terceiro animal o rosto como de homem, e o
quarto animal era semelhante a uma águia voando. E os quatro animais tinham, cada um de per si, seis asas, e
ao redor, e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo: Santo,
Santo, Santo, é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, que era, e que é, e que há de vir. "

Os dois querubins
Ex 25:18-20 " Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do
propiciatório. Farás um querubim na extremidade de uma parte, e o outro querubim na extremidade da outra
parte; de uma só peça com o propiciatório, fareis os querubins nas duas extremidades dele. Os querubins
estenderão as suas asas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma defronte da outra; as
faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório."

- Eles representam o juízo de Deus.

- A sua posição indica o juízo de Deus sobre Israel estava desviado por causa do sangue
aspergido no propiciatório.

- Os querubins são revelados por Ezequiel no capítulo 1:5-10 como 4 seres viventes,
cada um tendo 4 diferentes faces, a face de um homem, leão, boi, e águia.

Homem- Esta face fala da mente, razão, afeições,e todas as coisas que envolvem a
natureza humana.

Leão- O leão sempre foi reconhecido como forte, feroz, e majestoso. Ele é o rei dos
animais.
Pv 30:30 "O leão, o mais forte entre os animais, que não foge de nada;"

Pv 20:2 " Como o rugido do leão é o terror do rei; o que o provoca à ira peca contra a sua própria alma."

Boi- O boi é reconhecido como um animal que trabalha pacientemente para seu dono.
Ele é forte, podendo carregar um urso, e conhece o seu dono.
Pv 14:4 " Não havendo bois o estábulo fica limpo, mas pela força do boi há abundância de colheita."

Sl 144:14 " Para que os nossos bois sejam fortes para o trabalho; para que não haja nem assaltos, nem saídas,
nem gritos nas nossas ruas."

Is 1:3 " O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem
conhecimento, o meu povo não entende. "

Águia - Como um anjo, este pássaro voa acima das tempestades, enquanto abaixo delas
existem tristezas, perigos, e angústias. Um pássaro ligeiro e poderoso, elegante,
incansável.
Pv 30:18-19 "Estas três coisas me maravilham; e quatro há que não conheço: O caminho da águia no ar; o
caminho da cobra na penha; o caminho do navio no meio do mar; e o caminho do homem com uma virgem."

Is 40:31 "Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não
se cansarão; caminharão, e não se fatigarão."

Sl 103:5 " Que farta a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia."

Ex 19:4 " Vós tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim;"

Ez 17:3 " E disse: Assim diz o Senhor DEUS: Uma grande águia, de grandes asas, de plumagem comprida, e
cheia de penas de várias cores, veio ao Líbano e levou o mais alto ramo de um cedro."

Os 8:1 " PÕE a trombeta à tua boca. Ele virá como a águia contra a casa do SENHOR, porque transgrediram a
minha aliança, e se rebelaram contra a minha lei."
A Tradição Judaica

De acordo com os antigos escritos, versam as palavras de Ezequiel, " E tinham mãos de homem debaixo das
suas asas " (Ez 1:8), referindo-se às mãos de Deus que são estendidas debaixo das asas de Chayyoth
(Querubim) para recolher os penitentes do poder do juízo" [Pes. 119a]

O véu separou o homem de Deus.

'O Véu' (Ex 26:31-34)


Ex 26:31-34 "Depois farás um véu de azul, e púrpura, e carmesim, e de linho fino torcido; com querubins de obra
prima se fará. E colocá-lo-ás sobre quatro colunas de madeira de acácia, cobertas de ouro; seus colchetes serão
de ouro, sobre quatro bases de prata. Pendurarás o véu debaixo dos colchetes, e porás a arca do testemunho ali
dentro do véu; e este véu vos fará separação entre o santuário e o lugar santíssimo, e porás a coberta do
propiciatório sobre a arca do testemunho no lugar santíssimo."

Os Querubins de 4 faces são os guardiães da santidade de Deus.

O véu separou o homem de Deus. Foi pendurado através de argolas de ouro nos quatro
pilares de madeira de acácia cobertos com ouro que estavam sobre as bases de prata. A
palavra " véu " significa separar. O véu foi feito de linho branco finamente tecido, azul,
purpúra, e escarlata, da mesma maneira que as cortinas decoradas que cercavam o
Santo Lugar com as figuras ricamente ornamentadas de querubins, sendo chamado de "a
cortina do Testemunho" ou "o véu". O véu nunca poderia ser tocado exceto pelo sumo
sacerdote, somente uma vez por ano para aspergir o sangue no propiciatório no dia da
expiação:
Lv 16:2 " Disse, pois, o SENHOR a Moisés: Dize a Arão, teu irmão, que não entre no santuário em todo o tempo,
para dentro do véu, diante do propiciatório que está sobre a arca, para que não morra; porque eu aparecerei na
nuvem sobre o propiciatório."

Um Tipo de Cristo
O véu fala do corpo de Jesus Cristo, como relata o livro de Hebreus no Novo Testamento,
que diz que nós podemos entrar confiadamente no Santo dos Santos, pelo sangue de
Cristo "pelo véu, isso é, a sua carne". O véu foi rasgado em dois, assim como a lança
trespassou o lado de Cristo. Jesus sofreu ao ponto de morrer (na Cruz romana) de modo
que nós podemos ter acesso. Hebreus 12:2 nos fala que Ele fez isto tendo em vista o
gozo prometido. Ele, o noivo morreu por nós, e só morrendo Ele pôde nos tomar como a
sua noiva, e Ele nos tem por toda eternidade. O véu que é rasgado em dois fala do corpo
de Jesus Cristo, entregue por nós, para nos dar acesso a Ele.
Hb 10:19-22 " Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo
caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de
Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má
consciência, e o corpo lavado com água limpa"

Mt 27:51 " E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as
pedras;"

A presença de Deus foi descoberta, e todos são convidados a entrar pelo caminho que
Cristo abriu.

O propósito do tabernáculo era alojar a Arca na qual foram colocadas as tábuas dos Dez Mandamentos.
A Arca tinha 2 1/2 côvados x 11/2 côvado, um baú de madeira retangular com sua tampa, o Propiciatório,
com os Querubins da glória um de frente ao outro com suas asas estendidas. O sangue era aspergido abaixo,
entre os anjos do juízo, que estavam olhando. Quando eles viam o sangue, a ira de Deus era aplacada.
A Arca foi revestida de ouro puro e tinha uma coroa de ouro.

'A Arca da Aliança' (Ex 25:10-22)


Apenas uma vez por ano, no Yom Kippur, o Sumo Sacerdote poderia ir além do véu. O
véu separou o homem do Santo dos Santos. Estava atrás deste véu, um cômodo de 10
côvados quadrados, chamado de Santo dos Santos, que era a parte mais sagrada de
toda a estrutura do tabernáculo. Esta era a Arca da Aliança, que foi mencionada primeiro,
antes de toda a mobília no tabernáculo. A tampa em cima da arca era conhecida como o
Propiciatório, que foi considerado uma parte separada da mobília, mas era um com a
arca. A arca estava no centro do acampamento, e a nuvem da glória era vista sobre o
propiciatório, na parte mais interior do tabernáculo.
Ex 25:10-22 "Também farão uma arca de madeira de acácia; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a
sua largura de um côvado e meio, e de um côvado e meio a sua altura. E cobri-la-á de ouro puro; por dentro e
por fora a cobrirás; e farás sobre ela uma coroa de ouro ao redor; E fundirás para ela quatro argolas de ouro, e
as porás nos quatro cantos dela, duas argolas num lado dela, e duas argolas noutro lado. E farás varas de
madeira de acácia, e as cobrirás com ouro. E colocarás as varas nas argolas, aos lados da arca, para se levar
com elas a arca. As varas estarão nas argolas da arca, não se tirarão dela. Depois porás na arca o testemunho,
que eu te darei. Também farás um propiciatório de ouro puro; o seu comprimento será de dois côvados e meio,
e a sua largura de um côvado e meio. Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas
extremidades do propiciatório. Farás um querubim na extremidade de uma parte, e o outro querubim na
extremidade da outra parte; de uma só peça com o propiciatório, fareis os querubins nas duas extremidades
dele. Os querubins estenderão as suas asas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma
defronte da outra; as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório. E porás o propiciatório em cima
da arca, depois que houveres posto na arca o testemunho que eu te darei. E ali virei a ti, e falarei contigo de
cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a arca do testemunho), tudo o que eu te
ordenar para os filhos de Israel."

Depois porás na arca o testemunho, que eu te darei. Também farás um propiciatório de


ouro puro; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a sua largura de um
côvado e meio. Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas
extremidades do propiciatório. Farás um querubim na extremidade de uma parte, e o
outro querubim na extremidade da outra parte; de uma só peça com o propiciatório, fareis
os querubins nas duas extremidades dele. Os querubins estenderão as suas asas por
cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma defronte da outra; as faces
dos querubins estarão voltadas para o propiciatório. E porás o propiciatório em cima da
arca, depois que houveres posto na arca o testemunho que eu te darei. E ali virei a ti, e
falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a
arca do testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel."

A arca era um baú de madeira retangular (madeira de acácia) revestido com puro ouro,
por dentro e por fora. Tendo 2,5 côvados de comprimento por de 1,5 côvados de altura
(1,15 x 0,70 m) tinha uma moldura de ouro, ou coroa ao redor do topo (no hebraico¸ uma
palavra diferente da usada para a beira do altar de incenso).

A arca estava no chão sujo do Santo dos Santos, com suas quatro argolas de ouro onde
as varas de ouro eram inseridas, e mantidas ali, em posição de partida.

Dentro da arca haviam 3 coisas. As 2 tábuas da Lei.


Um pote dourado com o maná e a vara de Arão que floresceu.
A Arca da aliança era onde justiça de Deus, o seu juízo para o pecado eram satisfeitos.
Existem quase 200 referências no Antigo Testamento sobre a Arca. Aqui estão alguns
nomes mencionados nas Escrituras para a Arca da Aliança:

Seus Nomes
Ex 25:22 " E ali virei a ti, e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre
a arca do testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel."

Js 3:6 " E falou Josué aos sacerdotes, dizendo: Levantai a arca da aliança, e passai adiante deste povo.
Levantaram, pois, a arca da aliança, e foram andando adiante do povo."

Js 3:13 " Porque há de acontecer que, assim que as plantas dos pés dos sacerdotes, que levam a arca do
SENHOR, o Senhor de toda a terra, repousem nas águas do Jordão, se separarão as águas do Jordão, e as
águas, que vêm de cima, pararão amontoadas."

1Sm 5:7 " Vendo então os homens de Asdode que assim foi, disseram: Não fique conosco a arca do Deus de
Israel; pois a sua mão é dura sobre nós, e sobre Dagom, nosso deus."

2Cr 6:41 " Levanta-te, pois, agora, SENHOR Deus, para o teu repouso, tu e a arca da tua fortaleza; os teus
sacerdotes, ó SENHOR Deus, sejam vestidos de salvação, e os teus santos se alegrem do bem."

2Cr 35:3 " E disse aos levitas que ensinavam a todo o Israel e estavam consagrados ao SENHOR: Ponde a arca
sagrada na casa que edificou Salomão, filho de Davi, rei de Israel; não tereis mais esta carga aos ombros; agora
servi ao SENHOR vosso Deus, e ao seu povo Israel."

Sl 78:60-61 " Por isso desamparou o tabernáculo em Siló, a tenda que estabeleceu entre os homens. E deu a sua
força ao cativeiro, e a sua glória à mão do inimigo."

Seu Conteúdo

1) as 2 tábuas de pedra (Os 10 Mandamentos)

É importante notar que a arca continha as duas tábuas do Decálogo (os Dez
Mandamentos). Lembrando que Deus tinha feito uma aliança com Israel, mas o seu povo
tinha quebrado. Por sua graça, Deus renovou a aliança, e ordenou que o registro (as
tábuas de pedra) deveriam ser depositados na santa arca. O Livro da Aliança que tratava
de outros aspectos da lei e das ordenanças, foi depositado ao lado da arca. Mas os 10
Mandamentos foram armazenados dentro da própria arca.
Ex 25:16 " Depois porás na arca o testemunho, que eu te darei."

2) um pote de ouro contendo um ômer de maná (Hb 9:4)

Também foram colocados dois outros artigos dentro da arca. Um deles era um pote
contendo um ômer (3,6 litros) de maná (Hb. 9:4) como um memorial da provisão de
Deus:
Ex 16:32-33 " E disse Moisés: Esta é a palavra que o SENHOR tem mandado: Encherás um ômer dele e guardá-
lo-ás para as vossas gerações, para que vejam o pão que vos tenho dado a comer neste deserto, quando eu vos
tirei da terra do Egito. Disse também Moisés a Arão: Toma um vaso, e põe nele um ômer cheio de maná, e
coloca-o diante do SENHOR, para guardá-lo para as vossas gerações."

Também era um tipo de Cristo que era o Pão Vivo que desceu de céu:
Jo 6:50-51 " Este é o pão que desce do céu, para que o que dele comer não morra. Eu sou o pão vivo que desceu
do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela
vida do mundo."
3) depois eles colocaram a vara de Arão que floresceu (Num 17)

O terceiro artigo colocado era a vara de Arão que da qual saíram brotos, floresceu e
frutificou amêndoas maduras em uma única noite, como sinal da escolha de Deus por
Arão para o sacerdócio (Hb. 9:4).
Num 17:7-8 " E Moisés pôs estas varas perante o SENHOR na tenda do testemunho. Sucedeu, pois, que no dia
seguinte Moisés entrou na tenda do testemunho, e eis que a vara de Arão, pela casa de Levi, florescia; porque
produzira flores e brotara renovos e dera amêndoas."

Um Tipo de Cristo
A Arca da Aliança era uma figura de Jesus Cristo. A madeira de Acácia fala da
humanidade incorruptível de Jesus. Ele era 100% homem. O próprio Deus se tornou
carne e sofreu as agonias da experiência humana. Ele foi tentado, Ele se cansou, Ele
teve sede, Ele teve que aprender as Escrituras, aprender a obediência, aprender a ouvir
a voz de Deus, e foi conduzido pelo Espírito como homem. A madeira de Acácia nos fala
que Ele era 100% homem, e o puro ouro que revestia a madeira nos fala que Ele era
100% Deus. Jesus disse "a menos que crerdes que eu SOU que vós morrereis em
vossos pecados". Ele usou as mesmas palavras (Heb. eheyay asher aheyay) usadas
quando o Senhor falou a Moisés na sarça ardente. O Messias judeu não era em nada
diferente do próprio Jeová visitando o seu povo, e se tornando Seu salvador, morrendo
pelos pecados do mundo, e isso é a etimologia do nome Jesus (Heb. Y'shua 'Yaweh se
fez salvação'). Jesus condenou os líderes religiosos por não reconhecerem "o tempo da
sua visitação ".

A coroa de ouro ao redor do topo da arca fala do Senhor Jesus Cristo como Rei dos reis
e Senhor dos senhores. Jesus superou o ataque da oposição contra Ele toda a Sua vida
pelos líderes religiosos, a aristocracia judaica, a própria Roma, e até mesmo todo o poder
do inimigo. Ele superou plenamente a morte, e ressuscitou triunfalmente e foi coroado de
gloria e honra, porque Ele é o Rei. De acordo com João, era Jesus que Isaías viu
assentado no trono de glória com os anjos clamando 'Santo, Santo, Santo.'

As tábuas de pedra (a Lei) diante de Jesus mostra que Ele cumpriu perfeitamente a Lei e
fez toda a Vontade de Deus. A Bíblia diz que Ele "não cometeu nenhum pecado, nem
falha alguma foi achada em sua boca". Jesus sentiu a pressão da tentação e toda a sua
intensidade, porém, Ele nunca pecou. Até mesmo o Seu olhar, e o tom da Sua voz,
refletiam as mesma perfeição da santidade do próprio Deus. A vara de Arão que
floresceu, fala de Jesus. Como algo que havia morrido e sobrenaturalmente voltou à vida.
Jesus disse, "eu sou a ressurreição e a vida ". O pote dourado com o maná fala de Jesus
como o Pão da Vida - a Palavra de Deus -, que desceu do céu para alimentar o mundo
que jazia em escuridão e morrendo de fome.

Tudo aponta para Jesus. Até mesmo as varas douradas falam da vida eterna, do
Salvador sempre presente, que está conosco em todas as nossas jornadas, e nunca nos
deixará nem nos abandonará. Se examinar toda a história da arca, você descobrirá ainda
mais semelhanças com o ministério de Jesus, nosso Senhor:

A arca foi diante do povo - o Jesus foi à frente deles:


Jo 10:4 " E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a
sua voz."

A arca estava no meio do povo de Deus - Jesus está no seu povo:


Jo 14:20 " Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós.

As pessoas deviam seguir a arca - Nós devemos seguir a Jesus:


Lc 5:27-28 " E, depois disto, saiu, e viu um publicano, chamado Levi, assentado na recebedoria, e disse-lhe:
Segue-me. E ele, deixando tudo, levantou-se e o seguiu."

E sem parar, a arca sempre era a primeira para os conduzir. Trazendo morte a todos os
inimigos de Deus. A arca trazia bênçãos e maldições.
Is 53:2 " Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem
formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos."

Is 9:6 " Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se
chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz."

Jo 1:14 " E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai,
cheio de graça e de verdade."

Mt 5:17 " Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir."

1Pe 2:22 " O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano."

Gal 4:4 " Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,"

Jo 11:25 " Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;"

Jo 6:32 " Disse-lhes, pois, Jesus: Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu; mas meu
Pai vos dá o verdadeiro pão do céu."

Jo 1:1 " NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus."

Jo 1:14 " E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai,
cheio de graça e de verdade."

O Propiciatório era a tampa ou cobertura de ouro maciço da arca.

'O Propiciatório' (Ex 25:17-22)


Sl 99:1 "O SENHOR reina; tremam os povos. Ele está assentado entre os querubins; comova-se a terra."
Ex 25:17-22 "Também farás um propiciatório de ouro puro; o seu comprimento será de dois côvadoso e meio, e
a sua largura de um côvado e meio. Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas
extremidades do propiciatório. Farás um querubim na extremidade de uma parte, e o outro querubim na
extremidade da outra parte; de uma só peça com o propiciatório, fareis os querubins nas duas extremidades
dele. Os querubins estenderão as suas asas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma
defronte da outra; as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório. E porás o propiciatório em cima
da arca, depois que houveres posto na arca o testemunho que eu te darei. E ali virei a ti, e falarei contigo de
cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a arca do testemunho), tudo o que eu te
ordenar para os filhos de Israel."

A Arca da Aliança era um pequeno baú feito de madeira de acácia revestida de ouro e
com uma tampa. O Propiciatório era a tampa ou a cobertura de ouro sólido, com o
mesmo tamanho da tampa Arca (2,5 côvados de comprimento x 1,5 côvados de largura).
Acima do Propiciatório, haviam dois querubins de ouro batido um em frente do outro. As
suas asas estendidas obscureciam a tampa de ouro e as suas faces estavam
constantemente olhando para baixo. Eles representavam a presença e santidade do
Senhor e são seus instrumentos escolhidos de juízo, para qualquer que se presença
pecadora diante do Senhor, e quando olhavam para o sangue, a ira de Deus é aplacada,
e eles permanecem em paz.

Depois que os filhos de Israel viajavam para o Monte Sinai, Deus falou a Moisés no
monte, que Ele levaria a sua tenda nas suas jornadas:
Ex 25:8-9 "E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo
do tabernáculo, e para modelo de todos os seus pertences, assim mesmo o fareis."

Quando Deus revelou o modelo do tabernáculo, e a sua maneira de se aproximar, Ele


também disse a Moisés o local onde Ele se encontraria:
Ex 25:22 "E ali virei a ti, e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre
a arca do testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel."

Assim, as asas estendidas do querubim faziam um trono para Deus, de onde Ele governa
a terra, como uma representação real do trono no céu:
1 Sm 4:4 "Enviou, pois, o povo a Siló, e trouxeram de lá a Arca da Aliança do SENHOR dos Exércitos, que habita
entre os querubins;"

Quando Deus falou a Moisés do meio da nuvem no Sinai, Ele também lhe falou que Ele
desceria para falar com o seu povo. Era do propiciatório que Ele disse:
Num 7:89 " E, quando Moisés entrava na tenda da congregação para falar com ele, então ouvia a voz que lhe
falava de cima do propiciatório, que estava sobre a arca do testemunho entre os dois querubins; assim com ele
falava."
O Propiciatório é o lugar onde o sangue era aspergido.

No Novo Testamento o Propiciatório ou Tampa Propiciatória é mencionada duas vezes.


Hb 9:2-5 " Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candelabro, e a mesa, e os pães
da proposição; ao que se chama o santuário. Mas depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o
santo dos santos, que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que
estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança; E
sobre a arca os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora
particularmente."

Rm 3:23-26 " Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; Sendo justificados gratuitamente
pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu
sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;
Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem
fé em Jesus."

O palavra grega para Propiciatório é 'hilasterion'. É usado aqui em Romanos 3:25, onde
Paulo diz (literalmente) " Deus propôs para propiciação (Propiciatório). Isto significa que
Jesus Cristo é o Propiciatório.

O Propiciatório não tinha o seu valor da pureza de seu ouro, mas pelo fato de que era o
lugar onde foi aspergido o sangue do sacrifício na presença de Yahweh.

A palavra para "Propiciatório" é a mesma palavra da raiz "expiação". Que significa cobrir,
cancelar, satisfazer, ou limpar.

O equivelente grego é a palavra "propiciação".


Lc 18:13 " O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia
no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!"

A palavra "propiciatório" fala de um lugar de descanso, assim o Propiciatório era o "lugar


de misericórdia ou propiciação".

Os querubins estavam no propiciatório com as asas estendidas.


Os 2 Querubins
Ex 25:18-20 " Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do
propiciatório. Farás um querubim na extremidade de uma parte, e o outro querubim na extremidade da outra
parte; de uma só peça com o propiciatório, fareis os querubins nas duas extremidades dele. Os querubins
estenderão as suas asas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma defronte da outra; as
faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório."

- Eles representavam o juízo de Deus.

- A posição deles indica que o juízo de Deus em Israel foi evitado por causa do sangue
aspergido no Propiciatório.

A Tradição Judaica

De acordo com os antigos escritos, as palavras de Ezequiel, "E tinham mãos de homem debaixo das suas asas "
(Ez 1:8), se refirindo à mão de Deus que está estendida debaixo das asas do Chayyoth (Querubim) para resgatar
os penitentes do poder de juízo" [Pes. 119a]

- Os Querubins são revelados por Ezequiel no capítulo 1:5-10 como 4 seres viventes,
cada um tendo 4 faces diferentes, a face de um homem, leão, boi, e águia.

Homem - Esta face fala da mente, razão, afeições,e todas as coisas que envolvem a
natureza humana.

Leão - O leão sempre foi reconhecido como forte, feroz, e majestoso. Ele é o rei dos
animais.
Pv 30:30 "O leão, o mais forte entre os animais, que não foge de nada;"

Pv 20:2 " Como o rugido do leão é o terror do rei; o que o provoca à ira peca contra a sua própria alma."

Boi - O boi é reconhecido como um animal que trabalha pacientemente para seu dono.
Ele é forte, podendo carregar um urso, e conhece o seu dono.
Pv 14:4 " Não havendo bois o estábulo fica limpo, mas pela força do boi há abundância de colheita."

Sl 144:14 " Para que os nossos bois sejam fortes para o trabalho; para que não haja nem assaltos, nem saídas,
nem gritos nas nossas ruas."

Is 1:3 " O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem
conhecimento, o meu povo não entende. "
Águia - Como um anjo, este pássaro voa acima das tempestades, enquanto abaixo delas
existem tristezas, perigos, e angústias. Um pássaro ligeiro e poderoso, elegante,
incansável.
Pv 30:18-19 "Estas três coisas me maravilham; e quatro há que não conheço: O caminho da águia no ar; o
caminho da cobra na penha; o caminho do navio no meio do mar; e o caminho do homem com uma virgem."

Is 40:31 "Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não
se cansarão; caminharão, e não se fatigarão."

Sl 103:5 " Que farta a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia."

Ex 19:4 " Vós tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim;"

Ez 17:3 " E disse: Assim diz o Senhor DEUS: Uma grande águia, de grandes asas, de plumagem comprida, e
cheia de penas de várias cores, veio ao Líbano e levou o mais alto ramo de um cedro."

Os 8:1 " PÕE a trombeta à tua boca. Ele virá como a águia contra a casa do SENHOR, porque transgrediram a
minha aliança, e se rebelaram contra a minha lei."

A Tradição Judaica

Os antigos escritos dizem que "O Santo, santificado seja ele, olha para todos os povos do mundo, esperando
que eles se arrependam, e assim os traga debaixo das suas asas" [Num R. x. I), e "O Santo, santificado seja ele,
espera que todos os povos do mundo se arrependem de forma que Ele os possa trazer junto de suas asas " dele
[Cant. R. vi. I].

- O Propiciatório foi colocado em cima da arca, aonde o sangue foi aspergido.


Lv 16:11-15 " E Arão fará chegar o novilho da expiação, que será por ele, e fará expiação por si e pela sua casa;
e degolará o novilho da sua expiação. Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante
do SENHOR, e os seus punhos cheios de incenso aromático moído, e o levará para dentro do véu. E porá o
incenso sobre o fogo perante o SENHOR, e a nuvem do incenso cobrirá o propiciatório, que está sobre o
testemunho, para que não morra. E tomará do sangue do novilho, e com o seu dedo espargirá sobre a face do
propiciatório, para o lado oriental; e perante o propiciatório espargirá sete vezes do sangue com o seu dedo.
Depois degolará o bode, da expiação, que será pelo povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o
seu sangue como fez com o sangue do novilho, e o espargirá sobre o propiciatório, e perante a face do
propiciatório."

Lv 16:30 " Porque naquele dia se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os
vossos pecados perante o SENHOR."

- Por causa do Propiciatório, o tabernáculo foi chamado de "a tenda da congregação".


Porque aqui Deus reuniu o homem:
Ex 25:21-22 "E porás o propiciatório em cima da arca, depois que houveres posto na arca o testemunho que eu
te darei. E ali virei a ti, e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a
arca do testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel."
Um Tipo de Cristo
O Propiciatório protegeu o homem do juízo de Deus, representado pelos anjos do juízo,
os Querubins. Por causa do sangue que foi aspergido no Propiciatório, foram lavados e
cobertos o pecado e a culpa do homem, e a maldição da lei não tinha nenhum efeito. O
Propiciatório mostra o Senhor Jesus Cristo. Ele é nosso propiciatório. Ele sempre está
entre o Deus santo e homem pecador. Da mesma maneira que os pecados da nação
inteira foram cobertos pela aspersão do sangue no propiciatório, também Cristo, pelo
derramamento do seu próprio sangue reconciliou os pecados do mundo inteiro.
1Jo 2:2 e " E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de
todo o mundo."

Lc 22:20 " Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu
sangue, que é derramado por vós."

Ef 2:13 " Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto."

1Pe 1:18-19 " Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa
vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como
de um cordeiro imaculado e incontaminado,"

Hb 9:11-12 " Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo,
não feito por mãos, isto é, não desta criação, nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue,
entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção."

Hb 9:28 " Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez,
sem pecado, aos que o esperam para salvação."

Dn 7:9-10 " Eu continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e um ancião de dias se assentou; a sua
veste era branca como a neve, e o cabelo da sua cabeça como a pura lã; e seu trono era de chamas de fogo, e as
suas rodas de fogo ardente. Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e
milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros."

Dn 7:13-14 " Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho
do homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele. E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o
reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não
passará, e o seu reino tal, que não será destruído."

Ap 5:1-13 " E VI na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado
com sete selos. E vi um anjo forte, bradando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de desatar os seus
selos? E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele. E eu
chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele. E disse-
me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá , a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro
e desatar os seus sete selos. E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os
anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de
Deus enviados a toda a terra. E veio, e tomou o livro da destra do que estava assentado no trono. E, havendo
tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos
eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos. E cantavam um novo cântico,
dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste
para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e
eles reinarão sobre a terra. E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos;
e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o
Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças.
E ouvi toda a criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e a todas as coisas que
neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e honra, e
glória, e poder para todo o sempre

." Sl 99:1 "O SENHOR reina; tremam os povos. Ele está assentado entre os querubins; comova-se a terra."
A Presença do Senhor enchia o Santo dos Santos

Ex 40:34-35 " Então a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do SENHOR encheu o tabernáculo; De
maneira que Moisés não podia entrar na tenda da congregação, porquanto a nuvem permanecia sobre ela, e a
glória do SENHOR enchia o tabernáculo."

Quando a glória do Senhor desceu e encheu o tabernáculo pela primeira vez, deve ter
sido um espetáculo temeroso. Deus se agrado do seu povo, não por causa da sua
bondade, mas porque os seus pecados foram cobertos e eles um dia seriam pagos por
Cristo um dia. Creio que o sumo sacerdote sentiu prazer de entrar na presença do
Senhor no Santo dos Santos. A palavra hebraica para habitação ou presença de Deus é
"Sh'cheenah" ou, como nós pronunciamos: Shekinah (Chequiná). O termo Shekinah era
muitas vezes usado na palavra Deus. Na mente judaica, vinha do fato que Ele "habitou"
ou "descansou" entre o seu povo, seja um indivíduo, uma tribo, ou todo o povo judeu.

Estudiosos sempre viram uma conexão notável entre o conceito do Shekinah e a idéia do
"Logos" "A Palavra" que Philo introduziu no pensamento filosófico judeu. Um valor muito
maior foi dado à palavra Logos, quando o apóstolo João a usou no seu evangelho para
definir o Senhor Jesus com estas palavras:
Jo 1:1-2 "No princípio era o Verbo (Palavra), e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no
princípio com Deus."

No Targum judaico, que eram paráfrases de interpretações populares da Escritura do


Antigo Tetamento, havia uma tendência para evitar termos antropomorfos. Então a
Palavra foi introduzida como um fator de mediação entre Deus e o mundo. Em particular,
a brecha entre o Divino e o humano é atravessado pelo uso de tais condições como a
palavra hebraica memra (" palavra ") e shekinah (" glória "). " O "memra" procede de
Deus, e é seu mensageiro na Natureza e história ".

Estudiosos também vêem as semelhanças entre "Shekinah" (a "Presença" de Deus), O


Espírito Santo de Deus (Heb. "Ruach Elohim"; Gr. "Pneuma Hagion"), e o hebraico "Bat
Kol" ("A Filha da Voz, " ou "a Voz de Deus"). Qualquer tentativa para encontrar uma
diferença significativa entre estas palavras nunca foi satisfatoriamente estabelecida, e
assim eles são freqüentemente usadas.

Tradição judaica

Shechinah

De acordo com tradição judia o esplendor do Shechinah, com suas bênçãos incontáveis, "restos" se manifestam
naqueles que são piedosos e íntegros. De acordo com os antigos Rabinos o Shekinah aparece no meio de pelo
menos um "minyan" de adoradores quando eles oram na congregação, e de dois ou mais judeus quando eles se
ocupam no estudo da Torah, ou em um homem quando ele recita o Shema. Também é dito que o Shekinah habita
no puro, no benevolente, e no hospitaleiro, e no marido e esposa quando eles vivem em paz e harmonia. Os
antigos Rabinos também disseram que o Shekinah apareceu antes de Moisés na Sarça ardente, repousando no
Tabernáculo no Deserto no dia da sua dedicação, e no Santo dos Santos no Templo em Jerusalém, e iluminará a
felicidade dos justos (Heb. tzaddikim) no mundo porvir.

Os escritos do Talmude concebiam o Shekinah como uma essência espiritual de beleza indescritível e de grande
resplendor. Geralmente era falado como uma luz brilhante ou um esplendor e quando se aproximva, era
anunciada por um tilintar como um sino etéreo. Uma interessante lenda judaica descrevia Moisés agonizante, até
ser envolvido amorosamente nas "asas" do Shekinah.

É dito que, " Onde quer que o povo judeu vá, o Shechinah o segue ".

Bat Kol

É interessante examinar a tradição do Bat Kol que era a voz de Deus proclamando a Sua vontade e intenção, os
seus julgamentos e as suas promessas, as suas advertências e suas ordens para as pessoas, tribos , e às vezes
para todo o Israel. A Tradição judaica sempre falou do Bat Kol. Quando o Torah foi escrito no Sinai, que a Bíblia
diz:

Dt 4:12 " Então o SENHOR vos falou do meio do fogo; a voz das palavras ouvistes; porém, além da voz, não
vistes figura alguma."

O Bat Kol soou misteriosamente em momentos extraordinários, e isto foi mencionado na tradição judaica. Por
exemplo há uma lenda que diz que quando Deus tomou a alma de Moisés com um beijo, o Bat Kal soou fora,
acima do acampamento Israelita com o lamento: " Moisés está morto! Moisés está morto!" Também é
reconhecido dando advertências ou anunciando juízos aos pecadores como registrado no livro de Daniel:

Dan 4:28-32 "Todas estas coisas vieram sobre o rei Nabucodonosor. Ao fim de doze meses, quando passeava no
palácio real de Babilônia, falou o rei, dizendo: Não é esta a grande Babilônia que eu edifiquei para a casa real,
com a força do meu poder, e para glória da minha magnificência? Ainda estava a palavra na boca do rei, quando
caiu uma voz do céu: A ti se diz, ó rei Nabucodonosor: Passou de ti o reino. E serás tirado dentre os homens, e a
tua morada será com os animais do campo; far-te-ão comer erva como os bois, e passar-se-ão sete tempos
sobre ti, até que conheças que o Altíssimo domina sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer."

O Bat Kol tinha sido ouvido pelos Rabinos quando eles tiveram decisões muito importantes para tomar. O
Talmude faz menção de vários momentos em que o Bat Kol se manifestou durante a grande assembléia
conhecida como o Sinédrio.

Há muitas referências no Novo Testamento do Bat Kol com Jesus e seus apóstolos. João, que escreveu o Livro
de Apocalipse disse:

Ap 1:10-18 " Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de
trombeta, que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o derradeiro; e o que vês, escreve-o num livro, e
envia-o às sete igrejas que estão na Ásia: a Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a
Filadélfia, e a Laodicéia. E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro; E no
meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do homem, vestido até aos pés de uma roupa comprida, e
cingido pelos peitos com um cinto de ouro. E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a
neve, e os seus olhos como chama de fogo; E os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se tivessem
sido refinados numa fornalha, e a sua voz como a voz de muitas águas. E ele tinha na sua destra sete estrelas; e
da sua boca saía uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força
resplandece. E eu, quando vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não
temas; Eu sou o primeiro e o último; E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre.
Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno."

O Bat Kol é representado na tradição judaica pelo símbolo de uma pomba.

Havia uma diferença entre o templo de Deus, que era a estrutura, e o templo de Deus
que era o lugar da Sua habitação. Quando Jesus estava acusando as autoridades
judaicas que Ele disse, "Fizestes da casa de meu Pai um Covil de ladrões" e dizendo "
Meu Pai" eles souberam que Ele estava reivindicando autoridade Messiânica sobre o
templo, e então disseram, " Que sinal nos mostras para fazeres isto?" e veja o que Ele
disse:
Jo 2:19-21 " Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei. Disseram, pois, os
judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este templo, e tu o levantarás em três dias? Mas ele falava do
templo do seu corpo."

Eles estavam olhando a estrutura física (Heb. Mikdash) do templo mas Ele disse,
"Derrubai este templo", Ele usou a palavra hebraica 'Mishkan' que era a palavra usou no
Antigo Testamento para a Presença que iluminou o Santo dos Santos no Yom Kippur, no
tabernáculo ou no templo. Jesus disse: "Eu sou o templo (Mishkan) de Deus." Quando a
glória (Heb. Sh'chinah) vinha como um tornado pelo telhado do Santo dos Santos ¸ e a
sua Presença se manifestaria no Propiciatório, entre os querubins, depois que o sangue
foi aspergido, era o mishkan. Aquela Presença era o que Jesus disse que habitava n'Ele.
E Paul disse sobre a igreja, "Não sabeis vós que sois o templo (Mishkan) de Deus?" Nós, como o
corpo de Cristo, temos a mesma Presença que habita dentro de nós. Deus não habita
hoje em edifícios, mas dentro do seu povo. Romanos 10 diz que se você confessar com a
sua boca que Jesus Cristo é Yaweh, e crê em seu coração que Deus O ressuscitou
dentre os mortos, você será salvo. É a partir desse ponto você se torna o Mishkan de
Deus. Quando Deus disse "Faça santuário para que eu possa habitar entre eles" Ele disse
literalmente "neles". A desejo de Deus sempre foi habitar dentro do seu povo (Jer. 31:31-
33) e pôr o Seu Espírito em nós. Quando você recebe a Jesus você se torna o Mishkan
de Deus.

É interessante notar que quando o povo de Israel tinha experimentado a glória do Senhor
quando ela veio, o povo louvou o Senhor e sentiu a sua bondade e a sua misericórdia
clemência:
2 Cr 7:2-3 "E os sacerdotesnão podiam entrar na casa do SENHOR, porque a glória do SENHOR tinha enchido a
casa do SENHOR. E todos os filhos de Israel vendo descer o fogo, e a glória do SENHOR sobre a casa,
encurvaram-se com o rosto em terra sobre o pavimento, e adoraram e louvaram ao SENHOR, dizendo: Porque
ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre."

A Presença do Senhor sempre é algo agradável e nunca algo para se ter medo para o
crente em Cristo. Quando o Espírito desceu sobre o Senhor Jesus veio em forma de
pomba, que era um símbolo de afeto e carícia para Israel. Quando Isaías viu o trono de
Deus e o Rei dos reis em Sua glória (Is. 6) ele ficou atemorizado e esperou a morte, a
qualquer instante, mas quando um sacrifício é feito e o sangue está presente, o amor e
clemência do Senhor também estão presentes, e então, o povo de Deus é compelido a
falar:

"Verdadeiramente o Senhor é bom, e o seu amor dura para sempre."

QuatroCORES
Muitos crêem que no Tabernáculo o número quatro aponta para os evangelhos (que são quatro), que nos mostram a
vida de Cristo, e recebê-lO pela fé:

Mateus - Mostra Jesus como REI (Purpúra) - Judeus - (Leão)

Marcos - Mostra Jesus como SERVO (Escarlate) - Romanos - (Boi)

Lucas - Mostra Jesus como HOMEM (Branco) - Gregos - (Homem)

João - Mostra Jesus como DEUS (Azul) Cristãos - (Águia) -]

Yom Kippur - O Grande Dia da Expiação

'A Expiação pelo Sangue'

sta é talvez a verdade mais difícil do ser humano aceitar, a de que a vida de
uma vítima inocente seria sacrificada em nome do culpado. Para entender
isto completamente nós precisamos voltar para o jardim do Éden no Livro de
Gênesis.

1. Adão Entrega a Coroa Para o Diabo

O Senhor criou o homem à Sua imagem. Não porque Deus se parece um homem ou com
uma mulher. De acordo com Lucas 24:39, Deus não tem um corpo mas Ele é um Espírito
eterno. (Jo 4:24). Adão e Eva foram criados como seres de natureza espiritual, imortais,
eternos. Naquele estado, era impossível para eles deixarem de existir. Adão teve domínio
absoluto e autoridade com só uma restrição, não comer da árvore do conhecimento do
bem e do mal. Tudo o que voou, nadou, e rastejou estava debaixo do domínio de Adão.
Quando a serpente entrou no jardim, também estava debaixo dos pés da autoridade de
Adão . Adão permitiu esta serpente (Heb. Nachash, "o envenenador" ) dialogar com a
mulher (sua esposa) que é proibido nas Escrituras. Nem sequer Cristo falou com o diabo,
pois isso o sujeitaria à vontade ao diabo.
Naquele estado perfeito de controle e domínio, Adão permitiu que a sua esposa
dialogasse com esta criatura que estava debaixo de sua autoridade, a qual chamou a
Deus de mentiroso, e em nenhum momento, em quaisquer dessas fases do pecado,
Adão notou que os seus olhos e os de sua esposa estavam sendo abertos. É importante
a nota de que ele não estava neutro, escolhendo a fruta, mas estava "com ela" quando
ela foi enganada:

Gen 3:6 "E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para
dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela."

Paulo, o apóstolo, deixou também muito claro que Adão não foi enganado:

1 Tim 2:14 "E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão."

Adão soube exatamente o que ela estava fazendo, e como ela escolheu pecar, Adão que
estava com ela também escolheu pecar e morrer por causa do amor dele para com sua
mulher (um tipo de Cristo). Mas fazendo isto, ele deu literalmente ao diabo a coroa de
poder espiritual e de domínio que ele possuiu anteriormente, e colocou isto na cabeça do
Nachash. À partir daquele instante, a morte e satanás passaram a dominar legalmente.
Neste ponto, em 2 Cor 4:4, Satanás é denominado como o "deus deste mundo". A
palavra 'mundo' no grego é interessante, significa "cosmos" que literalmente significa "o
sistema mundial". Alguém pode perguntar, "Onde, na Escritura diz que Adão deu a coroa
de autoridade ao diabo? " A resposta está na tentação de Jesus em Lucas 4:

Lucas 4:5-8 "E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do
mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a
quem quero. Portanto, se tu me adorares, tudo será teu. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te para trás de
mim, Satanás; porque está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás."

2. O Plano de Deus

Assim o mundo inteiro ficou desesperadamente mergulhado em escuridão e morte.


Embora Adão e Eva só houvessem morrido fisicamente muitos anos depois, foi a morte
espiritual que veio primeiro, como Deus os tinha advertido, "no dia em que dela comeres,
certamente morrerás.". Morte significa separação de Deus. Eles não conheciam a morte,
mas eles souberam que Deus havia dito "Não" e quando eles desobedeceram a Deus, a
morte passou a reinar em seus espíritos e corpos. Seus espíritos eram a parte eterna, e a
parte deles que tomou conhecimento de Deus, estavam agora cheios de escuridão e de
morte reinando neles, contudo em Gênesis 3, onde a queda aconteceu, no verso 15
Deus dá a primeira luz de profecia messiânica onde ele prediz "Aquele que virá" (Heb.
Haba):

Gen 3:15 "E porei inimizade (guerra) entre ti (satanás) e a mulher (o Israel), e entre a tua semente (Gênero
humano) e a sua semente (Messias); esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar."

Este verso é muito importante para se lembrar, porque é a primeira menção da linha de
escarlata da redenção de Deus, e de como as promessas são reveladas ao longo da
história de Israel (O Antigo Testamento) e termina na cruz do Calvário, quando o sangue
do Cordeiro de Deus é derramado. Assim Gênesis 3:15 é o ponto de partida, quando
Deus lança de Sua primeira promessa d'Aquele que um dia virá, o Messias, que
transformará tudo. Em todas as épocas, as pessoas estavam a esperar por Ele.

Assim, Adão e Eva ao desobedecer, mergulharam todo o gênero humano em escuridão,


e trazendo neles a natureza caída, e tudo aquilo que a árvore personificava, que era a
natureza rebelde de Satanás. Daquele ponto em diante é o epitáfio da humanidade:

Isa 53:6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o
SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.

Rom 3:23 Tudo pecaram destituídos estão da glória de Deus.

O gênero humano inteiro é categorizado como esses, que buscam o seu próprio
caminho. Em Romanos 8:2 Paulo fala sobre "a lei espiritual de pecado e morte". Assim
quando Adão e Eva pecaram, naquele momento eles estavam nus, perdidos, em total
escuridão e mortos espiritualmente, eles estão limitados, e em um novo reino, escravos
dos seus desejos e com a natureza rebelde de Satanás a habitar neles. Mas neste
momento algo acontece.

3. O Sangue

Neste momento Deus lhes dá vestes, através do sangue de um animal inocente:

Gen 3:21-24 "E fez o SENHOR Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu. Então disse o SENHOR
Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e
tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente, o SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do
Éden, para lavrar a terra de que fora tomado. E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do
jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida."

Note que Ele os vestiu com túnicas de "pele", e que houve um sacrifício para vestir a
ambos. A palavra vestidos fala de expiação pelo sangue. Eles nunca tinham visto
qualquer coisa morrer, e eles viram Deus, o doador da vida, sacrificando uma vida,
porque quando Deus os vestiu, Ele tinha sacrificado um animal inocente para fazer isto, e
eles souberam que a partir daí, eles só poderiam se aproximar de Deus somente através
do sangue de um substituto, porque este substituto era um tipo do Cordeiro de Deus que
estava por vir. Deste ponto em diante, qualquer pessoa só pode se aproximar de Deus
pelo sangue. Este seria o meio de redenção. Sem o sangue não havia nenhum outro
meio possível para o homem ser salvo. Não importa quão bom ele seja.

Lev 17:11 "Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação
pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma."

Sangue (Heb. dam) é vida, e a vida é o sangue. Quando o sangue é derramado, uma
vida é derramada. O sangue se torna o veículo de redenção ao longo da Bíblia inteira. Se
você não puder entender o sangue, você não pode entender a Jesus. Jesus não veio
curar o doente, Ele fez isto com sua vida. Ele veio e determinou a si mesmo, ir para
Jerusalém, e morrer. Jesus disse, "Para esta causa eu vim."

João 10:18 "Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tornar
a tomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai."

Jesus veio por uma razão, derramar o sangue dele. Lembre-se, Jesus veio restaurar o
que Adão e Eva haviam perdido.

1 Cor 15:21-22 "Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por
um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo."

Quando João Batista viu Jesus, ele disse, "Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do
mundo ". Por que João chamou Jesus de O Cordeiro de Deus? Porque o cordeiro era o
animal cujo sangue foi derramado em lugar do pecador. Todo ser humano era culpado de
pecar e o salário do pecado é a morte, e plano de Deus era que o sacrifício de um
inocente sem pecado cobriria a culpa de muitos pecadores.

Deus é santo. O Céu é santo. Tudo o que está perfeito e justo na presença de Deus.
Adão e Eva deveriam ter sido destruídos pelo anjo do juízo de Deus, "O Querubim,"
contudo as suas espadas foram suspensas porque Deus, em Seu amor lhes permitiu
contemplar o sangue precioso. Veja a espada de juízo descendo sobre Adão e Eva, e no
último momento, Deus revela que, em sua onisciência, já havia preparado um substituto
de forma que a espada pararia o seu curso e cairia sobre ele. Cai sobre aquele substituto
toda a justiça, e Adão e Eva poderiam ir livres. Pense nisto como uma dívida, e que era
tempo da dívida ser paga, e no último minuto alguém paga isto por completo.

Mas há algo mais que Deus quer que o homem saiba sobre o sangue.

4. O Sangue - Um Significado mais Profundo

Quando nós olhamos Gênesis 9, precisamos nos lembrar de que Deus instituiu um plano,
chamou o plano de redenção pelo sangue, e nós vamos começar a ver sangue por todo o
Antigo Testamento. Desde o princípio, haviam aqueles que não concordaram e
chamaram isto de "a religião do matadouro" , mas Deus ainda está advertindo do mesmo
modo que ele advertiu Caim. Assim, vemos o sangue ao longo do Antigo Testamento em
todos os lugares. Em certos momentos durante a celebração da Páscoa haviam mais de
250.000 cordeiros sacrificados por todos os lados, com sangue, por todo o Templo, e fluiu
tanto sangue como o riacho Cedron, que foi chamado de uma "visão horrorizante." Vendo
o cordeiro que em casa, se tornou um animal de estimação por quatro dias, e depois,
assistir a isto: golpes e gritos, e então ele é sido sacrificado na presença da família, e
para as crianças era uma lição, um legado que as marcaria para sempre.

Pode nos fazer encolher, ver uma garganta de animais ser cortada, mas é a nossa
garganta que merecia ser cortada. Aquele animal estava nos representando. Deus nos
amou, e por sua graça, proveu para nós um meio pelo qual a sua justiça seria
completamente satisfeita, e não seria executada em nós. Deus tinha permitido que a
medida da sua justiça se completasse nisto, não um pouco, mas completamente. O
substituto "suportaria" o juízo que pertenceu ao pecador, e "identificaria com a sua
condição ", porque, literalmente "se fez pecado " Deus só pretendia que os pecados do
povo estivessem nele, mas aquele animal aos olhos de Deus se tornou a mesma
natureza pecadora odiada, e o juízo cheio de Deus caiu sobre ele. Lembra-se do que a
Escritura diz de Jesus?

2 Cor 5:21 " Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de
Deus."

Jesus não suportou somente um pouco dos nossos pecados, mas, Ele se tornou a
mesma coisa pútrida, odiada que havia dentro de Adão, e que o separou de Deus.
Quando Cristo se tornou pecado e se identificou completa e totalmente com a condição
de homem caído, Ele não suportou somente os nossos pecados, mas, Ele suportou toda
a natureza do pecado, e Ele a suportou para se identificar completamente com a nossa
condição. E quando Cristo se identificou com a nossa condição, Ele se tornou o "objeto
da Ira ". Todo o juízo de Deus foi posto n'Ele, e por isso não é nenhuma maravilha que
Jesus bradou em alta voz , " Eli, Eli, sabactâni" o que significa "Meu Deus, Meu Deus, por
que me desamparaste?" porque Ele literalmente se tornou pecado para o mundo. Todo
pecado, passado, presente, e futuro, todo pecado que foi ou que será, estava naquele
instante sobre Ele.

1 Cor 15:21-22 "Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por
um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo."

Assim, ao longo do Antigo Testamento, quando eles sacrificavam um cordeiro, quando a


penalidade recaía completamente no substituto inocente, e o homem, que era o
verdadeiro culpado, já não era nenhum pouco culpado, porque o preço do pecado foi
pago. Ele poderia proclamar que ele estava perdoado, e que a dívida foi liquidada, até
que pecasse novamente, e então ele viria novamente a cada vez, e uma vez por ano no
Yom Kippur, onde todos os pecados da nação eram expiados. Claro que isto era ano a
ano, todos os anos, até que veio o Cordeiro de Deus, Jesus Cristo, e levou o pecado
para sempre.

5. Restrições do Sangue

Como nós vemos em Gênesis 9, notamos que depois do dilúvio Deus permitiu que o
homem comesse carne animal. Noé e sua família (8 pessoas) sobreviveram ao dilúvio.
Noé fez um sacrifício, e então Deus disse:

Gen 8:20-9:3 "E edificou Noé um altar ao SENHOR; e tomou de todo o animal limpo e de toda a ave limpa, e
ofereceu holocausto sobre o altar. E o SENHOR sentiu o suave cheiro, e o SENHOR disse em seu coração: Não
tornarei mais a amaldiçoar a terra por causa do homem; porque a imaginação do coração do homem é má desde
a sua meninice, nem tornarei mais a ferir todo o vivente, como fiz. Enquanto a terra durar, sementeira e sega, e
frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não cessarão.
E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra. E o temor de
vós e o pavor de vós virão sobre todo o animal da terra, e sobre toda a ave dos céus; tudo o que se move sobre
a terra, e todos os peixes do mar, nas vossas mãos são entregues. Tudo quanto se move, que é vivente, será
para vosso mantimento; tudo vos tenho dado como a erva verde."

Note que Deus permitiu que o homem comesse carne animal. Até então eles eram
vegetarianos. Mas, note que Deus começa a dar instruções restritivas, com relação ao
sangue:

Gen 9:4 " A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis."

Gen 9:6 " Quem derramar o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado; porque Deus fez o
homem conforme a sua imagem."

Desde então, o sangue não poderia ser comido, e nem poderia ser derramado. Também
em Levítico:

Lev 17:10 " E qualquer homem da casa de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam entre eles, que comer
algum sangue, contra aquela alma porei a minha face, e a extirparei do seu povo."

Lev 7:26-27 " E nenhum sangue comereis em qualquer das vossas habitações, quer de aves quer de gado. Toda
a pessoa que comer algum sangue, aquela pessoa será extirpada do seu povo."
Por que Deus deu ordens tão restritas sobre não comer ou não derramar sangue?
Porque o sangue era o instrumento de redenção. Era santo, rigidamente separado. Deus
teve que dizer literalmente que Ele mataria qualquer um que comesse sangue. Ele
santificou o sangue, e fez com que o sangue fosse assim limitado, para que em todo o
mundo ele fosse tratado com reverência. Até mesmo durante o período menstrual da
mulher, ela era considerada imunda, e não podia ser tocada nem sequer pelo seu marido,
antes da sua purificação. Até mesmo após dar à luz, havia restrições por causa de
contato com o sangue.

Assim por que Deus pôs tal proibição no sangue? Por que Ele pôs tal restrição, em toda
possibilidade de contato com ele? Porque o sangue era o meio de redenção. O sangue
não podia ser manuseado em qualquer outro contexto, a não ser o do sacrifício. Deus
estabeleceu o sangue separadamente como uma coisa santa.

6. A Fé e o Sangue

Não bastava só trazer uma vítima substituta. Era necessário derramar o seu sangue de
modo correto e colocar corretamente a sua gordura no altar. Lembra-se de Abel e Caim?
Caim ficou transtornado porque ele pensou ser uma pessoa melhor que seu irmão, e
ainda mais, porque Deus aceitou o sacrifício de Abel. Caim era uma pessoa melhor que
Abel em todos os sentidos, afinal de contas, ele apareceu para trazer uma oferta
primeiro. Ele mostrou o primeiro ato de devoção religiosa. Mas Abel que clama à Deus
acerca da indignidade, aproximou-se dele com o sangue de um substituto. Qual seria
justificado? Qual Deus aceitaria? Caim trouxe o fruto do solo. Caim trouxe o melhor das
suas boas obras e foi rejeitado por Deus. Não há nenhuma boa obra em um homem
apartado de Jesus Cristo. Abel soube que ele era indigno, e por isso que, pela fé ele
trouxe um substituto. Note o que diz em Hebreus 11:

Heb 11:4 " Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era
justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala."

Não era porque ele trouxe do modo ritualmente correto, fazendo a coisa certa, mas foi a
atitude dele. Note que diz, "Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício mais excelente, "
ele soube que ele merecia morrer e que o Senhor na Sua misericórdia, proveu um
substituto para ele. Era a condição do coração. Não era o ato cerimonial do Antigo
Testamento que justificava e trazia perdão, mas a aceitação do ritual adicionada à fé.

Somente o Ritual, com a atitude errada nunca foi aceito. Lembra-se quando Jesus
condenou as cerimônias e tradições dos fariseus? Imagine que o Messias a tanto
esperado, tinha finalmente chegado à Israel e os líderes do Judaísmo estavam tão
endurecidos e cegados em seus costumes, que eles perderam tudo completamente.
Jesus disse a eles, "Não me verás novamente até venha a dizer, Bendito é Aquele que
vem em nome do Senhor ".

É duro para a pessoa religiosa, que dedica-se severamente aos seus rituais e obras de
caridade, aceitar o fato de que Deus aceita o mais miserável pecador, que, porém, vem
com um coração justo, um coração de fé. O amor de Deus cobre uma multidão de
pecados.

Ao longo de toda a história, e igualmente hoje, é a atitude de fé que o Senhor deseja. É


um coração que verdadeiramente acredita nas promessas de Deus, não importando o
quão ruim ele tenha sido. Não importa qual a profundidade do pecado no qual ele tenha
caído.

Quando um Israelita trazia um cordeiro, Deus não queria apenas a cerimônia. Ele não
queria um ritual formal. Ele queria um coração confiante nas promessas mantidas por
Deus. É por isso que o louvor era sempre uma parte do sacrifício. Você não pôde louvar
a Deus verdadeiramente, de coração, a menos que você soubesse que foi perdoado.

Se você fosse bater o ombro de um dos Israelitas ao altar e lhe perguntar, "Por que você
está aqui?" Se ele era um homem de fé ele diria: "porque eu sou um pecador e mereço
morrer, mas o Senhor meu Deus, Bendito seja, me deu um meio, chamado de Sua Lei, e
de acordo com a lei cerimonial, este animal, quando eu coloco minha mão em sua
cabeça, torna-se eu, e eu me torno tão inocente como ele é, e a sua inocência torna-se
minha, o meu julgamento torna-se dele, e quando eu o mato, eu percebo que era eu
quem deveria ser morto, mas por causa daquilo que Deus disse, eu sou perdoado".

Sempre haviam essas pessoas que, há pouco passaram por estes sinais, e nunca
compreenderam a misericórdia de Deus. Eles levavam o animal como perfeitamente
justos, punham as suas mãos como justos, cortavam sua garganta como justos, punham
seus pedaços no altar como justos, e olhavam para o sujeito ao lado vendo suas falhas,
porém o coração estava errado, e ele então, era rejeitado por Deus. O olho desnudo
mostra apenas duas pessoas idênticas, porque nós olhamos o exterior, porém, Deus vê o
interior.

Jesus falou acerca desses dois homens. Um construiu a sua casa em uma fundação de
pedra e o outro construiu a sua em uma fundação de areia. Ambas as casas eram iguais,
contudo elas foram construídas em duas fundações diferentes. Mas você não percebe,
até que vem o juízo.

A Fé age simplesmente pelas promessas de Deus. "Eu acredito no que Tu disse e eu


recebo Teu perdão.

Heb 11:1 "ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem."

Veja as 5 Ofertas Levíticas

'Yom Kippur - O Grande Dia da Expiação'


O DIA DA EXPIAÇÃO

Um dia por ano, o Sumo Sacerdote deixava o véu à parte e entrava no Santo dos Santos
para fazer expiação (Heb. Kafar) para encobrir os pecados da nação do juízo de Deus, e
para receber o perdão. Era no 10º dia do 7º mês - Tishri. Pelo nosso calendário, estaria
entre o fim de setembro ou o início de outubro.

Era um dia de jejum no qual nenhum trabalho poderia ser feito:


Lv 23:26-32 26 "Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: Mas aos dez dias desse sétimo mês será o dia da
expiação; tereis santa convocação, e afligireis as vossas almas; e oferecereis oferta queimada ao SENHOR. E
naquele mesmo dia nenhum trabalho fareis, porque é o dia da expiação, para fazer expiação por vós perante o
SENHOR vosso Deus. Porque toda a alma, que naquele mesmo dia se não afligir, será extirpada do seu povo.
Também toda a alma, que naquele mesmo dia fizer algum trabalho, eu a destruirei do meio do seu povo. Nenhum
trabalho fareis; estatuto perpétuo é pelas vossas gerações em todas as vossas habitações. Sábado de descanso
vos será; então afligireis as vossas almas; aos nove do mês à tarde, de uma tarde a outra tarde, celebrareis o
vosso sábado."

O Yom Kippur era para o sacerdócio, para o povo, e para o lugar da habitação de Deus, o
tabernáculo, que Ele disse, 'reside com eles no meio das suas imundícias.'
Lv 16:16 " Assim fará expiação pelo santuário por causa das imundícias dos filhos de Israel e das suas
transgressões, e de todos os seus pecados; e assim fará para a tenda da congregação que reside com eles no
meio das suas imundícias. "

O propósito do Dia da Expiação era desviar a ira de Deus pelos seus pecados do último
ano, e buscar o favor diante d'Ele. Era o dia no qual o significado do sistema expiatório
alcançou seu ponto mais alto. Apesar de diariamente, semanalmente, haver sacrifícios
que eram oferecidos, ainda haviam pecados que não foram reconciliados
completamente, e neste dia especial todas as pessoas buscavam Deus para serem
perdoadas.

Tradição Judaica

E agora, o que os judeus fazem para receber a expiação?

Arrependimento
Com a queda do Templo e o fim das ofertas expiatórias, o arrependimento como o meio de expiação para os
pecados tornou-se um assunto extremamente importante no Judaísmo. Até mesmo quando os sacrifícios ainda
eram realizados, os Rabinos ensinavam que era preciso haver contrição, para que uma oferta fosse aceita por
Deus. Eles afirmavam:

"Nem Ofertas pelo Pecado, nem ofertas pela transgressão, nem morte, nem o Dia da Expiação, podem trazer
expiação sem haver arrependimento ". [Tosifta Joma v. 9].

Quando o Templo foi destruído e os sacrifícios já não eram mais oferecidos, o povo judeu precisava de uma
garantia de perdão e expiação . Assim os Rabinos disseram:

"De onde é derivado que, se a pessoa se arrepende, é imputado a ela como se ela tivesse subido para
Jerusalém, construído o Templo, erguido um altar e oferecido os sacrifícios exigidos na Torah? Do texto, "os
sacrifícios para Deus são um espírito quebrantado" (Sl 51:17) [Lev. R. vii. 2].

"Eu não quero de vocês sacrifícios e oferecimentos, mas palavras (de contrição); como é dito, "Tomai convosco
palavras, e convertei-vos ao SENHOR" (Os 14:2) [Exod. R. xxxviii. 4].

Uma passagem de importância na literatura judaica neste assunto diz (note que as Escrituras hebraicas são
divididas nas 3 classes, o Hagiografa, os Profetas e a Torah):

"A Sabedoria (ie. o Hagiografa) foi indagada: qual é a penalidade de um pecador? e a resposta é, 'O mal
perseguirá os pecadores ' (Prov 13:21). Quando a profecia foi indagada, respondeu, 'a alma que pecar deve
morrer' (Ez 18:4). Quando o Torah foi indagado, respondeu, 'Deixe que ele faça um oferta pela culpa, e ele será
perdoado; como se diz, ' para que seja aceito a favor dele, para a sua expiação.' (Lev 1:4). Quando a pergunta foi
feita ao Santo, santificado seja Ele, Ele respondeu: 'Deixe que ele se arrependa e ele será perdoado; como está
escrito: Bom e reto é o SENHOR; por isso ensinará o caminho aos pecadores.' (Sl 25:8)" [pág. Mak. 31d].

No Judaísmo o ponto de tudo isso, é que as Escrituras não se contradizem, mas aquele arrependimento é o
método principal pelo qual um pecador verdadeiramente se reconcilia das suas transgressões. Os Rabinos
instruem com toda a autoridade que se um pecador verdadeiramente se arrepende antes de sua morte, e por
engano ele desce ao Gehinnom ele será "atirado fora como uma seta de um arco". Esta é a convicção entre os
judeus hoje em muitas correntes do Judaísmo. A verdade é que: "Sem o derramamento de sangue não há
nenhum perdão". (Lev 17:11). Y'shua (Jesus), o Messias judeu, disse: "A menos que crerdes que eu SOU,
morrereis em vossos pecados ". Y'shua ensinou que o Torah foi dado para revelar o pecado.

Deus criou o homem, e este herdou (de Adão) um impulso maligno, causa da qual ele é propenso a pecar, a
justiça exigiu que um antídoto tinha que ser provido igualmente para a salvação dele. Se a maldade é uma
doença da qual todo ser humano foi afetado, então era necessário para o Senhor, santificado seja Ele, prover um
meio na sua grande sabedoria de expor o coração e conceder o verdadeiro arrependimento. Isso é encontrado
em uma relação viva com Y'shua ressurgiu, sendo as primícias de todos aqueles que crêem, a quem é dado
viver novamente. Como Ele disse:

" Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim nunca morrerá, mas tem a vida eterna."

Também neste dia foi revelado mais claramente do que em qualquer outro, o ministério
do sumo sacerdote como mediador entre Deus e o homem. Neste dia, como o
representante oficial do povo, ele tinha acesso à presença de Deus, e o povo
compartilhava este acesso. Ao sair vivo do Santo dos Santos, o povo soube que Deus
manteve a sua aliança, e estendeu mais uma vez a Sua clemência. Mas isto não pôde
acontecer sem o arrependimento, e a confissão de pecados e, claro que, o sangue de um
substituto:
Nm 29:7-8 " E no dia dez deste sétimo mês tereis santa convocação, e afligireis as vossas almas; nenhum
trabalho fareis. Mas por holocausto, em cheiro suave ao SENHOR, oferecereis um novilho, um carneiro e sete
cordeiros de um ano; eles serão sem defeito. "

O dia começava com a preparação pessoal de Arão, o sumo sacerdote por causa da sua
santa participação como mediador pelo povo. Tudo o que ele fazia na cerimônia tinha um
significado que poderia ser entendido em relação à necessidade de perdão do homem.

Em primeiro lugar, Arão tirou as suas vestes sacerdotais comuns. As vestes oficiais dele
que eram para glória e ornamento, não seriam visto neste momento. Arão era um homem
pecador e assim, ele só se vestiu em linho branco, e precisava se arrepender juntamente
com o resto da nação. Neste dia ele estaria se aproximando de Deus como um pecador
que busca perdão.

Vestido em uma túnica de linho de branco, longa e adereçada, com uma faixa de linho
sendo um cinto, ele foi adiante, com os olhos de todos os Israelitas arrependidos fitos
nele, e então atravessou o portão de entrada do pátio e conduziu um novilho e um
carneiro. Este era o mesmo modo que qualquer outro pecador arrependido normalmente
viria, mas desta vez ele veio buscar o perdão de Deus por ele, por sua família, e pelos
sacerdotes.

Ele conduziu o novilho ao altar de holocausto, e lá colocou as suas mãos em sua cabeça,
confessou o seu próprio pecado, e os da sua família, então o sacrificou. O animal era um
substituto por Arão, e seu sangue era derramado de forma que a expiação poderia ser
feita pelos seus pecados. Arão levou o sangue do sacrifício, e então colocou isto em uma
tigela. Ele encheu o incensário com brasas do altar de bronze, no qual as partes daquele
sacrifício foram queimados até se tornarem cinzas. Então ele lavou os seus pés e as
mãos na pia de bronze e entrou no Santo Lugar. Deste momento em diante ele estava
escondido da vista do povo.

Atravessando o Santo Lugar ele recolheu dois punhados do incenso do altar dourado de
incenso, e então se colocou de frente com o Véu. Era um momento temeroso quando ele
moveu a cortina e avançou , para entrar diante da presença de Deus .

Primeiro, ele aspergia o incenso nas brasas do incensário que ele estava levando, de
forma que o santo cômodo era cheio de uma nuvem. E então, ele levou o sangue, e com
o dedo aspergiu no propiciatório entre os dois querubins do juízo. O seu último ato era
aspergir o sangue no chão, na frente da arca 7 vezes. A Presença do Senhor era
demosntrada pela nuvem da glória que vinha sobre o tabernáculo, e descia até o Santo
dos Santos,entre os Querubins . O povo do lado de fora via a descida da nuvem.

Quando o Sumo Sacerdote saía do tabernáculo, ele ia à porta da Tenda da Congregação


(Lev. 16:7) enquanto eram conduzidos dois bodes até ele. Então ele lançava sortes.
Como resultado, um bode era escolhido como o bode para o Senhor, enquanto o outro se
tornou o 'bode da saída' ou 'bode expiatório'.

O Primeiro Bode

A primeiro bode foi sacrificado da mesma maneira que a própria oferta de Arão havia
sido, mas desta vez era pelos pecados do povo. Como o sumo sacerdote, ele pôs as
suas mãos, e como o representante deles ele matou o bode por eles.

Novamente Arão voltaria ao Lugar Santíssimo. Uma vez mais em oração e adoração, ele
aspergiu sangue da oferta pelo pecado 7 vezes em frente do Propiciatório.

De acordo com a tradição judaica, durante este tempo, as pessoas ficavam com grande
medo. Se o sumo sacerdote demorasse, eles ficavam terrificados, pois o seu sacrifício
não havia sido aceito, e ele havia morrido na presença de Deus.

Quando Arão, em uma atitude de louvor, acabava sua tarefa no Santo dos Santos, ele
abriria a cortina do véu e voltaria ao Lugar Santo para o altar de ouro. Nesta hora, ele
não oferecia incenso nele, mas com o dedo, ele aspergia um pouco do sangue em seus
quatro chifres.

Quando Arão voltava à vista do povo, ele iria para o altar de holocausto, e da mesma
maneira aspergiria em seus quatro chifres o sangue do touro e do bode.

O Segundo bode

O segundo dos dois bodes, estava parado. Era o bode expiatório. Esta bode viveria, mas
a ordem era de que ele deveria "ser levado para o deserto".
Lev 16:20-22 " Havendo, pois, acabado de fazer expiação pelo santuário, e pela tenda da congregação, e pelo
altar, então fará chegar o bode vivo. E Arão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele
confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, e todos os seus pecados; e
os porá sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem designado para isso. Assim
aquele bode levará sobre si todas as iniqüidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto. "
Era um quadro vívido do pecado que é removido e nunca mais visto. Como Davi disse:
Sl 103:12 " Assim como está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões."
E este bode que representava a remoção de pecados, os levou para um lugar isolado no
deserto, para nunca mais ser visto novamente.
Arão pôs ambas as mãos na cabeça do bode e confessou em cima do bode expiatório
"toda a maldade e rebelião do povo de Israel " (Lv. 16:21). Em um ato de substituição simbólica,
ele os colocou, isto é, na cabeça do bode, que foi levado então, longe, nos confins do
deserto por um homem escolhido, que levaria o bode expiatório, e só retornaria quando
seguramente o animal não mais poderia retornar.
Como a grande cerimônia estava terminando, Arão voltou do Lugar Santo, para banhar o
corpo inteiro em água, e ele viria então para fora, para o povo ver o seu esplêndido
vestuário.
Ele tinha mais um oferecimento a fazer. Era um holocausto que, diferente de todos os
outros sacrifícios, era consumido completamente através do fogo no altar. Arão oferecia
um cordeiro para ele, e um para o povo era um ato de louvor e adoração a Deus, por ter
provido um meio de expiação.

Tradição Judaica

De acordo com os escritas dos antigos Rabinos, "sete coisas foram criadas antes do universo vir a existir. Eles
são: Torah, Arrependimento, Paraíso, Gehinnom, o Trono de Glória, o Santuário, e o nome do Messias " [Pes.
54a).

Jesus Cristo e a Nova Aliança


O Livro de Hebreus nos ensina como Deus o Filho, Jesus Cristo, se tornou o supremo
Sumo Sacerdote além de quem não há nenhum outro. Este Sumo Sacerdote é alguém
que conhece todas as nossas tentações e fraquezas humanas, porque Ele foi provado e
tentado, e permaneceu fiel. Ele se tornou como um de nós, podendo nos representar
verdadeiramente perante Deus o Pai,
Hb 4:15 Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um
que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.
Hebreus explica-nos que Cristo não veio como um filho de Arão, mas como sacerdote da
ordem de Melquisedeque.
Hb 7:1-3 " PORQUE este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao
encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou; A quem também Abraão deu o
dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de
paz; sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito
semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre."
Isto havia sido profetizado à muito tempo, nas inspiradas Escrituras por Davi:
Sl 110:4 "Jurou o SENHOR, e não se arrependerá: tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de
Melquisedeque. "
Davi enfatiza essas palavras, "Tu és sacerdote eterno. Alguém permanentemente pronto para a tarefa
sacerdotal." Ele declara, Porque Jesus vive para sempre, tendo um sacerdócio permanente.
Hb 7:24-27 " Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo. Portanto, pode também
salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles. Porque nos
convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que
os céus; Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por
seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo. "
O autor de Hebreus então, enfatiza o padrão de adoração daquele que se aproxima de
Deus. Ele fala do tabernáculo, o santo lugar e o santo dos santos. Ele fala da Arca da
Aliança e dos querubins da Glória que ofuscam o propiciatório, e então conclui mostrando
que o sumo sacerdote tinha que entrar continuamente no santo dos santos, ano após
ano, e o fato de que ele sempre tinha que levar mais sangue, simplesmente mostrava a
ineficácia daquele padrão para trazer salvação completa.
Hebreus Capítulo 9:
Hb 9:11-26 " Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo,
não feito por mãos, isto é, não desta criação, nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue,
entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção. Porque, se o sangue dos touros e bodes,
e a cinza de uma novilha esparzida sobre os imundos, os santifica, quanto à purificação da carne, quanto mais o
sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas
consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo? E por isso é Mediador de um novo testamento,
para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os
chamados recebam a promessa da herança eterna. Porque onde há testamento, é necessário que intervenha a
morte do testador. Porque um testamento tem força onde houve morte; ou terá ele algum valor enquanto o
testador vive? Por isso também o primeiro não foi consagrado sem sangue; porque, havendo Moisés anunciado
a todo o povo todos os mandamentos segundo a lei, tomou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água, lã
púrpura e hissope, e aspergiu tanto o mesmo livro como todo o povo, dizendo: Este é o sangue do testamento
que Deus vos tem mandado. E semelhantemente aspergiu com sangue o tabernáculo e todos os vasos do
ministério. E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue
não há remissão. De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se
purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes. Porque Cristo não
entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por
nós perante a face de Deus; Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote
cada ano entra no santuário com sangue alheio; De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes
desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o
pecado pelo sacrifício de si mesmo."
Hb 10:12-13 " Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à
destra de Deus, daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés."
Os sacrifícios da velha aliança foram substituídos pelo sacrifício do Cordeiro de Deus. A
nova aliança, também realizada por Yahweh, requer o derramamento de sangue, mas
esta é uma aliança superior, constituída de superiores promessas e inclui, não só os
judeus, mas o mundo inteiro.
É uma aliança onde há um mediador entre Deus e homem, Cristo Jesus, homem (1 Tim.
2:5). é uma aliança na qual o Sumo Sacerdote não só apresenta o sacrifício para Deus,
mas pela sua morte substituta, Ele é o sacrifício. Ele oferece o próprio sangue, que não
só cobre, mas lança fora o pecado, pois o 'sangue de Jesus... nos purifica de todo pecado' (1 João
1:7).
O Seu sacrifício está completo. Está, em todos os sentidos perfeito, e por isso, é que nós
lemos:
Heb 10:19-22 " Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo
caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de
Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má
consciência, e o corpo lavado com água limpa, "
O tabernáculo de Deus não está mais no deserto. O Sacrifício animal teve um grito de
parada, com o sacrifício de Jesus . Arão e o sacerdócio dele já não intervém entre Deus e
homem. Jesus Cristo fez tudo.
Pelo sacrifício de Jesus Cristo a expiação foi feita afinal, e os que n'Ele confiam tem
garantia certa:
Hb 7:25 "Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para
interceder por eles."
A Presença de Deus agora habita EM nós, como Paulo disse:
Gl 2:20 " Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo
na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim."
Se 'Cristo vive em mim' significa que a minha vida é o "Mishkan" de Deus. (Veja também
A Expiação pelo Sangue).

'Moisés e o Êxodo'
Moisés nasceu aproximadamente em 1500 AC. Ele foi escolhido para tirar Israel da
escravidão, e lhes entregar as leis de Deus. Quando o Livro de Êxodo começa, os hebreu
moravam no Egito, e com o passar do tempo cresceram em número e o novo Faraó que
não conheceu a José, escravizou os hebreus, com amarga escravidão. Os escravos
hebreus, com o tempo, começaram a se reproduzir tão rapidamente que o rei se sentia
ameaçado por uma revolta em potencial contra a sua autoridade. Então, ele deu ordens
de que a mais nenhuma criança hebréia do sexo masculino poderia viver. Para salvar o
pequeno Moisés, sua mãe fez uma cesta de papiro, e a impermeabilizou com asfalto e
piche. Ela colocou Moisés no cesto, e o deixou-o e flutuando entre os juncos às margens
do Rio Nilo.

Pela providência de Deus, Moisés - filho de escravos hebreus - foi encontrado e adotado
pela princesa egípcia, a filha do Faraó, sendo criado no palácio real como príncipe dos
egípcios: "E Moisés era instruído em toda a sabedoria dos egípcios, e era poderoso em palavras e obras"
(Atos 7:22). Ao mesmo tempo, o Senhor determinou que Moisés deveria ser ensinado em
sua infância, pela sua própria mãe. Isto significa que, ele foi instruído na fé de seus pais,
embora sendo criado como um egípcio (Ex. 2:1-10).

Moisés foi educado na civilização mais adiantada daquele tempo. O seu treinamento foi
projetado para o preparar para um alto cargo, ou até mesmo o trono do Egito. Ele ficou
familiarizado com a vida na corte de Faraó, com toda a pompa e grandeza da adoração
religiosa egípcia. Foi educado na escrita e nas literatura do seu tempo. Também
aprendeu a administração e a justiça. Quando tinha 40 anos, Moisés se indginou com um
feitor egípcio que estava batendo em um escravo hebreu; e ele matou o egípcio e o
enterrou na areia (Ex. 2:12). Quando isto ficou conhecido, ele temeu por sua própria vida,
e fugiu do Egito para a terra do deserto de Midiã, onde ele se casou uma das filhas de
Jetro, passando então a cuidar dos rebanhos de Jetro.

Depois de aproximadamente 40 anos, Deus falou a Moisés de uma sarça que ardia, mas
não se consumia. Deus mandou Moisés de volta para o Egito, para resgatar os hebreus
da escravidão, para a terra prometida a Abraão. Deus demonstrou o Seu poder para
Moisés e revelou a Ele o Seu Santo Nome "YHVH " ou " Yaweh " (Jeová se tornou uma
pronuncia popular no 16º século por tradutores alemães, embora não há nenhum som
para o " J " em Hebraico).
As consoantes hebraicas Yod (Y) Eh (H) Vav (V ou W) Eh (H), ou Yahweh, na
Catedral de Winchester. YHWH é chamado o Tetragrammaton, significado do
grego "quatro letras". Os escribas de masoréticos omitiram as vogais, assim
ninguém pronunciaria este Nome Santo. (Jeová se tornou uma pronunciação
popular no 16º século por tradutores alemães, embora não há nenhum som "J" no Hebraico).

O Mishnah estabeleceu a regra "No santuário, o nome de Deus será pronunciado


na Benção Sacerdotal como é escrito: YHVH, mas fora do santuário deve ser
parafraseado e pronunciado como Adonai."

Deus ungiu Arão para ir com Moisés, para ser o seu porta-voz. Eles, então, convenceram
o povo de Israel para os seguir, mas, Faraó não lhes deixaria ir.

Tradição Judaica

O Midrash dá o relato da primeira entrevista que aconteceu entre Faraó e Moisés e Arão. Quando o rei egípcio
lhes perguntou, " Quem é seu Deus para que eu deva ouvir a sua voz? eles responderam, "O universo está cheio
do poder do nosso Deus. Ele existiu antes que o mundo fosse criado, e Ele continuará a existir quando o mundo
acabar. Ele te formou e colocou em ti fôlego da vida. Ele estendeu os céus e pôs os fundamentos da terra. A Sua
expele chamas de fogo, rasga as montanhas, e quebra as pedras. O seu arco é fogo e as chamas são as suas
flechas. A sua lança é uma tocha, e ele se cobre com as suas nuvens, e o relâmpago é a sua espada. Ele formou
as montanhas, as colinas e os cobriu com a relva. Ele faz cair as chuvas e o orvalho, e faz com que brotem as
pastagens. Ele também forma o embrião no útero da mãe, e permite que se torne um ser vivente." (Exod. R. v.
14).

Então Deus enviou as 10 pragas aos egípcios. A última praga foi a morte dos
primogênitos em toda casa, cujas portas não estavam marcadas com o sangue. Quando
as pragas do juízo foram todas lançadas, o Egito estava devastado. As pragas não só
escarneceram do orgulho dos egípcios, mas também escarneceu dos seus deuses,
porque nenhum lhes podia ajudar. A 10ª praga golpeou os egípcios.

1. Primeira Praga: Sangue


2. Segunda Praga: Rãs
3. Terceira Praga: Piolhos
4. Quarta Praga: Moscas
5. Quinta Praga: Peste nos Animais
6. Sexta Praga: Úlceras
7. Sétima Praga: Saraiva
8. Oitava Praga: Gafanhotos
9. Nona Praga: Escuridão
10. Décima Praga: Morte dos primogênitos

Todas as outras pragas reunidas não lançaram fora os hebreu da escravidão, mas a
décima praga tocou em todo o Egito, e matou à meia-noite os seus primogênitos,
inclusive o de Faraó.
Ex 12:29-31 " E aconteceu, à meia noite, que o SENHOR feriu a todos os primogênitos na terra do Egito, desde o
primogênito de Faraó, que se sentava em seu trono, até ao primogênito do cativo que estava no cárcere, e todos
os primogênitos dos animais. E Faraó levantou-se de noite, ele e todos os seus servos, e todos os egípcios; e
havia grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto. Então chamou a Moisés e
a Arão de noite, e disse: Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel; e ide, servi
ao SENHOR, como tendes dito."

Para os egípcios foi uma tragédia e um embaraço quando o Deus dos Hebreus fez uma
exibição aberta à vista de todos, da sua superioridade.

Deus ordenou que os Israelitas celebrassem a " Páscoa" onde o anjo da morte poupou
as casas que tinham o sangue de um cordeiro.
Ex 12:1-14
"E FALOU o SENHOR a Moisés e a Arão na terra do Egito, dizendo: Este mesmo mês vos será o princípio dos
meses; este vos será o primeiro dos meses do ano. Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste
mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família. Mas se a
família for pequena para um cordeiro, então tome um só com seu vizinho perto de sua casa, conforme o número
das almas; cada um conforme ao seu comer, fareis a conta conforme ao cordeiro. O cordeiro, ou cabrito, será
sem mácula, um macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras. "

A ovelha era reconhecida por sua gordura, rabo carnudo.


A cor de sua lã normalmente era branca, marrom ou às vezes
as pernas e a cabeças pretas. As ovelhas eram descritas como
bondosas, não teimosas, temerosas, sem defesa, pacientes,
sofredoras, e eram abundantes em Israel.

" E o guardareis até ao décimo quarto dia deste mês, e todo o ajuntamento da congregação de Israel o
sacrificará à tarde. E tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambas as ombreiras, e na verga da porta, nas casas em
que o comerem. E naquela noite comerão a carne assada no fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a
comerão. Não comereis dele cru, nem cozido em água, senão assado no fogo, a sua cabeça com os seus pés e
com a sua fressura. E nada dele deixareis até amanhã; mas o que dele ficar até amanhã, queimareis no fogo."

" Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o
comereis apressadamente; esta é a páscoa do SENHOR. E eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei
todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e em todos os deuses do Egito farei
juízos. Eu sou o SENHOR. E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue,
passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do Egito. E este
dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao SENHOR; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto
perpétuo."

Tradição Judaica

Pesach
A Páscoa (Pesach) é a festa da libertação. O Pesach é uma combinação de 2 palavras, peh que significa boca, e
sach - que pretende falar. De acordo com a tradição judaica, a escravidão era tão severa, que eles eram
obrigados a trabalhar e se manter calados. E eles deviam manter silêncio sobre o seu Deus. Na noite de Páscoa
os judeus ficaram livres e então foi-lhes permitido falar d'Ele e louvá-lO livremente.

Ex 15:1-2 "ENTÃO cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR, e falaram, dizendo: Cantarei ao
SENHOR, porque gloriosamente triunfou; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. O SENHOR é a minha força,
e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus, portanto lhe farei uma habitação; ele é o Deus de
meu pai, por isso o exaltarei."

A Páscoa Moderna
Nos lares judaicos de hoje, a cerimônia da Páscoa é celebrada anualmente. A cerimônia é chamada de um Seder
que literalmente quer dizer "a ordem" da cerimônia. Hoje, o ritual que foi projetado para os lembrar da amarga
escravidão dos seus antepassados no Egito, a tremenda libertação que Deus lhes deu, é relatado no livro de
oração chamado de Haggadah. A mesa do banquete é decorada com artigos festivos que estimularão perguntas
que contarão toda a história de Páscoa. Os artigos são:

Água salgada e Verdura (Representando a vida que vai adiante - a primavera).

Um Osso Assado (recordando o Cordeiro Pascal).

Pão sem fermento ou Matzos (Comido durante toda a semana).

Ervas amargas ou Moror, como rabanete (para os lembrar da amargura da escravidão).

Maçãs, castanhas e vinho, ou Haroseth (a mistura de cores os lembra do barro do qual são feitos os tijolos e a
doçura do gosto, simbolizando a esperança de liberdade que adocicou a escravidão).

As crianças fazem quatro perguntas acerca da cerimônia de Páscoa, pois esta era uma noite diferente de todas
as outras:
1. Por que em todas as outras noites nós comemos pão fermentado ou matzah e nesta noite nós comemos só
matzos?
2. Por que em todas as outras noites nós comemos todo tipo de verduras e nesta noite nós só comemos ervas
amargas?
3. Por que nesta noite nós mergulhamos as ervas na salmora, e ervas amargas em haroseth?
4. Por que em todas as outras noites nós comemos sentados ou reclinados, e nesta noite nós comemos em pé?
(Antigamente um homem comia o jantar dele, sem pressa, reclinado à mesa).

Meshiach Y'shua Jesus Nossa Páscoa


1 Cor 5:7 "... Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós."

1 Pedro1:18-19 " Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da
vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo,
como de um cordeiro imaculado e incontaminado."
O Novo Testamento ensina que o Egito era um tipo do mundo, e Faraó um tipo de Satanás, e a escravidão
egípcia era um tipo do pecado, e o Cordeiro Pascal fala de Jesus, nosso Cordeiro Pascal que morreu em nosso
lugar, e pelas suas pisaduras nós somos curados. O Anjo da Morte ignorou a casa dos hebreus pois viu o
sangue que apontava ao Messias que um dia seria entregue, e morreria pelo seu povo.

Os escritos Rabínicos mostravam que o Messias, na Sua vinda, conquistará a morte [Pesikta Rabbah 161b].

Hb 2:14-15 " E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas
coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo; E livrasse todos os que,
com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão."

Depois, Faraó finalmente cedeu e deixou o povo de Israel sair (e com toda a riqueza do
Egito).

Depois, Faraó finalmente cedeu e deixou o povo de Israel sair, (e com toda a riqueza do
Egito), mas assim que eles partiram, Faraó mudou de idéia. Ele enviou o seu exército
atrás de Israel, que estava acampado diante do Mar Vermelho. Deus separou as águas e
os levou em solo seco.
Ex 14:21-22

"Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o SENHOR fez retirar o mar por um forte vento oriental toda
aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas. E os filhos de Israel entraram pelo meio do
mar em seco; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda."

Faraó conduzindo as suas tropas em uma carruagem de guerra. Ao seu lado estavam carruagens quebradas e
soldados agonizantes. A carruagem de guerra era um poderoso intrumento de guerra no Egito em 1700 AC. Cada
carruagem tinha um motorista e um tripulante que lutava, armado com um arco, lanças, e proteção.

Então as águas se precipitaram sobre os exércitos de Faraó:


Ex 14:28-29

"Porque as águas, tornando, cobriram os carros e os cavaleiros de todo o exército de Faraó, que os haviam
seguido no mar; nenhum deles ficou. Mas os filhos de Israel foram pelo meio do mar seco; e as águas foram-
lhes como muro à sua mão direita e à sua esquerda."
Os Israelitas eram guiados pela Shekinah, a misteriosa nuvem de glória que os conduziu
no Monte Sinai. No caminho foi provada a fé deles, pois experimentaram intenso calor,
fome, sede, e guerra. Deus fez muitos milagres inclusive o "maná", o pão que veio do
céu.

Tradição Judaica

O deserto era um lugar de miséria e morte com uma temperatura que às vezes alcança mais de 120 graus. Sem o
Senhor, os judeus nunca teriam sobrevivido à isto. Depois da libertação do Egito, e da cruel escravidão, os
judeus tiveram que enfrentar o castigo do amargo frio, e do calor devastador do deserto. Eles sobreviveram por
causa da nuvem de glória protetora que pairou por cima deles de dia e de noite. Durante a Festa das Cabanas
(Heb. Sukkah), os judeus faziam pequenas cabanas protetoras ou barracas, para lembrar-se dos perigos que
eles enfrentaram, durante a Festa das Cabanas. De acordo com tradição judaica, Sukkah, é o mizvah que celebra
o cuidado divino do Senhor, e as letras da palavra Sukkah são um acróstico para:

somekh - apoiando

kol - tudo

ha'noflim - que se caem

Sl 145:14 " O SENHOR sustenta a todos os que caem, e levanta a todos os abatidos."

'Entregando a Lei'
Quando os Israelitas chegaram ao Monte Sinai, eles se acamparam na planície que
estava abaixo dele. A vista do Sinai era tremenda. Hoje, a montanha foi identificada por
alguns como a montanha conhecida como Jebel Musa (aproximadamente 6.000 pés de
altura), mas esta é apenas uma especulação. Este era um dos momentos mais
importantes em toda a história do povo judaico, pois aqui eles receberiam a revelação da
lei de Deus, e a maneira de se achegar a Ele no tabernáculo.

Tradição Judaica

O Midrash diz, "Se a Torah tivesse sido determinada na terra de Israel, Israel poderia ter dito às nações do
mundo: 'vocês não tem parte'. Então a Torah foi entregue no deserto, ie., em público, para todos verem; e todo
para todo o mundo que a deseja receber, lhes é permitido vir e receber" [Mekhilta]

Eles estavam prestes a conhecer o Seu Deus. O Senhor ordenou dois dias de
preparação por parte da congregação, assim eles perceberiam que Ele estava queria
falar a eles, e que deve haver um período de consagração antecede ouvir a Sua voz.
Eles tinham que ser purificados, e todas as suas roupas foram lavadas. Eles se privaram
das relações sexuais com as suas esposas, porque seus os corações e mentes estavam
se preparando para ouvir Deus falar.

Moisés marcou um limite ao pé do monte, que se alguma pessoa ou gado passasse, a


penalidade seria a morte. E ao terceiro dia, haviam sinais visíveis e audíveis vindo da
montanha que causou enorme medo no acampamento.
Êxodo 19:16-18

" E aconteceu que, ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa
nuvem, e um sonido de buzina mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial. E
Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte. E todo o monte Sinai
fumegava, porque o SENHOR descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha, e
todo o monte tremia grandemente."

Então Deus falou. Ele não só falou ao seu servo Moisés, como aconteceu antes, mas
para toda a congregação (Ex 20:1,19; Dt. 5:4, 22). Ao invés da trombeta, o povo ouviu a
voz do Senhor, embora eles não O vissem. As que eles ouviram era o Decálogo, ou os
Dez Mandamentos, a que nós nos referimos agora como os Dez Mandamentos. Um
depois do outro, do modo mais atemorizador, Deus ditou os Dez Mandamentos.

Tradição Judaica

Antigas tradições judaicas ensinaram que Deus deu os Dez Mandamentos ao ar livre no deserto e declarou isto
na língua de todas as nações. Isto era porque as Ordens não foram dadas somente a Israel, mas representam um
resumo dos deveres humanos, que dizem respeito a todos os homens.

Antes que Deus terminasse de falar, o povo, que estava terrificado, implorou para Moisés
intervir e lhes comunicar as palavras de Deus, ao invés de Deus a eles. A voz de Deus
lhes fez temer a morte, e assim, eles pediram para Moisés entrar adiante, na escuridão, e
falar com Deus.
Moisés subiu na montanha e lá ficou durante 40 dias. As leis que Moisés recebeu de
Deus eram a aliança entre Deus e o Seu povo. O registro destas leis é transmitido em
mais de três capítulos da Bíblia (Ex 20:22-24:4). Eles trazem leis referentes ao altar,
escravos, assassinatos, ofensas civis, direito de propriedade, deveres sociais, éticos, e
muitos outros.

Tradição judaica

Quando os judeus deixaram o Egito, foram contadas 7 semanas, e eles estavam recebendo a Lei (Heb. Torah) no
Sinai. Deus mostraria a sua vontade na montanha acima de suas cabeças, símbolo de uma cobertura (dossel) de
casamento judeu (Heb. Chuppah) ficando marcada a imagem de que Deus verdadeiramente se casava com o Seu
povo. Os judeus, para comemorar este dia, ainda contam os 49 dias da Páscoa (Peseach) até o Pentecoste
(Shavuot) e é chamado de dias de Sephirah. Sephirah vem de duas palavras hebraicas, Sephir (Livro) e Yah (O
Nome de Deus).

Quando Moisés voltou à congregação, ele relatou a eles todas as palavras do Senhor, e
as várias ordenanças, e eles assim responderam a tudo:
Êxodo 24:3.... " Todas as palavras que o SENHOR disse nós faremos ".

O próximo dia foi um dos mais importante na sua história, porque eles iriam estabelecer
uma aliança com Deus. Isto foi contado como o dia no qual "estes escravos hebreus se
tornaram uma nação". Eles tinham recebido uma revelação divina, e eles responderam a
isto entrando na aliança que Deus lhes ofereceu.

A definição Bíblica para Aliança (Testamento) é "um pacto que une duas partes". A
palavra hebraica para aliança é b'rit que quer dizer "estabelecer a aliança". E a aliança foi
estabelecida pelo derramamento de sangue, e por andar entre as duas partes de carne
(Gênesis 15). Uma b'rit não pode ser quebrada. Quando se entra em uma aliança, se faz
uma solene promessa de amor e de proteção de um para o outro.

Uma Aliança é um acordo que une duas ou mais pessoas, e a Escritura menciona que
algumas foram feitas entre homens, como Jacó e Labão, e Davi e Jônatas. Mas a
principal aliança foi feita entre Deus e o homem. Este tipo de aliança era distinta de um
acordo humano, no qual as duas partes se aproximavam uma da outra em nível igual. Na
aliança divina, Deus é o único que pode cumprir a Aliança verdadeiramente, e alcança o
homem, como um ato de graça, e faz a Aliança que une, porque a Sua Palavra é um
juramento de honra.

O fato de Deus estabelecer uma aliança com o povo de Israel imediatamente após a sua
saída do Egito era de grande significado. Eles eram um povo fraco e desmoralizado que
anteriormente haviam sido escravos, mas Deus ofereceu a eles uma teocracia poderosa
(uma nação com Deus como o Rei invisível). No dia que a aliança foi legalizada, Moisés
construiu um altar de pedra ao pé da montanha e ergueu doze pilares, um para cada uma
das tribos de Israel. Foram feitos sacrifícios e enter eles foi aplicado o sangue dos
animais no altar do SENHOR. Este é o primeiro registro de uma nação fazendo sacrifício
de animais.

Depois que o foi realizado publicamente, Moisés leu todo o livro da aliança, aos ouvidos
do povo. Esta leitura da Lei foi ordenada que se repetisse a cada sete anos
publicamente, na Festa dos Tabernáculos. Uma vez mais eles responderam alegremente:
Êxodo 24:7 E eles disseram, " tudo o que o SENHOR falou faremos, e obedeceremos".

Deus fez a Aliança com eles que eles quebrariam a sua promessa. Mas novamente a
Aliança não dependia do seu desempenho, mas da integridade de Deus. Moisées então
aspergiu o povo:
Ex 24:8 " Então tomou Moisés aquele sangue, e espargiu-o sobre o povo, e disse: Eis aqui o sangue da aliança
que o SENHOR tem feito convosco sobre todas estas palavras.".

Depois de subir o monte, Moisés permaneceu na presença divina durante quarenta dias,
enquanto lhe eram dadas novas revelações. O registro destes quarenta dias na presença
de Deus cobre sete capítulos do Livro de Êxodo (25-31). Ao longo deste período Deus
deu instruções a Moisés sobre como os homens deveriam se aproximar d'Ele. E é
durante esta revelação que nós nos encontramos pela primeira vez a palavra
'tabernáculo' - uma palavra que aparece mais de quatrocentas vezes na Bíblia.

Vash'kanti - mikdash - li - v'assoo - b'tocham


" E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. " (possa estar neles).

Pararemos aqui por um minuto. Veremos agora a rebelião.


O Propósito e o Âmago da Lei

'Idolatria e Rebelião'
Quando Moisés demorou a descer do Monte Sinai, o povo incrédulo ficou inquieto. Eles
persuadiram Arão a tomar os seus brincos de ouro outras jóias para fazer um bezerro de
ouro para o adorar. Quando desceu da montanha, Moisés ficou horrorizado com a
idolatria a e rebelião do seu povo. Os filhos de Levi foram leais a Moisés, porém, ele
ordenou que eles castigassem os rebeldes (Ex. 32:28).
Por causa da sua ira ao bezerro de ouro, Moisés lançou as duas tábuas pedra com os
Dez Mandamentos, e os quebrou ao pé da montanha (Ex. 32:19).

'A Lei é dada novamente'


Logo após a rebelião, Moisés subiu novamente para o Monte Sinai. Moisés tinha
quebrado as tábuas da aliança em pedaços ao pé da montanha. Depois que Moisés
suplicou a Deus, o Senhor falou novamente a Moisés sobre a Lei:
Ex 34:1-2 "ENTÃO disse o SENHOR a Moisés: Lavra duas tábuas de pedra, como as primeiras; e eu escreverei
nas tábuas as mesmas palavras que estavam nas primeiras tábuas, que tu quebraste. E prepara-te para amanhã,
para que subas pela manhã ao monte Sinai, e ali põe-te diante de mim no cume do monte."

Assim, Moisés recebeu os Dez Mandamentos em uma segunda ocasião:

Êxodo 34:1-4 "ENTÃO disse o SENHOR a Moisés: Lavra duas tábuas de pedra, como as
primeiras; e eu escreverei nas tábuas as mesmas palavras que estavam nas primeiras tábuas,
que tu quebraste...Então Moisés lavrou duas tábuas de pedra, como as primeiras; e levantando-
se pela manhã de madrugada, subiu ao monte Sinai, como o SENHOR lhe tinha ordenado; e
levou as duas tábuas de pedra nas suas mãos... 28 E esteve ali com o SENHOR quarenta dias e
quarenta noites; não comeu pão, nem bebeu água, e escreveu nas tábuas as palavras da
aliança, os dez mandamentos. E aconteceu que, descendo Moisés do monte Sinai trazia as
duas tábuas do testemunho em suas mãos, sim, quando desceu do monte, Moisés não sabia
que a pele do seu rosto resplandecia, depois que falara com ele."

" Moisés mostrando as tábuas da lei " por Rembrandt 1659. Museu Staatliche, Berlim. Os Dez Mandamentos são
ilustrados como: gravados em letras de ouro, em pedras negras, e com um esplendor que vem da face de
Moisés'. A palavra hebraica krn é traduzida como "brilhante", irradiando raios de luz. A Vulgata latina traduz o
palavra krn como chifres. Isto levou os artistas medievais como Michelangelo a representar Moisés como tendo
chifres de animais que saíram de sua testa.

Tradição Judaica

De acordo com tradição Rabínica, foram colocadas as primeiras leis referentes a Deus à direita da tábua de
pedra, e, à esquerda como a maioria assume, porque o hebraico é escrito da direita para a esquerda. Na tradição
judaica, são colocadas as cinco ordens em ambos os lados da tábua.

Também é interessante a notar que na tradição judaica está o Primeiro Mandamento: "Eu sou o SENHOR teu
Deus" em lugar do que normalmente é ensinado no catolicismo romano e tradições Cristãs, "Tu não terás outros
deuses diante de mim ".

Também havia centenas de leis determinadas, divididas de três em três:

Leis morais (10 Mandamentos escritos pelo dedo de Deus),

Leis civis (Leis civis e judiciais),

Leis cerimoniais (Sacrifícios, Dias de Festas, etc.).

Sobre o governo Hebraico. . .

"Algumas nações colocam a soberania da Sua terra nas mãos de uma única regra (a monarquia), algumas nas mãos de
um número pequeno de regras (oligarquia), e algumas nas mãos de pessoas (democracia). Moisés nosso Mestre nos
ensinou a colocar a não colocar a nossa fé em nenhuma destas formas de governo. Ele nos ensinou a obedecer a Lei de
Deus, para que somente Deus governe. De acordo com o Seu poder, Deus sempre ordenou que o Seu povo elevasse os
olhos para Ele, porque n'Ele está todo o bem, e todo a provisão para o ser humano, e para cada um em particular, e
n'Ele as pessoas encontram auxílio quando eles oram a Ele. Quando passam por sofrimentos, nada Lhe. Da Sua
compreensão nenhum pensamento do coração do homem é oculto."

-Flávio Josefo,
Contra Apion, Volume Um.

Quando Moisés entregou a Lei ao povo Hebreu, ele ensinou aos Israelitas que o Senhor
esperava, que eles fossem pessoas santas, separadas da imoralidade pagã e da
idolatria. Aqui foi estabelecido o Judaísmo. Deus determinou o sistema religioso centrado
no Tabernáculo (o lugar onde o sangue era aspergido na arca), os sacrifícios, e o
sacerdócio. Os Levitas eram a tribo sacerdotal, e Arão (o irmão de Moisés') foi o primeiro
Sumo Sacerdote.
O Israel foi numerado e organizado para guerra. As 12 Tribos foram estabelecidas (os
Filhos de Jacó) e foram designados os líderes para cada tribo.

Tradição Judaica

Por que a montanha santa era onde o Torah foi dado era chamado Sinai? É porque foi nesta montanha que
Moisés (Heb. Mosheh) conheceu o Senhor. O Senhor apareceu a ele meio de uma sarça ardente que não se
consumia. A palavra arbusto em hebraico é "sneh". De acordo com tradição judaica a palavra Sinai vem de
'sneh', e foi o nome dado à montanha por causa do sneh. Nesta montanha, o sneh, se queimou, mas não se
consumiu, da mesma foi que o Torah iria iluminar resplendorosamente a muitos, e nunca se consumiria.

Exôdo 3:2 "E apareceu-lhe o anjo do SENHOR em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a
sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia."

A Oferta para o Tabernáculo


Ex 25:1-8 Então o SENHOR falou a Moses e diz: " ENTÃO falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de
Israel, que me tragam uma oferta alçada; de todo o homem cujo coração se mover voluntariamente, dele
tomareis a minha oferta alçada. E esta é a oferta alçada que recebereis deles: ouro, e prata, e cobre, e azul, e
púrpura, e carmesim, e linho fino, e peles de texugos, e peles de carneiros tintas de vermelho, e peles de
texugos, e madeira de acácia, azeite para a luz, especiarias para o óleo da unção, e especiarias para o incenso,
pedras de ônix, e pedras de engaste para o éfode e para o peitoral. E me farão um santuário, e habitarei no meio
deles. Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus
pertences, assim mesmo o fareis. "

(Veja também os Materiais Santos)

Deus estava chamando o povo a entregar os seus corações para Ele. Estas palavras
ecoam nas palavras de Jesus Cristo:
Mt 10:8 " De graça recebestes, de graça dai".

Isto revelou que o Deus deles não estaria distante do seu povo como com todos os
deuses dos gentios. O Deus que falou a Moisés era um Deus pessoal, imensamente
interessado na vida do seu povo, sempre recebendo a sua adoração, e recebendo as
ofertas de materiais em uma obra que proveria uma tenda para o Deus vivente.

Deus lhes pediu que fizessem este grande trabalho com toda a sua habilidade. De
alguns, a oferta era de ouro, de outros simplesmente bronze . De um o linho fino do
Egito, enquanto de outro uma oferta de pelo de cabra. Um homem poderia ter prata
enquanto outro, um pouco de óleo de oliva. Ele é um Deus cortês, e as ofertas deles
exemplificavam um atributo que eles trariam a Ele. Realmente este tempo de dar
espontaneamente, revelou o que estava em seus corações, da mesma maneira que a
viúva nos dias de Jesus:
Marcos 12:43-44 "E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva deitou
mais do que todos os que deitaram na arca do tesouro; Porque todos ali deitaram do que lhes sobejava, mas
esta, da sua pobreza, deitou tudo o que tinha, todo o seu sustento."
Assim, o povo que estava pasmado, com terror na Presença de Deus, estava
aprendendo que o Deus deles era agora o Seu marido, e realmente foi casado com o seu
povo, e Ele tomaria o lugar dele no centro do acampamento, e daria a eles um padrão de
adoração, pela qual eles poderiam estar em relacionamento com Ele.

Centenas de anos mais tarde, o Rei Salomão, estava pasmo com o pensamento de que
Deus preparou uma maneira de se aproximar de Deus. Ele perguntou:
2 Crônicas 6:18 " Mas, na verdade, habitará Deus com os homens na terra? Eis que os céus, e o céu dos céus,
não te podem conter, quanto menos esta casa que tenho edificado?"

Quando Deus disse a Moisés que eles estariam construindo um santuário para o Deus
todo-poderoso, Ele não deixou que Moisés ou Arão ou o conselho dos setenta anciões
inventassem um templo para que Ele manifestasse a Sua presença:
Êxodo 25:9 "Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus
pertences, assim mesmo o fareis."

Não houve nada da imaginação do homem. O povo de Deus poderia prover os materiais,
mas o plano pertencia exclusivamente ao próprio Deus. O homem não poderia inventar
uma maneira própria de se aproximar de um Deus santo. Não obstante, Deus na Sua
graça estava disposto a proporcionar um local pelo qual o homem todo pecador, poderia
aproximar-se de Deus, e poderia ter a garantia de que Deus estaria com ele, e em
relacionamento com Ele, porque a Aliança de Deus garantia que Deus não pode falhar.

Vash'kanti - mikdash - li - v'assoo - b'tocham


" E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. " (possa estar neles).

O PROPÓSITO E O ÂMAGO DA LEI

Deus tem muitos propósitos em tudo o que faz. Alguns dos propósitos dele são óbvios, como revelar
a Sua santidade para o homem, como Ele deve ser adorado, e como o homem precisa tratar o seu
semelhante. Estes são os padrões justos de Deus, que transformaram a Cultura Ocidental e foi a
base para a lei civil e moral de toda a Sociedade Ocidental. Um dos primeiros propósitos da Lei era
declarar o que é certo e o que é errado. O que Deus abençoa ou o que Deus condena no
comportamento pessoal ou coletivo.

Quando olhamos mais a fundo a Palavra de Deus, vemos que Ele nos deu muitas sugestões e
vislumbres no Antigo Testamento acerca do propósito em dar a lei para o homem, e a Sua revelação
direta para os Apóstolos no Novo Testamento acerca do que Ele quer ensinar em Sua Lei.

O Apóstolo o Paulo declarou diretamente em Romanos a razão da Lei:

Rm 3:19-20 " Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca
esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus. Por isso nenhuma carne será justificada diante
dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado."

Se qualquer um tentasse obedecer a lei de todo o seu coração, e ser honesto diante de Deus, ele
inevitavelmente e miseravelmente falharia, e teria o seu orgulho quebrado e sentiria a sua culpa
diante de Deus. Quebrar o orgulho do espírito humano e criar um coração quebrantado diante de
Deus era o propósito mais profundo da Lei.

Sl 51:16-17 " Pois não desejas sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos. Os sacrifícios
para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus."
Davi aprendeu esta lição dolorosamente, como todos nós devemos, e registrou isto no Salmo 51.
Como Davi poderia dizer que Deus não desejava sacrifícios? Pasmem, afinal de contas, nós
aprendemos sobre as ordens de Deus no sistema sacrificatório. Deus deseja acima disso, um
coração honrado e humilde para adorará-lO em espírito e verdade.

Quando Jesus veio ao Seu próprio povo, Israel, Ele achou dois tipos: os que haviam aprendido esta
lição de quebrantamento, e aqueles que resistiram a isto em seu orgulho humano.

Jo 1:11-12 " Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o
poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;"

Dois Tipos de Pessoas

Quando Jesus veio para Israel, haviam dois tipos das pessoas. Haviam:

1. Os que tinham sido quebrantados pela Lei, e tinham se humilhado por causa disto. Eles
souberam que eles foram condenados pela Lei, e encontraram n'Ele uma Fonte de redenção e o
Salvador que eles desejavam.

2. Os que viram isto, porém, seus corações estavam endurecidos. Eles estavam orgulhosos da
posição deles diante de Deus, e sentiam-se orgulhosos, e melhores que os outros. Acreditando que,
eles estavam em primeiro no Reino, e mereciam ser honrados por Deus.

Os líderes religiosos judeus que Jesus chamou "os judeus", constantemente estavam tentando
condenar a Jesus, porque Ele não se submetia às suas tradições orais e escritas dos Rabinos. Os
líderes tentaram manter um de estilo de vida ritualista e dedicado, que segundo eles, lhes garantia
títulos e uma posição no céu. Eles tinham perdido o ponto central da Lei. Quando eles viram Jesus
violando as suas tradições e se associando com certas pessoas, que eram consideradas por eles
como "imundas" eles foram intimidados:

Mt 9:11-13 " E os fariseus, vendo isto, disseram aos seus discípulos: Por que come o vosso Mestre com os
publicanos e pecadores? Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os
doentes. Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a
chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento."

Jesus veio a eles e lhes disse: Ide, porém, e aprendei o que significa: "Misericórdia quero, e não
sacrifício." Eles não obedeceram. Eles não receberam o âmago daquilo que a Lei ensinava, que eles
é que eram os pecadores, e que eles precisavam de um Salvador. Note que quando eles disseram
"Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores?" Eles estavam insinuando que eles
não tinham pecado. Jesus, em suma, lhes disse para partir, e aprender o a sua própria Torah, e
então voltarem. Quando eles aprendessem o significado da Lei, e o seu propósito - que eles não
eram sãos, mas precisavam de um Médico. Que eles não eram justos, mas eram desesperadamente
maus. O Sermão no Monte era, em sua essência destinado a humilhar todos os homens diante do
perfeito estandarte do que Deus chama de "bom".

Assim, há duas estradas que atravessam esta terra. A pessoa orgulhosa e a pessoa humilde. Deus
dá graça para o humilde mas Ele resiste ao orgulhoso. Esses que foram quebrados pela Lei se
reuniram a Ele porque Ele lhes ofereceu esperança. Eles sabiam que estavam doentes, e que eles
precisavam do grande Médico. Eles tinham aprendido a lição da Lei, que era - "todos pecaram, e
carecem da glória de Deus" e todos são pecadores, e somente os que caminham pela fé em Deus
serão justificados aos Seus olhos. Esses que aceitam a Sua graça.

Duas Estradas para o Céu

Assim há dois modos para receber salvação, de acordo com as Escrituras:

1. Viver uma vida perfeita que somente o Filho de Deus teve.


2. Admitir que você está caído, e que precisa de um Salvador

Assim, a Lei foi projetada para nos trazer a um quebrantamento. Não que nós vamos deixar de
procurar a Lei. A Lei é inerentemente boa . Nos revela a imagem de Deus. Nos mostra a santidade
d'Ele. Ele quer que nós tentemos obedecer a isto de todo o nosso coração, mas aqueles que tentam
obedecer com todos os seus esforços e de todo o seu coração, decobrem que o seu melhor esforço
é errar o alvo. Não é só um pouco, mas completamente longe do alvo. E aquele coração humilde é
quebrado debaixo do peso do padrão da perfeição divina, fica ávido pela redenção oferecida no
sangue de Jesus Cristo, que oferece aceitação e salvação perfeita.

A Lei e o Novo Testamento

A maioria dos cristãos concordam que os Fariseus estavam no erro de pensar que eles pudessem
cumprir a Lei perfeitamente. O erro de pensar que eles estavam justificados por Deus, por causa de
suas obras justas. Ninguém pode se aproximar Deus pelas suas obras. Mas nós podemos cometer o
mesmo engano que os Fariseus, assumindo isso, porque nós temos o Espírito de Deus dentro de
nós, nos dando perfeita santificação.

Mas, a Escritura ensina claramente, que nós somos conformados na Sua imagem de glória em
glória, e que isso é um processo vitalício. Embora nós tenhamos o Espírito de Deus em nós, há
ainda uma guerra entre nossa natureza caída, a carne, e nossa natureza espiritual (Gálatas 5).
Estas duas naturezas dentro de nós estão continuamente guerreando uma contra a outra, e a
mudança é um processo vitalício que vem de pouco em pouco, uma área de nossa vida de cada
vez.

Nenhum de nós já é perfeito. Nós precisamos nos humilhar desesperadamente. Esta é uma grande
coisa aos olhos de Deus, pois Ele odeia "um olhar altivo." Nós podemos nos tornar Fariseus do Novo
Testamento, pensando que nós não somos mais carentes da misericórdia de Deus, e achando que
já estamos sem pecado, e obedecendo a Ele por completo.

Mas Deus nos mostrará a nossa fraqueza. Ele mostrou para Paulo a sua fraqueza, em 2 Coríntios
11. Paulo teve que aprender a mesma lição, que pela sua fraqueza, nele de manifestava o poder de
Deus. Assim, possamos nós, apoiados com esses que, como no Sermão no Monte, choram e são
consolados, que são o pobre de espírito e vêem o Reino de Deus, e se consideram sem
merecimento algum, quebrantados, e em falta, e nos limpar diariamente, e buscar o perdão
diariamente e nunca fazer uma reivindicação de justiça própria, nem mesmo a retidão que vem
através da santificação, ou uma retidão de escolhas próprias. As nossas escolhas precisam da graça
de Deus, pois dependemos totalmente d'Ele, por causa de nossa natureza caída, e precisamos nos
achegar diante de Deus humildemente, e pedir a Sua clemência diariamente, e agradecer a
salvação que Ele nos deu.

Gratidão

Quando nós entendemos o propósito da Lei e nós ganhamos o conhecimento experiental de nossa
própria natureza caída, e a nossa necessidade desesperada da graça de Deus, nosso caráter
começa a assumir a natureza de Cristo, e o fruto do Espírito começa a se manifestar em nossas
vidas, e nós não nos achamos melhores que os outros, acreditando que Deus deve recompensar a
nossa retidão, mas pessoas gratas, gratas a Deus pelas riquezas da Sua misericórdia.

Lc 17:10 " Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque
fizemos somente o que devíamos fazer."
'As 5 Ofertas Levíticas'
Os Sacrifícios

ste sistema de sacrifícios foi ordenado por Deus e foi colocado no centro e no
coração da vida da nação judaica. O que quer que os judeus pensassem,
naquela ocasião, por causa do sacrifício contínuo de animais, e o fogo
ardendo continuamente no altar do holocausto, não há nenhuma dúvida de
que era Deus quem estava impregnando nos corações de cada homem, uma
consciência do pecado de cada um.

Uma lição de objeto que faria marcas na pele de cada um, um quadro de longa data do
sacrifício vindouro do Messias. Os sacrifícios apontaram a Ele e foram cumpridos n'Ele.

Há muitas instruções para o sacrifício ao longo do Pentateuco, mas em Levítico são


dedicados os capítulos 1-7 completamente às 5 ofertas de levíticas que eram os
principais sacrifícios usados nos rituais. Eles descrevem 5 tipos de sacrifícios: O
holocausto, a Oferta de Manjares, a Oferta Pacífica, a Oferta pelo Pecado, e a Oferta
pela Culpa. Cada um dos sacrifícios foi cumprido exclusivamente em Jesus Cristo.

O Holocausto

O holocausto era um sacrifício que estava completamente queimado. Nada dele era
comido, e então o fogo consumia o sacrifício inteiro. É importante notar que o fogo jamais
se apagava:

Lev 6:13 O "fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará."

O adorador israelita trazia um animal masculino (um touro, cordeiro, cabra, pombo, ou
rola, que dependem da riqueza do adorador) para a porta do tabernáculo.

Lev 1:3 Se a sua oferta for holocausto de gado, oferecerá macho sem defeito; à porta da tenda da congregação a
oferecerá, de sua própria vontade, perante o SENHOR.

O animal devia ser sem defeito. O adorador então colocava as mãos dele na cabeça do
animal, e em consciência que este animal inocente estava sendo reputado por pecador,
ele buscaria o Senhor para perdão, e então mataria o animal imediatamente.

Lev 1:4-9 E porá a sua mão sobre a cabeça do holocausto, para que seja aceito a favor dele, para a sua
expiação. Depois degolará o bezerro perante o SENHOR; e os filhos de Arão, os sacerdotes, oferecerão o
sangue, e espargirão o sangue em redor sobre o altar que está diante da porta da tenda da congregação. Então
esfolará o holocausto, e o partirá nos seus pedaços. E os filhos de Arão, o sacerdote, porão fogo sobre o altar,
pondo em ordem a lenha sobre o fogo. Também os filhos de Arão, os sacerdotes, porão em ordem os pedaços, a
cabeça e o redenho sobre a lenha que está no fogo em cima do altar; Porém a sua fressura e as suas pernas
lavar-se-ão com água; e o sacerdote tudo isso queimará sobre o altar; holocausto é, oferta queimada, de cheiro
suave ao SENHOR.

Os sacerdotes eram responsáveis por lavar as várias partes do animal antes de colocar
sobre o altar:

Lev 1:6-9 "Então esfolará o holocausto, e o partirá nos seus pedaços. E os filhos de Arão, o sacerdote, porão
fogo sobre o altar, pondo em ordem a lenha sobre o fogo. Também os filhos de Arão, os sacerdotes, porão em
ordem os pedaços, a cabeça e o redenho sobre a lenha que está no fogo em cima do altar; Porém a sua fressura
e as suas pernas lavar-se-ão com água; e o sacerdote tudo isso queimará sobre o altar; holocausto é, oferta
queimada, de cheiro suave ao SENHOR."

Depois, na história de Israel haviam ofertas queimadas feitas duas vezes por dia, uma
pela manhã e uma ao entardecer (quando aparecia a primeira estrela:

Num 28:3-4 "E dir-lhes-ás: Esta é a oferta queimada que oferecereis ao SENHOR: dois cordeiros de um ano, sem
defeito, cada dia, em contínuo holocausto; Um cordeiro sacrificarás pela manhã, e o outro cordeiro sacrificarás
à tarde; "

A oferta queimada era realizada para reconciliação dos pecados do povo contra o
Senhor, que os separavam de Deus, e era uma oferta de dedicação contínua de suas
vidas ao Senhor.

A Oferta de Manjares

Os Israelitas ofereciam manjares (cereais) ou legumes além dos animais. LevÍtico


capítulo 2 menciona 4 tipos de ofertas de cereal, e dá instruções de preparo para cada
uma. O pecador poderia oferecer massa de farinha de trigo assada em um forno, cozida
em uma forma, frita em uma panela, ou amassada para fazer pão (como na oferta das
primeiras frutas). Todas as ofertas de manjares eram feitas com óleo e sal e nenhum mel
e fermento seria usado (óleo e sal preservaram, enquanto o mel e fermento
deteriorariam). O adorador também traria uma porção de incenso (puro incenso).

As ofertas de manjares eram trazidos a um dos sacerdotes que levaram isto ao altar e
lançaram uma "porção memorial" ao fogo e fazia o mesmo com o incenso. O sacerdote
comia o restante, a menos que ele mesmo estivesse trazendo a comida como oferta, e
ele queimaria ela por inteiro.

O propósito da oferta de manjares era um oferecimento de presentes, e fala de uma vida


que é dedicada a dar, e à generosidade.

As Ofertas Pacíficas

A oferta pacífica era uma comida que foi dada pelo Senhor, aos sacerdotes, e às vezes
ao cidadão comum. O adorador trazia bois ou vacas, ovelhas, ou uma cabra. O ritual foi
comparado com o das ofertas queimadas, até ao ponto de queimar, onde o sangue de
animais era vertido ao redor das extremidades do altar. Foram queimadas a gordura e as
entranhas, e o restante era comido pelos sacerdotes, e, (se fosse uma oferta
expontânea) pelos adoradores. Este sacrifício de louvor e ação de graças era quase
sempre, um ato voluntário.

As ofertas pacíficas, incluíram bolos sem levedura. Os sacerdotes comiam tudo, menos a
porção comemorativa dos bolos, e certas partes do animal, no mesmo dia que o sacrifício
foi feito, e quando o adorador os levava juntos, como oferta voluntária, o adorador
poderia comer durante 2 dias do animal inteiro, menos o peito e a coxa direita que era
comida pelos sacerdotes.

Jacó e Labão deram suas ofertas pacíficas quando eles fizeram o seu pacto (Gen 31:43
ss). era exigido fazer estas ofertas quando se fizesse um voto de consagração à Deus, e
Lhe agradecendo com louvores enquanto, espontaneamente, se traziam as ofertas
voluntárias.

A Oferta pelo Pecado

As Ofertas pelo pecado expiavam, (liquidavam a dívida por completo) das fraquezas e
fracassos não intencionais dos adoradores e fracassos diante do Senhor.

Lev 4:1-4 FALOU mais o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel, dizendo: Quando uma alma pecar,
por ignorância, contra alguns dos mandamentos do SENHOR, acerca do que não se deve fazer, e proceder
contra algum deles; Se o sacerdote ungido pecar para escândalo do povo, oferecerá ao SENHOR, pelo seu
pecado, que cometeu, um novilho sem defeito, por expiação do pecado. E trará o novilho à porta da tenda da
congregação, perante o SENHOR, e porá a sua mão sobre a cabeça do novilho, e degolará o novilho perante o
SENHOR.

Cada classe do pessoas tinha várias ordenanças para executar:

Os pecados do sumo sacerdote requeriam o oferecimento de um touro, e o sangue não


era vertido no altar mas aspergido do dedo do sumo sacerdote 7 vezes no altar. Então a
gordura era queimada, e o restante era queimado (nunca comido) fora do arraial "em um
lugar limpo" onde o sacrifício era feito e as cinzas se despejavam.

Lev 4:12 "Enfim, o novilho todo levará fora do arraial a um lugar limpo, onde se lança a cinza, e o queimará com
fogo sobre a lenha; onde se lança a cinza se queimará."

Os pecados dos líderes requeriam o oferecimento de um bode. O sangue era aspergido


somente uma vez, e o restante era vertido ao redor do altar como com o oferecimento
queimado.

Os pecados do povo requeriam animais fêmeas, cabras, cordeiros, rolas, ou pombos e


no caso de ser muito pobre, um oferecimento de grãos era aceitável só como um
oferecimento de manjares.

Os pecados não intencionais eram difíceis identificar e poderiam acontecer a qualquer


hora, e então os sacerdotes trabalhavam de perto como mediadores com Deus e o povo,
e instruíam as pessoas sobre como eles buscariam ao Senhor. No caso de qualquer
pecado cuja oferta não foi trazida diante do Senhor, havia ofertas para a nação e para o
sumo sacerdote que os cobriam de um modo coletivo. No Dia da Expiação (Yom Kippur)
o sumo sacerdote aspergia sangue no propiciatório para os seus próprios pecados e
pelos pecados da nação.

As Ofertas pela Culpa

A Oferta pela culpa era bem parecida com a oferta pelo pecado, mas a diferença principal
era que a oferta pela culpa era uma oferta em dinheiro para pecados de ignorância
relacionados à fraude. Por exemplo, se alguém enganasse sem querer a outro por
dinheiro ou propriedade, o sacrifício dele devia era ser igual à quantia levada, mais um
quinto para o sacerdote e para o ofendido. Então ele reembolsou a quantia levada mais
40%.
Lev 6:5-7 " Ou tudo aquilo sobre que jurou falsamente; e o restituirá no seu todo, e ainda sobre isso
acrescentará o quinto; àquele de quem é o dará no dia de sua expiação. E a sua expiação trará ao SENHOR: um
carneiro sem defeito do rebanho, conforme à tua estimação, para expiação da culpa trará ao sacerdote; E o
sacerdote fará expiação por ela diante do SENHOR, e será perdoada de qualquer das coisas que fez, tornando-
se culpada. "

A Tradição Judaica - O Tratamento dos Animais

Embora o Senhor prescrevesse a matança de animais para sacrifício e para comida, o tratamento dos animais é
de importância extrema no Judaísmo. O Talmude descreve com cuidado as minúcias e o detalhe de como um
animal seria sacrificado para comida, e os regulamentos são principalmente determinados por causa do desejo
de proporcionar como possível uma morte indolor . O matador não podia ser um surdo-mudo, ou um menor de
idade, e ele devia ser de mente sã (Chul. 1. 1). A faca deve ser perfeitamente lisa sem o mais leve entalhe, e "a
faca deve ser testada sobre seus três lados na carne do dedo e na unha " (ibid. 17b).

Há cinco causas de desqualificação (ibid. 9a). [1] Demora (Heb. shehiyah), deve haver um contínuo movimento
para frente e para trás da faca sem qualquer interrupção. [2] pressão (Heb. derasah), o corte deve ser feito com
suavidade, sem o exercício de qualquer força. [3] inserir (Heb. chaladah), a faca não deve ser inserida na carne,
mas puxada transversalmente pela garganta. [4] penetrar (Heb. hagramah), o corte não deve ser feito, exceto por
uma seção prescrita do pescoço. [5] rasgar (Heb. ikkur), o corte deve ser feito sem deslocar a traquéia ou
garganta. Qualquer uma destas ações faria o animal impróprio para consumo, porque teria infligido dor no
animal.

O Judaísmo ensina formalmente o cuidado dos animais, e um amor e respeita para com eles. Eles deviam ser
alimentados corretamente (pág. Jeb. 14d), e "um homem não deve comer a comida dele antes de dar comida ao
seu gado" (Ber. 40a). Isto foi retirado das Escrituras:

Deut 11:15 " E darei erva no teu campo aos teus animais, e comerás, e fartar-te-ás."

O Judaísmo ensina o homem a ser grato pelos animais, porque eles são como modelos para os homens imitar.
"Se o Torah não sido dado a nós para nossa direção, nós não poderíamos aprender a modéstia do gato, a
honestidade da formiga, a castidade da pomba, e os modos do galo" (Erub. 100b). O Senhor ensinou a Moisés
ter cautela com as ovelhas antes de ele se ocupar em conduzir os membros do seu povo (Exod. R 11.2)

Um Tipo de Cristo

Toda oferta é um quadro claro de Cristo. Cada uma das 5 ofertas de Levítico apontavam
à Cristo, e Ele era cada uma delas.

Você também pode gostar